Coluna do sabadão

Delegado se abraça ao PSB algoz  

O afunilamento do processo eleitoral nos municípios começa a ter uma definição cuja expectativa já se previa lá atrás, não configurando em surpresas. Um desses casos é Arcoverde, porta de entrada do Sertão, a 250 km do Recife. Ali, o candidato oficial da prefeita Madalena Britto (PSB), o empresário Wellington Maciel (MDB), anunciou como companheiro de chapa o delegado Israel Rubis, até então pré-candidato do PP. Na tentativa de fazer a mutação de xerife para político, apresentou-se como o novo para derrotar a velha política.

Mas ao se abraçar com o grupo da prefeita, alinhada ao Palácio das Princesas, por quem foi perseguido, mostrou que deixa a profissão para entrar na política apenas por interesse pessoal, exercitando a velha prática do fisiologismo, com a ideologia do poder pelo poder, sem olhar para o conjunto da população. Uma tremenda decepção, já que se apresentou como combatente de tudo que está errado no município, investigando vereador e até a gestão municipal, que tanto criticou como pré-candidato e agora se rende.

O delegado é, portanto, o novo velho, o velho carcomido, por dentro e por fora, um leão em busca do poder com ação de cordeirinho. Quando se dobra ao poder e as suas benesses, dá uma banana à população, que foi às ruas em manifestações contra a sua transferência de Arcoverde para Vitória de Santo Antão. O que ele vai dizer aos potenciais eleitores que tanto confiaram nele em passar a servir agora ao PSB, partido do governador Paulo Câmara, que o enxotou de Arcoverde?

O que a população de Arcoverde esperava de um delegado com discurso revolucionário, como se apresentava, era que dissesse que não estava entrando na política para agradar corruptos, mas para lutar pela dignidade de um povo sofrido, que pena e até morrer, sem saúde, sem educação, sem segurança e sem emprego, por causa da má conduta de quem está no poder já tem oito anos, como o PSB da prefeita Madalena, sem operar as transformações esperadas e exigidas.

Não sabe o delegado que a corrupção moral, a política, a da palavra e da alma, leva o povo, a família e amigos à corrosão de valores. A política, da forma como ele passa a praticar, sem poder criticar quem o combateu, no caso a máquina perversa e perseguidora do PSB, da qual foi vítima, quando não gera de imediato corrupção na célula social, mais na frente se constitui um verdadeiro câncer, que destrói toda a sociedade e os seus valores morais.

ALVO É ZECA – Na prática, ao aceitar ser o vice do candidato do status quo de Arcoverde, o delegado Israel Rubis mostra, na verdade, que quando despertou para a política o seu objetivo nunca foi combater o Governo de Madalena, mas a ela se aliar, num jogo de interesses, para impedir a volta do ex-prefeito Zeca Cavalcanti (PTB) ao poder. Eis o resumo da ópera até que possa convencer a população do contrário. O delegado é como essa frase de Mário Quintana: Do bem e do mal, todos tem seu encanto: os santos e os corruptos. Não há coisa na vida inteiramente má. Tu dizes que a verdade produz frutos... Já viste as flores que a mentira dá?”

O SILÊNCIO DOS BONS – Com dor de cotovelo, porque não teve capacidade de aglutinar o bloco de oposição no Recife, o deputado Daniel Coelho, que deve jogar a toalha nos próximos dias na corrida sucessória do Recife pelo Cidadania, tende a seguir o exemplo do presidente do PSL, Luciano Bivar, optando pelo lançamento de um candidato a prefeito faz de conta em faixa própria. A alegação é de que a estratégia favorece os candidatos a vereador. Triste fim melancólico! Martin Luther King, ativista político americano, dizia que o que preocupava ele não era é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética, mas o silêncio dos que se apresentam como bons.

CHUMBO GROSSO – A pré-candidata do PT à prefeita do Recife, Marília Arraes, vai precisar ter muito jogo de cintura e estômago de elefante para engolir as traquinagens do seu partido, que está frustrado por não poder apoiar, oficialmente, a candidatura do socialista João Campos. Depois da reprimenda por ter dito o certo, que buscaria o apoio do Planalto para governar, referindo-se ao presidente Bolsonaro, vem mais apunhalamentos pelas costas por aí. Alinhado ao PSB, o PT escolheu setembro para desconstruir a imagem de Marília. Vem chumbo grosso por aí. O PSB quer virar setembro pondo João Campos à frente das pesquisas.

DERROTADO – O prefeito Geraldo Júlio sofreu o primeiro revés na justiça eleitoral: o juiz da 1ª Zona Eleitoral do Recife, José Júnior Florentino dos Santos Mendonça, atendeu a uma representação (n° 0600016-62.2020.6.17.0149), do PT, contra ele pedindo a remoção de publicações feitas no último dia 26 de agosto no perfil oficial do socialista no Instagram, nas quais anuncia obras pela cidade. Um dos argumentos utilizados pelo magistrado é de que ações como esta "são proibidas aos agentes públicos, servidores ou não" por "afetar a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais", levando em conta os "três meses que antecedem o pleito".

REPROVAÇÃO – Pesquisa PoderData mostra que 71% dos beneficiários do auxílio emergencial discordam da decisão do Governo de reduzir o valor da parcela do auxílio emergencial. Os que concordam com a medida são apenas 23%. O auxílio emergencial foi criado para mitigar os efeitos da crise econômica causada pela pandemia de covid-19. Os pagamentos começaram em abril, com três parcelas de R$ 600, depois prorrogadas para mais duas no mesmo valor. De acordo com a Caixa Econômica Federal, até agora 67,2 milhões de pessoas receberam o dinheiro. O governo já liberou R$ 186,9 bilhões aos beneficiários. Em 25 Estados, há mais brasileiros recebendo auxílios estatais do que com carteira de trabalho assinada.

LIVE COM RATINHO – Devido ao feriado da próxima segunda-feira, em comemoração à Independência do Brasil, a live com o apresentador Carlos Massa, o Ratinho, do SBT, ficou para a próxima quarta-feira, às 18 horas, pelo YouTube com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, formada por mais de 40 emissoras, hoje abrangendo um raio de ação nos Estados de Pernambuco, Alagoas e Bahia. Ratinho aceitou falar sobre os investimentos que está fazendo no polo de confecções de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste pernambucano.

Perguntar não ofende: A redução do auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300 vai inibir o crescimento da popularidade de Bolsonaro? 

Publicado em: 04/09/2020