FMO janeiro 2020

28/05


2020

Feitosa diz que se sente envergonhado

Nota oficial

“É triste e lamentável ler notícias que a Prefeitura da Cidade do Recife, hoje, vira alvo de investigações da Polícia Federal, principalmente por suspeita de má aplicação de recursos que deveriam salvar vidas e serem utilizados para o enfrentamento ao Covid-19 e a Pandemia que amedronta e parou o mundo. Como recifense e homem público, me sinto envergonhado e peço celeridade na apuração e total esclarecimento de todos os fatos”.

Alberto Feitosa – deputado estadual pelo PSC


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Wellington Antunes: Oxente!!!! Vivi pra ver bosoloides revoltados contra o combate às fake news é sem dúvida a maior confissão de culpa.


Prefeitura de Serra Talhada

Confira os últimos posts



09/07


2020

Decisão judicial revolta vereadores de Maraial

Uma decisão da juíza de direito Carolina de Almeida Pontes (Vara Única da Comarca de Maraial) cancelou, por dez dias, a posse do vice-prefeito de Maraial, Dr. Márcio, que ganhou o direito de assumir o cargo de prefeito, após a maioria dos vereadores cassar, na última sexta-feira, o mandato do atual gestor, Marquinhos Moura.

Os vereadores entenderam que Marquinhos Moura cometeu improbidade administrativa por não ter repassado os recursos obrigatórios – 15% para a área de saúde – e ter gastado R$ 1,3 milhão sem que as despesas tivessem sido empenhadas. Ele é filho do ex-prefeito Antônio Moura, que também foi afastado da função, em 1989, pela mesma Câmara.

O grupo formado por sete dos nove vereadores que decidiu pelo afastamento do prefeito está inconformado com a medida judicial. “O Poder Legislativo é soberano nessa questão. É incabível esse tipo de interferência. Fomos eleitos pelo povo e uma das nossas principais atribuições é fiscalizar o Executivo, e assim fizemos. A responsabilidade agora é da juíza”, destacou o vereador Carlos Alexandre.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

09/07


2020

Disputa acirrada em Olinda

Por Zeca Martins*

Exatamente uma semana atrás, a parceria entre a Potencial e o Blog do Magno se concretizava com a divulgação dos resultados da pesquisa sobre o cenário eleitoral 2020 em Jaboatão dos Guararapes, o segundo maior colégio eleitoral de Pernambuco.

Hoje, apresentamos para a população pernambucana, em especial para os olindenses, a avalição do panorama em Olinda, o município com o terceiro maior número de eleitores do estado. Nas duas cidades os gestores municipais buscam a reeleição, no entanto, de antemão, antecipamos que o quadro é diferente.

Em Jaboatão, o estudo realizado mostrou que o prefeito Anderson Ferreira conseguiu desenvolver uma gestão que deixou encaminhada a reeleição. Já em Olinda, os resultados indicam que a avaliação da administração do prefeito Professor Lupércio pode ser considerada boa (32% ótima ou boa e 26% regular), mas não encanta a ponto de consolidar uma diferença que lhe dê segurança para um segundo mandato.

Além do que, a pesquisa revela como principal adversário nessa corrida, o deputado estadual João Paulo, que tem no currículo a experiência muito bem sucedida de ter sido gestor da capital pernambucana por 8 anos consecutivos, e mesmo tendo anunciado que irá concorrer à eleição para prefeito de Olinda há pouco tempo, já abarca 21% da intenção de voto do eleitorado.

Os principais resultados da pesquisa que avalia o cenário eleitoral em Olinda, neste momento, indicam que a corrida para a sucessão da gestão municipal está aberta e caminha para um pleito em dois turnos. Os números das intenções de voto espontânea e estimulada corroboram esta tendência.

Em uma primeira abordagem, quando não são apresentados os nomes dos pré-candidatos, quase metade dos entrevistados (48%) diz não saber em quem votar, e mesmo quando são citados, 21% ainda diz não ter uma definição. Na avaliação estimulada, tanto o prefeito Professor Lupércio como o Deputado Estadual João Paulo, crescem 9 pontos percentuais em relação a espontânea, respectivamente, 25% para 34% e 12% para 21%. Para o ex-prefeito do Recife significa um crescimento de 3/4. Quando consideramos apenas os votos válidos, o prefeito fica com 41% da preferência contra 25% do deputado.

Mantendo a análise nos dois pré-candidatos com maior preferência entre os eleitores (os demais juntos somaram 7%), não existe diferença estatística entre os potenciais eleitorais de ambos, isto é, aqueles eleitores que votariam com certeza ou poderiam votar neles. Podemos considerar uma igualdade técnica por conta da margem amostral da pesquisa (4%). O potencial eleitoral do prefeito Lupércio é de 49% e do deputado João Paulo 45%. O mesmo acontece com o índice de rejeição, 47% (prefeito) e 42% (deputado).

Entre as esferas governamentais, os municípios são os que têm maior responsabilidade de lidar com o cenário local para prevenção à COVID-19. Neste sentido a pesquisa também avaliou as ações que os governos federal, estadual e municipal estão desenvolvendo no combate à doença. Para os eleitores olindenses a administração do Governador Paulo Câmara é a que tem a maior aprovação (52%), seguida pela do Prefeito Lupércio (46%). A administração do Presidente Jair Bolsonaro tem menor índice de aprovação com 30%.

A Potencial entrevistou por telefone 600 eleitores em 32 bairros / localidades de Olinda nas 10 regiões político-administrativas oficiais definidas pela prefeitura. É uma amostra significativa e representativa do universo pesquisado (eleitores), que nos permite uma interpretação com nível de confiança de 95% e margem amostral de 4 pontos percentuais.

Por fim, ao longo dos próximos dias vamos nos aprofundar ainda mais nos resultados e divulgaremos novas análises sobre esta disputa que promete ser acirrada, afinal o atual prefeito ainda tem tempo para trabalhar e mostrar o que vem fazendo e o deputado tem em seu currículo a experiência de uma excelente gestão à frente da capital pernambucana.

A pesquisa eleitoral de intenção de voto realizada em Olinda está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o n.º PE- 04565/2020 para o cargo de Prefeito para as eleições municipais de 2020 de acordo com a Resolução-TSE n.º 23.600/2019.

*Diretor da Potencial, professor universitário, estatístico filiado ao CONRE 5ª. Região sob o número 8707, filiado a ABCOP-Associação de Consultores Políticos, especialista em Marketing Eleitoral, especialista em Pesquisa de Opinião e de Mercado, pós-graduando em Data Science e Analytics pelo SENAI/CIMATEC.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

09/07


2020

Falece pai do deputado Fernando Monteiro

Faleceu, na noite de ontem, aos 69 anos, no Hospital Memorial São José, o empresário e engenheiro civil Luciano Fernandes de Albuquerque. Pai do deputado federal Fernando Monteiro (PP), Luciano foi gerente geral de Projetos Estratégicos do Complexo de Suape e superintendente regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Pernambuco. Ele estava internado há 76 dias, inicialmente por conta de complicações cardíacas e, em seguida, acometido pela Covid-19. Em função da pandemia, os atos fúnebres serão restritos à família.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

O fator político Zeca Cavalcanti

Por Edilson Xavier*

O ex-prefeito e ex-deputado Zeca Cavalcanti surgiu repentinamente na política, quando era liderado pelos depurados Inocêncio Lima e José Marcos e, graças a essas lideranças, se destacou na Diretoria Regional da VI Região de Saúde em Arcoverde. Nunca escondeu sua preferência pela disputa eleitoral, mesmo sendo médico por profissão. Vindo a disputar a eleição municipal de 2004, quando venceu Julião Guerra por 334 votos, cuja disputa foi permeada por incidentes eleitorais e teve o apoio da prefeita Rosa Barros e de segmentos importantes do empresariado local, que se empenharam em sua eleição ante a força popular de Julião.

Com forte ambição eleitoral na família, assim como os Guerra, cujos projetos familiares de poder duraram apenas oito anos. Antes de se reeleger, tratou de eleger seu irmão Júlio deputado estadual, com expressiva votação. Assim como Madalena lhe fez, pôs em prática o imediato rompimento em nível pessoal com Rosa Barros após se eleger com seu apoio, passando ambos a sofrer da síndrome da sucessão.

Zeca não tem o governo para lhe apoiar e encontra-se com insuficiência de apoio político, porque os “amigos” dos inúmeros cargos públicos lhe deram as costas. Queriam apenas os cargos, como é sabido. Para sair do isolamento, fez acordo com o ex-deputado Eduíno, que indicou seu filho Dudu, para vice.

Seu apoio à vice de Madalena foi seu mais grave e crasso erro, pois custou-lhe duas derrotas eleitorais sequenciais e cruciais para o seu projeto político. Agora, terá que enfrentar o governo municipal, cuja inimizade com a prefeita não padece de dúvida e pode lhe dificultar seu êxito eleitoral, além de se deparar com os dois candidatos, a vereadora mais votada, Cybele Roa e o “new face” na política, Delegado Israel Rubis.

Com o exercício nesses cargos públicos, Zeca pretende comprovar ainda que é uma expressiva liderança política, cuja candidatura é aguardada com muita expectativa em Arcoverde, pois irá enfrentar também o governo estadual. Zeca terá que demonstrar força e prestígio eleitoral, pois essa caminhada difere totalmente das demais, quando tinha o apoio explícito da Prefeitura, cuja presença em eleição constitui um grande diferencial.

Sem essa máquina, Zeca sofreu duas derrotas eleitorais, com exceção de 2014, quando se elegeu deputado federal com expressiva votação, fruto de uma boa administração, que à época estava ainda na memória do eleitor, que, entretanto, lhe deu as costas nas eleições seguintes.

*Advogado, ex-presidente da Câmara Municipal e da OAB de Arcoverde.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

09/07


2020

Mourão se reúne com investidores para falar da Amazônia

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e ministros do governo federal realizam, hoje, uma videoconferência com investidores estrangeiros para tratar da preservação do meio ambiente no Brasil.

Mourão comanda o Conselho da Amazônia e, conforme sua agenda, participam da conversa por vídeo os ministros Walter Souza Braga Netto (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura), Ricardo Sales (Meio Ambiente), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Fábio Faria (Comunicação), e Roberto Campos Neto (Banco Central).

Antes da videoconferência, o ministro Ricardo Salles afirmou que o governo brasileiro deseja apresentar aos investidores formas de apoiarem projetos que preservam a Amazônia.

“Vamos apresentar aos investidores mecanismos pelos quais eles possam ajudar efetivamente, tais como o Floresta+ que é o Pagamento Pelos Serviços Ambientais e também o Adote1Parque, que engloba a parceria para as 132 unidades de conservação na Amazônia”, disse.

Segundo a Vice-Presidência, a videoconferência conta com a participação de representantes dos seguintes fundos de investimentos:

  • Legal and General Investment Management – Reino Unido;
  • Nordea Asset Management – Suécia;
  • SEB Investment Management – Suécia;
  • Storebrand Asset Management – Noruega;
  • KLP – Noruega;
  • Robeco – Países Baixos;
  • AP2 Second Swedish National Pension Fund – Suécia;
  • Sumitomo Mitsui Trust Asset Management – Japão.

O governo brasileiro tenta melhorar sua imagem em relação à proteção da Amazônia e de povos indígenas diante de críticas e alertas que tem recebido de investidores, preocupados com temas como aumento do desmatamento e de queimadas na região.

Nesta semana, executivos de 38 grandes empresas brasileiras e estrangeiras enviaram uma carta a Mourão cobrando ações concretas de combate ao desmatamento no país, conforme noticiou o jornal "Valor Econômico".

Intitulado de "Comunicado do Setor Empresarial Brasileiro", o documento também foi assinado por quatro entidades setoriais do agronegócio, do mercado financeiro e da indústria.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

PCR tem 15 dias para corrigir falhas na transparência

O conselheiro Carlos Porto, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), enviou ofício ao prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), para que "sejam feitas as correções necessárias para sanear os achados do relatório de monitoramento, no prazo máximo de 15 dias, sob pena de expedição de medida cautelar desta Relatoria". A expedição do ofício decorreu de requerimento do Ministério Público de Contas (MPCO).

Foram listadas no relatório várias supostas irregularidades na transparência dos gastos com a covid-19 e também nos hospitais de campanha.

Segundo o relatório, em todos os hospitais de campanha, houve problemas na transparência dos gastos, pois não estariam sendo publicados documentos previstos como obrigatórios em resolução de 2019 do TCE. A falta de transparência, segundo o TCE, foi observada no Hospital da Mulher do Recife, na Unidade Pública de Atendimento Especializado (UPAE) Arruda, na Hospitais Provisórios do Recife (HPR) I, (Aurora), II (Coelhos), e III (Imbiribeira).

Além da falta de divulgação referente às contratações, a equipe de auditoria constatou a "falta de clareza no objeto de várias dispensas emergenciais da Covid-19, como a não publicação na íntegra dos contratos firmados, além disso a prefeitura não está divulgando as quantidades dos objetos contratados ou adquiridos para o enfrentamento da covid-19".

Segundo o ofício do conselheiro Carlos Porto, o próprio relator, auditores do TCE, o Ministério Público Federal e o MPCO já tinham enviado recomendações à Prefeitura para correção das irregularidades. Ministério Público Federal e MPCO enviaram uma recomendação em 4 de maio. O TCE e o MPCO mandaram outra recomendação conjunta em 15 de maio. Segundo Carlos Porto, as orientações anteriores não foram atendidas pela Prefeitura.

Além de fixar o prazo de 15 dias, para correção das supostas irregularidades nos gastos da covid-19, Carlos Porto requisitou que em 20 dias seja enviado pela Prefeitura ao TCE um relatório detalhado, comprovando a correção das supostas irregularidades.

Segundo o TCE, foi formalizado um processo de auditoria especial para "apurar e indicar as responsabilidades individuais dos agentes públicos que desobedeceram a legislação, as resoluções, recomendações e alertas citados".

Carlos Porto destacou que "o não cumprimento do alerta poderá causar eventuais responsabilizações, pessoais e de forma solidária, inclusive nas contas de governo de 2020".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

Câmara ajusta projeto das fake news

A Câmara dos Deputados ajusta o texto do projeto de lei que trata de fake news e prevê debates para as próximas duas semanas sobre o tema. Depois, o texto será votado pelo plenário.

Procurado pelo blog da Andréia Sadi, hoje, Rodrigo Maia disse que grupos de parlamentares têm discutido alterações no texto aprovado no Senado – em conjunto com senadores, para evitar atritos.

Para Maia, se o texto for vetado pelo presidente Bolsonaro – como Bolsonaro já sinalizou que pode fazer – os vetos serão derrubados pelo Congresso.

No domingo, durante debate na GloboNews, Maia havia dito que a matéria precisa ser construída nas duas Casas, “já que possivelmente haverá veto do presidente”. “Importante que a gente garanta uma maioria absoluta nas duas Casas para, quando a matéria voltar, a gente possa derrubar esses vetos. É uma matéria decisiva”.

No dia 30, o Senado aprovou o projeto com medidas relacionadas à disseminação de conteúdo falso na internet, as chamadas “fake news”. Defensores dizem que texto combate fake news; para críticos, pode gerar censura na internet.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

Câmara aprova reembolso de passagens aéreas

A Câmara dos Deputados aprovou a MP 925/20, que trata sobre a remarcação de passagens aéreas durante a pandemia do novo coronavírus. O relator da MP acatou a emenda do deputado federal Eduardo da Fonte (PP/PE) que obriga companhias aéreas que cancelarem voos a reembolsarem os clientes e a suspenderem a cobrança de parcelas das passagens compradas via cartão de crédito.

“Garantimos o direito do consumidor de receber o dinheiro de volta de um serviço que não foi prestado e, mais do que isso, em compras parceladas, não pagar o que ainda falta. A companhia aérea fica responsável por cancelar a cobrança das demais parcelas caso a passagem tenha sido comprada a prazo. E isso deve ser feito sem burocracia.”, explicou Eduardo da Fonte.

Para começar a valer, o texto precisa ser aprovado no Senado e sancionado pelo presidente da República.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jovelina Maria de Brito

pobre país que precisa de uma lei pra que fornecedor reembolse cidadão por serviço não prestado principalmente em situação de calamidade. E, pior, com um corrupto do nível desse dudu da fonte.....alguma coisa ele tá ganhando.....



09/07


2020

Políticos e amigos lamentam morte de dona Do Carmo

Confira abaixo algumas notas de pesar enviadas por políticos, amigos e admiradores de dona Do Carmo, falecida na manhã de hoje, vítima de um câncer, aos 94 anos.

“Foi com muito pesar que recebi a notícia do falecimento de Dona do Carmo. Filha do ex-governador Agamenon Magalhães, ela era uma mulher de muita fibra que acompanhou desde muito cedo a política de Pernambuco e do Brasil, sobretudo ao lado do seu esposo, o saudoso ex-ministro Armando Monteiro Filho. Quero neste momento me solidarizar com seus filhos Eduardo Monteiro, Lectícia Cavalcanti, Sérgio, Horácio, o ex-senador Armando Monteiro Neto e todos os familiares e amigos de Dona do Carmo”. – Paulo Câmara, governador de Pernambuco.

"É com profundo pesar que lamentamos o desaparecimento de dona Maria do Carmo Monteiro. Uma mulher de fibra, que nos deixa muitas lições de companheirismo, de defesa de causas sociais, humanidade. Prestamos nossa solidariedade aos familiares, em nome dos seus filhos Eduardo e Armando Monteiro, e amigos neste momento de perda e de dor, a quem deixamos um fraterno abraço. Que Deus a guarde no merecido lugar especial e conforte a todos”. – Danilo Cabral, deputado federal pelo PSB.

“Foi com muita tristeza que recebi a notícia do falecimento de Dona Maria do Carmo Monteiro. Uma pessoa amada e admirada por todos. Além de uma grande mãe, esposa e avó, ela era amiga dos amigos. Ao lado do ex-ministro Armando Filho, escreveu uma bela história de amor, marcada por presteza e solidariedade. Não tenho dúvidas que Dona do Carmo vai deixar saudades no coração de todos nós. Em nome dos amigos Armando Monteiro e Eduardo Monteiro, nossa solidariedade a toda família e aos amigos”. – Silvio Costa Filho, deputado federal pelo Republicanos.

“Pernambuco perde hoje uma mulher que faz parte da história política do Estado. Além de ser filha do ex-governador Agamenon Magalhães, Dona do Carmo sempre atuou com o ex-ministro Armando Monteiro Filho em defesa das causas sociais e com ele formou uma bela família. Me solidarizo com seus filhos, família e amigos”. – Anderson Ferreira, prefeito do Jaboatão dos Guararapes.

“Lamento profundamente o falecimento de dona Maria do Carmo Queiroz Monteiro. Mulher muito respeitada em Pernambuco por sua trajetória em defesa de causas sociais e por sua personalidade generosa. Compartilho meus sentimentos de pesar e solidariedade à família Queiroz Monteiro, em especial, aos filhos de dona do Carmo, Armando, Eduardo, Horácio, Lectícia e Sérgio”. – Miguel Coelho, prefeito de Petrolina.

“Foi com muita tristeza e pesar que recebemos a notícia da morte de D. Maria do Carmo Monteiro, aos 94 anos, mãe do ex-ministro Armando Monteiro Neto. Uma mulher forte, grande matriarca e atenta às causas sociais. Meus sinceros sentimentos ao amigo Armando Monteiro, e aos demais filhos Eduardo, Letícia, Sérgio e Horácio. Que Deus console a todos os familiares e amigos, diante da tristeza por tão grande perda”. – Izaías Régis, prefeito de Garanhuns.

"D. do Carmo Monteiro exerceu com elegância e equilíbrio, durante toda a sua vida, ao lado de Armando Monteiro Filho, a construção de uma família honrada e de marcante presença em segmentos da política e da economia de Pernambuco. Filha do ex-governador Agamenon Magalhães, destacou-se no trabalho social e foi referência pela forma gentil e solidária com que se relacionava com todos. Deixo consignado sentimentos aos seus filhos, Eduardo, Maria Letícia, Horácio e Armando Neto, que souberam estender as virtudes que receberam dos pais ao cotidiano de suas próprias vidas". – Jarbas Vasconcelos, senador da República pelo MDB.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

Detentos fogem de penitenciária em Limoeiro

Detentos fugiram da Penitenciária Doutor Ênio Pessoa Guerra, em Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, a cerca de 80 quilômetros do Recife, hoje. Segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), a fuga aconteceu por volta das 4h, após explosão de um dos muros da unidade prisional.

Por telefone, o secretário de Justiça, Pedro Eurico, afirmou ao Portal G1/PE que "pelo menos 20 detentos" conseguiram fugir. A Seres informou que realiza, neste momento, uma contagem para saber quantos e quais presos fugiram do local. Informações iniciais apontam que, entre os fugitivos, estaria um homem suspeito de envolvimento em diversos assaltos a banco.

A capacidade original da penitenciária é de 550 detentos, mas contava, antes da fuga, com 1971 presos, apontou Pedro Eurico. Tropas especiais da Polícia Militar foram acionadas para auxiliar na recaptura.

Moradores da cidade relataram que os bandidos jogaram grampos na estrada de acesso ao município. Nesta manhã, uma banana de dinamite foi localizada no entorno do presídio, afirmou o secretário, e uma equipe especializada foi acionada para fazer a retirada do explosivo.

Por volta das 8h, um tapume foi colocado no local onde o buraco foi aberto por explosivos. Os grampos foram retirados da estrada. A Seres afirmou que uma sindicância administrativa será aberta para apurar as circunstâncias em que o caso ocorreu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Pádua

Vamos lembrar que os detentos em Pernambuco, tem uma linha direta com o celular do secretário !



09/07


2020

Um teletorcedor na pós-pandemia

Por Antonio Magalhães*

Como militante da teletorcida do futebol, que tem no replay sua melhor jogada, fico pensando no gol que o coronavírus fez no futebol – nacional e internacional – furando a rede e detonando os clubes já quase falidos. Mas com o alívio da pandemia mais perto do que longe, essa é a expectativa, é também a hora de pensar nos nossos times e como mantê-los vivos sem auxílio de respiradores metafóricos.

Acompanho de longe os clubes de futebol de Pernambuco e vejo que eles estão tomando algumas iniciativas para suprir o caixa vazio. Vendas de camisas, antecipação de ingressos para os jogos e outras ações de pequena monta. A venda de camisetas e broches não deu certo no PT, por isso, para se viabilizarem, partiram para cima dos cofres robustos das estatais. E deu no que deu.

Parece-me que pode haver mais uma opção, talvez tenha sido pensada já pelos clubes. Recentemente uma decisão do Governo Federal liberou os sorteios nas emissoras de TV Aberta. A Rede TV já partiu na frente e está sorteando carros e outras coisas. E por que os clubes não fecham um contrato com as emissoras dispostas a sortearem brindes de monta com o escudo do time?

Por exemplo, um determinado clube fecha com a emissora para sortear 12 carros, um por mês, com a marca do time. Os torcedores desse clube dariam seu dinheiro com prazer na expectativa de ser premiado. Melhor do que a massa de torcedores só contribuir a fundo perdido. E nem ter a certeza de que seu clube de coração vai ganhar os jogos.

O futebol é o segmento esportivo no qual só se conversa sobre milhões de reais. Será que o plantel corresponde ao investimento do clube, ganhando jogos e fazendo gols. Não existem formas de contratos indexados à produtividade. Jogou bem, ganha mais. Agora ter uma série de encostados com salários de presidente das empresas privadas não vai levar clube algum ao paraíso das finanças organizadas.

Outra coisa para capitalizar o clube e agregar torcedores de bem é um leilão de bons momentos com os jogadores – coisa de família. Qual torcedor de verdade e sério não gostaria de levar seus ídolos para um jantar ou um almoço em casa? Passar um tempo batendo papo com famosos cheios de histórias para contar. O custo para o jogador seria zero. Ele ganharia a estima permanente da torcida e o clube faturaria no leilão uns trocados a mais, retribuindo o investimento do torcedor. Não existe almoço grátis.

Outra coisa que me passou pela cabeça foi a possibilidade dos clubes com grande torcida ou média – como o Náutico, meu time – de criar uma cooperativa de crédito para fazer operações financeiras diretamente com os torcedores, respeitando claro a legislação bancária. Há muitos anos tive notícia – não sei se existe mais – que o Barcelona tinha um banco para atender sua torcida dentro do sistema bancário.

Não sei se cabem essas sugestões de um mero teletorcedor, que tem fé no replay, mas os clubes locais e nacionais têm que procurar soluções alternativas para arrecadar recursos agora e mais adiante. O atual sistema de cotas de TV, direito de arena, cotas para jogadores, não avançou em nada para melhorar as finanças dos clubes. Quando tudo que se faz não dá certo porque insistir no erro? Pode ser a hora de mudar. Os clubes têm entre seus associados mentes brilhantes de administradores, homens de finanças, craques do marketing. Ponham a cabeça para criar. É isso. (Da revista Torcida Digital – junho 2020)

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

A dama de ouro da política pernambucana

Quando alguém amado morria, lá na minha drumoniana Afogados da Ingazeira, que conservo a foto preta & branco na parede da memória de doces recordações, embalada pelo Riacho do Navio, de Luiz Gonzaga, minha mãe dizia que Deus nunca deveria chamar os bons, mas eternizá-los. Dona Maria do Carmo, 94 anos, vencida por um câncer hoje de madrugada, se insere nessa ilustre galeria da sonora queixa de mãe Dó ao Deus poderoso.

Mas ninguém vem ao mundo para semente e nem Dona Do Carmo, embora fizesse jus ao choro de mamãe, certamente não queria essa exceção. Meus amigos Armando Monteiro Neto, ex-senador, e Eduardo Monteiro, diretor-presidente do Grupo EQM, no qual trabalhei e ajudei a fundar a Folha de Pernambuco, perderam a mãe. Eu perdi uma amiga, uma leitora atenta, fiel e crítica, de grandes e emocionantes histórias do pai Agamenon Magalhães e do marido Armando Monteiro Filho.

Nunca conheci alguém tão fina e refinada, de educação alicerçada numa das mais respeitadas escolas do País, o Sacré-Coeur de Marie, no Rio de Janeiro, onde viveu parte da adolescência. Ali, o pai cumpria o ofício de ministro do Trabalho no Governo Vargas. Brasília ainda não estava nem na cabeça privilegiada de Niemeyer, a capital política e administrativa era o Rio, que continua lindo. Dona Do Carmo nasceu, portanto, em berço político, viveu a efervescência da era Getúlio Vargas, que deu cabo a vida com um tiro no coração.

Deputado federal, a atuação de Agamenon Magalhães na Constituinte de 1933 foi pautada na defesa do regime parlamentarista, na qual não teve apoio nem do Governo nem dos demais parlamentares. Apesar disso, em 1934, foi convidado pelo presidente Getúlio Vargas para a pasta do Trabalho, Indústria e Comércio. Quis o destino que o amor da vida de sua filha amada, meu saudoso amigo Armando Monteiro Filho, também ex-ministro, mas de Jango, ex-deputado federal, nascesse também na circunscrição da política e do poder.

Convocado para os debates celestiais em janeiro de 2018, dois anos antes de Deus também recrutar Dona Do Carmo, Armando Monteiro Filho respirava política 24 horas. Participou ativamente da política estudantil, tendo sido eleito deputado estadual em 1950, pelo PSD. Não conseguiu assumir devido ao parentesco com o então governador Agamenon Magalhães, seu sogro. Em 1954, foi eleito o deputado federal mais votado de Pernambuco. Foi ministro da agricultura no Governo de João Goulart, de 8 de setembro de 1961 a 26 de junho de 1962, nomeado pelo então primeiro-ministro Tancredo Neves.

Em 1962, foi candidato ao Governo de Pernambuco, derrotado por Miguel Arraes. Durante a ditadura foi filiado ao MDB, tendo depois se transferido para o PDT, virando um brizolista convicto. Voltou a concorrer na política em 1994, e como candidato ao Senado foi derrotado. Armando e Do Carmo viveram os segredos republicanos de João Goulart e os da província de Agamenon.

Isolado do mundo pela pandemia, soube, ontem, ao final da tarde, do quadro de saúde irreversível da dama de ouro da política pernambucana com P maiúsculo. Imediatamente, recordei o último beijo que dei na sua face perfumada. Foi na missa sétimo dia da mãe do presidente do Tribunal de Contas da União, o igualmente Monteiro, José Múcio, na primeira semana de janeiro passado.

Eu ainda escrevia a coluna política da Folha, ela me abraçou e disse: “Sou sua leitora fiel e inseparável. Gosto de tudo que você escreve e concordo com quase tudo”. Dei uma gargalhada e pedi a gentileza dela para o registro desta foto que ilustra esse texto carregado de muita emoção e saudade.

A dor que Armando e Eduardo, como filhos, sofrem neste momento já arrancou um pedaço do meu coração também, quando Deus chamou minha mãe Dó, há sete anos. A dor é muito cruel, porque vira tristeza, vira saudade e saudade fica guardada no coração. As lágrimas que caem arrastam o último sorriso por mais impregnado que tenha ficado. O único consolo é a certeza de que a saudade eterniza a presença de quem se foi.

Mulheres como Dona Do Carmo servem de espelho aos homens por possuírem o poder mágico e delicioso de refletirem uma imagem do homem duas vezes maior que o natural. Dona Do Carmo tem razão para dizer como Coralina. Foi mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores. No seu caixão poderia ficar escrito: “Nasci em tempos rudes. Aceitei contradições, lutas e pedras como lições de vida e delas me sirvo. Aprendi a viver”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

Morre dona Do Carmo, mãe de Armando e Eduardo

Morreu, há pouco, no Recife, dona Maria do Carmo Monteiro, 94 anos, viúva do ex-ministro Armando Monteiro Filho. Mãe do ex-senador Armando Monteiro Neto e do empresário Eduardo Monteiro, Do Carmo, assim tratada, era filha do ex-governador Agamenon Magalhães. Perdeu a batalha para um câncer recentemente identificado. Mulher de fino trato, engajou-se em muitas causas sociais ao lado do marido, tendo sido uma das criadoras da Casa do Candango, em Brasília, na década de 60. Já o empresário Luciano Monteiro, pai do deputado federal Fernando Monteiro, perdeu a vida ontem aumentando as estatísticas da Covid-19. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/07


2020

João Paulo ameaça reeleição de Lupércio

Se as eleições para prefeito de Olinda fossem hoje, a disputa se daria num segundo turno entre o prefeito Lupércio (SD) e o ex-prefeito do Recife, deputado estadual João Paulo (PCdoB). É o que aponta a pesquisa do Instituto Potencial feita com exclusividade para este blog. Lupércio aparece na dianteira com 34% das intenções de voto, mas João Paulo vem em segundo com um percentual considerável, de 21%. Antônio Campos (PRTB), que disputou a eleição passada indo ao segundo turno com Lupércio, pontua 2%, mesmo percentual de Pedro Mendes (PSB) e Gustavo Rosas (PROS). Presidente da Câmara, o vereador Jorge Pontual (PSL) tem apenas 1%.

Armando Sérgio, do Avante, Celso Muniz, do MDB, e Júnior Lenine, do Psol, não pontuaram. Brancos e nulos somam 17% e 21% disseram não quiseram responder ou afirmaram não saber responder. Na sondagem espontânea, na qual o entrevistado tem que informar o candidato da sua preferência sem o auxílio da lista com todos os nomes dos candidatos, o prefeito também lidera, mas cai para 25%, enquanto João Paulo vem em segundo com 12%. Antônio Campos, Gustavo Rosas e Pedro Mendes foram citados por 1%. Dos entrevistados, 48% disseram que não sabiam responder ou se recusaram a responder, enquanto 13% disseram que anulariam o voto.

Foram ouvidos por telefone 600 eleitores de Olinda entre os dias 4 e 8 deste mês. A margem de erro é de 4% para mais ou para menos, com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o protocolo de número 04565/2020. A metodologia adotada foi a de pesquisa quantitativa, com entrevistas pessoais telefônicas junto aos eleitores com 16 anos ou mais, conduzidas mediante aplicação de questionário estruturado, elaborado especificamente para este estudo. A amostra foi segmentada por cotas de sexo e faixa etária baseada nas informações do TSE - TRE/PE, de forma representativa do universo em estudo (eleitores de Olinda), num total de 600 entrevistas, distribuídas proporcionalmente pelas Regiões Político-Administrativas definidas oficialmente pela prefeitura.

No quesito rejeição, Antônio Campos aparece na dianteira. Dos 600 entrevistados, 58% disseram que não votariam nele de jeito nenhum. Em segundo lugar aparecem empatados o prefeito Lupércio, Jorge Federal e Armando Sérgio, com 47%. Por ordem, dão sequência João Paulo, com 42%, Pedro Mendes, com 38% e Gustavo Rosas, com 36%.  O menos rejeitado é Celso Muniz, com 31% e Lenine, com 32%.

A pesquisa testou também o nível de conhecimento dos candidatos perante o eleitorado de Olinda. Apenas 2% disseram não ter conhecimento que o prefeito é Lupércio, enquanto João Paulo é desconhecido por 10%. Os mais desconhecidos pelo eleitorado são, pela ordem, Celso Muniz e Lenine, com 64%, seguidos de Gustavo Rosas, com 57%, e Pedro Mendes, 56%. Entre os entrevistados, 48% disseram não conhecer Armando e 43% Jorge Federal.

Sobre o interesse do eleitor com o pleito, 74% disseram que querem votar nas eleições deste ano, 14% afirmaram que não e 12% não souberam responder.  A pesquisa foi realizada nas seguintes zonas: Alto da Bondade, Alto do Sol Nascente, Caixa D'Água , Passarinho, São Benedito, RPA 2 Águas Compridas, Aguazinha, Sapucaia, Alto da Conquista, RPA 3 Peixinhos, Sítio Novo, Salgadinho, RPA 4 Jardim Brasil, Vila Popular, RPA 5 Ouro Preto, RPA 6 Alta da Nação, Bultrins, Fragoso, Jardim Fragoso, RPA 7 Bairro Novo, Casa Caiada, Jardim Atlântico, RPA 8 Guadalupe, Varadouro, Bonsucesso, Monte, Amaro Branco, Santa Tereza, Amparo, RPA 9 Tabajara, Rural e RPA 10 Rio Doce.

GESTÕES

O Potencial também sondou por telefone os entrevistados sobre o nível de satisfação das administrações municipal, estadual e federal. Entre os níveis, o Governo Paulo Câmara é o mais aprovado, com 52% de ótimo e bom e 43% de desaprovação. Já a gestão do prefeito Lupércio é aprovada por 46% e rejeitada por iguais 46%, enquanto o Governo Bolsonaro é reprovado por 68% dos entrevistados e aprovado por apenas 30%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Esse Antônio Campos quer ser prefeito sem votos, e ele muito chato, não suporto esse cidadão.

Várias Comunicações

Sobre o comentário, refiro-me ao Dr.Antônio Campos, hoje, presidente da Fundaj.

Várias Comunicações

Caro Magno, com a máxima vênia, não querendo me opor ao resultado da pesquisa, mas, como um candidato que já teve 14% das intenções de votos nas pesquisas anteriores no seu respeitado blog, hoje, pontua apenas 2% após ter chegado em 1° no primeiro turno das eleições passadas? Eu não consigo entender essa intenção flutuante do eleitorado. Abraços - Cavani - DRT4422



08/07


2020

Sai à meia noite pesquisa para prefeito de Olinda

Exatamente à meia noite, para cumprir o prazo legal do TSE, este blog divulga a primeira pesquisa do Instituto Potencial para prefeito de Olinda. Aponta também a avaliação do prefeito Lupércio e das gestões Paulo Câmara e Bolsonaro. Olinda certamente vai dormir mais tarde hoje.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores