ArcoVerde

08/11


2018

Temer tem interesse em embaixada, após mandato

No MDB, partido de Michel Temer, corre a informação de que o presidente teria interesse em ficar em alguma embaixada do Brasil, após deixar o Palácio do Planalto em 2019.

A embaixada desejada do emedebista seria a da Itália. Interlocutores de Michel Temer confirmaram ao blog a informação. No entanto, alguns integrantes do próprio partido dizem achar difícil a próxima legislatura do Senado aprovar o nome do presidente, já que ele é submetido a uma sabatina. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Luciano Hang, o Dono da Havan Que Gastou 12 Milhões nas Fake News de Bolsonaro no WhatsApp, Deve R$ 168 Milhões ao INSS!!!

marcos

UiUiUi, Na busca e apreensão realizada na Cobertura de Lula em São Bernardo, policiais federais encontraram notas fiscais de compras da obra do Sítio de Atibaia. Inclusive a nota fiscal da porta principal em nome do Engenheiro Frederico da odebrecht. Olha as PROVAS aparecendo!

Fernandes

QUERO VER SE O CAPITÃO JAIR FODÃO VAI TER CORAGEM DE VETAR O AUMENTO DE SALÁRIO DOS DOS JUÍZES COMO A PRESIDENTA DILMA FEZ

Fernandes

Já revirei o livro do Código Penal de cabo a rabo e não achei o artigo que diz que pedido de desculpas como fez Onix Lorenzetti anula crime Morotocracia

Fernandes

Apostando na imbecilização do brasileiro Bolsonaro, será internado dia 12, por lá fica, assume Mourão e o golpe militar estará dado


Asfaltos

Confira os últimos posts



15/11


2018

ALEPE faz homenagem ao Hospital do Câncer de PE

Na próxima quinta-feira, dia 22 (às 10h30, no auditório Sergio Guerra) estará acontecendo um grande expediente especial para marcar os 73 anos do Hospital do Câncer de Pernambuco. 

A proposta é do deputado estadual Aluisio Lessa (PSB) e tem como objetivo reforçar o trabalho do HCP que atende atualmente cerca de 55% dos pacientes oncológicos de Pernambuco, de maneira totalmente gratuita, realizando mensalmente mais de 3700 sessões de quimioterapia, 1350 atendimentos de urgência, 680 cirurgias por mês e 5 mil sessões de radioterapia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

Relatos de tortura na intervenção do Rio

De mãos atadas: relatos de tortura na intervenção do Rio. Depoimentos de agressões e ameaças em quartel do Exército mostram a gravidade da crise de segurança pública no Rio, há oito meses sob intervenção.

Segundo o relato dos presos, a tortura se dava numa sala vermelha no quartel Foto: Arte sobre reprodução

Época - Rafael Soares

No dia 20 de agosto, as Forças Armadas realizaram a maior operação no Rio desde o 
início da Intervenção Federal na Segurança Pública no Estado. Foram presas 86 pessoas nos complexos da Penha, do Alemão e Maré; três suspeitos foram mortos em confrontos; e apreendidos 15 fuzis, 27 pistolas e 11 granadas de mão.

A operação se tornou também a ação que registrou o maior número de militares mortos na história das Forças Armadas do Brasil desde a Segunda Guerra Mundial. Dois soldados e um cabo morreram baleados. [...] Confira na íntegra a matéria aqui


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

Senador eleito do Rio, só pensa no Grammy Latino

A gravadora gospel de Arolde de Oliveira (PSD-RJ) conseguiu emplacar cinco indicações.

O senador eleito do Rio Arolde de Oliveira (PSD) - Divulgação

Época - Por Gabriel Hirabahasi


Senador eleito pelo PSD do Rio de Janeiro, Arolde de Oliveira só pensa no Grammy Latino, que será realizado nesta quinta-feira (15).

Oliveira é dono de uma gravadora gospel que emplacou cinco indicações na premiação. MK Music é presidida pela mulher do futuro senador, Yvelise de Oliveira. A filha de Arolde, Marina de Oliveira, já levou o prêmio em 2010 por melhor álbum cristão em língua portuguesa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

Governo de PE prestigia policiais da Força-Tarefa Bancos

Governo de Pernambuco faz reconhecimento público de policiais da Força-Tarefa Bancos. O governador em exercício homenageou, nesta quarta-feira, no Palácio do Campo das Princesas, policias civis e militares que integraram operações exitosas.

O governador em exercício, Eriberto Medeiros, recebeu, nesta quarta-feira (14.11), no Palácio do Campo das Princesas, policiais civis e militares responsáveis por ações exitosas em operações da Força-Tarefa (FT) Bancos. Na primeira delas, dia 19 de outubro, a Polícia Militar conseguiu capturar integrantes da quadrilha que explodiu duas agências bancárias em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste Setentrional. Na segunda, ocorrida no último sábado (10.11), denominada Operação Benfica, foi um trabalho conjunto entre as Polícias Civil e Federal, evitando um assalto a carro-forte que fazia o abastecimento de caixas eletrônicos em um supermercado, na Zona Oeste do Recife.

“Um momento que julgamos muito importante para o Governo e para toda a sociedade de reconhecimento pelo serviço prestado com bastante êxito pelas nossas forças policiais. Sabemos que é importante reconhecer, mas também que precisamos continuar investindo e valorizando os nossos profissionais da segurança pública, como o ex-governador Eduardo Campos fez e como o governador Paulo Câmara vem fazendo. Investindo em promoções, novos concursos, reforma e criação de novas delegacias, aquisição de novas viaturas, entre outras medidas que demonstram a preocupação do Governo de Pernambuco com essa importante área”, destacou Eriberto Medeiros.

O ato de reconhecimento público foi uma homenagem ao trabalho dos policias e da FT Bancos, operação integrada entre as Polícias Militar, Civil e Federal, sob a coordenação da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE). “Essas operações bem sucedidas são frutos de investimento em inteligência, técnica policial e integração. E a Força-Tarefa Bancos, reformulada em agosto de 2017, com a inclusão de diversos órgãos de segurança e representantes das instituições bancárias, tem tido um papel fundamental no combate a essas investidas em Pernambuco, contribuindo para a diminuição geral do índice de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs)”, avaliou o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

A Operação Benfica foi realizada com sucesso, garantindo a segurança dos frequentadores do local. Foram apreendidos dois veículos roubados, uma ambulância que teria sido roubada para facilitar a fuga dos criminosos, e cinco armas de fogo. Os sete homens passaram por audiência de custódia e foram encaminhados ao Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (COTEL). 

Já o confronto em Santa Cruz do Capibaribe resultou na captura de três bandidos, recuperação de dois carros que eram usados pela quadrilha, além de um saco com dinheiro roubado dos bancos, explosivos, um fuzil e pistolas. Atuaram no caso, policiais do 24º Batalhão, do 1º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp), do Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI) e do Grupamento Tático Aéreo.

 QUEDA DOS ÍNDICES - Outubro passado foi o 14º mês seguido em que as estatísticas de roubos foram reduzidas em relação ao mesmo mês do ano precedente. A queda foi de 22,3%, comparando-se com as 8.970 queixas de outubro de 2017. No total dos 10 meses de 2018, a diferença é de - 23,33% em relação ao período equivalente do ano anterior. Se em 2017 a soma de janeiro a outubro ultrapassava a casa das 100.000 ocorrências de CVP no Estado, com 104.043 queixas registradas, em 2018 reduziu-se o índice para 79.771 casos de roubo (diferença, para menos, foi de 24.272 ocorrências).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

Carta pedindo cargo tumultua médicos

Uma “Carta dos Médicos Brasileiros ao presidente eleito Jair Bolsonaro” criou uma crise na comunidade médica.

Assinada por 80 presidentes de entidades, ela indica Lincoln Lopes Ferreira, presidente da Associação Médica Brasileira, para assumir o Ministério da Saúde.

 “A Fenam jamais assinaria um documento com essa característica”, afirma Jorge Sale Darze, presidente da Federação Nacional dos Médicos.

A Federação Médica Brasileira também diz que não endossa o documento. A AMB não se pronunciou.(Mônica Bergamo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

Médicos do interior vão para grandes centros

93,4% dos médicos formados no interior migram para grandes centros

Desde que a lei foi promulgada, 9.137 vagas foram abertas em novos 117 cursos

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

A lei que criou os Mais Médicos, em 2013, incentivou também a abertura de cursos de medicina no Brasil: desde que ela foi promulgada, 9.137 vagas foram abertas em novos 117 cursos —81% delas, no interior do país.

A possibilidade de que os novos profissionais se fixem no interior, onde hoje trabalham os médicos cubanos que sairão do Brasil, é remota de acordo com o histórico do país: 93,4% dos doutores formados em cidades pequenas migraram para centros maiores, segundo estudo feito pela Faculdade de Medicina da USP.

 “Os dados mostram como será um problema de difícil solução”, diz o professor Mario Scheffer, autor do levantamento.

 “A quantidade de novos profissionais que se formarão mostra o potencial de ocupação desses espaços. Resta saber se os novos médicos brasileiros estarão capacitados, como os cubanos, para trabalhar na atenção primária de locais desassistidos”, afirma. 

De acordo com ele, o Brasil “ainda não tem um modelo de avaliação eficiente” sobre a qualidade dos cursos de medicina. É preciso saber, ainda, “se haverá políticas de incentivo à permanência dos médicos nesses lugares, o que hoje não existe”. Em 2017, o Ministério da Saúde abriu concurso para selecionar brasileiros para o Mais Médicos: 6.285 se inscreveram para 2.320 vagas. Só 1.626 apareceram para trabalhar. Cerca de 30% deixaram seus postos antes de um ano de serviço.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Médicos Patriotas e Cidadãos de bem. Estão convocados para substituir os comunistas cubanos nas aldeias, zonas rurais, florestas amazônica, caatingas. Onde tem malária, tuberculose, esquistossomose, hanseníase, leshimaniose, mas não tem shopping. Brasil acima de tudo. Lembram?



15/11


2018

Maia em campanha pela reeleição da Câmara

Em campanha para se reeleger presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) vai receber deputados recém-eleitos para um jantar, na terça (20), em sua residência oficial. A expectativa é a de que ao menos 50 dos 243 novatos compareçam ao encontro.

Gustinho Ribeiro (SE), do Solidariedade, está ajudando na organização do jantar. Além de convocação geral no grupo de WhatsApp chamado “Bancada da renovação”, ele tem disparado convites individuais para os estreantes.

Anote - Dois nomes entraram na bolsa de apostas para a Advocacia-Geral da União no governo Bolsonaro: Marcelo Siqueira e José Levy Mello do Amaral. Siqueira é ex-procurador-geral federal e diretor de compliance do BNDES. Levy é ex-consultor-geral da União.(Folha)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 6

15/11


2018

Haddad não quer nada

A assessoria de Fernando Haddad diz que ele “não recebeu nenhuma sugestão de criar um instituto com perfil interpartidário para liderar a oposição”.

“Não recebeu e não tem nenhuma intenção de trilhar este caminho”, diz o texto.

informação, publicada pelo Painel nesta quarta (14), foi confirmada por três aliados do petista.(FSP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Presta atenção jumento, só existem dois lados: Lula representa os explorados e Bolsonaro os exploradores.

Fernandes

Bolsofake deu dignidade aos burros, elevou a autoestima dos idiotas, valorizou a estupidez, deu voz aos imbecis e cargos aos canalhas.

Fernandes

Médicos Patriotas e Cidadãos de bem. Estão convocados para substituir os comunistas cubanos nas aldeias, zonas rurais, florestas amazônica, caatingas. Onde tem malária, tuberculose, esquistossomose, hanseníase, leshimaniose, mas não tem shopping. Brasil acima de tudo. Lembram?

marcos

Hadad fala com a Odebrecht, pega propina e cria um instituto também, assim como fez o Cotó



15/11


2018

Juíza quer caso de Lula acelerado

A atuação da juíza Gabriela Hardt, substituta de Sergio Moro, no depoimento de Lula à Justiça Federal do Paraná, nesta quarta (14), deixou aliados do petista com a impressão de que ela está em “marcha acelerada” para concluir o caso do sítio de Atibaia (SP).

A expectativa é de um desfecho –a condenação– ainda este ano.

Se seguir rigorosamente os prazos processuais e rejeitar eventuais pedidos da acusação e da defesa de apresentação de novas provas, Hardt pode condenar Lula às vésperas das festas de fim de ano.(Folha)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Gabriela êêê, meus camadas. Mais uma vez o Cotó vai tomar no @.



15/11


2018

Embaixador no gabinete de Temer: rabo entre as pernas

Michel Temer recebeu o embaixador de um país do Oriente Médio em seu gabinete há alguns dias. Na despedida, o emissário elogiou avanços da gestão emedebista, disse ter ficado feliz em ampliar parcerias e arrematou:

“Lamento que todo o trabalho do sr. agora esteja ameaçado”.

Houve constrangimento no Planalto. Foi após o aceno de Bolsonaro a Israel. (FSP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

Indicação de ministro divide o Itamaraty

indicação de Ernesto Araújo para o Ministério das Relações Exteriores dividiu o Itamaraty. Para fazer a mudança radical na política externa que Bolsonaro tem pregado, dizem diplomatas, ele era a opção lógica. Há temor, porém, pelo fato de o escolhido ter sido promovido há pouco tempo e nunca ter chefiado embaixada no exterior.

No universo político, a decisão de Bolsonaro para a pasta causou preocupação. Quem lida com o cotidiano do governo diz que o blog de Araújo, prato feito para polêmicas, será esquadrinhado com lupa pela imprensa estrangeira, que já torce o nariz para o presidente eleito.  (Painel)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

O preço a pagar

Marisa Gibson, na sua coluna DIARIO POLÍTICO desta quinta-feira

A ausência do estado de Pernambuco no encontro entre o futuro presidente Jair Bolsonaro e os governadores eleitos, terá um preço - é essa a avaliação que está sendo feita no meio político. De férias na Europa, o governador Paulo Câmara (PSB) juntou-se aos colegas nordestinos que se recusaram a participar da reunião, e a vice governadora eleita Luciana Santos (PCdoB), que iria representá-lo, não foi. “Além de configurar um boicote, foi uma decisão política de opositores do governo federal e a fatura será cobrada não em bloco, mas separadamente”, argumenta-se.

Pernambuco, assim como os demais estados nordestinos passa por dificuldades econômico-financeiras sérias -  Rio Grande do Norte e Sergipe, por exemplo, estão quebrados - e um gesto político de boa vontade seria muito mais proveitoso do que a rebeldia.

Bem, aliados do governo, lembram que Paulo  acusou o Governo Temer de retaliação porque o PSB, após um período de independência, rompeu com o Palácio do Planalto. Imagine agora com tamanha recusa. Esses mesmos aliados temem que Paulo enfrente no Governo Bolsonaro dificuldades tão pesadas como as que Arraes passou no Governo Fernando Henrique (PSDB), quando sequer teve o direito de utilizar os recursos da venda da Celpe, que ficaram bloqueados até que Jarbas Vasconcelos (MDB), aliado do tucano, assumisse o governo do estado.

Há ainda a tese de que Paulo teria concordado com a ausência de Pernambuco no encontro com Bolsonaro para não se distanciar tão rapidamente do PT. Afinal, a eleição mal acabou. Por fim, muitos discordam de que a reunião não tivesse um caráter institucional só pelo fato de ter sido articulada pelo governador eleito João Dória (SP/PSDB):”Quem politizou a situação foram os governadores nordestinos”, sentenciou  um socialista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/11


2018

Um bolsonarista na casa de Rio Branco

Bernardo Mello Franco - O Globo

O novo presidente terá um chanceler à sua imagem e semelhança. O futuro ministro Ernesto Araújo não é apenas um bolsonarista de carteirinha. Ele também emula o chefe no discurso contra o “globalismo”, a “ideologia de gênero” e o “marxismo cultural”.

O ideário do novo chefe do Itamaraty pode ser consultado no blog “Metapolítica 17”. A página é dedicada a uma militância fervorosa a favor do capitão e contra o PT. Ele se refere à sigla como “Partido Terrorista”. Em tom imodesto, diz que pretende “ajudar o Brasil e o mundo a se libertarem da ideologia globalista”.

“Se o PT ganhar, vai extinguir todas as luzes da decência e da liberdade”, escreveu, a uma semana da eleição. Ele acusou os petistas de tramarem um “regime de partido único, ditatorial, (...) um governo que controlará sua vida a partir da educação pré-escolar, que administrará sua família, que controlará o que você pensa e diz”.

O futuro chanceler também ecoa Bolsonaro na pregação contra a China, maior parceira comercial do Brasil. Ele sugere que é preciso resistir à “China maoísta que dominará o mundo”. O discurso parece levemente fora de época. A potência asiática começou a abandonar o maoísmo em 1978, com as reformas de Deng Xiaoping.

Em outro post, o embaixador que nunca chefiou uma embaixada repete clichês da direita hidrófoba. Diz que o socialismo “perverte o milagre da concepção com a ideologia do aborto, perverte o sexo com a ideologia de gênero e o feminismo” e “perverte a fé cristã”.

O anti-intelectualismo também desponta nos textos de Araújo. Para ele, “o povo é muito mais são e sábio do que a classe instruída”. As crianças brasileiras receberiam uma “educação cínica e anti-patriótica onde [sic] se ensina uma história sem heróis e onde professores sub-marxistas tentam criar pequenos militantes”.

Num artigo mais extenso, publicado em 2017 na revista “Cadernos de Política Exterior”, o diplomata ostenta admiração por Donald Trump. Compara o presidente americano a Reagan e Churchill e sustenta, sem ironia, que ele pode “salvar o Ocidente”. Ao que tudo indica, o Itamaraty está prestes a entrar num novo período de alinhamento automático à Casa Branca.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É lamentável marco héterogoy, um País que tem Temer como presidente, Neymar como ídolo, Sérgio Moro como herói e bolsofake como mito.



15/11


2018

Novo chanceler foi do anúncio para a frigideira

Josias de Souza

Jair Bolsonaro inovou. Criou uma via expressa ligando a escolha de um novo ministro à frigideira. O diplomata Ernesto Araújo migrou instantaneamente do anúncio de sua indicação como novo chanceler para o óleo quente. No início da madrugada desta quinta-feira, o blog testemunhou num restaurante chique de Brasília um conciliábulo de destacados membros da Casa de Rio Branco. Dedicavam-se a organizar uma “resistência” ao que chamaram de “diplomacia do desastre”.

Convocado às pressas, o jantar reuniu oito diplomatas. Todos mais estrelados que o preferido de Bolsonaro. Na definição de um dos presentes, são “servidores sem partido.” Avaliaram que Bolsonaro chutou em gol ao escolher Ernesto Araújo. Marcou para os Estados Unidos. Tentaram enumear vantagens e desvantagens.

De vantajoso, apenas o fato de que o novo chanceler brasileiro não será convidado a tirar os sapatos para uma revista no aeroporto de Washington, como fez Celso Lafer na era FHC. Imaginam que, para poupar a saliva dos agentes da imigração americana, Ernesto Araújo já ''pisará o solo americano descalço''. No mais, tudo seria desvantajoso.

Havia sobre a mesa um tablet, aberto no blog ‘Metapolítica 17’, abastecido com textos de Ernesto Araújo. Extraíram-se previamente dos posts do novo ministro das Relações Exteriores duas aparentes prioridades: “Ajudar o Brasil e o mundo a se livrarem da ideologia globalista” e erguer barricadas contra a “China maoísta que dominará o mundo”.

Além de “envergonhar” a inteligência do Itamaraty, as pretensões seriam “inexequíveis”. O nacionalismo antiglobalista não resistiria a um embate com o ultraliberalismo do Posto Ipiranga Paulo Guedes. Quanto à dominação maoísta, a impossibilidade de ressuscitar Mao Tsé-Tung e os valores que ele representava deixam a cruzada sem alvo.

A prioridade mais “preocupante” de Ernesto Araújo foi sublinhada num artigo escrito para a revista ‘Cadernos de Política Exterior’. Ali, o novo chanceler emite sinais de que não hesitaria em encostar a diplomacia brasileira no potencial que enxerga em Donald Trump para “salvar o Ocidente.” Não há “risco de dar certo”. Salva-se não o Ocidente, mas o projeto de transformar Bolsonaro ''numa versão periférica de  Trump”.

O grupo chegou a um par de conclusões: Bolsonaro colocou no comando do Itamaraty não um chanceler, mas um espelho para refletir suas próprias idiossincrasias. De resto, haverá não um, mas dois chefes do Itamaraty: o oficial, em Brasília, e seu padrinho Olavo de Carvalho, que patrocinou sua indicação desde os Estados Unidos.

Consolidou-se no grupo a ideia é ampliar a “resistência” inaugurada de madrugada utilizando uma ferramenta muito apreciada por Bolsonaro: o WhatsApp. Deseja-se transferir Ernesto Araújo da frigideira para o micro-ondas. Se funcionar, o novo ministro chegará ao dia da posse, em 1º de janeiro, já bem passado. No limite, disse um dos presentes, “o Itamaraty de Bolsonaro vai virar não uma sucursal de Washington, mas do Vietnã.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

MENOS MÉDICO, MENOS EMPREGO, MENOS APOSENTADORIA, MENOS COMIDA NA MESA, MENOS SEGURANÇA E MENOS LIBERDADE.



15/11


2018

Pequenas cidades do NE temem “apagão médico”

Em municípios da região, médicos cubanos chegam a ser 80% dos profissionais

João Pedro Pitombo e João Valadares – Folha de S.Paulo

Encravada no sertão da Bahia, Uauá (a 428 km de Salvador) é conhecida pela carne de bode na brasa, pelo doce de umbu e pelo sotaque castelhano que ecoa em suas unidades básicas de saúde —dos 10 médicos que atendem na cidade, 8 são cubanos.

Com dez postos de saúde e cobertura a 100% de seus 27 mil habitantes, a cidade teme sofrer uma espécie de "apagão médico" com o encerramento do contrato com Cuba no programa Mais Médicos.

A situação deve se repetir em outras cidades do Nordeste, região que recebeu grande parte dos cerca de 8.500 médicos cubanos do programa.

Por ficarem em regiões isoladas e distantes dos grandes centros, os municípios têm dificuldades de contratar médicos brasileiros.

Somente na Bahia, há 846 médicos cubanos atuando em 313 municípios, o que equivale a 20% dos médicos que atuam na atenção básica. A saída deles fará com que a cobertura de atenção básica no estado caia de 63% para 43%.

"Voltaremos para um patamar de oito anos atrás. São quase 3 milhões de baianos que ficarão sem médico", afirma Cristiano Soster, diretor de atenção básica da Secretaria de Saúde da Bahia.

Em Uauá, onde 44% da população vive na zona urbana e só 7% possui emprego formal, a maioria dos médicos atuam em áreas rurais isoladas. Os moradores dependem do atendimento de médicas como Maria Los Angeles, 46, que vive na cidade desde 2013.

Ela afirma que há poucos dias recebeu uma carta informando que o contrato seria encerrado e que retornaria para Cuba. Ela diz temer pelos seus pacientes, em sua maioria pequenos agricultores.

"Há pessoas que têm doenças crônicas como diabetes, hipertensão e precisam de atendimento continuado. Não dá para parar", afirma.

Ela refuta os argumentos do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), de que eles estariam fazendo trabalho escravo. Ela diz que o dinheiro que recebe é suficiente para se manter no Brasil e ajudar a mãe e a filha em Cuba: "Para a gente, vale a pena", diz.

A médica Virgínia Trejo, 49, que atende na cidade de Dias D'Ávila (a 55 km de Salvador) também lamenta o fim do contrato e os questionamentos feitos sobre a formação dos médicos cubanos.

"A gente salvou muita vida aqui", afirma a médica, que atua há 25 anos na profissão, sendo os últimos quatro deles no Brasil. Por outro lado, Virgínia afirma que está feliz pela possibilidade de voltar para perto da família.

Já o médico Younier Rivera, 34, fará o caminho inverso. Ele atende há cinco anos em Águas Belas (a 303 km do Recife), cidade de 43 mil habitantes em que dos 12 médicos, 9 são cubanos —75% do total.

Com uma rotina que começa às 7h e se encerra somente no fim do dia, ele chega a atender 35 pacientes diariamente na zona rural da cidade.

"A aceitação do nosso trabalho é muito grande. O povo ainda não está acreditando no que aconteceu. Querem fazer um abaixo-assinado para a gente continuar", diz.

Ele é casado com uma brasileira, tem uma filha de dois anos e ainda tinha mais um ano de contrato com o programa Mais Médicos.

Agora, ele afirma que voltará para Cuba para resolver pendências e planeja voltar ao Brasil para viver junto de sua família. "Mas volto desempregado", lamenta.

No interior de Pernambuco desde 2013, um médico cubano de 36 anos, que pediu para não ser identificado, diz que o fim do programa é uma das páginas mais tristes da história do Brasil. Segundo ele, em conversas com outros médicos cubanos, a preocupação com o futuro do programa, que já era grande, cresceu com a eleição de Bolsonaro.

O profissional observa que o Mais Médicos deixou vínculos importantes na relação com os pacientes. Segundo ele, os médicos criaram um vínculo muito forte com a população atendida, que ele vê como uma população necessitada.

Outro médico que também integra o programa disse que ainda não sabe o que vai fazer, por ter sido pego de surpresa. Após ter criado uma vida nova no Brasil, não sabe como será o futuro e o que irá fazer.

No estado de Pernambuco, há mil vagas do programa Mais Médicos. Metade delas é preenchida por profissionais cubanos. Grande parte dos médicos atua no interior. Muitos deles renovaram o contrato com o programa no início deste ano.

Fora da região Nordeste, a saída dos médicos cubanos do programa terá maior impacto em áreas indígenas e nas periferias de grandes cidades, sobretudo em regiões conflagradas, onde muitas vezes os cubanos são os únicos que se colocam à disposição para atender a população.

No estado do Rio, dos cerca de 600 profissionais do Mais Médicos, 224 são cubanos. Eles atendem em 48 municípios, incluindo áreas de risco na capital, como favelas dominadas por grupos armados.

Os médicos atendem em clínicas da família ou postos de saúde nos municípios. A expectativa é que 672.000 pessoas podem ser afetadas pela medida no estado do Rio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Falta médicos no SUS, nas grandes capitais. Quero ver como o mito fake irá convencer os médicos daqui atender tribos indígenas, população ribeirinha e comunidades com índice de malária lá no topo Pago pra ver o doutor que adora postar foto sorrindo no Instagram ir pra lá.

Fernandes

Médicos Patriotas e Cidadãos de bem. Estão convocados para substituir os comunistas cubanos nas aldeias, zonas rurais, florestas amazônica, caatingas. Onde tem malária, tuberculose, esquistossomose, hanseníase, leshimaniose, mas não tem shopping. Brasil acima de tudo. Lembram?

Fernandes

Mas este fracasso não será do governo bostonaro e sim de todos que o elegeram e isto já esta acontecendo só os idiotas que não querem ver.

Fernandes

A Dilma teve câncer...Eles comemoram A Dilma sofreu impeachment...Eles comemoram...A esposa do Lula faleceu Eles comemoram...A Marielle foi assassinada...Eles comemoram. E agora eles querem que a gente torça para que o governo do Mito deles não seja um fracasso.

joao carlos da silva

O nosso Mito tem plena razão. Acabou a boquinha desses vagabundos do Governo Cubano que se aliaram ao marginal dos 9 dedos e sua quadrilha para roubar o nosso dinheiro. Bolsanaro não está proibindo nenhum cubano de ficar, apenas, está dando seriedade ao contrato ao exigir que se submetam ao Revalida, como é exigido em todo o mundo, e, em contrapartida propõe pagar aos médicos cubanos o salário integral, já que hoje 70% vai para a ditadura cubana. Na realidade, hoje nesse contrato o que se constata é um regime de escravidão imposto por uma ditadura corrupta. Parabéns Presidente Bolsanaro.



15/11


2018

Fim de parceria com Cuba irrita prefeitos

...que cobram Bolsonaro e ampliam ala de desconfiados

ordem de Cuba para que seus médicos deixem de atuar no Brasil ampliou o número de arestas a serem aparadas pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) –já sob profunda desconfiança do Congresso. A crise com os cubanos tem potencial para afetar a relação do presidente eleito com os municípios. Jonas Donizette (PSB-SP), presidente da Frente Nacional de Prefeitos, dá o tom: diz que o Mais Médicos nasceu de demanda da entidade e que “questão ideológica não pode contaminar o serviço público”.

“Foi uma luta nossa, da Frente. O programa pode não ser perfeito, mas ajudou. O presidente eleito, o próximo ministro da Saúde, eles têm que ter uma solução. Não dá para acabar sem ter algo que dê suporte”, diz Donizette, prefeito de Campinas (SP).Algumas prefeituras receberam a informação de que Cuba orientou seus profissionais a suspenderem os atendimentos já nesta quarta (14).

Prefeitos pretendem sugerir ao presidente eleito que, se for impossível reaver o pacto com Cuba, o governo faça um chamado a brasileiros formados no exterior para atuar no país sem revalidar o diploma.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É lamentável marco héterogoy, um País que tem Temer como presidente, Neymar como ídolo, Sérgio Moro como herói e bolsofake como mito.

marcos

Veja o lado bom do país, Lula tá preso Babaca

Fernandes

É lamentável um País que tem Temer como presidente, Neymar como ídolo, Sérgio Moro como herói e bolsofake como mito.

Fernandes

Juíza diz que Lula não é acusado de ser o dono do sítio; mas de ser o beneficiário das obras no sítio de Bittar Pode isso, héterogoy?

Fernandes

Chora não , marco héterogoy. Bolsofake nem assumiu ainda e a paciência da população já está acabando.


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores