O Jornal do Poder

12/10


2006

Irmão de Lula vota em Alckmin

Jackson Inácio da Silva, um dos 15 irmãos vivos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), anunciou nesta quarta-feira (11) que votará em Geraldo Alckmin (PSDB) no segundo turno das eleições.

Jackson, que é operário e se diz militante do PT, afirmou que não votará no irmão presidente porque é ''contra a reeleição''.

Em declarações a jornalistas, ele afirmou que Lula no passado também foi contra a reeleição e disse que não é justo um governante utilizar a legislação para se manter no poder.

Lula ''teria que sair após quatro anos de mandato. Aí sim o povo poderia ver se ele foi um bom presidente'', opinou Jackson, que até agora sempre havia votado no irmão.

Sobre os escândalos de corrupção, Jackson disse que sente vergonha. ''O PT me deixou envergonhado. Era minha esperança, não tinha direito de errar'', disse.

Operário do setor da construção, Jackson em três ocasiões foi candidato pelo PT a vereador em Mongaguá (litoral sul paulista). Ele criticou os programas sociais do governo federal, especialmente o Bolsa-Família.

''O Brasil não é só o Nordeste. Além disso, o Bolsa-Família é uma vergonha para qualquer governo. O povo não quer esmola, quer trabalho, casa para viver, escova de dentes. Não apenas arroz e feijão'', comentou.

Ele garantiu que não se sente frustrado por não contar com a ajuda direta de seu irmão. ''Não é esse o problema. Ele tem que cuidar do Brasil. Aqui é cada um por si. Todos somos trabalhadores'', disse.

O ex-eleitor de Lula lembrou que a última vez que falou com Lula foi no dia 1º de janeiro de 2003, na posse do presidente. Jackson tem mais contato com os irmãos que vivem em Santos. Mas não soube dizer em quem o resto da família vai votar no dia 29 de outubro. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

VILLA QUESTIONADOR

É apenas mais "UM", entre minhares de Ptistas indignados. Quem assistiu ontem à TV Senado, teve a oportunidade de ver a indignação e revolta, quando foi às lágrimas, a Senadora Heloísa Helena, por conta de uma montagem ridícula, feita pelos PTRALHAS...


Potencial Pesquisa & Informação

12/10


2006

PF só ouve Berzoini na próxima terça-feira

Apesar de ter sido convidado a depor na Superintendência da Polícia Federal na sexta-feira sobre o escândalo do dossiê, o deputado federal e presidente licenciado do PT, Ricardo Berzoini, só será ouvido na terça-feira da semana que vem.

Por ser parlamentar, Berzoini tem foro privilegiado. Um dos privilégios é justamente poder escolher a data do depoimento em casos como esse.

As investigações da PF apontam indícios de que Berzoini tinha conhecimento da compra, por membros do PT, dos documentos que ligariam tucanos à máfia das ambulâncias.

O delegado da PF Diógenes Curado, no entanto, ainda não tem provas de que ele tenha sido o mandante da compra do dossiê --como afirma reportagem publicada hoje pelo jornal ''Correio Braziliense''.

Segundo a assessoria de imprensa de Berzoini, ele informou à PF que não poderia depor na sexta-feira, como havia sido divulgado durante a tarde. Assim, Berzoini e a entidade concordaram em realizar o depoimento na terça-feira.

Em nota divulgada hoje, o ex-presidente do PT rebateu as acusações. ''As manchetes são absolutamente inverídicas, não guardando relação sequer com o conteúdo das próprias reportagens publicadas internamente.''

Berzoini afirma que vai processar os jornais pelas reportagens ''diante da violência e da irresponsabilidade de tais publicações''.

Abel Pereira

No caso do empresário Abel Pereira, o depoimento deve ser mantido para a sexta-feira. Ele é ligado ao ex-ministro da Saúde e atual prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB).

O empresário tem negócios em Piracicaba e, segundo os Vedoin disseram em entrevista à revista ''IstoÉ'', na ocasião em que Negri foi ministro da Saúde, Pereira atuava como intermediário para liberação de emendas de interesse da máfia dos sanguessugas, que desviava dinheiro público destinado a compras de ambulância. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

12/10


2006

Coordenador de Lula evita clima de "já ganhou"

A vantagem de 11 pontos percentuais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre Geraldo Alckmin (PSDB), como apontou pesquisa Datafolha divulgada hoje, trouxe alívio à campanha do petista e ao próprio presidente depois do crescimento do tucano no primeiro turno das eleições.

Mesmo com a euforia, o coordenador da campanha de Lula, Marco Aurélio Garcia, preferiu ser cauteloso ao comentar o resultado. ''Não vamos ficar no salto alto por causa disso. As pesquisas refletem o momento da campanha, mas é evidente que é um alívio'', disse.

Críticas

A exemplo de parlamentares petistas e do presidente Lula, que nos últimos dias vêm elevando o tom nas críticas a Alckmin, Garcia disse que a campanha petista não será de ''paz e amor''. Mas ressaltou que o objetivo do PT é manter a campanha ''propositiva e serena''.

O coordenador, no entanto, partiu para o ataque contra o tucano ao insinuar que Alckmin pode cortar o benefício do Bolsa Família para parte das famílias que recebem o auxílio.

''O corte de R$ 60 bilhões na economia [proposto por Alckmin] representa três anos de Bolsa Família. Deve ser isso que ele vai fazer'', afirmou.

Garcia disse que a população brasileira ''está se dando conta do risco Alckmin''. Segundo ele, as pessoas estão começando a ''constituir a onda Lula no país'' como contraponto a candidatura tucana.

Debate

O coordenador acusou Alckmin de ter desrespeitado Lula durante debate realizado pela TV Bandeirantes no último domingo. ''Por mais contundentes que fossem as críticas de Alckmin, ele deveria fazê-las com o mínimo de respeito. Alguém que aspira a Presidência da República deve respeitar quem está no cargo'', enfatizou.

Segundo Garcia, a disputa no segundo turno não se dará entre Lula e Alckmin, mas entre dois projetos distintos de governo. ''O povo tem que ficar esclarecido sobre a natureza dos dois projetos, se querem mudanças ou voltar atrás'', disse. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/10


2006

Campanha eleitoral volta hoje ao rádio e TV

Os candidatos à Presidência no segundo turno, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o tucano Geraldo Alckmin, voltarão nesta quinta-feira ao horário eleitoral gratuito. As propagandas serão veiculadas duas vezes ao dia, no rádio e na TV. A expectativa é a de que os programas sejam mais críticos do que os transmitidos no primeiro turno, quando a vitória do petista era tida como certa. A mudança de tom deverá provocar uma série de reclamações e pedidos de direito de resposta no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Os presidenciáveis terão o direito de veicular programas em bloco e inserções. A propaganda será transmitida todos os dias da semana, inclusive aos domingos, e será dividida em dois períodos diários de 20 minutos cada um, tanto na TV como no rádio. Cada candidato terá 10 minutos em cada bloco. O horário eleitoral vai até o dia 27, dois dias antes da eleição.

Lula é quem reabre a programação gratuita. Isso ocorrerá porque o presidente foi o candidato que teve mais votos no primeiro turno, realizado no dia 1º. Ele recebeu 46.662.365 votos ou 48,61% dos votos válidos. Segundo colocado, Alckmin conseguiu 39.968.369 votos ou 41,64%. A ordem de apresentação será alternada entre os dois a partir de então. Os programas em bloco, de dez minutos, serão veiculados no rádio a partir das 7 horas e do meio-dia. Na TV, a propaganda será exibida a partir das 13 horas e das 20h30. Além disso, os candidatos terão disponíveis 7 minutos e meio diários de inserções - pequenas peças com propaganda eleitoral.

Nos dez Estados onde haverá segundo turno para a escolha de governador, os candidatos terão suas propagandas veiculadas no horário eleitoral gratuito logo após o programa dos presidenciáveis. (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/10


2006

Heloisa chora e diz ser perguida pelo PT

A candidata derrotada do PSOL à Presidência da República, senadora Heloísa Helena (AL), fez um desabafo hoje enquanto presidia a sessão do Senado. Ela disse que é vítima do machismo da classe política e da imprensa pela divulgação de uma fotomontagem que colocou o seu rosto sobre o corpo de uma modelo de uma revista masculina.

Chorando, a senadora disse que está sofrendo pressões de ''gente do PT'' porque não declarou apoio ''ao vagabundo do presidente Lula''.

Ela acusa o partido de estar por trás de uma fotomontagem na qual aparece com roupas íntimas na capa falsa de uma revista masculina. A montagem foi feita pelo site Kibe Loco e mostra a senadora com uma tatuagem do PT na barriga e uma calcinha vermelha com a sigla do PSOL.

''Eu sei o que estou passando, recebendo cartas de gente do PT porque não declarei apoio ao vagabundo do presidente. Eu sou uma mulher digna, não é a primeira vez que isso acontece comigo. Sou uma mãe de família exemplar'', desabafou.

A senadora disse que tem a informação de que a fotomontagem está sendo distribuída na rodoviária de Brasília por militantes do PT. E contestou reportagem do jornal ''O Globo'' que informou que ela se achou ''bonitinha'' na foto.

''Só se eu fosse uma mulher vagabunda, uma mãe vagabunda para olhar para uma montagem horrorosa como aquela, como se eu estivesse nua na capa da Playboy e eu me achar bonitinha'', disparou. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

É isso Ary,40 NELES!!!!!!!!!!!!!!!!!

sou Lula convicto e faço campanha, no dia-a-dia com a certeza de termos dias melhores e que este trabalho social continue, para minimizar as dores da pobreza nacional, e principalmente do nosso nordeste. Em Pernambuco, graças à Deus tudo leva a crer que elegeremos Eduardo Campos 40. Vamos à vitória.

sentença julgada, para que a incriminação que a sra. faz ao Lula seja verdadeira. Na política há situações que até Deus duvida, então vá se preparando, se pretendes concorrer outra(s) a um cargo dessa dimensão. Entendo que a sra. é uma pessoa séria e que no nosso senado vai fazer muita falta. Embora

Prezada Heloísa, tendo a senhora aderido à campanha de uma forma bastante agressiva com o PT, não deveria se surpreender com essas ações que infelizmente na política é fato. Quem concorre a um cargo desta natureza e bate da forma que a sra. bateu, tem que está preparada para tudo. Até porque, não

milton tenorio pinto junior

Heloisa adora os holofotes.Gosta mesmo é de estar na mídia!!!!



12/10


2006

PT pede retirada de propaganda no site de Alckmin

A coligação liderada pelo PT na disputa presidencial encaminhou ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) uma representação contra a coligação liderada pelo PSDB. Na representação, o PT constesta a utilização de bonecos que representam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, e outros membros do partido, em propaganda na página eletrônica da campanha de Geraldo Alckmin, candidato tucano à Presidência.

De acordo com o TSE, o PT alega que propaganda semelhante com o uso de bonecos que ''advertem'' que a ''turma do Lula'' poderá voltar caso ele seja reeleito já teria sido julgada irregular e que o tribunal determinou sua retirada.

O TSE já havia definido que a propaganda do PSDB com o uso de bonecos ridiculariza Lula e determinou a retirada da propaganda, mas não concedeu direito de resposta solicitado pelo PT. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/10


2006

TSE nega pedido de cassação da candidatura Lula

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu na noite desta terça negar, por unanimidade, o pedido de cassação da candidatura à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de multa ao ministro da Fazenda, Guido Mantega.

A coligação do também candidato Geraldo Alckmin (PSDB) moveu a ação por suposto desvio de finalidade da máquina pública em proveito da candidatura de Lula. Mantega teria concedido entrevista em que fez declarações de conteúdo eleitoral em benefício do presidente.

A corte acompanhou o voto do relator, ministro Ari Pargendler, que julgou a ação improcedente. De acordo com o ministro, os interesses públicos administrados pelo Ministério da Fazenda são vulneráveis aos fatos políticos. Por isso, segundo ele, "a avaliação pelo ministro da Fazenda de um episódio eleitoral não só é legítimo, como importante para a sua gestão". (Terra)
 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Armando

MUSICA DE MAGNO PARA MUNDICINHA: ''''ENCOSTA TUA CABECINHA NO MEU OMBRO E CHORA... E CHORA"... 69 X 31 QUE LAPADA... E DO JEITO QUE VAI VAI AUMENTAR + PODE CRER... ASSISTAM AO CLIPE DA VITORIA MEU POVO... EH EMOCIONANTE... EH 40... http://www.youtube.com/watch?v=yKhzuTCNKdU

Deixem de ser imbecis, anular a candidatura de Lula é simplesmente o cúmulo da idiotice e não adianta, pois estão perdidos de goleada. Vocês terão que repensar a estratégia e por favor não continues com esses absurdos, tentem terminar a campanha pelo menos dentro de forma honrosa.



11/10


2006

Lula volta a acusar Alckmin de privatizar estatais

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT à reeleição, voltou a acusar seu adversário na disputa eleitoral, o tucano Geraldo Alckmin, de querer privatizar a Petrobras, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal caso seja eleito.

"Os adversários do Sérgio Cabral e meus adversários querem vender o restante das coisas que não venderam no governo passado. Eles querem privatizar o que resta privatizar neste país. Coisas importantes como a Petrobras, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Como eles nunca trabalharam, ao invés de trabalhar para comprar mais coisas, eles querem vender tudo o que tem para pagar a dívida que eles mesmos fizeram e o governo vai ficando sem nada", afirmou Lula.

Ao lado de Sérgio Cabral, candidato do PMDB ao governo do Rio, o presidente participou, na noite desta quarta-feira, do primeiro comício petista em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, no segundo turno das eleições. Também estavam presentes ministros, prefeitos e lideranças do PMDB e do PT.

Lula exibiu no comício o novo slogan de sua campanha para o segundo turno: "não troco o certo pelo duvidoso. Quero Lula de Novo".

Ele também disse ter sido criticado por seus adversários por conta do aumento de salário mínimo. "Eles diziam: não dá para dar aumento do salário mínimo porque vai quebrar as prefeituras e a Previdência. Nós demos o maior salário mínimo dos últimos 30 anos e não quebramos as prefeituras e não quebrou a Previdência", afirmou.

O presidente da Câmara Federal, Aldo Rebelo (PC do B), também presente no comício, citou nominalmente o candidato tucano à Presidência e disse que o Rio de Janeiro não vai se "converter" em curral eleitoral de candidato que não conhece nem se interessa pelo Estado.

"O que que o Alckmin conhece do Rio do Janeiro? Não conhece nada nem do futebol, do samba, portanto o Rio de Janeiro não vai se converter em curral eleitoral de quem não conhece nem se interessa pelo Rio de Janeiro", disse Aldo. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/10


2006

Programa de Mendonça na TV bate forte em Eduardo

O guia eleitoral do candidato do PFL a governador de Pernambuco, Mendonça Filho, mudou radicalmente a sua linha, hoje. No programa de tevê exibido há pouco, a âncora apresentou uma parte da herança que Jarbas Vasconcelos recebeu do ex-governador Miguel Arraes, em 1999.

Ressaltando que era Eduardo Campos o secretário da Fazenda, exibiu manchetes de jornais da época mostrando que o Governo Arraes atrasou três folhas de pagamento dos servidores públicos e até o décimo terceiro salário. Mostrou, ainda, que Eduardo, à frente das finanças do Estado, aumentou a dívida com a União de R$ 3 bilhões para R$ 7,3 bilhões.

O programa foi encerrado com uma pergunta provocativa a Eduardo: aonde ele investiu R$ 1 bilhão do empréstimo dos precatórios, valor, segundo destacou o programa, quase igual ao arrecadado pela privatização da Celpe? O programa fez referências, ainda, às obras feitas por Jarbas com o dinheiro da venda da Celpe, para forçar Eduardo a mostrar as obras que Arraes fez com o dinheiro dos precatórios.

''Agora, Eduardo, deve uma satisfação ao povo pernambucano: aonde foi parar o dinheiro dos precatórios?'', perguntou a apresentadora, ao encerrar o programa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Formador de opnião

A VERDADE, VEJAM O SITE: http://www.eduardoesconde.cjb.net

Aildo Biserra da Silva

O DESESPERO SEGUE EM FRENTE! É O RAIVOSO COM A DERROTA NA MÃO, É A DESUNIÃO POR PERNAMBUCO. KKKKKKKKKKKKKKKKKK CHÁ DE 40 NELES!!!! EDUARDO GOVERNADOR! ETERNAMENTE ARRAES!

Armando

MUSICA DE MAGNO PARA MUNDICINHA: ''''ENCOSTA TUA CABECINHA NO MEU OMBRO E CHORA... E CHORA"... 69 X 31 QUE LAPADA... E DO JEITO QUE VAI VAI AUMENTAR + PODE CRER... ASSISTAM AO CLIPE DA VITORIA MEU POVO... EH EMOCIONANTE... EH 40... http://www.youtube.com/watch?v=yKhzuTCNKdU

minimizar os débitos que tínhamos, e então recorremos à venda de títulos dos precatórios. Queremos lembrar que apesar desse governo ser oposição ao de Lula, jamais o Lula fechou as torneiras para eles. Isso sim é saber ser presidente, por isso que o povo JÁ decidiu, É Lula 13 lá e Eduardo 40 aqui.

operação, tendo em vista a sacanagem que FHC e os da lais, comandado por Mendoncinha, fecharam as torneiras, pois Dr. Arraes não se dobrou aos caprichos desse incompetentes. E eles não tem sensibilidade, pois essa condição só fez prejudicar Pernambuco. Diante do caos, Não tivemos outra opção para



11/10


2006

José Dirceu volta a atacar incoerência de Freire

Deu no blog de José Dirceu: ''O presidente do PPS, Roberto Freire, ameaçou expulsar o governador de Mato Grosso, Blairo Maggi, se ele apoiar Lula. Mas o próprio Roberto Freire, que não teve voto para se reeleger deputado e virou suplente de senador, mantém no PPS  governador reeleito de Rondônia, Ivo Cassol, esse exemplo de político honesto, insuspeito e probo.

Roberto Freire está mesmo mal acostumado. Sempre protegido pela mídia, ninguém cobra nada dele. Fica com Cassol e expulsa Maggi. Haja coerência!''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Roberto Freire, pela sua imbecilidade, está peredendo um governador eleito pelo povo, com a grande ajuda do Lula, conforme menciona o próprio governador eleito. Se não quiser aceitar o meu apoio a Lula, eu sairei do partido. E saia mesmo, esses perdedores estão colocando os bons na perdição.

milton tenorio pinto junior

Roberto Freire é tão ridiculo quanto seu partido. Oportunista é o que pode se chamar o Roberto Freire!!

Antonio Pereira

Com Blagio Maggi apoiando Lula é uma demostração do que representa Roberto Freire na politica nacional. Roberto Freire que foi um traido dos eleitores de Pernambuco, está recebendo a mesma moeda. Trata-se de um bajulador da direita sem vergonha.

Eduardo Peres Ramos da Silva

Discordo de desrespeitar o titular deste blog. Diga-se de passagem, tornou-se no maior forum democrático na internet, em Pernambuco. Quanto a Roberto Freire, é um nada, um medíocre, não merece meio-voto de nenhum cidadão de bem. EDUARDO E LULA!!!

Armando

MUSICA DE MAGNO PARA MUNDICINHA: ''''ENCOSTA TUA CABECINHA NO MEU OMBRO E CHORA... E CHORA"... ASSISTAM AO CLIPE DA VITORIA MEU POVO... EH EMOCIONANTE... EH 40... http://www.youtube.com/watch?v=yKhzuTCNKdU