Coluna da terça-feira

PE bate São Paulo no crime

Novo levantamento nacional sobre o ranking da violência confirmou, ontem, que o Pacto pela Vida, xodó do ex-governador Eduardo Campos (PSB), que o concebeu e virou referência nacional, sendo copiado para outras unidades da Federação, foi, definitivamente, para as cucuias. O Estado é o terceiro mais violento do País, perdendo a liderança nesse campeonato do terror e da morte apenas para Bahia, o primeiro, e Rio, o segundo, nessa ordem de grandeza.

Os dados são do Monitor da Violência, composto pelo G1, Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Nos primeiros três meses deste ano, a Bahia foi o Estado brasileiro que registrou a maior quantidade de mortes violentas em 2019. Ao todo, 5.099 mortes violentas (homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte).

Destas, 4.889 foram enquadrados como homicídio doloso, 143 como latrocínio e 67 como lesão corporal seguida de morte, fora as denominadas morte por intervenção policial, que é um sério indicador de violência em qualquer lugar no mundo. O Estado com a segunda maior quantidade de mortes violentas em 2019 foi o Rio de Janeiro, com 4.154 casos. Em seguida vieram Pernambuco (3.466) e São Paulo (3.209).

Dessa forma, em comparação com 2018, a Bahia teve uma redução de 521 mortes violentas, quando o Estado baiano registrou 5.620 casos, sendo 5.417 homicídios dolosos, 134 latrocínios e 69 lesões corporais seguidas de morte. No caso de Pernambuco, foram 3.466 homicídios no mesmo período Só no último fim de semana de Páscoa, com bares, restaurantes e inferninhos fechados, 19 pessoas tombaram mortas alvejadas por tiros no submundo da criminalidade.

A tragédia urbana não se restringe ao Grande Recife. Em Caruaru, a capital do Agreste, também só neste último fim de semana, foram registrados cinco homicídios. Pelos números, a violência desenfreada está levando mais vidas ao cemitério do que mesmo o coronavírus. Temendo o alastramento da violência, a população ocupa as redes sociais com mensagens de protesto. Uma das frases que chamaram atenção: “Em Pernambuco morreram 56 pessoas por coronavírus. E 306 pessoas assassinadas no mês de março. Devo usar máscara ou colete a prova de bala?”

Tragédia baiana – Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, aparece no estudo com a quarta maior taxa de homicídios do País, com quase 120 assassinatos a cada 100 mil habitantes. O avanço do tráfico de drogas é considerado um dos principais motivos desse índice. Por outro lado, o Estado tem adotado uma linha de enfrentamento e embrutecimento no uso das suas forças policiais, que tem ajudado a alimentar o ciclo da violência, em detrimento do uso de uma repressão qualificada por meio da investigação policial, muito em razão do sucateamento da Polícia Judiciária Bahia, responsável direta pelas investigações desse tipo de crime.

Fuzilamento – Este blog trouxe, ontem, em primeira mão, os valores recebidos do Ministério da Saúde pelos 184 municípios e a ilha de Fernando de Noronha no combate ao coronavírus. Recife saiu na frente com R$ 23 milhões, Jaboatão abocanhou R$ 7,3 milhões e a pequena Ingazeira, menor município do Estado, no Sertão do Pajeú, recebeu R$ 975 mil. Mais do que dever, a população tem a obrigação de fiscalizar o investimento desses recursos para evitar desvios para outras finalidades, entre elas ações eleitoreiras. Gestor que não aplicar a grana na saúde da população, em pânico nesses dias de terror da pandemia, devia ser fuzilado em praça pública.

Defesa de Bolsonaro – Aos poucos, o deputado Alberto Feitosa, do PSC, vai se identificando com as políticas do presidente Bolsonaro, com chances de vir a se transformar no provável candidato a prefeito do Recife apoiado pelo Planalto. Ontem, em suas redes sociais, Feitosa postou em suas redes sociais um agradecimento ao presidente pelas ações que o Governo desencadeou no combate ao coronavírus em parceria com os Estados e municípios brasileiros. Segundo o parlamentar, só para o enfrentamento ao vírus da mortandade, a União liberou, nos últimos dois meses, algo em torno de R$ 800 bilhões. Só Pernambuco recebeu R$ 107 milhões. “Só para o auxílio emergência dos R$ 600, em três meses, Bolsonaro vai investir R$ 90 bilhões.

Mais limitações – A partir de hoje, supermercados do Recife devem limitar o estacionamento e a entrada de pessoas e agências bancárias e lotéricas devem regular as filas nas áreas interna e externa. O anúncio foi feito, ontem, pelo prefeito Geraldo Julio (PSB), como parte das medidas restritivas para conter o avanço do novo coronavírus na capital pernambucana. De acordo com o prefeito, os supermercados e grandes lojas devem limitar pela metade a capacidade de entrada de pessoas. “Só um terço dos estacionamentos [desses locais] deve ser utilizado. Os outros dois terços devem ser fechados”, disse.

CURTAS

DECRETO DESRESPEITADO – São Lourenço da Mata registrou nove mortes confirmadas por conta do novo coronavírus, entre as quais se incluem a do vereador Cícero Pinheiro, presidente da Câmara Municipal. Nem isso, porém, foi capaz de reduzir o movimento nas ruas da cidade. A reportagem da TV Globo flagrou, ontem, intenso fluxo de pessoas em vários pontos. Apesar de muitas lojas fechadas, por força de um decreto estadual que limita o funcionamento de setores não essenciais, as imagens registraram o comércio informal aberto normalmente ao redor de bancos e supermercados. Também havia longas filas em frente à casa lotérica do centro da cidade.

RECOMPOSIÇÃO DO ICMS – O relator do projeto que estabelece auxílio financeiro a estados e municípios durante a pandemia de coronavírus, deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), propôs uma nova versão do texto com a recomposição, por seis meses, de perdas das receitas com arrecadação de impostos. Segundo o texto, nesse período, caberia à União complementar o que foi perdido pelos estados em arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), e pelos municípios na receita do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

TUPARETAMA – A coluna errou ao noticiar na edição de sábado passado que o prefeito de Tuparetama, Sávio Torres (PTV), iria entregar uma moderna escola com ar condicionado em todas as suas salas de aula no próprio sábado, dia da emancipação política do município. Para festejar a fundação do município, Sávio, na verdade, fez uma conferência prestando contas da sua gestão em razão do isolamento social que também está cumprindo como cidadão obediente às normas da Organização Mundial da Saúde. Quanto à escola, ele disse que ainda se encontra em obras.

Perguntar não ofende: Você vai fiscalizar a aplicação do dinheiro que o seu município recebeu do Ministério da Saúde para ações de combate ao coronavírus?

Publicado em: 14/04/2020