Blog do Magno 15 Milhões de Acessos

14/01


2021

Yves anuncia regulamentação de kombeiros em Paulista

O prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (MDB), estabeleceu um prazo de 120 dias para que kombeiros que atuam na cidade passem por regulamentação. Além disso, suspendeu blitz durante o período. O anúncio ocorreu, hoje, em reunião com parte do secretariado e representante dos motoristas de Kombi.

Essa foi a maneira encontrada pelo gestor para organizar o transporte coletivo em Paulista e evitar novos conflitos entre agentes de trânsito e kombeiros. "Estamos fazendo uma parceria. O importante é que possamos trazer tranquilidade para os kombeiros. São 430 pais de família que vivem de Kombi", comenta Yves.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

14/01


2021

Artur tenta voto de Marília

Na passagem ontem pelo Recife, o candidato do Centrão à Presidência da Câmara, Artur Lira (PP-AL), teve uma conversa reservada com a deputada Marília Arraes, da bancada do PT na Casa, pediu seu apoio, mas saiu sem a certeza do voto da petista, que já havia se encontrado com ele em Brasília.

Lira já teria, hoje, mais de 300 votos, inclusive Marília não seria a única assediada no PT. Outro que está na sua agenda é o também pernambucano Carlos Veras. Ambos foram convidados para o almoço com Lira ontem no Costa Brava, mas recusaram o convite.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

14/01


2021

Lockdown, a estratégia suicida

Por Antonio Magalhães*

Paulo Câmara e Geraldo Júlio erraram ao determinar um lockdown rigoroso durante a primeira fase da pandemia causada pelo vírus chinês. Um estudo do psicólogo e professor da UFPE, Bruno Campello, apontou que o isolamento social determinado pelos governantes a partir de março de 2020 levou a mais mortes pela Covid. Para Campello foi uma “estratégia suicida”.

O psicólogo usou os dados da empresa de geolocalização In Loco, contratada sem licitação pela Prefeitura do Recife, e do Google para monitorar os pontos mais rigorosos de isolamento e onde aconteceram as mortes futuras, quatro a seis semanas depois.

“Pensei que as mortes poderiam ser mais um efeito da fase da pandemia – disse Campello em entrevista ontem ao programa da Jovem Pan “Pingos nos iis” –, mas vi, com base em estatística, que meu ponto de vista, ao contrário das autoridades, estava se confirmando”.

AUMENTARAM AS MORTES

Segundo ele, o lockdown proposto para supostamente desafogar o sistema público de saúde terminou aumentando o pico de mortes e em menos tempo, com o crescimento do número acumulado de óbitos. “Só para dar uma ideia, o isolamento de 45 dias provocou um aumento de 15% das mortes. Um dado surpreendente, mas verdadeiro”, acrescentou.

Ele participou em dezembro passado de uma viagem de integrantes do Ministério da Saúde a Manaus, onde aconteceram muitas mortes pela Covid. “Os óbitos ocorreram quatro a seis semanas depois de um radical isolamento social. Muitos o qualificaram de quarentena, mas ela só afasta os doentes. Já o lockdown juntou saudáveis e doentes permitindo mais contaminações”.

ESCOLAS FECHADAS

Campello lembrou ainda que a iniciativa de fechar escolas foi um equívoco das autoridades, em todos os países. “Comprovadamente se soube que a fração de crianças e adolescentes contagiada pelo coronavírus foi muito pequena. E as mortes nessa faixa etária foram bem menores. Embora se admita que muitas crianças morrem por gripes comuns”. Para ele, epidemiologicamente e estatisticamente não se justificou o fechamento das escolas.

A versão de um fechamento total, ou lockdown, para combater a Covid foi desenvolvido em 2006 nos Estados Unidos, quando o governo de George W. Bush procurava um meio de reduzir as contaminações futuras em epidemias de gripes. A filha de um epidemiologista de 14 anos deu a ideia de que as crianças por contactarem muitas pessoas na escola poderiam ser transmissoras de maior grandeza do vírus da gripe.

Pois bem, o governo Bush acatou a sugestão do médico com base num estudo de pouca consistência científica com 180 crianças sugerindo o isolamento dos menores. O estudo foi duramente criticado por cientistas na época, mas terminou engavetado por falta de risco real. E com a pandemia do coronavírus, o isolamento social como tinha sido proposto foi retomado radicalmente.

POUCA ATENÇÃO

Bruno Campello afirmou na sua entrevista que procurou por meio de amigos comuns autoridades do Estado e da Capital, mas não lhe deram atenção. O seu estudo, compartilhado com o pai, também professor, Fernando Campello de Souza, quase ficou inédito uma vez que três repositórios de trabalhos acadêmicos recusaram acolhê-lo sem qualquer justificativa. Outras sete revistas recusaram o trabalho sem explicações. “Agora ele já está no repositório SSRN e uma revista científica vai publicá-lo”, completou. É isso.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/01


2021

Incêndio atinge prédio da prefeitura de Paulista

Um incêndio atingiu o centro administrativo da prefeitura de Paulista, no Grande Recife, e destruiu ao menos quatro motocicletas utilizada pelas equipes de trânsito do município. O caso aconteceu na noite de ontem e era possível ver os impactos das chamas na manhã de hoje.

O município afirmou que havia indícios de que o incêndio poderia ser criminoso e que acionou a Polícia Civil para investigar e determinar o que aconteceu de fato. As motos estavam estacionadas em área coberta e parte dela caiu devido ao fogo.

"É uma área coberta, não tem nada que pudesse causar um incêndio dessa proporção. Eram motos que estavam ativas. Nós estamos aguardando o Instituto de Criminalística para verificar o que aconteceu", afirmou o secretário de Segurança, Mobilidade e Defesa Civil, Marcelo Menezes.

O prédio fica localizado na Avenida Brasil, no bairro de Maranguape I. Quando o fogo começou, havia um vigilante no local, que acionou o Corpo de Bombeiros, segundo a prefeitura.

Além das motos, quatro aparelhos de ar-condicionado também foram atingidos pelas chamas, que foram completamente extintas ainda na noite de quarta, informou o Corpo de Bombeiros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/01


2021

Coluna da quinta-feira

Lira vai desbancar Baleia

Na coluna de ontem adiantei que o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), apoiado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), já podia preparar a beca para sucedê-lo no comando da Casa, como candidato apoiado pelo Planalto. Hoje, a aposta é que o sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Câmara será o alagoano Artur Lira (PP), que ontem passou pelo Recife tentando cabalar votos entre os 25 deputados que integram a bancada federal.

Na saída do encontro, Lira disse que a eleição será “de deputados “, e não de blocos ou partidos. “Essa eleição não é de líder, não é de bloco, não é de presidente de partido, essa eleição é de deputados. E os deputados sabem, conhecem e querem a mudança do que hoje acontece na Câmara dos Deputados”, afirmou. Lira afirmou que já ouviu de diversos chefes de partidos que suas bancadas apoiariam seu concorrente, Baleia Rossi (MDB-SP), mas que os deputados dessas bancadas não seguem a orientação.

Lira teria, hoje, um mínimo de 300 e um máximo de 320 votos, bem acima dos 257 necessários para liquidar a fatura logo no primeiro turno. Só na bancada de Pernambuco, dos 25 votos, o governista teria, hoje, 18. Já há quem aposte que Baleia Rossi (MDB), postulante da oposição, só teria na mesma bancada os votos dos deputados Renildo Calheiros (PCdoB), Fernando Bezerra Filho (DEM), Wolney Queiroz (PDT), Milton Coelho (PSB) e Luciano Bivar (PSL).

Na própria bancada do PSB, cujo partido faz oposição ao Governo no plano federal, Lira tem, hoje, o voto do dissidente Felipe Carreras e, provavelmente, de Danilo Cabral e Gonzaga Patriota. Posição incerta e não sabida são a dos petistas Marília Arraes e Carlos Veras. O PT fechou com Baleia Rossi, mas eles não simpatizam com o candidato. Acham que ele é muito mais governista do que Lira.

Em Brasília, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, reafirmou à repórter Hylda Cavalcanti, do Jornal de Brasília e colaboradora deste blog, que a determinação do partido é pelo voto no candidato do MDB. Como o voto é secreto, Siqueira, entretanto, não terá como saber quem traiu entre os 32 deputados que formam a bancada socialista.

Pau em Maia – Durante a conversa com jornalistas no Recife, Lira criticou ainda a maneira como o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conduz a Câmara. Disse que o “eu” foi fortalecido mais do que deveria e que será apenas um porta-voz da vontade da Câmara se for eleito. “O que sempre nós estamos ouvindo é que a Casa deve voltar a ser ‘nós somos a Câmara’ e não ‘eu sou a Câmara’. Hoje o ‘eu’ está exageradamente fortalecido em relação ao ‘nós’. Os deputados precisam ter voz.”

Reforço a Pacheco – O PP do Senado confirmou apoio a Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à presidência do Senado. A bancada tem sete membros. O nome apoiado pelo atual presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Jair Bolsonaro, chega a prováveis 38 votos e estaria a três votos de vencer o pleito (são necessários ao menos 41 votos para isso). O demista concorrerá com Simone Tebet (MDB-MS), que teve seu nome oficializado pelo partido na terça-feira passada. Esta, por sua vez, apesar de ser da maior bancada da Casa (tem 15 membros depois de novas filiações), ainda não fechou nenhum apoio formal para o pleito.

Crise política – O plano de enxugamento do Banco do Brasil pode custar a cabeça do presidente André Brandão. Em campanha por Arthur Lira, Bolsonaro recebeu em um só dia oito deputados e ouviu reclamações sobre o fechamento de agências do BB em cidades menores. No ano passado, em um evento, o presidente já tinha sido cobrado por um manifestante para reabrir uma agência. Em 2019, Bolsonaro chegou a admitir que pediu ao Banco do Brasil que abrisse uma agência num município do Maranhão que o elegeu. Agora, o anúncio do fechamento de mais de uma centena delas, foi considerado um desgaste político inoportuno.

Vice da oposição – Depois de duas gestões bem sucedidas em Garanhuns, o ex-prefeito Izaías Régis pode adiar o seu projeto de disputar um mandato de deputado federal. Nomes com potenciais para entrar na briga pelo Governo do Estado em 22 já pensam em tê-lo na chapa como candidato a vice. “Ele tem um perfil excelente, soma e traz o voto do Agreste”, revela um desses já considerados pré-candidatos de olho em atrair o voto do interior. Izaías, embora não tenha feito o sucessor, deixou a Prefeitura de Garanhuns com a popularidade em alta, com quase 80% de aprovação.

CURTAS

CABO ELEITORAL – O presidente Jair Bolsonaro reservou a manhã de ontem para receber deputados federais em seu gabinete, no Palácio do Planalto. Ao todo, foram três reuniões diferentes, com oito parlamentares. O assunto dos encontros não foi divulgado, mas participantes admitem que as eleições no Congresso, marcadas para fevereiro, esteve entre os temas. Bolsonaro tem feito campanha a favor de Arthur Lira (Progressistas-AL), líder do Centrão que disputa o comando da Câmara contra Baleia Rossi (MDB-SP), do grupo de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Casa.

APOIO TRABALHISTA – Um dos que participaram do encontro foi o deputado Wilson Santiago (PTB-PB). Seu partido tende a apoiar Lira, mas a bancada ainda não bateu o martelo. “É natural que se toque nesses assuntos (eleições na Câmara). Mas não houve, por parte do presidente, nenhuma cobrança no que se refere a posicionamento partidário”, afirmou o deputado na saída do Planalto.

Perguntar não ofende: Por que tanto entusiasmo de João Campos pela candidatura do bolsonarista Artur Lira?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A Venezuela vai resolver o problema. É isso mesmo?

marcos

Cadê o STF Que manda em tudo? Dá um prazo de 5 dias para o vírus chinês ir embora Lewandovsk.

marcos

Faz um Lockdow e fica em casa que resolve. Luiz Inácio Corona da Silva.

Fernandes

Morrer asfixiado com falta de ar é a morte mais cruel que pode existir, só se iguala a Câmara de gás de Hitler. O que está acontecendo em Manaus é um genocídio. SOS Manaus!

Fernandes

A Venezuela vai resolver o problema. É isso mesmo?


Banco de Alimentos

13/01


2021

Incêndio atinge Centro Administrativo de Paulista

Um incêndio atingiu o Centro Administrativo da Prefeitura de Paulista, em Maranguape 1, na noite de hoje. O Blog obteve vídeos que mostram as chamas se espalhando pela edificação e, na sequência, a presença de viaturas do Corpo de Bombeiros.

Ainda não há informações sobre a causa do incêndio, que já foi controlado. Parte da Secretaria de Mobilidade e Administração das Regionais ficou destruída, além de motos utilizadas por agentes para a fiscalização.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/01


2021

Avião sai do Recife para buscar doses de vacina na Índia

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou, hoje, que um avião irá decolar para a Índia para buscar dois milhões de doses da vacina contra a Covid-19 produzida pelo laboratório Serum. O voo partirá do Aeroporto Internacional do Recife, amanhã. As informações são do Portal FolhaPE.

Em comunicado de imprensa, a Azul confirmou a informação dita por Pazuello em pronunciamento sobre as ações contra a Covid-19 realizadas pelo Ministério da Saúde no Amazonas. De acordo com a companhia, um Airbus A330neo, maior aeronave de sua frota, parte do Recife às 23h da quinta-feira, rumo a Mumbai, na Índia.

O imunizante produzido pelo laboratório indiano é desenvolvido pela AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford. O Governo Federal aguarda a aprovação emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – a agência deve anunciar seu veredicto no próximo domingo (17).

“É o tempo de viajar, apanhar e trazer. Já está com o documento de exportação pronto. Data de decolagem para o dia 16 [a volta]. Então, quando nós tivermos a posição da Anvisa, nós temos o material para distribuir”, disse o ministro.

De acordo com a Azul, o voo irá durar 15 horas e não terá escalas em um trajeto de mais de 12 mil quilômetros. A previsão para chegada no Brasil das vacinas produzidas na Índia é para o sábado (16), no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, por volta das 15h.

No comunicado, a Azul ressalta que a Azul Cargo, sua unidade de cargas, tem "larga experiência e excelência no transporte e logística de cargas farmas e sensíveis". O avião que irá à Índia será equipado com contêineres espessos que garantirão o controle de temperatura da carga de acordo com as recomendações do fabricante.

“Temos orgulho em realizar esse voo inédito para a Índia que trará mais um sopro de esperança na cura para a Covid-19. Estamos preparando nossa aeronave para trazer essas doses que, com a aprovação das autoridades sanitárias, serão distribuídas posteriormente para todas as regiões do Brasil”, destacou o presidente da Azul, John Rodgerson.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Prof. Dr. Carlos Augusto Carvalho de Vasconcelos

Sempre achei que a AstraZeneca ia ajudar o mundo, \"Quem dá recebe\", como me ajudou na minha dissertação do mestrado em Ciências Médicas na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto em 2005. Essa parceria com a Universidade de Oxford foi perfeita, tudo é merecimento! Deus Pai criou a Lei da Semeadura: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna” (Gálatas 6:7,8). https://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=220459 (Avião sai do Recife para buscar doses de vacina na Índia) Quem tiver interesse olhem no PDF completo o AGRADECIMENTO que fiz na íntegra pelos auxílios (Um feito): https://teses.usp.br/.../17140/tde-28092006-091016/pt-br.php Deus é bom, aqui e em qualquer lugar!


Jornao O Poder

13/01


2021

Câmara dos EUA aprova 2º impeachment de Trump

Donald Trump se tornou o primeiro presidente da história dos Estados Unidos a ter dois processos de impeachment aprovados na Câmara. Hoje, a Câmara aprovou pela segunda vez um pedido para que ele seja afastado do cargo, a apenas seis dias do final de seu mandato.

Foram 232 votos a favor e 197 contra, e quatro deputados não votaram. Entre os que votaram a favor estão 10 membros do Partido Republicano, o mesmo de Trump. Outros quatro republicanos não votaram. Os democratas foram unânimes nos votos a favor.

Desta vez Trump foi considerado culpado por incitar à violência que resultou na invasão do Capitólio, a sede do Congresso americano, na semana passada. Antes, em 2020, ele havia sido declarado culpado por obstrução ao Congresso e abuso de poder.

Diferentemente do Brasil, o presidente dos EUA não é afastado quando o processo de impeachment é aberto no Senado. A sua remoção ocorre de forma definitiva após o processo ser analisado e aprovado pelos senadores.

Trump deve permanecer no cargo até a próxima quarta-feira (20), quando Joe Biden toma posse como novo presidente.

Em seu primeiro processo, Trump foi absolvido no Senado, de maioria republicana. Naquele caso, nenhum deputado de seu partido votou por sua condenação, e apenas um senador o fez.

Agora, porém, dez deputados republicanos foram favoráveis a seu afastamento. Isso estabelece um recorde: antes, apenas cinco deputados tinham votado pelo impeachment de um presidente de seu próprio partido, quando cinco democratas ficaram contra Bill Clinton, em 1988.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/01


2021

Siqueira: Orientação do PSB é por voto em Baleia Rossi

Por Hylda Cavalcanti

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que o partido decidiu numa reunião, por 80 votos a zero, não votar no candidato do presidente Jair Bolsonaro para a presidência da Câmara dos Deputados, deputado Arthur Lira (PP-AL) e sim no candidato que tem o apoio dos partidos da oposição e do atual presidente da Casa, o deputado Baleia Rossi (MDB-RJ).

“Decidimos que o PSB recomendaria aos seus deputados não votar no candidato do presidente Bolsonaro e apoiar Baleia Rossi. Essa decisão foi tomada com a presença de vários governadores, inclusive o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB)”, afirmou.

Siqueira não disse, mas demonstrou desconforto ao ser perguntado sobre o fato de o governador pernambucano, assim como o prefeito do Recife, filho do ex-governador e ex-ministro Eduardo Campos, terem recebido Lira em Recife nesta quarta-feira (13) e Campos ter declarado que, se fosse deputado, votaria nele.

“O prefeito João Campos hoje é prefeito do Recife, não é mais deputado. O parlamentar que assumiu a vaga dele, Milton Coelho, já declarou apoio a Baleia Rossi”, frisou.

Siqueira destacou ainda que “o PSB fez o que tinha de ser feito”. Mas lembrou que a eleição será mediante voto secreto e “as pessoas possuem posições próprias, sendo natural que alguns discordem da recomendação em todos os partidos”.

“Que fiquem bem claro que a orientação nacional do PSB, votada e aprovada de forma legítima pela executiva nacional, foi de se unir ao grupo de legendas que está apoiando o candidato Baleia Rossi”, acrescentou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha