Eleição municipal é parada federal

A vida é um fator local e a eleição municipal será uma parada federal, proclama o bicho-grilo Adalbertovsky. “Cada eleição tem sua história e nada se repete. Esta é uma lei imutável, transitada em julgado, nem os aiatolás de Brasília revogam. Olha só quem aflorou no recinto, o cavaleiro andante da Embratur, Gilson Machado Neto! Bolsonariano-raiz, faz parte da legião dos pioneiros da Aliança Pelo Brasil. GMN comanda o cruzeiro da Embratur em mar de almirante e céu de tenente-brigadeiro”.

“Empreendedor, amigo do peito do capitão e a bordo do pavilhão da Aliança Pelo Brasil, GMN é liderança emergente que poderá se converter em fato novo na sucessão municipal de Recife. Convém analisar as CNTP – Condições Naturais de Temperatura e Pressão. O cara é ninja no pentagrama musical e nas plataformas da Embratur. Tá ligado em 220 volts, segundo o capitão”.  

“Experiente e engenhoso, o ex governador Mendonça Filho reúne condições objetivas para encarar e vencer a patota da mundiça vermelha e assemelhados, no primeiro ou segundo turno. Formosa criatura, a delegada Patrícia Domingos apresenta lampejos de fato novo. Mas, é feito meteoro, estrela passageira. O nome dela não ecoa na Cova da Onça, nas esquinas de Água Fria, nas periferias. Ser candidata a vice ou a vereadores já seria de bom tamanho para ela”.

“Governo do Estado e Prefeitura do Recife mobilizam estruturas poderosas para impulsionar a candidatura do garoto que se presume herdeiro da capitania hereditária. Mas, o pirralho na avança nas pesquisas internas. As desavenças familiares poderão inviabiliza-lo. O PSDB é uma barragem com rachaduras e sangramentos. Um afluente tucano fará a transição para novo abrigo em busca do apoio do presidente Bolsonaro”. A crônica do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião. Metam os peitos.

Publicado em: 27/01/2020