Lavareda

07/11


2020

Multas à campanha de Wellington somam R$ 421 mil

Com a condenação de mais quatro atores ligados a campanha eleitoral do candidato do MDB à Prefeitura de Arcoverde, Wellington da LW, apoiado pela prefeita Madalena Britto (PSB), a campanha do emedebista já é recordista em multas aplicadas pela Justiça Eleitoral por descumprimento e desrespeito as determinações do juiz da 57ª Zona Eleitoral e do Ministério Público Eleitoral. O total de débito por desrespeito à lei já soma R$ 421 mil. 

Os mais recentes condenados pela prática de divulgação de pesquisas não registradas foram os secretários de Turismo e Eventos, Albérico Pacheco, e de Agricultura, Alberto Estevam, cada um penalizado com uma multa de R$ 53 mil. Quem também engrossa fila dos que terão de pagar multa à Justiça Eleitoral é o atual vice-prefeito, Wellington Araújo (MDB), também penalizado com multa de R$ 53 mil. 

O candidato a prefeito do MDB, Wellington da LW, também recebeu nova condenação por propaganda irregular e descumprimento das determinações da Justiça Eleitoral, que já somam R$ 153 mil. Já a coligação União por Arcoverde, representada pela secretária de Saúde, Andreia Britto, filha da prefeita Madalena Britto, também já foi penalizada a pagar R$ 100 mil de multas. 

Na campanha do candidato emedebista, entre os que já foram condenados a pagar multas pela prática de propaganda irregular e propaganda negativa ainda estão um professor defensor da candidatura de Wellington da LW, Djinaldo Galindo, multado em R$ 5 mil, e o atual secretário de Obras e Projetos Especiais, Aildo Bissera, também multado em R$ 10 mil. 

O total de quase meio milhão de reais em multas não tem inibido os seguidores e até mesmo o candidato pela prática de atos irregulares de campanha. O mais recente foi uma reunião política com a convocação de professores contratados, ao lado da prefeita Madalena Britto, do seu candidato a vice, delegado Israel Rubis, e da secretária de Educação, Zulmira Cavalcanti, em um buffet que, segundo fonte em reserva, foi contratado por R$ 358 mil para entregar 22 mil quentinhas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

07/11


2020

A profanação da República

Por Arnaldo Santos*

Consoante é do conhecimento quase geral, no significado bíblico, o vocábulo verbal profanar quer dizer desrespeitar tudo o que, pela fé, é considerado sagrado, santidade - Deus, um templo religioso, um túmulo, apenas para citar os mais simbólicos do termo.

Em Wikipédia, encontramos Chilul Hashem (em hebraico, "profanação do nome [de Deus]"), expressão empregada no Judaísmo, particularmente para qualquer ato ou comportamento que envergonha ou traz descrédito à crença em Deus e à observância da Torah e da Halachah.

Em sentido figurado, profanar é tratar de maneira ofensiva - ofender, proferir insultos e ofensas contra algo digno de respeito, macular: profanar a arte. Configura, também, tornar indigno pelo uso de algo profano, o que não tem ligação com o aspecto religioso.

É algo como os insultos desferidos quase todos os dias contra autoridades e à Nação, pelo ocupante do Palácio do Planalto, com seu estilo tosco de ser, bem como de alguns dos seus ministros, como o do "mal" ambiente, cujos atos têm profanado não só os mangues e restingas, mas principalmente a Amazônia, e o Pantanal, enquanto a boiada que ele tenta passar é calcinada pelo fogo.

Uma parcela dos seus seguidores, especialmente aqueles acometidos pela patologia da "idiotia", não aceitam, negam, e insistem em não querer enxergar, mas sem qualquer esforço, é possível identificar no comportamento do Presidente Jair Bolsonaro, a profanação da República, no sentido figurado do termo, tanto no continente como no conteúdo de várias declarações e ações.

Examinando algumas, apenas no âmbito da institucionalidade, as mais emblemáticas dessas profanações são as que atentam contra a democracia, por via dos ataques e da aversão que o Presidente sente pelos dois outros poderes montesquieuanos, reiteradas vezes manifesta sem qualquer escrúpulo, na presunção de fazer parecer para a sociedade que seriam indignas do Estado, pelo fato de tantas vezes terem reparado ações impróprias do seu governo, quando na verdade indigno mesmo é o seu comportamento apequenado perante a sociedade. Mais profano - impossível!

Aliás, dessa profanação nem o Exército, uma instituição emblemática para a Nação, historicamente a mais bem avaliada pela população, depois da igreja católica, escapou, e vive hoje uma situação aviltante em relação às demais forças militares e da sociedade, em razão das humilhações públicas de que é alvo, impostas pelo presidente.

No decurso desse governo, alguns generais-ministros são, recorrentes vezes, submetidos a campanhas difamatórias, e servem até de chacotas para a chamada ala ideológica do governo, como ocorreu com o general Eduardo Ramos, Ministro da Secretaria de Governo, que foi chamado de Maria fofoca, pelo Ministro do "Mal" Ambiente – Ricardo Salles, com o obsequioso silêncio do Presidente, que, há alguns dias, já havia passado um pito no ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, desautorizando-o publicamente no episódio da compra das vacinas.

A surpresa ficou debitada à atitude do General, que fez Duque de Caxias se revirar no túmulo quando esse, no dia seguinte, agindo como o vassalo, diz em rede nacional de televisão: "aqui um manda e o outro obedece"; tudo por apego ao emprego de Ministro, quando, por honra ao Exército, deveria ter se demitido, com vistas a não submeter a instituição a esse vexame.

Há outra ainda mais grave, pois agride, desrespeita e desafia, não só a inteligência coletiva dos brasileiros, mas também atenta contra algo que é sagrado para a humanidade. Reporto-me à profanação amiudemente praticada por esse governo contra a Ciência, que, a meu sentir, depois da vida, talvez seja o bem mais importante para o homem, mas que, mediante o negacionismo profano, que se observa no cotidiano, com procedência na percepção dos valores e ações externadas até aqui pelo Presidente, nos expõem a todos perante o mundo.

Essa profanação que o Presidente e os "terra-planistas" fazem contra a Ciência nos remete à falsa ideia (algo que muitos desses também não têm, sobre nada, ou coisa alguma), como se em nosso País, ainda vivêssemos no período glacial mais recente, que teve início há 21 mil anos, e findo há 11,5 mil anos, "período geológico denominado de quaternário", quando houve "grande extinção de animais da crosta terrestre".

Ante todas essas evidências, não a Terra, como um todo, mas talvez o Brasil, esteja a reclamar da natureza, pela reedição de um novo período "glacial-quaternário", que provoque a extinção desses animais do mapa político brasileiro. Desde já, advirto, não será por intermédio de alianças eleitorais oportunistas e pseudoesquerdistas que começam a se esboçar às escondidas por aí. Isso também é profanar a política.

Essa profanação também está presente - e com nítido viés eugênico - no sentimento de desprezo pela vida dos brasileiros, demonstrado pelo Presidente, desde que fomos surpreendidos pela pandemia, ao adotar um comportamento desdenhoso em relação à letalidade do coronavírus (já são mais de 160 mil mortos), pela desídia das ações do seu governo, ratificado agora pela guerra de egos com o filhote de fascista, governador de São Paulo, João Dória, no episódio das vacinas, no momento em que o País está na iminência de ter que enfrentar a segunda onda de tão grave patologia.

Tão, ou ainda mais profano - e que virou rotina nessa República, vitimada pela idiotização dos seus mandarins e Marias fofocas, no dizer do ministro do "Mal" Ambiente - é o tratamento desrespeitoso, indigno, misógino, preconceituoso, racista e homofóbico, perfilhado pelo senhor Presidente República, em relação aos cidadãos honestos e trabalhadores, que formam essa grande Nação, multicultural.

Um exemplo pronto e acabado dessa realidade ocorreu há uma semana, no Maranhão, quando, se utilizando da estrutura estatal, a pretexto de visitar uma obra do seu governo, foi fazer política para seus candidatos naquele Estado, e, por querelas políticas com o governador Flávio Dino, agrediu o povo maranhense, e toda a Nação, para, no dia seguinte, depois da repercussão negativa provocada pela "brincadeira", sem graça de menino amarelo, como é do seu estilo, processado pelo Governador do Estado, e vários partidos da oposição, vir a público, com cara de falso arrependimento, apresentar um constrangedor e pálido pedido de desculpas.

Também é consabido que, para o povo brasileiro e o mundo, a Amazônia, com seu rico e vasto bioma, de densas florestas tropicais com a maior bacia hidrográfica do Planeta, assim como o Pantanal, são considerados sagrados e não deviam ser profanados como vêm sendo; ao contrário, deviam ser preservados.

Pesquisa encomendada pelo Greenpeace, ao Data Folha, e publicada na última semana, mostra que 87% da população, com nota máxima de 9,7, quer a preservação da Amazônia, não só para a vida animal com sua múltipla biodiversidade, mas para as populações em escala planetária, e principalmente por ser fator de desenvolvimento econômico para o nosso País.

Pelos números expressos pela pesquisa, constata-se que, mesmo a Nação estando dividida por irracionais questões ideológicas, quando se trata de manter a floresta de pé, o povo está unido em todos os estratos sociais.

Em sua amostra, a pesquisa ouviu as mulheres e os jovens nas várias faixas de idade, renda e de escolaridade superior e média, das diversas regiões do País, assim como os empresários, profissionais liberais, representantes das igrejas, ONGs e populações indígenas, dentre outros.

A pesquisa também quis saber qual o sentimento da população em relação ao grau de responsabilidade do governo sobre as queimadas e a destruição das florestas, e, para 75% dos entrevistados, a responsabilidade é do ministro do "Mal" Ambiente, e 72% acham que a responsabilidade por essa destruição é do Presidente da República, resultado que não surpreende a ninguém e que somente estes, por ignorância e má-fé, preferem desprezar.

Em razão desses números que evidenciam a consciência da sociedade brasileira sobre a importância e necessidade de se preservar a Amazônia, cabe a pergunta: em sã consciência, como e por que se profana um patrimônio da humanidade, de riquezas múltiplas como esse, como vem fazendo o governo, com ação direta do ministro do "Mal" Ambiente?

Por último deve ser dito que a mais profana das profanações que esse governo e seus vassalos exercitam desde o primeiro dia, além da dilapidação do patrimônio público, e a acentuada dizimação de suas riquezas naturais, é a pressão psicológica exercida pelo autoritarismo, que afeta o homem de mente sã, erodindo o sentimento de brasilidade e de povo solidário que sempre nos guiou, levando-nos a esse clima de divisão e hostilidades mútuas sem precedentes em nossa história recente.

Chega a ser quase desesperador perceber toda essa profanação da República, sendo feita em nome de uma "pátria amada", por eles imaginada, sobre a qual tanto falam na propaganda na televisão.

Nesse contexto, resgato o pensamento de Rui Barbosa, que tanto quanto os que estão hoje no poder, apesar do discurso liberal, enxertado por ideias políticas pretensamente modernizadoras, em sua época, também foi um político conservador, mas com uma grande diferença - era inteligente e um intelectual respeitado.

Sobre a pátria ele afirma: "[…] A pátria não é ninguém; são todos; e cada qual tem no seio dela o mesmo direito à ideia, à palavra, à associação. A pátria não é um sistema, nem uma seita, nem uma forma de governo; é o céu, o solo, o povo, a tradição, a consciência, o lar, o berço dos filhos e o túmulo dos antepassados, a comunhão da lei, da língua e da liberdade".

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas. Comentários e críticas para: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

07/11


2020

Coluna do sabadão

Trump para tentar barrar vitória democrata

Diante do avanço do candidato democrata, Joe Biden, rumo à Casa Branca, Donald Trump colocou em marcha uma enxurrada de ações judiciais em vários estados decisivos para o pleito, na esperança de desacelerar Biden.

A equipe do republicano pediu a recontagem dos votos em Wisconsin e na Georgia, onde Biden lidera com 98% dos votos apurados – e já foi considerado o vencedor. No entanto, especialistas afirmaram à agência Reuters que uma nova contagem provavelmente não mudará o resultado.

A equipe do presidente também tentou impedir a contagem de votos em Michigan. Com a apuração quase concluída no estado, Biden tem mais de 2 pontos de vantagem, e a imprensa americana já projetou sua vitória.

Em uma outra ação, a campanha do republicano pediu a um juiz que interrompesse a contagem dos votos no estado, alegando que representantes do partido tiveram o acesso ilegalmente negado para observar o processo. Foram apurados cerca de 92% dos votos até agora, e Trump lidera.

Ainda na Pensilvânia, os republicanos pediram que o Supremo reveja uma decisão da mais alta corte do estado – a determinação permite a contagem das cédulas postadas até o dia da eleição, desde que cheguem até sexta (6).

Três juízes disseram que há uma "forte probabilidade" de que essa decisão tenha violado a Constituição dos EUA, enquanto funcionários eleitorais afirmaram que vão separar as cédulas postadas que foram recebidas após o dia da eleição. A campanha de Trump apresentou uma moção para intervir no caso.

"Acho que o presidente está entrando com ações judiciais onde ele acha que está realmente encrencado", disse à emissora David McLennan, professor de Ciência Política do Meredith College em Raleigh.

Macapá – Moradores de Macapá, capital do Amapá, relataram à BBC News Brasil uma situação caótica no quarto dia sem energia elétrica na cidade: comida estragando na geladeira, falta de água nas torneiras e filas quilométricas para sacar dinheiro vivo e abastecer o carro. "Estamos abandonados e desesperados. Não tem como esperar 10 ou 15 dias para essa situação se resolver", diz Luccas Cavalcante, de 20 anos, estudante de Direito. A queda de energia, provocada por um incêndio em uma subestação na capital, ocorreu na noite de terça-feira (03/11) e atingiu 13 das 16 cidades do Estado.

Furioso – Furioso com o apagão no Amapá a dez dias das eleições municipais, o presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre (DEM), que é do Amapá, cobra do governo uma solução imediata e decidiu apoiar mudanças na nova Lei do Gás, que espera aprovação no Senado. Cerca de 89% do Amapá está há 60 horas sem energia, desde uma explosão no linhão de Tucuruí, em que transformadores foram atingidos por raios. O irmão de Alcolumbre, Josiel, candidato à Prefeitura de Macapá, é alvo de ataques de opositores por conta do apagão. A prefeitura da capital decretou estado de calamidade pública.

Federalização de Noronha – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez críticas à gestão de Fernando de Noronha, durante uma live realizada na quinta-feira (5), na internet. O secretário Nacional da Pesca, Jorge Seif, que esteve na ilha, também participou da transmissão. Entre outros assuntos, o presidente falou da pesca e do turismo e afirmou que vai tentar federalizar Noronha. “Eu sugeri a gente federalizar Fernando de Noronha, que parece que virou uma ilha de amigos, amigos do rei, e o rei não sou eu. É um absurdo, você vai para uma praia em Noronha e paga R$ 100, é meio lobo-guará para ir na praia, lá em Fernando de Noronha", disse Bolsonaro.

A resposta do Governo – “Em Fernando de Noronha somente nos últimos dois anos, o Governo de Pernambuco investiu mais de R$ 20 milhões na construção de casas, recuperação de estradas vicinais, implantação de iluminação de LED e readequação completa do porto de Fernando de Noronha. A população de Fernando de Noronha, a exemplo de todos os brasileiros, conta com ações efetivas, integradas quando possível, para que as melhorias sigam acontecendo. Criar soluções é mais produtivo do que criar polêmicas”, disse o Governo de Pernambuco em nota.

CURTAS

RETROCESSO – O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, disse, hoje, que voltar ao voto impresso "seria um retrocesso". O ministro falou sobre o assunto durante participação o 8º Fórum Liberdade e Democracia, em Vitória. "Retornar ao voto impresso é um retrocesso, é como comprar um videocassete. Meu único incômodo com as urnas é o custo delas. Temos 500 mil, custa 700 milhões de reais, a cada eleição temos que trocar 100 mil delas", disse.

GUEDES SOBRE EUA – "Vamos dançar com todo mundo, porque chegamos atrasados na festa. Também não vamos superestimar o fator político quando ele não é para ser superestimado. A dinâmica de crescimento do Brasil depende de nós. A mudança nos Estados Unidos, eventualmente – e os dados indicam que está próxima de acontecer – não afeta a nossa dinâmica de crescimento. Particularmente com relação aos Estados Unidos, nós estávamos e continuaremos trabalhando com todo mundo”, afirmou.

Perguntar não ofende: O resultado das eleições nos Estados Unidos sai hoje?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Tem calma, marcos mamador de piroca de camaragibe, teu negócio é queimar tua rosca.

marcos

Lula diz a jornal do Ceará:¨.......... Se eu voltar a Presidência da República juro que não roubo mais¨ Cabra safado mentiroso!

marcos

Lula virou um¨ estorvo ¨para a esquerda brasileira..................................... Lula não é o presidente do PT, mas age como tal.¨........................ Enquanto setores importantes do partido queriam que o PT abrisse mão de candidaturas em capitais e grandes municípios, apoiando ou participando como candidatos a vice em coligações com legendas de esquerda, como o PSB, o PDT e o PSOL, Lula foi contra a ideia. Segundo informações, a prioridade de Lula nas eleições municipais de 2020 sequer seria eleger algum de seus candidatos, mas lançar o maior número possível de candidatos à prefeito, com o intuito de defender o ‘legado’ da sigla, assim como a ‘biografia’ e os feitos de seu líder, além de utilizar o espaço eleitoral para criticar o governo federal.

marcos

Por unanimidade, TRF4 condena Lula e aumenta pena para 17 anos de prisão.................................................... Desembargadores Gebran Neto, Leandro Paulsen e Thompson Flores votaram pela condenação do ex-presidente por corrupção e lavagem de dinheiro.............................. Pela segunda vez, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma condenação confirmada por unanimidade no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). Por três votos a zero, os desembargadores da 8ª Turma consideraram o petista culpado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do sítio de Atibaia, aumentando a pena original de 12 anos e 11 meses de prisão para 17 anos, um mês e 10 dias, além de multa de R$ 842 mil.............................. Desembargador Paulsen concorda com relator e vota por condenar Lula a 17 anos de prisão por corrupção e lavagemDesembargador Paulsen concorda com relator e vota por condenar Lula a 17 anos de prisão por corrupção e lavagem Relator no TRF4 vota pela condenação de Lula e pede aumento da pena para 17 anosRelator no TRF4 vota pela condenação de Lula e pede aumento da pena para 17 anos Por que o julgamento sobre o sítio de Atibaia não devolverá Lula para a prisão Por que o julgamento sobre o sítio de Atibaia não devolverá Lula para a prisão — Infelizmente, a responsabilidade do ex-presidente Lula é bastante elevada, pois ocupava grau máximo de dirigente da nação brasileira — salientou o relator do caso, desembargador João Pedro Gebran Neto. Como foi decisão unânime, os recursos da defesa ficam limitados. No próprio TRF4, os advogados podem apenas pedir esclarecimentos sobre omissões ou obscuridades na decisão. Resta recorrer ao Superior Tribunal de Justiça com recurso especial e, depois, ao Supremo Tribunal Federal (STF), com recurso extraordinário, porém ambos precisam de admissão prévia no TRF4.

marcos

Nehemias Fernanda Jaques, a bicha Véia com a maior bunda do Cabo. Ui nega


Abreu no Zap

06/11


2020

Ex-prefeito de Itaíba rebate secretário de Turismo de PE

Houldine Nascimento, da equipe do blog

O ex-prefeito de Itaíba Claudiano Martins deu fortes declarações sobre o secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes, hoje. O ex-gestor se pronunciou acerca de um vídeo gravado por Novaes, mais cedo, comentando o caso envolvendo o coordenador de campanha da prefeita Regina Cunha, que relatou ter sido chicoteado na própria residência por um homem encapuzado nesta manhã.

“Quero dizer ao povo de Itaíba que esse deputado dela [em referência à prefeita Regina Cunha], de mentira, que vem aqui em Itaíba difamar o povo e mentir, que vá cuidar de Floresta, onde ele já perdeu eleição. As famílias de Floresta se matando há mais de 50 anos, quando eu era moleque, os Ferraz e os Novaes lá. Que ele não venha querer implantar o mesmo sistema de Floresta, que aqui é Itaíba. Ele vem aqui se escondendo do povo com as estradas e não tem coragem de dizer ao povo de Itaíba que é secretário de Turismo”, disparou. Assista.

Claudiano seguiu desferindo críticas contra Rodrigo Novaes, que possui raízes no município de Floresta. “Assuma, deputado, seja homem como eu sou e venha me enfrentar. Venha aqui para eu olhar para a sua cara. Vai cuidar do seu turismo, ser deputado, mas não venha inflamar as famílias de Itaíba que aqui não tem briga. Ninguém tem intriga com a prefeita nem com familiares. São coisas que a Justiça está apurando e você verá os fatos. Venha trazer obra para o município que você foi votado. Não fique aí com sua camisinha regata na beira da praia fazendo bico para cá”, comentou.

Sem citar diretamente o grupo político de Claudiano Martins, Rodrigo falou em vídeo à população itaibense, dizendo estar indignado com recentes atos de violência na cidade e que “adversários já enxergam a derrota, perdem o controle e agem de maneira desumana”. O secretário também afirmou que conversou com o governador Paulo Câmara e com o secretário estadual da Casa Civil, José Francisco Neto, “para que sejam apuradas as responsabilidades de quem está agindo com violência”.

“Esses animais, esses marginais que estão agindo com violência”, prosseguiu Rodrigo, que prestou “solidariedade às vítimas de violência” e à aliada Regina. Também falou em necessidade de reforço policial em Itaíba. "É preciso que a gente tenha paz no coração e faça uma campanha limpa, conduzida com tranquilidade porque é isso que o povo quer. É realmente de entristecer e de fazer vergonha o que está acontecendo", concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/11


2020

Deputado cobra apuração do caso Itaíba

Nota oficial

Como deputado estadual majoritário do município de Itaíba, me senti na responsabilidade de procurar o secretário de Defesa Social do Estado, Antônio de Pádua, para solicitar que sejam apurados e analisados todos os crimes contra a informação que então ocorrendo em Itaíba.

O desespero da coligação da atual prefeita, está criando e disseminando fake news de forma irresponsável e arbitrária contra a nossa candidata Rogéria Martins, causando uma onda de violência entre os eleitores. Tem políticos que querem se aproveitar de fatos, que serão apurados, mas saberemos que se tratam de armações políticas, provocados pela coligação contrária.

Estes crimes precisam ser investigados e os autores responsabilizados. É lamentável a conduta de opositores que querem se aproveitar de fatos que repudiamos para tentar tirar proveito eleitoral.

Não iremos compactuar. Sabemos que só se conquista o povo com verdade e caráter. Sempre fizemos nossa campanha na paz, buscando uma eleição limpa no município. Itaíba merece respeito, e o povo também.

Sabemos que o povo de Itaíba irá saber distinguir e esperamos uma eleição que respeite a democracia. Não acreditem e não disseminem notícias falsas. Sempre procurem buscar a informação correta para não se deixar levar pela mentira.

Não vamos deixar que isso atrapalhe a nossa campanha, que vem sendo muito bem acolhida pelo povo de Itaíba.

Claudiano Martins Filho – deputado estadual pelo PP


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

06/11


2020

Ministro dá 10 dias para restabelecer toda energia no Amapá

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse, hoje, que pretende restabelecer toda a energia no estado do Amapá em até 10 dias. Ele explicou que o plano para tentar restaurar a energia em 70% do estado até ontem não deu certo porque a operação é “complexa”.

“Em até 10 dias nós pretendemos restabelecer 100% da energia no Amapá”, afirmou o ministro, depois de uma reunião com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Na noite de terça-feira (3) um incêndio em uma subestação de energia localizada na Zona Norte da capital Macapá provocou um apagão. Treze dos 16 municípios do estado foram afetados.

O Amapá entrou nesta sexta-feira no quarto dia de apagão com 89% da população sem eletricidade. Nesta quinta-feira, o governo estadual decretou situação de emergência.

"O equipamento já foi reparado na sua parte física e agora está havendo a filtragem do óleo do equipamento. Para se ter noção do volume, são 45 mil litros de óleo e temos que ter certeza de que ele está em condições de operação”, disse o ministro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/11


2020

OEA pede contagem de todos os votos válidos nos EUA

A Organização dos Estados Americanos (OEA) pediu em relatório preliminar de hoje que todos os votos considerados válidos das eleições presidenciais dos Estados Unidos sejam contados "quando recebidos dentro dos parâmetros das regras e regulações existentes nos respectivos estados".

Além disso, a OEA afirmou que a campanha foi "competitiva e agressiva" e disse que "uma campanha em particular lançou repetidos ataques ao seu principal rival, assim como à integridade do sistema eleitoral do país". A organização não diz de qual candidatos partiram esses ataques.

"Esses ataques serviram para dividir ainda mais o processo eleitoral e um eleitorado já altamente polarizado", diz o relatório.

No documento, a OEA elogiou os "esforços extraordinários" das autoridades americanas em "expandir as opções de votação". Milhões de eleitores votaram por correio, parte deles para evitar aglomerações nesta pandemia.

O presidente Donald Trump, que tenta a reeleição, vem atacando o sistema eleitoral americano e acusa, sem apresentar provas, fraude. Do outro lado, o candidato democrata Joe Biden pede calma e diz que todos os votos devem ser contados.

A organização disse também que "todos os candidatos devem ter garantido o direito de reclamação e recurso judicial, quando feitos dentro dos parâmetros legais".

A missão da OEA que acompanha as eleições americanas chegou nos EUA em 3 de janeiro e permanecerá no país até janeiro de 2021, quando haverá a leitura dos votos do Colégio Eleitoral no Congresso. São 28 especialistas e observadores de 13 países que integram a organização.

Um dos observadores é o presidente do Tribunal Superior Eleitoral brasileiro, o ministro Luís Roberto Barroso. Ele viajou aos EUA a convite dos conselhos eleitorais do estado de Maryland e de Washington DC, informou a assessoria do TSE.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/11


2020

Bezerros: Lucielle dispara na disputa da cidade

Com propostas de campanha baseadas na renovação política, Lucielle vem sendo uma surpresa pelo crescimento e pela campanha: combatendo as aglomerações, banindo a utilização do uso de fogos de artifício e sendo a campanha digital com maior engajamento nas redes sociais. 

A campanha crescente da candidata do Democratas está resgatando a nostalgia do número 25. Número que tem um legado na cidade com o nome do ex-prefeito Lucas Cardoso, responsável pelo carnaval do papangu e considerado por muitos como o melhor prefeito da história da cidade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Maria Joelma

Gostaria de ver os percentuais da pesquisa.



06/11


2020

Itaíba: Coordenador de campanha tem casa invadida e é espancado

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

O coordenador de campanha da prefeita de Itaíba, Regina Cunha (Podemos), foi à Polícia, hoje, para denunciar agressões sofridas após dois homens invadirem a sua residência. Eli Tavares da Silva relatou, em boletim de ocorrência, que os agressores utilizavam máscaras pretas, bonés e portavam duas pistolas. Um deles também segurava um chicote de couro e chegou a golpeá-lo diversas vezes, enquanto estava deitado no chão a mando dos criminosos.

Eli contou à Polícia que a ação ocorreu por volta das 8h10 desta sexta-feira (6) e os agressores apontavam as armas em sua direção. Ainda segundo relato, sua esposa, Maria Madalena Bezerra, estava no quarto, quando o ouviu pedir socorro. Ela também ficou sob a mira de um dos bandidos, que teria dito: “Fique quieta aí, agora ele não vai mais pedir voto nem fazer essa política que vocês vêm fazendo, senão a gente acaba com vocês. Se saírem para pedir voto, vão morrer”.

O blog teve acesso a imagens que mostram graves lesões no corpo de Eli Tavares. Antes de ir à Delegacia de Polícia de Itaíba, ele se dirigiu ao Hospital Municipal João Vicente para receber o atendimento médico necessário. Membros da campanha da prefeita Regina Cunha imputam as agressões sofridas à disputa política na cidade do Agreste Meridional.

Diante deste caso, somado ao histórico de violência do município, a gestora procurou o Governo do Estado e a Polícia Federal. De acordo com uma fonte, em reserva, a expectativa é de que agentes da PF cheguem à Itaíba na próxima segunda-feira (9).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha