Em Serra, Eduardo, finalmente, ganha cidadania da Câmara

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um dia antes da minha passagem, ontem, por Serra Talhada, segundo maior PIB e colégio eleitoral do Sertão, a Câmara de Vereadores, finalmente, aprovou o título de cidadão ao governador Eduardo Campos (PSB). Há 15 dias, a proposta não conseguiu ser votada, porque o vereador Ronaldo de Dja (PSDB) levantou uma questão de ordem: o socialista não merecia a homenagem. Afinal, ao longo dos últimos cinco anos, Serra não recebeu nenhum grande investimento no seu Governo.

Diferentemente da sessão anterior, na de segunda-feira o projeto foi aprovado pela unanimidade dos 10 parlamentares que integram a Casa. A polêmica, porém, não acabou. A vereadora Vera Gama (PHS) cobra do governador promessas de campanha, entre elas obras estruturadoras. “Demos a cidadania a ele, mas queremos agora o terminal rodoviário e os asfaltos da Avenida Agamenon Magalhães e das ruas do centro”, cobrou Gama.

O vereador José Raimundo (PTB), ex-presidente da Câmara, diz que o governador está devendo uma obra estruturadora para Serra Talhada, que, em sua opinião, seria o Distrito Industrial. “A promessa foi de campanha e não foi cumprida. Com o DI, Serra terá condições de atrair novas indústrias, uma das suas vocações pela infraestrutura que tem”, diz Raimundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O presidente da Câmara, Agenor Melo, também do PTB, entende que o maior compromisso está na melhoria da saúde. “Houve uma reforma no hospital local, mas nós precisamos muito mais, principalmente nos distritos”, atesta Melo, no seu sétimo mandato. O presidente da Câmara é um parlamentar que tem autoridade para falar de saúde, sua principal área de atuação no município.

Serra Talhada, com mais de 80 mil habitantes, é conhecida como a capital do xaxado, e fica a 415 km da capital pernambucana. É a terra natal do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva (Lampião). Cidade polo em saúde, educação e comércio do Sertão do Pajeú. Administrativamente, o município é formado pela sede e pelos distritos de Bernardo Vieira, Pajeú, Tauapiranga, Caiçarinha da Penha, Logradouro, Luanda, Santa Rita e Varzinha.

A cidade tem uma boa infraestrutura e uma posição privilegiada, sendo um centro em pleno desenvolvimento na área de comércio, lazer e cultura. Tem o terceiro maior PIB do Sertão de Pernambuco, atrás apenas de Petrolândia e Petrolina[9]. De acordo com dados do IBGE para o ano de 2008, o PIB era de 500,636 milhões de reais. O PIB per capita da cidade, ainda em 2008, era de 6.298 reais. Seu IDH é de 0.682 segundo o Atlas de Desenvolvimento Humano/PNUD.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É também um polo educacional. Além de um grande número de escolas públicas ( escolas de tradição no interior pernambucano), escolas particulares, escolas de tempo integral (dois turnos diários) e escolas técnicas(modernas), a cidade possui várias instituições de nível superior,(Instituições particulares - AESET - FIS - FAFOPST - FACHUSST - FACISST, e Universidade Federal Rural de Pernambuco / Unidade Acadêmica de Serra Talhada - UFRPE-UAST). E deve ganhar, no segundo semestre do ano que vem, o curso de Medicina pela UPE.

Falei no plenário da Câmara de Vereadores para políticos, profissionais liberais e estudantes da Escola Cornélio Soares e do Centro de Referência Adauto Carvalho, levados pelos coordenadores professor Jair Souza e professora Alessandra Carvalho, respectivamente.

O evento foi aberto pelo presidente da Câmara, Ageno Melo, e contou com mais quatro vereadores – José Raimundo (PTB), Vera Gama (PHS), Márcio Oliveira (PTN e Paulo Melo (PR), além dos ex-vereadores Francisco Pinheiro, Antônio de Antenor e Faeca, e do jornalista Giovanni Sá, secretário de Comunicação da Câmara. Também teve uma participação importante o presidente do Sindicato dos Professores, Sinézio Rodrigues, ex-presidente do PT.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HISTÓRIA - Em 1700, o local onde hoje fica a cidade de Serra Talhada era uma fazenda, denominada Pedra Talhada, de propriedade do português Agostinho Nunes de Magalhães, que ali mandou construir uma capela sob a invocação de Nossa Senhora da Penha, em torno da qual surgiu o povoado.

A povoação, que inicialmente era denominada Vila Bela, tornou-se sede do município de Flores a 06 de maio de 1851. Vila Bela foi elevada à categoria de cidade a 01 de julho de 1909. A 09 de dezembro de 1938, a comarca, o termo e o município de Vila Bela passaram à denominação de Serra Talhada.

Publicado em: 07/12/2011