Coluna da quarta-feira

           Efeitos da crise

O Governo disfarça, mas a crise que atinge a Europa e os Estados Unidos já traz reflexos em alguns setores da economia brasileira. Não há recessão explícita, mas quer um exemplo do efeito colateral por aqui? Bastar dar uma olhada no nível de investimentos públicos e nas obras estruturadoras, principalmente no Nordeste.

A transposição do São Francisco, que anda a passos de tartaruga, conforme este blog antecipou e o jornal O Estado de São Paulo confirmou na semana passada, com matéria de primeira página. A ferrovia Transnordestina, embora uma PPA – Parceria Público Privada – também desacelerou, para usar uma expressão do ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho.

Já a refinaria Abreu e Lima, em Suape, ainda roda o pires na Venezuela, chalerando o ditador Hugo Chávez. Os estragos também se observam nos investimentos privados. O estaleiro Atlântico Sul, também em Suape, ainda não colocou um só navio no mar, mas jogou mais de mil trabalhadores no olho da rua, sem dar justificativas aos sindicalistas.

Há pouco, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, lançou um pacote de medidas para amenizar as consequências geradas pela crise mundial. Que bateu à nossa parte. Só não ver quem não quer. Ou tem interesses em continuar no faz de conta.

REAÇÃO – Três dias após a mídia nacional mostrar o abandono das obras da transposição, o ministro Fernando Bezerra (Integração) emitiu, ontem, uma ordem de serviço, no valor de R$ 134,8 milhões, para retomada das obras do lote 8 do Eixo Norte do projeto. É composto pela construção de três estações de bombeamento nos municípios de Cabrobó e Salgueiro, no sertão pernambucano. Vão bombear a água do rio suprindo o desnível do terreno.

Petrolina na frente - O deputado Fernando Bezerra Filho (PSB) mostrou mais prestígio do que as lideranças políticas de Serra Talhada, garantindo, na verdade, a primeira UPA do Sertão para Petrolina. “Não sei em que estágio se encontra a UPA de Serra, mas não sairá antes da nossa. A ordem de serviço já foi assinada pelo governador”, afirmou.

 

 

Euforia em Cabrobó - O prefeito de Cabrobó, Eudes Caldas (PSB), tem motivos para comemorar a retomada das obras da transposição no lote 8, que nasce em terras do seu município. Afinal, com a operação tartaruga do projeto, milhares de empregos foram jogados pela janela, muitas empresas foram embora de Cabrobó e o comércio teve uma queda violenta. Isso há quase dois anos, já.

Bateu duro - De Dom Fernando Saburido, ontem, no meu blog, sobre a campanha que lançamos contra bebida nos estádios: “A proibição é uma conquista da qual não deveríamos abrir mão. O consumo de álcool contribui sem dúvida para o acirramento dos ânimos e, consequentemente, o aumento da violência nos centros esportivos. O projeto é um retrocesso”.

Trabalho escravo - O Governo do Estado fez uma operação ostensiva na desarticulação de um esquema de sonegação de impostos no polo gesseiro, no Araripe, que tem as maiores reservas de gipsita do mundo. Deveria, ao mesmo tempo, ampliado com uma fiscalização trabalhista em cima das empresas que colocam trabalhadores as condições de verdadeiro trabalho escravo.

 

CURTAS

RETROCESSO – A bancada lagartixa na Assembleia deu aval, ontem, ao governador Eduardo Campos para continuar contratando servidores, sem concurso público, por dois anos, podendo prorrogar para mais dois anos ainda. Enquanto isso, quem passou em concurso não consegue ser chamado.

LULA LÁ– Num encontro com a presidente Dilma, ontem, num hotel em São Paulo, o ex-presidente Lula deu as coordenadas para a reforma ministerial de janeiro. Lula está preocupado com a repercussão internacional da queda de ministros provocada por atos de corrupção.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Quem Dilma nomeia na reforma de janeiro sem passar pelo crivo de Lula?

''Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção de costume''. (Provérbios 30:8)

Publicado em: 07/12/2011