ArcoVerde

08/11


2018

Antônio Campos vai a Moro pedir investigação

O irmão do ex-governador Eduardo Campos, Antônio Campos, irá pedir à procuradora Geral da República, Raquel Dodge, e ao futuro ministro da Justiça, juiz Sérgio Moro, a reabertura do inquérito que investiga a morte do ex-governador e outras seis pessoas em 13 de agosto de 2014.

O jurista Antônio Campos defende a possibilidade de ter ocorrido sabotagem  no avião que levava Eduardo Campos. O relatório da Polícia Federal apresentado em agosto deste ano descarta a motivação criminosa na aeronave.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Quem mandou matar Eduardo Campos? Será que foi o mesmo que mandou matar Celso Daniel?


Asfaltos

Confira os últimos posts



18/11


2018

PEC da bengala

Ministros do STF sinalizam reação à antecipação de aposentadoria pregada por bolsonaristas

Daniela Lima – Painel – Folha de S.Paulo

A movimentação de membros da bancada bolsonarista na Câmara para revogar a medida que adiou a idade de aposentadoria compulsória dos ministros do Supremo de 70 para 75 anos foi classificada por integrantes da corte como um tiro no pé. Mesmo que o Congresso aprove a revisão da chamada PEC da bengala, titulares do STF alardeiam desde já o entendimento de que a mudança só se aplicaria aos próximos indicados, e não aos que já compõem o colegiado.

A resistência do Supremo a uma mudança nas regras de aposentadoria de seus ministros tem o amparo de magistrados do STJ. Esse grupo diz que os bolsonaristas precisam entender que a revogação da PEC da bengala teria efeito no funcionalismo dos estadose criaria uma barafunda normativa.

Dois ministros do Superior Tribunal de Justiça dizem que a revogação da PEC sem um regra de transição que garanta direito adquirido aos magistrados que já completaram 70 anos seria inconstitucional.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/11


2018

O sargento general

Elio Gaspari - Folha de S.Paulo

Dança ministerial - Nos próximos dias Bolsonaro concluirá sua dança ministerial. Anunciou fusões, desistiu, juntou abacaxi com banana e terminará cumprindo a sua promessa de redução do número de pastas.

Feito o serviço do primeiro escalão, começará o remanejamento de setores administrativos. Nessa altura, vale a pena lembrar uma história ocorrida com um oficial do Exército.

Como capitão, ele serviu num quartel que tinha a forma de um quadrilátero. Voltou a ele como general e, surpreendido, comentou com um velho sargento:

— Fico feliz em ver que a barbearia continua no mesmo lugar.

O sargento esclareceu:

— General, a barbearia mudou tanto de lugar que deu a volta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/11


2018

Bolsonaro inicia guerra nas escolas, diz jornal francês

Da RFI

O jornal Le Monde publica em sua edição de domingo (18) uma extensa reportagem na página 2 a respeito da "cruzada" da extrema direita brasileira contra o sistema educacional, encorajada pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro. Entre outras intenções, o diário diz que o objetivo de Bolsonaro é atenuar as críticas à ditadura.

Logo na capa, o diário francês adverte: "a extrema direita brasileira, convencida de que a escola é assombrada pelo comunismo e pela apologia de comportamentos desenfreados, está apoiando um projeto de lei que visa obrigar os professores à neutralidade e ao respeito às convicções do aluno, de seus pais ou responsáveis", explica Le Monde. Assim, os professores estariam impedidos de contradizer as famílias a respeito de temas como educação moral, sexual e religiosa. "E Bolsonaro ainda quer que os alunos possam filmar seus professores para denunciá-los", acrescenta.

Le Monde descreve uma cena que já se tornou comum entre os apoiadores de Bolsonaro. Em pleno Congresso, o deputado e ex-policial Eder Mauro fez sinal que iria metralhar deputados da oposição que pediam respeito aos professores no plenário da Casa. O tumulto aconteceu durante a apresentação do projeto "escola sem partido", no dia 13 de novembro. Fomentada pela extrema direita e o lobby evangélico, o texto, rebatizado de "lei da mordaça" pela oposição, é baseado na ideia de que haveria hoje escolas dominadas pelo comunismo, ensinando valores depravados e divulgando a "teoria de gênero".

Socialismo escolar

O jornal destaca que para "lutar contra o socialismo escolar", o texto pretende tirar toda a legitimidade dos professores e das escolas em contradizer as famílias no tema da educação moral, sexual e religiosa. Le Monde destaca que o texto é vago e abre o caminho para todos os excessos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro jumento !!!



18/11


2018

Ministra deu incentivos fiscais à empresa em MS

Marceira da JBS, ministra de Bolsonaro deu incentivos fiscais à empresa em MS

Tereza Cristina arrendou terras ao grupo dos irmãos Batista enquanto comandava secretaria estadual

Rubens Valente e Catia Seabra – Folha de S.Paulo

futura ministra da Agricultura do governo Jair Bolsonaro (PSL), Tereza Cristina (DEM-MS), concedeu incentivos fiscais ao grupo JBS na mesma época em que manteve uma “parceria pecuária” com a empresa. A deputada arrendava uma propriedade em Terenos (MS) aos irmãos Joesley e Wesley Batista para a criação de bois e, ao mesmo tempo, ocupava o cargo de secretária estadual de Desenvolvimento Agrário e Produção de Mato Grosso do Sul.

Os documentos assinados por Tereza foram entregues pelos delatores da JBS em agosto de 2017 como complemento ao acordo de delação premiada fechada em maio entre os executivos da empresa com a PGR (Procuradoria-Geral da República) e homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Tereza foi secretária do agronegócio do então governador André Puccinelli (MDB-MS) de 2007 a 2014, que foi preso em julho pela Operação Lama Asfáltica da Polícia Federal sob acusação de corrupção.

A política de incentivos fiscais do governo estadual está no centro da delação premiada fechada pela JBS com a PGR no ano passado no capítulo que tratou da corrupção em Mato Grosso do Sul.

De acordo com as investigações, Wesley e Joesley atribuíram ao então diretor tributário do grupo JBS, Valdir Aparecido Boni, a tarefa de negociar a propina ao longo dos anos com três governadores: Puccinelli, Zeca do PT e Reinaldo Azambuja, do PSDB. Em um período de 13 anos, até 2016, teriam sido pagos R$ 150 milhões em propina.

Leia matéria na íntegra clicando ao lado: Parceira da JBS, ministra de Bolsonaro deu incentivos fiscais à ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Parceira da JBS, ministra de Bolsonaro deu incentivos fiscais à empresa em MS Tereza Cristina arrendou terras ao grupo dos irmãos Batista enquanto comandava secretaria estadual. Tereza Cristina arrendou terras ao grupo dos irmãos Batista enquanto comandava secretaria estadual



18/11


2018

Bolsonaro tem margem de manobra na economia

... segundo oposicionistas

Helena Chagas 

O governo Bolsonaro concluiu a montagem do núcleo da equipe econômica que será chefiada pelo economista Paulo Guedes e, diferentemente do que ocorre nas outras áreas, está recebendo crédito até mesmo de economistas de outras tendências. Ainda que não concordem com o que parece que será feito, dois importantes formuladores econômicos da oposição, gente com tinturas de centro-esquerda, acreditam que Jair Bolsonaro terá, sim, sua margem de manobra na economia nos primeiros meses de governo.

Um deles lembra que o novo presidente recebe o país com inflação controlada, a menor taxa de juros histórica e sem problemas de saldo comercial. É imenso o problema fiscal, mas a lua-de-mel do novo governo com a opinião pública, se bem aproveitada, poderá resultar na aprovação de ao menos uma parte da reforma da Previdência nos primeiros meses de governo. Isso garantiria sua sobrevida com sinais de recuperação econômica e algum crescimento, ainda que discreto.

Se bem aproveitada, frisam essas fontes, já que, em outras áreas, o governo de transição vem produzindo desencontros e até crises – como a retirada dos médicos cubanos que poderá deixar mais de 20 milhões de brasileiros sem assistência médica já nos primeiros dias do governo de Bolsonaro.

Normalmente, é a economia que costuma estragar tudo, com aumento de preços, desemprego, recessão. Desta vez, é possível que o novo governo viva uma situação diferente, e o ponto fraco passe a ser o despreparo na política e na gestão, marcada pela incontinência verbal e por escolhas polêmicas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro Jumento !!!



18/11


2018

As regras do jogo

Carlos Brickmann

Em boa parte dos meios jurídicos, o depoimento de Lula à Justiça não foi bem visto. Com a oportunidade de ver sua defesa divulgada na íntegra para todo o país, teria tido atitude prepotente, ao tentar interrogar a juíza Gabriela Hardt – o que lhe valeu uma resposta dura – e ao pôr em dúvida o tema do julgamento, algo que seus defensores devem ter-lhe informado.

Pode ser – mas o que aconteceu em Curitiba é que Lula não estava nem um pouco interessado em melhorar sua posição como réu. Seu objetivo, e não é de hoje, é político, não jurídico: é reforçar sua imagem de Salvador da Pátria e Defensor Perpétuo dos Pobres, impedido pelos poderosos, que não gostam de misturar-se à plebe nos aeroportos, de voltar à Presidência da República. Para ele, toda a questão jurídica se resume nisso: a Justiça é o instrumento de seus adversários para evitar seu grande retorno, vitorioso no primeiro turno. Lula jamais ganhou eleição presidencial no primeiro turno. Mas, já que não disputou mesmo, que mal faz proclamar a vitória?

O problema é que essa tática beneficia apenas Lula e fere seu partido. Fingir que Lula seria candidato, sabendo que não seria, custou ao PT uma pesada derrota nacional. Se Lula tinha mesmo a força que acha que tem, não precisaria fingir: bastaria dizer que, como a Justiça o perseguia e o impedia de disputar, Haddad seria seu candidato. Mas não buscava a vitória do partido: buscava, e para ele isso era o importante, crescer como lenda.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/11


2018

Defensoria recorre à Justiça por "Mais Médicos"

Josias de Souza

A Defensoria Pública da União (DPU) recorreu à Justiça Federal para tentar manter o Mais Médicos. Ajuizou uma ação civil pública. Nela, pede a manutenção das atuais regras do programa. A ação inclui um pedido de liminar. Alega-se que é preciso evitar que “a população atendida seja prejudicada com a saída abrupta de milhares de médicos sem que a União previamente promova medidas efetivas de modo a repor imediatamente o quantitativo de médicos que estão em vias de deixar o programa.”

A iniciativa surgiu dois dias depois de o governo de Cuba ter anunciado o rompimento unilateral do acordo que assegurava a presença de 8.332 médicos cubanos no Brasil. Foi uma reação de Havana às declarações hostis que Jair Bolsonaro vinha fazendo desde a campanha eleitoral. A defensoria sustenta que qualquer mudança no programa Mais Médicos, “em especial relacionada à não necessidade de submissão ao Revalida, deve estar condicionada à realização de prévio estudo de impacto…”

O Revalida é um teste que os médicos estrangeiros ou brasileiros formados no exterior precisam fazer antes de trabalhar no Brasil. Serve para medir os conhecimentos do profissional, pré-condição para que o diploma seja validado. Bolsonaro declarou que, para permanecer no Brasil, os médicos cubanos teriam, entre outras exigências, de se submeter ao revalida. Algo que o Mais Médicos não exige.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Hora dos médicos patriotas com a camisa da CBF B17 irem para o interior do Brasil salvar vidas.

Fernandes

O incrível caso do governo Bolsonaro jumento que quer retirar direitos trabalhistas, mas quer defender o dos cubanos

Fernandes

Eu não compreendo como o jumento bolsonaro, ignorante e sem cultura pode ser presidente... Isto é uma afronta a lógica e a inteligência!

Fernandes

A pedido de Bolsonaro jumento, Temer corta R$ 77,8 milhões de programas de saúde mental


bm4 Marketing 3

17/11


2018

AGU: adjunta foi contra golpe; desafeto de Guedes no BNDES

Adjunta de Grace na AGU assinou manifesto contra o golpe de 2016, assim como alguns designam, o processo de impeachmeant, da ex-pesidente Dilma Roussef. Já a gestora escolhida pelo BNDES para fundo de infraestrutura é de desafeto de Guedes

Divulgação | Sinprofaz                                                                                             Leo Pinheiro | Valor

O Globo - Coluna de Lauro Jardim -

Por Guilherme Amado


A despeito de trabalhar no governo Michel Temer, Fabíola Souza Araújo (à direita na foto), adjunta de Grace Mendonça (à esquerda na foto) na AGU, assinou o manifesto de juristas contra o "golpe", em 2016.

Enquanto isso, A JGP, gestora escolhida pelo BNDES para gerir o novo fundo de investimento em projetos de infraestrutura do banco, pertence a um desafeto do futuro ministro. Paulo Guedes deixou a empresa que fundou rompido com o sócio André Jakurski.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Hora dos médicos patriotas com a camisa da CBF B17 irem para o interior do Brasil salvar vidas.

Fernandes

Você que tem um plano de saúde, saiba que logo logo você vai pagar bem mais caro.



17/11


2018

AMB critica retaliação cubana ao Mais Médicos

Em nota divulgada hoje (17), a AMB (Associação Médica Brasileira) alega que o governo brasileiro transferiu "de forma temerária" para Cuba pare da responsabilidade.

Maribel Herrera e Maribel Saborit, médicas cubanas em Melgaço, no PA/Foto: do DCM - Diario do Centro do Mundo

Por: Agência Brasil

 

A Associação Médica Brasileira (AMB) qualificou de retaliação a decisão do governo cubano de romper o acordo firmado com o Brasil no âmbito do Programa Mais Médicos e retirar os intercambistas do país.

No comunicado, a AMB afirma que o programa foi criado a partir de uma premissa equivocada: a de que não havia médicos em número suficiente no Brasil. O que não existe, segundo a entidade, são políticas públicas que atraiam e fixem esses profissionais nos municípios – sobretudo os menores e os mais distantes dos grandes centros.

“O governo brasileiro acabou lançando mão de importação de mão de obra, trazida numa condição análoga à escravidão: obrigada a abrir mão de mais de 70% do que o Brasil desembolsava e alocada independentemente das condições de trabalho existentes”. lembra a Associação Médica.  

Para a AMB, resolver a questão que envolve a oferta de médicos em locais de difícil provimento ou de difícil acesso não é algo a ser feito por meio de ações paliativas. De acordo com a nota, a  solução definitiva passa pela criação de uma carreira médica de Estado.

Os atuais 458.624 profissionais contabilizados no Brasil atualmente são classificados pela entidade como suficientes para atender às demandas da população. “Essa crise será resolvida com os médicos brasileiros”, destacou a AMB. “Não vamos aceitar esta sabotagem com o povo brasileiro”, conclui o comunicado da associação.

Ações emergenciais

O documento sugere ainda como ações emergenciais para a serem adotadas em meio à “crise deflagrada” na saúde a reformulação e reforço do Piso de Atenção Básica; aumento do valor repassado pela União para a atenção básica para que municípios consigam contratar médicos na própria região; mudanças na forma de cálculo, garantindo mais recursos para municípios menores; e reforço do atendimento em áreas indígenas e de difícil acesso.

A AMB propõe também que se aumente o investimento nas Forças Armadas para aproveitar a experiência destas tanto em áreas de difícil acesso quanto em áreas indígenas, levando médicos e toda a infraestrutura de saúde necessária a essas localidades. Para tanto, a União utilizaria os atuais médicos das Forças Armadas, incrementaria o efetivo por concurso e selecionaria também novos médicos oficiais voluntários para atuar de forma temporária.

Outras sugestões são incentivar a adesão de médicos jovens ao Mais Médicos e promover mudanças no edital do programa, que será lançado em breve, conforme anunciado pelo Ministério da Saúde, criando subsídios e incentivos a profissionais jovens com dívida no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). No período em que estes médicos atuarem no programa, as parcelas do financiamento ficariam suspensas. Além disso, haveria o benefício de descontos no montante geral da dívida, de acordo com o tempo de permanência e o município ou região escolhido (quanto menor o município ou de mais difícil provimento, maiores os descontos).

A Associação Médica Brasileira alerta que é preciso garantir a esses méidicos mesmas condições ofertadas aos cubanos até então: moradia, alimentação e transporte.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Hora dos médicos patriotas com a camisa da CBF B17 irem para o interior do Brasil salvar vidas.

Fernandes

A pedido de Bolsonaro jumento, Temer corta R$ 77,8 milhões de programas de saúde mental

Fernandes

MISSÃO CUMPRIDA Profissionais afirmam concordar com decisão do governo cubano de se retirar do programa Mais Médicos, após declarações do presidente eleito: Bolsonaro jumento não se importa com a saúde do povo.

Fernandes

Eu não compreendo como o jumento bolsonaro, ignorante e sem cultura pode ser presidente... Isto é uma afronta a lógica e a inteligência!

Fernandes

Você que tem um plano de saúde, saiba que logo logo você vai pagar bem mais caro.



17/11


2018

Guedes e não Araújo quem pode tocar comércio exterior

Paulo Guedes deve tocar o comércio exterior brasileiro.

  Foto: Portal Brasil247                                                                                        Personagem de Celulari e Ernesto Araújo | André Mello/Editoria de Arte

O Globo -

Por Ancelmo Gois

 

Quem deve cuidar do comércio exterior é Paulo Guedes, que já defendeu a globalização, e não Ernesto Araújo, o futuro chanceler que parece um daqueles descongelados do passado da novela “O tempo não para”. É que, na verdade, comércio exterior já é função do Ministério da Indústria e Comércio, que será absorvido pelo novo Ministério da Economia na nova configuração.

A ideia de Bolsonaro de manter “relações carnais” com os EUA — como o fez o governo Menem na Argentina — nem sempre é um bom negócio. Veja o caso da China. Este ano, o Brasil deve ter um superávit comercial com a terra de Confúcio de uns US$ 25 bilhões. Já o comércio americano com os chineses é deficitário para os conterrâneos de Trump, também na ordem de uns US$ 25 bilhões — só que por... mês.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/11


2018

Aliado decepciona Bolsonaro; equipe desafinada

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)                                                                             (Mauro Pimentel/Folhapress)

Veja - Coluna Radar Por Gabriel Mascarenhas e Maurício Lima


O jornalista, Gabriel Mascarenhas,  informa que um dos mais inseparáveis aliados de Bolsonaro até outro dia, Fernando Franceschini desabou no conceito do capitão. O presidente eleito se decepcionou ao saber da conduta do amigo na campanha paranaense.

Já o seu colega e titular da coluna, o jornalista, Maurício Lima, traz a notícia que em breve, Guedes terá desgaste também com o vice, Hamilton Mourão. Numa palestra recente no Instituto Aço Brasil o general declarou, de forma entusiasmada, ser a favor de isenções fiscais para o setor siderúrgico. O futuro ministro é contra tais benesses.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Saem os médicos cubanos e entra a universal com a sessão do descarrego e o travesseiro ungido curando qualquer moléstia.

Fernandes

O Bolsofake promete aumentar os recursos da saúde para contratar médicos brasileiros a fim de suprir a carência com a saída dos médicos cubanos. Só que ele esqueceu que a Emenda const. 95 impõe um corte enorme de gastos na saúde para 2019. Detalhe: Ele votou a favor dessa EC!!!

marcos

Esse nosso presidente é um Mito mesmo.

Fernandes

Bolsonaro ataca Folha e povo deve se informar pelo Whatsapp. Em entrevista ao Jornal Nacional, Bolsonaro disse que a Folha faz Fake New (sem o S mesmo) e que o jornal não receberá verbas federais de anúncios.

Fernandes

Bolsonaro quer acabar com urnas eletrônicas e votação será por WhatsApp. Com ideia fixa de que as urnas eletrônicas são sujeitas a fraude e de que o que está nas mensagens é que é verdade, o candidato Jair Bolsonaro vai adotar o WhatsApp nas eleições.



17/11


2018

Parlamentar da Alepe representa Pernambuco na China

Diogo Moraes representa Pernambuco em Conferência Internacional na China. O Parlamentar pernambucano faz parte de delegação brasileira composta por oito deputados, equipe da Unale, que foram convidados a compartilharem informações de projetos exitosos de suas regiões. 

O deputado estadual Diogo Moraes, o quinto à direita/Foto-divulgação

O deputado estadual Diogo Moraes, atual primeiro-secretário da Alepe e também secretário da Unale (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais), apresenta palestra sobre a educação pernambucana em terras orientais durante a China International Friendship Cities Conference 2018. Na sexta edição da conferência, realizada na província de Hubei, cuja capital é Wuhan, entre 14 e 16 deste mês, o tema central abordado foi “Sharing Development Opportunities and Deepening Win-Win Cooperation” (em português, “Compartilhando oportunidades de desenvolvimento e aprofundando a cooperação Win-Win”).

A conferência chinesa conta com a presença de 800 participantes de 60 países do mundo, sendo apenas 08 brasileiros, deputados estaduais integrantes da Unale, proporcionando um grande compartilhamento de opiniões, além de aprofundar e cultivar relações internacionais.  Para Diogo Moraes, a oportunidade de participar do encontro foi única e de grande enriquecimento profissional e humano. “Quando surgiu o convite, através da Unale, para representar Pernambuco do outro lado do mundo, vi que seria uma grande chance de falar sobre algo que temos muito orgulho: a educação pernambucana, que supera a média nacional por anos seguidos. *No Brasil, já fomos reconhecidos por termos a melhor educação pública do país, com uma rede de escolas integrais e técnicas que cresceu nos últimos 13 anos, superando estados como São Paulo. Agora, tivemos a oportunidade de mostrar ao mundo como ser referência nesta temática",* ressalta o parlamentar. Segundo Diogo, durante os dois dias de evento ocorreram sessões com diversos temas e exibições relacionadas à temática de desenvolvimento. 

Na ocasião, Diogo Moraes teve a oportunidade de cumprimentar e conversar com o Ex-primeiro-ministro chinês, Yukio Hatoyama. A comitiva brasileira conta com a participação de oito deputados e deputadas, entre eles, o presidente da Unale, o deputado estadual pelo Rio Grande do Sul Ciro Simoni, o deputado estadual pelo Ceará, Joaquim Noronha (Vice-presidente) e a a deputada estadual pela Bahia, Ivana Bastos (secretária-geral).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Campanha Kit armas nas escolas.

marcos

Campanha Derrotada de Haddad (Kit Gay) custou 15 vezes mais que a de Bolsonaro. ............ ////////// ........ A campanha de Fernando Haddad declarou neste sábado ter gastado R$ 37,5 milhões de reais. O valor é 15 vezes maior que o declarado ao TSE pelo Mito Jair Bolsonaro — R$ 2,5 milhões. O petista, no entanto, arrecadou aproximados R$ 35,4 milhões, restando uma dívida de cerca de R$ 3,8 milhões. Isso fora o Caixa Dois, que o PT sempre utiliza.



17/11


2018

STF: Temer de mão atadas; flexões como penitência

 (Cristiano Mariz/VEJA)                                                                                             (Mauro Pimentel/Folhapress)

Veja - Coluna Radar - Por Maurício e Gabriel Mascarenhas

 

O titular da Coluna Radar, o jornalista, Maurício LIma informa que Michel Temer ainda tem prazo para pensar, mas dificilmente vai vetar o aumento do STF. Primeiro porque existe previsão orçamentária. Depois porque a medida foi sugerida por um poder, o Judiciário, e aprovado por outro, o Legislativo. Ele não quer briga.

Já o seu colega de coluna, o jornalista, Gabriel Mascarenhas, nos traz a seguinte notícia, que o novo ministro da defesa do governo Bolsonaro paga flexões como penitências.

"Horas após ser anunciado ministro da Defesa, Fernando Azevedo ostentou bom humor ao chegar atrasado no Galeão, onde seu chefe, Dias Toffoli, o aguardava havia meia hora. Ele se desculpou, anunciou que se puniria à moda da caserna e pagou três flexões."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Você que tem um plano de saúde, saiba que logo logo você vai pagar bem mais caro.

Fernandes

Saem os médicos cubanos e entra a universal com a sessão do descarrego e o travesseiro ungido curando qualquer moléstia.

Fernandes

bolsonaro jumento, vai distribuir nas escolas kit ARMAS

marcos

Nuca esquecer: Temer é o vice de Dilma Jumenta (PT), com o apoio do Cotó de Curitiba!



17/11


2018

Ouricuri: prefeito ouve demandas da população

Com o objetivo de ouvir e atender às diversas demandas da população, o Prefeito de Ouricuri Ricardo Ramos (PSDB) e a Secretária Municipal de Saúde Gardielle Andrade participaram nesta terça-feira (13) de uma reunião comunitária no Bairro São Brás, em Ouricuri. A medida possibilita um contato direto com a população e mais eficácia na resolutividade de demandas.

Entre os questionamentos levantados, Ricardo Ramos acatou a solicitação de mudança da USF do Bairro São Brás para onde funcionava o CAPS AD III, devido ser um local mais amplo. A unidade atende os bairros São Brás, Cohab, Canacuí e sítios vizinhos, o que ocasiona superlotação. Segundo o Prefeito, “É preciso unirmos forças para construir uma sede própria da Unidade de Saúde da Família no próprio bairro”, defendeu Ricardo.

Outro ponto bastante cobrado pela comunidade foi à melhoria da iluminação nas vias públicas e praças, construção de lombadas e de calçamento de algumas ruas, compromisso que foi firmado pelo Prefeito Ricardo Ramos. “Com o Programa Obra da Semana, temos levado o desenvolvimento aos quatro cantos de Ouricuri. Tenho certeza de que em breve, atenderemos às solicitações e iremos inaugurar também essas conquistas”, garantiu o Prefeito.

A comunidade demostrou grande satisfação com a presença do Prefeito Ricardo Ramos, sentimento esse que foi externado pelo depoimento da moradora Magda Ferreira de Alencar, onde agradeceu e reconheceu os esforços do Prefeito Ricardo Ramos em fazer o melhor pelo povo de Ouricuri.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/11


2018

Médicos sem Revalida poderão deixar programa

Brasil pode perder mais 3.300 médicos que não têm Revalida. Se esse grupo deixar o programa, sobrarão só 4.600 brasileiros formados no país, pois outras 2.000 vagas estão ociosas por falta de interessados.

(Hélvio Romero/Estadão Conteúdo)

 

Por Estadão Conteúdo

 

Além dos mais de 8.300 cubanos que deixarão o país até o fim do ano, o Brasil corre o risco de perder outros 3.300 profissionais do Mais Médicos caso o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), cumpra a promessa de exigir revalidação do diploma de todos os médicos do programa. Esse é o número de participantes chamados de intercambistas, ou seja, brasileiros formados no exterior ou estrangeiros de outras nacionalidades que também foram dispensados da revalidação do diploma para atuar no país.

Em entrevista na quarta-feira, quando Cuba anunciou a saída do Mais Médicos, Bolsonaro afirmou que o Revalida será cobrado de todos. “(De) qualquer profissional de saúde trabalhando no Brasil, exigiremos uma prova de que realmente são competentes, conhecida como Revalida.”

Nesta sexta-feira, 16, a Defensoria Pública da União (DPU) protocolou, junto à Justiça Federal, ação civil pública em que pede ao governo federal a manutenção das atuais regras do Mais Médicos e a abertura do programa a estrangeiros de qualquer nacionalidade. Segundo a DPU, o objetivo é evitar que a população seja prejudicada.

O presidente eleito não deixou claro, porém, se esses profissionais já seriam suspensos do programa assim que o novo governo tomar posse ou se poderiam continuar trabalhando até passar pela prova, que costuma ocorrer uma vez por ano.

A edição de 2018 já teve inscrições encerradas, portanto, os profissionais interessados em fazer o exame só poderiam prestá-lo no fim de 2019.

A reportagem tentou contato com as assessorias do governo de transição e de Bolsonaro para questionar como seria o processo de revalidação do diploma desse grupo, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria. Questionado sobre o assunto, o Ministério da Saúde disse que não poderia responder por decisões que serão tomadas na próxima gestão.

Se esse grupo também deixar o programa, sobrarão só os 4.600 médicos brasileiros formados no país, já que além dos 8.300 cubanos e 3.300 intercambistas (ambos os grupos sem Revalida), outras 2.000 vagas do Mais Médicos estão ociosas por falta de interessados.

Reposição

Nesta sexta, representantes do ministério se reuniram com membros da Organização Panamericana de Saúde (Opas), intermediária do acordo de cooperação entre Cuba e Brasil, para definir detalhes da saída dos cubanos e da reposição.

Segundo a pasta federal, o edital de chamamento para os cerca de 8.300 postos que ficarão vagos será lançado já na semana que vem. Nova reunião entre os dois órgãos será realizada na próxima segunda-feira para definir detalhes do edital. Assim como nos chamamentos anteriores, será dada preferência a brasileiros e, caso as vagas não sejam preenchidas por estes, o processo será aberto a estrangeiros.

Gilberto Occhi, ministro da Saúde, disse nesta sexta que também se reunirá na semana que vem com a equipe do governo de transição para discutir ações relacionadas à saída dos cubanos e também para propor medidas para a área da saúde. Uma das propostas levantadas pela atual gestão é chamar os médicos formados por meio de Financiamento Estudantil (Fies) para ocupar as vagas abertas.

Segundo Occhi, há de 15 mil a 20 mil médicos aptos a participar do edital e, por isso, ele acredita que as vagas serão preenchidas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Saem os médicos cubanos e entra a universal com a sessão do descarrego e o travesseiro ungido curando qualquer moléstia.

Fernandes

O jumento Bolsonaro, sinônimo de CAGADA.

Fernandes

O Bolsofake promete aumentar os recursos da saúde para contratar médicos brasileiros a fim de suprir a carência com a saída dos médicos cubanos. Só que ele esqueceu que a Emenda const. 95 impõe um corte enorme de gastos na saúde para 2019. Detalhe: Ele votou a favor dessa EC!!!

marcos

O Blog 247 faz Enquete sobre quantos anos o Cotó em Curitiba pegará na sua nova condenação dos roubos no sítio em Atibaia, Eu votaria uns 13 anos e você?

Fernandes

Bolsonaro ataca Folha e povo deve se informar pelo Whatsapp. Em entrevista ao Jornal Nacional, Bolsonaro disse que a Folha faz Fake New (sem o S mesmo) e que o jornal não receberá verbas federais de anúncios.



17/11


2018

Prefeito de Ouricuri reinvindica construção da PE-630

O Prefeito de Ouricuri Ricardo Ramos (PSDB) participou na quarta-feira (14) de mais uma a Audiência Pública na Câmara Municipal de Santa Filomena, juntamente com o Prefeito Cleomatson, Vereadores e com a população, para reivindicar a construção da PE-630, que interliga os municípios de Petrolina, Afrânio, Dormentes, Santa Filomena, Ouricuri e Trindade.

O encontro serviu para discutir os avanços na luta pela concretização deste grande sonho. Outras cinco audiências já foram realizadas nos município de Dormentes, Trindade, Petrolina, Santa Filomena e Ouricuri.

Ricardo apresentou novas ideias e metas pela materialização do sonho dos munícipes que esperam a pavimentação asfáltica da rodovia estadual com extensão de 148 quilômetros, que atravessa os cinco municípios pernambucanos. “Além de garantir a segurança para quem trafega, a rodovia será importante rota para o escoamento da produção agrícola e do polo gesseiro do Araripe, e trará mais desenvolvimento para a nossa região”, defendeu Ricardo.

Em discurso, Ricardo Ramos afirmou: “Muitas coisas só acontecem quando a gente tem a vontade de fazer, e isso o povo sertanejo sabe ter: vontade e coragem de lutar pelos seus objetivos. Que Deus possa nos abençoar nesta luta”, pontuou o Prefeito


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores