Heloísa descarta inflação caso assuma o poder

A senadora Heloísa Helena (PSOL), candidata à Presidência, disse que ''não há risco de inflação no Brasil''. Ela rebateu a idéia de que haverá um surto inflacionário no país, caso assuma o poder.

A senadora iniciou a série de entrevistas com presidenciáveis do ''Bom Dia Brasil'', telejornal da TV Globo, na manhã desta segunda-feira (18). O encontro com os jornalistas foi tenso.

Para rebater uma pergunta, Heloísa Helena citou Goebbels. A Paul Joseph Goebbels, ministro da propaganda de Adolf Hitler, se atribui a idéia de repetição de uma mentira para ''torná-la'' verdade. Um dos entrevistadores corrigiu a pronúncia da senadora.

Heloísa demonstrou irritação também ao ter de falar sobre a diferença entre os programas de partido e de governo. Afirmou que vem tratando de seu plano de governo em seus programas eleitorais e atividades como candidata.

Sobre supostos receios de investidores externos à sua candidatura, a senadora também afirmou que ''é impossível haver a fuga de capitais do país''. Argumentou que o Banco Central já possui instrumentos legais para impedir a saída de investimentos.

Heloísa Helena frisou que irá manter metas de inflação e promoverá reduções na taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 14,25% ao ano.

Para garantir a governabilidade, a senadora prometeu uma nova metodologia de elaboração do Orçamento da União em parceira com governadores e prefeitos. ''O Orçamento será impositivo.'' Disse ainda que sua relação com o Congresso será pactuada.

A candidata do PSOL prometeu assentar um milhão de famílias em quatro anos. Ainda sobre o setor agrícola, acrescentou que pretende incentivar a produção familiar para demanda interna e o manter os nichos econômicos externos a fim de garantir uma balança comercial favorável. Informações do Portal UOL.

Publicado em: 18/09/2006