FMO - Previnir é a melhor forma de lutar

11/10


2021

Locadoras devem alugar veículos licenciados em PE

Do G1/PE

Uma lei complementar publicada no Diário Oficial de sábado (9) determina que as empresas locadoras com estabelecimento em Pernambuco devem disponibilizar aos locatários apenas veículos que sejam licenciados no estado.

A lei 459/2021 altera a de número 10.849/1992, que trata sobre o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Foi dado um prazo de 120 dias para que as empresas se adequem e façam o licenciamento da frota de maneira correta.

A lei prevê que devem pagar IPVA os veículos de propriedade de empresa locadora domiciliada em outro estado e com estabelecimento em Pernambuco se eles forem locados ou disponibilizados para locação aqui.

No artigo terceiro, está prevista apreensão do veículo e multa de R$ 53.970 em caso de desrespeito ao ocorrido, com liberação do mesmo apenas após o pagamento do valor. No caso de reincidência, a multa é dobrada, totalizando R$ 107.940.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão - regularizacao-fundiaria

11/10


2021

TSE inicia inspeção dos códigos-fonte das urnas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abriu, hoje, a etapa de inspeção dos códigos-fonte das urnas eletrônicas para a eleição de 2022. Essa fase dura duas semanas e faz parte dos preparativos para o Teste Público de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação, que vai ocorrer em novembro.

Ao todo, 39 pessoas se inscreveram para atuar na inspeção dos códigos-fonte – são os chamados “investigadores”. Entre as atividades que esses especialistas vão desempenhar está a elaboração de um “plano de ataque” às urnas eletrônicas.

Esse teste de ataque deve ser enviado ao TSE até o dia 25 de outubro. Em novembro, os mesmos investigadores retornarão à Justiça Eleitoral para executar o plano e tentar encontrar nas urnas alguma vulnerabilidade a ser corrigida.

De acordo com José de Melo Cruz, coordenador de sistemas eleitorais do TSE, essa etapa de testes servirá para mostrar “onde podemos melhorar”. “[É] Apenas o início do processo, que os senhores possam olhar o código fonte e depois fazer seus planos de ataque para que no evento principal os senhores possam nos atacar", disse Melo.

O coordenador também reforçou a segurança da urna e negou que o sistema eletrônico permita alguma alteração no resultado eleitoral. Ele disse que, se alguma fraude acontecesse, seria facilmente descoberta.

“Imaginar que a Justiça Eleitoral pode, a partir do momento da publicação do boletim da urna e na transmissão ou na totalização, alterar esse resultado, é admitir que todos os brasileiros que participam desse processo são tolos. Porque é uma fraude tola, uma fraude que qualquer pessoa, bastando procurar as partes, verifica a soma geral. Então, essa fraude que se fala na totalização e na transmissão [dos votos] é a fraude mais tola de todas e simplesmente inviável, porque ela seria descoberta facilmente”, afirmou.

Melo acrescentou ainda que a abertura do código-fonte não impõe riscos ao processo eleitoral. “Quanto mais você abre, mais transparência você consegue e evita a fraude. Porque se alguém falar alguma coisa errada, outras pessoas falarão a coisa certa. Combate-se a fraude não com segredo, mas com transparência”, disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

11/10


2021

Os brasileiros mais influentes

Da coluna de João Alberto

Luiza Trajano é o único nome brasileiro na lista das 100 personalidades mais importantes do mundo da revista Time. Já integraram o ranking, em anos passados, Lula, Jair Bolsonaro, Dilma Rousseff, Sérgio Moro, Neymar, Felipe Neto, Gabriel Medina, Paulo Lemann, Alex Atala, Joaquim Barbosa, Graça Foster e Eike Batista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

11/10


2021

Brasileiros usam mais lenha do que gás na cozinha

O uso de lenha como fonte de energia já ocupa o 2º lugar entre as principais fontes de energia nas casas dos brasileiros, com 26,1% de participação –atrás apenas da energia elétrica. O GLP (gás liquefeito de petróleo) aparece em seguida, com 24,4%.

Em 2020, o consumo de restos de madeira em residências aumentou 1,8% na comparação com 2019, segundo a Epe (Empresa de Pesquisa Energética).

A lenha ultrapassou o GLP nas cozinhas brasileiras a partir de 2017, quando começou a disparada do preço do gás, depois que a Petrobras mudou a política de preços e passou a reajustar o GLP toda vez que a cotação do petróleo e o câmbio subiam.

A Petrobras já reajustou o preço do GLP em 47,53% somente em 2021. Desde o começo de 2020, a alta acumulada é de 81,5%. O último reajuste, de 7,2%, foi anunciado na última 6ª feira (8.out.2021).

Com o aumento crescente do valor do gás de cozinha – que tem o preço médio de R$ 97,73 reais e já chega a R$ 135 em alguns lugares – e com a crise econômica, várias famílias passaram a recorrer à lenha.

Devido à disparada de preços, a Petrobras vai destinar R$ 300 milhões para um programa social de subsídio que ajudará famílias de baixa renda a comprar o gás de cozinha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/10


2021

A magia do circo está de volta

Por Maurício Rands*

?Pode haver vida prazerosa fora das telinhas. Afastando-se delas, muita gente tem procurado recuperar tempo em suas vidas. Que libertação! Um livro. Um bom papo com familiares ou amigos. Um debate ou curso presencial. Uma escapada ao teatro ou ao cinema. Uma corridinha na praia ou no parque. Um jogo do Náutico no glorioso templo dos Aflitos. E, agora, uma visita ao circo e um mergulho gostoso nos prazeres da infância-adolescência. Foi o que fizemos na última 5ª feira. Fomos ao Le Cirque Amar. Patrícia, Tati e Eduardo, a sogrinha d. Regina e acompanhantes, com Marinoca, a neta querida. Quatro gerações de mulheres que amo. Nesta semana vamos a outro, o Circo Maximus, com mamãe. De novo, as quatro gerações. Marinoca, com 2 anos e 8 meses, parecia maravilhada com a magia do circo. Ontem, no banho de mar, perguntada, não hesitou em apontar o palhaço como a melhor parte. Lembro do Circo Orlando Orfei, na Fecin, hoje Praça da Jaqueira. E do Circo Garcia. Ficava fascinado com a beleza das trapezistas, o ilusionismo dos mágicos, a habilidade dos acrobatas, a coragem dos motociclistas dentro do “globo da morte”; ou a dos domadores de leões e tigres. Os animais encantavam-nos. Mas houve casos em que fugiram, a assustar o respeitável público. As Marinas, hoje, já não correrão esse risco, pois corretamente proibiu-se o sofrimento por que passavam as feras domadas.  

?Nosso Ricardo Lapenda lembra que gostava de “correr o palhaço” ou “cantar o circo”, como se chamava no interior a caminhada convocando a população para o espetáculo da noite. Ante a gritaria das crianças batendo palmas atrás do palhaço: “Hoje tem espetáculo? Tem sim sinhô! E o palhaço o que é? É ladrão de muié!”. Ao final, toda a meninada que tivesse feito a zoada com o palhaço ganhava de brinde a entrada grátis, garantida por uma marca de nanquim aposta no braço. Um dia, d. Ceiça deu-lhe um bom banho quando ele chegou todo sujo. E lá se foi a marca de nanquim. Angústia de não ir ao circo com os demais meninos da rua. Foi o jeito marcar o braço com um traço de carvão. O porteiro descobriu a traquinagem, para logo depois deixá-lo entrar. Alguém lembrou que o traquina integrara o cortejo da divulgação. Socorro recorda-nos que Toinho de Berenice, seu irmão, certa feita levantou-se endiabrado na arquibancada. O palhaço recém-chegado em Santa Maria do Cambucá perguntara antes quem era dos meninos que tomava ar facilmente. Tava feita a gréa: “Ai, Toinho de Berenice!, hãin, hãin! ”. Para ouvir que deixasse a mãe de fora, ou apanhava ali mesmo, em pleno picadeiro. “E o palhaço vai ali e volta já, vai comer maracujá”!

?A criatividade do nosso povo sempre foi a marca do circo de lona. Pura expressão da irreverência e do deboche. O borbulhar de modinhas. Como as dos palhaços Mateus e Birico: “Eu subi de pau acima/pra tirar um caju/escorreguei de pau abaixo/e rasguei as pregas do… bolso”. O gosto pela gréa e pelo improviso, a mais pura expressão da nossa cultura popular de raiz. Levada em seguida ao teatro e ao cinema. Como fizeram Oscarito e Grande Otelo, que pularam do picadeiro para a TV e o cinema. Ou, aqui, em Pernambuco, o grupo Ponta de Rua, em que Morse Lyra, Carlos Fraga, Ceiça e trupe expressavam a indignação popular diante das iniquidades sociais. O que, em plena ditadura militar, custou-lhes ameaças e até prisões por subversão. Tirante os trogloditas, quem não gostou de ter assistido a encenação “O salário mínimo não tá cum nada!”? Quem não gostou de ver a devoção do nosso povo pela arte popular em Lisbela e o Prisioneiro? Como nem tudo é risada e aplauso, vale assistir dois filmes que revelam a dureza da vida dos que tanto nos encantam: O Palhaço, com Selton Melo e Paulo José (https://www.youtube.com/watch?v=H5qReKA8sD0), e Chocolat (https://g.co/kgs/tkJvsP). Nessas semanas, o recifense pôde voltar a curtir a criatividade e a destreza dos artistas circenses. Saindo da pandemia, estrearam outros circos que podem nos ajudar a não depender apenas das telinhas: Le Cirque Amar, no Memorial Arcoverde, Circo Maximus, no pátio das Faculdades Universo, na Imbiribeira, Real Circo, em Camaragibe, e a Escola Pernambucana de Circo, na Macaxeira. Quem amanhã for comemorar o dia das crianças num desses circos não vai se arrepender. Afinal, como poetou Denancy Mello Anomal: “Num circo de pano roto/minha infância se escondeu/em todo circo há um garoto/e esse garoto sou eu”.

*Advogado formado pela FDR da UFPE, PhD pela Universidade Oxford


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

11/10


2021

Acompanhe ao vivo o debate na Rádio Pajeú

Clicando no link disponível (http://www.radiopajeu.com.br/portal/player.html) ou entrando no site da Rádio Pajeú, de Afogados da Ingazeira, você pode ouvir ao vivo minha entrevista ao comunicador Nill Júnior, que começa em instantes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Outubro

11/10


2021

Os flagelos da humanidade

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Encarnação do mal, o mongol Gengis Kão é considerado patrono das guerras bacteriológicas, conta o bicho-grilo Adalbertovsky em sua cantoria de hoje. “Alma sebosa, ele jogava cadáveres nos territórios dos inimigos para espalhar doenças. O terrorismo biológico, hoje, assusta mais que ogivas nucleares”.

“São os novos discípulos de Gengis Kão. Lá nas caldeiras do inferno, Gengis Kão, nazistas,  comunistas e outros insetos festejaram a morte de milhões de criaturas vítimas da pandemia de Covid neste vale de lágrimas e de micróbios”.

“A pandemia do vírus em forma de coroa aterroriza a humanidade. Cabe lembrar que a Peste Negra exterminou número estimado de 300 milhões de viventes na Eur-Ásia, idos de 1347 a 1351, equivalente hoje a cerca de 1/3 da humanidade. Na época não se conhecia o mundo microscópico e as doenças eram consideradas castigo dos Deuses. Foi a maior tragédia sanitária do planeta”.

“Dizer que o bem sempre vence é apenas um devaneio. Desde os tempos do paraíso perdido de Adão e Eva, a serpente revela que o mal tem sido vitorioso na história da humanidade Adâmica, nas guerras, escravidão, genocídios, epidemias e pandemias. Os micróbios do mal conspiram contra os Sapiens. Faz parte da luta do mal contra o bem”. A crônica do bicho-grilo Adalbertovsky está postado no Menu Opinião. Vamos nessa, bichos!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Transparência em 1° Lugar

11/10


2021

Ingazeira homenageia educadora filha da terra

Ingazeira, no Sertão do Pajeú, a 365 km do Recife, é berço natal do desembargador Bartolomeu Bueno e do advogado Roberto Moraes, referência em Direito Eleitoral no Estado. Eles estão de volta ao solo seco e esturricado desde ontem para um ato emocionante: a inauguração, hoje, de uma unidade escolar batizada com o nome da mãe Maria de Freitas Pedrosa, primeira tabeliã do município. 

O prefeito Luciano Torres também estará entregando à população, ao lado do ex-prefeito Lino Moraes, a primeira creche municipal no mesmo prédio em que funcionará o Centro de Educação Infantil Maria de Freitas Pedrosa. "A vida da minha mãe foi devotada à educação", diz o advogado Roberto Moraes, adiantando que dona Maria de Freitas concluiu o curso de Pedagogia num estágio da vida já adiantado, morando em Tabira, com os filhos adultos universitários no Recife.

Com o canudo em mãos, ingressou na rede estadual de ensino e chegou a lecionar até no Recife. Ao ato de logo mais, além de Roberto e Bartolomeu, outros familiares estarão presentes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

11/10


2021

Coluna da segunda-feira

Recife continua uma Biafra

Em janeiro de 1970, a guerra civil na Nigéria, um dos países mais pobres do mundo, finalmente terminou. O conflito foi travado com a arma da fome e abalou o mundo, muitos alemães se manifestaram contra a Guerra do Biafra e Biafra acabou virando sinônimo de miséria, de uma chaga social terrível que enche nossos olhos de lágrimas. Próximo a completar seu primeiro ano de mandato, o prefeito João Campos (PSB) não conseguiu avançar em políticas transformadoras da face oculta da Biafra recifense.

Moradores de rua continuam sem tratamento social acolhedor. Basta dar uma passadinha na Rua do Imperador, transformada na Venezuela nordestina, com centenas de famílias abandonadas morando em barracas de papelão improvisadas. Mas João deve estar, a esta altura, debruçado, na companhia de marqueteiros, em cima de uma campanha midiática para incutir na população a ideia de que é o rei da cocada preta e que seu Governo é uma Brastemp.

Não acredite! Você deve se deparar com um filmete recheado de factoides. Recife continua a mesma Biafra que Geraldo, antecessor e tutor político de João, batizou, desavergonhadamente, de “Capital do Nordeste”. Só se for do abandono, do retrocesso, da miséria, dos engarrafamentos, da sujeira, de um panorama débil e penoso.

O que mudou no Recife? Sob o olhar da limpeza, absolutamente nada. Dá vergonha andar na cidade, especialmente nos bairros mais pobres, longe dos refletores formadores de opinião, onde habitacionais rastejam, morros sem obras estruturadoras, palafitas crescendo, nada para transformar a face africana. Que obra ou projeto de infraestrutura saiu do papel e chegou aos olhos dos recifenses, através da Câmara de Vereadores, para debate?

Recife continua imbatível como campeã em pior trânsito do País, com uma mãozinha dada pelo prefeito na medida em que reduz o espaço dos automóveis para abrir vias de ciclistas em ruas já historicamente estranguladas. Cadê as centenas de creches prometidas? Milhares de mães continuam sacrificando empregos porque não têm com quem deixar seus filhos.

Cartão postal na era Jarbas, o Bairro do Recife continua às moscas, igualmente o centro da cidade sem o prometido projeto de revitalização. Os canais, como o do Arruda, uma podridão. Falta água nas comunidades, o transporte público continua caro e de péssima qualidade. O prefeito comemorou uma classificação bizarra no ranking da Transparência Brasil, mas até agora não deu um pio nas razões que levaram a Polícia Federal a promover sete operações na gestão de Geraldo Covidão, recorde nacional em investigações de dinheiro público da União remetido ao município para salvar vidas ameaçadas pela covid-19.

Também outrora orgulhoso cartão de visitas, a praia de Boa Viagem é uma vergonha, suja, abandonada, sem vida nem atrativos para os turistas, principalmente no período noturno quando vira um verdadeiro cemitério, diferente das orlas de Fortaleza, Salvador e Maceió. Não precisa ir muito longe. Na vizinha João Pessoa, Tambaú é uma festa.

Por fim, a única ação visível de João foi se promover como gestor eficiente em cima do programa de imunização contra a covid, através de lotes de vacinas enviadas pelo Governo Federal, além de um auxílio para micro empreendedores sem um acompanhamento técnico e duradouro, porque não consegue se desvencilhar no viés político, da instrumentalização do cargo para tirar dividendos eleitorais.

Exemplos de avanços – Recife paga o preço do isolamento político e da inexistência de um modelo administrativo confiável. Alguém pode perguntar por que Jaboatão, Caruaru e Petrolina fizeram o diferencial nos últimos anos enquanto Recife não conseguiu destaque? Jaboatão, na RMR, apesar dos seus latentes contrastes sociais, tem realizações, com prêmios internacionais. Caruaru também andou para frente e Petrolina virou, nos últimos anos, o maior canteiro de obras do Estado.

Meritocracia ao inverso – Ainda está bem presente na mente dos recifenses, na propaganda eleitoral passada, o discurso do então candidato a prefeito do Recife, João Campos, falando numa tal meritocracia, dando como exemplo o fato de, eleito deputado federal, ter feito seleção pública na contratação de servidores para o seu gabinete. Eleito prefeito, nomeou filhos de políticos para a sua equipe e acomodou parentes fazendo a política do nepotismo cruzado. O governador Paulo Câmara já havia nomeado Maria Eduarda, sua irmã, diretora da Perpart e, na semana passada, Pedro, também irmão, virou o todo poderoso chefe de projetos especiais da Secretaria de Planejamento.

Manda quem pode! – No último sábado, postei neste blog, com exclusividade, que ao ser nomeado chefe de projetos especiais do Governo do Estado, Pedro Campos, que batizei de dente de leite do projeto ambicioso da família Campos, irá gerir uma fatia orçamentária de R$ 5 bilhões até abril, quando deve se afastar para disputar um mandato de deputado federal. Desse montante, com o seu crivo, sairão as verbas para todas as obras pendentes no Estado, desde uma simples pavimentação de uma rua a um projeto de infraestrutura viária ou hídrica.

Governador – Na prática, o governador de fato, na gestão dos R$ 5 bilhões, será o candidato mirim da capitania hereditária. Pedro, não o Simão, que negou Cristo por três vezes, mas sim o Campos, não negará um tostão do bolão que estará em suas mãos para gerir aos que, evidentemente, tiverem a oferecer o que ele precisa: votos. Quer sair das urnas em 2022 como o deputado federal mais votado do Estado.

O mundo mudou – O que apurei, em reserva, é que o prefeito João Campos não está gostando nem um tiquinho da grande visibilidade que o irmão Pedro está ganhando. Não esperava que, dentro do próprio clã, aparecesse, não mais que de repente, como diz o poeta, alguém para roubar um pouco da pouca luz que tem hoje. Enganou-se João, o príncipe!  Apesar dos sonhos e da megalomania de sua Tabata, o mundo não gira mais absolutamente e unicamente em torno dele.

CURTAS

Professores esquecidos – Enquanto em Jaboatão, o prefeito Anderson Ferreira (PL) anuncia um bônus de R$ 1 mil para professores da rede municipal na compra de livros e material escolar, os professores estaduais continuam sem ver a cor do dinheiro que o governador prometeu de aumento na campanha passada. Ser profissional em sala de aula no Estado virou um inferno. A categoria não consegue sair do cheque especial, quando tem, diga-se de passagem.

Rasgando o verbo – Curtindo o feriadão imprensado do 12 de outubro, Dia da Criança, em Afogados da Ingazeira, estarei logo mais, às 10 horas, no Debate das Dez, da Rádio Pajeú, ao lado do companheiro Nill Júnior, âncora de um dos programas de maior audiência do Sertão pernambucano. Vamos tratar de tudo, inclusive das especulações de uma provável candidatura minha a senador.

Perguntar não ofende: O que os deputados federais do PSB com dificuldade de reeleição por causa do fim das coligações estão achando da bombada do Governo na candidatura de Pedro Campos?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

10/10


2021

Coluna traz avaliação da gestão João Campos

A coluna vai trazer, logo mais, à meia-noite, uma avaliação dos nove meses iniciais da gestão do prefeito do Recife, João Campos (PSB). Os leitores verão se o gestor passou no batismo de fogo do começo de sua administração, herdada do padrinho político Geraldo Julio, hoje na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico e ainda ventilado como nome do PSB para a sucessão do governador Paulo Câmara.

Vale a pena conferir!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Outubro 2021

10/10


2021

No Debate das Dez da Rádio Pajeú

Passando o feriadão imprensado em Afogados da Ingazeira, estarei nesta segunda-feira (11) no Debate das Dez, ancorado pelo companheiro Nill Júnior, diretor da Rádio Pajeú. Nill é, também, presidente da Associação das Emissoras de Rádio e Televisão do Estado. Na pauta, o cenário nacional e as especulações de uma provável candidatura minha ao Senado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes Agosto 2021

10/10


2021

Sem vacina, Bolsonaro reclama por não ver jogo do Santos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se queixou hoje com apoiadores de não poder assistir ao jogo entre Santos e Grêmio, na Vila Belmiro, porque ainda não tomou a vacina contra a Covid-19. O chefe do Executivo está passando o final de semana no litoral paulista. Lá, existe a obrigatoriedade de vacinação para frequentar espaços, como estádios.

"Por que cartão, passaporte da vacina? Eu queria ver o jogo do Santos. Agora me falaram que tem que estar vacinando. Por que isso? Eu tenho mais anticorpos de que quem tomou a vacina", reclamou o presidente.

Especialistas, contudo, enfatizam que a vacinação coletiva é fundamental para o controle da pandemia do coronavírus, uma vez que ajuda a impedir o surgimento de novas mutações e a disseminação desenfreada do vírus.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros