Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

16/10


2012

A charge do dia

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

luiz carlos da silva

onde se encontra o descarado do humberto e o seu vice joao paulo. os dois sao lideres de merda. o petista imbecilista do joao paulo achava que comandava o recife. coitado. nao comanda nem sua propia casa la´manda sua ex mulher.


O Jornal do Poder

16/10


2012

Ouça o programa Frente a Frente de ontem

 Se você perdeu o Frente a Frente de ontem, programa que apresento em companhia de Adriano Roberto pela Rede Pernambucana de Rádio, formada por 30 emissoras, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha 96,7 FM, no horário das 18 às 19 horas, clique aqui e ouça agora.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

16/10


2012

Coluna da terça-feira

       Memórias sem polêmica

De um fôlego só, aproveitando a monotonia do feriadão, li o livro recentemente lançado pelo ex-governador Roberto Magalhães. Em “Memórias, as virtudes do tempo”, Magalhães mergulha fundo no seu passado, de garoto pobre no Interior até sua ida para o Rio de Janeiro, onde cursou Direito.

Rememora episódios que vivenciou na vida pública, desde o momento em que, convocado pelo ex-governador Nilo Coelho, assume a Secretaria de Educação.

Ex-vice-governador de Marco Maciel, governador eleito numa disputa história na qual derrotou o então senador Marcos Freire, prefeito do Recife e deputado federal, Magalhães honrou todos os seus mandatos.

Tem, portanto, ficha limpa, nunca se envolvendo em nenhum tipo de falcatrua. Sua obra não é bombástica nem reveladora em relação aos bastidores que, por um motivo ou outro, evitou, certamente para não ferir suscetibilidades.

Dois fatos, no entanto, me chamaram a atenção. O reconhecimento ao erro cometido pela invasão à redação do JC, quando ameaçou o colunista Orismar Rodrigues, já falecido, e o episódio da renúncia à disputa pela Vice-Presidência na chapa do tucano Mário Covas, ex-governador de SP, também já falecido.

MACIEL NÃO APOIOU– Quando convidado para vice de Covas na campanha presidencial de 1989, por uma iniciativa da direção nacional do PSDB, Roberto Magalhães foi hostilizado pelas lideranças tucanas no Estado, entre elas a deputada Cristina Tavares. Imaginei, na época, que o seu recuou teria sido por este motivo, mas no livro ele deixa claro que deu a palavra a Covas e depois desistiu porque não contou com o apoio do seu partido, a começar por Marco Maciel.

A vingança dos vices - Em pelo menos três municípios do Agreste, prefeitos que brigaram com seus vices se deram mal nas urnas e perderam justamente para os ex-aliados (os vices). Foi assim em Altinho, Agrestina e Tracunhaém. Certamente, a maldição dos vices deve ter rondado outros municípios no Estado.

 

Quem vai levar? - Cinco municípios do sertão travam uma guerra para sediar uma biofábrica destinada à produção de mudas e sementes. São eles: Araripina, Ibimirim, Serra Talhada, Sertânia e Belém do São Francisco. A decisão final será do governador Eduardo Campos.  O deputado Rodrigo Novaes, da bancada do PSD na Alepe, foi à tribuna, ontem, pedir pelo município de Belém.

Inocêncio detonado - Indicado pelo deputado Inocêncio Oliveira para compor a chapa da candidata do PSDB à prefeita de Afogados da Ingazeira, Giza Simões, derrotada pelo socialista José Patriota, o poeta Diomedes Mariano bate no líder republicano sem piedade. Afirma que Inocêncio não cumpriu o que ficou acertado, não gravou para o guia e nem sequer deu as caras durante a campanha.

Candidato a governador - Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o prefeito reeleito de Petrolina, Júlio Lóssio, deixou a entender que pode disputar o Governo do Estado em 2014, caso seja convocado pela direção nacional do PMDB. Lóssio é, na verdade, hoje, uma revelação no campo da oposição e saiu como um dos políticos mais vitoriosos nessas eleições municipais.

 

CURTAS

SEM APOSTAS– O prefeito de Itapetim, Adelmo Moura (PSB), diz que não induziu ninguém a fazer apostas garantindo que o seu candidato venceria com uma frente acima de quatro mil votos. Ressalta ser um vitorioso no Alto Pajeú, região em que muitos prefeitos já reeleitos não conseguiram fazer o sucessor, como São José do Egito, Tabira e Tuparetama.

IRMÃO ELEITO– O presidente do Lafepe, Luciano Vasquez, que deve sair candidato a deputado estadual em 2014, comemora a vitória do irmão em Tracunhaém. Belarmino Vasquez, do PR, derrotou a prefeita Graça Lapa, esposa do ex-deputado Carlos Lapa.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Joaquim Barbosa foi picado pela mosca azul e já disputa o Planalto em 2014?

''O hipócrita com a boca destrói o seu próximo, mas os justos se libertam pelo conhecimento''. (Provérbios 11:9)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

ana claudia de queiroz

Esse milton tenório, pelo sobrenome faz jus aos seus VENENOS, faço uma aposta senhor milton, em toda sua vida pública se vc encontrar alguma falcatrua ou envolvimento de ROBERTO MAGALHÃES em algo parecido, vou esquecer o MENSALÃO do seu LULA LÁ e passarei a apoiar o seu PT, TRATO FEITO? Aguardo resp

Lucas Padilha

Tenho acompanhado o trabalho de Julio Lossio a frente da prefeitura de Petrolina. Um homem extremamente competente. Enfrentou o Governador, ministro, deputados, presidente e venceu as eleições. Pernambuco precisa de um governador como ele. Que trabalhe por completo. Não pensando só na capital.

milton tenorio

O homem forte do Interior chama-se Zeca...

o povo da de olho

DIGO: LÓSSIO.

o povo da de olho

Estou admirando cada vez mais prefeito locio. ja tem meu voto para governador so pelo fato de encarar o reizinho e mostrar-lhe que não é o dono do mundo



16/10


2012

Eduardo já sonda partidos sobre 2014

DO BLOG DE JOSIAS DE SOUZA

 Oficialmente, o PSB é aliado do PT federal e parceiro potencial de Dilma Rousseff em 2014. Em segredo, o partido discute com lideranças de outras legendas vinculadas ao governo um projeto alternativo para a sucessão presidencial.

Iniciados antes do primeiro turno da eleição municipal, os contatos são conduzidos por Eduardo Campos. Ele governa Pernambuco, preside o PSB e cultiva uma não declarada candidatura ao Planalto.

Entre as legendas já contactadas estão os governistas PDT e PTB. As conversas incluem também o “independente” PV e o indefinido PSD, partido nascido das costelas do oposicionista DEM.

Um partidário de Eduardo Campos utiliza dois vocábulos para definir as conversas: “sondagens” e “prospecções”. O objetivo é testar a receptividade de uma eventual candidatura presidencial de Eduardo Campos.

Verificou-se que é boa a acolhida ao nome de Eduardo Campos. Os interlocutores enxergam nele a perspectiva de poder. O diálogo flui bem, por exemplo, com o presidente do PDT, Carlos Lupi, afastado do Ministério do Trabalho por Dilma no ano passado.

A aceitação é boa no PTB de Roberto Jefferson, recém condenado no julgamento do mensalão. Em privado, também o presidente do PTB de São Paulo, deputado estadual Campos Machado, revela-se um entusiasta de Eduardo Campos.

No PSD, o prefeito paulistano Gilberto Kassab, presidente da legenda, tem uma dívida de gratidão com Eduardo Campos, que o ajudou a estruturar o novo partido. Na hipótese de se tornar candidato, o governador espera dispor do tempo de tevê da agremiação de Kassab, hoje com cinco dezenas de deputados federais.

De resto, Eduardo leva sua “prospecção” às fileiras do PMDB, sócio majoritário da coligação de Dilma, ao lado do PT. Recompôs em Pernambuco a aliança com o PMDB de Jarbas Vasconcelos, com quem estava rompido.

Em conversa com Eduardo, Jarbas lhe disse, na presença de testemunhas: se quiser levar adiante seu projeto, o governador terá de repetir em âmbito nacional o movimento que fez em Recife, rompendo com o PT.

Se fizer isso, acredita Jarbas, Eduardo vai se tornar, com seu apoio, uma alternativa presidencial “diferenciada”, mais viável que o tucano Aécio Neves. Ex-governador catarinense, o senador Luiz Henrique (PMDB-SC), pediu recentemente a Jarbas que intermediasse um encontro com Eduardo Campos. Em 2010, Jarbas e Luiz Henrique apoiaram o candidato tucano José Serra, contra Dilma.

Eduardo é visto como alternativa noutros diretórios do PMDB. Entre eles o da Bahia. Ali, Geddel Vieira Lima acaba de associar-se à candidatura de ACM Neto (DEM) à prefeitura de Salvador. Aparelha-se para enfrentar o PT na disputa pelo governo do Estado, em 2014. Algo que pode afastar o PMDB baiano da canoa de Dilma.

Governador de segundo mandato, Eduardo Campos ficará sem mandato em 2014. Declara em privado que não deseja virar senador. Muito menos deputado. Tampouco contempla a hipótese de tornar-se ministro.

Em público, declara que é cedo para discutir 2014. Longe dos refletores, não fala de outra coisa. Na cúpula do PT, pouca gente acredita que Eduardo Campos estará ao lado de Dilma. Avalia-se que ele disputará o Planalto nem que seja para projetar-se nacionalmente e marcar um lugar na fila de 2018.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

o povo da de olho

ALIAS, EM PERNAMBUCO SO É O QUE SE FALA, CRESCER POLITICAMENTE E CHEGAR ONDE ELES QUEREM, PORÉM O POVO.... ORA O POVO É POVO. FUNCIONARIOS PUBLICOS( POLICIAIS E BOMBEIROS ) QUE O DIGAM.É BOM LEMBRAR QUE TODO FUNCIONARIO PUBLICO TEM HORA DE EXPEDIENTE.

luiz carlos da silva

daqui ate 2014 nao se discuti os problema de pernambuco. as necesidade do estado que se lasque. a preferencia é falar de politica que só interesa ao governador.



16/10


2012

Na campanha em SP, Eduardo terá conversa com Dilma

 O governador Eduardo Campos dá sequência, hoje, a sua agenda nacional de campanha participando em Campinas(SP) de comício do candidato do PSB a prefeito de uma das maiores cidades daquele Estado, Jonas Donizette. O governador pavimenta seu caminho para disputar a presidência da República, provavelmente em 2014 mesmo, enfrentando a presidente Dilma. O governador deverá se encontrar com a presidente domingo, em evento da campanha de Haddad, havendo informações de que, na ocasião, Dilma terá uma conversa com ele a respeito das pretensões do pernambucano em relação com a disputa presidencial de 2014.

A informação é de que a conversa faz parte do projeto que Dilma estabelece em torno da sua campanha à reeleição. A agenda de Eduardo envolve ainda participação em outros atos de campanha em Minas, Rio de Janeiro e novamente São Paulo. Campinas é palco de disputa entre PSB e PT, este com o candidato Marcio Pochmann.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

16/10


2012

Presidente do INSS faz campanha e é demitido por Dilma

 A presidenta Dilma Rousseff decidiu demitir o presidente do INSS, Mauro Luciano Hauschild, ao tomar conhecimento de que ele se licenciara do cargo para participar da campanha municipal no Rio Grande do Sul, segundo informa Cláudio Humberto, na sua coluna de hoje. Na presidência do INSS, ele decidiu candidatar-se a deputado federal, em 2014, e trabalhava nesse projeto. Dilma já comunicou sua decisão ao PMDB, que indicou Hauschild ao cargo. Mauro Hauschild será substituído interinamente no INSS, por Carlos Eduardo Gabas, secretário-executivo Ministério da Previdência. O substituto de Hauschild, Carlos Gabas, é o maior especialista em Previdência no governo e da merecedor da confiança de Dilma.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

luiz carlos da silva

só puxasaco chama dilma de presidenta. e este blog é puxasaco.



16/10


2012

Malafaia fora

 Da coluna de Vera Magalhães, hoje na Folha de S.Paulo:

A coordenação da campanha de José Serra (PSDB-SP) se dividiu em relação à adesão explícita do pastor Silas Malafaia à campanha do tucano. Antes mesmo da revelação de que o próprio Serra, quando governador, autorizara a distribuição, em SP, de material anti-homofobia, que Malafaia chama de "kit gay", líderes do partido defendiam que o tema ficasse fora da campanha oficial. Entre os contrários à entrada de Malafaia pela porta da frente na eleição estavam Edson Aparecido (PSDB-SP), coordenador da campanha de Serra, e Luiz González, marqueteiro do candidato.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

Realmente LUIZ CARLOS, são duas MALAS sem ALÇAS. Serra faz parte das PRIVÁTARIAS Tucana, e HADDAD faz parte da banda PODRE da política, que são os MENSALEIROS PTralhas. Fora CorruPTos!!! hehehehehe...

JOSE PINTO DA SILVA

VAI PARA LA CARA QUEM SABE VOCE NAO DERROTE OS DOIS E SEJA O PREFEITO DE SAO PAULO SABIDAO

luiz carlos da silva

sao paulo nao ganha nada nem com serra nem com hadad. sao dois idiotas que tem intereses pesoais e nunca dos habitantes daquela cidade.

Wellington Antunes

Caso Serra aceite a companhia desse Mala e derrota será maior ainda.


Jornao O Poder

16/10


2012

Retrocesso político ameaça a mídia, diz FHC

 O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que países da América Latina vivem um retrocesso político, de caráter autoritário, com reflexos sobre a liberdade de imprensa. "Estão inventando uma espécie de democracia autoritária: ganha pelo voto e governa atacando a oposição", afirmou em debate na 68ª Assembleia Geral da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa), que acontece em São Paulo. FHC participou da discussão com Alan García, ex-presidente do Peru.

FHC referia-se a Venezuela, Equador e Argentina, onde foram aprovadas leis que restringem a ação da imprensa, na visão da SIP, e presidentes costumam atacar os jornais com virulência.

No Brasil, disse, há também um "pendor autoritário", mas com grau menor de violência, quando governantes dizem "que o inimigo é a imprensa".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

FHC, está certo quando diz que alguns setores políticos, vivem ATACANDO a IMPRENSA, esse BANDIDO que vive jogando há MÍDIA contra o POVO, chama-se LULA da SILVA, o Ladrão-Mor do MENSALÃO. Fora CorruPTos!!!

azevedo

Esse pilantra governou com a imprensa toda a favor, não foi tratado com o Lula tem sido até hoje e agora vem falar de golpe na Imprensa. É um bom f.d.p.....



16/10


2012

Mídia: Kit Gay de Haddad disputa espaço com o de Serra

Crítico do material anti-homofobia produzido pelo MEC (Ministério da Educação) durante a gestão de seu rival, Fernando Hadddad (PT), o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, distribuiu cartilha com conteúdo semelhante a escolas de ensino médio de todo o Estado, em 2009. A cartilha foi desenvolvida pela Secretaria Estadual de Educação quando Serra era governador. Ela aborda diversos temas, entre eles homofobia, e recomenda a exibição de vídeos sobre o assunto em sala de aula.

Professora da Faculdade de Educação da Unicamp e especialista em pedagogia, Angela Soligo avaliou o lançamento da cartilha ''Preconceito e Prevenção no Contexto Escolar'' pelo governo de José Serra, em 2009, e diz que ela usa a ''mesma ideia'' que norteou o projeto do MEC na gestão de Haddad.

Já o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, disse ontem que comparar a cartilha tucana ao kit é ''afronta à inteligência''. Ele declarou apoio a Serra afirmando ser impossível compactuar com o material produzido na gestão de Fernando Haddad (PT) no Ministério da Educação. O pastor disse discordar da cartilha tucana somente quando ela diz que a homossexualidade é orientação sexual e não doença. (Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos

Esse Silas Malafaia é uma BICHONA enrustida.

luiz carlos da silva

o mundo mudou. e mudou pra pior. kit gay ou outro qualquer é a prova que o mundo nao avança e sim volta ao tempo das cavernas onde homem e mulher sao trocados por sapatao e bicha.