Congresso Nordestino de Educação Médica

07/12


2018

Árvore de Natal enfeitada à espera de Eduardo Cunha

Claudia Cruz está esperançosa de que o marido, o ex-deputado Eduardo Cunha, preso na Lava Jato, volte para casa logo.

Ela instalou em sua sala uma imensa árvore de Natal, com enfeites dourados.

“Montada apenas para te esperar, meu amor...”, escreveu no Instagram.  (Mônica Bergamo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

Confira os últimos posts



22/06


2019

Bolsonaro, a canetada e o marechal Rondon

Com apenas uma canetada, Bolsonaro conspurcou legado de marechal Rondon

Após séculos de violência, a Constituição de 1988 reconheceu direitos dos povos indígenas

Oscar Vilhena Vieira - Folha de S.Paulo

Em setembro de 1913 Candido Mariano Rondon foi atingido por uma flecha nhambiquara. Não permitiu que seus soldados reagissem. Os que o seguiam deveriam saber o seu lema: “Morrer se preciso for. Matar, nunca”. Com seu humanismo positivista foi uma antítese dos generais norte-americanos Custer e Sheridan, para quem “índio bom, era índio morto”.

Rondon criou, em 1910, o Serviço de Proteção ao Índio (SPI), depois transformado em Fundação Nacional do Índio (Funai). Foi a figura central na demarcação das primeiras terras indígenas, como o 
Parque Nacional do Xingu.

Com apenas uma canetada o presidente e ex-capitão Jair Bolsonaro conseguiu, nesta quinta-feira (20), conspurcar o legado do Marechal do Exército, Cândido Rondon, além de violar a Constituição e afrontar 
o Congresso Nacional.

Após séculos de pilhagem e violência, a Constituição de 1988 reconheceu aos povos indígenas os direitos “originais” às terras que tradicionalmente ocupam, assim direitos à organização social, costumes, línguas e crenças próprias. A União foi incumbida de demarcar as terras e proteger os direitos dos indígenas (artigo 231).

Setores diretamente interessados na exploração das florestas, rios e, especialmente, riquezas minerais existentes nas terras indígenas, jamais se conformaram com a forma robusta como os direitos dos índios foram assegurados pela Constituição de 1988. Com o objetivo de frustrar esses direitos, especialmente às terras originais, o governo editou, em 1º de janeiro 2019, a medida provisória 870 que, entre outras iniciativas, transferiu para o Ministério da Agricultura a responsabilidade pela demarcação das terras indígenas, que antes pertencia à Funai.  A manobra foi expressamente rejeitada pelo Congresso Nacional.

Inconformado com a derrota, o presidente Bolsonaro editou a MP 886, reiterando sua determinação de transferir a responsabilidade pela demarcação das terras indígenas ao Ministério da Agricultura.  

Leia o artigo na íntegra clicando ao lado:  Com apenas uma canetada, Bolsonaro conspurcou legado de ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Caruaru

22/06


2019

General Heleno no olho do furacão e olho na luneta

Frederico Vasconcelos – Folha de S.Paulo

Na coluna deste sábado (22), na Folha, Demétrio Magnoli trata da subordinação dos militares ao poder civil. “Os que não têm armas cuidam da política; os que têm armas ficam proibidos de fazer política”, lembra a tradição das Forças Armadas nos Estados Unidos.

No governo Bolsonaro, “[Hamilton] Mourão, Augusto Heleno e Santos Cruz, a troika militar original, foi constituída por generais da reserva. A separação era mais formal do que efetiva, pois o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas opera como ponte entre a troika e o atual comandante, Edson Pujol”, afirma Magnoli.

“Os três traçaram um prudente círculo de ferro discursivo, distinguindo-se da radicalização ideológica bolsonarista. O metal, porém, começa a sofrer visível corrosão”, diz. “O general que identifica Moro à pátria e clama pela condenação de Lula à prisão perpétua ainda mantém, no armário, a sua farda estrelada”, observa o colunista.

Leia artigo na íntigre clicando ao lado: General Heleno no olho do furacão e de olho na luneta – Frederico ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

São João Petrolina

22/06


2019

Superpoderes: Bolsonaro ataca o Congreesso

Bolsonaro diz que Congresso quer transformá-lo em uma rainha da Inglaterra

Presidente diz que Legislativo passa a ter superpoderes e que pacto entre Poderes deveria vir 'do coração'

Ricardo Della Coletta e Daniel Carvalho - Folha de S.Paulo

Envolto em uma turbulenta relação com o Congresso, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse neste sábado (22) que o Legislativo passa a ter cada vez mais "superpoderes" e que quer deixá-lo como "rainha da Inglaterra", que reina, mas não governa. "Pô, querem me deixar como rainha da Inglaterra? Este é o caminho certo?", indagou Bolsonaro. 

O presidente fez o questionamento ao dizer que tomou conhecimento de um projeto na Câmara que transferiria a parlamentares o poder de fazer indicações para agências reguladoras."Se isso aí se transformar em lei, todas as agências serão indicadas por parlamentares. Imagina qual o critério que vão adotar. Acho que eu não preciso complementar", afirmou Bolsonaro. O presidente disse que "o Legislativo, cada vez mais, passa a ter superpoderes" e disse que o pacto entre Executivo, Legislativo e Judiciário deveria ser algo vindo "do coração".

"Com todo respeito, nem precisava ter um pacto. Isso precisava ser do coração, do teu sentimento, da tua alma", disse o presidente, na saída do centro médico do Palácio do Planalto, onde foi nesta manhã para fazer exames antes de embarcar para o Japão, na terça-feira (25) para participar da reunião do G-20. Após os exames, o Planalto emitiu nota em que afirma que o presidente apresenta "ótimas condições de saúde".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Moro no Twitter: contras e a favor

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

O ministro Sergio Moro teve 35,81% de mensagens em seu apoio no Twitter, ante 64,19% críticas ao ex-juiz entre terça (18) e quinta (20). Na quarta (19), Moro prestou depoimento no Senado para explicar a troca de mensagens vazadas com o procurador Deltan Dallagnol, chefe da Operação Lava Jato

As informações são de um levantamento de Fabio Malini, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e especialista em Big Data. 

Das 15 postagens mais curtidas na rede, nesse período, 4 são de apoio a Moro: as do músico Nando Moura (25 mil curtidas), da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) (25 mil), do jornalista Allan dos Santos (31 mil) e do procurador Deltan Dallagnol (32 mil).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Ruralistas festejam e arrotam o “quem manda sou eu”

A despeito dos questionamentos sobre a legalidade da nova medida provisória de Bolsonaro que realoca a demarcação de terras indígenas no Ministério da Agricultura, os ruralistas trabalham pela aprovação da proposta no Congresso.

Um representante do grupo lembra que a Frente Parlamentar da Agropecuária tem 243 deputados e exalta a frase do presidente: “Quem manda sou eu”.

A oposição pressiona o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a devolver a polêmica medida provisória, mas há articulação dos dois lados –a ministra Tereza Cristina esteve com ele na quarta (19).  (Folha Painel)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

22/06


2019

Hospital de Gravatá confirma óbito de conselheiro

Nota oficial do Hospital Municipal Doutor Paulo Da Veiga Pessoa

O paciente João Henrique Carneiro Campos, 49 anos, deu entrada às 11h48 de hoje, no Hospital Municipal Doutor Paulo da Veiga Pessoa com quadro de parada cardiorrespiratória.

De acordo com a direção do hospital, o paciente foi direcionado de imediato para a sala vermelha, sendo atendido pela equipe de médicos plantonistas da unidade e recebendo toda a assistência necessária. O paciente constatou óbito às 12h28.

A Secretaria Municipal de Saúde de Gravata lamenta o ocorrido  e solidariza com a família.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Exemplo Odebrecht: Emílio e Marcelo arrastam outros

A decisão do Tribunal de Contas da União de bloquear os bens de Emílio e Marcelo Odebrecht em ação que apura prejuízos ao erário causados pelo grupo que leva o nome da família é tratada como marco para processos que tramitam na corte.

O argumento de que eventuais multas poderiam inviabilizar o funcionamento de empresas, nesse caso, dizem integrantes do tribunal, fica vencido, já que a medida não atinge o caixa da empreiteira. Solução semelhante pode ser usada em outros processos. A Andrade Gutierrez está na fila de julgamentos do TCU.

Pendura -  Rubens Ricupero está na lista de credores da Odebrecht. O valor anotado é de R$ 105 mil. A CDN, gestora de crises de comunicação, também. Nesse caso, a conta é de quase R$ 2,1 milhões.  (Daniela Lima – Folha)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bm4 Marketing 7

22/06


2019

Morre conselheiro João Campos

Vítima de um infarto fulminante, morreu, há pouco, o conselheiro do Tribunal de Contas de Pernambuco, João Campos, parente do ex-governador Eduardo Campos. Ele estava curtindo o São João em Gravatá quando começou a passar mal. João Campos tinha 50 anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Moro falou a única frase que não poderia ter dito

O silêncio é ouro - Políticos experientes que acompanharam a oitiva de Sergio Moro (Justiça) no Senado dizem que, apesar de ter sobrevivido, ele disse a única frase que não poderia ter dito: prometeu deixar o governo caso haja irregularidade.

Isso, avaliam esses ouvintes, fará o ministro refém do vazamento e do veredito que o STF dará, em algum momento, sobre o caso Lula.

Já o deputado Hildo Rocha (MDB-MA) deve apresentar na quarta (26) relatório favorável ao acordo firmado entre Jair Bolsonaro e Donald Trump sobre o uso da base de Alcântara.  (Folha – Painel)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Aliados preocupados com desenrolar da gestão

As recentes mudanças promovidas pelo presidente em sua equipe preocupam aliados que embarcaram no início de seu projeto mas, hoje, observam de longe o desenrolar da gestão.

O fortalecimento de nomes pessoalmente ligados a Bolsonaro –e o afastamento dos que tentavam exercer certo poder moderador– seria um indicativo da rota que o governo seguirá.

A esses fatores, salientam ex-aliados, é preciso acrescentar o alinhamento crescente do presidente com evangélicos.

Quem conhece Bolsonaro acredita que, pela nova composição, ele tende a dobrar a aposta na comunicação direta com os nichos que são o núcleo de seu eleitorado.  (Painel – FSP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Novo ministro, vitória da ala familiar do Planalto

Daniela Lima – Painel – Folha de S.Paulo

A força do sangue -  A queda do general Santos Cruz e a ascensão de Jorge Antonio de Oliveira Francisco à Secretaria-Geral da Presidência foi vista por antigos aliados de Jair Bolsonaro como o triunfo do núcleo familiar sobre o grupo militar no Planalto. O novo ministro não é apenas filho do ex-chefe de gabinete do presidente, Jorge Francisco, como também amigo de infância de seus dois rebentos mais ressonantes, Carlos e Eduardo –o primeiro, inclusive, quando ia visitar o pai em Brasília, se hospedava com os Francisco.

O pai do novo ministro, Jorge Francisco, apoiou campanhas de Flávio, Carlos e Eduardo. Ele, que trabalhou por 20 anos com Bolsonaro, doou R$ 15 mil para Carlos em 2012, e outros R$ 2,5 mil em 2016, segundo o TSE.

Irmão camarada -  Eduardo recebeu, de acordo com a prestação de contas,R$ 11 mil do ex-chefe de gabinete do pai. Flávio também contou com recursos dele em 2002. Jorge Francisco morreu de infarto em abril de 2018. Na época, o então candidato cancelou agenda para velar o amigo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Justiça tem seis delatores no trabalho comunitário

Lava Jato

Justiça Federal em SP tem seis delatores da Lava Jato no trabalho comunitário. Executivos da Camargo Côrrea, Andrade Gutierrez e Odebrecht se esbarram nos corredores.

Foto: Geraldo Bubniak/Agência O Globo / GEL LIMA/PARCEIRO/AGÊNCIA O GLOBO / Reprodução / WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL

Época - Por Guilherme Amado

 

Seis delatores da Lava Jato têm se esbarrado pelos corredores da Justiça Federal em São Paulo, no prédio da Avenida Paulista, no serviço comunitário obrigatório que fazem, no regime semiaberto.

O ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Azevedo, o ex-executivo da mesma empresa Flávio Barra, os ex-executivos da Camargo Corrêa Eduardo Leite e Dalton Avancini, o ex-executivo da Odebrecht Alexandrino Alencar e o ex-assessor de Alberto Yousseff Rafael Angulo se revezam na anotação e no carimbo de documentos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Suplente acompanha com atenção caso Flordelis

A vida como ela é...

Caso Flordelis é naturalmente acompanhado com atenção pelo suplente dela.

Flordelis e o marido Anderson do Carmo. Foto: reprodução/InfoNavWeb Noticias

O Globo - Por Ancelmo Gois

 

Na minha terra, diz-se que “quem foi ao ar perde o lugar”.

A tragédia da deputada federal Flordelis, apontada por um dos filhos como suspeita do assassinato do marido, Anderson do Carmo, é naturalmente acompanhada com atenção pelo suplente Pedro Augusto. 

O curioso é que ele é ligado à comunidade católica e ela, à comunidade evangélica.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Odebrecht não quer ir contra Lava Jato

Odebrecht não vai questionar quebra de sigilo da Lava Jato com Moro. Empreiteira não quer ir contra força-tarefa de Curitiba.

O ministro da Justiça, Sergio Moro Foto: Adriano Machado / REUTERS

Época - Por Guilherme Amado

 

A Odebrecht decidiu não ir contra a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, pelos procuradores terem quebrado o sigilo das negociações passando informações para Sergio Moro.

Pelo contrário: dada a sensibilidade de sua situação, a Odebrecht agora é MPF Futebol Clube.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/06


2019

Bolsonaro fala a nichos

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), concedeu entrevista à revista Veja em que criticou a agenda do governo Jair Bolsonaro, dizendo que ela é voltada a nichos, e não ao conjunto da sociedade.

“O presidente tem uma agenda muito voltada para os segmentos da sociedade que o levaram ao Palácio do Planalto. Ele fala a nichos bem específicos. Fala ao caminhoneiro, ao pessoal das armas, aos evangélicos, aos militares. Foca muito esses temas que são mais do cotidiano e não olha para uma agenda de longo prazo. Já a sociedade tem outra pauta. Está preocupada com o desemprego, a conta de luz, a violência nos bairros. A gente precisa ter responsabilidade com a recomposição dos serviços públicos e a geração do emprego. É essa a intenção da agenda que está sendo proposta pelo Congresso”, afirmou.

Na entrevista, ele detalha o que eu chamei na minha coluna desta semana de Plano Maia-Alcolumbre de recuperação da economia. Ele negou que seu objetivo seja disputar espaço com o ministro Paulo Guedes na definição dessas medidas. (Estadão – BR 18 – Vera Magalhães)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha