ArcoVerde

08/11


2018

Bolsonaro diplomado no Dia dos Direitos Humanos

Será no Dia dos Direitos Humanos (10 de dezembro) a data escolhida pelo Tribunal Superior Eleitoral para a diplomação de Jair Bolsonaro. A data foi antecipada devido à cirurgia a que ele será submetido no dia 12. A recebeu críticas do escritor e teólogo Leonardo Boff (foto).

"É um escárnio o TSE diplomar no dia dos Direitos Humanos,10 de dezembro, alguém que louva a tortura e tem como herói um torturador Brilhante Ustra e admira Hitler. Perderam o bom senso e o auto respeito. Ofendem a todas as vítimas do regime militar de 64. Indignamo-nos e repudiamos".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Mistério. De repente, Bozonazi parou de dizer que as urnas eletrônicas são fraudadas.

Fernandes

Luciano Hang, o Dono da Havan Que Gastou 12 Milhões nas Fake News de Bolsonaro no WhatsApp, Deve R$ 168 Milhões ao INSS!!!

marcos

Segundo Ciro Gomes, Esse Leonardo Boff é um Bosta!

Fernandes

QUERO VER SE O CAPITÃO JAIR FODÃO VAI TER CORAGEM DE VETAR O AUMENTO DE SALÁRIO DOS DOS JUÍZES COMO A PRESIDENTA DILMA FEZ

Fernandes

Após Bolsonaro decretar fim do Ministério do Trabalho começa na Republica de Curitiba a demissão em massa dos cobradores de ônibus


Asfaltos

Confira os últimos posts



06/07


2009

Cabo 101.1 FM passa a gerar o programa Frente a Frente

O programa Frente a Frente, que apresento pela Rede Pernambucana de Rádios, em companhia de Adriano Roberto, já com 22 emissoras, passa a ser gerado, a partir de hoje, pela Cabo FM 101.1, emissora 100% digital, com cobertura em toda a Região Metropolitana do Recife. Nos próximos dias, também chegaremos ao sertão do São Francisco com a inauguração da Rádio Ponte FM de Petrolina, igualmente 100% digital.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Parabéns pelo programa, Magno.

milton tenorio pinto junior

O Frente a Frente tá bom demais. Parabéns Magno e Adriano..



06/07


2009

Coluna de hoje na Folha

           Bucha de canhão

 

Na oposição, o parlamentar se afirma combatendo o bom combate, vigilante, sem jamais deixar se seduzir pelo poder. No Governo, apresentando bons projetos, sem nunca adotar o estilo lagartixa, de baixar a cabeça para os desejos e imposições do governo a que serve.

 

A função de líder governista é trabalhosa, delicada e exige um pré-requisito básico: afinidade com o chefe, no caso o governador. A trapalhada cometida pelo deputado Isaltino Nascimento (PT), líder do Governo Eduardo na Assembleia, no affair auditores fiscais, passa a impressão de que ele foi usado como bucha de canhão.

 

Ou então, é muito primário em se tratando de matéria econômica e constitucional. Econômica porque, segundo a versão oficial do governo, a emenda apresentada pelo líder, na qual abria uma brecha para que auditores ganhassem acima do teto estadual, que é o do governador, não cabe no tamanho do caixa da Fazenda.

 

Inconstitucional, na medida em que fere a lei, que diz que ninguém pode ganhar mais do que o governador. Isaltino fez uma carta ao governador, orientado pela assessoria palaciana, mas a emenda saiu pior do que o soneto, ou seja, se explicou e não convenceu. Subserviência em dose cavalar quando não mata, deixa seqüelas irreversíveis.

 

ALMA DE REPÓRTER– O jornalismo perdeu, ontem, Ronildo Maia Leite, 78 anos, que tinha um faro de causar inveja. O conheci na redação de O Globo, de quem recebi a indicação para correspondente do jornal carioca em Fortaleza e recusei, porque já estava de malas e cuias com destino a Brasília. De temperamento explosivo e texto primoroso, Maia Leite também era um colecionador de fatos políticos, que contava como ninguém.

 

Petrobras aparelhada - Reportagem de O Globo, ontem, mostrou que o Governo Lula também instalou uma república sindicalista na Petrobras. Pelo menos 22 ex-sindicalistas ocupam postos estratégicos em gerências da estatal e controlam a distribuição de verbas para 938 municípios.

 

 

 

 

 

 

Guerra, alternativa da oposição - Se Jarbas não for candidato a governador, o PSDB pode apresentar o candidato da oposição, segundo avalia o deputado Bruno Araújo. A recondução de Sergio Guerra no comando nacional da legenda tucana, na visão de Araújo, pode abrir uma nova discussão com vistas a 2010. Não será surpresa para Bruno se o candidato for o próprio Guerra.

 

Oposição reage - Na próxima quinta-feira, em Salvador, PSDB e DEM lançam o projeto Agenda Família, proposta que aprimora o Bolsa-Família. Na prática, cria condições para que as pessoas deixem o programa de transferência de renda do governo federal e ingressem na atividade produtiva. Fácil? 

 

Bom exemplo - Enquanto João da Costa não conseguiu tirar apenas 50 vendedores de espetinhos da praia de Boa Viagem, em Jaboatão o prefeito Elias Gomes (PSDB) deu uma demonstração, ontem, de que, no diálogo, se resolve tudo: removeu a feira de Prazeres, que tem 1,5 mil vendedores.

 

 

 

Curtas

 

VITÓRIA – O ex-prefeito de Vitória, José Aglailson (PSB), já conseguiu em Brasília a documentação que faltava para colocar em funcionamento a Faculdade Miguel Arraes, especializada em Direito e com cursos em outras áreas.

 

PROTESTO- Preso em Araripina acusado de porte ilegal de arma e formação de quadrilha, o prefeito de Exu, Léo Saraiva (PSB), foi surpreendido, ontem, com uma manifestação: 200 pessoas de Exu defenderam sua liberdade.

 

MUDANÇA, JÁ – Pré-candidato à presidência da OAB, Júlio Oliveira, que já presidiu a instituição, regressou, ontem, de mais um giro pelo Interior do Estado convencido de que a categoria deseja mudança nas eleições de novembro.

 

''O sábio é mais poderoso do que o forte; e o inteligente do que o que possui a força''. (Provérbios 24-5)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Saudações tricolores Batista. Acho que vc tem razão. Isaltino deve ser mal assessorado.É a única justificativa..

Jonas

Concordo na excelencia que é o bolsa família. Sei que nas pequenas cidades trabalho remunerado praticamente não existe e nessas cidades o BF é fundamental, mas nas cidades grandes o governo poderia sim, oferecer profissionalização as familias como meio de sair da dependencia federal.

Jonas

Guilherme você acha justo o governo federal sustentar milhares de familias para o resto da vida com o dinheiro dos impostos? Que pespectiva de futuro os jovens vão ter se o governo lhes paga para nada fazerem.

Emanuel Fernandes

Marcos, se você ainda não tomou hoje, ainda há tempo, ok !

monica dantas

Vitória: esse "ex-perfeito ditador" q lá passou como nunca trabalhou(é aposentado como delegado sem nunca ter sido, o governador que deu aposentadoria foi quem?? "migué arraia") não vai colocar faculdade nenhuma é só balela e se colocar é uma gancorra q durará pouco.Hoje Vitória é livre ELIAS LIRA.



06/07


2009

Enterro de Ronildo será hoje

        Diário de Pernambuco

O jornalismo pernambucano perdeu um de seus maiores nomes com a morte, na manhã de ontem, do jornalista Ronildo Maria Leite, 78 anos. Internado desde 26 de junho na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Esperança, ele faleceu por uma infecção respiratória. O jornalista está sendo velado desde ontem no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, onde será sepultado hoje, às 11h.

De repórter freelancer a chefe de redação, Ronildo inovou na profissão e conquistou as mais conceituadas premiações, como quatro prêmios Esso de Comunicação. O jornalista também se despede deixando uma grande família. São oito filhos de três casamentos e 11 netos, dos quais três seguiram a inspiração do pai e avô e atuam em comunicação.

Natural da cidade de Garanhuns, no Agreste do estado, Ronildo Maia Leite nasceu em 30 de outubro de 1930 e iniciou sua carreira como jornalista ainda adolescente, aos 14 anos. Sua primeira atuação foi no Garanhuns Diário. Já no Recife, passou a escrever no antigo Jornal Pequeno,onde permaneceu até 1955, quando passou a integrar a equipe do Diario de Pernambuco.

Ele formou-se na primeira turma de jornalismo da Universidade Católica de Pernambuco e foi laureado da cadeira de técnica de jornal, premiado pelo Moinho Recife. O publicitário e filho Iuri Leite, 46, lembra com orgulho da trajetória do pai no jornal Última Hora, em que foi chefe de redação em 1964 e onde foi preso pelo Exército ao preparar uma edição extra sobre a resistência dos governadores nordestinos. ''Ele foi proibido de trabalhar na imprensa. Conseguiu atuar em publicidade, mas não sossegou até retornar para o jornal''.

A esposa e atriz Isa Fernandes Maia Leite, contou que, há cerca de um ano, Ronildo sentia as consequências de um AVC, ocorrido no fim de 2006. ''Ele estava sem andar. Mas o que mais o incomodava era não poder escrever'', ressaltou, lembrando que o jornalista foi o primeiro a trocar a máquina de escrever por computador.

Com Isa, Ronildo teve o filho mais novo e também jornalista, Augusto Leite, 22. ''Desdepequeno, ele me levava às redações e nossa convivência era essa'', contou. A neta Cinthya Leite, 28, filha de Iuri, também seguiu a carreira e, mais do que a inspiração para a profissão, disse que aprendeu muitas lições de vida com o avô. ''O recado mais marcante foi o de não desistir nunca, de que existe mais de um caminho para chegar onde queremos'', ressaltou.

A lição vem de uma situação específica quando Ronildo fez uma edição extra do Garanhuns Diário para anunciar o fim da Segunda Guerra Mundial. ''Ele queria que a manchete fosse ''Terminou a guerra'' e disseram que não era possível porque o ''m'' estava quebrado. Ele, então, disse: pegue o ''w'' e emborque. E ele era assim, resolvido'', lembrou Cinthya.

O potencial em fazer boas manchetes também foi reconhecido com três premiações conferidas pela Northon Publicidade, duas delas no Jornal do Commercio, com os títulos de primeira página: Um branco fuzilou a paz (sobre o assassinato de Martin Luther King) e Praga vermelha: é o sangue dos jovens (sobre a invasão daTchecoslováquia pelas tropas russas).

Além de passar por quase todos os jornais pernambucanos, Ronildo foi repórter da sucursal Recife da revista Veja e colaborador de Isto É. Chefiou a Redação Norte-Nordeste de O Globo, por 19 anos, e escreveu, por dois anos, a Crônica da Cidade, para a TV Globo Nordeste.

Em seu trabalho de pesquisa, participou de antologias e escreveu 15 livros, entre eles Recife Cruel, ó... (1982), O Destino das Ruas (1985), Exu, 200 anos de guerra: História das brigas entre as famílias Alencar e Sampaio (1998) e Três histórias de uma praça e uma notícia de guerra (1999). Um histórico que se tornará eterno pela contribuição deixada ao jornalismo e à literatura.

Depoimentos

''O jornalismo pernambucano perde um dos seus nomes mais significativos. Ronildo Maia Leite marcou época dirigindo jornais locais ou trabalhando como correspondente da imprensa do Centro Sul. Foi muito importante também em sua militância no jornal Última Hora, experiência de jornalismo político que é um marco histórico. Estamos solidários com a dor da família e dos jornalistas pernambucanos.''

Eduardo Campos - Governador de Pernambuco

''Nunca trabalhei diretamente com Ronildo, mas o acompanhei em meus 30 anos de profissão e sempre tive uma relação muito fraterna. Ele teve uma trajetória exemplar e amava ser jornalista acima de qualquer coisa. Um profissional como Ronildo demonstra como o jornalista precisa ser uma pessoa diferenciada, uma pessoa apaixonada pela profissão. O jornalismo para ele não era uma formação qualquer e é assim que deve ser.''

Evaldo Costa - jornalista e secretário de imprensa do governo

''Trabalhamos por 14 anos no jornal O Globo e ele foi o maior e o melhor professor que tive. Era um jornalista completo, extremamente ético. Muito flexível com relação ao exercício correto da profissão, mas não admitia que o repórter fizesse matéria sem ouvir o outro lado. Sempre teve muita preocupação com os episódios políticos de Pernambuco e queria contar o que a imprensa não tinha esgotado. Se tornou um grande historiador. Foi um grande mestre, estimulou vários repórteres. Vou sentir uma saudade imensa.''

Inaldo Sampaio - jornalista e blogueiro

''Considero Ronildo um dos melhores jornalistas da geração e sempre encontrei nele um profissional muito competente. Quando fui chefe de redação do Diario da Noite, em 1966, o convidei para ser editor de esportes e ele trouxe muita inovação para o jornalismo esportivo. Ele era um excelente titulador e uma inspiração aos novos profissionais. Um homem sempre atento às tendências, que se antecipava a elas.''

Carlos Garcia - jornalista

''Nunca trabalhamos na mesma empresa, mas o conheci quando comecei na profissão. A morte de Ronildo foi uma grande perda para o jornalismo, pois ele foi um mestre em sua geração. Da sua maneira, às vezes com paciência, outras sem, ele gostava de ensinar. Sempre queria o melhor do repórter e lutava por isso. Era um jornalista muito vibrante e isso tem se tornado qualidade rara.''

Divane Carvalho - jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/07


2009

Artigo especial

               As lições do camarada

                Lêda Rivas

               Jornalista

“Camarada, não saio mais com você, pra não ser vítima de uma bala perdida”. Foi isto, com certeza, a última coisa que eu disse a Ronildo Maia Leite, antes que o destino jogasse, cruelmente, as suas cartas, e nos atirasse, cada um, para seu canto. De longe, seguindo a minha atividade rotineira, assisti ao amigo despencar, pouco a pouco, em complicações de saúde, que lhe minaram o cérebro e, de resto, todo o organismo.

Covardemente, nunca o visitei, nesses anos em que ficou relegado a uma espécie de hospital domiciliar. Não queria ver aquele que não era mais o “meu” Ronildo. Arrebatado. Indignado. Carbonário. E, já então, desiludido com a revolução socialista em que tanto acreditara.

Claro, não havia mais o risco da bala perdida. Brincadeira que eu usava para provocá-lo, já que era voz corrente que “metade do Recife o odiava e a outra metade o temia”.  Maldade dos desafetos incapazes de se defender da pena afiada e implacável do repórter atento aos mínimos deslizes, aos menores desvios de caráter.

Ronildo, cego de um olho, enxergava além do que podia ver a nossa mais acurada argúcia. E não perdoava. Não deixava por menos. Cobrava atitudes. Esperava respostas e, à falta delas, desesperava-se, lançava petardos e maldições.

Era assim com os políticos, com os administradores, com a arraia-miúda, com os ex-comunistas, como ele. E até com os amigos, do que dou testemunho, pelas muitas brigas que ele comprou por simples desavenças minhas. Alguém me magoava, Ronildo queria ir às vias de fato, ameaçava escrever um artigo esculhambando o sujeito. Difícil convencê-lo de que eu era boa no combate e me valia sozinha.

Esse temperamento impetuoso moldou o jornalista que se iniciou no metier ainda adolescente, em sua Garanhuns natal. A manchete e a notícia que o projetaram, então, sobre o fim da Grande Guerra, no jornal da sua cidade, marcariam a sua trajetória de repórter investigativo, obcecado pelo fato histórico.

Em tudo o que escreveu, na sua longa carreira, Ronildo jamais fugiu dessa preocupação de desmistificar a História como “múmia enfaixada de museu”, mas como ocorrência real, verdadeira e presente, lição de todos os dias. A perspectiva histórica de suas reportagens rendeu-lhe alguns Prêmios Esso e outras láureas. Profissional completo, tinha a tinta de impressão correndo nas veias.

Nunca o tive como chefe, por isso não sei como se comportava com os seus repórteres. Comigo, que dele não dependia, nunca bancou o sabichão. Ao contrário, sempre perguntava, como se, de fato, quisesse que eu lhe ensinasse alguma coisa. Como se alguma coisa eu soubesse! Por incrível que pareça, ele tinha esse tipo de humildade, sim.

Reconhecia seus erros, quando, de fato, errava. Pedia perdão, quando lhe parecia justo. Perguntava, quando não sabia. Passava por cima de ressentimentos, se derrotado fosse por uma prosa  inteligente e umas boas doses de vodca.

Aprendi muitas coisas com Ronildo Maia Leite. Foi ele quem me iniciou e a Potiguar Matos nos – para nós – enigmáticos caminhos da informática, levando-nos, como se fôssemos crianças, às aulas do professor Eduardo Matos. Expert no assunto, Ronildo teve a capacidade de começar do zero, na aprendizagem, só para que nos sentíssemos à vontade com o novo invento.

Ao lado de Isa, sua mulher e nossa grande amiga, cumpriu toda a programação de Word, Windows e aquelas coisas todas, com direito a diploma de conclusão de curso e festa de encerramento. Com Ronildo aprendi que, seguindo o modelo de Aníbal Fernandes, nunca se deve dizer “de mais” para não dizer “de menos” amanhã (cuidado com os adjetivos!), que as palavras são sagradas e merecem respeito (as palavras traem!), que é preciso perguntar sempre, duvidar sempre, investigar sempre. E, sobretudo, que é preciso nunca perder a capacidade de se indignar.

Ronildo Maia Leite começou a morrer, há dois anos ou pouco mais, quando o jornalismo passou a se distanciar dele. Quando ele quis escrever e não encontrou espaço. E quando os centímetros em jornal que lhe concederam, quase como um favor, não foram suficientes para abarcar os seus pensamentos e as suas emoções.

O silêncio do camarada se tornou pesado e a dor o arrastou para os subterrâneos do esquecimento. Acho que ele teve o primeiro AVC de propósito. O que veio, depois, foi vingança. Bem típico dele.

Com Ronildo, vai-se um tempo do jornalismo pernambucano. Um tempo de romantismo, de arrebatamento, de coragem. Que, com certeza, não se repetirá.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carmem Tenório

Ao marcus arraes - que só merece ter seu nome escrito em "minúsculo mesmo - digo-lhe o seguinte: por que não teceu esse seu comentário LASTIMÁVEL quando Ronildo estava vivo e podendo responder-lhe? "Pulha" é voce que não tem respeito algum por quem não mais está entre nós para se defender.

roberto lima

Bonito texto, Leda Rivas!

José Pereira da Silva

Parabéns pelo artigo As lições do camarada, no texto foi escrito uma frase que resume tudo: E, sobretudo, que é preciso nunca perder a capacidade de se indignar.

Marcos Arraes de Alencar

sempre foi um pulha.

milton tenorio pinto junior

Parabéns Leda. Sua leitura tá bela.



06/07


2009

Tchau, careca

 Foto-Amanda Dantas
Do site de Divane Carvalho

Ronildo Maia Leite gostava do que fazia. A bem da verdade, ele tinha verdadeira paixão pelo jornalismo com todas as suas consequências. Esse jeito apaixonado de fazer jornal o deixava  eufórico, algumas vezes ranzinza, outras inquieto, mas sempre pronto para  brincar com os colegas. E também pra dar broncas nos subordinados, leves ou pesadas, que era seu jeito de ensinar aos mais jovens a profissão que tanto acreditava e respeitava.

A outra paixão de Ronildo era o Santa Cruz. Triste de quem falasse mal do time do Arruda que ele perdia a cabeça. Brigava. Xingava. E dia de jogo era melhor nem chegar perto dele.

Acontece que algumas vezes Ronildo foi ao estádio assistir o jogo e o time perdeu. Pronto. Foi o suficiente para ser chamado de pé frio, um horror. Ele ficava louco de raiva. E quanto mais se irritava mais os colegas se divertiam com a provocação.

Foi aí que na sucursal do jornal O Estado de S. Paulo, no Recife, os colegas de Ronildo resolveram deixá-lo mais irritado ainda: toda vez que o Santa Cruz ia jogar passavam uma mensagem pra ele, pelo telex ( isso mesmo, gente, vá procurar o que é isso lá no Google!), pedindo que ele não fosse ao estádio para não azarar o time.

Era divertidíssimo, porque assim que o telex era enviado a gente tinha o maior cuidado para desligar a máquina antes que ele pudesse descobrir quem estava enviando a mensagem. Isso durou um tempão e, pelo que sei, Ronildo nunca descobriu quem enviava os torpedos para irritá-lo. Mas devia desconfiar sim, apenas não falava nada porque, no fundo, ele gostava da brincadeira.

Ronildo Maia Leite, jornalista pernambucano, morreu hoje(ontem) e será enterrado no cemitério Morada da  Paz nessa segunda-feira, às 11h. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/07


2009

PTN quer expulsar Adão da Burra do partido

 A executiva estadual do PTN declarou guerra ao ex-presidente da sigla José Damião Damasceno. Ontem, o atual dirigente do partido em Pernambuco, o vereador recifense Gilberto Alves(foto), afirmou que entrará, nesta semana, com o processo de exclusão de Damião da agremiação por ele, que é conhecido no Carnaval como Adão da Burra, ''espalhar mentiras para confundir aliados'' do PTN. ''Ele faz parte de um grupo de falsários que forjaram uma convenção do nosso partido e saem pelo País a soltar inverdades com as piores intenções. Já caçamos a liminar que garantia espaço para o bando dele dentro do PTN'', disparou o parlamentar. Há pouco mais de 15 dias, Damasceno havia anunciado que a sigla estaria rompendo com a gestão do prefeito João da Costa (PT).

Alves disse ainda que a ''legítima'' executiva nacional da sigla realizará a convenção, no próximo dia 17, para definir os novos membros do diretório nacional do PTN. ''Depois convocaremos eleições para as cadeiras da executiva'', explicou.(Informações da Folha de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Felipe Vasconcelos

Esse Adão da Burra é um mala sem alça mesmo. Quer um partido para fazer dele meio de vida.



06/07


2009

Itamar se filia ao PPS para fazer oposição a Lula

 O ex-presidente Itamar Franco oficializa, hoje à tarde, sua filiação ao PPS. A cerimônia, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, contará com a presença do presidente da partido, Roberto Freire, e do governador Aécio Neves (PSDB).  Embora seja um dos mais entusiasmados cabos eleitorais do governador mineiro, Itamar tem sido cotado, pelos tucanos paulistas, como um bom nome para vice do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), na disputa presidencial de 2010.

"Eu estava na arquibancada e agora estou no banco de reservas, mas evidentemente não cabe a mim decidir nada, cabe ao partido", declarou Itamar, em entrevista à rádio CBN. Segundo ele, seu ingresso no PPS é "político" e não "eleitoreiro".

Itamar, de 78 anos, estava sem partido desde que deixou o PMDB, em 2006. O ex-presidente sentiu-se traído pela legenda, que o preteriu na disputa pelo Senado. Com o apoio do presidente Lula, o PMDB de Minas lançou o ex-governador Newton Cardoso como candidato ao Senado. O episódio selou o rompimento de Itamar com o PMDB, pela terceira vez, e também o afastamento entre Itamar e Lula. O ex-presidente chegou a fazer parte do governo petista, ocupando o cargo de embaixador em Roma durante o primeiro mandato. Hoje, critica o governo.(Informações de O Estado de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jonas C Holanda Junior

Simples! ESTADISTAS de verddade devem manter distância regulamentar de refregas eleitorais. Aos seguidores de Lula isto é algo de dificílima compreensão, por motivos óbvios.

serragio

Não sei o motivo de FHC não se candidatar novamente.

Jonas C Holanda Junior

Caro Pedro, os que sempre jogam confetes em Itamar são vocês petistas - quando se fala da primazia do Plano Real - com o único intuíto de diminuir a figura do Presidente que mudou os rumos de uma nação, FHC.

jorge modesto

Diante de tudo que vimos, de Sarney a Lula, foi o governo mais sério e ético até a presente data !

Pedro Batista Filho

Pronto, podem esperar, todos aqueles q zombazam dele e o chamavam de louco, agora toda vez q ele fizer um ataque a Lula vão dizer q ele é um grande e sábio político. Se ele for candidato a vice de Serra são capazes até de devolver p ele a paternidade do plano real, usurpada por FHC e o PSDB.


Bm4 Marketing 7

06/07


2009

Garibaldi: "Assumir Senado agora é suicídio político"

 Cotado para assumir a presidência do Senado, em caso de renúncia do atual ocupante do cargo, José Sarney (PMDB-AP), o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) disse que assumir esse cargo pode ser um "suicídio político", segundo informa o portal Terra.

"Não sei se aceitaria porque, apesar de ter me investido em uma missão muito difícil quando assumi no lugar de Renan Calheiros, a situação hoje é muitas vezes pior. Então não estou cogitando isso porque ele não renunciou e, se fosse o caso, era realmente de se pensar muito. Porque pode ser um suicídio político", avaliou o senador.

Garibaldi Alves enfatizou que a situação do presidente José Sarney é muito delicada. "Está muito difícil. Muito grave porque os partidos estão retirando apoio a ele, até mesmo o DEM, que era da base de sustentação dele. Mesmo assim ele acha que pode continuar". O parlamentar peemedebista afirmou que o presidente Lula, com a interferência que faz na bancada de senadores do PT, está interferindo em outro Poder. "Acho que o presidente Lula está tentando influenciar o partido dele, mas aqui e acolá extrapola porque, ao invés de falar só em PT, termina falando em Senado e isso pode ensejar reação muito legítima porque o Congresso é independente".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

RICARDO ASSIS DE MENEZES

QUE VERGONHA! VAMOS ACABAR COM ESSE SENADO QUE NÃO SERVE PARA NADA A NÃO SER PARA SERVIR DE FOCO DE CORRUPÇÃO.................



06/07


2009

Perfil escolar de Dilma foi corrigido e emagreceu

Do Blog de Josias de Souza

O currículo de Dilma Rousseff passou por uma lipoaspiração.

 

Até a última quinta (2), Dilma era apresentada no portal da Casa Civil como:

 

1. “Mestre em teoria econômica”;

 

2. “Doutoranda em economia monetária e financeira pela Unicamp”.

 

Na sexta (3), ela perdeu o título de mestre e a pretensão a doutora.

 

A musculatura acadêmica fora obtida por meio de anabolizantes.

 

Deve-se à revista ''‘Piauí’'' a realização do exame anti-doping.

 

Ouvida pela revista, a Unicamp disse que Dilma não é mestre nem doutora.

 

Pilhada, a ministra reconheceu: não concluiu o mestrado. Faltou a dissertação. E abandonou o doutorado.

 

Depois de lipoaspirado, o novo perfil de Dilma ficou assim:

 

“[...] Foi aluna de mestrado e doutorado em Ciências Econômicas pela pela Universidade de Campinas, onde concluiu os respectivos créditos”.

 

Coisa feia!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jonas C Holanda Junior

Valores éticos e morais, como a verdade, são artigo raro nas hostes Petistas, coisa de otário compreende? coisa do PIG. Eu não me surpreendo porque não se deve cobrar algo a quem não tem nada a dar.

serragio

O que o PIG não faz pra inventar crises. Coisa feia.

Emanuel Fernandes

Com doutorado ou não voto nela. Tem jornalista ai que não tem nem o ensino basico e arrota de colunista ! Desafiso o blogueiro colocar no seu blog quem é quem no jornalismo, tem coragem ?

Valter Barreto

O cerne da questão não é se ela estudou ou não. A pior parte dessa história é o culto à mentira e à enganação. Parece que a mentira, a falta de caráter, de moral e ética não abalam os pilares do PT e da legião de seguidores. Tudo vale a pena pelo crescimento econômico e pelo poder.

José Pereira da Silva

Feita a lipoaspiração no currículo, agora só falta aplicar butox e plastificar como fizeram com a cara da simpática Ministra.



06/07


2009

Farra com dinheiro público na Assembléia da Paraíba

 Clubes de futebol, empresas de produções artísticas, uma banda de forró e gabinetes de deputados estaduais receberam dinheiro de verba da Assembleia Legislativa da Paraíba para pessoas em "situação de necessidade".
O governador José Maranhão (PMDB) entrou na última quarta-feira com ação de inconstitucionalidade no STF (Supremo Tribunal Federal) contra a suposta irregularidade da verba social da Assembleia. Foram R$ 11,5 milhões empenhados em 2008 para a chamada "assistência social a pessoas e entidades sem fins lucrativos em situação de necessidade". Desse valor, R$ 7 milhões foram apenas para gabinetes de 12 deputados (de um total de 36 deputados na Casa).

"Não dá para saber se tem pessoas carentes ou não", disse o presidente do tribunal, Antônio Nominando Diniz Filho, sobre o programa. "Não existe critério nem distinção. Boa parte deles é de associação de pescador, associação comunitária. Tem até banda de forró e time de futebol", afirmou.
O Campinense Clube, que está na Série B do Campeonato Brasileiro, recebeu R$ 90 mil, em 20 de outubro de 2008, e o Treze Futebol Clube, na série D, ganhou R$ 60 mil no mesmo dia. A Folha ligou para os clubes, mas ninguém atendeu. A banda de forró Xote Xodó, recebeu R$ 9.000, em junho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

GLACIDELSON ANTONIO DA SILVA

Bem que o coitado do Campinense está precisando. Ou o time reage ou vai voltar para a série C (3ª Divisão).

uilma

Esse País numca vai ter futuro, sò da ladrão, My Kami.



06/07


2009

Criado para fiscalizar Ministério, não fiscaliza nada

 Criado em 2004 para exercer o controle externo do Ministério Público, o CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) é uma espécie de xerife sem munição que não sabe o que acontece nas suas barbas, segundo informa o jornal Folha de S.Paulo desta segunda-feira. O órgão é pouco conhecido, enfrenta resistências e sua atuação deixa a desejar, até para os que aprovam seu funcionamento.

"A cúpula do CNMP não tem a menor ideia do que acontece nos Estados", diz o procurador da República Celso Três, de Santa Catarina. Ele acha "um escândalo" o conselho ainda não ter instituído correições obrigatórias (visitas periódicas dos corregedores às unidades) e critica "a passividade" diante do "descalabro salarial nos Ministérios Públicos estaduais". Três diz que, em Santa Catarina, todos os promotores recebem auxílio-moradia, e, no Rio de Janeiro, há promotores ganhando até R$ 36 mil mensais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

raimundo junior

Com certeza o MP sofre com as mesmas mazelas que atingem outras instituições e poderes, como corrupção e mal uso de dinehiro público, basta procurar que acha.



06/07


2009

Quase tudo superfaturado no Senado, dizem técnicos

 Escalado para esquadrinhar 34 contratos do Senado com empresas fornecedoras de mão-de-obra, um grupo de técnicos constatou sobrepreço de pelo menos 30%.
Dos R$ 155 milhões por ano desembolsados para empregar 3.516 servidores terceirizados, não foram encontradas justificativas para pelo menos R$ 46 milhões. Em três meses, a auditoria fechou a análise de 19 dos 34 contratos. Como a Folha antecipou no dia 21 de junho, foram encontradas irregularidades em todos. As contratações foram feitas sob a gestão do ex-diretor-geral Agaciel Maia, afastado em março.

À medida que vai sendo revisado, o papelório desce à mesa do senador que encomendou a inspeção: o primeiro-secretário Heráclito Fortes (DEM-PI). Os contratos chegam com um diagnóstico invariável. Recomendam-se a rescisão e a realização de novas licitações Dos 34 contratos, cerca de 25 estão prestes a expirar. Alguns em 30 dias. Outros em até 60. A renovação de contratos é um dos vícios apontados pelos auditores constituídos por Heráclito. Empresas que ganharam as licitações para prover mão-de-obra por um ano foram brindadas com prorrogações por até cinco anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/07


2009

Grupo que fiscaliza contas do Senado tem até morto

 Único instrumento de fiscalização das contas bancárias mantidas em sigilo no Senado, a comissão interna formada por um senador e dez servidores é uma peça de ficção, segundo informa a Folha de SPaulo de hoje. O grupo, que não se reúne há pelo menos cinco anos, é integrado por funcionários que não mais pertencem aos quadros do Senado e até por um servidor morto em 2005. Trata-se de Celso Aparecido Rodrigues, diretor financeiro do Senado. Ele foi designado para o Conselho de Supervisão do SIS (Sistema Integrado de Saúde) em agosto de 2003. Morreu dois anos depois.

Em tese, o colegiado deveria analisar as movimentações de três contas criadas para gerir as contribuições mensais dos funcionários que aderiram ao plano de saúde do Senado. Mas na prática essa tarefa coube exclusivamente ao ex-diretor-geral Agaciel Maia. "Nunca participei de qualquer reunião desse conselho", disse ontem um de seus integrantes, o ex-diretor-geral Alexandre Lima Gazineo. Como revelou ontem a Folha, as contas bancárias (duas na Caixa Econômica Federal e uma no Banco do Brasil) têm saldo de R$ 160 milhões e são movimentadas constantemente -somente neste ano, já foram sacados R$ 6 milhões. As retiradas são realizadas sem controle. No papel, a comissão é presidida pelo senador Romeu Tuma (PTB-SP), que foi designado na condição de primeiro-secretário do Senado, cargo que não ocupa desde 2004.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/07


2009

Antro de pecadores

 Fundo perdido - A revelação das três contas sigilosas do Senado dá novo significado ao comentário de um antigo conhecedor das catacumbas da Casa sobre o socorro financeiro prestado por Agaciel a quem estivesse em apuros: “Ele tinha um esquema para abastecer os 81 patrões”.

Está dito - De Wellington Salgado (PMDB-MG), sobre a pulverização das mazelas envolvendo o Senado: ‘O mais puro ali tem 4 mil pecados’. (Painel - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


05/07


2009

Senado fará auditoria em contas secretas

 A Mesa Diretora do Senado fará uma auditoria nas contas secretas usadas para custear o plano de saúde dos funcionários da Casa. O primeiro-secretário, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), disse hoje que é preciso saber como essas contas são administradas e se houve mau uso do dinheiro, estimado em R$ 160 milhões. O presidente da Comissão de Fiscalização e Controle do Senado, Renato Casagrande (PSB-ES) também pedirá explicações à Mesa Diretora.

O senador Heráclito disse que as contas não são secretas nem irregulares, apesar de estarem fora do Siafi. ''A conta é necessária porque é com esse dinheiro que é custeado o plano de saúde. A questão é saber se é bem gerida'', disse o primeiro-secretário, defendendo a criação de um conselho de gestão para administrar os recursos, com a participação de servidores do Senado, da ativa e aposentados. ''Essa conta não é secreta, é especial'', acrescentou.

O senador Renato Casagrande contou que já havia a suspeita da existência de outras contas, que estavam sendo investigadas pela comissão. ''A nossa avaliação é que estas contas eram uma prática equivocada, tanto que o Senado mandou encerrar as contas. Me estranha muito, se existirem estas outras contas, porque não fizeram tudo de uma vez só'', afirmou o senador, lembrando que no mês passado foram identificadas duas contas paralelas, no valor de R$ 3,740 milhões.Casagrande disse que apresentará um pedido de esclarecimentos ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).(Site de Veja)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha