Jaboatão

05/05


2021

Deputada bolsonarista faz viral do TikTok na Câmara

Integrante da base bolsonarista, a deputada Alê Silva (PSL-MG) viralizou, ontem, ao fazer a coreografia viral do TikTok da “Dança do Carpinteiro” sem máscara, acompanhada de dois assessores, no Salão Verde da Câmara dos Deputados. O vídeo foi editado pelo Portal 360.

O post foi feito há quatro dias no TikTok da parlamentar, com a legenda “depois de 12 horas de sessão no plenário, nós tá como?”, além de um “sextou”.

O vídeo da deputada, no entanto, se propagou com rapidez no Twitter e em grupos de WhatsApp na última segunda-feira, e logo se tornou alvo de críticas.

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) foi uma das que se posicionou contra a colega. “A deputada bolsonarista Alê Silva não tem mesmo o que fazer na Câmara?! O Brasil com mais de 400 mil mortes e essa criatura usa as dependências da Câmara para fazer dancinha?!!”, afirmou no Twitter.

Ao Portal Metrópoles, a deputada afirmou que gravou o vídeo para uma seguidora com diagnóstico de depressão e ressaltou que não infringiu nenhuma regra da Casa.

“Riso ainda é o melhor remédio para as dores da alma. Só de tê-la feito sorrir já me senti compensada”, disse. Ela afirmou ainda que não esperava que o vídeo fosse vazar e ter “toda essa repercussão”. Mais popular como “Um Conto de Fadas”, a música se chama “O Carpinteiro” virou uma febre entre os mais jovens nos últimos meses.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Realmente é falta do que fazer, para não dormir e roncar como seu ídolo fazia na Câmara dos Deputados, resolveu experimentar a dança, pior não poderia ficar!


Ipojuca 2021

05/05


2021

TCE: Excesso de R$ 5 mi na iluminação de Jaboatão

EXCLUSIVO

Os auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontaram como excesso no relatório de auditoria o valor de R$ 5.160.284,18, equivalente a 32,82% do que foi pago pela Prefeitura de Jaboatão à empresa V. C. Batista Eireli ME, pelo contrato de iluminação pública da cidade, devendo ser ressarcidos ao erário municipal posteriormente, segundo o TCE.

Os auditores do TCE estranharam Jaboatão ter "aderido" sem licitação a uma ata de registro de preços da Prefeitura de João Pessoa/PB. O contrato tinha valor inicial de aproximadamente R$ 6 milhões, mas foi aditado e renovado por Jaboatão, passando para R$ 20 milhões.

"Em 23/04/2018 a Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes aderiu (Adesão 10/2018) à Ata de Registro de Preços decorrente do Pregão Eletrônico 07.008/2017-SEINFRA da Prefeitura de João Pessoa/PB, com fins de contratar a execução, de forma contínua, dos serviços de manutenção preventiva e corretiva do sistema de iluminação pública e fontes luminosas do município, com fornecimento de material e equipes de mão de obra.  Em 09/05/2018 a Administração firmou o Contrato nº 12/2018 com a empresa V C Batista Eireli ME, com prazo de 12 meses e valor de R$5.992.996,12. Tal contrato foi aditado no montante de R$1.380.246,38 e renovado por duas vezes (em períodos de 12 meses), totalizando R$20.739.481,12 com previsão de término em 08/05/2021", disse a auditoria do TCE.

Os auditores do TCE atestaram que "também foi possível verificar que as renovações contratuais foram efetuadas sem a devida comprovação de vantajosidade para a Administração".

Diante dos fatos, a Segunda Câmara do TCE decidiu em março alertar a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes para a necessidade de suspensão dos pagamentos remanescentes do contrato 12/2018, destinado à manutenção dos serviços de iluminação pública daquela localidade. A decisão se deu por conta do julgamento que pediu o "encerramento de supostas despesas indevidas apuradas pela auditoria até que o Tribunal se pronunciasse sobre o caso".

O contrato foi firmado em maio de 2018 com a empresa V. C. Batista Eireli ME pelo período de 12 meses, no valor de R$ 5.992.996,12, mas foi aditado em R$ 1.380.246,38 e renovado por duas vezes por igual período, elevando o seu custo para R$ 20.739.481,12. A equipe técnica do Núcleo de Engenharia do TCE analisou a contratação e a execução dos serviços e encontrou indícios de irregularidades, dentre as quais o possível uso de veículos com especificações inferiores às contratadas/pagas e a utilização de quantitativo de mão de obra aquém do estabelecido pelo Termo de Referência, o que resultou no pagamento de horas/mês acima do previsto.

Além disso, segundo o TCE, Jaboatão "não adotou um BDI (Benefícios e Despesas Indiretas) diferenciado para a formação dos preços unitários dos itens de fornecimento de material e a renovação contratual se deu sem a devida comprovação de vantajosidade para a administração".

Ainda segundo a auditoria, o último pagamento ocorreu em novembro do ano passado, quando até então haviam sido pagos R$ 15.722.951,17, correspondente a 75,81% do que foi contratado/aditado. O valor supostamente apontado como excesso inicial no Relatório de Auditoria foi de R$ 5.160.284,18, equivalente a 32,82% do que foi pago pela prefeitura à V. C. Batista Eireli ME, e deverão ser ressarcidos ao erário municipal posteriormente, segundo o TCE.

O TCE acompanha o contrato, cuja data de conclusão está prevista para o próximo dia 8 de maio, por meio de uma auditoria especial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021

05/05


2021

Uma decisão que deixaria Marília Arraes rica

O discurso de ódio dirigido a pré-candidatos em publicações de cidadãos comuns em seus perfis privados nas redes sociais durante o período pré-eleitoral pode configurar propaganda eleitoral antecipada negativa. Esse foi o entendimento manifestado pela maioria do Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Com a decisão, proferida nos termos da divergência aberta pelo ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, o TSE manteve a multa de R$ 5 mil imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) a Everildo Bastos Gomes.

Ele publicou em seu perfil pessoal no Instagram, antes do período eleitoral de 2018, um vídeo no qual faz ofensas a Flávio Dino (PCdoB), então candidato à reeleição ao Governo do Estado. Everildo não era candidato a nenhum cargo eletivo. O ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto disse que o discurso de ódio estava presente na publicação de Everildo – e que o mesmo é um limitante à liberdade de expressão.

“Dúvida não há, ao meu modesto sentir, que as expressões pelo representado do ora agravado, a exemplo da pecha de nazista, ofenderam inexoravelmente a honra do governador Flávio Dino, consubstanciando discurso de ódio passível de enquadramento no campo da propaganda eleitoral antecipada na sua modalidade negativa”, argumentou o ministro.

Se essa decisão tivesse sido tomada ao longo da campanha passada para todo o País, certamente Marília Arraes, que disputou à Prefeitura do Recife, estaria, hoje, nadando em dinheiro, porque foi objeto de uma saravada de ataques por gente manipulada pelos seus adversários, especialmente o PSB.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

05/05


2021

Em curva ascendente, PE sofre mais restrições

Nos últimos dias, o número de internações e mortes no País tem entrado numa curva de estabilidade, com exceção de Pernambuco, especialmente Recife, segundo o painel diário de acompanhamento da doença no País pelos mais variados meios de comunicação e pelo site do Ministério da Saúde.

Pernambuco, ao contrário de outros Estados, aponta um cenário de estágio acelerado para novos casos e mortes. Diante disso, o mais provável é que o governador Paulo Câmara tome medidas mais duras do ponto de vista de restrições envolvendo bares, restaurantes, o comércio em geral, praias e shoppings. No próximo domingo, vence o prazo que mantém em vigor as atuais medidas baixadas em decreto.

Lá atrás, o governador não foi mais radical nas medidas temendo, na outra ponta, o agravamento da crise econômica e social. Mas isso passou a não pesar tanto a partir do momento em que o Governo Federal voltou a pagar o auxílio emergencial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/05


2021

Nordeste, uma agenda renovada

Por Armando Monteiro Neto*

As desigualdades regionais no Brasil são persistentes. A participação média do PIB do Nordeste em relação ao nacional no período de 2010 a 2018 foi inferior a 14%. No mesmo período, o Nordeste tem um produto per capita que corresponde à metade do Brasil e a 1/3 do Sudeste. Esses percentuais têm se mantido por décadas com pequenas oscilações, a despeito da contribuição de políticas que promoveram uma relativa desconcentração espacial da indústria entre 1970/85 e do uso intensivo de incentivos fiscais de ICMS para atração de investimentos a partir dos anos 90.

Esse repertório de políticas e instrumentos tradicionais revela claros sinais de esgotamento, seja por limitações fiscais, ou pela constatação da baixa efetividade dos mesmos, em face das mudanças estruturais ocorridas nos últimos anos. Portanto, é preciso repensar o desenvolvimento regional em novas bases cujo desafios se alargaram em função dos efeitos da pandemia que nos legou no final de 2020 uma taxa de desemprego bem acima da média nacional (17,2% contra 13,9%) e uma maior dependência de políticas de transferência direta de renda.

Nesse sentido, defendemos uma política nacional em articulação com os entes subnacionais que possa orientar os esforços na promoção dos fatores determinantes da competitividade sistêmica: capital humano/desenvolvimento de habilidades e novas competências, infraestrutura/logística/conectividade/inclusão digital, inovação e sustentabilidade sócio ambiental.

A transição para o novo modelo de desenvolvimento exige uma política de Estado conectada com a nova realidade. Nessa nova economia, o Nordeste já demonstrou imenso potencial em energias renováveis. Na área eólica, respondemos por 85% da capacidade instalada do País. Precisamos ampliar a inserção dos nossos jovens, estimulando o empreendedorismo inovador. As startups assumem inegável protagonismo e crescem mesmo na crise.

O nosso modelo do Porto Digital é referência que deve ganhar escala regional. Os desafios na área social são imensos, mas precisamos investir em nossas crianças. O Nordeste perde para regiões mais desenvolvidas em todos os níveis de ensino básico na rede pública, mas há bons e promissores exemplos como os do Ceará, onde quase 100% das escolas públicas municipais atingiram a meta do Ideb em 2019 nos anos iniciais do ensino fundamental. O desenvolvimento regional tem que estar no centro da agenda do País, não apenas por um imperativo de justiça.

*Ex-senador e ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes 2021

05/05


2021

Miguel discute com ministro investimentos para Petrolina

Em agenda na capital federal, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), se reuniu, ontem, com o ministro do Turismo, Gilson Machado. O encontro foi promovido para tratar de recursos destinados à oferta de espaços de lazer e de empreendimentos a fim de atrair mais turistas ao município sertanejo.

O Ministério do Turismo e a Prefeitura de Petrolina têm dois convênios formalizados. Um deles é para a requalificação de 15 praças públicas. A verba já está garantida e o município deve iniciar a licitação das obras ainda neste semestre. O outro convênio é para a revitalização do Centro de Convenções, que deve começar em 2022.

Miguel também falou com o ministro sobre a intenção de potencializar a rede hoteleira e firmar parcerias com o Ministério do Turismo com o objetivo de atração de resorts e outros empreendimentos. "Petrolina tem enorme potencial turístico. Infelizmente, com a pandemia, esse foi um dos setores mais prejudicados da economia. É o momento de discutir como recuperar o segmento e ampliar investimentos. Por isso, pedi apoio ao ministro Gilson Machado, que se comprometeu a colaborar para fazer nossa cidade expandir a rede hoteleira e instalar novos empreendimentos para recepção de turistas", disse Miguel após o encontro.

O prefeito de Petrolina também visitou os ministérios da Educação e de Desenvolvimento Regional, além da Codevasf para destravar recursos para obras estruturantes. Miguel continua em Brasília hoje, quando terá outra rodada de reuniões.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

05/05


2021

Marco Maciel livrou pai de Geraldo Melo da repressão

Por Roberto Morais*

Magno,

Mais uma coincidência nas nossas trajetórias profissionais de matutos vindos do Sertão para a capital! Assim como você, trabalhei na Prefeitura de Jaboatão em 1979, só que no cargo de assessor jurídico, convidado que fui por Geraldo Melo e seu cunhado, que era deputado estadual e depois juiz do Trabalho ao ser nomeado por Fernando Lyra.

Eu também ia e voltava de trem. Depois, passei a me deslocar em um fusca, o primeiro carro que comprei depois de formado. Eu havia me graduado na Faculdade de Direito do Recife.

Teve um episódio de Geraldo Melo com Marco Maciel. O pai de Geraldo era comerciante e fora intimado pelo delegado Gentil da Veiga. Eu me preparei para acompanhá-lo até a delegacia a pedido de Luiz, seu médico e irmão.

Luiz era dono do hospital de Jaboatão e já fora preso político. Geraldo Melo me chamou e proibiu que eu e o pai fôssemos à delegacia. Mesmo sendo do PMDB e oposição ao governador Marco Maciel - Geraldo era o único prefeito do PMDB no Estado e um dos primeiros do Brasil -, Maciel demonstrou a largueza de gestos de sempre, recebeu Geraldo no Palácio e resolveu.

O governador Marco Maciel afastou o delegado e o pai de Geraldo e eu não fomos à delegacia. Isso tudo diz muito dos dois. Marco e Geraldo! Assim sendo, já trabalhamos juntos e nem sabíamos.

Abraço!

*Advogado e ex-desembargador Eleitoral.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Anuncie Aqui - Blog do Magno

05/05


2021

ACP participa do projeto de ressignificação do Recife Antigo

A Associação Comercial de Pernambuco (ACP) participou, na última segunda-feira, de reunião com a Prefeitura do Recife e agentes do setor privado (Banco Santander e Associação Oasis da Liberdade) com o objetivo de discutir alternativas para o desenvolvimento da região do Marco Zero, onde a entidade fica localizada. O encontro fez parte do projeto Ressignificação do Recife Antigo 2021.

Na oportunidade, foram discutidos temas como a concessão de créditos e cursos de qualificação para os empreendedores locais, especialmente com o propósito de valorizar e aproveitar os moradores das comunidades do entorno, e o aumento do fluxo de pessoas por meio de iniciativas voltadas à valorização dos profissionais que se dedicam ao turismo.

A ACP colocou o espaço físico da sua sede à disposição da Prefeitura para estabelecer um ponto de informação sobre o Crédito Popular do Recife. “A ideia é permitir que os pequenos comerciantes locais saibam como fazer o cadastramento para acesso ao crédito, pois muitos dos que precisam ainda não estão informados”, disse Tiago Carneiro, presidente da ACP.

A Associação Comercial de Pernambuco – ACP é a mais antiga entidade associativa do setor empresarial de Pernambuco, tendo sido fundada em 1839. Desde seus primeiros anos de vida, a ACP teve como princípio e como estratégia organizacional e de trabalho atuar de forma associativa e com a interação, a mobilização e a participação articulada da classe empresarial pernambucana.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

05/05


2021

Teich diz que deixou o governo por não ter autonomia

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich disse, há pouco, na abertura de seu depoimento na CPI da Covid, que deixou o governo por ter percebido que não teria autonomia para atuar. Ele afirmou ainda que não havia estudos que baseassem o uso de cloroquina, apesar de o presidente Jair Bolsonaro defender o remédio contra a Covid.

“As razões da minha saída do ministério são públicas, elas se devem basicamente a constatação de que eu não teria autonomia e liderança que imaginava indispensáveis ao exercício do cargo. Essa falta de autonomia ficou mais evidente em relação as divergências com o governo quanto à eficácia e extensão do uso do medicamento cloroquina para o tratamento da COVID-19, enquanto minha convicção pessoal, baseada nos estudos, que naquele momento não existia evidência de sua eficácia para liberar", afirmou o ex-ministro.

Teich ficou 28 dias à frente do ministério, entre abril e maio do ano passado. Ele deixou o governo por divergências com o presidente Jair Bolsonaro sobre a condução da pandemia, assim como seu antecessor na pasta, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, ouvido ontem na CPI.

Enquanto Bolsonaro defendia, e ainda defende, o uso da cloroquina, remédio cientificamente comprovado ineficaz contra a Covid, Teich alertava sobre os riscos do medicamento.

O relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), perguntou se Teich sabia da produção de cloroquina pelo Exército. Teich respondeu que não sabia e que não foi um assunto que chegou a ele.

Teich foi à CPI na condição de testemunha, quando há o compromisso de dizer a verdade sob o risco de incorrer no crime de falso testemunho.

Inicialmente, Teich seria ouvido na terça, após Mandetta, mas o depoimento foi remarcado. Durante a sessão, os parlamentares também adiaram, para o próximo dia 19, o comparecimento de Eduardo Pazuello, marcado para esta quarta.

O general do Exército pediu para não comparecer porque disse ter tido contato com pessoas que contraíram a Covid. Por isso, o adiamento para daqui a 14 dias.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/05


2021

Porcos: acórdão do TCE é republicado

EXCLUSIVO

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) teve que republicar o acórdão do conselheiro Carlos Neves, sobre a compra de respiradores testados em porcos, alvo da Operação Apneia. "Republicado por haver saído com incorreção", diz o Diário Oficial do TCE, sem detalhar qual seria a incorreção. Ontem, o Blog tinha revelado que o voto de Carlos Neves, segundo fonte sob reserva, estava sendo alvo de críticas em parte do PSB, por ser considerado "fraco" e ter dado margem a maiores questionamentos sobre a Apneia.

Apesar da republicação, o julgamento final não foi alterado. Foram julgadas regulares as contas de Felipe Soares Bittencourt (homem-forte de Geraldo Júlio nas contas da covid-19), Jailson de Barros Correia (ex-secretário de Geraldo) e Mariah Simoes da Mota Loureiro Amorim Bravo (sobrinha de Sileno Guedes). Foi mantida a multa de oito mil reais para Mariah Simoes da Mota Loureiro Amorim Bravo.

Em nota oficial na semana passada, a Polícia Federal divergiu do TCE. "Quanto aos servidores públicos envolvidos, um deles foi indiciado pelo crime de dispensar ilicitamente licitação pública, ao passo que aos demais foi também imputado o delito de peculato. Nesse caso, a pena máxima cominada é de 17 anos de prisão", dizia a nota.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha