ArcoVerde

11/01


2019

Fusão Boeing-Embraer é 1ª medida concreta da agenda liberal

Semana passada, Bolsonaro havia criticado os termos do negócio

Renato Andrade e João Sorima Neto - O Globo

A decisão tomada pelo presidente Jair Bolsonaro em relação ao negócio entre as fabricantes de aviões Embraer e Boeing foi a primeira ação concreta de cunho liberal tomada pelo novo inquilino do Palácio do Planalto.

A sinalização de que a nova administração teria um caráter menos estatizante e mais pró-mercado foi dada logo na largada da campanha eleitoral de 2018, quando Bolsonaro mostrou que seu mentor econômico era Paulo Guedes, um representante nato da escola econômica liberal norte-americana.

Mas a convicção do atual ministro da Economia na agenda liberal nunca foi compartilhada de maneira cega pelo presidente eleito. A própria parceria entre Embraer e a Boeing é um exemplo de como o atual comandante do Executivo titubeou entre adotar uma postura econômica efetivamente favorável ao Estado menor e as velhas crenças sobre a necessidade de manter determinadas áreas e segmentos da economia sob a tutela do Estado por conta de supostos problemas de soberania nacional.

Entre a dúvida e a decisão desta quinta, a agenda liberal conseguiu sua primeira vitória.

Para analistas do setor aéreo, a união entre Embraer e Boeing na aviação comercial faz todo o sentido, considerando que este é um segmento que deve apresentar forte crescimento nos próximos anos. Com a força da Boeing, a Embraer terá mais condições para desenvolver novos projetos, inclusive em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Paulista Conectada

Confira os últimos posts



21/03


2019

Maia recebeu notícia da prisão do sogro com serenidade

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu a notícia de que seu sogro – o ex-ministro Moreira Franco – havia sido preso enquanto recebia deputados na residência oficial da Casa. As informações são da Folha de São Paulo.

Aliados dizem que ele agiu de forma serena com a novidade, leu algumas notícias sobre a prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB) e terminou de despachar com parlamentares de partidos como DEM, PP e PRB antes de começar a fazer ligações para discutir as prisões.

É comum que às quintas-feiras, Maia permaneça na residência oficial recebendo autoridades, uma vez que não há sessão deliberativa na Câmara.

O presidente recebeu visitas de parlamentares, como Efraim Filho (DEM-PB) e do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes após a reunião. Ele não deve ir ao Rio de Janeiro, onde Moreira Franco e Temer estão detidos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

21/03


2019

Bretas autoriza Temer a ficar em unidade da PM em Niterói

Em despacho na tarde de hoje, o juiz Marcelo Bretas determinou que Michel Temer, "na qualidade de ex-presidente da República", fique detido na unidade prisional da Polícia Militar do Rio em Niterói. Bretas diz ter atendido argumentos do Ministério Público Federal.

O ex-ministro Moreira Franco e o coronel João Baptista Lima Filho, amigo de Temer, terão a mesma prerrogativa, segundo o despacho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

“Hipótese é de crime comum”, diz juiz Marcelo Bretas

Na decisão de hoje, que mandou prender o ex-presidente Michel Temer, o juiz Marcelo Bretas escreveu que não há elementos que indiquem a existência de crimes eleitorais na investigação. Portanto, na visão do magistrado, o caso é de competência da Justiça Federal. As informações são do blog da Andréia Sadi

O ponto destacado na decisão ocorre após a decisão da semana passada do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou que investigações que tratam de supostos crimes eleitorais são competência, agora, da Justiça Eleitoral.

No episódio desta quinta-feira envolvendo a prisão de Temer e o ex-ministro Moreira Franco, Bretas deixa claro que "no caso dos autos não há elementos que indiquem a existência de crimes eleitorais, razão pela qual deve ser reafirmada a competência constitucional desta Justiça Federal, o que, aliás, já foi expressamente reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal".

Em outro trecho da decisão, Bretas diz: "O próprio investigado Michel Temer, quando ouvido em sede policial, disse que o também investigado coronel Lima jamais o auxiliou arrecadando recursos para campanhas eleitorais. [...] Portanto, os indícios de que o investigado coronel Lima, ou João Batista Lima Filho, vem atuando como operador financeiro do requerido Michel Temer, recebendo em seu favor valores indevidos, em princípio, não podem ser entendidos como indícios de crime de natureza eleitoral, ante as palavras do próprio então presidente da República Michel Temer, ora investigado".

A decisão também ressalta que coronel Lima, segundo o delator José Antunes Sobrinho, da Engevix, tinha "carta branca" para falar em nome de Temer em negociações ilícitas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

PF prende coronel amigo de Temer

A Polícia Federal prendeu o coronel João Baptista Lima Filho e sua mulher, Maria Rita Fratezi. O coronel é tido pelos investigadores como intermediário de propina do ex-presidente Michel Temer, também preso hoje.

A PF informou, há pouco, até agora foram seis pessoas presas. Há ainda quatro mandados a serem cumpridos. Os presos são: Michel Temer, Moreira Franco, Carlos José Zimmermann, Maria Rita Fratezi, Carlos Alberto Costa e coronel Lima.

A PF chegou a informar que o advogado Rodrigo Neves havia sido preso, mas se corrigiu. O mandado contra ele ainda está pendente de ser cumprido.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Temer terá mesmo tratamento de Lula na prisão

Estadão

A Polícia Federal prepara uma sala na superintendência da corporação no Rio de Janeiro para receber o ex-presidente Michel Temer. A cúpula da PF já ofereceu o espaço ao juiz Marcelo Bretas, responsável por autorizar a prisão do emedebista na Operação Lava Jato.

Temer foi preso preventivamente em São Paulo, mas pode ser transferido para o Rio de Janeiro uma vez que a prisão foi expedida pela 7ª Vara Federal da capital fluminense e tem relação com obras realizadas no estado.

Da mesma forma como ocorreu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba, Temer deve ficar em uma sala da superintendência separada dos outros presos em um espaço chamado no jargão jurídico de sala de Estado Maior.

Assim como em Curitiba, a sede da PF no Rio não possui uma sala de Estado Maior. O direito a uma sala especial é previsto em lei e foi considerado constitucional em 2006.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Marcela Temer em estado de choque

Embora Michel Temer estivesse com o medo de ser preso, mais calado e discreto do que sempre, a sua família está em estado de choque com a prisão do ex-presidente, na manhã de hoje.

Segundo o ‘Veja Gente’, a ex-primeira-dama Marcela estava no local da prisão – a residência da família, no bairro de Alto de Pinheiros, um dos mais nobres de São Paulo. A sogra Norma Tedeschi, com quem morava em Brasília, está em Paulínia – mas irá para São Paulo dar apoio à filha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Prisão de Temer é destaque na imprensa internacional

A prisão do ex-presidente Michel Temer, na manhã de hoje, foi destaque na imprensa internacional. Meios de comunicação de diversos países repercutiram a notícia. O ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia) também foi preso.

A ação de hoje é decorrente da Operação Radioatividade, investigação que apurou crimes de formação de cartel e prévio ajustamento de licitações, além do pagamento de propina a empregados da Eletronuclear.

A britânica BBC diz que “o ex-presidente brasileiro Michel Temer foi preso como parte de uma ampla investigação sobre corrupção”. A emissora também relatou que a polícia tentava localizar o ex-presidente desde a quarta-feira e que Temer nega qualquer a participação em qualquer irregularidade.

O jornal norte-americano The New York Times relatou a prisão de Temer e citou que ela ocorre menos de um ano após a prisão de outro ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Lula foi preso em abril de 2018.

Já o diário argentino La Nación relatou que a Operação Lava Jato “voltou a sacudir o Brasil com uma nova detenção de alto impacto”, ao referir-se ao ex-presidente Temer. Citando fontes locais, o jornal diz que Temer foi preso com base na declaração do operador do MDB, Lúcio Funaro. No momento da publicação da notícia, La Nación disse que ainda era procurado o ex-ministro Eliseu Padilha.

O Clarín também destacou a prisão de Temer e informou em sua nota que trata-se de uma operação autorizada pelo juiz federal Marcelo Bretas. O diário diz que a prisão se deu no contexto da Operação Lava Jato, a mesma que condenou o ex-presidente Lula a mais de 12 anos de prisão. O diário também cita a delação de Funaro para explicar a motivação da prisão de Temer.

O principal jornal espanhol, El País, destacou em seu site a prisão de Temer por vinculação ao escândalo de corrupção investigado pela Lava Jato, “que já encarcerou outro ex-presidente, o esquerdista Lula”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mimimi

Te prepara Dilmenta, já estão preparando o teu curral com feno e farelo. Ps: Acredito que o Fernandes terá trabalho triplicado para levar capim para 3 enjaulados.


bm4 Marketing 6

21/03


2019

Daniel Coelho: "Prisão de Temer demonstra que instituições continuam em pleno funcionamento no combate à corrupção"

O líder do PPS na Câmara dos Deputados, Daniel Coelho (PE), veio a público se manifestar sobre mais um desdobramento da Operação Lava Jato que resultou, na manhã de hoje, na prisão do ex-presidente da República, Michel Temer (PMDB). O ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia) tem mandado de prisão expedido contra ele. O ex-ministro Eliseu Padilha também é alvo da operação.

Segundo Daniel, a Lava Jata não se pauta por viés político-ideológico. “Os resultados desta nova etapa da Lava Jato demonstram, mais uma vez, que ninguém, absolutamente, ninguém, está acima da Lei vigente deste país. A Justiça mostra que não tem partido, nem viés ideológico. Na nossa avaliação, a Força-tarefa continua se pautando pela materialidade das provas colhidas, sem agir pela seletividade dos seus alvos”, diz o líder do PPS.

Para o parlamentar, não há felicidade quando se observa que dois ex-presidentes do país estejam atrás das grades. Lula cumpre pena em Curitiba, após condenação no caso do Triplex do Guarujá. “Não há sentimento de celebração. Lamenta-se que dois ex-presidentes da República estejam presos. Por outro lado, há que se respeitar as instituições constituídas que, no estrito cumprimento da Lei, demonstram que elas estão em pleno funcionamento”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Veja repercussão da prisão de Michel Temer

Políticos comentaram a prisão do ex-presidente da República Michel Temer após mandado da Força-tarefa da Lava Jato do RJ. Veja abaixo a repercussão da prisão:

Movimento Democrático Brasileiro (MDB)

"O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa".

Major Olímpio, senador (PSL)

"O Brasil está mudando realmente. A Justiça será para todos, uma grande expectativa para o povo brasileiro. Prisão de Temer e alguns de seus ministros, estaremos dando a certeza para a população brasileira que nós estamos no caminho de a lei ser cumprida. Tem que passar a limpo o país. Cadeia para todos aqueles que dilapidaram o patrimônio brasileiro, envergonharam a política. Nesse momento, tem que pagar sim. Na Justiça, não interessa se é ex-presidente, ministro, membro do Poder Executivo, Legislativo e até mesmo do Judiciário, aí nosso interesse também na CPI Lava Toga".

Alexandre Frota, deputado federal (PSL-SP)

"Michel Temer e Moreira Franco são presos pela Lava Jato do RJ. Para quem achou que a lava jato tinha morrido."

Alessandro Molon, deputado federal (PSB-RJ)

“Finalmente a justiça começa a ser feita. Trata-se do chefe de uma quadrilha. Vários dos seus comparsas já estão presos. Por duas vezes nós tentamos aqui na casa fazer com que Michel Temer respondesse pelos seus delitos durante o exercício da presidência da república. Ele usou a força de seu cargo para impedir que essas denúncias avançassem e felizmente agora ele começa a responder perante a justiça como deveria pelos vários crimes que cometeu".

Carlos Marun, ex-ministro (MDB)

"Trata-se de mais um pusilânime caso de exibicionismo judiciário".

Ivan Valente, deputado federal e líder do PSOL

"Entendemos que é tardio até esse processo. Ele precisa ser investigado e punido. Uma crise muito grande do governo Bolsonaro. Bolsonaro apoiou o impeachment, apoiou governo Temer e também precisa se explicar. Que o Temer precisa ser investigado e punido não tenho menor dúvida".

Cristovam Buarque, ex-senador

"Temer preso por propina na construção de Angra aumenta o alerta sobre a segurança da central nuclear. A propina pode ter levado a relaxamento na segurança. Um Brumadinho radioativo seria catastrófico. Lembrem de Chernobyl e Fukushima entre SP e Rio. A prisão do Temer mostra que a PGR, a PF e a Justiça não têm escolhido partidos para perseguir e a corrupção não é monopólio de alguns".

Ciro Gomes, ex-candidato à Presidência da República pelo (PDT)

"Não é bola de cristal. É conhecer essa gente".

Jandira Feghali, deputada (PCdoB) e líder da minoria na Câmara

“Parlamento recusou investigação contra Temer. Aqui politicamente a investigação foi recusada. A investigação precisava ter sido feita. Causa estranheza ter sido feita agora. Que a Constituição seja cumprida, um devido processo legal para que a prisão seja mantida".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Minutos antes da prisão, Temer perguntou por que “havia tanto jornalista” na porta de sua casa

Minutos antes de ser preso, o ex-presidente Michel Temer ligou para um assessor de sua confiança e perguntou se ele sabia o motivo de ter “tantos jornalistas na porta da minha casa”.

O emedebista foi informado, então, de que havia um “boato na imprensa” de que um mandado de prisão contra ele havia sido expedido.

Temer classificou o rumor como “uma brutalidade”. Logo em seguida, a ligação foi interrompida e o ex-presidente não voltou mais ao telefone. As informações são da Coluna Painel da Folha de São Paulo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Os inquéritos sobre o ex-presidente Michel Temer

Do G1

Preso hoje, o ex-presidente Michel Temer responde a dez inquéritos. Cinco deles tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF), pois foram abertos à época em que o emedebista era presidente da República e foram encaminhados à primeira instância depois que ele deixou o cargo. Os outros cinco foram autorizados pelo ministro Luís Roberto Barroso em 2019, quando Temer já não tinha mais foro privilegiado. Por isso, assim que deu a autorização, o ministro enviou os inquéritos para a primeira instância.

Entenda abaixo todos os casos. Os cinco primeiros são os inquéritos abertos após o fim do mandato.

  • Propina de R$ 1 milhão da Engevix

O dono da construtora Engevix, disse à Polícia Federal que pagou R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer), do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do presidente Michel Temer. Em parceria com a empresa de Lima, a Argeplan, a Engevix fechou um contrato em um projeto da usina de Angra 3 em 2010.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, concluiu que as provas encontradas mostram que Michel Temer é o real dono da Argeplan. Segundo a denúncia, a empresa era usada para "captar recursos ilícitos, inclusive do nicho econômico do setor portuário, destinados a Michel Temer". O caso foi enviado à Justiça Federal do Rio Janeiro, que já analisava inquéritos sobre a Eletronuclear.

O QUE DISSE TEMER: Na época da denúncia, a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto declarou que o então presidente Michel Temer provaria, nos autos judiciais, que não houve nenhuma irregularidade no decreto dos portos, nem benefício ilícito a nenhuma empresa.

  • Reforma de imóvel da filha

A Justiça Federal de São Paulo analisa suposto crime de lavagem de dinheiro cometido na reforma de um imóvel da filha de Temer, Maristela, em São Paulo.

Segundo denúncia apresentada pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a reforma foi feita e custeada pela Argeplan, sem reembolso.

A obra teria custado entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões. A PF diz que a quantia de R$ 1 milhão veio de um pagamento de propina do grupo J&F, a pedido de Temer e que o dinheiro foi entregue por dois funcionários do grupo, diretamente ao coronel Lima, na sede da Argeplan, em setembro de 2014. A arquiteta responsável pela reforma era Maria Rita Fratezzi, mulher do coronel Lima.

O QUE DISSE TEMER: Na época da denúncia, a defesa disse que "o senhor presidente da República não praticou qualquer dos delitos que lhe foram atribuídos e que, seguramente, não há elementos suficientes para justificar a conclusão lá exposta".

  • Superfaturamento em contrato da Argeplan

Suspeita de contratação da Argeplan/Concremat pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, com indícios de serviços não prestados e superfaturamento em contrato avaliado em cerca de R$ 100 milhões. O contrato previa que a Argeplan prestaria serviços de arquitetura e engenharia e seria a responsável por fazer os projetos para a construção de 36 novos fóruns paulistas.

Em denúncia, a procuradora-geral Raquel Dodge diz que, como Temer era real proprietário da Argeplan, teria usado o cargo. O caso está na Justiça Federal de São Paulo.

  • Contrato fictício no Porto de Santos

O delator Flávio Calazans e uma auditoria interna da empresa Pérola S/A indicam a existência de um contrato fictício de prestação de serviço no valor de R$ 375 mil no porto de Santos.

  • Contrato irregular entre a Argeplan e a Fibria Celulose

A Justiça Federal de São Paulo analisa suspeitas de contrato irregular entre a Argeplan Arquitetura e Engenharia e a empresa Fibria Celulose S/A, com valores em torno de R$ 15,5 milhões, além de relações entre a Construbase Engenharia LTDA e a PDA Projeto e Direção Arquitetônica - foram 58 transações, entre 2010 a 2015, envolvendo R$ 17.743.218,01.

  • Jantar no Jaburu com a Odebrecht

O inquérito apura suposto recebimento de R$ 10 milhões em vantagens indevidas da Odebrecht por Temer e pelos ex-ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha. Segundo o delator Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da empreiteira Odebrecht, em um jantar no Palácio do Jaburu, em 2014, foi acertado o repasse ilícito do dinheiro ao MDB.

O executivo afirmou ainda que as doações feitas periodicamente a diversos políticos tinham como objetivo a atuação destes na aprovação de medidas de interesse da Odebrecht. Seria, segundo ele, uma "espécie de contrapartida institucional esperada entre público e privado".

O QUE DISSE TEMER: Temer repudiou "com veemência" o conteúdo da delação. Segundo ele, as doações feitas pela construtora Odebrecht ao PMDB foram todas por transferência bancária e declaradas ao TSE. Não houve caixa 2, nem entrega em dinheiro a pedido do presidente".

  • Decreto dos Portos

Está na Justiça Federal de Brasília o caso que ficou conhecido como inquérito dos portos. No fim do ano passado, Temer foi denunciado por Raquel Dodge, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por integrar um suposto esquema para favorecer empresas específicas na edição de um decreto sobre o setor portuário.

A investigação começou com a delação de executivos do grupo J&F. Os empresários denunciaram pagamentos de propina a agentes políticos, entre eles Michel Temer e o ex-assessor especial da Presidência Rodrigo Rocha Loures.

Segundo a denúncia, Temer teria recebido valores por meio das empresas Argeplan, Eliland do Brasil, PDA Administração e Participação LTDA e PDA Projeto e Direção Arquitetônica. Ao todo, a PGR aponta movimentação indevida de R$ 32,6 milhões.

O QUE DISSE TEMER: Na ocasião da denúncia, o presidente Michel Temer afirmou, por meio de nota, que "provará, nos autos judiciais, que não houve nenhuma irregularidade no decreto dos portos, nem benefício ilícito a nenhuma empresa".

  • Mala de dinheiro de Rocha Loures

O ex-presidente foi denunciado por corrupção passiva no caso da mala com R$ 500 mil recebida por Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor de Temer. Loures foi filmado pela polícia ao receber a mala, em uma pizzaria, do ex-executivo do grupo J&F Ricardo Saud. Segundo o Ministério Público, o dinheiro seria propina para Temer.

  • Tentativa de comprar o silencia de Eduardo Cunha

A Justiça analisa a denúncia de que Temer teria avalizado a compra de silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB), que está preso pela Lava Jato, e do operador Lúcio Funaro.

Em encontro com Temer no Palácio do Jaburu em março de 2017, o empresário Joesley Batista, da JBS, disse a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada para que permanecessem calados na prisão. Diante dessa informação, Temer diz, na gravação: "Tem que manter isso, viu?"

O QUE DISSE TEMER: Na época, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência disse que o presidente Michel Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar".

  • Organização criminosa – quadrilhão do MDB

Em 2017, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao STF uma denúncia contra Temer por organização criminosa. Segundo ele, Temer, o ex-deputado Eduardo Cunha, o ex-ministro Henrique Alves, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, o ex-assessor de Temer Rodrigo Rocha Loures, o ex-ministro Eliseu Padilha e o ex-ministro Moreira Franco, todos integrantes do MDB, formaram um núcleo político para cometer crimes contra empresas e órgãos públicos.

Os integrantes do suposto esquema teriam recebido valores de propina que, somados, superam R$ 587,1 milhões, arrecadados de empresas e órgãos públicos, entre os quais a Petrobras, Furnas, Caixa Econômica Federal, Ministério da Integração Nacional, Ministério da Agricultura, Secretaria de Aviação Civil e Câmara dos Deputados.

Rodrigo Janot afirmou na denúncia que “diversos elementos de prova” apontam que Michel Temer tinha o “papel central” na suposta organização criminosa.

O QUE DISSE TEMER: Na época, o Palácio do Planalto disse que a denúncia estava "recheada de absurdos". Temer disse que eram “ilações que misturam fatos, para confundir e ganhar ares de verdade”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Moreira Franco é preso no Rio de Janeiro

O ex-ministro Moreira Franco também foi preso na manhã de hoje. Ele foi alvo de mandado de prisão preventiva emitido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Moreira Franco foi ministro da Secretaria-Geral da Presidência e de Minas e Energia no governo Temer. Mais cedo, o ex-presidente Michel Temer também havia sido preso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

“É uma barbaridade”, diz defesa de Temer

O advogado Eduardo Carnelós afirmou que a prisão de Michel Temer, seu cliente, “é uma barbaridade”.
O ex-presidente foi preso nesta manhã de hoje, pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. As informações são do Portal BR18


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Temer é levado para o Rio de Janeiro

O presidente Michel Temer vai ser levado para o Rio de Janeiro, após ter sido preso em São Paulo. Ele embarcará na base aérea da capital paulista.

As primeiras informações são de que a prisão tem relação com informações do delator Lúcio Funaro sobre pagamento de propina ao grupo de Temer e do MDB em Angra 3.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Ex-presidente Michel Temer é preso

A Força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, na manhã de hoje, Michel Temer, ex-presidente da República. Os agentes ainda tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia.

Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

Desde ontem, a Polícia Federal (PF) tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

UI, a bola da vez agora é Dilmenta.



21/03


2019

Michel Temer é preso

A força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro prendeu, há pouco, Michel Temer, ex-presidente da República. Os agentes ainda tentam cumprir um mandado contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia. Daqui a pouco mais informações de Brasília.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Reinstalada Frente Parlamentar em Defesa do Sistema Único de Assistência Social

A Frente Parlamentar em Defesa do Sistema Único de Assistência Social foi reinstalada, ontem, na Câmara Federal. O presidente do colegiado, deputado Danilo Cabral (PSB/PE), reafirmou o compromisso de lutar pela recomposição do orçamento do SUAS e para que ele seja prioridade do governo federal. Com mais de 200 assinaturas de parlamentares, a Frente foi criada com o objetivo de preservar e consolidar o SUAS, principalmente diante dos constantes cortes no orçamento da assistência social. 

Segundo Danilo Cabral, é preciso mobilizar a sociedade e o Congresso Nacional para que não haja retrocessos nas políticas públicas da área. “Com a Frente, pretendemos unir parlamentares, gestores, assistentes sociais, profissionais, conselhos, fóruns, sindicatos e a sociedade em geral para defender e fortalecer o Sistema Único de Assistência Social”, disse Danilo.   

A assistência social é direito do cidadão e dever do Estado, estabelecido pela Constituição Federal. O SUAS foi criado em 2011, pela Lei nº 12.435, com o intuito de proteger famílias, crianças, adolescentes, jovens, pessoas com deficiência, idosos, entre outros grupos vulneráveis socialmente. Integram o SUAS os entes federativos, conselhos de assistência social e entidades da assistência social, constituindo uma rede articulada e complementar responsável pela gestão da assistência e proteção social em todo Brasil.

“O SUAS é muito importante, porque mantém e preserva toda uma rede de proteção social. Aqueles que na sua trajetória de vida não tiveram acesso à construção de sua cidadania precisam do Sistema”, destacou. Danilo ressaltou que os cortes previstos para este ano no setor é de R$ 30 bilhões. “Estamos sob risco de acabar com serviços fundamentais, como o funcionamento dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e dos Centros de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS)”, reforçou.

O parlamentar é autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 383/17, que propõe que a União aplique, anualmente, no mínimo 1% da receita corrente líquida no financiamento do Suas. “A Frente trabalhará para que essa PEC seja aprovada e o Sistema Único se torne política de estado. Dessa forma, nenhum governo poderá acabar com o Suas”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Mourão promete processar guru

Recentemente chamado de “idiota” pelo guru Olavo de Carvalho, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, diz que vai processar o escritor se for ofendido novamente, segundo a Coluna do Estadão.

Assim que Bolsonaro aterrissou em Brasília, ontem, Mourão, pelo telefone, manifestou seu incômodo. O vice diz que discordar é uma coisa, mas ofender é outra. “Já está passando dos limites”, avisa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/03


2019

Governador participa da entrega do Anuário da Secretaria da Mulher de Pernambuco

O governador Paulo Câmara participa, hoje, no Teatro Guararapes, de evento alusivo ao Dia Internacional da Mulher, que abrirá o ano da Secretaria da Mulher de Pernambuco. Na ocasião, será entregue a 12ª edição do Anuário, apresentando as ações realizadas pela secretaria em 2018 e o planejamento das metas e prioridades da política para as mulheres em 2019.

Entre as novas ações em favor da melhoria das condições de vida das mulheres no Estado, estão previstas parcerias a serem anunciadas nas áreas do enfrentamento da violência de gênero, do Programa Chapéu de Palha Mulher, dos prêmios “Naíde Teodósio de Estudos de Gênero” e “Mulher Idosa Anita Paes Barreto” e de concurso de fotografia. Também haverá a assinatura de instrumentos técnicos nas áreas de saúde e inclusão da mulher no mercado de trabalho.

A comemoração contará com apresentação de artistas e a participação de representantes dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, da sociedade civil e dos 185 Organismos Municipais de Políticas Públicas para as Mulheres. O evento também homenageará a compositora Joana Batista Ramos, que junto com Matias da Rocha é autora do Hino Vassourinhas – música mais tocada no carnaval pernambucano.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha