Coluna desta terça na Folha

Tábata aceita, enfim, dar entrevista

Na coluna de ontem, informei que havia tentado uma entrevista com a deputada paulista Tábata Amaral (PDT), namorada do pré-candidato do PSB a prefeito do Recife, João Campos, tendo como resposta que estaria na 35º posição dos jornalistas a espera. Recorri à própria Tábata por mensagem via Whatsapp.

Vinte e cinco dias foram levados para a nobre parlamentar visualizar e responder compartilhando o fone de Juliana, então assessora de Imprensa. Foi a própria Juliana que passou a informação de que a fila não ia andar para o meu lado. A nota de ontem, no entanto, teve feedback mais rápido do que esperava.

Mais educada do que Juliana, a jornalista Joelma Chaves me pediu desculpas e disse que Tábata estava, enfim, com agenda aberta para uma entrevista ao Frente a Frente e ao meu blog. Fiquei com a impressão de que fluidez se deu muito mais pela fina ironia em tratá-la por celebridade, reprovada por ela e sua assessoria.

Já quase emedebista – O líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), confirma articulações para o ex-prefeito de Surubim, Flávio Nóbrega, atualmente abrigado no PSB, ingressar na legenda com vistas a disputar a sucessão da prefeita Ana Célia (PSB). As sondagens, entretanto, segundo FBC, foram feitas pelo presidente estadual do MDB, Raul Henry. Nóbrega é visto como imbatível.

Pocilgas – Grande parte dos terminais rodoviários, seja na Mata, Agreste ou Sertão está um lixo. O de São José do Egito, cidade que no último fim de semana fez grande tributo ao poeta Louro do Pajeú, é uma pocilga. O de Araripina, esgoto a céu aberto. Já o de Pesqueira, um lamaçal. A administração de todos está entregue à petista Marília Bezerra, esposa do ex-prefeito João da Costa.

Estrada – Em Araripina, nas eleições de 2022, o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) pode trocar o apoio à reeleição do deputado federal Luciano Bivar (PSL) em adesão ao deputado Fernando Bezerra Filho (PSB). Está tudo traçado e depende apenas da pavimentação da estrada que liga o perímetro urbano ao distrito de Lagoa do Barro, promessa do grupo FBC que pode render um balaio de votos.

Investigação – O deputado Waldemar Borges (PSB) promete ir fundo na investigação da morte de cinco idosos no hospital municipal Doutor Paulo da Veiga Pessoa, na semana passada, em Gravatá. “Estamos diante de um caso inédito. Cinco mortes num curto espaço de tempo sem aparente gravidade”, afirma.

Que aburdo! – A lei eleitoral permite que servidores públicos tenham licença remunerada de seis meses caso entrem na disputa por um mandato eletivo quando, oficialmente, a campanha só dura 45 dias. Outra distorção: o que recebe acaba virando financiamento de campanha com dinheiro público.

CALOTE – Candidato à reeleição sem adversário até o momento, o prefeito de Vertentes, Romero Leal (PSDB), perdeu a paciência com o Governo na cobrança do FEM – o fundo emergencial dos municípios criado por Eduardo Campos. “Os municípios estão sofrendo um verdadeiro calote”, constata.

Perguntar não ofende: Aproveitando a deixa de Romero Leal, os prefeitos de um modo geral ainda acreditam na ressurreição do FEM?

Publicado em: 07/01/2020