FMO - Previnir é a melhor forma de lutar

24/09


2021

Coluna da sexta-feira

Ameaça à reeleição 

O Senado barrou a volta das coligações partidárias já para as eleições de 2022, casuísmo praticado pelos deputados pegando carona na mini reforma eleitoral em discussão pelo Congresso. O plenário do Senado manteve o texto do relatório da senadora Simone Tebet (MDB-MS). Na prática, poder ter obrigado muita gente a dar adeus ao parlamento.

Porque, na prática, sem as coligações, boa parte da Câmara Federal não se renova. Serve para todos, inclusive penaliza grande parte da bancada de Pernambuco, especialmente dirigentes de partidos sem expressão em termos de representação no Congresso. Simplesmente, poucos terão condições de montar chapa competitiva para alcançar o coeciente eleitoral – 190 mil votos para federal e 90 mil para estadual.

O fim das coligações havia sido aprovado pelo Congresso em 2017, mas só foi testada por enquanto nas eleições de 2020, para vereadores. Até o momento não vigorou nas disputas para deputados federais, estaduais e distritais. Especialistas avaliam que as coligações poderiam deturpar o voto dado pelos eleitores, porque acaba privilegiando candidatos de outras legendas. A expectativa é que a parte da PEC que passou pela Câmara e foi aprovada pelo Senado vá a promulgação em breve, a fim de valer já para as eleições do próximo ano.

O texto aprovado prevê a contagem em dobro aos votos dados a mulheres e negros para Câmara dos Deputados, para fins de distribuição de recursos dos fundos partidário e eleitoral, até 2030. A medida tem por objetivo estimular essas candidaturas, sub-representadas no Parlamento. O texto alterou a data da posse do presidente da República para 5 de janeiro e governadores, para 6 de janeiro, valendo para os eleitos no pleito de 2026.

Essa mudança decorre do fato que a data anterior, no dia 1º, dificultava a participação de autoridades e personalidades de outros países. A proposta também muda critérios de fidelidade partidária, acabando com a punição de deputado ou vereador que mudar de partido em caso de haver concordância da legenda.

Visão da relatora – "A coligação nas eleições proporcionais é objeto de crítica e tentativa de supressão nas duas Casas do Congresso Nacional desde a década de 1990", justificou a senadora Simone Tebet, relatora na PEC. O retorno das coligações é uma reivindicação de partidos pequenos. Para eleger mais parlamentares, essas legendas dependem das alianças. Suas chapas ao Legislativo têm poucos votos, embora alguns candidatos sejam bem votados. Em defesa do fim das coligações proporcionais, argumenta-se que estimulam a proliferação de legendas de aluguel e bancadas pulverizadas. Em consequência, ocorreriam com problemas de governabilidade.

Perdeu o sono – O fim das coligações ameaça a reeleição de uma penca de deputados federais da bancada pernambucana. Um dos mais assustados é Raul Henry. Seu partido, o MDB, não tem chapa e, consequentemente, chances de levá-lo à reeleição. Para sobreviver e tentar salvar o seu mandato terá que mudar de legenda, uma travessia complicada, já que é presidente estadual do MDB, partido no Estado controlado pelo senador Jarbas Vasconcelos, de quem Henry é uma espécie de herdeiro político.

Haja Lexotan! – Presidente estadual do PSD, o deputado André de Paula também passou a tomar tranquilizantes para fazer o reencontro com o sono depois que o Senado pôs fim ao projeto casuístico da ressurreição das coligações. Sua legenda, que é nanica, não tem candidatos competitivos para montagem da chapa. Igual drama vive também Augusto Coutinho, dono de outro pingo no oceano partidário, o Solidariedade (SD). 

Parcelamento de débitos – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou, ontem, decreto que permite o parcelamento de débitos de outorgas pelas emissoras de rádio e TV. Antes do decreto, os valores deveriam ser pagos à vista. Conforme o texto, emissoras de rádio e TV em situação de inadimplência, ou seja, com valores do preço público da outorga em aberto, podem solicitar o parcelamento do saldo remanescente. Segundo o Ministério das Comunicações, responsável pelas outorgas, o objetivo do decreto é promover a regularização de débitos e facilitar o processo de outorgas no País. A inadimplência desses valores soma um total de R$ 224 milhões.

Dias contados – Uma fonte bem próxima ao comando do PSB estadual revelou, ontem, ao blog, que o tempo de sobrevivência na legenda do prefeito de João Alfredo, Zé Martins, será encurtado depois do gesto rebelde de bater palmas, amanhã, ao prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, no seu ingresso oficial ao DEM, partido que será fundido ao PSL e pelo qual disputará o Governo do Estado nas eleições do ano que vem. Ao Frente a Frente, quarta-feira passada, Martins disse que não estava nem aí com as pressões e ordenou: “Que me expulsem”.

CURTAS

NORONHA – A equipe de Meio Ambiente da Administração de Fernando de Noronha iniciou a fiscalização no aeroporto para impedir a entrada de vegetação exótica na ilha. Os objetivos são conscientizar e informar a comunidade sobre a proibição da entrada ou importação de plantas, sementes e mudas de quaisquer espécies. A entrada de espécies exóticas em Noronha é proibida, através de uma portaria de 2020, para evitar impactos na vegetação nativa.

BURAQUEIRA – Não são apenas as estradas do Sertão que estão abandonadas pelo Governo Paulo Câmara. Os acessos até Fazenda Nova, seja por Jataúba, cidade próxima, ou pelo Lampião, para quem vem de Caruaru, viraram tábua de pirolito. E olha que Fazenda Nova, com o teatro de Nova Jerusalém, é território cobiçado por turistas brasileiros e internacionais.

Perguntar não ofende: Cadê o plano de recuperação das estradas, governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão - regularizacao-fundiaria

Confira as últimas colunas

22/10


2021

Coluna da sexta-feira

Transposição assaltada pelo PT  

Em discurso, ontem, na inauguração do Ramal do Agreste, em Sertânia, o presidente Bolsonaro disse que o vermelho da corrupção, do descaso e do retrocesso é página virada no País. Foi uma referência aos escândalos da era petista no Brasil, que começaram com o mensalão, que, por pouco, não foi base para abertura de impeachment contra Lula, à mega roubalheira da Lava Jato.

Ninguém que pense no Brasil e zele pelos cofres públicos pode desejar tamanho mal ao País. Nunca se roubou tanto na história republicana quanto na era PT, de Lula e Dilma. A própria Transposição do São Francisco, com mais uma etapa concluída ontem, foi assaltada. Teve um custo de R$ 4 bilhões a mais. No curso da obra até um general do Exército deu um tiro na cabeça em Cabrobó, envolvido em corrupção.

E não foi apenas roubo. Entregue a empreiteiras por meio de contratos viciados, vários trechos viraram verdadeiros elefantes brancos. Uma enorme quantidade de erros primários de engenharia foi observada. O mais grave estaria por vir, mais na frente: o abandono da obra em vários trechos no segundo mandato de Dilma.

Não fosse Michel Temer, que em pouco tempo de gestão fez o impossível, retomando as obras – inaugurou dois trechos – o elefante branco ainda estaria enterrado lá. Só na operação Vidas Secas, houve um desvio de R$ 200 milhões, segundo relatório da delegada Mariana Cavalcanti, da Polícia Federal. Isso se deu em dois lotes das obras, um megaempreendimento do governo federal para levar água para a população do sertão.

A investigação constatou desvio em um contrato de R$ 680 milhões do Ministério da Integração Nacional com o consórcio formado por OAS, Galvão Engenharia, Barbosa Mello e Coesa. As investigações mostraram que essas empresas receberam verba do Ministério para as obras e repassaram cerca de R$ 200 milhões para as empresas de fachada dos doleiros Alberto Youssef e Adir Assad, já condenados na Lava Jato por lavarem dinheiro e operarem o pagamento de propinas no esquema de corrupção na Petrobras.

Roubalheira – Ainda na Transposição do São Francisco, obra que recheou o cofre da quadrilha do PT, o Tribunal de Contas da União (TCU) apontou entre 2005 e 2013 irregularidades que somam R$ 734 milhões nas obras. O que inclui, contratos que não foram honrados ou que tem sobrepreço, pagamento duplicado por obras ou pagamento de serviços que não foram executados. Dentre as empresas usadas pelas empreiteiras para desviar o dinheiro está a MO Consultoria, pertencente a Youssef e usada por ele também para desviar dinheiro e irrigar o caixa de partidos e políticos no esquema de corrupção na Petrobrás revelado na Lava Jato.

Recordista em auxílio – Desde 2018, por decisão do Supremo Tribunal Federal, os procuradores estão proibidos de receber auxílio-moradia. Estranhamente, há uma exceção em Pernambuco: o ex-chefe do Ministério Público Francisco Dirceu Barros, hoje na função de subprocurador-geral para assuntos jurídicos. Desde março de 2019, sob a alegação de que sua base original é Garanhuns, Dirceu já embolsou mais de R$ 130 mil de auxílio-moradia. Se alguém ficou assustado ou em dúvida, basta acessar o portal da Transparência.

Fora da agenda – De supetão, o presidente Bolsonaro fez uma escala técnica, ontem, em Toritama, tão logo deixou Sertânia. Em companhia do ministro e aliado Gilson Machado Neto (Turismo) foi se inteirar da realidade vivida pelos produtores da região em razão da falta de água para lavar o jeans, o que somente será solucionado quando a Adutora do Agreste começar a entrar em operação. Em Toritama, Bolsonaro desceu de helicóptero e foi saudado de "mito" pelos populares que não esperavam a sua visita.

Filiação de Pacheco – O PSD marcou para a próxima quarta-feira, em Brasília, a cerimônia de filiação do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). O evento deve ser às 11h no memorial JK, que homenageia o ex-presidente mineiro. O PSD já começará a tratar Pacheco como candidato do partido à presidência em 2022. O esperado, entretanto, é que o próprio senador evite confirmar seu nome até, pelo menos, o início do ano que vem. A solenidade, no entanto, ainda que discreta, marcará o 1º passo de Pacheco como possível candidato à 3ª via.

Palanque para Bolsonaro – Além de prestigiar na passagem, ontem, pelo Sertão, o seu aliado-mor no Estado, o ministro Gilson Machado Neto (Turismo), o presidente Bolsonaro o tratou de “futuro governador de Pernambuco” em seu discurso na beira do canal da Transposição, em Sertânia. Pelo andar da carruagem, Gilson deve mesmo abrir palanque para Bolsonaro no Estado, prevalecendo a polarização na corrida presidencial entre o Lula e o próprio presidente da República.

CURTAS

PROTESTO – Manifestantes bloquearam, na manhã de ontem, os dois sentidos da Avenida Conde da Boa Vista, na altura do cruzamento com a Rua Gervásio Pires, na área central do Recife. A via foi liberada por volta das 11h e o grupo saiu em caminhada até a Prefeitura, onde uma comissão foi recebida. Os manifestantes solicitam à Prefeitura do Recife autorização para que famílias que estão ocupando um terreno localizado na Rua Barão de Souza Leão, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, possam permanecer no local.

SEM CONFRA – Apesar do avanço na imunização contra a covid-19 e a volta dos eventos públicos, o empresário João Carlos Paes Mendonça não promoverá este ano a tradicional confraternização do grupo JCPM com a Imprensa. Trata-se do mais concorrido e descontraído encontro de final de ano entre os jornalistas pernambucanos, tendo como cenário a área de eventos do prédio do grupo, no Pina. O último foi realizado em 2019.

Perguntar não ofende: Com a ida de Pacheco para o PSD, quem será o candidato ao Planalto da União Brasil (DEM-PSL)?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

21/10


2021

Coluna da quinta-feira

O cenário a um ano da eleição

Faltando menos de um ano para as eleições de 22, este blog trará a radiografia eleitoral do Estado do atual momento na corrida para governador, presidente e senador da República, através de uma pesquisa do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB). O campo está sendo concluído hoje em 80 municípios das mais diversas regiões, sendo aplicados dois mil questionários.

É o segundo levantamento feito este ano. O primeiro se deu há seis meses, apontando a deputada Marília Arraes (PT) na frente, mas o cenário mudou devido a reaproximação do partido dela ao PSB, o que tira a parlamentar do páreo. Mesmo aliados e fazendo juras de amor, PSB e PT ainda não bateram o martelo em relação ao candidato, enquanto na oposição Miguel Coelho (MDB) foi o pré-candidato que mais mostrou disposição.

Tanto que, ao ingressar no União Brasil, a nova sigla derivada da fusão entre o PSL e o DEM, seu nome foi confirmado e praticamente lançado. Já os prefeitos Anderson Ferreira (PL), de Jaboatão, e Raquel Lyra (PSDB), que também figuram como pré-candidatos, não avançaram tanto. Raquel é a mais confusa. Aliás, nunca sequer admitir que é candidata, como disse, anteontem, na rádio Verdade FM, de Bonito.

Por isso que o Opinião levantou vários cenários, inclusive em relação ao PSB, que não confirmou ainda se irá mesmo de Geraldo Júlio, conforme esta coluna destacou na última segunda-feira. Ainda sem palanque no Estado, o presidente Bolsonaro tende a estimular a candidatura do aliado e ministro Gilson Machado para o Governo do Estado.

Enquanto Anderson e Raquel não se pronunciam, Miguel vai botando o bloco nas ruas. Nos próximos dias deve visitar mais de 60 municípios. Hoje, por exemplo, estará na região do polo de confecções do Agreste, começando por Santa Cruz do Capibaribe.

Ali, será recepcionado pelo ex-prefeito Edson Vieira, atualmente no PSDB, que esteve na festa de ingresso de Miguel no União Brasil. A pesquisa do Opinião, a esta altura, começa a gerar muitas expectativas, porque parte do pressuposto de uma data importante do calendário eleitoral que começa a se afunilar: o retrato um ano antes da eleição.

Acovardou – Em nota, logo após o senador Renan Calheiros anunciar o seu relatório final da CPI da Covid, o senador cearense Eduardo Girão (Podemos) questionou o gato da investigação não incluir o envolvimento de governadores em desvio de recursos federais da pandemia. Cita R$ 48,7 milhões pela compra de 300 respiradores da empresa Hempcare pelo Consórcio Nordeste. O senador afirmou que os equipamentos nunca foram entregues. Além disso, menciona uma série de crimes “ignorados” pela CPI: casos de peculato, corrupção passiva e contratação direta ilegal. “A CPI correu, se acovardou “, disse. O senador ainda acrescentou que a CPI não atendeu os fins propostos em sua origem.

Humberto na cabeça – Mais uma fonte confirmou, ontem, não está descartada a possibilidade do senador Humberto Costa (PT) ser ungido candidato a governador pela Frente Popular, saindo Paulo Câmara para o Senado. “A costura insistente de Lula tem sido nessa direção. Alguém pode estranhar o PSB abrir mão da cabeça de chapa, mas é o que está sendo negociado”, afirma a mesma fonte. Neste caso, caberia ao MDB a indicação do vice, cujo nome mais ventilado é o do deputado jarbista Raul Henry, que nas condições de hoje não se reelegeria.

Rio sem máscara – O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, confirma que o prefeito Eduardo Paes (PSD) planeja tirar a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção em ambientes ao ar livre a partir da próxima terça-feira. Segundo dados oficiais, o Rio já imunizou completamente cerca de 61,3% da população da cidade. O secretário prevê que esse grupo aumente para 65% até a terça, quando o uso de máscaras será liberado. A prefeitura avalia a decisão desde outubro, quando o prefeito criou o Comitê Científico, que já recomendava a medida em questão apenas com 65% da população completamente vacinada.

100% vacinada – A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo informou que a capital paulista superou a marca de 100% da população adolescente vacinada com a 1ª dose da vacina contra covid-19. São Paulo atingiu o índice na última sexta-feira, quando a cidade registrou mais de 19 milhões de imunizantes aplicados desde o início da campanha de vacinação. De acordo com o vacinômetro, 848.623 adolescentes foram vacinados, o que representa 100,5% da população da faixa-etária. Em relação à segunda dose, a marca está em 0,6%. A estimativa inicial do paço municipal era de 844.073 adolescentes na capital.

O falso profeta – Tão logo foi eleito, graças ao apoio do ex-prefeito Belarmino Vasquez, o prefeito de Tracunhaém, pastor Irmão Aluisio (PL), derramou um rio de lágrimas de cima do palanque fazendo juras de fidelidade e de amizade sincera ao grupo político que o ungiu. O tempo, que é o senhor da razão, revelou que eram lágrimas de crocodilo. Já abandonou Vasquez e o deputado federal Sebastião Oliveira, dando uma de João da Costa, que rompeu com João Paulo no Recife antes mesmo de tomar posse.

CURTAS

MISTÉRIO – A advogada de 28 anos que foi atropelada após um protesto pacífico contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no Recife, prestou depoimento pela primeira vez, na última terça-feira, no Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), no Cordeiro. A vítima preferiu não ser identificada e também não quis falar com a imprensa.

VIVA BEN! – A família do menino Benjamin Brener Guimarães, o Ben, anunciou que conseguiu, através de doações, o dinheiro para comprar o medicamento Zolgensma, conhecido como o remédio mais caro do mundo. Custa 2 milhões de dólares, o equivalente a mais de R$ 11 milhões, e é utilizado para tratar atrofia muscular espinhal (AME), doença rara, degenerativa e muitas vezes letal.

Perguntar não ofende: É verdadeira a enorme lista que circula pelas redes sociais mostrando a relação dos parentes com cargos da República Campos no Estado, na Prefeitura e nas mais diversas instituições, além do Governo Federal?   


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

20/10


2021

Coluna da quarta-feira

CPI investiga governadores

A CPI da Covid no Senado, que está atrapalhada em seu relatório final, esqueceu de cumprir a principal meta: ouvir governadores e prefeitos que meteram a mão no dinheiro da pandemia destinado a salvar vidas. No Rio Grande do Norte, entretanto, a Assembleia Legislativa está cumprindo o papel que os senadores se omitiram. Com uma CPI, mergulha na investigação da roubalheira na compra de respiradores testados em porcos pelo Consórcio dos Governadores do Nordeste.

Na reunião passada, os deputados potiguares aprovaram a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático do secretário executivo do Consórcio, Carlos Eduardo Gabas. A base de informação para esse pedido foi disponibilizada para os deputados, mas ela não pode ser tornada pública, porque tem como base documentos sigilosos da CPI”, explicou o deputado cearense Kelps Lima (Solidariedade).

O período dos dados que serão solicitados também não foi exposto pela CPI, que vai oficiar as instituições devidas para que as informações sejam repassadas à comissão. Carlos Gabas foi convocado à CPI para prestar depoimento sobre as irregularidades nos processos de aquisições de respiradores pelo Consórcio Nordeste durante a pandemia da Covid 19. A Comissão exige explicações do Consórcio sobre a compra de respiradores a empresa Hempcare, que não tinha experiência no ramo e não entregou os equipamentos prometidos.

Não entregou, mas também não devolveu os R$ 48 milhões do Consórcio Nordeste, valor fatiado pelos nove governadores com culpa no cartório. Em depoimento à CPI, Gabas permaneceu em silêncio, sendo dispensado pela comissão em seguida. Em entrevista aos jornalistas do Rio Grande do Norte, o secretário afirmou que ficou em silêncio por não ter aceito ter sido "convocado para depor como investigado".

Isso não impediu que a CPI de Natal avançasse. Os deputados ouviram mais dois depoimentos sobre contratos investigados pela CPI. O ex-subcoordenador de Serviços Gerais da Sesap, Carlos Thomas Araújo da Silva, tratou do processo de busca para a contratação de empresa do Piauí para realização de inquérito sorológico. Além dele, que falou como testemunha, a CPI ouviu Ângelo Giuseppe Roncalli da Costa Oliveira, servidor da UFRN, que participou da discussão sobre a necessidade do inquérito.

Ambos responderam a questionamentos dos parlamentares, principalmente, sobre os motivos pelos quais o inquérito precisou ser realizado, sobre como foi a escolha da empresa, os motivos pelos quais as empresas de pesquisa do Rio Grande do Norte não foram contatadas e se a não realização de parte dos testes necessários prejudicou a pesquisa.

Salários de marajá – O Consórcio dos Governadores do Nordeste nada em dinheiro. Paga salários astronômicos aos seus funcionários. Gabas, o coordenador, investigado pela CPI, valor ganha R$ 19 mil. Além dele, nove analistas técnico embolsam salários que variam de R$ 17.500 a R$ 15.500. O objetivo principal do Consórcio Nordeste é fazer compras em conjunto para os nove Estados da região, como ocorreu com os respiradores, que terminou sem chegar e causando um prejuízo de R$ 48,7 milhões aos cofres públicos dos entes federados. Só ao Estado do Rio Grande do Norte foram R$ 4,9 milhões de prejuízos.

Prefeito sofre derrota – A Câmara de Vereadores de Betânia, a 392 km do Recife, no Alto Sertão, impôs uma derrota, ontem, ao prefeito Mário Flor (Republicanos). Seguiu a orientação do Tribunal de Contas do Estado rejeitando as contas do gestor referentes ao exercício de 2017. Pelo relatório da corte, o prefeito descumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal no quesito folha de pessoal, fazendo despesas além do permitido. Dos nove vereadores, cinco ainda votaram pela derrubada do relatório, mas o prefeito teria que ter seis votos.

Tá baratinha! – O preço da gasolina teve o segundo reajuste em uma semana em Fernando de Noronha. O valor do litro passou de R$ 9,10 para R$ 9,39. Já o óleo diesel, que não teve alteração no reajuste da tabela realizado no dia 12 de outubro, também aumentou. O preço do litro subiu de R$ 7,59 para R$ 7,65. Segundo o diretor do único posto de combustível da ilha, Rafael Coelho, esse foi o 15º aumento do ano e é um repasse do reajuste aplicado pela Petrobras no continente.

Mortes em queda – Em 19 de abril de 2021 o Brasil registrou a maior média móvel de morte em decorrência da Covid-19: cerca de três mil óbitos diários. Ontem, exatos sete meses após o ápice, o Ministério da Saúde informou que a vacinação em massa contra a doença surtiu efeito. Segundo a pasta, a queda no número de óbitos foi de quase 90% - tendência que se acumula desde junho. O boletim divulgado na noite de ontem mostrou que a média móvel de mortes está em 379,5, acompanhada pela queda expressiva também no número de novos casos da doença, que está em 12,3 mil ao dia.

Tucana no muro – Diferente de Miguel Coelho e Anderson Ferreira, pré-candidatos a governador, a tucana prefeita de Caruaru, Mainha Raquel Lyra, também de olho na cadeira de Paulo Câmara, continua em cima do muro quando se trata de sucessão estadual. Deu, ontem, uma entrevista de 20 minutos a Verdade FM, emissora de Bonito, mas não disse nada com nada. Repetiu o mesmo discurso ensaboado, de quem continua em cima do muro, sem falar nada com nada. Ouvi toda a entrevista, mas não consegui arrancar sequer uma frase para uma nota.

CURTAS

VOOS BARRADOS – Uma portaria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) proibiu o aumento da frequência de voos nos aeroportos internacionais do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre e de Maceió/Zumbi dos Palmares. A decisão foi adotada após fiscalização em ambos os locais. Segundo a Anac, foram identificadas “não conformidades que demandam medidas corretivas por parte do operador aeroportuário para que seja mantida a segurança e a regularidade das operações”.

MAIS UM – O Atacadão, maior atacadista brasileiro em número de lojas e com abrangência nacional, inaugurou sua primeira unidade no município de Garanhuns, gerando de imediato cerca de 500 empregos diretos e indiretos. Esta é a 14ª unidade da rede em Pernambuco, onde o Atacadão está presente desde 2000 e também conta com um atacado de entrega.

Perguntar não ofende: A CPI da Covid no Senado é teatro ou picadeiro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Perguntar não ofende: O blogueiro vai deixar de defender este governo fascista e genocida quando?



19/10


2021

Coluna da terça-feira

Auxílio Brasil emperra

A menos de quinze dias do último pagamento do auxílio emergencial, o governo Bolsonaro não sabe como vai fazer para colocar de pé um programa social para o presidente levar aos palanques de 2022. A engenharia montada pela equipe do ministro Paulo Guedes emperrou, e subiu a pressão pela renovação do benefício, enquanto não é resolvido o nó orçamentário para a criação do novo Bolsa Família, o Auxílio Brasil.

O ministro amarrou o novo programa a propostas muito polêmicas, como a reforma do Imposto de Renda, que tramita no Senado, e a PEC dos Precatórios, que está na Câmara. Além disso, será preciso aprovar a medida provisória que criou o Auxílio Brasil. O prazo é curto, mas há tempo até o fim do ano legislativo, na véspera do Natal. Os problemas são como ficam os beneficiários excluídos do auxílio emergencial e o que realmente querem os parlamentares, segundo as jornalistas Helena Chagas e Lydia Medeiros, do informativo confidencial Tag Report, de Brasília. 

A mera extensão do programa contraria o ministro Paulo Guedes. Ele tem dito que seu limite para seguir no governo é o da responsabilidade fiscal — que seria afrontada com o uso de um crédito emergencial para cobrir uma situação absolutamente previsível. O expediente foi usado na pandemia, mas há certo consenso na equipe econômica de que isso não é mais possível, e secretários como Bruno Funchal (Tesouro) já admitiram, reservadamente, que não assinariam tal medida.

Nos últimos dias, enquanto Guedes estava nos Estados Unidos, surgiu mais uma fórmula mágica para negociação. A ideia é reajustar o velho Bolsa Família pela inflação e engordá-lo com um “benefício temporário” – não emergencial – como um “vale-gás” ou semelhante, até o fim do governo. Dessa maneira, não seria preciso conseguir uma nova fonte de financiamento, o que se esperava obter com a taxação de lucros e dividendos, prevista na reforma do IR.

O caráter temporário dos pagamentos dispensaria as amarras da Lei de Responsabilidade Fiscal. Ainda assim, seria preciso aprovar a PEC dos precatórios, para que haja espaço no Orçamento para o aumento. A solução pode agradar ao mercado financeiro, já que não coloca em risco o teto de gastos. E dá argumentos a Paulo Guedes para seguir no cargo, apesar de já estar bem chamuscado pela fritura explícita. Vai evidenciar, no entanto, a total desarticulação do governo num tema de imensa aceitação, sobretudo em tempos de pandemia, desemprego e inflação.

O meteoro – Desde o ano passado tenta-se criar um programa para dar a Jair Bolsonaro a paternidade da ideia e para que ele não chegue à campanha com a marca dos governos petistas, o Bolsa Família. Quando tudo parecia mais fácil, surgiu a conta de precatórios de R$ 89,1 bilhões, tirando o espaço fiscal do programa social. Guedes usou a expressão “meteoro” na tentativa de criar uma situação limite e forçar o Congresso a buscar uma saída. Como depende também desse desfecho a garantia para as verbas reservadas às emendas de relator ao Orçamento, não há muitas dúvidas de que a PEC será aprovada.

Acredite se quiser – Parece piada, mas uma fonte garante que a chapa da Frente Popular ao Palácio das Princesas na sucessão estadual pode ser invertida. Ao PT, caberia a indicação do candidato a governador, por “sugestão” do ex-presidente Lula e, ao PSB, o Senado. Sendo assim, Humberto Costa seria o nome ungido ao Governo do Estado e o governador Paulo Câmara para o Senado. A fonte garante que não está vendo assombração e que não acordou de um pesadelo.

Violência insuportável – No último fim de semana, uma onda de violência foi registrada nos parques Santana e Jaqueira. Um juiz e um professor da UFPE foram espancados e assaltados em ação criminosa semelhante na região. Apesar dos fortes registros de insegurança, a Secretaria de Defesa Social (SDS) afirma que no bairro de Santana houve uma redução de 18,3% nos roubos e furtos a transeuntes em relação ao mesmo período do ano passado.  Nos primeiros nove meses de 2021 houve 40 registros, contra 49 da mesma época de 2020.

Ceará faz inveja – A economia cearense registrou uma nova melhora acima da média do Nordeste. Segundo o Índice de Atividade Econômica (IBCR) do Banco Central, considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), o Ceará teve uma evolução de 2,57%. O número é referente ao trimestre entre junho e agosto deste ano ante o período diretamente anterior (março a maio de 2021). Na mesma base de comparação, considerando a série dessazonalizada, a economia do Nordeste teve uma alta de 1,09%.

Chororô em Sertânia – Cão de guarda do PSB no Sertão do Moxotó, o prefeito de Sertânia, Ângelo Ferreira, viu, ontem, a ex-prefeita Cleide Ferreira, sua esposa, sofrer mais uma derrota na justiça. Foi condenada num processo antigo, de 2012, originário de uma conta mal-assombrada, no valor de R$ 155 mil, segundo denúncia feita pelo ex-prefeito Guga Lins. Acabou enquadrada na Lei de Responsabilidade Fiscal, perdendo seus direitos políticos, conforme julgamento do Tribunal de Contas do Estado.

CURTAS

PROTESTO – Parentes e vizinhos da menina de 8 anos esmagada por uma placa de concreto que compõe o muro do metrô fizeram, ontem, um protesto perto da Estação Central do Recife. O grupo ateou fogo a pneus e entulhos para pedir providências à Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Kemilly Kethelyn Lino da Silva foi atingida pela placa durante uma festa para celebrar o Dia das Crianças. A menina está intubada em estado grave na UTI do Hospital da Restauração.

NOTÍCIA-CRIME – O Governo do Estado entrou com uma notícia-crime contra a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) para que a Secretaria de Defesa Social apure "com agilidade máxima" a queda da placa de concreto de um muro que esmagou a menina Kemilly. Além disso, a Polícia Civil informou que instaurou um inquérito para apurar o caso.

Perguntar não ofende: O governador Paulo Câmara será convidado pelo presidente para inauguração do Ramal do Agreste?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

18/10


2021

Coluna da segunda-feira

O candidato é Geraldo

Nas mais reiteradas notas em que se manifestou sobre a sucessão estadual em 22, o ex-prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB) mentiu. Para não ser tão agressivo na sintaxe, escondeu o jogo. É candidatíssimo ao Palácio do Campo das Princesas! Com quem conversei nos últimos dias, gente, inclusive, da cozinha de Paulo Câmara, a quem caberá a coordenação do processo da alternativa governista, apurei que, na hora certa, o nome de Geraldo será anunciado.

Desgastado, o ex-prefeito adotou a estratégica eduardista: só trata de eleição a partir de janeiro, ano do pleito. Há vários fatores que levam ao silêncio sepulcral: o noticiário negativo das consequências das sete operações da Polícia Federal em sua gestão, envolvendo investigação de desvios de recursos federais enviados para o combate à pandemia é o principal.

Vários nomes próximos a ele, como o ex-secretário de Saúde Jailson Correia e Felipe Bittencourt, seu braço direito, estão na marca do pênalti no andamento dos processos na Justiça. O que Geraldo mais teme é que os estragos nessa área sejam mais amplos do que possa imaginar. E tem razão.

Na sexta-feira passada, por exemplo, o todo-poderoso Renato Thièbaut, que seria um dos operadores do Governo Paulo Câmara, rastreado sua influência desde a era Eduardo, foi alvo de operação da Federal. Denominada Payback, a operação resultou de desdobramento das investigações deflagradas em junho deste ano que apuram esquema milionário de direcionamento de licitações na compra emergencial de materiais médicos para utilização no combate à pandemia do novo coronavírus.

Além desse aspecto escandaloso, que foge da alçada de controle dele, Geraldo enfrenta o fogo amigo no Governo do Estado. Desde que disse não ser candidato a governador, em três momentos distintos, ninguém de peso do staff palaciano ou do PSB saiu em defesa do seu nome, com exceção do presidente estadual da legenda, o tarefeiro Sileno Guedes.

De quem de fato gostaria de receber manifestações mais contundentes, como Paulo Câmara e o prefeito do Recife, João Campos, Geraldo não contou. Mas raros são os deputados federais e estaduais do PSB que tem dúvida de que o candidato, apesar de todos os pesares, será Geraldo. O que se diz é que o ex-prefeito ainda goza da confiança da viúva Renata Campos, que dá a palavra final, e que seu nome, além de ser natural, é o mais competitivo.

Geraldo, entretanto, vai continuar dizendo que não é candidato, para que possa, mais na frente, receber uma “convocação” das forças do Governo e dos mais diversos partidos que integram a Frente Popular. Com isso, terá a justificativa do discurso de que não queria ser, mas que foi forçado a ser. É por aí.

Bancada já sabe – Apurei, também, que as lideranças nacionais do PSB, nas conversas em torno da aliança em apoio à candidatura do ex-presidente Lula ao Planalto, já passarão a citar o nome de Geraldo como consensual dentro da Frente Popular. Em Brasília, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, já teria dito ao próprio Lula que o candidato a governador será o ex-prefeito. “A bancada federal já foi comunicada, ainda não formalmente, mas já está ciente disso”, informou um deputado socialista em reserva.

Candidata banguela – Piadinha engraçada ouvida nos últimos dias nas rodas politicas do Estado: Raquel Lyra, a Mainha, prefeita de Caruaru, não será candidata ao Governo do Estado porque o PSDB, seu partido, não consegue montar sequer chapa para deputado federal e estadual. “Como um dos pré-requisitos de um candidato majoritário é ter chapas para Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa, Raquel virou uma candidata banguela, sem chapa”, conclui, em tom de deboche, uma fonte tucana.

Trégua deu resultado – Ainda é cedo para apontar tendências, mas algumas pesquisas recentes, como a do PoderData, mostram que houve leve melhora ou, no mínimo, uma estabilização da taxa de reprovação do governo Jair Bolsonaro. Segundo o levantamento, houve queda de cinco pontos percentuais nos últimos 15 dias e o índice está hoje em 58% — embora ainda muito alto. A aprovação oscilou 2 pontos para cima, de 31% para 33%. O nível de “ruim e péssimo” na avaliação pessoal de Bolsonaro também caiu cinco pontos e ficou em 53%, contra 29% de “bom e ótimo”, uma variação na margem de erro. Na interpretação dos especialistas em pesquisas, esses resultados incipientes podem mostrar que a trégua arquitetada por Michel Temer entre o presidente e o STF funcionou a favor de Bolsonaro.

Nova ameaça – Depois de declararem "estado de greve" desde sábado passado, representantes de caminhoneiros confirmam que uma eventual paralisação ocorrerá "principalmente" em Santos (SP). "Se não houver resposta concreta (do governo) em cima dos direitos dos caminhoneiros autônomos, no dia 1º de novembro o Brasil todo (ficará) parado, principalmente Santos", disse o presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam), Luciano Santos, em pronunciamento no encerramento de encontro nacional da categoria, no último fim de semana.

Ministro forte de Lula – O mercado continua sonhando e rezando por uma terceira via, mas as últimas declarações de Lula em relação à economia e temas como responsabilidade fiscal tranquilizaram alguns setores. O influente PIB paulista se dedica a tentar descobrir quem seria o possível ministro da Fazenda e principal interlocutor econômico de um eventual governo Lula. Entre os nomes que circulam, o que mais agrada a esse pessoal é o do governador da Bahia, Rui Costa (PT). Fez um governo equilibrado no estado, em aliança da esquerda com partidos como PP e PSD, e dialoga com todo mundo.

CURTAS

ACENO – Lula, que no Nordeste andou dizendo que poderia nomear um político para a Fazenda a fim de ter facilidade de negociação com o Congresso — a exemplo do que fez no primeiro governo com Antonio Palocci — atiçou a torcida por Rui Costa. Mas ele tem colocado Fernando Haddad na linha de frente de conversas com empresários e representantes do mercado. E tem também em Aloízio Mercadante, no comando do Instituto Perseu Abramo, um conselheiro na área.

SÓ FIRULA – Jair Bolsonaro, Paulo Guedes e Arthur Lira fizeram coro para defender a venda da Petrobras. Faltam 14 meses para o fim do governo, e eles sabem que uma proposta como essa não se resolve em véspera de eleição. Ou seja, as declarações só servem para confundir e não fazem sentido no momento. Tanto que a repercussão das falas foi bem menor do que seria em outros tempos, traduzindo a falta de credibilidade para levar adiante a ideia.

Perguntar não ofende: Por que as lembranças em torno de uma possível candidatura da secretária Fernandha Batista (Infraestrutura) faz Geraldo Julio roer as unhas? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Outubro

16/10


2021

Coluna do sabadão

Síndrome de Caco Antibes

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

Envolto no imbróglio do Pandora Papers, que expôs figurões do mundo inteiro com parte das fortunas em offshores, o ministro Paulo Guedes (Economia) parece padecer da "síndrome de Caco Antibes". O personagem do extinto programa humorístico "Sai de baixo" era interpretado por Miguel Falabella e se notabilizou pelo desprezo a pobres.

Durante sua gestão, Guedes deu várias declarações menosprezando os mais necessitados, chegando a criticar a ida de empregadas domésticas à Disneylândia no passado, quando o dólar não atingia R$ 2. Em outro momento, reclamou do Fies – programa de fomento ao ensino superior – por levar “até filho de porteiro” à universidade.

Sua ojeriza não se restringe aos pobres: estende-se à própria economia brasileira. Embora não seja surpreendente, pela posição que ocupa, causa espécie que conserve dinheiro em paraísos fiscais, fugindo da tributação nacional, o que nem a classe média tem chance de fazer. 

Mesmo não sendo ilegal, sua atitude passa a impressão de haver algum receio acerca da estabilidade financeira do país. Isso gera desconfiança nos cidadãos e no mercado. Se o responsável por tocar nossa economia não acredita nela, por que devemos confiar? O caso gerou ao ministro uma convocação na Câmara dos Deputados.

Pela revelação do Poder360 e de outros veículos que integram o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, a filha e a esposa do ministro seguiram no comando da offshore nas Ilhas Virgens Britânicas. Se for comprovado algum investimento após Paulo Guedes assumir o Ministério da Economia, isso agrava sua situação.

Em entrevista concedida à CNN Internacional, na última terça-feira (12), Guedes foi questionado sobre o assunto e negou irregularidades. Ao ser perguntado sobre a condução do Governo Federal quanto à crise sanitária, respondeu que o Brasil praticou distanciamento social e incentivou a vacinação, exatamente o oposto do que o chefe negacionista dele faz até hoje. 

Ao defender os imunizantes, o ministro ocultou a difusão do chamado tratamento precoce, que tem o presidente como o maior propagador e que se revelou absolutamente ineficaz no enfrentamento à Covid-19. Paulo Guedes também esqueceu de mencionar o corte de mais de R$ 600 milhões em recursos para a Ciência, solicitado por ele ao Congresso.

O colega Marcos Pontes, titular da pasta de Ciência, Tecnologia e Inovações, classificou a medida como "falta de consideração". A redução de quase 90% do orçamento deste ministério vai impactar o Centro Nacional de Vacinas, na UFMG, por exemplo. Além de horror a pobre e ao funcionalismo público, Guedes demonstra ter pavor ao conhecimento, que se revelou tão essencial em um cenário pandêmico.

Retorno ao Estado – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) estará de volta a Sertânia, no interior de Pernambuco, na próxima quinta-feira (21). Em uma ação de Governo, o chefe do Executivo vai entregar o Ramal do Agreste. Há previsão de transbordo em Caruaru. Ele deve estar acompanhado de alguns ministros, como Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Gilson Machado Neto (Turismo), além de parlamentares.

Casal armamentista – No Dia das Crianças, a deputada Clarissa Tércio (PSC) publicou em suas redes sociais uma foto portando armas com o marido, o vereador do Recife Junior Tércio (Podemos), que é pastor. A dupla foi a um clube de tiro em Camaragibe, na RMR. “Juntos enfrentaremos todas as guerras, seja no mundo espiritual ou material!”, escreveu a parlamentar que integra a bancada evangélica na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

Como fica? – Sonhando acordada com o Palácio do Campo das Princesas, Clarissa vem fazendo diversos movimentos para colar no presidente Bolsonaro. Além dessa defesa ao armamento, ela entrevistou o chefe do Executivo na última quinta (14). Em abril, a deputada recebeu o convite do presidente estadual do Podemos, Ricardo Teobaldo, para ingressar no partido e renovar o mandato na Alepe. Ocorre que a sigla está perto de filiar o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, desafeto de Bolsonaro e que deve disputar a Presidência.

Cirurgias eletivas – O governador Paulo Câmara (PSB) divulgou o Opera Mais: Programa de Ampliação de Cirurgias Eletivas em Pernambuco. O objetivo é atualizar os procedimentos adiados ou atrasados devido à Covid-19. Serão investidos R$ 81,5 milhões visando à realização de 50 mil cirurgias eletivas até dezembro de 2022. O lançamento ocorreu ontem em Paulista, no Grande Recife. Algumas unidades de saúde já têm programação cirúrgica hoje.

Afastamento – A deputada estadual Priscila Krause (DEM) foi categórica ao dizer que Paulo Câmara precisa afastar o chefe do Gabinete de Projetos Estratégicos do Governo, Renato Xavier Thiebaut, alvo da Operação Payback, deflagrada pela Polícia Federal na manhã de ontem. “Manter como está é concordar com os ilícitos”, escreveu a parlamentar em sua conta no Twitter. Ela também lembrou que é a segunda vez que a PF bate à porta de Thiebaut. “Na primeira, Paulo Câmara nada fez”, completou Priscila.

CURTAS

REPOSIÇÃO – O prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), anunciou a reposição inflacionária de 4,52% para os 9.890 servidores efetivos e pensionistas do município. Os valores serão adicionados aos salários de outubro, com efeito retroativo ao mês de abril.

ESTRUTURAÇÃO – Olinda poderá financiar até R$ 46 mi para compor parcerias público-privadas em iluminação pública. A cidade é uma das oito escolhidas no Brasil para acessar recursos do Fundo de Apoio à Estruturação e ao Desenvolvimento de Projetos de Concessão e PPPs (FEP), gerido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional e a Caixa.

Perguntar não ofende: Como a bancada evangélica de Pernambuco se sentiu ao ver o casal Tércio posar armado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Casal de hipócritas e falsos cristãos, seguem a mesma linha do ídolo acéfalo , que usam o nome de Deus para angariar votos e poder. Merecem ser jogados no lixo e recobertos por estrume!


Caruaru - Transparência em 1° Lugar

15/10


2021

Coluna da sexta-feira

O Brasil da fome

Com a crise econômica agravada pela pandemia, quase 20 milhões de brasileiros dizem passar 24 horas ou mais sem ter o que comer. Mais da metade (55%) da população brasileira sofria de algum tipo de insegurança alimentar em dezembro de 2020. Além disso, as condições econômicas do País, a redução da renda da população e o desemprego trouxeram como resultado o aumento do dobro das favelas no Brasil em 10 anos.

As informações foram divulgadas em reportagem da Folha de S. Paulo. Dados sobre insegurança alimentar fazem parte do estudo Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil da Rede Pessan (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional). Segundo a pesquisa, 116,8 milhões de brasileiros não tinham acesso pleno e permanente a alimentos.

Desses, 43,4 milhões (20,5% da população) não contavam com alimentos em quantidade suficiente (insegurança alimentar moderada ou grave) e 19,1 milhões (9% da população) estavam passando fome (insegurança alimentar grave). Realizada em 1.662 domicílios urbanos e 518 rurais, a pesquisa coletou os dados de 5 a 24 de dezembro de 2020, antes da disparada da inflação nos últimos meses, o que provavelmente piorou o cenário de aumento da insegurança alimentar.

Uma pesquisa do PoderData divulgada em abril mostrou que 36% dos brasileiros dizem ter passado fome ou comido menos durante a pandemia. Essa é a soma do percentual dos que dizem ter deixado de fazer refeições (7%) com o dos que passaram a comer menos do que o de costume (29%) nesse período. O aumento da inflação e a crise econômica reduziram o poder de compra e a renda das famílias mais pobres e empurraram mais pessoas para a pobreza, ampliando também a insegurança alimentar.

Os preços dos alimentos foram os que mais subiram em 2020. Enquanto a inflação ficou em 4,52% no ano passado, o custo de produtos alimentícios subiu 14%. Em 2021, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação das famílias, deve fechar o ano com alta acumulada de 8,59%, segundo o Boletim Focus divulgado pelo Banco Central na última 2ª feira (11.out.2021). A inflação oficial acumulada entre o fim de 2014 e setembro de 2021 passado foi de 47,5%. Com piora em todos os anos desde 2014, a pobreza extrema no Brasil (renda domiciliar per capita inferior a R$ 261, pelo critério da FGV Social) atinge hoje 27,4 milhões de pessoas.

Aumento de favelas – Segundo dados preliminares do IBGE, o total de “aglomerados subnormais” foi de 6.329 em 323 municípios para 13.151 em 734 cidades de 2010 a 2019. O IBGE classifica os aglomerados subnormais como uma forma de ocupação irregular de terrenos de propriedade alheia, o que na prática são as favelas. A identificação dos Estados e municípios com maior proporção de domicílios em favelas sinaliza uma maior vulnerabilidade social com possíveis consequências para os serviços de saúde e assistência social no caso do alastramento da covid.

Só elege dois – Mesmo com a fusão do DEM ao PSL, não está fácil garantir o mandato de deputado federal nas eleições de 2022. Em Pernambuco, por exemplo, dos três candidatos mais competitivos – Fernando Filho e Mendonça Filho, ambos ex-DEM, e Luciano Bivar, ex-PSL, pelos cálculos de hoje em cima do coeficiente eleitoral em torno de 180 mil votos, só dois estariam com vaga garantida. Para emplacar o terceiro, o novo partido União Brasil 44 terá que ampliar bastante a cauda eleitoral, complicador que surge no horizonte em diversos outros partidos.

O deserto cearense – Estudo do projeto MapBiomas identificou que, nos últimos 35 anos, o Ceará foi o Estado nordestino com maior subtração de formações florestais, uma subdivisão do bioma caatinga. Entre 1985 e 2020, o Estado perdeu 0,34 milhões de hectares deste tipo de cobertura vegetal. Para especialistas, este retrato de degradação ameaça a fauna e a flora, além de gerar impacto direto ao ser humano. É o Ceará também o Estado com maior área desta cobertura: 37,34% dos 5,7 milhões de hectares de formações florestais mapeadas na Caatinga, em 2020, estão em território cearense.

Estados no prejuízo – Os Estados e municípios brasileiros podem perder R$ 24,1 bilhões com a mudança da base de cálculo do ICMS dos combustíveis, projeto já aprovado pela Câmara dos Deputados. O cálculo é da Febrafite, a Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estados. Segundo a Febrafite, os combustíveis foram responsáveis por 17,6% de toda a arrecadação do ICMS em 2019, nada menos do que R$ 89,7 bilhões de R$ 509,8 bilhões.

PT teme Ciro – Ao entrar no bate-boca de Ciro com o PT, o presidente do PDT, Carlos Lupi, saiu em defesa do aliado e afirmou que as lideranças petistas temem o seu crescimento nas pesquisas. "O PT trabalha 24 horas por dia para impedir Ciro de crescer na política. Foi assim em 2018 e querem de novo agora", reagiu, acrescentando: “Foi a mesma coisa (que em 1989). O PT tinha uma disputa muito forte conosco para ver quem iria para o segundo turno e trabalhou para a destruição do Brizola 24 horas por dia, dizendo que eles eram à esquerda e nós a direita. É um filme velho que, para mim, não cola mais", disse.

CURTAS

MAIS MÉDICOS – A Prefeitura do Jaboatão abriu seleção simplificada para contratação temporária de 35 médicos para atuar na rede municipal de saúde, com salários que variam de R$ 5,4 mil a R$ 10,9 mil. A inscrição pode ser feita na internet até o dia 22 de outubro. A carga horária varia entre 20 e 40 horas semanais, a depender do cargo pretendido. Os contratos têm duração de 12 meses, podendo ser estendidos por igual período.

A bola da vez – Pouco menos de um ano para as eleições de 2022, o PSDB está investindo na imagem da presidente estadual do partido e prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, que pode ser candidata ao Governo do Estado no pleito do ano que vem. Em uma das principais vias de Caruaru foi instalado um outdoor, com a imagem da gestora, chamando atenção por não haver nenhum outro rosto tucano na propaganda.

Perguntar não ofende: Por que nenhum deputado levanta a voz em defesa das estradas esburacadas do Estado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Brasil comandados por demônios: o acéfalo e Paulo Guedes. Quanto mais fome e desemprego, menos direitos, por conseguinte mais dinheiro no bolso dos amigos do mercado. Verdadeira dupla do satanás!


Serra Talhada 2021

14/10


2021

Coluna da quinta-feira

O milagre de São Caetano

De passagem, ontem, pelo Agreste, dei uma entradinha em São Caetano para entender, numa entrevista com o próprio prefeito, o milagre da divisão dos pães que fez, em nove meses de gestão, bater a casa dos 84% de aprovação, segundo pesquisa do Instituto Opinião que será postada logo mais neste blog. Em tempos de vacas magras e de um deserto de revelações de gestores, o que Josafá Almeida, ex-PSL, agora União Brasil, está tocando, com uma disposição de tesão de noivo, impressiona.

Ninguém chega a uma tamanha sintonia com a população mentindo e enganando. Propaganda enganosa, o povo não tem nenhuma dificuldade de identificar e bater de frente. Não é o caso de Josafá, um gordinho baixinho e simpático, remanescente da área de eventos. De imediato, ele tirou do papel o Canal do Massapê, sonho de 40 anos de São Caetano. A obra está de vento em popa, transformando em realidade algo que parecia um pesadelo tamanha a expectativa do povo sofrido daquela área.

Na saúde, gargalo da gestão anterior, fez o básico, mas deu resultado, como a entrega de um aparelho de Raio-X para o hospital e a criação de uma sala de intubação para doentes da covid-19. A pandemia, aliás, provocou outro fenômeno no município: elevou o número de pessoas contraídas pelo mal do século – depressão. Isso o obrigou a instalar um centro de tratamento de pacientes com doenças mentais. “Tudo isso, é fruto de uma gestão bem planejada, com 90% do secretariado da terra”, reforça.

Josafá relatou, ainda, que outra ação de grande repercussão foi a abertura de uma casa de apoio no Recife para as pessoas que se deslocam à capital em busca de tratamento de saúde e exames médicos. Abriu creches, como a Nossa Senhora de Fátima, postos de saúde na zona rural e nos distritos, além de gabinete odontológico. Outra vitrine do seu governo é a distribuição mensal de cinco mil kits da merenda escolar por mês, contribuindo para redução da fome nas camadas mais pobres.

“Esse negócio de deixar para fazer as coisas no último ano da gestão, visando a reeleição, está errado. O que eu digo aqui ao meu pessoal é que o primeiro ano é o da largada, para se fazer tudo, até porque quem está com fome não aguenta esperar quatro anos”, desabafa, adiantando que, como contribuição ao sofrimento dos que passam necessidades, distribui também cestas básicas nas comunidades.

A pesquisa identificou que o maior problema de São Caetano não é mais saúde nem tampouco a violência. Segundo o levantamento do Opinião, o desemprego foi apontado como o primeiro item reclamado pela população. Preocupado com essa triste realidade, Josafá anunciou a criação de um grande centro para venda de roupa infantil no município, com capacidade para 600 boxes e mais uma área destinada aos feirantes.

“Somos hoje o maior produtor de roupa infantil do Nordeste e vamos transformar São Caetano na Capital da Moda Infantil”, promete. Segundo ele, o município já dispõe de R$ 9 milhões em caixa, resultado de emendas federais e de contrapartida do município. “Muita gente está envolvida nessa luta, como os deputados Luciano Bivar, Silvio Costa Filho e Fernando Rodolfo, além do senador Jarbas Vasconcelos”, disse.

Quanto à situação financeira do município, ele informou que recebeu dívidas astronômicas, mas teve que pagar de imediato R$ 600 mil à Previdência e negociar R$ 400 mil de Pasep para tirar o CAUC do município. Sem esse instrumento, o município, inadimplente, fica proibido de celebrar convênios. “Só em dívidas com a Celpe, pagamos R$ 1,5 milhão e mais R$ 300 mil a Compesa”, destacou. Josafá diz que não gosta de ficar tocando no passado. “Não tenho espelho retrovisor, pra frente é que se anda”, destacou.

Lula contra Dilma – O pré-candidato à presidência da República Ciro Gomes (PDT) afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) “conspirou” para a concretização do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que foi afastada do cargo em 2016. A declaração foi feita durante entrevista ao podcast do Estadão. "Eu atuei contra o impeachment e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem liderou o MDB nessa investida? O Eunício Oliveira. Com quem o Lula está hoje?", perguntou. "Hoje, eu estou seguro que o Lula conspirou pelo impeachment da Dilma, estou seguro", declarou.

Estrada da morte – Em Buíque, o prefeito Arquimedes Valença (MDB) está comendo o pão que o diabo amassou com a situação de abandono da PE-270, que liga o município até Arcoverde. A estrada virou pó, literalmente, e tem muita gente deixando de investir no município e até fazer o turismo rural, percorrendo as trilhas do Vale do Catimbau. Ele aguarda com expectativa a promessa do governador de restaurar o acesso à cidade. “Paulo já anunciou a licitação, esperamos que corra, porque ninguém aguenta mais”, desabafa.

Bateu, levou – A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) rebateu o comentário do pré-candidato do PDT ao Planalto, Ciro Gomes, sobre ela ter sido “uma das pessoas mais incompetentes na Presidência”. Em sua última postagem, Dilma chamou o ex-ministro de “presunçoso” e “misógino”. Também repercutiu a fala do pedetista de que errou ao lutar contra o impeachment da petista. Segundo ela, “Ciro se diz arrependido de ter defendido a democracia” e agora utiliza argumentos “golpistas”.

O Ceará tem disso, sim – Os grandes espetáculos já voltaram no Ceará. No próximo domingo, o Cineteatro São Luiz abre as cortinas para celebrar os 80 anos de Marivalda Kariri. A apresentação “Fados, Choros e Canções” marca o lançamento do CD/DVD homônimo. Além de seu Grupo Kariri, a compositora e cineasta cearense recebe convidados especiais, como os maestros Tarci?sio Sardinha e Adelson Viana; os percussionistas Mingo Arau?jo e Igor; e os instrumentistas Lauro Viana e Ma?rcio Rezende. A apresentação "Selvagens à Procura de Lei toca Belchior" presta tributo ao eterno rapaz latino-americano. Devido à grande procura, os ingressos para o dia 24 já esgotaram. Até mesmo a sessão extra disponibilizada.

Fenômenos eleitorais – Três municípios pernambucanos – Jupi, Alagoinha e Terezinha – provocaram um fenômeno na eleição passada: seus prefeitos foram eleitos como candidatos únicos, sem adversários. O de Jupi, Marcos Patriota (DEM), além de ser reeleito sem ter o gostinho de derrotar, mais uma vez, a ex-prefeita Celina Tenório, emplacou os nove vereadores que compõem a Câmara Municipal. Em 2024, ele já sabe que o quadro será diferente. “Em política, a história não se repete”, diz.

CURTAS

BOA NOTÍCIA – O Governo do Estado anunciou, ontem, um programa de monitoria para que estudantes e outras pessoas da comunidade tragam de volta à escola pessoas que abandonaram os estudos e um concurso com 3,5 mil vagas para a Secretaria de Educação. O certame visa contratar professores e analistas em gestão educacional para diminuir o déficit da rede estadual. O edital para a seleção deve ser divulgado até o fim do ano e os novos profissionais deverão tomar posse até o fim do primeiro semestre de 2022.

Péssima notícia – O preço da gasolina foi reajustado, mais uma vez, em Fernando de Noronha e o valor do litro subiu de R$ 8,94 para R$ 9,10 no único posto de combustível da ilha. A direção do estabelecimento diz que o reajuste é reflexo do aumento feito pela Petrobras e dos preços praticados no continente. No dia 8 de outubro, a companhia informou que iria reajustar o preço da gasolina para as suas distribuidoras em 7,2%.

Perguntar não ofende: Alguém acredita no programa de recuperação de estradas anunciado pelo governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Perguntar não ofende: será que o Bozo e os seus zeros não são corruptos?


Pousada da Paixão

13/10


2021

Coluna da quarta-feira

Moro, a aposta do Podemos

Antecipei, ontem, com exclusividade, que o ex-juiz Sérgio Moro bateu o martelo no ingresso no Podemos, legenda que vinha perseguindo os seus passos e com ele flertando há muito tempo por insistência do senador Álvaro Dias (PR), líder do partido no Senado e da presidente nacional Renata Abreu, deputa federal por São Paulo.

Segundo ela confirmou, ontem, em Santa Catarina, ex-ministro da Justiça deve concorrer à Presidência da República nas eleições de 2022 pelo Podemos. “ A presidente Renata afirmou que as chances de ele concorrer são de 90% e a filiação ao Podemos deve se concretizar nos próximos dias”, disse ao blog o ex-deputado federal Paulinho Bornhausen, filho do ex-presidente nacional do DEM e ex-ministro Jorge Bornhausen.

Atuando num grupo privado internacional, Moro desembarcou no Brasil no fim do mês passado para se reunir com lideranças políticas a fim de decidir seu futuro político. Esteve com representantes do Movimento Brasil Livre (MBL), com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), além do ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro Luiz Henrique Mandetta (DEM). Mas foi com o comando do Podemos que teve o encontro mais produtivo.

A ele foi apresentada uma pesquisa que tem amplas chances de quebrar a polarização existente hoje na disputa presidencial entre Bolsonaro e Lula. Trata-se de um levantamento qualitativo feito em todo o território nacional. Nele, há registros animadores, como um percentual da ordem de 40% de eleitores que não querem nem Bolsonaro nem Lula que apostariam no nome dele.

A filiação deve ser anunciada até o próximo dia 20 e está provocando euforia na legenda. “Moro tem potencial para ser o grande fato novo em 22”, diz uma liderança influente do Podemos que participou do encontro com o ex-ministro, no qual a pesquisa foi dissecada e amplamente compartilhada entre eles como uma ferramenta importante para colocá-lo no debate presidencial a partir de agora.

O senador Álvaro Dias não se impressiona com as pesquisas que mostram Lula e Bolsonaro bem à frente do segundo pelotão de possíveis postulantes. "Acho cedo pra alguém decolar, essas pesquisas a toda hora só interessam à polarização", ressalta. Tão logo este blog antecipou a decisão de Moro, a mídia nacional correu para confirmar, o que se deu em vários blogs, portais e jornais. Eis o fato novo que pode jogar mais emoção na briga pelo Palácio do Planalto nas eleições de 2022.

Rebateu de leve – O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, rebateu as críticas que sofreu do pastor Silas Malafaia. O líder evangélico o acusou de trabalhar contra a nomeação do ex-advogado-geral da União André Mendonça ao Supremo Tribunal Federal. “Falta informação a esse pastor sobre a nossa atuação", disse Nogueira a jornalistas no Piauí, onde passa o feriado de Nossa Senhora Aparecida. “Não estou entendendo [as críticas de Malafaia]. Sou um auxiliar do presidente da República e toda a sua determinação será cumprida sempre", afirmou.

Leite em queda – Os produtores de leite da bacia do Agreste Meridional penam com a falta de incentivo por parte do Governo do Estado. Com o preço do leite sem dar resultados para cobrir as despesas com ração, já tem muitos criadores trocando o gado leiteiro pelo de corte visando atender à demanda do novo abatedouro da Masterboi em Canhotinho. “No futuro, pode não comprometer a bacia leiteira, mas deixará o Estado com uma produção chinfrim”, diz Saulo Malta, presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco.

A gasolina mais barata – Apesar de novo reajuste anunciado pela Petrobras, a gasolina comum teve queda de preços em Fortaleza e no Ceará em geral na última semana. De acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizado entre 3 e 9 de outubro, o preço médio do produto no Estado cearense foi de R$ 5,957, o menor do Nordeste e sexto menor do País. Na semana imediatamente anterior, era R$ 5,98. O preço máximo encontrado pela ANP durante pesquisa em 203 postos no Ceará foi de R$ 6,44; R$ 0,55 a menos do que os R$ 6,99 encontrados na semana passada. 

Inflação é mundial – Ameaçado de perder o posto a qualquer hora, o ministro da Economia, Paulo Guedes, diz que a alta dos preços é algo generalizado em todo o mundo e que, no Brasil, a elevação dos valores de alimentos e energia responde por metade das taxas do País. “A inflação está em todo o mundo. Metade da inflação (no Brasil) é exatamente comida e energia”, disse Guedes durante entrevista à CNN Interacional nos Estados Unidos. O ministro está no País para participar de eventos organizados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e o grupo das 20 maiores economias do mundo (G20), do qual o Brasil faz parte.

Cearense na Economia – Remanescente do Governo de Michel Temer, o economista cearense Mansueto Almeida, chefe do banco BTG Pactual, está forte na bolsa de apostas para substituir Paulo Guedes na pasta da Economia. Ele deixou a Secretaria do Tesouro, um dos principais cargos da equipe econômica nacional, em julho de 2020 em posição privilegiada, gozando da confiança do meio político e de uma respeitabilidade alta no mercado financeiro. Não é à toa que seu nome volta a circular nos bastidores de Brasília. Almeida foi o grande fiador do projeto de ajuste fiscal, que acabou um pouco prejudicado por conta da pandemia da Covid-19.

CURTAS

A NOVA PANDEMIA – Pernambuco teve um aumento de 371,1% nos casos suspeitos de Chikungunya entre janeiro e setembro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com informações divulgadas pela Secretaria Estadual de Saúde. Nos nove primeiros meses de 2021, foram 32.358 casos suspeitos da doença. Destes, 15.491 foram confirmados. No mesmo período, houve um aumento de 152,9% nas suspeitas de Zika e de 43,3% nos casos suspeitos de dengue.

FOCO EM LULA – Enquanto em São Paulo, o ex-governador Márcio França diz que o PT tem que ceder em alguns Estados nas alianças para priorizar a eleição de Lula, em Pernambuco, o deputado federal Carlos Veras (PT) quer a participação do PSB no palanque eleitoral do ex-presidente Lula (PT) no primeiro turno das eleições presidenciais de 2022 de qualquer jeito. “Temos que formar uma frente única para robustecer o projeto presidencial”, alerta.

Perguntar não ofende: Moro, Pacheco ou Eduardo Leite, quem pode quebrar a polarização Bolsonaro x Lula? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Outubro 2021

12/10


2021

Coluna da terça-feira

Ruim na política e na comunicação

O Governo Bolsonaro continua apanhando na política e na comunicação. Na primeira, cedeu às pressões para entregar a articulação com o Congresso a gente do ramo, deu carta branca ao senador Ciro Nogueira (PP-PI), mas continua patinando, a ponto de o interlocutor sofrer uma repreenda de um pastor pela mídia, sugerindo a cabeça dele.

Refiro-me a Silas Malafaia. “Como pode, gente? A Folha de São Paulo dizendo que Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil, um dos mais importantes cargos políticos, vai jantar com Renan Calheiros, o cara que quer destruir Bolsonaro por interesses políticos. Se o senhor [Ciro Nogueira] não foi jantar com ele, e se o senhor Ciro Nogueira é a favor da indicação de André Mendonça, convoque a imprensa, não é pra mim não. O senhor é obrigado a vir a público dar uma satisfação”, cutucou o pastor.

A fala de Malafaia faz referência à reportagem da Folha que diz que “Centrão quer novo nome para o STF e abre crise entre evangélicos e Bolsonaro”. No texto, é descrito que em dois jantares, os três ministros teriam tentado viabilizar Alexandre Cordeiro de Macedo, presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade, para vaga no STF. Se há interferências indevidas na política, na comunicação o desastre é muito maior.

Região lulista, o Nordeste tem 6,8 mil obras hídricas em andamento, incluindo a Transposição, superfaturada e depois abandonada pelo PT, segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, mas ninguém toma conhecimento disso. Na pandemia, o Governo recheou os cofres dos governadores, grande parte desviou e até roubou, mas o genocida é Bolsonaro.

Além de ter gerido, pessoalmente, muito mal o processo da pandemia, não escancara a roubalheira nos Estados nem também nos municípios. Recife, por exemplo, foi campeã em operações da Polícia Federal. No Rio Grande do Norte, uma CPI está desnudando o escândalo do Consórcio Nordeste, composto pelos nove governadores.

Todos têm culpa no cartório pelo mega escândalo que resultou numa compra superfaturada de respiradores testados em porcos a uma empresa laranja. O Governo não se comunica mal apenas para fora, fazendo chegar a grande mídia o que a sociedade precisa saber. Vai muito mal também muito na política de comunicação interna.

Na entrevista que fiz com o presidente, há 40 dias, o sinal da internet só ficou disponível para Rede Nordeste de Rádio faltando cinco minutos para o Frente a Frente ir ao ar para mais de 300 emissoras no País. A culpa disso tudo é o ministro Fábio Faria, das Comunicações, um ET na área. Entende tanto de comunicação quanto eu de astronomia.

E age de má-fé com o presidente e o seu Governo. Na mesma entrevista que fiz com Bolsonaro, a única capital do Nordeste que não retransmitiu o Frente a Frente foi Natal, terra do ministro chinfrim, que colocou gosto ruim na agenda. É um nordestino de meia tigela.

Obrigação – Sobre Fábio Faria, Silas Malafaia afirmou que o ministro ligou para ele dizendo “que não esteve em jantar nenhum” –diferentemente do que foi informado pela Folha. Horas depois de ter publicado a reportagem, o próprio jornal paulista publicou uma nota de “Erramos” corrigindo informação que dizia incorretamente que Fábio Faria sediou um dos mencionados jantares em sua casa. No entanto, pressionou o ministro. Disse que “[Faria] é obrigado emitir uma nota clara de apoio a André Mendonça”. “Os ministros palacianos são políticos, ele [Fábio Faria], o ministro Ciro Nogueira, e a ministra Flávia Arruda [Secretaria de Governo] são políticos. Eles são obrigados a emitirem nota e trabalharem pela indicação do presidente”, afirmou.

Devagar, quase parando – Passados mais de 30 dias do pé na estrada do governador Paulo Câmara no Sertão, as obras de restauração de estradas pomposamente anunciadas, com direito a comemorações bizarras, só começaram a sair do papel agora. Um dos exemplos mais gritantes é o da Rodovia 264, do povoado Grossos, em São José do Egito, a Ouro Velho (PB). Ali, no dia 2 de setembro, ao lado da secretária de Infraestrutura, Fernanda Batista, e de uma penca de deputados, Câmara assinou a ordem de serviço. Somente ontem o maquinário chegou ao local da obra.

Bolsonaro no Ceará – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) volta ao Ceará no próximo dia 20. A visita está prevista para o município de Russas. A informação foi confirmada pelo vereador Carmelo Neto, da bancada do Republicanos na Câmara de Fortaleza. De acordo com o parlamentar, a viagem, que será ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, tem como objetivo cumprir uma agenda de pautas com projetos e obras hídricas, denominado "Jornada das Águas". A última visita do presidente Jair Bolsonaro ao Ceará ocorreu em agosto deste ano para a entrega de casas populares no município de Juazeiro do Norte.

Casa dos 100 milhões – O Brasil se aproxima de romper a barreira de 100 milhões de pessoas com o esquema completo de vacinação contra a Covid-19. Ontem, o País chegou a 99.315.948 vacinados com as duas doses, ou a única, no caso da Janssen. No último fim de semana, foram aplicadas mais de 1 milhão de doses ao dia, segundo dados do Localiza SUS. Mesmo que quase a metade da população brasileira esteja com o esquema de vacinação completo, ainda não é o momento de relaxar com as medidas de proteção. Afinal, a pandemia matou mais de 601 mil pessoas.

Era dos paninhos – A deputada federal Alê Silva (PSL-MG) defendeu, em seu perfil no Twitter o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao projeto que estabelecia a distribuição gratuita de absorventes feminino para parte da população mais necessitada, de autoria da deputada pernambucana Marília Arraes (PT). Para a congressista, às críticas ao veto do presidente representam um “mimimi” – expressão usada para satirizar uma reclamação considerada desnecessária. Alê Silva afirma que no seu tempo as mulheres usavam “paninhos” e não cobravam o governo pelo produto de higiene íntima. “Sou do tempo em que usávamos paninhos, que a cada mês eram lavados e passados para serem novamente usados. Não tinha mi, mi, mi. ‘Aínn [sic] o governo tem que me dar.”

CURTAS

SÓ DO ESTADO – Uma lei complementar publicada no Diário Oficial determina que as empresas locadoras com estabelecimento em Pernambuco devem disponibilizar aos locatários apenas veículos que sejam licenciados no Estado. A lei altera a que trata sobre o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Foi dado um prazo de 120 dias para que as empresas se adequem e façam o licenciamento da frota de maneira correta.

SEBÁ CIDADÃO – Na comemoração dos 86 anos da emancipação política do município de João Alfredo, o deputado federal Sebastião Oliveira (Avante) recebeu o título de Cidadão João-alfredense. A iniciativa foi do presidente da Câmara de Vereadores, Walque Dutra. “Nos piores momentos da pandemia, Sebastião nos atendeu de imediato. Ele é o deputado que resolve nossos pleitos em Brasília”, disse o prefeito Zé Martins (PSB).

Perguntar não ofende: Até quando Bolsonaro vai ficar batendo cabeça com um ministro que nada entende de comunicação?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes outubro 2021

11/10


2021

Coluna da segunda-feira

Recife continua uma Biafra

Em janeiro de 1970, a guerra civil na Nigéria, um dos países mais pobres do mundo, finalmente terminou. O conflito foi travado com a arma da fome e abalou o mundo, muitos alemães se manifestaram contra a Guerra do Biafra e Biafra acabou virando sinônimo de miséria, de uma chaga social terrível que enche nossos olhos de lágrimas. Próximo a completar seu primeiro ano de mandato, o prefeito João Campos (PSB) não conseguiu avançar em políticas transformadoras da face oculta da Biafra recifense.

Moradores de rua continuam sem tratamento social acolhedor. Basta dar uma passadinha na Rua do Imperador, transformada na Venezuela nordestina, com centenas de famílias abandonadas morando em barracas de papelão improvisadas. Mas João deve estar, a esta altura, debruçado, na companhia de marqueteiros, em cima de uma campanha midiática para incutir na população a ideia de que é o rei da cocada preta e que seu Governo é uma Brastemp.

Não acredite! Você deve se deparar com um filmete recheado de factoides. Recife continua a mesma Biafra que Geraldo, antecessor e tutor político de João, batizou, desavergonhadamente, de “Capital do Nordeste”. Só se for do abandono, do retrocesso, da miséria, dos engarrafamentos, da sujeira, de um panorama débil e penoso.

O que mudou no Recife? Sob o olhar da limpeza, absolutamente nada. Dá vergonha andar na cidade, especialmente nos bairros mais pobres, longe dos refletores formadores de opinião, onde habitacionais rastejam, morros sem obras estruturadoras, palafitas crescendo, nada para transformar a face africana. Que obra ou projeto de infraestrutura saiu do papel e chegou aos olhos dos recifenses, através da Câmara de Vereadores, para debate?

Recife continua imbatível como campeã em pior trânsito do País, com uma mãozinha dada pelo prefeito na medida em que reduz o espaço dos automóveis para abrir vias de ciclistas em ruas já historicamente estranguladas. Cadê as centenas de creches prometidas? Milhares de mães continuam sacrificando empregos porque não têm com quem deixar seus filhos.

Cartão postal na era Jarbas, o Bairro do Recife continua às moscas, igualmente o centro da cidade sem o prometido projeto de revitalização. Os canais, como o do Arruda, uma podridão. Falta água nas comunidades, o transporte público continua caro e de péssima qualidade. O prefeito comemorou uma classificação bizarra no ranking da Transparência Brasil, mas até agora não deu um pio nas razões que levaram a Polícia Federal a promover sete operações na gestão de Geraldo Covidão, recorde nacional em investigações de dinheiro público da União remetido ao município para salvar vidas ameaçadas pela covid-19.

Também outrora orgulhoso cartão de visitas, a praia de Boa Viagem é uma vergonha, suja, abandonada, sem vida nem atrativos para os turistas, principalmente no período noturno quando vira um verdadeiro cemitério, diferente das orlas de Fortaleza, Salvador e Maceió. Não precisa ir muito longe. Na vizinha João Pessoa, Tambaú é uma festa.

Por fim, a única ação visível de João foi se promover como gestor eficiente em cima do programa de imunização contra a covid, através de lotes de vacinas enviadas pelo Governo Federal, além de um auxílio para micro empreendedores sem um acompanhamento técnico e duradouro, porque não consegue se desvencilhar no viés político, da instrumentalização do cargo para tirar dividendos eleitorais.

Exemplos de avanços – Recife paga o preço do isolamento político e da inexistência de um modelo administrativo confiável. Alguém pode perguntar por que Jaboatão, Caruaru e Petrolina fizeram o diferencial nos últimos anos enquanto Recife não conseguiu destaque? Jaboatão, na RMR, apesar dos seus latentes contrastes sociais, tem realizações, com prêmios internacionais. Caruaru também andou para frente e Petrolina virou, nos últimos anos, o maior canteiro de obras do Estado.

Meritocracia ao inverso – Ainda está bem presente na mente dos recifenses, na propaganda eleitoral passada, o discurso do então candidato a prefeito do Recife, João Campos, falando numa tal meritocracia, dando como exemplo o fato de, eleito deputado federal, ter feito seleção pública na contratação de servidores para o seu gabinete. Eleito prefeito, nomeou filhos de políticos para a sua equipe e acomodou parentes fazendo a política do nepotismo cruzado. O governador Paulo Câmara já havia nomeado Maria Eduarda, sua irmã, diretora da Perpart e, na semana passada, Pedro, também irmão, virou o todo poderoso chefe de projetos especiais da Secretaria de Planejamento.

Manda quem pode! – No último sábado, postei neste blog, com exclusividade, que ao ser nomeado chefe de projetos especiais do Governo do Estado, Pedro Campos, que batizei de dente de leite do projeto ambicioso da família Campos, irá gerir uma fatia orçamentária de R$ 5 bilhões até abril, quando deve se afastar para disputar um mandato de deputado federal. Desse montante, com o seu crivo, sairão as verbas para todas as obras pendentes no Estado, desde uma simples pavimentação de uma rua a um projeto de infraestrutura viária ou hídrica.

Governador – Na prática, o governador de fato, na gestão dos R$ 5 bilhões, será o candidato mirim da capitania hereditária. Pedro, não o Simão, que negou Cristo por três vezes, mas sim o Campos, não negará um tostão do bolão que estará em suas mãos para gerir aos que, evidentemente, tiverem a oferecer o que ele precisa: votos. Quer sair das urnas em 2022 como o deputado federal mais votado do Estado.

O mundo mudou – O que apurei, em reserva, é que o prefeito João Campos não está gostando nem um tiquinho da grande visibilidade que o irmão Pedro está ganhando. Não esperava que, dentro do próprio clã, aparecesse, não mais que de repente, como diz o poeta, alguém para roubar um pouco da pouca luz que tem hoje. Enganou-se João, o príncipe!  Apesar dos sonhos e da megalomania de sua Tabata, o mundo não gira mais absolutamente e unicamente em torno dele.

CURTAS

Professores esquecidos – Enquanto em Jaboatão, o prefeito Anderson Ferreira (PL) anuncia um bônus de R$ 1 mil para professores da rede municipal na compra de livros e material escolar, os professores estaduais continuam sem ver a cor do dinheiro que o governador prometeu de aumento na campanha passada. Ser profissional em sala de aula no Estado virou um inferno. A categoria não consegue sair do cheque especial, quando tem, diga-se de passagem.

Rasgando o verbo – Curtindo o feriadão imprensado do 12 de outubro, Dia da Criança, em Afogados da Ingazeira, estarei logo mais, às 10 horas, no Debate das Dez, da Rádio Pajeú, ao lado do companheiro Nill Júnior, âncora de um dos programas de maior audiência do Sertão pernambucano. Vamos tratar de tudo, inclusive das especulações de uma provável candidatura minha a senador.

Perguntar não ofende: O que os deputados federais do PSB com dificuldade de reeleição por causa do fim das coligações estão achando da bombada do Governo na candidatura de Pedro Campos?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/10


2021

Coluna do sabadão

A palavra do presidente

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O Brasil ultrapassou a triste marca de 600 mil mortes pela Covid-19 ontem. Só este ano, foram 405 mil vítimas da doença, fazendo o país ser o que mais registrou óbitos no mundo em 2021. Em números absolutos, está atrás apenas dos Estados Unidos (712.122 mortes).

Importante dizer que houve uma queda considerável no número de óbitos no nosso país graças ao avanço da vacinação, segundo especialistas. Diferentemente dos EUA, onde há resistência de parte da sociedade a imunizantes, a população brasileira é propensa à vacina.

Essa virtude do Brasil sempre foi posta à prova pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que possui um farto repertório de declarações contrárias às vacinas. Na abertura da 1ª Feira Brasileira do Nióbio, em Campinas (SP), ele resolveu discorrer brevemente sobre a crise sanitária e disse que houve uma “potencialização” da pandemia.

“Em que pesem as mortes. Lamentamos todas as mortes, mas houve uma politização enorme”, emendou. Até aqui, o presidente sempre buscou minimizar os efeitos da Covid-19. Além das 600.077 mortes, são mais de 20 milhões de pessoas com sequelas deixadas pela doença.

Incrivelmente, no famigerado cercadinho do Palácio da Alvorada, nas lives ou em situações aleatórias, as falas do chefe do Executivo ganham corpo entre os seus apoiadores. Um exemplo disso foi a justificativa que deu a seguidores sobre o veto à distribuição gratuita de absorventes, prevista no Projeto de Lei nº 4.968/19, de autoria da deputada pernambucana Marília Arraes (PT).

O presidente afirmou que foi “obrigado a vetar” por, em suas palavras, não haver fonte de custeio. Os bolsonaristas rapidamente acataram a inverdade nas redes sociais. Mas o projeto explica que as despesas seriam custeadas a partir das “dotações orçamentárias disponibilizadas pela União ao Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Inflação, desemprego e fome em alta também não importam a este segmento da sociedade. Em outros tempos, o presidente seria responsabilizado por isso. Na era Bolsonaro, o inferno são os outros.

Veto deve cair – Segundo o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o veto do presidente Bolsonaro deve cair no Congresso. "Considero desde já que esse veto é candidatíssimo a ser derrubado", declarou. Pacheco também disse que o Senado aprovou rapidamente a proposta para “transformar” a realidade de adolescentes e mulheres que chegam a improvisar com papel de jornal e miolo de pão por não dispor de recursos para comprar absorvente.

“Fogo amigo” – Ao sair do Governo Federal, o ex-secretário Nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano Tiago Pontes Queiroz deixou uma carta para Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional. Ele disse que foi “alvejado pelo ‘fogo amigo da política’ com reiterados ‘offs’ na imprensa nacional” sobre sua gestão na Secretaria. Investigado pela Polícia Federal, Queiroz afirmou que pediu exoneração.

Cerimônia cancelada ­– O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), anunciou o cancelamento da cerimônia em homenagem às vítimas da Covid, prevista para ocorrer no próximo dia 19, quando o relatório será apresentado. “Para me dedicar mais ao Relatório e evitar narrativas políticas e Fake News, cancelamos a Cerimônia que homenagearia as Vítimas da Covid 19. Os responsáveis pelas mais de 600 mil mortes serão punidos pela justiça dos homens e de Deus”, escreveu Calheiros no Twitter.

Declinou – Antes, a mãe do ator Paulo Gustavo, morto devido à doença, recusou o convite feito pela CPI. “Não vou participar de jeito nenhum. Essa CPI virou uma CPI política, comandada por Renan Calheiros e Omar Aziz. Você acha que é séria e que vai dar em alguma coisa? Já estão em ano eleitoral. Não vou me prestar a isso”, disse Déa Lúcia. “Se precisarem de mim para uma campanha séria, para crianças e para idosos, eu vou. Pode me telefonar. Para política, não”, continuou.

Funcionalismo preocupado – Servidores da Prefeitura do Recife estão apreensivos com uma proposição que altera a Previdência municipal. O Projeto de Lei nº 36/2021 foi enviado em regime de urgência pelo prefeito João Campos (PSB) à Câmara de Vereadores. A medida prevê a migração de mais 729 aposentados do Fundo Recifin para o Reciprev, o que aciona uma "bomba-relógio" nas contas previdenciárias da Prefeitura, segundo servidores, que pedem para que os vereadores votem contra.

CURTAS

RECUO – Na passagem por Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que a regulação da mídia é “um tema do Congresso Nacional”, mudando o tom sobre o assunto. O líder petista vinha defendendo com ênfase a regulamentação dos meios de comunicação.

CORTE – O Congresso aprovou um corte de R$ 690 milhões no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Isso representa uma perda de 90% para a pasta. Os recursos foram remanejados para outros ministérios a pedido da equipe econômica do Governo, que enviou ofício à Comissão Mista de Orçamento (CMO).

Perguntar não ofende: Quando Bolsonaro vai definir seu partido?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/10


2021

Coluna da sexta-feira

Aposta na área social

No ápice da pandemia, o Governo Bolsonaro lubrificou os cofres dos Estados e Municípios sem cerimônia. Foi tanto dinheiro que governadores e prefeitos se lambuzaram e alguns estão ameaçados de impeachment, como Wilson Witzel, do Rio, Wilson Lima, do Amazonas, e Carlos Moisés, de Santa Catarina. No Recife, o ex-prefeito Geraldo Júlio, o Covidão (PSB), bateu o hexa do Náutico: foi heptacampeão em operações da Polícia Federal.

Seis pessoas ligadas ao ex-prefeito, investigadas no âmbito da Operação Apneia, são acusadas de desvio de recursos do SUS em contratação, por parte do Município do Recife, da microempresa Juvanete Barreto Freire (Brasmed Veterinária) para o fornecimento de ventiladores pulmonares (respiradores) para o enfrentamento da pandemia de covid-19. Na marca do pênalti, o ex-secretário de Saúde, Jailson de Barros Correia, o ex-diretor Executivo de Administração e Finanças da Secretaria de Saúde do município, Felipe Soares Bittencourt, e a ex-gerente de Conservação de Rede da Secretaria de Saúde do Recife, Mariah Simões da Mota Loureiro Amorim Bravo.

São acusados da prática dos crimes de dispensa indevida de licitação (atribuída a todos), peculato (Jailson de Barros Correia, Felipe Soares Bittencourt, Mariah Simões da Mota Loureiro Amorim Bravo, Juarez Freire da Silva e Juvanete Barreto Freire) e crime contra a ordem tributária (Juarez Freire da Silva e Juvanete Barreto Freire). O MPF também requereu que a Justiça Federal decretasse a perda de eventual cargo público exercido pelos denunciados, bem como o pagamento de indenização para reparação dos danos morais e/ou patrimoniais causados.

Ainda na pandemia, o Governo criou o Auxílio Emergencial, valor que superou, quando o valor era, inicialmente, de R$ 600, a bagatela de R$ 300 bilhões. Foi, na prática, um novo Bolsa Família. Investir no social, garante retorno político. Que o diga Lula, que estava morto no esquema do mensalão e foi salvo pelo Bolsa Família e ainda elegeu Dilma. Ontem, o Governo publicou o decreto regulamentador da MP (medida provisória) que institui o Programa Auxílio Brasil e o Programa Alimenta Brasil.

A medida provisória atribuiu a função de agente operador do programa Auxílio Brasil e dos recursos a instituições financeiras federais, como a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). O Auxílio Brasil, substituto do Bolsa Família, atenderá cerca de 17 milhões de famílias e custará R$ 60 bilhões aos cofres públicos em 2022. O valor é R$ 26 bilhões superior ao do Bolsa Família e deve ser financiado por meio da taxação dos lucros e dividendos, prevista na reforma do IR. O Programa Alimenta Brasil prevê a compra de alimentos de pequenos agricultores e distribuição para as famílias beneficiadas. De olho na reeleição, Bolsonaro segue a mesma cartilha de Lula. Acha que, como Lula, supera a onda adversa investindo no social.

Novo programa – No Auxílio Brasil haverá nove modalidades diferentes de benefícios. As três primeiras formam o núcleo básico do novo programa, enquanto as demais o complementam com ferramentas de inserção socioeconômica, como o Benefício Primeira Infância, para famílias com crianças entre 0 e 36 meses incompletos e Benefício Composição Familiar. Diferente da atual estrutura do Bolsa Família, que limita o benefício aos jovens de até 17 anos, será direcionado também a jovens de 18 a 21 anos incompletos. O objetivo é incentivar esse grupo a permanecer nos estudos para concluir pelo menos um nível de escolaridade formal.

Perseguição política – Em entrevista ao Frente a Frente de ontem, a deputada Marília Arraes (PT) disse que está desconfiada de que veto que o presidente Bolsonaro deu ao seu projeto, de distribuição gratuita de absorvente feminino, aprovado pelo Congresso, teve viés político. “Como sou do PT, o veto pode ter sido por birra”, afirmou, adiantando que faltou ao chefe da Nação sensibilidade. “O projeto tem elevado alcance social e foi aprovado consensualmente nas duas Casas – Câmara e Senado – com a anuência dos líderes governistas”, atacou.

Atraso na vacina – O Estado tem quase meio milhão de pessoas com a segunda dose atrasada da vacina contra a Covid-19, segundo dados do Programa Nacional de Imunizações (PNI). O levantamento foi feito a partir de dados preenchidos por 93% dos municípios pernambucanos. Ao todo, 486 mil pessoas estão com a segunda dose em atraso, considerando o intervalo de cada fabricante do imunizante (veja vídeo acima). As informações, do G-1 PE, foram divulgadas pela Secretaria de Saúde. São 254 mil pessoas com a segunda dose do imunizante da AstraZeneca/Fiocruz em atraso, acima dos 90 dias previstos.

Tucanada dividida – Pré-candidatos à Presidência da República nas prévias do PSDB, os governadores Eduardo Leite (RS) e João Doria (SP) travam uma guerra de números e ambos se dizem favoritos para vencer a disputa, marcada para o dia 21 de novembro. Em entrevista coletiva "técnica”, ontem, na sede do PSDB paulista, o presidente da legenda no Estado, Marco Vinholi, o coordenador da pré-campanha de Doria, Wilson Pedroso, e o presidente da Associação Paulista de Municípios, Frederico Guidoni, explicaram como funcionará o colégio eleitoral e disseram que São Paulo já larga com uma dianteira de 25% entre os filiados ao partido.

O rombo da Globo – O número negativo era previsível, mas a informação de que a Globo teve prejuízo de R$ 114 milhões de janeiro a junho causou burburinho no mercado e na Imprensa. Este índice no vermelho representa quase 70% do lucro total que a emissora registrou em 2020, R$ 167,8 milhões. Nos primeiros seis meses deste ano, o canal atingiu faturamento considerado positivo, R$ 6,451 bilhões, mas as despesas no período foram 36% maiores na comparação com o primeiro semestre de 2020. Corte de custos, demissões e a não renovação de contratos gerou economia de R$ 218 milhões, porém, foi insuficiente diante do impacto da pandemia de covid-19.

CURTAS

EFEITO COVID – Apesar de líder em audiência e preferida dos grandes anunciantes, a Globo também sofreu com a retração do mercado publicitário, a antecipação de pagamentos de direitos de transmissões e os gastos extras motivados pelo coronavírus. Em relação à propaganda do governo federal, a emissora recebe cada vez menos, em cumprimento à promessa de campanha feita por Jair Bolsonaro.

NADANDO EM DINHEIRO – Apesar do prejuízo apontado pelo relatório divulgado pela própria Globo, a TV da família Marinho mantém boa saúde financeira. No final do ano passado, tinha R$ 13,6 bilhões em caixa, R$ 3,1 bilhões a mais do que havia nas contas em 2019.

Perguntar não ofende: Bolsonaro renova a concessão da Globo a vencer ano que vem?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Perguntar não ofende: caso Lula ou outro candidato da oposição seja eleito, o blogueiro vai puxar o saco do eleito?



07/10


2021

Coluna da quinta-feira

União Brasil com Pacheco

Aprovada, ontem, a fusão do DEM ao PSL lançou ao País a União Brasil, legenda que apresentará à nação, em breve, uma terceira via ao Palácio do Planalto, na tentativa de quebrar a polarização Bolsonaro x Lula. Segundo as pesquisas, há entre 30% a 35% do eleitorado brasileiro que não quer votar nem em Lula nem tampouco em Bolsonaro.

A União Brasil oferecerá, provavelmente, a candidatura do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), remanescente do DEM. Fala-se também no apresentador José Luiz Datena, de São Paulo, e no ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ex-DEM do Mato Grosso do Sul, Estado sem importância na composição de uma chapa por ter um eleitorado pequeno.

A união das duas siglas criará a maior legenda com representação na Câmara, com potencialmente 81 deputados. A cúpula do novo partido, no entanto, sabe que haverá defecções, principalmente em março, quando se abrirá o período oficial para trocas de partidos. Praticamente metade da bancada do PSL, que é ligada a Jair Bolsonaro, deverá deixar o partido. Já no DEM, disputas locais também podem causar baixas.

As cúpulas de DEM e PSL querem oficializar a fusão das legendas até outubro. Estimam que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) levará de 3 a 4 meses para homologação. A nova legenda precisará da confirmação até abril para disputar as eleições de 2022. O presidente do PSL, Luciano Bivar, deverá presidir a nova sigla. O atual presidente do DEM, ACM Neto, será o secretário-geral.

Pelo Twitter, ACM definiu a união como “somatório de forças”. “Nascido da fusão de dois partidos fortes e em ascensão – DEM e PSL –, o #UniaoBrasil44 é um somatório de forças que tem como propósito servir de base, de caminho para a pacificação, o diálogo, a conjunção de esforços e a paz que os brasileiros desejam e merecem ter”, disse.

Reações e aprovação – Houve reações no DEM à fusão. O ministro do Trabalho e Previdência Social, Onyx Lorenzoni, que é filiado ao partido, criticou o projeto e disse que “só faria sentido um novo partido se fosse para reforçar a direita brasileira”. Já o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) classificou a iniciativa como um “importante movimento”. Segundo ele, a nova legenda nasce “grande” e com chances de “ser protagonista em 2022”. Para o presidente nacional do Psol, Juliano Medeiros, a fusão entre o DEM e PSL criará um partido “para atacar os direitos do povo”. Segundo o socialista, “não tem como sair coisa boa daí”.

Papinha do centrão – A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) disse que a decisão do plenário da Câmara de aprovar a convocação do ministro da Economia, Paulo Guedes, foi acertadíssima. Ela acredita que o chefe da pasta terá dificuldades no depoimento em frente a membros do Centrão. O ministro terá que prestar esclarecimentos sobre a revelação da investigação internacional Pandora Papers que mostrou que ele é sócio de uma empresa no exterior com patrimônio de US$ 9,55 milhões (cerca de R$ 51 milhões).  No Twitter, a congressista escreveu: “Guedes vai virar papinha do centrão. Será engolido de colherzinha. A tigrada não vai nem precisar mostrar os dentes para mastigar”.

Oposição na frente – Faltando 40 dias para as eleições da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Pernambuco, o instituto Exatta realizou pesquisa no final do mês de setembro (antes do período de registro das chapas) para avaliar o cenário das eleições da entidade. Almir Reis, candidato de oposição, confirmou a tendência de crescimento verificada nos levantamentos anteriores e já aparece com 34,4% das intenções de voto, enquanto o candidato da situação Fernando Ribeiro caiu para 17,5% das intenções de voto. Brancos, nulos e indecisos somam 48,1%.

Prestando contas – O Governo Federal prepara uma série de ações, tanto nas mídias sociais quanto nos veículos de comunicação tradicionais, para, com a máquina na mão, fazer frente a seus adversários e opositores em 2022. São ações publicitárias, no Brasil e no exterior, entrevistas para jornalistas e intensificação das publicações nas páginas oficiais em redes sociais. As ações publicitárias precisarão de desembolso. No eixo principal, o Governo abriu licitação no valor de R$ 450 milhões para contratar quatro agências de publicidade. As empresas têm a missão de elaborar campanhas institucionais ao longo do ano.

A grande derrotada – Uma das lideranças que saíram mais chamuscadas na eleição suplementar de Capoeiras, domingo passado, foi a ex-prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida (PSB). De olho numa vaga na Assembleia Legislativa, deu carga na campanha de Celina de Dudu, derrotada pelo candidato do PSB, Nêgo do Mercado. Irada com a postura agressiva de Débora ao longo da campanha, a ex-prefeita Neli Reino abriu o verbo contra ela no dia seguinte à vitória do aliado e prometeu vingança. “Onde você, Débora, tiver voto na região para deputada, vou lá tirar”, ameaçou num áudio que viralizou pelas redes sociais.

CURTAS

OBRIGAÇÃO – A Associação Brasileira das Empresas Aéreas anunciou, ontem, que todos os trabalhadores e colaboradores das companhias terão que tomar a vacina contra a covid-19. A entidade é integrada pela Gol, Latam, Voepass e Itapemirim. Segundo o comunicado, o objetivo é ampliar os protocolos sanitários e garantir segurança aos passageiros e funcionários. Cada companhia adotará a medida em prazos diferentes, mas, segundo a nota, a regra começa a valer “até o fim de 2021“.

SÉ SEM CARRO – O Alto da Sé, principal ponto turístico de Olinda, fica fechado para a circulação de veículos e passa a ser exclusivo para pedestres nos finais de semana, a partir do próximo sábado. A iniciativa foi anunciada pelo prefeito Lupércio (SD) em meio a um conjunto de medidas chamado "Vamos Olindar", criado para incentivar o turismo no Sítio Histórico da cidade.

Perguntar não ofende: Quem votar no candidato da situação a presidente da OAB dará aval ao grupo politico do PSB?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/10


2021

Coluna da quarta-feira

Hora da mudança na OAB

Instituição com mais de 40 mil associados, com alto índice de inadimplência – algo em torno de 50% (o que não dá direito ao voto) – a Ordem dos Advogados de Pernambuco (OAB) vive clima eleitoral. Em 16 de novembro, seu conselho será renovado em pleito livre e direto, marcado por uma disputa polarizada entre Fernando Ribeiro, candidato da continuidade, e Almir Reis, postulante da oposição.

Primeiro a registrar a chapa, Almir Reis fez, ontem, um manifesto à categoria destacando a necessidade de mudança. “A Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco clama por renovação. É urgente tirá-la da inércia em que se encontra por mais de uma década, figurando na visão de muitos como mera recolhedora de anuidades. Urge o encerramento de um ciclo vicioso, decadente e inóspito, para que volte a atender aos anseios de sua classe e passe a exercer seu protagonismo na sociedade, na defesa da Constituição”, afirmou.

E acrescentou: “As bases que alicerçam o grupo que atualmente comanda a instituição estão desconectadas dos anseios da advocacia militante, frustrando a esperança e os sonhos de toda uma geração de operadores do direito, especialmente da jovem advocacia. Como advogado militante percorri todo o Estado, do Litoral ao Sertão, testemunhando a majoritária decepção da advocacia com os rumos dados à instituição. A extrema vulnerabilidade da atual gestão da OAB-PE e o desequilíbrio claro na relação da entidade com o Judiciário são pontos incontestes”.

Jovem, bastante atuante, com trânsito em todas as esferas da instituição, Almir Reis atraiu importantes apoios e é a grande esperança para tirar a OAB de um grupo que tem sólidas ligações com o PSB no Estado, com o governador Paulo Câmara, e o prefeito João Campos. Mais do que isso, que deixou, com o tempo, ser aparelhada, o que é muito ruim para a categoria. Por isso, há um nítido crescimento do candidato da oposição em setores da advocacia que até então eram ligados ao atual grupo.

“A adesão à nossa candidatura toma o caráter de um movimento em defesa da OAB, dos recém-formados, das nossas prerrogativas profissionais, do zelo ao ensino jurídico, de uma forte atuação da Escola Superior de Advocacia (ESA), como braço qualificado de auxílio à inserção no mercado de trabalho. As mais variadas matrizes ideológicas declaram espontaneamente seu apoio a esse projeto de mudança na OAB-PE. Trata-se de uma vasta coalizão, completamente apartidária e que reúne jovens e veteranos advogados e advogadas, autônomos, atuantes no serviço público, no magistério, em escritórios pequenos, médios e grandes”, prega Almir.

E conclama: “Juntos, abriremos caminho para convergir o incremento da atividade advocatícia com políticas tecnológicas consistentes e criativas. Encerraremos assim o lamentável processo de precarização e a corrosão do poder e do respeito à nossa entidade. O que nos move é a certeza de que somos maiores do que todos os desafios. É chegada a hora da renovação: vamos juntos!”

Vai se quiser – A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou o convite ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para que expliquem as atividades de suas offshores. O requerimento de convocação do ministro Paulo Guedes foi elaborado por Jean Paul Prates (PT-RN) e Paulo Rocha (PT-PA). No entanto, durante a votação, a convocação se transformou em convite, que foi estendido ao presidente do Banco Central. Nesse caso, Guedes e Campos Neto podem optar por não comparecer à reunião – marcada para 19 de outubro.

Rio sem máscaras – O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD-RJ), afirmou, ontem, que o Comitê Científico carioca acredita atingir cobertura vacinal de 75% em apenas 11 dias, abolindo assim o uso de máscaras em locais abertos e sem aglomeração. Em ata da reunião do Comitê de 9 de outubro de 2021 divulgada pelo prefeito, o processo de redução gradual das medidas restritivas segue três etapas que devem ocorrer até o próximo dia 15 de novembro. As etapas de redução gradual das medidas de restrição devem acontecer ao atingir, na primeira etapa, 50% da população vacinada, na segunda 65% da população vacinada, e terceira etapa e última ao atingir 75% da população vacinada.

Bolsonaro indiciado – O relatório final da CPI da Covid, que apura a atuação do Governo Federal na crise sanitária, "com certeza" pedirá o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro. A declaração foi dada, ontem, pelo senador e relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL). "Com certeza será [indiciado]. Nós não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório. Ele com certeza será, sim, pelo o que praticou", confirmou o senador em resposta a jornalistas ao chegar na comissão.

Noronha ameaçada – A Agência Nacional do Petróleo (ANP) vai leiloar, amanhã, 92 blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural e, entre as áreas, está uma região na Bacia Potiguar próxima a Fernando de Noronha e Atol das Rochas. O leilão é criticado por ambientalistas e também preocupa moradores da ilha. Uma ação civil pública tenta barrar a licitação. Numa nota técnica do Instituto Chico Mendes (ICMBio), disponível na página da 17ª rodada da ANP, o instituto afirmou ser "temerária" a inclusão dessa área por causa da proximidade com Noronha e Atol das Rocas, ambos berçários naturais.

Amazon no Cabo – O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Keko do Armazém, recebeu uma boa notícia ontem: a Amazon anunciou uma nova expansão das operações no Nordeste no Cabo. O empreendimento passa a ser o terceiro desse tipo na Região para empresa americana, um deles no Ceará, unidade que deve ser inaugurada nos próximos meses. “O Nordeste é uma região de extrema importância para a Amazon, tanto que estamos inaugurando a nossa segunda operação em Pernambuco”, disse Ricardo Pagani, diretor de operações da Amazon no Brasil.

CURTAS

PROTESTO – Integrantes de maracatus fizeram, ontem, um protesto em frente à sede da Prefeitura do Recife, no Cais do Apolo. Os grupos reivindicaram ações para preservar a manifestação cultural, declarada como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil em 2014. Os manifestantes bloquearam as faixas da Avenida Cais do Apolo ocasionando desvios no trânsito. O ato foi organizado pela Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco (Amanpe) e, segundo eles, contou com a presença de representantes de mais de 20 maracatus.

CONEXÃO DUBAI – O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, compartilhou em seu Instagram pessoal o aeroporto do Recife passando a ser a única capital do Nordeste com conexão com Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. A reunião aconteceu presencialmente em Dubai e o comunicado foi realizado por ele com um entusiasmo incomum.

Perguntar não ofende: As mudanças em Pernambuco começam pela eleição da OAB?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha