FMO janeiro 2020

27/03


2020

MPPE orienta apreensão de quem participar de carreata

A convocação para a realização de uma carreata a ser realizada em Pernambuco, na próxima segunda-feira, como forma de manifestação a favor do retorno das atividades econômicas no estado, tem sido divulgada pelas redes sociais. Porém, o Ministério Público de Pernambuco informou que a manifestação vai contra as determinações impostas pela lei, já que existe um decreto em Pernambuco que proíbe a aglomeração de mais de 10 pessoas. Segundo o órgão, haverá uma recomendação para que a polícia apreenda os carros que, porventura, participarem deste tipo de ato.

Segundo Francisco Dirceu Barros, procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, toda decisão será baseada em laudos técnicos e em consonância com o que determina a lei. "Essa convocação nos deixa muito triste, o MPPE não vai entrar em debate ideológico político, somos técnicos jurídicos, não temos capacidade de fazer uma análise econômica e de saúde. Mas estamos lastreados em laudos técnicos e temos que seguir a lei. Existe um decreto que proíbe a aglomeração de mais de pessoas, inclusive uma orientação do Ministério da Saúde e também de órgãos internacionais da saúde", explica.

A carreata convoca empresários, comerciantes, motorista de aplicativo, profissionais liberais, além da população de uma forma geral. "Sei que é um momento de crise, estamos vivendo um estado de guerra que há danos para a saúde. As pessoas podem morrer e também podem morrer com a crise econômica, mas temos que seguir a lei. Por isso, vou recomendar aos oficiais de Justiça que recomendem a polícia para apreender os carros de quem vá para a carreata. Não estou me envolvendo em polêmicas de partido, mas, enquanto chefe do MPPE, preciso fazer cumprir a lei", concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Hoje, por motivo da vacinação do H1N1 no Shopping Rio Mar tinha mais de 1.000 carros. Não houve nenhuma apreensão. Governador canalha e um MPPE covarde.

Fernandes

Corretíssimo, prender esses Bozolóides imbecis.


Abreu e Lima

27/03


2020

Oxford projeta 478 mil mortes por covid-19 no Brasil

O título acima pode ser uma novidade para você e para a quase totalidade dos brasileiros, para os quais ainda é difícil entender a pandemia de covid-19 e sua dinâmica de disseminação. Não é para a comunidade científica. A previsão consta de um estudo preliminar, publicado por pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, no dia 14 de março.

Vários portais científicos o reproduziram. Para preservar a necessária autenticidade, em prejuízo da estética e em nome da absoluta transparência, segue o link onde ele foi publicado pela primeira vez na internet (em inglês): https://osf.io/fd4rh/?view_only=c2f00dfe3677493faa421fc2ea38e295

Embora tenha caráter preliminar, o trabalho vem de um importante centro de pesquisas, o Centro de Ciência Demográfica Leverhulme, ligado a uma universidade de grande prestígio. Leva a assinatura de oito cientistas: Jennifer Beam Dowd, Valentina Rotondi, Liliana Andriano, David M. Brazel, Per Block, Xuejie Ding, Yan Liu e Melinda C. Mills.

O estudo também foi citado em português, de modo discreto e inteligente, em esclarecedora reportagem da Revista Piauí


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro usa coronavírus para esconder fracasso da economia



27/03


2020

Coronavírus e a possibilidade de adiamento das eleições

Por Walber de Moura Agra

Mesmo diante da multiplicidade dos modelos constitucionais, pode-se asseverar que dois dos principais fatores teleológicos do constitucionalismo pós-moderno aparelham-se na defesa e concretização dos direitos fundamentais e na proteção e implementação dos mecanismos da democracia. A necessidade de salvaguardar esses pilares estruturadores nunca se fez tão premente, máxime na quadra atual, em que perigos extremados se levantam contra a participação da população na tomada das decisões políticas da sociedade, esquecendo-se o longo período em que o Brasil sucumbiu aos disparates de uma ditadura militar, inaugurada com o golpe de 1964.

O compromisso em defesa da democracia e das regras do regime democrático ainda avulta maior importância no Brasil, que ostenta um sistema jurídico periférico, alicerçado em fatores como a baixa eficácia de grande parte de seus estatutos normativos, o casuísmo jurisprudencial, as constantes modificações de parâmetros legais e voluntarismos judiciais. Em suma, pelo menoscabo ao primado legal e o desrespeito sistemático dos direitos fundamentais albergados com desvelo pela Constituição Federal de 1988.

A discussão atinente ao adiamento das eleições municipais que ocorrerão no próximo dia 04 de outubro se mostra como espécie de debate típico de sistema jurídico periférico, em que interesses tópicos e voluntaristas vêm à baila em momentos difíceis do ponto de vista social, político e econômico. A seriedade do assunto conclama, por isso mesmo, um período de maior maturação sobre as consequências institucionais da massificação dessas possibilidades teratológicas.

Diversas são as vozes que ecoam a professar a necessidade de adiamento das eleições em virtude do agravamento dos quadros de contágio do coronavírus no Brasil. Recentemente, o Ministro da Saúde defendeu, em reunião online com prefeitos, que as eleições de outubro sejam adiadas para evitar que utilizem a pandemia do coronavírus com estratégia eleitoral.

Na seara do Poder Legislativo, já foram recebidas três propostas de emenda à Constituição (PEC) para adiar as eleições municipais deste ano para 2022 e estender os mandatos de prefeitos e vereadores até 1º de janeiro de 2023. Em pronunciamento veiculado aos 23 de março do ano corrente, a Senhora Ministra Rosa Weber, Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, asseverou que o debate acerca do adiamento das eleições municipais é precoce, tendo alertado, na oportunidade, que o adiamento cuida de matéria prevista expressamente no texto constitucional e na legislação infraconstitucional.

Não se pode olvidar que a teor do comando vertido do artigo 29, inciso II, da Carta Magna, as eleições para os cargos de prefeitos e vereadores acontecem de quatro em quatro anos, no primeiro domingo de outubro e, se houver segundo turno, no último domingo do referido mês. Portanto, com base nesse pedestal normativo, apenas uma emenda constitucional poderia vir a alterar esse panorama, com todos apanágios do processo legislativo inerente à espécie.

Ainda que houvesse essa predisposição, com todos os pressupostos e requisitos preenchidos, haveria o impeditivo do princípio da anualidade eleitoral, inscrito no art. 16 da Lex Mater, que tem o fator teleológico de impedir modificações abruptas e casuísticas que possam estorvar a paridade de armas, de modo a favorecer determinados atores eleitorais. Ensina o Professor José Afonso da Silva que a ratio legis está precisamente em evitar a alteração da regra do jogo depois que o processo eleitoral tenha sido desencadeado.

O mencionado dispositivo constitucional, de taxionomia eminentemente instrumental, além de ostentar a natureza de cláusula pétrea, tem o cerne de evitar surpresas que porventura possam beneficiar certos interesses eleitorais. Presta-se a um papel mais proeminente, qual seja, o de promover efetivo prestígio a uma das bases do edifício jurídico, que é a segurança jurídica.

Trata-se, conforme aduz Ingo Sarlet, de um direito fundamental basilar, que se comunica com o princípio democrático, uma vez que estabelece uma relação de confiança entre os cidadãos e seus representantes; com a liberdade, uma vez que pondera o limite de seu exercício; e com os direitos fundamentais, na medida em que os protege de eventuais arbitrariedades perpetradas pelo poder público.

O princípio da paridade de armas no pleito eleitoral é desdobramento do cânone da isonomia, que garante a igualdade dos meios utilizados na ambiência do pleito a todos os candidatos. Postergar as eleições de modo a burlar um imperativo constitucional, privilegiará, indubitavelmente, o status quo dos governistas nos mais díspares rincões do país, em ordem a impedir as possibilidades de mudanças decorrentes dos resultados dos pleitos, no que desmerece a soberania popular, fundamento basilar do ordenamento jurídico.

A segurança jurídica ganha proeminência na hoste eleitoralista, pois as modificações nas regras eleitorais em muitas vezes habitam o plano das indefinições, de modo a promover uma ambiência que possa beneficiar candidatos em detrimento de outros players, o que inevitavelmente causará acintes à integridade da soberania popular. Mais ainda, a atmosfera de incertezas pode impulsionar a ocorrência de fraudes à Constituição e ilícitos eleitorais, em atos consubstanciados em abuso de poder político, que podem macular a integridade da vontade popular.

A fraude à Constituição pode ocorrer porque sem previsão constitucional, e não obstante a ânsia popular em escolher os mandatários, pretende-se arbitrariamente elastecer os mandatos sem que a população explicitamente o outorgue. As fraudes pululantes no constitucionalismo moderno servem apenas para deslegitimar a Carta Magna e estimular rompantes autoritários dos mais diversos matizes.

O abuso de poder político ocorre nas situações em que o detentor do poder, valendo-se de sua posição privilegiada em órgãos estatais, tenta influenciar o eleitor, em detrimento da liberdade de voto. Dá-se com os atos praticados com desrespeito aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, ou seja, os princípios basilares da Administração Pública. Nesse caso, o adiamento das eleições para 2020 indubitavelmente abrirá brechas para o aumento de acintes ligados ao poder público, em razão do elastecimento dos mandatos. Postergar as eleições per se consubstancia-se em ato de abuso de poder político, fazendo que a máquina governamental possa agir em prol dos seus candidatos favoritos.

O caso de adiamento das eleições municipais de 2020 apenas seria possível se houvesse um caso fortuito ou motivo de força maior que impedisse a população de se manifestar na data marcada. Na hipótese em comento, entende-se que o adiamento só poderia ocorrer se houvesse um suporte fático específico, apto a conferir ao surto de contágio do coronavírus uma posição em destaque no espectro de incidência de um caso fortuito ou motivo de força maior.

Na situação atual, onde as possibilidades de alcance do coronavírus ainda não estão definidas, aventar um adiamento das eleições significaria uma nítida fraude à Constituição, incidindo nos seus pilares mais indeléveis, que seriam a soberania popular, o processo democrático e a segurança jurídica. A precipitação na tentativa de lançar investidas contra a previsibilidade e a normalidade na realização do pleito, além de fragilizar as instituições, pode aumentar ainda mais a crise econômica e política na qual o Brasil está imerso.

É de bom alvitre destacar que de acordo com dados do Ministério da Saúde, o Brasil deve enfrentar o pico do novo coronavírus entre 60 e 90 dias, no que a estimativa é que os números de casos sejam elevados entre os meses de abril e junho e atinjam a estabilidade a partir de julho. Ou seja, ainda não há indicativo de que o período crítico de contágio alcance o mês de outubro, de modo a impedir a realização do pleito. E mesmo assim, um possível adiamento das eleições não pode ocasionar um maior elastério temporal para o exercício dos mandatos de forma arbitrária, de modo a ultrapassar o período delimitado pela Constituição, no que quando os fatos motivadores cessarem, novas eleições devem ser imediatamente realizadas.

Faz-se necessário observar que diversos órgãos e instituições estão a empreender esforços hercúleos para adaptar a prestação de serviços às novas necessidades de convívio social em decorrência desse flagelo, notadamente com a implementação de meetings em plataformas digitais. Deveras, tem-se que o calendário eleitoral não seria prejudicado, haja vista que muitos dos atos podem, inclusive, orbitar na seara digital, no sítio eletrônico do PJe. De igual modo, os atos de campanha consubstanciados na difusão de conteúdo propagandístico, não seria arrefecidos, em razão da densificação do manejo das redes sociais para esta finalidade.

Como as eleições ainda estão longe de alcance e até agora não existe nenhum vislumbre de prejuízo ao processo eleitoral, não se afigura razoável forçar a tipificação de um provável suporte legitimador para o adiamento do pleito. Para amenizar as crises constitucionais que serão aguçadas pelas intempéries de ordem política, econômica e social, urge densificar a força normativa da Constituição, em ordem a perquirir em seu texto, de forma sistêmica, as saídas para as vicissitudes momentâneas que nos atingem.

Isso porque conforme aduz Konrad Hesse, pelo fato de a Lei Maior se constituir como a ordem fundamental jurídica da coletividade, ela estabelece os princípios diretivos que forjam a unidade política, regula os procedimentos de superação dos conflitos no interior da sociedade e os procedimentos de formação da unidade política.

Sendo esse o contexto, exala-se como conclusão que as eleições apenas podem ser adiadas se houver, além da incidência de um suporte fático excepcionalíssimo que se amolde à tipificação de caso fortuito ou força maior; o respeito indeclinável à segurança jurídica, especificamente ao princípio da anualidade eleitoral, que impede o vilipêndio ao princípio da paridade de armas e a ocorrência de casuísmos e indefinições ensejadoras de ilícitos eleitorais. Respeitadas essas premissas, as eleições, caso realmente sejam adiadas, seriam pelo menor tempo possível para esperar que a normalidade volte a imperar no Brasil.

No entanto, ainda assim se exigiria uma Emenda à Constituição, especificamente no ADCT. A melhor solução configura-se na densificação da força normativa da Constituição, partindo-se do seu texto para buscar soluções para a saída de situações calamitosas, pois modificações nas regras do processo democrático que destoem da normalidade previsível apenas são adequadas se forem singularíssimas, sob pena de perda de legitimidade do regime democrático, que hodiernamente já sofre tanta contestação em razão do aumento exponencial das desigualdades sociais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

No Brasil o coronavírus sofreu uma mutação e vira direitavírus provoca perda do poder de discernimento e a fala vira estrume.

marcos

Quem quer saber de porra de eleição?


Prefeitura de Serra Talhada

27/03


2020

Milão se arrepende após campanha para “não parar”

O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, reconheceu, ontem, que errou ao apoiar a campanha "Milão não para", que, lançada há exatamente um mês, estimulou os moradores da cidade a continuar as atividades econômicas e sociais, mesmo com a pandemia do novo coronavírus.

No início da divulgação da hashtag na internet, em 26 de fevereiro, a Lombardia, região setentrional da Itália, tinha 258 pessoas infectadas pelo vírus, e o país inteiro contabilizava 12 mortes.

Hoje, Milão é a província da Itália mais atingida pela Covid-19, registrando 32.346 casos de pessoas contaminadas e 4.474 óbitos, de acordo com balanço da Defesa Civil divulgado nesta quinta-feira, 26 de março. Em termos quantitativos, a cidade abriga 40,1% da população italiana acometida pela doença, representando 54,4% das mortes no país.

"Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título #MilãoNãoPara. Eram 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente errado", reconheceu Giuseppe Sala, em entrevista a uma emissora italiana. "Ninguém ainda havia entendido a virulência do vírus, e aquele era o espírito. Trabalho sete dias por semana para fazer minha parte, e aceito as críticas", afirmou.

O vídeo da campanha viralizou na internet em meio aos inúmeros casos de contaminação do vírus no país e após o governo ter decidido confinar 11 cidades do norte italiano, onde haviam sido registrados os primeiros casos de transmissão interna da doença. A produção exibida exaltava os “milagres” feitos “todos os dias” pelos cidadãos de Milão e seus “ritmos impensáveis” e “resultados econômicos importantes”. “Porque, a cada dia, não temos medo. Milão não para”, afirmava o conteúdo expresso no vídeo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ele é do time do Bozovírus. Genocida.



27/03


2020

Boris Johnson está infectado com o coronavírus

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de 55 anos, está infectado com o coronavírus, de acordo com uma nota do governo divulgada hoje. O político conservador teve sintomas leves e vai se isolar.

Matt Hancock, ministro da Saúde, também está com Covid-19. De acordo com um comunicado do governo britânico, ele vai continuar a liderar os esforços contra a epidemia.

Segundo um porta-voz do governo, os sintomas apareceram na quinta-feira, um dia após Johnson ter ido ao Parlamento do país para uma sessão de perguntas e respostas.

A mídia britânica afirma que outros ministros poderão se isolar, por terem tido contato com Johnson.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

27/03


2020

Presidente continua fazendo piada da desgraça


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

FDP

Wellington Antunes

O gado adora e o demônio também

Wellington Antunes

Imbecil


Banner de Arcoverde

27/03


2020

Grau Técnico oferece EAD como opção para alunos

Somando esforços no combate ao coronavírus e como forma de oferecer aos alunos uma oportunidade de continuar seus cursos nesse tempo de quarentena, o Grau Técnico está oferecendo a opção de Ensino a Distância. Com esta medida, os estudantes podem assistir as aulas em qualquer hora e local, pelo celular, notebook, tablet ou computador. Esta alternativa estará disponível a partir do dia 30 de março nas unidades do Grau Técnico que já iniciaram as aulas, sem custos adicionais para os estudantes. As aulas das turmas que ainda não tiveram início serão adiadas para o fim de maio, em data a ser confirmada, conforme orientações de cada Estado. O  Ensino a Distância é opcional e quem preferir pode continuar o curso presencialmente, assim que passar a situação emergencial de combate ao coronavírus.  

As aulas são válidas para todos os cursos e serão correspondentes às disciplinas teóricas. A parte prática será feita na escola, após a normalização das atividades. O  material didático das aulas será disponibilizado de forma digital e, assim que possível, em forma de apostila. 

Os estudantes que optarem pelas aulas a distância farão as provas de forma presencial, também quando as unidades voltarem às atividades normais. No dia a dia, eles podem contar como o apoio dos coordenadores pedagógicos, que estarão à disposição para orientar e esclarecer dúvidas por e-mail, WhatsApp e Portal Acadêmico, onde o aluno também pode confirmar sua opção pelo Ensino a Distância.

“O Grau Técnico preparou as aulas de Educação a Distância como alternativa para que nossos alunos não parem de estudar durante este período. Nós trouxemos todas nossas salas de aula para a internet, para os estudantes não percam tempo, em dias tão difíceis como estes”, diz Ruy Porto Carrero, presidente do Grau Educacional. Mais informações no site www.grautecnico.com.br


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

27/03


2020

Pernas para o ar

De pernas para o ar há 7 meses, entre licenças prêmio e férias, embolsando um salário mensal de R$ 27 mil, a delegada Patrícia Domingos, pré-candidata do Podemos à Prefeitura do Recife, tem dado destaque em suas redes sociais ao trabalho dos seus colegas da ativa em Pernambuco. "Delegados estão trabalhando! Não param", enfatiza ela. 

Como diria Bóris Casoy “isso é uma vergonha”. Exemplo não se cobra, se dá. E nem tudo que é legal é moral!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

27/03


2020

Na quarentena, bastidores das boas músicas

Como o leitor está em casa na quarentena, vale conhecer a história das grandes músicas dos talentos nordestinos. Petrúcio Amorim, um dos melhores compositores e intérpretes do nosso autêntico forró, tem matado o tempo em casa revelando os bastidores das suas fontes de inspiração. Confira Eu não sou dono do mundo!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/03


2020

Para quem tem fé, só com orações

Por Mauro Ferreira Lima*

Após o desdém inicial com relação ao coronavírus, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mudou o tom.

Como tem moeda forte, anunciou um "socorro" de 2 trilhões de dólares (sic). US$ 150 bilhões a mais do que o PIB do Brasil de 2019, para que a economia local não desagregue geral. Esperto e com fino faro, assim agiu tendo em vista as eleições próximas. Será imbatível, tudo indica.

Por aqui, o Bolsonaro bate-boca constantemente com os governadores, com foco no governador Doria. Reporta-se diretamente a uma eleição que já passou e dá um salto para a que virá em 2022. Destempero explícito!

Fala do passado e do futuro. Já do presente, apenas muita verborragia e desconexões de pensamentos e de atitudes construtivas. Zero iniciativa convincente para buscar um mínimo  equilíbrio entre o combate ao vírus e a manutenção do funcionamento institucional, econômico, social e político do país.

Isto teria que vir apoiado em recursos governamentais (federais, sim!) garimpados no meio desta drástica  emergência para socorrer as atividades econômicas. Aí se inclui o universo de empresas de todos os portes. Em paralelo, teria que se "acudir" o exército,  destituídos de segurança financeira mínima, que sobrevivem na atroz informalidade cotidiana nacional.

Tarefa hercúlea que exigirá a superação  urgente de idiossincrasias políticas sob pena de, realmente, virarmos a curto prazo em um Chile conflagrado. 12 vezes mais do que vimos há pouco tempo por lá.

O Brasil, de 211 milhões de habitantes, corre sério risco de esfacelar-se profundamente se esse cenário de digladiação e carnificina política  continuar. Para quem tem fé religiosa, urgem orações e correntes fervorosas para sairmos disso.

*Professor da Universidade de Pernambuco e mestre em Desenvolvimento Socioeconômico e Meio Ambiente


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Na Itália há 1 mês, resolveram que a economia não podia parar. Hoje estão com a economia parada...E empilhando mortos. Tá bom assim, Bozolóides.?

Alberto Costa Santos

Bozo questionado por indicar seu filho a embaixador dos EUA. Indicar meu filho pra embaixada não foi nepotismo talquei? O repórter insiste: O dicionário aurélio define nepotismo como favoritismo para com parentes. O Bozo responde; e quem é esse aurélio ai? pelo nome deve ser petista

Alberto Costa Santos

Bozotralha abordado pela policia: Não Atirem! Sou retardado! Policia: Prove! Sou contra a quarentena só pra ser contra a esquerda!

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Mauro, você como Mestre em Desenvolvimento Socioeconômico e Meio Ambiente deveria mostrar os números do mundo e do Brasil sobre as mortes. Se você não os tem, vou posta-lo. População mundial: 7.773.200.000 Morrem/Dia. 159.800 Nascem/Dia. 380.717 Crescimento Populacional DIA/ 220.880 Mortes por doenças transmissíveis/Dia 35.270 Mortes por cãncer/Dia 22.320 Mortes por fumo/Dia. 13.570 Mortes por álcool/Dia 6.797 Mortes por HIV /Dia 4.568 Mortes por Acidente Transito/Dia. “3.668 Mortes por suicídio/Dia. 2.914 Mortes por Malária/Dia 2.665 Mortes por CORONAVÍRUS/Dia, considerando todas as mortes em 2 meses: 283 21,3% dos Italianos tem mais de 65 anos 8,06% dos brasileiros tem mais de 65 anos. No Brasil morrem todos os dias 4.083 NASCEM todos os dias 8.054 Fonte: INDEXMUNDI/ WOLDMETERS Ter as informações é importantíssimo para entendermos a realidade! Nosso presidente está corretíssimo! Estamos em uma histeria coletiva e pagaremos um preço altíssimo por isso ... A Economia é VIDA! Quebradeira geral é MORTE! Estejamos cientes de que a população fora de risco PODE E DEVE TRABALHAR para ter como apoiar os que não podem cuidar de si mesmos. O País precisa acordar para a realidade, caso contrario o choro pós vírus será muitíssimo maior!!!

Fernandes

O VERDADEIRO MEDO DA DIREITAVÍRUS NESTA QUARENTENA. É de que o trabalhador perceba quem realmente move a economia.



27/03


2020

Petrolina faz carreata antes do Recife

Na onda bolsonarista, da tese da verticalização para o isolamento do coronavírus, Petrolina, a Califórnia brasileira, produtora de frutas irrigadas tipo exportação, a mais de 700 km da capital, saiu na frente e já faz amanhã a primeira carreata do Nordeste em favor da retomada da atividade econômica.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O VERDADEIRO MEDO DA DIREITAVÍRUS NESTA QUARENTENA. É de que o trabalhador perceba quem realmente move a economia.

Fernandes

Segundo a Bíblia quem ficava tentando Jesus a descumprir a Quarenta era o diabo. Fica a dica irmãos evangélicos.

Fernandes

O mundo olha com perplexidade para o Brasil. Estamos que superar três vírus: O coronavírus, o Bozovírus e o gadovírus!

Fernandes

Na Itália há 1 mês, resolveram que a economia não podia parar. Hoje estão com a economia parada...E empilhando mortos. Tá bom assim, Bozolóides.?

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Magno, segundo Cardinot agora, já morreu em Pernambuco mais pessoas pelo H1N1 Que pelo Coronavírus. Essa esquerda caviar não mede esforços para assumir o poder e continuar roubando. Mesmo que seja acabando com a economia e causando um desemprego em massa, principalmente para a população mais carente. Felizmente temos o Bolsonaro que acabou com a corrupção, pelo menos no Governo Federal, e está enfrentando essa canalha como um verdadeiro guerreiro.



27/03


2020

O duro recado ameaçador dos caminhoneiros


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Na Itália há 1 mês, resolveram que a economia não podia parar. Hoje estão com a economia parada...E empilhando mortos. Tá bom assim, Bozolóides.?

Alberto Costa Santos

Bozotralhas abestalhados, falando besteira. O pior é que todos são assim. Parem então babacas!

walber brito

esses idiotas, eleitores do outro idiota, receberam quantos para fazerem em vídeo, bando de otários

Fernandes

O mundo olha com perplexidade para o Brasil. Estamos que superar três vírus: O coronavírus, o Bozovírus e o gadovírus!

Fernandes

Na Itália há 1 mês, resolveram que a economia não podia parar. Hoje estão com a economia parada...E empilhando mortos. Tá bom assim, Bozolóides.?



27/03


2020

Governador de Santa Catarina retoma atividade industrial


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/03


2020

Governo anuncia linha de crédito emergencial

O governo federal anunciou, hoje, uma linha de crédito emergencial para pequenas e médias empresas e que vai financiar salários pelo período de dois meses.

Anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o programa vai disponibilizar no máximo R$ 20 bilhões por mês, ou seja, R$ 40 bilhões em dois meses.

De acordo com Campos Neto, porém, o dinheiro vai financiar, no máximo, dois salários mínimos por trabalhador.

Isso significa que quem já tem salário de até dois salários mínimos continuará a ter o mesmo rendimento. Entretanto, para os funcionários que ganham acima de dois salários, o financiamento ficará limitado a dois salários mínimos.

No caso de um funcionário que ganhe, por exemplo, R$ 5 mil por mês, vai ficar a critério da empresa complementar o valor acima de dois salários mínimos.

O programa deve atender 1,4 milhão de empresas e 12,2 milhões de pessoas. Os juros desses empréstimos serão de 3,75% ao ano, com carência de seis meses para início do pagamento, e prazo de 36 meses.

Empresas que usarem essa linha de crédito não poderão demitir por dois meses. A empresa vai fechar o contrato com o banco, mas o dinheiro vai cair na conta dos funcionários.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O VERDADEIRO MEDO DA DIREITAVÍRUS NESTA QUARENTENA. É de que o trabalhador perceba quem realmente move a economia.

Fernandes

Segundo a Bíblia quem ficava tentando Jesus a descumprir a Quarenta era o diabo. Fica a dica irmãos evangélicos.

Fernandes

O mundo olha com perplexidade para o Brasil. Estamos que superar três vírus: O coronavírus, o Bozovírus e o gadovírus!



27/03


2020

Em primeira mão, a campanha do Governo na mídia


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/03


2020

Máscaras de graça, como camisinha no carnaval

Se o Governo tem compromisso com a população e quer de fato reduzir o contágio comunitário do Covid-19, o vírus da morte, deveria então distribuir gratuitamente máscaras, luvas e gel da mesma forma como faz no carnaval para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Fica a sugestão do blog!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Segundo a Bíblia quem ficava tentando Jesus a descumprir a Quarenta era o diabo. Fica a dica irmãos evangélicos.

Fernandes

O mundo olha com perplexidade para o Brasil. Estamos que superar três vírus: O coronavírus, o Bozovírus e o gadovírus!

Fernandes

Na Itália há 1 mês, resolveram que a economia não podia parar. Hoje estão com a economia parada...E empilhando mortos. Tá bom assim, Bozolóides.?

Alberto Costa Santos

Quem faz questão pelos chineses comunistas é o Bozo. Que mancada! Além do mais incentivando a pirataria.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Só não pode compra de China e da Índia. Basta ver como elas são feitas. Você pega, além do coronavírus, todo tipo de doença.



27/03


2020

Abuso de autoridade no Parque da Jaqueira

Por José Adalbertovsky Ribeiro*

A administração do Parque da Jaqueira fechou a entrada lateral da Rua Deputado Pedro Pires Ferreira. Só funciona agora a entrada principal na Rua do Futuro. A alegação é “questão de segurança”. Errado. A entrada lateral funciona há mil anos, sem problemas. O motivo real é abuso de autoridade e arbitrariedade. A alegação é falsa. Ao contrário, restringir a entrada/saída é fator de insegurança no caso de possível emergência. A mobilidade das pessoas fica prejudicada. A quem reclama, os encarregados respondem, com descaso: “Fale com o prefeito”.

Dizem que a medida é para evitar a entrada do vírus pelo portal lateral. O vírus só pode entrar pelo portão principal da Rua do Futuro.

Também foi proibido o estacionamento na área interna do Parque. Ao existe nenhuma justificativa plausível, pois as centenas de usuários continuam praticando caminhadas, que funcionam como exercícios aeróbicos salutares. Nos dois casos centenas de usuários são prejudicados e constrangidos.

O Wi-Fi Conecta Recife está desconectado desde o começo do mês. A provedora Emprel ou empresa terceirizada não presta nenhum esclarecimento à população.

A manutenção/conservação do Parque da Jaqueira tem sido móvito de críticas constantes dos usuários. No caso da vegetação, os empregados usam máquinas elétricas, movidas a gasolina, de firma terceirizada. Além da poluição sonora, as máquinas raspam a grama e o terreno fica careca. Nenhum pé de grama é plantado na maior parte das áreas carecas. A podação é desastrosa e mutila as árvores. Os funcionários cumprem ordens da Emlurb.

O Parque da Jaqueira funciona como péssima vitrine da administração do prefeito Geraudo Julho.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

No Brasil o coronavírus sofreu uma mutação e vira direitavírus provoca perda do poder de discernimento e a fala vira estrume.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Adalberto, o famoso e prodigioso Adalbertovsky, você sabe que quem comanda a Cidade é a petralhada. Como impedir medidas absurdas e abusivas dessa raça? Já postei aqui que a grande briga não é o bem contra o mal pois o bem sempre ganhará. O problema e a ignorância contra o conhecimento. Pensar dói. Principalmente para a petralhada.



27/03


2020

Prefeito melhora qualidade da cesta aos estudantes

Depois do bombardeio que sofreu pela distribuição de uma cesta bem merreca, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), resolveu dá uma guaribada no benefício aos estudantes que dependem da merenda escolar. 

Desde ontem, a cesta básica, na foto, chegam aos pais dos estudantes com três itens de material de limpeza, quatro tipos de biscoitos, um pacote de broa,  uma dúzia de ovos, uma garrafa de refrigerante, um saco de refresco, além de arroz, leite em pó, biscoito Maria e outros itens não visíveis.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha