ArcoVerde

03/12


2018

Suape retoma dragagem do canal de acesso ao estaleiro

A dragagem para aprofundar e alargar o canal de acesso ao estaleiro Vard Promar, no Porto de Suape, será retomada em até 20 dias. A obra estava parada desde abril passado por problemas técnicos e deverá ser concluída em fevereiro do próximo ano. Com a dragagem, o canal passará a ter profundidade de -9 metros e extensão aproximada de 1.000 metros, permitindo o acesso de navios petroleiros e de minério, ampliando a capacidade operacional do Porto de Suape dentro dos padrões internacionais.

“A retomada dos serviços é de fundamental importância para o Vard Promar e para Suape. O estaleiro está concorrendo no processo licitatório da Marinha para construir as quatro corvetas e essa obra, sem dúvida, pode ajudar nesse processo de escolha, uma vez que deixa o estaleiro ainda mais competitivo”, afirmou Carlos Vilar, presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape. Futuramente, outra dragagem será executada para aprofundar para -11 metros, aumentando a capacidade do estaleiro para fazer reparos em embarcações.

Os materiais retirados do fundo do mar são depositados na ilha de Cocaia para terraplanar o local onde será o construído o Terminal de Minérios, diminuindo os custos com terraplenagem na ilha. A obra possui todas as licenças ambientais e de operação, além de um plano de controle e monitoramento ambiental, seguindo todas as diretrizes dos órgãos de controle.

Até o início de 2019, a administração de Suape espera licitar outra obra de dragagem. “Vamos dragar o porto interno, aumentando a profundidade dos cais 1, 2, 3, 4 e 5 para -15,5 metros, além da bacia de evolução. O projeto executivo está em processo de conclusão e faremos a obra com recursos próprios”, concluiu Vilar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

Confira os últimos posts



13/12


2018

Janaína Paschoal alfineta Flávio Bolsonaro

'Esse tipo de prática é bem mais deletéria do que parece'

VEJA - Expresso 

Deputada estadual eleita, Janaína Paschoal (PSL) se pronunciou nesta quarta (12) sobre as movimentações suspeitas feitas entre assessores da Assembleia Legislativa do Rio e deputados.

A investigação envolve uma das lideranças do partido, o senador eleito Flávio Bolsonaro.

Janaína não cita o correligionário. Ela diz que as considerações “não têm o intuito de avaliar o mérito de nenhuma situação em especial, mas discutir (em teoria) prática a ser coibida”.

Enquanto isso o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou nesta quarta-feira, 12, o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, de tomar parte do plano dos Estados Unidos para assassiná-lo e instaurar uma ditadura em seu país. O conselheiro de segurança Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, seria o arquiteto desse suposto golpe, que receberia também a ajuda do governo da Colômbia. Bolsonaro já teria incumbências a cumprir, insistiu o venezuelano.

Maduro não apresentou provas para suas alegações.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/12


2018

Bombardeiros russos chegam à Venezuela: corrida armamentista

iG São Paulo 

Para fortalecer aliança entre Venezuela e Rússia, Aeroporto de Caracas recebe dois bombardeiros russos com capacidade de carregar arma nuclear

Dois bombardeiros russos pousaram, nesta segunda-feira (10), em solo venezuelano, a fim de realizar testes militares conjuntos. A situação causa apreensão para a possibilidade de se ter início a uma Paracorrida armamentista na América do Sul.

O Aeroporto Internacional de Maiquetía Simón Bolívar, nos arredores de Caracas, foi o local escolhido pela Rússia para realizar o pouso de quatro aeronaves – entre elas, dois bombardeiros estratégicos Tupolev 160 (Tu-160) capazes de transportar armas nucleares. Além dos aviões, mais de cem funcionários do governo russo também viajaram à Venezuela . 

Diante de uma crise humanitária no país, a possibilidade de uma intervenção militar na Venezuela, com o objetivo de derrubar o governo de Nicolás Maduro, veio à tona no cenário internacional.

Para Vladimir Padrino López, ministro da Defesa da Venezuela, os exercícios militares conjuntos poderão favorecer a troca de experiências do país com o Exército russo. "Estamos nos preparando para defender a Venezuela até o último momento caso for necessário”, afirmou o ministro durante cerimônia de boas-vindas às aeronaves.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/12


2018

Aécio se despede do Senado atacando Joesley Batista

Estadão Conteúdo

Em seu último discurso como senador no Congresso Nacional, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou a atacar o empresário Joesley Batista, dono da JBS, em razão das denúncias de que teria recebido R$ 109,3 milhões para a compra de apoio político em sua campanha presidencial nas eleições de 2014, quando saiu derrotado.

Durante aproximadamente 20 minutos, o mineiro falou aos colegas, fez uma retrospectiva da sua passagem pela Casa e, principalmente, rebateu as acusações que terá de responder. Ao final, o tucano optou por dar um alerta para os “companheiros” de Senado: pediu que os parlamentares fiquem “atentos” porque “o caminho” indica que vão “absolver o culpado e condenar o inocente”.

“Eu quero deixar registrado de forma absolutamente clara àqueles que nos assistem e aos meus pares nesta Casa, com os quais espero ter ainda um longo convívio, que farei a minha defesa veemente de todas essas acusações infames que me chegam. Sei da responsabilidade que tenho. Sofro ainda hoje as marcas do pós-eleição”, disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/12


2018

Bolsonaro pode assumir governo sem Orçamento 2019

Helena Chagas

São grandes as chances de o presidente Jair Bolsonaro tomar posse sem que o orçamento de 2019 seja aprovado pelo Congresso – e por articulação do próprio governo eleito. Paulo Guedes e equipe estão a cada dia mais assustados com a inclinação do Legislativo – que se despede com a maior renovação dos últimos anos – para criar problemas e aprovar pautas-bombas. Temem, portanto, que o orçamento que lá está tramitando, e que deveria ser aprovado até o dia 20, seja um campo minado de bombas explicitas e ocultas. Como, por exemplo, a prorrogação de incentivos fiscais aprovada ontem.

Melhor seria, raciocinam alguns de seus interlocutores políticos, fechar o ano sem votar o orçamento e viver os primeiros meses de 2019 à base de duodécimos orçamentários, que é o que se faz quando o ano começa sem orçamento. Isso já ocorreu outras vezes e não é desastre algum para um governo que não quer gastar. Ajuda, inclusive, no discurso para justificar a suspensão de despesas, contratos e pagamentos – providência que, segundo se comenta nos bastidores, está sendo seriamente discutida pela equipe de transição.

Há, porém, dois obstáculos a essa estratégia, que estão sendo avaliados pelas equipes econômica e política do novo governo. O primeiro é o fato de o Congresso que se despede querer aprovar o orçamento. Afinal, para muitos deputados e senadores, trata-se de sua última chance de deixar uma digital na lei orçamentária, incluindo ali obras e recursos de seu interesse – ou, ao menos, ter uma oportunidade de negociar isso com o poder que entra. Para não votar o Orçamento 2019 agora o governo Bolsonaro terá que apostar naquela lei da inércia política segundo a qual só há quorum perto das festas de fim de ano com muito esforço. Sem esforço, quem sabe…

A decisão deve sair nas próximas horas, ainda que não venha a ser explicitamente revelada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2018

Sem declarar apoio formal, PP acena a Bolsonaro

Jornal do Brasil

Dono da terceira maior bancada parlamentar na Câmara a partir do ano que vem, com 34 deputados federais, o Partido Progressista (PP) se reuniu na tarde de hoje (12) com Jair Bolsonaro, em Brasília, para ouvir os planos do presidente eleito. De acordo com o líder do partido na Casa, deputado Arthur Lira (AL), não foi discutida a entrada da legenda na base do governo, mas o apoio para a votação de projetos.

"Não ficou nada definido com relação a isso [entrada na base de governo]. O partido vai votar as matérias que julgar necessárias, importantes para o país, sem nenhum tipo de assentamento, de fazer parte da base ou não do governo do presidente Bolsonaro", afirmou. O presidente eleito foi, por quase 20 anos, integrante do PP com mandato de deputado no Congresso Nacional.

"As ações programáticas do governo Bolsonaro e do PP se coadunam na maioria dos casos. Nós temos mais convergências do que divergências e nas convergências nós iremos ajudar", acrescentou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2018

Mais repasse de dinheiro a Aécio, diz Polícia Federal

PF obtém novos indícios de repasse de dinheiro vivo a Aécio Neves

Segundo dono de supermercado de Minas Gerais confirma à PF geração de dinheiro em espécie

Aguirre Talento e Bela Megale - O Globo

Após a deflagração da Operação Ross na terça-feira, a Polícia Federal conseguiu obter novos indícios do repasse de dinheiro vivo em Minas Gerais destinado ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), principal alvo da ação sob suspeita de ter captado ilicitamente R$ 128 milhões do grupo J&F, detentor da JBS. Em despedida do Senado nesta quarta-feira,Aécio voltou a dizer que não recebeu propina .

Um dos empresários ouvidos durante a operação, Ronosalto Pereira Neves, sócio da MartMinas Distribuidora, confirmou à PF que realizou uma operação financeira para gerar R$ 1,1 milhão em espécie a pedido da JBS, integrante do grupo J&F. Ronosalto disse que a operação foi feita por um pedido direto do empresário Joesley Batista, dono do grupo, e que o dinheiro foi retirado nos escritórios da MartMinas por um gerente da própria JBS, de nome Roberto.

É o segundo empresário varejista que confirma aos investigadores ter gerado dinheiro vivo em operações com a JBS.Os executivos da J&F relataram em delação premiada que, além do Supermercado BH, também usaram o supermercado MartMinas para gerar R$ 1 milhão em dinheiro vivo destinados a Aécio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2018

Bolsonaro diz que investigação "dói no coração"

....contra ex-assessor de filho

'Se tiver algo errado, que paguemos a conta', acrescentou o presidente eleito

Jussara Soares - O Globo

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) admitiu na noite desta quarta-feira que está disposto “a pagar a conta” caso a investigação aponte irregularidade na movimentação de R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017 de Fabrício José Carlos de Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio Bolsonaro .  Bolsonaro disse que o caso “dói no coração ”, porque, segundo ele, “o que tem de mais firme (em seu projeto de governo) é o combate à corrupção”.

- Se algo estiver errado comigo, meu filho ou o Queiroz, que paguemos a conta desse erro. Não  podemos comungar com erro de ninguém - disse Bolsonaro, em um pronunciamento ao vivo pelo Facebook, que druou 16 minutos.

Queiroz é citado em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) anexado à Operação Furna da Onça, que no mês passado prendeu deputados estaduais do Rio. O volume de recursos movimentados em sua conta bancária foi considerado atípico. Entre as movimentações que constam do relatório está um cheque de R$ 24 mil pagos à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O relatório do Coaf também cita que a conta de Queiroz recebeu repasses de oito funcionários e ex-funcionários do gabinete de Flávio. O órgão listou outros funcionários de gabinetes da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) que tiveram movimentação atípica. O Ministério Público do Rio já tem procedimentos em curso, que correm sob sigilo, para investigar possíveis irregularidades cometidas por servidores da Assembleia, com base no relatório do Coaf. O MP não esclarece se as movimentações financeiras de Queiroz estão sob investigação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

No fim, a honestidade era um mito.


bm4 Marketing 4

12/12


2018

Deputado propõe aumento de pena para crimes contra vigilantes

A Câmara dos Deputados irá analisar uma proposta do deputado federal Eduardo da Fonte que garante maior punição a quem cometer crimes contra vigilantes. O projeto prevê que as mesmas punições em vigor, hoje, a quem comete homicídio ou lesão corporal a policiais civis e militares sejam estabelecidas a vigilantes em todo o Brasil.

Atualmente, quem comete homicídio consumado ou tentado a vigilante pode pegar de 6 a 20 anos de prisão, pena comum a civis. Caso o projeto seja aprovado, a pena será de 12 a 30 anos, mesma punição a policiais, segundo o Código Penal.

O projeto ainda propõe aumento da pena a quem cometer lesão corporal a vigilantes, de um a dois terços. A proposta do deputado Eduardo da Fonte altera dois dispositivos do Código Penal e da Lei 8.072/1990, que trata de crimes hediondos. A penalidade,  segundo a proposta, ainda recai a quem cometer crimes ao cônjuge do vigilante e a parente consanguíneo de até terceiro grau. O projeto de lei vai para discussão nas comissões da Câmara.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

NO FIM, A HONESTIDADE ERA UM MITO…

Fernandes

Que fique claro aos Bolsominions: Bolsonaro NÃO MANDA MAIS NADA! Elegeram um fantoche… Após o caso Bolsogate, se Bolsonaro piar contra as ordens das elites, à família anticorrupção vai toda pra papuda.

Fernandes

Bolsonaro não cumpre promessa de reduzir número de ministérios para 15. Bolsonaro foi eleito presidente da República com o compromisso de cortar o número de ministérios de 29 para 15. Depois, elevou o número para 17, para 20, 22 e pode ir além. Bozo, é um mentiroso fascista.

Fernandes

Chacina de Campinas é um grito contra política de Bolsonaro. O assassinato de quatro pessoas no fim de uma missa na Catedral de Campinas, uma das grandes cidades de São Paulo, só pode surpreender quem faz questão de manter-se desinformado. Sabemos que é muito agradável imaginar que se poderia resolver problemas sociais gravíssimos — como a violência urbana — através de medidas instantâneas e espetaculares. Num país que acaba de assistir a eleição de um candidato a presidente que fez campanha pela liberação da venda de armas favorecendo o aumento da violência para combater a violência a chacina ajuda lembrar que essa visão deve ser enfrentada como prioridade. Antes que ocorram novas tragédias — todas previsíveis.



12/12


2018

Paulo defende integração entre a União e os Estados na Segurança Pública

O governador Paulo Câmara defendeu, hoje, durante o Fórum Permanente de Governadores, em Brasília, que a Segurança Pública seja encarada como prioridade pelo próximo Governo Federal, destacando a necessidade de uma maior integração entre a União e os Estados no combate à criminalidade. 

Na ocasião, o gestor pernambucano pontuou questões que precisam ser trabalhadas conjuntamente para aumentar a eficiência do poder público frente a um tema tão complexo. Além dos chefes dos Executivos estaduais, o encontro contou com as participações do vice-presidente da República eleito, general Hamilton Mourão, do futuro ministro da Justiça e da Segurança, Sérgio Moro,  do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha e do ministro de Estado da Segurança Pública, Raul Jungmann.

"É importante que o tema da Segurança Pública tenha, definitivamente, entrado na pauta nacional, no esforço conjunto de unir as ações dos Estados e do Governo Federal. A criminalidade não respeita fronteiras e nem divisas, portanto é necessária uma ação integrada, compartilhada. Isso começou a ser feito pelo ministro Raul Jungmann e temos a esperança de seja continuado e até aprofundado pelo ministro Sérgio Moro. No Nordeste, desde a primeira reunião do nosso Fórum, ainda  em 2014, a questão da Segurança Pública foi apontada como uma prioridade, com, por exemplo, a adoção de políticas preventivas, maior controle das nossas fronteiras e o trabalho integrado de inteligência entre os diversos níveis da Federação, além da ampliação do Fundo Nacional de Segurança Pública", afirmou Paulo Câmara. 

Além do pernambucano, o Fórum de Governadores contou com as presenças de outros 22 governadores e dois vices eleitos. Ao final da reunião, os gestores estaduais assinaram uma carta com pontos considerados fundamentais para o enfrentamento da violência no País, como o incremento e a distribuição automática dos recursos oriundos do Fundo Penitenciário Nacional e do Fundo Nacional de Segurança Pública, o enrijecimento das políticas de enfrentamento dos delitos de corrupção, violentos e, especialmente, os praticados por organizações criminosas, o estímulo ao incremento da inteligência e das ações ostensivas nas fronteiras e  a promoção de ações e políticas sociais, com iniciativas conjuntas do Governo Federal e dos Governos Estaduais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

NO FIM, A HONESTIDADE ERA UM MITO…

Fernandes

Bolsonaro não cumpre promessa de reduzir número de ministérios para 15. Bolsonaro foi eleito presidente da República com o compromisso de cortar o número de ministérios de 29 para 15. Depois, elevou o número para 17, para 20, 22 e pode ir além. Bozo, é um mentiroso fascista.

Fernandes

Chacina de Campinas é um grito contra política de Bolsonaro. O assassinato de quatro pessoas no fim de uma missa na Catedral de Campinas, uma das grandes cidades de São Paulo, só pode surpreender quem faz questão de manter-se desinformado. Sabemos que é muito agradável imaginar que se poderia resolver problemas sociais gravíssimos — como a violência urbana — através de medidas instantâneas e espetaculares. Num país que acaba de assistir a eleição de um candidato a presidente que fez campanha pela liberação da venda de armas favorecendo o aumento da violência para combater a violência a chacina ajuda lembrar que essa visão deve ser enfrentada como prioridade. Antes que ocorram novas tragédias — todas previsíveis.

marcos

Paulo, e os R$ 80 Milhões super faturados da Arena Pernambuco dariam para as ações e políticas sociais?



12/12


2018

Fernando de Noronha proíbe a entrada e comercialização de produtos descartáveis na ilha

Considerada um santuário ecológico, a Ilha de Fernando de Noronha é morada de golfinhos, tartarugas, arraias, aves e uma infinidade de animais, que despertam o interesse de pessoas do mundo todo, que desembarcam no arquipélago na intenção de contemplar as praias, fazer trilhas e mergulhos.

Para manter a relação de equilíbrio dos visitantes com a natureza, preservando cada vez mais o meio ambiente, a Administração Distrital publica o decreto, amanhã, no Diário Oficial do Estado, proibindo a entrada de vários produtos na ilha, no que diz respeito ao uso e comercialização de recipientes e embalagens descartáveis. Entre eles, garrafas plásticas de bebidas abaixo de 500ml, canudos, copos, talheres descartáveis, sacolas e demais objetos compostos por polietilenos, polipropilenos ou similares.

As normas se aplicam a todos os estabelecimentos e atividades comerciais de Fernando de Noronha. Incluindo restaurantes, bares, quiosques, lanchonetes, ambulantes, hotéis, pousadas e também a moradores e turistas.

Com a proibição, a Administração do Distrito visa livrar o arquipélago de materiais poluentes, que acarretem o desequilíbrio ecológico em Fernando de Noronha, que tem em seu território uma fauna rica em diversidade. De acordo com o texto do decreto, os estabelecimentos comerciais devem afixar placas informativas em locais visíveis sobre as novas regras, estimulando o uso de sacolas retornáveis e reutilizáveis para o transporte de mercadorias. 

"Noronha precisava de uma ação ambiental impactante como essa. É apenas o início. Diante de todos os apelos ambientais que o mundo vive, Noronha é a quem mais incorpora a filosofia da preservação do meio ambiente. E foi nisso que resolvemos criar esta ação. Junto com parceria de várias pessoas que querem ajudar a ilha, vamos conseguir fazer muita coisa pela Ilha", declarou o administrador da ilha, Guilherme Rocha.

Para a readequação, a administração estipula um prazo de cento e vinte dias, a partir da publicação do decreto, quando entrará em vigor. Nesse período serão feitos trabalhos educacionais de conscientização junto a moradores, empresários e visitantes.

Para apoiar nesse planejamento, foi convidado o ‘Menos 1 Lixo’, movimento de educação ambiental e consumo consciente, que realizará encontros na ilha em janeiro, com a liderança de sua idealizadora Fe Cortez, que é defensora da campanha Mares Limpos da ONU.

De acordo com ela, os oceanos são responsáveis por mais de 50% do oxigênio do planeta e é preciso cuidar da saúde e dos ecossistemas marinhos. O plástico é uma dos maiores ameaças à sobrevivência das aves e seres marinhos. Uma em cada três tartarugas já comeu plástico, e cerca de 90% das aves marinhas também. “Já passou da hora de mudarmos nosso consumo de descartáveis se quisermos ter mares limpos e continuar coabitando por aqui. A iniciativa de Fernando de Noronha é inspiradora e fundamental para a luta contra o assassinato diário de milhares de espécies, ainda mais em se tratando de um santuário de preservação ambiental. Noronha tem ainda uma oportunidade de, com isso, educar e sensibilizar milhares de turistas que visitam a ilha anualmente e dar o exemplo para outras ilhas que a mudança é possível e já está acontecendo”, acredita Fe Cortez.

Após o período de conscientização, a fiscalização será feita pelas superintendências de Vigilância Sanitária e de Meio Ambiente do distrito. Caso ocorra o descumprimento da norma, serão aplicadas sanções, que incluem aplicações de notificações, apreensão de material, multas e cassação de alvará de funcionamento no caso de estabelecimentos comerciais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2018

Petrolina inicia trâmites para criação de faculdade de Medicina

Petrolina deve contar com a primeira faculdade municipal de Medicina de Pernambuco até 2020. O primeiro passo para isso será dado na próxima semana, quando o projeto pedagógico do curso será entregue no Conselho Estadual de Educação. Os detalhes de todo o processo foram discutidos, hoje, entre o prefeito Miguel Coelho e Antonio Habib, presidente da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape), autarquia que abrigará o novo curso.

A proposta da nova entidade de ensino é oferecer entre 50 e 60 vagas numa turma anual. Todos esses estudantes terão formação com um perfil voltado para o atendimento na saúde básica para serem absorvidos, inclusive, na rede municipal. De acordo com o prefeito, a Prefeitura pretende também criar um programa para utilizar os estudantes e profissionais nos postos de saúde do município. “Vamos destinar um investimento importante para a criação desse curso e queremos que esses futuros médicos trabalhem na rede municipal pelo menos um ano, ampliando a oferta de mão de obra de qualidade e melhorando o atendimento ao povo de Petrolina”, explica o gestor.

Segundo o presidente da Facape, o projeto pedagógico deve ser entregue já na próxima segunda-feira (17) ao Conselho de Educação. Após a aprovação, a Facape iniciará junto com a prefeitura a construção de laboratórios, salas de aula e a aquisição de equipamentos para estruturar o curso. “Já visitei autarquias municipais com o curso de Medicina em outros estados e Petrolina será a primeira cidade de Pernambuco a ter uma faculdade dessa municipalizada. Existe a possibilidade de lançarmos o vestibular para o segundo semestre de 2019, mas nossa meta mais segura é conseguir abrir as vagas em 2020”, detalha Habib.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2018

Miguel Arraes tem seu nome inscrito no livro “Heróis da Pátria”

Com mais de 50 anos de trajetória política e reconhecido nacionalmente como um dos maiores líderes da esquerda brasileira, o ex-governador Miguel Arraes teve o nome inscrito no livro Heróis da Pátria, na manhã de hoje, no Panteão da Pátria, em Brasília. A solenidade contou com a presença do governador Paulo Câmara, do prefeito Geraldo Julio, do deputado federal eleito João Campos, bisneto de Arraes, além de inúmeros representantes do PSB de Pernambuco. A lei que instituiu a homenagem ao socialista é de autoria do deputado federal Tadeu Alencar (PSB-PE), subscrita por toda a bancada socialista na Câmara Federal, e foi sancionada em setembro pelo então presidente em exercício Dias Toffoli.

Arraes foi deputado estadual e federal, prefeito do Recife e governador de Pernambuco por três mandatos, sempre atuando pelo fortalecimento da democracia e igualdade social. Presidiu o PSB nacional entre 1993 e 2005. O livro Heróis da Pátria é feito de aço e reúne nome de homens e mulheres que se destacaram na defesa da liberdade do país, a exemplo do inconfidente Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes, que foi o primeiro a ter o nome inserido no livro), Zumbi dos Palmares, Santos Dumont, Getúlio Vargas, Leonel Brizola, Zuzu Angel, Machado de Assis e Anita Garibaldi.

Vice-presidente nacional do PSB, o governador Paulo Câmara destacou que a trajetória política de Arraes sempre foi pautada pela defesa da justiça social. “Doutor Arraes foi um dos maiores líderes políticos do século 20 no Brasil, de inegável compromisso com aqueles que mais precisavam e profundo conhecimento dos desafios da Nação. Quero parabenizar o deputado o Tadeu Alencar pela iniciativa e assegurar que o legado de doutor Arraes continua vivo”, pontuou.

Bisneto de Arraes, o deputado federal eleito João Campos enfatizou o sentimento de reconhecimento pela homenagem. “A inscrição do nome de Doutor Arraes no Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria faz justiça a um homem que teve a vida marcada pela capacidade de resistir e de lutar pela democracia, de sempre colocar os interesses do povo acima de qualquer coisa. Além do meu bisavô, outros grandes nomes da nossa história estão sendo inscritos no livro que fica guardado no Panteão da Pátria e da Liberdade. Fico feliz em saber que nomes como Miguel Arraes e Bárbara Alencar se juntam aos nomes históricos de Zumbi dos Palmares e Santos Dumont”, avaliou.

Presidente estadual do PSB, Sileno Guedes destacou que a inscrição dele no livro Heróis da Pátria é fruto do reconhecimento da população brasileira à defesa pela democracia de Arraes e de todo seu trabalho pelo povo pernambucano. “Dr. Arraes é uma referência como homem público, sempre atuando na defesa dos direitos democráticos e pela igualdade social. É também um exemplo de cidadão e líder partidário, sendo um dos responsáveis pela construção do PSB no Brasil e em Pernambuco e de um legado que foi capaz de mudar a vida de tantos pernambucanos. A inclusão do seu nome, ao lado de tantos outros brasileiros que contribuíram na história do nosso país, é mais uma evidência da sua representatividade como líder nacional”, frisou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

NO FIM, A HONESTIDADE ERA UM MITO…

Fernandes

Bolsonaro não cumpre promessa de reduzir número de ministérios para 15. Bolsonaro foi eleito presidente da República com o compromisso de cortar o número de ministérios de 29 para 15. Depois, elevou o número para 17, para 20, 22 e pode ir além. Bozo, é um mentiroso fascista.

Fernandes

Chacina de Campinas é um grito contra política de Bolsonaro. O assassinato de quatro pessoas no fim de uma missa na Catedral de Campinas, uma das grandes cidades de São Paulo, só pode surpreender quem faz questão de manter-se desinformado. Sabemos que é muito agradável imaginar que se poderia resolver problemas sociais gravíssimos — como a violência urbana — através de medidas instantâneas e espetaculares. Num país que acaba de assistir a eleição de um candidato a presidente que fez campanha pela liberação da venda de armas favorecendo o aumento da violência para combater a violência a chacina ajuda lembrar que essa visão deve ser enfrentada como prioridade. Antes que ocorram novas tragédias — todas previsíveis.

marcos

Arraes só vivia na casa do governador em Porto de Galinhas, tomando Johnnie black por conta dos Otários Pernambucanos!

marcos

Arraes era um Cagão Fascista, Alcoólatra e muito Preguiçoso.



12/12


2018

Deputado apresenta balanço da Comissão de Administração Pública da Alepe

O deputado estadual Lucas Ramos (PSB), presidente da Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Pernambuco, apresentou, hoje, durante a última reunião ordinária do colegiado no ano, um balanço do trabalho realizado ao longo de 2018. No total, tramitaram 748 projetos de lei e foram realizadas 27 reuniões para discussão de textos que trataram da estrutura do poder executivo, execução de obras públicas, previdência e assistência social dos servidores.
 
De acordo com o parlamentar, um trabalho que se manteve intenso durante todo o ano. “A produção foi maior no segundo semestre, comprovando que o período eleitoral em nada interferiu em nosso trabalho. Os deputados membros da comissão desempenharam um papel importante na elaboração de pareceres e na discussão de projetos importantes para Pernambuco”, afirmou Lucas Ramos.
 
Na presidência do colegiado desde fevereiro de 2017, Lucas Ramos fez uma análise positiva da sua passagem à frente da comissão. “Implantamos um ritmo intenso na distribuição de projetos e garantimos o debate amplo, aprofundado e democrático nas reuniões e audiências públicas. Foram quase dois anos de muito aprendizado e sobretudo de muita dedicação para prestar o melhor serviço à população pernambucana e temos plena certeza de que cumprimos com nosso dever”, avaliou.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2018

Governadores pedem a Moro maior rigor em políticas de combate à corrupção

Um grupo de 23 governadores e dois vices eleitos apresentaram, na tarde de hoje, uma carta aberta ao futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, na qual apresentam sugestões para a área de segurança pública. No documento, os futuros governadores pedem, entre outros pontos, maior rigor no combate à corrupção.

A sugestão de tornar mais duras as políticas anticorrupção é um dos seis pontos da carta elaborada nesta quarta, em Brasília, em um fórum de governadores.

A reunião é o segundo fórum de governadores promovido em Brasília desde a eleição de outubro. A ideia é que seja o encontro seja realizado mensalmente a partir do ano que vem para tratar de temas que envolvem os estados. O primeiro fórum, realizado há cerca de um mês, teve a presença do presidente eleito Jair Bolsonaro.

No documento, também foi incluída, a pedido de Moro, uma recomendação para isolar presos pertencentes a facções criminosas em cadeias federais.

Os governadores e o ministro da Justiça também se comprometeram no fórum a buscar soluções para a situação dos presos provisórios do país – aqueles que ainda podem recorrer da sentença condenatório.

"Só no Rio de Janeiro, nós temos 19 mil presos provisórios, de um total 51 mil presos", destacou o governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, ex-juiz federal que deixou a magistratura neste ano para disputar o governo fluminense.

A carta dos governadores traz ainda como proposta para o futuro governo o fortalecimento da inteligência e das ações ostensivas nas fronteiras do país para ajudar a impedir a entrada de armas e drogas no Brasil.

"Aqui se inclui também o contrabando. O contrabando também basicamente é incentivado por organizações criminosas do país", disse o governador eleito de São Paulo, João Doria.

O documento também lista o compromisso dos governadores em incentivar a implantação do banco nacional de impressões digitais, um dos pontos que, segundo Doria, foi dos mais enfatizados por Moro durante a reunião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

NO FIM, A HONESTIDADE ERA UM MITO…

Fernandes

Que fique claro aos Bolsominions: Bolsonaro NÃO MANDA MAIS NADA! Elegeram um fantoche… Após o caso Bolsogate, se Bolsonaro piar contra as ordens das elites, à família anticorrupção vai toda pra papuda.

Fernandes

Bolsonaro não cumpre promessa de reduzir número de ministérios para 15. Bolsonaro foi eleito presidente da República com o compromisso de cortar o número de ministérios de 29 para 15. Depois, elevou o número para 17, para 20, 22 e pode ir além. Bozo, é um mentiroso fascista.

Fernandes

Chacina de Campinas é um grito contra política de Bolsonaro. O assassinato de quatro pessoas no fim de uma missa na Catedral de Campinas, uma das grandes cidades de São Paulo, só pode surpreender quem faz questão de manter-se desinformado. Sabemos que é muito agradável imaginar que se poderia resolver problemas sociais gravíssimos — como a violência urbana — através de medidas instantâneas e espetaculares. Num país que acaba de assistir a eleição de um candidato a presidente que fez campanha pela liberação da venda de armas favorecendo o aumento da violência para combater a violência a chacina ajuda lembrar que essa visão deve ser enfrentada como prioridade. Antes que ocorram novas tragédias — todas previsíveis.

marcos

Tudo querendo comer na mão de Moro. Bota quente nesses corruptos Dr Sérgio.



12/12


2018

Danilo faz balanço das atividades da Comissão de Educação

A Comissão de Educação da Câmara Federal, presidida pelo deputado Danilo Cabral (PSB/PE), realizou, ontem, a última sessão deliberativa da 55ª legislatura. Na reunião, o parlamentar fez um balanço das proposições apresentadas e aprovadas durante o ano de 2018.
 
Durante os 8 meses, foram aprovados 30 projetos de lei e 72 requerimentos, além da realização de 29 eventos, sendo 20 audiências públicas, oito seminários e uma premiação. Danilo Cabral destacou que a comissão foi palco de debates fundamentais, e mesmo sendo uma gestão reduzida pelo calendário eleitoral, foi possível colocar em pauta uma agenda intensa de atividades.
 
“Criamos espaços de pactuação para discutir propostas legislativas, questões estratégicas e problemas atuais enfrentados pela sociedade. Estabelecemos diálogo permanente com os parlamentares da comissão, com o governo federal e com a sociedade civil organizada”, afirmou.
 
No plano estratégico, é possível ressaltar a retomada das discussões sobre o Plano Nacional de Educação (PNE), primordial para o desenvolvimento dos debates em prol da educação básica no país. A comissão também aprovou uma Carta aos Presidenciáveis, enviadas a todos os candidatos à Presidência da República, com o objetivo de comprometê-los com o cumprimento das metas do PNE. A "Semana da Educação", destinada para a votação de projetos no plenário da Casa, também conseguiu a aprovação de cinco proposições. 
 
Sobre a pauta de deliberações da comissão, o parlamentar buscou valorizar os deputados e fortalecer o diálogo com o governo. “Acentuo que muitos projetos de lei considerados inegociáveis foram incluídos na pauta, obrigando as partes a buscarem entendimento e permitindo, assim, que seguissem para aprovação”, disse. 
 
Danilo Cabral agradeceu aos parlamentares e funcionários que deram suporte ao trabalho. “Acredito que nossa gestão deu sua contribuição para o avanço da educação no país. O êxito dos trabalhos é resultado da atuação coletiva desempenhada por parlamentares de diferentes vertentes políticas que souberam construir entendimentos para que a agenda pudesse avançar”, reiterou o parlamentar. 
 
Por fim, ele reforçou a necessidade de continuar reafirmando os valores para que haja uma educação cada vez mais cidadã, livre e transformadora. “Vivemos um momento de grandes incertezas, ao que parece teremos um Congresso ainda mais dividido e radicalizado. A convivência democrática, o respeito às diferenças e o debate plural são parte da tradição histórica da nossa comissão”.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Que fique claro aos Bolsominions: Bolsonaro NÃO MANDA MAIS NADA! Elegeram um fantoche… Após o caso Bolsogate, se Bolsonaro piar contra as ordens das elites, à família anticorrupção vai toda pra papuda.

Fernandes

Bolsonaro não cumpre promessa de reduzir número de ministérios para 15. Bolsonaro foi eleito presidente da República com o compromisso de cortar o número de ministérios de 29 para 15. Depois, elevou o número para 17, para 20, 22 e pode ir além. Bozo, é um mentiroso fascista.

Fernandes

Chacina de Campinas é um grito contra política de Bolsonaro. O assassinato de quatro pessoas no fim de uma missa na Catedral de Campinas, uma das grandes cidades de São Paulo, só pode surpreender quem faz questão de manter-se desinformado. Sabemos que é muito agradável imaginar que se poderia resolver problemas sociais gravíssimos — como a violência urbana — através de medidas instantâneas e espetaculares. Num país que acaba de assistir a eleição de um candidato a presidente que fez campanha pela liberação da venda de armas favorecendo o aumento da violência para combater a violência a chacina ajuda lembrar que essa visão deve ser enfrentada como prioridade. Antes que ocorram novas tragédias — todas previsíveis.

marcos

Eu até que gostava desse rapaz, mas ele é do apoio ao kit gay, vôte.