Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

08/08


2020

Pátria Armada: sem projetos, sobram projéteis

Por Weiller Diniz*

A morte infecta a trajetória viscosa do capitão Jair Bolsonaro. Ao seu redor tudo recende a purulência e necrofilia. Seus ícones – Brilhante Ustra, Major Curió, Alfredo Strossner, Augusto Pinochet – são matadores sanguinários, alguns condenados. Seus amigos e vizinhos são homicidas da milícia carioca, rastilho da decomposição institucional, consumada na execução da vereadora Marielle Franco. A insipiência e inépcia para administrar o morticínio diante da pandemia – prescrevendo ilegalmente medicamentos ineficazes – nos humilhou mundialmente com vexaminosos índices de mortalidade e contaminações. O capitão inventou a modalidade presidencial de vadiagem inanimada.

O gesto da arminha e a simulação de fuzilar oponentes macularam a eleição presidencial. A morte é a meta e o ódio o método, desde quando pregou abertamente o extermínio de 30 mil brasileiros. São quase 100 mil óbitos em 5 meses de pandemia sob gargalhadas escarnecedoras e descaso contemplativo. O genocídio foi o estopim de representações no Tribunal Penal Internacional. Apesar disso, as rajadas reiteradas do capitão é para armar a sociedade. Foram muitos decretos com intuito de abrandar a lei e banalizar o acesso a armas e munições.

Na primeira tentativa de sacar contra o estatuto do desarmamento, Bolsonaro foi alvejado. Com poucos meses de mandato o capitão deu o primeiro tiro no pé. O Senado rejeitou por 47 votos a 28 um decreto assinado em maio de 2019 que buscava flexibilizar a posse e o porte de armas no Brasil. O plenário aprovou o projeto de decreto legislativo que encharcou a pólvora do capitão. O decreto autorizava a concessão de porte a 20 categorias profissionais e aumenta de 50 para 5 mil o número de munições disponíveis anualmente a cada proprietário de arma de fogo.

Após o tiro pela culatra e o capitão revidou multiplicando o arsenal. Muitos decretos posteriores foram judicializados. Recentemente, a justiça de São Paulo abateu um deles, o que aumentava o limite da compra de munição de 200 para 550 unidades mês. A ação popular em que Bolsonaro foi réu em São Paulo é de autoria do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP). O parlamentar argumentou que o texto do presidente autorizando o aumento da aquisição de munições pela população foi editada com base em um parecer de um militar que já deixou o governo. Desta forma, se a motivação é inválida, a portaria não pode existir.

A obsessão por armar a população tem a mira torta da psicopatia. Na rumorosa reunião ministerial de 22 de abril o capitão levou novamente a mão ao coldre: “Um puta de um recado para esses bostas: estou armando o povo porque não quero uma ditadura, não dá para segurar mais. (…). Por isso que eu quero, ministro da Justiça e ministro da Defesa, que o povo se arme! Que é a garantia que não vai um filho da puta aparecer pra impor uma ditadura aqui!”, disse Bolsonaro a um aparvalhado Sérgio Moro, responsável pelo tiro de misericórdia contra o principal adversário do capitão quando era juiz. No mesmo encontro, Paulo Guedes plantou uma granada no bolso dos servidores.

A cruzada contra a vida não poderia redundar senão em estilhaços trágicos e mórbidos, agravando a pandemia. O número de registro de armas no Brasil explodiu. O aumento foi de 205% apenas no 1 semestre de 2020. O crescimento de homicídios no mesmo período foi de 7%. É inequívoca e histórica a curva do crescimento das mortes violentas atrelada ao aumento do número de armas em circulação. Perto de 40% das apreensões de armamentos em poder dos criminosos têm origem legal.

É pacífico que a posse de arma de fogo não protege quem a detém. Ao contrário, potencializa o risco. O cidadão de bem é sempre o surpreendido e não tem a perícia dos marginais. O próprio capitão Bolsonaro, que faz apologia do tema, foi assaltado no Rio de Janeiro. Dois ladrões roubaram uma motocicleta e uma pistola. “Mesmo armado me senti indefeso”, disse à época. Liberar o acesso às armas significa objetivamente franquear arsenais à milícia amiga, cuja legalização já foi advogada pelo capitão e o filho, Flávio Bolsonaro.

Há 15 anos, a sociedade foi consultada sobre proibir a venda de armas e munição. A tese foi rejeitada por 63, 94% dos eleitores contra 36,06% favoráveis à vedação. A campanha foi marcada pela desinformação e deturpada dolosamente como subtração de direitos. Foi também o primeiro disparo em massa de fake news. A distribuição de e-mails falsos levou pânico à sociedade. Um dos principais foi a fictícia comemoração de traficantes em um morro carioca, festejando que apenas eles teriam armas se a proibição fosse vencedora. Na contramão da morte, as pesquisas recentes continuam a calibrar a alta rejeição ao mascate das armas: Mais 70% se opõem às flexibilizações.

O método de armar a população é a artilharia característica dos regimes totalitários, que camuflam a belicosidade e o fascismo em estampidos que buscam silenciar os alicerces democráticos. Em 2006, Hugo Chávez, ex-presidente da Venezuela, falou ao povo, depois de comprar milhares de fuzis russos: “A Venezuela precisa ter 1 milhão de homens e mulheres bem equipados e bem armados. (…) Os gringos querem nos desarmar. Temos de defender nossa pátria”.

Outro ditador, executado depois de ser capturado fugindo nos últimos dias da guerra, foi o fascista Benito Mussolini, na Itália: “um povo armado é forte e livre”. A pregação foi durante um discurso para cem mil italianos feito na Sicília, segundo um jornal da época. Os franquistas também ruminavam o “viva la muerte”. Nada difere o capitão. Eis o que excreta Jair Bolsonaro: “Eu quero todo mundo armado. O povo armado jamais será escravizado”. O que ele ambiciona é um exército particular, comandado por milicianos, como Fabrício Queiroz. Tudo isso sob o silêncio pusilânime das forças armadas.

O pendor armamentista desses ditadores, antigos e recentes, todos fracassados, converge com o belicismo do capitão que ribomba discursos e éditos a fim reduzir o controle na venda e armas e cartuchos. Recentemente ele foi brindado com um souvenir que sintetiza sua índole mortuária e reúne suas predileções demoníacas: uma arma fake. Na pátria armada, em razão do absoluto vácuo programático e da completa obtusão, o capitão trocou os projetos pelos projéteis. Não descobriu a pólvora.

*Jornalista. Artigo publicado originalmente no site Os divergentes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Aceitem dói menos. bozoloides.

Fernandes

Os direitopatas ficam arretados com a verdade. KKKKKK

Carlos

Lamentável o Blog do Magno publicar um texto como esse, uma enxurrada de informações mentirosas, isso não é opinião, são supostos fatos que na verdade não passam de fake news.

Carlos

Que texto LIXO, uma enxurrada de mentiras e agressões, só pode ser um esquerdopata para escrever tanta M.

marcos

Quanta Merda Senhor Weiller Diniz, bom era o tempo de Dilma Jumenta uma porra louca analfabeta que quebrou o pais. Agora Senhor a culpa das Cem mil mortes é da China, do STF, Governadores e Prefeitos. Essa conversinha pra idiota útil escutar, já não cola mais, vai morar na Venezuela ou em Cuba lá tem Democracia.

Rafael C.Soares Quintas

Os cães ladram e a caravana passa!!!

Fernandes

A bem pouco tempo o buraco era na camada de ozônio, agora querem botar ozônio no buraco Tá ficando difícil a vida do gado. Bozonaro!


O Jornal do Poder

Confira os últimos posts



26/01


2021

Milton reafirma voto em Baleia Rossi

O deputado federal Milton Coelho (PSB), que assumiu como suplente do prefeito do Recife, João Campos (PSB), uma vaga na Câmara Federal, reafirmou o seu voto no candidato do MDB à presidência da Casa, Baleia Rossi, independentemente do posicionamento de João. Confira abaixo o seu depoimento enviado ao blog:

“Reafirmo que votarei no deputado Baleia Rossi porque o PSB integra o bloco dos partidos de esquerda que definiram esse posicionamento. Considero, ainda, Baleia Rossi mais independente em relação a Bolsonaro, o que o coloca como melhor alternativa no meu ponto de vista”. – Milton Coelho (PSB)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

26/01


2021

Gilvandro anuncia redução na folha salarial em mais de 50%

O prefeito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela. concedeu entrevista ao programa Janela Livre, da Rádio Bitury, hoje, e fez um breve balanço das ações do seu governo. Gilvandro comemorou o pagamento do 13° dos aposentados que estava em atraso da antiga gestão, o pagamento dos servidores efetivos e anunciou que, até a sexta-feira, o pagamento  do mês de janeiro de todos os servidores municipais.

"O segredo de administrar Belo Jardim é muito simples: é ter equipe, é ter honestidade, coragem, é não ser ladrão, é não roubar o dinheiro público", disse.

Ainda segundo o prefeito, amanhã, terá uma reunião com o juiz Douglas José, para tratar de recursos do município que estão bloqueados. "Amanhã tem uma reunião marcada com ele, Doutor Douglas, com o procurador, Eduardo Danda, e com alguns secretários, e tenho a convicção de que ele vai liberar os R$ 5 milhões. Se o juiz liberar amanhã esse valor, eu vou zerar a folha salarial atrasada do município. Aí sim, a partir de fevereiro eu vou começar a pagar todo mundo iniciando sempre no dia 25 de cada mês", garantiu. 

O prefeito afirmou, ainda, que reduziu a folha salarial da Prefeitura de Belo Jardim, que chegou a R$ 14 milhões no passado, para menos de R$ 7 milhões e com o valor economizado "a população já percebe a diferença".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/01


2021

Confira a entrevista de Baleia Rossi ao Frente a Frente

Em entrevista exclusiva ao Frente a Frente, programa ancorado por este blogueiro na Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes, o candidato do MDB à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (SP), negou que os partidos de oposição tenham colocado alguma condição básica para apoiá-lo. Baleia também comentou sobre o seu encontro com o governador Paulo Câmara e disse que sai com a certeza de que será majoritário na bancada federal. Confira!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Viva a imprensa!

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Voltando a \"violência\" contra a imprensa. Falar que a imprensa, principalmente a \"grande\" é mentirosa é violência? Agora mesmo na UOL tem a chamada: PF diz ao STF não ter encontrado ainda indícios contra bolsonaristas em inquérito de atos antidemocráticos. O \"ainda\" foi inserido pela imprensa. Na verdade a PF encerrou o inquérito. Realmente a imprensa perdeu toda credibilidade. Quanto ao Baleia, até deputados da chamada esquerda, vão votar no Lira.



26/01


2021

Editorial analisa divergências do PSB no apoio a Baleia

No Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, o meu editorial foi sobre as divergências que existem dentro do PSB/PE com relação ao apoio do partido à candidatura de Baleia Rossi à presidência da Câmara dos Deputados. O governador Paulo Câmara ratificou o seu apoio a Rossi, enquanto o prefeito do Recife, João Campos, também do PSB, declarou apoio ao adversário, Arthur Lira (PP), e já confirmou que, se estivesse no Congresso, seu voto seria dele. Vale a pena conferir!

O Frente a Frente tem como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

26/01


2021

Ala ideológica trabalha por Trump e Bolsonaro

Por Renato Riella

Fiquei ausente dos bate-bocas nos últimos meses por dois motivos:

1. Muito ocupado. Peguei trabalho demais.

2. Certeza de que tudo vai se resolver por si mesmo.

Aliás, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também desapareceu por esses mesmos motivos. Ele volta na próxima semana, cheio de novidades boas para o Brasil.

Vi tanta burrice nos últimos dias, partindo da patrulha ideológica, que resolvi escrever. Na verdade, não me contenho. Vou apontar fatos futuros (não vale falar depois).

Vamos começar pelos Estados Unidos.

Nunca vi político mais burro do que esta quase velhinha Nancy Pelosi, presidente da Câmara – eminência parda da política nos últimos anos. Ela é responsável por elevar Trump a níveis de sustentação que vão infernizar o frágil Joe Biden.

Até a estátua da Liberdade, tomando sol e neve na cabeça, sabia que a tentativa de impeachment do Donald seria um fracasso. Mas a mulherzinha, sem ouvir ninguém, aprovou um simulacro de impeachment na Câmara – que será desmoralizado no Senado.

Trump vai fazer força para não ganhar logo este processo, que mantém o nome dele na boca dos direitistas por semanas – talvez meses. Dizem que Donald Trump é o culpado pela invasão do Capitólio, com cinco mortes. Mas quem entrará na história, como líder negligente do Congresso, que não se preveniu para as arruaças, será Dona Nancy.

Só por ódio e vaidade, ela gastou milhões de dólares dos EUA para simular um impeachment de araque. Devia ser condenada a indenizar a nação por erro tão primário.

Quanto a Trump, ajudado por esse tipo de erro, vai inviabilizar a vida de Biden, fazendo ressoar os muitos erros que o atual presidente cometerá (já está cometendo, levado por insanos ideológicos).

BRASIL

Mesma coisa no Brasil.

O mal-intencionado Rodrigo Maia, do DEM, está levando o MDB para o fundo do poço. O presidente deste imenso partido (Baleia Rossi) vai pagar por isso. Hoje posso dizer, sem medo de errar, que Artur Lira, do PP, vai ganhar a eleição da Câmara Federal. E Rodrigo Pacheco, do DEM, será o futuro presidente do Senado.

O MDB perde na Câmara com o próprio Baleia, que se uniu a defensores do MST, adeptos do aborto, inimigos da fé, sabotadores da agropecuária e outros níveis de liderança, que são a cada momento mais minoria no Brasil. De quebra, Bolsonaro vai se livrar do cara que sabotou seu governo durante 24 meses e que vai acabar sem nada: o Botafogo.

Incrível e lamentável é ver o MDB perdendo poder, mesmo com amplas bancadas nas duas casas e tendo eleito a maioria dos prefeitos. Rodrigo Maia é o Rogério Ceni da política. Como escala mal! Botafogo não absorveu a filosofia dos gênios, que é a seguinte: no futebol e na política, feio é perder.

Vejo seres ingênuos lamentando que Rodrigo Maia não tenha aberto processo de impeachment. Apesar de gordo e desonesto, ele sabe fazer conta. Ao contrário da gagá Nancy Pelosi, Botafogo viu que não haveria número suficiente, nem na Câmara nem no Senado, para derrubar Bolsonaro, que ganharia com o barulho. E esta contagem contra o impeachment está mais presente do que nunca.

Me assusta ver gente inteligente e bem intencionada organizando mini-marchas a favor do impeachment. Mas o objetivo frustrado é apenas um: tentar conseguir votos para Baleia Rossi. Quanto engano!

Para fechar, mostro que a imprensa está mais comprometida do que nunca. Vejam vocês que este Rossi não tem nome de Baleia. Trata-se de apelido que carrega há muitos anos. Se ele fosse do time do Bolsonaro, já estaria brindado com memes e charges fantasiado do peixe-mamífero.

O povo pensa até hoje que Baleia é nome de batismo. Será que um padre batizaria alguém com nome tão depreciativo? No mundo, muita gente pensa que o brasileiro bota nos filhos o nome de peixe...Piranha, talvez.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O impeachment do Bolsonaro só não cabe nas cabeças de camarão dos Direitistas.

Kelson Menezes da silva

Esse mané deveria dizer o número da mega kk?kkk sabe porra nenhuma

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Resumiu, com precisão, o atual quadro político. Só faltou complementar que a falta de vacina nos Estados Unidos e o fechamento de 06 fábricas da Ford na Europa, desempregando mais de 12.000 trabalhadores, é culpa do Bolsonaro.



26/01


2021

Live debaterá rumo dos Eventos e do Turismo em PE

A Associação Brasileira de Empresas de Eventos – Estadual Pernambuco promove, amanhã, às 19h, uma live com Fátima Facuri, presidente nacional da ABEOC. Será uma oportunidade para os produtores de eventos do Estado conversarem com a especialista sobre como a classe fica diante da pandemia que assola o país e as restrições de eventos em vários Estados. A mediação da live será feita pelas cerimonialistas Tatiana Marques e Gisela Latache. O bate papo será no Instagram da ABEOC-PE, o @ abeocpe.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jornao O Poder

26/01


2021

Compromisso é por análise do impeachment, diz Baleia

Em entrevista exclusiva ao Frente a Frente, o candidato do MDB à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (SP), negou que os partidos de oposição, especialmente o PT, tenham colocado como condição básica para apoiá-lo o seu compromisso velado pela abertura do processo de impeachment do presidente Bolsonaro, caso seja eleito na disputa contra Arthur Lira (PP-AL), nome apoiado pelo Planalto, em eleição marcada para a próxima segunda-feira.

"Assumi o compromisso de analisar, não de abrir. Fiz uma conversa franca e republicana com os partidos que formam uma frente ampla em torno da nossa candidatura. O pilar básico da minha candidatura, deixado claro publicamente em um documento, é o compromisso com a independência do parlamento", afirmou. Sobre o encontro com o governador Paulo Câmara, realizado, há pouco, disse que sai com a certeza de que será majoritário na bancada federal.

A entrevista vai ao ar ao longo do programa, que começa às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, formada por mais de 40 emissoras nos Estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Bahia. Se você deseja ouvir pela internet, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O impeachment do Bolsonaro só não cabe nas cabeças de camarão dos Direitistas.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Eita! Já mudou o discurso. Vai analisar? O impeachment do Bolsonaro só cabe nas cabeças de camarão dos esquerdistas. É igual a Marília que quer pautar o governo do João Campos. Realmente, o Bolsonaro deixar o PT sem roubar por dois anos, deixa a quadrilha desesperada.



26/01


2021

Câmara diz que PSB de PE está com Baleia Rossi


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/01


2021

Butantan vai receber 5 mil litros de insumo da CoronaVac

O governo de São Paulo afirmou, hoje, que os 5,4 mil litros de insumo para produção da vacina CoronaVac devem chegar ao Instituto Butantan no dia 3 de fevereiro.

"Nós tivemos essa sinalização, de que a liberação desses lotes será feita de uma maneira muito rápida, começando por esses 5,4 mil litros que foram anunciados no dia de ontem [segunda-feira, 25] e chegarão aqui na próxima semana, com previsão do dia 3 de fevereiro", afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto.

Segundo Dimas Covas, com a chegada da matéria-prima, o Butantan produzirá, em 20 dias, cerca de 8,6 milhões de doses do imunizante. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa nesta manhã, após uma conferência entre o governo paulista e o embaixador da China no Brasil, Yang Waning.

De acordo com Dimas Covas, outros 5,6 mil litros estão em processo "avançado de liberação" pelo governo chinês. A expectativa do Instituto Butantan é a de receber, até abril, o total de insumo para produção das 40 milhões de doses contratadas.

O acordo feito entre o Instituto e o laboratório chinês Sinovac prevê o recebimento total de 46 milhões de doses. Desse montante, 6 milhões foram importadas prontas da China.

"Na sequência, há um outro volume de 5,6 mil litros, que também foi anunciado pelo embaixador, que também está em processo de liberação. Com esses dois lotes, totalizando 11 mil litros, nós regularizaremos as nossas entregas ao Ministério [da Saúde] e o restante que deverá vir no que já está planejado até o final de abril, as 40 milhões de doses que temos contratadas até este momento", completou Dimas Covas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/01


2021

Baleia promete analisar pedidos de impeachment

Ao lado de lideranças representativas da esquerda, o candidato a Presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (MDB), chegou ao Palácio das Princesas, onde se reunirá com o governador Paulo Câmara (PSB) e parlamentares pernambucanos. Em entrevista antes do encontro, ele adotou o tom de independência da Casa para tentar conquistar votos em sua nova passagem por Pernambuco. As informações são do Blog da Folha.

O parlamentar esteve acompanhado da deputada federal Jandhira Fergali (PCdoB) e do líder do PSB na Casa Baixa, Alessandro Molon. A legenda socialista está dividida e é alvo das investidas tanto de Baleia quanto do seu adversário Arthur Lira (PP). Não é à toa, portanto, que o Palácio das Princesas tenha se tornado um endereço constante da agenda dos postulantes.

Após nova reunião com o governador Paulo Câmara (PSB), Baleia Rossi defendeu que “o parlamento não pode ser submisso" e que o parlamentar “tem direito a exercer seu mandato com plenitude”, em uma indireta ao fato de Arthur Lira ter o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em um gesto ainda mais claro em direção aos insatisfeitos com o Governo Federal na Casa, em especial, aos partidos de esquerda, Baleia Rossi se comprometeu a “analisar todos os pedidos” de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, mas que a pauta não será bandeira da sua campanha.

“Eu tenho compromisso com a Constituição e, como presidente da Câmara, nosso compromisso é fazer análise de todos os pedidos, dentro do que diz a lei. Não é uma bandeira da nossa candidatura. O impeachment não pode ser bandeira de candidato a deputado, mas temos dever constitucional de fazer essa análise e se deus me der essa oportunidade eu farei”, garantiu.

Ao ser questionados sobre as dissidências em siglas que declararam, de início, apoio ao seu nome como PSB e PSL, Baleia Rossi disfarçou e garantiu que continuará trabalhando em busca de votos dos colegas. Segundo ele, entre 36 e 40 votos parlamentares confessaram que prometeram voto a Arthur Lira, mas que se identificam com suas bandeiras. Ele, contudo, não citou quais os nomes dos legisladores.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Brasil se tornou desinteressante para investidores, aponta correspondente alemão. Os últimos números da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) sobre o desenvolvimento do investimento estrangeiro no mundo praticamente não chamaram atenção no Brasil. Mas deveriam. Eles apontam para uma perigosa inversão de tendência, que moldará a economia brasileira nos próximos anos.

Fernandes

Recordar é Sobreviver. Bolsonaro é eleito ‘Corrupto do Ano por consórcio internacional. O presidente Jair Bolsonaro foi eleito “Personalidade do Ano” por seu papel na promoção do crime organizado e da corrupção pelo Organized Crime and Corruption Reporting Project (OCCRP), um consórcio internacional que reúne jornalistas investigativos e centros de mídia independente.

Fernandes

Líderes religiosos protocolam na Câmara pedido de impeachment de Bolsonaro. Documento é assinado por 380 pessoas ligadas a igrejas cristãs, incluindo católicas, anglicanas, luteranas, presbiterianas, batistas e metodistas, além de 17 movimentos cristãos. KKKKKK

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

kkkkkkkk Agora vai. Com uma promessa inadmissível e como apoio da esquerda vai ser igual as manifestações petralhas. Só existe com muita mortadela e tubaína. Sim ônibus gratuito. Aproveitando, o Lula ladrão foi eleito o maior corrupto do mundo. Aquele padrinho da perdedora Marília Arraes.