FMO - Previnir é a melhor forma de lutar

14/10


2021

PE conclui proposta para pedágio de três rodovias

JC Online

Um investimento privado de R$ 2,2 bilhões a ser aplicado no período de 30 anos em três rodovias estaduais em Pernambuco: PE-60, a mais famosa por ser o principal acesso ao Litoral Sul do Estado e que faz divisa com o estado de Alagoas; a PE-90, que liga Toritama, no Agreste, ao município de Carpina, na Zona da Mata Norte; e a PE-50, que liga Limoeiro à BR-232, também no Agreste pernambucano. Essa é a proposta inicial elaborada pelo governo de Pernambuco dentro do Programa de Parcerias Estratégicas, que está aberta para consulta pública a partir de hoje e que será apresentada à população em duas audiências públicas programadas para o mês de novembro de 2021. A previsão, se tudo der certo, é lançar a licitação pública até o fim do segundo semestre de 2022.

A proposta prevê cinco praças de pedágio nas três rodovias: duas na PE-60, duas na PE-90 e uma na PE-50. E tarifas que, a preços de outubro de 2020, iriam variar de R$ 5,90 a R$ 7,86 – esse último valor é o máximo praticado pela Concessionária Rota do Atlântico, que dá acesso ao Complexo Portuário de Suape e à Praia de Porto de Galinhas, no Litoral Sul, por exemplo.

No total, serão 234 km que poderão passar a ser geridos e operados por concessionárias, em contratos de três décadas. Essas três rodovias têm, juntas, um tráfego de 25 mil veículos por dia, divididos na seguinte grandeza: PE-60 com 12 mil veículos/dia; PE-90 com 8 mil veículos/dia; e PE-50 com 5 mil veículos/dia.

As três PEs fazem parte de um estudo de viabilidade de concessão pública desenvolvido desde 2020 pela Secretaria de Planejamento de Pernambuco. Foram escolhidas pelo volume de tráfego e importância econômica no Estado. Clique aqui e confira a matéria na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão - regularizacao-fundiaria

14/10


2021

Unidade da Netto Alimentos chega a Canhotinho

O início da construção da unidade comercial da Netto Alimentos em Canhotinho está sendo comemorada pelo deputado estadual Álvaro Porto (PTB) e pela Prefeitura do município, no Agreste Meridional. Com esta operação, a empresa paulista, especializada em processamento de ovos, dá a largada na montagem da sua base de negócios no estado, que deve se consolidar com a instalação de fábrica em Canhotinho.

O protocolo de intenções para a instalação de planta industrial foi assinado há cerca de um ano entre a empresa e o município. Na época, segundo as previsões do grupo, foi informado que o empreendimento vai gerar 300 empregos diretos e cerca de mil indiretos e envolverá investimento de R$ 30 milhões.

“A unidade comercial marca o início da atividade da Netto Alimentos no estado e fortalece o trabalho em prol da consolidação do polo industrial do Agreste Meridional. O nosso mandato e as prefeituras da região estão mobilizados no sentido de atrair empresas, buscando o desenvolvimento, a geração de emprego, o crescimento econômico e uma melhor qualidade de vida para a população”, afirma Porto.

A prefeita de Canhotinho, Sandra Paes (DEM) destaca o comprometimento do município em viabilizar a chegada de novas empresas. “Temos trabalhado para oferecer as condições que atraiam novos empreendimentos. Também já fizemos parceria com o Banco do Nordeste e Sebrae para preparar empreendedores para as novas oportunidades, incentivar novas iniciativas e capacitar mão de obra para as vagas que vão surgir”, afirmou.

A chegada da Netto Alimentos é mais um passo para colocar o Agreste Meridional no mapa dos polos industriais do estado. Neste processo, a unidade da Masterboi, a primeira do grupo no Nordeste, é o projeto de maior impacto. O frigorífico, um investimento de R$ 120 milhões, vai gerar 800 postos de trabalho diretos e possibilitar o surgimento de outros 3,5 mil indiretos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

14/10


2021

Até traficante está extraindo madeira, diz delegado da PF

A extração ilegal de madeira é um dos motores da destruição ambiental na Amazônia por conta dos altos lucros dos desmatadores. O delegado da Polícia Federal Alexandre Saraiva, ex-superintendente do órgão na região, alerta que, por isso, já há traficantes de drogas saindo do ramo e indo para a retirada (ilegal) e venda de madeira.

Saraiva foi exonerado do cargo de superintendente em abril passado, após enviar ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma notícia-crime contra o então ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, por obstrução de investigação, advocacia administrativa e organização criminosa.

Em entrevista à revista Política Democrática online de outubro, editada pela Fundação Astrojildo Pereira, Saraiva - um dos pioneiros das delegacias de crimes ambientais no país - comenta os problemas enfrentados pela Amazônia nas ações de combate ao garimpo e à extração de madeira ilegais, à grilagem e ao desmatamento.

Com experiência em dezenas de investigações, o delegado explica como funciona o modo de operação de madeireiro que atua ilegalmente. “Primeiro, o cara chega, detona a madeira. A madeira paga o desmatamento que vai deixar a terra nua a ser grilada, mas o produto em si dá muito dinheiro”, afirma.

“Por que a madeira está dando muito dinheiro?”, questiona, para responder: “Porque o mercado internacional era dominado pelos países do sudeste asiático. Diversos artigos de pesquisadores japoneses atestaram que foi a madeira o motor econômico para a destruição das florestas naquela região”.

No Brasil, de acordo com o delegado, há ainda uma particularidade em relação à grilagem. “O sujeito grila, tem um esquema no Incra ou no órgão estadual, mas não vai plantar ali. Vai usar a terra que ele documentou de forma fraudulenta como garantia em um banco público dizendo que ele vai plantar soja, plantar gado. Passado um tempo, ele não plantou nada”, observa.

Segundo Saraiva, por meio da ciência e de metodologias específicas, é possível rastrear a madeira, diferenciando-a por região do país, por exemplo.

O delegado também diz também que os supostos crimes de Ricardo Salles ocorreram após a Operação Handroanthus, da Polícia Federal, apreender 213 mil metros cúbicos de madeira ilegal na divisa entre Amazonas e Pará, no fim do ano passado, no valor de R$ 130 milhões. Foi a maior apreensão de madeira ilegal da história do país.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

14/10


2021

Josafá tem 84% de aprovação em São Caetano

Os eleitores de São Caetano, no Agreste pernambucano, avaliam de forma positiva a maneira de administrar do prefeito Josafá Almeida (PSL) nestes nove meses de gestão. Segundo levantamento do Instituto Opinião, 84,2% aprovam sua governança, enquanto apenas 9,5% desaprovam. Ele alcança os maiores percentuais entre os idosos (89,2%), os que possuem grau de instrução superior (91,7%) e os que têm renda acima de dois salários mínimos (84,5%). Por sexo, 85,4% dos que aprovam são mulheres e 83% são homens.

Por região, Josafá obtém os maiores índices no Loteamento Boa Vista (94,2%), no Centro (93,8%), no Loteamento dos Funcionários, em Nossa Senhora de Fátima e na Nova São Caetano (ambos com 93,3%). Quanto ao desempenho da administração, os índices positivos chegam a 75,9% na soma de ótimo (29,5%) e bom (46,4). Já 14% consideram regular e os percentuais negativos não passam de 7,8% (apenas 3,8% julgam sua administração ruim e 4% péssimo). Só 2,3% não souberam responder.

Josafá Almeida é considerado trabalhador por 17,6% dos entrevistados. Já 15,4% dizem que ele é bom administrador, 10,4% acreditam que ele é uma boa pessoa, 10,1% acham que ele ajuda a população e outros 10,1% apontam que ele trabalha melhor que os prefeitos anteriores. Quando o eleitor é consultado sobre a nota que daria à administração de Josafá, numa escala de 0 a 10, o prefeito de São Caetano alcança uma média aritmética de 8,1.

Sobre os itens que a população avalia mais urgentes para serem solucionados, estão desemprego (31,1%), saúde pública (23,3%) e falta d’água (17,3%). De todos os setores, limpeza pública é o que se sobressai: 69,8% consideram bom (61,2%) ou ótimo (8%). Em contrapartida, 79,9% avaliam como péssima (40,4%) ou ruim (39,5%) a geração de emprego.

Quanto à pandemia do coronavírus, 51,6% disseram que o prefeito está fazendo um bom trabalho, 25,3% consideram excelente e 16,3% razoável. Somente 2% avaliaram como péssimo e 1,5% como ruim, já 3,3% não souberam responder. Na visão de 78,5%, Josafá é honesto, enquanto apenas 6,5% acham que é desonesto e 15% não souberam responder.

Para 68,4% dos eleitores, São Caetano está progredindo com Josafá, enquanto 25% julgam que está parada e 4,3% apontam que está regredindo. Sobre promessas de campanha, 79,7% disseram que o gestor honra, 9% falaram que não honra e 11,3% não responderam. Já 76,5% avaliam que o prefeito Josafá é confiável e 7,5% não confiam, enquanto 16% não sabem respondem.

A pesquisa do Instituto Opinião foi a campo entre os dias 7 e 8 deste mês, com a aplicação de 400 questionários. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares. O intervalo de confiança estimado é de 90% e a margem de erro máxima estimada é de 4,1 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Avaliação de governador e presidente

A administração do governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), é vista negativamente por 33,3% do eleitorado de São Caetano, somando os índices péssimo (20%) e ruim (13,3%). Já 30,5% consideram ótimo (5%) ou bom (25,5%) e 28,4% julgam regular. Somente 7,8% não souberam responder.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por sua vez, chega a 61,4% de péssimo (49,6%) ou ruim (11,8%). Entre os consultados, 22,5% avaliam sua gestão como regular e 13,8% boa (9%) ou ótima (4,8%). Só 2,3% não responderam.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/10


2021

Datena anuncia saída da Band para disputar eleições

O jornalista José Luiz Datena anunciou que irá deixar a Band para concorrer nas eleições ao cargo de presidente da República. O anúncio foi feito pelo jornalista, na tarde de ontem, durante o Brasil urgente, programa que ele comanda na emissora.

De maneira geral, ele declarou que pretende ser um 'bom brasileiro' e que irá entrar para política com esse objetivo. Em julho deste ano, Datena se filiou ao ex-partido de Jair Bolsonaro, o PSL.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

14/10


2021

Petrúcio Amorim faz convite para o seu Sextou

Se você deseja ouvir o programa pela internet, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Outubro

14/10


2021

Pernambuco já é o sexto gerador de energia eólica

Passei, há pouco, nos municípios de Caetés, Capoeiras, Pedra e Venturosa, no Agreste do Estado, e pude constatar que o parque Eólico Ventos de São Clemente está de vento em popa em sua operação comercial. As primeiras torres foram implantadas em junho de 2016.

Formado por oito parques eólicos, distribuídos em uma área de 3.700 hectares e com fator de capacidade de 55%, o empreendimento possui 126 aerogeradores que, juntos, têm potência instalada de 216 MW, energia suficiente para abastecer mais de 550 mil residências, através de 44 km de linhas de transmissão.

Esses números fazem do Complexo Eólico Ventos de São Clemente, o maior de Pernambuco e um dos maiores do Brasil e da América Latina. Por meio dos investimentos e dos programas desenvolvidos pela Echoenergia, a região onde o complexo eólico está inserido se desenvolve no âmbito social, econômico e ambiental. O Programa de Comunicação Social e Educação Ambiental, por exemplo, incentiva a adoção de práticas sustentáveis no uso dos recursos, ensinando aos moradores das comunidades próximas ao complexo a importância da preservação e da conservação ambiental.

Com o Programa de Monitoramento de Fauna Silvestre, as aves e morcegos da região são acompanhados para mensurar os impactos na comunidade faunística. A empresa também possui o Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), que consiste na busca da proteção da biodiversidade natural da região. Ajudando a gerar novos caminhos para o país

Pernambuco ocupa a 6ª posição no ranking de geração de energia eólica no Brasil, de acordo com o Boletim Anual de Geração Eólica de 2016, da ABEEólica (Associação Brasileira de Energia Eólica).

Com essa participação relevante na matriz energética do País, o Estado contribuiu para o desenvolvimento sustentável através do uso de fontes de energia limpas e renováveis. Os ventos de Pernambuco não estão concentrados no litoral, como na maioria dos outros estados do Nordeste, e sim no interior, em regiões mais altas, a partir de 900 metros de altitude.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Transparência em 1° Lugar

14/10


2021

Bolsonaro veta nome de João Goulart em rodovia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou um projeto de lei que dava à quase totalidade da rodovia BR-153 o nome de João Goulart, presidente deposto pelo golpe militar de 1964. O veto foi publicado no "Diário Oficial da União" de hoje.

Bolsonaro argumentou que homenagens a personalidades da história brasileira não podem ser inspiradas "por práticas dissonantes das ambições de um Estado Democrático"

O projeto dava o nome de Jango ao trecho da BR-153 que vai de Marabá, no Pará, a Cachoeira do Sul, no Rio Grande do Sul, o que perfaz cerca de 3,3 mil dos 3,5 mil quilômetros da rodovia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

14/10


2021

Cinco vezes prefeito, 20 anos dedicados à Buíque

Dizem que a política só tem uma porta, a da entrada. Vira um vício e poucos conseguem largar. Mas poucos alcançam algum tipo de façanha, como o veterano Arquimedes Valença, prefeito de Buíque pela quinta vez. Com 167 anos de fundação, Buíque terá tido Arquimedes por 20 anos à frente dos seus destinos quando ele encerrar seu quinto mandato em 2024. Provavelmente, o único prefeito pentacampeão no Estado.

Filho da própria Buíque, Arquimedes teve sua vida voltada ao campo e a criação de gado sendo, nos anos 70, presidente da Cooperativa Agropecuária do município. Chegou a ser o maior produtor de leite bovino de Pernambuco, recebendo, por três anos consecutivos, o título de melhor produtor do município em leite, milho, feijão e algodão. Emplacou o Prêmio de Produtividade Rural, conferido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Pernambuco – EMATER-PE.

Em 1982, ingressou na carreira política, lançado por amigos próximos e lideranças locais como candidato a vice-prefeito, eleito ao lado do ex-prefeito José Camelo. Em 1989, conquistou seu primeiro mandato como prefeito. Nesse período, criou o carnaval de banho de Buíque. Ao final deste mandato, conseguiu deixar o município com um legado jurídico considerável: Lei Orgânica Municipal promulgada, Código Tributário, Estatuto do Servidor Público Municipal, Lei da Organização Administrativa da Prefeitura, criação de conselhos municipais, regularização da situação funcional de todos os trabalhadores e servidores municipais.

Em 2001, conquistou o segundo mandato e neste período conseguiu com que o Vale do Catimbau fosse reconhecido como Parque Nacional. Já em 2005, no terceiro mandato, promoveu, juntamente com a Pastoral da Criança, a erradicação da mortalidade infantil, feito inédito no Nordeste. Teve papel importante também na implantação do Planipanema – Plano de Revitalização da Agropecuária do Vale do Ipanema, com o título Estadual de Prefeito Empreendedor conferido pelo Sebrae.

Em 2017, ao lado de Dr. Dílson Souza Santos como vice, foi eleito prefeito de Buíque pela quarta vez e em novembro de 2020 reeleito para governar o município de 2021 a 2024. Nas urnas, o povo conferiu a ele o troféu inédito marca de prefeito pela quinta vez aos 73 anos de idade.

Político tradicional, Arquimedes é daqueles que batem na casa do povo, principalmente na zona rural e distritos para conversar e ouvir as histórias, aflições e soluções para os problemas do dia a dia. Em meio à pandemia, construiu um hospital municipal (Maria Deci Macedo Valença), que atende diariamente a população buiquense, além de implantar várias novas unidades básicas de saúde. No desenvolvimento econômico, recolocou Buíque como o maior produtor de leite de Pernambuco, com mais de 79 milhões de leite produzidos em 2020 e vem promovendo a certificação das queijarias que hoje participam de concursos nacionais de queijos. Na infraestrutura, foi responsável pelo asfalto que liga a cidade de Buíque ao Distrito do Catimbau, além da pavimentação de dezenas de ruas na cidade e distritos, bem como a reforma de toda a malha de estradas vicinais que tem manutenção permanente.

Ele governa Buíque com tesão de noivo, como fosse a primeira vez quando tinha apenas 38 anos. Quer fazer muito mais. Entre os projetos, a implantação dos sistemas de abastecimento das vilas do Carneiro e Catimbau e a pavimentação até o distrito de São Domingos, já autorizado pelo Governo do Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

14/10


2021

Carreras pretende aprovar legalização do jogo no Brasil

Escalado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, para resolver a questão do jogo no Brasil com a aprovação de um projeto de lei na casa, o deputado pernambucano está viajando virtualmente pelo Brasil e conversando com um grande número de pessoas de modo a oferecer, ainda em novembro, um texto que permita ao presidente da casa levá-lo ao plenário e até aprová-lo antes do recesso.

Felipe Carreiras foi escolhido pelo seu trânsito no setor de turismo e pelas ligações que tem com o setor de promoção de grandes de shows. Ele já foi secretário de Turismo de Pernambuco no governo Eduardo Campos e conhece as demandas dos grandes hotéis e resorts, que enxergam no jogo um potencial de negócios muito grande, especialmente, os localizados em destinos exóticos e fora do circuito das cidades.

Esses locais também oferecem estrutura para shows de artistas, o que catapultaria a opções desses hotéis, a maioria ligada a companhias internacionais focados no nicho de alto luxo.

O deputado acredita que pode construir um texto que permita a legalização de uma série de atividades, que hoje são consideradas contravenção. Mas tem dito a interlocutores que sabe das fortíssimas resistências. Especialmente, da comunidade de fiscalização tributária. Embora publicamente as maiores resistências sejam vistas na comunidade evangélica e católica com grandes bancadas na Câmara.

Na Câmara, ao menos 194 parlamentares se declaram integrantes bancada evangélica. No Senado, são oito participantes. Outros 40 são deputados ligados à Receita Federal, que é radicalmente contra a legalização. Clique aqui e confira a matéria da coluna JC Negócios na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Outubro 2021

14/10


2021

O Dia Fake do Nordestino

Por Antonio Magalhães*

Na sexta-feira, 8 de outubro, escrevi na coluna Mercado do jornal O PODER, associado a este blog, um comentário sobre o “Dia Fake do Nordestino”. Crítica a uma comemoração induzida pela Câmara Municipal de São Paulo a partir de 2009 para homenagear os nordestinos e seus descendentes que vivem por lá. E o foco foi a cultura nordestina e suas manifestações. Nenhuma palavra sobre a real contribuição de nossa gente à metrópole gigante do Brasil.

O tema “Dia do Nordestino” para paulista ver encheram as redes sociais de toda a região. Nenhuma avaliação crítica, apenas frases de orgulho por ter nascido aqui. Quando na verdade, para nós, todos os dias são dos nordestinos, ricos em cultura, matérias primas, com grande disposição para o trabalho. Juntos poderíamos fazer uma região melhor do que exportar mão de obra para São Paulo.

Se durante muitos anos exportamos pessoas pouco qualificadas profissionalmente, agora seguem para a capital paulistas homens e mulheres com currículos admiráveis. A região perde muito com isso e os paulistas ganham. E mesmo diante dessa nova onda migratória “gourmet”, eles continuam insistindo nessa farsa do dia folclorizado para nossos parentes e amigos que vivem lá.

Duas repercussões de qualidade me impressionaram pela percepção do que foi escrito em O PODER. A primeira delas foi de Solange Guimarães Valadares de Sousa, mestre em História da Educação pela UFPE e cidadã de Goiana, na Zona da Mata de Pernambuco. Transcrevo abaixo suas palavras, embora já tenham sido divulgadas sábado, 9, por este blog:

“Parabenizo o Sr. Antônio Magalhaes, editor do Jornal O PODER, pelas excelentes matérias que tem publicado com as quais tenho me identificado.

Concordo com seu ponto de vista sobre o Decreto da Câmara Municipal de São Paulo que criou o DIA DO NORDESTINO realçando os nordestinos apenas como produtores culturais mas  que não destaca a maior contribuição desses valentes à economia de São Paulo.

Ele chamou de DIA FAKE DO NORDESTINO  pela ingratidão do paulista aos trabalhadores que construíram  São Paulo. Sem desmerecer  aqueles que nos enriquecem no mundo cultural ressalta que o outro lado existe, chama atenção de quê :

- pelo censo de 2015, mais de 5,6 milhões de pessoas são do Nordeste ou 12% da população paulista;

- estes chegaram à capital em busca de trabalho na área da construção civil;

- são trabalhadores do pesado que levantaram São Paulo do chão.

Não somos somente produtores culturais mas, também, trabalhadores do pesado esta verdade precisa ser explicitada.

Ele ainda nos informa que, hoje, este perfil mudou. Pelos dados do  IBGE, do início do ano, para 2021, Sul e Nordeste devem puxar a retomada da economia e devem crescer 4% cada.

E agora ?

Que bom saber que o Nordeste está oferecendo mais oportunidade de trabalho. Esta semana tive contato com uma pessoa, em Goiana, que disse ter voltado para Pernambuco por falta de emprego em São Paulo depois de residir lá por 14 anos em serviços domésticos.

Conclusão, o Dia do Nordestino não foi criado por nós, mas uma criação dos paulistas que, segundo ele, “querendo ser bonzinhos”.

Bonzinhos por quê ou pra quê, pergunto eu?

Busquemos a resposta”.

FALA UM PAULISTA

Outra repercussão qualificada veio do jornalista Mauro Bastos, nascido e criado na Mooca, bairro de origem operária em São Paulo, que morou no Recife e conhece bem o que é o Nordeste:

“Concordo com o que você disse sobre a bobagem do Dia do Nordestino. Os nordestinos começaram a chegar em São Paulo, majoritariamente, após a Segunda Guerra e encontraram uma cidade de europeus. Italianos, em sua maioria, espanhóis, lituanos, ucranianos, portugueses, alemães. Uma cidade que cumpriu a meta de branqueamento da raça, meta da elite do país.

Os nordestinos venderam sua mão de obra mais barata para sobreviver. Essa foi a base do preconceito. O mesmo aconteceu no século 19 em Curitiba, quando alemães e italianos, viram sua mão de obra barateada com a chegada dos poloneses. Daí “polaco” virar palavrão por lá.

Em São Paulo deu-se o mesmo, todo nordestino virou baiano. Mas, depois de décadas, essas divisões foram atenuadas. Meus dois filhos são casados com filhos de nordestinos: cearense e baiano. Sendo que o mais novo é neto de italianos. O processo de miscigenação é uma riqueza do país, mas não é pacífico e nem igualitário. Mas é inevitável.

Todo tipo de regionalismo, que não seja para preservar as manifestações culturais, é perigoso e ocioso. O sul do Brasil é exemplo disso. Como disse Darcy Ribeiro, alemães, italianos, trazidos e isolados criam culturas transplantadas. É o caso da Argentina, mistura majoritária de espanhol com italiano. Os nordestinos em São Paulo penaram com esse embate, também.

Hoje, seus filhos estão integrados. Mas é bom não esquecer que se eles sofrem em São Paulo, é porque aqui existe alguma saída, alguma esperança. Algo que nunca tiveram nas mãos das elites nordestinas com seus usineiros,  coronéis e jagunços. Viva o povo nordestino!”

É isso.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Agosto 2021

14/10


2021

Agemar entre as melhores no segmento de navegação

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) realiza, hoje, em Brasília, a solenidade de entrega do Prêmio ANTAQ 2021 que tem por finalidade reconhecer as iniciativas que se destaquem por sua contribuição na melhoria da prestação de serviços de transportes aquaviários à sociedade.

Este ano, a empresa pernambucana Agemar Transportes e Empreendimentos foi classificada entre os três melhores prestadores de serviços na categoria “Conformidade Regulatória - Navegação Marítima de Cabotagem e Longo Curso”.

Na solenidade de premiação serão conhecidos o primeiro lugar em cada categoria. A Agemar está na disputa com a Petrobras Transporte (Transpetro) e a Lyra Navegação Marítima.

Desde 1995, a Agemar opera entre os portos de Recife e Fernando de Noronha transportando, principalmente, combustíveis para veículos e geração de energia elétrica.

Sua embarcação possui uma configuração específica visando a proteção do meio ambiente: fundo e costado duplos, instrumentos de navegação com tecnologia de última geração e certificações expedidas por entidades classificadoras internacionais em todas as etapas do projeto, inclusive a ISO 14.001.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros