FMO janeiro 2020

09/07


2020

STJ concede prisão domiciliar a Fabrício Queiroz

O ministro João Otávio Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), decidiu, hoje, conceder prisão domiciliar a Fabrício Queiroz e à mulher dele, Márcia de Aguiar.

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Queiroz está preso desde 18 de junho, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Anjo.

O relator do caso é o ministro Felix Fischer, mas coube a Noronha analisar o tema porque, pelas regras internas do tribunal, o presidente do STJ é o responsável por decidir sobre questões urgentes no recesso.

Queiroz é alvo de investigação sobre o esquema das "rachadinhas" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Márcia Aguiar, cuja prisão foi determinada na mesma operação, é considerada foragida.

A defesa de Queiroz informou que ele cumprirá a pena na casa dele no Rio de Janeiro, na Taquara. Os pedidos de liberdade de Queiroz e de Márcia chegaram ao STJ no dia 7, após o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro ter decidido enviar o caso ao tribunal superior.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo de Santo Agostinho

Confira os últimos posts



03/08


2020

Advogados formalizam ação popular contra delegada

Os advogados Piero Monteiro Sial e Lucas Carvalho Machado, juntamente com Rudolph San do Rego Silva, apresentaram uma ação popular contra a delegada Patrícia Domingos, pré-candidata à Prefeitura do Recife pelo Podemos.

No documento, apresentado ao juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital, os requerentes acusam a delegada de fazer campanha política durante a pandemia, enquanto alegava não poder trabalhar no seu cargo de delegada por ser paciente cardíaca e, por tanto, população de risco para Covid-19.

A ação alega que “todo ato lesivo ao patrimônio público agride a moralidade administrativa”. Clique aqui e confira o documento na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

03/08


2020

Ex-prefeito de Palmeirina sofre acidente

O ex-prefeito de Palmeirina Eudson Catão (MDB) escapou da morte ontem. Após sair de um almoço com políticos aliados, que apoiam a sua pré-candidatura à Prefeitura da qual já foi gestor, Catão cochilou ao volante e capotou com o carro, uma caminhonete modelo Hilux, diversas vezes na pista. Ele foi socorrido por policiais que passavam pelo local e sofreu pequenas escoriações. O ex-prefeito e pré-candidato está vindo para capital com o objetivo de realizar exames na cabeça.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

03/08


2020

Os sinais do “novo normal” na política pernambucana

Por Felipe Ferreira Lima*

Norberto Bobbio, na emblemática obra “O Futuro da Democracia”, já apontava que viver num regime democrático é estar em permanente estado de crise. Crise de ideias, de visões ideológicas e dos movimentos políticos, todas naturais em razão da pluralidade de embates entre crenças, fatos e interesses que envolvem as aspirações das sociedades modernas.

Por isso, o bom observador do cenário democrático é sempre aquele que consegue extrair os sinais necessários a partir dos principais ‘players’ dos duelos eleitorais nos grandes centros urbanos para, enfim, compreender os verdadeiros anseios daquela que é a ‘senhora’ de todas as democracias: a maioria.

Tradicionalmente, no cenário pré-eleitoral de Pernambuco, os duelos municipais no Recife e em Caruaru ditam o sentimento político que acaba determinando os anseios do eleitorado nos anos seguintes. Nesses campos de batalha, o primeiro sinal de tendência da vontade da maioria está por entre as movimentações para definição dos candidatos. É na dança dos postulantes que confirmamos o ritmo das preferências.

No Recife, nota-se, no seio do duelo, um embate entre os modelos tradicionais e modernos de se fazer política. Os primos João Campos e Marília Arraes, embora momentaneamente afastados, emplacam candidaturas que carregam a tradicional combinação da força familiar e o peso da máquina ou estrutura partidária, até agora, infalíveis nos últimos pleitos eleitorais pernambucanos. Mas é na oposição que se nota um movimento diferente, especialmente nas candidaturas de Mendonça Filho e da delegada Patrícia Domingos.

O ex-ministro da Educação tem um arsenal de serviços prestados ao Recife e a Pernambuco no período em que esteve à frente do MEC. Embora não tenha máquinas na mão, tem o nome ‘fresco’ na memória do recifense que, diga-se de passagem, lhe deu volumosa votação em 2018, quando postulou uma vaga ao Senado. Assim, Mendonça revela-se ao eleitor como uma opção segura para uma possível mudança.

Mas a novidade mesmo desponta na figura de Patrícia Domingos. Sem padrinhos ou histórico político, a delegada foi catapultada pelo discurso anti-corrupção, cujo canhão foi seu período à frente da extinta Delegacia de Combate à Corrupção. Surfando na onda de rejeição à classe política, que marcou a ascensão do ‘lavajatismo’, a delegada se engajou nas redes sociais para lançar críticas contundentes ao governo Geraldo Júlio, fortemente atingido pelas recentes operações da Polícia Federal envolvendo a Prefeitura.

Em Caruaru, a mesma combinação ‘força familiar x peso da máquina’ é o motor propulsor da candidatura da prefeita Raquel Lyra que, na prática, não conseguiu imprimir o discurso que a elegeu em 2016. A bandeira do ‘novo’ (ou da ‘mudança’) não conseguiu mais do que a eleger, e ao passar do mandato acabou se igualando administrativa e eleitoralmente ao estilo dos antigos adversários, Tony Gel e Zé Queiroz, ambos com consideráveis restrições para ir à campo neste ‘duelo pandêmico’.

Isso fez com que o modelo moderno de fazer política em Caruaru ficasse na oposição e, coincidentemente, também na figura de um delegado, o hoje deputado estadual Erick Lessa. Com um mandato recheado de ações legislativas de destaque, o Delegado Lessa despontou em 2016 através de um discurso fincado na segurança pública, que o fez beirar o segundo turno, emplacando a 3ª colocação, numa campanha escassa em recursos, infinitamente menos custosa que os demais adversários, que o impulsionou direto para a Alepe em 2018.

Erick e Patrícia são os sinais das mudanças no estilo de fazer política e no sentimento do eleitorado pernambucano. É preciso compreender e interpretar o novo movimento que foi a chegada de ambos como principais ‘players’ no xadrez das políticas locais. Os seus respectivos resultados eleitorais, muito mais do que números, representarão o possível ‘novo normal’ do futuro da política pernambucana.

*Mestre em Ciências Jurídico-Políticas pela Universidade de Lisboa, advogado, professor universitário e presidente do Instituto Egídio Ferreira Lima


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/08


2020

Bolsonaro terceiriza presidência e sai em campanha

Por Helena Chagas*

Jair Bolsonaro está terceirizando a presidência da República para Paulo Guedes. Já em sua primeira campanha - vai ficando claro que ele está na segunda -, ele mostrou grande dependência do Posto Ipiranga nas questões da economia - que, a rigor, são as principais num país em recessão e crise social. Agora, ao se distanciar cada vez mais de problemas  cruciais, como criar ou não a nova CPMF, ou a quem nomear para comandar o maior banco público - sem contar a crónica postura de quem não tem nada com isso quando se trata de pandemia - ele chega onde queria: mais do que um presidente-candidato, que governa de olho na reeleição, é um candidato-presidente, cuja principal atividade parece ser fazer campanha para 2022, e não presidir o país.  

Neste domingo, Bolsonaro foi de moto a uma padaria no Lago Norte. Lá, confirmou o que muita gente já desconfiava: deixou na mão de Guedes a responsabilidade pela criação do novo tributo sobre pagamentos, que até ontem era objeto de sua ojeriza. Mas, no domingo ensolarado, o presidente da República mostrou não ter nada contra o novo tributo se sua criação for compensada pela redução de outros. Quais? Não tem a menor ideia.

E vai ser bom para o país reduzir a carga tributária de empresários, na folha de pagamentos, ou da classe média, no Imposto de Renda, e aumentar a de toda a população com a nova CPMF? Também parece não ter pensado muito sobre esse assunto, que está com Guedes. Por fim, concluiu: "Se o povo não quiser, então deixa como está...".

De forma parecida, abordou a nomeação do novo presidente do Banco do Brasil, André Brandão, anunciada no fim de semana: "Parece que está fechado sim". Se há alguém que, num regime presidencialista, não precisa usar o verbo parecer relacionado a atos que saem publicados no Diário oficial, esse alguém é o presidente da República.

Esse é o jeito Bolsonaro de (não) governar: terceiriza a economia para Paulo Guedes, a pandemia para o general Pazuello, o desmatamento e as queimadas para a dupla Hamilton Mourão-Ricardo Salles e sai por aí em campanha. Com isso, tenta escapar do desgaste natural de quem governa. Há dois riscos: 1. dar tudo errado e a culpa recair em seus ombros do mesmo jeito, pois afinal ele foi eleito para cuidar disso; 2. dar tudo certo e o pessoal descobrir que não precisa mais de intermediários.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

03/08


2020

Eleição com pandemia na visão de Lavareda

O convidado da live de amanhã pelo Instagram deste blog é o cientista político e professor Antônio Lavareda, da MCI. Considerado um dos mais brilhantes estrategistas políticos do país, tendo sido protagonista de eleições nacionais, Lavareda vai traçar um cenário de como se dará, na prática, a primeira eleição no Brasil – as municipais em 15 de novembro – sem campanha de rua, sem candidato apertando a mão do eleitor, sem comício e sem convenções presenciais.

Tudo, enfim, se limitando ao mundo online, principalmente das redes sociais. Lavareda, como ninguém, conhece esse jogo, não apenas na teoria, por ser autor de vários livros, mas também como condutor de várias campanhas presidenciais que deram certo no país.

Para assistir a live, basta acessar o Instagram do blog (@blogdomagno).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

03/08


2020

Novos 100 mil leitores em sintonia com o blog

Mais de 100 mil novos leitores agregados em julho, 700 mil em sintonia com os fatos da atualidade nacional e regional. Esta é uma marca registrada pelo Google Analytics que incomoda muito a quem não se curva ao jornalismo sério e combativo. Nessa batida, em plena sintonia com a sociedade, ratificamos a posição do blog político mais lido do Nordeste e um dos mais influentes do País.

Obrigado, caro leitor!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/08


2020

Silvio Costa joga a toalha

“Quem compreende um pouco da cena político-eleitoral sabe que, nesta eleição municipal, a força da máquina – mais do que nunca – terá relevância fundamental.

Em 2020, será uma campanha sem campanha. Sem caminhadas, sem porta a porta, sem o abraço, sem aperto de mão, sem o olho no olho, sem comícios, enfim, uma campanha sem vida, sem emoção.

Conversei com os pré-candidatos a prefeito de Jaboatão dos Guararapes pelas oposições e ponderei que deveríamos construir a unidade já no primeiro turno.

Disse que deveríamos esquecer os projetos pessoais e partidários isolados e escolher o nome que reunisse as melhores condições políticas para representar as bandeiras da oposição.

Com a candidatura única ganharíamos musculatura eleitoral, teríamos mais visibilidade e, acima de tudo, aumentaríamos a expectativa de poder da oposição. 

Infelizmente, não foi possível fazer essa construção política. Uns concordaram com a tese, outros disseram que seriam candidatos de todo jeito.

Em função dessa impossibilidade de unidade, decidi abrir mão de minha pré-candidatura à prefeito, porém, vou continuar dialogando com todos os pré-candidatos que desejem construir uma Jaboatão mais inclusiva e justa.

O povo de Jaboatão – a segunda maior cidade de Pernambuco – merece ter uma expectativa de futuro melhor e a possibilidade concreta de progresso para a cidade. É nisso que acredito”.

Silvio Costa – ex-deputado federal


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

joao carlos da silva

Deus é pai e livrou o povo de Jaboatão dessa Mala sem alças.

Pádua

Caro Magno: Silvio Costa, não tinha nem a toalha, como é que ele jogou ! Kkkkkkk



03/08


2020

Fake news em debate na eleição

Convidado pelo ex-prefeito de Camaragibe Jorge Alexandre, em disputa para voltar ao cargo nas eleições deste ano pelo Solidariedade (SD), participo, hoje, às 19 horas, de live pelo Instagram dele sobre a temática das fake news na campanha municipal deste ano.

As notícias falsas se proliferam com uma intensidade tamanha no mundo que se apresentam como um dos maiores problemas a serem enfrentados pelos que entrarão no jogo sucessório municipal, seja para prefeito ou vereador. O Brasil já é disparado um dos países com maiores taxas de fakes sem que até o momento o Congresso tenha conseguido avançar sequer numa legislação punitiva.

O caso mais recente envolve Felipe Neto, um dos maiores influenciadores digitais do país, com 63 milhões de seguidores em redes sociais. Ganhou fama com vídeos de humor, muitas vezes com críticas ácidas a personagens e situações comuns aos jovens. Nos últimos anos, passou a falar também de política, com críticas frequentes ao PT durante o governo Dilma Rousseff. Desde a eleição, o influenciador também tem criticado duramente o presidente Jair Bolsonaro.

Há duas semanas, o jornal americano "The New York Times" publicou um vídeo de Felipe que teve grande repercussão. Em inglês, ele diz que Jair Bolsonaro é o pior líder mundial no combate contra a Covid.

A partir daí, Felipe passou a ser vítima de uma campanha de destruição nas redes sociais que, na tarde da última quarta-feira, deixou de ser virtual. "Pilantra, pilantra, pilantra. Para mim é um pedófilo disfarçado de apresentador de crianças", acusou um homem que se apresentou com o nome de Cavallieri ao microfone na porta do condomínio do influenciador no Rio de Janeiro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/08


2020

Justiça cancela transferências de títulos no Pajeú

Numa ação impetrada pelo advogado Cláudio Soares, a justiça eleitoral cancelou vários títulos eleitorais que haviam sido transferidos entre os anos de 2019/2020 entre os municípios de São José do Egito e Brejinho, no Sertão do Pajeú. Isso se configurou na intenção maldosa de políticos no campo da oposição de querer usar de forma criminal o voto de eleitores não cadastrados e não residentes em seus municípios.

Os procuradores eleitorais, segundo Cláudio, entenderam que se configurou, na prática, um crime em violar ou tentar violar a referência de títulos. "O objetivo das ações foi conter as transferências irregulares de eleitores entre os municípios, principalmente de São José do Egito para Brejinho", disse a advogado, adiantando que dois Irmãos do pré-candidato da oposição, Gilsomar Bento, são os alvos da justiça eleitoral.

Jonielson Bento da Costa (empresário e proprietário de posto de gasolina em São José do Egito) e Gilmar Bento da Costa, entre outros, são os principais responsáveis por essa prática nociva e que confirma manipulação grotesca impulsionada pelo poderio econômico.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/08


2020

Efeito Orloff: hoje é o dia seguinte

Hoje é amanhã. Hoje é o dia seguinte, revela o bicho-grilo Adalbertovsky em sua cantoria nas montanhas da Jaqueira. “Eis o efeito Orloff da pandemia. Haverá o legado da ditadura AI-Covid19.  A pandemia nacional de corrupção é um dado de realidade. Os cofres públicos foram e continuam sendo torturados em progressão ampla, geral e irrestrita, disfarçadamente.

“Se Deus não existe, tudo é permitido. Se o vírus existe, tudo é permitido. O vírus é herege. A corrupção é uma heresia. O efeito Covid-19 é o amanhã das falências, fechamento de empresas e desemprego. O efeito Orloff, o efeito Pitu, o efeito carraspana, o efeito ressaca moral está na terra e está na atmosfera. A culpa é do vírus, dirão. O micróbio é pretexto”.

“O bicho deu uma mãozinha e a pandemia de corrupção dobrou a meta da bagaceira. Uma mão lava a outra. Uma mão suja a outra, do jeito que o diabo gosta e Zeus consente. O diabo também usa máscaras para disfarçar. O coração do Brazil está divido entre a cloroquina e a OMS, e não haverá trégua. Os radicais vermelhos impõem seus sofismas e os conservadores baixam a crista”.

“Liberem-se as drogas, as marijuanas, os alcaloides, as cocaínas, anfetaminas, estricninas, heroínas, as propinas. Somente não pode ser liberada, segundo os vermelhos, a cloroquina, por ser uma droga conservadora, tem efeito colateral, bilateral, multilateral, pode até curar. Os curativos da direita, politicamente incorretos, são proibidos, causam efeitos colaterais conservadores. Os devotos da seita vermelha vivem sob efeitos delirantes, acreditam nas próprias mentiras”.

“Ó complacente democracia, quantas patifarias são cometidas em teu nome! Os energúmenos e corruptos de todos os naipes hoje adoram a nova versão da democracia, qual seja a ditadura do AI-Covid19. Dá para desconfiar. Eu não beijo as flores desses falsos democratas”. A cantoria à moda Orloff do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2020

Eleição com pandemia na visão de Lavareda

O convidado da live da próxima terça-feira (4) pelo Instagram deste blog é o cientista político e professor Antônio Lavareda, da MCI. Considerado um dos mais brilhantes estrategistas políticos do país, tendo sido protagonista de eleições nacionais, Lavareda vai traçar um cenário de como se dará, na prática, a primeira eleição no Brasil – as municipais em 15 de novembro – sem campanha de rua, sem candidato apertando a mão do eleitor, sem comício e sem convenções presenciais. 

Tudo, enfim, se limitando ao mundo online, principalmente das redes sociais. Lavareda, como ninguém, conhece esse jogo, não apenas na teoria, por ser autor de vários livros, mas também como condutor de várias campanhas presidenciais que deram certo no país.

Para assistir a live, basta acessar o Instagram do blog (@blogdomagno).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2020

Cadê o gatil da Prefeitura do Recife?

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Em resposta à enorme quantidade de gatos espalhada na área de lazer da Avenida Beira Rio, na Torre, e em outros pontos da cidade, a Prefeitura do Recife havia anunciado, em junho de 2019, a construção de um gatil. O assunto foi tema de reportagem na Rede Globo e a promessa era de que o abrigo de animais ficasse pronto até agosto do ano passado.

Na ocasião, o gerente de Vigilância Ambiental da Prefeitura, Jurandir Almeida (foto 1), esteve presente na Beira Rio e viu de perto a situação que afligia comerciantes e moradores. Mais de um ano depois, não há sinal desse abrigo para gatos. 

Ativistas agem por conta própria

Por diversas vezes, o trabalho de acolher os animais abandonados tem ficado para ONGs, que nem sequer contam com suporte da administração municipal. É o caso da casa de passagem Eu amo animais, que fica no bairro do Prado, Zona Oeste recifense. O espaço é gerido por Elpídio Araújo (foto 2) e existe desde junho de 2014.

Até agora, passaram por lá cerca de 500 animais adotados e recolhidos da rua. A maior dificuldade, conta Elpídio, é dar ração para 80 gatos, nove cães, além de garantir a vacinação dos bichinhos.

Doações podem ser feitas

Para ajudar Elpídio a manter o abrigo, basta entrar em contato com ele pelo WhatsApp: (81) 98474-8533. Também é possível fazer doações diretas na conta bancária:

Caixa Econômica Federal
Elpidio Alberico A Araujo
CPF: 698.243.804-00
Agência: 1028
Operação: 013
Conta-corrente: 00000549-2

Elpidio Araújo também criou um aplicativo de rádio intitulado "Eu amo animais", que pode ser baixado no Google Play.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2020

Prefeito de Paranatama festeja em meio à pandemia

Um leitor que optou por preservar a identidade enviou ao blog um vídeo que mostra a participação do prefeito de Paranatama, Valmir do Leite (PSB), e o irmão Valdir Pimentel, secretário de Saúde do município, festejando em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus. Com assessores e apoiadores, a dupla aparece sem qualquer tipo de proteção.

Ainda segundo o leitor, as imagens foram registradas ontem. Paranatama, que fica no Agreste Meridional de Pernambuco, registrava três mortes e 16 casos confirmados de Covid-19 até 16 de julho, data do último boletim divulgado no Instagram da Prefeitura.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2020

Cepal e Opas trazem relatório sobre saúde e economia na pandemia

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) apresentaram, na última quinta-feira (30), um relatório conjunto, intitulado "Saúde e economia: uma convergência necessária para enfrentar a Covid-19 e retomar o caminho para o desenvolvimento sustentável na América Latina e no Caribe". O documento aborda a necessidade de tomar medidas de saúde para achatar a curva da pandemia no continente e, assim, retomar a economia nos países da região das Américas.

A apresentação foi feita por Alicia Bárcena, Secretária-Executiva da Cepal, e Carissa Etienne, Diretora da Opas. O relatório traz 27 páginas bem robustas sobre o tema.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2020

Bivar lamenta morte do irmão do prefeito de Araripina

Nota de pesar

O deputado federal e presidente do PSL, Luciano Bivar, lamenta o falecimento do médico Brancildes Olimpio do Espírito Santo Júnior, irmão do prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel (PSL), vítima da Covid-19. O parlamentar se solidariza e envia as suas condolências aos amigos e familiares pela perda precoce.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha