Ipojuca 2021

26/02


2021

Coluna da sexta-feira

O espaço pernambucano

Aos poucos, Pernambuco vem recuperando o espaço privilegiado que sempre deteve no plano nacional. Em Governos passados, o Estado chegou a ocupar cinco gabinetes na Esplanada dos Ministérios, o da Caixa Econômica Federal e a Vice-Presidência da República. No Congresso, teve três presidentes da Câmara – Marco Maciel, Inocêncio Oliveira e Severino Cavalcanti. Lideranças de bancadas, perdeu a conta.

No Governo Bolsonaro, a única alma viva batia ponto na presidência da Embratur, hoje promovido a ministro do Turismo, o empresário e sanfoneiro Gilson Machado Neto. Mesmo com carreira política na Bahia, o deputado João Roma Neto (Republicanos), novo ministro da Cidadania, é pernambucano, ganhou gosto e oportunidades na vida pública no Estado. Projetado na carreira militar em Brasília, o novo presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, também é pernambucano de Barreiros, na Zona da Mata, ainda com fortes ligações afetivas com Recife.

Num plano mais secundário, a Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, do Ministério do Desenvolvimento Regional, é tocada pelo também pernambucano Tiago Pontes Queiroz. Esta pasta é resultado da fusão das antigas Secretaria Nacional de Desenvolvimento Regional e Urbano e a Secretaria Nacional de Mobilidade e Serviços Urbanos. Cuida da promoção do desenvolvimento regional e urbano, atuando no fortalecimento de sistemas produtivos inovativos locais e regionais, além da produção irrigada.

Também se destacam os pernambucanos Leonardo Gomes Vieira e Carlos Brito, o primeiro coordenador-geral de Finanças da Polícia Federal e o segundo sucessor de Gilson Neto na Embratur. No Congresso, André de Paula (PSD) é o segundo-vice-presidente da Câmara; Luciano Bivar (PSL), primeiro-secretário (o prefeito da Casa), e Marília Arraes (PT), segunda-secretária. Em cargos de lideranças, Danilo Cabral, do PSB; André Ferreira, PSC e vice-líder do Governo; Renildo Calheiros, do PCdoB, e Sebastião Oliveira, do Avante.

Já no Senado, o destaque fica para Fernando Bezerra Coelho (MDB), líder do Governo na Casa Alta. Ter espaço na corte não é apenas e sobretudo questão de status, mas sinônimo de poder. São cargos e funções importantes que, bem utilizados, podem ajudar muito o Estado a voltar a rugir como Leão do Norte, reassumindo a hegemonia econômica e política que sempre teve no cenário nacional.

Até no voo – O deputado Ricardo Silva (PSB-SP) participou de sessão da Câmara na tarde de ontem embarcado em um avião e foi visto no voo discursando. Ao fundo, outros passageiros circulavam pelo corredor da aeronave. Não se tratava de sessão deliberativa, mas de discursos. Isso é possível graças ao sistema de votação remota, que permite aos deputados participarem das sessões da Casa por meio de seus celulares. “Estou agora num avião, preocupado, em voo, mas falando aí da tribuna da Câmara”, disse. A assessoria de Ricardo Silva informou que ele se deslocava de Brasília para Ribeirão Preto (SP), sua base eleitoral.

O exemplo de Jarbas – Político de elevado espírito público, tendo sido prefeito do Recife e governador, o senador Jarbas Vasconcelos (MDB), que já havia liberado R$ 3 milhões da sua cota pessoal de emendas para projetos de infraestrutura do Governo do Estado, fez, ontem, um gesto muito mais amplo com o governador Paulo Câmara: aumentou seu repasse em mais R$ 2 milhões, totalizando R$ 5 milhões. O exemplo bem que poderia ser seguido pelos senadores Fernando Bezerra e Humberto Costa, assim como os 25 deputados federais.

André também – Segundo-vice-presidente da Câmara dos Deputados, André de Paula (PSD) garantiu, ontem, em entrevista ao Frente a Frente, que abriu mão de emendas no valor de R$ 3 milhões para somar às chamadas emendas de bancada em favor do Governo do Estado. Pelo menos até ontem, só ele e Jarbas se manifestaram. Na verdade, ninguém quer abrir mão de tanto dinheiro para atender a demanda de suas bases – os pedidos de prefeitos em peregrinação por Brasília. Só ontem, André recebeu mais de 30 prefeitos, embora nem todos votem com ele.

Pai e filho – A Procuradoria Geral da República enviou manifestação ao Supremo Tribunal Federal na qual pede o arquivamento de inquérito que apura pagamentos da Odebrecht ao deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) e a seu pai, o vereador Cesar Maia (DEM-RJ). Em 26 de agosto, a Polícia Federal havia conclui a investigação, indiciando Rodrigo e Cesar Maia pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e caixa 2 (falsidade ideológica eleitoral). A equipe do procurador-geral da República, Augusto Aras, no entanto, discordou do relatório da PF e apontou que não houve provas suficientes para apresentar denúncia contra eles.

O projeto é Miguel – Aos que desconfiam que o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (DEM), possa se realinhar ao velho ninho socialista saindo candidato ao Senado na chapa do PSB ao Governo do Estado: sua prioridade absoluta é cuidar da pré-campanha do filho Miguel Coelho, atual prefeito de Petrolina, a governador. “Fernando não tem mais projeto pessoal. Seu grande sonho é ver o filho governando o Estado”, disse um prefeito do Sertão, que ouviu essa manifestação da própria boca do senador ao adentrar em seu gabinete no Senado para pedir emendas ao seu município.

CURTAS

GESTO – Cumprindo pauta em Brasília na última quarta-feira, o prefeito do Recife, João Campos (PSB), não quis pisar o solo do Palácio do Planalto para prestigiar à posse do ministro João Roma Neto (Cidadania), mas fez um gesto com o amigo pernambucano: foi ao jantar de adesão de comemoração num restaurante de Brasília.

SUSPENSÃO – Diante da piora da pandemia, o Governo do Estado suspendeu as cirurgias eletivas em unidades públicas e privadas de 63 cidades nas regiões de Limoeiro e Caruaru, no Agreste, e Ouricuri, no Sertão. O Estado também informou que vai contratar 490 novos leitos para pacientes com Covid-19 na rede particular.

Perguntar não ofende: Roma Neto vai convocar pernambucanos para sua equipe na Cidadania ou apenas baianos?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Há anos o (PT) defende a Democracia e o POVO brasileiro.

Fernandes

E Bozo coitado além de Corrupto Assassino , Ladrão e Corno ficou brocha e resolveu dar o caneco. Juntou-se a marcos de camaragibe.

Fernandes

Morre depois de levar dois tiros assaltante Bolsonarista que atuava em Camaragibe.

Fernandes

Morre de Covid-19 enfermeira bolsonarista de 35 anos que se recusou a tomar vacina Fanática por Bolsonaro ela teve oportunidade de ser vacinada por trabalhar na linha de frente, mas se recusou a receber a dose da Coronavac que tinha direito por achar que a vacina chinesa não tinha sido testada e que não era cientificamente comprovada. Priscila era moradora do bairro Brasília em Arapiraca, cidade do Agreste de Alagoas e trabalhava como funcionaria do Hospital Chama. Ela já havia sido infectada uma vez e, fanática pelo presidente Jair Bolsonaro, se recusou a tomar a vacina.

marcos

E Lula coitado além de Corrupto, Ladrão e Côrno ficou brocha e resolveu dar o caneco.


Petrolina abril 2021

Confira as últimas colunas

16/04


2021

Coluna da sexta-feira

CPI vira palanque para 22

A CPI da Covid-19 deve se firmar como uma vitrine para senadores que são potenciais candidatos nas eleições do próximo ano. Dos 11 membros indicados por blocos partidários como titulares da CPI, seis podem disputar governos estaduais e dois devem concorrer à reeleição ao Senado em outubro de 2022. A CPI irá investigar ações e omissões da gestão Jair Bolsonaro na pandemia e a aplicação de verbas federais repassadas aos estados.

Foi criada após determinação do STF, medida que irritou o presidente e provocou novo desgaste na relação entre os poderes. Por tratar da pandemia da Covid-19, assunto mais relevante do país no momento, e por acontecer em um ano pré-eleitoral, a CPI tem um cenário ideal para ampliar o capital político de seus membros. Nas sessões da comissão, eles terão um espaço para demonstrar capacidade de trabalho, defender aliados e fustigar potenciais adversários nos estados.

Tradicionalmente, as CPIs com grande repercussão no Brasil costumam servir de vitrine para os seus membros. A CPI dos Correios de 2005, por exemplo, catapultou nomes como Eduardo Paes (DEM-RJ), ACM Neto (DEM-BA) e Gustavo Fruet (PDT-PR), que posteriormente elegeram-se, respectivamente, prefeitos do Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba.

Na CPI da Covid-19, o principal membro do campo governista será o senador Ciro Nogueira (PP), que comandará a parte da tropa de choque de Bolsonaro na comissão, atuando como uma espécie de anteparo para preservar o presidente. Em meio de mandato, o senador é pré-candidato ao Governo do Piauí no próximo ano e, com o apoio de Bolsonaro, tentará romper a hegemonia do grupo do governador Wellington Dias (PT), que trabalha o nome do secretário estadual Rafael Fonteles (PT) para a sucessão.

Outro membro governista da CPI que já anunciou publicamente que pretende concorrer à eleição do próximo ano é o senador Jorginho Mello (PL), pré-candidato ao Governo de Santa Catarina. Na CPI, Mello terá a oportunidade de mirar a artilharia contra o governador afastado Carlos Moisés (PSL), que é alvo de um processo de impeachment pela compra, sem licitação, de 200 respiradores que nunca foram entregues.

Carlos Moisés foi afastado do cargo pela segunda vez em março deste ano. Desde então, quem comanda o estado é a vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido), que é aliada de Jorginho Mello. Também governistas, os senadores Eduardo Girão (Podemos) e Marcos Rogério (DEM) podem concorrer, respectivamente, aos governos do Ceará e de Rondônia em 2022. Eleito de forma surpreendente em 2018, Girão deve ser o nome da oposição no Ceará e polarizar nas urnas com o candidato da base do governador Camilo Santana (PT), ainda não definido.

Girão foi o senador que propôs e colheu assinaturas para a criação de CPI da Covid-19 para investigar estados e municípios, que acabou sendo unificada com a comissão criada para investigar o governo federal. Ao justificar sua posição de apurar estados e municípios, Girão mirou Camilo Santana e o ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio (PDT), um dos nomes cotados para disputar a sucessão no Ceará em 2022.

Dois candidatos – Dentre os sete nomes de partidos independentes ou de oposição que vão compor a CPI, dois podem disputar os governos estaduais e dois devem concorrer à reeleição ao Senado no próximo ano. Um deles é Eduardo Braga (MDB), senador em meio de mandato pelo MDB que é pré-candidato ao Governo do Amazonas no campo de oposição ao do governador Wilson Lima (PSC), que é aliado de Bolsonaro. Lima foi alvo de uma operação da Polícia Federal após a compra de respiradores considerados inadequados e com suspeita de sobrepreço por meio de uma adega importadora de vinhos de Manaus. O Amazonas também enfrentou um colapso na saúde no início deste ano, inclusive com falta de oxigênio nos hospitais para pacientes com Covid-19.

A Marília de 22 – Já o senador pernambucano Humberto Costa, com presença certa na CPI, já teria ido a Lula pedir o seu apoio para disputar o Governo de Pernambuco em 22, isso quando o ex-presidente ainda não havia sido inocentado pelo ministro Edson Fachin. Após Fachin anular todas as condenações do petista e devolvê-lo os direitos políticos, o cenário mudou. Candidato, Lula prioriza agora uma aliança com o PSB. Humberto, neste caso, tende a ser a Marília Arraes de 22, ou seja, ser trocado, como Marília foi em 2018, pelo candidato do PSB a governador.

Na disputa – Na oposição frontal a Bolsonaro, o senador Randolfe Rodrigues está em meio de mandato e pode ser candidato ao Governo do Amapá. Desde o início da pandemia, ele tem evitado falar sobre a corrida eleitoral, mas aliados afirmam que o seu nome é o mais forte da oposição para enfrentar o grupo do governador Waldez Góes (PDT). O senador Renan Calheiros (MDB) não será candidato no próximo ano, mas a CPI será a grande oportunidade para ele retomar parte do prestígio que já teve nacionalmente, sendo presidente do Senado por três vezes. Esta retomada é crucial para manutenção do poder de seu grupo político em Alagoas, onde o seu filho, o governador Renan Filho (MDB), encerra seu segundo mandato e ainda não tem um candidato natural à sucessão.

Aos jornalistas – O Senado aprovou projeto que inclui jornalistas nas atividades que podem ser registradas como MEI (Micro Empreendedores Individuais). Atualmente, jornalistas que trabalham como freelancers registram empresas, emitem notas fiscais e recolhem impostos. No entanto, a lei em vigor não dá possibilidade de que eles se registrem como MEI. Para exercer a atividade, eles devem abrir micro ou pequenas empresas comuns. Também há a possibilidade de indicarem atividades relacionadas ao jornalismo para poderem se registrar como MEI.

O barraco de Xuxa – Xuxa Meneghel está no meio de uma polêmica. Após graves acusações contra Marlene Mattos, sua ex-diretora, a loira foi acionada na polícia. A empresária decidiu recorrer e registrou ocorrência contra a ex-pupila na 42ª DP do Rio de Janeiro. De acordo com o jornal O Globo, Marlene acusa Xuxa de calúnia. A acusação da diretora foi feita com base em entrevista concedida pela “rainha dos baixinhos” à revista Veja em 27 de janeiro. Na ocasião, a apresentadora disse ter sido “roubada, enganada, usada e manipulada”.

CURTAS

ABSOLVIDOS – O Tribunal de Contas da União (TCU) absolveu a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci do rol de condenados pelas irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobras. Ambos eram membros do Conselho de Administração da companhia na época em que a aquisição foi realizada, em 2006. A decisão foi aprovada por unanimidade.

Os sem água – Apesar das fortes chuvas, Recife, Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho terão pelo menos 430 mil moradores que passarão a contar com uma redução no rodízio de água a partir da próxima segunda-feira, segundo o novo calendário de abastecimento para esses municípios divulgados pela Compesa, a pior estatal brasileira em se tratando de levar água aos consumidores.

Perguntar não ofende: Quem presta pior serviço: a Celpe ou a Compesa?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

15/04


2021

Coluna da quinta-feira

Mão amiga na pandemia

Quando fez a travessia dos seus negócios de supermercados para shoppings, o empresário João Carlos Paes Mendonça, da antiga grife Bompreço, ampliou ainda mais os projetos sociais que vinham sendo postos em prática como contribuição ao País para amenizar a fome e reduzir as desigualdades sociais. Em seus shoppings no Recife, Fortaleza, Aracaju e Salvador é possível ver a olho nu os resultados das ações empreendidas com seriedade e rigor pelo Instituto JCPM de Compromisso Social.

Quando ainda atuava no Diário de Pernambuco, convidado pelo empresário, estive Ribeirópolis, na Serra do Machado, em Sergipe, seu Estado natal. Sai de lá impressionado com o conjunto da obra social mantido pela Fundação Pedro Paes Mendonça, aberta há muito tempo com o nome do seu pai, com quem deu os primeiros passos no comércio numa bodegazinha. Símbolo vivo da terra seca euclidiana, Serra do Machado serviu de espelho e inspiração para essa solidariedade humana ser estendida a outros Estados.

Há um ano, o Brasil vive a era da pandemia, de dias cruéis, com a fome estampada em todos os lares da pobreza nordestina. O fechamento de shoppings pelas medidas de restrição, a queda nas vendas e as intempéries da covid-19 não foram impedimentos para o Instituto JCPM suspender seu guarda-chuva solidário. Pelo contrário. Só com a pandemia foram aplicados R$ 5,3 milhões, beneficiando famílias em situação de vulnerabilidade, jovens matriculados no IJCPM e pessoas atendidas por entidades sociais da comunidade, como Igrejas e ONGs nos Estados de Sergipe, Bahia, Ceará e Pernambuco.

Uma das iniciativas de maior relevância foi a distribuição de alimentos, com a doação de 37.988 cestas básicas, das quais 2.730 em Aracaju, 1.219 na Serra do Machado, 19.216 em Recife e Caruaru, 7.829 em Fortaleza e 6.974 em Salvador, totalizando R$ 3,5 milhões com a iniciativa. Entre os beneficiados estão alunos do IJCPM, pescadores, cooperativas de catadores e de taxistas que atuam nos empreendimentos do Grupo e famílias atendidas por mais de 40 entidades que desenvolvem iniciativas sociais nas comunidades.

A mão estendida pelo Instituto foi mais além. Uma das primeiras medidas, tomadas em março, quando os dias de aflição se instalaram na sociedade, foi a doação de 10 respiradores nos quatro Estados nordestinos, investimento da ordem de R$ 880 mil. Ainda em Sergipe, além de cestas básicas doadas aos alunos do IJCPM, a instituições do Santa Maria e povoado Areia Branca, a moradores da Serra do Machado e aos associados da Cooperativa dos Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju que atuam nos shoppings Jardins e Riomar, o Grupo doou dois respiradores ao Hospital da Universidade Federal de Sergipe e firmou parceria com a Prefeitura de Aracaju, cedendo espaço e apoio logístico para a vacinação drive-thru contra a gripe no estacionamento do Riomar Shopping.

Se todo empresário agisse assim, com o coração e alma impregnados de amor pelo próximo, talvez o tamanho da fome e a extensão da doença na sociedade estivessem, hoje, em proporções bem menores, sem tanta dor, sem tamanho sofrimento. A solidariedade é, sem dúvida, o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana.

Crise braba – O presidente Jair Bolsonaro disse, ontem, que o Brasil está na iminência de uma “crise enorme”. Afirmou que só aguarda uma “sinalização” do povo para agir, sem detalhar o que seria essa ação. Bolsonaro também criticou recentes decisões do STF e medidas de isolamento social para conter a pandemia. Falou que dá tempo de evitar o “aumento da temperatura” no País. “É só parar de usar menos a caneta e um pouco mais o coração”, afirmou. “O Brasil está no limite. O pessoal fala que eu devo tomar uma providência. Estou aguardando o povo dar uma sinalização porque a fome, a miséria e o desemprego está aí [sic], só não vê quem não quer. Ou quem não está na rua. Eu sempre estive na rua”, disse.

Aumento de roubos – Em março, quando Pernambuco completou um ano de confirmação dos primeiros casos de Covid-19 e de medidas restritivas para conter a pandemia, o Estado registrou 4.081 roubos. O número, de acordo com a Secretaria de Defesa, é 21% menor que em março de 2020, quando houve 5.166 queixas de Crimes Violentos contra o Patrimônio. Com relação a fevereiro, a redução foi de 0,99%. Nos três primeiros meses do Estado, a SDS contabilizou 12.944 roubos. Comparando-se ao primeiro trimestre de 2020, foi uma redução de 25,4%. Os casos englobam roubos de veículos, celulares e carga, bem como investidas em ônibus.

Maioria oposicionista – O apoio ao governo de Jair Bolsonaro deve ser minoria no colegiado da CPI da Pandemia, já que há apenas quatro senadores que são mais ligados ao Planalto e outros sete que são oposicionistas ou independentes. Entre os que apoiam o governo estão os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional do PP; o líder do DEM no Senado, Marcos Rogério (RO); o senador Jorginho Mello (PL-SC) e o senador Marcos do Val (Podemos-ES). Já na oposição estão Humberto Costa (PT-PE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP). O grupo dos independentes pode dar trabalho a Bolsonaro, já que seus integrantes votam junto com o governo em diversas matérias, mas são críticos à administração e ao combate à pandemia em diversos pontos.

Shoppings fechados – Dados da Associação Brasileira de Shopping Centers mostram que 233 shoppings dos 601 existentes no Brasil estavam fechados. Entre os outros 368, nenhum está funcionando normalmente, mas sim com algum tipo de restrição. Para o presidente da entidade, Glauco Humai, isso representa uma incongruência, já que outros setores da economia funcionam quase totalmente. “Os shoppings estão fechados, mas a construção civil está funcionando, a indústria está aberta, a agropecuária está aberta, até as igrejas estão abertas. Não tenho nada contra esses setores, mas quero que todos funcionem, inclusive os shoppings. Porque na rua as lojas estão abertas, o que está fechado é o varejo formal “, diz

O exemplo de Curitiba – O mesmo grupo de cientistas que previu o aumento de mortes por covid-19 em Curitiba, no início de março, divulgou novo artigo, ontem, mostrando que a adoção de isolamento social mais rígido após o alerta, entre os dias 13 de março e 4 de abril, reduziu a média de óbitos e ajudou a salvar pelo menos 1, 5 mil vidas. O documento, que também foi encaminhado às autoridades locais, aponta que apesar de positivas as medidas ainda não foram suficientes para frear uma nova onda de contágio, podendo ocorrer novo aumento de casos em maio com o afrouxamento das regras que valem desde 5 de abril.

CURTAS

SEM VACINA – Três das 27 capitais brasileiras paralisaram a aplicação da primeira dose contra a Covid, ontem, por falta de doses: João Pessoa – que também deixou de aplicar a segunda dose –, Rio Branco e Salvador. Além delas, em Curitiba, a ampliação primeira dose para pessoas com 66 anos ou mais, que começou na terça-feira passada, foi suspensa ontem. Outros grupos que já vinham recebendo a primeira dose seguem sendo imunizados.

INTERNET – Em um ano, o número de internautas no Brasil aumentou em 6,1 milhões de pessoas. Havia no País, ao final de 2019, 143,5 milhões pessoas conectadas à internet (78,3%). Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad C), com levantamento feito no 4º trimestre de 2019, divulgada, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Perguntar não ofende: A CPI da pandemia servirá apenas de palanque eleitoral?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

8 X 3 LULAAAAAAAAAAAAAA

Fernandes

segundo a Globo quando as praticas eram ilícitas a gasolina custava R$ 2,80 agora que são licitas custa R$ 6,00 entenderam?

Fernandes

CPI contra Bolsonaro. Lula elegível. Os ventos estão mudando...

Fernandes

O gigante está voltando para gerar emprego e cuidar do povo.

Fernandes

Agora é oficial ele voltou!


Bandeirantes 2021

14/04


2021

Coluna da quarta-feira

Ladrões também na CPI

A CPI da Pandemia, oficializada na tarde de ontem, pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), teve a sua proposta ampliada e poderá apurar eventuais irregularidades em estados e municípios, atendendo ao senador Eduardo Girão (Podemos-CE), que pretendia criar uma outra CPI para investigar governadores e prefeitos ou ampliar o alcance da CPI proposta por Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Imposta pelo Supremo numa ação desmoralizadora para o Congresso, a CPI agora está unificada e a investigação de estados e municípios está limitada somente "à fiscalização dos recursos da União repassados aos demais entes federados para as ações de prevenção e combate à pandemia da Covid-19". Essa ampliação do alcance da CPI era defendida por parlamentares governistas e pelo presidente Jair Bolsonaro.

Nunca se roubou tanto nesse País de quinta categoria! Engessado pelo Supremo, que deu autonomia aos Estados e Municípios na gestão da pandemia, Bolsonaro abriu as torneiras dos cofres federais sem distinção. Municípios de menos de 20 mil habitantes chegaram a embolsar R$ 3 milhões, valor bem acima do repasse institucional mensal do FPM. Após o socorro financeiro bilionário da União, as finanças públicas estaduais e municipais fecharam o ano de 2020 praticamente ilesas à pandemia de Covid-19.

Enquanto o governo federal teve um rombo histórico e viu a dívida pública aumentar, governadores e prefeitos registraram a maior disponibilidade de caixa dos últimos 20 anos e encerraram o ano no azul, no melhor resultado primário desde 1991. O conjunto dos Estados e Municípios teve um superávit primário de R$ 38,75 bilhões no ano passado, de acordo com dados do Banco Central. Esse é o montante em que as receitas superaram as despesas. O resultado do ano passado também foi mais que o dobro do registrado em 2019, quando as contas dos governos locais ficaram no azul em R$ 15,2 bilhões.

A conta da Covid-19 sobrou toda para a União. O governo federal teve um rombo de R$ 743,1 bilhões no ano passado, incluindo as despesas extras para combater os efeitos da pandemia na saúde e na economia. Somente com o socorro extra, a União repassou R$ 60 bilhões a estados e municípios, em quatro parcelas pagas entre junho a setembro. Foram R$ 10 bilhões destinados a ações de saúde e assistência social, sendo R$ 7 bilhões a governadores e R$ 3 bilhões a prefeitos.

Os R$ 50 bilhões tiveram aplicação livre, sendo R$ 30 bilhões para os estados e R$ 20 bilhões para os municípios. E as excelências – governadores e prefeitos – usaram essa dinheirama para salvar a vida dos mais de 350 mil brasileiros contaminados? Claro que não. Roubaram descaradamente. Com a ampliação das investigações, veremos se de fato a Justiça culpará os verdadeiros genocidas da pandemia.

Dívidas suspensas – A União também suspendeu o pagamento de dívidas dos governos locais. Com isso, prefeitos e governadores tiveram uma folga de R$ 65 bilhões, totalizando a ajuda extra do governo federal aos governos locais em R$ 125 bilhões. O Executivo realizou, ainda, as transferências constitucionais previstas em lei, liberando R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados (FPE) e municípios (FPM). Com o pacote de ajuda, os estados e municípios terminaram o ano com dinheiro em caixa. Segundo dados do Tesouro Nacional, os governos locais tinham R$ 82,8 bilhões sobrando nos cofres públicos.

Pipoco nas contas – Em contrapartida, a dívida pública do setor público aumentou após os gastos extras para ajudar governos locais, pessoas e empresas durante a pandemia ela atingiu R$ 6,615 trilhões em 2020, o equivalente a 89,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Foi uma alta de 15 pontos percentuais. Em 2019, a dívida estava em 74,3%. O resultado de 2020 foi o maior de toda a série histórica do Banco Central, que começa em 2006.

R$ 43 bi em 6 meses – Nos últimos seis meses, desde o início da pandemia causada pelo coronavírus no Brasil, o governo federal repassou cerca de 43 bilhões de reais aos mais de 5.500 municípios do país como recursos extraordinários sob a justificativa de fortalecer o atendimento de saúde pública na ponta, os postos de saúde, administrados pelas prefeituras. O valor equivale a um terço de todo o orçamento previsto para a Saúde no país em 2020 (125 bilhões de reais) ou quase dois terços da totalidade da estimativa de custos para a cidade de São Paulo no ano (68,9 bilhões de reais).

Quem mais levou – Segundo levantamento realizado com base em dados divulgados pela Câmara dos Deputados, as capitais do País lideraram o ranking de recebimento de verbas emergenciais, sendo São Paulo (1,7 bilhão de reais), Rio de Janeiro (821 milhões de reais), Belo Horizonte (667 milhões de reais), Fortaleza (470 milhões de reais), Curitiba (450 milhões de reais), Salvador (437 milhões de reais) e Porto Alegre (409 milhões de reais) as que ocupam os primeiros lugares da lista. Faixa populacional e valores gastos com saúde pública nos anos anteriores foram os critérios definidos para estabelecer os valores dos repasses aos municípios.

Emendas individuais – Outra fonte de recurso aos municípios foi a liberação do governo para que parlamentares alterassem o destino das emendas parlamentares individuais e de bancada previamente aprovadas pelo orçamento para direcionar os recursos para o combate à pandemia. O parlamentar que, segundo dados disponibilizados pela Câmara dos Deputados, mais disponibilizou recursos de emendas individuais para a Covid-19 foi o deputado federal Dr. Jaziel (PL-CE), aliado do presidente Jair Bolsonaro, que destinou R$ 12,2 milhões às suas bases.

CURTAS

R$ 42 BI PARA PE – No caso de Pernambuco, o Estado recebeu da União R$ 42,7 bilhões, sendo R$ 17 bilhões na rubrica “Benefícios ao Cidadão”, R$ 19,5 bilhões para o Estado e seis municípios, R$ 4,8 bilhões exclusivos para tratamento da Covid-19 e ainda R$ 1,4 bilhão da suspensão da dívida com a União. No total para os Estados, o presidente Bolsonaro remeteu R$ 420 bilhões.

INDICAÇÕES – Os blocos partidários já têm 8 dos 11 nomes para serem titulares da CPI da Covid-19 no Senado. As escolhas ainda não são definitivas porque podem mudar até a oficialização da indicação. A divisão de cadeiras dos 11 titulares e sete suplentes é feita, tradicionalmente, baseada no tamanho dos blocos partidários que existem na Casa. Para que isso seja alterado dessa vez e outro método de distribuição seja usado, seria preciso um amplo acordo entre os senadores.

Perguntar não ofende: Não é vergonhoso o Congresso viver a reboque do Supremo Tribunal Federal?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Moradores do maior edifício de Goiânia fazem homenagem ao ex presidente Lula!

marcos

Lula o Ladrão tem apoio da Elite de Goiânia. Ladrão gosta de Ladrão.

Fernandes

Após gastar R$ 2,4 milhões nas férias, Bolsonaro promete: vai ter mais. Bolsonaro , depois de gastar 2,4 milhões de reais em suas férias no interior de São Paulo e em Florianópolis, provocando aglomerações nas praias em plena epidemia, prometeu gastar ainda mais.

Fernandes

Nove partidos lançam apelo por um basta ao governo criminoso de Bolsonaro.

Fernandes

Moradores do maior edifício de Goiânia fazem homenagem ao ex presidente Lula!



13/04


2021

Coluna da terça-feira

Miguel e Anderson com Bolsonaro 

Dos três pré-candidatos a governador em 22, Miguel Coelho (MDB), prefeito de Petrolina, e Anderson Ferreira (PL), gestor de Jaboatão, aparecem na linha de frente na ocupação estratégica do noticiário na mídia estadual. Também cotada para entrar na disputa, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), não revela disposição para o embate.

Os que a conhecem e gozam da sua intimidade dizem, em off, que não será candidata em hipótese alguma, nem mesmo se o cavalo descer seladinho do céu para montar. Miguel e Anderson, a esta altura, embora não assumam, são vistos e apontados como alternativas bolsonaristas no Estado, ou seja, candidatos com plataformas e discursos em sintonia com o Governo do presidente da República.

Bolsonaro, entretanto, vive um momento em baixa, de governo mal avaliado, envolto numa crise após outra, com índices apáticos nas pesquisas para entrar na disputa pela reeleição, tendo sido já, numericamente, ultrapassado pelo ex-presidente Lula. O cenário não é bom para apadrinhar ninguém. Miguel e Anderson sabem disso.

Mas ambos não poderão fugir do vínculo por falta de alternativas. Lula, conforme este blog antecipou, ontem, é candidatíssimo numa aliança com o PSB, para arrastar em Pernambuco o desgastado Geraldo Júlio, o pior prefeito do Recife de todos os tempos. A polarização está latente, só não ver quem não quer.

Como, a princípio, não há cenário para o desaguadouro de uma terceira via na disputa presidencial, restando, no momento, apenas a candidatura de Ciro Gomes, Miguel ou Anderson, seja qual for deles o candidato, terá que assumir o discurso, as propostas e as teses bolsonaristas, além de defender com afinco o Governo Federal.

Nas entrevistas, nem Miguel nem Anderson têm agido assim. Receio de contaminação, aposta num cenário novo ou mesmo falta de coragem para assumir a defesa de um presidente enfrentando turbulências? Tem marqueteiro achando que não haverá a nacionalização da campanha. Posso até estar enganado, mas a campanha que se aproxima será plebiscitária: Bolsonaro ou mudança.

Nem Miguel nem Anderson escapará deste alinhamento. 

Alinhamento – Por ser filho do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, o pré-candidato do MDB, Miguel Coelho não escapará do casamento da sua candidatura com a de Bolsonaro. Anderson, por sua vez, não tem vínculo não forte, mas o seu partido, o PL, é carne e unha com o presidente, relação que tem como principal ator o presidente nacional da sua legenda, Valdemar Costa Neto. Sem mandato, como o presidente do PTB, Roberto Jefferson, Valdemar tem um naco grande no Governo Bolsonaro, sendo aliado fiel.

No ataque – Lula voltou a ser o Lula verdadeiro, longe do estilo Lulinha, paz e amor. Ontem, destilou seu veneno contra o jornalista Merval Pereira, do jornal O Globo. "Uma parcela da imprensa, muito grande, contribuiu para que a gente chegasse aonde chegamos (no Brasil). Um jornalista como o Merval (Pereira), que dá palpite o dia inteiro, e fala bobagem o dia inteiro, tem responsabilidade com isso", atacou. Em seguida, irônico, insinuou que o comentarista é vaidoso e soltou um palavrão ao se referir à parte da imprensa que o desagrada.

Fala muita m... – "Eu não vou citar mais nomes aqui, só o Merval, porque ele gosta que cite o nome dele. Mas tem muita gente que fala m... a vida inteira", acrescentou. Além de colunista de 'O Globo' e da rádio CBN, Merval Pereira é um dos principais comentaristas de política da Globonews e tem acesso direto aos Marinhos, donos do Grupo Globo. O jornalista já foi criticado também por Bolsonaro. Em suas participações nos telejornais da Globonews, o imortal da Academia Brasileira de Letras não economiza análises duras contra o atual presidente.

Governadores – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), prepara uma consulta à Secretaria-Geral da Mesa para questionar se é possível a ampliação da abrangência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, a fim de incluir governos estaduais e municipais na investigação. O parecer da área jurídica servirá de base para Pacheco decidir se o Senado incluirá ou não nas apurações as condutas de governadores e prefeitos durante a pandemia. A dúvida principal deve-se a um trecho do regimento interno do Senado segundo o qual “não se admitirá comissão parlamentar de inquérito sobre matérias pertinentes aos Estados”, conforme consta do artigo 146.

Mudanças climáticas – O Fórum Nacional de Governadores articula o envio de uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre as mudanças climáticas. A iniciativa é liderada pelo coordenador do grupo, Wellington Dias (PT), o governador do Piauí, e por Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo, entusiasta do tema. A peça, escrita com apoio do CBC (Centro Brasil no Clima), de instituições da sociedade civil, pesquisadores e cientistas, será enviada ao governo norte-americano até 20 de abril. No texto, os governadores brasileiros devem dizer a Biden que estão preparados para colaborar com os Estados Unidos para a preservação do meio ambiente no Brasil.

CURTAS

EMPREGOS – Das mais de 12 mil novas vagas de emprego criadas no Ceará em fevereiro, mais de 80% foram geradas por micros e pequenos negócios (MPE), com 9.961 vagas. Ao todo, no primeiro bimestre do ano, foram contabilizados 20.211 novos empregos formais pelos pequenos negócios. As informações são de um levantamento realizado pelo Sebrae, baseado nos dados do Caged, órgão do Ministério da Economia.

ASSINATURAS – O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) conseguiu assinaturas suficientes para a abertura de uma CPI que investigue também estados e municípios em relação à gestão da pandemia. A ação é uma resposta da base de apoiadores do presidente Bolsonaro, que vem protestando pela ampliação das investigações desde o anúncio do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM/MG), de que instalaria a CPI da Covid-19 a pedido do STF. Na prática, a mudança tiraria o foco do Governo Federal.

Perguntar não ofende: Sem investigar os governadores e prefeitos que desviaram o dinheiro da Covid-19, para que servirá a CPI imposta pelo STF?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Boa noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.

Fernandes

Pronto… agora o cerco fechou… tchau querido.

Fernandes

Antes tarde do que nunca. Finalmente a OAB se posicionou com firmeza.

Fernandes

Já são dois anos falando “agora ele cai”. Alguém mais percebe que esse discurso não está funcionando?

Fernandes

Comissão da OAB conclui que Bolsonaro agiu para propagar a Covid e deve sofrer impeachment.


Serra Talhada 2021

12/04


2021

Coluna da segunda-feira

O corrupto e o suspeito  

Candidato ao Planalto em 22, liberto da prisão pela leitura equivocada do STF em relação à prisão em segunda instância, já com direitos políticos reconquistados pelo ministro Edson Fachin, da mesma corte, nomeado por Dilma, o ex-presidente Lula já pode contar, novamente, com o velho aliado de ocasião, o PSB.

O casamento está praticamente reatado. Se deu, de início, por um flerte, teve o noivado confirmado na conferência da última quarta-feira, na qual fizeram juras de amor o próprio Lula com o governador Paulo Câmara e a tropa socialista no Estado, com exceção do prefeito João Campos, uma espécie de noiva comprometida da boca para fora com Ciro Gomes, pré-candidato do PDT.

PT e PSB nunca falaram a mesma língua e vivem feito o gato e o rato. Dependendo do tamanho do queijo, dão-se as mãos por conveniência. No Recife, quem tirou o PT da Prefeitura foi Eduardo Campos, então principal líder do PSB. Sabido, viu que João da Costa ou qualquer candidato petista seriam inelegíveis, diante da má gestão de Costa, invenção de João Paulo, tirou Geraldo Júlio do bolso do colete.

Ilustre desconhecido, o candidato do PSB se elegeu com o mote “Foi Geraldo quem fez”, tomando para si um quinhão de obras com o DNA de Eduardo. Uma mentira deslavada, diga-se de passagem. Mais tarde, PSB e PT viram que perderiam a eleição para Marília Arraes em 2018, se uniram, mais uma vez, desta feita para reeleger Paulo Câmara e dar mais oito anos de mandato a Humberto Costa no Senado, que não se elegia nem federal.

Agora, 2022 é pleito de ocasião para PT e PSB. Lula precisa de tempo de TV e palanque nos Estados, enquanto o PSB, para se manter eternamente no poder em Pernambuco, vai pegar carona na face mítica de Lula. Assim, Lula terá um vice do PSB na chapa presidencial e Geraldo, o pior prefeito do Recife, alvo de seis operações da Polícia Federal, será beatificado santo por Lula nas andanças pelo Estado.

A política, para PSB e PT, conforme mostra a história, é a arte de captar em proveito próprio a paixão dos outros. Tem a sua fonte na perversidade e não na grandeza do espírito humano. Já ouvi que a guerra política é aquela em que todos atiram pelos lábios. Lula e o PSB mentem e enganam de longe, pela leitura labial. Vencer na política, para ambos, não é tudo: é a única coisa. Para PSB e PT, o que não é possível é falso.

Abraçados, Lula, o chefe da quadrilha da Lava Jato, e Geraldo, o hexa em operações da Federal em busca do dinheiro federal da pandemia desviado, vão confirmar, com o tempo e a prática, a velha afirmação conceitual, de que num estado democrático existem duas classes de políticos: os suspeitos de corrupção e os corruptos.

JORNALISMO CIDADÃO – Obrigado aos leitores pela enxurrada de mensagens pelo aniversário dos 15 anos do blog, no 11 de abril de ontem. Faço jornalismo primeiro por vocação e por paixão. Sou da geração que encara o jornalismo como missão sacerdotal, capaz de tirar a venda dos olhos de quem não conhece a verdade. Não foi fácil nem está sendo manter um blog com uma equipe tão competente. Sou mais odiado do que amado. Mas quando boto a cabeça no travesseiro, tarde da noite, depois de mais um dia de luta em busca da informação, apago embalado pelo sono dos justos. Com a consciência de que pratico o jornalismo cidadão.

DUCHA FRIA – O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diz que a imprevisibilidade em relação ao fornecimento de vacinas no Brasil deve continuar até o segundo semestre deste ano. Apesar disso, ele afirma que seu principal objetivo é acelerar a vacinação. Em 31 de março, o ministro informou que o Brasil deve receber 25,5 milhões de doses das vacinas contra a covid-19 em abril. O número representa redução de 46% em relação ao cronograma previamente apresentado para o mês. Queiroga disse que espera que a situação melhore após os Estados Unidos terminarem a sua campanha de imunização. O presidente norte-americano, Joe Biden, já anunciou que toda a população adulta do País poderá começar a ser imunizada em 19 de abril.

CPI VAI ANDAR - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pretende ler em plenário, na sessão de amanhã, o requerimento de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19. “Como presidente do Senado, recebi a decisão e vou cumpri-la na primeira sessão do Senado. Farei a leitura do requerimento de abertura da CPI e serão tomadas as providências de instalação da comissão parlamentar de inquérito no Senado”, disse Pacheco. O ministro Roberto Barroso, do STF, determinou que o Senado instale uma CPI para apurar eventuais omissões do Governo Federal no combate à pandemia.

BARRADOS NO BAILE - Uma festa clandestina foi flagrada pela polícia na noite de sábado passado em um bar em Boa Viagem, e 25 pessoas levadas para a delegacia do bairro. De acordo com a Polícia Civil, o evento realizado ilegalmente para comemorar um aniversário começou por volta das 17h e era realizado no bar The Queen, na Avenida Engenheiro Domingos Ferreira. A polícia informou que, para burlar a fiscalização, as pessoas entraram por um acesso lateral da boate, passando pelas dependências de uma galeria. Após uma denúncia, equipes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e Procon foram enviadas ao local.

GAFE VIRA MEME – O ex-ministro e pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, enviou um telegrama à rainha Elizabeth para prestar condolências pela morte do príncipe Philip, aos 99 anos. O político foi alvo de memes na internet depois de divulgar o texto enviado. Ciro afirma no telegrama que o príncipe era “admirado por muitos no Brasil por seu compromisso com a preservação do planeta e de suas muitas formas de vida”. Ele também afirma que presta condolências na “condição de cidadão brasileiro que atua para ajudar a abrir, para nosso país, um rumo alternativo capaz de ganhar amplo apoio no povo brasileiro”.

CURTAS

MAIS CASOS – Foram contabilizados, ontem, 787 novos casos e 59 óbitos por Covid-19 no Estado. Com esses registros de pacientes e falecimentos, Pernambuco passou a totalizar 369.487 diagnósticos confirmados e 12.803 mortes pela doença provocada pelo novo coronavírus. De acordo com a Secretaria de Saúde, 86 (11%) dos casos são de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). Outros 701 pacientes foram diagnosticados com a forma leve da doença.

O IMUNDO – O padre Oscar Donizete Clemente, da Paróquia Imaculado Coração de Maria, em São José do Rio Preto, no interior paulista, subiu o tom ao criticar as medidas que limitaram a entrada de fiéis nos templos. Atribuiu as restrições à influência do "Partido Comunista Chinês", que promoveu a revolução comunista no país asiático em 1949 e, desde então, permanece no poder do outro lado do globo. Chamou o governador João Dória de imundo.

Perguntar não ofende: Quando o STF deixará de legislar no Brasil? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

marcos

Sabe como se diz Ladrão no Brasil? ..... Lula.

marcos

Se dependesse de Nehemias Fernandes Bolsonaro, sua família e seus apoiadores já estariam Exterminados. Nazista filho da Puta.

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

Fernandes

Que fique bem claro que Bozo é Genocida.


Anuncie Aqui - Blog do Magno

10/04


2021

Coluna do sabadão

Criminalização injusta

A criminalização da política no Brasil, especialmente após os mega escândalos na República gerados na era petista, entre os governos Lula e Dilma, se espalhou de forma tão contagiosa no seio da sociedade que assusta, provoca calafrios e horror. Mas tem que haver por parte da mesma sociedade, entretanto, uma permanente vigilância contra o discurso prejudicial a quem venha a ser atingido de morte ferida injustamente, sem culpa no cartório, sem dolo ou pecado.

Um caso simbólico, lembro bem, se deu com o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Ibsen Pinheiro. Investigado pela CPI dos Anões do Orçamento, teve seu mandato cassado em 1994. Quatro anos após, em 1999, o Supremo Tribunal Federal arquivou a denúncia e a considerou insatisfatória, sem consistência em nenhuma prova. Dois anos antes, em 1992, Ibsen havia presidido a sessão que autorizou a abertura do processo de impeachment contra o então presidente Fernando Collor de Melo.

Em 2003, Ibsen voltou à política como secretário de Comunicação do governo Germano Rigotto, no Rio Grande do Sul, depois de trabalhar como professor, diretor de clube de futebol, jornalista e comentarista esportivo. Em 2004, foi o vereador mais votado em Porto Alegre. "Foi um resultado de lavar a alma", comemorou à época. Na eleição de 2006, Ibsen recebeu 76.165 votos e voltou à Câmara dos Deputados consagrado.

Por isso, a criminalização da classe política sem provas provoca danos irreparáveis. Em Pernambuco, o deputado federal Sebastião Oliveira, atual líder do Avante na Câmara, que o diga. Sofreu um ataque covarde e injusto há um ano, resultado de uma ação da Polícia Federal de investigação de uma obra na BR-101 quando secretário dos Transportes. Teve suas contas devassadas, seu celular recolhido, sua vida privada invadida.

Quarta-feira passada, porém, praticamente com um ano do ocorrido, a própria PF comprovou que Sebá, como o parlamentar é conhecido, não teve nenhum envolvimento. E agora, não cabia ao deputado entrar com uma ação por perdas e danos contra a Polícia Federal, que o constrangeu em cima de uma denúncia do “ouvi dizer”?

Deputado estadual por três mandatos, secretário de Transportes de Pernambuco em duas ocasiões e, atualmente, no exercício do segundo mandato na Câmara Federal, Sebá disse, ontem, ao blog, que não esperava outro resultado do relatório final da Polícia Federal, que não fosse o que aponta a total ausência de provas em relação à sua pessoa - que de fato aconteceu. A investigação minuciosa realizada pela Polícia Federal, que durou mais de um ano e culminou com a conclusão da sua inocência, fez uma varredura na vida do parlamentar, que foi exaustivamente exposta à opinião pública pela mídia.

Sigilos bancário, fiscal e telefônico foram quebrados.  E, na medida que a investigação avançava, ficava mais claro que o parlamentar, que sempre colaborou com o trabalho investigativo, era inocente. “Momentos difíceis foram enfrentados, mas a consciência tranquila, a serenidade e a confiança foram minhas aliadas”, desabafa. Por sua vez, em investigação paralela, o Tribunal de Contas da União (TCU) não imputou qualquer tipo de irregularidade ligada ao nome dele.

No relatório do principal órgão de controle da esfera Federal, apenas a constatação apenas de erros formais e, que, em nenhum momento, representaram sobrepreço na obra da BR-101. “Tal conclusão comprova a lisura do processo. A prova disso é que a intervenção jamais foi paralisada, pois o TCU entendeu que os problemas encontrados não justificavam uma decisão desta natureza. Sendo assim, os serviços prosseguiram normalmente”, destacou.

Ciente de sua responsabilidade com a cidadania pernambucana, o parlamentar reforça os compromissos com a probidade e a luta incansável pelos interesses do Estado. A sua inocência, apesar de esperada, renova as suas energias para continuar atuando em prol da melhoria de vida do povo pernambucano, sobretudo, dos sertanejos e dos mais necessitados. “Homem devoto de Nossa Senhora, Oliveira acredito piamente que “Conhecendo a verdade, ela vos libertará”, afirmou.

Obra mais barata – Ainda sobre o Tribunal de Contas da União, ao tomar conhecimento da Medida Cautelar emitida pelo órgão, Sebastião Oliveira, imediatamente, montou uma equipe de monitoramento, que tinha como prioridade atender às demandas que, por ventura, surgissem do TCU. O que sempre foi feito. “É importante destacar que a obra viária da BR-101, orçada inicialmente pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes em R$ 250 milhões, foi licitada pela Secretaria de Transportes de Pernambuco, sob a gestão de Sebastião Oliveira, por R$ 192 milhões, o que resultou na economia de R$ 58 milhões aos cofres públicos.

Injustiçado – Em quase 20 anos dedicados à vida pública – Executivo e Legislativo –, Sebastião Oliveira nunca respondeu a qualquer tipo de processo, seja penal ou civil, assim como, nunca teve uma conta rejeitada. Zelar pelo patrimônio público sempre norteou a sua conduta, cuja trajetória é marcada pela cooperação com as atividades investigativas da Polícia e do Ministério Público, pois considera e trabalha para que a corrupção seja combatida com vigor, desde que não haja a penetração de injustiças.

Bolsonaro ataca – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que “falta coragem” ao ministro Luís Roberto Barroso, do STF, e sobra a ele “ativismo judicial”. O comentário foi feito na manhã de ontem a apoiadores. Bolsonaro comentava a decisão do ministro que obriga o Senado a instalar a CPI da Covid para investigar as ações do governo federal no combate à pandemia. “Pelo que me parece, falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial “, disse o presidente. E completou: “Não é disso que o Brasil precisa. Vivendo um momento crítico de pandemia, pessoas morrem. E o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal “.

Supremo rebate – O Supremo Tribunal Federal cobrou “espírito republicano” depois de o presidente Jair Bolsonaro ter acusado o ministro Luís Roberto Barroso de praticar “politicalha” e “ativismo judicial”. Em nota, o Supremo disse que questionamentos a decisões da Corte “devem ser feitos nas vias recursais próprias”. “O Supremo Tribunal Federal reitera que os ministros que compõem a Corte tomam decisões conforme a Constituição e as leis e que, dentro do Estado democrático de Direito, questionamentos a elas devem ser feitos nas vias recursais próprias, contribuindo para que o espírito republicano prevaleça em nosso país”, diz o texto.

João gotinha – O ritmo de vacinação contra a Covid-19 está bastante avançado no Recife e tem chamado atenção e despertado ciúme. Acabou levantando suspeitas em prefeitos, especialmente dos que estão situados no campo da oposição. Em reserva, alguns deles falam em benefício do Governo à gestão de João Campos (PSB). O incômodo tem sido tão grande a ponto de uma montagem com o gestor recifense, em tom sarcástico, passar a circular em grupos de WhatsApp. Um prefeito chegou a apelidá-lo de "João Gotinha", uma associação jocosa ao Zé Gotinha, histórico mascote utilizado pelo Governo Federal em campanhas de vacinação.

CURTAS

PARA 62 ANOS – O prefeito João Campos, aliás, anunciou, ontem, a ampliação da campanha de vacinação contra a Covid-19 para idosos com idades entre 62 e 63 anos. O agendamento, feito pela internet ou por meio da ferramenta Conecta Recife, começou às 12h e a aplicação das doses poderá ser feita a partir de hoje. As doses serão aplicadas nos centros de vacinação da prefeitura, incluindo os do modelo drive-thru, sem a necessidade de sair do carro.

MAIS VACINAS – O Banco Mundial vai destinar US$ 2 bilhões em financiamento para a compra, o desenvolvimento e a fabricação de vacinas até o final de abril, segundo anunciou, ontem, o diretor-gerente de operações da instituição, Axel Van Trotsenburg, acrescentando que mais de 40 países estão envolvidos nesse esforço. Já o diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu vontade política para intensificar a produção de vacinas contra Covid-19 e compartilhar suprimentos.

Perguntar não ofende: O governador Paulo Câmara está privilegiando João Campos nos lotes da vacina anti Covid?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro é Ladrão e Genocida

Fernandes

marcos de camaragibe, quero exterminar o seu orifício ruguso, com meus 23 C. Viado cabra safado.

marcos

Lula é Ladrão.

marcos

Se fosse por Nehemias Fernandes (Nazista) o Brasil já teria Exterminado 57 Milhões de pessoas e o Presidente.

marcos

Nesta quarta feira o STF julga em plenário se Lulla o Ladrão pode ser candidato ou não. Os idiotas úteis já compraram todas as velas e as galinhas pretas do Brasil. SEGURUUUUUUUUUUUUUUUURA Corrupção.


Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

09/04


2021

Coluna da sexta-feira

A resiliente Folha

Em meio às profundas mutações que o jornalismo impresso vem sofrendo no mundo, decorrência do avanço das plataformas digitais, a Folha de Pernambuco completou, sábado passado, seu 23º aniversário num cenário ímpar, no qual o seu principal concorrente, o Jornal do Commercio, virou 100% digital, deixando de chegar em papel aos assinantes, suspendendo, consequentemente, a venda avulsa nas bancas.

A vitalidade da Folha e a forte resistência se dão, naturalmente, à visão empreendedora e ao dinamismo do empresário Eduardo Monteiro, seu presidente. Corajoso e obstinado, Eduardo abriu o jornal depois de uma experiência bem-sucedida à frente do Diário de Pernambuco. Com isso, criou a terceira via impressa no Estado e logo na largada o periódico virou fenômeno de venda avulsa, caindo na graça do povo.

“A Folha de Pernambuco é um jornal que enfrentou e enfrenta todos os tipos de adversidades. Mas é resiliente. Não se dobra. Adapta-se às mudanças. Foi assim quando a criamos, enfrentando um mercado onde existiam dois jornais em circulação no Estado, um secular e outro em vias de ser centenário. Nascemos. Criamos nosso espaço. Nos consolidamos em meio às inúmeras crises econômicas e políticas. Fomos resilientes”, diz Eduardo.

E acrescenta: “Chegamos à maturidade. Mudamos a direção das velas. Modificamos radicalmente nossa linha editorial. Podemos ter perdido alguma fatia de mercado, mas ganhamos outras. Não nos abalamos. Seguimos resilientes. Fizemos o mesmo ao mudar nosso formato de standard para berliner”. Em editorial na primeira página da edição comemorativa, Eduardo Monteiro foi mais além.

“Economia no custo do papel que compramos em dólar? Sim! Mais uma prova do quanto podemos ser resilientes. O digital, que já vinha se avizinhando, chegou como prova, diria, cabal. E mais uma vez fomos testados. E mais uma vez não nos apequenamos. Evoluímos. Se há algo que essa pandemia nos ensinou foi a sermos fortes. A sermos resilientes. A Folha de Pernambuco se manterá nas bancas e em todos os canais digitais”, disse.

Disse, ainda: “Joãos, Josés e Marias vão encontrá-la no jornal impresso, que é rodado na gráfica da nossa sede, no Bairro do Recife, há exatos 23 anos. Mas a nossa presença também é forte em outras plataformas. A Folha está no portal, nas redes sociais, no rádio. Onde você estiver, a Folha está. Basta acessar o seu smartphone. E todo esse conteúdo diário que vocês encontram nos vários meios de difusão da notícia é feito com esforço, por pessoas resilientes. Dos que manejam as máquinas, dos que buscam informações e as compartilham, dos que fotografam os fatos, dos que se ocupam em comercializar seus espaços publicitários, dos que a dirigem”.

E completou: “São muitas mãos, muitas histórias de resiliência. Na contramão de outros jornais, neste Domingo de Páscoa reafirmamos nossa força. Nossa crença em dias melhores. Nossa certeza de que estaremos aqui, no Bairro do Recife, rodando nosso jornal impresso dia após dia e atualizando nosso portal e redes sociais minuto a minuto, porque o nosso maior compromisso é com você, o nosso leitor. E a você, desejamos resiliência e uma Páscoa de fé e esperança em melhores dias!”

Na berlinda – Apesar de ter sido prestigiado por Jair Bolsonaro na última quarta-feira em jantar com empresários, o ministro da Economia, Paulo Guedes, permanece sob fogo cerrado do Centrão. Os deputados e senadores do Centrão (grupo de partidos sem coloração ideológica clara que adere aos mais variados governos) e de partidos adjacentes pró-Bolsonaro afirmam que o Orçamento, com alguns ajustes propostos (corte de R$ 13,5 bilhões), fica 100% legal e não fura o teto de gastos nem a Lei de Responsabilidade Fiscal. Guedes disse ao presidente que o corte deve ser na casa de R$ 30 bilhões. Bolsonaro terá de arbitrar.

Ciro ignorado – Ninguém no PT levou a sério as declarações do presidenciável Ciro Gomes, do PDT, de sugerir o ex-presidente Lula a seguir o exemplo da ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que abriu mão da disputa e entrou na chapa como vice do presidente Alberto Fernández. Ao se espelhar nesse exemplo, Ciro insinuou, na verdade, em ter Lula como seu vice. “Ciro não merece mais resposta”, disse o deputado Alencar Santana (PT-SP). “Se ele for democrata, apoiará o Lula em um eventual 2º turno”, declarou.

PDT aplaude – Já o deputado pedetista cearense Eduardo Bismarck disse acha, por outro lado, que Ciro Gomes joga para as esquerdas não permitirem, com a divisão, a reeleição do presidente Bolsonaro. “Se o Lula insistir na candidatura dele, e o PT insistir, estarão dando novamente a eleição do Bolsonaro, agora a reeleição. Se o Lula não tivesse insistido na candidatura do Haddad na eleição passada o Bolsonaro não era presidente”, afirmou. “O PT vive da rejeição do Bolsonaro e o Bolsonaro da rejeição do PT”, disse, por sua vez, o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS).

Lula cresce – Desde a decisão de Fachin, Lula conquistou 739 mil novos seguidores nos seus perfis oficiais no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube. A média de novos seguidores por dia é de 24.549, contra 5.131 aliados digitais da média anterior (1º de janeiro de 2019 a 7 de março deste ano). Já o ex-ministro Ciro Gomes ganhou 2.570 seguidores a cada 24 horas no mesmo intervalo. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ganhou 1.987 e o ex-ministro Sergio Moro ficou com 306 por dia. Nomes fora da polarização, como o governador João Doria e o ex-ministro Sergio Moro, têm dificuldade de chamar atenção da opinião pública digital.

O PSB é assim – Alvo da Polícia Federal na operação Apneia, o ex-secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, vai atuar na Secretaria Estadual de Saúde. Sua nomeação no gabinete de André Longo, titular da SES-PE, foi publicada no Diário Oficial de Pernambuco, hoje. De acordo com portaria que traz a assinatura da secretária executiva de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde de Pernambuco, Fernanda Tavares Costa de Sousa, a nomeação é retroativa a 1º de fevereiro. Correia atuou como titular da Secretaria de Saúde da Prefeitura do Recife entre 2013 e 2020, durante a gestão do prefeito Geraldo Júlio (PSB).

CURTAS

O CASO – No ano passado, a PF investigou o então secretário por irregularidades na compra de 500 respiradores, que não tinham a aprovação da Anvisa, ao custo de R$ 11,5 milhões. A contratação à época foi feita com a MEI Juvanete Freire, que trabalhava no segmento veterinário. O Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO) também fez denúncias a respeito do manejo dos recursos destinados pelo Governo Federal no combate à Covid-19.

ADIADA – Em ofício elaborado em conjunto hoje, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado (SJDH) e o Procon Pernambuco suspenderam as eleições da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), prevista para ocorrer na próxima segunda-feira (12), no Hotel Canarius D'Gaibu, no Cabo. O documento é assinado pelo secretário de Justiça, Pedro Eurico (SJDH), pelo gerente geral do Procon, Helder Rômulo, e pela gerente de fiscalização Maria Danyelle Sena.

Perguntar não ofende: Na conferência entre as cúpulas do PSB e PT, anteontem, foi reatado o casamento para 22?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

DOUTOR JAIRINHO DEIXA A LIÇÃO. nunca deixe uma criança sozinha com um cidadão de bem!

marcos

Esse verme bolsonaro vai ser Exterminado junto com sua família e os seus apoiadores. Nehemias Fernandes o Nazista do Cabo de Santo Agostinho 05/04/21.

Fernandes

Esse Hitler é aquele NaziSta que igual a Bolsonaro e marcos de camaragibe gosta de Exterminar pessoas?

marcos

Esse Hitler é aquele NaziSta que igual a Nehemias Fernandes gosta de Exterminar pessoas?

Fernandes

Boa Noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.



08/04


2021

Coluna da quinta-feira

O orgasmo do furo

Não costumo comemorar datas de louvação a qualquer categoria, muito menos a minha, como o Dia do Jornalista, transcorrido no 7 de abril de ontem. Mas aproveito a deixa para uma reflexão sobre as profundas mudanças que a era da internet provocaram no exercício da profissão. Sou da geração do jornalismo impresso.

Comecei escrevendo em máquinas de datilografia, fiz jornal mimeografado, que tinha cheiro de álcool, vibrei com a chegada do telex e depois do fac-símile, instrumentos essenciais para retransmissão das notícias para o jornal, já que passei boa parte da minha carreira como correspondente, do interior de Pernambuco, na largada, ao Planalto Central, Brasília, minha universidade da praticidade.

Com a chegada de novas tecnologias, os meios de comunicação, especialmente o jornal impresso, sofreram redefinições na sua forma de fazer jornalismo. TVs por assinatura com canais de programas exclusivos têm afastado o telespectador da programação em TV aberta. Aplicativos de músicas com a possibilidade de criar uma seleção e jornais online afetaram a lógica produtiva do rádio e do próprio jornal impresso, este com os dias contados.

Os jornais impressos travam uma luta inglória para se reinventar no mercado atual. O papel-jornal utilizado na produção do impresso, mão de obra qualificada e distribuição tem elevado o custo da assinatura diária. Com as facilidades que o mundo da internet apresenta, a busca por informação ficou ainda mais acessível e, assim, os jornais foram induzidos a buscarem soluções para acompanhar as mídias e manter os seus leitores.

Entre as estratégias para aproximar o leitor da redação, os meios de comunicação criaram páginas nas principais redes sociais, como Facebook, Instagram e Twitter, além de aplicativos disponíveis para Android e iOS. Assim, através das mídias online, anunciam a notícia com as principais informações e o link direcionando o leitor para outros detalhes, reservando às páginas impressas a reportagem completa, mais contextualizada.

Do mesmo modo, foram criados sites, onde os leitores encontram notícias nacionais e regionais, além de acompanhar o fato em tempo real por meio de vídeos e imagens. O jornal impresso, nos dias atuais, limita bastante a distribuição de seu conteúdo ao espaço físico e o compartilhamento de informações se dá apenas por meio da comunicação verbal entre os leitores.

Já no meio virtual, não há barreiras para que o seu conteúdo alcance vários usuários, uma vez que o conteúdo está disponível nas páginas da web e também pode ser compartilhado nas redes sociais. Seja qual for o canal do exercício da profissão, o jornalista tem que ter a enorme capacidade de exercer o ofício com a exata noção e consciência de que jornalismo é noticiar aquilo que alguém se sinta contrariado. O resto é publicidade.

Gabriel Garcia Márquez dizia que jornalismo é uma paixão insaciável e fala que todo jornalista tem que sentir o orgasmo do furo, viver a palpitação sobrenatural da notícia. Sou daqueles que enxergam que sem jornalismo não há revolução, ou como disse Cláudio Abramo: a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter estão no bom jornalismo.

Orçamento polêmico – O Tribunal de Contas da União vai analisar representações do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e de um grupo de deputados de que haveria ilegalidades no Orçamento aprovado pelo Congresso. A análise foi aceita em caráter preliminar, que ainda não inclui o mérito da ação. “A matéria presente nos dois expedientes acostados nos presentes autos insere-se no contexto de representação referida no art. 237 do Regimento Interno do TCU, segundo o qual os congressistas têm legitimidade para representar a esta Corte de Contas”, informou o documento. “Há, nos documentos endereçados aos presentes autos, elementos de densa relevância e de caráter transversal”, prossegue o documento.

Leitos das forças – O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) entrou, ontem, com uma ação na Justiça para que leitos de hospitais das Forças Armadas sejam liberados para atender a população geral na pandemia por meio de convênio com o SUS. Essas instituições têm estruturas de saúde próprias para atender às suas tropas e demais funcionários. A vacância nesses hospitais chegaria a 85%, com leitos reservados para militares. Esses leitos não são necessariamente de UTI (unidade de terapia intensiva), os mais demandados no atual momento de recrudescimento da pandemia.

Dinheiro da Globo – Em conversa com apoiadores diante do Palácio da Alvorada, o presidente Bolsonaro citou, ontem, a ‘inimiga’ Globo em declaração controversa. “Eu resolvo o problema do vírus em poucos minutos. É só pegar o que os governos pagavam no passado para a Globo, para a ‘Folha’, ‘Estado de S. Paulo’. Esse dinheiro não é para a imprensa. Esse dinheiro era pra outras coisas”, disse. O presidente cumpriu a promessa de campanha de reduzir a publicidade estatal na emissora da família Marinho. O corte foi de 60%. Do primeiro mandato de Lula, iniciado em 2003, até o final da Presidência de Michel Temer, em 2018, a Globo faturou em média R$ 400 milhões por ano com verbas ligadas ao governo federal.

Petrolina no leilão – O aeroporto de Petrolina foi incluído, ontem, no leilão de 22 equipamentos da mesma modalidade, que atraiu interessados para todos os três blocos, garantindo ao Governo federal uma arrecadação inicial de R$ 3,302 bilhões. Segundo o Ministério da Infraestrutura, o ágio médio foi de 3.822%, o que representou uma arrecadação R$ 3,1 bilhões acima do mínimo fixado pelo edital para o valor de contribuição inicial (R$ 186,2 milhões). Além do valor à vista, as regras do leilão preveem uma outorga variável, a ser paga a partir do quinto ano de contrato até o fim da concessão.

O maior lote – Sete consórcios diferentes participaram do certame, mas a grande vencedora foi a CCR, que arrematou dois dos três blocos ofertados pelo governo. Por meio da subsidiária Companhia de Participação em Concessões, a empresa deu um lance de R$ 2,128 bilhões no lote Sul, com ágio de 1.534%. Esse bloco é composto pelos aeroportos de Curitiba (PR), Foz do Iguaçu (PR), Navegantes (SC), Londrina (PR), Joinville (SC), Bacacheri (PR), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS). O lance mínimo era de R$ 130,2 milhões. O outro lote vencido pela CCR foi o Central, que inclui os terminais de Goiânia (GO), São Luís (MA), Teresina (PI), Palmas (TO), Petrolina (PE) e Imperatriz (MA). Nesse bloco, a proposta da empresa foi de R$ 754 milhões – um ágio de 9.156% ante o lance mínimo de R$ 8,1 milhões.

CURTAS

BRONCA – O presidente Jair Bolsonaro afirmou, ontem, que é "inadmissível" a Petrobrás reajustar o preço do gás natural em 39%, como anunciado nesta semana. Se dirigindo ao general Joaquim Silva e Luna, escolhido por ele para assumir a estatal, o presidente defendeu que haja previsibilidade sobre reajustes: "Podemos mudar esta política de preços lá", afirmou.

MONTADORAS – A combinação do aumento de casos de covid-19 com a falta de componentes levou ao fechamento de metade das 60 fábricas de montadoras no País nas últimas duas semanas e 65 mil funcionários ficaram em casa, o equivalente a 60% da mão de obra do setor, sem contar o pessoal que já estava em home-office. A maioria retomou atividades na última segunda-feira, mas dez seguem fechadas, com um total de cinco mil trabalhadores em licença ou férias coletivas.

Perguntar não ofende: Quem é o prefeito de Paulista: Yves Ribeiro ou Jorge Carrero?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Lula foi rebaixado à vice por Ciro! Ui

Fernandes

Ciro Gomes, sobre família Bolsonaro: “Se gritar pega ladrão, não fica um” Ciro Gomes voltou a chamar Jair Bolsonaro de ladrão . No Twitter, o pedetista compartilhou uma reportagem da Folha sobre as investigações que miram os quatro filhos do presidente, e escreveu: “‘Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão’. O chefe da quadrilha é o pai, Jair Bolsonaro!”

marcos

Que fique bem claro, Lula é Ladrão.

Fernandes

Boa noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.

Fernandes

Dr. Jairinho é evangélico.



07/04


2021

Coluna da quarta-feira

Ciro quer Lula na vice

Sentindo que será, mais uma vez, traído, desta vez pelo PDT, na condição de pré-candidato ao Planalto, o ex-ministro Ciro Gomes apresentou, ontem, uma proposta sui generis. Quer o ex-presidente Lula fora da disputa em 2022, como cabeça de chapa. Deseja a sua companhia de outra forma, como seu vice. Lula é tão bestinha mesmo para cair nessa!

Ocorreu durante debate sobre a proposta de reforma administrativa em discussão no Congresso. Ciro sugeriu que o ex-presidente petista não dispute as eleições de 2022 como candidato a presidente, em prol de uma aliança contra Bolsonaro. Fez a ressalva que Lula deve se espelhar no exemplo de Cristina Kirchner, na Argentina, que deu um “passo para trás” e aceitou ser vice de Alberto Fernández, atual presidente argentino.

“A gente devia pedir generosidade a quem já teve oportunidade, como o Lula, que é um grande líder da história brasileira, mas a gente devia pedir a ele que se compenetrasse e que não imitasse o exemplo desastrado do Maduro na Venezuela ou o exemplo desastrado do Evo Morales na Bolívia. E que olhasse o que a Cristina Kirchner fez na Argentina, em que, tendo uma força grande, deu um passo pra trás e ajudou a Argentina a se reconciliar”, afirmou.

O ex-ministro citou a corrupção que marcou a gestão petista, o que, segundo ele, poderia minar a campanha de Lula. “Imaginem vocês uma campanha em 2022, o Bolsonaro querendo se recuperar da impopularidade, a lembrar da esculhambação do Palocci, a esculhambação do Zé Dirceu, a esculhambação não sei de quem. Eu não digo nem que seja verdade ou que seja mentira, eu estou dizendo é o que eu estou vendo pela minha experiência”, disse.

“É fazer de novo a campanha antipetista em cima dos exemplos”. Ciro Gomes já foi deputado, prefeito, governador e ministro, e disputou a eleição presidencial de 2018, da qual Bolsonaro saiu vitorioso. Está filiado ao PDT e sonha em ter o PSB como aliado. Um dos seus maiores entusiastas é o prefeito do Recife, João Campos, mas foi o pai dele, o ex-governador Eduardo Campos, que puxou o tapete de Ciro quanto este queria a legenda para disputar o Planalto.

Desastre – “Derrotar Bolsonaro é muito importante, não por ódio a ele, mas para derrotar o desastre que ele está produzindo, na saúde, na economia, na relação internacional, em que o Brasil está desmoralizado”. Para isso, ressaltou, o Brasil precisa de projetos nacionais, e uma “ampla aliança” política poderia ser o meio para atingir esse objetivo. “Quem vai operar esse novo projeto nacional é a política, uma nova e ampla aliança, generosa aliança que vai permitir ao Brasil se reconciliar consigo mesmo”. Ciro ainda disse que “botar uma coisa nova no lugar” de Bolsonaro é uma função “mais difícil e que pede muita reconciliação”.

O novo Pinóquio – Vereador em Sertânia pelo PSB, Antônio Henrique, o Fiapo, virou motivo da galhofa, ontem, no Sertão do Moxotó. Ao bajular a secretária de Infraestrutura, Fernandha Batista, disse que o segundo trecho da estrada que liga o seu município a Cruzeiro do Nordeste estava em obras tapa-buraco. Virou o novo Pinóquio e passou a concorrer com a própria secretária, que mente descaradamente quanto à situação das estradas na região. Mas a piada que se espalha é que Fiapo só vai ao Recife pela estrada de Monteiro (PB), um tapete em relação à que está abandonada. Por isso, não conhece a buraqueira dos 12 km inacabados no trecho Sertânia/Placas. Tem sentido!

IR prorrogado – O Senado aprovou, ontem, o adiamento do prazo para a declaração do Imposto de Renda em 2021 por causa da pandemia de covid-19. O texto adia o cronograma em 91 dias para 31 de julho e já foi aprovado pela Câmara, mas como houve mudança no texto, precisará passar pela análise dos deputados novamente. O prazo para entrega das declarações das pessoas físicas, alvo do projeto, se encerra em 30 de abril. O cronograma de restituições não mudará, com o 1º lote sendo entregue em 31 de maio. O texto autoriza ainda o pagamento da cota única ou das cotas vencidas até 31 de julho sem acréscimo de juros ou penalidade de qualquer natureza.

O caloteiro e o traidor – Ex-aliado histórico do prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (MDB), de quem foi vice na gestão anterior, Dufles Pires (PL) acusa o gestor de caloteiro. “Ele não paga o aluguel de uma casa de minha propriedade há três meses, no valor de R$ 3,2 mil”, afirmou. Segundo Dufles, que enviou uma carta de cobrança ao próprio prefeito, o imóvel está alugado pela Prefeitura desde 2017, servindo para uma clínica de acompanhamento terapêutico. Na carta, Dufles pede que o prefeito desocupe o imóvel de imediato. “Mas, ele não dá a menor satisfação”, disse o ex-vice. Dufles afirma que, a partir de agora, será o maior opositor ao que chama de “desgoverno” de Paulista. “Na verdade, Yves é uma rainha da Inglaterra. Quem manda na Prefeitura é Jorge Carrero, o maior traíra da política do município”, desabafou.

Estação das artes – Presidente do Cidadania em Serra Talhada, o secretário de Relações Institucionais da gestão Márcia Conrado (PT), Elyzandro Nogueira, usou o seu prestígio com o deputado federal Daniel Coelho e arrebatou uma emenda no valor de R$ 1 milhão destinada a reformar a Estação do Forró, atual centro cultural, que vai virar Estação das Artes. A prefeita comemorou a boa-nova durante ato que marcou a reforma de quatro ruas no bairro Caxixola. “Foi muito importante para o avanço da cultura”, disse Márcia.

CURTAS

ENVOLVIDO – Estranhamente, a polícia não incluiu na operação Beira Rio, ontem, em Paulista, o atual secretário executivo de Desenvolvimento Urbano do Paulista, Paulo Marenga, que, na época, assinou o alvará de funcionamento da Marina. Ele também trabalhou na gestão Matuto como titular da Pasta. A Polícia Civil investiga suspeitos de fazer parte de um esquema para favorecer o estabelecimento por meio de licitações e de uso de documentos falsos.

ESQUEMA – De acordo com o delegado Diego Pinheiro, à frente das investigações, o trabalho da polícia começou em agosto de 2019, após o Ministério Público de Pernambuco verificar irregularidades em uma concessão de uma área pública na praia de Maria Farinha, em Paulista, de mais de 10 mil metros quadrados. A concessão teria como implantar uma marina, um restaurante, um posto de gasolina e uma área pública de convivência.

Perguntar não ofende: Yves Ribeiro deixou de pagar o aluguel a Dufles por perseguição política?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Boa Noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.

marcos

Boa noite Nazista Exterminador.

Fernandes

Tal pai, tal filho? Escritório de Jair Renan ganhou móveis de empresa que mantêm contrato com o governo.

Fernandes

Vitória! Pesquisa mostra que Lula vence Bolsonaro no 1.º e no (2.º) turnos.

Fernandes

Mamata Sem Fim. Esposa de Queiroz receberá, de novo, auxílio emergencial do governo Bolsonaro.



06/04


2021

Coluna da terça-feira

PSB quer frear armas

O PSB renovou o pedido para que o Supremo Tribunal Federal derrube quatro decretos editados em fevereiro pelo Governo Federal com novas flexibilizações para o porte de armas. O partido quer urgência na análise do pedido de liminar distribuído ao gabinete da ministra Rosa Weber. Isso porque as mudanças entram em vigor no próximo dia 12.

“Estão prestes a entrar em vigor medidas que aumentam a quantidade de armas de fogo em circulação, o que resultará em aumento de crimes violentos como assassinatos e feminicídios, sem falar nos riscos institucionais. É urgente que o STF contenha essa política armamentista antes que seja tarde demais”, disse o advogado Rafael Carneiro, do Carneiros e Dip Advogados, que representa a legenda.

O partido entrou com a ação em fevereiro alegando que os dispositivos são inconstitucionais e representam ‘retrocesso’ em direitos fundamentais, como o direito à vida e à segurança, na medida em que facilitam de forma ‘desmedida’ o acesso a armas e munições pelos cidadãos comuns. O PSB diz ainda que, embora pretendam disciplinar o Estatuto do Desarmamento, os decretos ferem suas diretrizes.

PT, PSOL e Rede Sustentabilidade também formalizaram ações semelhantes. Após requisição de Rosa Weber, o governo federal enviou esclarecimentos sobre os decretos. Na ocasião, a própria ministra chamou atenção para a necessidade de urgência na análise do caso. Bolsonaro acrescentou mais quatro decretos à longa lista de mudanças na legislação de armamento que vem promovendo desde que assumiu a presidência.

Desde 2019, já foram 31 alterações, dentre elas decretos, portarias e projetos de lei que ainda não foram aprovados. Estas mudanças vão desde a flexibilização da quantidade de armas que uma pessoa, civil ou não, pode adquirir e portar em seu nome, até a quantidade de cartuchos e munições que podem ser comprados.

Tema polêmico – Primeira medida concretizada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro na área de segurança pública, a flexibilização da posse de armas é um tema que levanta polêmicas entre especialistas. Uma das promessas de campanha de Bolsonaro é justamente rever o Estatuto do Desarmamento, que entrou em vigor em 2003, para facilitar a posse e o porte de armas no país. Mudanças significativas em relação à legislação devem, necessariamente, passar pelo Congresso Nacional. Mas Bolsonaro pode, por meio de decreto, alterar alguns pontos referentes à regulamentação da lei em vigor sobre o tema.

Pura emoção – O Frente a Frente fez, ontem, uma belíssima e justa homenagem ao cantor Agnaldo Timóteo, com depoimentos de grandes astros da MPB, como Raimundo Fagner, Moacyr Franco, Altemar Dutra Júnior, Alcymar Monteiro, Martinha, a eterna musa do rei Roberto Carlos, Gilliard e Adilson Ramos. Incluiu também artistas que conviveram no dia a dia com Agnaldo, como o humorista Pedro Manso, imitador dos cacoetes daquele que foi a maior voz do Brasil, o nosso Frank Sinatra brasileiro. O programa foi emoção do início ao fim. Muita gente não segurou o choro, como a cantora carioca Luciene Franco, amiga de Agnaldo desde 1964.

Volta ao trabalho – Em mais uma defesa pelo retorno à normalidade das atividades econômicas, o presidente Bolsonaro repetiu, ontem, que "o Brasil precisa voltar a trabalhar". Mais uma vez, defendeu o enfrentamento do vírus e do desemprego de forma conjunta e manifestou contrariedade a medidas restritivas para impedir a disseminação da covid-19. "Bato na mesma tecla desde março do ano passado. Temos dois problemas pela frente gravíssimos ainda: o vírus e o desemprego. E também sempre bati na mesma tecla das medidas para combater o vírus (porque) os seus efeitos colaterais não podem ser mais danosos que o próprio vírus", disse.

Anulação – Sete procuradores da Operação Lava Jato enviaram, ontem, um documento no qual defendem a anulação da suspeição do ex-juiz Sergio Moro aos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal. O pedido considera a questão se o plenário da Corte referendar a decisão de Edson Fachin, que reconheceu a incompetência da Vara de Curitiba e reverteu as condenações do ex-presidente Lula. A peça é um "memorial", tipo de instrumento jurídico que expõe argumentos aos ministros buscando influenciar a decisão deles. No texto, a tese estabelecida é a de que a suspeição de Moro não poderia ter sido julgada pela Segunda Turma do STF, no dia 23 de março, antes que a decisão de Fachin fosse apreciada pelo plenário da Corte.

Orçamento corrigido – O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse, ontem, que há boa vontade do Congresso para que haja um acordo para corrigir as distorções do Orçamento de 2021. O presidente tem até 22 de abril para decidir como se posicionar em relação ao texto. Segundo Guedes, há três caminhos possíveis: sancionar todo o texto – “Se seguir em frente do jeito que está, deixa o governo exposto lá na frente a uma eventual não aprovação de contas pelo TCU [Tribunal de Contas da União]”; veto integral – “Aí não há qualquer possibilidade de exploração pela oposição para falar em impeachment. Mas é politicamente desconfortável”; veto parcial – “É possivelmente para onde a coisa está indo”. Afirmou que esse caminho pode garantir uma costura política mais satisfatória, com riscos jurídicos maiores.

CURTAS

JOVEM PAN – O Grupo Jovem Pan anunciou a estreia do seu mais novo produto na comunicação, o News Jovem Pan, o seu canal de notícias que competirá com audiência dos canais Globo e CNN Brasil. O News Jovem Pan será transmitido em TV aberta, no canal 24, em São Paulo. Com informações 24h, a emissora também estará disponível em pacotes de televisão por assinatura, que ainda estão em negociação, na parabólica, YouTube, no Amazon Fire Tv, Pluto TV e no PanFlix.

QUADRO – O Estado contabilizou, ontem, 709 novos casos e 44 óbitos por Covid-19. Com esses registros de pacientes e falecimentos, Pernambuco passou a totalizar 356.326 diagnósticos confirmados e 12.421 mortes pela doença provocada pelo novo coronavírus. De acordo com a Secretaria de Saúde, 93 dos 709 casos são de Síndrome Respiratória Aguda Grave. Outros 616 pacientes foram diagnosticados com a forma leve da doença.

Perguntar não ofende: O Sertão ainda tem representante de oposição na Assembleia ou algum parlamentar governista que proteste contra a buraqueira nas estradas?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ô marcos de camaragibe, deixa eu guardar guardar meus 23 C no teu papeiro.

marcos

Ô Nazista, quem chama o nosso mito de bozo queima a Rosca! ui

marcos

\"Esse verme Bolsonaro será Executado com sua família e os seus apoiadores \" Nehemias Fernandes em 05/04/2021, no Blog do Magno Martins.

Fernandes

O Bozo agora é o super trunfo da esquerda.

Fernandes

Bolsonaro é o maior cabo eleitoral do Lula. E esse é o problema, porque a direita centro está se mordendo de inveja.



05/04


2021

Coluna da segunda-feira

Secretária mentirosa

No primeiro mandato, o governador Paulo Câmara (PSB) teve dois secretários de Infraestrutura, pasta que cuida da manutenção das estradas. O primeiro, o atual deputado estadual Isaltino Nascimento (PSB), foi tão ruim que ganhou o apelido de “Isaltino Buracão”, em razão da malha viária ter se transformado em sua gestão numa grande cratera.

Deputado federal, com passagem também no Governo Eduardo Campos, Sebastião Oliveira (Avante) bateu de longe Isaltino, mas mesmo assim não conseguiu ficar mais tempo por questões de ingerência política. Isaltino e Sebá, como este é conhecido, não agradaram nem ao Governo, mas pelo menos não mentiam como a atual secretária, Fernandha Batista.  

No Sertão, ela é conhecida como a Pinóquio de saia e eu sei a razão. Basta trafegar pela estrada que liga o distrito de Cruzeiro do Nordeste ao município de Sertânia. Ali, ela fez um arremedo de obra que envergonha o Governo, uma meia sola de asfalto de apenas 9 km, que parece um cascalho de tão precária qualidade.

O restante do trecho – algo em torno de 12 km – é um soco no estômago dos sertanejos, uma buraqueira infernal. Ora, o Governo Paulo Câmara é ruim, todo mundo sabe, mas a ponto de fazer uma estrada pela metade, mesmo assim de péssima qualidade, e deixar o restante do trecho sem o menor sinal de requalificação?

Passei o fim de semana em Afogados da Ingazeira, minha terra natal, e penei para alcançar Sertânia. O carro corre risco de empenar a roda, estourar o pneu, sofre todo tipo de avaria, pondo em risco a vida de quem trafega por lá. Uma vergonha! Será que o governador sabe que a secretária está enganando-o? Ela é tão cara de pau que ainda aparece nos blogs da região e nas emissoras de rádio posando de tocadora de obra.

“Estamos em uma fase muito importante do andamento do Programa Caminhos de Pernambuco. Concluímos a primeira etapa da requalificação da PE-265, que sai da BR-232 e segue até a sede do município de Sertânia. É uma obra aguardada há 20 anos por quem trafega pela localidade e espera soluções estruturadoras. Concluímos também os projetos da segunda e terceira fase das obras dessa via, que receberá os serviços após o término do processo licitatório”, disse ela, numa emissora de rádio.

Pelo amor de Deus, que secretária mentirosa! Qual obra ela está se referindo como concluída? Um arranjo de 9 km? Passei novamente por lá, ontem, de volta ao Recife, e confesso que aquilo não é obra. Abra os olhos, governador! A Fernandha mente descaradamente. Pergunte aos próprios aliados do PSB que têm um pezinho naquela região se aquilo pode ser chamado de requalificação? E pergunte também onde ela botou o restante dos R$ 3,8 milhões reservados para recuperação de todo o trecho, porque não há sinal nenhum de canteiro de obras em toda a extensão da estrada.

SEM SINALIZAÇÃO – O governador deveria exigir da secretária Pinóquio o mesmo tratamento que deu na requalificação do trecho entre Sertânia e Albuquerquené. Ali, sim, é obra de verdade, que dá gosto de se ver. O asfalto é de ótima qualidade, falta apenas a sinalização. A dona inverdade, porém, até o momento não deu nenhum prazo para concluir o trecho. Sem sinalização, andar por ali à noite é um perigo. Muita gente já foi vítima de acidentes envolvendo animais, como jumentos e cavalos, encontrados no meio da pista. Como o sertanejo sofre, meu Deus!

AGRADANDO TÁBATA – Segundo o bem informado colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o prefeito do Recife, João Campos, uma das principais lideranças do PSB no Estado, sucessor de Eduardo Campos, não quer ouvir falar em recomposição com o PT, mesmo que Lula desponte como favorito na corrida presidencial de 22. Está inclinado a cumprir o acordo de levar o PSB a apoiar a candidatura de Ciro Gomes, que foi leal a ele na campanha, participando de vários atos presenciais no Recife. A postura de João pró Ciro agrada a futura primeira-dama do município, Tábata Amaral, que não foi expulsa ainda do PDT por causa da mão protetora de Ciro.

ORÇAMENTO AVANÇA – O Congresso e a área econômica do Governo chegaram a um acordo sobre o Orçamento deste ano, segundo a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda (PL-DF). Ela disse ao jornal O Globo que o “acordo político foi fechado”. No entanto, o valor exato do corte ainda será definido. No fim de semana, houve conversas dos integrantes da equipe econômica com Flávia Arruda, os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o relator do Orçamento, Márcio Bittar (MDB-AC). O presidente Jair Bolsonaro deixou para depois do feriado de Páscoa o desfecho do assunto. A data limite para aprovar ou vetar o documento é 22 de abril

PROVOCAÇÃO – O presidente Bolsonaro reproduziu em sua conta no Twitter um vídeo em que o apresentador de TV Sikêra Jr. faz críticas ao governador Paulo Câmara, a partir de cifras retratadas em seu programa como verbas da União destinadas ao Estado. "Paulo Câmara, esse dinheiro não é teu, é para salvar vidas", provocou o apresentador após citar números que ele atribui a repasses do governo federal. "Senhores governadores, criem vergonha na cara. Digam ao seu povo quanto receberam para cuidar das vidas, e não tomar essas vidas, não matar as pessoas", acrescenta Sikêra Jr.

O NOVO PODEROSO – As mudanças nos Ministérios trouxeram à tona a influência de um amigo do presidente desde o tempo da Escola de Cadetes do Exército. O general da reserva Luiz Eduardo Ramos operou, em parceria com o também general Walter Braga Netto, a missão dada por Bolsonaro de demitir a cúpula das Forças Armadas e consolidar a aliança com o bloco dos partidos integrantes do Centrão. Foi num encontro na casa de Braga Netto, em Brasília, que Bolsonaro decidiu substituir o ministro da Defesa, general Luiz Fernando Azevedo e Silva, e o comandante do Exército, Edson Pujol. Ramos estava presente à conversa. A troca abalou a caserna e alterou as posições de poder no governo. Braga Netto foi nomeado para a pasta militar e Ramos herdou a cadeira do amigo na chefia da Casa Civil.

CURTAS

RESPOSTA – Em resposta a Bolsonaro, Câmara postou o seguinte: "Difícil acreditar que em um dia como hoje, domingo de Páscoa, sejamos obrigados a nos deparar com novas atitudes lamentáveis do Presidente da República. Em lugar de disseminar fake news, por que não assumir suas verdadeiras atribuições e fazer parte do enfrentamento à pandemia?". E completou: "Nossa maior missão é salvar vidas. Infelizmente, de alguém que trata a dor do outro como mimimi e o luto como fraqueza, não se pode esperar muito.”

IGREJAS – O presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Jonas Donizette, pediu, ontem, ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que se manifeste com urgência sobre a decisão da véspera do ministro da Corte Kassio Nunes Marques que liberou a realização de cultos e missas no País, apesar de o Brasil atravessar o pior momento da pandemia de covid-19.

Perguntar não ofende: Por quanto tempo os sertanejos vão sofrer com as estradas mal conservadas pelo governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos de camaragibe, eu quero teu papeiro pra guardar os meus 23, C, filho da puta pirobo cabra safado.

marcos

Nehemias Fernandes o Nazista travestido de comunista.

Fernandes

Ciro Gomes diz. Este verme Bozonaro será exterminado junto com sua familícia e quem mais o estiver apoiando.

marcos

Boa noite Nehemias Fernandes, amanhã a Polícia Federal bate na tua porta.

Fernandes

Boa Noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.



03/04


2021

Coluna do sabadão

Sinal de fritura em Ciro

O presidente do PDT, Carlos Lupi, oscila entre manter a candidatura de Ciro Gomes (PDT) à Presidência da República em 2022 ou rifar o seu nome em apoio a uma candidatura viável contra Jair Bolsonaro. Ele deu declarações nos dois sentidos. Em um primeiro momento, em entrevista ao jornal Valor Econômico, afirmou que o PDT poderia apoiar outro nome.

Ponderou, porém, que a ideia de candidatura própria continua sendo a prioridade do partido. “Se houver a ameaça de continuidade de Bolsonaro, é uma hipótese que admito”, disse a respeito de recuar em uma candidatura própria. “Se surgir nessa terceira via um outro nome, que apresente um bom projeto, podemos conversar”, prosseguiu, a respeito da carta assinada por seis presenciáveis, entre eles o próprio Ciro, em defesa da democracia na última quarta-feira.

O manifesto se identificou como uma reação ao “autoritarismo” e uma defesa da “liberdade”. O texto foi divulgado na data que marcou o 57º aniversário do golpe militar de 1964, que é exaltado pelo atual presidente. “É preciso ver o melhor nome, quem poderá derrotar Bolsonaro. Não podemos entrar nessa conversa com uma conversa com um projeto hegemônico, de fazer aliança desde que o candidato seja o meu”, argumentou.

No fim do dia, porém, o dirigente pedetista disse à revista Carta Capital que a candidatura é uma “decisão tomada”. “Queremos conquistar aliados para nosso projeto nacional de desenvolvimento que é personalizado pelo Ciro”, disse Lupi. Se o próprio presidente do partido de Ciro vacila, imagine o PSB, que o presidenciável imagina contar nas eleições do próximo ano, investimento que fez no pleito de 2020.

Tal investimento se observou, especialmente, em Pernambuco. Ciro se envolveu de corpo e alma na candidatura de João Campos, participando de vários eventos presenciais no Recife, com a esperança, certamente, de que em 2022 terá o partido em seu palanque. É bom ficar com um pé atrás. Quando esteve filiado à legenda, Ciro provou do fel. Eduardo Campos rifou sua postulação ao Planalto e ainda o humilhou.

PERSISTENTE – Ciro Gomes tem um temperamento explosivo, sem papas na língua e é insistente. Foi candidato a presidente em 2018 e ficou em terceiro lugar. Ele teve 13.344.366 votos, ou 12,47% do total. O ex-governador do Ceará e ex-ministro de Itamar Franco também foi candidato em 1998 e em 2002 pelo PPS. Em 98, ficou em terceiro lugar, atrás de Fernando Henrique Cardoso (que foi reeleito) e Lula. Teve 7.426.190 votos, 10,97% do total. Em 2002, ficou em quarto lugar, com 10.170.882 votos, atrás de Lula, José Serra e Anthony Garotinho. Teve 11,97% dos votos.

O RESPONSÁVEL – Para 44% da população brasileira, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi o principal responsável pela atual situação da crise do coronavírus no Brasil. Outros 23% citam as pessoas que não respeitam as normas de biossegurança contra a covid-19, enquanto 16% responsabilizam o governador do seu Estado. Os números são de pesquisa PoderData realizada de 29 a 31 de março de 2021 com 3,5 mil pessoas em 541 municípios das 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual para mais ou para menos. Ainda há 8% que dizem que os responsáveis pela atual crise da covid-19 foram os prefeitos. O Ministério da Saúde aparece na sequência, citado por 4%. Aqueles que responsabilizam “outros” somam 5%.

MAIS VACINAS - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), enviou um ofício ao secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, pedindo apoio do órgão e de outros países para acelerar a vacinação contra a covid-19 no Brasil. Junto ao ofício, foi encaminhada a “moção de apelo à comunidade internacional”, aprovada pelos senadores em 23 de março. Pacheco afirma que o País é o epicentro da pandemia e que a situação é “dramática”. Pede a Guterres que a ONU ajuste o cronograma de entrega de vacinas pelo consórcio Covax Facility, uma aliança global com mais de 150 países, criada para incentivar o desenvolvimento e a distribuição de vacinas. O acordo com o Brasil é para a entrega de 42,5 milhões de doses, um investimento de R$ 2,5 bilhões.

GOLPE DE ESTADO – O colunista Hélio Schwartsman, do jornal Folha de S. Paulo, defendeu um golpe de Estado em que militares de alta patente pressionassem Jair Bolsonaro a renunciar, para que assumisse o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB). O texto foi publicado, ontem, na versão impressa do jornal. Schwartsman diz ser contra um golpe com militares e tanques nas ruas. Mas acha que uma hipótese mais reservada seria aceitável. Ele escreve: “Admitamos, porém, para os propósitos desta coluna, que seja mesmo um golpe, já que idealmente militares não se metem com política. Você o aplaudiria ou vaiaria? […] Não sei quanto a você, mas eu, em nenhuma hipótese, derramaria uma lágrima por Bolsonaro."

JUSTIÇA JUSTA – Após perder ação de danos morais contra três ex-jornalistas da revista Época, o ex-presidente Lula teve de pagar R$ 31.940,14 em honorários ao advogado deles. A intimação para o pagamento foi feita no último dia 23 e este foi realizado no dia seguinte. Lula entrou com ação na Justiça em 2015. Na edição 882 daquele ano, a revista publicou a matéria de capa “Lula: o operador”, na qual revelou uma investigação da Procuradoria no Distrito Federal para apurar se o petista teria atuado para favorecer a Odebrecht em contratos na América Latina e na África com dinheiro do BNDES. O texto foi assinado por Thiago Bronzatto e Filipe Coutinho, enquanto Diego Escosteguy era editor-chefe da revista.

CURTAS

LAMENTO 1 – A jornalista Aline Midlej roubou a cena durante a parte final do Estúdio i, da Globo News, na última quinta-feira, com um recado claro ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e sua equipe de ministros e auxiliares. A jornalista lamentou a eleição do atual governo, em 2018, em meio ao caos vivido por causa da pandemia.

LAMENTO 2 – “Eu gostaria que fosse mentira o que aconteceu nas eleições de 2018, para que a gente tivesse de fato uma liderança a altura do que o Brasil merece e precisa no momento tão duro que a gente enfrenta agora, em que o amor ao próximo, a empatia, o respeito à vida salva vidas”, comentou Aline, gerando uma grande polêmica no ar.

Perguntar não ofende: Sobre a vacina, quem fala a verdade: o presidente ou os governadores?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Kássio Nunes Marques revoltou o país ao reabrir igrejas com o sistema de saúde do país em colapso. Pode se tornar o primeiro ministro do STF a perder o cargo.

Fernandes

Este verme Bozonaro será exterminado junto com sua familícia e quem mais o estiver apoiando.

Fernandes

Pesquisa XP: 60% rejeitam Bolsonaro e Lula lidera sucessão presidencial. Lula, com 42% das intenções de voto, aparece à frente de Bolsonaro, que tem 38%, na projeção de segundo turno em 2022

Fernandes

Ciro Gomes, sobre família Bolsonaro: “Se gritar pega ladrão, não fica um” Ciro Gomes voltou a chamar Jair Bolsonaro de ladrão . No Twitter, o pedetista compartilhou uma reportagem da Folha sobre as investigações que miram os quatro filhos do presidente, e escreveu: “‘Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão’. O chefe da quadrilha é o pai, Jair Bolsonaro!”

marcos

Ciro, Queiroz, michele, rachadinha, mansão tudo mimimi pra desviar a atenção do Golpe. Acabou Porra, tem que ser no voto.



02/04


2021

Coluna da sexta-feira

JCPM acerta em cheio

Na quarta-feira passada, num comunicado aos leitores, o empresário João Carlos Paes Mendonça confirmou o que já se sabia nos bastidores: o fim da edição impressa do Jornal do Commercio. O recado já havia sido dado, há 15 dias, no start da quarentena da pandemia no Estado, quando o jornal passou a chegar aos assinantes apenas no formato digital.

Empreendedor visionário, responsável por uma grife de uma rede de supermercados, o Bompreço, da qual se desfez para contribuir com a face moderna do Nordeste, a expansão de shoppings, Paes Mendonça tirou o JC do fundo do poço, literalmente, após a mais longa e agonizante crise da sua história, que se iniciou na década de 70 e teve seu ápice em 1987, ano que comprou 100% das cotas do periódico.

“Fomos desafiados a reerguer um sistema que, à época, estava com inúmeras dificuldades. Juntos, lutamos durante mais de 30 anos para fazer do Jornal do Commercio e todo o SJCC uma referência em jornalismo independente e comprometido com a sociedade”, diz ele, na nota, para acrescentar: “E fizemos isso. Tenho orgulho da equipe que construímos. E queremos fazer muito mais”. Em seguida, destacou o desafio de entrar na nova era do jornal 100% digital.

Paes Mendonça não fez nenhuma loucura, não inventou a pólvora nem tomou a decisão aleatoriamente. A notícia em papel está fadada a sumir. Já sumiu em grande parte nas grandes potências mundiais, dos Estados Unidos, passando pela Europa e até a Ásia. Não precisa ir muito longe. No Nordeste, o Estado vanguarda na migração dos seus jornais 100% digitais foi a Paraíba, seguido de Alagoas. Em Maceió, aliás, a Gazeta, maior jornal do Estado, só está sendo impresso aos domingos, com dias contados para acabar.

O Ceará, há pouco, viu seu maior jornal, o Diário do Nordeste, virar também 100% digital. A tecnologia e a expansão do fluxo de informações transformaram a sociedade e seus hábitos. O ser humano não precisa nem sair de casa para saber os fatos de sua região ou mesmo de outros lugares do mundo. Basta ligar o rádio, a televisão, ler o jornal digital em seu celular. A Internet é o veículo de comunicação mais revolucionário.

Reúne várias formas (textos, vídeo e áudio), tudo ao mesmo tempo, com a finalidade de informar e atrair o internauta esteja ele onde estiver e a hora que quiser, pois o conteúdo fica disponível 24 horas por dia. Hoje, com os smartphones, é possível receber informações sobre qualquer lugar ou País, em diversas línguas e por inúmeros portais, aplicativos, podcasts, dentre outros formatos digitais.

Como resultado do avanço da divulgação de informação pela internet, jornais impressos já perderam espaço para grandes portais digitais. Acredita-se que somente no ano de 2019, os 10 maiores jornais impressos do Brasil tiveram uma redução de quase 36 mil exemplares.

Isso mostra o impacto de como a informação hoje é buscada e divulgada nos jornais impressos. Por fim, grandes agências de notícias e portais eletrônicos criaram sites que são alimentados a cada minuto com as notícias mais atuais, de diversos nichos de mercado.

Rádio vivo – Muitas pessoas achavam que o rádio teria seu fim decretado com o surgimento da televisão, uma vez que, na opinião de muitas pessoas, ninguém iria querer só escutar quando se podia ver, na tela, um programa. Com o advento da internet, o rádio não desapareceu, está presente com mais rapidez, eficiência e qualidade na maneira de atingir a população. Hoje, a própria televisão está tendo que se reinventar com o surgimento do entretenimento digital. Resistindo, o que não acredito, os jornais terão o desafio de se reinventar, talvez com um tom mais crítico e editorial, pois os portais de informação digital ocupam, cada vez mais, o papel central na divulgação de informação.

Quem é genocida? – Numa conversa, ontem, com este colunista, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, disse que o Governo Bolsonaro já mandou mais de 36 milhões de doses de vacina para os Estados, mas os governadores, estranhamente, só usaram a metade. “Quem é o genocida no caso? O presidente ou essa leva de governadores?” Machado acha que, além de genocidas, os governadores são incompetentes e relapsos. “O Brasil poderia estar numa situação bem mais avançada se os governadores fossem mais comprometidos com a saúde do povo brasileiro”, desabafou.

Sem roubo – Quanto às críticas à reforma ministerial, Gilson disse que ela se deu no sentido de fazer uma arrumação no Governo. “É natural que a oposição fique buscando encontrar chifre em cabeça de cavalo”, ironizou, adiantando que todos os governos, quando comprometidos com o melhor para a sociedade, têm que operar mudanças, ajustar a máquina. “Bolsonaro faz um governo cuja maior marca é não roubar. Não há corrupção em seu governo e isso o País é testemunha”, afirmou.

Volta das missas – O advogado-geral da União, André Mendonça, pediu, ontem, ao Supremo Tribunal Federal a concessão urgente de medida cautelar para liberar a realização de atividades religiosas presenciais. A AGU solicita a derrubada de decretos, federais, estaduais e municipais, citando a importância das celebrações de Páscoa. A proximidade das celebrações da sexta-feira da Paixão e do Domingo de Páscoa foi a justifica utilizada por Mendonça para pedir a urgência da medida. O advogado-geral afirma que a proibição de atividades religiosas, incluindo atividades sem aglomeração, viola o direito de crença, com “excessivo impacto sobre o direito à liberdade de religião”.

Defesa do teto – O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), saiu em defesa do teto de gastos (regra que limita o crescimento das despesas públicas à inflação) e falou na necessidade de mais cortes no Orçamento de 2021. Antes antagonista de Paulo Guedes, Maia defendeu a tese do ministro da Economia na disputa contra o Centrão – grupo de partidos sem coloração ideológica clara que adere aos mais diferentes governos. Guedes quer cortes por meio de vetos, ou, em último caso, a derrubada integral do texto. “O relator cortou R$ 10 bilhões do orçamento. Só que precisa cortar mais R$ 25 bilhões para cumprir o teto de gastos”.

CURTAS

VACINAS – O Estado recebeu, ontem, mais 394.650 doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 32.250 doses da AstraZeneca e 362.400 doses da Coronavac. Com as novas unidades, o Governo anunciou que vai começar a imunizar profissionais de segurança pública, já que esses trabalhadores foram incluídos nas prioridades do Plano Nacional de Imunização (PNI).

VERGONHA – No momento em que a rede pública de saúde do País registra falta de leitos e de medicamentos para atender pacientes da covid-19, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), elevou em 170% o limite de despesas médicas de deputados na rede privada. O valor que pode ser reembolsado com dinheiro público passou de R$ 50 mil para R$ 135,4 mil. Pelas regras internas, gastos acima disso também podem ser devolvidos ao parlamentar, mas apenas após aval da Mesa Diretora da Casa.

Perguntar não ofende: Qual o maior Judas brasileiro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro é a régua exata de grande parte da nação. Desonesto com postura moralista. Neonazista com discurso de cristão.

marcos

Lula é a régua exata de 30% do povo, Ladrão, Corrupto, Cachaceiro, Mentiroso e Côrno.

Fernandes

Bolsonaro é a régua exata de grande parte da nação. Desonesto com postura moralista. Neonazista com discurso de cristão.

Fernandes

Hoje foi o dia em que soldados romanos apoiados por religiosos da época torturaram Jesus até a morte!

Fernandes

Os hipócritas iguais a esse FILHO da PUTA marcos de camaragibe, mamador de piroca e queima rosca, usam Deus , Pátria e Família, nós amamos o Verde e Amarelo pra disfarçar suas maldades! Oh! Viado cabra safado. Filho da Puta.



01/04


2021

Coluna da quinta-feira

Uma luz no fim do túnel

Já vi muitos caciques políticos forçarem a barra para gerar a espécie do seu sucessor. Alguns acabam se frustrando com o resultado porque não enxergam algo fundamental para o exercício da vida pública: vocação. Escritor, filósofo e político, o carioca Marques de Maricá, filho de comerciante português, ensinou que há homens para nada, muitos para pouco, alguns para muito, nenhum para tudo. Traduzindo para uma linguagem direta, quem não tem vocação acaba em frustração.

Não é o caso do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), o terceiro filho do senador Fernando Bezerra Coelho, líder do Governo no Senado. FBC, como é mais conhecido, não queria, mas o destino impôs que mais dois dos seus quatro herdeiros – Fernando e Antônio – também seguissem seus passos na política. Ambos são, igualmente, animais políticos. Fernando Filho, no terceiro mandato de deputado federal, já emprestou o seu talento como ministro, ocupando a pasta de Minas e Energia no Governo Temer.

Antônio, o caçula, está no seu primeiro mandato de deputado estadual. Ave rara fora do mundo político na família, Pedro, o segundo na ordem de nascença, é cientista, poliglota e faz carreira profissional na iniciativa privada bem-sucedida nos Estados Unidos. A estrela dos herdeiros, entretanto, é Miguel, reeleito prefeito com uma das maiores votações do País, detentor de uma popularidade nunca alcançada por nenhum outro gestor, nem o pai quando esteve no auge como prefeito.

Entrevistei Miguel, mais uma vez, anteontem, no Frente a Frente. Percebi, como milhares de ouvintes, que o garoto, de apenas 30 anos, tem um discurso lógico, uma linha de raciocínio rápida e uma capacidade de convencimento impressionante. Sem arrodeios, fala coisa com coisa. Estudou muito e está preparado para desafios que podem surgir pela frente, como o de despontar como alternativa de aglutinação das forças de oposição ao Governo de Pernambuco nas eleições do ano que vem.

Apaixonado pelo que faz, com uma vitrine para apresentar ao Estado, a sua grande obra em Petrolina, Miguel parece seguir o conselho dos bons livros da arte da política e do poder: “Se queres assumir em pleno o teu trabalho, não te esqueças de que toda a vocação só se consegue concretizar com muita dedicação”.

Bronca pesada – A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara aprovou, na manhã de ontem, a convocação do ministro da Defesa para dar explicações ao colegiado. O novo chefe da pasta é o general Walter Braga Netto, que antes comandava a Casa Civil. O requerimento foi apresentado pelo deputado Elias Vaz (PSB-GO). A justificação do pedido começa com o seguinte parágrafo: “Fomos surpreendidos ao fazer um levantamento no Painel de Preços do Ministério da Economia, em processos de compras para as Forças Armadas, e detectamos a aquisição de picanha, cerveja, bacalhau, filé e salmão”.

Dentro do previsto – O vice-presidente Hamilton Mourão não vê problema na demissão dos comandantes militares no dia seguinte à demissão de Fernando Azevedo e Silva do Ministério da Defesa. Deu a declaração a jornalistas no Palácio do Planalto. “Essa aí foi uma mudança mais abrupta, mas está dentro do previsto, vamos dizer assim. Comandantes não têm mandato”, disse Mourão. Segundo ele, “qualquer um que assumir o comando das Forças vai manter a mesma forma de atuar”. “As Forças Armadas atuam dentro do tripé da legalidade, atenta à missão constitucional é a missão dada pelas leis complementares, dentro da legitimidade”, disse. “Não muda nada”, completou.

Apoio artístico – O presidente Jair Bolsonaro se encontrou, ontem, com o cantor Latino para discutir a crise que a classe artística enfrenta por conta da pandemia de covid-19. O ministro Fábio Faria (Comunicações) também participou da reunião. O compromisso não estava na agenda oficial. A reunião foi realizada em meio a uma reforma ministerial conduzida por Bolsonaro e à troca do comando das Forças Armadas. O cantor comentou o encontro em seu perfil no Instagram. “Hoje, testemunho que os bons projetos e ações que visem ao bem comum são sempre bem-vindos no Governo”.

Fim do lockdown – O Estado chegou, ontem, ao último dia da quarentena para tentar diminuir a contaminação da Covid-19. Em vigor desde o dia 18 de março, as restrições passam a ser flexibilizadas a partir de hoje, véspera do feriado de Páscoa. O retorno das atividades ocorre de maneira gradual, obedecendo aos protocolos específicos para cada serviço. O plano deve seguir até o dia 25 de abril, quando novas flexibilizações podem ser anunciadas. Foi publicado no Diário Oficial o decreto que normatiza a abertura de estabelecimentos comerciais localizados fora da Região Metropolitana do Recife. Esses espaços não podem abrir antes das 5h e devem encerrar as atividades às 20h.

Vacina particular – O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse que a Casa defende a possibilidade de a iniciativa privada adquirir doses de vacinas contra a covid-19 para aplicação em seus funcionários e para doação de parte do total adquirido ao Sistema Único de Saúde (SUS). “Um brasileiro vacinado significa uma pessoa a menos correndo risco por causa do coronavírus”, argumenta. A matéria vai entrar em discussão pela Câmara dos Deputados e visa desafogar a fila de espera do SUS.

CURTAS

BAND BOMBA – Enquanto a Globo agoniza, a Band comemora internamente um aumento avaliado em 400% em sua audiência com a estreia da Fórmula 1. Embora o comparativo entre a nova dona dos direitos de transmissão com a Globo, ex-detentora das corridas, mostre uma realidade desigual, a emissora se apega aos valores em crescimento. Na temporada de 2020, a Globo registrou audiências superiores. Com o mesmo GP do Bahrein, em novembro do ano passado, a emissora carioca teve um total de 9 pontos de audiência de média.

AGRESSÃO – Por falar em Globo, ontem, durante o “Bom Dia São Paulo”, um homem interrompeu a reportagem ao vivo de Fernanda Elnour para criticar a emissora. A jornalista falava sobre uma campanha de arrecadação de alimentos não-perecíveis em um posto de vacinação Jundiaí, interior de São Paulo, quando foi surpreendida pelo indivíduo gritando “Globo lixo”.

Perguntar não ofende: Qual a pegadinha para o 1° de abril de hoje, o dia da mentira?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Há algo de podre no reino do clã Bolsonaro.

Fernandes

Todo Direitista tem vocação Gay diz o vereador Carlos Bolsonaro (Carluxo)

marcos

Todo esquerdista tem vocação Gay diz ex deputado Jean Wyllys.

marcos

Que fique Bem Claro, Lula é Ladrão.

marcos

Numa coisa Ciro e Malafaia tem razão, ... Paruano quem votar em Ladrão é um Filho da Puta.



31/03


2021

Coluna da quarta-feira

Tensão em Brasília

O pedido de demissão conjunto dos comandantes das Forças Armadas, ontem, causou reações no meio político que vão de demonstração de preocupação até minimização da importância da troca. Alguns, afirmaram que a decisão dos comandantes sinaliza uma recusa à tentativa do presidente Jair Bolsonaro de aparelhar as Forças Armadas.

O general Edson Leal Pujol (Exército), o almirante Ilques Barbosa (Marinha) e o tenente-brigadeiro do ar Antônio Carlos Bermudez (Aeronáutica) deixaram os respectivos cargos. Na véspera, segunda-feira passada, o general Fernando Azevedo e Silva deixou o comando do Ministério da Defesa. Na nota em que anunciou a saída, disse que preservou as Forças Armadas como instituições de Estado.

Nos bastidores, a informação é de que a saída de Azevedo e Silva aconteceu porque o então ministro hesitava em demonstrar apoio dos militares a Jair Bolsonaro. Hoje, haverá uma efeméride cara à relação entre os poderes militar e civil: em 31 de março o golpe que instalou a ditadura em 1964 faz 57 anos. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), minimizou o caso. “Enxergo com naturalidade. Isso precisa ser tratado dentro de um universo próprio que é o das Forças Armadas e do ministério da Defesa sem nenhum tipo de especulação que não seja de uma troca de comando”, disse.

No Twitter, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), manifestou solidariedade aos militares que deixaram seus cargos. Para o tucano, a decisão dos comandantes de deixar os cargos “demonstraram grandeza ao recusar qualquer subserviência a inclinações autoritárias”.

Doria é um dos principais rivais políticos de Jair Bolsonaro atualmente. Ele não cita o presidente nominalmente, mas é a ele que se refere quando cita “inclinações autoritárias”. “As Forças Armadas são instituições de Estado, não de governo”, declarou Doria.

Gesto grave – Ciro Gomes disse que a demissão conjunta “é um gesto muito poderoso, muito grave”. “Potencialmente, é uma mensagem importante que eles estão mandando para várias direções”, afirmou. “Para dentro da tropa, é uma mensagem inequívoca de que eles não aceitam –e eles representam a liderança formal daqueles que estão na ativa– o apelo golpista dos setores bolsonaristas que querem envolver as forças armadas na politicagem”, afirmou Ciro no Twitter. Segundo ele, a saída dos militares do governo “é sinal de que o limite de transgressão do respeito à Constituição, ao profissionalismo das Forças Armadas, foi ultrapassado” quando Bolsonaro “demitiu sem conversar com ninguém o ministro da Defesa por razões mesquinhas”.

Recado de Baleia – O presidente do MDB, deputado Baleia Rossi (SP), lamentou a demissão, também pelo Twitter. “Exército, Marinha e Aeronáutica têm cumprido à risca suas funções como instituições de Estado, afastando-se de questões político-partidárias implementadas por governos limitados por mandatos”, escreveu Baleia. “[A Constituição] impõe direitos e deveres quanto às atuações de todos. Qualquer medida que afronte o texto constitucional deve ser entendida como desrespeito ao povo brasileiro, e isso não pode ser tolerado em um Regime Democrático”, declarou.

Líder barrado – O líder do PSL na Câmara, Major Vitor Hugo (GO), um dos congressistas mais próximos de Jair Bolsonaro, tentou emplacar um projeto que, se aprovado, daria superpoderes a Jair Bolsonaro. Há um pedido para que a proposta tramite em regime de urgência. Ou seja, avance mais rapidamente na Câmara. É assinado por Vitor Hugo e por Hugo Motta (Republicanos-PB), líder do maior bloco da Casa. Houve reunião de líderes de bancada na manhã desta 3ª feira (30.mar.2021). Esse encontro serve para decidir quais projetos serão votados no plenário. O projeto não entrou na pauta de votações.

Herói e confusão – A presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, Bia Kicis (PSL-DF), foi alvo de fortes críticas na reunião de ontem do colegiado. O motivo foi a manifestação da deputada por meio do Twitter na qual chamava de herói o policial morto por colegas na Bahia no domingo passado. Bia Kicis disse que o agente foi morto porque se recusou “a prender trabalhadores”. “Chega de cumprir ordem ilegal!”, completou, com crítica ao Governo de Rui Costa (PT). Depois, ela apagou o tweet.

Governo insensível – Em plena crise da pandemia do novo coronavírus, quando a situação social dos mais vulneráveis se agravou muito e o número de pessoas em situação de rua e com fome aumentaram, o Governo de Pernambuco suspendeu o Programa Sopa Amiga, que mata a fome, diariamente, de mais de 12.000 pessoas pobres. A denúncia foi feita em um vídeo gravado pelo deputado estadual Alberto Feitosa (PSC) e postado ontem neste blog. Como disse, ontem, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, em entrevista ao Frente a Frente, o Governo Paulo Câmara é insensível, está londe de ouvir a voz rouca das ruas. O programa funcionava no Ceasa e a sopa era produzida com sobras dos alimentos comercializados e doados por comerciantes e distribuída nas ruas por 39 entidades.

CURTAS

SUSPENSÃO – Organizações não governamentais (ONGs) questionaram gastos da Assembleia Legislativa de Pernambuco com o aluguel de carros, na pandemia. O valor, de quase R$ 6 milhões, foi alvo de denúncias, mas ontem, diante dos questionamentos, os deputados estaduais decidiram suspender a licitação por "questões administrativas".

VALOR ABSURDO – O edital previa um gasto de até R$ 5.825.950,32 com locadoras de carros. De acordo com a ONG Cidadão Fiscal, um levantamento feito a partir dos dados do Portal da Transparência da própria Alepe, esse valor saiu de R$ 500 mil, em 2012, para R$ 2,1 milhões, em 2013. No ano seguinte, em 2014, foram R$ 2,7 milhões e, em 2015, R$ 2,9 milhões.

Perguntar não ofende: Há motivos para se tremer hoje neste 31 de março pelo termômetro de Brasília? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Adolf Hitler deixou uma mensagem para o povo brasileiro: ...... Bozo é Ladrão e Genocida.

marcos

Que fique bem claro, Lula é Ladrão.

Fernandes

Bolsonaro hoje: “o Brasil precisa voltar a trabalhar”. Disse a pessoa que nunca trabalhou na vida.

Fernandes

Ciro Gomes, sobre família Bolsonaro: “Se gritar pega ladrão, não fica um” Ciro Gomes voltou a chamar Jair Bolsonaro de ladrão . No Twitter, o pedetista compartilhou uma reportagem da Folha sobre as investigações que miram os quatro filhos do presidente, e escreveu: “‘Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão’. O chefe da quadrilha é o pai, Jair Bolsonaro!”

Fernandes

Adolf Hitler deixou uma mensagem para o povo brasileiro: ...... Bozo é Ladrão e Genocida.