15/03


2012

Chantagem a maior arma: Dilma vai penar com "aliados"

A base aliada resolveu comprar a briga com o Palácio do Planalto e está disposta a infernizar a vida do governo. Raposas velhas do parlamento, os peemedebistas trabalham com uma aritmética simples para qualquer leigo: o grupo comandado por Renan, Jucá e o presidente do Senado, José Sarney (AP), conta com 12 votos. Os dissidentes, de onde veio Braga, somam oito, se tanto. “Você acha que Requião (Roberto Requião), Simon (Pedro Simon) e Jarbas (Jarbas Vasconcelos) votarão com o governo? Claro que não. O nosso grupo é unido, o deles não”, resumiu o senador Lobão Filho (MA).

O grupo que comanda o PMDB no Senado lembrou que o novo líder do governo na Casa, Eduardo Braga (PMDB-AM), está na mão deles e terá que negociar para conseguir os votos favoráveis à tramitação de propostas em plenário. Eduardo Braga é visto como alguém “que não conhece os escaninhos do Congresso”. Em tom de deboche, interlocutores do partido disseram que na primeira votação em Comissão ou plenário baseada no regimento interno, Braga entrará em parafuso. “O Jucá (Romero, ex-líder do governo) sabia de cabeça onde estava cada projeto de interesse do Planalto. Braga vai sofrer até aprender isso”, resumiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Lucidio de Figueiredo Galvão Júnior

Bota esta quadrilha para correr, inclusive esse Lobão, comandado pelo ladrão mor, José Bandido Sarney !!!

Roberto Teixeira

Na época de Lula, esse grupo logo faria um "acerto" e ficaria tudo bem, porém, com Dilma está sendo diferente, ela passa a pagar mais uma vez, o alto preço de continuar aliada a escória remanescente do governo do seu padrinho.

lino perrelli

Certamente haverá uma saborosa disputa, com claríssimo prejuízo a nós outros todos, aquilo que envolverá a petulância de um neófito mandante, com as "surpresas" havidas nos bisacos dos "benfeitores" deste imenso país Brasil.


Cabo 2021

15/03


2012

Faca nos dentes e pintados para a guerra contra Dilma

 Segundo Mônica Bergamo, na sua coluna de hoje, na Folha de S.Paulo, mais de 30 parlamentares do PT se reuniram na casa do deputado Vander Loubet (PT-MS) para um desagravo a Cândido Vaccarezza, que foi destituído da liderança do governo na Câmara por Dilma Rousseff. "Estavam todos com a faca nos dentes e pintados para a guerra", diz um petista. A ideia é boicotar o novo líder, Arlindo Chinaglia (PT-SP).  E Vaccarezza tomou café da manhã ontem com o senador Renan Calheiros (PMDB-AL). O alagoano, que também está possesso com a presidente Dilma Rousseff, lidera reação às decisões recentes dela de "demitir" antigos líderes do governo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Lucidio de Figueiredo Galvão Júnior

Prende todos, que não farão falta a democracia, estão devendo dias de presença nos presídios !!!



15/03


2012

Partidos querem derrubar veto a fichas sujas de 2010

 Presidentes e representantes de 18 partidos vão pedir para o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) reconsiderar a decisão de proibir, nas eleições municipais deste ano, candidaturas de políticos que tiveram as contas da campanha eleitoral de 2010 rejeitadas, informa a Folha de S.Paulo. O grupo de legendas vai apoiar petição encaminhada à Justiça Eleitoral pelo PT com o pedido de reconsideração. Os partidos defendem que a decisão do TSE entre em vigor somente em 2013, um ano após ter sido tomada.

"Trata-se de uma iniciativa que o TSE tomou que não respeita a anterioridade de um ano. Ele decidiu sem dar prazo para os presidentes dos partidos trabalharem", disse o presidente do DEM, José Agripino Maia (RN). Segundo os partidos, mais de 21 mil candidaturas ficarão prejudicadas se não houver uma reconsideração.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé deodato de aquino

O STJ pisou na bola em retroceder da decisão com as MP''s, agora é a vez do TSE, se retroceder é melhor por cabo ao proprio TSE e TRE''s. Não precisarão os Partidos Políticos (verdadeira jogatinas do erário público) da propria Justiça Eleitoral. Aí sim, com advento do voto não ser obrigatório no Brasi

José Carlos da Silva

O TSE ão pode amarelar diante desse pedido absurdo. Ladrão tem que ficar fora das eleições conforme a Lei da Ficha Limpa determina. Se o TSE voltar atráz perderá a credibilidade do povo brasileiro.

JANDILSON DE ALBUQUERQUE CORDEIRO

tem que ficar prejudicado mesmo agripino, tudo ladrao. deveriam estar presos todos


Banner Jaboatao 2021

15/03


2012

Lupi desmente veto a Brizolla Neto para o ministério

 O presidente do PDT, Carlos Lupi, divulgou nota negando que o partido vetará o nome escolhido pelo Planalto para ocupar o ministério do Trabalho, informa Adriano Ceolin, no blog Poder Online. Para o cargo Dilma pensa em Brizola Neto, correligionário de Lupi. Na nota, o partido reiterou o apoio à presidenta Dilma Rousseff, que já foi referendado pela bancada em reunião no início deste ano. “Qualquer eventual convite para a participação do PDT no Governo da Presidenta Dilma, se dará pela via institucional das instâncias partidárias, não havendo veto a qualquer companheiro ou companheira”, diz a nota assinada pela legenda.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé deodato de aquino

Cada Político tem o político que merece como Presidente do Partido.



15/03


2012

"Desconheci o Congresso, fui cassado", adverte Collor

 O senador e ex-presidente da República Fernando Collor (PTB-AL), fez um alerta nesta quarta (14), no plenário do Senado, à presidente Dilma Rousseff com relação às reclamações da base aliada de falta de diálogo. ''''O diálogo precisa ser reaberto. É fundamental que o Planalto ouça esta Casa e ouça a Casa ao lado [a Câmara]. E eu falo como ex-presidente que desconheceu a importância do Senado e da Câmara. O desconhecimento resultou no meu impeachment [...] Espero que a presidente Dilma esteja agindo com acerto. Eu torço para que o trem não descarile'', afirmou o ex-presidente.

''Eu não vejo com tanta tranquilidade esta mudança de liderança. É um momento delicado. Matérias importantíssimas não serão votadas este ano. A base do governo está sentindo um certo gosto de azedume'', declarou. Collor fez a declaração durante o período em que o senador Romero Jucá (PMDB-RR) fazia seu discurso de despedida da liderança do governo.(Portal G1)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Lucidio de Figueiredo Galvão Júnior

Manda esssa quadrilha de ladrões, f.d.p. mexer com a presidente que verão a força do povo nas ruas para acabar de vez com eles e as suas falcatruas. Não precisa de exército, só o povo dá conta desse congresso ladrão e fisiologista.

Raimundo Eleno dos Santos

A coisa agora é diferente.Collor não teve a simpatia do povo. Dilma tem.Caso ela peça ao povo para pitar a cara, o povo vai fazer com alegria e espírito de luta. Collor pediu para que o povo não o deixasse só. Mas Dilma não está só. Nem precisará pedir. O povo vai às ruas para mantê-la.Penso assim.

Jozildo Neto

O que Collor está querendo dizer: Até Presidente bandido, se "dialogar" com o congresso, não sofre nada. É isso aí!!! Mais sinceridade impossivel.

andre regidwitz

mas esqueceu da probidade.


Petrolina 2021

15/03


2012

Centrais não vetam nenhum nome para o ministério

 O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, disse que a sucessão no Ministério do Trabalho não foi tratada na reunião da presidente Dilma Rousseff com as centrais sindicais, segundo o O Globo. Paulinho disse ter entregue à presidente nota do PDT negando veto a qualquer um dos nomes do partido cotados para substituir o ministro Paulo Roberto Santos - Brizola Neto, Vieira da Cunha e Manuel Dias.

''''Passei a nota para ela. Esperamos que, com isso, resolva (a escolha do ministro). O impasse estava mais do nosso lado do que do dela. O PDT apoia os três nomes, mas é a presidente que escolhe. Agora ela tem uma sinalização do partido: não há vetos a nenhum dos três nomes. Está nas mãos da presidente'''', disse Paulinho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

15/03


2012

Após ter chute da Fifa no traseiro, Brasil dá na canela

 O governo resolveu manter a proibição de bebidas alcoólicas nos estádios durante a Copa após nova análise dos documentos do acordo do Brasil com a Fifa. Os técnicos da Casa Civil constataram que em nenhum documento há a exigência de liberação de bebidas alcoólicas nos estádios. Líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves  disse que não entendeu a mudança de posição, mas acatou. Ele foi informado da nova postura do governo pela Casa Civil. O parlamentar ligou então para o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que também se disse surpreso.(Do blog Poder Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Roberto Teixeira

Aldo Rebelo embora competente, não tem nada haver com o ministério dos Esportes, e por isso mesmo não convence, foi escolhido por critério de eliminação dentro dos quadros do PC do B, como consequencia, o que já está complicado pode ficar muito pior.


Anuncie Aqui - Blog do Magno

15/03


2012

Deputado a servidor: "Macaco, procure pau para subir"

 O deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO) foi acusado nesta quarta-feira, 14, de racismo praticado dentro do Congresso. A Polícia do Senado vai investigar a ocorrência, que teve como alvo um servidor público. O boletim de ocorrência informa que o Leréia chamou o policial de pele negra de ''macaco'' e que mandou que ele ''procurasse um pau para subir'', antes de se dirigir do plenário para o cafezinho dos senadores.

O policial, que trabalha no Senado e não na Câmara, pediu ao deputado que se identificasse. Irritado, Leréia respondeu que o servidor deveria saber quem era ele ou que, então, ''procurasse na Internet porque ele não iria se identificar''. E repetiu a sugestão de ''procurar um pau para subir'', ofensa testemunhada de perto por dois senadores. Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) pediu ao policial que ''não retornasse mais a falar com o cidadão que se dizia deputado''. ''Foi feio, o segurança usou a prerrogativa, mas ele não quis se identificar'', lembrou Valadares.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jornao O Poder

15/03


2012

Não é a primeira vez que o PR diz que vai para oposição

Não é a primeira vez que o PR diz que vai para a oposição. É mais uma chiadeira que faz parte da coreografia da política. Um partido como o PR na oposição só se tornará realidade quando – e se – o governo Dilma despencar sua popularidade e estiver caminhando para o final. Quem lembra isso é Lauro Jardim, na sua coluna Radar na Veja, a respeito do suposto rompimento do partido com o governo Dilma Rousseff, anunciado ontem por segmentos do PR.

Enquanto a ala da Câmara quer continuar aguardando a boa vontade de Dilma Rousseff, a bancada de senadores do PR vai pela saída radical: ir para oposição ao governo no Senado. Blairo agora diz que não irá mais mover um músculo para tentar pacificar a relação com o palácio: ''Vamos para oposição.''

 

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

15/03


2012

Eliana agora ataca ''''bandidos do foro privilegiado''''

Depois de criticar os bandidos de toga, agora a corregedora-nacional de Justiça, Eliana Calmon, atacou os bandidos com foro privilegiado. Em palestra na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Distrito Federal, Calmon afirmou "que o foro tem abrigado muitos bandidos". Ela afirmou que hoje um "exército" composto pela opinião pública protege os poderes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e que essa blindagem ocorreu em razão da expressão que ela usou em uma entrevista. "Isso só foi possível por uma frase: existem bandidos por trás da toga", disse. "Eu sou falastrona", reconheceu. "Eu quero chocar. Eu não quero chocar a magistratura. Ela se choca porque quer", afirmou.

Calmon participou de palestra na OAB do Distrito Federal - Agência Senado 
"Não queremos apedrejar quem está no crime por dinheiro, para sobreviver, mas quem está nas suas casas fantásticas ou buscando proteção do foro", afirmou a ministra. Eliana Calmon afirmou que o combate à corrupção e à impunidade deveria começar pelo "ápice da pirâmide".

E mais: "Quantos Josés da Silva já prendemos para dizer que não há impunidade?", questionou a ministra. Esses Josés da Silva, conforme Eliana, estão muitas vezes a serviço de grandes criminosos que não são perseguidos pela polícia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Eliana fala com propriedade. Rico e poderoso no Brasil se arvora de estar acima da igualdade constitucional. Os que querem ser mais iguais que os outros nacionais.Uma casta privilegiada.Isso tem que acabar. A Constituição seja realmente para todos.


Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores