Lavareda

01/10


2020

MPE pede impugnação de candidatura do prefeito de Ipubi

O Ministério Público Eleitoral entrou, ontem, com uma ação de impugnação do registro de candidatura do prefeito de Ipubi, Francisco Siqueira (PSB), que tenta a reeleição. Um dos motivos alegados pelo promotor Guilherme Goulart Soares no pedido feito à juíza da 133ª Zona Eleitoral é que o "requerido encontra-se com restrição ao seu direito de elegibilidade, porquanto se enquadra na hipótese prevista no art. 1º, I, da LC nº 64/1990, com redação dada pela LC nº 135/2010, segundo o qual são inelegíveis os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente".

"Observa-se, de início, a existência de 'rejeição das contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas', tendo em vista que o impugnado teve contra si representação julgada procedente pelo Tribunal de Contas da União", prossegue o promotor.

Na quinta-feira passada (24), o prefeito Francisco Siqueira sofreu derrota no Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE), que julgou irregular o procedimento adotado pela Prefeitura de Ipubi, sob sua responsabilidade, na contratação e execução dos serviços de transporte escolar relacionados a 2019.

Antes, uma medida cautelar, expedida em julho de 2019 pelo conselheiro do TCE Dirceu Rodolfo, não foi cumprida pela gestão municipal. Pela reincidência, o prefeito foi multado em R$ 42.512,50.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

Confira os últimos posts



24/10


2020

TRE fixa entendimento sobre nomes coletivos nas urnas

A Corte do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) fixou entendimento sobre nomes usados nas urnas que possam indicar a prática das chamadas candidaturas coletivas ou compartilhadas. A definição ocorreu ontem em julgamento de recurso eleitoral. De acordo com o pleno, o nome que aparece na urna eletrônica não pode causar nenhum tipo de dúvida ao eleitor.

Esta foi a primeira vez que o TRE-PE se manifestou, de maneira colegiada, sobre o tema. O caso chegou à Corte a partir do recurso movido por Adevania Coelho de Alencar Carvalho, candidata a vereadora em Ouricuri pelo PSOL. No último dia 11 de outubro, o juiz da 82ª Zona Eleitoral, Carlos Eduardo das Neves Mathias, deferiu o pedido de registro de candidatura, porém determinou que, na urna eletrônica, a postulante apareça com o nome "Adevania".

A candidata, então, recorreu porque pretendia usar, na urna eletrônica, o nome "Coletiva Elas” ou, em caso de rejeição deste pedido, a expressão “Adevania do Coletiva Elas”. Por cinco votos a dois, o colegiado referendou a decisão do juiz e vetou o recurso da postulante. Com isso, ela terá de utilizar nas urnas o nome "Adevania".

Votaram desta forma os desembargadores Frederico Neves (presidente), Carlos Gonçalves de Moraes (vice-presidente e corregedor), José Alberto de Barros Freitas Filho, Carlos Gil Rodrigues Filho e Rodrigo Cahu Beltrão. Já o relator do processo, desembargador Ruy Trezena Patu Junior, e o desembargador Edilson Pereira Nobre votaram pelo provimento parcial do recurso, deferindo a segunda opção de nome de urna da candidata, "Adevania do Coletiva Elas".

*Com informações do TRE-PE.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

24/10


2020

Matuto vai ao STJ para voltar à Prefeitura de Paulista

Está nas mãos do vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Jorge Mussi, a decisão de manter ou não o prefeito de Paulista, Junior Matuto (PSB), afastado do cargo. Pela segunda vez, a Justiça determinou sua saída da administração municipal devido às operações Chorume e Locatário, deflagradas pela Polícia Civil em julho.

A defesa de Matuto entrou com um pedido de suspensão de liminar e de sentença no STJ, na última quinta-feira (22), para tentar retornar à Prefeitura. Ontem, o vice-prefeito de Paulista, Jorge Carreirro (PV), foi empossado na Câmara Municipal como novo chefe do Executivo.


 
 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

24/10


2020

Ex-prefeito de Bonito diz que aliado vai dar lapada em rival

O ex-prefeito de Bonito Ruy Barbosa apareceu em vídeo dizendo que seu grupo político "vai dar lapada" no adversário. O gestor apoia a reeleição de Gustavo Adolfo (PSB), que compete contra Doutor Edmilson (PCdoB). A declaração tem causado controvérsia e não representa o que se espera de um homem público.

É legítimo da democracia superar o adversário nas urnas. O que não é correto é usar um termo tão vulgar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/10


2020

Celso caminha com Fernando Bezerra em Olinda

Ao lado do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) e do deputado estadual Antônio Coelho (DEM), o candidato a prefeito de Olinda Celso Muniz (MDB) e sua vice, Patrícia Henry (MDB), realizaram, na noite de ontem, uma caminhada no Terminal de Passarinho. Vários candidatos a vereador também participaram do ato.

No percurso, Celso, Patrícia, Fernando e Antônio Coelho conversaram com os moradores sobre as propostas para o município, distribuíram panfletos e ouviram os problemas da comunidade. O senador Fernando Bezerra Coelho demonstrou confiança sobre eventual vitória de Celso Muniz em Olinda.

"Nessa caminhada sentimos a alegria, o acolhimento e o desejo das pessoas em viver dias de avanços e desenvolvimento através do trabalho de Celso. Com nosso apoio e a vontade do povo, dia 15 Olinda vai poder firmar compromisso com a mudança”, afirmou o senador, que disse que trabalhará em Brasília para novos projetos chegarem à Olinda.

Celso Muniz destacou a importância de ter o apoio do senador e do deputado Antonio Coelho na parceria para buscar projetos. Um deles é a construção do Hospital Municipal de Olinda. “Está no nosso plano de governo e com o apoio de Fernando no Senado Federal e de Antônio na Assembleia Legislativa, vamos ter condições de ter esse hospital, como também outros projetos na área de saúde que passam por um estudo de viabilidade na construção do Hospital da Mulher e do Hospital do Idoso”, disse. “Queremos uma saúde melhor para a população de Olinda e Fernando e Antônio estão afinados na construção desta mudança”, completou Celso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/10


2020

Priscila vai ao TCE barrar licitação de R$ 27 mi para ponte no Recife

A deputada estadual Priscila Krause (DEM) protocolou, ontem, no Tribunal de Contas do Estado (TCE), um pedido de cautelar solicitando a suspensão da concorrência, no âmbito da Prefeitura do Recife, para a contratação de serviços técnicos de engenharia em prol da execução das obras da ponte Monteiro-Iputinga.

Segundo a parlamentar, o termo de referência foi elaborado novamente sem estudos de viabilidade e impacto, fato que pode acarretar mais prejuízos em torno da intervenção. Iniciada em 2012, a obra foi julgada irregular pelo TCE. Uma auditoria especial concluída em 2018 já identificou prejuízo de pelo menos R$ 10,5 milhões na intervenção. Antes marcada para o próximo dia 28, a licitação foi adiada para 03 de dezembro.

Ainda de acordo com Priscila, "o pedido de cautelar discorre sobre irregularidades, por parte da gestão do prefeito Geraldo Julio (PSB), no que se refere aos aspectos urbanísticos, técnicos e jurídicos da nova licitação". A respeito da questão urbanística, Priscila registra que o novo projeto insiste em erro anterior. “A ponte não ligará nada a coisa nenhuma, pois a intervenção só planeja a construção da ponte em si e não dos acessos tanto do lado da Iputinga quanto do Monteiro. No âmbito técnico, o reconhecimento antecipado de que haverá aditivo ao contrato seria uma confissão de um novo entrave à vista", avalia.  

Priscila afirma que o novo edital não veio acompanhado do projeto executivo do sistema viário completo, que objetiva ligar a Avenida Mauricio de Nassau, na Iputinga, à Estrada do Encanamento, em Casa Forte. “Pode-se afirmar que a ponte não responde aos objetivos pelos quais se pretende executá-la sem considerar a sua integração com a cidade”, destaca. Para ela, "a nova ponte não terá acesso, nem serventia, e se transformará num grande 'portal-monumento' a ser erguido sobre o Rio Capibaribe". Trata-se de um desenho-remendo denominado Novo Projeto sobre um projeto básico original eivado de equívocos e omissões”.

A peça protocolada também questiona a demolição de parte da estrutura construída, prevista nesse novo projeto, sem que tenha havido a reparação dos danos financeiros aos cofres públicos por parte dos responsáveis pela obra irregular. “A análise da trajetória dessa obra remete ao Tribunal de Contas a decisão de suspensão de uma intervenção urbana tratada com irresponsabilidade, leviandade e descumprimento do ordenamento jurídico”, conclui Priscila.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/10


2020

Ibope em Maceió: Alfredo 24%, JHC 24% e Davi Filho 15%

Pesquisa Ibope divulgada pela TV Gazeta de Alagoas ontem aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para a Prefeitura de Maceió nas Eleições 2020:

  • Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB): 24%
  • JHC (PSB): 24%
  • Davi Davino Filho (Progressistas): 15%
  • Cícero Almeida (DC): 6%
  • Valéria Correia (PSOL): 3%
  • Josan Leite (Patriota): 2%
  • Ricardo Barbosa (PT): 2%
  • Lenilda Luna (UP): 1%
  • Corintho Campelo (PMN): 1%
  • Cícero Filho (PCdoB): 1%
  • Nenhum/branco/nulo: 10%
  • Não sabe/Não respondeu: 11%

Evolução

Em relação ao levantamento anterior do Ibope, de 9 de outubro:

  • Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) foi de 26% para 24%;
  • JHC (PSB) foi de 25% para 24%;
  • Davi Davino Filho (Progressistas) foi de 5% para 15%;
  • Cícero Almeida (DC) foi de 10% para 6%;
  • Valéria Correia (PSOL) foi de 2% para 3%;
  • Josan Leite (Patriota) foi de 2% para 2%;
  • Ricardo Barbosa (PT) foi de 2% para 2%;
  • Lenilda Luna (UP) foi de 3% para 1%;
  • Corintho Campelo (PMN) foi de 1% para 1%;
  • Cícero Filho (PCdoB) foi de 1% para 1%;
  • Os brancos e nulos foram de 14% para 10%;
  • Os indecisos foram de 8% para 11%.

Rejeição

A pesquisa também perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Os percentuais foram os seguintes:

  • Cícero Almeida (DC): 52%
  • Ricardo Barbosa (PT): 23%
  • Lenilda Luna (UP): 19%
  • Cícero Filho (PCdoB): 18%
  • Corintho Campelo (PMN): 18%
  • JHC (PSB): 16%
  • Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB): 16%
  • Valéria Correia (PSOL): 16%
  • Davi Davino Filho (Progressistas): 15%
  • Josan Leite (Patriota): 15%

Os entrevistados podiam apontar mais de uma resposta, por isso a soma dos fatores apontados é de mais de 100%

Pesquisa espontânea

O Ibope também tratou da intenção de votos espontânea, quando o eleitor diz em quem vai votar sem ter os nomes dos candidatos apresentados. Veja os resultados:

  • Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB): 20%
  • JHC (PSB): 17%
  • Davi Davino Filho (Progressistas): 10%
  • Cícero Almeida (DC): 2%
  • Josan Leite (Patriota): 2%
  • Ricardo Barbosa (PT): 2%
  • Valéria Correia (PSOL): 2%
  • Lenilda Luna (UP): 0%
  • Cícero Filho (PCdoB): 0%
  • Corintho Campelo (PMN): Não foi citado
  • Outros: 1%
  • Nenhum/branco/nulo: 12%
  • Não sabe/Não respondeu: 33%

A pesquisa foi encomendada pela TV Gazeta de Alagoas.

Sobre a pesquisa

Margem de erro: 4 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 504 eleitores da cidade de Maceió

Quando a pesquisa foi feita: de 21 a 22 de outubro

Número de identificação na Justiça Eleitoral: AL 0075/2020

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

*Informações extraídas do G1 AL


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/10


2020

Gilson se dispõe a abrir Embratur para órgãos de controle

O presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Gilson Machado Neto, se pronunciou hoje sobre uma matéria publicada, ontem, pelo portal O Antagonista, que abordava o processo de licitação da nova agência de publicidade contratada pelo órgão vinculado ao Ministério do Turismo. Em vídeo, ela informa que quer abrir os dados da Embratur para órgãos de controle e fiscalização.

Gilson Neto acredita, ainda, que o teor da publicação feita por O Antagonista carraga "preconceito" e o que chamou de "nordestinofobia" de parte da mídia. "Tenho muito orgulho de ser sanfoneiro e estar presidente da Embratur. Volto a dizer que nunca trocarei o ser pelo estar", complementa.

O presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Gilson Machado Neto, se pronunciou hoje sobre uma matéria publicada, ontem, pelo portal O Antagonista, que abordava o processo de licitação da nova agência de publicidade contratada pelo órgão vinculado ao Ministério do Turismo. Em vídeo, ela informa que quer abrir os dados da Embratur para órgãos de controle e fiscalização.

Por meio de nota, a Embratur também se pronunciou:

O processo licitatório emergencial para publicidade realizado pela Embratur, ocorreu dentro da legalidade e com total transparência. Vinte e sete empresas foram convidadas a participar da licitação, que teve seu valor estipulado em menos da metade dos certames realizados pelas gestões anteriores. Os investimentos a que se referem à licitação, aconteceram, por demanda, em campanhas publicitárias e ações de promoção do turismo interno, conforme preconiza a Lei 14.002/2020 que criou a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo. 

A Embratur se coloca à disposição dos órgãos controladores e fiscalizadores para que possam comprovar a lisura com a qual todo processo foi conduzido e reitera seu compromisso com a seriedade e transparência que permeiam todos os seus atos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O chefe é o insano de sempre, diz Roberto Freire. Bolsonaro é o arauto da morte. Dela se alimenta. Não importa se a vacina pode nos livrar da Covid. Para ele, quanto mais brasileiros doentes, com sequelas e mortos, melhor. Para ele, é política acima de tudo.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Quanta ignorância. Ele não tem de querer abrir dados para os Órgãos de Controle. A CGU tem autoridade de fiscalizar todas instituições federais sem autorização de seus gestores.



24/10


2020

Santos ruins, andor de barro

Difícil, se não quase surreal, tornar prática a tese da transferência automática de votos em eleições. O caso mais recente e explícito vem da cidade de Caruaru, maior colégio eleitoral do Interior de Pernambuco. O retrato dessa incontestável realidade se espelha no candidato do PSB a prefeito, Marcelo Gomes. Além de ser do partido oficial do poder, que controla o Estado e a Prefeitura do Recife, Marcelo é filho de políticos historicamente arraesistas, eduardistas e socialistas, o casal Jorge e Laura Gomes.

O pai foi vice-governador do mito Miguel Arraes, a mãe deputada estadual e secretária de Eduardo Campos. Marcelo é vereador e desistiu da reeleição para atender a uma convocação dos líderes dos dois principais grupos políticos de oposição à prefeita Raquel Lyra (PSDB), candidata à reeleição. Mas patina nas pesquisas, abaixo da margem de erro de 4,4 pontos percentuais para mais ou para menos.

Segundo a primeira pesquisa do Instituto Opinião, em parceria com este blog, divulgada ontem, Marcelo pontua apenas 2%. Cadê os votos fiéis de Zé Queiroz e Tony Gel? Não se trata de um apoio qualquer. Ambos foram prefeitos. Tony, duas vezes. Queiroz, quatro. Com aprovação popular, vale a ressalva enfática.

Só dá para inferir, portanto, que Raquel roubou ou sequestrou os eleitores de Queiroz e Tony. Ou então esses eleitores têm uma baixa taxa de fidelidade. São como folha seca, levada para onde o vento sopra. Nem uma coisa nem outra. Política não é uma ciência exata e ninguém tem o poder de soprar voto na direção que melhor convier.

Já se passou o tempo em que voto era tangido para a urna feito boi para o curral. Fui criado no interior vendo minha mãe, católica fervorosa, em procissões, seguindo imagens de santos carregadas em andores: um tablado de madeira com duas barras longas e paralelas uma de cada lado, que servem para apoiar o tablado sobre os ombros dos que carregam as imagens.

Isso era feito e ainda é com cuidado e calma, senão o santo pode escorregar, cair e quebrar, pois é feito de barro (louça ou cerâmica). Daí ter surgido a expressão "Devagar com o andor, que o santo é de barro", para contextualizar candidatos fracos. No caso de Caruaru, não é apenas o andor Marcelo que é moldado com o barro usado por Vitalino. Os santos Queiroz e Tony também são de barro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O chefe é o insano de sempre, diz Roberto Freire. Bolsonaro é o arauto da morte. Dela se alimenta. Não importa se a vacina pode nos livrar da Covid. Para ele, quanto mais brasileiros doentes, com sequelas e mortos, melhor. Para ele, é política acima de tudo.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Quem transfere votos são os influenciadores digitais e, ainda, os cabos eleitorais nas comunidades. Essa de políticos quererem aparecer com essa de transferir votos é para eles aparecerem como se tivesse forças no eleitorado. Até o Roberto Freire, que foi para São Paulo por não se eleger nem síndico no Recife, quer dá pitaco na eleição. As Redes Sociais e os Cabos Eleitorais são os grandes protagonistas das eleições municipais.



24/10


2020

O curioso comércio de Carnaíba

Por Sebastião Araújo, do Diario de Pernambuco

Quem pretende ir ao comércio de Carnaíba exatamente ao meio-dia e um minuto vai se sentir em algum país da Europa, como a Itália e Espanha, onde a população costuma tirar a famosa “sesta”. Ao meio-dia todas as lojas fecham, aqui e acolá alguma permanece aberta, mas a grande maioria só volta a abrir às 14h e algumas abrem apenas às 15h. Parece que você está num fuso horário diferente. Esse costume é até justificado no Sertão. Sob um calor de 37 graus – na sombra, como se diz -, não é de se admirar que lojistas e funcionários aproveitem esse intervalo para um bom banho e uma soneca, após o almoço. Esta é uma das curiosidades da cidade, que fica a 390 quilômetros do Recife, no Alto Sertão do Pajeú, e possui cerca de 20 mil habitantes.

Mas Carnaíba reserva outras peculiaridades, que chamam a atenção numa cidade do interior. Você vê lojas com placas na porta em português e inglês (fechado-closed, aberto-open) e uma delas se destaca das demais em todo o estado – e quiçá no mundo – por oferecer aos clientes e transeuntes um pequeno “bufê” na entrada. O serviço chama a atenção de quem passa pela Rua José Martins, no Centro da cidade. Uma mesa montada na porta principal da Casa Carvalho, a partir das 6h, oferece café, chá de boldo, biscoito, bolacha, rapadura e água gelada para quem quiser, do caminhoneiro ao aposentado, que dão uma paradinha por lá para se abastecer. Durante todo o dia não faltam nenhuma das comidas e bebidas. Entre café e chá são produzidos entre 15 e 20 litros diariamente.

A loja também oferece bancos, como se fosse numa praça, para os clientes sentarem e ainda disponibiliza quatro banheiros. A iniciativa é do proprietário André Pereira de Carvalho Filho, 42 anos, um católico fervoroso que vê nesse diferencial da sua loja, o fato de agradecer a Deus pelo sucesso nos negócios. “É gratificante poder servir e recompensar o cliente”, revela Andrezinho, como é conhecido. A loja vende do prego ao terço, passando pela ração animal e ainda atende o consumidor na própria residência. “Se ele precisa fazer uma chave ou tem um liquidificador com problema, vamos até lá atendê-lo”, conta o comerciante. “Este serviço não afeta em nada no meu orçamento”.

A matéria completa está disponível no portal do Diario de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/10


2020

Empresário baiano Flávio Luiz morre de Covid-19

O empresário, engenheiro civil e administrador de empresas baiano Flavio Luiz Ribeiro Silva morreu, ontem, vítima da Covid-19. Ele estava internado no Hospital Neurcárdio, em Petrolina, há alguns dias. Teve forte atuação na política de Juazeiro, na Bahia, onde chegou a ser candidato a prefeito e atuou como secretário municipal em várias administrações.

Flávio Luiz era um dos coordenadores de campanha da prefeiturável Suzana Ramos (PSDB), da coligação União por amor a Juazeiro. Uma carreata feita pela candidata foi encerrada imediatamente após a notícia. Em respeito ao momento, outros candidatos a prefeito suspenderam a agenda prevista para hoje.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/10


2020

Grupo promove corrida virtual para ajudar pacientes com câncer

Neste mês de outubro, dedicado à conscientização e prevenção do câncer de mama, o grupo arcoverdense Eu topo ajudar está promovendo uma corrida virtual para arrecadar fundos e ajudar pacientes diagnosticados com a doença e outros tipos de câncer. As inscrições vão até a próxima sexta-feira (30). Para participar, basta doar R$ 10 e um quilo de alimento não perecível.

Todos os participantes ganharão uma medalha e os 100 primeiros serão contemplados com uma caneta. As inscrições são feitas com voluntários do projeto. 

Confira os telefones para contato:

Simone Rocha Colchões - (87) 996339642

Simone Rocha Tecidos - (87) 996504939

Bruna (Pedra) - (87) 991171971

Sobre o grupo Eu topo ajudar

O grupo Eu topo ajudar foi fundado em maio de 2017 por Josiani Wanderley, Ani, que convidou amigas e amigos com o objetivo de ajudar pacientes oncológicos e seus familiares em diversas necessidades. Assim, uma casa foi alugada, mobiliada e as despesas pagas com a ajuda de voluntários, para que os acompanhantes dos pacientes pudessem ser acolhidos com amor, respeito, alimentação, banho e dormida de qualidade. 

A ação resultou na criação do Instituto de Apoio a Pacientes com Câncer Romualdo Oliveira, que luta para tirar do papel sua nova sede em terreno doado próximo ao Hospital Memorial, em uma localização que viabilizará ainda mais o acolhimento visto à proximidade do Memorial Onco. A assistência se estende aos pacientes domiciliares que são atendidos em necessidades diversas sempre a partir da mobilização dos voluntários que buscam soluções das mais variadas formas. 

O grupo não tem vinculação político partidária ou religiosa, bem como fins lucrativos. A filosofia é ajudar por um amor maior e estar presente nas situações de maior vulnerabilidade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/10


2020

“Fux fez justiça”, diz Carreiro sobre saída de Matuto

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

Em entrevista concedida ao titular deste blog, na noite de hoje, no programa Frente a Frente, da Rede Nordeste de Rádio, o prefeito em exercício de Paulista, Jorge Carreiro (PV), falou sobre seu retorno ao comando da Prefeitura. Pela manhã, o vice-prefeito foi empossado novamente como chefe do Executivo.

Para ele, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, “fez justiça”. “A Justiça está sendo colocada no devido lugar. Ela havia se posicionado e depois, numa medida monocrática do então presidente (do STF) Toffoli, fez com que Junior retornasse. Agora, o Supremo, através do presidente Fux, acolheu um agravo regimental nosso, bem fundamentado, decidindo pelo afastamento. Isso é Justiça”, declarou Carreiro ao jornalista Magno Martins.

Fux cassou uma decisão do ministro Dias Toffoli, que autorizou em agosto o retorno do prefeito Junior Matuto (PSB), afastado do cargo pela primeira vez no último mês de julho. A Justiça determinou sua saída da Prefeitura em decorrência das operações Chorume e Locatário, deflagradas pela Polícia Civil para investigar crimes de fraude em licitação, peculato e organização criminosa na administração pública e entre empresários.  

À época, Jorge Carreiro reclamou da medida, uma vez que Junior Matuto havia ingressado com uma ação no Superior Tribunal de Justiça, instância inferior ao STF que não chegou a apreciar a matéria. O prefeito em exercício chamou a decisão de Toffoli de “anomalia”. Eleito duas vezes vice-prefeito na chapa encabeçada por Junior Matuto, em 2012 e 2016, tornou-se um desafeto do gestor afastado.

Ainda na entrevista concedida ao Frente a Frente, ele comentou a declaração dada pelo antigo aliado ao titular deste blog sobre a corrida eleitoral em Paulista: Matuto afirmou que o candidato Francisco Padilha (PSB) derrotará o ex-prefeito Yves Ribeiro (MDB), apoiado por Jorge Carreiro, no pleito majoritário de Paulista. “É uma fantasia. O candidato Padilha, em que pese ter certas qualidades, carrega sob suas costas um governo reprovadíssimo, desarrumado. O melhor índice de intenção de voto que ele conseguiu até agora não chega a 9%. Ele está na terceira fila. Então isso não tinha chance alguma e muito menos agora”, disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/10


2020

Moneta se reúne com todas as representações religiosas

Dando continuidade à agenda de reuniões com os segmentos sociais, a candidata a prefeita de Abreu e Lima pelo PSB, Cristiane Moneta, se reuniu, na noite da última quarta-feira (22), com o segmento de religiosos. Intitulado de "Religiosos com Moneta", o encontro ocorreu na quadra do Colégio São José e reuniu líderes religiosos de diversas denominações da cidade.

Entre os presentes, os pastores Isaac Luiz (Assembleia de Deus Harmonia), Hugo Ribeiro (Ministério Elshady), Joas Clementino (Convenção Matinha), Marcelo Pereira (1ª Igreja Batista Abreu e Lima), Genesio Araújo (Comunidade Evangélica Crescendo em Vida) e Adilson Alves (Ministério Deus Faz), além do presbítero Venâncio Silva (IEADALPE), o evangelista Júnior Monteiro (IEADPE), o missionário Cleyton Vinícios (Igreja do Amor), o diácono Jaime (Matriz de São José), o Irmão João Prior (Comunidade Monástica) e o sacerdote de religião de matriz africana, Phellyppe Shanthyago.

Durante o evento, a candidata afirmou que pretende governar a cidade com o apoio dos movimentos sociais. "A gente não tá aqui pra discutir religião, a gente tá aqui pra somar esforços. Independente das nossas denominações religiosas, temos em comum querer o bem da cidade de Abreu e Lima", comentou.

O candidato a vice-prefeito na chapa de Moneta, o pastor Marcos Leite, do Republicanos, liderança do movimento religioso no município, também esteve no evento. “A cidade é das pessoas, e não de um grupo religioso. Vamos governar para o povo”, falou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/10


2020

MDB do Cabo fecha apoio a Keko do Armazém

EXCLUSIVO

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

Há pouco, o presidente do diretório municipal do MDB no Cabo de Santo Agostinho, José Arnaldo, confirmou que a legenda vai apoiar o vice-prefeito Keko do Armazém (foto), do PL, na corrida eleitoral pela Prefeitura. A decisão foi tomada após deliberações internas e entra em consonância com o que o ex-prefeito Elias Gomes, até então candidato emedebista, queria.

“Avançamos bastante na conversa com Keko e vamos marchar com ele. Cheguei a conversar com o PT e o PCdoB, mas seguimos em bloco, atendendo também o que Vado [vice da chapa de Elias] queria. Teremos uma reunião com Raul Henry [presidente estadual do MDB] na segunda-feira para reforçar a decisão”, disse Arnaldo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/10


2020

Bolsonaro, Doria e a guerra das vacinas

Por Arnaldo Santos*

Machado de Assis, um dos gênios da literatura brasileira, cunhou a seguinte frase: “[…] os adjetivos passam e os substantivos ficam”. Apesar de simples e direta, de tão repleta de significados, não só para a língua, essa frase não abre espaço para contestação ao pensamento machadiano. Monteiro Lobato nos ensinou que “[…] o adjetivo é escasso e sóbrio”, “deve ser usado com pão-durismo”. Sob o ponto de vista da escrita em linguagem culta, sobra claro que, na árdua tarefa da produção textual, mesmo em um simples artigo para jornal, há que se evitar os exageros no emprego dos adjetivos.

Com todas as vênias de duas das nossas maiores referências literárias, cada um a seu tempo e estilo, esse esforço de ser “pão-duro” no uso do adjetivo torna-se nulo, em vão, quando a personagem sobre a qual se escreve é um certo Presidente, de estilo “macunaímico”, dessas bandas dos trópicos, cercado de malfeitores por todos os lados, se o leitor me permite o uso desse eufemismo para designação de corruptos, adjetivo que foi corrompido; que sofreu corrupção, cujo conceito foi relativizado nesses tempos de “Brasil acima de tudo; meus filhos a cima de todos”.

Agindo como menino birrento, o que não constitui novidade, o presidente Jair Bolsonaro, respondendo indiretamente ao governador de São Paulo, João Doria (ambos sofrem da escassez de recursos mentais), no início da semana, surpreendeu o Brasil, e ao mundo (ele ainda consegue), com outra de suas declarações genocidas, quando afirmou que “[…] nenhum brasileiro será obrigado a tomar qualquer vacina contra o coronavírus”; e, com um sorriso irônico de canto de boca e em tom ameaçador, para o aplauso dos áulicos que compunham a audiência, arrematou: “[…] mesmo porque quem autoriza campanha de vacinação é o Ministério da Saúde, e quem aprova vacina é a ANVISA”. Disse o óbvio, e seria preocupante se não fosse assim! Depois da cloroquina, a guerra das vacinas.

Quando se examina o histórico do comportamento do Presidente, durante a pandemia, especialmente na fase mais aguda do processo de transmissibilidade da doença, suas últimas declarações não apenas ratificam sua atitude errática em relação à covid-19, como sugerem, se não a proibição do uso das vacinas, no mínimo desestimula a população, a se vacinar, e dar  indicações de que pode retardar propositadamente a aprovação das vacinas em fase de testes, pouco se importando com o agravamento da pandemia.

Imaginar que a motivação dessa atitude que adentra a irresponsabilidade, é por birra contra o governador João Dória, seu desafeto político, porque esse havia anunciado para janeiro o início da vacinação contra o coronavírus em seu Estado. Isto, além de muito trágico, é a prova de que o ocupante do Palácio do Planalto sofre de atrofia político-mental.

Registre-se o fato de que essa declaração de caráter eugenista representa uma grave ameaça à saúde de milhões de brasileiros e confirma, mais uma vez, seu desprezo pela vida humana, evidenciando que pode estar em curso um boicote aos esforços e estudos científicos, bem como aos bilionários investimentos financeiros que o mundo inteiro está fazendo, inclusive o Brasil, para produzir uma vacina, pois, a julgar pelas afirmações do Presidente, pelo menos no curto prazo, poderão ter sido em vão para o nosso País, se prevalecer essa sua mórbida vontade.

Tal atitude não surpreende só pela ignorância, pois de há muito se sabe que o Presidente ignora que é ignorante, mas, também pela ratificação do negacionismo à ciência, mesmo depois de todas as consequências produzidas pela pandemia, com centenas de milhares de mortes, e a pauperização, econômica e social, de significativo contingente da população.

Para provar que não estava blefando como de outras vezes, em menos de 24 horas, após o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciar a compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, do laboratório chinês, produzida pelo Instituto Butantã em São Paulo, o Presidente, se dizendo traído, sem citar por quem, determinou a suspensão da compra, desautorizando o seu Ministro, perante a Nação, e mais uma vez ratificou a sua intenção de não realizar qualquer campanha de vacinação em massa como era o esperado.

Ante essa ameaça à saúde pública, a comunidade científica brasileira, os partidos políticos, a CNBB e a sociedade civil, em geral, têm o dever de acionar à justiça contra essa ação do Governo e até  aos tribunais internacionais, para impedir esse boicote que o presidente Bolsonaro está promovendo contra a vacina, que, por extensão, significa sabotar a ciência, desperdiçar os recursos da Nação, e pôr em risco a saúde de todo o povo brasileiro.

Não é sem propósito lembrar que foi, desde a ascensão do mandarinato bolsonarista ao poder, que teve início uma ação criminosa de desacreditação das vacinas, corrompendo a histórica crença da população em sua eficácia, constituída com muito trabalho e pesquisas científicas, iniciada pelo médico Oswaldo Cruz, ainda no século XIX, e consolidada no século XX (saibam os ignorantes do governo que essa atitude é uma das piores modalidades de corrupção), repercutindo na diminuição da cobertura vacinal, fazendo recrudescer algumas doenças, como sarampo e catapora, que já haviam sido erradicadas no País.

 Por insuficiência cognitiva e interesses inconfessados, é como se o Presidente estivesse querendo reeditar a revolta das vacinas, ocorrida de 10 a 16 de agosto de 1904, no Rio de Janeiro, quando a população saiu às ruas para protestar contra a vacinação obrigatória para combater a varíola, durante o governo do Presidente Rodrigues Alves.

A propósito dessa negação à ciência e da tentativa de corromper a cultura de acreditação da população nas vacinas (para eles, corrupção se resume ao pagamento e recebimento de propina), nesse governo, o conceito de corrupção foi relativizado de tal maneira que vale citar alguns exemplos. O coronavírus, com toda sua letalidade, foi considerado apenas uma “gripezinha”, o que fez corromper em grande parcela da população a ideia da gravidade sobre a doença, provocando o descumprimento ainda vigente de não aglomeração e do uso de máscara, o que, com a retomada das atividades econômicas, cria as condições para possível segunda onda, como ocorrente na Europa.

Falam por si a prática das “rachadinhas”, as altas somas em depósito nas contas bancárias do Queiroz, da sua esposa e filhas, em tempos recentes; a produção e disseminação de fake news em massa, para manipulação das pessoas menos informadas - na vã tentativa de construir a falsa imagem de um governo de vestais;  a circulação de dinheiro em espécie sem comprovação de origem, entre pessoas da antessala do Gabinete Presidencial, e de “líderes” no Congresso.

 Para confirmar essas práticas nem um pouco lisonjeiras, a última novidade foi o lançamento, pelo senador Chico Rodrigues, de uma nova tecnologia para contar e guardar dinheiro, popularizada com o sugestivo nome de “nádegas-cofre”. Esses são apenas alguns exemplos contundentes da relativização da corrupção entre pessoas muito próximas do governo, e, como é consabido, algumas de dentro da casa do Presidente. Ainda assim, insistem em atentar contra a inteligência coletiva, quando afirmam combater a corrupção.

Em ditas circunstâncias, vale transcrever a definição genérica de corrupção editada pela Organização da Nações Unidas – ONU, que afirma: “[…] corrupção seria o abuso da função pública para ganho pessoal direto ou indireto – ganho indireto incluiria benefícios que alguém assegura indevidamente para a sua organização”.

E como dito por Machado de Assis, na frase com a qual início esse artigo, a corrupção é o substantivo que fica dessa realidade. Não é preciso dizer mais.

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha