20/01


2021

Tecnologia pernambucana contra o assédio sexual

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Diante de novo caso de assédio sexual ocorrido, ontem, em uma linha de ônibus na capital pernambucana, diversos internautas cobraram soluções à Prefeitura do Recife para combater as variadas formas de importunação sexual no transporte público. Há iniciativas que podem servir ao menos como inspiração. É o caso da Nina, uma startup (empresa emergente) com raízes recifenses, que presta consultoria de mobilidade e gênero de cidades.

Foi em março de 2019 que essa tecnologia passou a auxiliar a Prefeitura de Fortaleza no combate ao assédio sexual no transporte público. Esta ferramenta está integrada ao aplicativo Meu Ônibus e tem permitido que a população fortalezense denuncie casos no transporte coletivo.

Até outubro do ano passado, 2.334 denúncias foram registradas e 10% viraram inquérito policial. A fundadora da Nina é a recifense Simony César, que teve de sair do Estado em busca de oportunidade. Seu trabalho rendeu grande repercussão positiva na imprensa e diversos prêmios dentro e fora do Brasil, levando a jovem empreendedora de origem humilde a ser eleita pela Forbes Under 30 um dos destaques de 2019.

Filha de ex-cobradora de ônibus, ela chegou a estagiar em uma empresa de transporte público. Sua iniciativa surgiu em 2016, ainda quando estudava na UFPE, ao ver a omissão do sistema operacional nas poucas denúncias de assédio sexual que eram feitas. “Eu trabalhava no setor comercial de uma empresa de ônibus no Curado. As demandas chegavam por telefone, mas para o chefe do setor só interessavam as demandas comerciais. Eles nem faziam tabela no Excel de reclamações de assédio ou relacionadas a motoristas, e eu ficava indignada”, conta.

“Aí teve o caso de uma estudante que foi estuprada depois que pegou o circular na UFPE. E aí eu comecei a querer saber como a gente poderia utilizar a tecnologia da informação e comunicação para tentar mapear de alguma forma”, prossegue.

Simony então foi atrás de editais de inovação para conseguir recursos e, assim, colocar sua ideia em prática. Parcerias foram estabelecidas com multinacionais como Red Bull e Toyota, o que permitiu o contato com gestores brasileiros em abril 2018, na 73ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos, em Niterói/RJ. Entre os presentes no encontro, estavam o então prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), e o de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT).

“Uma das etapas de um edital ocorria na reunião com os prefeitos. Eu tinha chegado na semifinal e quem fosse para a final, ganharia o capital da Toyota de 20 mil dólares e o apoio da FNP para aplicar a ideia nas cidades brasileiras. A Nina era a única startup que não era de São Paulo. Nessa etapa, a gente tinha de escolher três cidades para atuar e optei por Recife, Natal e Fortaleza. Os prefeitos tinham de assinar uma carta de endosso se comprometendo a ajudar na articulação da startup. Fortaleza foi a única que deu assistência e colocou uma técnica à disposição”, explica Simony.

A partir de julho de 2018, começou a preparação para que a Nina entrasse em operação em Fortaleza. “Foram seis meses de consultoria para a gente fazer a integração com as câmeras de ônibus e conversar com todos os atores, delegacias, etc.”, continua. Em 06 de março de 2019, a iniciativa entrou em caráter de projeto-piloto e foi efetivada no final do ano.

Isso abriu possibilidades à expansão da Nina, com melhoria da tecnologia e novos acordos com outras prefeituras. Ainda segundo Simony, houve diversas tentativas para que Pernambuco implantasse a Nina. “Sempre coloquei Recife como cidade prioritária por ser daqui, mas sempre esbarramos nos trâmites políticos. Fortaleza nos colocou como prioridade e isso deu uma boa visibilidade ao transporte público da cidade”, diz.

Conforme o Blog apurou, antes de chegar a Fortaleza, houve uma reunião inicial com a Prefeitura de Olinda, mas as negociações esbarraram na falta de interesse da gestão. Também ocorreram conversas com o Grande Recife Consórcio de Transporte e há tratativas com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo 2021

Confira os últimos posts



26/02


2021

Programa Arena Brasil Nordeste estreia segunda-feira

Está marcada para próxima segunda-feira, às 17h, a estreia do programa Arena Brasil Nordeste, nas plataformas digitais YouTube e Facebook e também na RadioWeb BrasilNordeste. O programa será ancorado pelo radialista e jornalista Marcelo Jorge, com a colaboração, em Brasília, do jornalista Sandro de Moura e da ex-secretária de Comunicação de Garanhuns e jornalista Jaqueline Menezes.

O programa terá também a participação deste blogueiro, levando, semanalmente, aos internautas, um resumo da política no estado e no país. Para acompanhar o programa 'Arena BrasilNordeste', o internauta pode se inscrever no canal BrasilNordeste Oficial no YouTube ou acessar o site www.radiobrasilnordeste.com às 17 horas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/02


2021

Coronavírus: em 1 ano, Brasil teve 1 caso a cada 3 segundos

O Brasil teve seu 1º caso de coronavírus (Sars-CoV-2) anunciado pelo Ministério da Saúde em 26 de fevereiro de 2020. Hoje, o país ultrapassa 1 ano do 1º diagnóstico da doença no país.

Nos 366 dias entre as datas (2020 foi ano bissexto), o Brasil registrou 1 caso a cada 3 segundos. Foram 1.200 diagnósticos por hora. Essas são as médias considerando os 10.390.461 casos de coronavírus registrados até as 18h de ontem, o último dado disponível.

Na noite de ontem, o Ministério da Saúde confirmou que o Brasil passou da marca de 250 mil mortes pela coronavírus. São 251.498 pessoas que perderam a vida nos 12 meses desde que a pandemia chegou ao Brasil.

Nesse período, o Brasil teve uma pessoa hospitalizada com a doença a cada 50 segundos. Foram 754 mil internações registradas pela doença até as 12h de 20 de fevereiro, último dado disponível. O número foi divulgado no último boletim epidemiológico do ministério. Clique aqui e confira a matéria do Poder 360 na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner Jaboatao 2021

26/02


2021

PE proíbe atividades não essenciais entre 22h e 5h

O Governo de Pernambuco anunciou, há pouco, novas medidas restritivas, válidas para todo o território. A partir da noite de amanhã, até o dia 10 de março, estará proibida qualquer atividade não essencial, entre as 22h e as 5h. A decisão, comunicada pelo governador Paulo Câmara em pronunciamento, tem o objetivo de conter o novo avanço da doença, que pressiona o sistema de saúde estadual, registrando atualmente uma taxa de ocupação de UTI acima dos 90%.

Na última quarta-feira (24.02), o governador já havia divulgado ações restritivas para 63 municípios do interior. Nas Gerências Regionais de Saúde (Geres) II, IV e IX, com sedes em Limoeiro, Caruaru e Ouricuri, as atividades econômicas e sociais estão proibidas, entre 20h e 5h. Nos próximos dois finais de semana, as atividades estarão proibidas entre 17h e 5h, nessas regionais.

“A polícia e os órgãos de fiscalização estarão nas ruas para observar o cumprimento desse novo decreto. Vamos monitorar os dados minuto a minuto neste fim de semana e, caso os índices permaneçam piorando, novas medidas restritivas podem ser anunciadas já no início da próxima semana”, advertiu Paulo Câmara.

Além dessas novas medidas, foi anunciada também a ampliação das equipes de logística, para diminuir ainda mais o prazo de entrega de vacinas assim que elas chegarem ao Recife. O governador informou também que vai avançar na oferta de vagas de UTI, com a entrada em operação, já neste fim de semana, de mais 30 leitos no Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa, no Recife.

Segundo Paulo Câmara, hoje o Estado conta com quase dois mil leitos dedicados aos pacientes infectados pelo vírus, sendo 998 de UTI, em 16 municípios. É a segunda maior rede de leitos de terapia intensiva do País. “Este é mais um momento decisivo na nossa luta contra a Covid. Já ficou claro que cada um precisa fazer a sua parte, usando máscara, higienizando as mãos e evitando aglomerações”, completou o governador.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/02


2021

Imunidade, cassação e orçamento atrasado

Regressei de Brasília para o Recife já era madrugada desta sexta-feira. Foi uma semana de muito trabalho. Aos poucos, apesar da crescente nova onda da pandemia, o Congresso está voltando à sua rotina com sessões presenciais, reunião do bloco de lideres e retomada das comissões temáticas da Casa.

No Conselho de Ética da Câmara as atenções se voltam para o julgamento do caso de quebra do decoro parlamentar dos deputados Daniel Silveira (PSL-RJ) e Flordelis (PSD-RJ), o primeiro por ataques de baixo nível ao Supremo e seus ministros e a parlamentar pela acusação de ter matado o marido. O relator do processo de Daniel é o deputado pernambucano Fernando Rodolfo (PL).

A temática mais polêmica, entretanto, é a PEC da imunidade parlamentar, que a mídia batizou de PEC da impunidade. Trata-se de um casuísmo do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para imunizar ele e seus pares de violações éticas, inclusive para não permitir prisão, consequência do caso Daniel e um arranjo institucional questionável, com brechas jurídicas que podem afrontar o Supremo Tribunal Federal.

A matéria não foi votada ontem por não ser consensual, objeto de discussões jurídicas. Enquanto os deputados estão preocupados com o efeito cascata Daniel Silveira, a PEC da volta do auxílio emergencial vai ficando em segundo plano, embora o presidente Bolsonaro tenha antecipado na live de ontem que quer pagar o auxílio de R$ 250 já a partir de março. Só não definiu de onde vai sacar o dinheiro para atender 20 milhões de brasileiros.

A semana foi marcada, ainda, pelo fim do prazo de apresentação das emendas individuais e agora impositivas da cota dos nobres senadores e deputados. A proposta do orçamento da União era para ter sido votada pelo Congresso até dezembro do ano passado, como manda a Constituição, mas a pandemia atrapalhou. Bolsonaro só pode contar com dinheiro novo no final de março, prazo final para discussão e votação do orçamento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina 2021

26/02


2021

Brasil-Japão: O sonho dourado que deu certo

Por Carlos Augusto Carvalho de Vasconcelos*

A visita realizada ao ilustre amigo e diplomata Hiroaki Sano, Cônsul Geral do Japão recém-chegado a Pernambuco, foi, além de uma volta no tempo, um prazer indescritível, uma retrospectiva histórica, artística e cultural de ambos os países amigos, muitas emoções boas o tempo todo, o tempo parou.

As grandes civilizações antigas sempre foram importantes para a modernização do mundo atual, entre elas a do Japão. Por muito e muito tempo esse povo permaneceu isolado do mundo, num conjunto de ilhas/arquipélagos no oceano pacífico, composta por cadeias de montanhas e picos elevados como o imponente monte Fuji, um vulcão adormecido, enfrentando todas as condições adversas da natureza como terremotos, tufões, tsunamis e outros fatores, unificando assim esse povo tenaz e resiliente, tornando-os uma cultura rica e exemplar, desde o período dos clãs feudais, dos Xoguns e consequente nascimento dos guerreiros samurais, lendários por sua honra e fidelidade, depois a formação dos grandes impérios.

Talvez, se os mongóis de Kublai Khan tivessem conseguido invadir as ilhas, como tentaram por duas vezes e naufragaram nas tempestades, o destino do Japão seria outro hoje em dia. Em períodos de paz e isolamentos, ocorreram aperfeiçoamento dos rituais, inclusive o de tomar chá, das artes, lutas, danças, culinária, artesanatos de porcelanas finas e do teatro tiveram grande avanço, difundindo-as em terras distantes no ocidente até em dias atuais.

Enquanto o mundo passava pela revolução industrial, mais uma vez as ilhas passaram por um isolamento de 200 anos, até se renderem as propostas tentadoras americanas, inglesas, alemãs, entre outras de apoio e modernização, como disse certa vez o imperador “Se não podemos derrotá-los, vamos se unir e aprender”.

O Japão sofreu muito com as duas grandes guerras, porém teve sua modernização acelerada. A nação que mais recebeu imigrantes japoneses até hoje foi o Brasil e ainda mantém estreita relação política comercial e de amizade entre esses dois povos distintos. O consulado Japonês no Recife é um ponto estratégico, possui interesse na área da Ciência da Nutrição, em desenvolvimento tecnológico e de intercambio científico-cultural com escolas, centros e universidades japonesas (Saúde, Tecnologias e Engenharias). Eles também gostam de enviar jovens nordestinos para intercambio no Japão, já que o sudeste é bem favorecido, até pela maior população e maior número de descendentes, a seleção possui critérios e é nacional, todas as informações pelo site do consulado disponível nas mídias.

Acredito que o segredo da grande força japonesa esteja na forma simples de viver e enfrentar a vida e, em primeiro lugar, a família, com sua disciplina ímpar, exemplo para o mundo e moral irredutível, “Espíritos guerreiros Samurais”, bem como costumes harmônicos de estilo de vida e educacional. A influência oriental japonesa foi muito forte na minha vida até hoje, principalmente no período em que morei em Ribeirão Preto/SP, muita vivência e aprendizados, amigos inesquecíveis, alguns muitos ligados à natureza, ao cultivo de alimentos, sabedoria milenar.

Aqui no Recife também temos bons amigos descendentes japoneses. A receptividade, reciprocidade e o carinho de vocês são magníficos e, acima de tudo, verdade, sempre a verdade, bem diferente de outros locais que se dizem muito importantes por aí à fora. Aqui, Sr. Hiroaki Sano, você “está em casa”, é nosso amigo, nosso parceiro e meu irmão. Muito obrigado e sempre disponha.    

*Professor da Universidade Federal de Pernambuco e figura pública


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

26/02


2021

Exposição recorda resistência de canavieiros

As poucas informações sobre a greve de canavieiros da Zona da Mata de Pernambuco, em 1979, confirma que mesmo o passado é um território de disputa. Tida por muitos pesquisadores como uma das mais significativas ações do movimento sindical rural brasileiro, o evento aconteceu nos municípios de Paudalho e São Lourenço da Mata, durante a Ditadura Militar. Na próxima segunda-feira, essa história pode ser reconhecida na exposição Jogo da Memória, dos artistas Marcela Lins e Guilherme Benzaquen. A abertura será promovida virtualmente no canal da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), no YouTube. Mas também poderá ser conferida fisicamente a partir do dia 9, das 10h às 16h, na Galeria Baobá. 

Resultado da 5ª edição do projeto Residências Artísticas, da Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), da Fundaj, o resultado da investigação deveria ser apresentado no segundo semestre de 2020. Mas precisou ser adiado em meio à pandemia de Covid-19. Na montagem, o público poderá conferir diversos fragmentos em formato 12 x 12 cm de fotografias deste e de outros movimentos atrelados a canavieiros; depoimentos em vídeo dos grevistas; documentos extraídos do Serviço Nacional de Informações (SNI), que atestam um mapeamento do movimento feito pelos militares e um gaveteiro de telegramas fictícios. 

“A exposição pretende a reconstrução de uma memória de um acontecimento vitorioso e de esperança”, adianta Guilherme. “Ela aparece por ser um marco em um tempo onde não se fazia greve. Há uma série de relatos que apontam esta como a primeira grande greve rural brasileira, desde a instauração do Regime Militar”, destaca Marcela. Para tanto, ambos artistas se debruçaram sobre arquivos e memórias para provocar outras narrativas possíveis, ainda que de modo fragmentado. São imagens produzidas pela imprensa e extraídas de jornais da Biblioteca Nacional e do livro Greve nos Engenhos (1980), da socióloga Lygia Sigaud. 

Em um dos pavimentos, o visitante poderá conferir o Gaveteiro de Memórias. Nele, um móvel reúne 10 mil telegramas fictícios construídos a partir do relato de quatro grevistas que participaram ativamente do ato. Ao todo, os artistas destacaram 155 trechos e um telegrama em branco. “Para representar as lacunas”, justifica Benzaquen. “No jogo da memória, é preciso lembrar. Partimos dessa alegoria para pensar essa greve como algo que precisa ser lembrado”, explica Marcela Lins. A exposição segue aberta à visitação até 30 de abril, das terças às sextas-feiras, seguindo todos os protocolos sanitários. 

Serviço

Exposição Jogo da Memória, de Marcela Lins e Guilherme Benzaquen

Estreia: 8 de março, no canal oficial da Fundaj, no YouTube 

Visitação: 9 de março a 30 de abril

Horário: terças às sexta-feiras, das 10h às 16h

Local: Galeria Baobá (Av. Dezessete de Agosto, 2187 - Casa Forte, Recife)

Gratuito


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

26/02


2021

Ibaneis decreta lockdown no DF a partir de segunda

O governador Ibaneis Rocha decidiu decretar lockdown no Distrito Federal, a partir de segunda-feira, devido à pandemia de Covid-19. “Vamos fechar tudo, exceto serviços essenciais, das 20h às 5h”, disse, na noite de ontem. Portanto, as demais atividades seguem autorizadas a funcionar fora do horário determinado.

“Estamos com 92% de UTIs ocupadas e vamos tomar as providências aos poucos, na medida do que for necessário. Por enquanto, essas são as providências urgentes”, afirmou o governador.

Os servidores que não forem de serviços essenciais ficarão em home office.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jornao O Poder

26/02


2021

Arcoverde: Wellington é multado em mais R$ 50 mil

O prefeito cassado de Arcoverde, Wellington Maciel (MDB), amargou mais uma punição financeira pelas abusividades durante a campanha eleitoral imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral, que vai lhe custar mais R$ 50 mil. O pior: punido sem nem ter recorrido ao TSE, por esquecimento dos 14 advogados que lhe acompanham no processo e deviam estar assistindo a TV. A decisão do processo transitou em julgado no dia 22 de janeiro e a certidão emitida dia 17 deste mês.

A decisão, proferida no dia 22 de fevereiro, trata-se do processo número 0600328-23.2020.6.17.0057 que tratava de recurso eleitoral interposto pela Coligação União por Arcoverde e Wellington Maciel contra sentença da 57ª Zona Eleitoral que julgou procedente a representação, determinando a fixação de multa individual do importe de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), para ele e para a coligação.

Como o processo já foi transitado em julgado, como atesta a certidão do TRE-PE, ele agora vai descer para entrar em fase de cobrança dos R$ 100 mil (cem mil reais), sendo R$ 50 mil de Wellington e R$ 50 mil da Coligação. Caso não paguem no prazo de 5 dias, a multa será inscrita na dívida ativa da União e poderá sofrer execução fiscal, inclusive com a penhora de bens móveis ou imóveis. A representante da coligação era a então secretária de Saúde e filha da prefeita Madalena Britto, Andreia Britto.

A punição refere-se a um evento esportivo realizado no Loteamento Maria de Fátima, aonde foram promovidas aglomerações de toda ordem no final de outubro. Apesar de na defesa inicial dizer que as provas apresentadas não comprovavam nada e nem referia-se a data denunciada, no mesmo documento a assessoria jurídica do então candidato afirma, em nome de Wellington e da coligação, que “estava programado um porta a porta naquela localidade” e naquela data.  

Segundo o relator, desembargador José Alberto de Barros Freitas Filho, ficou comprovado que “claramente os atos narrados configuraram uma afronta ao determinado na sentença proferida no juízo de primeiro grau no pedido de providências n.º 0600293-63.2020.6.17.0057, publicada dia 14/10/20”. A punição tinha por base a proibição destes tipos de eventos que aglomeravam pessoas definido pelo TRE-PE, prevendo multa de R$ 50 mil a cada candidato presente e coligação. 

Ainda na decisão, o desembargador diz que “resta claro que, ainda que alegue não ter determinado a reunião de seus apoiadores formando uma aglomeração, o recorrente (Wellington) nada fez para dispersar as muitas dezenas de pessoas que ali se encontravam, mas ao contrário disso, se juntou aos eleitores, corroborando com as irregularidades eleitorais e sanitárias praticadas e se beneficiando delas”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

26/02


2021

Tabira ganha registro afetivo em memória a Pedro Pires

Folha de Pernambuco

Da região do Pajeú, mais precisamente beirando as cidades de Afogados da Ingazeira, Solidão e Tabira, sendo esta última o seu nascedouro e, portanto, o maior afeto, o político e empresário Pedro Pires – falecido no final dos anos de 1960 – segue “in memoriam”, reverberando histórias construídas desde o tempo em que passou a ser conhecido como “Jovem Líder”. 

Da Zona Rural da cidade, onde foi criado, até adentrar espaços explorados pela audácia de carregar consigo o viés de administrador, dedicatórias como o livro “Pedro Pires Ferreira – Meu Pai”, de autoria de sua filha, professora e escritora Nevinha Pires, é um exemplo das memórias afetivas deixadas por ele.

O livro, o sétimo escrito por Nevinha – falecida em 2016 aos 91 anos –, ganhou publicação recente por meio de Pedro Pires Neto, médico e filho da autora. “Quando minha mãe adoeceu e veio a falecer, resolvi dar andamento, e com ajuda de familiares que conviveram com ela e com meu avô, fui auxiliado na interpretação do que ela havia escrito, porque já com a mão trêmula algumas palavras e frases ficavam difíceis de transcrever”, contou ele, em conversa com a Folha.

Além das narrativas, fotos e documentos foram inseridos na publicação, como parte de um todo que revive a trajetória de um dos nomes influentes do Sertão do Pajeú.

“Foi o meu avô quem emancipou Tabira, onde foi prefeito por duas vezes. Em Afogados (da Ingazeira) ele administrou a cidade por três vezes. Também deu independência a Solidão e, além de todo o caminho político que percorreu, empreendeu com uma usina de algodão que levou desenvolvimento para os tabirenses”, complementa Pedro Neto.

Assim como se deu durante sua gestão como prefeito, Pedro Pires se voltou também à carreira legislativa de deputado estadual e, com boas relações, seguiu com o mote de alternar entre estradas e escolas e, dessa forma, imprimir o progresso na Região, em especial à sua Tabira.

“Minha terra só terá boas perspectivas de desenvolvimento e progresso se seus filhos acreditarem e nela trabalharem. Jamais me deslocarei de Tabira, que crescerá comigo e com todos que quiserem trabalhar por ela e nela. Só assim veremos a cidade crescer”, teria dito ele quando teve a opção de instalar em outros municípios a usina. 

Embora astuto ao que se propunha fazer política e administrativamente, foi ao lado da filha Nevinha Pires que ele seguiu impávido, sem hesitar em receber autoridades, formalizar documentos ou discursar para a população. “Neste aspecto, a minha mãe teve papel importante na vida dele, ela foi uma espécie de secretária de luxo, era ela quem estava ao lado dele. Por isso também ela se achou no direito de escrever sobre ele por ter convivido tão de perto e em todos os momentos”, justifica Pedro Neto.

Foi também por meio de Nevinha que a cidade de Tabira ganhou um largo em Portugal. O Largo Tabira de Pernambuco integra o cenário da região de Algarve após estudos de um historiador do país, curioso em buscar a origem dos nomes de Tavira, cidade portuguesa e do município do Sertão pernambucano, cuja pronúncia é a que prevalece nas terras portuguesas. 

“Na época, o prefeito mandou para o historiador um livro de minha mãe chamado ‘Tabira, História e Estórias’, e eles passaram a trocar informações por cartas. 

Entusiasmado com o que leu, propôs à Câmara de Algarve nomear um Largo em homenagem à nossa cidade”, conta Pedro Neto, orgulhoso pelo papel de filho e de neto de dois nomes incontestáveis que, in memoriam, seguem proliferando o enredo do Pajeú em imagens e leituras, tais quais podem ser folheadas no último registro afetivo sobre a cidade e sobre um dos precursores de sua história.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/02


2021

André de Paula exalta orçamento impositivo

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

Em entrevista ao programa Frente a Frente, hoje, o segundo vice-presidente da Câmara, deputado federal André de Paula (PSD-PE), falou sobre a semana bastante movimentada em Brasília, com a presença de diversos prefeitos pernambucanos em busca de recursos para os municípios. A peregrinação de gestores ocorre porque este é o prazo final para destinação de emendas parlamentares. O prefeito do Recife, João Campos (PSB), chegou a visitá-lo na tentativa de obter aportes para a cidade.

Ao âncora Magno Martins, o deputado revelou que o gestor recifense foi à capital federal para garantir R$ 10 milhões em emendas impositivas para dar início a uma obra de mobilidade, que tem custo total de R$ 40 milhões. "Ele disse aos deputados Augusto Coutinho e Wolney Queiroz, que são os coordenadores da nossa bancada, que iria conseguir 15 deputados para cada um doar R$ 650 mil. Eu topei participar de imediato", disse André.

Cada deputado tem mais de R$ 15 milhões em emendas individuais, em geral remanejadas para os redutos eleitorais, e R$ 8 milhões em emendas de bancada à disposição. De acordo com André de Paula, cada parlamentar aliado do governador Paulo Câmara (PSB) destinou R$ 3 milhões a Pernambuco e estes recursos estão assegurados. "(Está) garantido. Ao longo desse ano, sai. O que tiver no orçamento, que agora é impositivo, sai. Esse é o lado bom", explica.

Há obras prioritárias do Governo do Estado, como a do Aeroporto de Fernando de Noronha. Ainda há a solicitação de R$ 50 milhões para melhorias na BR-232. Ouça a entrevista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Esse deputado votou a favor das reformas trabalhistas ,e da Previdência, prejudicando os aposentados e pensionistas e os trabalhadores brasileiros.