Coluna da quarta-feira

Coração de Geraldo é de pedra

Os prefeitos de Maceió, Rui Palmeira, e de Teresina, Firmino Filho, ambos tucanos, colocaram o colega Geraldo Júlio (PSB) em maus lençóis. O primeiro prorrogou o pagamento do IPTU por 90 dias, enquanto o segundo foi bem mais generoso: suspendeu, sem prazo determinado. Em tempos de crise gravíssima pela destruição da economia, a falta de produção e o desemprego, Maceió e Teresina agiram em sintonia com o desejo da sociedade. Isso é o que se chama sensibilidade social.

O que, diga-se de passagem, escasseia no gestor do Recife. Num instante em que falta pão e há ranger de dentes nos lares recifenses, sem que se abra uma luz ao final do túnel, o que a população espera do seu condutor, o comandante do município, é visão de estadista para tomada de decisões que, se não resolvem, pelo menos amenizam os efeitos catastróficos de uma crise que chegou de repente, que não se sabe da sua extensão e se vislumbra cenário que nos remete ao fim do mundo.

Cobrar impostos, aplicar multas no trânsito e perseguir quem já não tem nada é o caminho da insensatez, do socialismo da estupidez, como carimbou o jornalista José Nêumanne Pinto em sua live sobre a antecipação do IPTU 21 pedida pelo prefeito. Do ponto de vista de saúde financeira, Maceió e Teresina são desnutridos, esfomeados, pedintes, diante da capital pernambucana. Mas Geraldo tem olho grande, é impostor na mesma linha do também socialista da estupidez Paulo Câmara.

O mínimo que se espera do poder público, em momentos de agonia, de nuvens que perderam a cor de tamanha escuridão é a mão estendida. A economia parou, o comércio e a indústria subiram para a UTI. Sem trabalho, sem renda, sem a usina moendo, não se tem dinheiro sequer para o pão do dia a dia. Imagine para pagar imposto de ano seguinte, medida ilegal e inconstitucional.

Recife nunca teve um prefeito com tamanho coração de pedra.

Decreto alagoano – Ainda em relação ao IPTU, em Maceió o decreto prorrogando por 90 dias saiu no Diário Oficial o dia 25 de março passado. Tanto a primeira parcela quanto a cota única com 10% de desconto passaram a ter limite de pagamento até 30 de junho. Segundo o decreto, essas medidas foram para diminuir “os impactos socioeconômicos da pandemia decorrente da Covid-19 em Maceió, zelando pelos cidadãos maceioenses e por aqueles que empreendem em nossa cidade, sem perder de vista a qualidade na prestação dos serviços e a proteção do interesse público”, disse o prefeito.

O exemplo de Teresina – No caso de Teresina, que suspendeu o pagamento do IPTU, um novo prazo deve ser definido depois que a crise instaurada com a pandemia do novo coronavírus acabe, já que o momento é complicado e muita gente terá dificuldade de pagar. Entretanto, a Prefeitura também fez um apelo para que os contribuintes que possam pagar mantenham o prazo para que os recursos sejam destinados ao enfrentamento da doença na capital. Apesar da suspensão de pagamento, a Prefeitura reforçou que os pagamentos que forem realizados serão utilizados como recursos para o enfrentamento da pandemia que atinge a capital com ações de isolamento.

Ação na justiça – As medidas tomadas por Maceió e Teresina em relação ao IPTU foram comemoradas e repercutidas na Assembleia Legislativa pelo deputado Alberto Feitosa (SD). Para ele, o prefeito do Recife sofreu uma tremenda saia justa. “Já era tempo de Geraldo ter suspendido a cobrança do imposto deste ano e não ficar já antecipando o recolhimento do ano de 2021, uma medida inconstitucional”, disse o parlamentar, responsável por duas ações na justiça para impedir igual aberração.

Quipapá surreal – A sucessão municipal em Quipapá, no Agreste, ganhou ares do “faz de conta”. A ex-primeira-dama Lucemar Dias (PP) de uma hora para outra passou a negar que é a candidata do prefeito Cristiano Martins (PSB), em razão da altíssima temperatura de desgaste da sofrível gestão dele. Posa de independente do cheiro e da sombra do poder quanto até as paredes da Prefeitura sabem que o prefeito é assíduo frequentador das suas reuniões para traçar o cenário eleitoral e o seu engajamento na campanha. Além disso, secretários e vereadores da base são vistos fazendo campanha abertamente para a pré-candidata governista. Nem mesmo o motorista do prefeito escapa do assédio para engajamento na campanha.

CURTAS

INTRIGA ARCOVERDENSE – Na entrevista que concedeu ao Frente a Frente, ontem, o pré-candidato do PP a prefeito de Arcoverde, Israel Rubis, disse que a presidente da Câmara de Vereadores, Célia Cardoso (PSB), teria enormes dificuldades de subir em seu palanque num eventual cenário em que fosse candidato apoiado pela prefeita Madalena Brito (PSB). “Ela levou minhas investigações para o campo pessoal e acho que isso a deixaria numa posição desconfortável”, afirmou. O blog apurou e noticiou que o Palácio e o PSB queriam construir um palanque em Arcoverde com o delegado na cabeça, mas que houve veto explícito de Célia. Agora, Rubis é especulado como vice da pré-candidata do Avante, Cybele Roa, mas nega.

BLOQUEIO DO FUNDO – As eleições estão mantidas, mas o juiz federal Itagiba Catta Preta Neto, da 4ª Vara Cível da Justiça Federal em Brasília, determinou, ontem, o bloqueio dos recursos do fundo partidário (dinheiro destinado aos partidos políticos) e do fundo eleitoral (para custear campanhas eleitorais). O magistrado decidiu que a verba ficará à disposição do Governo Federal para ser usada em medidas de combate ao coronavírus ou em ações contra os reflexos econômicos da crise em razão da pandemia da doença. Ontem, o Brasil atingiu os números de 667 mortes e 13.717 casos confirmados de coronavírus.

LIDERANÇA EM TABIRA – No áudio gravado e vazado pelo deputado federal Carlos Veras, que em nome da executiva estadual do PT tomou os poderes do PSB em Tabira, levando o partido para a base do prefeito Sebastião Dias (PTB), ex-aliado de Armando Monteiro e agora neogovernista, daqueles que adoram o café quentinho das Princesas, o próprio petista dá a mão à palmatória e revela que a candidata que está à frente das pesquisas é Nelly Sampaio, presidente da Câmara e pré-candidata do PSC à prefeita. Mas, mesmo com a simpatia do Palácio, do PT e do PSB, Veras, em nenhum momento, moveu uma palha sequer para a candidata ser Nelly, diferente do deputado Waldemar Borges (PSB), firme o tempo todo. O que o Palácio diz sobre o assunto?

Perguntar não ofende: Cadê Daniel Coelho, a delegada Patrícia Domingos e João Campos?

Publicado em: 08/04/2020