FMO janeiro 2020

21/09


2019

Desembargador de PE substitui "algoz de Lula" no STJ

Juiz do Recife substitui "algoz de Lula" no STJ

Juiz Leopoldo Raposo, do TJPE | Foto: Assis Lima / Ascom TJPE                            Ministro Félix Fischer  Foto/fonte: conjur

Do Estado de S. Paulo - Direto da Fonte
Por Sonia Racy

 

 

O desembargador Leopoldo de Arruda Raposo, do TJ de Pernambuco, será confirmado nesta segunda, pela Corte Especial do STJ, para assumir interinamente o lugar do ministro Félix Fischer, que se afastou da 5ª Turma após uma embolia pulmonar.

“Confirmado meu nome, viajo de imediato”, disse Raposo à coluna, do Recife. E sua principal “herança” serão os processos da Lava Jato, entre eles de Lula, que já teria direito a passar para o regime aberto neste mês.

“Não estou inteirado dos processos”, garante. “A equipe técnica que terei é a mesma de Fischer.” A expectativa, nos bastidores, é que Raposo mantenha o estilo "linha dura” do antecessor.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detra maio 2020 CNH

Confira os últimos posts



30/05


2020

Recife virou capital dos escândalos, diz Patricia

A delegada e pré-candidata à Prefeitura do Recife pelo Podemos, Patrícia Domingos, tem feito várias críticas a Geraldo Julio. Por meio de uma rede social, ontem, ela chegou a dizer que o prefeito aparenta querer transformar a cidade na "capital dos escândalos".

Nas últimas semanas, a Prefeitura do Recife tem estado no centro de um escândalo nacional, com uma série de denúncias que apontam irregularidades na compra de respiradores por dispensa de licitação. Isso resultou em uma operação da Polícia Federal.

Confira a nota abaixo:

"O prefeito parece empenhado em transformar a nossa capital do nordeste na capital dos escândalos. Dia após dia a população assiste atônita às infindáveis denúncias sobre as contratações irresponsáveis efetuadas pela Prefeitura do Recife, que vão de respiradores comprados em loja de produtos veterinários e testados apenas em porcos a contratações com empresas suspeitas de serem fantasmas.

Tenho realizado intenso trabalho de fiscalização e denúncia dessas atrocidades e hoje recebi com grande entusiasmo a notícia da operação da Polícia Federal sobre um dos fatos que denunciei.

Torço para que essa investigação seja concluída e os culpados sejam severamente punidos pelos seus atos, os quais demonstram total desprezo pela população recifense, que ainda hoje chora pelas tantas vidas perdidas enquanto o dinheiro público era utilizado de forma indevida."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Ela é muito fraca, é só blá blá blá. Não tem densidade eleitoral.

Fernandes

Bom dia pra quem não tem culpa do que está acontecendo no Brasil.


Abreu e Lima - Maio

30/05


2020

A burocracia que mata

Por Efraim Filho*

No Brasil, pouco do que foi tentado, em termos de crédito para impedir o fechamento de empresas, funcionou. Dos R$ 40 bilhões previstos na MP 944, apenas 4% encontraram destino

O mundo inteiro tem usado a ferramenta do crédito rápido e barato para impedir o fechamento das empresas e, assim, minimizar ao máximo o problema da perda de emprego e renda durante a crise do Covid-19. No Brasil, apesar de iniciativas do Poder Executivo e do Congresso, essa questão ainda está mal resolvida, pendente de aperfeiçoamentos. Há necessidade de desburocratizar e simplificar a concessão dos empréstimos, vencendo o desafio de transformar linha de crédito em dinheiro efetivamente aplicado na vida real das empresas.

A solução é aperfeiçoar os nossos programas de crédito e inserir pelo Legislativo a previsão de 100% de garantia pelo Tesouro. Com detalhe importante, sem significar “dinheiro novo” ou aumento do déficit.

Pouco do que foi tentado até o momento funcionou, seja a Medida Provisória 944 ou a votação do Pronampe. A modelagem 85/15 – 85% do risco para o Tesouro e 15 % para os bancos – gerou resultados pífios e soluções quase residuais diante da crise instalada. O que vemos no atual cenário são bancos seletivos em disponibilizar vantajosas linhas de crédito a quem menos precisaria: as grandes empresas com amplo patrimônio e capazes de apresentar garantias sólidas. Por outro lado, há histórica resistência das instituições financeiras em conceder crédito para as micro, pequenas e médias empresas, motor da nossa economia e da geração de empregos.

Para aquelas de menor porte, sobra um alto spread bancário potencializado pelo aumento do risco de inadimplência que a própria crise representa. A operação então não se realiza, seja pela burocracia impeditiva ou pelas extorsivas taxas de juros. Ao empreendedor resta a desistência, ficando o crédito empoçado por quem deveria se esforçar em fazê-lo fluir. Dos R$ 40 bilhões previstos na MP 944, apenas 4% encontraram destino.

Mas o que pode ser feito para que o crédito chegue na ponta com a rapidez que o momento exige?

A garantia de 100% do risco das operações pela União, com o montante a ser emprestado limitado a 33% do faturamento das empresas no período pré-crise. É agilidade com um critério mínimo de responsabilidade, aspecto determinante para superar a burocracia impeditiva do nosso sistema financeiro e evitar o empoçamento das linhas de crédito. Com 100% de garantia do Tesouro e risco inexistente, as instituições financeiras, especialmente os bancos públicos, poderiam repassar o dinheiro com praticamente a mesma taxa Selic, atualmente em 3% ao ano, sem burocracia, acrescido de algum custo operacional residual, um verdadeiro sonho aos olhos do empreendedor nacional.

E atenção, não há flerte com a irresponsabilidade fiscal. Não se trata de “dinheiro novo” mas utilização das linhas de crédito já disponibilizadas pelo governo para fins similares, num total de cerca de 50 Bilhões previstos na MP 944 e no Pronampe, porém intocados devido a ineficácia do modelo adotado. Portanto, ao contrário do que os mais fiscalistas possam alardear num primeiro impacto, essa cobertura total será menos onerosa ao governo do que toda a procura por novos benefícios e transferências de renda que surgirão do desaparecimento em massa das empresas e perda de empregos e renda. O Governo não pode ser refém dessa visão de curto alcance, uma miopia financeira que o impeça de perceber que se perder o timing e deixar a economia sucumbir em um cenário de terra arrasada, o custo de reerguê-la será potencialmente maior.

Ao governo duas opções de futuro: a primeira, assumir o risco do financiamento da sobrevivência das empresas e eventualmente arcar com perda fruto da inadimplência, porém recuperar a maior parte do recurso emprestado; ou a segunda, mais adiante ter de realizar, a fundo perdido, socorro emergencial e resgate das empresas de pequeno porte tão essenciais ao ecossistema economicamente ativo. Essa decisão jamais pode se restringir a números de uma mera equação financeira. Ela tem contornos socioeconômicos, também é decisão política e requer o exercício da liderança de quem comanda os destinos de uma nação e tem o dever de apontar uma rota de saída para a crise: governo, Congresso e sociedade juntos.

O sacrificado empreendedor brasileiro fica a vislumbrar, tal qual o menor carente diante da vitrine do shopping, as linhas de crédito: tão perto, mas tão longe… nesse caso empoçadas nos bancos. Com o crédito garantido, a imensa maioria dos empreendedores irá sim se esforçar para se manter ativos, fazer a travessia dessa crise, cumprir seus compromissos, pagar o que deve e de forma honesta manter seu nome limpo. Partir do pressuposto que as empresas irão optar pela fraude, é igualmente negar a essência do empreendedorismo.

Aos criminosos, as sanções. Outro argumento crucial é de que a garantia de 100% das operações pelo Tesouro vai premiar o verdadeiro esforço de quem trabalha para produzir. Evitará a migração do resultado do setor produtivo para alavancar os lucrativos balancetes recheados do sistema financeiro, quiçá um os raros a apresentar resultados portentosos ao fim do ano.

Diante do exposto, a minha iniciativa e da FCS – frente parlamentar do Comércio e Serviço – será em trazer para o mundo real medidas como os 100 % de garantia pelo Tesouro, através da ação legislativa. Em tempos de Covid19, as regras atuais inibem o acesso das empresas de menor porte ao fôlego financeiro que poderia tirá-las da UTI e salvar o seu CNPJ. As empresas que felizmente ainda sobrevivem não podem mais esperar.

*Advogado e deputado federal eleito pela Paraíba. Lidera a bancada do Democratas na Câmara dos Deputados e preside a Frente parlamentar do Comércio e Serviços.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do Ipojuca

30/05


2020

Celso quer apuração de denúncia contra Eduardo

G1

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou na noite desta sexta-feira (29) ao procurador-geral da República, Augusto Aras, os autos de comunicação de crime formulada contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, por suposta prática de crime contra a Segurança Nacional.

No despacho, Celso, que é relator da suposta interferência do presidente na Polícia Federal (PF), após denúncia do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, afirmou ser "imprescindível, em regra, a apuração dos fatos delatados, quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente envolvidas, ainda que se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo, Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado".

Celso de Mello também escreveu que "cabe ter presente, neste ponto, por oportuno, que o Ministério Público e a Polícia Judiciária, sendo destinatários de comunicações ou de revelações de práticas criminosas, não podem eximir-se de apurar a efetiva ocorrência dos ilícitos penais noticiados".

A medida é uma praxe, uma vez que o tribunal, ao receber uma notícia-crime, deve reportá-la às autoridades de investigação. A notícia-crime foi apresentada na quinta (28) pelo advogado Antonio Carlos Fernandes, do Ceará, e cita as declarações de Eduardo na live.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


30/05


2020

Na garupa da moto

Vez por outra, me pedem para contar histórias sobre a grande figura que é meu pai Gastão Cerquinha, 98 anos, comerciante e político por vocação, servidor público federal dos Correios e Telégrafos para completar a renda para a compra do pão que não faltava à mesa sempre farta em torno dos nove filhos em Afogados da Ingazeira.

Papai se virava nos trinta. Até lotérica teve. Quem entregava as cartelas das apostas era eu, procedentes de Arcoverde, cidade mais progressista, onde os cartões eram picotados. Na verdade, fui o filho cobrador, pois até as parcelas dos lotes vendidos por ele na área onde funciona hoje a sede social da AABB o escalado para bater na porta dos devedores era eu.

Papai fazia negócios com tudo e com todos. Vendia bode, bois, vacas, sítios inteiros. "Se ele pudesse, vendia até a mulher", ouvi muito essa frase de mamãe Margarida, que morreu sem ter a mínima noção dos rolos que meu pai se metia.

Certa vez, recebi um telefonema dele no ano em que promovemos uma grande festa em comemoração aos seus 90 anos. "Venha aqui para uma missão que eu só confio em você", ordenou. No dia seguinte, parti do Recife rumo à nossa Afogados da Ingazeira sem ter a mínima noção do tamanho da bronca.

Chegando lá, revelou que estava metido numa bronca com uma escritura de um terreno vendido a um cliente na vizinha cidade de Ingazeira, a 26 km. Não sou advogado, mas fui lá e depois de muitas negociações cheguei a bom termo.

Mas na saída, ao me despedir tomando um gole de um cafezinho quente, a surpresa de mais uma traquinagem do velho, já com 90 anos, vale a ressalva.

O cara olhou para mim e perguntou: "Você veio de moto também?" Respondi não e quis saber do porquê também. Ele não escondeu o que papai escondia dos filhos: "Porque seu pai esteve aqui há 15 dias e veio na garupa de uma moto". Quase tive um troço.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

30/05


2020

Justiça autoriza quebrar sigilo de secretário do Recife

Jornal do Commercio

A juíza da 36ª Vara Federal, Carolina Souza Matos, decretou a quebra do sigilo bancário pelo Banco Central e fiscal pela Receita Federal do secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, e de outros gestores da Prefeitura do Recife, além dos integrantes e das empresas da ‘Família Freire’, envolvidos no suposto contrato fraudulento dos respiradores da Juvanete Barreto Freire e da Bioex Equipamentos Médicos Odontológicos. No total são 16 pessoas e empresas que terão seus sigilos quebrados do período de 1º de janeiro de 2018 até o dia 18 de maio de 2020. A quebra do sigilo foi solicitada pelo Ministério Público Federal, que integra junto com a Polícia Federal (PF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) uma investigação sobre o caso dos respiradores, batizada de operação Apneia.

Com a determinação judicial de quebra do sigilo fiscal, o MPF e a PF poderão ter acesso a todas as informações das pessoas físicas e jurídicas investigadas nas bases de dados da Receita Federal e das Secretarias das Fazendas de Estados e Municípios entre 2018 e 2020. Isso inclui declarações de imposto de renda, notas fiscais de mercadorias e serviços, além de dados de importações de mercadorias. Já a quebra do sigilo bancário permitirá o acesso a todas as contas de depósitos, poupança, investimentos e outros bens. 

Do lado da PCR, além do secretário Jailson Correia também figuram na lista dos que tiveram o sigilo quebrado servidores que participaram de alguma forma do negócio com a Juvanete Barreto Freire, seja na contratação, na rescisão ou no pagamento. Todos os que terão suas movimentações investigadas fazem parte da Secretaria de Saúde do Recife, como a gerente de Monitoramento de Infraestrutura, Mariah Simões da Mota Loureiro Amorim Bravo, o gerente de Projetos Especiais, Paulo Henrique Mota Matoso, o diretor executivo de Administração e Finanças, Felipe Soares Bittencourt e a Gerente Geral de Finanças, Fernanda Emanuelle Arantes Castro da Silva.

A ‘Família Freire’ também teve a quebra dos sigilos autorizada: Juvanete Barreto Freire, Juarez Freire da Silva, Leonardo e Rodrigo Barreto Freire, além das várias empresas do grupo familiar, como Bioex, Cirúrgica Brasmed, Empresa Brasileira de Produtos Cirúrgicos e outras.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bom dia pra quem não tem culpa do que está acontecendo no Brasil.


Prefeitura de Serra Talhada

29/05


2020

Collor vai fazer a live do blog da quinta

O ex-presidente Fernando Collor de Melo, hoje senador pelo PTB de Alagoas, acaba de confirmar sua presença na live pelo Instagram deste blog na próxima quinta-feira, 4. Na pauta, a crise nacional, o conflito entre o Governo e o Judiciário e os efeitos da pandemia do coronavírus.

Recentemente, ele usou as redes sociais para pedir desculpas ao povo brasileiro pelo confisco na poupança pela então ministra Zélia Cardoso de Melo no chamado Plano Collor, assunto que também será abordado. A live está marcada para às 19 horas.

Na próxima terça, o convidado é o presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro, no mesmo horário. A semana promete!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

29/05


2020

Gonzaga defende prorrogação do auxílio emergencial

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) voltou a defender a prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600, que hoje tem previsão para três meses. De acordo com ele, se a crise continuar, esse valor será fundamental para ajudar várias famílias que estão sendo afetadas por causa da covid-19.

“Precisamos estudar uma forma de amparar os trabalhadores que hoje dependem do auxílio emergencial para enfrentar esse período de pandemia que deve durar mais de três meses. Essa é uma solução até que os brasileiros possam retomar integralmente suas atividades”, argumentou.

O socialista lembra que essa medida não é apenas uma questão econômica, mas sim de saúde pública. “O cidadão só pode ficar em casa se ele tiver condições para isso”. E completou: “Não é um momento fácil para ninguém, por isso, o governo precisa fazer sua parte, encontrar alternativas e soluções para ajudar os brasileiros a enfrentar esse desafio”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

29/05


2020

Ouça a entrevista de Roberto Jefferson

Em entrevista ao Frente a Frente, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, sugeriu a interferência das Forças Armadas para solucionar a crise entre os Poderes em Brasília. Jefferson ainda comentou sobre a operação da Polícia Federal na última quarta-, na qual foi alvo. Ouça a entrevista na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/05


2020

Editorial analisa a crise institucional que assola o País

No Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, o meu editorial foi sobre a crise institucional que acontece em Brasília. Envolvendo os poderes Executivo, Judiciário e Legislativo. Vale a pena conferir!

O Frente a Frente tem como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/05


2020

Quarentena rígida não será prorrogada

O Governo de Pernambuco não irá prorrogar a quarentena mais rígida no Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata. A partir da próxima segunda-feira, as cinco cidades voltam a se submeter às mesmas regras de isolamento dos demais municípios pernambucanos.

As cinco cidades, que estão há quase duas semanas obedecendo à quarentena mais rígida, são responsáveis por 75% dos casos confirmados e 68% dos óbitos da Covid-19 em Pernambuco. O objetivo da maior restrição à circulação de pessoas nesses municípios foi o de reduzir a curva de contágio do novo coronavírus.

“Só teremos os dados completos com o resultado da quarentena no domingo, mas as informações preliminares mostram uma estabilização da epidemia. Não prorrogaremos as regras mais rígidas na Região Metropolitana, mas ainda precisamos manter o isolamento social”, afirmou o governador Paulo Câmara.

Na próxima segunda-feira, o Governo de Pernambuco vai detalhar o plano de retomada das atividades econômicas no Estado. O estudo foi conduzido pelas secretarias de Desenvolvimento Econômico, da Fazenda, do Trabalho e Qualificação e de Desenvolvimento Urbano. A liberação das atividades será gradativa, respeitando as orientações sanitárias e com um período de 11 semanas para ser totalmente posta em prática.

O planejamento também inclui a análise da quantidade de trabalhadores por segmento e de que maneira o retorno de cada atividade influenciará em pontos complementares como o transporte público. A ideia é que os setores adotem horários diferentes de expediente para não saturar o sistema nos horários de pico.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Sou radicalmente contra o isolamento... ..de pássaros em gaiolas!

marcos

Quarentena rígida? Manda esse governador idiota dá uma chegada em Prazeres e Cavaleiro, pra ele ver a rigidez.Agora boa viagem, Porto de galinhas, piedade tem que fiscalizar pois dá muita mídia!



29/05


2020

Deputado dá o tom de racha no PP no Congresso

Blog do Heron Cid

Líder da Maioria na Câmara dos Deputados, o paraibano Aguinaldo Ribeiro (PP) escreveu em suas redes sociais, hoje, que “democracia não se faz com robô. Democracia não se constrói de forma artificial”.

E disse mais: “Democracia se faz com o povo”. “Não podemos abrir mão do que temos de mais valioso em nosso país: a democracia. Construída a duras penas, ela ainda é a certeza do melhor caminho”.

As palavras são duras e expõe uma fissura: Arthur Lira, líder do PP, não levou toda a bancada do partido para os braços do governo no movimento do Planalto para atrair o Centrão.

Aguinaldo resiste e se alinha com a pluralidade da Casa. Lira prefere seguir o atalho pela via do governo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/05


2020

Forrozeiros reclamam autoria do “Forró de Pé de César”

A utilização em uma live do nome de uma das tradições do sertão de Pernambuco, o “Forró de Pé de César” está gerando uma polêmica em Petrolina.

Os forrozeiros do município reclamam a autoria do nome por assim designar, há mais de 20 anos, uma manifestação cultural que sai às ruas da cidade com sanfona, zabumba e triângulo no ônibus da Frevuca.

Segundo o criador do 'Forró de Pé de César', o ex-presidente da Associação Brasileira de Odontologia (ABO – Regional Petrolina) e ex-vereador, César Durando, a atração já virou uma tradição no Vale do São Francisco com repercussão em toda região Nordeste. "Todos os anos surpreendemos os moradores do centro e bairros da cidade com muito xote, xaxado e baião e a participação de nomes representativos do forró a exemplo de Nádia Maia e Genival Lacerda".

César Durando, que tem seu nome associado à cultura local, e inclusive foi o autor dos projetos de lei que instituíram o Dia Municipal do Repentista (28 de maio) e o Dia Municipal do Sanfoneiro (na terceira sexta-feira de junho), adiantou que vai  entrar em contato com os organizadores da live para que seja substituído o nome do evento que está marcado para o próximo dia 6.

"A coordenação da live pode até usar o nome desde que admita publicamente que o 'Forró Pé de César, sempre Durando' é originalmente de Petrolina, surgiu aqui e é de nossa autoria", concluiu César Durando.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/05


2020

Deputado pede retomada do Projovem Urbano

Por meio de proposição apresentada à Assembleia Legislativa, na manhã de hoje, o deputado Guilherme Uchoa Júnior solicitou ao governador Paulo Câmara e ao secretário de Educação e Esportes, Fred Amâncio, que procurem viabilizar junto ao Ministério da Educação (MEC) uma nova edição do Projovem Urbano.

O programa tem por objetivo principal elevar a escolaridade de jovens com idade entre 18 e 29 anos, que saibam ler e escrever e que não tenham concluído o ensino fundamental. A conclusão dessa etapa se dá através da modalidade de educação de jovens e adultos integrada à qualificação profissional e ao desenvolvimento de ações comunitárias com exercício da cidadania, na forma de curso, de acordo com o art. 81 da lei n° 9394, de 30 de dezembro de 1996.

O programa concede, ainda, auxílio financeiro mensal aos jovens atendidos, no valor de R$ 100,00, condicionado a 75% de presença nas atividades presenciais.

Uchoa revelou que há em conta bancária da secretaria estadual de Educação e Esportes recursos no valor de R$ 11 milhões, referente a saldos financeiros de edições anteriores do programa. Mas explicou que a utilização desses recursos depende de uma decisão do MEC, porque o estado é apenas o executor.

"Nesse sentido, formulo apelos tanto ao governador como ao secretário para que façam gestões junto ao Ministério para viabilizar uma nova edição do programa", explicou.

Disse também que o Projovem Urbano cumpre um papel importante não só na conclusão do ensino fundamental, como na inserção do jovem no mercado de trabalho. A formação do programa dura um ano e meio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/05


2020

Conflito: Jefferson sugere solução via Forças Armadas

Em entrevista gravada, há pouco, para o Frente a Frente, o presidente do PTB, Roberto Jefferson (RJ), aliado do presidente Bolsonaro que teve sua casa revistada pela Polícia Federal esta semana, a mando do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, sob a acusação de ofensas por parte dele aos ministros da corte suprema da justiça brasileira, defendeu que as Forças Armadas recorram ao Artigo 142, da Constituição Federal, e institua o Poder Moderador, para pôr fim a crise entre o Executivo e o Judiciário.

“Se o Supremo tiver razão no inquérito, que se afaste o presidente e assuma o vice Hamilton Mourão. Se, ao contrário, a razão estiver com o presidente, que sejam destituídos os 11 ministros do STF e nomeados igual número de substitutos”, pregou o líder trabalhista, adiantando ter plena certeza que essa causa será ganha pelo presidente da República, porque, segundo ele, o inquérito do ministro Alexandre de Moraes será arquivado por falta de provas e substância jurídica.

Sobre a invasão pela PF ao seu apartamento, no Rio, Jefferson disse que foi uma tentativa do ministro Alexandre de Moraes de intimidar, constranger e censurar, e mostrou-se disposição para brigar: “Ele, o Alexandre, bateu na porta errada. Se acha que vai me intimidar, está enganado. Para essa briga, já estou com a faca nos dentes e o machado nas mãos. Não é um trapo rasgado da toga dele que vai me calar”, disse, adiantando que o ministro comprou a contenda com o “cara errado”.

Roberto Jefferson disse, ainda, que Alexandre de Moraes é um ministro desmoralizado, que não impõe respeito a quem quer que seja. “Um cara que foi advogado do PCC, o maior grupo de meliantes e traficantes do País, não merece respeito. Vai apanhar duramente de mim”, afirmou. O ex-deputado disse que a operação da PF em sua casa foi humilhante.

“Entraram no close da minha mulher e mexeram até nas suas calcinhas e outras peças íntimas”, desabafou, adiantando que os agentes federais, achando pouco, também vasculharam a casa da sua ex-esposa, em Niterói, no Rio, de quem está separado há 20 anos. Imperdível, a entrevista vai ao ar às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, formada por 37 emissoras, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife.

Se você deseja conferir a entrevista pela internet, duas opções: neste blog, basta clicar no botão Rádio acima ou baixar o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio no Play Store.

E bom programa!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Roberto Jeffersom o ídolo do clã Bozonaro e do idiotas úteis!

marcos

Roberto Jeffersom o ídolo das esquerdas e do idiotas úteis!



29/05


2020

Marília pede união para se discutir o pós-lockdown

Para a deputada federal Marília Arraes (PT) o Governo do Estado, que ontem anunciou uma retomada gradual das atividades econômicas sem dar detalhes da ação, continua sem fazer a devida articulação com a sociedade para tomar decisões mais acertadas. 

“O pós-lockdown tem que ser discutido do ponto de vista da saúde pública, mas é preciso também que entidades como FIEPE, CDL, SEBRAE e Porto Digital, dentre outras, façam parte desta formulação, e não sejam apenas consultadas. São as entidades, a sociedade civil organizada, e não apenas o Governo do Estado, que poderão indicar a melhor ação preventiva”, afirma Marília.

Marília reforça que o pós-lockdown deve ser encarado como uma ação preventiva que vai requerer conscientização, organização e disciplina tanto por parte da sociedade quanto das entidades e do setor público. “O que percebo é que há um estudo encomendado, ou consultas feitas, que não trazem a profundidade necessária que possa nos indicar o caminho mais seguro a ser trilhado. Em resumo, como voltar ao normal com segurança é o debate que precisa ser feito”.

Marília também lamenta o fato da Bancada Federal (deputados e senadores) não ter sido consultada institucionalmente para discutir a pandemia, o lockdown e muito menos o pós-lockdown, o que reforça a impressão de que tudo está sendo feito sem os devidos cuidados. “Estou à disposição e acredito que toda a bancada federal também para participar deste debate”, conclui.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores