Governo de PE

11/02


2019

Petistas nas ruas: oposição ao governo e liberdade a Lula

O PT vai retomar caravanas pelo país para tentar dar força à oposição ao governo Jair Bolsonaro e ampliar a campanha pela liberdade do ex-presidente Lula. O debate da reforma da Previdência é prioridade. As viagens serão conduzidas por Fernando Haddad, que desembarca no Ceará no fim de semana.

Dirigentes petistas dizem que o partido precisa voltar a mobilizar o país. Para isso, é necessário retomar as conversas não só com sua base, mas também com os 47 milhões de eleitores que votaram em Haddad no segundo turno da disputa presidencial.

O formato das caravanas de Haddad será diferente do das conduzidas por Lula em 2017. A ideia é que, além de comandar atos públicos, o ex-prefeito de São Paulo participe de eventos fechados e dê entrevistas para a imprensa local. (Painel – Folha)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do cabo

Confira os últimos posts



09/12


2006

Prefeito que tem prestígio na cúpula no PT

 Da coluna Brasília-DF do Correio Braziliense:

Turma 2010/ Os futuros governadores da Bahia, Jacques Wagner, e de Sergipe, Marcelo Déda, vão engrossar a lista de autoridades na festa que o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, preparou para comemorar o aniversário de 109 anos da cidade. Além deles, estarão por lá os mineiros, como o vice-presidente José Alencar, e os ministros do Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, da Casa Civil, Dilma Rousseff, e da Secretaria Geral da Presidência, Luiz Dulci, além do governador do estado, Aécio Neves.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

09/12


2006

Lula e Marisa cogitam em adotar criança

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a primeira-dama, Marisa Letícia Lula da Silva, cogitam a possibilidade de adotar uma menina. Marisa tem o desejo antigo de adotar uma criança e agora pensa em concretizá-lo.

Marisa conversou com Lula durante a campanha. Ela chegou a usar como exemplo o chefe-de-gabinete do presidente, Gilberto Carvalho, que, hoje no segundo casamento, trata da adoção de uma criança.

Lula não gosta de falar do assunto. Mas foi Marisa quem o tornou público no último dia 2, sábado, quando distribuiu presentes de Natal a crianças em Brasília, num evento de uma ONG.

Em entrevista à revista "IstoÉ Gente", a primeira-dama mencionou a possibilidade de adoção. "Estou procurando uma criança para adotar. Se você souber de uma, me avise", disse Marisa, segundo a última edição da revista.

Segundo a reportagem, quando Marisa discutiu o assunto com o presidente durante a campanha, ele teria pedido que ela aguardasse o fim da disputa política.

O presidente e a primeira-dama têm três filhos em comum: Fábio, Sandro e Luís Cláudio. O presidente adotou oficialmente Marcos, filho do primeiro casamento de Marisa, que ficou viúva. Lula tem ainda uma filha, Lurian, resultado de uma relacionamento com a enfermeira Miriam Cordeiro. Todos são adultos e possuem o sobrenome Lula da Silva.

A assessoria de imprensa do Planalto disse que não comentaria o tema.

Passos da adoção

Se pretender adotar uma criança, o casal interessado deve procurar a Vara da Criança e da Juventude. Após a entrega de documentos e de a família passar por um estudo psicossocial, o juiz decide se o casal está ou não apto para fazer a adoção. "Para o estudo psicossocial, a família recebe uma visita domiciliar e é entrevistada", diz Walter Sousa, chefe do Serviço de Adoção da Vara da Criança e da Juventude do Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

Segundo Sousa, há hoje 280 famílias na fila para adotar uma criança em Brasília. Embora haja crianças e adolescentes à espera de famílias, há demora para adoção em todo o país, porque os casais costumam preferir meninas de até 3 anos, brancas ou pardas.

Em Brasília, adotar um recém-nascido pode levar até três anos. "Se for adotar aqui, a primeira-dama vai entrar na fila, mas se escolher uma menina de 8 anos, vai ser muito mais rápido. Se adotar irmãos, mais rápido ainda."

Segundo Sousa, se o casal presidencial fizer uma adoção "vai ser um grande exemplo para combater a chamada ''adoção à brasileira'', em que a família toma um recém-nascido e registra como filho sem passar pela Justiça".(Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Ora, psi u.Cala a boca,Horápsio.Deixa o homem dáo exemplo.Que o faça com estartalkhaço.A garotada sem pai ou mãe adorará que a pegue nos orfanatos. Cala tua boca.Se o exemplo vem de cima, a garotada tem mais é que agradecer. Pior é ficar dependendo dos "carinhos" dos "orientadores" da FEBEM, etc.

Horacio Filho

Ele não sabe cuidar do povo Brasileiro, e fica falando em adotar uma criança... Coitada dessa criança... Será que faz parte do programa do fome zero ?????? Depois ele vai pedir para todos adotarem uma para a fome diminiu !!!!!!!! Lula brinca com todos nós...

roberto lima

Seria excelente, independente do fato de ser ele presidente, porém sem estardalhaço e de forma discreta pois este é o principio basico de todo ato de amor, sem o que vira oportunismo.

A idéia é excelente, porém preferia que a primeira dama, Sra Mariza, adote também, a política social desse país, cujos excluídos, estão clamando por uma pessoa que tenha a força de uma primeira dama.


Magno coloca pimenta folha

09/12


2006

Bastos nega acordo para liberar pilotos do Legacy

 O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, negou que tenha havido um acordo diplomático para a liberação dos passaportes dos norte-americanos Jean Paul Paladino e Joseph Lepore, pilotos do jato Legacy que colidiu com o Boeing da Gol em 29 de setembro, causando a morte de 154 pessoas.

''Não houve acordo. Isso não é uma questão entre os países e sim uma questão judicial'', afirmou o ministro ontem, no Rio de Janeiro, durante o lançamento do 2º Diagnóstico da Defensoria Pública no Brasil.

Os pilotos foram indiciados na sexta-feira pela Polícia Federal e depois seguiram para os Estados Unidos. ''No momento em que a Justiça liberou os passaportes deles e eles prestaram o último depoimento na Polícia Federal, ficaram livres para voltar para casa'', completou Bastos.

Segundo Bastos, eles poderão voltar ao Brasil para depor ''desde que necessário'', uma vez que o Brasil mantém tratado de extradição com os Estados Unidos. ''Mesmo indiciados, eles podem responder ao processo lá nos Estados Unidos, podem vir a ser chamados de volta ao Brasil e podem ser absolvidos ou condenados'', declarou.

Inquérito

No último dia 29 de setembro, o Legacy da empresa de táxi aéreo norte-americana ExcelAire comandado pelos dois pilotos bateu no ar contra um Boeing da Gol. Mesmo avariado, o Legacy conseguiu pousar, e seus sete ocupantes saíram ilesos. O Boeing, porém, caiu em uma região de mata fechada de Mato Grosso, e seus 154 ocupantes morreram.

Dias após o acidente, considerado o maior da história aeronáutica brasileira, os passaportes dos dois norte-americanos foram recolhidos pela PF, por força de uma ordem da Justiça. No começo desta semana, os advogados dos dois profissionais conseguiram reverter a decisão, e os documentos foram devolvidos nesta sexta.

Lepore e Paladino prestaram depoimento na PF durante mais de seis horas, nesta sexta. Eles não responderam a nenhuma pergunta, de acordo com os advogados, porque o delegado que preside o inquérito sobre o caso, Ramón Almeida da Silva, havia se mostrado disposto a indiciar os dois pilotos ainda antes de ouvi-los.

Os norte-americanos foram indiciados pelo crime de expor ao perigo uma embarcação ou uma aeronave, na modalidade culposa (sem intenção de matar) agravada por morte. Desta forma, eles estão sujeitos à mesma pena aplicada em casos de homicídio culposo, aumentada em um terço, o que equivale a um ano e quatro meses a quatro anos de prisão.

Em nota, a PF informou que o indiciamento foi feito ''com base em elementos de provas existentes nos autos do inquérito policial, que apontam a falta dos cuidados necessários, esperados e exigíveis de pilotos durante a realização de um vôo''. Para os defensores dos norte-americanos, a decisão foi precipitada, preconceituosa e fruto de pressão política. (Folha Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Horacio Filho

Todo com o PT é esse cara ai é assim negociata em cima de negociata é o povo Brasileiro pensando que tá tudo dentro da lei...



09/12


2006

Para o PT, o que importa é aprovar as contas de Lula

 O tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, afirmou ontem (8) que o partido não se surpreenderia caso as contas da campanha  à reeleição do presidente Lula sejam aprovadas com ressalvas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “O importante é que sejam aprovadas”, afirmou.

Segundo ele, a legislação não deixa claro quais fontes não podem fazer doações para candidatos. Contribuições de empresas ligadas a concessionárias de serviço público à campanha de Lula, o que é vedado pela lei eleitoral, levaram técnicos do TSE a pedirem a rejeição das contas petistas pelos ministros da corte.

“Essa é uma questão que precisa de maior nitidez. Para as próximas eleições, se essa for uma questão impeditiva, tem que estar claro”, afirmou Ferreira. A diplomação do presidente está marcada para o próximo dia 14. Mas, antes disso, o TSE precisa aprovar a prestação de contas entregue pelo PT.

Os ministros chegaram a pensar no adiamento da cerimônia de diplomação. Porém, a expectativa é que a data seja mantida. Caso os dados sejam rejeitados, Lula fica impedido de receber o diploma e tomar posse do segundo mandato em 1° de janeiro. O julgamento deve ocorrer na semana que vem. (Congresso em Foco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

VILLA QUESTIONADOR

ÊSSE, PTRALHA, É UMA VERGONHA NACIONAL, COM O AVAL DE MILHÕES DE ESFOMEADOS E ANALFABETOS. AINDA BEM, QUE JÁ COMEÇARAM ÀS BRIGAS PELO PODER. ISSO SIM, É QUE É LITERALMENTE, UM "PARTIDO". OU SERÁ UMA "QUADRILHA" ??????????

fernando gordinho

DEIXA O HOMEM ATRABALHA

Horacio Filho

O PT tá certo errado é o povo Brasileiro que deixa esse povo no poder... É as contas do PT e o PT que não vale nada....


Prefeitura de Limoeiro

09/12


2006

Dossiê: Senador diz que Lula não se envolveu

 O relator da CPI dos Sanguessugas, senador Amir Lando (PMDB-RO), afirmou não haver provas de envolvimento do presidente Lula na compra do dossiê contra tucanos. “Quem tinha que ser citado já foi, havia gente até demais no relatório preliminar”, afirmou Lando.

O peemedebista deverá entregar o relatório na próxima quarta-feira, mas adiantou à reportagem do Correio Braziliense que também não há indícios contra o candidato derrotado ao governo paulista, senador Aloizio Mercadante, e o presidente licenciado do PT, Ricardo Berzoini (SP).

Segundo o senador, a CPI não conseguiu descobrir a origem do dinheiro encontrado com os petistas que tentavam comprar o dossiê. O relator acredita que os envolvidos “blindaram” Berzoini – coordenador de campanha de Lula a época – durante os depoimentos.

Na contramão de Lando, um grupo liderado pelo sub-relator para o escândalo do dossiê, deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), acredita que é possível enquadrar como crime eleitoral as campanhas de Lula e Mercadante por formação de caixa dois. Gabeira conta com a investigação da Polícia Federal que admite a possibilidade do enquadramento.

A Polícia Federal interrogará, na próxima semana, pessoas ligadas ao diretório paulista do PT, como o responsável financeiro da campanha de Mercadante, José Giácomo Baccarin. (Congresso em Foco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

fernando gordinho

É MUITA CORAGEM.


Banner de Arcoverde

09/12


2006

Lula anuncia novo Ministro da Justiça na quarta

 O presidente Lula e o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, se reunirão, na próxima quarta-feira, para conversar sobre o sucessor da pasta. “Acredito que na quarta-feira darei em primeira mão a vocês o nome do novo ministro”, disse Bastos, ontem, depois de um evento na Academia Nacional de Polícia.

Bastos comenta sobre sua saída do cargo desde o final do segundo turno das eleições. Na semana passada, ele confirmou que deixaria a pasta, mas não estipulou uma data. O ministro tem declarado, ainda, que deseja ver a continuidade de alguns programas como a reforma do Judiciário e a integração das polícias.

Durante a reunião também poderá ser discutido um nome para substituir o diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Lacerda. Além de uma nova pasta para o diretor como a Controladoria Geral da União (CGU) ou o INSS. (Congresso em Foco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/12


2006

Pesquisa da UnB revela o óbvio

 A sociedade não confia nos políticos e muitos desconhecem atribuições de órgãos de combate à corrupção. É o que mostra pesquisa realizada no Distrito Federal por alunos do curso de Ciências Políticas da Universidade de Brasília (UnB).

A maior parte dos entrevistados (90,1%) disse não confiar nos políticos, sendo que 73% não acreditam no trabalho dos senadores e 85,7% não confiam nos deputados. O Judiciário também não obteve bons resultados, uma vez que 53,4% disseram que desaprovam a Justiça Brasileira. A população mostra confiança nas Forças Armadas (63,4%), na Polícia Federal (63,1%), nos bombeiros (36%) e professores (28,6%).

O professor Ricardo Caldas, um dos coordenadores da pesquisa, destacou ainda dados que mostram que a população de Brasília não conhece órgãos de combate à corrupção como o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria Geral da União (CGU). Os números mostram que 55,1% não conhecem o trabalho do TCU e 68,4% desconhecem o trabalho da CGU.

No entanto, o professor disse que a população continua otimista e que 86% dos entrevistados acreditam que a corrupção pode ser combatida. Eles apontaram como órgãos para enfrentar o crime o Ministério Público, a Polícia Federal e a própria sociedade. “Para a sociedade ter participação, ela precisa se organizar”, defendeu Caldas.

Além disso, a pesquisa mostrou que a corrupção não está longe da sociedade. O professor disse que 20% - ou uma em cada cinco pessoas - afirmaram que estiveram envolvidas em algum ato de corrupção - seja recebendo ou dando propina.

A pesquisa foi apresentada no Senado, em audiência que lembrou o Dia Internacional contra Corrupção. Foram ouvidas 839 pessoas entre os dias 7 e 17 de setembro de 2006. Dos entrevistados, 30,9%m têm de 18 a 25 anos e 55,6% têm trabalho fixo. Dos ouvidos pela pesquisa, 35,6% cursaram até o segundo grau, 23,8% têm o ensino superior incompleto e 25,6%, o superior completo. (Agência Brasil)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

fernando gordinho

TEMOS QUE SABER QUE ESTES PROFICIONAS VEM DO POVO, SAIE DO MEIO DO POVO POR ISSO, DEVEMOS FAZER UMA ALTA AVALIAÇÃO DE NOS MESMO DOS NOSSOS COMSEITOS FAMILIA.

renata lima

No entanto, o professor disse que a população continua otimista e que 86% dos entrevistados acreditam que a corrupção pode ser combatida. COMO? SE ELEGERAM O CARA DO pt LÁ E DO psb AQUI. Pobre Brasil e PE.



09/12


2006

PT não pagará artista para cantar na festa de Lula

 Ainda marcado pelas conseqüências políticas e jurídicas da primeira festa de posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, o PT decidiu fazer economia de guerra na segunda posse, em 1º de janeiro de 2007.

O partido está mobilizado para levar entre 40 mil e 50 mil pessoas às ruas de Brasília. É menos da metade dos cerca de 110 mil que prestigiaram a primeira posse de Lula, em 2003. O PT vai pedir, ainda, ajuda aos partidos aliados para garantir ''quórum'' para a festa. Vai haver show (ou atividade cultural, como prefere o Planalto) em Brasília, mas não haverá cachê para os artistas que aceitarem participar, informou o deputado Chico Vigilante.

''Não temos nenhum medo de esvaziamento. É uma festa, não uma farra. Será à altura do presidente Lula. O mínimo que a gente tem que fazer é divulgar para a população. Estamos convidando as pessoas que gostam do presidente. Os que não gostam não virão. O dia de a UDR (União Democrática Ruralista) se manifestar é outro'', reforçou ex-deputado Chico Vigilante, dirigente do PT do Distrito Federal e um dos organizadores da ''festa popular'' da segunda posse.

Em janeiro de 2003, o publicitário Duda Mendonça montou um grande palco na Esplanada dos Ministérios, com telões e show de luzes e fogos. A conta da festa, de cerca de 2,5 milhões de reais, provocou o primeiro empréstimo do chamado ''valerioduto'', que dois anos depois provocaria a maior crise política do do governo Lula.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/12


2006

Renan reunirá líderes para discutir cláusula de barreira

 Ainda perplexos com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou as restrições ao funcionamento dos pequenos partidos, os líderes políticos preparam uma reação e querem agora discutir alternativas, que incluem até a restauração da chamada cláusula de barreira na votação da reforma política. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse na sexta-feira que pretende conversar com os líderes na próxima semana em busca de uma saída.

''A decisão reforça a tese de que precisamos agilizar a reforma política no início de 2007'', afirmou, acrescentando que, em 1995, quando o Congresso aprovou a ''cláusula de barreira'' para ser aplicada integralmente no ano que vem, a percepção era outra. ''Era para aprimorar o quadro partidário, reduzir o número de partidos e evitar essa pulverização que dificulta a identificação dos partidos pelos programas e pelo que eles representam'', afirmou.

''Não podemos é ficar parados'', reagiu o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), que começou a elaborar um conjunto de projetos para acabar com os ''desvios'' que a decisão do STF pode causar na vida político-partidária. ''Decisão do Supremo não se discute, se cumpre'', acrescentou Renan. E completou: ''Mas vamos ver o que pode ser feito para avançar no bojo da reforma política. Precisamos agora conversar para fazer tudo com absoluta segurança jurídica e evitar outras dúvidas quanto à constitucionalidade.''

O que mais preocupa os políticos são as chamadas ''legendas de aluguel'', e não os partidos históricos e ideológicos que não conseguiram cumprir a regra, obtendo 5% dos votos válidos na eleição para deputados federais, distribuídos em nove estados (ao menos 2% do total em cada um). Mesmo considerando que a decisão do Supremo é ''indiscutível'', Miro Teixeira teme que seja mais um obstáculo à reforma política, tão pregada nos discursos políticos e que ninguém consegue tirar do papel. ''Se não houver reparos estaremos criando a plutocracia, um regime de ricos e poderosos'', reagiu.

Além da extinção da cláusula de barreira, o deputado citou o fim da verticalização - regra que obriga o partido a reproduzir nos Estados a coligação para a eleição presidencial - e a manutenção das coligações partidárias nas eleições proporcionais como outras duas normas que impedem o fortalecimento dos partidos. Na sua avaliação, ao dar o tratamento isonômico a todos os partidos, o Supremo não avaliou os efeitos dessa decisão. Portanto, essa tarefa agora cabe ao Congresso, aprovando leis para todos os partidos mas que, na prática, poderiam fazer distinção entre as legendas históricas e as de ''aluguel'', criadas para atender determinados interesses.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/12


2006

Alívio para o PCdoB com o fim da cláusula de barreira

 O presidente do PCdoB em Alagoas, vereador Marcelo Malta, comemorou a decisão unânime do Supremo Tribunal Federal (STF) de pôr fim à cláusula de barreira, um dispositivo da Lei dos Partidos Políticos que começaria a ser aplicada a partir do próximo ano. Caso fosse aprovada pelo STF, a cláusula faria com que as legendas que não obtiveram 5% dos votos no país e 2% em pelo menos nove Estados perdessem o direito de participar de comissões e de CPIs, além de limitar o acesso desses partidos à propaganda na TV. A norma também comprometeria os repasses do Fundo Partidário.

"A cláusula de barreira extrapola os benefícios de partidos como o PV, o PSOL e o próprio PCdoB, que historicamente luta contra esse dispositivo", afirmou Mata. "A cláusula viola o Estado democrático de Direito dos partidos menores, ou seja, acaba com o pluralismo político, o pluralismo partidário", completou o vereador.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Até posso entender que esta posição pode ser considerada anti-democrática, só não consigo entender porque mais de 10 (dez) anos, para se chegar a essa sentença, que por sinal foi por unaninmidade, e já diz um sábio, que toda unanimidade é burra.



09/12


2006

Quem livrou o mensaleiro José Janene da cassação

 O Congresso em Foco fez um grande levantamento sobre os parlamentares que deixaram de votar na cassação do deputado José Janene (PP-PR), o últimos dos mensaleiros a ser julgado pela Câmara.

Segundo este levantamento, dos 146 deputados que não votaram o pedido de cassação, 90 não retornarão à Câmara em 2007. Entre eles, 27 acusados de envolvimento com a máfia das ambulâncias. Na relação, dos 25 deputados da bancada federal de Pernambuco, quatro registraram a presença mas não votaram. Outros dois não compareceram a sessão:

Clique nos links abaixo e vejam a relação do parlamentares:
Eles estavam presentes, mas não votaram
Veja a relação dos faltosos


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Drácula

VIRAM A LISTA????... DUDU...DEU PRESENÇA... E SE MANDOU...PARA AJUDAR O AMIGO MENSALEIRO...E ESTE É O GOVERNADOR ELEITO DE PERNAMBUCO.....METIDO A FALAR DE ÉTICA...CONTRA OS MENDONÇA?????

Raimundo Eleno dos Santos

Quem livrou Janene foi o apagão dos aeropostos. êta cabra de sorte! Agora requererá a sua aposentadoria e vai viver de deforete. êba!

roberto lima

A omissão é um ato de covardia. No caso, tem outros adjetivos a mais.



09/12


2006

Cid defende subsídios para Nordeste se desenvolver

 Prestes a assumir o governo do Ceará, Cid Gomes (PSB), afirma hoje, na Folha de S.Paulo, que é necessário que o governo federal subsidie o desenvolvimento do Nordeste:

FOLHA - A eleição de governadores de partidos de esquerda no Nordeste poderá representar mudanças nas políticas públicas da região?
CID GOMES -
O efeito Lula no Nordeste foi até mais forte do que na eleição anterior e acabou tendo efeito anti-Lula no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Houve aprovação, aqui, das políticas sociais e, no Sul e Sudeste, uma contestação pelo mau momento da agricultura.

FOLHA - Ciro Gomes afirmou que o baixo crescimento econômico dificultou a reeleição de Lula no primeiro turno. O sr. concorda?
CID -
Eu cheguei a propor ao presidente a implantação de um dólar exportação, especialmente voltado para a agricultura. Atribuo a não eleição ainda no primeiro turno a essa questão [agricultura]. A desvalorização do dólar impôs custos para a economia exportadora.

FOLHA - Qual sua opinião sobre o impasse entre o governo do Ceará e a Petrobras sobre o fornecimento de gás para a siderúrgica do Pecém?
CID -
Sou otimista. Tenho convicção de que o presidente sabe da importância desse empreendimento para o Ceará. Se a gente estabelecer as condições de mercado, o Nordeste vai continuar dependente. Tem de fazer subsídios. Você não faz desenvolvimento em regiões pobres sem incentivos.

FOLHA - A Sudene vai ajudar?
CID -
Sim, mas penso que, na matéria que foi aprovada, os recursos ainda são insuficientes. É preciso pinçar daquele projeto de reforma tributária, que tramita a passos de cágado, o artigo que cria o Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional e colocá-lo como um dos recursos que a Sudene possa ter.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Pernambuco precisa de politicos como os do Ceara.Estou aqui em Fortaleza e é impressionante a atenção que eles dão ao turismo.O trãnsito flui normalmente,um polo gastronomico excelente.Infelizmente Recife,Jaboatão e Paulista estão muito longe disso.è bom nosso governador e Prefeitos darem um pulinho

milton tenorio pinto junior

......como esses do Ceara.

milton tenorio pinto junior

Seria nossos Prefeitos e Governador darem um pulinho aqui em Fortaleza para verem como o Cearense trata o turismo.O polo gastronomico é fantastico.O trânsito flui bem,tudo é bem cuidado.Infelizmente Recife e Jaboatão estão anos luz longe dessa cidade.Nosso estado e municipios precisam de politicos..



09/12


2006

Líder petista quer salário de R$ 24,5 mil para deputados

 O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), inicia sua campanha para presidente da Casa com foco no grupo de 300 a 500 deputados do chamado “baixo clero”. Em entrevista para a Folha de São Paulo, o petista defende o aumento do salário dos parlamentares para R$ 24,5 mil, equiparando à remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Com o aumento, a Câmara teria uma despesa anual extra de pelo menos R$ 89,6 milhões. “Sou favorável ao aumento. E se o caminho for a equiparação, sou favorável”, disse o deputado ao repórter Fábio Zanini.

Chinaglia foi lançado pelo PT à presidência na última terça feira e negou estar dividindo a base do governo, como aconteceu na eleição de Severino Cavalcanti (PP-PE), em 2005. Agora, o partido segue para a escolha do novo presidente após dois reverses sofridos na última semana: a perda da indicação para o Tribunal de Contas da União e a queda da cláusula de barreira que possibilita a candidatura de Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

“Esse é o padrão anti-PT de análise. Parte do pressuposto de que o PT foi o responsável. Quem votou no Severino foi a oposição. Naquele momento, houve uma candidatura [Virgilio Guimarães] que levou muita gente a dizer que o PT estava dividido. Não estava. O PT votou em peso no Luiz Eduardo [Greenhalgh]. Os que dizem que o PT não aprendeu nada têm uma grande má-fé, porque só analisam o PT, não as demais bancadas.”

O deputado também assumiu a possibilidade de composição com outros partidos como o PCdoB do atual presidente, Aldo Rebelo. “Amanhã pode haver uma composição? Pode. Mas evidentemente estamos trabalhando para ganhar.”

Para tornar-se consenso na base aliada, Chinaglia precisa, primeiramente, ganhar a simpatia do Palácio do Planalto que considerou a candidatura legítima, mas ainda não deu sua posição final. Ainda assim, ele afirma que a candidatura não é apenas ''para apresentar para a platéia''.

“Pelo jeito estou apanhando por ter cão e por não ter cão. Porque algumas perguntas vão no sentido de que eu estou confrontando o presidente da República. Noticiam apenas parte daquilo que o presidente teria comentado. Ele se reúne com a bancada do PL e diz que o meu nome é um bom nome e isso não é divulgado. Mas essa pecha de chapa-branca não me cabe. Vou ter uma atitude constitucional.” ( Redação -Congresso em Foco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

fernando gordinho

EITA QUE BOM ISTO É pt



09/12


2006

No dia anticorrupção, Lula ignora escândalos

 Na esteira do escândalo dos sanguessugas, em que congressistas destinavam verbas do Orçamento para a compra de ambulâncias superfaturadas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu ontem uma ampla mudança nas regras de produção e execução orçamentária. Isso ocorreu em texto enviado para o Dia Internacional Contra a Corrupção.
Em mensagem por escrito enviada à Controladoria Geral da União, o presidente, porém, não citou especificamente nenhum dos escândalos que eclodiram nos quatro anos de seu mandato, principalmente o dos sanguessugas e o do mensalão.
''Quero lembrar a necessidade de alterarem-se as normas que regem a elaboração, a aprovação e a execução orçamentária que estão a exigir, reconhecidamente, sua atualização, após 40 anos de vigência'', disse na mensagem. Lula aproveitou, mais uma vez, para culpar governos anteriores por problemas de corrupção.

Governos anteriores

''Desbarataram-se organizações especializadas na prática de crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro, fraudes em licitações e desvio de recursos públicos, que contavam com a participação de servidores dos Três Poderes, inclusive auditores fiscais da Previdência Social, com grandes prejuízos ao erário. E todos os brasileiros sabem que isso vinha de muito longe'', dizia o texto, enviado antes de Lula embarcar para a Bolívia ontem.
Lula negou que o governo tenha interferido na ação da Polícia Federal ou da CGU. ''Ao longo dos últimos quatro anos, essas duas instituições ganharam prestígio, nacional e internacional, e receberam meios e recursos para travar uma luta tenaz contra a corrupção, (...) de forma absolutamente impessoal e republicana, sem qualquer interferência de caráter político-partidário que pudesse comprometer sua atuação.''
O presidente afirmou que combateu ''de maneira inédita'' a corrupção, e o resultado foi que ''nunca se prenderam tantos corruptos''. Um dos maiores escândalos do primeiro mandato de Lula, o do mensalão, no entanto, funcionou, na maior parte do tempo, durante o seu próprio governo.
Já o esquema dos sanguessugas atuou tanto no governo Lula quanto na gestão de Fernando Henrique Cardoso.
Um discurso usado de forma recorrente pelo presidente, o de ''nunca antes na história desse país'', também não faltou.
''Nunca se identificaram tantos esquemas ilícitos que fraudavam a Administração há anos e anos sem serem incomodados.''
(Pedro Dias Leite - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/12


2006

Inocêncio de olho em duas secretarias de Eduardo

 Da coluna Painel, da Folha de S.Paulo:

Apetite. Inocêncio Oliveira (PL-PE), em aquecimento para encontrar brecha que lhe permita disputar a presidência da Câmara, reivindica duas secretarias de Eduardo Campos (PSB-PE). O governador eleito se faz de surdo, mas quem acompanha a peleja acha que ele terá de ceder.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

PEDRO VILAR

.... governador Eduardo e do Presidente LULA.

PEDRO VILAR

O líder Inocêncio, foi a guerrido e corajoso, quando foi aliado do governador eleito de primeira hora. Se empenhou transferindo uma quantidade de votos repeitável em sua base, tem carisma e espírito público, prestígio entre seus pares. Todas as evidências credendiam-lhe para o reconhecimento do go

milton tenorio pinto junior

Eduardo terá de ceder,pois a vitoria dele tem a participação mais do que relevante de Inocêncio.Politica é assim,é dando que se recebe.

Raimundo Eleno dos Santos

Inocêncio é pactuado c/Satã.Depois da 1/2 noite ele vira bicho,q morde e sopra ao mesmo tempo. É a dissimulação "in persona".Garanto q/vai emplacar a Pres.da Câmara.Ele é adestrado.S/mentor ( Satã) sopra-lhe estratégias.Ele é capaz de dar uma volta no s/pior inimigo.Vai conseguir as secretarias.