Lavareda


01/12


2020

Coluna da terça-feira

Primeiro cenário de 22

Como no Brasil a próxima eleição começa quando acaba a última, já é possível delinear um cenário para 2022 em Pernambuco? Ao manter a Prefeitura do Recife em sua estrutura de poder, evidentemente que o PSB saiu fortalecido. Seu candidato natural a governador é o prefeito Geraldo Júlio, que tem pela frente problemas que fogem da alçada política derivando para a judicial. São seis operações da Polícia Federal em seu lombo, que andam, com graves consequências.

Geraldo tem a seu desfavor também sua fraca e inoperante gestão, passando dos 60% de reprovação, sem tempo hábil para se recuperar. Vai depender do desempenho de João Campos no seu primeiro ano, que não será nada fácil diante da situação de dificuldades financeiras da Prefeitura. Some-se a isso o fato de não contar com apoio do Governo Federal e a má vontade do presidente Bolsonaro.

Do lado da oposição, três nomes saíram fortalecidos das urnas: Miguel Coelho (MDB), prefeito de Petrolina; Raquel Lyra (PSDB), prefeita de Caruaru; e, por fim, Anderson Ferreira, prefeito de Jaboatão dos Guararapes. Ainda incipiente, sem fazer nenhum tipo de movimentação, nem assumir a possibilidade, o ministro José Mucio Monteiro, que antecipou em um ano e nove meses sua aposentadoria do Tribunal de Contas da União, é uma alternativa corrente apenas hoje nos bastidores.

Bom gestor, revelação política no Estado, Miguel Coelho tem dois grandes desafios a enfrentar: a questão política-geográfica (um nome do Interior e de município distante, no Vale do São Francisco, já divisa com a Bahia) e a sorte do pai, o senador Fernando Bezerra Coelho, que deve ir à reeleição, mas não se sabe por onde. Anderson também é fato novo em gestão pública, mas seu grupo ainda é pequeno e precisa de mais amplitude, acima do universo evangélico.

Já Raquel Lyra, geograficamente, está bem mais próxima do eleitorado urbano da Região Metropolitana e sairia forte numa região com cerca de 1,5 milhões de eleitores, o entorno de Caruaru. Pesa o fato de ser mulher, filha de ex-governador, bem avaliada como gestora. Por fim, Marília Arraes merece um capítulo à parte. Saiu derrotada eleitoralmente, mas conquistou um capital político: 348,126 mil votos na capital.

Armando Monteiro e Mendonça Filho, o primeiro sem partido e o segundo do DEM, são nomes presentes na memória do eleitor, com densidade eleitoral, mas talvez estejam fora de 2022 por virem de seguidas derrotas eleitorais no Recife e no Estado. Certamente, entretanto, serão atores importantes na discussão de um projeto alternativo da oposição.

No caso de Marília, tem pela frente a necessidade, se quiser de fato a entrar no jogo, de mudar de legenda. O PT foi o seu grande inimigo e está, literalmente, varrido do mapa do poder no País. Para onde ela iria, eis a grande questão. Teria que optar por uma legenda de centro-esquerda e começar a trabalhar, em tese, a unidade das oposições.

Abstenção – A abstenção geral nas eleições de segundo turno foi de 29,5%, a maior da história do País. Entre as capitais, a que teve maior abstenção foi Goiânia (GO), onde 36,75% dos eleitores não foram às seções de votação no domingo. Venceu o candidato Maguito Vilela (MDB), que está internado desde outubro devido à covid-19. “Tradicionalmente [a abstenção] é maior no 2º que no 1º turno. O ideal é que a abstenção tivesse sido menor, mas a verdade é que quando tudo começou se imaginava uma abstenção colossal”, declarou o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso.

Golpe – O jornal britânico Financial Times repercutiu os resultados das eleições municipais no Brasil e disse que a escolha dos prefeitos foram um “golpe” para o presidente Jair Bolsonaro. A publicação ainda afirma que o PT também foi derrotado. Escreveu que o “establishment voltou”. “Partidos tradicionais do centro e centro-direita ganharam os grandes prêmios nas eleições municipais do Brasil”, diz o trecho inicial da reportagem, que destacou a vitória de Bruno Covas (PSDB) sobre Guilherme Boulos (Psol), em São Paulo.

Sinal verde do STF – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a dizer que não será candidato a um novo mandato à frente da Casa porque a Constituição não permite. Não falou, porém, se não será candidato mesmo que o STF (Supremo Tribunal Federal) o libere para concorrer. “Não trabalho por hipótese”, declarou. Segundo informações de bastidores em Brasília, o Supremo já tem votos suficientes para permitir que ele e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), candidatem-se novamente. As eleições nas Casas estão marcadas para fevereiro.

Mapa partidário – Dos 33 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e aptos a participar da disputa, 29 conseguiram eleger ao menos um prefeito. As quatro legendas que saíram das urnas sem sequer uma vitória para o Executivo municipal foram UP, PCO, PCB e PSTU. Já outros quatro partidos conquistaram apenas uma única prefeitura cada: Novo, PTC, DC e PMB. A análise considera o resultado de todos os municípios do Brasil onde o nome do próximo prefeito já está definido – em Macapá (AP), as eleições foram adiadas por causa da falta de energia.

CURTAS

SEM LOCKDOWN – O prefeito eleito no Rio, Eduardo Paes (DEM), disse, ontem, que, a princípio, descarta o lockdown no Rio. Segundo ele, as medidas a serem adotadas serão terapêuticas em um primeiro momento. Em sua avaliação, o isolamento total seria "extremo e desnecessário". Paes disse ainda que tem conversado com o futuro secretário de Saúde, Daniel Soranz, justamente pela preocupação com a Saúde, agravada nesse momento pela pandemia.

MENOS VOTADOS – Os prefeitos Marcelo Crivella (Republicanos), Hildon Chaves (PSDB) e Emanuel Pinheiro (MDB) receberam menos votos no 2º turno de 2020 do que haviam obtido em 2016. Eles disputaram a reeleição no Rio, em Porto Velho e em Cuiabá, respectivamente. Já o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), conseguiu mais votos do que há quatro anos.

Perguntar não ofende: Quem sai mais perdendo na eleição municipal: Bolsonaro ou Lula?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Boa noite Gretchen, já chegasse do enterro do PT foi?

Fernandes

Tem calma marcos mamador de piroca Lolita de camaragibe, teu negócio é queimar a rosca

marcos

Fiasco eleitoral faz Jaques Wagner dar início ao processo de isolamento de Lula ...................................... A corrupção contaminou todo o PT....................................................... Ninguém saiu ileso, durante a longa temporada do partido no poder. Porém, o ex-presidiário, indubitavelmente representa o que há de mais relevante na podridão que tomou conta do partido................................................ A tarefa agora é se livrar de Lula................................... Jaques Wagner, ainda repleto de ‘cuidados’, certamente para não ferir sentimentos, deu início ao processo. O espertalhão já se coloca como alternativa do partido como candidato a presidente. “Meu nome está posto, tanto na cena nacional como na cena estadual (…). Sou amigo irmão do Lula, mas vou ficar refém dele a vida inteira? Não tem sentido”.

marcos

Chora não Gretchen vai dar esse rabão e esquece Lula.

marcos

Mas podemos trocar os políticos e os partidos Corruptos. Foi isso que fizeram com o PT.


ALEPE


30/11


2020

Coluna da segunda-feira

As razões da derrota

A vitória de Marília Arraes (PT) estava nas mãos, com 8 pontos de vantagem frente ao concorrente João Campos, segundo o primeiro levantamento do Datafolha na disputa de segundo turno. Só que ao longo da campanha cometeu erros mortais. Ficou num jogo solitário, ouvindo só um lado, o do seu marqueteiro, da teoria suicida de amor na política, paz e amor. Só quem se deu bem com isso uma única vez foi Lula, mas Lula era Lula.

Se quisesse e soubesse usar na hora certa, Marília tinha um verdadeiro arsenal para detonar o adversário, que passou incólume, enquanto ela, agredida e atacada, não reagiu e quando reagiu não convenceu. Quando partiu para endurecer o jogo, já era tarde. Já João Campos, bem assessorado e bom aluno na estreia de campanha majoritária, soube, mesmo as vezes parecendo um robô, desconstruí-la.

A candidata não aceitou nenhuma visão que não fosse a do marqueteiro, que vinha com pesquisas quantitativas mostrando enormes vantagens numéricas, a ponto de ontem, às vésperas da eleição, entregar dados que Marília venceria. Também argumentava que as qualitativas diziam que ela não podia nem desconstruir o adversário nem rebater a desconstrução. Só que Marília também não admitia sequer o questionamento dessa estratégia que, estava na cara, seria e foi mortal.

Se ocorreram ataques tenebrosos de todos os tipos, mas ao não reagir deixou que sua candidatura fossa abatida em pleno voo. Marília perdeu por outros fatores também, entre os quais o abuso do poder econômico do PSB, com duas máquinas moendo para João, o amadorismo instalado em sua coordenação política, que em nenhum momento existiu, e, por último, e decisivo: a rejeição do eleitorado ao PT, partido varrido do mapa eleitoral das capitais, sem um só prefeito eleito.

João Campos obteve uma grande e histórica vitória. Agora o Recife vai ter o mais jovem prefeito de capital de todo o Brasil e de sua história, aos com 27 anos. Passa a carregar nas costas a responsabilidade como sucessor do pai, que partiu de maneira prematura e trágica. Com isso, terá que demonstrar sua capacidade política e gerencial para obter bons resultados, ser reeleito prefeito em 2024 e ser candidato a governador em 2026 quando terá atingido a idade mínima para concorrer ao Governo do Estado.

Amadorismo – Tão logo passou para o segundo turno, tirando a vaga de Mendonça Filho (DEM), Marília foi procurada por vários atores e lideranças políticas. Houve, de largada, um grande número de adesões. Eram vereadores eleitos, mas magoados com o PSB, suplentes e um balaio de pensadores, que não tinham voto, mas tinham o que dizer. Marília não constituiu um núcleo político nem deu poderes a ninguém para falar em seu nome. Dava a impressão de que não queria companhias nem voto, que venceria sozinha uma eleição dificílima. Política não é para amadores.

Jogou certo – Já João Campos, mais humilde no aprendizado do jogo, ouviu a todos, delegou, ampliou e montou uma equipe de campanha experiente e astuta. Jogou de acordo com o que ensinou a sua equipe técnica, até nos debates, quando conseguiu, em muitos momentos, tirar a adversária do sério. Mais do que isso, João foi para o ataque e suas flechadas funcionaram, deram resultado, tanto que atraiu um balaio de votos do segmento evangélico ao sugerir que Marília era ateia.

Direita e esquerda – Ferino e vingativo, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, comemorou como ninguém a vitória de João Campos, não por ter simpatia ao PSB, mas para se vingar do ex-senador Armando Monteiro Neto, que deixou a legenda em apoio à Marília. “O incrível é que Armando nunca dá uma dentro: perdeu na direita e na esquerda”, disse Jefferson, em mensagem ao blog tão logo tomou conhecimento da derrocada do PT na capital pernambucana.

Milton Coelho – A vitória de João abre na Câmara dos Deputados uma oportunidade para um dos quadros mais brilhantes do PSB: o suplente Milton Coelho, que passa a ser efetivado. Atual chefe de gabinete do governador Paulo Câmara, Milton é um eduardista histórico, tendo ocupado todas as funções públicas em vida, desde a presidência estadual da legenda socialista à missão de vice-prefeito do Recife na gestão João da Costa, por delegação expressa do ex-governador. Fará com certeza um belo mandato, amplo, com visão para todos os segmentos da sociedade. É um articulador nato, jeitoso no trato.

CURTAS

O GUARDIÃO – Em Paulista, a vitória esmagadora de Yves Ribeiro (MDB) não é obra apenas da sua história, sua popularidade e cheiro de povo. Seu vice Dido Vieira, também emedebista, teve papel relevante na campanha, verdadeiro braço direito do prefeito eleito. Empresário bem-sucedido, Dido será um grande ator na gestão e pode até pensar em voos mais altos na política se Yves vier a fazer uma boa gestão.

TRANSIÇÃO – Em live, ontem, no calor da eleição de segundo turno, o prefeito eleito de Paulista anunciou que pretende constituir, já a partir de hoje, a sua equipe de transição para levantar a herança maldita de Júnior Matuto. Posso até estar errado, mas essa equipe deve ser coordenada pelo vice-prefeito eleito Dido Vieira.

Perguntar não ofende: Magoada com as traições do PT, Marília deixa o partido ou vai ficar convivendo com lobos?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos

Cadê os petralhas que comentam neste blog? Estão de ressaca de tanto chorar? Chorem não, gritem Lula livre que passa kkkkkkkkkkkk.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Mais uma vez tivemos a desmoralização dos institutos de pesquisas. Ou eles são incompetentes ou desonestos. O detalhe é que eles sempre erram em favor da esquerda. Agora, querer dourar a derrota não dá. Marília perdeu e perdeu feio. Primeiro por ser candidata do PT, partido que virou uma Organização Criminosa comandado pelo bandido julgado e condenado Lula ladrão. Segundo por ser uma péssima política, sem carisma, desagregadora sem nenhum preparo para o diálogo e debates. É a típica petista que só fala palavras do ordem. Como repetia em todos os debates sendo chamada de Marília passo a passo. Tivemos também as figuras do Mendonça Filho e Armando Monteiro se revelando que nunca pensaram no nosso povo quando um, de maneira patética, pediu o voto nulo e o Armando, pelo menos teve a hombridade de definir seu apoio. Apoio para o Partido da Trambicagem. A Patrícia, sem nenhuma chance, pensando unicamente em vingança. Recife mostrou não é mais aquela que se deixava enganar pelas promessas. Mostrou que não aceita essa dos donos dos votos querendo transferir o que não lhe pertence. O voto é do povo. Não tem dono. Deus é grande.

MARCOS MORAIS

Pois é caro Magno, agora você reconhece os méritos de João Campos, aquele que você disse que foi emparedado por Marília no último debate. Na verdade Marília só foi vencedora dessa eleição na primeira pesquisa do segundo turno por que nas urnas quem sempre ganhou foi João Campos foi assim no primeiro turno e novamente no segundo, na força do voto João sempre foi mais forte, desde a campanha para Deputado Federal até o pleito atual. Apesar de toda campanha que você fez no seu blog contra João e a favor de Marília o povo demonstrou que já sabia quem ele queria ver à frente da Prefeitura do Recife. Mas João assim como o seu pai saberá ser grande, agregador e com inteligência suficiente para governar com todos, inclusive com adversários, pelo bem da cidade e do povo do Recife.

marcos

Bom dia Gretchen e Boca de veludo, vocês irão para o Enterro do PT?

marcos

O PT Perdeu foi? .......... kkkkkkk


O Jornal do Poder


28/11


2020

Coluna do sabadão

Recife pega fogo

Recife terá, amanhã, uma das eleições mais radicalizadas da sua história. Nunca se jogou tão sujo, muito abaixo do nível da sarjeta, sem limite ético algum ou em qualquer aspecto que seja, como o candidato João Campos está fazendo. No caso de João, o candidato-mirim, com múltiplas estruturas das máquinas públicas estadual e municipal, partidos, recursos financeiros, equipes de marketing, mobilização e um sem número de vantagens materiais.

Sua adversária, Marília Arraes, foi e continua a ser sabotada e boicotada pelos principais membros do seu próprio partido no Recife e em Pernambuco. Não conta com nenhuma estrutura que seja. É algo heroico. Existe um desequilíbrio material e moral. João tem o máximo e joga sujo. Já Marília não tem o mínimo e joga limpo.

O resultado, só será possível saber amanhã, mas seja quem for o vencedor, a Justiça Eleitoral deve realizar uma investigação sobre o uso da máquina e abuso de poder econômico por parte de João. Recife está atônita. O PSB usou técnicas nazistas de ficar repetindo mentiras infinitamente até darem a impressão de serem verdades. Isso é o cúmulo da desonestidade e deve também ser considerado um crime político.

Outro aspecto terrível foi assistir as alas conservadoras lavando as mãos e fugindo da responsabilidade moral de contribuir para remover a ditadura de Renata Campos e seus cúmplices. O DataFolha aponta a vitória de Marília, mas ainda é uma eleição a ser decidida por poucos votos, o que exige o engajamento de qualquer democrata que preza a alternância do poder.

Volto a insistir: se Marília tivesse reagido aos ataques na mesma intensidade dos seus últimos programas na TV, ontem, com certeza o resultado seria muito diferente. O que se assistiu no Recife, nos últimos dias, em se tratando de abuso do poder econômico, com o PSB usando até secretários estaduais e do Recife nas ruas, é estarrecedor.

Mas, cuidado, povo consciente e que deseja o melhor para o Recife, a cidade que não é mais orgulho para ninguém diante do desastre administrativo do seu pior prefeito, o enganador Geraldo Júlio: em tempo de eleições, se a esmola for muita, faça como o santo, desconfie, ou melhor, não vote no benfeitor.

Contas rejeitadas – Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desaprovou, ontem, as contas de campanha do Partido Socialista Brasileiro (PSB) Nacional por irregularidades no registro de despesas e receitas nas eleições municipais de 2016. A informação é do site oficial da Procuradoria Geral da República. Seguindo parecer do Ministério Público Eleitoral, o colegiado deliberou pela suspensão do repasse à legenda do equivalente a um mês da cota do Fundo Partidário, quantia que deverá ser parcelada em dois meses consecutivos. Além disso, determinou o ressarcimento ao erário no valor de R$ 20,5 mil.

Vice problemática 1 – A gravidade da candidata a vice na chapa de João Campos, Isabella de Roldão (PDT), ter omitido parte de seu patrimônio da declaração oficial da Justiça Eleitoral é muito maior do que o informado em nota da campanha do seu parceiro de chapa, apontam advogados eleitorais, sob reserva de fonte. A campanha de João Campos, em nota, tentou minimizar a questão como um "lapso" do contador. Aberta em 2010, a empresa tinha um capital social declarado inicialmente de 200 mil reais, mas dez anos depois não está em registro público o patrimônio atual da empresa, apontam os advogados. E o primeiro turno já passou, sem a população ter acesso público a estas informações do patrimônio de Isabella, dizem estes especialistas.

Vice problemática 2 – O Ministério Público Eleitoral considera a prática crime. A informação consta no site oficial da Procuradoria da República no Amazonas. Em 2017, processou o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB), pela prática. Quando formalizou o pedido de registro de candidatura em Manaus, em agosto de 2016, Arthur declarou possuir um patrimônio pessoal de R$ 160.784,29, constituído por um imóvel no valor de R$ 36 mil e aplicações bancárias. Pouco mais de dois meses depois, foi publicada notícia jornalística indicando que há dois apartamentos de luxo na Ponta Negra, que somam o valor de R$ 1,6 milhão, em nome do prefeito. Na ocasião, o Ministério Público pediu a condenação de Arthur Virgílio por "omitir, em documento público, declaração que dele devia constar, para fins eleitorais, crime previsto no artigo 350 da Lei 4.737/65".

Protesto – O cantor e compositor pernambucano Jorge du Peixe, um dos integrantes da Nação Zumbi, protestou contra o uso sem autorização de uma das músicas da banda por parte da Juventude Socialista Brasileira de Pernambuco (JSB-PE), um dos grupos que compõem o PSB. A canção “Meu maracatu pesa uma tonelada” foi utilizada para uma ação de campanha em favor de João Campos (PSB), que disputa a Prefeitura do Recife. De São Paulo, onde vive e trabalha, Jorge atendeu gentilmente à reportagem do blog para comentar o caso. “Eles retiraram, mas eu acho um absurdo. É de enorme irresponsabilidade fazer o uso indevido de uma obra sem comunicar aos autores no mínimo. Toda obra tem um dono e foi uma falta de respeito com a banda também. Independentemente de partido”, avaliou.

CURTAS

BIG DATA – A candidata à Prefeitura do Recife pelo PT, Marília Arraes, aparece com 51% das intenções de votos para o segundo turno na capital. O candidato do PSB, João Campos, tem 49%. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi feito pelo Instituto Real Time Big Data. Durante o levantamento, 14% dos entrevistados disseram que votariam branco ou nulo nas eleições do próximo domingo (29), e 6% não sabem ou não responderam.

REJEIÇÃO – João fica em desvantagem quanto à rejeição, já que foi citado por 33% dos entrevistados neste cenário. No caso de Marília, 30% disseram que jamais votariam nela. Do restante dos entrevistados, 15% não votariam em nenhum dos candidatos, 18% poderiam votar em ambos e os outros 4% não sabem ou não responderam. A pesquisa ouviu 850 pessoas, entre 25 e 26 de novembro, e foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número PE-07313-2020. O nível de confiança é de 95%.

Perguntar não ofende: Para fiscalizar o derrame de dinheiro do PSB por que a Polícia Federal não está mobilizada nem usando os seus drones?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Boa Noite povo de Deus, só lembrando que Bozo é Ladrão, Miliciano, corno, e marcos Lolita mamador de piroca de camaragibe queima a rosca.

marcos

Chora mortadela, o choro é livre.

Fernandes

Boa Noite povo de Deus, só lembrando que Bozo é Ladrão, Miliciano, corno, e marcos Lolita mamador de piroca de camaragibe queima a rosca.

marcos

Eein meu Jesus já chorei tanto pela morte do PT, será que vai ter missa de sétimo dia?

marcos

Boa noite povo de Deus, só lembrando que o PT tomou no Cu mais uma vez.


Abreu no Zap


27/11


2020

Coluna da sexta-feira

Datafolha desmoraliza Ibope

O que está acontecendo com o Ibope? Por que tantos e repetidos erros sem fim nessa eleição para prefeito do Recife? Isso merece, inclusive, uma investigação pela Polícia Federal. Os resultados do Ibope são propagados pela Rede Globo, com imenso impacto psicossocial. Induz para os dois lados: anima a militância de uma parte e abate a da outra.

Não pode ficar assim, sem explicação. A verdade é que o DataFolha vem confirmar os resultados do Ipespe e mostram que Marília Arraes está na frente, apesar de todas as violências e bombardeios físicos e eletrônicos por parte do grupo que domina e manipula Pernambuco já há quase 14 anos e o Recife há 8 anos.

Isso tem que acabar! São manobras escabrosas demais: colocar o Ministério Público Estadual e a própria Justiça para atacar a candidata na liderança, usar as máquinas públicas das maneiras as mais despudoradas e criminosas, além de outros acontecimentos sem fim. O que se espera, entre hoje e amanhã, é que Marília reaja e não repita o que a Marina Silva permitiu Dilma fazer em 2014: ataques incessantes que impediram a vitória da líder ecologista.

O sentimento das ruas é de mudança, há um incômodo gigante pelos desastres administrativos de Geraldo Júlio e de Paulo Câmara, patrocinadores do candidato mirim. Muitas vozes dissonantes chegaram aos ouvidos de Marília e sua equipe, sobre a forma como a campanha está sendo conduzida, mas ela se recusou a cair no jogo do adversário.

A militância, entretanto, apareceu nas ruas para avermelhar a cidade em contraste ao amarelo do PSB. A campanha curta, baixa e agressiva de segundo turno chega ao seu final prometendo muita ação na contagem dos votos no próximo domingo.

O grande debate – Diante de eleição tão disputada, conforme atesta o Datafolha, o debate de hoje na TV-Globo, mediado por Márcio Bonfim, pode ter influência entre os poucos eleitores ainda indecisos. Poderia ser maior se a emissora global não engessasse tanto o confronto. Serão três blocos, o primeiro e o terceiro com temas livres e o segundo por temas determinados por sorteio. Começa logo após a novela Força do Querer, por volta das 22h30m, bem tarde para quem trabalha amanhã, mesmo sendo sábado.

A frente – Se as urnas confirmarem no domingo os números do Datafolha de ontem, com Marília quatro pontos à frente, a diferença para a petista sobre João Campos, do PSB, ficará em, aproximadamente, 30 mil votos. Até lá, entretanto, o cenário tende a sofrer alterações a depender do humor e da onda eleitoral. O fato é que existe uma tendência de vitória para Marília, manifestando o sentimento de mudança que se observa nas ruas e nos mais diversos segmentos da população recifense.

Protesto – Marília resiste em ir para a guerra da baixaria com João, mas sua militância já começou, ontem, a mudar o tom da campanha por conta própria, difundindo vídeos com ataques mortais ao PSB, com foco em cima do escândalo da compra de respiradores para porcos pela Prefeitura do Recife. Também ontem um grupo fechou o trânsito nas imediações da sede do Palácio do Capibaribe, no Cais do Apolo, exibindo homens, mulheres e crianças com máscaras de porcos.

Carrasco do PSB Reeleito em Araripina, a capital do gesso e do Araripe, a 680 km do Recife, o prefeito Raimundo Pimentel (PSL) derrotou pela segunda vez o grupo do ex-prefeito Alexandre Arraes e por isso ganhou o apelido de “carrasco” do PSB. Em entrevista, ontem, ao Frente, Pimentel disse que Araripina fez a opção pela continuidade de uma gestão que prima pelo ajuste fiscal, que paga os servidores em dia e que tem alcançado avanços na educação, na saúde e na área social. “Araripina deu um sim ao seu futuro e um não ao atraso”, assinalou.

CURTAS

LAPA – Ex-deputado estadual, ex-líder do Governo Arraes na Assembleia Legislativa, Carlos Lapa, que ontem deu entrada com sintomas de Covid-19 no Hospital Português, fez de lá uma carta à candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes, manifestando solidariedade e acusando diretamente a viúva Renata Campos como principal responsável por todos os ataques que Marília passou a sofrer, tão logo apareceu liderando as pesquisas, na propaganda eleitoral no rádio e na TV.

DECIDIDOS – É de 87% o índice de eleitores totalmente decididos sobre seu voto para prefeito no Recife, mesmo patamar para aqueles que declaram voto na candidata do PT (88%) e no deputado do PSB (87%), segundo o Datafolha. No eleitorado que ainda pode votar em branco ou nulo, 88% estão convictos dessa opção, e 12% ainda podem mudar de ideia. Entre os que ainda podem mudar seu voto até o dia da eleição, metade (49%) migraria para voto branco ou nulo, e os demais se dividiram entre Campos (28%) e Marília (15%), com 7% de indecisos.

Perguntar não ofende: Do jeito que vai o nível de agressão e a tensão nas ruas, será preciso tropas federais para as eleições no Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Mais de 120 mil filhas solteiras de militares recebem pensão vitalícia, ou até que se comprove um casamento. Muitas delas trabalham e são maiores de idade, mas o benefício continua à disposição. Os valores vão de R$ 4 mil a R$ 35 mil. O gasto anual gira em torno de R$ 6 bilhões.

Fernandes

Saiu na CNN uma notícia que o marcos Lolita mamador de piroca de camaragibe começou a queimar a rosca no jardim da infância.

Fernandes

Jair Renan Bolsonaro, o quarto filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), foi o articulador de uma reunião entre um patrocinador de sua empresa recém-aberta e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, de acordo com reportagem da revista \"Veja\". A revista relata que em 13 de novembro Renan esteve em uma reunião com o ministro e um grupo de empresários da Gramazini Granitos e Mármores, empresa do Espírito Santo que patrocina o negócio do filho do presidente, batizado de Bolsonaro Jr Eventos e Mídia.

marcos

Saiu na CNN uma notícia que o Brasil todo já sabe, Lula é Ladrão.

marcos

Ô Gretchen o que porra é lolita?




25/11


2020

Coluna da quinta-feira

Ibope errou até na boca de urna

Se os resultados do Ibope estão corretos, sendo confirmados amanhã pelo DataFolha, pode estar ocorrendo um fenômeno na eleição do Recife de segundo turno na reta final: a virada: Marília caindo de 45% para 41% enquanto João subindo de 39% para 43%, mesmo dentro da margem de erro. O levantamento aponta uma clara indicação de que o eleitorado sofreu forte impacto da campanha agressiva de João em contraste com a defensiva, quase passividade, da Marília.

Antes de qualquer consideração mais profunda é bom refrescar a memória dos eleitores do Recife: no primeiro turno, o Ibope cometeu os mais absurdos erros da sua história, que se repetiram na pesquisa boca de urna. Só em relação a Mendonça Filho, o mais prejudicado, o resultado merecia uma investigação. Deu uma diferença de 16 pontos de João para o democrata. Quando as urnas se abriram, a diferença real foi de apenas 4 pontos, um erro grosseiro de 12 pontos. Por isso, dá para desconfiar.

De qualquer forma, Marília tem que se ligar: candidatos que lamentam nas vésperas das eleições, sem antes ter ido à luta com determinação, estão condenados a vestirem seu próprio luto. Jamais se viu uma campanha tão pesada e violenta como a que está em curso por João Campos, mas Marília não aproveitou em nenhum momento as brechas abertas.

Tem sido muitas as vozes tentando convencê-la a apresentar legítima defesa, mas prefere acompanhar a visão de que o povo não quer agressões. Uma coisa é ser agredida e não reagir, outra deixar de sinalizar uma revolta de forma veemente contra os ataques. Ela teria que ter partido para cima do agressor como reação natural pelo que está sofrendo.

Escrevi, logo após o debate na TV-Jornal, que Marília perdeu a oportunidade de nocautear João, quando entrou em discussão a temática da corrupção, mas preferiu optar pela mais pura civilidade que, na verdade, aparenta medo e fragilidade para o eleitor. O resultado de hoje do DataFolha, que virá mais tarde, confirmará ou não se houve essa virada apontada pelo Ibope, instituto candidato ao troféu do horror na pesquisa de boca de urna no primeiro turno.

Em todo caso, praticamente todas as pessoas experientes em campanhas acirradas concordam que o posicionamento de Marília está errado. Ela não pode ficar passiva, enquanto João pratica as maiores barbaridades. Mesmo não sendo algo científico, senti em 100% dos eleitores de Marília com quem tenho conversado uma imensa frustração por esse comportamento. Segundo apurei, o tracking (pesquisa diária) da campanha de Marília está dando 10% de vantagem para ela.

Esperamos estarmos todos errados e Marília com seus marqueteiros se revelem certos no próximo domingo. Isso, entretanto, só o futuro dirá. O que posso adiantar, se esses números vierem a ser confirmados pelo Datafolha, é que a liberdade de eleições permite ao candidato a escolha do molho com o qual será devorado. Se Marília não reagir, o molho será amargo.

Ainda dá tempo de Marília concentrar suas últimas inserções no rádio e na televisão para provar quem é João, junto com gangues que estão promovendo essas ondas bárbaras da violência. Afinal, ela está pondo sua vitória em risco e não pode ficar vítima de equívocos mortais.

Próximas – Depois do Ibope, hoje tem Datafolha, que traz um universo bem mais amplo de eleitores pesquisados, trazendo também a disputa no Recife entre os primos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT). Já amanhã, o levantamento é assinado pelo Big Data, com exclusividade para o site da CNN Brasil. No próximo, véspera da eleição, tem novamente Ibope/Rede Globo/JC, Datafolha e Ipespe. E no próprio domingo a última sondagem ao eleitorado, desta feita pelo Ibope.

Calote – Cento e quarenta e quatro médicos e fisioterapeutas que trabalharam na linha de frente na pandemia da Covid-19 no Recife reclamam de calote de cerca de R$ 1 milhão da Prefeitura nos pagamentos dos serviços prestados durante o período do isolamento social. Os profissionais de saúde trabalharam no Hospital Provisório 3, na Imbiribeira, estão há mais de 90 dias aguardando a quitação de dois meses de serviços prestados, sem justificativa por parte da gestão municipal.

Secretário fujão – O débito se refere aos meses de agosto e setembro. Na última segunda-feira, o grupo tinha uma reunião agendada com o secretário de Saúde, Jailson Correia, mas o gestor não compareceu ao encontro nem enviou representantes. "Uma comissão de cinco médicos e dois advogados chegou ao local marcado, às 14h. Esperamos até as 16h e estávamos indo embora. Até agora, o caso está sem solução", explica o advogado Nelson Pimentel, que representa os profissionais.

Operação no DER – Ex-servidores do Departamento de Estradas e Rodagens do Estado de Pernambuco (DER-PE) foram alvo de dois mandados de busca e apreensão de bens, ontem, quando a Polícia Federal (PF) deflagrou a 3ª fase da Operação Outline. A ação policial investiga o desvio de recursos de obras geridas pelo órgão, como a requalificação da BR-101, além de outros crimes, como peculato, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

CURTAS

ATÉ LANCHA – De acordo com a PF, os mandados cumpridos resultaram na apreensão de um veículo GM Trailblazer, avaliado em R$ 190 mil, e uma lancha avaliada em R$ 270 mil, e são cumpridos no Recife e em Paulista, na Região Metropolitana. A 13ª Vara da Justiça Federal também determinou o sequestro de apartamentos na capital pernambucana e em Gravatá, além de joias e relógios de alto valor (um deles avaliado em mais de R$ 200 mil), assim como o bloqueio de contas bancárias.

RODA VIVA – O Roda Viva da próxima segunda-feira é com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, reeleito no primeiro turno. Apresentado por Vera Magalhães, o programa vai ao ar, ao vivo, a partir das 22h, na TV Cultura. Com 63% de votos, Kalil garante mais quatro anos de mandato e confirma a aprovação do eleitorado, atribuída a algumas marcas de sua gestão. Entre elas, o enxugamento da máquina administrativa do município e a melhoria em áreas como saúde, educação e transporte.

Perguntar não ofende: Se o Datafolha trouxer, hoje, números bem diferentes no Recife como ficará a imagem do Ibope?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos (Lolita) de camaragibe mamador de piroca, diz aí porque começasse a queimar a rosca?

marcos

Nehemias Fernanda Jaques o víado careca com a maior Bunda do Cabo de Santo Agostinho. Também conhecida como Gretchen, queima não se amostra.

Fernandes

Candidato a síndico do Vivendas da Barra apoiado por Bolsonaro perde eleição.

Fernandes

Enfim o governo BolsoNero retirou a carne vermelha do prato do pobre! Ela é comunista! Ele vai lançar a carne verde e amarela. Capim e ovo.

Fernandes

marcos (Lolita) de camaragibe mamador de piroca, diz aí porque começasse a queimar a rosca?


Banco de Alimentos


25/11


2020

Coluna da quarta-feira

Efeito zero para João

Até que ponto a contrapropaganda poderá influenciar no resultado das eleições de domingo revertendo os números até agora favoráveis à candidata do PT, Marília Arraes, segundo todas as pesquisas? Olhando para o passado e para a história recente das eleições de Pernambuco e do Recife, essa teoria cai por terra. Até porque Recife é uma cidade rebelde, cujo eleitor não se engana por panfletos apócrifos ou inserções veiculadas no rádio e na televisão.

Também não acredito que debates sejam suficientes para transferir votos, pois ocorrem quando o povão está no trabalho sem condições de acompanhar ou ligado em outro canal de televisão de maior audiência. Em 1988, nas eleições do Recife, tendo de um lado Marcos Cunha, do PMDB apoiado pelo então prefeito Jarbas Vasconcelos e o governador Miguel Arraes, e de outro Joaquim Francisco, do PFL, as vésperas do pleito houve um derrame de panfletos e adesivos, botons com a imagem de um Dedo Duro tentando associar Joaquim a um delator da Ditadura Militar. 

A contrapropaganda fracassou. Na eleição de Jarbas Vasconcelos ao Governo de Pernambuco, cujo adversário era Miguel Arraes, que tentava se reeleger mais contrapropaganda pesada insinuando que Jarbas era um péssimo filho e que teria batido no pai. Também não vingou. Agora a vítima da contrapropaganda é Marília Arraes, atacada em todas as frentes: com panfletos sórdidos distribuídos defronte aos templos evangélicos. Nas redes sociais é chamada de maconheira e defensora do aborto.

Enfim, tentam demonizá-la numa tentativa de reverter os números que indicam ser ela a primeira mulher a ocupar o cargo de Executivo Municipal do Recife. Alguns analistas políticos acreditam que se persistirem as acusações no horário eleitoral de que ela teria funcionários fantasmas no seu gabinete podem influenciar o eleitor a mudar de voto.

Dificilmente isso ocorrerá pelos seguintes motivos: quem é do PT ou acompanha o partido permanecerá com Marília; quem está contra a péssima gestão de Geraldo Júlio ou desapontado diante dos escândalos dos respiradores de porcos e outras irregularidades, não vota em João Campos. Os eleitores radicais de direita que votaram em Mendoncinha ou na delegada tenderão a anular ou votar em branco.

Analisando o quadro, Marília ainda fica na dianteira provando que foi o tempo que contrapropaganda mudava os rumos de uma eleição na reta final. Melhor exemplo é que não deu em nada a tentativa dos marqueteiros de João Campos em associar Marília à executiva nacional do PT. O efeito foi ao contrário.

CARA PÁLIDA – Ao criticar o PT durante o debate da TV Jornal, ontem, o candidato João Campos (PSB) afirmou que nenhum gestor do PSB foi apontado como envolvido com corrupção, nas gestões da legenda no Estado e no Recife. As afirmações não são reais. O PSB tem sim ex-gestores como réus criminais na Justiça Federal de Pernambuco. As informações constam do site oficial da Procuradoria da República em Pernambuco. Em julho de 2019, o MPE ofereceu à Justiça Federal a 11ª denúncia resultante da Operação Torrentes, que desvendou "fraudes com recursos federais, oriundos do Ministério da Integração Nacional, destinados ao auxílio de vítimas das enchentes ocorridas em 2010".  O prejuízo aos cofres públicos, em valores corrigidos, ultrapassou R$ 2,5 milhões, segundo o MPF.

ATÉ NO PALÁCIO – A Operação Torrentes, deflagrada em 2017, apontou a "atuação de grupo criminoso que, nos últimos anos, praticou fraudes na execução de ações de auxílio à população afetada pelas chuvas, que deixaram mais de 80 mil pessoas desabrigadas em Pernambuco". O esquema envolveu oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, inclusive um secretário de Estado de primeiro escalão como chefe da Casa Militar, bem como empresários favorecidos mediante fraudes em licitações e contratos em troca de vantagens indevidas. Na Operação, foi feita busca e apreensão no Palácio do Campo das Princesas, em 9 de novembro de 2017, por ser a sede da Casa Militar.

CAIXA DE PANDORA – Após ser citado inúmeras vezes pelo candidato do PSB à Prefeitura do Recife, João Campos, ao longo do debate de ontem com Marília Arraes na TV-Jornal, na condição de maior causador dos desmandos que assolam a capital, o ex-prefeito e vereador pelo PT, João da Costa, não reeleito na eleição de domingo passado, fez um desabafo pelas redes sociais usando o seu Twitter. João disse que, no momento certo, vai abrir a caixa de Pandora e revelar o que sabe. Que efeito danoso tem essa caixa de Pandora de João, o pior prefeito do Recife?

ENTENDA O MITO – A Caixa de Pandora foi divulgada pela obra de Hesíodo, intitulada Os Trabalhos e os Dias, escrita no século VIII a.C. Nele, Zeus cria uma mulher com diversas qualidades oferecidas pelos deuses e a concede ao irmão de Prometeu, Epimeteu. Antes, Zeus havia a oferecido a Prometeu, que temendo algum plano de vingança, a recusa. Quando Epimeteu ganha Pandora, com a mulher, ele recebe uma caixa que reunia inúmeros males espirituais e físicos que poderiam se espalhar pelo mundo. Sem saber de fato o que se encontrava dentro da caixa, ele foi apenas alertado de que o objeto não deveria ser aberto de forma alguma. Assim, a caixa foi colocada no fundo de sua casa e protegida por duas gralhas que emitiam altos sons.

CURTAS

SEM COLIGAÇÕES – O percentual de prefeitos eleitos sem coligação partidária quintuplicou em 2020 na comparação com 2016. Foi de 1,98% para 9,92%. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) chama de “partidos isolados” os que não fecham uma aliança formal para disputar as eleições. O levantamento tem como base os dados do TSE. As eleições deste ano foram as primeiras que não tiveram coligações para candidatos a vereador.

MAIS VOTADOS – Antes, as vagas nas Câmaras Municipais eram divididas de acordo com o número de votos de cada aliança. Assumiam os postos os mais votados dentro das coligações. Agora, a divisão das vagas é feita de acordo com o número de votos dos partidos. Os candidatos ao Executivo podem fazer coligações. Alianças maiores significam mais tempo na TV no 1º turno, por exemplo. As novas regras fizeram com que as eleições de 2020 tivessem recorde de candidaturas a prefeito, vice e vereador.

Perguntar não ofende: Como virá a pesquisa do Ibope de hoje para prefeito do Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Só aos fatos. marcos Lolita mamador de piroca de camaragibe, diz aí porque começasse a queimar a rosca?

Fernandes

marcos (Lolita) de camaragibe mamador de piroca, diz aí porque começasse a queimar a rosca?

marcos

Só aos fatos.

marcos

Argumentem aí sem ofensas pessoais. Só as fatos.

marcos

Se a maioria que vota na esquerda é pobre, por que a esquerda quer acabar a pobreza? .... kkkkkkkkkkkkkkkkk




24/11


2020

Coluna da terça-feira

Ranger de dentes

As notícias checadas pelo blog dão conta que existe um crescente desespero na campanha do candidato-mirim João Campos (PSB). Conversei com vários políticos importantes para chegar a inferir que, do lado socialista, há muita gente fazendo de conta que apoia João, mas na verdade orienta suas bases para votar em Marília.

Parece ter chegado a hora da vingança: já são, só em âmbito do poder municipal, oito anos de humilhação, promessas não cumpridas, desatenções, enfim, um prefeito e um PSB que governam de costas para seus aliados. E agora chegam Renata, Geraldo e Paulo oferecendo novas falsas promessas, insinceros “carinhos”, “delicadezas” postiças, tudo no completo cinismo.

Só que ao mesmo tempo impõem posições públicas, como o que aconteceu com a vereadora forçada a fazer falsas acusações contra Marília, quando antes só era elogios e flores, conforme as fotos publicadas por este blog. Teve também o caso ainda mais violento, ao tentarem desmoralizar o deputado Túlio Gadelha, que fez uma denúncia verdadeira, mas foram por trás e cooptaram o chefe de gabinete, uma das fontes da tentativa de comprar o silêncio do companheiro de Fátima Bernardes.

Ainda vieram os textos encomendados a Ricardo Leitão e a Jair Pereira para tentar desqualificar, dentro da mais absurda violência, o que escreveu o jornalista Ricardo Carvalho. Além dos panfletos falsos, indicando que Mendonça Filho apoiava João, junto com inúmeros outros panfletos em papel e eletrônicos difamando Marília de todas as formas. 

A degradação está sendo tamanha que o ex-prefeito João Paulo decidiu apoiar Marília, como protesto à degradação moral e ética que Renata, Geraldo e Paulo estão impondo na campanha de um reconhecido candidato-mirim, sem qualquer estatura para ser prefeito de uma capital da importância do Recife. Dentro da campanha do PSB já tem muita gente falando: “Eu alertei que era cedo demais para João, pois ele não tem a mínima capacidade política para liderar Recife”.

Outros culpam diretamente Renata pela desmesurada ambição de fazer o filho prefeito da capital a qualquer preço. “Essa eleição já era, não estamos conseguindo virar um único voto”, disse, ao blog, um aliado do socialismo de fantasia. Enquanto isso, Marília segue com firmeza de propósito, demonstrando sua capacidade superior para lidar com os ataques sujos e degenerados. Enfrenta todas as manipulações da máquina pública, do derrame de dinheiro sujo tentando comprar consciências.

Mas tudo sinaliza que povo do Recife já tomou uma decisão e sabe o que fazer: expulsar da Prefeitura agora, e daqui a dois anos, em 2022, o Governo do Estado. A voz rouca das ruas quer ficar livre do PSB saqueador dos cofres públicos. Há ranger de dentes nos corredores das Princesas e do Palácio Capibaribe.

Tracking Marília – Os ataques torpes do PSB à candidata do PT, Marília Arraes, não surtiram nenhum efeito. O tracking, medição diária via telefone, apontou, ontem, uma dianteira de dez pontos percentuais em favor da petista. Na prática, o bombardeio das fakes news, que chegaram até diretamente às igrejas evangélicas, foi reprovado pelo eleitorado recifense. Marília ganhou na justiça e desde ontem o PSB está proibido de continuar a baixaria, o que aumentou ainda mais a tensão e o desespero no comitê de João.

O jogo é pesado – Dois panfleteiros foram flagrados, na noite de domingo passado, nas proximidades de uma igreja evangélica distribuindo material apócrifo com calúnias contra a candidata a prefeita do Recife pelo PT, Marília Arraes. Em tom apelativo, panfletos traziam a mensagem "Cristão de verdade não vota em Marília Arraes", com uma série de ilações. Chama atenção que folders da campanha de João Campos (PSB) estavam sendo distribuídos em conjunto, com dizeres positivos sobre o prefeiturável.

Perseguição e emendas – O Ciro Gomes que desfilou pelas ruas do Recife ao lado do candidato do PSB, João Campos, é o mesmo que pediu, recentemente, a cabeça no PDT da namorada do socialista, Tábata Amaral, deputada federal pelo PDT paulista, por ter votado a favor da reforma da Previdência. Enquanto João Campos acusa Marília de não destinar emendas federais para o Recife, a coluna teve acesso a uma ampla documentação na qual o socialista, também deputado federal, destinou emendas de sua autoria para Estados do Sul e Sudeste.

Vaquinha – O candidato Guilherme Boulos (Psol), que disputa o 2º turno da corrida eleitoral pelo comando da Prefeitura de São Paulo contra Bruno Covas (PSDB), bateu o recorde de arrecadação via crowdfunding (doações de pessoas físicas por meio da internet) para uma campanha municipal no Brasil. De acordo com o aplicativo Voto Legal, a candidatura levantou R$ 1.946.292 em 19.246 doações realizadas na plataforma até 13h30 de ontem. Com isso, Boulos supera a marca do deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ), que arrecadou R$ 1.454.452 nas eleições para a Prefeitura do Rio de Janeiro em 2016.

CURTAS

REELEIÇÃO – O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, defendeu em sua coluna publicada na revista Crusoé o fim da reeleição para cargos do Executivo. No Twitter, afirmou que a prática “não funcionou bem” no Brasil, além de ser instrumento que “potencializa o surgimento de caudilhos, lideranças populistas ou candidatos a ditadores”.

CENTRO-ESQUERDA – Depois de se eleger à Prefeitura, em 2016, e ao Governo do Estado de São Paulo em 2018, com um discurso marcado pelo antipetismo, o governador João Doria (PSDB) se reposicionou e, agora, tem pregado um diálogo “contra os extremos”, por meio de uma frente que inclua a centro-esquerda. Quer ser o elo desse movimento.

Perguntar não ofende: As múltiplas pesquisas ao longo desta semana para o segundo turno no Recife serão semelhantes ou dispares?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos mamador de piroca a Lolita safada de camaragibe, quando sai do bar da esquina bêbada a rapaziada faz a festa.

Fernandes

Major Olímpio discute com bolsonaristas e grita ladrões de rachadinha.

marcos

Eita já ia esquecendo da BR 163 que estava parada a 43 anos e o nosso mito Jair Bolsonaro concluiu.

marcos

Ô Gretchen tu esqueceu das obras da transposição do São Francisco, aquela que o nosso mito Jair Bolsonaro trouxe água para o sertão nordestino.

Fernandes

Grandes obras do BolsoNero. FIM DA CLT, FIM APOSENTADORIA, do HORÁRIO DE VERÃO, da LUZ NO AMAPÁ, do EMPREGO e FIM DO RACISMO.




23/11


2020

Coluna da segunda-feira

A campanha da torpeza

O Recife nunca vivenciou uma campanha tão dominada pela torpeza como a que vem sendo conduzida por parte dos que se consideram como “donos” do poder, sob comando da família de João Campos. Não existe qualquer tipo de escrúpulo ou limite que seja para manter o controle da máquina pública. E a vítima é uma mulher de coragem, Marília Arraes, que enfrenta tudo com equilíbrio e dignidade.

João Campos e seus apoiadores Geraldo Júlio e Paulo Câmara, comandados pela sua genitora, Renata Campos, estão impetrando manipulações nunca vistas, a exemplo de colocarem, a dias da eleição, o Ministério Público Estadual para iniciar um processo sobre tema que este mesmo Ministério Público, juntamente com o juiz, havia inocentado Marília. Realmente é algo inconcebível, quando se parte para esse tipo de expediente além do limite do esdrúxulo.

Isso para não se falar nas ondas organizadas de difamações, fake news e todo tipo de agressões à honra de Marília, praticada por gangues eletrônicas mercenárias pagas a peso de ouro, seguindo o exemplo de Bolsonaro. Além do mais, João e sua tropa revelam a mais completa falta de caráter, pois em 2018 endeusaram Lula e o PT para apoiar e reeleger Paulo Câmara, mas o aprendiz de candidato vem agora, junto com sua genitora, Geraldo Júlio e Paulo Câmara, apontar seus dedos sujos para quem lhe apoiou num momento de desespero.

E mais: ficam de repente aos abraços e declarações de amor com Ciro Gomes, exatamente aquele que traiu Eduardo Campos de maneira vil em 2014. Esses são apenas alguns exemplos, fora o que se fala de estarem maquinando as mais tenebrosas armações para esta semana anterior à eleição e ao próprio dia da votação.

Toda essa podridão para eleger um garoto imaturo, inexperiente, por fome de poder da sua genitora e dos seus serviçais que usam e abusam de maneira desavergonhada da máquina pública. Vivemos um verdadeiro teatro de horrores nesta eleição no Recife, que vai ficar para a história como a mais torpe de todos os tempos.

Pelo poder, tudo – A tropa de choque do jornalismo entrou em ação, ontem, para defender a viúva das verdades ditas com muita coragem e lucidez pelo jornalista Ricardo Carvalho, em artigo neste blog. O primeiro, Ricardo Leitão, empregado da Celpe, insinuou que o autor vivencia problemas freudianos e é mentiroso. O segundo, Jair Pereira, que desde que se entende de gente é atrelado ao socialismo de mentirinha, foi mais baixo. Chamou Carvalho de embuste e canalha.

Nocaute – Ricardo Carvalho ignorou o segundo. Julgou que só Leitão, a quem ajudou com um empreguinho no passado, merecia resposta. E deu o troco com categoria: “Leitão é, hoje, depois de uma bela carreira jornalística, apenas um reles áulico do PSB pernambucano. Ofende aos outros apenas como gratidão aos que lhe pagam trinta moedas de prata para trair sua história… Eu não lhe devo nenhum respeito e ele sabe a razão. Sabe que existem testemunhas e documentos”.

Pesquisas – Na semana decisiva para o futuro do Recife, a partir de amanhã e até sábado, véspera da eleição, tem pesquisa de intenção da briga travada entre João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) para todos os gostos. Começa pelo Ipespe na Folha, amanhã, e acaba no sábado com o Datafolha, tendo pelo meio Ibope e Big Data. Haja nervos para quem está envolvido diretamente, sem dormir, torcendo para um dos lados! A verdade é que Recife nunca mais havia tido uma guerra eleitoral tão interessante, não fossem as baixarias e o desespero do PSB.

O caráter de Ferro – Justiça seja feita, entre os históricos do PT raiz, o único que se comporta com decência e sobriedade é o ex-deputado Fernando Ferro, que não obteve sucesso na disputa por um mandato de vereador do Recife. Indignado com os ataques a Marília, que Ferro sabe mais do que ninguém de onde partem, chegou a pedir uma intervenção dura no Recife por parte da Executiva nacional. Pode-se fazer política com ética e respeito ao cidadão. Para tal, basta ter decência e caráter!

CURTAS

CAMPEà– Camutanga, na Mata Norte, elegeu a prefeita mais jovem do Brasil: a empresária Talita Fonseca, mais conhecida como Talita de Doda (MDB), recebeu a confiança do povo aos 23 anos de idade. Ela também é a primeira mulher escolhida para governar o município. "Faremos uma gestão que olhará para todos e atenderá a necessidade da grande maioria", disse, em um vídeo de agradecimento divulgado nas redes sociais. Talita obteve 60,65% dos votos válidos (3.614 votos).

DERROTADA – O candidato do MDB à Prefeitura de Porto Alegre, Sebastião Melo, venceria a candidata Manuela D’Ávila (PCdoB) se a votação do 2º turno fosse hoje, de acordo com o Paraná Pesquisas. Levantamento realizado de 17 a 19 de novembro mostra que o emedebista tem 61,80% das intenções de votos, enquanto a ex-deputada estadual tem 38,2%. Manuela tende a sofrer mais uma derrota, depois de largar na frente e ser apontada como a futura prefeita da capital do chimarrão.

Perguntar não ofende: Se João Campos estivesse liderando as pesquisas, teria apelado para baixarias como faz diante da ameaça de naufrágio?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos mamador de piroca de camaragibe acorda e vai dar esse rabão ao pessoal da Rua das Mangueiras. Víado Novo. Kkk

Fernandes

A família Bolsonaro é o esgoto da política brasileira. MP diz que Flávio Bolsonaro desviou ao menos R$ 6 milhões com esquema de corrupção na Alerj.

marcos

Gretchen acorda e vai dar esse rabão ao pessoal da Charneca. Víado Véio. Kkk

marcos

Lula pipocou R$ 6 Trilhões do Brasil e o esgoto é Flávio? .. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

marcos

Lulinha recebeu R$ 324 milhões de corrupção da Oi e o esgoto é Flávio? .... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk




21/11


2020

Coluna do sabadão

No calcanhar de João

No primeiro debate na TV,  promovido na noite de ontem pela Clube, afiliada da Record, João Campos e Marília Arraes fizeram um confronto quente, com acusações mútuas. Sob mediação da jornalista Isly Viana, a temperatura se elevou até as considerações finais. A candidata do PT provocou o primo sobre a pouca idade para comandar uma cidade da dimensão do Recife, que exige, naturalmente, certa experiência de vida, algo que nitidamente falta a João, de apenas 26 anos. 

Durante toda campanha, este foi o calcanhar de Aquiles do socialista. “Prefeitura não é pirulito para estar dando de presente para um menino, para estar entregando de bandeja", cutucou a petista. Este momento, um verdadeiro nocaute, viralizou nas redes sociais.

Estranhamente, a TV Clube concedeu direito de resposta, mesmo sem Marília citar diretamente o adversário. Marília também abordou o uso que a Prefeitura do Recife fez de recursos destinados pelo Governo Federal para enfrentamento à pandemia. Houve diversas irregularidades apontadas e seis operações da Polícia Federal na administração do prefeito Geraldo Júlio, correligionário de João, que tenta dar continuidade ao que aí está.

"Durante a pandemia, os gastos foram alvos de investigação. Foi respirador de porco, superfaturamento de cesta básica, sendo distribuída com bicho, feijão que não cozinha. Tudo isso é muito grave. Mas teve algo que me preocupou bastante: uma conversa que a Polícia Federal pegou e divulgou entre dois secretários: um dizia para analisar com carinho o relatório de testagem em porcos e ainda botava uma risadinha. Acho que isso é uma falta de respeito com as pessoas", lembrou Marília.

Em contrapartida, João bateu no PT e falou em tom crítico por diversas vezes sobre a atuação parlamentar de Marília. “Quem conhece a candidata e conhece o que ela fez de entrega para a cidade do Recife, seja nos dez anos como vereadora ou no um ano e meio como deputada, sabe que, quando é colocado um desafio, ela não entrega resultado”, acusou.

Como disse algumas vezes, não tenho costume de apontar um vencedor em debates, até porque é sempre difícil detectar em discussões como estas. João até evoluiu em relação à sabatina anterior, feita na Rádio Jornal, onde recorreu diversas vezes a anotações em papel. O bom desempenho de Marília, contudo, saltou aos olhos mais uma vez e é sério motivo de preocupação para a candidatura adversária.

Na canela – No Rio, os candidatos a prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), que é o atual prefeito e busca a reeleição, e Eduardo Paes (DEM), que governou o município de 2009 a 2016, trocaram acusações durante o debate realizado pela TV Bandeirantes. Paes chamou Crivella de “pai da mentira” e o comparou ao governador afastado do Rio, Wilson Witzel (PSC), alvo de um processo de impeachment. Crivella disse que Paes não gosta de mulher e referiu-se ao ex-governador Sérgio Cabral (MDB) como “pai” do candidato do DEM. Em meio às acusações, sobrou pouco tempo para propostas de governo.

Parafuseta – O Tribunal Superior Eleitoral precisa ter alguém que entende de tecnologia, tenha ampla capacidade de explicar de forma simples o digital, e leve consigo carta branca para dar respostas em público, via imprensa e redes sociais, no período das eleições. O voto eletrônico é uma conquista importante demais da democracia brasileira e tem gente que quer abalar sua credibilidade. No domingo, o ataque parece ter sido sincronizado. Foi também de baixa eficácia. Ótimo. Mas o TSE não ajudou. O ministro Luís Roberto Barroso deu explicações, ao longo no domingo, que lembravam um mecânico falando de rebimboca da parafuseta. Não faziam muito sentido.

Deu errado – Lula não foi eleito em São Domingos (MA). Jair Bolsonaro foi derrotado em Laranjal do Jari (AP). Tanto os candidatos que usaram o nome do ex-presidente quanto aqueles que adotaram o sobrenome do atual chefe do Executivo nas urnas não tiveram o sucesso que esperavam nas eleições municipais de 2020. Dos 26 postulantes filiados ao PT que se identificaram com o nome do ex-presidente Lula, apenas dois foram bem-sucedidos. 

Deu certo – Lula do Doce se elegeu vereador por Itaíba (PE), com 483 votos. Lula do Assentamento conquistou uma cadeira na Câmara Municipal de Alto Alegre (RO), com 166 votos. Entre os derrotados está Thamara Lula da Silva, que recebeu apenas 16 votos em Taquaritinga (SP), e Steve Melo Lula Livre da Silva, candidato escolhido por apenas 18 sapeaçuenses, do município de Sapeaçu (BA).

CURTAS 

RESSENTIMENTO – Membros do PSB responsabilizam o ex-presidente Lula por patrocinar a candidatura de Marília no Recife contra o filho do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, falecido num acidente de avião em 2014. A cúpula do PSB se reuniu em Brasília. Segundo relato do jornalista Gerson Camarotti, o encontro foi marcado por um clima de ressentimento com o PT e, especialmente, com Lula.

ACORDO – Em 2018, o PSB optou por não apoiar a candidatura presidencial do ex-ministro Ciro Gomes, do PDT, para fechar uma aliança com o PT. Os socialistas apoiaram a candidatura do petista Fernando Haddad e fecharam aliança em Pernambuco para a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) e do senador Humberto Costa (PT).

Perguntar não ofende: Além de Carlinhos Bala, quem o PSB está usando para panfletar fake news contra Marília?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Nehemias Fernanda Jaques a Gretchen do Cabo de Santo Agostinho. Ô lapa de Bunda.

Fernandes

marcos mamador é o cara que, queima a rosca desde o jardim da infância de camaragibe. .. Barack Obama.

Fernandes

Bozo diz que João Alberto bateu primeiro e que os seguranças revidaram. Filho da Puta e Corno.

marcos

Lula diz que João Alberto bateu primeiro e que os seguranças revidaram. Filho da Puta.

Fernandes

Bolzonaro ignora a morte de João Alberto de Freitas pelos seguranças do Carrefour. Bolzonaro é tão perverso quanto os seguranças.




20/11


2020

Coluna da sexta-feira

Tendência de viés irreversível

Mais uma pesquisa, desta feita do Datafolha, divulgada ontem, aponta o favoritismo da candidata do PT à prefeita do Recife, Marília Arraes. Pelos votos válidos, já colocou dez pontos na frente do candidato do PSB, João Campos, faltando apenas 10 dias para as eleições, marcadas para o domingo 29. Tendência é a expressa manifestação da vontade do eleitor e, quando isso ocorre, dificilmente se reverte.

Uma notícia ruim para o socialista, que tem o apoio, mas esconde, de Geraldo Júlio, o pior prefeito do País, é que o índice de indecisos é muito baixo, em torno de apenas 3%. Na prática, não tem manancial para suprir a diferença, a não ser que tenha a capacidade de convencer os que dizem que vão anular o voto ou votar em branco, percentual de 21%, aproximadamente.

Quem anula ou vota em branco, entretanto, se revela extremamente desapontado com a gestão da sua cidade ou com os políticos em geral, universo de eleitores quase impossível de mudar de opinião. O que muda é o que está indeciso, taxa bastante pequena, de 3%, mas a diferença que separa Marília de João é de 10 pontos.

O candidato do PSB vem tendo notícias desfavoráveis há três dias seguidos. Hoje, tem nova pesquisa, do Big Data, provavelmente apontando a mesma tendência do Ibope e Datafolha. No primeiro debate de ontem, João de Geraldo levou uma surra de Marília. Na verdade, em nenhum momento conseguiu emitir um só conceito sobre a cidade capaz de convencer quem reservou uma hora e 30 minutos do seu tempo para acompanhar o duelo na rádio Jornal.

Em tempo de eleições, cada eleitor deveria usar uma “lanterna de Diógenes” para escolher seus governantes. Não sabe João, ou sabe e faz de conta que não, que o povo está tendendo, majoritariamente, para Marília pelo conjunto da obra do PSB, nocivo à população do Recife, um oceano de decepção. Ninguém quer entregar o comando de uma cidade do porte do Recife a quem representa esse conjunto que deu à cidade o terrível carimbo de campeã em desigualdade social.

Eleitor de Mendonça – De acordo com o Datafolha, para 39% dos eleitores, o candidato derrotado Mendonça Filho (DEM) deveria apoiar Marília Arraes no segundo turno, e 34% acreditam que ele deveria oferecer apoio a João Campos. Entre aqueles que votaram no candidato do DEM, 29% gostariam de vê-lo apoiando a candidata do PT, e 27% o candidato do PSB. Para 37% dos eleitores de Mendonça, no entanto, ele deveria apoiar nenhum deles, e 8% não responderam. De forma geral, 35% dos eleitores recifenses acredita que Mendonça Filho irá apoiar Campos no segundo turno. Para 30%, ele irá oferecer apoio a Marília Arraes, e 25% avaliam que ele não irá apoiar nenhum dos dois candidatos, com 11% sem opinião a respeito.

Delegada – Uma parcela de 37% do eleitorado acredita que a delegada Patrícia (Podemos) deveria apoiar a candidata do PT neste segundo turno, e para 34%, ela deveria apoiar João Campos. Entre aqueles que votaram em Patrícia Domingos, 49% preferem que ela não apoie nenhum dos candidatos; 23% acham que ela deveria apoiar Marília Arraes, e uma parcela igual (22%) avalia que seu apoio deveria ir para Campos. Perguntados sobre quem a delegada irá apoiar, 34% apontaram que ela deverá dar seu apoio a Campos, e 31%, que deverá apoiar Marília. Há 24% que apontam que a candidata do Podemos não irá apoiar ninguém neste segundo turno, e 11% não opinaram.

Decisão – Ainda segundo a pesquisa do Datafolha, 57% dos eleitores decidiram o voto para prefeito um mês da votação para primeiro turno, e os demais, cerca de 15 dias antes (13%), uma semana antes (9%), na véspera (4%) ou no dia da eleição (15%). Entre eleitores com escolaridade fundamental, 23% decidiram seu voto no último domingo, índice que cai para 14% entre quem tem escolaridade média, e para 7% no eleitorado com escolaridade superior. Na parcela de menor renda, 19% decidiram em quem votar no dia da eleição, ante 10% entre aqueles com renda familiar de dois a cinco salários, e 9% entre os mais ricos, com renda superior a cinco salários.

Eleitor decidido – De acordo com o Datafolha, 80% dos eleitores citam corretamente o número que irão digitar na urna, no segundo turno, com o conhecimento do número de Campos (86%) em patamar próximo ao registrado para o de Marília (80%). Ampla maioria (88%) também está totalmente decidida sobre seu voto, com eleitores convictos da candidata do PT (91%) e Campos (87%) em nível similar neste momento. Entre os que declaram votar em branco ou nulo, 86% também já estão totalmente decididos.

CURTAS

RECORDE – Em Itapetim, a terra dos poetas, no Sertão do Pajeú, Jordania Siqueira (PSB) conseguiu a façanha de ser reeleita com um percentual de quase 15%, com 1.349 votos, um dos maiores do País, num momento em que os políticos andam tão em baixa. Enfermeira, sua principal base eleitoral é o distrito de São Vicente. Lá, sua atuação é voltada para ações em favor da comunidade na área de saúde.

O DECANO – Já em São José do Egito, segundo o blog de Marcelo Patriota, o vereador José Ferreira Neto, do PP, conseguiu uma raridade na região: emplacar seu 10º mandato consecutivo aos 76 anos de idade. Nos anos 90, ele chegou a presidir a Câmara e sua base eleitoral mais forte está no distrito do Riacho do Meio, com cinco mil habitantes.

Perguntar não ofende: O Big Data vai confirmar, hoje, a tendência de vitória de Marília Arraes no Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ui, marcos mamador de piroca pegou ar. Vôte !......kkkkkk

Fernandes

marcos mamador de piroca queima a rosca.

marcos

Lula é Ladrão.

marcos

Ui, Gretchen pegou ar. Vôte !......kkkkkk

Fernandes

marcos mamador de piroca queimador de rosca de camaragibe. Veja localiza esconderijo da mãe de Adriano da Nóbrega e coloca pressão sobre o clã Bolsonaro.




19/11


2020

Coluna da quinta-feira

Ventos de mudança

Ao virar o jogo no Recife, segundo pesquisa do Ibope divulgada ontem, com seis pontos à frente de João Campos (PSB), Marília Arraes (PT) pode estar a um passo de suceder Geraldo Júlio, um dos piores prefeitos que bateram ponto no Palácio Capibaribe nos últimos 30 anos, superando a casa dos 60% de reprovação.

O Ibope, que errou terrivelmente no primeiro turno, dando a João uma vantagem numérica que não se confirmou com a saída dos votos das urnas, reproduziu um sentimento que se observa pelas ruas da cidade: o de mudança, de banir o PSB do poder, de livrar Recife de uma nova gestão catastrófica pelas mãos de um imberbe.

Marília encarna o desejo de construção de uma nova cidade, um novo tempo, trazendo a esperança de volta a um povo sofrido, pisoteado, vivendo na lama. Candidato do PSB, João quer mesmo que o povo continue respirando o mal cheiro dos esgotos, pois votou contra o projeto para universalizar o saneamento básico no País.

Os seis pontos de vantagem podem ser 12, conforme a margem de erro, levando o PSB a sofrer uma derrota acachapante nas urnas no próximo dia 29. Marília, ao contrário de João, cresceu em todos os segmentos do eleitorado recifense. A não ser que haja uma hecatombe até o dia da eleição, tem amplas chances de ser a primeira mulher eleita para governar Recife.

Largar na frente, atestado pelo Ibope, é quase a certeza de um crescimento sucessivo e linear. Atrai mais votos, convence os indecisos, cria um ambiente de otimismo e euforia. A cidade festejou a largada de Marília por cima com um grito de libertação. Ninguém aguenta mais PSB.

Hoje sai Datafolha – Sai, hoje, uma nova pesquisa de intenção de voto no Recife, desta feita pelo Datafolha, encomendada pela TV-Globo em parceria com o sistema JC de Comunicação. Diferente do Ibope, o Datafolha trouxe números mais reais ao longo da campanha no Recife, não passando pelo vexame da boca de urna feita pelo concorrente e que fugiram e muito da realidade saída das urnas. Há uma expectativa, inclusive, que, pelo Datafolha, a frente de Marília seja maior, entre 10 a 12 pontos.

Call center – O Palácio das Princesas e o Palácio do Capibaribe, sedes respectivamente do poder estadual e municipal, viraram um verdadeiro call center de caça a suplentes de vereador e lideranças comunitárias. Gente esquecida a vida inteira pelo poder passou a receber telefonema do governador, do prefeito e do candidato do PSB. O céu é o limite para atrair apoios, mas poucos têm caído no jogo sujo do subterrâneo do poder, porque sabem que, depois da eleição, o esquecimento bate novamente à porta. É o “quem dá mais” do leilão eleitoral.

O bocorroto – Em baixa, sem apoio de nenhum dos partidos que disputaram no primeiro turno no Recife, o candidato do PSB, João Campos, está apelando de forma desesperadora. Aceitou até e de bom grado a língua ferina do presidenciável Ciro Gomes, do PDT, que desembarca neste fim de semana na capital para falar mal do PT, elogiar o PSB e passar uma borracha no passado de corrupção da legenda socialista. Ciro é um tremendo pé-frio, a quem apoia o efeito é justamente o contrário, o da derrota, do insucesso eleitoral.

Na vitrine – Repercutiu intensamente a entrevista, no Frente a Frente de ontem, do prefeito reeleito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), na qual ele admitiu que está de olho na disputa majoritária de 2022. Preparado, arguto e inteligente, Miguel passa conhecimento e maturidade, apesar da jovialidade. É um quadro que está na vitrine da oposição, com chances de crescer e ocupar um bom espaço na discussão da sucessão do governador Paulo Câmara, principalmente se o PSB sair derrotado no Recife.

CURTAS

NO MURO – Ex-candidato do PSC a prefeito do Recife, o deputado Alberto Feitosa não segue a decisão de apoiar Marília Arraes no segundo turno. Ignorou a posição do presidente da legenda, André Ferreira, optando pela neutralidade, mesma posição assumida pelo democrata Mendonça Filho. Mendonça, entretanto, teve um gesto louvável: liberou seu pessoal para votar em Marília.

DEBATE – Marília e João se enfrentam, hoje, no primeiro debate em rádio. Está marcado para às 10h30, na Rádio Jornal, mediado pelo radialista Geraldo Freire. Na TV, o primeiro confronto será amanhã, às 18 horas, pela Clube, afiliada da Record. Na terça tem na TV-Jornal e, por fim, na quinta, TV-Globo.

Perguntar não ofende: Quem vai disferir mais ataques no guia eleitoral: João ou Marília?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ate Barack Obama sabe que marcos de camaragibe queima rosca ........... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Fernandes

Tem calma marcos mamador de piroca Marica de camaragibe, especialista em queimar rosca.

marcos

Lula o Alcoólatra Ladrão que faz piadas com o nome de Deus.

marcos

Presidente da Rússia se rende ao Presidente mito Jair Bolsonaro e enaltece a sua atuação durante a pandemia ............................... \"Muito obrigado, Sr. Presidente (Jair Bolsonaro), não foi fácil para nenhum de nós trabalhar durante este ano, e o senhor pessoalmente enfrentou essa infecção e passou por essa provação com muita coragem. Quero lhe desejar tudo de melhor e, é claro, muita saúde. Sei que esse momento não deve ter sido fácil, mas o senhor enfrentou tudo como um homem de verdade e demonstrou possuir as melhores qualidades masculinas, tais como a coragem e a grande força de vontade, enfrentando todos os desafios com grande respeito e consideração pela vontade de seu povo e pelos interesses do seu país. Isso tudo faz do senhor um exemplo para todos nós, pois mostra como podemos ser corajosos no cumprimento dos nossos deveres profissionais, nos nossos deveres como chefes de Estado.\"

marcos

Diretoria começa a \"debandar\" da Globo: Ex-diretor-geral deixa a emissora após 35 anos................. Carlos Henrique Schroder, que atuava no cargo de diretor de Entretenimento e diretor-executivo de Criação e Produção de Conteúdo da Rede Globo, anunciou nesta quinta-feira, 19, que pediu demissão da emissora. ‘Medalhões’ saindo, outros atores deixando a emissora, sem a grana que recebia dos governos lulopetistas, venda da Som Livre, cortes de gastos a ‘todo o vapor’ e agora com o começo da ‘debandada’ da direção, o que restará a emissora?........................................... Ui a Grobo ta quebrando. .. kkkkkkkk




18/11


2020

Coluna da quarta-feira

Semancol de João em falta

Após o tombo do primeiro turno, no qual por pouco não foi deixado para trás pela candidata do PT, Marília Arraes, João Campos (PSB) deu declarações usando a estratégia de jogar a corrupção no colo da adversária por ser do Partido dos Trabalhadores, legenda que se confunde com o que há de mais sujo no País, graças ao desfecho da operação Lava Jato, que levou o ex-presidente Lula a ver o sol nascer quadrado.

João esqueceu o semancol em casa. Majoritariamente, o PT está alojado no Governo que ele serve, no Estado e na Prefeitura do Recife. A turma do senador Humberto Costa, que sabotou a candidatura de Marília no primeiro turno, tem uma aliança histórica com o PSB. Principal porta-voz de Humberto, Dílson Peixoto é secretário de Agricultura do Governo Paulo Câmara e o partido ocupa mais de 200 cargos no Estado e na Prefeitura.

Foi ao PT que o PSB recorreu em 2018 para, numa aliança “pragmática”, se manter no poder, derrotando Armando Monteiro (PTB). João não pode jogar pedras no PT dele e dos seus aliados governistas, porque o seu PSB também se confunde com roubalheira. Lá atrás, o Governo do seu pai, Eduardo Campos, foi objeto de operações da Polícia Federal. Em âmbito municipal, recentemente Geraldo Júlio assistiu a mesma PF subir as escadas da Prefeitura por seis vezes.

João deveria, portanto, ser melhor orientado, porque se sua propaganda eleitoral no rádio e na TV, que começa amanhã, se der na direção de carimbar Marília como patrona da corrupção do PT, o efeito será ao contrário. Dizem que a corrupção é um crime sem rosto, mas se João quiser, como parece dar sinais, dar um tiro no pé, o rosto já tem cor e cara: PSB.

Santo Agostinho dizia que com a corrupção morre o corpo, com a impiedade morre a alma. Em essência, a corrupção política é apenas uma consequência das escolhas do povo. No Recife, o povo vai novamente se manifestar em eleição de segundo turno no próximo dia 29. Esse mesmo povo, se tiver juízo, votará com o discernimento de que acabar com a corrupção é o objetivo supremo de quem ainda não chegou ao poder.

Mais corrupção – Antes mesmo de começar a propaganda eleitoral no rádio e na TV no Recife, o PSB, que disputa o segundo turno com João Campos sofreu um revés: O relatório oficial do Tribunal de Contas do Estado confirmou, ontem, segundo antecipei com exclusividade, as irregularidades na compra de 500 respiradores da microempresária veterinária Juvanete Barreto Freire, sem licitação, pelo valor total de R$ 11 milhões. É o caso dos respiradores testados em porcos que a gestão de Geraldo Júlio queria que fossem usados pela população recifense na covid-19.

Prisão temporária – A compra foi objeto de três fases da Operação Apneia, da Polícia Federal, com buscas e apreensões na casa de secretários e assessores do prefeito Geraldo Júlio (PSB). O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, teve pedido de prisão temporária na segunda fase da Operação, mas a Justiça Federal negou a prisão. O celular de Jailson Correia revelou conversas constrangedoras sobre os respiradores com João Guilherme Ferraz, assessor e homem de confiança de Geraldo Júlio.

Homem forte – O relatório do TCE responsabilizou, além do secretário Jailson Correia, também o assessor Felipe Soares Bitencourt, apontado nos bastidores como homem-forte de Geraldo Júlio nas compras da saúde. Felipe Soares Bitencourt está afastado das funções na PCR, por ordem da Vara Criminal da Justiça Federal, após ser alvo de outra operação da Polícia Federal. Segundo o relatório, a microempresa dos 500 respiradores tinha capital social de apenas 50 mil e tinha sido aberta poucos meses antes. Apesar disso, a gestão de Geraldo Júlio assinou com a microempresária um contrato de R$ 11 milhões sem licitação para a compra de respiradores da covid-19 no auge da pandemia.

Risco assumido – Os auditores apontam que a gestão de Geraldo Júlio "assumiu o risco" das irregularidades ao contratar a microempresária veterinária por R$ 11 milhões sem licitação. "A Secretaria de Saúde assumiu o risco de contratar fornecedor sem capacidade operacional para executar o objeto dos contratos, o que se reforçou com a posterior rescisão contratual", apontam os auditores.

CURTAS

MAIS VOTADO – Em Jaboatão, o vereador mais votado, com 3.796 votos, é aliado do prefeito Anderson Ferreira: o ex-secretário de Turismo, Marlus Costa (PL). Sua grande arma foi serviço prestado: ajudou a tirar, literalmente, o povo da lama em mais de 30 ruas, contemplando cerca de duas mil pessoas. Antes de entrar na vida pública, Marlus foi blogueiro e no exercício parlamentar também ocupou a função de líder do Governo Anderson na Câmara.

TRÊS DEBATES – A Band Recife não vai fazer o debate de amanhã com os candidatos a prefeito em segundo turno, como está confirmado em São Paulo e no Rio. O primeiro confronto entre João Campos e Marília Arraes se dará, na verdade, na próxima sexta-feira, às 18 horas, na TV-Clube, afiliada da Record. A previsão de duração é de 1h45, com mediação de Isly Viana, a mesma jornalista que deu uma saia justa na delegada Patrícia Domingos. Na terça-feira da próxima semana tem o debate na TV-Jornal e na quinta-feira, encerrando, o da TV-Globo.

Perguntar não ofende: João Campos vai exibir seus padrinhos Paulo Câmara e Geraldo Júlio na propaganda eleitoral?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Recontagem na Geórgia confirma vitória de Biden, Trump consegue perder duas vezes no mesmo lugar

marcos

Lula o Alcoólatra Ladrão que faz piadas com o nome de Deus

Fernandes

Deputados da Argentina aprovam lei para taxar grandes fortunas.

Fernandes

Tem calma marcos mamador de piroca Marica de camaragibe, especialista em queimar rosca.

Fernandes

Ate Barack Obama sabe que marcos de camaragibe queima rosca ........... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk




17/11


2020

Coluna da terça-feira

Ninguém quer João

Nenhum dos partidos ou lideranças que se opuseram ao candidato do PSB no Recife, João Campos, sinalizou até o momento em fazer a derivada positiva para o socialista na disputa de segundo turno. Majoritariamente, a tendência é Marília Arraes. Ouvi os principais interlocutores da oposição. A ordem é derrotar o PSB. Derrotar o PSB é dar uma chance a mudar Recife, carcomida, violentada, deteriorada, jogada às traças por uma gente com culpa no cartório das maldades.

O tabelião é Geraldo Júlio, pior prefeito da história do Recife, malfeitor, incompetente, vendedor de ilusões da revolucionária mauricéia. Seu aspirante cartorialista, o príncipe João Campos, já está entronizado na mente dos recifenses como aquele que seria o último dos moicanos da destruição completa da cidade. Com ele no poder, seria a instalação da era dos horrores. Recife não aguenta mais PSB. Ninguém deseja tanto mal à cidade.

Quem conclui não sou eu, é o povo na rua, sábio e protestante. O recado das urnas foi dado no último domingo. Não fosse o imoral e corroído processo de manipulação de pesquisas, Marília certamente teria chegado em primeiro lugar no primeiro turno. Mas Ibope e Datafolha erraram. E erraram feio, imoral, dando o príncipe bem distanciado de Marília.

Abertas as urnas, apenas 1% separou João do cartório da concorrente Marília, atestando que Ibope e Datafolha se queimaram e precisam de tempo para recuperarem credibilidade. Se a credibilidade se perde numa falha, então não se tinha credibilidade nenhuma. Credibilidade se conquista ou se perde de acordo com atitudes e resultados. O Ibope, principalmente, passou atestado de insanidade.

Ninguém quer João. Por quê? O candidato do PSB é a transformação do Recife na perpetuação de um grupo monárquico, liderado por Geraldo, a ruína da cidade. Recife está feia, fede, agoniza. Não tem mobilidade urbana, nem obras viárias, o até então charmoso e poético bairro Antigo virou uma pocilga. É convite a assalto em plena luz do dia. Está entregue aos que, com arma na mão, implantam o terror, decretam o território do crime.

De todas as mazelas do reinado socialista a pior, longe de errar, é a da estampa da corrupção: seis operações da Polícia Federal investigando dinheiro desviado da Covid. Só o Ministério Público Federal investiga desvios da ordem de R$ 34 milhões, pagamentos a médicos e profissionais fantasmas da área de saúde. Recife não merece PSB. As urnas não dão recado nenhum, no máximo anotam o recado que a população registra nelas. Mas, domingo passado, o principal recado das eleições foi o tamanho da rejeição aos que querem se perpetuar no poder mentindo, agredindo, usando de todos os instrumentos nocauteadores do bom senso.

Pela mudança – O PTB tem uma resolução que proíbe alianças com o PT, mas o ex-senador Armando Monteiro Neto, presidente de honra da legenda no Estado, fará uma declaração no campo pessoal em favor da candidatura de Marília Arraes. A delegada Patrícia Domingos, caroneira do Podemos, assistirá, sem direito a protestos, ao presidente do seu partido, Ricardo Teobaldo, também manifestar apoio à petista. O PSB até que tentou o Podemos, mas Teobaldo, que sai vitorioso da sua principal base, o município de Limoeiro, também almeja que Recife encontre o seu Norte, livre das garras destruidoras do PSB.

Meia derrota – Não é verdadeira a versão de que o presidente Bolsonaro saiu derrotado nas eleições de primeiro turno. Pleito municipal não tem tabela com federal. Quando se escolhe um prefeito ou vereador o que está em jogo é a rua asfaltada, a melhoria do abastecimento de água, o lixo acumulado, etc. De longe, não é inflação, alta do dólar, preço de combustível. Isso é da alçada federal, da próxima eleição, a de 2022. Quanto a Bolsonaro, evidentemente que ele tombou em São Paulo no apoio a Russomano, e no Recife, quando levado a apoiar a delegada.

Barba e cabelo – Em Floresta, a prefeita eleita Rorró Maniçoba derrotou com uma só cajadada os Novaes e Ferraz juntos, mostrando ao secretário estadual de Turismo, Rodrigo Novaes, que a donatária dos votos veste saia. Rorró volta ao poder alicerçada em 7.926 votos, enquanto Favinho Ferraz, candidato do prefeito pelo Avante, teve 6.935 votos. Gustavo Novaes, bancado pelo secretário, teve apenas 3.154 votos. Rorró e seu filho, o ex-deputado Kaio Maniçoba, levaram o fel à boca de Rodrigo também em Itacuruba, reelegendo o prefeito Bernardo Maniçoba.

Cadê a delegada? – Quem dá notícias do paradeiro da deputada Gleide Ângelo, a mais votada nas eleições passadas para a Assembleia Legislativa? Quem ela apoiou? Pode onde andou na campanha? Quem adivinhar vai ganhar doces e quitutes, de preferência um chocolate bem recheado. A política tem de tudo, inclusive a capacidade de produzir fenômenos eleitorais que mais parecem castelos de areia. Como Patrícia Domingos, rabo de gata na disputa pela Prefeitura do Recife, Gleide é delegada, um fenômeno que as eleições municipais começaram a banir.

CURTAS

ADOTADO – Afogados da Ingazeira, minha terra natal no Sertão do Pajeú, ganhou um representante na Câmara de Vereadores de Caruaru. Trata-se do Irmão Ronaldo, eleito na rebarba da coligação do PROS, com 858 votos. Ele é cabelereiro e já disputou uma vaga na Câmara da capital do Agreste, sem sucesso, nas eleições passadas. É o segundo sertanejo adotado pelo povo caruaruense. Rogério Menezes, do PT, o primeiro, poeta dos bons, chegou a ser presidente da Câmara.

DEBATE NA BAND – O primeiro debate entre João e Marília na TV deve ocorrer na próxima quinta-feira, se a afiliada da Band no Recife vier a promover o encontro, como está anunciando São Paulo e Rio de Janeiro. De largada, João já rejeitou um debate: o do Diário de Pernambuco, mas provavelmente não poderá fugir do primeiro confronto em TV.

Perguntar não ofende: Raquel Lyra, Anderson Ferreira ou Miguel Coelho, quem dos três será candidato a governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Deixa de papagaiada, marcos Marica de camaragibe, especialista em queimar rosca.

marcos

TSE suspeita que Gretchen do Cabo derrubou o sistema de Lula Cabral.

Fernandes

Jogo sujo. TSE suspeita que aliados de Trump e Bolsonaro tentaram derrubar o sistema eleitoral do país para desacreditar o processo.

Fernandes

Deixa de papagaiada, marcos Marica de camaragibe, especialista em queimar rosca.

marcos

O tombo das estrelas (de)cadentes!.................................. O maior partido de esquerda das Américas saiu trucidado das urnas......................... Sem vencer em nenhuma capital do país, amarga resultados avassaladores, dentre eles não eleger nenhum prefeito em 4 Estados da Federação. Minguou literalmente. Mas não está só. A esquerda como um todo foi literalmente excretada do poder de Norte a Sul do Brasil. Uma defecção que só a Globo não quer ver e admitir, tendo a jornalista Miriam Leitão afirmado que o grande derrotado das urnas “foi o Presidente Bolsonaro!” ( SIC). Ora pois! Essa lunática descabelada não supera seu recalque de complexo de inferioridade. E o mais estranho é que ninguém da família ou das editorias as quais se submete, intervém para poupá-la dessas aparições assustadoras, que estão a merecer uma dose cavalar de compaixão, tamanha é a sua dessintonia com os fatos do mundo real. Para ficarmos no universo dos astros e estrelas (e lunáticos), digno de nota, ainda, a morte política de duas nebulosas periféricas que se portavam como se fossem estrelas de primeira grandeza. Me refiro a ex tudo da esquerda, a alagoana Heloísa Helena que sequer conseguiu voltar à Câmara de Vereadores de Maceió e à Joice Hasselmann, que sonhando acordada imaginou liderar a oposição no país em afronta ao eleitorado de Bolsonaro. Ambas tomaram uma invertida histórica e pedagógica, que em linguagem popular, pode ser chamado de vergonhosa sumanta. Bem feito ao PT, à esquerda, a essas três. Heloísa, a cangaceira sem votos. A Peppa Pig que, pelo menos no quesito densidade eleitoral, conseguiu a proeza de emagrecer e chegar ao raquitismo em tempo recorde; e à Miriam Leitão, para quem faz tempo que a porca torce o rabo! Se essa eleição tivesse nomes seriam: “a fritura dos torresmos”; ou “os buracos negros”. Ou, quem sabe, “a queda inusitada em pleno voo nas vassouras de piaçaba!” Ai, que dó!




14/11


2020

Coluna do sabadão

Cenário adverso para o PSB

No Brasil, eleição em intervalo de dois anos condiciona uma a outra. Se o PSB perder a Prefeitura do Recife, por exemplo, abre-se o caminho pavimentado para uma segunda derrota, desta feita em 2022. Este é um cenário que não está descartado, segundo uma penca de analistas políticos ouvidos pelo blog. Na visão deles, o PSB se fragiliza não apenas pela perda da capital, mas de colégios eleitorais igualmente importantes.

De largada, no cinturão da Região Metropolitana, onde está concentrado o grosso do eleitorado, além do Recife, o PSB perde Paulista,  até hoje sob o comando socialista; Olinda, cidade que abriu mão de manter apoio ao prefeito Professor Lupércio; Cabo, que ainda é uma indefinição; Igarassu, que se mantém com o grupo de Armando Monteiro, e Jaboatão, segundo maior colégio eleitoral do Estado, cujo prefeito Anderson Ferreira, do PL, tem chances reais de ser reeleito logo no primeiro turno.

Adentrando para a Zona da Mata, o Governo tende a perder em Palmares, principal colégio eleitoral da Mata Sul. No Agreste, é dada como certa a reeleição da prefeita Raquel Lyra, de Caruaru. Se as pesquisas forem confirmadas, Raquel tende a ser uma das mais votadas no Estado, criando couro grosso para entrar numa disputa majoritária em 22. Bem próximo a Caruaru, Bezerros corre risco de sair do controle do PSB, conforme pesquisa postada ontem neste blog.

No Sertão, além de não ter a menor chance em Petrolina, cujo prefeito Miguel Coelho (MDB) é apontado como campeão nacional de voto, o PSB corre risco de perder a Prefeitura de Arcoverde para Zeca Cavalcanti, do PTB. Cenário também adverso para o Governo com vistas às pretensões de 22 é Serra Talhada. Ali, a candidata do prefeito petista Luciano Duque abriu uma vantagem de 37 pontos, algo quase que impossível de se reverter.

Já no Agreste Meridional, Garanhuns desponta como deserto de votos para o PSB. O prefeito Izaías Régis, ligado a Armando Monteiro Neto, dificilmente deixará de eleger o sucessor Silvino Duarte, do PTB, que abriu uma vantagem de 15 pontos em relação ao socialista Sivaldo Albino. O PSB tem dificuldades ainda em Lajedo, São Bento do Una. Confirmando-se essas tendências, com Recife no colo da oposição, cai por terra a pretensão do prefeito Geraldo Júlio de disputar o Governo do Estado.

Derrotados – Se em Caruaru a prefeita Raquel Lyra confirmar a tendência das pesquisas aniquilará com uma só cajadada seus dois principais grupos adversários, o de José Queiroz, do PDT, e o de Tony   Gel, do MDB. Nem Queiroz nem Gel fizeram campanha pelo aliado Marcelo Gomes, candidato escolhido de última hora para enfrentar Raquel num quadro extremamente adverso. As aparições de Gel e Queiroz se restringiram ao guia eleitoral de Marcelo, que deve sair das urnas com desempenho pífio.

Sem a Igreja – Em Gravatá, um padre aventureiro impediu a divulgação da pesquisa do Opinião em parceria com este blog. É o mesmo oportunista, que não une sequer a Igreja Católica, de onde abandonou a batina deslumbrado com a vida mundana. O primeiro a divergir do seu projeto de disputar a Prefeitura foi o padre Humberto. Além de afirmar que não ia embarcar numa aventura, gravou um vídeo para as redes sociais manifestando apoio à reeleição do prefeito Joaquim Neto, do PSDB.

Efeito bumerangue – Em Floresta, o apoio por debaixo dos panos do secretário de Turismo, Rodrigo Novaes, ao candidato chapa branca Favinho Ferraz, provocou um efeito contrário. O candidato do prefeito mais rejeitado do Estado despencou nas pesquisas. Quem deve ser eleita é a ex-prefeita Rorró Maniçoba, candidata do PSB. O secretário turista deve sofrer outros tombos eleitorais na região, complicando seu projeto de reeleição para a Assembleia Legislativa em 22.

Os escondidos – O candidato do PSB a prefeito do Recife, João Campos, encerrou sua campanha de primeiro turno no rádio e na televisão da mesma forma que começou: escondendo seus dois principais aliados, o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio. A razão é muito simples de explicar. Câmara é o governador mais rejeitado do País e o prefeito recifense tem nada menos do que 60% de rejeição, o mais desaprovado entre todos os que chegaram ao final do segundo mandato. E olha que Geraldo, achando-se a Brastemp do Nordeste, queria carregar João em seu andor.

CURTAS

ARREPENDIDO – Soube ontem por uma fonte confiável do Planalto que o presidente Bolsonaro se arrependeu tremendamente pelo apoio declarado em favor da candidata do Podemos à Prefeitura do Recife, Patrícia Domingos. Segundo essa mesma fonte, o maior desapontamento do capitão está no campo ideológico. A delegada nunca assumiu que é conservadora, de direita.

PROGRAMA – Amanhã, dia de ir às urnas, estarei ancorando o programa especial da marcha das eleições da Rede Nordeste de Rádio diretamente dos estádios da Hits 103,1 FM, a partir das 17 horas. Na análise, o marqueteiro José Nivaldo Júnior, o jornalista Ângelo Castelo Branco e o cientista político Roberto Santos. Imperdível!

Perguntar não ofende: Quem vai para o segundo turno no Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Deixa de papagaiada, marcos Marica de camaragibe, especialista em queimar rosca.

marcos

Gretchen pegou ar. Kkkkkkkkkkk

Fernandes

Alfabetizar 12 milhões + 2. ....... Bozo e Lolita marcos mamador de piroca queimador de rosca de camaragibe.

Fernandes

Deixa de papagaiada, marcos Marica de camaragibe, especialista em queimar rosca.

marcos

Alfabetizar 12 milhões + 2. ....... LULA e Dilma Jumenta.


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores