FMO janeiro 2020

15/07


2020

Prefeitura do Recife turbina gastos com publicidade

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), determinou, através do decreto 33.794, publicado no último sábado, no Diário Oficial do Município, a suplementação de mais R$ 7,9 milhões para a ação orçamentária responsável pela propaganda institucional da gestão municipal. O movimento, que retira verba do orçamento destinado ao pagamento da dívida interna municipal para turbinar a comunicação da Prefeitura, sucede outras três suplementações semelhantes determinadas pelo prefeito desde a decretação do estado de calamidade pública na capital pernambucana. Nesse período, já foram R$ 14 milhões suplementados pelo prefeito em prol da rubrica de propaganda institucional.

Ontem (14), o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) instaurou auditoria especial para analisar as suplementações orçamentárias para publicidade e propaganda, via decretos durante a pandemia, “considerando o contexto de graves restrições financeiras da Prefeitura, sob o critério da razoabilidade e proporcionalidade dos gastos, considerando o incremento das dotações originalmente previstas”, relata a descrição da auditoria disponibilizada no portal de dados do TCE-PE. A relatoria das contas da Secretaria de Governo e Participação Social da Prefeitura do Recife está sob responsabilidade da conselheira Teresa Duere.

De acordo com a deputada estadual Priscila Krause (DEM), que tem alertado sobre a rapidez com que a gestão do prefeito Geraldo Julio vem aumentando a disponibilidade orçamentária para a propaganda da gestão em plena pandemia, não é razoável que a gestão utilize de todos os instrumentos jurídicos e fiscais possibilitados às gestões públicas em decorrência da pandemia para inflar gastos que não são emergenciais. “A Assembleia votou por unanimidade o reconhecimento do estado de calamidade pública na cidade do Recife. Enquanto isso, o prefeito usa recursos de gastos que estão suspensos, como o pagamento da dívida interna, para gastar com propaganda às vésperas de uma eleição. É o retrato de uma gestão que há muito tempo deixou de respeitar o dinheiro público apenas para vender ilusões a qualquer custo”, afirmou.

A Lei Orçamentária do Recife para 2020 estabeleceu para os gastos com a divulgação institucional, vinculados à Secretaria de Governo, o teto de R$ 31,8 milhões. Em 27 de maio, o prefeito decretou a suplementação de R$ 3,0 milhões para a rubrica. Quase um mês depois, em 26 de junho, mais um decreto suplementou R$ 1,8 milhão extra e três dias depois, em 29 de junho, mais R$ 1,4 milhão. Com o decreto do último dia dez de julho, que soma novos R$ 7,9 milhões ao orçamento inicial, a reserva orçamentária para a propaganda institucional passa a somar R$ 45,8 milhões.

Em ano eleitoral, a gestão tem limitação para esse tipo de despesa, como as proibições de veicular comerciais a partir de quatro meses antes do primeiro turno e de gastar no primeiro semestre acima da média dos últimos três anos ao longo desse mesmo período. A dotação para encargos da dívida interna, por sua vez, que originalmente somava R$ 156,7 milhões, agora totaliza R$ 122,8 milhões.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo de Santo Agostinho

15/07


2020

Advogado pernambucano é nomeado para o STJD

Já tendo atuado como diretor do Santa Cruz Futebol Clube e presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol de Pernambuco, o advogado pernambucano Felipe Rego Barros, de 52 anos, foi nomeado, ontem, auditor Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Os membros do STJD são indicados pela Ordem dos Advogados do Brasil, Confederação Brasileira de Futebol, árbitros e atletas. O mandato de auditor costuma durar 4 anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

15/07


2020

Live sobre crise nos hotéis será daqui a pouco

A pandemia provocou um estado de devastação na hotelaria nacional. Só em Pernambuco, três hotéis foram fechados e não voltam mais, mesmo que o cenário mude.

Para entender melhor esse quadro nefasto no setor, farei uma live, daqui a pouco, com o presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, empresário Manoel Linhares. Será às 19 horas pelo Instagram do blog.

Se você quer acompanhar e ainda não nos segue pelo Instagram, vá lá e nos siga no @blogdomagno.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

15/07


2020

João Alfredo dá adeus a Severino

Apesar da era do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, a pequena João Alfredo, a 107 km, no Setentrional, quebrou todas as regras e foi às ruas se despedir do seu filho mais ilustre, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP), que morreu pela manhã no Recife, aos 90 anos, em consequência de complicações no coração. Até a prefeita Maria Sebastiana (PSD), adversária histórica, foi vista de máscara no meio de uma multidão emocionada, chorando muito.

O corpo de Severino chegou à cidade no meio da tarde levado do Recife numa viatura do Corpo de Bombeiros. Uma multidão já se concentrava na BR de acesso ao centro e acompanhou a carreata. Uma bandeira de Pernambuco encobria a urna funerária. Os filhos José Maurício, Ana e Catarina eram vistos o tempo inteiro ao lado do caixão. A prefeita disse que Severino era amado por um povo que nunca o abandonou, nem mesmo quando ele foi obrigado a renunciar à Presidência da Câmara e ao mandato de deputado para não ser cassado. "Nosso Zito amou como ninguém a sua João Alfredo e por isso o povo esqueceu a pandemia para se despedir dele", afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/07


2020

Políticos lamentam falecimento de Severino Cavalcanti

Confira abaixo algumas notas de pesar enviadas por políticos, amigos e admiradores do ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti, falecido na manhã de hoje, no Recife, aos 90 anos.

“Com muito pesar que lamento o falecimento do ex-deputado Severino Cavalcanti. Ele sempre foi um defensor dos interessantes do povo de Pernambuco, na Câmara dos Deputados e ao longo de sua vida pública. O seu legado, com toda certeza, ficará na memória de todos nós. Neste momento de dor, nossos sentimentos à toda família, amigos e admiradores que ele reuniu ao longo de sua vida”. – Silvio Costa Filho, deputado federal pelo Republicanos.

"Quero expressar meus sentimentos pelo falecimento de Severino Cavalcanti. Sempre muito atencioso e trabalhador, marcou a política pernambucana como prefeito e com muitos mandatos de Deputado Estadual e Federal. Me solidarizo com a dor de Dona Amélia, Zé Maurício, Ana, Catharina e toda família e amigos”. – Geraldo Julio, prefeito do Recife pelo PSB.

“Recebi a notícia do falecimento do ex-deputado Severino Cavalcanti com pesar. Fomos colegas na Assembleia Legislativa de Pernambuco e ele também atuou como deputado federal em período similar ao do deputado Wolney Queiroz. Também foi ex-prefeito por dois mandatos de João Alfredo. Deixo minha solidariedade a toda a família”. – José Queiroz, deputado estadual pelo PDT.

“Foi com pesar que o PDT de Pernambuco recebeu a notícia do falecimento do ex-deputado federal Severino Cavalcanti. Severino foi uma figura extremamente atuante no cenário político, ocupando inclusive a cadeira de presidente da Câmara dos Deputados. Em Pernambuco, foi eleito prefeito de João Alfredo, sua cidade natal, e deputado estadual por sete mandatos. À esposa, Amélia, aos filhos Zé Maurício, Ana e Catharina, e demais familiares e amigos, o PDT de Pernambuco manifesta toda solidariedade”. – Wolney Queiroz, deputado federal e presidente do PDT-PE.

“A notícia da morte de Severino Cavalcanti me deixou desolado. Companheiro da Assembleia Legislativa em momentos históricos do nosso Estado, como a elaboração da nossa Constituição, Severino era uma pessoa de bom trato e muita visão política. Deixo aqui os sentimentos à sua esposa, dona Amélia, e aos seus familiares. Que encontrem em Deus o conforto necessário”. – Manoel Ferreira, deputado estadual pelo PSC


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

15/07


2020

“Mensalinho” levou à renúncia de Severino

O caso do “mensalinho” da Câmara fez o ex-presidente da Casa, Severino Cavalcanti, morto no Recife hoje, renunciar ao cargo e ao mandato parlamentar em setembro de 2005. A renúncia evitava um processo por quebra de decoro, que poderia levar à cassação e à perda de direitos políticos.

Segundo denúncia do Ministério Público, feita só em 2007, o então deputado federal cobrava propina de um empresário para a operação de um restaurante na Câmara. As cobranças ocorreram quando ele ocupava o cargo de primeiro-secretário da Casa, antes de assumir como presidente da Câmara.

Severino negou as acusações e, ao anunciar sua renúncia, disse ter atraído “forças antagônicas poderosas e destruidores”. “Meus acusadores, entretanto, não me deixaram alternativa. Optei, sim, pela renúncia porque já me sabia condenado de antemão”, disse na ocasião.

A denúncia, recebida pela Justiça Federal ainda em 2007, nunca foi julgada. O processo continua tramitando na 10ª Vara Federal de Brasília, mas deverá ser extinto devido à morte do ex-deputado.

Severino Cavalcanti foi denunciado pelo crime de concussão, quando há exigência para si ou para outrem, direta ou indiretamente, de vantagem indevida em razão de função ocupada, mesmo que antes de assumi-la. A pena prevista para esse tipo de crime é de 6 a 24 anos de prisão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

15/07


2020

Frente a Frente homenageia Severino Cavalcanti

O Frente a Frente, que começa às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife, presta homenagem ao ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP), que morreu, hoje, aos 90 anos, devido a complicações no coração.

O programa traz depoimento de familiares, amigos e deputados que conviveram com o ex-parlamentar em Brasília. Se você deseja ouvir pela internet, aqui mesmo navegando clique acima no botão Rádio ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio no play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/07


2020

Pré-candidato de Belo Jardim em seminário nacional

A Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal realiza, amanhã, o seminário digital nacional com o tema “Primeira Infância na Agenda Eleitoral: desafios e perspectivas de soluções”. O vereador e pré-candidato a prefeito de Belo Jardim Gilvandro Estrela participa do evento, que trata das políticas públicas voltadas às mães e crianças nas primeiras etapas da vida.

O evento contará com a presença de especialistas como Gil Castilho (marketing político); Heloísa Oliveira (Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal); Humberto Dantas (CLP - Liderança Pública); e Naercio Menezes (Insper).

Dados do IBGE se 2017 mostram que temos cerca de 7.500 crianças em Belo Jardim nos primeiros seis anos de vida. "Belo Jardim precisa olhar a primeira infância. Precisamos retomar as obras das creches, acolher essas crianças e mães. Passamos anos sem ver uma criança nascer na nossa cidade por falta de um sistema de saúde eficaz. Além disso somos um município que falta transparência nos dados da primeira infância, precisamos nos dedicar a essa fase da vida das mães e crianças", declarou o vereador.

A fundação Maria Cecilia Souto Vidigal existe há mais de 50 anos. Norteada até 2001 para o estudo no campo da hematologia, onde atuaram no fomento de pesquisas, tradução e disseminação de conhecimentos nesta área. Então veio um novo capítulo dessa história, priorizando a escuta das novas demandas da sociedade. As necessidades haviam mudado e a Fundação ajustou o foco. Desde 2007, abraçaram a causa da primeira infância. E o propósito passou a ser esse período tão importante, esse início de vida que vai do nascimento aos 6 anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/07


2020

Leitor registra buraqueira na PE-145

Mais um leitor enviou, há pouco, ao blog, uma denúncia sobre o descaso do Governo Paulo Câmara com as estradas do nosso Estado. Desta vez, o registro foi feito na PE-145, no município de Brejo da Madre de Deus.

Denuncie você também uma vergonhosa estrada aqui no blog. Mande seu vídeo pelo meu WhatsApp: (81) 9.8222-4888


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/07


2020

Confusões marcam sessão do Tribunal de Contas

A sessão plenária que o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) realizou hoje, para votar os processos que a Prefeitura do Recife está enfrentando no tribunal, foi marcada por três confusões. No início da sessão, o presidente Dirceu Rodolfo fez críticas ao conselheiro Carlos Porto, decano do Tribunal, por um voto anterior proferido na Segunda Câmara. O presidente do TCE se defendeu sobre supostamente receber documentos da Prefeitura do Recife e não comunicar ao relator do processo Carlos Porto. Dirceu disse que existem, dentro do TCE, pessoas com comportamento "covarde".

A secretária do TCE cortou o áudio antes do conselheiro Carlos Porto se pronunciar e o público não pôde ver pelo Youtube a resposta do conselheiro.

A segunda confusão foi entre o conselheiro Valdecir Pascoal e a procuradora geral Germana Laureano. Auditoras e servidoras do órgão cogitam um abaixo-assinado contra o conselheiro Valdecir Pascoal, pela suposta prática de "mansterrupting" contra Germana. Que é o termo em inglês para um homem que constantemente interrompe a fala de uma mulher em uma reunião.

Em pelo menos três sessões seguidas do Pleno, gravadas e disponíveis no Youtube, Pascoal interrompeu falas de Germana, segundo a procuradora geral.

Pascoal disse que a corregedoria deveria dar uma "reprimenda" na procuradora geral Germana Laureano. Em outro trecho, em voz alta contra a procuradora, Pascoal disse que "não discrimina nem pretos nem brancos". Pascoal no meio da discussão chegou a dizer que já foi "chefe" de Germana.

O presidente Dirceu Rodolfo também levantou a voz para procuradora Germana. E o conselheiro Valdecir Pascoal não conseguiu concluir seu voto de tão exaltado. O julgamento teve que ser interrompido após pedido de vistas da corregedora Teresa Duere.

Teresa Duere disse que a culpa pelas "desavenças" no TCE é da "prepotência com que a Prefeitura do Recife trata o TCE".

O terceiro desentendimento começou após o conselheiro Carlos Neves criticar uma medida cautelar do conselheiro Carlos Porto. Neves é ex-advogado do PSB, sobrinho de um atual secretário de Geraldo Júlio e filho de um ex-assessor especial de Geraldo Júlio em 2020.

Uma cautelar aprovada pela Segunda Câmara determinou que os beneficiários de um programa emergencial da Prefeitura do Recife que tiveram um desconto 50% maior fossem divulgados. O relator era o conselheiro Carlos Porto, criticado Neves.

Porto repudiou as "insinuações maldosas" do ex-advogado do PSB. Para terminar, o presidente Dirceu Rodolfo "atropelou" o pedido de vistas da conselheira Teresa Duere e adiantou seu voto no IPTU. Rodolfo votou em defesa da gestão de Geraldo Júlio, mesmo com a conselheira questionando que o presidente não votaria nestas questões, como acontece em todos os tribunais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/07


2020

Contar agulhas não enriquece ninguém

Perto do coração é um livro de crônicas de minha autoria, com prefácio do acadêmico José Nivaldo Júnior, que conheci nas jornadas políticas, ele publicitário sócio da Makplan, eu no ofício de jornalista. Quis o tempo e o destino que José Nivaldo se convertesse de vez ao jornalismo e hoje tenha virado meu divisor das águas e dos furos no jornal O Poder.

No livro, deixo o pouco que entendo de política para debulhar palavras em contos e crônicas do que vivi no meu Sertão do Pajeú, região movida pelo nobre sentimento da poesia improvisada, gerada de sopros de cantadores ao som das suas mágicas violas. Conto, sobretudo, o mundo familiar propiciado pelos meus pais Gastão e Margarida, esta chamada por Deus há sete anos, meu velho hoje aos 98 anos ainda a contemplar a lua cheia do Sertão estrelado, o chão de estrelas, palco iluminado, de Silvio Caldas.

A porta do barraco de Silvio Caldas era sem trinco, mas a sua lua, como a minha, furava o zinco e salpicava de estrelas nosso chão. Se ele

pisava nos astros distraído sem saber que a ventura da sua vida era a cabrocha, o luar e o violão, eu parecia encantado com as lições de vida bebendo na própria fonte do meu pai. Para os padrões da época, até o plano Collor sugar o último vintém do meu pai, ele era um homem rico.

Proprietário de uma das maiores miudezas da região, em dia de feira, aos sábados, eu via meu pai, ao lado do meu irmão primogênito Tarso, encerrar o dia nadando em dinheiro do apurado de uma freguesia sem limites, graças a Deus. Meu pai nasceu vocacionado para o comércio, as letras e a vida pública.

Além do comércio, quatro mandatos de vereador e um de vice-prefeito de Afogados da Ingazeira, papai tinha fazendas, criava gado, caprinos e ovinos. Já escreveu três livros e foi dono de grandes extensões de terras. Praticamente toda a área do bairro da AABB em Afogados da Ingazeira já pertenceu a ele. Ali, ele transformou a área, incluindo a própria sede social do Banco do Brasil, num grande loteamento.

Os lotes eram vendidos em suaves prestações com parcelas de 12 a 24 meses. O filho escalado cobrador das mensalidades acabou sendo eu. Segundo papai, me revelei num ótimo cobrador. Quando chegava a data do vencimento, geralmente final de mês, eu pegava o pacote de carnês e saia catando os devedores em suas casas e nas ruas.

Minhas batidas eram no jeito manhoso do convencimento. Do apurado, papai me dava 10%, mas só quando entrava o último pagamento de mais de 200 clientes. Eu andava mais do que notícia ruim e suava mais do que cueca de carteiro sonhando na porcentagem que entraria no meu bolso.

Na loja, meu pai vendia de tudo. Certa vez, o médico João Ezio Marques, hoje atuando em Palmas, no Tocantins, chegou na miudeza no final do expediente, justamente na hora que papai contava o apurado do dia, uma montanha de dinheiro resultado das compras da matutada, de elástico, botão e sabonete a finas agulhas de costura.

Impressionado com a cena, João Ezio provocou papai: "Eita Gastão, que fartura! Tu vais ficar muito rico com esse comércio".

 Mas sabido que o médico, um grande amigo da família, filho de Romão Marques, o mais notável e careiro alfaiate da cidade, papai entendeu a gozação e assim respondeu:

"João Ezio, tu já viste na tua vida um homem ficar rico contando agulha de costurar? Isso dá trabalho demais".

Meu pai era um sábio. Essa historinha João Ezio me relatou num comentário postado no Facebook no último fim de semana.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores