Em Jaboatão, Porto critica fim de hospital de campanha

Caro Magno,

Há cerca de dois meses, o seu Blog nos deu a oportunidade de falar sobre a nossa indignação diante da falta de um Hospital de Campanha em Jaboatão enquanto diversas cidades já tinham inaugurado, inclusive, mais de um. Venho mais uma vez, por meio desta, na certeza do espaço democrático do seu Blog, falar sobre a desativação do único Hospital de Campanha de Jaboatão.

Não foi com surpresa que recebi a notícia das irregularidades, mas ainda me surpreende a coragem do prefeito Anderson Ferreira em dizer, por meio da assessoria de imprensa, que o hospital foi fechado “devido à diminuição de números de casos do coronavírus” quando a verdade é que foi um alerta do Tribunal de Contas de Pernambuco que encontrou diversas irregularidades. 

Minha pergunta é só uma, Magno: quem o prefeito pensa que engana dizendo que o fechamento se deve à diminuição de casos quando Jaboatão já superou mais de 600 mortes causadas pelo coronavírus? E os demais cidadãos que continuam sendo infectados ficam como? E os casos graves ficam como?

A verdade é que o Hospital foi fechado após um alerta de responsabilização da conselheira do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) Teresa Duere. O alerta da conselheira aconteceu em decorrência de uma representação do Ministério Público de Contas (MPCO), que atua junto ao TCE. Várias irregularidades foram constatadas como o valor que seria gasto mensalmente com a organização social que foi contratada pela Prefeitura de Jaboatão: R$ 3,9 milhões.

O TCE e o MPCO observaram que nem todos os leitos estavam sendo utilizados. Também foi constatada a ausência de seleção pública ou chamamento público, além da possibilidade de favorecimento à organização contratada antes de se obter sua qualificação.

Não há como falar todos os pontos de irregularidades, mas é com muita tristeza e indignação que eu vejo a situação de Jaboatão, principalmente, diante de um momento tão difícil e devastador que o mundo ainda enfrenta.

A verdade é que Jaboatão está largado à própria sorte diante da pandemia e muito lamento que isso se deva a possíveis irregularidades já constatadas. 

Com estima,

Delegado Eduardo Porto, pré-candidato a prefeito de Jaboatão 

Publicado em: 11/07/2020