Jaboatão vai conquistar você

24/01


2022

Mercado financeiro aumenta estimativa de inflação

Os analistas do mercado financeiro elevaram pela segunda semana seguida a estimativa de inflação para 2022.

De acordo com o BC, a projeção dos analistas para a inflação deste ano subiu de 5,09% para 5,15%.

A informação consta do relatório "Focus", divulgado hoje pelo Banco Central (BC). Os dados foram colhidos na semana passada, em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

Se confirmada a previsão, será o segundo ano seguido de estouro da meta de inflação. Em 2021, o IPCA somou 10,06%, o maior desde 2015.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, avaliou, em carta aberta, que a alta nos preços de commodities (produtos básicos, como alimentos e petróleo), da energia e falta de insumos levaram país a superar a meta.

Em 2022, a meta central de inflação para 2022 é de 3,50% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar entre 2% e 5%. Com a nova alta, a previsão do mercado se distancia mais do teto da meta.

O objetivo foi fixado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-lo, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia, a Selic.

Para 2023, o mercado financeiro manteve em 3,40% a estimativa de inflação. Para o próximo ano, a meta de inflação foi fixada 3,25%, e será considerada formalmente cumprida se oscilar entre 1,75% e 4,75%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Jan 2022

24/01


2022

Já não existem bois voadores como antigamente

Dedico este artigo ao meu colega o Conde Maurício de Nassau, domador de bovinos voadores

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Amigo de infância do Conde Maurício de Nassau nos tempos da Nova Lusitânia, o bicho-grilo Adalbertovsky lembra como se fosse anteontem da história do boi voador na inauguração da ponte sobre o rio das capivaras. “A galera pagou o ingresso ao preço de 10 florins holandeses e se aglomerou, sem máscara, para assistir ao espetáculo. Com o auxílio de roldanas e de cordas, o boi voou, de um lado até o outro da ponte, e a multidão delirou, delirou”.

“Nassau era um marqueteiro. Construía obras de cimento e madeira e também obras de imaginação. Já não se fazem marqueteiros e bois voadores como antigamente. O sonho de consumo do tangedor de gado é voar nas nuvens da sucessão presidencial, de parelha com o bode rouco. Mas, de tanto esculachar as vacinas, de tanto chafurdar, o capitão adquiriu asas de chumbo. Voa baixinho feito um teco-teco”.

“As asas do bode rouco estão contaminadas com o óleo sujo do Petrolão e as lambanças do Mensalão. As ditaduras comunistas de Cuba, Venezuela e Nicarágua eram freguesas preferenciais do BNDES na dinastia vermelha. Mas, os devotos repetem o mantra: o Petrolão foi apenas uma ilusão de óptica, o guia genial dos povos barbudos e dos sapos barbados é inocente até o tutano. O Centrão tem uma boca do tamanho de um bonde, não quer voar, só quer mamar. São os caboclos mamadores”.

“Ah, saudades dos bois voadores do Conde Maurício de Nassau! Eles eram inocentes de pai e mãe. Os rebanhos de hoje cantam a cantiga: “Boi, boi, boi da cara preta, pega esses meninos que têm medo de careta!” Meninos e meninas, o Brazil está em suas mãos”. A crônica história do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião. Voar é preciso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

É vergonhoso o caráter servil e parcial destes blogs e blogueiros. Fazem de tudo para desconstruir adversários e manter o estado de coisa que se encontra hoje no país. Não falam dos desmandos de acéfalos e lambe-botas , que assim como estes, defendem tudo isso que está aí.


Cabo - Pavimentação e Drenagem

24/01


2022

Coluna da segunda-feira

Moro tem que mirar Lula

Se for bem orientado - não sei até o momento quem é o seu marqueteiro - o ex-juiz Sérgio Moro, pré-candidato a presidente da República pelo Podemos, escolheria Lula agora e no curso da campanha para o debate na tentativa de quebrar a polarização que se observa hoje entre o petista e Bolsonaro.

Ofereceria ao País o notável confronto do algoz contra o réu, do carrasco frente à "alma mais honesta do planeta Brasil". Visto como a única alternativa de terceira via com chances de quebrar a polarização Lula x Bolsonaro, Moro tem se revelado uma águia no raciocínio da resistência dialética no campo político. Quando atacado, especialmente por Lula, responde com inteligência. 

Lula e os petistas insinuam que Moro trabalhou para uma empresa nos Estados Unidos envolvida na Lava Jato. Em publicação em seu Twitter, Moro disse que “mente quem fala ou sugere que tenha recebido dinheiro de empresa envolvida na Lava Jato, operação que coordenou''. "Quem trabalhou para a Odebrecht foi o Lula", ironizou, referindo-se ao escândalo que levou o ex-presidente e mais 40 para a cadeia. 

Depois que o TCU derrubou o sigilo sobre os honorários recebidos pela Alvares & Marsal, consultoria em que trabalhou, Moro deu os seguintes esclarecimentos: “Meu contrato era com a A&M disputas e investigações, e não com a parte da empresa responsável por recuperações judiciais, que tem outro CNPJ e cujas fontes de receita são diferentes. Nunca prestei nenhum tipo de trabalho para empresas envolvidas na Lava Jato. E isso foi deixado claro, a meu pedido, no contrato que assinei com a renomada consultoria norte-americana. Nos meses em que estive na empresa, trabalhei com compliance e investigação corporativa, ou seja, ajudando e orientando empresas a construir políticas para evitar e combater a corrupção”.

A estratégia de Lula é carimbar Moro como corrupto, marca que o petista tem na testa depois que sua quadrilha assaltou a Petrobras, sendo responsável pelo maior escândalo da história brasileira. Dificilmente irá conseguir. Moro pode ser verde e infantil na batalha política, mas imbecil a ponto de trabalhar para uma empresa que recebia dinheiro da operação que coordenou, jamais. É muito inteligente para cair numa cilada dessa magnitude.

Só a ganhar - Escalando Lula como adversário, e não Bolsonaro, Moro faria uma espécie de segundo turno no primeiro turno. Lula jamais imaginou um cenário em que tivesse que estar frente a frente com quem o prendeu, com quem tem uma vasta e rica literatura dos escândalos envolvendo ele e o PT. Não foi Moro quem prendeu Lula, mas a Justiça respaldada num calhamaço que levou a uma única e irrefutável conclusão: seu envolvimento direto no assalto aos cofres da Petrobras.

Consistência no que diz - Tenho observado como Moro reage aos ataques e suas respostas são muito consistentes, como esta, ainda sobre o suposto envolvimento da empresa que prestou serviço: "Jamais trabalhei para a Odebrecht ou dei consultoria, direta ou sequer indiretamente, a empresas investigadas na Lava Jato. A empresa de consultoria internacional, para a qual prestei serviço, foi nomeada por um juiz para atuar na recuperação judicial de créditos da Odebrecht, ou seja, para ajudar os credores a receberem dívidas. E eu jamais trabalhei nesse departamento da empresa. Portanto, os argumentos de que atuei em situações de conflito de interesse não passam de fantasia sem base”.

Entenda o caso - Segundo os documentos que estavam em segredo até sexta-feira passada, a consultoria em que Moro trabalhou recebeu R$ 42,5 milhões de investigados na Lava Jato em honorários. O Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues, teve acesso aos registros. Do valor total, a Alvares & Marsal recebia R$ 1 milhão por mês da Odebrecht e da Ativos (antiga Odebrecht Agroindustrial); R$ 150 mil da Galvão Engenharia; R$ 115 mil do Estaleiro Enseada (que tem como sócias Odebrecht, OAS e UTC); e R$ 97 mil da OAS.

Jogo sujo dos corruptos - Políticos envolvidos na Lava Jato, como o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), se apressaram no julgamento de Sérgio Moro no episódio em análise pelo Tribunal de Contas. Renan foi alvo da Lava Jato em mais de uma ocasião. No fim de 2021, o ministro Edson Fachin, do STF, prorrogou por mais 60 dias um inquérito aberto em 2017 contra ele e o ex-senador Romero Jucá (MDB-RR). A investigação foi instaurada na operação e apura um suposto pagamento de propinas de R$ 5 milhões da Odebrecht para os políticos. 

Fora, Lula! - Num contundente editorial, ontem, o jornal Estado de São Paulo alertou a nação brasileira para o risco da eleição de Lula e frisou que parte do eleitorado esquece o mal que ele fez ao País no quesito corrupção. "O petrolão foi ainda mais perverso do que o mensalão, ao colocar toda a estrutura do Estado, incluindo estatais e empresas de capital misto, a serviço do interesse eleitoral do partido. Não foi apenas um conjunto de ações para desviar uma enorme quantidade de dinheiro público e privado. Todo o esquema estava orientado a alimentar a máquina eleitoral de Lula", destacou.

CURTAS

PIADA DE MAU GOSTO - O editorial é assim encerrado: "Depois do ambiente de ameaças e de ataques à democracia criado pelo bolsonarismo – a exigir uma resposta responsável dos partidos e dos eleitores – parece piada de mau gosto com o País pensar no PT como eventual solução. Lula nunca tratou bem a democracia brasileira." 

BOA SURPRESA - Em Paulista, o vice-prefeito Dido Vieira (MDB), empresário bem sucedido, que teve papel preponderante na eleição do prefeito Yves Ribeiro (MDB), deve sair das urnas como o mais votado para deputado estadual, desbancando o rival Jorge Carreiro, o super-secretário da gestão municipal, que tem usado a máquina descaradamente.

Perguntar não ofende: Ao atacar Moro, bateu o desespero em Lula??


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Destruindo direitos trabalhistas, simplificando as leis ambientais, doar o patrimônio público e manter os lucros exorbitantes dos bancos e congêneres, como o PagSeguro da folha ainda farão muitos editoriais a favor do ex canalha togado. Mas serão derrotados. Picaretas!

Joao

Serão muitos editoriais, não apenas de O Estadão, mas de todos aqueles que ajudaram a eleger a tudo isto que está aí, um país destruído, entregue a um acéfalo e parceiros. Destruindo direitos e doando o patrimônio público. Bando de vampiros!


Petrolina Dezembro 2021

23/01


2022

Diretora da Anvisa diz que nota da Saúde é “infeliz surpresa”

Meiruze Freitas, uma das diretoras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) refutou ontem (22) uma nota técnica do Ministério da Saúde que contesta a eficácia de vacinas contra a covid-19. Em entrevista à CNN Brasilela afirmou que a nota está “errada” e “no mínimo atrasada 2 anos”.

Meiruze disse ainda que a nota é contraditória com o discurso propagado pelo próprio Ministério da Saúde de que as vacinas contra a Covid-19 são seguras e eficazes. “No 1º momento nós achamos que esse documento era falso, que não era do Ministério da Saúde. No 2º momento, foi uma infeliz surpresa”, explicou a diretora.

A nota técnica, além de questionar a eficácia das vacinas, aponta a eficiência da hidroxicloroquina. Essa posição já foi descartada pelas principais entidades de saúde do mundo. Meiruze afirmou que o medicamento “tem o seu valor” no combate de doenças como a malária, mas que não existe comprovação da sua eficácia contra covid-19.

“Toda preocupação que nós temos nesse sentido é que as pessoas deixem de se vacinar, deixem de procurar a melhor estratégia de salvar vidas, e utilizem medicamentos que não têm a comprovação para o tratamento da Covid-19. Cada vez que a gente traz uma informação contrária, a gente prejudica e a gente impede que as pessoas busquem essa vacina e busque inclusive que a a gente supere essa pandemia”, disse a diretora da agência.

O QUE DIZ O MINISTÉRIO DA SAÚDE

Em nota enviada ao Poder360, o Ministério da Saúde disse que “em nenhum momento afirmou que o referido fármaco é seguro para o tratamento da covid-19”. Negou que a nota técnica conteste as vacinas.

As informações são do Poder360.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/01


2022

Progresso cancela ônibus e prejudica passageiros

Sem concorrente em praticamente todas as rotas para o Sertão, a Progresso, empresa de ônibus estadual, continua prestando péssimos serviços aos usuários que dependem dela. Tem sido uma rotina o cancelamento de viagens de última hora, provocando transtornos na vida dos passageiros.

Hoje em Arcoverde, por exemplo, a Progresso deixou na mão diversos passageiros que haviam comprado a passagem com antecedência para o Recife no horário das 16 horas. Quem chegou no terminal rodoviário da cidade só tomou conhecimento do cancelamento no guichê da empresa. "Um absurdo, nunca vi uma empresa tão desorganizada, sem ter a menor atenção e consideração com o passageiro", reclamou José Roberto de Oliveira, que programou a viagem para o Recife com antecedência, comprando duas passagens no dia anterior. 

Sua revolta se deu principalmente porque havia marcado compromisso no Recife hoje à noite, sendo obrigado a cancelar. "Tudo isso está acontecendo por falta de concorrência. A Progresso tem, não se sabe o motivo, o monopólio de todas as rotas para o Sertão", desabafou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Arcoverde janeiro 2022

23/01


2022

PSDB lamenta morte da desembargadora Helena Caúla

Nota de pesar 

Uma mulher forte, generosa, dedicada e comprometida. Assim era Helena Caúla Reis, primeira mulher desembargadora do TJPE. Pernambuco perde uma mulher conhecida por uma trajetória profissional pioneira, referência para todas, ocupando espaços dominados por homens. Temos muito a agradecer pelo seu trabalho e luta. Meus sentimentos à família e amigos.

Raquel Lyra - presidente do PSDB Pernambuco e prefeita de Caruaru


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

23/01


2022

TJPE decreta luto oficial por morte de desembargadora

NOTA DE PESAR

É com profundo pesar que os integrantes do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) recebem a notícia do falecimento da desembargadora Helena Caúla Reis. A magistrada integrou os quadros do Poder Judiciário estadual de 2001 a 2010, sendo a primeira desembargadora do TJPE, ingressando na vaga destinada ao Ministério Público de Pernambuco através do Quinto Constitucional. Um exemplo de profissional e ser humano. O TJPE decreta luto oficial de três dias, com hasteamento das bandeiras a meio mastro em todas as unidades judiciárias do Estado. 

As cerimônias fúnebres acontecem neste domingo (23/01), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, e observarão as restrições sanitárias vigentes. “Mais do que uma desembargadora brilhante, Helena Caúla era uma profissional excepcional, séria e de extrema retidão. Construiu uma jornada de sucesso e pioneirismo, ocupando funções exercidas predominantemente por homens, se consolidando pela competência. Não por acaso foi a primeira mulher a se tornar desembargadora em Pernambuco, um marco histórico”, declarou o presidente do TJPE, desembargador Fernando Cerqueira.

Histórico – Helena Caúla Reis nasceu em 1940, no Ceará. Chegou ao Recife aos 12 anos de idade. Em 13 de fevereiro de 1959, iniciou sua carreira no sistema público pernambucano, antes da formação na área jurídica. Ingressou no Tribunal de Justiça de Pernambuco como datilógrafa aos 18 anos. No mesmo ano, foi aprovada no concurso público para o cargo de oficial judiciário do TJPE e passou à condição de funcionária efetiva.

Formou-se em Odontologia e Direito, ambos pela Universidade Federal de Pernambuco nos anos de 1962 e 1967, respectivamente. Na mesma universidade fez Mestrado em Direito e Doutorado em 1968.

Atuou no Instituto de Polícia Técnica (atual Instituto de Criminalística), onde permaneceu até 1974, quando ingressou no Ministério Público de Pernambuco como promotora. Em 1993, foi promovida a Procuradora de Justiça por critério de merecimento.

Foi ainda, por 35 anos, professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) nas áreas de Direito, Odontologia e Farmácia. Em 13 de agosto de 2001, marcou a história pernambucana ao ser a primeira mulher a ocupar o cargo de Desembargadora do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), marcando a história do nosso Estado, na vaga destinada ao Ministério Público pelo Quinto Constitucional. Em 2010, aposentou-se do cargo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC - Férias de Janeiro

23/01


2022

Procon Recife reforça fiscalização no preço de testes de Covid

O aumento no número de casos de Covid-19 fez com que a procura por testes também crescesse nos últimos dias. E para garantir que o consumidor não seja lesado, o Procon Recife iniciou uma série de fiscalizações em estabelecimentos privados que oferecem o serviço de testagem.

A partir de amanhã (24), a atuação do órgão será intensificada e quem estiver cometendo algum tipo de infração será autuado. Na última semana, foram visitados 11 estabelecimentos nos bairros do Derby, Boa Viagem, Casa Forte e Pina, onde foram comparados os valores cobrados pelos principais exames para diagnosticar o vírus. Em alguns, a variação de preço chegava a 100%.

Segundo Pablo Bismarck, secretário-executivo do Procon Recife, esta fiscalização será contínua para acompanhar a evolução dos preços e detectar novos aumentos que estejam fora do patamar aceitável. “Vamos manter essa fiscalização permanentemente e fazer esse monitoramento. Caso seja identificado algum abuso, iremos tomar as medidas previstas na legislação”, explicou.

“Nossa recomendação é que o consumidor faça pesquisa e procure estabelecimentos que ofereçam o menor preço. Caso seja detectado alguma abusividade, o consumidor pode denunciar através dos canais de atendimento do Procon Recife”, acrescentou.

Durante a ação promovida na última semana, o Procon Recife fiscalizou farmácias e laboratórios na capital pernambucana para verificar a possível cobrança de valores abusivos em testes de Covid.  Foi constatado que os valores cobrados para a realização do exame de Antígeno, conhecido como teste rápido, variavam de R$ 100 a R$ 200, diferença de 100%.

Para o RT-PCR, os preços oscilavam de R$ 280 a R$ 385, uma diferença de 37,50%. Para a Sorologia, os preços encontrados foram de R$ 150 a R$ 240, um aumento de 60%. A justificativa para a variação dos preços foi a da procura elevada pelo serviço e a escassez dos insumos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes novembro 2021

23/01


2022

Festival Reconhecer anuncia terceira edição

Foto: Marina Amorim

Caminhando para a sua terceira edição, o Festival Reconhecer volta a ocorrer após um hiato de dois anos provocados pela pandemia do novo coronavírus. O evento está programado para acontecer entre os dias 17 e 19 de março deste ano.

O intuito de valorizar os artistas dos bairros do Pina e Brasília Teimosa, além de incentivar a movimentação do cenário artístico local da cidade. Segundo o coordenador-geral do Reconhecer, Alyson Fonseca, o festival trará algumas novidades para o público em 2022.

 "O Reconhecer está de volta, observando os decretos sanitários e as recomendações da OMS para que possamos oferecer segurança ao nosso público. Então conseguimos adaptar o projeto, sem abrir mão da sua qualidade, já conhecida por todos. A situação que o mundo vive, casa muito bem com o conceito desta edição cujo tema é 'A cultura que nos move, abraçando novos tempos'", destaca.

Assim como as duas primeiras edições, o festival vai reunir diversas linguagens como teatro, dança, música, moda e gastronomia. Tudo isso com entrada e atividades gratuitas. Com essa retomada, todos os protocolos de segurança sanitária serão cumpridas como a exigência do cartão de vacina. O Festival Reconhecer foi criado durante o segundo módulo do Laboratório de Projetos Culturais, promovido pelo Instituto JCPM e pela Proa Cultural. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

23/01


2022

Joel quer crédito emergencial para vítimas das enchentes

O deputado estadual Joel da Harpa (PP) quer a abertura de linhas de crédito nos bancos oficiais para atender dezenas de famílias ribeirinhas e das Ilhas do Rio São Francisco atingidas pelas enchentes. Em suas viagens ao interior pernambucano, o parlamentar tem dito que ouve a população clamar por apoio para recomeçar.

De acordo com ele, sobretudo em Petrolândia, Belém do São Francisco, Orocó, Cabrobó e Petrolina. “Muitas famílias perderam toda a agricultura e meio de subsistência”, afirma Da Harpa, que tem como ideia incentivar a economia de municípios atingidos pelas enchentes, além de promover a recuperação das condições de vida da população afetada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros