14/06


2021

João cara de pau

O mapa de controle diário da pandemia, publicado pela Folha de São Paulo, traz, há mais de 30 dias, uma curva ascendente de casos de Covid-19 em Pernambuco. Mostra que no Nordeste, todos os Estados já saíram da situação mais crítica, com exceção de Pernambuco e Paraíba. Por exemplo, o Estado do Mato Grosso do Sul completou 50,3% da população vacinada, 46,3% com a primeira e 14,0% com a segunda dose. A média nacional é 37,7%. Enquanto isso, Pernambuco só vacinou, até agora, 35,2% - 24,8% com a primeira e 10,4% com a segunda dose.

No Recife o que tem chamado a atenção, no entanto, é a cara de pau do prefeito João Campos (PSB). A exemplo do governador Paulo Câmara, o prefeito vive batendo sem piedade no Governo Bolsonaro. Nos últimos dias, uma forte mídia na TV, paga com o dinheiro do contribuinte, tenta vender a ideia de que o prefeito é o principal responsável por um suposto avanço no plano de vacinação, omitindo que a vacina foi comprada e remetida ao município pelo Governo Federal.

Os prefeitos se mostram perplexos com a exploração midiática. O que se questiona é por que ele não tem a mesma preocupação e agilidade na explicação dos escândalos envolvendo desvios de recursos da pandemia por parte do seu antecessor, Geraldo Covidão.

Óleo de peroba talvez seja pouco para tamanho atrevimento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Óleo por óleo tem alguma diferença entre ele e o Bozo!


Jaboatão Habitacional Suassuna

14/06


2021

Comerciantes de Serra protestam contra lockdown

Comerciantes do município de Serra Talhada, maior cidade do Sertão do Pajeú, amanheceram com as portas fechadas, hoje, por conta do novo decreto do Governo do Estado. Eles fizeram protesto nas redes sociais e afirmaram não serem os culpados pelo contágio com o novo coronavírus.

Até o próximo dia 20, apenas o que é considerado essencial pode funcionar em várias cidades do Sertão, por causa do aumento dos casos de Covid-19 na região. A decisão do Governo não agradou os comerciantes de Serra, visto que hoje, dia de feira livre na cidade, onde se tem o maior movimento da semana, a maioria está de postas fechadas.

Confira abaixo o que pode ou não pode funcionar no Sertão durante o decreto vigente:

O que será permitido

– Serviços públicos municipais, estaduais e federais, inclusive os outorgados ou delegados, nos âmbitos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, dos Ministérios Públicos e dos Tribunais de Contas, e representações diplomáticas, devendo ser priorizado o teletrabalho;

– Farmácias e estabelecimentos de venda de produtos médico-hospitalares;

– Postos de gasolina, inclusive loja de conveniência, apenas para ponto de coleta;

– Serviços essenciais à saúde, como médicos, clínicas, hospitais, laboratórios e demais estabelecimentos relacionados à prestação de serviços na área de saúde, observados os termos de portaria ou outras normas regulamentares editadas pelo Secretário Estadual de Saúde;

– Serviços de abastecimento de água, gás e demais combustíveis, saneamento, coleta de lixo, energia, telecomunicações e internet;

– Clínicas e os hospitais veterinários e assistência a animais, inclusive em shopping centers;

– Serviços funerários;

– Hotéis e pousadas, incluídos os restaurantes e afins, localizados em suas dependências, com atendimento restrito aos hóspedes;

– Serviços de manutenção predial e prevenção de incêndio;

– Serviços de transporte, armazenamento de mercadorias e centrais de distribuição;

– Estabelecimentos industriais e logísticos, bem como os serviços de transporte, armazenamento e distribuição de seus insumos, equipamentos e produtos;

– Lojas de veículos e oficinas de manutenção e conserto de máquinas, equipamentos, veículos leves e pesados e, em relação a estes, a comercialização e serviços associados de peças e pneumáticos;

– Restaurantes, lanchonetes e similares, por meio de entrega a domicílio, em ponto de coleta, na modalidade drive thru, e para atendimento presencial exclusivo a caminhoneiros, sem aglomeração;

– Serviços de auxílio, cuidado e atenção a idosos, pessoas com deficiência e/ou dificuldade de locomoção e do grupo de risco, realizados em domicílio ou em instituições destinadas a esse fim;

– Serviços de segurança, limpeza, vigilância, portaria e zeladoria em estabelecimentos públicos e privados, condomínios, entidades associativas e similares;

– Imprensa;

– Serviços de assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;

– Transporte coletivo de passageiros, incluindo taxis e serviços de aplicativos de transporte, devendo observar normas complementares editadas pela autoridade que regulamenta o setor;

– Supermercados, padarias, mercados e demais estabelecimentos voltados ao abastecimento alimentar da população;

– Atividades de construção civil;

– Processamento de dados e call center ligados a serviços autorizados a funcionar;

– Serviços de entrega em domicílio de qualquer mercadoria ou produto;

– Serviços de suporte portuário, como operadores portuários, agentes de navegação, praticagem e despachantes aduaneiros;

– Pesca artesanal;

– Lojas de materiais e equipamentos de informática;

– Lojas de defensivos e insumos agrícolas;

– Casas de ração animal e petshops;

– Bancos E serviços financeiros, inclusive lotéricas;

– Oficinas e assistências técnicas em geral;

– Lojas de material de construção e prevenção de incêndio;

– Lojas de produtos de higiene e limpeza;

– Depósitos de gás e demais combustíveis;

– Lavanderias;

– Prestação de serviços de advocacia urgentes, que exijam atividade presencial;

– Estabelecimentos de aviamentos e de tecidos, exclusivamente para o fornecimento dos insumos necessários à fabricação de máscaras e outros Equipamentos de Proteção Individual – EPI`s relacionados ao enfrentamento do coronavírus;

– Restaurantes, lanchonetes e similares localizados no Ceasa, bem como em unidades hospitalares e de atendimento à saúde e no aeroporto ou terminal rodoviário, desde que destinados exclusivamente ao atendimento dos trabalhadores, de profissionais da saúde, pacientes e acompanhantes, e passageiros, respectivamente;

– Prestação de serviços de contabilidade urgentes, que exijam atividade presencial;

– Lojas e estabelecimentos situados em shopping centers e similares, por meio de entrega em domicílio e/ou como ponto de coleta no estacionamento, na modalidade drive thru;

– Estabelecimentos voltados ao comércio atacadista;

– Atividades de engenharia, arquitetura e urbanismo para situações urgentes e de apoio à construção civil;

– Estabelecimentos públicos e privados de ensino, para preparação, gravação e transmissão de aulas pela internet ou por TV aberta, e o planejamento de atividades pedagógicas; e

– Óticas.

O que NÃO será permitido:

– Escolas e universidades, públicas e privadas;

– Escritórios comerciais e de prestação de serviços;

– Clubes sociais, esportivos e agremiações;

– Competições e práticas esportivas coletivas, profissionais ou voltadas ao lazer (exceto futebol profissional);

– Praias marítimas e fluviais, inclusive os calçadões e parques;

– Ciclofaixas destinadas a atividades de lazer ou recreativas;

– Shoppings centers e galerias comerciais (supermercados com acesso independente e lotéricas e agências instaladas em shoppings podem funcionar);

– Igrejas e templos religiosos (apenas celebrações virtuais sem público).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

14/06


2021

Porcos: respiradores comprados por Geraldo causaram óbitos

EXCLUSIVO

O modelo de respiradores para covid-19, mesma marca e fabricante, comprados sem licitação pela gestão de Geraldo Júlio (PSB) no Recife em 2020, causou óbitos de seres humanos na cidade de Hortolândia, no interior do Estado de São Paulo. A informação é do Ministério Público Federal (MPF).

A Polícia Federal (PF) confirmou que os respiradores, comprados com tanta pressa pela gestão de Geraldo Júlio, causaram óbitos de seres humanos, no interior de São Paulo.

"O MPF destaca a gravidade da conduta praticada pelos denunciados, uma vez que documentação recebida pela Polícia Federal apontou a ocorrência de óbitos, na cidade de Hortolândia (SP), decorrentes das impropriedades do ventilador BR 2000. A prefeitura do município paulista reconheceu a ineficácia dos equipamentos, adquiridos, em 2020, da BRMD Produtos Cirúrgicos, ligada ao mesmo grupo empresarial da Juvanete Barreto Freire ME", informa a assessoria do MPF.

A Prefeitura do Recife, mesmo sabendo dos problemas de certificação com a ANVISA, só desfez a compra destes respiradores testados em porcos após a denúncia do Ministério Público de Contas. Mesmo assim, em nota oficial em maio de 2020, a gestão de Geraldo Julio disse que os equipamentos seriam usados em recifenses e que salvariam vidas humanas em Recife.

Na ação de hoje, o MPF reforça que os denunciados, apesar de terem conhecimento da ausência de certificação do produto pela ANVISA, formalizaram os contratos e termo aditivo com a Prefeitura do Recife para o fornecimento dos respiradores.

Ex-servidores da Prefeitura ainda serão responsabilizados em ação de improbidade por comprarem estes respiradores que representava, segundo o MPF, risco de vida para os recifenses.

A procuradora do MPF destaca que, apesar de os gestores públicos envolvidos na contratação "não terem sido alvos da nova denúncia, o órgão ministerial instaurou inquérito civil para apurar possível prática de improbidade administrativa em razão da aquisição dos respiradores impróprios para uso em humanos e da contratação direta indevida".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/06


2021

Porcos: Jailson só queria falar com Felipe pessoalmente

EXCLUSIVO

A segunda denúncia criminal da Operação Apneia, sobre a compra sem licitação de 500 respiradores para covid-19 só testados em porcos pela gestão de Geraldo Júlio (PSB) no Recife, revelou conversa de Whatsapp entre o então secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, e o diretor financeiro da Secretaria, Felipe Soares Bittencourt. Pela conversa, Jailson só queria falar com Felipe sobre a compra sem licitação dos respiradores testados em porcos "pessoalmente", recusando conversar por ligação ou pelo Whatsapp.

Felipe ficou conhecido em 2020 na Prefeitura como o homem-forte de Geraldo Júlio (PSB) nas compras sem licitação da pandemia. O motivo, segundo a denúncia do MPF, é que os dois supostamente já saberiam que os equipamentos eram impróprios para seres humanos.

"Da leitura do documento da TECSAÚDE, verifica-se que os técnicos constataram que o equipamento ventilador pulmonar tipo BR 2000 não possuía alguns dos parâmetros definidos como necessários, mesmo considerando as especificações mínimas em caráter de exceção. Dentre eles, destacaram-se: a) não possui controle de Delta de Pressão sobre a PEEP no modo PCV e PSV; b) não possui controle de volume corrente inspirado no modo VCV; c) não possui controle de fluxo inspiratório no modo VCV; d) não possui indicação do volume corrente expirado; e) não possui alarme de queda de rede de gases e o vazamento alarmado como “pressão mínima”; f) não apresenta curvas de fluxo e volume por tempo", explica a denúncia do MPF.

A ANVISA determinou medida cautelar preventiva de suspensão da comercialização, distribuição, fabricação e uso do ventilador pulmonar em junho de 2020, após a primeira fase da Operação Apneia, devido, segundo o MPF, a "periculosidade da comercialização e utilização do sobredito equipamento". Eram aparelhos para animais que o empresário tentava sem sucesso adaptar para humanos.

Jailson e Felipe também foram alvos da primeira denúncia da Operação Apneia. Eles foram acusados de supostos crimes de dispensa indevida de licitação e peculato.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mesquita

Patriota. O culpado é Bolsonaro que, protelou a compra da vacina.

Sérgio Ricardo Claudino Patriota

E ainda vai ter muito \"porco\" votando nesses safados do PSB!



14/06


2021

Porcos: respiradores eram mesmo para animais

EXCLUSIVO

A segunda denúncia criminal da Operação Apneia sobre a compra sem licitação de 500 respiradores só testados em porcos pela gestão de Geraldo Júlio (PSB) no Recife comprovou que os citados respiradores eram mesmo apenas para uso veterinário. Mesmo assim, foram comprados sem autorização da ANVISA, segundo a denúncia do MPF.

"Em verdade, com base no documento a seguir, subscrito por Juarez Freire da Silva, proprietário do Grupo Brasmed, o ventilador pulmonar modelo BR 2000 consistia em adaptação de equipamento de uso veterinário, sem autorização para utilização em humanos", disse a procuradora do MPF, na denúncia.

Na ação, o MPF reforça que os denunciados, apesar de terem conhecimento da ausência de certificação do produto pela Anvisa, formalizaram os contratos e termo aditivo com a Prefeitura do Recife para o fornecimento dos respiradores.

Ex-servidores da Prefeitura do Recife também poderão ser acionados por improbidade. A procuradora da República também destaca que, apesar de os gestores públicos envolvidos na contratação não terem sido alvos da nova denúncia, o órgão ministerial instaurou inquérito civil para apurar possível prática de improbidade administrativa em razão da aquisição dos respiradores impróprios para uso em humanos e da contratação direta indevida.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

14/06


2021

Apneia: MPF denuncia pessoas ligadas a fornecedora de respiradores

O Ministério Público Federal em Pernambuco ofereceu, à Justiça Federal, segunda denúncia no âmbito da Operação Apneia, deflagrada em maio do ano passado para investigar irregularidades em contratos celebrados pela Prefeitura do Recife, por dispensa indevida de licitação, para aquisição de 500 ventiladores pulmonares para o enfrentamento da pandemia da covid-19. A denúncia, assinada pela procuradora da República Silvia Regina Pontes Lopes, tem como alvos três pessoas ligadas à microempresa Juvanete Barreto Freire ME (Brasmed Veterinária), contratada para o fornecimento dos equipamentos.

O MPF denunciou os empresários Juarez Freire da Silva e Juvanete Barreto Freire, sócios de grupo empresarial composto pelas empresas Bioex Equipamentos Médicos e Odontológicos, Bioex Equipamentos Médicos e Odontológicos e Brasmed Veterinária, bem como o representante local Adriano César de Lima Cabral, pela prática criminosa de venda de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais sem registro pelo órgão de vigilância sanitária competente. A conduta é prevista como crime hediondo na legislação penal brasileira. O MPF também requer que a Justiça Federal decrete a perda de eventual cargo público exercido pelos denunciados, bem como o pagamento de indenização para reparação dos danos morais e/ou patrimoniais causados.

Em resposta a ofício enviado pelo MPF, a Anvisa reiterou no dia 8 de junho, por meio de nota técnica, que a Juvanete Barreto Freire ME, até a presente data, não possui Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE), ou pedido de AFE referente à realização de atividades com produtos para saúde. Além disso, informou que, quanto ao ventilador pulmonar BR 2000, fornecido pela Juvanete e fabricado pela Bioex Equipamentos Médicos e Odontológicos, não existe autorização para sua fabricação e comercialização no país, tampouco para utilização em humanos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021

14/06


2021

Proposta descabida

Por Maurício Costa Romão*

O Projeto de Lei (PL) 2.522/15 que institui a “federação de partidos” no âmbito do sistema proporcional teve sua apreciação aprovada em regime de urgência na quarta-feira passada (9/06) pelo plenário da Câmara dos Deputados.

No formato da federação os partidos podem unir-se, como se um único partido fosse, obedecendo a uma mesma linha ideológico-programática, votando matérias conjuntamente e obrigados a assim permanecerem durante o período da legislatura.

Vista assim do alto até parece uma proposta bastante interessante, louvada no site do proponente do regime de urgência, o PCdoB, na matéria sob o título “Federação: instrumento para garantir o pluralismo partidário”, ad litteram:

“... A federação é vista pelos comunistas como uma ferramenta democrática que pode assegurar a diversidade ideológica na cena política nacional... o que queremos é nos inspirar nas experiências das grandes democracias do mundo. Há exemplos muito positivos em lugares como Portugal, Alemanha e Uruguai”.

A referência às experiências nominadas de grandes democracias do mundo não é apropriada, posto que mistura sistemas de governo parlamentarista e presidencialista, e passa a imagem de que a federação é a mesma coisa que a coalizão de partidos em composições legislativas de governo.

Ademais, em nenhum lugar da matéria e, registre-se, em nenhum outro lugar ou pronunciamento de qualquer parlamentar de qualquer partido aderente à federação, se diz como é que os candidatos serão eleitos pelo mecanismo sugerido.

Mas, o Art. 1º do PL, § 8º deixa claro que se aplicam à federação partidária todas as normas que regem as atividades dos partidos políticos no que diz respeito às eleições, inclusive... contagem de votos, obtenção de cadeiras... (grifo nosso).

Quer dizer, na prática, as coligações, a maior deformação do sistema brasileiro de voto, às duras penas extintas, pode voltar a funcionar de forma camuflada, com uma única diferença: os partidos coligados têm que permanecer juntos até o fim da legislatura.

Tudo isso a despeito de os resultados das eleições de 2020 terem mostrado que o fim das coligações proporcionais prenuncia um salutar processo de melhoria qualitativa do sistema partidário-eleitoral no Brasil, com diminuição da quantidade de partidos, bem como de sua fragmentação, considerada das mais elevadas entre as democracias modernas.

Não é trivial, também, a questão da verticalidade imposta no PL no seu Art. 1º, § 3º, Inciso IV, quando estabelece que a federação tenha abrangência nacional, isto é, o arranjo coligado será repetido nos estados (e municípios, mais à frente). Tal formato reveste-se de extrema complexidade face aos arranjos políticos locais.

Mesmo na parte conceitual, o alicerce da proposta não se sustenta num mosaico de partidos inorgânicos e sem ideologia definida, como é o caso do brasileiro. Um ajuntamento de siglas neste contexto, para o exercício da atividade parlamentar, comprometeria ainda mais a qualidade legislativa e não teria outro objetivo que não o de ultrapassar o quociente eleitoral, exatamente como se fazia na vigência das coligações.

Por último, mas não menos importante, o Projeto busca resguardar vários partidos de serem alcançados pela cláusula de desempenho partidário - uma grande conquista histórica - que estabelece regras progressivamente mais rigorosas para acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV.

Ao fim e ao cabo, o desditoso Projeto visa a tão somente amenizar os rigores da nova legislação, dando sobrevida eleitoral e financeira a boa parte das siglas oficiais, e propiciar condições de voto a alguns parlamentares em dificuldades de reeleição no atual contexto normativo. Um retrocesso inconcebível. 

*Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru Campanha São João 2

14/06


2021

Brasil cai para 6º em ranking de combate à corrupção

O Brasil foi ultrapassado pela Argentina e caiu para 6º no Índice de Capacidade de Combate à Corrupção (CCC), ranking que mede a capacidade dos países latino-americanos de detectar, punir e prevenir a corrupção.

Cinco dos 15 países analisados registraram quedas significativas em suas pontuações. Entre as maiores baixas estão os dois maiores países e as duas maiores economias da América Latina: Brasil e México.

O Brasil foi o país com a maior queda na pontuação, e sua nota regrediu de 5,52 para 5,07. Em 2019, o Brasil era o 2º do ranking.

Pelo 2º ano seguido, o Uruguai foi o país com a pontuação mais alta no Índice CCC (7,80 pontos em uma escala que vai de 0 a 10). A Venezuela ficou com a pior nota das 15 nações analisadas (1,40).

Veja o ranking:

Uruguai (7,80)

Chile (6,51)

Costa Rica (6,45)

Peru (5,66)

Argentina (5,16)

Brasil (5,07)

Colômbia (4,81)

Equador (4,77)

Panamá (4,55)

República Dominicana (4,38)

México (4,25)

Paraguai (4,08)

Guatemala (3,84)

Bolívia (2,43)

Venezuela (1,40)

O levantamento é feito pela Americas Society/Council of the Americas e pela Control Risks, que avaliam e classificam os países com base na eficácia com que podem combater a corrupção. Clique aqui e confira detalhes do levantamento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Com uma desgraça de um presidente desses, auxiliado por um engavetador destes, logo estaremos em último. País de cegos, surdos e burros!

Sérgio Ricardo Claudino Patriota

Com uma desgraça de um STF desses, não sei como não estamos em último. País de assaltantes com advogados de luxo!


CABO

14/06


2021

Pfizer ressarciria o Brasil caso não cumprisse prazo de entrega

A farmacêutica Pfizer se comprometeu a reembolsar o valor pago pelo Brasil por doses da vacina contra covid-19 caso o prazo de entrega não fosse cumprido. O compromisso foi firmado em agosto de 2020, segundo documentos entregues à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado e obtidos pelo Fantástico, da TV Globo.

Um dos documentos consultados pela reportagem é uma correspondência enviada em 27 de agosto pela embaixada do Brasil nos Estados Unidos ao Ministério das Relações Exteriores, então comandado por Ernesto Araújo.

Nela, os diplomatas informaram que a farmacêutica “se comprometeria a devolver ao governo brasileiro todo e qualquer pagamento antecipado, na hipótese em que a empresa não consiga honrar a obrigação de entregar a quantidade acordada da vacina”. Na época, a farmacêutica ofereceu 30 milhões de doses.

Ao depor à CPI, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello falou que um dos motivos para o contrato com Pfizer não ter sido assinado em 2020 era a falta de previsão de multa caso as entregas não fossem feitas no prazo determinado.

O gerente-geral da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, disse à CPI que governo brasileiro recebeu 6 propostas para comprar vacinas da Pfizer contra a covid-19 até fechar contrato com a farmacêutica.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Sérgio Ricardo Claudino Patriota

A fonte do blog é a grobu? Que é isso cumpanheru?

Sérgio Ricardo Claudino Patriota

Em terra de corruptos é muito fácil acreditar nisso!


Bandeirantes Junho 2021

14/06


2021

Os vírus são Anjos caídos

Vírus, protozoários e serpentes vieram da parte dos Anjos Caídos, assim falou o bicho-grilo Adalbertovsky em sua cantoria nas montanhas do planeta Jaqueira. E mais: “Estes micróbios conspiram contra a humanidade Adâmica desde os tempos primevos. A primeira investida aconteceu no Jardim do Éden. Adão e Eva eram eternos namorados e viviam felizes. Mas, a serpente do mal estava na espreita. A serpente disse para Eva: Você devia conhecer o outro lado do espelho. No outro lado do espelho havia uma maçã sorridente, da cor do pecado”.

“A maçã mandou um beijo para Eva. Enfeitiçada, Eva traiu Adão com uma maçã. Ganharás o pão de cada dia com as lágrimas do teu rosto, disse o Criador. Os Anjos Caídos foram expulsos do Paraíso porque se rebelaram contra o Criador e se transformaram em heróis das trevas. A missão terrestre do vírus é infelicitar a Humanidade. Faz parte da eterna luta do bem contra o mal. É falso o babado de dizer que o bem sempre vence. A história da humanidade diz o contrário. No Brazil a corrupção vendo sendo vitoriosa em todos os poderes onde canta o carcará”.

“Existem os micróbios do bem. São os Anjos da Guarda da microsfera, na luta contra os Anjos Caídos do mal. As bactérias do bem trabalham pesado nas defesas orgânicas e na digestão. Estão presentes nos sete buracos de nossas cabeças. Quando os Anjos caídos invadiram a Arca de Noé e tentaram se empoderar no corpo dos viventes, os Anjos da Guarda entraram em ação para salvar a humanidade”.

DITADURA – O comissário Dirceu ameaça: “Vamos dar a mão ao povo cubano em 2023”. Disse que os cubanos foram solidários com o Brazil no programa Mais Médicos. Falso. Em quatro anos a dinastia da seita vermelha destinou 6 bilhões para financiar a ditadura comunista falida e incompetente de Cuba. Se chegarem ao poder, os vermelhos também vão querer dar a mão ao ditador assassino da Venezuela, Nicolas Maduro”. 

ALÔ PREFEITO JOÃO CAMPOS! – A Emlurb proibiu o estacionamento interno no Parque da Jaqueira, medida antissocial e contraproducente e que prejudica centenas de pessoas, principalmente idosos, sem aglomeração. Isto é abuso de autoridade. O secretário André Longo e o global Ítalo Rochedo são testemunhas. Os usuários apelam ao bom senso do prefeito João Campos, para que verifique a situação in loco e revoque a proibição arbitrária”. A cantoria do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021
Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores