Governo de PE

07/12


2018

Cuidado pai: filhos, tensão da equipe do presidente

Atuação intensa dos filhos de Bolsonaro preocupa equipe do presidente eleito

O vereador Carlos Bolsonaro, do Rio, é o que mais causa apreensão, desde a campanha eleitoral

Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo

A atuação intensa dos filhos de Bolsonao preocupa integrantes da equipe do presidente eleito. O vereador Carlos Bolsonaro, do Rio, é o que mais causa apreensão, desde a campanha eleitoral.

O parlamentar é considerado o mais tempestuoso dos três filhos de Bolsonaro que seguiram carreira política. E o mais propenso a gerar crises, ainda que permaneça distante do núcleo do futuro governo.

Carlos Bolsonaro já se desentendeu com o futuro secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno,  e acaba de comprar briga com um dos parlamentares eleitos mais próximos do futuro presidente, Julian Lemos (PSL-PB).

No entrevero, o vereador pediu que Lemos pare de “aparecer atrás” do presidente eleito, “por algum motivo como faz sempre”.

Julian Lemos diz que não quer comentar os ataques. E afirmou: “Fui forjado acompanhando, por quatro anos, a vida política de Bolsonaro, vendo seu exemplo e ouvindo seus conselhos. Sou soldado de primeira hora. Respeito a família, mas só sigo as orientações do presidente. Ele me lidera e só aceito o seu comando”.

Numa postagem recente no Twitter, Carlos Bolsonaro chegou a declarar que a morte de Bolsonaro interessa a pessoas próximas.

FREIO

Já o deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro fala demais, na opinião de auxiliares do presidente. É dele a declaração de que bastariam um soldado e um cabo para fechar o STF (Supremo Tribunal Federal), o que gerou uma crise com a corte.

O filho mais velho, Flávio Bolsonaro, que foi eleito senador pelo Rio, é considerado o mais maduro, ponderado e amistoso dos três. É definido como “um amor de pessoa” por um político do círculo íntimo do presidente eleito.

Na quinta (6), no entanto, ele foi envolvido na notícia de que um ex-assessor movimentou R$ 1,2 milhão, de forma atípica. E virou um dos assuntos mais comentados do Twitter.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Em meio a escândalo envolvendo mulher e filhos, Bolsonaro silencia alegando recomendação médica.

Fernandes

Todos almas sebosas.

Fernandes

3 semanas de protestos na França. Tudo quebrado e fogo para todo o lado. A imprensa brasileira diz que é manifestação. Se fosse aqui, diria que é vandalismo.

Fernandes

Escândalo com esposa de Bolsonaro poderá antecipar tutela militar , o reinado da família Bolsonaro chegou ao fim antes mesmo de começar. Reeditou-se o caso da viúva Porcina.

Fernandes

Coaf relata conta de ex-assessor de Flávio Bolsonaro Documento aponta movimentação atípica no valor de R$ 1,2 milhão de Fabrício Queiroz, PM que era lotado no gabinete do deputado. Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em uma conta no nome de um ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) – filho mais velho do presidente eleito Jair Bolsonaro – entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. O Coaf informou que foi comunicado das movimentações de Queiroz pelo banco porque elas são “incompatíveis com o patrimônio, a atividade econômica ou ocupação profissional e a capacidade financeira.


Governo de PE

Confira os últimos posts



25/05


2019

A bancada da selfie perdeu e não viu

Bernardo Mello Franco – O Globo 

As redes sociais ajudaram a eleger boa parte dos novatos no Congresso. Agora a devoção ao smartphone começa a cobrar seu preço. Obcecados pelos aparelhinhos, os parlamentares prestam pouca atenção no que acontece à sua volta. As consequências do vício puderam ser observadas na noite de quarta-feira.

A Câmara discutia a medida provisória que cortou ministérios e remanejou órgãos federais. O governo orientou sua tropa a manter o Coaf no Ministério da Justiça. Faltou dizer que a tarefa era convencer os colegas, e não a claque da internet.

Inspirados no presidente tuiteiro, os deputados do PSL passaram a sessão nas redes. Com o celular em punho, muitos pareciam falar sozinhos. Faziam transmissões ao vivo no Facebook, no Instagram e no YouTube. Nos intervalos, aproveitavam para compartilhar memes e correntes de WhatsApp.

Falando para seus seguidores, os governistas atacavam o Congresso e descreviam os adversários como defensores da corrupção. A pregação irritou até parlamentares que costumam votar com o Planalto. “Isso aqui não é um circo em que as pessoas pegam o celular para ficar transmitindo o que se passa”, protestou o líder do DEM, Elmar Nascimento.

Ele também acusou a bancada do PSL de quebrar acordos, o que no Parlamento pode ser mais grave que xingar a mãe. “Isso é um procedimento canalha. Procedimento de moleque”, esbravejou.

O ex-nadador Luiz Lima, um dos novatos que surfaram a onda bolsonarista, diz que o uso massivo das redes é parte inseparável da “nova política”. “O eleitor quer saber o que a gente está fazendo. Hoje cada um de nós é uma emissora de TV”, teoriza.

O problema é que as curtidas virtuais nem sempre dão resultado no plenário. Os eleitores têm poder de pressão, mas quem decide as votações são os representantes eleitos. O PSL tem 54 deputados, pouco mais de 10% num universo de 513.

“Enquanto o governo vai sendo derrotado nas votações mais importantes, eles ficam lá tirando selfies. É uma bancada que só consegue olhar para si, não enxerga nada do que está no entorno”, debocha o deputado Marcelo Freixo, do PSOL.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Congresso Nordestino de Educação Médica

25/05


2019

Bezerra Coelho “alegre” em avião com Bolsonaro

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), postou um vídeo nesta manhã de sexta, 24, ao lado do presidente Jair Bolsonaro dentro do avião que os transportava de Recife a Petrolina, nesta manhã de sexta, 24.

Sorridente, apesar de ter sido alvo de bloqueio de verba determinado pelo TRF-4 por suspeitas de improbidade ligadas à Petrobrás, Bezerra disse estar “alegre” por recepcionar o presidente na primeira viagem ao Nordeste desde a posse.

Bolsonaro, por sua vez, rasgou elogios: “Um homem que realmente está fazendo pelo Brasil”.

Enquanto isso, a maioria da população é favorável aos atos marcados para este domingo, 26, e considera positivo o apoio do governo à sua realização. É o que aponta pesquisa telefônica feita pelo Ideia Big Data para o BR18, realizada nos dias 22 e 23 com 1.203 pessoas.

Para 69%, os protestos ocorrem em momento oportuno e devem contar com o apoio do governo. Discordam dessas afirmações 31%. A população demonstra não ter clareza quanto à motivação do movimento: 61% dos entrevistados discordam de que as manifestações são a favor do governo de Jair Bolsonaro e de sua pauta no Congresso, contra 39% que concordam. Mas a maioria também não vê os atos como sendo contrários ao contrários ao Congresso, aos políticos e ao Judiciário: só 44% concordam com esse enunciado, contra 56% dos que discordam.  (Estadão - BR 18)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Só lembrando: A propina e roubo de FBC foi quando ele era ministro de Dilma jumenta e secretário do outro ladrão Eduardo Campos.



25/05


2019

Deputado príncipe: “Desde quando STF é instituição séria?”

As declarações do deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) feitas ao STF à revista Época nesta sexta, 24, são indícios de que a pauta da manifestação de domingo desperta apelos antidemocráticos.

“Desde 2014 até agora as manifestações são contra o quê? São contra corrupção, contra o Supremo, contra o toma lá dá cá, contra o comunismo, contra o socialismo. Se você falar assim: “Ah, não pode ter manifestação contra o Supremo…”. Pelo amor de Deus! O Supremo desde quando nos últimos anos é uma instituição séria? Perdeu totalmente a credibilidade. Totalmente”, disse ele à publicação.

Também nesta sexta, pelo Twitter, o parlamentar justificou que basta uma entrevista com o alto comando das Forças Armadas “para desqualificar por completo esse papo de intervenção nas instituições”.  (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/05


2019

Paulo Guedes está costeando o alambrado?

Helena Chagas

O principal destinatário do recado do ministro Paulo Guedes de que deixa o governo se a reforma da Previdência virar “uma reforminha”, dado em entrevista à Veja desta semana, não é, como parece, nem o mercado e nem o Congresso. É, acima de todos, o próprio presidente Jair Bolsonaro, em quem a equipe econômica não está sentindo a firmeza que gostaria de ver em relação à proposta que tramita hoje na Câmara.

A semana, marcada pelas idas e vindas em torno da votação da medida provisória 870, mostrou que, assim como deixou na mão seu ministro da Justiça, Sérgio Moro, aceitando a transferência do Coaf para a Economia, Bolsonaro estaria pronto a fazer o mesmo na negociação da Previdência. Ou seja, aceitar um projeto que renda bem menos do que o R$ 1 trilhão de economia previsto na proposta de Guedes, algo em torno da metade disso. Há fortes sinais de que isso vá acontecer.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde

25/05


2019

Moro precisa priorizar caso Marielle

Blog do Kennedy

Depois de concluir que houve obstrução na investigação das mortes de Marielle Franco e Anderson Gomes, a Polícia Federal cumpriu etapa importante. Mas é necessário um passo seguinte.

A PF deve se envolver na apuração de quem são os mandantes, já que ficou evidente a falta de confiabilidade na Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Diante das fortes evidências de que milicianos, hoje ligados a figuras poderosas no Brasil, tenham sido os responsáveis pelo assassinato político de Marielle, é preciso mais energia das autoridades federais em relação ao caso.

Nesse contexto, o chefe da PF, o ministro da Justiça, Sergio Moro, deveria priorizar a investigação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

25/05


2019

Vaidosos e arrogantes: bancada da selfie defende-se

Após serem flagrados mais preocupados com suas lives nas redes sociais do que na votação em andamento no plenário, membros da “bancada da selfie” do PSL defenderam a necessidade da “comunicação direta” com seu eleitorado nos mais diversos momentos.

Vice-líder do PSL, o deputado Filipe Barros, avisou que “está levando a população para dentro do plenário pelo celular”. “Continuarei fazendo. Isso é transparência”, escreveu.

Seu colega de PSL, Carlos Jordy (RJ) também manterá a postura. “Não somos bancada das lives, somos a bancada que se comunica com seu eleitor, que mostra o que acontece no dia a dia da política. Os tempos mudaram, esse é o novo modo de fazer política, acostumem-se.”  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/05


2019

Aliados: Guedes precisa de choque de humildade

O presidente da Comissão Especial da reforma da Previdência, Marcelo Ramos, se juntou ao time dos que não gostaram nem um pouco das declarações de Paulo Guedes à revista Veja desta semana, na qual o ministro avisa que pode deixar o governo caso a reforma não traga a economia desejada.

Na opinião do deputado, o ministro da Economia precisa de um “choque de humildade”.

“A declaração é desrespeitosa com o presidente e constrange o presidente, que é chefe dele. O Brasil é maior do que ele, ele não é maior que o Brasil. O ministro Paulo Guedes precisa de um choque de humildade, ele precisa entender que é ele que trabalha para o Brasil, não é o Brasil que trabalha para ele. O ministro não está fazendo nenhum favor ao país”, disse.  (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 5

25/05


2019

Senador: "Se MP 870 voltar para a Câmara cai"

O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga, fez um aviso para os senadores que tentarão modificar o texto da reforma administrativa aprovado na Câmara: “Se voltar para a Câmara, cai”, disse o emedebista para o Estadão. A sigla, maior bancada do Senado, promete votar pela manutenção do texto na próxima terça-feira, ou seja, com o Coaf fora das mãos de Sergio Moro

Já o presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira, 24, que deve sancionar a franquia mínima de bagagem, regra incluída na MP aprovada nesta semana no Congresso que permite capital estrangeiro em empresas aéreas brasileiras.

“Afinal de contas, com aquela isenção da franquia da bagagem, meu coração manda sancionar, porque quando começou cobrar a bagagem, as passagens não caíram, pô! Não adiantou nada, está certo?”, disse ele, em entrevista no Recife, segundo o Estadão. A medida vai contra recomendação da equipe econômica, pautada por políticas liberais.  (Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/05


2019

Bolsonaro culpa a mídia de atritá-lo junto a seu Posto Ipiranga

O presidente Jair Bolsonaro não viu problema nenhuma ao ver Paulo Guedes declarar que poderá deixar o cargo de ministro da Economia caso a reforma não traga a economia planejada. Em suas redes sociais, Bolsonaro culpou “a mídia” por tentar causar uma polêmica entre ele e seu “Posto Ipiranga”. “Nosso casamento segue mais forte que nunca”, disse.

“Caso não aprovemos a Previdência, creio que deva trocar o Ministério da Economia pelo da Alquimia, só assim resolve”, escreveu o presidente.

Enquanto o presidente da Comissão Especial, Marcelo Ramos, subiu o tom após Paulo Guedes ameaçar abandonar o cargo caso a reforma não seja a desejada, o relator da PEC 06, Samuel Moreira (PSDB-SP), foi pelo caminho contrário. O tucano minimizou a polêmica com o Ministro da Economia e garantiu que a reforma segue firme e forte na Câmara. “Eu considero o Paulo Guedes alguém com espírito público, ele tem bons diagnósticos”, afirmou o relator, dizendo que ainda está atrás da meta de R$ 1 trilhão de economia. Estado)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/05


2019

Paulo Guedes, Bolsonaro e o risco do

Por Vera Magalhães- Estadão

Paulo Guedes ameaçou deixar o governo caso a reforma da Previdência vire uma “reforminha”. Fixou até um piso: economia de R$ 800 bilhões em dez anos. Quais os riscos da ameaça do titular da Economia?

Não é a primeira vez que o ministro mais importante do governo Jair Bolsonaro ameaça pedir o boné caso as coisas não saiam como planejou. Ao usar essa retórica reiteradamente, Guedes vai minando, aos poucos, seu próprio papel de âncora da estabilidade de um governo altamente instável.

Na entrevista à Veja em que afirma que sairá caso haja uma “reforminha”, o ministro: 1) passa o tom de que está pressionando um Congresso já pressionado; 2) deixa Jair Bolsonaro vulnerável num momento em que enfrenta crise de popularidade e as primeiras manifestações de rua, e 3) fixa um novo “piso” para a Previdência, algo temerário no atual momento.

Bolsonaro não gostou. Guedes age como trader, mostrando que pode “rever a posição” caso o cenário não se configure como ele imaginou. Compreensível a reação de Bolsonaro, ao dizer que ninguém é obrigado a ser seu ministro –seria isso ou ficar refém eternamente de ameaças reiteradas. O principal e um dos mais preparados ministros do governo age um pouco como o Pedro da fábula, que, de tanto gritar “olha o lobo”, pode não ser ouvido quando o lobo de fato vier.  (Estadão – BR 18)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/05


2019

Governo estuda aluguel social no Minha Casa Minha Vida

O governo federal estuda implantar um "aluguel social", com tarifa acessível, para beneficiários do Minha Casa Minha Vida, afirmou, hoje, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. Ele esteve em Petrolina (PE) com o presidente Jair Bolsonaro para a inauguração de um conjunto habitacional pelo programa.

O aluguel social é uma modalidade na qual o governo paga para uma família manter um imóvel por um período determinado. Prefeituras e governos estaduais mantêm programas do tipo no país atualmente.

Pelas regras de hoje, os beneficiários do Minha Casa Minha Vida compram o apartamento por meio de financiamento, com subsídio de até 90% por parte do governo federal. "Em alguns casos, o aluguel social, a locação social, é o mais apropriado. Em outras, outras, a transferência do imóvel. Mas ainda é uma proposta que está sendo discutida e passará pelo crivo da sociedade, da Caixa Econômica [Federal] e do Ministério da Economia”, disse o ministro. "Não é que vai deixar de entregar casa para a população”.

Ao jornal "O Estado de S.Paulo", nesta sexta, Canuto afirmou que as mudanças estão em estudo nas linhas de crédito destinadas a atender aos mais pobres, para famílias com renda de até R$ 1.800 (chamada de "faixa 1" no Minha Casa Minha Vida) e de até R$ 2.600 ("faixa 1,5"). Ainda não há detalhes de como o projeto funcionará.

Em Petrolina, Canuto falou na necessidade de o programa ser aperfeiçoado e de ter identificado "falhas", sem especificar. Na entrevista ao "Estado", ele disse que uma das falhas é a venda dos apartamentos por beneficiários do programa – a venda é proibida.

O governo federal irá investir R$ 11,6 bilhões em novas contratações para o Minha Casa Minha Vida, ainda segundo Canuto. "Essa história de que o programa parou não existe."

Procurado, o Ministério do Desenvolvimento Regional informou que a Política Nacional de Habitação está sendo reformulada e que a criação de uma modalidade de aluguel social é uma das possibilidades.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/05


2019

Guedes reafirma compromisso com o crescimento do País

Nota oficial

O Ministério da Economia reafirma o total compromisso do ministro Paulo Guedes com a retomada do crescimento econômico do país e rechaça qualquer hipótese de que possa se afastar desse propósito.

O Ministério da Economia reitera ainda sua absoluta confiança no trabalho do Congresso Nacional, instituição com a qual mantém excelente diálogo, para garantir a aprovação da Nova Previdência com economia superior a R$ 1 trilhão.

Ministério da Economia


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/05


2019

Deputada representa a Alepe em homenagem a Fernando Figueira

Na manhã de hoje, a deputada estadual Roberta Arraes esteve representando a Assembleia Legislativa de Pernambuco, no plenário do Senado, em Brasília, durante a Sessão Solene em homenagem ao Centenário de Nascimento do Professor Fernando Figueira, patrono do Instituto de Medicina – IMIP.

Em seu pronunciamento, Roberta Arraes citou a principal obra do homenageado, o Instituto Materno Infantil de Pernambuco, o IMIP, que hoje é chamado de Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira. "Entidade filantrópica que atua nas áreas de assistência médico-social, ensino, pesquisa e extensão comunitária, possuindo um imenso complexo hospitalar voltado para o atendimento da população carente pernambucana", afirmou.

Por fim, a parlamentar citou outras criações do Professor Fernando Figueira e afirmou que ele deixou como herança, um dos maiores legados da medicina brasileira e uma lição de vida dedicada aos princípios da solidariedade, fraternidade e respeito aos mais carentes, assim como uma imensa dedicação ao ensino e à produção científica. “Legado este que é devidamente enaltecido e reconhecido nesta ocasião em que comemoramos o seu centenário de nascimento. Parabenizo o senador Humberto Costa e os deputados federais, Felipe Carreras e João Campos pela iniciativa deste merecido reconhecimento”, finalizou Roberta Arraes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/05


2019

Governadores cobram da União 30% do FNE para os Estados

O governador Paulo Câmara se uniu aos demais governadores dos Estados do Nordeste e o de Minas Gerais, hoje, no Recife, para cobrar do Governo Federal soluções para o desenvolvimento e combate às desigualdades na região. Na presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, a 25ª reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) teve como principal pleito a destinação de 30% do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para região, e que esse repasse também possa ser feito para os Estados que possuem rating C, ou abaixo disso. Ambas as prioridades foram acordadas pelos governadores em reunião prévia, na manhã de hoje, no Palácio do Campo das Princesas.

“O mais importante desse encontro foi que nós conseguimos colocar a proposta de destinação de 30% do FNE para a captação dos Estados, para que esses recursos sejam aplicados em infraestrutura, possibilitando que novos investimentos cheguem ao Nordeste e façam com que a gente tenha menos desemprego e retome o crescimento. Essa é a nossa missão: combater as desigualdades e promover o equilíbrio regional necessário para um país mais justo. Porque apesar de avanços recentes, ainda convivemos com flagelos como a seca, a falta de oportunidades e instabilidade econômica”, destacou Paulo Câmara.

O governador da Bahia, Rui Costa, também reforçou que o incentivo destinado às obras de infraestrutura são indispensáveis para o desenvolvimento da região. Em entrevista à imprensa, o gestor explicou que, a partir de agora, basta que uma medida provisória seja editada e aprovada para que haja a liberação dos recursos. “Esse plano é resultado da escuta aos governadores. Foi aprovada a proposição que os Estados gostariam: a destinação de 30% do valor do FNE para ser executado pelos governos em obras de infraestrutura. O presidente, ao nosso entender, por uma medida provisória, pode resolver isso e dar legalidade ao fato de o Estado executar esses valores”, ratificou.

A 25ª reunião do Conselho Deliberativo da Sudene marcou a primeira visita do presidente Jair Bolsonaro ao Nordeste. Participaram do encontro, no Instituto Ricardo Brennand, no bairro da Várzea, os ministros de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes; os governadores  Camilo Santana (CE), Fátima Bezerra (RN), Wellington Dias (PI), Renan Filho (AL), João Azevedo (PB), Flávio Dino (MA), Belivaldo Chagas (SE) e Romeu Zema (MG); além do superintendente da Sudene, Mário Gordilho, o senador Fernando Bezerra Coelho, o presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio, o comandante militar do Nordeste, general Marco Antônio Freire Gomes, o prefeito do Recife Geraldo Julio e o anfitrião, empresário Ricardo Brennand, entre outras autoridades.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/05


2019

Márcio Stefanni assume direção do ProRural

O advogado e funcionário de carreira do BNDES Márcio Stefanni, 41 anos, assume o ProRural (Programa Estadual de Apoio ao Pequeno Produtor Rural), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária do Estado. Na direção-geral do ProRural, ele terá a missão de tocar o projeto Pernambuco Rural Sustentável, financiado pelo Banco Mundial.

Márcio Stefanni entrou no Governo de Pernambuco em 2011, na segunda gestão Eduardo Campos, como diretor da AD/Diper, tendo ocupado ainda os cargos de secretário de Desenvolvimento Econômico e Presidente de Suape. No primeiro mandato do governador Paulo Câmara, Stefanni foi secretário da Fazenda, secretário de Planejamento e secretário de Turismo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha