FMO janeiro 2020


01/03


2015

Coluna da segunda-feira

Congressao Nacional Tensão em Brasília

Tem tirado o sono dos políticos o clima de tensão e apreensão com a divulgação da lista dos parlamentares, governadores e ex-governadores supostamente envolvidos na operação Lava Jato, que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, promete liberar até amanhã.

Fala-se em 30 deputados, oito senadores e quatro governadores. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que até então demonstrou desdém pela denúncia do Ministério Público Federal ao STF, agora teme ser citado, segundo tem deixado transparecer nos últimos dias.

Antes confiante de que ficaria fora do rol, o peemedebista disse a aliados ter recebido sinais de que seu nome poderá ser incluído. “Diante da hipótese, Cunha se mostrou colérico e disposto a se vingar do governo”, revela um parlamentar bem próximo ao presidente da Câmara.

Na semana passada, Cunha afirmou que "a Câmara não ia parar” por causa da lista: “Primeiro, que não tem processo de cassação. Para começar, um processo de cassação vai demorar muito. Tem que ter representação, depois tem que ter admissibilidade, e depois de votar admissibilidade, tem que instaurar o processo. A Casa vai trabalhar normalmente", afirmou.

Esta declaração foi anterior ao tomar conhecimento de que seu nome irá ser um dos citados na lista, que tudo indica deve ser levado ao conhecimento da Nação amanhã. Resta saber se de fato aparecer entre os envolvidos, Cunha vai se manter dócil em relação ao impeachment ou se endurece o jogo.

REAÇÃO NAS RUAS– Diante da manifestação pelo impeachment de Dilma convocado pelas redes sociais para o próximo dia 15, os petistas resolveram reagir. Engrossam a manifestação que a CUT está promovendo dois dias antes, em 13 de março, em defesa da democracia e da Petrobras. O ato de São Paulo terá a presença do ex-presidente Lula. Os manifestantes não vão se encontrar nas ruas do país, mas não deixarão de se enfrentar.

O “carioca” arrogante– Esnobe, metido a cavalo de cão, o presidente que não preside o PSDB estadual, Bruno Araújo, tem mania de fingir que não é nordestino, exagerando no sotaque carregado nos esses. Por isso, em Brasília ganhou o apelo de “Carioca”. Achando-se um político nacional, que, convenhamos, está distante léguas, o “Carioca” resolveu passar o comando do partido para Antônio Moraes. “Não tenho tempo para as questiúnculas locais”, alega. É a bala que matou Kennedy.

 

Mais energia na ilha – Em São Paulo, o administrador de Fernando de Noronha, Reginaldo Valença Júnior, discutiu com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, parcerias para investimentos em matrizes energéticas na ilha. Há pouco, ele implantou no arquipélago um projeto pioneiro, instalando um sistema de iluminação pública via energia solar.

Azul e branco– O governador Paulo Câmara está convencido de que não será fácil atrair investimentos federais para o Estado diante da crise nacional e do ajuste fiscal. Por isso, já adotou o discurso, transmitido na última reunião com o secretariado, de que trabalhará, como Roberto Magalhães, em cima do dinheiro azul e branco e esperar as transferências voluntárias da União.

No lombo do trabalhador– Fevereiro se despediu deixando um rastro negativo na economia e uma conta salgada para o trabalhador. Entre as medidas amargas tomadas pelo Governo estão o aumento de impostos, o reajuste dos combustíveis, a alta extra na tarifa de energia e mudanças em benefícios sociais como seguro-desemprego, auxílio-doença, abono salarial e pensão por morte, sendo que estas últimas começam a valer a partir de hoje.

 

 

CURTAS

PAULEIRA– Pela agenda traçada para o Governo nos Municípios, entre os dias 13, 14 e 15, o governador Paulo Câmara faz seminários, pela ordem, em Araripina, compreendendo o Sertão do Araripe, Petrolina, o Sertão do Francisco, e Salgueiro, o Sertão Central. Quem gosta de cruzar os braços no fim de semana que se cuide!

ISOLADO– Para o ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que levou, ontem, um puxão de orelha de Dilma pelas provocações a Guido Mantega, está isolado e por isso mesmo terá dificuldades de fazer o ajuste fiscal.

Perguntar não ofende: Quantos pernambucanos vão aparecer na lista de Janot?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

Livro que relata envolvimento de FHC com a CIA esgota edição. Está esgotado nas duas maiores livrarias do Rio o livro da escritora Frances Stonor SaundersQuem pagou a conta? A CIA na Guerra Fria da cultura, no qual o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é acusado, frontalmente, de receber dinheiro da agência norte-americana de espionagem, para ajudar os EUA a “venderem melhor sua cultura aos povos nativos da América do Sul”. O exemplar, cujo preço varia de R$ 72 a R$ 75,00, leva entre 35 e 60 dias para chegar ao leitor, mesmo assim, de acordo com a disponibilidade no estoque. O interesse sobre a obra da escritora e ex-editora de Artes da revista britânica The New Statesman, no Brasil, pode ser avaliado ao longo dos cinco anos de seu lançamento.

Jerffeson Deives

Será?


IPTU Cabo


28/02


2015

Coluna do sabadão

     Fernando, o articulador

Desde que se elegeu em outubro do ano passado, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) tem se dedicado integralmente à pauta de político vocacionado: fazer articulações. Tanto no plano local, onde tem projeto para disputar o Governo do Estado em 2018, quanto na esfera nacional, onde tem ajudado o seu partido a atrair quadros para as eleições do próximo ano nas capitais.

Na quarta-feira, Fernando foi mais além e conversou até com o ex-presidente Lula, sob o pretexto de tratar de questões nacionais, mas a conversa derivou também – e muito – para Pernambuco. “Lula gostou bastante do encontro que teve com o governador Paulo Câmara e quer fazer uma agenda no Estado”, disse o senador, em entrevista, ontem, ao Frente a Frente.

Na capital paulista, o senador participou do encontro com a senadora Marta Suplicy (PT), articulado pelo vice-governador de São Paulo, Márcio França. A ideia é convencer Marta a se transferir do PT para o PSB com a garantia da legenda socialista de que será candidata à prefeita. O PT já tem candidato. É o prefeito Fernando Haddad, que disputa à reeleição.

Insatisfeita com a falta de espaço na legenda petista, a senadora pode se filiar ao PSB. Outra senadora que o PSB vem flertando nesta mesma direção é Lúcia Vânia, do PSDB de Goiás. Se aceitar o convite de para trocar a legenda tucana pela socialista, Vânia pode ser candidata à prefeita de Goiânia.

Quanto ao encontro com Lula, Fernando disse que tratou muito mais da crise nacional. Ao senador, o ex-presidente disse que Dilma precisa explicar melhor os motivos do ajuste. “A vida não se encerra com eles, que é preciso falar de futuro", disse o senador.

Fernando apresentou a Lula um quadro pouco amistoso no Congresso ao governo Dilma. "Chamei a atenção de que o quadro político é de muita preocupação dentro do Congresso com contorno na questão política. É preciso conversar mais, dar uma desanuviada no clima tencionado desde a disputa da Mesa Diretora do Senado", afirmou.

Segundo ele, apesar de defender a ampliação do diálogo e da aproximação com o presidente Lula, não houve discussão sobre a possibilidade de o PSB retornar à base aliada. "Vamos permanecer na situação de independência ao governo. Mas disse a ele que o partido vai apoiar as propostas ", afirmou o senador.

DIVÓRCIO– Na conversa de Lula com os senadores Renan Calheiros e Eunício Oliveira, além do ex-senador José Sarney, na última quarta-feira, o ex-presidente ficou com a impressão de que está chegando ao fim a coalizão do PMDB com o PT.  “Não tem mais agenda nem há quem sinalize quais são os próximos passos”, vazou um dos senadores. Mas Lula não avançou o sinal em direção a 2018, para não atrapalhar o Governo Dilma.

Acredite se quiser! – Numa recente reunião na casa do presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), em Brasília, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, citou um caso que deixou a plateia de cabelo em pé: um jovem de 20 anos que teria casado com uma senhora de 80 anos para receber a pensão pela sua morte.

 

 

 

 

Regalia contestada – O Ministério Público Federal vai investigar a existência de malversação de dinheiro público na concessão de passagens aéreas para as esposas e maridos dos deputados federais, restrito a parlamentares e assessores. De acordo com o procurador da República no Distrito Federal, Frederico Paiva, a utilização do benefício equivale a bancar interesses particulares com verbas públicas.

Efeito cascata-1– Um dia após a Câmara aprovar um pacotão de reajuste no valor dos benefícios dos deputados federais, a Assembleia Legislativa do Paraná decidiu seguir o mesmo caminho. Não está definido o percentual, mas caso os índices sejam os mesmos aplicados em Brasília, o custo será de quase R$ 11 milhões a mais por ano aos cofres públicos paranaenses, que passam por graves dificuldades financeiras.

Efeito cascata-2No caso da Assembleia Legislativa de Pernambuco, os deputados poderão ter mais dinheiro, a partir de abril, para gastar na contratação de assessores comissionados e nos gastos para custear o mandato – com combustível, telefone, alimentação. A discussão deve entrar na pauta da reunião da mesa-diretora da Casa agendada para a próxima terça-feira.

 

 

CURTAS

ENTRAVE– Em Araripina, principal município do Sertão do Araripe, com 78 mil habitantes, a 690 km do Recife, a justiça estagnou de vez. Só há um juiz na comarca, que trabalha apenas dois dias por semana, contribuindo para empilhar ainda mais os processos em tramitação.

JULGAMENTO– Será no dia 14 de abril, a partir das 8 horas, o júri popular referente ao homicídio do advogado Manoel Mattos. O homicídio ocorreu no dia 24 de janeiro de 2009, na praia Azul, em Pitimbu, na Paraíba. Na próxima segunda, às 14 horas, será realizado o sorteio dos jurados.

Perguntar não ofende: Janot, procurador da República, libera quando os nomes dos políticos envolvidos na operação Lava Jato?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

Operação Lava Jato chega em Aécio Neves As investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, descobriram anotações em um escritório da empresa UTC Participações, em São Paulo, que faziam comentários sobre os rumos da CPI da Petrobras no Congresso Nacional. As informações foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo. Segundo os papéis encontrados, o senador Aécio Neves (PSDB/MG) teria sido “pressionado pela CNO para não aprofundar”, assim como teria escalado dois colegas – Álvaro Dias (PR) e Mário Couto (PA) – para “fazer circo” na ocasião. A sigla pode ser uma referência à Construtora Norberto Odebrecht.


Governo de PE - Decimo Terceiro


27/02


2015

Coluna da sexta-feira

     Quem paga é o contribuinte

No seu primeiro ato vergonhoso, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aumentou todas as despesas com parlamentares, incluindo verba de gabinete – usada para pagar funcionários –, auxílio-moradia e cota parlamentar, que inclui gastos com passagens aéreas e conta telefônica.

Além do reajuste dos benefícios, esposas de deputados passarão a ter o direito de utilizar a cota de passagens aéreas dos deputados, desde que seja exclusivamente entre Brasília e o estado de origem. Como o reajuste será a partir de abril, neste ano representará impacto de cerca de R$ 110 milhões. No entanto, a partir de 2016, a despesa extra será da ordem de R$ 150 milhões por ano.

Na maior cara de pau, Cunha diz que se trata de um reajuste inflacionário, mas que serão feitos cortes na mesma proporção para que o impacto seja “zero” nos cofres da Casa. “Aceitamos a correção da inflação mediante o corte de gastos. O efeito será nulo, zero de despesa”, afirmou.

Segundo ele, os cortes serão feitos em atividades-meio, como contratos de informática e compra de equipamentos. “Faremos no tamanho da correção”, explicou. Não vai haver economia de nada nem aumento de nada. Será o mesmo Orçamento com a mesma despesa total", completou.

Cunha garante que faz apenas a correção inflacionária, não dando aumento. “Não estou aumentando verba, mas corrigindo pela inflação a verba, que é o salário dos funcionários dos gabinetes”, disse. A verba de gabinete, usada para pagar funcionários, foi reajustada em 18,01% com base no IPCA desde julho de 2012, e passará de R$ 78 mil por mês para R$ 92 mil. Cada parlamentar pode contratar até 25 pessoas.

O impacto anual será de R$ 129 milhões. A cota parlamentar destinada, entre outros gastos, para o custeio de passagens aéreas e transporte, será reajustada em 8,72% (correspondentes à variação do IPCA de dezembro de 2013 a janeiro de 2015), o que representará um impacto adicional de 19,9 milhões por ano.

O valor da cota varia conforme o estado de origem do deputado. O maior valor é pago a deputados de Roraima, hoje em R$ 41 mil por mês. O menor valor é dado a deputados do Distrito Federal, cerca de R$ 27 mil. O dinheiro também é usado para despesas com telefone e correio.

Mais vergonhoso ainda é a verba para comprar passagem aérea para cônjuges, atendendo à reivindicação de mulheres de parlamentares. O recurso só poderá ser usado quando o itinerário for entre Brasília e o estado de origem. A Direção-Geral da Câmara informou que o critério para liberar a passagem para o cônjuge será a comprovação do casamento ou de união estável reconhecida em cartório.

“Não é acréscimo da cota. É o valor exato da cota podendo utilizar o cônjuge de cada parlamentar única e exclusivamente no destino estado-Brasília, nada mais do que isso”, afirmou Cunha. Acredite se quiser!

DEDO LULISTA– A passagem do ex-presidente Lula por Brasília resultou numa operação política do governo e do PT. A fase de enfrentar os aliados, depois da intervenção lulista, já está superada. O objetivo é atrair a maioria do PMDB, partido mais rebelde. A Casa Civil está mapeando o que os aliados querem. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, foi retirado da lista de excluídos do Planalto e será tratado a pão de ló.

Caindo fora – Ao ser procurado, ontem, para falar sobre a concessão de passagens aéreas para as esposas dos deputados federais, o vice-líder do Governo na Câmara, Sílvio Costa (PSC), driblou jornalistas e depois, recorrendo às regras do velho jogo de dominó, avisou, de forma bem-humorada: “Toquei”.

 

Recado e tensão – O programa do PMDB, ontem, em rede nacional de rádio e televisão, sem fazer uma única referência à presidente Dilma, foi interpretado como sinal de que o partido pode ser o primeiro a apoiar o processo de impeachment. Já a base governista avaliou como um recado de que a legenda rompeu, enfim, a dependência histórica com o PT e terá candidato próprio a presidente em 2018.

Visão de Lula – Na conversa com a bancada do PMDB no Congresso, o ex-presidente Lula teria dito que é necessário que Dilma tenha uma postura firme de maneira a assegurar uma retomada da confiança nos rumos do País. Comentou que o embate travado por conta dos ataques sofridos pelo governo nas mídias sociais não deve ficar sem contraponto, sob o risco de perder a batalha.

Interlocutor socialistaCom a morte do ex-governador Eduardo Campos, o principal interlocutor do PSB no plano nacional passou a ser o senador Fernando Bezerra Coelho, vice-presidente da legenda. Foi a ele que Lula recorreu em Brasília e após o encontro embarcou para São Paulo com a intenção de atrair a senadora Marta Suplicy, que está insatisfeita no PT, para disputar a Prefeitura da capital pelo PSB.

 

CURTAS

EMPREGOS– O ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro, deu uma boa notícia, ontem, na sua passagem por Petrolina: a instalação de um Call Center na cidade com a capacidade de gerar de imediato cerca de três mil empregos diretos.

ASSOCIAÇÃO– O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), foi eleito, ontem, em Brasília, secretário-geral do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira dos Municípios (ABM), associação civil sem fins lucrativos, que trabalha pelo fortalecimento dos municípios.

Perguntar não ofende: Além de Marta Suplicy, quem deve mais embarcar no PSB?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Nehemias Fernandes Jaques

Estão simulando um desentendimento para esse sem vergonha. Marco Maciel (DEM), recebe uma pensão de 30,8 mil reais como ex-senador, que acumula com outra pensão de 30,4 mil reais como ex-governador,(governou por 3 anos), esta recentemente atualizada pelo Governo do Estado.

Nehemias Fernandes Jaques

Beto Richa (PSDB PR), diz a aliados que está cortando “privilégios” dos professores. Governador Beto Richa lidera guerra ideológica contra funcionários públicos amparada em R$ 15 milhões de propaganda só para o mês de abril. O tucano tem se reunido com vários setores da sociedade, a exemplo dos empresários do G7, que estiveram ontem no Palácio Iguaçu, com o objetivo de rotular os professores e servidores como “vagabundos

ObservatorioDoPovo

Além de cara de pau, o presidente da Câmara é mau caráter. Tenta adular seus companheiros e comparsas para enfrentar a rebordosa que vem por aí, já que tem o rabo preso e bem preso.

Nehemias Fernandes Jaques

Não esqueçamos, Marco Maciel (DEM), recebe uma pensão de 30,8 mil reais como ex-senador, que acumula com outra pensão de 30,4 mil reais como ex-governador,(governou por 3 anos), esta recentemente atualizada pelo Governo do Estado.

adalberto ribeiro

Diante de tal repercussao negativa, nao se admire se for revertida tal decisao do dep cara de pau Eduardo Cunha. O desgaste está sendo grande para toda a Camara dos Deputados


acolher


26/02


2015

Coluna da quinta-feira

       Trapalhada da OAB

A Ordem dos Advogados de Pernambuco está brincando de fazer confronto com o Legislativo. A ação civil pública, recurso anunciado, ontem, para anular a reeleição do presidente da Assembleia, Guilherme Uchoa (PDT), soa como uma bela piada de mau gosto.

“A saída jurídica escolhida não se configura como o melhor remédio, haja vista que é cabível, principalmente, quanto existe dano à administração pública, o que, no caso, não houve”, interpreta um especialista ouvido pelo blog. A OAB, segundo ele, passou o tempo todo incutindo a ideia de que se tratava de caso para uma ADIN – Ação Direta de Inconstitucionalidade.

Mas a ADIN só se aplicaria se Guilherme Uchoa tivesse, com a reeleição, causado prejuízo ou danos ao erário público, o que não se pode configurar juridicamente. A discussão, em tese, na verdade, é a de alternância de poder, o que caberia, no caso, um mandado de segurança e não uma ação civil pública.

“Óbvio que se trata de caso de controle difuso. Nisso não paira qualquer tipo de dúvida. Aí residiu o primeiro erro da OAB, que ficou falando por muito tempo que era caso de concreto direto, através de uma ADIN, o que, tecnicamente, configura-se como impossível”, avalia esse mesmo especialista.

Segundo ele, negada a liminar, ela tem o rito ordinário, o que pode acarretar um longo tempo para sua decisão. “Os argumentos como alternância de poder não servem para sua impetração, pois não é acinte direto à sociedade”, acrescenta ele, adiantando que o remédio mais cabível seria um mandado de segurança, bem fundamentado, arguindo violação à emenda número 33 da Constituição Estadual.

“O problema é que a Emenda 33 não menciona o início de sua eficácia. Interpretou a Assembleia que ela tem início na sua vigência, o que é normal na maioria das leis”, avalia o especialista.

Traduzindo: a esta altura, o presidente Guilherme Uchoa, que papou o quinto mandato, ao tomar conhecimento do amadorismo e do primarismo jurídico da OAB, deve estar dando boas gargalhadas, porque, afinal, nunca se viu tamanha trapalhada.

CANDIDATOS– O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, revela que o partido prepara três nomes para a eleição nas capitais no ano que vem. O senador Romário já avisou que vai concorrer no Rio. Os socialistas esperam pelo candidato do prefeito Márcio Lacerda, em Belo Horizonte. E contam com a senadora Marta Suplicy, que está deixando o PT, em São Paulo. “Essa é a razão do Bloco com Solidariedade, PPS e PV”, diz Siqueira.

Deputados-turistas – O primeiro-secretário da Assembleia, Diogo Moraes (PSB), e o deputado Rodrigo Novaes (PSD), que disputou a eleição para presidente da Casa, esticaram o feriadão do Carnaval nos Estados Unidos e só reapareceram, ontem, para dar expediente.

 

 

 

 

Igual a seleção – Do marqueteiro Marcelo Teixeira, da Makplan, ao ser provocado numa mesa política, ontem, a dar opinião sobre o secretariado do governador Paulo Câmara: “Secretariado é como a seleção brasileira: todo mundo quer escalar. Só dou opinião sobre o Governo ou medidas polêmicas tomadas pelo governador”.

Crise de água – A Agência Nacional de Águas (ANA) prorrogou até 31 de março a redução temporária da água que é liberada pelos reservatórios de Sobradinho e Xingó, no Rio São Francisco. A medida garante o volume d'água necessário para a produção de energia do Sistema Nordeste e o atendimento dos usos múltiplos da Bacia do São Francisco.

O efeito 2018Bastou Fernando Bezerra dá sinais de que será candidato a governador em 2018 para o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), principal adversário do senador naquele município, ser paparicado em audiência no Palácio das Princesas pelo governador Paulo Câmara. E, mais do que isso, resolver demandas nas pastas de Cidades e Educação.

 

 

CURTAS

REVISTA– O ex-deputado Osvaldo Coelho (DEM) ganha, hoje, uma homenagem especial em Petrolina com o lançamento de uma revista contando a sua trajetória política. A edição, do competente jornalista Carlos Laerte, está um colosso. Muitos políticos, empresários e amigos do ex-parlamentar baterão o ponto às 18 horas, na livraria SNS.

CANDIDATA– Suplente do senador Fernando Bezerra Coelho, Eliane Rodrigues deve disputar a Prefeitura de Nazaré da Mata pelo PSB. Com atuação voltada aos direitos das mulheres há 40 anos, a socialista é fundadora da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata.

Perguntar não ofende: Que providências o Governo Federal vai adotar para minorar os efeitos da seca no Nordeste?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



25/02


2015

Coluna da quarta-feira

      Gesto de estadista

A decisão do governador Paulo Câmara (PSB), de criar um grupo de trabalho para rever o contrato de manutenção da Arena Pernambuco em parceria com a Odebrecht, foi acertada e corajosa. Estado pobre não se pode dar ao luxo de torrar R$ 90 milhões por ano para manter um verdadeiro elefante branco, herança maldita da Copa do Mundo no Brasil em 2014.

“Foi uma atitude equilibrada, em defesa de Pernambuco. Foi, mais do que isso, um gesto corajoso e digno de estadista”, interpreta o marqueteiro Marcelo Teixeira, da Makplan. A coragem, segundo ele, se dá sobretudo, do ponto de vista político, pela empresa responsável pela PPP (Parceria Público Privada), a Odebrecht, está envolvida até o talo na operação Lava Jato, atingindo políticos pernambucanos.

Teixeira diz que é preciso ter elevado espírito público para meter a mão na cumbuca e suspender todos os contratos e pagamentos, além de não escriturar os 192 hectares próximos à Arena, que o ex-governador Eduardo Campos prometeu doar a Odebrecht para construção de edifícios residenciais e comerciais sem a empresa pagar um só tostão ao Estado.

“Isso é o que se chama de preservação do interesse público. Temos também que reconhecer que o ex-governador João Lyra Neto, mesmo pressionado, não assinou a escritura de doação”, acrescenta o marqueteiro, lembrando que o governador Paulo Câmara sabe que, hoje, a CEF nem qualquer outra instituição financia nada para Odebrecht.

Teixeira adverte que o Estado, ao passar a escritura, só vai contribuir para engordar mais ainda o patrimônio da empreiteira. “É assim, com decisões corajosas e equilibradas, que um governante pavimenta o caminho para uma grande administração”, afirma.

PRECEDENTE– Raul Jungmann (PPS) garante que se não tivesse encontrado respaldo na lei não teria assumido o mandato de deputado federal, porque a decisão implicaria, num primeiro momento, em renunciar ao mandato de vereador do Recife. Um dos precedentes que garantiram o seu recurso foi o do ministro dos Transportes, Antônio Carlos, que, vereador de São Paulo, assumiu como suplente a vaga de Marta Suplicy no Senado, sem ser obrigado a renunciar ao mandato de vereador.

Banho de cuia – A população do Recife deve se preparar para um duro racionamento de água, segundo previu, ontem, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, que teve encontro com o governador no início da noite. O racionamento, segundo ele, já é uma realidade em diversas áreas da Zona Norte da RMR, uma vez que o Sistema Botafogo – responsável pelo abastecimento dos municípios de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima – está com apenas 16% da sua capacidade de armazenamento.

 

 

 

 

 

Exemplo cearense – Responsável pela convocação de uma audiência pública sobre a seca, o deputado Miguel Coelho (PSB) diz que Pernambuco, que tem hoje o menor índice de reservas hídricas do Nordeste, deveria se espelhar no Ceará. “Lá, existe água acumulada nos reservatórios para a travessia de uma seca de até dois anos”, destacou.

Vassourada na Transposição – A Construtora Mendes Júnior demitiu cerca de 2,5 mil funcionários que trabalhavam nas obras da Transposição do São Francisco. A empresa estaria com dificuldades para receber repasses do Governo Federal em função de ser uma das empreiteiras investigadas pela operação Lava Jato da Polícia Federal que investiga denúncias de desvios e corrupção na Petrobras. A maioria atuava no canteiro de Salgueiro.

Dilúvio sertanejoEnquanto na Região Metropolitana a Compesa se prepara para montar um programa emergencial de racionamento de água, em Serra Talhada, a 430 km do Recife, o prefeito Luciano Duque (PT) conclui levantamento dos prejuízos causados por uma tromba d água que, em meia hora, resultou em 75 mm de chuvas torrenciais, destruindo casas e deixando famílias desabrigadas.

 

CURTAS

COMISSÃO– Em Brasília, o deputado Zeca Cavalcanti (PTB) apresentou requerimento propondo a criação de uma comissão parlamentar para acompanhar as ações do Governo Federal de combate à seca. “Há 45% de chance da quadra chuvosa ser abaixo da média no Nordeste”, observa.

PRESTÍGIO– Na homenagem que recebeu ontem em Brasília, tendo o seu nome no novo prédio da CNI, o ministro Armando Monteiro Neto, do Desenvolvimento, mostrou quanto é prestigiado, tendo atraído para o evento até o ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

Perguntar não ofende: Sai hoje mesmo a relação dos políticos envolvidos na operação Lava Jato?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jonas C Holanda Junior

Magno Martins, diante da disposição do governador de Pernambuco de rever o contrato de PPP com a Arena Pernambuco fica pendente uma questão que eu considero essencial: O governo do estado, através do então governador Eduardo Campos, que celebrou o contrato com empreiteira não tem responsabilidade nenhuma ? Fica uma questão sem resposta jogar nas costas do investidor toda responsabilidade pelo péssimo negócio que o governo fez. Ademais essa história de rasgar contrato não é correta. A imprensa, você incluído, não deram um pio contra essa insanidade de construir um estádio com dinheiro público na época do ocorrido.


Cúpula Hemisférica


24/02


2015

Coluna da terça-feira

  Deputado e vereador licenciado

Inseguro por ser o quarto suplente da bancada e numa eventual mudança na equipe de Paulo Câmara envolvendo deputados federais ser, consequentemente, o primeiro a dançar, o deputado Raul Jungmann (PPS) não renunciou ao mandato de vereador do Recife para assumir o mandato na Câmara dos Deputados.

Mesmo sem renunciar, Jungmann virou de fato e de direito deputado federal desde o último dia 12, quando a mesa diretora da Câmara dos Deputados aprovou a sua documentação.  A posse ocorreu nove dias após a oficialização dos outros três suplentes – Fernando Monteiro (PP), Augusto Coutinho (SD) e Cadoca (PCdoB).

Jungmann precisou deste tempo – nove dias – para anexar documentos que respaldam a sua posse sem risco de perda do mandato de vereador. Tudo porque fora informado sobre precedentes de vereadores que recorreram ao Supremo Tribunal Federal para garantir o mandato assumindo a suplência sem prejuízos ou riscos.

Da mesa diretora da Câmara do Recife, o deputado-vereador conseguiu um parecer atestando uma espécie de licença para se afastar, assinado pelo procurador da Casa, Izael Nóbrega. A Câmara dos Deputados acatou o parecer e deu posse ao vereador como deputado-suplente.

Sendo assim, se porventura o governador demitir um dos quatro deputados federais do seu secretariado Jungmann, de volta à planície, reassume o seu mandato de vereador sem nenhuma contestação do ponto de vista jurídico. O parecer com a licença foi respaldado pela mesa diretora.

A princípio, Jungmann teria que renunciar a dois anos de mandato para assumir o mandato federal, de acordo com interpretação de juristas e dos próprios integrantes da mesa-diretora da Câmara do Recife. “Ele foi mais esperto que se possa imaginar”, comentou um vereador.

Na prática, Jungmann não está seguro de que fica dois anos no mandato federal sem que ocorra uma instabilidade política na equipe de Paulo Câmara. Ao puxar quatro federais para o secretariado, o governador usou da estratégia de mandar para o Congresso um parlamentar que pode fazer uma dura oposição a Dilma por ser criativo e um nome de projeção nacional.

DRAMA DA SECA– De volta do Sertão, onde ontem e hoje ao longo do dia fez encontros com gestores regionais, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, tem agenda hoje à noite com o governador Paulo Câmara. Na pauta, a situação dramática dos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana, como Botafogo, que está com apenas 11% da sua capacidade.

Estrada fantasma – O governador Paulo Câmara autorizou a sua primeira obra no dia 4 de janeiro, três dias após a posse, mas já foram decorridos quase dois meses e não há um só sinal de que a estrada que liga o distrito de Albuquerquené ao município de Afogados da Ingazeira, trecho de apenas 70 km, vire uma realidade. Nunca se viu tamanho mico!

 

 

Fiel escudeiro – Em entrevista exclusiva, ontem ao Frente a Frente, Rosane Malta, ex-primeira dama do País, contou em detalhes bastidores que vivenciou na era Collor ao destacar o seu livro “O que vi e vivi”, já lançado em vários Estados. Rosane destacou a lealdade canina do ex-senador Ney Maranhão a Collor. “Foi um dos únicos a ficar com Fernando até o fim”, destacou. Ela está agendando uma data para lançar no Recife.

Socialite suspeita – O líder do DEM na Câmara Federal, Mendonça Filho, apresenta, hoje, um requerimento de convite em diversas comissões da Casa para que o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, preste explicações sobre a presença a socialite Val Marchiori em um jato contratado pelo Banco do Brasil durante uma viagem à Argentina realizada em 2010, quando Bendine presidia o Banco do Brasil.

O “Uchoa” municipalistaVereador em Surubim, Biu Farias (PSB) é o Guilherme Uchoa no plano municipal: prepara sua quarta eleição na presidência da UVP, a União dos Vereadores de Pernambuco. Mas diferente de Uchoa, Farias não tem adversário. Faltando 30 dias para o pleito não surgiu ainda nenhum parlamentar com disposição para enfrentá-lo nas urnas. A eleição será no dia 27 de março, em Triunfo.

 

 

 

 

 

CURTAS

REAJUSTE– O prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), concedeu 13,01% de aumento para os professores da rede municipal de ensino e está redefinindo gratificações que atendem praticamente a todas as categorias do ensino e de outras áreas, como médicos, dentistas e enfermeiros.

DISPUTA NA UFPE– A eleição para reitor da Universidade Federal promete ser uma das mais disputadas. Com o lançamento do professor Edilson Fernandes, do movimento Somos todos UFPE, já são cinco as chapas que serão registradas.

Perguntar não ofende: O Governo vai decretar novo sistema de racionamento de água na Região Metropolitana?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

CARLOS TELLES

Gostaria que cada partido político dedicasse o seu tempo de inserção na tv para fazer campanha de racionamento de água. Seria um belo exemplo de preocupação para com a população e o meio ambiente. Magno, escreva um artigo incentivando isto.


Prefeitura de Serra Talhada


23/02


2015

Coluna da segunda-feira

       De pires nas mãos

Ricardo Coutinho (PSB), da Paraíba, já pediu prioridade à presidente Dilma para agendar uma reunião emergencial com os demais colegas do Nordeste. Foi em território paraibano que, no início deste ano, os nove governadores nordestinos concluíram que a melhor estratégia na convivência com a União, neste momento, passa pela unidade.

Unidade no discurso, na pauta e nos pleitos. De caixa vazio, os governadores encaram o custo da saúde como prioridade das prioridades. Seu financiamento, cada vez mais sufocante pela demanda crescente e pelo SUS, que não tem reajuste há muito tempo. O financiamento da saúde foi o principal ponto do documento que os governadores assinaram após o encontro de João Pessoa.

Drama que se prolonga pelo quarto ano consecutivo, a seca atinge, hoje, 78% do semiárido nordestino e será um dos temais a ser tratado também. Estados como Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte passaram a depender de carros pipas para abastecer os municípios mais afetados e há riscos de racionamento e colapso também nas regiões metropolitanas.

No encontro da Paraíba, os governadores concluíram que existem obras de infraestrutura que precisam de um ritmo mais acelerado. É o caso da Transposição do São Francisco, que anda devagar quase-parando, e a ferrovia Transnordestina, que está totalmente parada.

Os governadores delegaram a tarefa do agendamento ao socialista Ricardo Coutinho por ter sido na Paraíba o Fórum dos Governadores do Nordeste. Embora filiado ao PSB, Coutinho votou em Dilma no segundo turno da eleição presidencial por uma circunstância local.

Cássio Cunha Lima, seu adversário no segundo turno, como tucano apoiou à candidatura de Aécio Neves. Coutinho tem, portanto, uma relação mais próxima com Dilma do que os demais governadores do PSB que se aliaram a Aécio, como o pernambucano Paulo Câmara.

Não se sabe, entretanto, se Dilma abrirá a sua agenda para o encontro ainda esta semana diante do agravamento da crise do escândalo da Petrobras. Mesmo abrindo, não terá condições de atender grande parte dos pleitos, porque não há dinheiro e a ordem da equipe econômica é cortar despesas.

NO LIMITE– Dos mananciais mais comprometidos por causa da prolongada seca os que mais preocupam o Governo são Jucazinho, que abastece Caruaru e mais 17 municípios do Agreste, e Botafogo, que atende Recife. Com apenas 11% da sua capacidade, Jucazinho só tem água para mais 60 dias. Depois de Caruaru a cidade mais atingida será Surubim, onde já tem bairros que só tem água nas torneiras uma vez por mês.

Só Collor – Um estudo sobre tentativas de impeachment de presidentes eleitos na América do Sul após a redemocratização das décadas de 70 e 80 aponta que até 2003 dezesseis presidentes enfrentaram o processo, dos quais nove deixaram o Governo antes do fim do mandato e apenas um, Fernando Collor, foi arrastado pelo impeachment.

 

Agenda positiva – Depois de romper o silêncio concedendo entrevista coletiva sexta-feira passada, Dilma começa seu périplo pelo País em busca de uma agenda positiva pela Bahia. Na próxima quarta-feira entrega um conjunto de mil unidades do programa “Minha Casa, Minha vida”, em Feira de Santana. Com isso, rompe a fase de enclausuramento em Brasília.

Nitroglicerina pura! – Preso na Polícia Federal em Curitiba, o engenheiro baiano Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC, quer contar tudo em delação premiada. Dirá que o esquema de propina na Petrobras começou em 2003, no Governo Lula. Foi ele que financiou clandestinamente as campanhas de Jaques Wagner a governador da Bahia em 2006 e 2010.

Bom exemploEx-conselheiro do TCE, o prefeito de Bezerros, Severino Otávio (PSB), que hoje recebe o governador Paulo Câmara (PSB), é um dos poucos que fizeram bem o dever de casa na aplicação dos recursos do FEM (Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal). Câmara comprova essa realidade na sua passagem pelo município, onde entrega também um trecho de estrada de 8,7 km, ligando o centro ao distrito de Serra Negra.

 

CURTAS

FRENTE CONTRA– De Humberto Costa, líder do PT no Senado, ao bombardear a nova CPI da Petrobras: ““A CPI não vai trazer nenhum dado novo, vai ser só um palco de disputa política. A PF e o Ministério Público já avançaram bastante na investigação”.

CRESCIMENTO– Mesmo que o Planalto e o PT consigam mobilizar aliados e movimentos sociais, vários consultores políticos avaliam que o governo só conseguirá superar a crise se a economia voltar a crescer. Lembram que essa foi a receita do mensalão, revela Ilimar Franco, de Brasília.

Perguntar não ofende: Quando sai a lista dos políticos envolvidos no escândalo da Petrobras?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro


13/02


2015

Coluna da sexta-feira

     Pesquisas voltam ao debate

Com a nova Câmara, sob o comando de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a polêmica das pesquisas eleitorais voltou à ordem do dia e já se fala na reedição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Trata-se de uma boa oportunidade para oferecer à sociedade esclarecimentos sobre os métodos dessa atividade profissional e empresarial.

As pesquisas muitas vezes incomodam, porque sempre há alguém que em algum momento da carreira política estará em desvantagem. Por isso, os políticos gostam tanto das pesquisas, mas preferem que elas sejam apenas deles, manter as pesquisas apenas com eles.

Faz parte do processo democrático que o cidadão tenha o máximo possível de informações para sua tomada de decisão. Então, durante uma campanha eleitoral, há informações de todos os lados. Os veículos que noticiam os fatos da campanha, o próprio horário eleitoral gratuito dos candidatos, que também comunica os seus planos, comunica as suas estratégias de governo.

E a pesquisa é apenas mais uma informação no conjunto de todas a que o eleitor tem acesso durante o processo eleitoral. Mas a CPI pode colaborar para dirimir dúvidas técnicas, desmoralizar demagogias ressentidas ou mesmo solapar fantasias conspiratórias a respeito das sondagens de opinião.

A CPI pode vir mesmo a iluminar irregularidades de institutos inidôneos. Não será improvável, porém, que os mesmos demagogos e autoritários ameaçados por um debate inteligente sobre as pesquisas tentem subir ao palco dessa CPI.

Nas eleições passadas, institutos de pesquisa procuraram incrementar a precisão de seus levantamentos -e assim resguardar sua credibilidade e sua probidade- depois da polêmica acesa pela comparação entre os resultados das urnas e os das sondagens de intenção de voto.

O eleitor tem o direito de escolher em que acreditar. Qualquer tipo de dificuldade criada para se divulgar pesquisa - e pesquisa é informação - é um tipo de censura, é uma forma de tentar coibir a divulgação de notícias importantes para a população.

DISTRITÃO– A proposta do vice Michel Temer de instituir o distritão ganha corpo no Congresso. O PMDB está fechado com o modelo que acaba com o voto de legenda. Este tem sido uma vantagem para o PT, sigla com o dobro de simpatizantes do segundo colocado. No distritão serão eleitos os mais votados. As cúpulas do PP, PR e PTB aprovam. O ministro Gilberto Kassab (Cidades) garantiu o apoio do PSD.

O ministro da “sofrência” – Cantor, compositor e afinado violinista, o ex-ministro José Múcio Monteiro, do Tribunal de Contas da União (TCU), está fazendo o maior sucesso com o seu primeiro CD “Pra quem eu gosto”, produzido e dirigido pelo cantor Nando Cordel, com quem divide duas músicas. São dez composições, das quais oito de sua autoria, no estilo dor de cotovelo.

 

 

Polos reforçados – O prefeito Geraldo Júlio disse que teve uma preocupação especial no Carnaval deste ano em reforçar a programação em alguns polos próximos a Jaboatão, que decidiu não realizar a festa. Mesmo assim, segundo ele, polos tradicionais como o Recife Antigo, o mais procurado pelos foliões, tendem a sofrer uma grande invasão de foliões.

Invasão de turistas– O secretário de Turismo do Recife, Camilo Simões, revela que a cidade terá 63 polos no Carnaval, com cerca de duas mil atrações, garantindo o sucesso da festa. “Vamos realizar a festa mais democrática e animada do planeta”, disse Simões, adiantando que a previsão é de que 600 mil turistas visitem a cidade.

Frevo e frioCom dinheiro escasso, o prefeito de Gravatá, Bruno Martiniano (sem partido), não contratou nenhuma atração de fora para o Carnaval, mas o investimento nos artistas locais garantirá uma grande e animada festa para os que optarem em passar os quatro dias na cidade, que já está com 90% da sua capacidade hoteleira reservada.

 

 

 

 

 

 

 

 

CURTAS

CHANCE ZERO– Familiares de Eduardo e aliados do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio não acreditam na possibilidade de Renata Campos, viúva do ex-governador, vir entrar na disputa presidencial em 2018 como vice de Lula.

RECADO– Com a chegada do Carnaval, aberto oficialmente hoje, esta coluna só voltará a ser postada na quinta-feira pós reinado do frevo, até porque como acontece todos os anos, o próprio blog fica sem atualização nos quatro dias de folia.

Perguntar não ofende: No encontro de ontem com Dilma, Lula pediu para a presidente voltar a sorrir?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde


12/02


2015

Coluna da quinta-feira

     Reforma política atrapalhada

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entregou à oposição o controle da comissão especial da reforma política. Vai andar? Só Deus sabe! Mas, da mesma forma das tentativas anteriores, os partidos não se entendem e as mudanças mais importantes dificilmente serão alcançadas.

E assim, em meio a grandes impasses, o que a sociedade deseja, que é o fim das atuas regras eleitorais arcaicas, tende a gerar muita discussão, desentendimentos e polêmicas que travarão a comissão, não se chegando a lugar algum. Dois maiores partidos, PT e PMDB, que formam a maioria da comissão, já não se entendem há muito tempo.

A rigor, desde que o PT conseguiu brecar lá atrás o projeto de reforma política que, aparentemente, tinha um mínimo de consenso. Os petistas, na verdade, insistem no financiamento público de campanha e também gostariam de implementar o voto em lista. Já o PMDB quer o distritão.

Tal proposta consiste em eleger os deputados mais votados, reeditando o modelo do projeto justiça eleitoral. Parece justo, mas é um sistema que não agrada à base do governo, aos pequenos partidos, que julgam pior do que o do voto proporcional que temos hoje. Entre outros temas, o PMDB resolveu desarquivar a tese do parlamentarismo, coisa que os petistas, obviamente, rejeitam — ao menos enquanto eles puderem contar com Lula.

Nascido sob a inspiração do parlamentarismo, o PSDB está dividido, uma banda ainda se entusiasma pela ideia, mas outra bate de frente. Quanto ao plebiscito, é mais provável que acabe ficando pelo meio do caminho, com a possibilidade de a reforma política, mais uma vez, não dar em nada — considerando a maneira como veio à luz, seria um destino explicável.

Não se faz reforma política no joelho, como queria Dilma Rousseff, ou na pressão, como quer agora o novo presidente da Câmara. Uma mudança dessa importância não pode atender apenas aos interesses mesquinhos de uma legenda. O parlamentarismo, se acompanhado do voto distrital, teria tudo para mudar para melhor a política brasileira, mas será que este é o pensamento do Congresso?

TUCANOS INSTIGAM– Os ministros e assessores da presidente Dilma estão acompanhando o apelo pelo impeachment nas redes sociais. Avaliam que ele não tem musculatura e estão convencidos de que o PSDB está fomentando essa ação. Relatam que setores da base do governo, que se dividiu nas eleições regionais, estão se reagrupando graças à radicalização dos tucanos, com força para barrar qualquer movimento.

A ira de João Lyra– O que se ouve em Caruaru é que se a candidata de João Lyra a prefeita, sua filha Raquel, deputada estadual, não chegar ao segundo turno e o adversário do candidato apoiado pelo prefeito José Queiroz for Tony Gel (PMDB), o ex-governador faria uma composição com Gel para derrotar Queiroz.

 

Sem Queiroz – Já o senador Douglas Cintra (PTB), cria do prefeito José Queiroz, dificilmente terá o seu apoio se vier a disputar a Prefeitura na coligação trabalhista a ser viabilizada pelo ministro Armando Monteiro Neto. Por um motivo muito simples: o candidato de Queiroz terá o apoio da Frente Popular, tendo Paulo Câmara no palanque.

Devolução de armas– O deputado Gonzaga Patriota (PSB) abriu uma frente em Brasília em defesa dos policiais ferroviários federais que tiveram suas armas apreendidas numa operação em 2013, que culminou com a prisão de 23 policiais na estação da Mangueira, no Recife. “Eles continuam trabalhando, mas não podem fazer mais a segurança, porque estão sem armas”, alega.

Caça ao armandistaOs deputados da bancada socialista querem arrancar o fígado do secretário estadual de Criança e Juventude, Isaltino Nascimento, pela nomeação do ex-vereador Josenildo Sinésio para secretário-executivo da sua pasta. Ex-petista, Sinésio migrou para o PTB e foi um dos coordenadores da campanha de Armando Monteiro a governador.

 

 

 

 

CURTAS

NO RIO GRANDE– O prefeito Geraldo Julio deu um timing na semana pré-carnavalesca e foi, ontem, a Porto Alegre, a convite do Governo do Estado, fazer palestra sobre gestão, destacando não apenas sua administração, a segunda melhor avaliada no País, mas também sua participação no Governo Eduardo Campos.

VICE-LÍDER– O deputado Silvio Costa (PSC) foi escolhido como um dos vice-líderes do Governo na Câmara dos Deputados, devendo participar, a partir de agora, de reuniões semanais com ministros do núcleo duro de Dilma e que fazem a interlocução com o Congresso.

Perguntar não ofende: Quais os deputados da bancada de Pernambuco que integrarão a Comissão Especial de Reforma Política?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



11/02


2015

Coluna da quarta-feira

    O cauteloso Simon

Respeitado, experiente, ético e competente, o ex-senador Pedro Simon (PMDB-RS) não compõe a fauna dos políticos açodados, que falam o que não devem e que querem ver o circo pegando ao fogo com a defesa, estapafúrdia, neste momento, da instalação do processo de impeachment de Dilma.

Numa longa entrevista, ontem, a este blogueiro, Simon alertou o Congresso. Para ele, se a temática do afastamento da presidente viesse a entrar na ordem do dia o parlamento estaria contribuindo fortemente para incendiar o País. “Acho que a pior coisa que pode acontecer, neste momento, é o Congresso começar a falar em impeachment, porque aí incendeia tudo, pega fogo e eu não sei como termina”, afirmou.

E acrescentou: “O que eu acho é que neste momento a gente quer e precisa dos jovens nas ruas, a mocidade na rua. Com essas redes sociais e televisão, os jovens precisam dizer que querem o diálogo e o entendimento. Querem apresentar uma plataforma, uma pauta para ser discutida pelo povo brasileiro. Uma pauta onde esteja fim da corrupção”.

Simon, que veio a Pernambuco fazer uma palestra sobre a conjuntura nacional, atendendo convite do grupo empresarial Lide, do meu amigo Drayton Nejaim Filho, acha que, ao contrário de se pregar o impeachment, o que se deve fazer é encontrar uma forma de estimular a população e o Congresso para uma pauta moralizadora pata se votar urgentemente.

“Uma pauta onde esteja o combate a corrupção, a extinção de alguns partidos para um número razoável de partidos, o fim do dinheiro das empresas e empreiteiras nas campanhas eleitorais, uma pauta onde a eleição de deputado não possa ser como é hoje, que é um escândalo”, afirmou.

Experiente como é, o senador sabe também que o agravamento da crise nacional, em consequência do escândalo na Petrobras, pode estimular uma onda pelo impeachment só numa condição: se houver o clamor das ruas como nas diretas, já, e na era Collor.

INSTITUTO– Após tomar café da manhã ontem com o senador Pedro Simon num hotel da zona sul, o ex-governador João Lyra Neto (PSB) anunciou que criará até junho o Instituto Fernando Lyra, ideia do senador Cristovam Buarque (PDT-DF). Deixou a entender que nasce para alavancar a sua candidatura a senador em 2018.

Concorrentes de Lyra– Para o Senado em 2018, onde estarão em disputa duas vagas, o PSB tem dois outros nomes além do ex-governador João Lyra Neto: Danilo Cabral, que se licenciou da Câmara Federal para assumir a pasta de Planejamento, e a ministra do Tribunal de Contas da União, Ana Arraes.

 

 

 

 

 

 

Afastamento já – Diferentemente do que pensa Pedro Simon, o PSDB decidiu apostar no impeachment da presidente Dilma. O líder no Senado, Cássio Cunha Lima, defende essa bandeira. Nas redes sociais, está sendo convocado um protesto para 15 de março. A ideia é repetir junho de 2013 e levar milhões às ruas pedindo “Fora, Dilma”.

Desafios municipais– Reeleito, ontem, para mais um mandato à frente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), o prefeito José Patriota (PSB), de Afogados da Ingazeira, tem pela frente um grande desafio: convencer o Congresso a aumentar o repasse do FPM de 1% para 2% e evitar medidas que possam agravar a crise municipal.

Milho subsidiadoNa primeira audiência que teve com a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, o secretário estadual de Agricultura, Nilton Mota, priorizou o clamor dos criadores de gado, pedindo que o Governo reedite a Medida Provisória concedendo subsídio para a compra do milho disponibilizado pela Conab.

 

 

CURTAS

TOYOTA– O governador Paulo Câmara (PSB) assina, hoje, protocolo de intenções para a implantação de um centro de distribuição de veículos da Toyota, localizado próximo ao Complexo Portuário de Suape. Será às 11 horas, no Palácio das Princesas, com a presença do presidente da Toyota no Brasil, Koji Kondo.

ARCOVERDE– A prefeita de Arcoverde, Madalena Brito (sem partido), será recebida em audiência, hoje, no Palácio das Princesas, pelo governador Paulo Câmara. Na pauta, projetos que pretende tocar no município em parceria com o Estado.

Perguntar não ofende: Que conselhos Lula dará a Dilma para tentar superar o maior escândalo da história do País?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



10/02


2015

Coluna da terça-feira

     Mentira tem pernas curtas

A mentira parece ser algo repugnante para o eleitor brasileiro, muito mais do que a corrupção. Lula foi reeleito em meio ao maior escândalo do seu Governo, o mensalão, enquanto Dilma, da mesma forma, emplacou novo mandato no auge do maior saque aos cofres públicos do País, o petrolão.

Em ambos os pleitos, o eleitor aceitou passivamente as duas situações. Sabia que havia ladroagem, entendia o processo, mas por um motivo ou outro preferiu votar no candidato do status quo. Vá entender! Nem com uma profunda tese sociológica e eleitoral isso seria facilmente desvendado.

Pesam, evidentemente, os programas sociais, especialmente o Bolsa-família. Mas a pesquisa do Datafolha mostrou um dado novo: a imagem de Dilma quase foi ao fundo do poço, despencando 20 pontos percentuais. Não conheço nenhum governante na recente história brasileira que tenha sofrido igual revés com apenas 40 dias no exercício do seu segundo mandato.

O que pesou, então? Só pode ter sido a mentira. Dilma mentiu exageradamente durante a campanha eleitoral. Exibia um País fantasioso, sem risco de apagões, com juros e inflação estabilizados. Torcendo o seu narigudo feito Pinóquio disse que a energia não aumentaria, que não haveria mudanças na política de financiamento da casa própria.

Passada a eleição, colocou em prática tudo ao contrário, ferindo de morte quem principalmente deu a ela o voto de confiança para continuar operando as mudanças necessárias em busca de um País mais justo, humano e com melhor distribuição de renda.

Quem acreditou nas promessas caiu no conto de vigário!

REAÇÃO– A maior perda de gordura do Governo Dilma se deu no Nordeste, o que provocou de imediato uma reação estratégica. Nem mesmo tendo digerido os amargos números – perdeu mais de 25 pontos na região – a presidente já anunciou que fará uma peregrinação pelo Nordeste logo após o Carnaval, mas não há ainda definição quanto ao Estado que escolheu para o start.

Salvando o gado– Se o Governo Federal não reeditar a portaria subsidiando o milho para o produtor da área da seca, o governador Paulo Câmara fará o gesto de reduzir para zero a cobrança do ICMS, garante uma fonte que bebe água limpa nos arredores dos jardins palacianos. Com isso, evitará que o rebanho bovino do Estado seja dizimado pela seca.

 

Presos passam fome – Estranhamente, sem dar a menor satisfação, o Governo do Estado não repassa há dois meses o vale refeição dos presos de comarcas do presídio de Afogados da Ingazeira, segundo queixa feita, ontem, pela Pastoral Carcerária do município, ligado à Igreja Católica. O valor do tíquete é de pouco mais de R$ 100.

Ira oposicionista– O líder da oposição na Assembleia, Silvio Costa Filho (PTB), diz que o Governo deu um tiro no pé ao proibir a entrada do grupo parlamentar que foi, ontem, visitar o presidio de Itaquitinga, cujas obras estão paradas há mais de três anos. “Foi um desrespeito com a instituição, o parlamento pernambucano”, afirmou.

Terceira viaEm Gravatá, há um grupo se movimentando, trabalhando e torcendo pela candidatura do líder do Governo na Assembleia, Waldemar Borges (PSB), a prefeito do município. Bem votado por lá nas eleições passadas, Borges tem residência na cidade e trata com frequência as questões que podem impulsionar a economia do município.

 

 

 

 

CURTAS

APOIO– A boa fase que o Serra Talhada atravessa no campeonato pernambucano de futebol no momento se deve ao forte investimento feito pelo prefeito Luciano Duque (PT), mesmo com as finanças em dificuldades. O presidente do time, José Raimundo, é vereador e aliado de Duque. Domingo passado, o Serra derrotou o Santa por 3 x 0.

ARQUIVOU– O presidente da OAB, Pedro Henrique, já não mostra tanto entusiasmo em recorrer às instâncias que tem direito para anular a eleição do presidente da Assembleia, Guilherme Uchoa (PDT), na justiça, sob a alegação de que o quinto mandato fere a Constituição.

Perguntar não ofende: Quando, finalmente, a presidente Dilma vai atender ao pedido de audiência do governador Paulo Câmara?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

EDVALDO LIMA FILHO

Parabéns a quem votou na Presidente principalmente os Nordestinos, pois sabíamos que ela nunca se importou com os Nordestinos apenas com os Sulistas e o pessoal do Sudeste, haja visto, que durante a grande estiagem que quase dizima o nosso rebanho em nenhum momento ela esteve por aqui nem se movimentou para nos ajudar, dizia que estava enviando milhões de reais, porem impunha uma série de exigências que os produtores não tinham condições de cumpri-las.

Diego da Silva Araújo

Se fosse a mentira Lula também não seria reeleito. Aliás, ninguém seria eleito. Como disse James Carville: \"É a economia, estúpido!\".

Pedro Augusto Felix

Informação errada. O Deputado Estadual MAJORITÁRIO DE GRAVATÁ se chama ALBERTO FEITOSA, que teve uma expressiva votação de 6.852 com o apoio do Ex-prefeito Joaquim Neto. O líder do PSB na assembléia até tentou ser bem votado em Gravatá, formou um grupo com o ex-prefeito Ozano, com o atual prefeito Bruno, com 10 vereadores de mandato, ex vereadores, e não passou de uma votação pífia de 4.124 votos.




09/02


2015

Coluna da segunda-feira

     A repartição do bolo

Para escrever este comentário, fiz uma pesquisa detalhada com várias fontes de Brasília e do Rio de Janeiro para identificar como é a distribuição das propinas num esquema de corrupção gigante, como o da Petrobras, que transformou o mensalão em fichinha.

A conclusão: os políticos ficam com a maior parte da fama, mas são os empreiteiros e os funcionários públicos que realmente se aproveitam mais da roubalheira com o dinheiro da Nação. O exemplo da refinaria Abreu e Lima demonstra isso com fatos e números.

Em primeiro lugar, de acordo com os delatores, a participação da política fica entre 1% a 3% do total de cada contrato em que há pagamento de propina.  Em segundo lugar, podemos calcular que o desvio na Abreu e Lima foi de pelo menos US$ 11 bilhões de dólares para um total já despendido de US$ 18 bilhões.

Na verdade, a refinaria foi originalmente orçada em US$ 2,4 bilhões, porém o custo mais elevado de um empreendimento desse porte (capacidade de 320 mil barris por dia de petróleo processado) é de US$ 7 bilhões, utilizando tudo o que há de mais sofisticado e caro que existe no mundo.

Tomando como base que aos políticos, no caso de Abreu e Lima, foi destinada a faixa mais elevada, de 3%, então eles afanaram um total de US$ 540 milhões (3% de US$ 18 bilhões). A parte principal do roubo - US$ 10,46 bilhões (US$ 11 bilhões menos US$ 540 milhões) - ficou com as empreiteiras e os funcionários da Petrobras.

Ou seja, os políticos ficaram com 4,9% (US$ 540 milhões de US$ 11 bilhões) do total desviado da maior estatal brasileira. Com isso, mais de 95% (US$ 10,54 bilhões do total roubado de US$ 11 bilhões) dos desvios criminosos ficaram nos bolsos sujos das empreiteiras e dos funcionários da Petrobras.

Sugiro que a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Justiça consigam desvendar EXATAMENTE como foi essa distribuição macabra. E que as punições sejam implacáveis com todos os criminosos que destruíram o que já foi um dia símbolo de nossa força econômica, a falida ex-gigante Petrobras.

PEPINO– Recém eleito presidente estadual do PDT, o deputado Wolney Queiroz tem pela frente o desafio de descascar o abacaxi da sua unidade para as eleições de 2016 no Recife. Paulo Rubem, afastado mas no comando municipal, já antecipou que o partido não apoia a reeleição do prefeito Geraldo Júlio (PSB). A corrente liderada por Wolney integra o palanque da Frente Popular e tende a se aliar ao socialista.

Ladeira abaixo– A presidente Dilma perdeu o sono com a pesquisa do Datafolha na qual a sua popularidade despencou 20 pontos, de 24% de ruim/péssimo para 44% em menos de dois meses do seu segundo mandato. Se já estava falando fino com o Congresso, em função da derrota na mesa diretora da Câmara e o controle hegemônico do Congresso pelo PMDB, agora o bicho vai pegar.

 

Foco na educação – Numa demonstração de que priorizou a educação, o governador Paulo Câmara (PSB) retorna, hoje cedo, ao Interior, ao lado do secretário Fred Amâncio, para entregar em Joaquim Nabuco, na Mata Sul, a nova sede da escola de referência em ensino médio. Foi batizada de Eduardo Campos e atenderá 900 alunos.

Milho caro– Os estados nordestinos, com exceção de Pernambuco, reduziram de 17% para zero o ICMS na comercialização do milho da Conab depois que o Governo Federal acabou com a subvenção. Uma saca de milho para o criador custava R$ 21, hoje disparou para R$ 42. Se Paulo Câmara retirar os 17% do ICMS dá uma compensação negada pela União. É uma forma de evitar a mortandade do gado pela seca.

Sem impeachmentDo ex-deputado Maurílio Ferreira Lima ao analisar o desmonte de Dilma na pesquisa Datafolha: “Fernando Henrique enfrentou a idiotice e fúria do PT, que gritava o que a Nação rejeitava, o fora FHC, que tirou tranquilamente os seus dois mandatos. Alguns idiotas pensam que diante das pesquisas chegou o momento de proceder o impeachment de Dilma. Vão acabar iguais aos idiotas que gritavam Fora FHC”.

 

 

CURTAS

COMISSÃO– O deputado Rogério Leão (PR) foi eleito presidente da Comissão de Negócios Municipais. Vai pegar pela frente algumas polêmicas, como a discussão do ingresso de três municípios à RMR e a criação de novos municípios. Ex-prefeito de São do Belmonte por dois mandatos, Leão tem bagagem na temática municipal.

FARRA– Chegou ao presidente da Assembleia, Guilherme Uchoa (PDT), informações de que são imorais os gastos da OAB-PE com cartões corporativos usados pelo presidente Pedro Henrique. Já com eventos, os gastos em 2014 atingiram a bagatela de R$ 703 mil.

Perguntar não ofende: Lula vai conseguir derrubar Mercadante?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

sonia

Impeachment, afastar-se, licenciar-se, renunciar são coisas que ocorrem nos paises democraticos. Tem ocorrido muitas vezes e muitas vezes são o remédio para males políticos sem remédio.




07/02


2015

Coluna do sabadão

        Surpresa na Petrobras

A presidente Dilma escolheu um homem de sua confiança para presidir a Petrobras no lugar de Graça Foster, arrastada para a jaula dos leões pelo maior escândalo da história na estatal: o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine. Ele desapontou investidores que torciam por um nome do mercado para recuperar a imagem da petroleira.

Bendine, funcionário de carreira do BB, estava à frente do maior banco da América Latina desde 2009. Sob sua chefia, a instituição federal liderou uma ofensiva do governo petista no crédito para atenuar os efeitos da crise financeira global na economia brasileira.

A escolha de Bendine indica as dificuldades que Dilma teve para costurar a sucessão na Petrobras de forma súbita, em 48 horas, com a renúncia repentina da presidente Maria das Graças Foster e de outros cinco diretores da companhia, em um movimento que surpreendeu o Palácio do Planalto.

Além disso, por ser bastante alinhado às políticas do atual governo, a colocação de Bendine na liderança da Petrobras frustra expectativas de investidores e analistas de que o novo líder da petroleira viesse do mercado. O Bendine é uma pessoa muito identificada com a primeira gestão do governo Dilma.

O BB foi absolutamente comandado pelo governo na primeira gestão e a Petrobras precisaria de alguém mais independente, que peitasse o governo em determinadas situações e não fizesse loteamento de cargos. Nomes que vinham circulando na mídia para a Petrobras, como o de Murilo Ferreira, presidente da Vale, e o de José Carlos Grubisich, ex-presidente da Braskem, seriam opções melhores.

Pesa por não ser alguém do setor, mas pesa mais por ser identificado com a primeira gestão de Dilma. O novo comando da empresa terá entre seus desafios iniciais a regularização da publicação das demonstrações financeiras da estatal. Isso em meio à apuração de um escândalo de corrupção que exigirá que a companhia realize baixas contábeis bilionárias de ativos sobrevalorizados.

NO INTERIOR– A pedido do próprio grupo empresarial contatado, o Governo do Estado mantém sigilo sobre os novos investimentos que virão para Pernambuco em função da sua passagem por São Paulo, quinta-feira-passada. Os empresários estão de olho, segundo o blog apurou, numa área estratégica do Interior e não especificamente em Suape.

Fidelidade canina– Reeleito para o quinto mandato no comando da Assembleia, o deputado Guilherme Uchoa mostrou que é um aliado correto de José Queiroz, ao defender, ontem, durante encontro com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, a volta do prefeito de Caruaru ao comando estadual da legenda, do qual foi afastado na campanha eleitoral passada. Depois de um longo encontro, consensualmente, o nome escolhido para presidir o partido foi o do deputado Wolney Queiroz, filho do prefeito caruaruense.

 

 

Repercussão nacional – Nota do jornal O Globo sobre o encontro de Paulo Câmara com Lula: “O Instituto Lula estampou no seu site foto em que, sorridentes, apertavam as mãos o ex-presidente e o governador Paulo Câmara (PE). Eles almoçaram e trataram do futuro político do País. Depois de terem se enfrentado nas eleições, Câmara convidou Lula a visitar o Estado. Socialistas avaliam que a reunião deu início à distensão entre o PSB e os petistas”.

Na fila– Desde que o governador Paulo Câmara tomou posse, o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), do bloco de oposição, aguarda uma audiência solicitada em caráter de emergência. O secretário da Casa Civil, Antônio Figueira, diz que existe uma demanda muito grande de prefeitos e que está, aos poucos, fazendo as acomodações de agenda.

Limpando a pautaFigueira garante que após o Carnaval, o governador começa a limpar a pauta de audiências com os gestores municipais, devendo receber, pela ordem, Júlio Lóssio (Petrolina), Elias Gomes (Jaboatão), José Queiroz (Caruaru) e Madalena Brito (Arcoverde). “Os primeiros dias de gestão foram muito corridos e não há discriminação em relação a ninguém, mesmo de campos opostos”, disse o chefe da Casa Civil.

 

 

 

CURTAS

RECONDUZIDA– Filha do ex-governador João Lyra Neto (PSB), a deputada Raquel Lyra (PSB) chegou a criar expectativas como uma reserva do partido para presidente da Assembleia se o seu partido concorresse com candidato próprio, mas teve que se contentar com sua recondução para o comando da Comissão de Justiça.

ELOGIOS– Os prefeitos têm elogiado bastante o secretário de Agricultura, Nilton Mota, não apenas pelo conhecimento que tem demonstrado sobre o setor, mas, principalmente, pelo tratamento fácil que tem dispensado nas demandas recebidas dos municípios.

Perguntar não ofende: Dilma acertou na escolha do presidente do BB para comandar a Petrobras?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Everaldo Aleixo

“Pessoas são acusadas por meio da imprensa, com base em vazamentos seletivos de uma investigação à qual somente alguns têm acesso. Não há contraditório, não há direito de defesa. E quando o caso chegar às instâncias finais da Justiça, certamente o julgamento já foi feito pela imprensa, os condenados já foram punidos. Restará apenas executar a sentença, como nós já vimos nesse país.” Lula




06/02


2015

Coluna da sexta-feira

     Primeiro gesto de líder

Na conversa de Lula com o governador Paulo Câmara, ontem em São Paulo, antecipada por este blog logo cedo, o ex-presidente se comprometeu a ajudar o Governo pernambucano na medida do possível, mas também há uma moeda de troca muito perceptível.

Com a base deteriorada no Congresso, a presidente Dilma precisa dos votos da bancada do PSB no Congresso para aprovar projetos de interesse da Nação. O partido tem 34 deputados na Câmara e seis senadores, número que pode decidir qualquer votação apertada nas duas Casas.

O Governo atravessa uma fase de extrema dificuldade. Perdeu a eleição para presidente da Câmara, o PT ficou sem um único representante na mesa diretora e o PMDB, maior partido no Congresso, passa a ser hegemônico no parlamento, controlando Câmara e Senado.

A reaproximação do PSB com o PT não envolve a barganha de cargos de imediato, mas a abertura de um canal mais direto do governador com a presidente. Nos oito anos em que governou o Estado, Eduardo Campos contou com o efetivo apoio de Lula e Pernambuco atraiu grandes investimentos.

Mas o que era doce acabou. O tempo das vacas magras se instalou no Estado depois do rompimento do PSB com o PT em 2012, quando Eduardo, até então o governante mais popular do País, lançou a candidatura de Geraldo Júlio e tirou o PT do poder na Prefeitura do Recife, que já se perpetuava por 12 anos.

No poder, eleito no primeiro turno, Paulo Câmara governa com dificuldades, sem o apoio da União. Desde que tomou posse tenta uma audiência com a presidente e nem mesmo com o tamanho do abacaxi herdado na crise do sistema prisional consegue sensibilizar Dilma para enfrentar o problema em parceria.

Até o momento, aliás, a presidente não marcou a audiência solicitada pelo governador desde os primeiros dias do seu mandato. Por onde tem passado nos ministérios, de pires nas mãos, Câmara tem encontrado apenas aparência de boa vontade, mas dinheiro da União, que é bom, não viu ainda a cor.

Câmara precisava, entretanto, de construir pontes para o seu Governo e a iniciativa de procurar Lula, conforme definiu com muita propriedade, ontem, o cientista político Adriano Oliveira, foi seu primeiro grande gesto de líder.

SAIU NA FRENTE– Quarta-feira, véspera do encontro de Paulo Câmara com Lula, o senador Fernando Bezerra bateu um longo papo com o ex-presidente por telefone quando ficou sabendo que o governador estaria indo ao seu Instituto em São Paulo para uma conversa. Foi o senador o primeiro líder do PSB a defender a reaproximação do PSB com o PT em nível nacional. Na época, quase o céu desabou em sua cabeça.

Pisada de bola– A assessoria do governador Paulo Câmara não obteve êxito, ontem, na realização do encontro secreto com Lula. A agenda vaga, informando apenas que Câmara teria encontro com empresários, foi uma furada. Rapidamente, este blogueiro antecipou, com exclusividade, que a pauta não era com empresários, mas com o ex-presidente.

 

 

 

Cortes e cancelamento – Sete prefeitos do Litoral Sul anunciaram, ontem, na sede da Amupe, um corte linear de 70% nos gastos com o Carnaval. Mas se a crise é braba mesmo nos municípios, como deixaram claro na coletiva, deveriam ter cancelado a festa. Os prefeitos de Jaboatão, Moreno e Serra Talhada foram mais corajosos: não realizarão os festejos momescos.

O erro de Aécio– O marqueteiro Marcelo Teixeira entende que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deveria ter disputado a Presidência do Senado enfrentando Renan Calheiros. “Brigar é como subir em coqueiro: tem que ser com os pés e as mãos. Aécio tinha que ter enfrentado Renan. Teria pelo menos 90 dias de noticiário e debate”, avalia.

Roubando a cenaEscolhido vice-líder do PSB na Assembleia, o deputado Lucas Ramos, filho do conselheiro Ranilson Ramos, do TCE, é uma grata revelação. Habilidoso, preparado e com um feeling impressionante, tende a roubar a cena na Casa.

 

CURTAS

NÚCLEO DURO– O governador Paulo Câmara aterrissou, ontem, no Instituto Lula, em São Paulo, para a conversa com o ex-presidente Lula acompanhado apenas de dois secretários: Thiago Norões (Desenvolvimento) e José Neto Cavalcanti (Assessoria Especial), homens fortes do seu governo.

CONTATOS– O deputado Miguel Coelho (PSB) fez, ontem, uma peregrinação por várias secretarias estaduais em busca de recursos para suas bases. Filho do senador Fernando Bezerra Coelho, Miguel é estreante no parlamento. Teve mais de 55 mil votos.

Perguntar não ofende: Por que Paulo Câmara escondeu o encontro de Lula na sua agenda oficial?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

EDVALDO LIMA FILHO

Realmente Pernambuco encontrou um POLITICO jovem, preparado e com muita disposição, bem preparado e com certeza vai ser a maior revelação neste meio nos últimos anos. Parabéns Deputado Lucas Ramos e muito sucesso neste seu primeiro mandato, que Deus o proteja e o ilumine para vencer os desafios que com certeza irão se apresentar nesta jornada.




05/02


2015

Coluna da quinta-feira

   Prefeitos na era online

Quarto Tribunal de Contas do País a adotar o processo eletrônico na prestação de contas dos gestores municipais, Pernambuco deu um passo à frente na era eletrônica. A partir de agora, prefeitos e presidentes de câmaras não poderão mais usar papel na relação administrativa com o TCE.

Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o presidente do TCE, Valdeci Pascoal, disse que adotou um sistema em sintonia com o que já se faz na magistratura nacional há cinco anos. “O fim do papel implica uma mudança cultural muito acentuada, inclusive para o próprio TCE, mas tem tudo a ver com a democracia e a transparência da gestão pública", disse Pascoal.

Segundo ele, o processo eletrônico proporcionará ao TCE e aos próprios gestores cinco diferentes tipos de avanços: agilidade no julgamento das contas; segurança da informação; economia de tempo e de papel; aumento no grau de transparência, e melhoria da questão ambiental.

Sobre a agilidade no julgamento das contas, ele explicou que, após essa nova ferramenta, a meta estabelecida pelo TCE é julgar 50% dos processos deste ano até março de 2016. "Isso não significa que o TCE vai abrir mão de fazer inspeções in loco quando julgar necessário, e sim que deverá agir com muito mais celeridade", acrescentou.

Quanto à segurança das informações, afirmou que o processo eletrônico evitará o extravio de documentos, o que geralmente ocorria no modelo antigo. "O processo virá com certificação digital e isso confere um grau de segurança que não tínhamos quando a prestação de contas era feita por meio de papel", salientou.

O processo eletrônico proporcionará a qualquer cidadão o acesso às informações prestadas pelas prefeituras, evitando que, muitas vezes, o vereador tenha que se dirigir ao TCE em busca de determinado documento que lhe foi sonegado pelo chefe do Executivo Municipal.

Todas as prefeituras já utilizam o processo eletrônico para outros fins, notadamente para se habilitar a receber recursos de órgãos do governo federal. Mas, mesmo que algumas delas necessitem de treinamento, a Escola de Contas Públicas do TCE fará essa capacitação, gratuitamente.

Não haverá prorrogação de prazo para que essas prestações de contas sejam feitas (o prazo se encerra em 30 de março para os gestores estaduais e 31 de março para os municipais) e que o gestor público que não o fizer estará sujeito a ter suas contas rejeitadas, ao pagamento de multa, à inelegibilidade.

NA COMISSÃO– O deputado Jarbas Vasconcelos deve ser um dos representantes do PMDB na Comissão da Reforma Política criada, ontem, pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha. No Senado, Jarbas deu uma forte contribuição ao debate apresentando, dentre outras propostas, a que proíbe o fim das coligações nas eleições proporcionais.

Não foi bem assim– Um dia após exercitar o fogo amigo na Câmara do Recife, criticando a falta de “carinho” do prefeito com os vereadores da base, Amaro Cipriano Maguary, da bancada socialista, foi ao gabinete do secretário da Casa Civil, Sileno Guedes, comunicar que foi “mal interpretado” pela Imprensa. É mole?

 

 

Sucessor complicado – O novo presidente e a nova diretoria da Petrobras serão conhecidas amanhã quando se reúne o Conselho Administrativo da Petrobras. A empresa precisa de um presidente capaz de restaurar sua credibilidade no mercado e restaurar sua imagem na opinião pública. Diante de tamanho escândalo, Dilma enfrenta dificuldades na escolha do sucessor de Graça Fostes.

Vez do Ceará– O poderoso lobby montado pelo presidente da OAB-PE, Pedro Henrique, deu certo e seu candidato Aquiles Bezerra, esposo de sua sócia no escritório de advocacia, foi o mais votado pelo Conselho Federal e deve entrar na lista tríplice levada à presidenta Dilma para escolha do substituto da desembargadora Margarida Cantarelli no TRF da 5ª Região. Mas o que se diz em Brasília é que Dilma nomeará o candidato cearense.

Sucessor de José MúcioDos quatro novos deputados federais da bancada pernambucana que assumiram, ontem, na condição de suplentes dos titulares convocados por Paulo Câmara para o secretariado, o jovem Fernando Monteiro (PP) tende a ser uma grata surpresa pelo fato de já ter um trânsito invejável na Casa desde a época que assessorou José Múcio na liderança do PTB.

 

 

 

 

 

 

 

 

CURTAS

OPOSIÇÃO– Já o deputado Raul Jungmann (PPS), que retorna ao Congresso também na condição de suplente, mas teve que renunciar ao mandato de vereador no Recife, anuncia oposição implacável ao Governo. Já assinou, inclusive, a CPI da Petrobras.

VISITA– Acompanhado da primeira-dama Cristina Melo, prefeito Geraldo Júlio visitou, ontem, em Casa Amarela e Afogados as duas instituições que foram selecionadas para receber a arrecadação do baile municipal, marcado para o próximo sábado.

Perguntar não ofende: Quem vai presidir a Comissão de Reforma da Câmara dos Deputados?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores