Jaboatão

03/05


2021

Pernambuco recebe primeiro lote de vacinas da Pfizer

Pernambuco recebeu, hoje, o primeiro lote de vacinas contra o novo coronavírus produzidas pela Pfizer/BioNTech. As 17.550 doses do imunizante serão destinadas às cidades de Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Recife, conforme ficou acertado entre o Ministério da Saúde, Governo do Estado e municípios. Poderão ser beneficiadas pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades. Também foram entregues hoje mais 267.250 unidades da vacina Astrazeneca/Fiocruz, que serão destinadas às primeiras doses para idosos entre 60 e 64 anos de idade, trabalhadores das forças de segurança e salvamento e pessoas com comorbidades. Assim, mais 284.800 vacinas reforçarão a campanha de imunização contra a Covid-19 em Pernambuco.

“Estávamos na expectativa do recebimento dessas primeiras doses da Pfizer/BioNTech para ampliar ainda mais a imunização no Estado. Sabemos que ainda há muito o que fazer para garantir a vacinação de todos os pernambucanos, mas estamos nos empenhando, fazendo um esforço diário junto ao governo federal para garantir mais doses. De toda forma, a partir de agora temos uma terceira vacina no Estado, que vai contribuir para ampliar os grupos prioritários”, afirmou o governador Paulo Câmara.

A vacina da Pfizer/BioNTech será armazenada no Programa Estadual de Imunização (PNI-PE), em freezers específicos, porque precisa ser acondicionada em uma temperatura entre -25°C e -15°C, podendo permanecer nessa faixa por até duas semanas. O PNI-PE ficará responsável por entregar os imunizantes aos municípios, de acordo com as solicitações de cada um. Nas cidades, o imunizante poderá ser guardado em temperatura entre 2°C e 8°C, mas somente por no máximo cinco dias. Após aberto o frasco, o prazo para utilização do insumo é de seis horas.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, assegurou que Pernambuco está preparado para receber as doses da Pfizer/BioNTech e armazená-las na temperatura ideal para garantir sua conservação. “Todas as especificidades serão respeitadas, assim como vem sendo feito com os outros fabricantes”, garantiu. Segundo a superintendente de Imunização da SES-PE, Ana Catarina de Melo, uma nova nota técnica do Ministério da Saúde, divulgada no último domingo (02.05), estabelece que a segunda dose da Pfizer/BioNTech deverá ser aplicada três meses após a primeira, da mesma forma como acontece com a vacina da Astrazeneca/Fiocruz. A nova orientação para todos os Estados ocorreu após análise do comitê técnico do ministério.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

PREF DE OLINDA DESAFIOS DA PANDEMIA 21

Confira os últimos posts



09/05


2021

E no BBB 21 também teve um retrato do Centrão

Por Mariângela Borba*

Mesmo aqueles que manjam pouco de política, só de ouvir falar no Centrão já começam a se contorcer. Isso é fato. Por quê? Porque se trata de um bloco populoso de partidos que não têm lado, não são definidos - nem de esquerda e nem de direita. E nesse chamado "Centrão", vivem pulando de galho em galho. Correm para o lado daquele que o agradar naquele momento. Não são definidos. É o popular "quem dá mais!" e assim seguem “em cima do muro". Geralmente, é um grupo populoso, medroso e que costuma se esquivar das grandes decisões. E, por incrível que pareça, o BBB também é um termômetro da política, se analisarmos pelos meandros.

E o que é o chamado Centrão? É, simplesmente, uma grande massa que pode travar as pautas da Câmara ou levá-las adiante. Não é à toa que todo mundo teme o Centrão, mas, porque ele se trata de um grande bloco, no jogo político, não dá para se desvencilhar dele, senão nada vai para frente e nem a roda gira.

Sim, é como no BBB, mesmo. E esta versão 21 mostrou bem esses meandros. Teve um grupo pautado por questões mais humanitárias e empáticas. Costumavam usar do diálogo mais amplo e pelo acolhimento.

Já do outro lado, uns outros que tinham atitudes mais opressoras e que determinavam quem seriam os alvos da vez. Eles se fazem valer de fake news e de intrigas para criar momentos favoráveis para si no jogo.

E no meio mesmo, é onde ficava o referido Centrão. Mesmo estando dividido em subgrupos, eles se uniam para escapar de qualquer parada, principalmente de um paredão. Ah, e como cantou o Tim Maia "vale o que vier!" sendo que, ao contrário do que cantou o saudoso síndico, "vale ficar homem com homem e mulher com mulher " (nada contra, por favor!) - como fez o filho do cantor famoso para garantir uma vaga na final.

Ele se escondeu de protagonismos, ali com seu cigarro e, entre um trago e outro, terminou alcançando o seu objetivo: manter-se na final. Pois é, e assim agiu o Centrão do BBB, era coadjuvante propositadamente, não por acaso esperava o próprio brilho surgir quando a casa estivesse mais vazia.

O BBB 21 apresentou um centrão formado pelos agroboys Caio e Rodolffo, que era, mais ou menos, como se fosse a “bancada ruralista da Câmara”, os famosos Camilla de Lucas, Carla Diaz, Pocah, Viih Tube, Fiuk, Thais e João Luiz. Aos poucos, eles chegaram a entender o jogo da rapper Karol Conká, mas não chegaram, ou não tiveram capacidade, de criar suas próprias estratégias. Preferiram aceitar o que vinha da turma do Projota e companhia.

Na dúvida, optavam pelo “voto de manada”, talvez, até mesmo, por preguiça de encarar o jogo e tentarem se livrar dos opositores sem, até mesmo, tirarem uma vantagem disso ou mesmo, por uma incapacidade de estabelecer um diálogo com o restante da casa e mostrarem, até mesmo, a injustiça que estava acontecendo com eles – como foi o caso do Acrebiano que terminou se envolvendo com a Karol Conká, só para tirar vantagem, sem estar apaixonado, e terminou saindo sem nem mesmo entender o por quê de ter sido o alvo do Centrão: poderoso, perigoso e altamente influenciável.

E, mesmo assim, parte do Centrão do BBB conseguiu chegar à final, mas o que prevaleceu mesmo foi a força da nordestinidade feminina: o Brasil reagiu! E que reaja assim em 2022, nas urnas. Como versou o paraibano Chico César com o nosso saudoso Dominguinhos: “Deus me proteja de mim, e da maldade dessa gente boa, da bondade da pessoa ruim, Deus me governe e guarde, ilumine e zele assim”.

*Jornalista, secretária de comunicação do PV/PE e do PV Recife, especialista em Marketing Político, de Conteúdo e assessora de imprensa da Secretaria de Infraestrutura da Prefeitura do Paulista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

09/05


2021

Hugo Chávez teve medo de ser envenenado no Recife

Da Coluna de João Alberto

Hugo Chávez, então presidente da Venezuela, chegou ao Recife no dia 24 de abril de 2003 a bordo de um avião da Força Aérea Venezuelana. Foi recebido no Palácio do Campo das Princesas pelo presidente Lula, João Paulo, prefeito do Recife, e Luciana Santos, prefeita de Olinda. Em seguida, visitou as obras da Refinaria Abreu e Lima, em Suape. 

Ele foi ao município de Abreu e Lima, onde prometeu ajudar e cumpriu: levando um grupo de professores e alunos para visitar a Venezuela. Em pleno meio-dia, foi visitar o túmulo de Abreu e Lima, que combateu junto ao libertador Simón Bolívar, líder da independência da Venezuela, no Cemitério dos Ingleses, onde discursou por mais de uma hora, com muita gente de paletó suando aos píncaros.

Na Sudene, falou por mais de duas horas. Ao encerrar o último evento de sua agenda em Recife, no Forte das Cinco Pontas, Chávez deu autógrafos, tirou fotos com crianças e ouviu manifestações de diversas pessoas de apoio à Revolução Bolivariana. Ficou hospedado, com sua comitiva, no Hotel Boa Viagem. Por duas vezes, foi jantar no restaurante Ponteio, pertinho. Um garçom que o serviu me revelou que, com medo de ser envenenado, um auxiliar provava a carne antes dele se servir.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

09/05


2021

Eduardo Cunha volta a usar Twitter após reverter prisões

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (MDB) voltou a usar o Twitter. O anúncio foi feito por meio de sua conta oficial na plataforma. 

"Estou retornando a usar as mídias sociais e quero agradecer todas as manifestações de carinho recebidas dos muitos amigos e daqueles que torcem por mim", escreveu.

O retorno de Eduardo Cunha ocorre após a revogação das prisões preventivas contra ele. Desde outubro de 2016, quando foi detido, sua filha, Danielle Cunha, vinha publicando na conta do ex-presidente da Câmara.

No Twitter, Eduardo Cunha negou que ele possa se candidatar nas próximas eleições, mas deixou uma possibilidade aberta para a filha fora do MDB: "Na linha do que a minha filha Danielle já postou, eu nao (sic) sou candidato a nada e ela nao (sic) pretende ser candidata pelo MDB."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jovelina Maria de Brito

ladrão, corrupto....essas marcas suas não tem STF que tire....



09/05


2021

Caruaru: MPPE denuncia Prefeitura por acordo com empresa de fachada

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) pediu a abertura de uma Ação Civil Pública contra a Prefeitura de Caruaru por supostas irregularidades em um contrato firmado com dispensa de licitação em 2017, devido à situação de emergência. De acordo com a denúncia feita pelo promotor da 2ª Vara da Fazenda Pública de Caruaru, Marcus Tieppo, o município alegou a necessidade de contratação de três máquinas e seus operadores para retirada de entulhos.

O documento estabelecia peso, capacidade e potência específica dos equipamentos. O contrato 014/2017 foi firmado em 13 de março com a Construtora LMV pelo valor de R$ 712.071,36. Segundo denúncia do MP, a empresa contratada não possuía veículos ou funcionários e, para prestar serviço ao município, subcontratou pessoal e máquinas inferiores ao estabelecido no contrato firmado com a Prefeitura de Caruaru, por um valor menor que o cobrado. 

Ao prestar esclarecimentos ao Ministério Público, a pessoa legalmente registrada como responsável pela empresa disse não ter conhecimento do contrato firmado com o município e que ia à Prefeitura apenas para assinar papéis e “fazer serviço de banco”. Além disso, apontou que o marido era quem conduzia a empresa.

O homem também foi ouvido pelo MPPE. Ele confirmou a informação e admitiu que a construtora foi criada em nome da mulher apenas para firmar contrato com o governo municipal. A empresa possui mais de 60 atividades econômicas que vão desde transporte escolar, obras portuárias, distribuição de água por caminhões, locação de automóveis, obras de irrigação, limpeza, até aluguel de andaimes e palcos, e serviço relacionado a esgoto.

Tal evidência, segundo Tieppo, "indica que a referida empresa é de fachada, pelas atividades tão distintas entre si em uma Microempresa (faturamento de até R$ 360 mil), sem possuir veículos ou empregados na época dos fatos". O marido da proprietária da JMV possui outra construtora que, de acordo com a 2ª Promotoria, tem débitos fiscais que se aproximam de R$ 1 milhão e por isso não poderia firmar contrato com o município.

No documento, o promotor diz que o ex-secretário de obras Humberto Correia admitiu, através de um ofício, saber que o homem era o verdadeiro dono da Construtora JMV. Ainda de acordo com a denúncia do Ministério Público, os documentos apresentados pela Prefeitura não comprovaram a necessidade de situação de emergência pelo município, o que levantou ainda mais as suspeitas em relação ao contrato que foi realizado com celeridade.

No pedido à Justiça, o promotor relata que o real responsável pela JMV já tinha criado outra empresa de fachada usando a esposa e o irmão como laranjas para firmar contratos com o município de Santa Cruz do Capibaribe. Esta segunda empresa atualmente responde a dois processos de improbidade administrativa. 

O documento cita também o fato uma ex-servidora do município de Caruaru aparecer como representante da Construtora JMV em diversas licitações, além de uma assessora jurídica da Prefeitura, que atua na Secretaria de Obras, e é a advogada do homem em um processo no qual foi condenado por Fraude à Execução em Ação de Execução Fiscal.

Entre os denunciados, além da Prefeitura de Caruaru, a Contrutora JMV, e marido e mulher responsáveis pela empresa, estão ainda o ex-secretário de Serviços Públicos Humberto Correia Lima; o então secretário executivo de Serviços Públicos, Ytalo Farias; Matheus Freitas, que atuava na mesma pasta, mas hoje é lotado na AMTTC; e a prefeita Raquel Lyra (PSDB). O promotor Marcus Tieppo pede à Justiça a anulação do contrato, além do ressarcimento do valor de R$ 217.355 ao município.

Prefeitura responde sobre o caso

A Prefeitura de Caruaru se pronunciou sobre o tema por meio de nota: 

“A Prefeitura de Caruaru informa que ainda não foi citada do processo, mas que tem a certeza da regularidade dos atos praticados durante a situação de emergência que se encontrava o município no início de 2017, evitando a paralisação de vários serviços públicos. Dois processos relativos aos mesmos fatos já foram julgados improcedentes.” 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Severino Aparecido

Faltou só dar os créditos: Matéria copiada do Blog Cenário da cidade de Caruaru e como falta ética ao sr. Magno Martins ele roubou o texto do jornalista Américo e simplesmente ignora o trabalho dos colegas.


ALEPE

09/05


2021

Omar Aziz diz que Queiroga será reconvocado à CPI

Do Estadão

O presidente da CPI da Covid do Senado, Omar Aziz (PSD-AM), classificou, hoje, como uma "grande decepção" a postura do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que depôs à comissão nesta semana e se esquivou de declarar sua posição sobre o uso da cloroquina em pacientes com covid-19. Segundo Aziz, Queiroga "com certeza" será reconvocado para falar mais uma vez à CPI, diante das contradições expostas entre a política do governo Bolsonaro na pandemia e as diretrizes do Ministério da Saúde.

Questionado diversas vezes sobre o uso da cloroquina durante o depoimento na quinta-feira (6), o ministro respondeu que não poderia se pronunciar porque a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) ainda está avaliando e elaborando o protocolo de tratamento da covid-19. Isso irritou os integrantes da CPI, especialmente a cúpula do colegiado. Ontem, o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que Queiroga investiu numa estratégia de não responder às perguntas dos senadores objetivamente e, portanto, de não "falar a verdade".

Essa frustração foi endossada pelo presidente da CPI. "Agora, o Queiroga foi uma grande decepção, ele como médico cardiologista. Quando a gente perguntava se ele era a favor da cloroquina - e ele não citava a palavra cloroquina, falava em 'fármacos' -, ele jogava para a Conitec", comentou Aziz em entrevista ao historiador Marco Antonio Villa divulgada neste domingo no Youtube. Para o presidente da CPI, esse pretexto usado por Queiroga foi para "não magoar o chefe" e indica que o ministro é contra o uso da cloroquina em pacientes com covid-19, medicamento que não tem eficácia comprovada contra a doença.

"Então é claro no posicionamento dele que ele é contra, mas não quer magoar o chefe. E com certeza será reconvocado porque as contradições em relação à política do governo é totalmente diferente da política do Ministério da Saúde. Então ele deve ser reconvocado", afirmou Aziz.

Na conversa com o historiador, o presidente da comissão também avaliou o depoimento do ex-ministro da Saúde Nelson Teich como o "melhor" até o momento. Além de Queiroga e Teich, que foi o segundo titular da pasta no governo Bolsonaro, também falou nesta semana à CPI o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta. "Teich passou 29 dias na Saúde, pouco ou quase nada poderia ter feito. Mesmo assim, acho que o melhor depoimento que teve foi do Teich, porque claramente ele se posiciona contra medicação antecipada, em relação ao que poderia ou não acontecer sobre essas medicações que estão sendo difundidas por um grupo de pessoas", afirmou o senador.

Sem planejamento

Para Aziz, no entanto, um ponto em comum nos depoimentos dos três médicos é que nenhum apresentou ter um "planejamento" para enfrentar a pandemia. "Nenhum deles tem planejamento, ainda estão todos batendo cabeça em relação à covid depois de um ano", avaliou o presidente da comissão.

Apesar de lembrar que Mandetta levou à CPI a carta em que alertou o presidente sobre a gravidade da pandemia, Aziz disse que o ex-ministro também não conseguiu dizer à comissão qual foi o planejamento tocado por ele enquanto estava titular da Saúde.

"Qual era o planejamento de testagem, de barreira sanitária, de comportamento? Era tudo incipiente, mas não havia ali um planejamento, ele não deixa nada planejado como ministro", criticou o senador.

O presidente da CPI ainda avaliou que não é uma maioria, mas, sim, uma minoria no Brasil que defende o uso de medicações com eficácia não comprovada em pacientes infectados pelo novo coronavírus. "Parece que é uma maioria, e não é uma maioria. Eles têm um poder de mídias sociais muito grande", disse o senador.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes 2021

09/05


2021

O que esperar para o turismo brasileiro no pós-pandemia?

Por Manoel Linhares*

O turismo foi um dos segmentos mais impactados pela pandemia em todo mundo. No Brasil, o setor deixou de arrecadar, de março de 2020 a fevereiro de 2021, cerca de R$ 290 bilhões, deixando sem emprego mais de 480 mil trabalhadores formais, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). A boa notícia, no entanto, é que a retomada das atividades do setor já está acontecendo e a tendência de melhora nos números aumenta a cada dia com o avanço da vacinação.

No turismo de lazer, a busca – embora ainda tímida – por destinos próximos às cidades de origem e locais de maior contato com a natureza têm sido a preferência daqueles que buscam viajar pelo país nesse momento. Já no ambiente corporativo, o retorno aos índices de antes da pandemia deve demorar um pouco mais, assim como no setor de eventos, que são fundamentais para o turismo e, principalmente, para a hotelaria, sendo responsáveis por parte representativa do faturamento dos meios de hospedagem por todo o país.

Uma ação importante, foi a sanção do presidente Jair Bolsonaro ao Perse (Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos) – Projeto de Lei 5632 de 2021, que autoriza desconto de 70% na dívida tributária das empresas de turismo e eventos e permite parcelamento do valor restante em até 135 meses. Isso foi fundamental para apoiá-las na travessia da crise e no estímulo à retomada das atividades econômicas desses setores.

A aviação deve seguir a mesma tendência do setor de hotelaria, seja de lazer ou corporativo, assim como o segmento de eventos, já que são atividades extremamente ligadas. O crescimento de um provoca o avanço do outro e, portanto, a volta da malha aérea do país também deve acontecer de acordo com a velocidade da imunização e a retomada das atividades do setor de turismo e todas as suas vertentes.

Muitas batalhas ainda nos restam. Talvez a mais árdua seja conquistar nacionalmente a compreensão das autoridades municipais e estaduais para que possamos juntos fazer essa difícil travessia e garantir a sobrevivência de empresas e empregos, até que as atividades atinjam índices sustentáveis, o que ainda não vem acontecendo. Segundo pesquisa realizada com hoteleiros de todo o país, os números de ocupação dos meios de hospedagem seguem pequena tendência de alta, mas ainda muito longe dos números de 2019 e anos anteriores.

Para que possamos ter uma retomada consistente do turismo no Brasil, temos defendido algumas medidas que poderiam fazer o turismo ocupar o espaço que merece num país de tantos atrativos naturais e culturais como o nosso, que pode ter no turismo um dos principais motores da sua recuperação econômica, já que é uma atividade que impacta 52 segmentos econômicos e era responsável, antes da pandemia, por 10,4% do PIB (Produto Interno Bruto). Nossa convicção é que, em breve, retomaremos esses números e avançaremos ainda mais, pois finalmente temos conseguido conquistas importantes para estimular o ambiente de negócios e o desenvolvimento do turismo no país.

*Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional)
**Texto publicado originalmente no portal Hotelier News


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

09/05


2021

Quem será o Biden Brasileiro?

Uma matéria publicada pela Folha de São Paulo, hoje, faz um prognóstico sobre a corrida eleitoral em 2022. Enquanto o presidente Jair Bolsonaro é apresentado como uma "versão tropical de Donald Trump", outros nomes são apontados como postulantes ao papel de Biden na disputa pela Presidência do Brasil.

"Na fila para ser o Biden brasileiro aparecem hoje: Lula (PT), que deve ser candidato se mantiver seus direitos políticos; Tasso Jereissati (PSDB), que ainda é dúvida no jogo eleitoral; Rodrigo Pacheco (DEM), que diz recusar a candidatura; e Michel Temer (MDB), que não chega a ser nem balão de ensaio."

A matéria completa está disponível na versão digital da Folha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Ai ai. Que preguiça. Ler a Folha com seus analistas alienados e da esquerda caviar onde só pensam em mudar o governo para voltar a se locupletarem das verbas públicas destinadas para os meios de comunicação. Argumentos falaciosos sem nenhuma base de sustentação para suas publicações, usando inclusive fakes, como gostam tanto de apregoar as mentiras. É a grande imprensa cada dia mais desmoralizada e desacreditada.


Anuncie Aqui - Blog do Magno

09/05


2021

Wilson Santiago deve sair do PTB após atrito com Jefferson

Após ter sido removido por Roberto Jefferson da presidência estadual do PTB, o deputado federal Wilson Santiago (PB) está decidido a mudar de legenda e deve ir para o MDB ou Cidadania. A informação surgiu com o colunista Walter Santos.

Tudo ocorreu depois que o parlamentar registrou presença na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara, nesta semana, mas não votou o Projeto de Lei nº 4754/16, que visava a tornar crime de responsabilidade a interferência na competência do Poder Legislativo pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), podendo levar a impeachment de integrantes da Corte. Roberto Jefferson e o PTB são defensores da proposição, que acabou rejeitada.

Santiago criticou publicamente a decisão de Jefferson em nota: "O presidente nacional do PTB tenta impor posições que desrespeitam os poderes e a política como instrumento de construção social. Seu alinhamento político ao Presidente Bolsonaro não pode transformar o PTB em filial de grupos extremistas e antidemocráticos."

Além disso, pesa o alinhamento de Wilson Santiago ao governador João Azevêdo (Cidadania) e ao ex-presidente Lula (PT).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/05


2021

Fagner também homenageia as mães

Em vídeo enviado ao blog, o cantor Raimundo Fagner, com o qual criei uma relação desde o dia em que conheci a Fundação com o seu nome, em Fortaleza, também faz uma bela homenagem às mães pelo seu dia. Ali, ensinando o bê-a-bá da musicalidade a crianças pobres, ele constrói o futuro da MPB ao mesmo tempo em que faz inclusão social.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/05


2021

NE que deu certo: Polo têxtil de Petrolina é página virada

Há 28 anos, quando lancei O Nordeste que deu certo, reproduzido neste blog na sua forma original, mas com dados e contextos atualizados, Petrolina parecia destinada a diversificar sua atividade econômica com o renascimento da indústria têxtil. O capítulo a seguir foi construído nessa perspectiva, focado no sonho de investidores, como a empresária Maria Teresa Coelho, filha do ex-governador Nilo Coelho, já nos braços de Deus.

Ela apostou fortemente em transformar o São Francisco num polo de confecções para abastecer ou competir com o próspero mercado, agora mais do que nunca efervescente, do Agreste, girando em torno de Santa Cruz do Capibaribe, onde até o empresário José Roberto Massa, o Ratinho, investe na construção de um shopping popular.

Faltaram, entretanto, incentivo e visão estratégica dos órgãos governamentais, o que, infelizmente, levou a CTC, de Maria Teresa, geradora de um grande número de empregos naquela época, numa região tão carente, a fechar suas portas, pondo fim, de forma surpreendente e frustrante, a um ciclo que despontava com muito vigor e esperança. Confira! 

A outra face de Petrolina 

Capítulo 3

Famosa internacionalmente como centro de exportação de frutas, Petrolina começa a despertar também para a exploração de uma nova vocação: a de polo têxtil e de confecção de malharia. Duas fiações tomam conta do mercado – a Companhia Têxtil do Vale (CTV) e a Grande Rio Têxtil Ltda (Rio-Tex). A primeira, pertencente à família do ex-senador Nilo Coelho, saiu na frente e já exporta 230 toneladas por mês de fio de algodão para os Estados Unidos. 

A Grande Rio Têxtil, integrante do complexo Casa Queiroz, está produzindo em caráter experimental, enquanto sua sede é concluída no Distrito Industrial de Petrolina. A atividade é a nova aliada na geração de empregos na região. Embora o Nordeste tenha sido o maior produtor de algodão e tenha ainda potencial para retornar à posição, a matéria-prima que abastece as duas novas unidades têxteis, incrivelmente, é importada da Grécia e da África.

“Não temos outra opção”, revela a empresária Maria Tereza Coelho de Souza, que dirige a CTV. Segundo ela, 200 toneladas de algodão são consumidas por mês na fábrica, provenientes da Grécia e África, porque não há a matéria-prima na região. “Nosso desejo é deixar esse dinheiro circulando aqui, mas não temos alternativa de abastecimento”, completa.

Tereza está fazendo um investimento de US$ 40 milhões na ampliação da CTV, através de recursos garantidos pelo FNE, repassados pelo BNB. Sua meta é duplicar a fiação e colocar uma malharia em funcionamento com capacidade para 160 toneladas/mês. Seu sonho é transformar Petrolina num polo de confecção para abastecer não só a imensa rede de lojas da região, mas principalmente o mercado externo. A fábrica existe desde 1973, mas só depois de adquirida pelo grupo Coelho retomou produção em nível considerado competitivo. 

Já a empresária Elze Queiroz, uma das sócias do empreendimento Rio Têxtil Ltda, investiu US$ 3 milhões numa unidade industrial que começou a funcionar em meados deste ano, gerando 200 empregos diretos, com uma capacidade de produzir 200 mil quilos de fio/mês. Ela também teve o projeto aprovado pelo FNE e, a exemplo de Maria Teresa Coelho, comprou máquinas modernas para produzir numa velocidade suficiente e capaz de atender à demanda do mercado internacional.

Filha do ex-senador Nilo Coelho, Maria Tereza praticamente deixou suas atividades no escritório do grupo em Salvador, onde mora, para se dedicar à consolidação da CTV em Petrolina. “Eu herdei do meu pai o amor por essa terra, a fé, o carinho ao seu povo. Fico feliz em dar uma contribuição para o desenvolvimento de Petrolina”, desabafa. Ela integra o grupo das “cinco marias” – juntamente com Dulce, Alice, Carolina e Luciana -, todas filhas do ex-senador e que, agora, com a divisão da família, dirigem as indústrias Coelho, formadas pela CTV e uma fazenda na Bahia. 

O grupo tinha ainda uma outra unidade têxtil no Piauí, mas na divisão do patrimônio acabou ficando para os irmãos Adalberto, Geraldo e Augusto. Maria Tereza toca a CTV com uma disposição de fazer inveja. Às 7h, já está no pátio da fábrica para conferir a produção do dia anterior. Almoça invariavelmente no próprio local de trabalho, e de lá só sai tarde da noite, acompanhando de perto o embarque da produção nos caminhões com destino ao porto de Suape, onde o produto é embarcado para os Estados Unidos.

Casada com um empresário ligado a Antônio Carlos Magalhães, governador da Bahia, Maria Tereza viaja uma vez a cada 15 dias para Salvador, de ônibus, numa distância de 500 quilômetros. “Quando estou em Salvador não consigo tirar o pensamento disso aqui”, diz ela, referindo-se ao projeto de expansão da sua fábrica de algodão.

Maria Tereza acha que, se Petrolina não fosse cercada por municípios tão pobres, a cidade já estaria sendo referência para o Brasil. “Temos uma baixa taxa de desemprego, mas poderíamos hoje ocupar uma posição bem mais privilegiada se não fosse a migração dos municípios próximos em direção a Petrolina”, afirma.

A empresária garante que não está ganhando muito dinheiro com a CTV. “Herdamos um passivo muito alto e estamos fazendo investimentos bem mais altos ainda”, diz, adiantando que só com 12 teares gastou US$ 5 milhões, trazendo equipamentos de última geração.

Segundo ela, para cobrir o passivo, a previsão é de que dure ainda dois anos. “Nossa previsão é de que tenhamos um faturamento de US$ 1,5 milhão/mês”, prevê, apostando no futuro da empresa, notadamente na consolidação de Petrolina como polo de confecção da região. 

Na CTV, ela mantém, ainda, um refeitório que, além de alimentar os 482 funcionários da empresa, abastece seis grandes outras empresas de Petrolina, o que lhe permite cobrir as despesas com o custeio do refeitório. Mas Tereza pensa em se transferir definitivamente para Petrolina, dependendo de uma resposta que a CTV der no momento em que a parte de produção de malhas estiver funcionando.

Diversificação

Quando estiver com a área de confecção de malhas produzindo a todo vapor, a Companhia Têxtil do Vale (CTV) vai gerar mais 500 novos empregos diretos em Petrolina. Hoje, numa área de 11 mil metros quadrados, o produto final é o tecido de algodão, comercializado para os Estados Unidos. “Com a malharia, nós vamos fazer toalhas, roupa de cama, camisas e outros produtos”, diz Maria Tereza, adiantando que será um grande avanço para a região.

É que, segundo ela, em torno do polo Petrolina-Juazeiro há dezenas de confecções que no futuro deixarão de comprar nos grandes centros urbanos, passando a adquirir o produto diretamente na CTV. “Vamos ter um avanço enorme”, acredita o economista Paulo Almeida, superintendente da indústria. 

Coube a ele a iniciativa de divulgar na região e em algumas capitais do Nordeste que Petrolina já produz tecido de algodão e que, brevemente, terá uma grande fábrica de malhas. Essa divulgação está sendo feita através de outdoor, chamadas nas televisões e com o marketing direto de vendedores contratados para as capitais. 

Petrolina, na opinião de Paulo, pode vir a ser um grande polo de confecções, bem maior que Santa Cruz do Capibaribe. “Na Bahia não existe fábrica, nós estamos ligados a Juazeiro que tem mais de 200 mil habitantes e maior ou igual número de comerciantes que vivem de malhas”, observa. 

A CTV, de acordo com o seu superintendente, possui também avançado processo de produção de tecido. “Nosso sistema é todo automatizado, tanto no que se refere à cor do tecido, quanto à engrenagem para selecionar o melhor fio”, diz, acrescentando que a lagoa de estabilização, também montada recentemente, faz o tratamento de antipoluição.

“Nós temos o melhor tingimento do algodão da América Latina”, comemora ele, para acrescentar. “Só precisamos de mais incentivos”. Na CTV, o algodão, ainda como matéria-prima inacabada, passa por um processo simples. “Primeiro – diz Paulo – escolhemos o tingimento do algodão, depois fazemos a sua fiação para chegar a um bom tecido. Embalamos, e já na última etapa fazemos a expedição para levar até os caminhões com destino ao porto de Suape”.

A vantagem da CTV, no momento em que ela concretizar projeto de confecção de malhas, será a sua enorme capacidade de fazer estoque. “Nós, hoje, só estamos operando com 50% da nossa capacidade. Concluído o projeto, temos condições de abastecer praticamente toda a região nordestina”, prevê Paulo, que não tem dúvida ao afirmar que Petrolina vai ter o maior impulso em torno da indústria têxtil. “Petrolina, que hoje já cresce a taxas surpreendentes, terá condições, sem dúvida, de dar um pulo em curto espaço de tempo, porque estamos tocando uma atividade geradora de emprego”, assinala.

Mão-de-obra

A mão-de-obra especializada absorvida no parque industrial têxtil de Petrolina não vem de fora. É aproveitada na própria região. Simone Maria de Souza, 18 anos, que trabalha na área de controle de qualidade da CTV, é um exemplo disso. Depois de iniciar estudos na Escola Técnica de Petrolina, foi aprovada no teste de seleção e vem dando conta do recado.

Ela recebe salário mínimo e diz que ficou muito feliz com a reativação da indústria de algodão na área do São Francisco. “Não poderia ter existido coisa melhor. A gente tem mais opções de emprego”, destaca. Simone é pernambucana, mas mora em Juazeiro, dedica tempo integral ao trabalho e revela entusiasmo com a experiência. “Está sendo muito importante para mim, pois estou colocando em prática o que vi nos estudos de química da escola”, conta. 

Implantada há menos de dois anos por influência do deputado federal Osvaldo Coelho, a Escola Técnica Costa Pinto se encaixa perfeitamente no conceito de metamorfose vivido por Petrolina. Antigamente não havia nenhuma escola de nível médio voltada para especialização na região, o que impedia que os jovens ampliassem seus conhecimentos.

Hoje, centenas deles são lançados no mercado de trabalho com especialidade em todos os campos de atividades, principalmente na área agrícola. “A maioria dos técnicos agrícolas que trabalha para nós precisou sair daqui para estudar lá fora”, diz o empresário José Miguel de Assunção, que dirige 23 fazendas no polo Petrolina-Juazeiro, empregando mais de 50 jovens que deixam a Escola Técnica.

A empresária Tereza Coelho revela que tem preferido dar oportunidade de estágio na CTV a estudantes que ingressaram na Escola Técnica de Petrolina. “Eles já chegam com uma boa bagagem teórica, e aqui conseguem materializar seus sonhos”, afirma, acrescentando que tem sido rotina aceitar estagiários na fábrica de fiação. Com a ampliação, ela espera oferecer muito mais oportunidades de emprego para os que estão concluindo cursos de formação técnica. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores