FMO

15/11


2019

Bolsonaro: DPVAT foi extinto por MP, que pode caducar

 

Da IstoÉ - Por Estadão Conteúdo

 

Em transmissão semanal ao vivo no Facebook, o presidente da República, Jair Bolsonaro, abordou também a extinção do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT). O presidente ressaltou que o DPVAT foi extinto por medida provisória, que pode caducar ou ser rejeitada no Congresso, e o seguro voltar a valer.

“Quem quiser fazer um seguro pode procurar a seguradora; tudo o que é obrigatório não é bom”, ressaltou, ao lado do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, que citou a seguradora do banco como uma opção.

A decisão de Bolsonaro de extinguir o DPVAT atingirá em cheio os negócios do presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE). Desafeto do presidente da República, Bivar é o controlador e presidente do conselho de administração da seguradora Excelsior, uma das credenciadas pelo governo para cobertura do seguro DPVAT.

PSL

A desfiliação do presidente Jair Bolsonaro do PSL será nos próximos dias. O anúncio foi feito pelo próprio presidente na transmissão semanal ao vivo no Facebook. Bolsonaro afirmou, no entanto, que a separação é “amigável” e chegou a agradecer “todo o apoio e consideração” que teve “até o momento” no partido. Ele ainda desejou “boa sorte” a Bivar.

“Lançamos aqui, não de forma oficial ainda, o novo partido Aliança pelo Brasil. Está em estudo ainda. A única certeza é que me desfilio nos próximos dias do PSL”, disse Bolsonaro. “Cada um segue o seu destino, como uma separação. Infelizmente, acontece na vida da gente; já me separei uma vez, estou no segundo casamento”, afirmou. “Vão ser felizes, todo mundo”, disse.

Imprensa

Bolsonaro reclamou também da imprensa. “A imprensa está dizendo que vai ser o nono partido do Bolsonaro. Olha a má-fé! Que fosse o trigésimo partido”, declarou. Mas, afirmou, não se pode considerar fusão de partido como mudança de legenda. Ele disse que, por esse critério, passou por cinco siglas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

Confira os últimos posts



05/12


2019

Os bastidores da unção de Cintra à Sudene

“Pessoa de nossa confiança, preparada, com reputação ilibada”. Assim, os deputados federais Fernando Rodolfo (PL) e André Ferreira (PSC) justificaram aos ministros da Casa Civil, Onyx  Lorenzoni, e do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, em dois ofícios, datados de 14 de maio, a indicação do empresário e ex-senador Douglas Cintra à superintendência da Sudene.

Complementaram o texto do ofício com um breve currículo de Cintra. Entregues os ofícios, Rodolfo foi ao gabinete de FBC solicitar que, como líder do Governo no Senado e como próximo de vários ministros, tocasse as negociações para a escolha de Cintra, que demorou sete meses para ser concretizada.  

Atuando ambos em Caruaru, Rodolfo e Cintra se aproximaram na campanha do radialista a deputado federal, considerada por muitos um delírio, mas que resultou no gabinete 481 do Anexo III da Câmara, obtido com quase 53 mil votos. 

Não apenas a coincidência geográfica juntou os dois, mas também as afinidades políticas. Cintra, como colaborador e um dos coordenadores da campanha de Armando Monteiro em 2018, e Rodolfo e André Ferreira como candidatos, os três integraram a frente de oposição à reeleição de Paulo Câmara.

Amigo de Armando e seu suplente no Senado, Cintra substituiu o petebista em duas ocasiões – quando Armando saiu candidato ao Governo do Estado pela primeira vez, em 2014, e depois, num período mais longo, quando nomeado ministro de Dilma Rousseff. 

Discreto, afável, mas eficiente e ativo, com 72 relatorias e autoria de sete projetos de lei nas duas passagens pelo Senado, o próspero empresário caruaruense, de 53 anos, dono de supermercados e de um centro atacadista com vasta clientela no Nordeste, fez amigos na Casa Alta e conviveu com os intrigados jogos do poder em Brasília. 

Ficou tão familiarizado com a Esplanada dos Ministérios que, em mais de uma ocasião, depois do pleito de 2018, já ex-senador, conduziu debaixo do braço Fernando Rodolfo recém-eleito, então um neófito total na política, a alguns gabinetes ministeriais na Capital Federal, para o correligionário ir se adaptando às peculiaridades brasilienses.

Extinta em 2001, no Governo FHC, recriada em 2007, a Sudene, mesmo muito longe do vigor de outrora, ainda é uma instituição estratégica no processo de desenvolvimento do Nordeste, como agente de articulação e de cooperação. 

É a Sudene, por exemplo, quem aprova o orçamento, as diretrizes e prioridades anuais do FNE, o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, operado pelo Banco do Nordeste, que está aplicando, este ano, R$ 23,7 bilhões na região.

Prega um versículo bíblico que quem planta, colhe. Douglas Cintra vai começar a encher seu balaio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Paulista

05/12


2019

Cientistas debatem construção de usina no nuclear

A Academia Pernambucana de Ciências (APC), com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco (SECTI), promove, amanhã, das 9h as 13h, no Espaço Ciência, um debate sobre os prós e contras da possibilidade de instalação de uma usina nuclear em Itacuruba, no Sertão do Estado.

As palestras serão encabeçadas pelo ex-ministro de Ciência e Tecnologia do Brasil e professor de Física da UFPE Sérgio Rezende; a professora da UPE, Vânia Fialho; o professor aposentado da UFPE Heitor Scalambrini; e o conselheiro da Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Atividades Nucleares, Carlos Henrique da Costa Mariz. O evento é aberto ao público.

Com a atribuição de ouvir a comunidade científica, o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Aluísio Lessa, destacou que o evento é importante para aprofundar a discussão sobre o tema de maneira concreta. “Os cientistas são profundos conhecedores em condições de dar um contexto mais técnico sobre esta possibilidade. É essencial que a academia esteja envolvida e opine antes de qualquer tomada de decisão por parte do Poder Público”, comentou.

Na ótica do presidente da APC, José Aleixo, o debate vai trazer conhecimento científico ao tema e oferecer esclarecimento para a população. “Temos observado os fatos sobre a possibilidade de instalação de uma usina nuclear e é notório que há muita opinião sem conhecimento científico. O debate vem para esclarecer à sociedade pernambucana os pontos positivos e negativos. Os especialistas vão abordar, dentre outras questões, os aspectos tecnológicos, econômicos, ambientais e sociais dos procedimentos que envolvem a construção de uma usina nuclear”, declarou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Ipojuca

05/12


2019

Túlio quer quebra de sigilo do Gabinete do Ódio

O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE) protocolou, ontem, requerimento visando a obter, junto ao Poder Judiciário, a quebra de sigilo de comunicação telegráfica e telefônica da empresa mantenedora do Instagram e acesso às trocas de mensagens do grupo intitulado “Gabinete do Ódio”, utilizado por influenciadores digitais que supostamente se organizam para atacar reputações pelo aplicativo. O requerimento será apreciado na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News.

Além das mensagens, também são requisitados nomes verdadeiros, endereços de e-mails e telefones dos integrantes e outros dados utilizados para o cadastro dos perfis dos administradores no Instagram. O objetivo é que estas informações, que são elementos materiais, sirvam para embasar o relatório final da CPMI.

Segundo Gadêlha, a deputada do PSL fez algumas revelações importantes – e graves - sobre as milícias virtuais ligadas ao governo Bolsonaro. “Precisamos combater o sistema descobrindo a fonte, mas também os canais de disseminação. Aliás, a prática de difamação e de calúnia se tornou regra no ambiente digital”, critica.

Durante a oitiva à CPMI das Fake News, Joice afirmou que o grupo “Gabinete do Ódio”, baseado no Palácio do Planalto, recebe dinheiro público para perseguir desafetos bolsonaristas com o objetivo de destruir reputações desde a campanha eleitoral de 2018 até a atualidade. Ainda segundo Joice, há 1,87 milhão de robôs na rede bolsonarista, sendo 1,4 milhões na rede do presidente Jair Bolsonaro e outros 468 mil na do seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/12


2019

Poesia de Manuca Almeida é tema do Calendário da Clas

A série de calendários da Clas Comunicação e Marketing, que esse ano completa 16 edições, ilustra os 12 meses de 2020 a partir da poesia de Manuca Almeida. O poeta, ator e compositor, produtor cultural, filho de Aracaju-SE e adotado por Juazeiro-BA que nos deixou em 11 de novembro de 2017.

O lançamento do calendário será na próxima segunda-feira, às 19h, no Quintal do Poeta, em Juazeiro, com show de Dom Pilé, Andressa Santos e apresentação de vários artistas da região.

Produzido em parceria com a Cadan Distribuição e a Gráfica Bandeirante, o anuário escolheu para cada mês um poema e pediu a 12 fotógrafos de Petrolina e Juazeiro que traduzissem em imagem os versos desse artista que tem mais de 200 músicas gravadas, algumas delas por nomes representativos, a exemplo de Gilberto Gil, Dominguinhos, Arnaldo Antunes, Família Caymmi e Ivete Sangalo.

O resultado desse casamento, ora imagem poética, ora poema visual, você pode acompanhar através dos olhares de Avelar Amador, Samuel Morais, Sérgio de Sá, Marcus Ramos, Maurício André, Sílvia Nonata, Lais Lino, Lisandra Martins, Chico Egídio, Cristiano Almeida, Alexandre Justino e Carlos Laerte, também idealizador da série e diretor da Clas Comunicação e Marketing.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e lima

05/12


2019

Almoêdo deixa Secretaria de Imprensa de Caruaru

Blog Cenário 

O jornalista Ricardo Almoêdo, responsável pela Secretaria Executiva de Imprensa, anunciou sua saída da pasta hoje. Ele assumirá uma assessoria especial no governo Raquel Lyra (PSDB), onde cuidará das pautas da Prefeitura, São João e também da agenda da prefeita em determinados momentos.

Almoêdo fez um bom trabalho e sempre atendeu de forma educada os assessores de imprensa e veículos de comunicação.

Um novo nome para cumprir a função de Ricardo ainda não foi oficializado, mas quem deve cuidar interinamente é o secretário executivo de Comunicação Hélio Júnior.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

05/12


2019

Cartão Red Society para a Esquerda Caviar

Por Tonico Magalhães*

Com a chegada do final de ano, época de festas e gastos extras, os felizes portadores do cartão de fidelidade Red Society estão prestes a receber os benefícios pelo acúmulo de pontos. As regras para acumulação ditadas à Esquerda Caviar do Recife envolvem diversos segmentos e peculiares formas de comportamento.

Se durante todo o ano o esquerdista Caviar tomou uma série de medidas sugeridas pelo regulamento do cartão, esteve livre do patrulhamento ideológico e utilizou os benefícios na plenitude, que podem ser estendidos em 2020.

O sistema de pontuação começa a marcar de acordo com o local de residência do portador do Red Society. Os moradores ideológicos de Casa Forte, por exemplo, núcleo preferido da rica elite do funcionalismo público, têm uma pontuação mais alta do que os habitantes ideologizados de Casa Amarela.

Para os primeiros, a proximidade de símbolos explícitos do Capitalismo, como o Shopping Plaza, Hiper Bompreço, lojas de grife na avenida 17 de agosto, delicatessens gourmet, restaurantes classe A e clube germânico, não ofuscam a “Praça Vermelha” cultuada pelo grupo, mais conhecida pelos normais como a Praça de Casa Forte.

A zona sul do Recife tem também algumas ilhas da Esquerda Caviar, como o núcleo das “Desquitadas do Setúbal”, barulhentas mas inócuas degustadoras de ilusão. Os locais de encontro (“aparelhos”) fragilmente subversivos dessa região são inexpressivos em relação à zona norte, o mais importante gueto deste segmento.  

Ganha milhas também no Red Society quem se posiciona contra a reforma administrativa, proposta pelo governo federal para diminuir os privilégios exagerados do funcionalismo. O tamanho da pontuação é relativo à participação direta ou indireta no movimento. Cantar músicas de protesto dos anos 70 certamente dever dar algum bônus.

Mais pontos podem ser acrescentados ao Red Society se o esquerdista Caviar frequentar lojas de produtos orgânicos. Consumir alimentos a um preço astronômico que não utilizam agrotóxicos, transgênicos, pesticidas e fertilizantes sintéticos é um item fundamental para o associado. A maior parte da classe média fica de fora dessa prática por não estar pendurada nas ricas tetas do funcionalismo público do século 21.

Outra forma de pontuar neste cartão fidelidade é colaborar com ONGs. Se é apenas um contribuinte financeiro ou voluntário, o acúmulo de milhas não é alto. Caso seja um gestor que administra os recursos “não”-governamentais, ganha mais pontos porque articula benefícios e empregos para o grupo de amigos da turma de yoga e acupuntura.

O Caviar Nutella Student, filho do titular do Red Society, estuda em Universidades Federais, onde as classes ricas cursam de graça quando não estão em greve ou em farras, enquanto as universidades privadas atendem o público pobre que precisa financiar seu curso por anos através do FIES.

Esse mesmo ensino superior público, apadrinhado pelo educador Paulo Freire – que até hoje se revira na tumba pelo fracasso da educação brasileira com base no seu método de ensino -, recebe estudantes do segundo grau mal ranqueados no exame internacional PISA de conhecimentos básicos, como leitura, matemática e ciências. Se engana quem pensa que eles, ao entrar na graduação, vão melhorar a precária base educacional. Pelo contrário, vão ser radicalizados no processo ideológico de esquerda. Hoje, ser aluno de uma Federal pontua bem nos circuitos alternativos, principalmente se defender o aborto, a ideologia de gênero, a liberação da maconha e outras sandices.

Já quem ensina nessas universidades federais, com algumas exceções, tem direito ao Red Society Premium. A milhagem vai para o espaço - quiçá, com pontos suficientes para uma passagem ida e volta a Marte. Bonificação extra é dado aos professores que somente ensinam do ponto de vista marxista. Tornar alunos sedentos de conhecimento em militantes autoritários é uma forma inteligente de estender a validade do cartão.

Na área cultural, por sua vez, recebe mais pontos quem frequenta eventos promovidos por “caviaristas”, como o festival Lula – temporiamente - Livre, a ciranda de Lia, maracutus, MPBs buarquianos, por aí. Para o associado do cartão é quase obrigatória a frequência em peças de teatro questionáveis produzidas por alunos de arte cênica da UFPE. Ir a cinemas de Arte, então, é outra tarefa fundamental para ganhar pontos no cartão. Não frequentar o Cinema São Luiz e falar mal dos filmes de Kleber Mendonça Filho são motivos para o cancelamento automático do Red Society.

Mas estamos no final do ano, quando os associados do Red Society podem fazer uma retrospectiva de 2019, lembrando dos altos salários e aposentadorias integrais pagos em dia, a tranquilidade de tomar bons vinhos e alimentar-se de produtos orgânicos, mesmo que uma peça de picanha de um boi vegano custe 184 reais.

Já o oposto do cartão de fidelidade Red Society seria o cartão de racionamento dos países amigos, como o de Cuba e o da Venezuela, onde o “caviar” é uma porção minguada de alimentos básicos e estragados.

Eles querem o melhor do mundo capitalista num país que tenta sair de uma recessão criada por um governo socialista. Para o escritor português João Pereira Coutinho, “ser de esquerda tem suas vantagens. Consola a alma e os outros”.

Por fim, o titular do cartão ainda pode escolher o melhor reveillon-cabeça da cidade – com bebidas orgânicas servidas por garçons proletários e oprimidos, cujo preço do ingresso é meio salário mínimo mensal de um trabalhador comum. Passagem do ano na praia de Boa Viagem, com pé melado de areia, espumante nacional e taça de plástico na mão, é para quem não é da Esquerda Caviar. Coisa da Direita.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Orlando Silva ministro de Lula comprava até Tapioca com o cartão PT corporativo.

marcos

Perdão errei, custou 34 Milhões de Dólares.

marcos

Casa de Evo Morales tem 4 andares e custou U$D 4 Milhões. É a esquerda Caviar.

aloisio

Com a divulgação do relatório do PISA ficamos informados que a educação brasileira vai de mal a pior. Com a leitura diária das notícias fica a certeza que que o problema vem de muito tempo. Com um artigo deste o que o jornalista seria num pais com uma educação melhor que a nossa? Acredito que não chegaria a balconista de peixaria. O Brasil vai mal.

Roberto de Lima Barros

KKKKK Os milicianos digitais qual é o cartão fidelidade, cuidado na resposta pois se não falar a língua dos filhos do presidente vai virar comunista. O pior é que o Alexandre porno Frota está falando quem ele botar no colinho.


Prefeitura de Limoeiro

05/12


2019

Bolsonaro recebe líderes sul-americanos

O presidente Jair Bolsonaro participa, hoje, em Bento Gonçalves (RS), da 55º cúpula dos líderes do Mercosul, bloco formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Na ocasião, ele passará a presidência rotativa do grupo ao presidente paraguaio Mario Abdo Benítez (foto). Também estarão presentes no evento o presidente da Argentina, Maurício Macri, e representantes da Colômbia, Equador, Peru e Suriname.

Sete ministros integram a comitiva presidencial: Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Tereza Cristina (Agricultura Pecuária e Abastecimento), Fernando Mandetta (Saúde), Osmar Terra (Cidadania) e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

05/12


2019

Comissão aprova aumento do fundo eleitoral

A Comissão Mista de Orçamento do Congresso aprovou, na noite de ontem, o aumento do fundo de financiamento eleitoral de 2020 para R$ 3,8 bilhões. Foi aprovado relatório preliminar do deputado Domingos Neto (PSD-CE) que turbina o fundo eleitoral em detrimento de rubricas do Orçamento como saúde, infraestrutura e educação.

A proposta original do governo destinava R$ 2 bilhões ao fundo eleitoral, mas a alteração feita pelo deputado do PSD contou com apoio de 13 partidos. As legendas mais beneficiadas pelos recursos públicos serão PT e PSL, que elegeram as maiores bancadas nas eleições de 2018. O primeiro deve receber algo como R$ 376 milhões, e o segundo, R$ 350,4 milhões.

O valor fixado pela CMO representa um aumento de 120% no fundo em relação à eleição presidencial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

05/12


2019

As andanças de Câmara e o rango com Zé Dirceu

Noticiei, ontem, que o governador Paulo Câmara se abraçou com capricho, em Brasília, às articulações políticas de olho nas eleições municipais de 2020, paparicando velhos aliados magoados, como o líder do PSD na Câmara, André de Paula, já do outro lado do balcão, pré-candidato à Prefeitura do Recife em confronto à política socialista de João Campos.

O périplo de Câmara na corte não se restringiu à   tentativa de fumar o cachimbo da paz com André, político correto, ético e extremamente educado, fruto das lições bem absorvidas na escola Marco Maciel.

Foi mais longe. Amigo de velhos carnavais do ex-ministro José Dirceu, saído da cadeia recentemente, o deputado Wolney Queiroz, presidente estadual do PDT, abriu as portas da sua casa em Brasília para um almoço, ontem, em torno do capitão (era assim que Lula tratava Dirceu no Governo).

Entre uma garfada e outra saboreando um carneirinho importado da Caruaru de Wolney, sob os olhares atentos de deputados de estirpe comunista, como Renildo Calheiros, e o articulador palaciano José Neto, chefe da Casa Civil, Câmara e Dirceu trataram especificamente de alianças para 2020.

E aí entra a agenda Recife. Apurei que Wolney se ofereceu para fazer o meio de campo entre o governador e a cúpula petista, via o capitão de Lula, para convencer a presidente da executiva nacional petista, Gleisi Hoffman, a tirar a pedra do meio do caminho do PSB na capital, que atende pelo nome Marília Arraes.

Fritada num caldeirão ardente em chamas na eleição passada, quando se apresentava extremamente competitiva para o Governo do Estado, Marília sofreria nova queimadura de 180 graus agora, quando, novamente, é vista fortíssima na disputa pela Prefeitura do Recife? 

José Dirceu entrou no jogo para isso. E não foi, ontem, a primeira vez que Câmara esteve frente a frente com o ex-ministro da Casa Cívil de Lula. Gostaram tanto do cardápio de Wolney que já é a segunda que juntaram os talheres na casa do pedetista, em Brasília.

Mas poucos acreditam que o PT, mesmo com a forçada de barra do capitão, detenha veneno em dosagem cavalar para ferir de morte, mais uma vez, um projeto para começar a recuperar o poder no Nordeste, como a estratégica Prefeitura do Recife.

Marília anda feliz e aparentemente tranquila. Já estaria até projetando sua pré-campanha eleitoral no Recife com um marqueteiro expert em voos de águia.

Quanto ao encontro de Câmara com André de Paula, este garante que, em nenhum momento, a sucessão no Recife entrou em pauta. Para convencer, André disse que não se encontrou a sós com o governador.  A visita de Câmara foi à liderança do PSD ontem, às 10h30, junto à um colegiado de mais de 15 deputados.

"O governador, mesmo se quisesse, não tinha ambiente, durante o encontro, para tratar de assuntos específicos do Estado e do seu Governo comigo", disse o líder pessedista.

Com isso, cai por terra também a versão de que o secretário estadual de Turismo, Rodrigo Novaes, do partido de André, mas não indicado por ele, esteja com os dias contados no cargo e que o governador tenha oferecido ao líder do PSD a pasta para um aliado verdadeiro e não alguém que faz trampolim para se eleger deputado federal e tentar em seu lugar na Assembleia botar um primo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

É isso aí. Almoçar com bandido condenado e um terrorista defensor da Ditadura Comunista. Lamentável e, por isso mesmo, Pernambuco perdeu posição de Estado mais importante do Nordeste para a Bahia de Antônio Carlos Magalhães. Tudo isto por termos sido comandado, na maioria do período pós militar, por esse pessoal de esquerda.



05/12


2019

Justiça do DF absolve Lula no "quadrilhão"

Em outubro, MP afirmou que não havia "elementos configuradores da dita organização criminosa". Juiz federal disse que denúncia tentou "criminalizar a atividade política".

Por Mariana Oliveira, TV Globo — Brasília

 

O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal em Brasília, absolveu nesta quarta-feira (4) os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, dos ex-ministros Antônio Palocci e Guido Mantega, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, na ação penal apelidada de "quadrilhão do PT".

Os cinco respondiam a ação penal pelo crime de organização criminosa, por suspeita de terem formado um grupo para desviar dinheiro público da Petrobras e de outras estatais.

Em outubro, o Ministério Público Federal já havia pedido absolvição sumária de todos por considerar que não havia "elementos configuradores da dita organização criminosa".

O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal em Brasília, absolveu nesta quarta-feira (4) os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, dos ex-ministros Antônio Palocci e Guido Mantega, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, na ação penal apelidada de "quadrilhão do PT".

Os cinco respondiam a ação penal pelo crime de organização criminosa, por suspeita de terem formado um grupo para desviar dinheiro público da Petrobras e de outras estatais.

Em outubro, o Ministério Público Federal já havia pedido absolvição sumária de todos por considerar que não havia "elementos configuradores da dita organização criminosa".
Ao analisar o caso, o juiz concordou: "A descrição dos fatos vista na denúncia não contém os elementos constitutivos do delito previsto no art. 2º, da Lei nº 12.850/2013 (organização criminosa)".

Segundo ele, "a narrativa que encerra não permite concluir, sequer em tese, pela existência de uma associação de quatro ou mais pessoas estruturalmente ordenada, com divisão de tarefas, alguma forma de hierarquia e estabilidade".

De acordo com o magistrado, a denúncia tentou "criminalizar a atividade política".

"A denúncia apresentada, em verdade, traduz tentativa de criminalizar a atividade política. Adota determinada suposição – a da instalação de 'organização criminosa' que perdurou até o final do mandato da ex-presidente Dilma Vana Rousseff – apresentando-a como sendo a 'verdade dos fatos', sequer se dando ao trabalho de apontar os elementos essenciais à caracterização do crime de organização criminosa."

Origem da acusação

A denúncia foi apresentada pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, pouco antes de deixar o cargo, em 2017.

Janot afirmou na denúncia que a cúpula do PT recebeu R$ 1,48 bilhão de propina em dinheiro desviado dos cofres públicos.

Como na época Gleisi Hoffmann, denunciada junto com os demais, era senadora, a denúncia foi apresentada ao Supremo Tribunal Federal, devido à prerrogativa de foro da parlamentar.

Depois, o relator da Lava Jato no STF, ministro Luiz Edson Fachin, dividiu o processo e enviou a parte dos políticos sem foro privilegiado no Supremo para a Justiça Federal do Distrito Federal, que prosseguiu com o caso. A Justiça Federal em Brasília abriu ação penal contra os cinco em novembro do ano passado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Não, todos meninos e meninas super honestos. Não roubaram um só tostão dos cofres públicos. A Petrobras sangrou bilhões do nada e sem ter ninguém do alto escalão do desgoverno sem acobertar. Viva o País paraíso dos bandidos.



05/12


2019

As explicações do prefeito de Araripina

Estimado Magno,

O relatório da Controladoria Geral da União analisou a aplicação de mais de R$ 225 milhões em recursos federais recebidos pela Prefeitura de Araripina e levantou pontos que devem ser esclarecidos a respeito de pouco mais de R$ 2 milhões, a saber:

O pregão eletrônico para utilização de recursos federais, conforme Decreto nº 10.024/2019 institui a obrigatoriedade do pregão eletrônico para os entes federativos somente a partir de 03/02/2020, conforme Art. 1 da Instrução Normativa nº 206/2019.

Com relação à aplicação dos recursos do Fundeb, a Secretaria de Educação destina em conformidade com o que foi orientado por uma auditoria da própria CGU em 2017 que alguns servidores poderiam receber seus salários através do Fundeb 40. Estes servidores estão cedidos para a Gerência Regional de Educação (GRE), para o Sindicato dos Servidores Públicos de Araripina (SIMA) e biblioteca municipal.

Para a alegação de falhas na contratação de combustível é importante ressaltar que de todos os postos existentes na cidade, à época, ou estavam sem a documentação necessária ou não manifestaram interesse em participar do certame. Apenas o vencedor apresentou documentação que possibilitou sua habilitação. 

De todos os medicamentos fiscalizados nas 22 Unidades de Saúde foi encontrada uma irrisória quantidade de medicamentos vencidos que, conforme o próprio relatório da CGU, já estavam recolhidos e separados para descarte no CAF, não causando nenhum risco à população.

Já com relação às obras apontadas no relatório é necessário esclarecer que:
Na Escola Vanda Jacó, todos os pagamentos da obra foram feitos na gestão do ex-prefeito Alexandre Arraes. A obra, na atual gestão, foi retomada apenas em setembro de 2019, após a data desta auditoria feita em agosto deste ano.

A obra da ESF da Vila Santa Maria também foi licitada, contratada e paga na gestão de Alexandre Arraes. Já a construção da escola Honorato Jordão, orçada em mais de R$ 1,2 milhão teve o valor apontado no relatório – R$ 13 mil – referente aos custos para a construção do muro da unidade escolar que não constava no projeto original e também para a correção de erros da obra iniciada na gestão passada.

Outros questionamentos levantados foram devidamente respondidos pela Prefeitura de Araripina que está sempre à disposição dos órgãos de fiscalização e controle. A prefeitura mantém seu compromisso com a correta aplicação dos recursos públicos federais em obras e serviços que ajudam a melhorar a vida das pessoas.

A gestão do prefeito Raimundo Pimentel, em menos de três anos, já entregou diversas escolas nucleadas, postos de saúde, quadras, reformas e ampliações de escolas etc. Foram milhões de reais investidos com honestidade, seriedade e zelo pelo erário público.

 

Atenciosamente,

Raimundo Pimentel


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/12


2019

Campos abre Seminário Casa-Grande Severina

Para celebrar a memória e a obra de Gilberto Freyre (1900-1987) e de João Cabral de Melo Neto (1920-1999), a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) iniciou, no fim da tarde de ontem, o Seminário Internacional Casa-Grande Severina. A abertura contou com a apresentação do presidente da Fundação, Antônio Campos; do gestor da Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), Mário Hélio Gomes; e da presidente da Fundação Gilberto Freyre, Sônia Freyre, filha do sociólogo e presidente de honra do evento.

Em sua fala de abertura, Antônio Campos destacou a importância da instituição homenagear autores pernambucanos da magnitude de Gilberto Freyre e João Cabral. “É uma alegria e um dever saudar estes dois gigantes, que ajudaram a constituir as bases literárias e de pensar o Brasil em um momento em que o contemporâneo é tão desafiador. Que o seminário permita uma reflexão destes pensadores reconhecidos internacionalmente”, comemorou o presidente da Fundaj. 

Campos relembrou os nomes que participarão no decorrer do evento e cumprimentou todos os presentes, na solenidade, nas pessoas de Gilberto Freyre Neto, secretário de Cultura de Pernambuco; Pedro Nabuco, bisneto de Joaquim Nabuco, patrono da Casa; Vera Sato, representante do Gabinete Português de Leitura; e do diplomata Ranier Michael, cônsul da Eslovênia no Recife. Ele leu, ainda, uma carta do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que não pôde estar presente na ocasião.

“João e Gilberto foram capazes de enxergar a diversidade étnica que junto formou um só povo: o brasileiro”, concluía a carta do ministro.

O gestor da Dimeca, Mário Hélio, relembrou os poemas “A mulher e a casa”, de João Cabral, e “A menina e a casa”, de Gilberto Freyre. Este último escrito para sua filha. “Mesmo as mesas, mesmo as plantas/ Os retratos dos vovós/ As panelas da cozinha/ Mangueiras e coisas velhas/ Têm boca falam também/ Dizem segredos bonitos/ Que os meninos/ Que os poetas/ Ouvem ninguém sabe como.” Sônia Freyre agradeceu a celebração à memória do pai e se disse lisonjeada pela homenagem.

“Papai e João são primos e compartilham do mesmo olhar humanista, acerca da miséria do povo brasileiro e das características identitária do nosso povo. São símbolos que não devem ser esquecidos”, refletiu Sônia. Na sequência, os presidentes da Fundaj, Antônio Campos; da Fundação Gilberto Freyre, Sônia Freyre; e do jornal Diario de Pernambuco, Carlos Frederico Vital, assinaram o protocolo de intenções para a reedição do livro Nordeste (1925), organizado pelo sociólogo a convite do Diario, no centenário do veículo.

Dando prosseguimento à programação, a cineasta pernambucana Katia Mesel apresentou o curta documental “Recife de dentro pra fora” durante a conversa “Um olhar de cinema sobre a poesia de João Cabral”. Dirigido em 1997, o registro traz o diplomata contando dos bastidores de seu poema “O cão sem plumas” (1949-1950). A produção conta com a leitura musical das estrofes nas vozes de Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho, enquanto são projetadas imagens da vida em torno do rio Capibaribe.

Mesel, que neste ano celebra os 50 anos de sua trajetória no audiovisual, entregou um exemplar da coletânea “Películas, videotapes e nuvem” para Antônio Campos, que contará com lançamento oficial no início do ano letivo de 2020. A proposta é que o material seja distribuído para escolas públicas de Pernambuco e exibido através da Lei federal 13.006/2014, que obriga a exibição de filmes de produção nacional nas escolas de educação básica. “O sentimento é de solidez, de concluir que você tem uma obra”, celebrou.

A conferência de abertura “João Cabral na poesia portuguesa” foi assumida por Arnaldo Saraiva, professor da Universidade do Porto, em Portugal. Ao longo de sua participação, Saraiva apontou a reverberação da poesia concreta de Melo Neto na imprensa local do país e a influência na obra de poetas e escritores lusitanos da contemporaneidade. “João Cabral revitalizou e fecundou a poesia portuguesa, marcando-a para sempre, como marcou, também, a poesia do Brasil”, destacou.

Saraiva lembrou as diversas menções, epígrafes e dedicatórias ao nome do diplomata. Em 1960,  Alexandre O'Neill, importante poeta do movimento surrealista português, incluiu o poema “Saudação a João Cabral de Melo Neto” em sua obra “Abandono Vigiado”. No ano seguinte, Sophia Andresen, uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX, a ele dedicou “O Cristo cigano”, livro escrito a partir de uma história que Cabral lhe contou e que é atravessado pela presença do poema “Uma faca só lâmina”.

Apontou também nomes como o poeta e tradutor português Armando da Silva Carvalho, que se disse contaminado pela poesia concreta e concisa do pernambucano; o ensaísta e dramaturgo Jorge de Sena, que escreveu “Poema sobre o começo do poema de João Cabral de Melo Neto chamado poema”; e o escritor Rui Lage, que utilizou epígrafe do diplomata em seu livro “Antigo e Primeiro” (2002) e, mais tarde, escreveu “A morte andando de João Cabral”, onde diz “(...) o seu lugar na história presente e futura da língua portuguesa é ao lado de Fernando Pessoa. João Cabral de Melo, neto da língua de Pernambuco”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/12


2019

Moro comemora aprovação de projeto anticrime

No entanto, Sérgio Moro pede mudanças no texto. O ministro congratulou deputados e viu "avanços importantes" em votação; projeto agora segue para análise dos senadores.

Foto: Agência Brasil

Por Da Redação da Veja

 

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, comemorou na noite desta quarta-feira, em sua conta pessoal no Twitter, a aprovação do projeto anticrime na Câmara dos Deputados. O texto segue agora para o Senado.

Na rede social, Moro escreveu que houve “avanços importantes” e deu “congratulações aos deputados”, citando que o projeto unifica o texto enviado pelo governo federal com as propostas do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Entretanto, para o ministro, “há necessidade de algumas mudanças no texto”. “Continuaremos dialogando com CN, para aprimorar o PL”.

O ministro destacou, entre os pontos do projeto aprovado na Câmara, a “proibição de progressão de regime ao membro de crime organizado, execução imediata dos veredictos do Júri, agente policial disfarçado, regras mais duras de cumprimento de penas para condenados por crimes hediondos com resultado morte”.

“Destaco proibição de progressão de regime ao membro de crime organizado, execução imediata dos veredictos do Júri, agente policial disfarçado, regras mais duras de cumprimento de penas para condenados por crimes hediondos com resultado morte”, completou.

(Com Agência Brasil)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/12


2019

Record homenageia Gugu em último programa na emissora

Gravada com antecedência, final do reality show "Canta Comigo" foi ao ar na noite desta quarta-feira 4.

Gugu em homenagem prestada pela Record ao fim da exibição do reality "Canta Comigo" (TV Record/Reprodução)

Da Veja - Por Diego Freire

 

Foi ao ar na noite desta quarta-feira 4 o último programa gravado por Gugu Liberato antes do acidente que causou sua morte, aos 60 anos, no fim de novembro. O apresentador havia deixado prontos os dois últimos episódios do reality show musical Canta Comigo, que teve sua final exibida pela TV Record e foi encerrado com um vídeo de homenagem.

No início do programa, o ator André Bankoff explicou que Gugu havia gravado a entrega do prêmio do reality aos três finalistas, uma vez que o vencedor foi eleito apenas nesta quarta, com votação do público. Ao final, Franson recebeu 72,80% dos votos dos telespectadores e levou para casa 300 mil reais.

Após exibir a festa de Franson ao lado de Gugu e os outros participantes, a Record encerrou o reality com uma homenagem a Liberato. Ao som da música ‘O bêbado e o equilibrista‘, interpretada por Elis Regina, foram mostrados momentos sorridentes de Gugu na atração, inclusive pedindo a uma participante que “não chore” ou ele também choraria.

Ao fim, ao som de aplausos e com participação de aristas como Marcos Mion, Rodrigo Faro, Xuxa Meneghel e Sônia Abrão, o apresentador agradece ao público e diz: “vocês são muito especiais para mim. De verdade”.

A música de Elis diz que “o show de todo artista tem que continuar” e lamenta “tanta gente que partiu num rabo-de-foguete”. 

Gugu sofreu um acidente doméstico em sua residência em Orlando, nos Estados Unidos. O apresentador caiu de uma altura de cerca de quatro metros, quando fazia um reparo no ar condicionado no sótão, e sofreu uma pancada fatal na cabeça. A morte cerebral foi constatada no dia 21 de novembro.

Veja e homenagem exibida pela TV Record a Gugu aqui: Record presta homenagem a Gugu em último programa


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/12


2019

MP diz a Flávio aque acessou dados por meios formais

Ministério Público do Rio de Janeiro rebate Flávio e diz que acessou dados financeiros por meios formais. Defesa alega que órgão solicitou informações do senador ao antigo Coaf por e-mail - o que seria irregular e pode travar inquérito mesmo após decisão do STF.

O senador Flávio Bolsonaro (Pedro França/Agência Senado)
Veja - Por Diego Freire


Poucas horas após o Supremo Tribunal Federal (STF) encerrar o julgamento que definiu regras para compartilhamento de dados sem autorização judicial, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) divulgou nota de esclarecimento sobre sua atuação no inquérito que investiga o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) por suposta prática de “rachadinha” em seu gabinete quando atuou como deputado estadual. Acusado pela defesa de Flávio de ter solicitado informações fiscais do político por e-mail sem ter um processo formal em andamento – o que configuraria quebra de sigilo -, a promotoria divulgou ofício que informa os caminhos utilizados para que a Unidade de Inteligência Financeira (antigo Coaf) reportasse os dados em questão.

“Para não mais deixar dúvidas sobre sua atuação dentro dos parâmetros legais, o MPRJ divulga o Ofício nº 40.340, da Unidade de Inteligência Financeira, com data da última segunda (02/12), em que o órgão informa os caminhos para obtenção de tais dados, dando garantia sobre a segurança e a confidencialidade das informações fornecidas”, diz a nota emitida pelo MP-RJ no fim da noite desta quarta-feira 4.

“Em definitivo não mais se sustenta a alegação da defesa do referido senador”, afirma o comunicado, que cita detalhes do documento: “em resposta ao Ofício nº 1188, da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), enviado em 22 de novembro deste ano, a UIF informa que os “Relatórios de Inteligência Financeira disseminados ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro percorreram a mesma via oficial que é adotada para disseminação dos demais relatórios de inteligência financeira”.

O julgamento finalizado pelo STF nesta quarta teve origem em um pedido da defesa de Flávio. Após votação, a Corte decidiu por autorizar o compartilhamento total de dados financeiros da Receita Federal e da Unidade de Inteligência Financeira (UIF), antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), com o Ministério Público (MP) e com a polícia sem autorização judicial.

Com a  nota do MP-RJ destaca, porém, ficou definido que deve ser resguardado o sigilo das informações, e sendo consideradas inválidas as comunicações por e-mail, telefone ou Whatsapp. Diante dessa norma, a defesa do senador sustentou a tese de prática irregular no caso ao acusar o órgão público de ter solicitado informações por e-mail.

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz teve detectada uma movimentação considerada suspeita em ação do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf): entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, 1,2 milhão de reais passou pela sua conta bancária. Durante esse período, Queiroz atuava como assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro, que era então deputado estadual.

Confira, abaixo, a íntegra da nota divulgada pelo MP-RJ:

“À luz da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, nesta quarta-feira (04/12), por dez votos a um definiu regra para o compartilhamento, sem autorização judicial prévia, de dados sigilosos de órgãos de controle, como a Unidade de Inteligência Financeira (UIF, antigo COAF), com o Ministério Público, o MPRJ vem rechaçar falsa alegação da defesa do senador Flávio Bolsonaro, e reafirmar que sempre atuou dentro dos parâmetros oficiais e legais em todas as suas solicitações aos órgãos de inteligência, observando rigorosamente os protocolos.

De acordo com a tese aprovada pelos ministros do STF nesta quarta, esse compartilhamento de dados só pode ser feito por meios formais – sistemas e vias de cada órgão. Segundo a proposição do ministro Alexandre de Moraes, ficou definido que é constitucional o compartilhamento dos relatórios de inteligência financeira da UIF e da íntegra do procedimento fiscalizatório da Receita Federal com o Ministério Público e as polícias para fins criminais, sem a obrigatoriedade de prévia autorização judicial, devendo ser resguardado o sigilo das informações, e sendo consideradas inválidas as comunicações por e-mail, telefone ou Whatsapp.

Já a defesa do hoje senador Flávio Bolsonaro – deputado estadual à época – voltou a alegar que as informações teriam sido solicitadas pelo MPRJ ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) sem que houvesse uma investigação formal em andamento, o que configuraria quebra de sigilo. Afirma ainda a defesa que tais dados teriam sido requeridos via e-mail.

A esse respeito, e para não mais deixar dúvidas sobre sua atuação dentro dos parâmetros legais, o MPRJ divulga o Ofício nº 40.340, da Unidade de Inteligência Financeira, com data da última segunda (02/12), em que o órgão informa os caminhos para obtenção de tais dados, dando garantia sobre a segurança e a confidencialidade das informações fornecidas.

Assim, em resposta ao Ofício nº 1188, da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), enviado em 22 de novembro deste ano, a UIF informa que os “Relatórios de Inteligência Financeira disseminados ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro percorreram a mesma via oficial que é adotada para disseminação dos demais relatórios de inteligência financeira, a exemplo dos mencionados RIF nº 27.746 e RIF nº 38.484, os quais foram enviados por meio do SEI-C 39208 e do SEI-C 49744, respectivamente”.

Dessa forma, em definitivo não mais se sustenta a alegação da defesa do referido senador.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores