Coluna deste sabadão na Folha

Rua rende mais do que ipês roxos  

Perfil técnico e burocrático, o governador Paulo Câmara (PSB) não é um animal político como o seu criador Eduardo Campos. Descoberto nos labirintos da corte que julga as contas dos gestores públicos, o Tribunal de Contas do Estado, Câmara demorou a pegar gosto pela seara política, diferentemente do prefeito Geraldo Júlio, que procura ser cópia fiel de Eduardo.  

Poucos, entretanto, exercem tamanha influência junto ao príncipe quanto o secretário da Casa Civil, José Neto, amigo de adolescência do governador, confidente e conselheiro. Cria do ex-governador Joaquim Francisco, de quem é sobrinho, Neto convenceu Câmara a trocar, enfim, o gabinete refrigerado pelas ruas e, ontem, fez um bom susto a Brasília Teimosa chegando no bairro sem avisar.  

Saiu animado e convencido de que as agendas informais nas ruas produzem muito mais do que os despachos frios e solitários, embora sob o olhar romântico dos ipês roxos dos jardins das Princesas.  

Simbologia do lulismo 

Brasília Teimosa não serviu por acaso de laboratório para Paulo Câmara inaugurar um novo estilo e, assim, ficar mais próximo do povo. O bairro é simbolizado pelo lulismo. Ali, o ex-presidente Lula baniu, no seu primeiro mandato, mais de 1,8 mil palafitas, trocando por cerca de 4 mil unidades habitacionais em parceria com o ex-prefeito e aliado João Paulo (PT). 

Guerra Santa – O presidente americano Donald Trump que prepare o lombo: Irã e aliados estão prontos para a guerra. Qassem Soleimani, um dos homens mais poderosos do Irã, morto num ataque autorizado por Trump, pode ser o estopim de uma guerra santa, não tradicional. O cenário internacional vai se agravar, com alta do petróleo e um rastro de sangue sem precedentes.  

Defesa – O prefeito de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB), reclama que os adversários tentam explorar, politicamente, a morte de cinco idosos no hospital municipal Doutor Paulo da Veiga Pessoa, na madrugada de ontem. Ressalta que aparelhou a unidade e investiu muito na qualificação do seu corpo médico e que não houve qualquer tipo de negligência no episódio.  

Ataque – Num vídeo postado, ontem, nas redes sociais, o prefeito de Belo Jardim, Hélio dos Terrenos (PTB), baixou o nível no ataque aos adversários. Chamou João Mendonça de ladrão, Gilvandro Estrela de “resto de ser humano” e Mendonça Filho de “liderança derrubada, que não honra as calças que veste”.  

Ideia de Ciro – No site Antagonista, o presidente do PDT, Carlos Lupi, disse que a pré-candidatura de Túlio Gadelha é invencionice do presidenciável Ciro Gomes, que o considera “um jovem de muito talento”. Segundo o dirigente nacional da legenda, Gadelha já filiou duas mil pessoas ao PDT em Pernambuco.  

Má-fama – Em Sertânia, o prefeito Ângelo Ferreira (PSB) caminha para ser reeleito por WO. Dos adversários despontados, a população tem péssimas recordações: Orestes Neves (PT), pela sua passagem desastrosa na Secretaria de Saúde, e Sinval Siqueira (PL) pelo rombo deixado na Prefeitura quando gestor.  

Perguntar não ofende: Quando o PT vai bater o martelo para anunciar Marília Arraes candidata no Recife?   

Publicado em: 03/01/2020