01/10


2006

Se reeleito, Lula reduzirá espaço do PT

 Se garantir um segundo mandato nas eleições deste domingo ou no segundo turno, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá mudar a composição do seu governo, segundo integrantes dos partidos que apóiam a candidatura de Lula à reeleição. São duas as motivações: evitar os escândalos que marcaram o seu primeiro mandato e garantir governabilidade no Congresso.

O PT e os amigos de longa data devem ter papel coadjuvante num eventual segundo mandato. Os aliados, por causa da conjuntura, terão mais espaço.

Integrantes da base de apoio de Lula afirmam que o presidente sabe que precisa de uma maioria consolidada no Congresso para fazer frente à oposição que irá enfrentar de partidos como o PSDB, PFL e PPS. Essas siglas não descartam pedir o impeachment do presidente se ele for reeleito e ficar comprovado seu envolvimento com o episódio do dossiê ou outro escândalo.

''A expectativa é que o modelo de composição do segundo mandato seja diferente do primeiro, com uma participação maior de partidos como o PMDB. O presidente sabe que a oposição continuará raivosa e que não terá a boa vontade da grande imprensa num segundo mandato. Vai precisar de apoio'', avalia o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, que integra o conselho da campanha de Lula à reeleição.

Além do PMDB, Lula deverá governar com o PSB, PC do B e as siglas que abrigam a maioria dos envolvidos nos escândalos do mensalão e dos sanguessugas --PL, PTB e PP.

Os amigos próximos e o PT devem ter o espaço reduzido significativamente num segundo mandato de Lula. O presidente já disse a interlocutores que não pretende repetir o que fez em 2002, quando nomeou amigos e derrotados nas eleições para ministérios, autarquias e estatais.

Segundo aliados próximos, Lula tem afirmado que não está mais disposto a pagar o preço de ter que responder por atitudes de seus ''companheiros'' nem do PT, pois avalia que muitos que privavam de sua intimidade ultrapassaram os limites e jogaram por terra a principal bandeira do partido --construída ao longo de 25 anos-- de luta contra a corrupção.

''Acredito que o presidente está ressabiado com os amigos. Ele ficou muito ferido com esse último episódio [do dossiê] e provavelmente num segundo mandato esse cenário [de levar amigos de longa data para o governo] não estará mais posto'', afirmou o senador Sibá Machado (PT-AC), coordenador da campanha de Lula no Estado.

Responsável pela coordenação política do governo, o ministro Tarso Genro tem afirmado que se for reeleito Lula quer evitar ''uma mistura de relacionamento pessoal'' com o mandato. Seria uma forma de diminuir a ''possibilidade de ocorrência de irregularidade''.

Sibá avalia ainda que o PT de São Paulo deve ser o mais afetado com essa decisão. Os escândalos que se acumularam no governo atingiram em cheio o PT de São Paulo.

No balcão de apostas dos aliados de Lula, a maioria joga suas fichas na permanência de ministros que conquistaram a sua confiança nos últimos quatro anos. É o caso do próprio Tarso Genro, de Dilma Roussef (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda) e Patrus Ananias (Desenvolvimento Social e Combate à Fome).

Em comum, esses ministros têm o fato de atuar com discrição e se expor para defender o chefe. Nos demais, inclusive no Banco Central, a avaliação é que haverá mudanças. No BC, Lula deve indicar um técnico do Ministério da Fazenda. Além dos aliados, Lula vai procurar preencher os cargos com notáveis que lhe ajudem a recuperar sua imagem e o discurso da ética. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca 2021 IPTU

01/10


2006

CE: Lúcio Alcântara acredita no voto dos indecisos

Antes de realizar sua caminhada, ontem pela manhã, no Centro de Fortaleza, o candidato à reeleição ao governo do Estado pela coligação Pra Frente Ceará, Lúcio Alcântara (PSDB), fez um balanço de quase três meses de campanha, comentou sobre o último debate da TV Diário e ainda aproveitou para tecer mais críticas ao seu principal adversário Cid Gomes (PSB), segundo o DIÁRIO DO NORDESTE.

 Na Praça do Ferreira, para os jornalistas presentes, o tucano afirmou que está animado com a campanha que vem fazendo neste período eleitoral e disse acreditar em um bom resultado nas urnas amanhã. “Visitamos o Ceará todo, levei a minha mensagem, mostrei o que fiz e farei, se for reeleito governador. Então cumpri o meu papel”, esclareceu. Mais uma vez, Lúcio reiterou a busca pelo voto dos eleitores indecisos como forma de reverter a vantagem de Cid Gomes (PSB) apontada pelos institutos de pesquisa.

 Sobre o balanço de sua campanha, o postulante tucano voltou a atacar, de forma indireta, o senador Tasso Jereissati e outros grupos políticos que eram contra sua campanha. “Eu enfrentei um poder político muito forte e um poder econômico poderoso e até a mídia também. Então levamos nossa mensagem, nossas propostas e convencido de que nós vamos dar essa virada no domingo”, disse empolgado. As informações são da Agência Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

01/10


2006

PE: Humberto Costa aposta vitória no 2º turno

 Indicado pelas primeiras pesquisas como o candidato das oposições melhor colocado, Humberto Costa (PT) teve a campanha desestabilizada por denúncias de suposta participação em escândalos de alcance nacional.  O petista, que contava com a popularidade de Lula para fazer crescer a candidatura, ainda teve que dividir os louros do presidente com seu principal concorrente na disputa pelo segundo turno, Eduardo Campos (PSB). Apesar das adversidades, Humberto permanece confiante e aposta na militância para continuar na disputa a partir de amanhã.

Os problemas enfrentados por Humberto eram ainda anteriores ao período eleitoral. O postulante entrou na briga com o PT no centro de denúncias de corrupção, caixa dois e cobrança de propina, o que poderia ser - e foi - explorado durante a campanha. A escolha por Humberto para disputar o Governo não foi consenso dentro do PT.

Humberto enfrentou uma série de eventos que ajudaram a desgastar sua candidatura. Primeiro o empresário Darcy Vedoin, integrante do esquema das sanguessugas, incluiu seu nome como participante nas irregularidades. Logo depois, o próprio lobista o inocentou de qualquer envolvimento, mas a denúncia já havia habitado as páginas dos jornais. No mesmo mês, o petista anunciou seu indiciamento, pela Polícia Federal, por suposta participação na “Máfia dos Vampiros”. A menos de uma semana do pleito, o Ministério Público encaminhou a denúncia da PF à Justiça. O petista atribui as denúncias a um complô político para prejudicar sua candidatura e a do presidente. Apesar das adversidades, ele permanece confiante: “Vamos chegar no segundo turno e depois vencer as eleições. Vamos avermelhar esta cidade”, afirmou. As informações são da Folha de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Drácula

SÓ CABEM DOIS VAMPIRO... VC SÓ ENTRA SE FOR PENDURADO NO PESCOÇO DO DUDU PRECATÓRIO........


ALEPE

01/10


2006

Congresso formado por artistas e herdeiros políticos

 Se as eleições deste domingo confirmarem as principais pesquisas de intenção de voto e a opinião de especialistas, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal serão tomados por artistas, filhos e parentes de políticos famosos e outras figuras polêmicas a partir de 2007.

Nomes como o do ex-presidente da República Fernando Collor de Melo (PRTB), o ex-governador de São Paulo, Paulo Maluf (PP) e o estilista Clodovil Hernandes (PTC) estão entre os mais cotados em seus respectivos estados para assumirem cadeiras no Congresso.

Collor, que renunciou à Presidência em 1992 em meio a um processo de impeachment, está entre os favoritos na corrida eleitoral em Alagoas por uma vaga no Senado.

Paulo Maluf disputa uma vaga na Câmara por São Paulo. Além de Maluf, o estilista e apresentador de TV Clodovil tem chances de ser um dos deputados mais votados do Brasil, também por São Paulo.

Artistas

Mesmo concorrendo pelo PTC, partido pouco conhecido dos eleitores, Clodovil tem tudo para ganhar uma vaga na Câmara. Durante a campanha, ele demonstrou um pouco de como pretende agir caso seja eleito deputado federal ao lançar o seu principal slogan: ''Brasília nunca mais será a mesma, vocês verão''.

Alguns artistas e até mães de cantores disputam vagas à Câmara. Regina Dirce (PAN), mãe do cantor Latino, concorre a uma vaga à Câmara no Rio de Janeiro. Em São Paulo, é Célia Alves (PSB) --mãe do vocalista dos Mamonas Assassinas Dinho, que morreu em um acidente aéreo em 1996-- que pretende se tornar deputada federal pelo PSB.

O cantor Frank Aguiar (PTB), conhecido pelo repertório regional que tem o forró como carro-chefe, é outro que deve estar entre os mais votados em São Paulo para uma vaga à Câmara dos Deputados.

A apresentadora de TV Soninha (PT) também decidiu alcançar vôos mais altos. Depois de se tornar conhecida como VJ da MTV e comentarista de programas esportivos, ela deve conquistar uma cadeira na Câmara Federal por São Paulo. Vereadora do Estado, o discurso da candidata é voltado prioritariamente para os jovens.

Paternidade

Há candidatos que apostam no sobrenome e prestígio político de parentes para se elegerem à Câmara e ao Senado. Ratinho Júnior (PPS), filho do apresentador de TV Ratinho, acredita no sobrenome famoso do pai para se eleger à Câmara. Ele disputa com o deputado Gustavo Fruet (PSDB), que ficou nacionalmente conhecido como sub-relator da CPI dos Correios, e Cássio Taniguchi (PFL), ex-prefeito de Curitiba, o título de deputado federal mais votado do Estado.

Paulo Bornhausen (PFL), filho do presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), concorre a uma vaga na Câmara apostando na influência política paterna. A esposa do ex-governador de Santa Catarina, Ângela Amim (PP), também disputa uma cadeira na Câmara. Paulo e Ângela estão, segundo as pesquisas, entre os candidatos mais votados do Estado.

Cristiane Brasil (PTB), filha do polêmico deputado Roberto Jefferson (PTB) --que teve o mandato cassado pela Câmara dos Deputados no ano passado depois de denunciar o escândalo do mensalão --também aproveitou o prestígio paterno e deve conseguir se eleger à Câmara dos Deputados pelo Rio de Janeiro.

No horário eleitoral gratuito, Jefferson foi presença constante no programa da filha, que está entre as mais cotadas para a Câmara defendendo o combate à corrupção --mesma bandeira levantada pelo pai famoso durante as investigações do mensalão.(Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/10


2006

BA: Pesquisa Ibop aponta vitória de Paulo Souto

A última pesquisa Ibope/Rede Bahia divulgada ontem, um dia antes da eleição, aponta para a vitória do candidato do governador Paulo Souto, do PFL e partidos aliados pela coligação Uma Nova Bahia a Cada Dia, no primeiro turno. De acordo com o levantamento, o governador terá 51% dos votos válidos, contra 41% do candidato do PT, Jaques Wagner. Entre os demais concorrentes, Átila Brandão (PSC) tem 3% dos votos válidos, enquanto Rosana Vedovato (PSL) alcança 2%. Antônio Albino (PSDC), Hilton Coelho (Psol) e Tereza Serra (Prona) alcançam 1% individualmente. O candidato Antônio Eduardo (PCO) não pontuou, de acordo com o CORREIO DA BAHIA.

 O Ibope ouviu 2002 eleitores entre a última quinta-feira e ontem, em Salvador e no Interior do Estado. O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo 2420/06.

 Na pesquisa estimulada, caiu a diferença entre Paulo Souto e Jaques Wagner. O governador tem 44%, contra 36% do petista. Átila Brandão figura com 3% e Rosana Vedovato com 2%. Antônio Albino, Hilton Coelho e Tereza Serra têm, individualmente, 1%. Antônio Eduardo não pontuou. Os brancos, nulos e indecisos somam 13%. 

Apesar da oscilação de Paulo Souto, que tinha 48% na pesquisa Ibope/Rede Bahia da última segunda-feira, não diminuiu o entusiasmo do PFL e partidos aliados. Ontem, quando fez campanha em Salvador, o governador e seus aliados demonstraram otimismo com a vitória já no primeiro turno.

 A pesquisa Ibope/Rede Bahia de ontem também confirmou que continua indecisa a eleição para o Senado, apesar do crescimento do candidato João Durval (PDT), ex-governador do Estado. O pedetista saltou de 29% alcançados na última segunda-feira para 34%. Em segundo está Antônio Imbassahy, ex-prefeito de Salvador, que tem 23%. O senador Rodolpho Tourinho, candidato do PFL e partidos aliados, cresceu dois pontos entre segunda e ontem, chegando a 22%, empatado tecnicamente com Imbassahy.

 Desde o início da campanha, a candidatura de Tourinho foi a que mais cresceu. Ele começou o pleito com 2% das intenções de voto, subindo para 4%, 16%, 19% e, por fim, 22%. Segundo a pesquisa Ibope/Rede Bahia, o número de brancos, nulos e indecisos chega a 15%. Os candidatos José Maria (PCO) e Juca Chaves (PSDC) têm, individualmente, 2%. André Luís (Psol) e Edinaldo Sacramento (PSTU) alcançaram um ponto cada. E Dr.X (Prona) não pontuou. As informações são da Agência Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes 2021

01/10


2006

Enquanto eleitor vota TSE testa urnas eletrônicas

 Enquanto eleitores do Brasil inteiro estiverem exercendo  o direito do voto, uma eleição paralela ocorrerá nos 27 Tribunais Regionais Eleitorais de todo o país. A votação simultânea, realizada em audiência pública, tem o objetivo de comprovar a segurança e confiabilidade do sistema  de urnas eletrônicas.

Caso seja verificada falha no sistema de alguma, a eleição será impugnada naquele estado.  “É uma medida de segurança para a Justiça Eleitoral, para os eleitores e para os partidos políticos”, explica o diretor-geral do TSE, Athayde Fontoura Filho.

A primeira etapa do processo de auditoria foi realizada no sábado (30). Em todos os estados, os TREs sortearam as urnas a serem usadas na eleição paralela, uma vez que o teste de segurança é feito por amostragem. As urnas sorteadas serão retiradas de suas zonas eleitorais, substituídas por outras e levadas para os TREs.

Segundo Athayde, serão testadas de uma a três urnas em cada estado. Na votação ''paralela'', primeiro, fiscais de partidos e representantes de coligações simularão a votação em cédulas de papel depositados em urna de lona.

Ainda hoje (1), a urna de lona será aberta e os votos serão digitados, um a um, nas urnas eletrônicas. Todo o processo, voto a voto, será filmado.

Ao final desse processo, os boletins das urnas eletrônicas serão comparados com os votos em papel, atestando ou não a confiabilidade do sistema informatizado. “As urnas são testadas e fiscalizadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pelo Ministério Público, pelos partidos políticos  e pela população que tenha interesse de acompanhar”, informou o diretor-geral do TSE. (Agência Brasil)



Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

01/10


2006

Mendonça analisa campanha como "positiva"

Principal alvo dos ataques dos candidatos ao Governo de Pernambuco nessas eleições, o governador-candidato Mendonça Filho (PFL) teve uma campanha razoavelmente equilibrada, mas que também passou por percalços em determinados momentos. Nesses 85 dias, em que teve que se dividir entre a agenda administrativa de governador e as atividades de candidato, o pefelista caminhou “pisando em ovos” para evitar ser acusado pelos inimigos políticos de uso da máquina pública. Desde o dia 6 de julho, quando de fato começou a campanha, o governador se manteve à frente dos adversários nas pesquisas, atingindo o percentual de 36,5% (27 de julho) e, na última abordagem do Instituto Opine, divulgada anteontem pela reportagem, o pefelista apresentou índice de 39,1%.

 

Mas nem tudo foram flores na campanha do pefelista. O governador-candidato viu sua campanha e sua liderança nas pesquisas ser abalada por duas vezes: quando participou do debate da TV Clube, no dia 28 de agosto, e foi bombardeado pelos outros postulantes ao Governo de Pernambuco, e quando o caso do empréstimo que seu pai, o deputado José Mendonça (PFL), contraiu junto ao Banco do Nordeste e não pagou, veio à tona. O assunto foi abordado pelo candidato do PSol, Edilson Silva, no debate da Clube, e terminou sendo usado pelos adversários no guia de TV. O fato figurou, principalmente, no guia de Eduardo Campos (PSB). Mas a União por Pernambuco, partidária do pefelista, agiu rapidamente e conseguiu, junto ao TRE, tirar a denúncia dos programas dos adversários. Apesar desses incidentes, Mendonça Filho analisa como “muito positiva” sua campanha e se sente “satisfeito e confiante”. As informações são da Folha de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

01/10


2006

Cabos eleitorais não fazem boca-de-urna

Segundo informações do repórter Adriano Roberto, da Rádio Melodia FM 106.9, até o momento ninguém está fazendo boca-de-urna em Pernambuco. Mas, durante a madrugada alguns panfletos foram jogados em frente a locais de grande movimentação. De acordo com o Ministério Público de Pernambuco, 151 promotores estarão fiscalizando as seções no Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

01/10


2006

Rui Pimenta continua na disputa até decisão do STF

Com a candidatura rejeitada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o candidato Rui Costa Pimenta (PCO) ainda concorre na eleição presidencial deste domingo. Rui Pimenta utiliza uma decisão judicial para concorrer, até que o Supremo Tribunal Federal (STF) avalie seu caso. O registro de candidatura de Rui Pimenta foi negado por não ter prestado contas de sua campanha anterior, também à Presidência, em 2002.

Se a candidatura do PCO for anulada, após as eleições, todos os votos dados a ele serão considerados nulos. Com isso, ficaria alterado o percentual de votos válidos de cada candidato. O advogado Fernando Neves, ex-ministro do TSE, considera que se o resultado da eleição for muito apertado, a anulação dos votos de Pimenta pode até ser importante para a eleição.

- Se chegarmos a um ponto em que o percentual de Rui Pimenta seja decisivo para haver segundo turno, o STF deve decidir a questão de imediato, para não criar uma insegurança jurídica no processo eleitoral - afirmou. As informações são do JB Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/10


2006

Desastre do boeing da Gol e 2º turno dividem jornais

Divididos em duas grandes chamadas de capa, a maioria dos jornais deu destaque para o acidente com o Boeing da Gol e para as eleições que se realizam hoje em todo o país. Na manchete política, a maioria também optou pelos últimos resultados das pesquisas Ibope e Datafolha, que indicam a possibilidade de segundo turno:

- Folha de S.Paulo: Lula perde vantagem, e 2° turno está indefinido

- Estado de S.Paulo: Dividido, Brasil decide se eleição de presidente vai para o 2° turno

- O Globo: Eleição decide hoje o futuro de Lula e do PT

-Jornal do Brasil: Pesquisas indicam segundo turno

- Correio Braziliense: Brasil vai às urnas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Lula ainda é o canditato que levará o Brasil ao 1º Mundo. Oas organizações internacionais copiam suas idéias para implantá-las nos países de populações necessitadas. Lula é exemplo de estadista. A revista Times o notabilizou entre os 10 líderes mundiais. Ela tem credibilidade. É lula.

paulo

Dudu 10%, o neto que matou Dr Arraes nun vai arrumar uma boquinha pra roubar em Pe. E vai ter que deixar de trambicar tambem no MCT, pois vamos limpar o pais. Fora sanguessugas, precatorios, atraso, vampiros, mensalao sanguessugas, delubios, sacolinha...... e naun acaba mais nunca vimos tanta sujeir