Coluna do sabadão

Reaja rápido, governador!

Até o fechamento desta coluna, que escrevo e programo para entrar à meia noite no blog, não vi uma só manifestação do Governo do Estado em relação às manifestações de rua que estão sendo anunciadas no Recife e em várias cidades do Interior entre hoje e segunda-feira. Petrolina, por exemplo, tem chamada nas redes sociais para uma carreata hoje em torno da orla do Rio São Francisco. Soube que há convocações também para Arcoverde.

No Recife, também carreata, está prevista para às 10 horas, concentrada no Marco Zero, no bairro velho da cidade. Todas elas têm uma só finalidade: pedir a revogação do decreto do governador que proíbe a aglomeração acima de dez pessoas, restabelecendo imediatamente as atividades econômicas no Estado, paralisadas em função das medidas de prevenção para o avanço do Covid-19, transmissor do vírus que está dizimando milhares de pessoas no mundo inteiro.

Diante do silêncio do Governo, o Ministério Público alertou, em nota, que as manifestações vão contra as determinações impostas pela lei assinada pelo governador. O MP foi mais além e disse que baixou uma recomendação para que a Polícia apreenda os carros que, porventura, participem do ato. Segundo Francisco Dirceu Barros, procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, toda decisão será baseada em laudos técnicos e em consonância com o que determina a lei.

"Essa convocação nos deixa muito triste, o MPPE não vai entrar em debate ideológico político, somos técnicos jurídicos, não temos capacidade de fazer uma análise econômica e de saúde. Mas estamos lastreados em laudos técnicos e temos que seguir a lei. Existe um decreto que proíbe a aglomeração de mais de dez pessoas, inclusive uma orientação do Ministério da Saúde e também de órgãos internacionais da saúde", disse.

O MP reagiu de imediato e está fazendo a sua parte. Mas, cadê a palavra ameaçadora do governador aos que querem ferir à sua lei? Não fala nada? O Estado não pode ser desmoralizado por setores que acham que a economia é mais importante do que salvar vidas. Aja, governador! Mostre que tem pulso e que quem manda no Estado, até segunda ordem, é o senhor!

Ameaça corretíssima – As carreatas, tanto a do Recife quanto a de Petrolina e Arcoverde, convocam empresários, comerciantes, motoristas de aplicativos, profissionais liberais, além da população de uma forma geral. "Sei que é um momento de crise, estamos vivendo um estado de guerra que há danos para a saúde. As pessoas podem morrer e também podem morrer com a crise econômica, mas temos que seguir a lei. Por isso, vou recomendar aos oficiais de Justiça que recomendem a Polícia para apreender os carros de quem vá para a carreata. Não estou me envolvendo em polêmicas de partido, mas, enquanto chefe do MPPE, preciso fazer cumprir a lei", alerta o procurador-geral de Justiça.

Em outros estados – As carreatas organizadas por empresários e comerciantes, que pedem a volta da normalidade com comércio e indústria retomando as atividades, não se restringem a Pernambuco. Na última quinta-feira, foi feito um registro no balneário de Camboriú, em Santa  Catarina. A manifestação foi flagrada em vídeo. Reuniu um grande número de pessoas e chamou a atenção para os problemas que podem ser criados com a paralisação das atividades econômicas. Está no centro da discussão causada pela pandemia do coronavírus. O medo é de que uma profunda depressão econômica se apodere do País nos próximos meses, segundo faixas exibidas pelos manifestantes.

O mundo isolado – Aos que querem fazer carreatas: pelo menos 2,8 bilhões de pessoas, o que representa mais de 1/3 da população mundial, vivem atualmente sob algum tipo de restrição de circulação para conter o rápido avanço da Covid-19, aponta um balanço da agência France Press (AFP). Em um momento em que pandemia se acelera em uma taxa exponencial – os últimos 100 mil novos casos no mundo foram registrados em apenas dois dias, a OMS recomenda que os países tomem medidas duras que favoreçam o isolamento físico das pessoas, apesar do custo social e econômico significativo. "Sem ação agressiva em todos os países, milhões poderão morrer”, declarou o diretor-geral da organização, Tedros Ghebreyesus.

Números atualizados – O Ministério da Saúde divulgou, no início da noite de ontem, o mais recente balanço dos casos da Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2. Os principais números são: 92 mortes, 3.417 casos confirmados, 2,7% é a taxa de letalidade, São Paulo concentra 1.223 casos, e o Rio, 493. No balanço anterior, que marcou o primeiro mês da circulação do novo coronavírus Sars-Cov-2 no Brasil, os números apontavam 77 mortes e 2.915 casos confirmados. Em relação às mortes, o aumento foi de 19%, e de 17% em relação aos casos do dia anterior.

CURTAS

MEDIDAS – O Governo Federal anunciou, ontem, finalmente, uma linha de crédito emergencial para pequenas e médias empresas e que vai ajudá-las a pagar os salários de seus funcionários pelo período de dois meses. Anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o programa vai disponibilizar no máximo R$ 20 bilhões por mês, ou seja, R$ 40 bilhões em dois meses. Feito no Palácio do Planalto, o anúncio se deu após o aumento da pressão sobre Bolsonaro para que adote medidas semelhantes às vistas em outros países para facilitar medidas como o isolamento recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para reduzir o crescimento no número de doentes pela Covid-19.

DOAÇÃO EM OLINDA – Se todo empresário agisse como Inácio Neto, diretor-presidente da Faculdade de Medicina de Olinda, provavelmente não faltaria equipamentos para os profissionais de saúde no trabalho rotineiro nos hospitais: entregou uma doação de 10 mil máscaras à Prefeitura de Olinda. Fez questão de fazer o repasse à secretária de Saúde, Luciana Lopes, na presença do vice-prefeito Márcio Botelho (SD), em ato acompanhado pela diretora acadêmica da FMO, Teresa Miranda. Há muitos municípios que estão precisando urgentemente de equipamentos. Chegou a hora de o empresariado ajudar a salvar vidas protegendo os profissionais que atuam na Saúde.

ENGAVETADOR – Por falar em Olinda, o presidente da Câmara, Jorge Federal (PL), engavetou, literalmente, o projeto do prefeito Lupércio (SD) que reduz em 10% o salário dele, do vice-prefeito e dos secretários para usar na compra de insumos e de material no combate à disseminação do Covid-19. A proposta foi encaminhada ao Legislativo na última segunda-feira, um dia após o prefeito fazer o seu anúncio num vídeo pelas redes sociais. Ninguém está entendendo a postura do presidente da Câmara. Certamente, ele teme que a população cobre o mesmo gesto aos nobres vereadores que integram o poder.

Perguntar não ofende: Quem confia hoje no que diz o presidente quando trata do mal do coronavírus?

Publicado em: 28/03/2020