24/02


2021

Coluna da quarta-feira

Bancada agarra emendas

Em meio à crise na Petrobras e o agravamento da pandemia, o Congresso acelera, de forma retardada, a discussão do orçamento federal de 2021. A Constituição manda votar o orçamento do exercício até dezembro do ano anterior, mas pela primeira vez, provavelmente pela paralisação do Congresso gerada pela Covid-19, a lei não foi cumprida.

Para Pernambuco, que tem R$ 241 milhões reservados, valor administrado pelos 25 deputados federais e três senadores, o governador Paulo Câmara pediu à bancada R$ 100 milhões para quatro obras: a barragem do Gato (20 milhões), a restauração do aeroporto de Fernando de Noronha (50 milhões), a requalificação da BR-232 (30 milhões) e a implantação do Anel Viário da rodovia PE-33, no valor de R$ 12 milhões.

Mas poucos da bancada estão dispostos a abrir mão da cota individual de R$ 8 milhões para deputado e R$ 11 milhões para cada um dos três senadores. Em videoconferência ontem em Brasília, o deputado Augusto Coutinho (SD), que coordena a bancada junto com Wolney Queiroz, líder do PDT na Câmara, não sentiu firmeza na disposição dos deputados em abrir mão de parte da sua cota para ajudar o Governo do Estado.

Para Coutinho, dos R$ 100 milhões pleiteados pelo governador, pouco mais da metade pode se traduzir em algo concreto e real. "Ninguém quer abrir mão de suas emendas individuais impositivas, porque tem compromisso com seus municípios", relata Coutinho, que assegura ter aberto mão de R$ 3 milhões de sua cota de R$ 8 milhões.

O prazo para fechar as emendas parlamentares se encerra na próxima segunda-feira. Não há mais tempo para o governador fazer pressão na bancada. No start, em dezembro do ano passado, o próprio governador ligou para todos os deputados da bancada na tentativa de amarrar a totalidade dos R$ 100 milhões, mas nem os parlamentares que integram a bancada do PSB, o partido do governador, sinalizam abertamente que abrirão mão da cota individual de R$ 8 milhões.

O primeiro – Da bancada de Pernambuco, o primeiro a se manifestar em favor do Estado na reta final de discussão e votação do orçamento foi o senador Jarbas Vasconcelos (MDB). Ele próprio comunicou aos coordenadores da bancada, Augusto Coutinho e Wolney Queiroz, que da sua cota de R$ 11 milhões, R$ 3 milhões entrarão como soma para atingir a meta de R$ 100 milhões que o governador pretende atingir. Se cada deputado e os dois outros senadores liberassem esse valor autorizado por Jarbas, o Estado já garantiria R$ 84 milhões dos R$ 100 milhões propostos.

O sortudo – Em razão do processo de afunilamento do orçamento 2021, prefeitos de todo País promovem uma verdadeira invasão a Brasília. São vistos nos corredores e nos gabinetes dos deputados de pires nas mãos. Adelmo Moura (PSB), prefeito de Itapetim, no Sertão do Pajeú, foi um dos sortudos na sua peregrinação pelo Congresso. No gabinete de Jarbas Vasconcelos assegurou uma emenda de R$ 350 mil para uma retroescavadeira.

Compra – Câmara dos Deputados aprovou, ontem, a MP que possibilita que o Governo compre vacinas contra o coronavírus sem licitação e antes de a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) registrar a substância. A aplicação, porém, só poderá ser feita depois da aprovação da Anvisa, seja permanente ou emergencial. A votação foi simbólica. Ou seja, sem contagem de votos. Isso é possível quando há acerto entre os líderes partidários. Agora, a proposta vai ao Senado.

Maioria – O Supremo Tribunal Federal formou maioria, ontem, para autorizar que Estados e municípios comprem e distribuam vacinas contra o coronavírus. A permissão valerá caso o Governo não cumpra o PNI (Plano Nacional de Imunização) ou se as doses previstas no documento não sejam suficientes. A ação, apresentada em dezembro de 2020 pelo Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), é julgada em plenário virtual. Até o momento, 6 dos 11 ministros já votaram a favor da medida, inclusive o relator do caso, Ricardo Lewandowski, que deu o aval em 17 de dezembro de 2020.

Nem um telefonema – Em Brasília desde ontem, o prefeito de Limoeiro, Orlando Jorge (Podemos), só soube que o seu município, sede da II Geres – Gerência Regional de Saúde – foi incluído nas medidas de restrições, com toque de recolher, pela Imprensa. "Nem sequer um comunicado prévio por telefone recebi", disse o prefeito ao blog, ontem, em Brasília, apreensivo com os desdobramentos do decreto do Governo do Estado. Segundo o prefeito, o quadro da Covid é preocupante em Limoeiro, onde já fez 71 vítimas.

CURTAS

CASSAÇÃO – O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou, ontem, o processo contra a deputada Flordelis (PSD-RJ), denunciada pelo Ministério Público pelo homicídio do marido, o pastor Anderson do Carmo. A representação contra a deputada é a 2 de 2021. O colegiado poderá recomendar a cassação de Flordelis ao plenário da Casa.

AFAGOS – O presidente Jair Bolsonaro fez afagos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, durante cerimônia no Palácio do Planalto na tarde de ontem. Disse que o País vive um momento muito difícil e que Guedes foi uma das pessoas mais importantes no combate à crise econômica decorrente da pandemia. O elogio vem em um momento em que os investidores temem o enfraquecimento da agenda liberal do governo depois que Bolsonaro indicou um general para o comando da Petrobras, a maior estatal do país, e que tem parte do capital no mercado financeiro.

Perguntar não ofende: Por que o governador não comunicou antes o toque de recolher aos prefeitos de municípios que sediam a Geres?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Boa noite povo de Deus, só lembrando que marcos Lolita de camaragibe é mamador de piroca, e queima a rosca. Amém!

marcos

Boa noite povo de Deus, só lembrando que Lula é Ladrão. Amém

Fernandes

Pergunta que não quer calar. Se a ditadura militar era tão boa assim, porque o Brasil da ditadura entrou em crise?

Fernandes

Três pragas assolam o Brasil: A igreja evangélica, a milícia bolsonarista e a burrice.

Fernandes

Diogo Mainardi, diz que marcos Lolita de camaragibe é mamador de piroca e queima a rosca. ao vivo. O Antagonista tem razão.


Ipojuca 2021 IPTU

Confira as últimas colunas

23/04


2021

Coluna da sexta-feira

Foto: Roberta Jungmann/Folha PE

PSB antecipa 2022

Por Houldine Nascimento – interino

O secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude e presidente do PSB de Pernambuco, Sileno Guedes, fez diversos elogios ao colega Geraldo Julio, titular da pasta de Desenvolvimento Econômico e principal nome do partido para suceder o governador Paulo Câmara no próximo ano. Para ele, Geraldo foi “um dos maiores e melhores prefeitos que o Recife já teve”. A declaração foi dada ao comunicador Alberes Xavier, da Rede Agreste de Rádios.

Para além de um simples afago, o comentário sobre Geraldo é uma tentativa de acalmar integrantes da base que pensam o oposto sobre o ex-prefeito recifense. A insatisfação de alguns aliados do PSB veio à tona após uma entrevista concedida pelo deputado federal Sebastião Oliveira (Avante) a Magno Martins, titular deste blog. Na ocasião, Sebá alçou o secretário estadual da Casa Civil, José Neto, à condição de melhor nome para a disputa pelo Palácio do Campo das Princesas em 2022.

O parlamentar listou virtudes do auxiliar de Paulo Câmara, destacando um “perfil conciliador”. Além disso, afirmou que Neto “cumpre o prometido”, o que soou como uma indireta para Geraldo Julio. Outros políticos seguiram o posicionamento de Sebastião Oliveira, casos do deputado estadual Romero Albuquerque e da vereadora do Recife Andreza Romero, ambos do PP. Mais tarde, foi a vez dos deputados Rogério Leão (Avante), Guilherme Uchoa Jr. (PSC) e João Paulo (PCdoB).

O racha fez com que Sileno e o próprio Geraldo começassem a se movimentar para conter maiores danos. O líder estadual do PSB ainda chegou a dizer que ex-prefeito é leal e que o partido tem um “reconhecimento enorme” por ele. Outros sinais foram dados muito antes sobre Geraldo Julio ser o favorito da Frente Popular para concorrer ao Governo de Pernambuco: sua nomeação para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico é um deles, além da blindagem que há em torno de sua figura.

Desde 1º de janeiro no cargo, Geraldo Julio não participou de uma coletiva sequer do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 de Pernambuco. Seu antecessor, Bruno Schwambach, apareceu diversas vezes na “linha de frente”. A postura do Palácio é de não associar o ex-prefeito às sucessivas medidas restritivas implantadas pelo Governo do Estado. Quem tem substituído Geraldo neste papel é a secretária executiva de Atração de Investimentos e Estudos Econômicos, Ana Paula Vilaça, aliada de longa data.

Até o secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, funcionou como uma espécie de escudo, chamando para si o desgaste, com diversas declarações desastradas sobre a pandemia. Diante desse lançamento precoce do ex-prefeito Geraldo Julio ao Palácio do Campo das Princesas, o desafio que se põe agora para que o PSB permaneça no poder é, antes de tudo, eliminar novos focos de rebeldia, oriundos da época em que Geraldo dava expediente no Palácio Capibaribe Antônio Farias, sede do poder executivo municipal.

CONFLITO DE INTERESSES – A Câmara de Vereadores de Paulista, na RMR, criou o cargo de procurador geral legislativo no último dia 5 de janeiro, com salário de R$ 12 mil. O escolhido para esta função foi Ydigoras Ribeiro de Albuquerque, irmão do prefeito Yves Ribeiro (MDB). A Casa Legislativa é responsável por aprovar ou rejeitar as contas da Prefeitura. Caberá, então, a Ydigoras orientar o Presidente da Câmara, Edson Araújo (PSB), sobre os gastos do irmão-prefeito. O Blog procurou a Câmara Municipal para comentar o caso, mas não obteve resposta. Já a assessoria da Prefeitura disse que o tema “foge totalmente de suas obrigações institucionais”.

BOLSONARO E O CLIMA – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou, ontem, na Cúpula de Líderes sobre o Clima. Com um tom mais ameno, prometeu trabalhar para reduzir emissões de gases, além de “zerar o desmatamento ilegal até 2030” e alcançar “neutralidade climática” até 2050, antecipando em dez anos a medida. O chefe do Executivo brasileiro também falou sobre “fortalecimento” de órgãos ambientais e se comprometeu em duplicar recursos para fiscalização, destoando de posições anteriores. Ao lado de alguns ministros, entre eles Ricardo Salles, titular do Meio Ambiente, Bolsonaro também pediu dinheiro aos países estrangeiros para a proteção das florestas. Sua fala foi avaliada de forma positiva pelo Governo dos EUA, anfitrião do evento.

NOVO MARQUETEIRO – De olho na corrida eleitoral em 2022, o PDT contratou o publicitário João Santana, ex-marqueteiro das campanhas presidenciais de Lula e Dilma no PT. O anúncio foi feito pelo ex-ministro Ciro Gomes, que é vice-presidente nacional da sigla trabalhista: “Reunião de trabalho com Carlos Lupi, presidente do PDT, e com o publicitário João Santana, que nos ajuda a partir de agora na comunicação do partido.” Santana e a esposa, Mônica Moura, foram condenados a oito anos de prisão na operação Lava Jato por lavagem de dinheiro. Ambos cumprem pena em regime aberto.

IGREJAS ESSENCIAIS – A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, ontem, o substitutivo ao Projeto de Lei nº 1094/2020, que considera as atividades religiosas essenciais em situações de calamidade pública. A versão atual prevê que o Executivo poderá determinar por decreto restrições a eventos presenciais em circunstâncias excepcionais. De autoria do deputado Cleiton Collins (PP), a proposta original sofreu mudanças após parecer de Tony Gel (MDB) na Comissão de Administração Pública.

TRATAMENTO IGUAL – A secretária estadual de Infraestrutura, Fernandha Batista, entrou em contato com o Blog para pedir “tratamento igual” aos que passaram antes pela pasta. Em sua conta oficial no Instagram, ela destacou algumas realizações à frente da Seinfra/PE. Entre elas, a sinalização e a recuperação da primeira etapa da PE-275, que atravessa o Sertão do Moxotó e do Pajeú. “A malha viária do Estado foi construída, em sua maioria, entre as décadas de 70 e 80. Resolver infraestrutura não se faz apertando um botão. Enfrentar a burocracia não é algo simples, mas energia não nos falta!”, escreveu.

CURTAS

QUIOSQUES FECHADOS – Em reserva, um comerciante informou que os quiosques dos Parques da Macaxeira e de Santana, ambos na Zona Norte do Recife, permanecem fechados. A situação difere dos quiosques do Parque da Jaqueira, também no norte da cidade, e da Praia de Boa Viagem, na Zona Sul, abertos desde que Pernambuco iniciou novo plano de convivência com a Covid-19.

NOVAS MORADIAS – O Ministério do Desenvolvimento Regional fez, ontem, a entrega de moradias a 576 famílias de baixa renda em Paudalho, na Mata Norte do Estado. Cerca de 2.300 pessoas serão beneficiadas com apartamentos nos residenciais Guadalajara I e II. O investimento total foi de R$ 42 milhões. O ministro Rogério Marinho enviou o secretário nacional de Habitação do MDR, Alfredo dos Santos, para representá-lo.

Perguntar não ofende: O PSB vai conseguir conter o grupo de insatisfeitos com Geraldo na Frente Popular?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

22/04


2021

Coluna da quinta-feira

Bolsonaro e Biden frente a frente

Por Houldine Nascimento – interino

A participação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Cúpula de Líderes do Clima, que tem início hoje, está cercada de expectativas. Isso porque será o primeiro encontro, mesmo que de forma virtual, entre o chefe do Executivo brasileiro e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que organiza o evento. Ao todo, foram convidados 40 chefes de Estado.

Os dois partilham de visões opostas quanto à questão ambiental: enquanto o líder norte-americano colocou como uma de suas prioridades debater e implantar ações para enfrentar os impactos causados por mudanças climáticas, Bolsonaro buscou flexibilizar, em vários momentos de sua gestão, regras ambientais.

Em 2019, a Amazônia Legal (formada por nove estados brasileiros) teve a maior área devastada dos últimos dez anos: foram 9.762 km² de área atingida, segundo o Prodes – Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Brasileira por Satélite, vinculado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Conforme alertas, houve 89.176 focos de queimadas, o que representou crescimento de 30% em relação ao ano anterior.

Atrelado a isso está Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, que tem sido alvo de diversas críticas por sua atuação à frente da pasta. Um ano atrás, em 22 de abril, em uma reunião ministerial, Salles chegou a defender mudanças profundas nas normas ambientais, simplificando-as. Em suas palavras, era hora de “passar a boiada”.

De lá para cá, Salles agiu. Na última segunda-feira (19), mais de 400 servidores do Ibama assinaram um ofício expondo a paralisação de todas as atividades de fiscalização de infrações ambientais no órgão. Os profissionais culparam nova regra do Ministério do Meio Ambiente, determinando que a multa dada por um fiscal passe antes pela autorização de um superior.

É um aditivo a uma notícia-crime prestada dias antes ao STF pelo ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, contra o ministro, que, nas palavras do delegado, dificultou ação fiscalizadora que apreendeu mais de 200 mil metros cúbicos de madeira, considerada pela PF a maior da história do Brasil. Ricardo Salles atuou para liberar o carregamento, ilegalmente desmatado segundo a própria Polícia Federal. A situação resultou no desligamento de Saraiva.

O presidente Bolsonaro, contudo, mantém Salles no cargo. Na última semana, o chefe do Executivo enviou uma carta a Biden, prometendo eliminar o desmatamento ilegal até 2030. Antecipou-se ao encontro de hoje, na tentativa de mudar a imagem negativa sobre a questão ambiental no País. Em carta aberta, artistas dos dois países também pediram ao presidente do EUA para que recuse acordos com o Brasil. É nessa atmosfera que a Cúpula de Líderes sobre o Clima acontecerá.

APOIO – Em meio à pressão internacional para que deixe o cargo, com direito a uma discussão com a cantora Anitta no Twitter, o ministro Ricardo Salles recebeu, ontem, apoio de diversos colegas do Governo Federal e de parlamentares da base, que utilizaram nas redes sociais a hashtag “#FicaSalles”. À tarde, o presidente Jair Bolsonaro e outros ministros deram força a Salles em um almoço na casa do titular da pasta das Comunicações, Fábio Faria. O grupo chegou a fazer uma foto e compartilhar nas redes. Bolsonaro e Salles estavam ladeados.

ORÇAMENTO – O presidente Bolsonaro sancionou, ontem, o projeto aprovado pelo Congresso para resolver o impasse o Orçamento deste ano. A lei retira da meta fiscal o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e o BEm Emergencial, que permite redução de jornada e salário de trabalhadores para preservar empregos. A medida também torna mais simples o corte de verbas dos ministérios. Assim, o Governo Federal está autorizado a deixar quase R$ 100 bilhões fora da meta. O prazo final para sancionar o Orçamento termina hoje.

MENOR MORTALIDADE – Em março, o Recife teve a menor taxa de mortalidade para Covid-19 em relação às outras capitais nordestinas. O índice da capital pernambucana ficou em 20,9, ou seja, de cada 100 mil habitantes, 21 faleceram devido ao novo coronavírus. Em seguida, vêm São Luís (22,5), Maceió (27,8), Teresina (30,4), Aracaju (41,5), Salvador (46,1), Natal (47,6), Fortaleza (54,3) e João Pessoa (73,8). A informação foi extraída do banco de dados do Ministério da Saúde e divulgada, ontem, pelo prefeito João Campos (PSB) nas redes sociais.

COBRANÇA – A deputada estadual Priscila Krause (DEM) cobra explicações da Prefeitura do Recife e do Governo de Pernambuco sobre o envio de 215,4 mil ampolas de Propofol para sete estados. A medicação, utilizada na intubação de pacientes com Covid-19, foi adquirida pela gestão municipal em abril de 2020 e perderia a validade no dia 30 deste mês. No ano passado, Recife comprou 591 mil itens, dos quais 434 mil foram direcionados ao Estado. A denúncia de que esses produtos estavam encostados e prestes a vencer partiu da própria parlamentar no começo do mês. “Foi doação ou se repassou com custo para os estados beneficiados? O contribuinte recifense pagará por isso?”, questiona Priscila.

CONFIRMAÇÃO – A confirmação do repasse das ampolas de Propofol a sete estados foi feita pelo próprio secretário estadual de Saúde, André Longo, na última terça (20), ao participar de uma reunião virtual na Comissão de Saúde da Alepe. Ao Jornal do Commercio, a Secretaria respondeu que os fármacos foram "emprestados" na primeira semana de abril. Alagoas, Amapá, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe foram contemplados com os medicamentos.

CURTAS

LUTO 1 – Causou impacto no Estado a morte do cantor pernambucano Augusto César, 61 anos, na última terça (20). A informação, no entanto, foi divulgada por Elton Luna, um de seus filhos, ontem. O músico foi internado em um hospital do Recife na segunda (19). No dia seguinte, foi intubado e teve várias paradas cardiorrespiratórias. Ele tinha diabetes, sofria de insuficiência renal grave e apresentou desconforto respiratório devido à Covid-19. O enterro ocorreu ainda ontem, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, onde nasceu.

LUTO 2 – Com 35 anos de carreira, Augusto César foi um dos grandes nomes da música romântica e marcou época com sucessos como “Ela acabou comigo”, “Escalada” e “Como posso te esquecer”. Enquanto compositor, escreveu 100 canções. Ele também se notabilizou por vender os próprios CDs nas ruas do Recife. Alguns artistas o homenagearam, casos de Adilson Ramos e Michelle Melo. Já o prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (MDB), decretou luto oficial de três dias.

Perguntar não ofende: Ricardo Salles fica depois do cara a cara entre Bolsonaro e Biden?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

O nosso presidente mito Jair Bolsonaro dá um show e o mundo todo aplaudiu. A esquerda chora, segundo Maju \"o choro é livre \".

marcos

Então vamos combinar uma coisa, nas eleições de Paruano quem votar em Ladrão é um filho da Puta.

marcos

Diante de tudo isto só resta dizer que Lula é Ladrão.

Fernandes

Oito em cada dez famílias de classe média perdem renda na pandemia, diz estudo. Classe Média em queda livre. E Bolsonaro disse que ia salvar a economia…

Fernandes

O genocida foi mais uma vez, passear com sua milícia às nossas custas e fazer os brasileiros passar vergonha... Na ONU, ninguém liga para essa besta do apocalipse...


ALEPE

21/04


2021

Coluna da quarta-feira

João também quer Neto

A base governista está de fato dividida em relação ao processo interno de discussão e avaliação do quadro da sucessão do governador Paulo Câmara em 2022. No mesmo dia em que o líder do Avante, Sebastião Oliveira, lançou a candidatura do secretário da Casa Civil a governador, Zé Neto, quatro parlamentares se manifestaram também favoráveis.

Ontem, mais um deputado deixou claro que não quer o ex-prefeito Geraldo Covidão como candidato ao Palácio das Princesas. Numa sessão da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, o ex-prefeito João Paulo, que governou a cidade do Recife por dois mandatos e ainda fez o sucessor na condição de um dos maiores líderes do PT, estando hoje filiado ao PCdoB, colocou o recheio sucessório num debate técnico.

Disse que sua preferência recai pelo nome de Zé Neto, mas que ficaria de fato também satisfeito e contemplado se a aliança governista lançasse mão do nome do secretário estadual de Saúde, André Longo. “Sou simpático também à Vossa Excelência, caso pleiteie essa missão”, disse o neocomunista, surpreendendo Longo e todos os parlamentares que acompanhavam a sessão, cuja pauta era a extensão da Covid-19 no Estado.

A manifestação de João Paulo é uma prova mais que irrefutável que Geraldo não é e nunca será unanimidade dentro do bloco governista para se consolidar como candidato único e consensual ao Governo do Estado. Na verdade, o ex-prefeito chegou ao final da sua gestão de oito anos extremamente desgastado, não apenas na opinião pública, pelas sete operações da Polícia Federal de investigação quanto ao desvio de recursos federais da pandemia, mas por ser desagregador.

Basta lembrar que foi ele entrar no Governo de Paulo por uma porta para o então poderoso ex-secretário Antônio Figueira sair pela outra. É necessário lembrar que Figueira mandou e desmandou no Estado desde o primeiro dia da gestão de Eduardo Campos até a chegada de Covidão à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, pasta esvaziada, que o escondeu e o tirou, consequentemente, da mídia e da vitrine do debate eleitoral de 22.

A voz de Sebá – Em entrevista ao jornal O Poder, o líder do Avante, Sebastião Oliveira, voltou a falar da candidatura de Zé Neto. “Posicionei-me como porta-voz voz do meu partido, de aliados, de prefeitos, de ex-prefeitos, de vereadores, de deputados estaduais e de diversas lideranças políticas. Não sei se há uma articulação em curso, pois não dialoguei com ninguém do Palácio do Campos das Princesas sobre esse tema. Zé Neto é detentor de várias qualidades. Assumiu a espinhosa missão de ser o interlocutor político do Governo do Estado com a Assembleia Legislativa, prefeitos, lideranças políticas e secretarias estaduais. O desempenho dele tem sido espetacular e bastante elogiado. É praticamente uma unanimidade no meio político. Preparado, competente, atencioso e suave. Sabe dizer não com ternura. Cumpre o prometido e circula bem, além das fronteiras do PSB e da Frente Popular”, afirmou.

Sobre Joaquim – Em relação ao estado de saúde do ex-governador Joaquim Francisco, que se submeteu a uma cirurgia e mais duas intervenções na sua luta contra o câncer, seu genro Carlos Eduardo Machado informa que ele se recupera bem da cirurgia realizada em São Paulo. “No processo de recuperação, após seu retorno ao Recife, ele sentiu algumas dores abdominais. Foi necessária uma avaliação, tendo sido identificada uma hemorragia inicial na região da cirurgia (aparelho digestivo), tendo sido a mesma debelada em procedimento por cateter. Ele recuperou-se do procedimento na UTI Humanizada do RHP, tudo sob os cuidados das equipes de Dr. João Wanderley, Dr. Carlos Abbath, Dr. Herberton Medeiro, e Dr. Felipe Lopes. Hoje (ontem), já se encontra em plena convalescença em um apartamento regular, aguardando o completo restabelecimento para a permissão da alta médica”. O blog e a torcida do Flamengo querem Joaquim firme e forte de volta ao batente.

Privatização – A Câmara dos Deputados aprovou, ontem, requerimento de urgência para o PL (projeto de lei) 591 de 2021, que possibilita a venda dos Correios. O texto é do governo federal. O presidente da República, Jair Bolsonaro, levou o projeto pessoalmente ao Legislativo no fim de fevereiro. A urgência foi aprovada por 280 votos a 165, e uma abstenção. A aprovação do requerimento possibilita que a tramitação seja mais rápida e a votação do mérito seja direto no plenário. Sem a urgência, seria necessária discussão nas comissões da Casa.

Processos – O ministro Gilmar Mendes suspendeu três processos contra o presidente da Câmara, Arthur Lira, por improbidade administrativa que corriam na Justiça Federal de Curitiba. A decisão vale até que a Corte julgue o mérito do pedido. Os autos correm em segredo de Justiça, mas trecho da liminar foi publicado no site que informa o andamento do processo. “Ante todo exposto, em juízo provisório, concedo a liminar para determinar a imediata suspensão das ações de improbidade 5063442- 90.2016.4.04.7000, 506674- 13.2017.4.04.7000 e 5012249 02.2017.4.04.7000, somente com relação aos reclamantes, até o julgamento de mérito desta reclamação. Reitera-se, para todos os efeitos, que estes autos tramitam sob segredo de justiça. Intime-se. Brasília, 19 de abril de 2021”.

Em boas mãos – Gestor de João Alfredo, cidade simbólica por ser terra do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, que a governou, o prefeito José Martins está colocando a casa em ordem depois de receber uma herança maldita. Concentra seus esforços no pagamento de dívidas, na área social e, principalmente, no investimento em saúde. Martins foi vereador e passou a vida inteira no campo da oposição, não apenas ao grupo de Severino, mas da ex-prefeita Maria Sebastiana, que não conseguiu emplacar o sucessor, mesmo unindo-se ao até então grupo rival da família de Severino.

CURTAS

LIVRO 1 – O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro determinou a penhora dos direitos autorais do livro “Tchau Querida, o diário do Impeachment”, escrito pelo ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (MDB-RJ). A determinação foi feita no dia 16 de abril, um dia antes do lançamento da obra.

LIVRO 2 – A juíza Virginia Lúcia Lima da Silva, da 20ª Vara Cível do Rio de Janeiro, estabeleceu que os valores penhorados serão destinados ao pagamento de honorários advocatícios relativos a um processo em que Cunha pedia indenização à Infoglobo por causa de uma matéria jornalística.

Perguntar não ofende: Qual vai ser o próximo líder da base a declarar apoio a Zé Neto?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro falou que Jesus é petista por dividir o pão e o vinho... Entenderam porque prometeu METRALHAR os petistas?

Fernandes

Sem perder a ordem dos comentários. Ciro Gomes, sobre família Bolsonaro: “Se gritar pega ladrão, não fica um” Ciro Gomes voltou a chamar Jair Bolsonaro de ladrão . No Twitter, o pedetista compartilhou uma reportagem da Folha sobre as investigações que miram os quatro filhos do presidente, e escreveu: “‘Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão’. O chefe da quadrilha é o pai, Jair Bolsonaro!”

marcos

Que fique bem Claro, Lula é Ladrão.

marcos

Nazista anti Cristo, tua hora chegará!

marcos

Fernandes....................................................................................... Este verme Bozonaro será exterminado junto com sua familícia e quem mais o estiver apoiando. comentado em 2021-04-05 20:13:45



20/04


2021

Coluna da terça

CPI já mapeou convocados

O plano de trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 prevê chamar ao menos seis ministros ou ex-ministros do governo Jair Bolsonaro para dar explicações sobre o enfrentamento da pandemia no País. Uma versão preliminar do roteiro, elaborado por integrantes do colegiado, também cita a necessidade de ouvir secretários do Ministério da Saúde, autoridades responsáveis pela área de comunicação e governadores.

O único prefeito citado no documento é David Almeida (Avante/foto), de Manaus, cidade em que a rede de saúde entrou em colapso no início do ano, com pacientes morrendo asfixiados após o fim do estoque de oxigênio em hospitais. Como mostrou o jornal o Estado de São Paulo, a CPI deve colocar em foco a gestão dos militares na área da Saúde.

Além do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a lista inicial das autoridades que devem ser ouvidas inclui o ex-número dois da pasta, coronel Élcio Franco, além do ex-comandante do Exército Edson Pujol, que será chamado para explicar a produção de cloroquina pelo laboratório ligado às Forças Armadas. O medicamento, sem eficácia comprovada contra a covid-19, passou a ser produzido em maior escala.

O jornal informa ainda que Walter Braga Netto, atual ministro da Defesa, que comandou um comitê de crise quando estava na chefia da Casa Civil, entre outros oficiais, também devem ir a um incômodo "banco dos réus" da comissão no Senado. A CPI deve começar a funcionar na próxima quinta-feira ou na próxima semana. Um acordo entre a maior parte dos participantes prevê que Omar Aziz (PSD-AM) seja o presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) seja o vice e Renan Calheiros (MDB-AL) atue como relator.

Pau em Bolsonaro – O documento elaborado pelos senadores traz críticas à condução do governo Bolsonaro na crise sanitária. "No início da pandemia, o governo federal tentou impedir que os entes federados pudessem tomar medidas para diminuir o ritmo de propagação do vírus, a exemplo de isolamento social, uso de máscaras e álcool em gel", diz trecho do plano. Os congressistas também mencionam a disputa travada por Bolsonaro com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

CPI presencial – O Planalto, por meio do líder do Governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), tem cobrado que a CPI funcione de forma totalmente presencial e que só comece quando os participantes estiverem vacinados. O pedido é visto como uma forma de retardar o início do colegiado que vai investigar o Poder Executivo. A presença de Pazuello é sugerida em três oitivas de testemunhas. Os depoimentos têm o objetivo de apurar a omissão do governo na falta do fornecimento de equipamentos de oxigênio para o Amazonas, o uso do aplicativo Tratecov, que estimula o tratamento precoce da Covid-19 com medicamentos de eficácia não comprovada e o emprego de verbas públicas federais para combater a crise de coronavírus no Amazonas.

Lista ampla – Além de Pazuello, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), também foi incluído no rol de testemunhas desejadas da sessão da CPI que quer apurar a falta de oxigênio na cidade. Foram sugeridos ainda os nomes de Marcellus Campelo, secretário de Saúde do Amazonas; Francisco Ferreira Filho, coordenador do comitê de crise do Amazonas; Mayra Isabel Correia, Luiz Otávio Franco e Hélio Angotti Neto, secretários do Ministério da Saúde; e um representante da White Martins, fabricante de oxigênio.

Mandeta também – Para falar sobre medidas de isolamento social foram sugeridos todos que comandaram o Ministério da Saúde do Governo de Jair Bolsonaro - Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich, Pazuello e o atual ministro Marcelo Queiroga. Especialistas também foram colocados no plano de trabalho, como o biólogo e divulgador científico Átila Iamarino, e os médicos David Uip, Roberto Kalil e Ludhmila Hajjar, que foi cotada para assumir o Ministério da Saúde antes de Queiroga e chegou a conversar com Bolsonaro.

Na mira de Guedes – O ministro da Economia, Paulo Guedes, o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, e o deputado Daniel Freitas (PSL-SC), relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) que permitiu a volta do auxílio emergencial em 2021, também estão entre aqueles que os senadores querem ouvir. Eles foram mencionados no tópico que pretende apurar o funcionamento do auxílio e outras medidas de socorro financeiro durante a pandemia.

CURTAS

VOLTA AO PSL 1 – Em negociação para retornar ao PSL, partido pelo qual se elegeu em 2018, o presidente Jair Bolsonaro colocou o fim de abril como prazo para definir seu futuro político. "Já estou atrasado. Não tenho outro partido, espero que esse mês eu resolva", afirmou o presidente na manhã de ontem, em conversa com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada.

VOLTA AO PSL 2 – Bolsonaro deixou o PSL em novembro de 2019 após desavenças com o presidente da sigla, o deputado pernambucano Luciano Bivar. O principal motivo foi o controle do cofre da legenda, que se tornou uma superpotência partidária ao eleger 54 deputados, quatro senadores e três governadores na esteira do bolsonarismo. Com isso, a ex-sigla do presidente deve ter a maior fatia dos recursos públicos destinados a partidos políticos neste ano, de R$ 103,2 milhões.

Perguntar não ofende: Qual primeiro governador deveria ser convocado para depor na CPI?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Quem segue Bolsonaro, tem muita maldade envolvida!

marcos

Mas apesar de tudo não esqueça que Lula é Ladrão.

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

Fernandes

Quem segue Bolsonaro, tem muita maldade envolvida!

Fernandes

Bolsonaro testa negativo para presidente.


Bandeirantes 2021

19/04


2021

Coluna da segunda-feira

Covidão não é unanimidade

Partido majoritariamente de cúpula integrada por caciques de Pernambuco, a começar pelo presidente nacional Carlos Siqueira, cria do ex-governador Miguel Arraes, o PSB não emitiu nenhum sinal para estancar o surgimento de uma pré-candidatura a governador nas eleições de 2022, no caso o secretário estadual da Casa Civil, José Neto, para disputar internamente com o ex-prefeito do Recife, Geraldo Covidão.

Calado estava, calado ficou. Mas os que não querem hegemonia no partido reagiram com euforia ao nome de Zé Neto, como o deputado Romero Albuquerque e sua esposa, a vereadora Andreza Romero, ambos do PP, partido alinhado ao Palácio, liderado no Estado pelo deputado federal Eduardo da Fonte. Também bateu palmas o deputado Rogério Leão, do Avante, e integrante do grupo do deputado Sebastião Oliveira.

Foi Sebá, como é mais conhecido o líder do Avante na Câmara dos Deputados, que lançou o nome de Zé Neto, com acolhida eufórica, mas silenciosa, para não contrariar num todo a base governista na Assembleia Legislativa, onde o prestígio de Geraldo Covidão rasteja. Se os que têm poder de voz e decisão no partido silenciaram, na prática o ex-prefeito, alvo de sete operações da Federal em sua gestão, nunca foi nem será unanimidade.

Tem um velho ditado que diz que quem cala, consente. Evidentemente, faltando ainda um ano e sete meses para as eleições, Zé Neto não vai colocar o carro diante dos bois, mas um fato é mais do que real, oportuno: a base governista está dividida para a sucessão de Paulo Câmara e, em se tratando de uma aliança ampla, complexa e cheia de complexos tipo patinho feio, seus desdobramentos são imprevisíveis.

Sebá não iria falar por si só. O blog apurou e fez postagem, sábado passado, que Câmara e Geraldo estão distanciados, feito gato e rato, tudo porque o governador não cede às pressões para Covidão usar a máquina para fortalecer sua posição frente agora a Zé Neto. O Palácio pode até negar a briga, mas meu avô dizia que onde tem fumaça, tem fogo.

O LANÇAMENTO – De Sebastião Oliveira, em entrevista ao blog na quinta-feira passada, ao tomar a iniciativa de lançar Zé Neto para governador: “Faça uma pesquisa na base do Governo na Assembleia Legislativa. Vais constatar que José Neto é um nome consensual. Nelson Rodrigues falou que toda unanimidade é burra, mas Neto é uma notável exceção, abre um paradigma na ampla aliança que elegeu e reelegeu Câmara. Nunca vi alguém tão talhado para vida pública. Sério, fiel, leal e jeitoso, Zé Neto resolveu todas as crises na relação da Assembleia com o Governo depois que assumiu a Secretaria de Governo”.

SUJO FEITO GALINHEIRO – Escondido numa pasta sem a menor visibilidade na equipe de Paulo Câmara, de quem virou subalterno, odiado por grande parte da aliança pela maneira como tratou quando esteve no poder com caneta carregada, Geraldo Covidão se complica a cada dia com as notícias das suas contas mal-assombradas. Na semana passada, um relatório do TCE, fruto de auditoria, apontou um prejuízo de R$ 8,2 milhões em apenas dois contratos. Há, ainda, em fase bem avançada, outras 42 auditorias com combustão suficiente para atropelar a sua pretensão de concorrer ao Governo do Estado em 22.

"LULA É ODIENTO" – Em entrevista ao O Globo, ontem, Ciro Gomes, pré-candidato do PDT ao Planalto, bateu sem piedade em Lula, o chefe da quadrilha Lava Jato: “O lulopetista fanático não me apoiará. Prefere Bolsonaro. No Senado, Renan Calheiros e Eunício Oliveira apoiaram o impeachment. Aí, eu parto para cima dessa gente. E, um ano depois, lá está Lula agarrado a eles. E ainda tem quem ache que devo alguma coisa ao PT. Nunca mais faço aliança com eles. Lula virou uma pessoa que, o que diz de manhã, já não serve de tarde. Está tomado de ódio. Tudo o que domina Lula hoje é a vontade de se vingar. Lula tem cinismo.”

CRISE NA BASE – A nomeação da advogada Claudia Mansani Queda de Toledo para a presidência da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), publicada pelo governo federal quinta-feira passada, está causando desconforto entre os aliados do presidente Jair Bolsonaro. Atualmente vice-líder do governo, o pastor Marco Feliciano (Republicanos-SP), colocou o cargo à disposição. Ele cobra para que a nomeação seja desfeita.

O REI OITENTÃO – Hoje, o romantismo está em alta. É dia de celebrar os 80 anos do rei Roberto Carlos. O programa Frente a Frente, que começa às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife, será dedicado à carreira do maior cantor romântico do planeta. Desde a última sexta-feira, tenho me dedicado à produção do programa, catando depoimentos dos mais famosos artistas contemporâneos do rei. O que seria dos românticos, dos apaixonados, dos que não conseguem viver sem um grande amor se o rei Roberto Carlos não viesse ao planeta irrigar os nossos corações com as suas tertúlias de amor? Roberto Carlos é uma paixão ardente. Seu olhar, sua fala, seus gestos, suas palavras, tudo nele tem amor, brota emoção. Se ligue nessa!

CURTAS

CRIME BÁRBARO – O delegado Anderson Liberato, de 32 anos, morto na manhã de sábado passado, foi sepultado em Fortaleza. O crime aconteceu em Jataúba, no Agreste, enquanto ele cumpria dois mandados de prisão contra um casal suspeito de homicídio. A médica Solange Ferreira de Almeida, que atendeu Anderson na Unidade Mista Ana Argemira Correia, em Jataúba, disse que ele levou três tiros. Liberato era titular da Delegacia de Polícia Civil de Brejo da Madre de Deus e ingressou na corporação em 2018.

NO CEARÁ – Cerca de 70% dos 255 mil idosos que fazem parte da segunda fase do plano de vacinação de Fortaleza já foram vacinados. A informação, divulgada pela secretária municipal da Saúde, Ana Estela, se refere ao grupo de 60 a 74 anos. Na segunda fase desde 22 de março, a Capital imunizou em média mais de 6,3 mil pessoas do grupo por dia.

Perguntar não ofende: Por que ninguém do PSB saiu em defesa de Geraldo Covidão diante do lançamento de Zé Neto?  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

kkkkkkkkkkkkkkkkk o novo CABO ELEITORAL do Presidente LULA kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Fernandes

Bolsonaro , compara Lula e PT a Jesus e bomba nas redes.

Fernandes

Da série, PERGUNTAS DE GEOGRAFIA. Se Lula “roubou”, pq fez tanto? E agora pq não fazem nada se não roubam?

Fernandes

O BRASIL está pagando caríssimo por seu voto errado.

Fernandes

Bolsonaro diz que Jesus era comunista e o compara ao PT.


Serra Talhada 2021

17/04


2021

Coluna do sabadão

Paulo Câmara na mira de Lula

A notícia de que o ex-presidente petista e possível candidato ao Planalto nas eleições de 2022, Luiz Inácio Lula da Silva, estaria articulando para o seu vice ser o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), foi recebida de diferentes formas pela classe política e por eleitores locais. Uns animados, outros incrédulos ou desgostosos, a aliança entre PT e PSB no Estado, após os episódios das eleições municipais em 2020, definitivamente não é vista com bons olhos.

A especulação acontece após uma reunião virtual de Lula com Paulo Câmara. Aliados do gestor pernambucano dizem que o mais seguro para ele seria concorrer a uma vaga na Câmara Federal, mas que a composição em uma chapa presidencial ainda não estava descartada.

Já há algum tempo, Lula reforça entre os seus aliados a necessidade de compor com partidos de centro. Segundo o petista, seria importante ir além de partidos de esquerda na construção de uma candidatura pelo Palácio do Planalto. O PT e o PSB têm um longo histórico de amor e ódio. Romperam nacionalmente após o impeachment da presidente Dilma Rousseff e depois ensaiaram uma reaproximação no primeiro turno das eleições de 2018. Só tendo oficializando o reencontro após o segundo turno, quando o PSB embarcou no projeto do PT e abraçou a campanha de Fernando Haddad contra o então candidato Jair Bolsonaro. Após esse episódio de união, voltaram a se afastar em 2020, quando o atual prefeito do Recife, João Campos (PSB), travou uma verdadeira batalha com a deputada federal e então candidata à Prefeitura, Marília Arraes (PT), sua adversaria política e prima de segundo grau.

“A tarefa que todos nós, Lula, Paulo Câmara e quem tem compromisso com a democracia e com o Brasil, devemos ter é tirar Bolsonaro do poder nas próximas eleições. O momento que o Brasil atravessa é muito grave e não é hora de falar de candidatura diante do drama que o Brasil atravessa”, essa foi a opinião expressada pelo deputado federal Tadeu Alencar (PSB) quando foi questionado pela reportagem do Diário de Pernambuco sobre o caso.

Esperemos os próximos capítulos desta novela que tende a ser movimentada e seu desfecho influenciará de forma significativa a política local e nacional.

Paulo pede vacinas à ONU – O governador Paulo Câmara participou, ontem, de reunião online do Fórum de Governadores do Brasil com representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Organização Mundial de Saúde (OMS). O grupo solicitou auxílio na viabilização de mais vacinas, com o intuito de acelerar o processo de imunização no País e deter a disseminação da doença. “A aceleração da pandemia no Brasil tem chamado a atenção do mundo. Essa é uma preocupação que levamos à reunião com as entidades internacionais. Deixamos claro que precisamos da cooperação dessas organizações para garantir mais vacinas e frear a atual escalada de casos e óbitos, que colocou o Brasil como epicentro da crise mundial provocada pela Covid-19”, disse Paulo Câmara.

Petrolina não para – Na próxima semana, dois corredores de grande fluxo de Petrolina começam a ser alargados. O prefeito Miguel Coelho assinou, ontem a ordem de serviço para duplicação das avenidas Cardoso de Sá e Mário Rodrigues Coelho. As obras terão investimento de R$ 15 milhões. "São obras pensando no presente e no futuro da mobilidade de Petrolina. Nosso objetivo é até o final da gestão fazer a duplicação de 15 corredores, deixando a cidade preparada para o crescimento que estamos vivenciando", explica o prefeito Miguel Coelho.

Comando da CPI – Seis dos 11 senadores titulares da CPI da Pandemia se reuniram, ontem, e fecharam posição a favor do acordo pelo qual Omar Aziz (PSD-AM) será o presidente da comissão; o autor do requerimento de criação da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), será o vice; e Renan Calheiros (MDB-AL), o relator. Como os seis são maioria entre os 11 da CPI, se não houver mudança no posicionamento de integrantes do grupo, os três senadores estão assegurados no comando da comissão. A eleição que definirá os ocupantes dos postos dirigentes será na primeira sessão da comissão, no dia 22 ou dia 27, conforme informou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Pfizer no dia 29 – O primeiro lote de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer a ser entregue ao Brasil, com 1 milhão de doses, tem previsão de chegada em solo brasileiro no próximo dia 29, no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). A carga deve ser recepcionada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e autoridades. O carregamento virá de uma da fábrica da farmacêutica na Bélgica. Queiroga afirmou que o governo conseguiu antecipar a chegada ao país de doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19. Além disso, anunciou um aumento de 2 milhões no total de doses que devem ser entregues até junho. A vacina da Pfizer chega ao Brasil após longa negociação entre a farmacêutica e o governo.

Sem dinheiro para o brasil – Um grupo de 15 senadores do Partido Democrata dos Estados Unidos enviou uma carta ao presidente americano, ontem, em que reclamam da falta de medidas para preservar o ambiente por parte do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Os políticos dos EUA também pedem para que Biden condicione qualquer apoio à preservação da Amazônia a um progresso nas ações brasileiras. A carta foi assinada por senadores como Patrick Leahy, líder do comitê que aprova os gastos de dinheiro do governo; Bob Menendez, do comitê de relações exteriores e Bernie Sanders, que foi pré-candidato à presidência dos EUA.

CURTAS

APOSENTADORIA – O líder comunista cubano Raúl Castro, 89, anunciou, ontem, que está deixando o comando do Partido Comunista de Cuba (PCC). Assim, pela primeira vez desde a Revolução Cubana, em 1959, a ilha não terá um integrante da família Castro na cúpula – Raúl assumiu o cargo em 2011, substituindo seu irmão mais velho, Fidel (1926-2016). A decisão, que já era esperada, foi anunciada logo no discurso de abertura do congresso do partido, que deve durar quatro dias em Havana. Seu sucessor será Miguel Díaz-Canel, 60, que atualmente lidera o regime no cargo de presidente.

DELÍRIO – Após algumas informações circulando na imprensa, a deputada federal Marília Arraes (PT) publicou, em suas redes sociais, um vídeo negando a especulação de que a parlamentar pernambucana seria a vice no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no pleito de 2022. “Notícia sem pé, nem cabeça. O povo reconhece quem tem lado e minha trajetória diz qual é o meu”, disse a parlamentar.

Perguntar não ofende: Paulo Câmara vai aceitar ser vice de Lula em 2022?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Efeito Lula. Bolsonaro disse hoje a apoiadores que vai tomar a vacina contra a Covid-19. Curioso: cadê aquele Bolsonaro que disse que não tomaria a vacina de jeito nenhum e ponto final?

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

marcos

No Brasil de Lula passar um dia sem ser Roubado é muita sorte.

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

Fernandes

Quem segue Bolsonaro, tem muita maldade envolvida!


Anuncie Aqui - Blog do Magno

16/04


2021

Coluna da sexta-feira

CPI vira palanque para 22

A CPI da Covid-19 deve se firmar como uma vitrine para senadores que são potenciais candidatos nas eleições do próximo ano. Dos 11 membros indicados por blocos partidários como titulares da CPI, seis podem disputar governos estaduais e dois devem concorrer à reeleição ao Senado em outubro de 2022. A CPI irá investigar ações e omissões da gestão Jair Bolsonaro na pandemia e a aplicação de verbas federais repassadas aos estados.

Foi criada após determinação do STF, medida que irritou o presidente e provocou novo desgaste na relação entre os poderes. Por tratar da pandemia da Covid-19, assunto mais relevante do país no momento, e por acontecer em um ano pré-eleitoral, a CPI tem um cenário ideal para ampliar o capital político de seus membros. Nas sessões da comissão, eles terão um espaço para demonstrar capacidade de trabalho, defender aliados e fustigar potenciais adversários nos estados.

Tradicionalmente, as CPIs com grande repercussão no Brasil costumam servir de vitrine para os seus membros. A CPI dos Correios de 2005, por exemplo, catapultou nomes como Eduardo Paes (DEM-RJ), ACM Neto (DEM-BA) e Gustavo Fruet (PDT-PR), que posteriormente elegeram-se, respectivamente, prefeitos do Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba.

Na CPI da Covid-19, o principal membro do campo governista será o senador Ciro Nogueira (PP), que comandará a parte da tropa de choque de Bolsonaro na comissão, atuando como uma espécie de anteparo para preservar o presidente. Em meio de mandato, o senador é pré-candidato ao Governo do Piauí no próximo ano e, com o apoio de Bolsonaro, tentará romper a hegemonia do grupo do governador Wellington Dias (PT), que trabalha o nome do secretário estadual Rafael Fonteles (PT) para a sucessão.

Outro membro governista da CPI que já anunciou publicamente que pretende concorrer à eleição do próximo ano é o senador Jorginho Mello (PL), pré-candidato ao Governo de Santa Catarina. Na CPI, Mello terá a oportunidade de mirar a artilharia contra o governador afastado Carlos Moisés (PSL), que é alvo de um processo de impeachment pela compra, sem licitação, de 200 respiradores que nunca foram entregues.

Carlos Moisés foi afastado do cargo pela segunda vez em março deste ano. Desde então, quem comanda o estado é a vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido), que é aliada de Jorginho Mello. Também governistas, os senadores Eduardo Girão (Podemos) e Marcos Rogério (DEM) podem concorrer, respectivamente, aos governos do Ceará e de Rondônia em 2022. Eleito de forma surpreendente em 2018, Girão deve ser o nome da oposição no Ceará e polarizar nas urnas com o candidato da base do governador Camilo Santana (PT), ainda não definido.

Girão foi o senador que propôs e colheu assinaturas para a criação de CPI da Covid-19 para investigar estados e municípios, que acabou sendo unificada com a comissão criada para investigar o governo federal. Ao justificar sua posição de apurar estados e municípios, Girão mirou Camilo Santana e o ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio (PDT), um dos nomes cotados para disputar a sucessão no Ceará em 2022.

Dois candidatos – Dentre os sete nomes de partidos independentes ou de oposição que vão compor a CPI, dois podem disputar os governos estaduais e dois devem concorrer à reeleição ao Senado no próximo ano. Um deles é Eduardo Braga (MDB), senador em meio de mandato pelo MDB que é pré-candidato ao Governo do Amazonas no campo de oposição ao do governador Wilson Lima (PSC), que é aliado de Bolsonaro. Lima foi alvo de uma operação da Polícia Federal após a compra de respiradores considerados inadequados e com suspeita de sobrepreço por meio de uma adega importadora de vinhos de Manaus. O Amazonas também enfrentou um colapso na saúde no início deste ano, inclusive com falta de oxigênio nos hospitais para pacientes com Covid-19.

A Marília de 22 – Já o senador pernambucano Humberto Costa, com presença certa na CPI, já teria ido a Lula pedir o seu apoio para disputar o Governo de Pernambuco em 22, isso quando o ex-presidente ainda não havia sido inocentado pelo ministro Edson Fachin. Após Fachin anular todas as condenações do petista e devolvê-lo os direitos políticos, o cenário mudou. Candidato, Lula prioriza agora uma aliança com o PSB. Humberto, neste caso, tende a ser a Marília Arraes de 22, ou seja, ser trocado, como Marília foi em 2018, pelo candidato do PSB a governador.

Na disputa – Na oposição frontal a Bolsonaro, o senador Randolfe Rodrigues está em meio de mandato e pode ser candidato ao Governo do Amapá. Desde o início da pandemia, ele tem evitado falar sobre a corrida eleitoral, mas aliados afirmam que o seu nome é o mais forte da oposição para enfrentar o grupo do governador Waldez Góes (PDT). O senador Renan Calheiros (MDB) não será candidato no próximo ano, mas a CPI será a grande oportunidade para ele retomar parte do prestígio que já teve nacionalmente, sendo presidente do Senado por três vezes. Esta retomada é crucial para manutenção do poder de seu grupo político em Alagoas, onde o seu filho, o governador Renan Filho (MDB), encerra seu segundo mandato e ainda não tem um candidato natural à sucessão.

Aos jornalistas – O Senado aprovou projeto que inclui jornalistas nas atividades que podem ser registradas como MEI (Micro Empreendedores Individuais). Atualmente, jornalistas que trabalham como freelancers registram empresas, emitem notas fiscais e recolhem impostos. No entanto, a lei em vigor não dá possibilidade de que eles se registrem como MEI. Para exercer a atividade, eles devem abrir micro ou pequenas empresas comuns. Também há a possibilidade de indicarem atividades relacionadas ao jornalismo para poderem se registrar como MEI.

O barraco de Xuxa – Xuxa Meneghel está no meio de uma polêmica. Após graves acusações contra Marlene Mattos, sua ex-diretora, a loira foi acionada na polícia. A empresária decidiu recorrer e registrou ocorrência contra a ex-pupila na 42ª DP do Rio de Janeiro. De acordo com o jornal O Globo, Marlene acusa Xuxa de calúnia. A acusação da diretora foi feita com base em entrevista concedida pela “rainha dos baixinhos” à revista Veja em 27 de janeiro. Na ocasião, a apresentadora disse ter sido “roubada, enganada, usada e manipulada”.

CURTAS

ABSOLVIDOS – O Tribunal de Contas da União (TCU) absolveu a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci do rol de condenados pelas irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobras. Ambos eram membros do Conselho de Administração da companhia na época em que a aquisição foi realizada, em 2006. A decisão foi aprovada por unanimidade.

Os sem água – Apesar das fortes chuvas, Recife, Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho terão pelo menos 430 mil moradores que passarão a contar com uma redução no rodízio de água a partir da próxima segunda-feira, segundo o novo calendário de abastecimento para esses municípios divulgados pela Compesa, a pior estatal brasileira em se tratando de levar água aos consumidores.

Perguntar não ofende: Quem presta pior serviço: a Celpe ou a Compesa?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ciro Gomes, sobre família Bolsonaro: “Se gritar pega ladrão, não fica um” Ciro Gomes voltou a chamar Jair Bolsonaro de ladrão . No Twitter, o pedetista compartilhou uma reportagem da Folha sobre as investigações que miram os quatro filhos do presidente, e escreveu: “‘Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão’. O chefe da quadrilha é o pai, Jair Bolsonaro!”

marcos

Será que Lula quer vender o Triplex do Guarujá?

Fernandes

Boa Noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda. Lembrando Bolsonaro é Genocida e Ladrão!

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

Fernandes

Ciro Gomes, sobre família Bolsonaro: “Se gritar pega ladrão, não fica um” Ciro Gomes voltou a chamar Jair Bolsonaro de ladrão . No Twitter, o pedetista compartilhou uma reportagem da Folha sobre as investigações que miram os quatro filhos do presidente, e escreveu: “‘Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão’. O chefe da quadrilha é o pai, Jair Bolsonaro!”


Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

15/04


2021

Coluna da quinta-feira

Mão amiga na pandemia

Quando fez a travessia dos seus negócios de supermercados para shoppings, o empresário João Carlos Paes Mendonça, da antiga grife Bompreço, ampliou ainda mais os projetos sociais que vinham sendo postos em prática como contribuição ao País para amenizar a fome e reduzir as desigualdades sociais. Em seus shoppings no Recife, Fortaleza, Aracaju e Salvador é possível ver a olho nu os resultados das ações empreendidas com seriedade e rigor pelo Instituto JCPM de Compromisso Social.

Quando ainda atuava no Diário de Pernambuco, convidado pelo empresário, estive Ribeirópolis, na Serra do Machado, em Sergipe, seu Estado natal. Sai de lá impressionado com o conjunto da obra social mantido pela Fundação Pedro Paes Mendonça, aberta há muito tempo com o nome do seu pai, com quem deu os primeiros passos no comércio numa bodegazinha. Símbolo vivo da terra seca euclidiana, Serra do Machado serviu de espelho e inspiração para essa solidariedade humana ser estendida a outros Estados.

Há um ano, o Brasil vive a era da pandemia, de dias cruéis, com a fome estampada em todos os lares da pobreza nordestina. O fechamento de shoppings pelas medidas de restrição, a queda nas vendas e as intempéries da covid-19 não foram impedimentos para o Instituto JCPM suspender seu guarda-chuva solidário. Pelo contrário. Só com a pandemia foram aplicados R$ 5,3 milhões, beneficiando famílias em situação de vulnerabilidade, jovens matriculados no IJCPM e pessoas atendidas por entidades sociais da comunidade, como Igrejas e ONGs nos Estados de Sergipe, Bahia, Ceará e Pernambuco.

Uma das iniciativas de maior relevância foi a distribuição de alimentos, com a doação de 37.988 cestas básicas, das quais 2.730 em Aracaju, 1.219 na Serra do Machado, 19.216 em Recife e Caruaru, 7.829 em Fortaleza e 6.974 em Salvador, totalizando R$ 3,5 milhões com a iniciativa. Entre os beneficiados estão alunos do IJCPM, pescadores, cooperativas de catadores e de taxistas que atuam nos empreendimentos do Grupo e famílias atendidas por mais de 40 entidades que desenvolvem iniciativas sociais nas comunidades.

A mão estendida pelo Instituto foi mais além. Uma das primeiras medidas, tomadas em março, quando os dias de aflição se instalaram na sociedade, foi a doação de 10 respiradores nos quatro Estados nordestinos, investimento da ordem de R$ 880 mil. Ainda em Sergipe, além de cestas básicas doadas aos alunos do IJCPM, a instituições do Santa Maria e povoado Areia Branca, a moradores da Serra do Machado e aos associados da Cooperativa dos Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju que atuam nos shoppings Jardins e Riomar, o Grupo doou dois respiradores ao Hospital da Universidade Federal de Sergipe e firmou parceria com a Prefeitura de Aracaju, cedendo espaço e apoio logístico para a vacinação drive-thru contra a gripe no estacionamento do Riomar Shopping.

Se todo empresário agisse assim, com o coração e alma impregnados de amor pelo próximo, talvez o tamanho da fome e a extensão da doença na sociedade estivessem, hoje, em proporções bem menores, sem tanta dor, sem tamanho sofrimento. A solidariedade é, sem dúvida, o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana.

Crise braba – O presidente Jair Bolsonaro disse, ontem, que o Brasil está na iminência de uma “crise enorme”. Afirmou que só aguarda uma “sinalização” do povo para agir, sem detalhar o que seria essa ação. Bolsonaro também criticou recentes decisões do STF e medidas de isolamento social para conter a pandemia. Falou que dá tempo de evitar o “aumento da temperatura” no País. “É só parar de usar menos a caneta e um pouco mais o coração”, afirmou. “O Brasil está no limite. O pessoal fala que eu devo tomar uma providência. Estou aguardando o povo dar uma sinalização porque a fome, a miséria e o desemprego está aí [sic], só não vê quem não quer. Ou quem não está na rua. Eu sempre estive na rua”, disse.

Aumento de roubos – Em março, quando Pernambuco completou um ano de confirmação dos primeiros casos de Covid-19 e de medidas restritivas para conter a pandemia, o Estado registrou 4.081 roubos. O número, de acordo com a Secretaria de Defesa, é 21% menor que em março de 2020, quando houve 5.166 queixas de Crimes Violentos contra o Patrimônio. Com relação a fevereiro, a redução foi de 0,99%. Nos três primeiros meses do Estado, a SDS contabilizou 12.944 roubos. Comparando-se ao primeiro trimestre de 2020, foi uma redução de 25,4%. Os casos englobam roubos de veículos, celulares e carga, bem como investidas em ônibus.

Maioria oposicionista – O apoio ao governo de Jair Bolsonaro deve ser minoria no colegiado da CPI da Pandemia, já que há apenas quatro senadores que são mais ligados ao Planalto e outros sete que são oposicionistas ou independentes. Entre os que apoiam o governo estão os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional do PP; o líder do DEM no Senado, Marcos Rogério (RO); o senador Jorginho Mello (PL-SC) e o senador Marcos do Val (Podemos-ES). Já na oposição estão Humberto Costa (PT-PE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP). O grupo dos independentes pode dar trabalho a Bolsonaro, já que seus integrantes votam junto com o governo em diversas matérias, mas são críticos à administração e ao combate à pandemia em diversos pontos.

Shoppings fechados – Dados da Associação Brasileira de Shopping Centers mostram que 233 shoppings dos 601 existentes no Brasil estavam fechados. Entre os outros 368, nenhum está funcionando normalmente, mas sim com algum tipo de restrição. Para o presidente da entidade, Glauco Humai, isso representa uma incongruência, já que outros setores da economia funcionam quase totalmente. “Os shoppings estão fechados, mas a construção civil está funcionando, a indústria está aberta, a agropecuária está aberta, até as igrejas estão abertas. Não tenho nada contra esses setores, mas quero que todos funcionem, inclusive os shoppings. Porque na rua as lojas estão abertas, o que está fechado é o varejo formal “, diz

O exemplo de Curitiba – O mesmo grupo de cientistas que previu o aumento de mortes por covid-19 em Curitiba, no início de março, divulgou novo artigo, ontem, mostrando que a adoção de isolamento social mais rígido após o alerta, entre os dias 13 de março e 4 de abril, reduziu a média de óbitos e ajudou a salvar pelo menos 1, 5 mil vidas. O documento, que também foi encaminhado às autoridades locais, aponta que apesar de positivas as medidas ainda não foram suficientes para frear uma nova onda de contágio, podendo ocorrer novo aumento de casos em maio com o afrouxamento das regras que valem desde 5 de abril.

CURTAS

SEM VACINA – Três das 27 capitais brasileiras paralisaram a aplicação da primeira dose contra a Covid, ontem, por falta de doses: João Pessoa – que também deixou de aplicar a segunda dose –, Rio Branco e Salvador. Além delas, em Curitiba, a ampliação primeira dose para pessoas com 66 anos ou mais, que começou na terça-feira passada, foi suspensa ontem. Outros grupos que já vinham recebendo a primeira dose seguem sendo imunizados.

INTERNET – Em um ano, o número de internautas no Brasil aumentou em 6,1 milhões de pessoas. Havia no País, ao final de 2019, 143,5 milhões pessoas conectadas à internet (78,3%). Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad C), com levantamento feito no 4º trimestre de 2019, divulgada, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Perguntar não ofende: A CPI da pandemia servirá apenas de palanque eleitoral?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Lula tá elegível babaca!

marcos

Só não esquecer que Lula é Ladrão.

Fernandes

8 X 3 LULAAAAAAAAAAAAAA

Fernandes

segundo a Globo quando as praticas eram ilícitas a gasolina custava R$ 2,80 agora que são licitas custa R$ 6,00 entenderam?

Fernandes

CPI contra Bolsonaro. Lula elegível. Os ventos estão mudando...



14/04


2021

Coluna da quarta-feira

Ladrões também na CPI

A CPI da Pandemia, oficializada na tarde de ontem, pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), teve a sua proposta ampliada e poderá apurar eventuais irregularidades em estados e municípios, atendendo ao senador Eduardo Girão (Podemos-CE), que pretendia criar uma outra CPI para investigar governadores e prefeitos ou ampliar o alcance da CPI proposta por Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Imposta pelo Supremo numa ação desmoralizadora para o Congresso, a CPI agora está unificada e a investigação de estados e municípios está limitada somente "à fiscalização dos recursos da União repassados aos demais entes federados para as ações de prevenção e combate à pandemia da Covid-19". Essa ampliação do alcance da CPI era defendida por parlamentares governistas e pelo presidente Jair Bolsonaro.

Nunca se roubou tanto nesse País de quinta categoria! Engessado pelo Supremo, que deu autonomia aos Estados e Municípios na gestão da pandemia, Bolsonaro abriu as torneiras dos cofres federais sem distinção. Municípios de menos de 20 mil habitantes chegaram a embolsar R$ 3 milhões, valor bem acima do repasse institucional mensal do FPM. Após o socorro financeiro bilionário da União, as finanças públicas estaduais e municipais fecharam o ano de 2020 praticamente ilesas à pandemia de Covid-19.

Enquanto o governo federal teve um rombo histórico e viu a dívida pública aumentar, governadores e prefeitos registraram a maior disponibilidade de caixa dos últimos 20 anos e encerraram o ano no azul, no melhor resultado primário desde 1991. O conjunto dos Estados e Municípios teve um superávit primário de R$ 38,75 bilhões no ano passado, de acordo com dados do Banco Central. Esse é o montante em que as receitas superaram as despesas. O resultado do ano passado também foi mais que o dobro do registrado em 2019, quando as contas dos governos locais ficaram no azul em R$ 15,2 bilhões.

A conta da Covid-19 sobrou toda para a União. O governo federal teve um rombo de R$ 743,1 bilhões no ano passado, incluindo as despesas extras para combater os efeitos da pandemia na saúde e na economia. Somente com o socorro extra, a União repassou R$ 60 bilhões a estados e municípios, em quatro parcelas pagas entre junho a setembro. Foram R$ 10 bilhões destinados a ações de saúde e assistência social, sendo R$ 7 bilhões a governadores e R$ 3 bilhões a prefeitos.

Os R$ 50 bilhões tiveram aplicação livre, sendo R$ 30 bilhões para os estados e R$ 20 bilhões para os municípios. E as excelências – governadores e prefeitos – usaram essa dinheirama para salvar a vida dos mais de 350 mil brasileiros contaminados? Claro que não. Roubaram descaradamente. Com a ampliação das investigações, veremos se de fato a Justiça culpará os verdadeiros genocidas da pandemia.

Dívidas suspensas – A União também suspendeu o pagamento de dívidas dos governos locais. Com isso, prefeitos e governadores tiveram uma folga de R$ 65 bilhões, totalizando a ajuda extra do governo federal aos governos locais em R$ 125 bilhões. O Executivo realizou, ainda, as transferências constitucionais previstas em lei, liberando R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados (FPE) e municípios (FPM). Com o pacote de ajuda, os estados e municípios terminaram o ano com dinheiro em caixa. Segundo dados do Tesouro Nacional, os governos locais tinham R$ 82,8 bilhões sobrando nos cofres públicos.

Pipoco nas contas – Em contrapartida, a dívida pública do setor público aumentou após os gastos extras para ajudar governos locais, pessoas e empresas durante a pandemia ela atingiu R$ 6,615 trilhões em 2020, o equivalente a 89,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Foi uma alta de 15 pontos percentuais. Em 2019, a dívida estava em 74,3%. O resultado de 2020 foi o maior de toda a série histórica do Banco Central, que começa em 2006.

R$ 43 bi em 6 meses – Nos últimos seis meses, desde o início da pandemia causada pelo coronavírus no Brasil, o governo federal repassou cerca de 43 bilhões de reais aos mais de 5.500 municípios do país como recursos extraordinários sob a justificativa de fortalecer o atendimento de saúde pública na ponta, os postos de saúde, administrados pelas prefeituras. O valor equivale a um terço de todo o orçamento previsto para a Saúde no país em 2020 (125 bilhões de reais) ou quase dois terços da totalidade da estimativa de custos para a cidade de São Paulo no ano (68,9 bilhões de reais).

Quem mais levou – Segundo levantamento realizado com base em dados divulgados pela Câmara dos Deputados, as capitais do País lideraram o ranking de recebimento de verbas emergenciais, sendo São Paulo (1,7 bilhão de reais), Rio de Janeiro (821 milhões de reais), Belo Horizonte (667 milhões de reais), Fortaleza (470 milhões de reais), Curitiba (450 milhões de reais), Salvador (437 milhões de reais) e Porto Alegre (409 milhões de reais) as que ocupam os primeiros lugares da lista. Faixa populacional e valores gastos com saúde pública nos anos anteriores foram os critérios definidos para estabelecer os valores dos repasses aos municípios.

Emendas individuais – Outra fonte de recurso aos municípios foi a liberação do governo para que parlamentares alterassem o destino das emendas parlamentares individuais e de bancada previamente aprovadas pelo orçamento para direcionar os recursos para o combate à pandemia. O parlamentar que, segundo dados disponibilizados pela Câmara dos Deputados, mais disponibilizou recursos de emendas individuais para a Covid-19 foi o deputado federal Dr. Jaziel (PL-CE), aliado do presidente Jair Bolsonaro, que destinou R$ 12,2 milhões às suas bases.

CURTAS

R$ 42 BI PARA PE – No caso de Pernambuco, o Estado recebeu da União R$ 42,7 bilhões, sendo R$ 17 bilhões na rubrica “Benefícios ao Cidadão”, R$ 19,5 bilhões para o Estado e seis municípios, R$ 4,8 bilhões exclusivos para tratamento da Covid-19 e ainda R$ 1,4 bilhão da suspensão da dívida com a União. No total para os Estados, o presidente Bolsonaro remeteu R$ 420 bilhões.

INDICAÇÕES – Os blocos partidários já têm 8 dos 11 nomes para serem titulares da CPI da Covid-19 no Senado. As escolhas ainda não são definitivas porque podem mudar até a oficialização da indicação. A divisão de cadeiras dos 11 titulares e sete suplentes é feita, tradicionalmente, baseada no tamanho dos blocos partidários que existem na Casa. Para que isso seja alterado dessa vez e outro método de distribuição seja usado, seria preciso um amplo acordo entre os senadores.

Perguntar não ofende: Não é vergonhoso o Congresso viver a reboque do Supremo Tribunal Federal?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Moradores do maior edifício de Goiânia fazem homenagem ao ex presidente Lula!

marcos

Lula o Ladrão tem apoio da Elite de Goiânia. Ladrão gosta de Ladrão.

Fernandes

Após gastar R$ 2,4 milhões nas férias, Bolsonaro promete: vai ter mais. Bolsonaro , depois de gastar 2,4 milhões de reais em suas férias no interior de São Paulo e em Florianópolis, provocando aglomerações nas praias em plena epidemia, prometeu gastar ainda mais.

Fernandes

Nove partidos lançam apelo por um basta ao governo criminoso de Bolsonaro.

Fernandes

Moradores do maior edifício de Goiânia fazem homenagem ao ex presidente Lula!



13/04


2021

Coluna da terça-feira

Miguel e Anderson com Bolsonaro 

Dos três pré-candidatos a governador em 22, Miguel Coelho (MDB), prefeito de Petrolina, e Anderson Ferreira (PL), gestor de Jaboatão, aparecem na linha de frente na ocupação estratégica do noticiário na mídia estadual. Também cotada para entrar na disputa, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), não revela disposição para o embate.

Os que a conhecem e gozam da sua intimidade dizem, em off, que não será candidata em hipótese alguma, nem mesmo se o cavalo descer seladinho do céu para montar. Miguel e Anderson, a esta altura, embora não assumam, são vistos e apontados como alternativas bolsonaristas no Estado, ou seja, candidatos com plataformas e discursos em sintonia com o Governo do presidente da República.

Bolsonaro, entretanto, vive um momento em baixa, de governo mal avaliado, envolto numa crise após outra, com índices apáticos nas pesquisas para entrar na disputa pela reeleição, tendo sido já, numericamente, ultrapassado pelo ex-presidente Lula. O cenário não é bom para apadrinhar ninguém. Miguel e Anderson sabem disso.

Mas ambos não poderão fugir do vínculo por falta de alternativas. Lula, conforme este blog antecipou, ontem, é candidatíssimo numa aliança com o PSB, para arrastar em Pernambuco o desgastado Geraldo Júlio, o pior prefeito do Recife de todos os tempos. A polarização está latente, só não ver quem não quer.

Como, a princípio, não há cenário para o desaguadouro de uma terceira via na disputa presidencial, restando, no momento, apenas a candidatura de Ciro Gomes, Miguel ou Anderson, seja qual for deles o candidato, terá que assumir o discurso, as propostas e as teses bolsonaristas, além de defender com afinco o Governo Federal.

Nas entrevistas, nem Miguel nem Anderson têm agido assim. Receio de contaminação, aposta num cenário novo ou mesmo falta de coragem para assumir a defesa de um presidente enfrentando turbulências? Tem marqueteiro achando que não haverá a nacionalização da campanha. Posso até estar enganado, mas a campanha que se aproxima será plebiscitária: Bolsonaro ou mudança.

Nem Miguel nem Anderson escapará deste alinhamento. 

Alinhamento – Por ser filho do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, o pré-candidato do MDB, Miguel Coelho não escapará do casamento da sua candidatura com a de Bolsonaro. Anderson, por sua vez, não tem vínculo não forte, mas o seu partido, o PL, é carne e unha com o presidente, relação que tem como principal ator o presidente nacional da sua legenda, Valdemar Costa Neto. Sem mandato, como o presidente do PTB, Roberto Jefferson, Valdemar tem um naco grande no Governo Bolsonaro, sendo aliado fiel.

No ataque – Lula voltou a ser o Lula verdadeiro, longe do estilo Lulinha, paz e amor. Ontem, destilou seu veneno contra o jornalista Merval Pereira, do jornal O Globo. "Uma parcela da imprensa, muito grande, contribuiu para que a gente chegasse aonde chegamos (no Brasil). Um jornalista como o Merval (Pereira), que dá palpite o dia inteiro, e fala bobagem o dia inteiro, tem responsabilidade com isso", atacou. Em seguida, irônico, insinuou que o comentarista é vaidoso e soltou um palavrão ao se referir à parte da imprensa que o desagrada.

Fala muita m... – "Eu não vou citar mais nomes aqui, só o Merval, porque ele gosta que cite o nome dele. Mas tem muita gente que fala m... a vida inteira", acrescentou. Além de colunista de 'O Globo' e da rádio CBN, Merval Pereira é um dos principais comentaristas de política da Globonews e tem acesso direto aos Marinhos, donos do Grupo Globo. O jornalista já foi criticado também por Bolsonaro. Em suas participações nos telejornais da Globonews, o imortal da Academia Brasileira de Letras não economiza análises duras contra o atual presidente.

Governadores – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), prepara uma consulta à Secretaria-Geral da Mesa para questionar se é possível a ampliação da abrangência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, a fim de incluir governos estaduais e municipais na investigação. O parecer da área jurídica servirá de base para Pacheco decidir se o Senado incluirá ou não nas apurações as condutas de governadores e prefeitos durante a pandemia. A dúvida principal deve-se a um trecho do regimento interno do Senado segundo o qual “não se admitirá comissão parlamentar de inquérito sobre matérias pertinentes aos Estados”, conforme consta do artigo 146.

Mudanças climáticas – O Fórum Nacional de Governadores articula o envio de uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre as mudanças climáticas. A iniciativa é liderada pelo coordenador do grupo, Wellington Dias (PT), o governador do Piauí, e por Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo, entusiasta do tema. A peça, escrita com apoio do CBC (Centro Brasil no Clima), de instituições da sociedade civil, pesquisadores e cientistas, será enviada ao governo norte-americano até 20 de abril. No texto, os governadores brasileiros devem dizer a Biden que estão preparados para colaborar com os Estados Unidos para a preservação do meio ambiente no Brasil.

CURTAS

EMPREGOS – Das mais de 12 mil novas vagas de emprego criadas no Ceará em fevereiro, mais de 80% foram geradas por micros e pequenos negócios (MPE), com 9.961 vagas. Ao todo, no primeiro bimestre do ano, foram contabilizados 20.211 novos empregos formais pelos pequenos negócios. As informações são de um levantamento realizado pelo Sebrae, baseado nos dados do Caged, órgão do Ministério da Economia.

ASSINATURAS – O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) conseguiu assinaturas suficientes para a abertura de uma CPI que investigue também estados e municípios em relação à gestão da pandemia. A ação é uma resposta da base de apoiadores do presidente Bolsonaro, que vem protestando pela ampliação das investigações desde o anúncio do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM/MG), de que instalaria a CPI da Covid-19 a pedido do STF. Na prática, a mudança tiraria o foco do Governo Federal.

Perguntar não ofende: Sem investigar os governadores e prefeitos que desviaram o dinheiro da Covid-19, para que servirá a CPI imposta pelo STF?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Boa noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.

Fernandes

Pronto… agora o cerco fechou… tchau querido.

Fernandes

Antes tarde do que nunca. Finalmente a OAB se posicionou com firmeza.

Fernandes

Já são dois anos falando “agora ele cai”. Alguém mais percebe que esse discurso não está funcionando?

Fernandes

Comissão da OAB conclui que Bolsonaro agiu para propagar a Covid e deve sofrer impeachment.



12/04


2021

Coluna da segunda-feira

O corrupto e o suspeito  

Candidato ao Planalto em 22, liberto da prisão pela leitura equivocada do STF em relação à prisão em segunda instância, já com direitos políticos reconquistados pelo ministro Edson Fachin, da mesma corte, nomeado por Dilma, o ex-presidente Lula já pode contar, novamente, com o velho aliado de ocasião, o PSB.

O casamento está praticamente reatado. Se deu, de início, por um flerte, teve o noivado confirmado na conferência da última quarta-feira, na qual fizeram juras de amor o próprio Lula com o governador Paulo Câmara e a tropa socialista no Estado, com exceção do prefeito João Campos, uma espécie de noiva comprometida da boca para fora com Ciro Gomes, pré-candidato do PDT.

PT e PSB nunca falaram a mesma língua e vivem feito o gato e o rato. Dependendo do tamanho do queijo, dão-se as mãos por conveniência. No Recife, quem tirou o PT da Prefeitura foi Eduardo Campos, então principal líder do PSB. Sabido, viu que João da Costa ou qualquer candidato petista seriam inelegíveis, diante da má gestão de Costa, invenção de João Paulo, tirou Geraldo Júlio do bolso do colete.

Ilustre desconhecido, o candidato do PSB se elegeu com o mote “Foi Geraldo quem fez”, tomando para si um quinhão de obras com o DNA de Eduardo. Uma mentira deslavada, diga-se de passagem. Mais tarde, PSB e PT viram que perderiam a eleição para Marília Arraes em 2018, se uniram, mais uma vez, desta feita para reeleger Paulo Câmara e dar mais oito anos de mandato a Humberto Costa no Senado, que não se elegia nem federal.

Agora, 2022 é pleito de ocasião para PT e PSB. Lula precisa de tempo de TV e palanque nos Estados, enquanto o PSB, para se manter eternamente no poder em Pernambuco, vai pegar carona na face mítica de Lula. Assim, Lula terá um vice do PSB na chapa presidencial e Geraldo, o pior prefeito do Recife, alvo de seis operações da Polícia Federal, será beatificado santo por Lula nas andanças pelo Estado.

A política, para PSB e PT, conforme mostra a história, é a arte de captar em proveito próprio a paixão dos outros. Tem a sua fonte na perversidade e não na grandeza do espírito humano. Já ouvi que a guerra política é aquela em que todos atiram pelos lábios. Lula e o PSB mentem e enganam de longe, pela leitura labial. Vencer na política, para ambos, não é tudo: é a única coisa. Para PSB e PT, o que não é possível é falso.

Abraçados, Lula, o chefe da quadrilha da Lava Jato, e Geraldo, o hexa em operações da Federal em busca do dinheiro federal da pandemia desviado, vão confirmar, com o tempo e a prática, a velha afirmação conceitual, de que num estado democrático existem duas classes de políticos: os suspeitos de corrupção e os corruptos.

JORNALISMO CIDADÃO – Obrigado aos leitores pela enxurrada de mensagens pelo aniversário dos 15 anos do blog, no 11 de abril de ontem. Faço jornalismo primeiro por vocação e por paixão. Sou da geração que encara o jornalismo como missão sacerdotal, capaz de tirar a venda dos olhos de quem não conhece a verdade. Não foi fácil nem está sendo manter um blog com uma equipe tão competente. Sou mais odiado do que amado. Mas quando boto a cabeça no travesseiro, tarde da noite, depois de mais um dia de luta em busca da informação, apago embalado pelo sono dos justos. Com a consciência de que pratico o jornalismo cidadão.

DUCHA FRIA – O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diz que a imprevisibilidade em relação ao fornecimento de vacinas no Brasil deve continuar até o segundo semestre deste ano. Apesar disso, ele afirma que seu principal objetivo é acelerar a vacinação. Em 31 de março, o ministro informou que o Brasil deve receber 25,5 milhões de doses das vacinas contra a covid-19 em abril. O número representa redução de 46% em relação ao cronograma previamente apresentado para o mês. Queiroga disse que espera que a situação melhore após os Estados Unidos terminarem a sua campanha de imunização. O presidente norte-americano, Joe Biden, já anunciou que toda a população adulta do País poderá começar a ser imunizada em 19 de abril.

CPI VAI ANDAR - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pretende ler em plenário, na sessão de amanhã, o requerimento de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19. “Como presidente do Senado, recebi a decisão e vou cumpri-la na primeira sessão do Senado. Farei a leitura do requerimento de abertura da CPI e serão tomadas as providências de instalação da comissão parlamentar de inquérito no Senado”, disse Pacheco. O ministro Roberto Barroso, do STF, determinou que o Senado instale uma CPI para apurar eventuais omissões do Governo Federal no combate à pandemia.

BARRADOS NO BAILE - Uma festa clandestina foi flagrada pela polícia na noite de sábado passado em um bar em Boa Viagem, e 25 pessoas levadas para a delegacia do bairro. De acordo com a Polícia Civil, o evento realizado ilegalmente para comemorar um aniversário começou por volta das 17h e era realizado no bar The Queen, na Avenida Engenheiro Domingos Ferreira. A polícia informou que, para burlar a fiscalização, as pessoas entraram por um acesso lateral da boate, passando pelas dependências de uma galeria. Após uma denúncia, equipes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e Procon foram enviadas ao local.

GAFE VIRA MEME – O ex-ministro e pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, enviou um telegrama à rainha Elizabeth para prestar condolências pela morte do príncipe Philip, aos 99 anos. O político foi alvo de memes na internet depois de divulgar o texto enviado. Ciro afirma no telegrama que o príncipe era “admirado por muitos no Brasil por seu compromisso com a preservação do planeta e de suas muitas formas de vida”. Ele também afirma que presta condolências na “condição de cidadão brasileiro que atua para ajudar a abrir, para nosso país, um rumo alternativo capaz de ganhar amplo apoio no povo brasileiro”.

CURTAS

MAIS CASOS – Foram contabilizados, ontem, 787 novos casos e 59 óbitos por Covid-19 no Estado. Com esses registros de pacientes e falecimentos, Pernambuco passou a totalizar 369.487 diagnósticos confirmados e 12.803 mortes pela doença provocada pelo novo coronavírus. De acordo com a Secretaria de Saúde, 86 (11%) dos casos são de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). Outros 701 pacientes foram diagnosticados com a forma leve da doença.

O IMUNDO – O padre Oscar Donizete Clemente, da Paróquia Imaculado Coração de Maria, em São José do Rio Preto, no interior paulista, subiu o tom ao criticar as medidas que limitaram a entrada de fiéis nos templos. Atribuiu as restrições à influência do "Partido Comunista Chinês", que promoveu a revolução comunista no país asiático em 1949 e, desde então, permanece no poder do outro lado do globo. Chamou o governador João Dória de imundo.

Perguntar não ofende: Quando o STF deixará de legislar no Brasil? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

marcos

Sabe como se diz Ladrão no Brasil? ..... Lula.

marcos

Se dependesse de Nehemias Fernandes Bolsonaro, sua família e seus apoiadores já estariam Exterminados. Nazista filho da Puta.

Fernandes

No Brasil de Bolsonaro, permanecer vivo é um ato de protesto.

Fernandes

Que fique bem claro que Bozo é Genocida.



10/04


2021

Coluna do sabadão

Criminalização injusta

A criminalização da política no Brasil, especialmente após os mega escândalos na República gerados na era petista, entre os governos Lula e Dilma, se espalhou de forma tão contagiosa no seio da sociedade que assusta, provoca calafrios e horror. Mas tem que haver por parte da mesma sociedade, entretanto, uma permanente vigilância contra o discurso prejudicial a quem venha a ser atingido de morte ferida injustamente, sem culpa no cartório, sem dolo ou pecado.

Um caso simbólico, lembro bem, se deu com o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Ibsen Pinheiro. Investigado pela CPI dos Anões do Orçamento, teve seu mandato cassado em 1994. Quatro anos após, em 1999, o Supremo Tribunal Federal arquivou a denúncia e a considerou insatisfatória, sem consistência em nenhuma prova. Dois anos antes, em 1992, Ibsen havia presidido a sessão que autorizou a abertura do processo de impeachment contra o então presidente Fernando Collor de Melo.

Em 2003, Ibsen voltou à política como secretário de Comunicação do governo Germano Rigotto, no Rio Grande do Sul, depois de trabalhar como professor, diretor de clube de futebol, jornalista e comentarista esportivo. Em 2004, foi o vereador mais votado em Porto Alegre. "Foi um resultado de lavar a alma", comemorou à época. Na eleição de 2006, Ibsen recebeu 76.165 votos e voltou à Câmara dos Deputados consagrado.

Por isso, a criminalização da classe política sem provas provoca danos irreparáveis. Em Pernambuco, o deputado federal Sebastião Oliveira, atual líder do Avante na Câmara, que o diga. Sofreu um ataque covarde e injusto há um ano, resultado de uma ação da Polícia Federal de investigação de uma obra na BR-101 quando secretário dos Transportes. Teve suas contas devassadas, seu celular recolhido, sua vida privada invadida.

Quarta-feira passada, porém, praticamente com um ano do ocorrido, a própria PF comprovou que Sebá, como o parlamentar é conhecido, não teve nenhum envolvimento. E agora, não cabia ao deputado entrar com uma ação por perdas e danos contra a Polícia Federal, que o constrangeu em cima de uma denúncia do “ouvi dizer”?

Deputado estadual por três mandatos, secretário de Transportes de Pernambuco em duas ocasiões e, atualmente, no exercício do segundo mandato na Câmara Federal, Sebá disse, ontem, ao blog, que não esperava outro resultado do relatório final da Polícia Federal, que não fosse o que aponta a total ausência de provas em relação à sua pessoa - que de fato aconteceu. A investigação minuciosa realizada pela Polícia Federal, que durou mais de um ano e culminou com a conclusão da sua inocência, fez uma varredura na vida do parlamentar, que foi exaustivamente exposta à opinião pública pela mídia.

Sigilos bancário, fiscal e telefônico foram quebrados.  E, na medida que a investigação avançava, ficava mais claro que o parlamentar, que sempre colaborou com o trabalho investigativo, era inocente. “Momentos difíceis foram enfrentados, mas a consciência tranquila, a serenidade e a confiança foram minhas aliadas”, desabafa. Por sua vez, em investigação paralela, o Tribunal de Contas da União (TCU) não imputou qualquer tipo de irregularidade ligada ao nome dele.

No relatório do principal órgão de controle da esfera Federal, apenas a constatação apenas de erros formais e, que, em nenhum momento, representaram sobrepreço na obra da BR-101. “Tal conclusão comprova a lisura do processo. A prova disso é que a intervenção jamais foi paralisada, pois o TCU entendeu que os problemas encontrados não justificavam uma decisão desta natureza. Sendo assim, os serviços prosseguiram normalmente”, destacou.

Ciente de sua responsabilidade com a cidadania pernambucana, o parlamentar reforça os compromissos com a probidade e a luta incansável pelos interesses do Estado. A sua inocência, apesar de esperada, renova as suas energias para continuar atuando em prol da melhoria de vida do povo pernambucano, sobretudo, dos sertanejos e dos mais necessitados. “Homem devoto de Nossa Senhora, Oliveira acredito piamente que “Conhecendo a verdade, ela vos libertará”, afirmou.

Obra mais barata – Ainda sobre o Tribunal de Contas da União, ao tomar conhecimento da Medida Cautelar emitida pelo órgão, Sebastião Oliveira, imediatamente, montou uma equipe de monitoramento, que tinha como prioridade atender às demandas que, por ventura, surgissem do TCU. O que sempre foi feito. “É importante destacar que a obra viária da BR-101, orçada inicialmente pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes em R$ 250 milhões, foi licitada pela Secretaria de Transportes de Pernambuco, sob a gestão de Sebastião Oliveira, por R$ 192 milhões, o que resultou na economia de R$ 58 milhões aos cofres públicos.

Injustiçado – Em quase 20 anos dedicados à vida pública – Executivo e Legislativo –, Sebastião Oliveira nunca respondeu a qualquer tipo de processo, seja penal ou civil, assim como, nunca teve uma conta rejeitada. Zelar pelo patrimônio público sempre norteou a sua conduta, cuja trajetória é marcada pela cooperação com as atividades investigativas da Polícia e do Ministério Público, pois considera e trabalha para que a corrupção seja combatida com vigor, desde que não haja a penetração de injustiças.

Bolsonaro ataca – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que “falta coragem” ao ministro Luís Roberto Barroso, do STF, e sobra a ele “ativismo judicial”. O comentário foi feito na manhã de ontem a apoiadores. Bolsonaro comentava a decisão do ministro que obriga o Senado a instalar a CPI da Covid para investigar as ações do governo federal no combate à pandemia. “Pelo que me parece, falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial “, disse o presidente. E completou: “Não é disso que o Brasil precisa. Vivendo um momento crítico de pandemia, pessoas morrem. E o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal “.

Supremo rebate – O Supremo Tribunal Federal cobrou “espírito republicano” depois de o presidente Jair Bolsonaro ter acusado o ministro Luís Roberto Barroso de praticar “politicalha” e “ativismo judicial”. Em nota, o Supremo disse que questionamentos a decisões da Corte “devem ser feitos nas vias recursais próprias”. “O Supremo Tribunal Federal reitera que os ministros que compõem a Corte tomam decisões conforme a Constituição e as leis e que, dentro do Estado democrático de Direito, questionamentos a elas devem ser feitos nas vias recursais próprias, contribuindo para que o espírito republicano prevaleça em nosso país”, diz o texto.

João gotinha – O ritmo de vacinação contra a Covid-19 está bastante avançado no Recife e tem chamado atenção e despertado ciúme. Acabou levantando suspeitas em prefeitos, especialmente dos que estão situados no campo da oposição. Em reserva, alguns deles falam em benefício do Governo à gestão de João Campos (PSB). O incômodo tem sido tão grande a ponto de uma montagem com o gestor recifense, em tom sarcástico, passar a circular em grupos de WhatsApp. Um prefeito chegou a apelidá-lo de "João Gotinha", uma associação jocosa ao Zé Gotinha, histórico mascote utilizado pelo Governo Federal em campanhas de vacinação.

CURTAS

PARA 62 ANOS – O prefeito João Campos, aliás, anunciou, ontem, a ampliação da campanha de vacinação contra a Covid-19 para idosos com idades entre 62 e 63 anos. O agendamento, feito pela internet ou por meio da ferramenta Conecta Recife, começou às 12h e a aplicação das doses poderá ser feita a partir de hoje. As doses serão aplicadas nos centros de vacinação da prefeitura, incluindo os do modelo drive-thru, sem a necessidade de sair do carro.

MAIS VACINAS – O Banco Mundial vai destinar US$ 2 bilhões em financiamento para a compra, o desenvolvimento e a fabricação de vacinas até o final de abril, segundo anunciou, ontem, o diretor-gerente de operações da instituição, Axel Van Trotsenburg, acrescentando que mais de 40 países estão envolvidos nesse esforço. Já o diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu vontade política para intensificar a produção de vacinas contra Covid-19 e compartilhar suprimentos.

Perguntar não ofende: O governador Paulo Câmara está privilegiando João Campos nos lotes da vacina anti Covid?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro é Ladrão e Genocida

Fernandes

marcos de camaragibe, quero exterminar o seu orifício ruguso, com meus 23 C. Viado cabra safado.

marcos

Lula é Ladrão.

marcos

Se fosse por Nehemias Fernandes (Nazista) o Brasil já teria Exterminado 57 Milhões de pessoas e o Presidente.

marcos

Nesta quarta feira o STF julga em plenário se Lulla o Ladrão pode ser candidato ou não. Os idiotas úteis já compraram todas as velas e as galinhas pretas do Brasil. SEGURUUUUUUUUUUUUUUUURA Corrupção.



09/04


2021

Coluna da sexta-feira

A resiliente Folha

Em meio às profundas mutações que o jornalismo impresso vem sofrendo no mundo, decorrência do avanço das plataformas digitais, a Folha de Pernambuco completou, sábado passado, seu 23º aniversário num cenário ímpar, no qual o seu principal concorrente, o Jornal do Commercio, virou 100% digital, deixando de chegar em papel aos assinantes, suspendendo, consequentemente, a venda avulsa nas bancas.

A vitalidade da Folha e a forte resistência se dão, naturalmente, à visão empreendedora e ao dinamismo do empresário Eduardo Monteiro, seu presidente. Corajoso e obstinado, Eduardo abriu o jornal depois de uma experiência bem-sucedida à frente do Diário de Pernambuco. Com isso, criou a terceira via impressa no Estado e logo na largada o periódico virou fenômeno de venda avulsa, caindo na graça do povo.

“A Folha de Pernambuco é um jornal que enfrentou e enfrenta todos os tipos de adversidades. Mas é resiliente. Não se dobra. Adapta-se às mudanças. Foi assim quando a criamos, enfrentando um mercado onde existiam dois jornais em circulação no Estado, um secular e outro em vias de ser centenário. Nascemos. Criamos nosso espaço. Nos consolidamos em meio às inúmeras crises econômicas e políticas. Fomos resilientes”, diz Eduardo.

E acrescenta: “Chegamos à maturidade. Mudamos a direção das velas. Modificamos radicalmente nossa linha editorial. Podemos ter perdido alguma fatia de mercado, mas ganhamos outras. Não nos abalamos. Seguimos resilientes. Fizemos o mesmo ao mudar nosso formato de standard para berliner”. Em editorial na primeira página da edição comemorativa, Eduardo Monteiro foi mais além.

“Economia no custo do papel que compramos em dólar? Sim! Mais uma prova do quanto podemos ser resilientes. O digital, que já vinha se avizinhando, chegou como prova, diria, cabal. E mais uma vez fomos testados. E mais uma vez não nos apequenamos. Evoluímos. Se há algo que essa pandemia nos ensinou foi a sermos fortes. A sermos resilientes. A Folha de Pernambuco se manterá nas bancas e em todos os canais digitais”, disse.

Disse, ainda: “Joãos, Josés e Marias vão encontrá-la no jornal impresso, que é rodado na gráfica da nossa sede, no Bairro do Recife, há exatos 23 anos. Mas a nossa presença também é forte em outras plataformas. A Folha está no portal, nas redes sociais, no rádio. Onde você estiver, a Folha está. Basta acessar o seu smartphone. E todo esse conteúdo diário que vocês encontram nos vários meios de difusão da notícia é feito com esforço, por pessoas resilientes. Dos que manejam as máquinas, dos que buscam informações e as compartilham, dos que fotografam os fatos, dos que se ocupam em comercializar seus espaços publicitários, dos que a dirigem”.

E completou: “São muitas mãos, muitas histórias de resiliência. Na contramão de outros jornais, neste Domingo de Páscoa reafirmamos nossa força. Nossa crença em dias melhores. Nossa certeza de que estaremos aqui, no Bairro do Recife, rodando nosso jornal impresso dia após dia e atualizando nosso portal e redes sociais minuto a minuto, porque o nosso maior compromisso é com você, o nosso leitor. E a você, desejamos resiliência e uma Páscoa de fé e esperança em melhores dias!”

Na berlinda – Apesar de ter sido prestigiado por Jair Bolsonaro na última quarta-feira em jantar com empresários, o ministro da Economia, Paulo Guedes, permanece sob fogo cerrado do Centrão. Os deputados e senadores do Centrão (grupo de partidos sem coloração ideológica clara que adere aos mais variados governos) e de partidos adjacentes pró-Bolsonaro afirmam que o Orçamento, com alguns ajustes propostos (corte de R$ 13,5 bilhões), fica 100% legal e não fura o teto de gastos nem a Lei de Responsabilidade Fiscal. Guedes disse ao presidente que o corte deve ser na casa de R$ 30 bilhões. Bolsonaro terá de arbitrar.

Ciro ignorado – Ninguém no PT levou a sério as declarações do presidenciável Ciro Gomes, do PDT, de sugerir o ex-presidente Lula a seguir o exemplo da ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que abriu mão da disputa e entrou na chapa como vice do presidente Alberto Fernández. Ao se espelhar nesse exemplo, Ciro insinuou, na verdade, em ter Lula como seu vice. “Ciro não merece mais resposta”, disse o deputado Alencar Santana (PT-SP). “Se ele for democrata, apoiará o Lula em um eventual 2º turno”, declarou.

PDT aplaude – Já o deputado pedetista cearense Eduardo Bismarck disse acha, por outro lado, que Ciro Gomes joga para as esquerdas não permitirem, com a divisão, a reeleição do presidente Bolsonaro. “Se o Lula insistir na candidatura dele, e o PT insistir, estarão dando novamente a eleição do Bolsonaro, agora a reeleição. Se o Lula não tivesse insistido na candidatura do Haddad na eleição passada o Bolsonaro não era presidente”, afirmou. “O PT vive da rejeição do Bolsonaro e o Bolsonaro da rejeição do PT”, disse, por sua vez, o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS).

Lula cresce – Desde a decisão de Fachin, Lula conquistou 739 mil novos seguidores nos seus perfis oficiais no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube. A média de novos seguidores por dia é de 24.549, contra 5.131 aliados digitais da média anterior (1º de janeiro de 2019 a 7 de março deste ano). Já o ex-ministro Ciro Gomes ganhou 2.570 seguidores a cada 24 horas no mesmo intervalo. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ganhou 1.987 e o ex-ministro Sergio Moro ficou com 306 por dia. Nomes fora da polarização, como o governador João Doria e o ex-ministro Sergio Moro, têm dificuldade de chamar atenção da opinião pública digital.

O PSB é assim – Alvo da Polícia Federal na operação Apneia, o ex-secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, vai atuar na Secretaria Estadual de Saúde. Sua nomeação no gabinete de André Longo, titular da SES-PE, foi publicada no Diário Oficial de Pernambuco, hoje. De acordo com portaria que traz a assinatura da secretária executiva de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde de Pernambuco, Fernanda Tavares Costa de Sousa, a nomeação é retroativa a 1º de fevereiro. Correia atuou como titular da Secretaria de Saúde da Prefeitura do Recife entre 2013 e 2020, durante a gestão do prefeito Geraldo Júlio (PSB).

CURTAS

O CASO – No ano passado, a PF investigou o então secretário por irregularidades na compra de 500 respiradores, que não tinham a aprovação da Anvisa, ao custo de R$ 11,5 milhões. A contratação à época foi feita com a MEI Juvanete Freire, que trabalhava no segmento veterinário. O Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO) também fez denúncias a respeito do manejo dos recursos destinados pelo Governo Federal no combate à Covid-19.

ADIADA – Em ofício elaborado em conjunto hoje, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado (SJDH) e o Procon Pernambuco suspenderam as eleições da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), prevista para ocorrer na próxima segunda-feira (12), no Hotel Canarius D'Gaibu, no Cabo. O documento é assinado pelo secretário de Justiça, Pedro Eurico (SJDH), pelo gerente geral do Procon, Helder Rômulo, e pela gerente de fiscalização Maria Danyelle Sena.

Perguntar não ofende: Na conferência entre as cúpulas do PSB e PT, anteontem, foi reatado o casamento para 22?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

DOUTOR JAIRINHO DEIXA A LIÇÃO. nunca deixe uma criança sozinha com um cidadão de bem!

marcos

Esse verme bolsonaro vai ser Exterminado junto com sua família e os seus apoiadores. Nehemias Fernandes o Nazista do Cabo de Santo Agostinho 05/04/21.

Fernandes

Esse Hitler é aquele NaziSta que igual a Bolsonaro e marcos de camaragibe gosta de Exterminar pessoas?

marcos

Esse Hitler é aquele NaziSta que igual a Nehemias Fernandes gosta de Exterminar pessoas?

Fernandes

Boa Noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.



08/04


2021

Coluna da quinta-feira

O orgasmo do furo

Não costumo comemorar datas de louvação a qualquer categoria, muito menos a minha, como o Dia do Jornalista, transcorrido no 7 de abril de ontem. Mas aproveito a deixa para uma reflexão sobre as profundas mudanças que a era da internet provocaram no exercício da profissão. Sou da geração do jornalismo impresso.

Comecei escrevendo em máquinas de datilografia, fiz jornal mimeografado, que tinha cheiro de álcool, vibrei com a chegada do telex e depois do fac-símile, instrumentos essenciais para retransmissão das notícias para o jornal, já que passei boa parte da minha carreira como correspondente, do interior de Pernambuco, na largada, ao Planalto Central, Brasília, minha universidade da praticidade.

Com a chegada de novas tecnologias, os meios de comunicação, especialmente o jornal impresso, sofreram redefinições na sua forma de fazer jornalismo. TVs por assinatura com canais de programas exclusivos têm afastado o telespectador da programação em TV aberta. Aplicativos de músicas com a possibilidade de criar uma seleção e jornais online afetaram a lógica produtiva do rádio e do próprio jornal impresso, este com os dias contados.

Os jornais impressos travam uma luta inglória para se reinventar no mercado atual. O papel-jornal utilizado na produção do impresso, mão de obra qualificada e distribuição tem elevado o custo da assinatura diária. Com as facilidades que o mundo da internet apresenta, a busca por informação ficou ainda mais acessível e, assim, os jornais foram induzidos a buscarem soluções para acompanhar as mídias e manter os seus leitores.

Entre as estratégias para aproximar o leitor da redação, os meios de comunicação criaram páginas nas principais redes sociais, como Facebook, Instagram e Twitter, além de aplicativos disponíveis para Android e iOS. Assim, através das mídias online, anunciam a notícia com as principais informações e o link direcionando o leitor para outros detalhes, reservando às páginas impressas a reportagem completa, mais contextualizada.

Do mesmo modo, foram criados sites, onde os leitores encontram notícias nacionais e regionais, além de acompanhar o fato em tempo real por meio de vídeos e imagens. O jornal impresso, nos dias atuais, limita bastante a distribuição de seu conteúdo ao espaço físico e o compartilhamento de informações se dá apenas por meio da comunicação verbal entre os leitores.

Já no meio virtual, não há barreiras para que o seu conteúdo alcance vários usuários, uma vez que o conteúdo está disponível nas páginas da web e também pode ser compartilhado nas redes sociais. Seja qual for o canal do exercício da profissão, o jornalista tem que ter a enorme capacidade de exercer o ofício com a exata noção e consciência de que jornalismo é noticiar aquilo que alguém se sinta contrariado. O resto é publicidade.

Gabriel Garcia Márquez dizia que jornalismo é uma paixão insaciável e fala que todo jornalista tem que sentir o orgasmo do furo, viver a palpitação sobrenatural da notícia. Sou daqueles que enxergam que sem jornalismo não há revolução, ou como disse Cláudio Abramo: a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter estão no bom jornalismo.

Orçamento polêmico – O Tribunal de Contas da União vai analisar representações do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e de um grupo de deputados de que haveria ilegalidades no Orçamento aprovado pelo Congresso. A análise foi aceita em caráter preliminar, que ainda não inclui o mérito da ação. “A matéria presente nos dois expedientes acostados nos presentes autos insere-se no contexto de representação referida no art. 237 do Regimento Interno do TCU, segundo o qual os congressistas têm legitimidade para representar a esta Corte de Contas”, informou o documento. “Há, nos documentos endereçados aos presentes autos, elementos de densa relevância e de caráter transversal”, prossegue o documento.

Leitos das forças – O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) entrou, ontem, com uma ação na Justiça para que leitos de hospitais das Forças Armadas sejam liberados para atender a população geral na pandemia por meio de convênio com o SUS. Essas instituições têm estruturas de saúde próprias para atender às suas tropas e demais funcionários. A vacância nesses hospitais chegaria a 85%, com leitos reservados para militares. Esses leitos não são necessariamente de UTI (unidade de terapia intensiva), os mais demandados no atual momento de recrudescimento da pandemia.

Dinheiro da Globo – Em conversa com apoiadores diante do Palácio da Alvorada, o presidente Bolsonaro citou, ontem, a ‘inimiga’ Globo em declaração controversa. “Eu resolvo o problema do vírus em poucos minutos. É só pegar o que os governos pagavam no passado para a Globo, para a ‘Folha’, ‘Estado de S. Paulo’. Esse dinheiro não é para a imprensa. Esse dinheiro era pra outras coisas”, disse. O presidente cumpriu a promessa de campanha de reduzir a publicidade estatal na emissora da família Marinho. O corte foi de 60%. Do primeiro mandato de Lula, iniciado em 2003, até o final da Presidência de Michel Temer, em 2018, a Globo faturou em média R$ 400 milhões por ano com verbas ligadas ao governo federal.

Petrolina no leilão – O aeroporto de Petrolina foi incluído, ontem, no leilão de 22 equipamentos da mesma modalidade, que atraiu interessados para todos os três blocos, garantindo ao Governo federal uma arrecadação inicial de R$ 3,302 bilhões. Segundo o Ministério da Infraestrutura, o ágio médio foi de 3.822%, o que representou uma arrecadação R$ 3,1 bilhões acima do mínimo fixado pelo edital para o valor de contribuição inicial (R$ 186,2 milhões). Além do valor à vista, as regras do leilão preveem uma outorga variável, a ser paga a partir do quinto ano de contrato até o fim da concessão.

O maior lote – Sete consórcios diferentes participaram do certame, mas a grande vencedora foi a CCR, que arrematou dois dos três blocos ofertados pelo governo. Por meio da subsidiária Companhia de Participação em Concessões, a empresa deu um lance de R$ 2,128 bilhões no lote Sul, com ágio de 1.534%. Esse bloco é composto pelos aeroportos de Curitiba (PR), Foz do Iguaçu (PR), Navegantes (SC), Londrina (PR), Joinville (SC), Bacacheri (PR), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS). O lance mínimo era de R$ 130,2 milhões. O outro lote vencido pela CCR foi o Central, que inclui os terminais de Goiânia (GO), São Luís (MA), Teresina (PI), Palmas (TO), Petrolina (PE) e Imperatriz (MA). Nesse bloco, a proposta da empresa foi de R$ 754 milhões – um ágio de 9.156% ante o lance mínimo de R$ 8,1 milhões.

CURTAS

BRONCA – O presidente Jair Bolsonaro afirmou, ontem, que é "inadmissível" a Petrobrás reajustar o preço do gás natural em 39%, como anunciado nesta semana. Se dirigindo ao general Joaquim Silva e Luna, escolhido por ele para assumir a estatal, o presidente defendeu que haja previsibilidade sobre reajustes: "Podemos mudar esta política de preços lá", afirmou.

MONTADORAS – A combinação do aumento de casos de covid-19 com a falta de componentes levou ao fechamento de metade das 60 fábricas de montadoras no País nas últimas duas semanas e 65 mil funcionários ficaram em casa, o equivalente a 60% da mão de obra do setor, sem contar o pessoal que já estava em home-office. A maioria retomou atividades na última segunda-feira, mas dez seguem fechadas, com um total de cinco mil trabalhadores em licença ou férias coletivas.

Perguntar não ofende: Quem é o prefeito de Paulista: Yves Ribeiro ou Jorge Carrero?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Lula foi rebaixado à vice por Ciro! Ui

Fernandes

Ciro Gomes, sobre família Bolsonaro: “Se gritar pega ladrão, não fica um” Ciro Gomes voltou a chamar Jair Bolsonaro de ladrão . No Twitter, o pedetista compartilhou uma reportagem da Folha sobre as investigações que miram os quatro filhos do presidente, e escreveu: “‘Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão’. O chefe da quadrilha é o pai, Jair Bolsonaro!”

marcos

Que fique bem claro, Lula é Ladrão.

Fernandes

Boa noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.

Fernandes

Dr. Jairinho é evangélico.



07/04


2021

Coluna da quarta-feira

Ciro quer Lula na vice

Sentindo que será, mais uma vez, traído, desta vez pelo PDT, na condição de pré-candidato ao Planalto, o ex-ministro Ciro Gomes apresentou, ontem, uma proposta sui generis. Quer o ex-presidente Lula fora da disputa em 2022, como cabeça de chapa. Deseja a sua companhia de outra forma, como seu vice. Lula é tão bestinha mesmo para cair nessa!

Ocorreu durante debate sobre a proposta de reforma administrativa em discussão no Congresso. Ciro sugeriu que o ex-presidente petista não dispute as eleições de 2022 como candidato a presidente, em prol de uma aliança contra Bolsonaro. Fez a ressalva que Lula deve se espelhar no exemplo de Cristina Kirchner, na Argentina, que deu um “passo para trás” e aceitou ser vice de Alberto Fernández, atual presidente argentino.

“A gente devia pedir generosidade a quem já teve oportunidade, como o Lula, que é um grande líder da história brasileira, mas a gente devia pedir a ele que se compenetrasse e que não imitasse o exemplo desastrado do Maduro na Venezuela ou o exemplo desastrado do Evo Morales na Bolívia. E que olhasse o que a Cristina Kirchner fez na Argentina, em que, tendo uma força grande, deu um passo pra trás e ajudou a Argentina a se reconciliar”, afirmou.

O ex-ministro citou a corrupção que marcou a gestão petista, o que, segundo ele, poderia minar a campanha de Lula. “Imaginem vocês uma campanha em 2022, o Bolsonaro querendo se recuperar da impopularidade, a lembrar da esculhambação do Palocci, a esculhambação do Zé Dirceu, a esculhambação não sei de quem. Eu não digo nem que seja verdade ou que seja mentira, eu estou dizendo é o que eu estou vendo pela minha experiência”, disse.

“É fazer de novo a campanha antipetista em cima dos exemplos”. Ciro Gomes já foi deputado, prefeito, governador e ministro, e disputou a eleição presidencial de 2018, da qual Bolsonaro saiu vitorioso. Está filiado ao PDT e sonha em ter o PSB como aliado. Um dos seus maiores entusiastas é o prefeito do Recife, João Campos, mas foi o pai dele, o ex-governador Eduardo Campos, que puxou o tapete de Ciro quanto este queria a legenda para disputar o Planalto.

Desastre – “Derrotar Bolsonaro é muito importante, não por ódio a ele, mas para derrotar o desastre que ele está produzindo, na saúde, na economia, na relação internacional, em que o Brasil está desmoralizado”. Para isso, ressaltou, o Brasil precisa de projetos nacionais, e uma “ampla aliança” política poderia ser o meio para atingir esse objetivo. “Quem vai operar esse novo projeto nacional é a política, uma nova e ampla aliança, generosa aliança que vai permitir ao Brasil se reconciliar consigo mesmo”. Ciro ainda disse que “botar uma coisa nova no lugar” de Bolsonaro é uma função “mais difícil e que pede muita reconciliação”.

O novo Pinóquio – Vereador em Sertânia pelo PSB, Antônio Henrique, o Fiapo, virou motivo da galhofa, ontem, no Sertão do Moxotó. Ao bajular a secretária de Infraestrutura, Fernandha Batista, disse que o segundo trecho da estrada que liga o seu município a Cruzeiro do Nordeste estava em obras tapa-buraco. Virou o novo Pinóquio e passou a concorrer com a própria secretária, que mente descaradamente quanto à situação das estradas na região. Mas a piada que se espalha é que Fiapo só vai ao Recife pela estrada de Monteiro (PB), um tapete em relação à que está abandonada. Por isso, não conhece a buraqueira dos 12 km inacabados no trecho Sertânia/Placas. Tem sentido!

IR prorrogado – O Senado aprovou, ontem, o adiamento do prazo para a declaração do Imposto de Renda em 2021 por causa da pandemia de covid-19. O texto adia o cronograma em 91 dias para 31 de julho e já foi aprovado pela Câmara, mas como houve mudança no texto, precisará passar pela análise dos deputados novamente. O prazo para entrega das declarações das pessoas físicas, alvo do projeto, se encerra em 30 de abril. O cronograma de restituições não mudará, com o 1º lote sendo entregue em 31 de maio. O texto autoriza ainda o pagamento da cota única ou das cotas vencidas até 31 de julho sem acréscimo de juros ou penalidade de qualquer natureza.

O caloteiro e o traidor – Ex-aliado histórico do prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (MDB), de quem foi vice na gestão anterior, Dufles Pires (PL) acusa o gestor de caloteiro. “Ele não paga o aluguel de uma casa de minha propriedade há três meses, no valor de R$ 3,2 mil”, afirmou. Segundo Dufles, que enviou uma carta de cobrança ao próprio prefeito, o imóvel está alugado pela Prefeitura desde 2017, servindo para uma clínica de acompanhamento terapêutico. Na carta, Dufles pede que o prefeito desocupe o imóvel de imediato. “Mas, ele não dá a menor satisfação”, disse o ex-vice. Dufles afirma que, a partir de agora, será o maior opositor ao que chama de “desgoverno” de Paulista. “Na verdade, Yves é uma rainha da Inglaterra. Quem manda na Prefeitura é Jorge Carrero, o maior traíra da política do município”, desabafou.

Estação das artes – Presidente do Cidadania em Serra Talhada, o secretário de Relações Institucionais da gestão Márcia Conrado (PT), Elyzandro Nogueira, usou o seu prestígio com o deputado federal Daniel Coelho e arrebatou uma emenda no valor de R$ 1 milhão destinada a reformar a Estação do Forró, atual centro cultural, que vai virar Estação das Artes. A prefeita comemorou a boa-nova durante ato que marcou a reforma de quatro ruas no bairro Caxixola. “Foi muito importante para o avanço da cultura”, disse Márcia.

CURTAS

ENVOLVIDO – Estranhamente, a polícia não incluiu na operação Beira Rio, ontem, em Paulista, o atual secretário executivo de Desenvolvimento Urbano do Paulista, Paulo Marenga, que, na época, assinou o alvará de funcionamento da Marina. Ele também trabalhou na gestão Matuto como titular da Pasta. A Polícia Civil investiga suspeitos de fazer parte de um esquema para favorecer o estabelecimento por meio de licitações e de uso de documentos falsos.

ESQUEMA – De acordo com o delegado Diego Pinheiro, à frente das investigações, o trabalho da polícia começou em agosto de 2019, após o Ministério Público de Pernambuco verificar irregularidades em uma concessão de uma área pública na praia de Maria Farinha, em Paulista, de mais de 10 mil metros quadrados. A concessão teria como implantar uma marina, um restaurante, um posto de gasolina e uma área pública de convivência.

Perguntar não ofende: Yves Ribeiro deixou de pagar o aluguel a Dufles por perseguição política?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Boa Noite, sobreviventes do desgoverno bolsonarista. Manter a esperança na retomada da democracia é um ato de resistência. Esquerda Segue Esquerda.

marcos

Boa noite Nazista Exterminador.

Fernandes

Tal pai, tal filho? Escritório de Jair Renan ganhou móveis de empresa que mantêm contrato com o governo.

Fernandes

Vitória! Pesquisa mostra que Lula vence Bolsonaro no 1.º e no (2.º) turnos.

Fernandes

Mamata Sem Fim. Esposa de Queiroz receberá, de novo, auxílio emergencial do governo Bolsonaro.