Ipojuca 2021

29/09


2006

Alckmin é acusado de aumentar despesa oficial

 Enquanto esteve à frente do Palácio dos Bandeirantes, entre 2001 e 2005, o candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, aumentou os gastos do governo paulista com locação de carros e aeronaves em 622%, segundo dados levantados pelo PT. O período maior de crescimento foi registrado em 2005, especialmente com o fretamento de aviões, afirma o deputado Enio Tatto, líder do PT na Assembléia Legislativa de São Paulo.

Naquele momento, Alckmin iniciou a disputa interna com o então prefeito paulistano, José Serra, para a escolha do candidato tucano ao Palácio do Planalto. Entre 2004 e 2005, a elevação teria sido de 53%. Em 2001, Alckmin gastou R$ 5,3 milhões com aviões e carros em viagens. Em 2005, esse valor subiu para R$ 39 milhões. O total gasto, em cinco anos, foi de R$ 90 milhões. A assessoria do candidato Alckmin informou que o Palácio dos Bandeirantes é que se manifestaria a respeito. O governo contestou as informações do PT.

Os números sobre a elevação estão no Sistema de Gerenciamento de Execução Orçamentária do Estado de São Paulo (Sigeo) e foram divulgados pela liderança do PT na Assembléia Legislativa. Além da verba já disponível para esse fim, um assessor especial do governador, José Eduardo de Barros Poyares, lotado na Casa Civil – que é encarregada de cuidar dos gastos do titular do Palácio dos Bandeirantes -, recebeu um montante de verba de representação, no mesmo período, que causou estranheza aos petistas.

Com esses dados em mãos, o deputado Enio Tatto vai encaminhar um requerimento ao governo do Estado solicitando informações e o detalhamento dos gastos. Tatto quer saber para quais locais Alckmin viajou, principalmente em 2005. Desde o ano passado, na verdade, o PT já havia solicitado esses esclarecimentos, mas não obteve resposta, de acordo com o deputado. “Esses gastos desmascaram a imagem do administrador, mostra que é pura balela”, critica Tatto. “O ex-governador usava recursos públicos para se autopromover e para se viabilizar na disputa interna como candidato à Presidência”, acusou o líder petista. As informações são do Correio Web.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cesar Augusto R. Cavalcanti

Em entrevista concedida quarta-feira à jornalista Monica Bérgamo, o governador de São Paulo, Cláudio Lembo, confirmou que encontrou um "rombo" de 1.200.000(Um milhão e duzentos mil reais), ao assumir o governo do despreparado Alckmim.

Nathália Hozzi

Pois é, minha gente, e o Geraldo rabo-de-palha ainda tem coragem de falar do Lula... aposto como ele vai dizer q não sabia que os gastos na sua gestão aumentaram tanto... assim como tb nao sabia q a sua mulher "ganhou" 400 vestidos de presente... e por aí vai... é o sujo falando do mal lavado...


Petrolina abril 2021

29/09


2006

Câmara reforça verba para os deputados federais

Desgastados pelos seguidos escândalos de corrupção, como o mensalão e a Operação Sanguessuga, os deputados federais tiveram uma compensação na campanha pela reeleição: o reforço da verba indenizatória, que paga combustível, despesas de viagem, consultorias, aluguel de carro, de escritório nos estados e até de avião. E não é pouco. Foram R$ 54 milhões de janeiro a setembro deste ano — uma média de R$ 105 mil por deputado. Nos três meses de campanha oficial, a partir de julho, a maior parte do dinheiro foi investida em locomoção: R$ 3,6 milhões (30% do total). No primeiro semestre, essa despesa havia representado 20% dos gastos. Entre julho e setembro, o gasto com combustível alcançou R$ 3,3 milhões. Mais uma boa ajuda no deslocamento dos parlamentares por suas bases eleitorais em busca de votos.

A verba de locomoção cobre despesas como hospedagem e alimentação do parlamentar e de seus assessores. Essa verba viabiliza o contato direto com os eleitores. Quem mais gastou com locomoção foi o deputado Neiva Moreira (PDT-MA). Foram R$ 39 mil, exatos R$ 13 mil a cada mês. Agnaldo Muniz (PP-RO), gastou um pouco menos no período de campanha oficial: R$ 35,3 mil. Mas ele concentrou os gastos em dois meses, R$ 20,4 mil em agosto e R$ 15 mil em setembro. O Correio entrou em contato com o deputado enquanto ele estava na estrada, na última terça-feira, em visita aos eleitores. “Estou na estrada, em plena campanha. Essa quantia é para aluguel de aviões e carros, quando eu vou prestar contas no estado”, contou Agnaldo. As informações são do Correio Web.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

29/09


2006

Lula deveria ter ido ao debate, diz maioria

Para 67% dos internautas que votaram na enquete, o presidente Lula deveria ter ido ao debate da Globo, ontem. Hoje, queremos saber quem venceu o debate? Dos três candidatos que compareceram - Alckmin, Heloísa Helena e Cristovam - quem se apresentou melhor? Opine, vote e exercite a democracia. O blog agradece.
 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Discordo.O que vale para o povão é o bolsa familia,o resto é estoria pra boi dormir.

Normando Leite Cavalcante

Lula deveria sim ter comparecido ao debate! Foi um desrespito à democracia que, ele tanto defendeu tempos atrás.Agora por conveniência não foi.Achei muito feio e apanhou pouco ainda. Na outra eleição que FHC não esteve presente o Lulalá deitou e rolou.Quam saiu-se melhor? Os três foram melhores!


Bandeirantes 2021

29/09


2006

Lacerda e Godoy depõem hoje na Polícia Federal

A Polícia Federal vai ouvir nesta sexta-feira, em São Paulo, os depoimentos de Hamilton Lacerda e Freud Godoy, envolvidos na suposta compra de um dossiê pelo PT contra políticos tucanos.

Uma equipe da PF de Cuiabá (MT) chegou a São Paulo nesta quinta-feira para tomar os depoimentos.

Lacerda, então coordenador da campanha de Aloizio Mercadante (PT) ao governo de São Paulo, foi quem entregou a mala com dinheiro ao advogado Gedimar Pereira Passos e ao empresário Valdebran Padilha da Silva, no hotel Ibis em São Paulo, no dia 14, segundo informação da PF. Lacerda deixou a campanha de Mercadante após o caso. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/09


2006

Lula, o grande perdedor

 Fugindo do debate na TV Globo, o presidente Lula pode ter provocado o segundo turno na eleição presidencial. Quem tem a força de esnobar a Globo, a emissora que, verdadeiramente, faz opinião pública no País?

 

Só Lula, do alto do seu pedestal. Vai pagar caro? Provavelmente, porque o debate, já um pouco tarde da noite de ontem, vai ser editado, hoje, no Jornal Nacional, em horário nobre.

 

Historicamente, os debates na telinha global decidiram ou influenciaram o resultado da eleição presidencial. Dependendo da forma como editado no Jornal Nacional.

 

Foi assim naquela edição de Lula com Collor. Quem não lembra? O público que viu o debate, claro, foi bem inferior a grande massa que estava postada diante da tevê para ver o Jornal Nacional.

 

E hoje, como a Globo vai editar o debate em que Lula, a principal estrela, zombou da emissora, ignorou a opinião pública – e o pior – passou o dia dizendo que iria e acabou mandando um não à Globo às sete da noite?

 

Além desse fator (edição do debate no JN), com sua ausência, Lula permitiu que seus adversários, que não foram os laranjas, mas os reais, pudessem brilhar. De início, Cristovam perguntou ao presidente se ele renunciaria caso fosse comprovado seu envolvimento no dossiê contra Serra.

 

Heloísa Helena e Alckmin também atacaram no campo da ética e da corrupção. Heloísa, mais incisiva, disse esperar que Lula descesse do trono da corrupção. Alckmin perdeu uma boa oportunidade para atacar o presidente quando foi abordado sobre o tema corrupção. Mas, em outros momentos, ele mostrou preparo e capacidade, até mesmo quando tratou da questão da violência em São Paulo.

 

Não dá para dizer quem venceu o debate. Dá para afirmar quem perdeu. Lula foi o grande perdedor. Faltou e, em discurso em São Bernardo, no mesmo instante da realização do evento na Globo, ainda fez piadas contra a emissora e seus adversários, dizendo que preferia estar ali  “com meus companheiros”.

 

Lula esquece que sua bola não está tão cheia para esnobar ninguém, nem tampouco desafiar a Globo. Com 53% dos votos válidos, segundo a pesquisa do Ibope, ele tem apenas três pontos a mais do que seus adversários.

Trata-se, portanto, de uma frente apertadíssima, dentro da margem de erro das pesquisas.

 

Qualquer tropeço pode ser fatal. Como o de faltar e esnobar um debate na telinha global.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Quem deve teme. O maior corrupto de toda a história da politica brasileira não tem coragem de enfrentar a verdade.

Giovanni JOsé Gouveia Soares

Uma questão aritimétrica: Se Lula tem 53% das intenções de votos válidos, significa que ele está a 6 pontos percentuais a frente da soma de seus adversários (100 - 53 = 47; 53 - 47 = 6). Voltando ao conteúdo, o voto em Lula tem demonstrado que não se abate, o debate, ou sua edição, não interfere..

JOSE JERONIMO DA SILVA

Naverdade, o debate poderia ter sido um marco na historia politica, porém, comprometido com a corrupção, escravo dos banqueiros, cercado de malfeitores, quadrilha armada e voltada para sacar os cofres da nação, o SAPO BARBUDO,não poderia mostrar a cara. Espere o que vai acontecer.

Nathália Hozzi

A gente vê quem ganhou e quem perdeu domingo, depois das 17H. Mas Magno... que títulio mais tendencioso esse dessa matéria, não?

Ivan Câmara de Andrade

Fez bem o Lula em não ter ido ao debate, a Globo não merecia picos de audiência às custas de Lula. Se fosse um pool de emissoras tudo bem, mas encher a bola da Globo? Essa mesma Globo que nunca aborda o conteúdo do dossiê? Essa Globo da caravana JN? Que vive a insinuar que os problemas no Brasil sur


Serra Talhada 2021

29/09


2006

Messias ou Tiradantes?

Nestes dias de escândalos insistentemente repetidos, há muita gente indignada torcendo para que a história se repita. Que a divindade tupiniquim seja, pois, como almeja ser, um muito de Cristo, um muito de Tiradentes. Afinal, muitos exultam, um foi crucificado. O outro, enforcado e esquartejado''. Assim, o jornalista Marcelo Alcoforado conclui o ser artigo sobre as crises de heroísmo do presidente Lula em seus discursos. Está em Opinião. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

29/09


2006

Charge do dia - Lailson

 















Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Eu tenho que tirar o chapéu para Lailson. Ele é o melhor do País.


Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

29/09


2006

Opine aponta segundo turno entre Mendonça e Eduardo

 A três dias para as eleições, a Folha de Pernambuco divulga, hoje, a última pesquisa de intenção de votos, feita pelo Instituto OPINE, neste primeiro turno, na qual aponta o governador Mendonça Filho (PFL) como o preferido para 39,1% dos eleitores.

 O candidato cresceu 1,2 ponto percentual em relação à amostra divulgada no último dia 18. A novidade, porém, foi a vantagem apresentada pelo deputado Eduardo Campos (PSB) em relação ao ex-ministro Humberto Costa (PT). Na pesquisa passada, ele tinha 21,6% e subiu para 24,6%. O petista  já era o terceiro, com 20,6%, e caiu agora para 16,4%. O detalhe é que a redução de Humberto é igual à soma do crescimento de Mendonça e do socialista (4,2%).

Os demais candidatos ficaram na seguinte ordem: Kátia Telles (PSTU), 0,6%; Clóvis Corrêa (Prona), 0,5%; Edilson Silva (P-Sol), 0,2%; Rivaldo Soares (PSL), 0,2%; Luiz Vidal (PSDC), 0,1%; e Oswaldo Alves (PCO), 0%. Os indecisos são 11,4%, outros 6,9% não votariam em ninguém e 0,1% não respondeu.

O total de todos os candidatos da oposição chega a 42,6%, o que garante a realização do segundo turno. A pesquisa foi feita entre os dias 23 e 27 deste mês, em 92 municípios divididos em cinco mesorregiões, com 1.202 entrevistas. A margem de erro é de 2,9 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O levantamento foi feito durante o período em que Humberto foi denunciado pelo Ministério Público Federal como integrante da máfia dos vampiros. Apesar da defesa durante a campanha, a pesquisa mostra que ele pode ter sido afetado. Nesse mesmo período, surgiu a denúncia de negociação de caixa dois, contra o presidente licenciado do PSB, Milton Coelho, mas Eduardo Campos parece ter escapado ileso. Também aconteceu nesta semana o debate na TV Globo, e como o programa não teve nada de novo, pode ter alterado pouco o quadro dos candidatos junto ao eleitorado.

Mendonça está dentro da sua média, na Região Metropolitana, com 39,3%, chega aos 40,9%, no Agreste e cai para 37,8%, na Zona da Mata. Eduardo aparece melhor na Zona da Mata (28,6%) e sua pior marca está na RMR (22,9%). Já Humberto tem 26,6% no Sertão e 13,6% na RMR.

Entre os eleitores que ganham até dois salários mínimos, 38% votariam no governador, 23,9%, no socialista, e 18,3%, no petista. Já 45,9% dos que recebem mais de dez mínimos preferem Mendonça, Eduardo tem apoio de 18,9%, e Humberto ficaria com 8,1% dos votos nesta faixa salarial. As informações são da Folha de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jonas Ricardo Lyra Reis

Esse institutuzinho é comprado pelo PFL (André de Paula e Tony Gel). Não dá para confiar !!!!!!!!!!

marcos

Está pesquisa deve ter sido feito na casa de Magno ou no escritório dele, eita pucha saco danado. Magno este seu institudo vale quanto se paga. Pelo amor de Deus Eduardo SACOLINHA NAO

Fabio Henrique Cavalcanti Pedrosa

No próximo domingo vamos dar uma resposta à altura a toda a prepotência e arrogância de Mendoça Filho. Pernambuco não merece mais um governo desses. Chega!

José Carlos-Serra Talhada

Revista isto é: Mendonça 37% / Humberto 27% / EDuardo 22.8%

José Rodrigues da Silva

Humberto, há muito é um defunto político. Sepultado junto a ele, as vaidosas pretenções de um Dilson, que só cresceu em vãs vaidades, no resto tão pequeno quanto o próprio!



29/09


2006

Candidatos começam a tirar sites do ar

 Os candidatos às eleições de 1º de outubro começaram a retirar suas páginas na internet do ar na madrugada desta sexta-feira, em obediência à resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os candidatos à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Cristovam Buarque (PDT) já suspenderam site de campanha. A candidata Heloísa Helena, do PSOL, ainda mantinha, à 1h30, sua página na rede.

Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo José Serra (PSDB) e Aloizio Mercadante (PT) obedeceram a legislação. Orestes Quércia (PMDB) e o candidato do PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, ainda divulgavam, à 1h30, campanha na internet.

Na noite desta quinta-feira, os candidatos transmitiram pela última vez nas eleições desse ano o horário eleitoral na TV, mas poderão fazer campanhas na rua até sábado.

Já no domingo, dia da eleição, o TSE proibiu o uso de alto-falantes e de amplificadores de som, a realização de comícios e de carreatas, arregimentar eleitor ou fazer boca-de-urna e a divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos e de candidatos. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/09


2006

Debate foi de alto nível

Em entrevista após o debate dos presidenciáveis na rede Globo ontem, o candidato do PDT, Cristovam Buarque, disse que o debate esteve longe do confronto. ''Foi um debate sem confronto, muito próximo do diálogo'', afirmou.

Durante o debate, Cristovam chegou a pedir um segundo turno com qualquer candidato, mesmo que não fosse ele. Cristovam disse que o segundo turno seria a melhor maneira de evitar que Lula vencesse com a suspeita de envolvimento na compra do dossiê contra tucanos. Aos jornalistas Cristovam negou que tenha havido acordo prévio entre os candidatos,

A candidata do PSOL Heloisa Helena disse aos jornalistas que sua postura mais branda durante o debate faz parte de sua personalidade. ''Sou fofa'', disse.

Heloisa respeitou todos os tempos de resposta durante o programa, ao contrário da entrevista que concedeu ao Jornal Nacional em agosto. Em clima de despedida, a candidata disse aos jornalistas que sua campanha foi ''uma luta de Davi contra Golias'' e lembrou das dificuldades financeiras.

O tucano Geraldo Alckmin afirmou que Lula deveria ter vindo ao debate em respeito ao eleitor. Ao ser questionado sobre o fato de o ex-presidente FHC também não ter comparecido aos debates na época em que tentava a reeleição, disse: ''Um erro não justifica o outro''. As informações são da Folha Online
.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha