ArcoVerde

07/01


2019

Os zumbis serão exorcizados

MONTANHAS DA JAQUEIRA – A meteorologia informa: o tempo mudou. Os zumbis serão exorcizados e vão ter que cair na real. Os bichos prometem resistir. Mas, com que roupa? Com a mortalha das camarilhas vermelhas. Olhai os mortos-vivos da Operação Lava Jato! Olhai o vampiro de Curitiba!

As serpentes comunistas e similares possuem fôlego de sete jararacas. É necessário fazer uma histerectomia radical nos úteros, , nos ovários, nas glândulas mamárias, nos testículos e nas tripas dos lobisomens. Duendes fazem romarias em torno do vampiro de Curitiba para beijar a barba e os sovacos dele.

O governo do Capitão Marvel chegou para botar moral e conta com o respaldo institucional das Forças Armadas, a começar pelo vice-presidente general Mourão. Bolsonaro conduziu o mais bem sucedido processo de transição de poder civil na história da República. Isto não é pouca coisa.

Os ódios ideológicos continuam acesos. As esquerdas ortodoxas vão ter que abdicar de preconceitos e cair na real.  

Não existe pecado no pastoril do cordão encarnado. Será permitido homem com homem virar lobisomem, mulher com mulher virar jacaré. Mas, a pastora-ministra Damares será proibida de vestir os meninos de azul da cor do céu e vestir as meninas da cor das rosas, porque simplesmente as rosas não falam e serão chamadas de reacionárias.

Elevam o irrelevante à categoria do bizarro para desqualificar o governo e seu ministério.

Depois de navegar na estratosfera do planeta o ministro-astronauta Marcos Pontes irá assinar convênio com Israel para instalar dessalinizadores no Nordeste? Não precisa. Já existem dessalinizadores no semiárido. O departamento de química da UFPE é referência internacional. Verdade, vírgula. Engenhos de dessalinização no sertão fornecem água para 50 famílias. Usinas para produzir água potável em Israel atendem a 2 milhões de pessoas. Água sem sal dos engenhos é da esquerda. H2O potável de Israel é capitalista.        

Se Albert Einstein ressuscitasse e fosse nomeado pelo Capitão Marvel ministro da Ciência e Tecnologia, o cientista Luís Inácio Lula da Silva diria que a teoria da relatividade é reacionária e deve haver resistência contra o limite da velocidade da luz no universo.  

Em artigo publicado no jornal espanhol “El País”, Fernando Henrique Cardoso considera anacrônica a visão de mundo do novo governo. Anacronismo era defender as ditaduras comunistas na era do PT.

 O chanceler Ernesto Araújo é considerado excêntrico por combater o terceiro-mundismo de esquerda. “Admiramos os Estados Unidos da América. Admiramos os que lutam contra a tirania na Venezuela”, palavras do chanceler. Bravo, bravíssimo!   

O intelectual Ernesto Araújo e o professor Olavo Roble, o popular Olavo de Carvalho, são mentes brilhantes sintonizadas com as luzes do liberalismo econômico e das liberdades democráticas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

29/08


2016

A dança da solidão

MONTANHAS DA JAQUEIRA -- Profeta high tech da Freguesia dos Aflitos e das montanhas da Jaqueira, meu GPS visualiza para esta semana mil chafurdações, capoeiras, rasteiras, jus sperniandi, choro e ranger de dentes. A jararaca vermelha vai dançar. É a dança da solidão. “Resignado e mudo,/No compasso da desilusão/Desilusão,/desilusão,/Dança o sapo barbado,/Dança a/jararaca vermelha,/Na dança da solidão.//(....) Meu pai sempre me dizia, /Meu filho tome cuidado,/quando eu penso no futuro,/Não esqueço meu passado”
Assim dizia, mais ou menos, a cantiga de Paulinho da Viola.

Quando pensar no futuro do Impichi, jararaca vermelha, daqui a pouco, não esqueça o passado de malvadezas, incompetências, patifarias mil da mundiça vermelha e que resultaram na desilusão de 12 milhões de desempregados, recessão em dose dupla, falência múltipla de órgãos da Petrobras, do setor elétrico, de milhares de empresas do Brazil. O presidente Michel Temer baila um foxtrot, a dança das raposas.  

Depois da Colônia, a Monarquia construiu o império da unidade nacional, um milagre entre as nações sul-americanas.    
Getúlio Vargas deixou o legado do Brazil emergente na era da modernidade industrial. Juscelino Kubitschek impulsionou a industrialização. Getúlio e JK foram estadistas da República. A jararaca vermelha ... este é um capítulo melancólico da nossa história.
Do alto das pirâmides da Freguesia dos Aflitos os profetas contemplam o desmame das mundiças do cordão encarnado nas glândulas mamárias vermelhas do poder.  

O Doutor Fox, profeta do Empresarial Trade Center, fez uns testes oftalmológicos numa raposa: que bicho é esse? É um Pokémon. E agora? É um Impichi. Ele fez o diagnóstico de que o presidente Michel Temer tem muito golpe de vista. Do alto das montanhas do ETC os profetas preveem calmarias no day after do Impichi.

A ditabranda desmoronou por exaustão, não por corrupção. Promoveu a anistia e a distensão política, a abertura que se pretendia “lenta, segura e gradual”. Ao exaurir-se, o regime autoritário pós-64 isolou os radicais e uniu os brasileiros em favor da democracia. Nenhum general-presidente foi acusado de corrupção. O general Garratazu  Medici conviveu com a tortura, de trágica memória. 
Há 13 anos a mundiça vermelha começou a dominar nosso Brazil. A mundiça do mal, seja dito, que tira onda de progressista e preconiza a utopia socialista para se locupletar do poder.

Está se cumprindo mais um ciclo na história do Brazil. No início dos anos 1990 nascia uma estrela. A estrela era de falso brilho. A estrela era uma trepeça que virou ídolo nacional. O patrimônio ético virou patrimônio diurético. Saiu na urina.
 Ribamar Sarney deixou o legado dos bigodes, da inflação e também da convivência democrática. Collor deixou o legado da arrogância e dos delírios do poder.

Os governo de Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso deixaram o legado indelével, material e imaterial da estabilidade monetária e do Plano Real. O partido do cordão encarnado deixa um legado de corrupção, recessão, 12 milhões de desempregados, radicalização ideológica e quebra da fraternidade nacional.  

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/08


2016

Nas ondas dos Pokemons

RIBEIROLÂNDIA – Professor, eu sou uma criança, eu quero ser um Mestre Pokemon! Mestre dos Mestres Pokemon, dai-nos a força dos ventos, a pureza do fogo e a singeleza da grama! Com seus poderes para entender a aura humana e ler o pensamento de todos os seres vivos, da fauna e da flora, o Pokemon Lucario lançou um raio para decifrar os mistérios dos tapetes vermelhos, dos tapetes vermelhos, das cavernas e das esquinas de Brasília. Ora, direis, Brasília é uma cidade moderna, não possui esquinas nem possui cavernas. E eu vos direi: quem não conhece as cavernas do poder, não conhece Brasília.

Janaína Pascoal, Miguel Reale e Hélio Bicudo afloraram nos tapetes azuis do Altiplano Central. O Pokemon Charwonder acendeu a fogueira do Impichi, que os Pokemonzinhos vermelhos, desfalecidos, chamam de golpe. Os Pokemons nascem e adquirem sabedoria aos 10 anos de idade. E lá vou eu, com minhas barbas azuis de profeta, a passear nas esquinas das nuvens auriverdes desta terra das altas torres da Moura Dubeux no lugar dos altos coqueiros, dos pés de manga e das jaqueiras.     

O coração do Brazil está em chamas, assim falou o Pokemon Ralts, que tem o dom de captar as emoções humanas. Aconteceram terremotos, erupções vulcânicas e tempestades no coração do Brazil. Maldades humanas movem tempestades, provocam raios e trovões. Ralts atrai os pensamentos positivos e desanuvia as mentes poluídas. 

Uma bela tarde deparei-me com o Pokemon Alakazan nas montanhas dos Aflitos. Ele estava a guerrear com um lunático de olhos vermelhos do cordão encarnado. Lutar com os lunáticos dos lhos de brasa é a luta mais vã, ele dizia. Entanto lutamos, logo ao amanhecer na Internet. Com seus poderes hipnóticos, Alakazan lançou um raio laser nos ares e o bicho desmaiou. Alakazam também possui os poderes do cérebro e da memória.

O Pokemon Aron devora montanhas e se alimenta de minérios. É uma entidade malvada, provocou já inundação de rejeitos poluentes do Vale do Doce e o estouro das barragens da Samarco. Aron é uma praga que vive nas profundezas das montanhas e desce para os vales com suas cargas de destruição e maldades. Devorou bilhões de reservas monetárias dos cofres da Petrobras. Aron também se alimenta dos desgovernos, da falta de autoridades nos controles ambientais, de propinas e pixulecos. Cultiva os roçados das mandiocas vermelhas.    

Salve, salve Milotic, o mais belo e encantador dos Pokemons! Ele vive no fundo dos lagos e tem os poderes benignos de serenar emoções e fazer cessar hostilidades. O corpo de Milotic libera uma onda pulsante de energia positiva para dominar os espíritos inquietos. O Pokemon Milotic está sendo preconizado como a remissão do Brazil depois das destruições causadas pelo Pokemon Aron e seus aderentes da escuridão e das tragédias.    

Quando eu crescer e tiver 10 aninhos de vida eu queria ser um aprendiz de Pokemon, um Pokemonzinho. Hoje eu sou apenas um humilde profeta da Freguesia dos Aflitos e das montanhas da Jaqueira.Neste momento as antenas de minhas barbas azuis da cor de oxigênios estão captando as ondas magnéticas do Planalto Central. Um passarinho me contou que neste mês de agosto haverá bem-aventuranças nos horizontes auriverdes. Depois de causar tantas desilusões e roubas os sonhos de milhões de coração, os batráquios barbados e a jararaca vermelha serão soterrados no fundo dos abismos da memória nacional.
Zeus e o Pokemon Milotic protejam nossos corações!

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/08


2016

Ditaduras silenciosas

RIBEIROLÂNDIA – As ditaduras econômicas existem e são tão deletérias quanto as ditaduras políticas. As operadoras de telefonia, os planos de saúde e o sistema financeiro parasitário exercem ditaduras ferozes neste Brazil. Reinam silenciosamente e profundamente.
Maktub! Está escrito. Como dizem os árabes. A jararaca vermelha e Eduardo Cunha hoje são duendes na contagem regressiva para o juízo final. Este também é o sentimento nas ondas da “psicosfera” social, no dizer dos espíritas.

Destronar uma estrela cadente é bem fácil, derrotar as ditaduras do nosso dia a dia, isto é que é o xis do problema.
Oi! Alô-alô! Mais que incompetência, é preciso contar com o apoio do compadrio do poder para levar uma mega telefônica a acumular dívidas de mais de 65 bilhões de denários e pedir “recuperação judicial”. “Recuperação judicial” é o apelido de calote legalizado.

Zeus me livre de chamar de incompetentes os proprietários e gestores de uma telefônica que lida com recursos de centenas de bilhões e bilhões, controla os satélites artificiais nos céus e as ondas magnéticas na terra, opera as comunicações entre mais de 100 milhões de brasileiros. Quem vai pagar a conta dos calotes de 65 bilhões? Claro que os prejuízos vão cair nas tarifas e nas contas pagas pelos usuários.Novidade zero seria dizer que a saúde pública no Brazil opera nos limites da indigência. Aqui e acolá ocorrem ilhotas de eficiência, de espírito público ou de dedicação de servidores abnegados.

O diagnóstico sobre os planos de saúde e assistência privada aponta um sistema de privilégios, exploração dos usuários, massacres, extorsões e prepotências. A relação entre planos de saúde, hospitais e clínicas é um sumidouro de recursos. O sistema financeiro parasitário, os bancos privados, os cartões de crédito e arapucas do gênero mandam, desmandam e mamam nesta República. Mandam mais que a Presidência da República, o Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada, o Ministério da Fazenda, o Banco Central e o Comitê de Política Monetária.

A prática é o critério da verdade, segundo o princípio dialético. A taxa Selic do Banco Central, neste mês, é de 14,25 % ao ano. Na prática, os juros dos cartões de crédito e empréstimos bancários vão além de 13 %ao mês ou mais ou 300 % ao ano.
Já perguntei aos céus e à terra e não obtive resposta: por que os bancos não funcionam para o público no horário pleno, a exemplo do comércio, industria e serviços, das 8 às 17 ou 28 horas, e sim apenas em horário restrito, das 10 às 16 horas?

Se funcionassem em horário pleno, empregariam de 30 % a 40 % a mais em funcionários e prestariam melhor serviços à população. As autoridades monetárias são impotentes diante dos banqueiros e os sindicados são subservientes.  A grande imprensa rende-se aos banqueiros. Pode parecer simples, mas o funcionamento dos bancos em horário pleno mexe com a cultura conservadora do sistema financeiro e afetaria o lucro bilionário do setor. Antes, durante e depois do Plano Real a ditadura financeira parasitária mantém lucros bilionários e se apropria das riquezas da nação, sem gerar ganhos sociais.    

Denunciar a incompetência e a bagaceira do cordão encarnado é bem fácil. Encarar as potências financeiras nacionais e internacionais  tipo Bradesco, Itaú, Santander, Safra, Citibank, Hong Kong and Shanghai Banking Corporation – HSBC – este é o xis e do problema.  
Banqueiros são criaturas malvadas e depois do último suspiro vão lamber brasas no inferno. Eu zuro por minhas barbas de profeta.

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/08


2016

Caribé tem gestão desaprovada em Belém

O prefeito de Belém do São Francisco, Gustavo Caribé (PSB), faz uma gestão desaprovada pela população. Segundo pesquisa do Instituto Opinião, quase metade dos entrevistados – exatamente 49,1% - rejeita o seu Governo. Entre os que aprovam são 38,3%, enquanto 12,6% não souberam ou não quiseram responder. O governador Paulo Câmara, do mesmo partido do prefeito, está melhor avaliado. Tem 44,6% de aprovação contra 33,1% de desaprovação. O Governo temer em Belém tem rejeição alta: 53,1% contra 18,3 de aprovação.

Quanto ao prefeito, suas taxas maiores de rejeição se encontram entre os eleitores com renda familiar entre três e cinco salários (70%), entre os eleitores com grau de instrução superior  (61%) entre os eleitores de 25 a 34 anos (61%). Por sexo, sua maior rejeição está entre os eleitores masculinos – 50% - e entre os eleitores femininos a desaprovação é de 35,4%.

A pesquisa foi a campo entre os dias 28, 29, 30 e 31 de julho, sendo aplicados 350 questionários nas localidades Agrodan, Alto do Cemitério, Associação Barra da Serra, Associação Carapuça, Associação Francisco de Assis, Associação Nova Conquista, Associação Nova Esperança, Associação São Tomé, Beira Rio, Bela Vista, Belo Horizonte, Bom Jesus, Cachauí de Baixo e de Cima, Canoa, Centro, Emec, Fazenda Cachoeira, Fazenda Tambório, Ibó, Ilha das Missões, Ilha do Curralinho, Ilha do Meio, Ilha Grande, Inocoop, Manga de Baixo, Montes, Nova Olinda, Novo Horizonte, Riachão Pequeno, Venezuela, Vila da Chesf, Vila da Cohab e Vila dos Ipsep I e II.

O intervalo de confiança estimado é de 95,0% e a margem de erro máxima estimada é de 5,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação, com entrevistas pessoais e domiciliares. O registro no Tribunal Regional é o de número 09702/2016.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


08/08


2016

Aldeia global é Torre de Babel

RIBEIROLÂNDIA – Depois de cumprir minha missão como profeta, eu resolvi tirar onda de intelectual e cientista no planeta GAFA – Google, Apple,  Facebook e Amazon, modéstia à parte. E Lá vou eu! Os discípulos me perguntam: quem será eleito presidente dos Estados Unidos da América? O Pato Donald, sobrinho do magnata Tio Patinhas, ou Clinton?
Depende dos terroristas do estado islâmico. Se ele fizerem mais uma série de atentados Donald será eleito. Donald é Bolsonaro ianque.   
Meu colega profeta e comunicólogo Marshall McLuhan ficou famoso na década de 1960 ao preconizar o advento da “aldeia global”, eletrônica, evoluída a partir da “galáxia de Gutemberg”, do papyirus, do papel. Erradíssimo. Esta “aldeia global” nunca foi nem será globalizada. “Aldeia global” é apenas uma frase de efeito, um clichê, repetida nos livros e nos meios de comunicação.
O que existe desde os primórdios é a “Torre de Babel”, anunciada no livro de Gêneses quando Eva e Adão começaram a povoar nossos vales de lágrimas, de sonhos e ilusões.
O “Planeta GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon” é uma realidade ao alcance de todos, feito a linha do horizonte. A bordo do meu IPhone Five Stars, eu posso me comunicar com as montanhas da Borborema, com Barack Obama e o Pato Donald, com a feira de Caruaru, com a bolsa Nikkei em Tokyo e até com a mãe da pantanha. Mas, com que roupa? Com que Money? Com que idioma?
A Índia, tão mistificada no Ocidente, com mais de 1 bilhão de habitantes e mais de 500 milhões vivendo na indigência, mantém o sistema irracional das castas. A China adota o slogan: “O amor é universal e o céu (o Império) pertence a todos”. De todos, quem?  
Eu sou Zé, todos das nossas famílias são primos dos Chimpan-Zés por parte de Eva e Adão, segundo Charles Darwin. Também concordo com a tese da clonagem relatada em Gêneses, Zeus criou a mulher a partir de uma costela de Adão. Hoje são as células-tronco.
Aproveito para discordar com veemência da nova tese científica, considerada revolucionária, de que o Homo Sapiens é descendente dos sapos barbados vermelhos. Mas, ao mesmo tempo admito, em nome do materialismo dialético, que alguns espécimes da fauna vermelha podem ser derivados dos batráquios, dos escorpiões, das hienas, das cascavéis, das lacraias, das catraias ou de insetos. Os mistérios da natureza da natureza humana são indevassáveis.
O sistema de castas na Índia, as guerras fratricidas e os governos corruptos na África, o fanatismo e obscurantismo no mundo árabe e islâmico e os espasmos comunistas na América Latina -- refletem o triunfo da barbárie, a negação dos valores humanísticos da civilização e da bem-aventurança no planeta azul.     
Minha profecia vem sendo cumprida: a jararaca vermelha está na sofrência e entrou na contagem regressiva para voltar ao Rio Grande do Sur, seus pagos de nascença. O corvo, de Edgar Alan Poe, declama o mote de 2018: sapo barbado, no more, ó never more!  
Profeta e cientista do planeta Gafa, assim direi aos meus discípulos do alto das montanhas de minhas sandálias: os Deuses são cruéis com a humanidade desde a injusta expulsão de Eva e Adão do paraíso terrestre. Os Deuses são deusumanos.  

Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


01/08


2016

Ó Linda revolução!

RIBEIROLÂNDIA – Profeta com firma reconhecida na Freguesia dos Aflitos, assim direi aos meus discípulos, do alto das montanhas da Jaqueira: a Av. Presidente Kennedy, em Olinda, vai mudar de nome. Será chamada de “Av. Fidel Castro”, com licença da palavra, ou Mao Tse-tung, Av. Stalin, ou Hugo Chavez, ou “Guerrilheiro Che Guevara”. Esta é minha premonição dos sonhos da caterva vermelha comunista.

Os vermelhos querem transformar Olinda numa mini-Venezuela, numa mini-Cuba. Minhas barbas azuis não mentem jamais. 

A Avenida Kennedy, nome do imperialista malvado John Fitzgerald, hoje é o símbolo da administração bolivariana em Ó linda! 

John Fitzgerald Kennedy era um imperialista, “senhor das guerras”. Os imperialistas são criaturas malvadas, segundo os comunistas. JFK hoje é um dos símbolos do império da malvadeza.      

Quem adotou esse nome reacionário? Desconfio que venha dos prefeitos imperialistas Barreto Guimarães, ou Aredo Sodré, ou Germano Coelho, ou Eufrásio Barbosa, ou Nivaldo Machado. Se dependesse da revolucionária Lulu, o nome seria “Av. Presidente Mao Tse-tung”, ou “Avenida Stalin”, ou “Avenida Marx- Engels”, ou mais modernamente “Avenida Kim Jong-Um”, da Coréia do Norte.

Tempos recentes um ministro da caterva vermelha do B ficou apaixonado pelas tapiocas do Alto da Sé. Nunca se viu tanta comilança de tapioca com cartão corporativo do governo. As tapioqueiras de Olinda ficaram apaixonadas por ele. O ministro adotou o slogan: Hay que comer tapiocas, pero sem olvidar los cartones corporativos jamais. Eu mesmo, humilde Marquês da Ribeirolândia, sou apaixonado por todas as tapioqueiras do Alto da Sé, mas quem me dera um cartão corporativo para fazer uma farra com o dinheiro do INSS!

Tapiocas e blues são os refrigérios da vida. Ouvir a bem-aventurada Janis Joplin cantar Summertime equivale a degustar um contêiner de tapiocas. Janis é minha musa abençoada por Zeus e bonita por natureza.

Olinda é um dos únicos lugares do mundo onde ainda existem hippies e comunistas. Significa uma mistura de Woodstock com Havana. Em Havana existem comunistas profissionais remunerados pela ditadura. Os comunistas são bezerros que se amamentam nas glândulas mamárias do poder. Os hippies trocaram a marijuana por charutos cubanos, símbolos da ostentação capitalista.   

Stalin, Mao Tse-tung, o tirano da Albania, Enver Hoxha, o cadáver de Fidel castro... isto é passado, papo da guerra fria? É passado presente. Os comunistas veneram seus ídolos até a eternidade.  

Se a limpeza urbana não funciona e existem crateras nas ruas, deixa pra lá. Haverá uma revolução de nomenclatura em Olinda. O burguês Largo do Amparo será rebatizado como o “Largo do Bolsa Família”. Feira de Peixinhos, zero. O nome será Feira dos Sapinhos e das Pererecas Barbadas. A reacionária Praça da Preguiça terá o novo nome de Praça dos Companheiros da CUT.

Praça do Carmo? Esqueça. Será a Praça Vermelha, à moda da antiga Moscow, sob a vigilância da KGB-Guarda Vermelha. O MST irá invadir os sítios históricos para fazer acampamentos.

Minha profecia do mês: os bons ventos de agosto irão varrer os entulhos das plataformas vermelhas. Zeus nos proteja!

[email protected]

* Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


29/07


2016

Prefeito diz esperar vaias na abertura da Olimpíada

Jornal do Brasil

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse que o momentoatual do Brasil, de crise política e econômica, não é o ideal para sediar uma Olimpíada. "As pessoas não fazem ideia do que foi fazer e entregar esse evento com o Brasil nas condições que está e que não começaram ontem. O que estamos fazendo é um milagre", disse Paes ao Estado de S.Paulo desta sexta-feira (29).

Questionado sobre se estaria preparado para receber vaias na abertura dos Jogos Olímpicos, no dia 5 de agosto, no Maracanã, o prefeito afirmou que já espera por uma reação negativa do público brasileiro e acrescentou que o presidente interino Michel Temer também espera pelas vaias.

"Como dizia Nelson Rodrigues, no Maracanã até minuto de silêncio recebe vaia. Imagina. Acho uma cultura feia do Brasil, principalmente quando a gente está em uma exposição internacional. Acho uma super falta de educação, como achei o que fizeram com a presidente Dilma, inclusive com grosserias, na Copa do Mundo. É a realidade brasileira. Até disse para o presidente Temer: ‘fique tranquilo que o senhor receberá a vaia da largada e eu recebo a da saída (festa de encerramento)".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bm4 Marketing 2

25/07


2016

Temer dança o passo da raposa

RIBEIROLÂNDIA – A missão do presidente Michel Temer é fazer a travessia do mar vermelho. Significa encontrar o caminho das pedras, entre cascavéis, traíras, parasitas macrobiológicos, sapos, carcarás, lobisomens e outros insetos. Temer dança o foxtrot, o passo da raposa, na maciota, para desvencilhar-se dos escorpiões, as lacraias e as catraias vermelhas. A jararaca vermelha movia-se ao som de um funk frenético que destrambelhou o Brazil. O sapo barbado regia o pagode do compadrio. O resultado foi o retrocesso de uma década na economia, recessão feroz e 12 milhões de desempregados.

Não venham falar em avanços sociais. Avançaram sim as  desagregações sociais e morais, violência,  a bagaceira em geral. Como diriam os espíritas, não existe “psicosfera” no Congresso Nacional para a volta do baile funk. Seria  uma ideia pavorosa para desmoronar os compassos da economia que tenta ressuscitar. 

“Quero me livrar logo dessa agonia”, teria dito a agonizante. Simples. Renuncia já, volta pro Rio Grande do Sur, como dizem nos Pampas. Por que resiste? Seria desmoronar todo o projeto de poder do cordão encarnado. Não tem brabo liso, mas eles tentem negociar uma alternativa palatável para salvar um tiquinho de credibilidade.

Os energúmenos sonhavam em transformar o Brazil nos sovacos de uma Venezuela. Os sovacos do tirano Nicolas Maduro estão fétidos, mas ele não larga o tutano, faz parte da natureza dos regimes totalitários. Para eles, o inferno é o limite. E o inferno são os outros, o inferno é o império capitalista, dizem.

Eu sou um profeta, já falei, e a minha luneta de profeta enxerga uma mulher desmiolada falando no golpe da Turquia, e enxerga um sapo barbado que virou um duende, um doente, a delirar sobre as nuvens de 2018.

Ser profeta do óbvio é uma olimpíada. Entanto, eu profetizo todas as manhãs nas montanhas da Jaqueira, enquanto o profeta blogueiro Magno Martins estica as canelas feito o velocista Usain Bolt.    

As pistas de pouso e decolagem da Jaqueira são ocupadas por golpistas e não golpistas, profetas, juristas, farristas, extraterrestres, poetas, seresteiros, cientistas, velocistas, lunáticos, fanáticos, marcianos e representantes de todos os sistemas planetários. Eu sou apenas o humilde profeta do óbvio, o profeta do fato consumado.     

A jararaca vermelha obteve 54.501.118 votos. É golpe, dizem os profetas do passado. O grande Temer também recebeu 54.501.118 votos, juntos e misturados. É de potência a potência. É golpe. Não é golpe. É golpe. Não é golpe.  Golpe só na Turquia.   

Semoventes movidos a mortadelas e pixulecos, repetem o refrão do golpe. “Coup d’etat” dizem os fregueses da Lei Rouanet.   

Oi, os vermelhos se locupletaram nas bodegas dos bovinos amamentados nos currais monetários dos compadres do BNDES.

As torneiras do ex-torneiro mecânico enferrujaram, os cordões vocais se corromperam, o bichos endoidou. Está tresvariando como se fosse o Napoleão Bonaparte do Império luso-tropical.    

Sugando as glândulas mamárias da Petrobrás, a camarilha queria extrair a última gota de sangue do petróleo.     

Eles não são donos das nossas almas auriverdes. Eles não são donos dos nossos sonhos.      

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/07


2016

Eu sou um profeta

RIBEIROLÂNDIA -- Eu sou um profeta, modéstia à parte. Aprendi com o bem-aventurado Nelson Rodrigues, meu guru, que só os profetas enxergam o óbvio. Sou o profeta do óbvio. Só me faltam as barbas. Barbas azuis ou vermelhas. Gostaria de ter barbas azuis, azuis da cor do oxigênio. Eu serei o profeta blue de barbas azuis da Freguesia dos Aflitos e dos roçados da Jaqueira.
Minha profecia na voz de Guilherme Arantes: “Amanhã! Será um lindo dia, da mais louca alegria que se possa imaginar”, sem a mundiça do cordão encarnado. “Amanhã! Ódios aplacados, temores abrandados, será pleno!”

Eu sou pequenininho do tamanho de um tostãozinho, mas adorei a eleição do dep Rodrigo Maia para presidente da Câmara dos Deputados e também adorei quando o senador Renan Calheiros disse que “o governo Michel Temer é a única alternativa posta” para o Brazil superar a bagaceira herdada da jararaca vermelha.   

Os astros revelam o seguinte para o fim do ano: milhões de prefeitos dirão que receberam uma herança nefasta dos seus antecessores. Depois da farra do Réveillon, haverá romarias até Brasília para implorar recursos ao presidente Michel Temer e fazer novas farras municipais, aliás, para sanear os cofres municipais.

Ao se despedirem do mandato, os atuais prefeitos irão gastar todo o dinheiro da Casa da Moeda em Réveillons milionários e contratar artistas Safadões com cachês galácticos. O Dr. Alvacir Fox, profeta do Empresarial Trade Center – ETC, sentenciou que o presidente Temer tem golpe de vista e vai fazer  uma cirurgia nas cataratas políticas e econômicas para desanuviar o Brazil.  

Eu fiz a seguinte profecia há um ano: Com apenas seis meses de mandato, em meio à recessão, inflação, índice de aprovação popular abaixo da camada de pós-sal, a Mulher Sapiens está numa cruzeta. Já emite sinais de fadiga dos materiais, ou fadiga do esqueleto. As conspirações estão nos ares, nos bares, nos mares, nos lupanares.

O Brazil entrou numa cruzeta. Aqui existe um vulcão chamado recessão. Somente o ajuste da economia poderá evitar a erupção. Now, agora, está escrito nas estrelas: daqui a um ano Pedro Malazartes dirá que o Mensalão e o Petrolão nunca existiram, os trens pagadores da Petrobras nunca foram assaltados e um sapo rouquenho foi a criatura mais honesta que já existiu na face da terra brasileira. 

Em agosto acontecerão as Olimpíadas. Haverá um legado, tipo o legado da Copa: a malversação de 30 bilhões de denários neste País de indigências socais e morais. Para que? Os parasitas, sanguessugas, carcarás s e mamadores de sempre estão na pista, e não são os atletas.

O Comitê Olímpico importou 450 mil camisas do planeta Vênus para distribuir aos atletas sexuais. As donzelas do sexo feminino receberão 100 mil unidades dessas camisas do planeta Vênus (estes são números oficiais, não é piada). Segundo a ideologia de gênero, nem todas as mulheres são do sexo feminino. Existem fêmeas de todos os sexos, inclusive as fêmeas do grelo duro, segundo o sapo barbado. Os lubrificantes e as camisas do planeta Vênus darão direito a cada atleta cruzar com 16 parceiros ou parceiras pelo sistema de rodízio sexual. Este será um dos troféus olímpicos no Maracanã.  

Em 2017, segundo minhas profecias, os vermelhos dirão que a política neoliberal do presidente Temer provocou dilúvios terremotos no planeta azul. Uma futura ex-presidente da República irá recorrer à ONU, ao Papa e aos homenzinhos verdes do planeta Marte para protestar contra o golpe de Estado e voltar ao poder. Adeus!

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/07


2016

Frente a Frente de 15/07/2016

Se você perdeu o Frente a Frente desta sexta,15 de julho de 2016, programa que apresento de segunda-feira a sexta-feira, ao lado do jornalista Adriano Roberto, das 18 às 19 horas, pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha FM 96,7 formada por 40 emissoras, clique aqui ou a direita no blog nos links do "Programa Frente a Frente" e ouça agora.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


11/07


2016

O coração do Brazil é um vulcão

RIBEIROLÂNDIA – O coração do Brazil é um vulcão. Os vulcões estão em erupção. Aprendemos no jardim da infância, erradissimamente, que no Brazil não existem terremotos nem vulcões. O Vesúvio era o vulcão da nossa infância. Só havia terremotos nas terras do fim do mundo. Criança, não verás País nenhum como este! Nosso céu tem mais estrelas d’alva! Nossos corruptos são mais gentis! 

O vulcão Vesúvio saiu de moda. Deixou de fazer erupções para não competir com as transmissões ao vivo dos campeonatos de futebol e dos shows de Safadão. Atualmente os vulcões que dão mais ibope nas redes sociais, nas redes de Tacaratu e do Ceará são os vulcões de Brasília, os vulcões do Paraná e algumas erupções vulcânicas regionais e municipais. Existem muitos vulcões nas prefeituras.     

Michel Temer localizou buracos negros na estratosfera auriverde. Os vermelhos produziram mais crateras nas contas do Brazil do que existem nas ruas a avenidas da Lua e de Saturno. A poluição da camarilha vermelha provocou um buraco negro de 180 bilhões de denários nas camadas de ozônio do orçamento da República. A estratosfera está sangrando feito hemorragia.

A jararaca vermelha era um terremoto ambulante. Conseguiu quebrar este Brazilzão. Desilusão! Desilusão! E o Brazil dançou no ritmo da recessão. A camarilha do cordão encarnado provocou um sísmico de 11 milhões de desempregados na escola Richter. Abalou as placas tectônicas dos nossos corações.      

Os livros ensinam que o corpo humano se divide em cabeça, tronco e membros. Faltou dizer que existem vulcões e crateras no coração e o bolso também faz parte da nossa anatomia. O bolso é a parte mais pensante da anatomia humana. O teatrólogo Bertolt Brecht, o vovozinho da fauna do cordão encarnado, decretou: “Primeiro, meu estômago. Depois, vossa moral”. A mundiça da camarilha vermelha hoje declama: primeiro os píxulecos, depois vossa moral.     

O sapo vermelho dirá: primeiro minhas Odes a Brecht, milionárias, depois vossa moral. E eu vos direi: há mais mistérios no sítio do pica-pau amarelo de Atibaia e no triplex do Guarujá do que imagina nossa vã filosofia. A bordo das glândulas mamárias da Lei Rouanet, os caboclos mamadores comunistas embarcaram rumo à estação dos parasitas ideológicos e se locupletam de mais de 1 bilhão de denários. E ainda continuam se amamentando em nome da governabilidade. Não haverá golpe, haverá amamentação, dizem. São as tenebrosas transações da caterva vermelha, como diria o ex compositor Chiquinho, o tiozinho das meninas e meninos do cordão encarnado.   

Esta é uma terra abençoada por Zeus e bonita por natureza, segundo a Madre Superiora. Quando o cara nasce e ao ser batizado pela fé cristã, ou budista, espírita ou de xangozeiro, o escrivão informa em nome da lei: aqui não existe pena de morte, bicho. Nosso povinho é ordeiro e pacífico, mas 40 ou 50 mil almas morrem a cada ano de susto, de bala ou vício. Outro tanto ou quanto morre na violência do trânsito ou nas estradas.    

O cantor Safadão hoje é o ídolo das multidões. Música? Safadão emite grunhidos e a mundiça adora. O bicho é a cara da mundiça brasileira. O sapo barbado é a cara das elites nacionais, noves fora os intelectuais e elites de rochedo. Quando ele fala com aquela voz maviosa, os doutores da USP, inclusive Fernando Henrique, ficam magnetizados com santa sabedoria. “Ou seja ... sabe ... eu nasci analfabeto, ou semianalfabeto ...” Se quiser ser rei, imperador ou aiatolá do Brazil, poderá ser eleito por aclamação ... sem o voto do papaizinho, Zeus me livre!

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/07


2016

Os labirintos da perdição

RIBEIROLÂNDIA – “Voltar é uma forma de renascer e ninguém se perde no caminho da volta”, assim falou o escritor José Américo de Almeida, paraibano feito de baraúna, assim falou o autor de “A Bagaceira” aos  nossos corações. A frase é sonora, mas o efeito ou conteúdo ... Aí vareia! A volta da jararaca vermelha seria o caminho da perdição. A jararaca está perdida em seu labirinto. São os labirintos da perdição. Vivendo feito zumbi no castelo da Alvorada e delirando como se ainda fosse presidente, ela quer voltar. Volta, criatura, volta para os teus pagos no Rio Grande do Sur!

Lá vem a jararaca vermelha pedalando no seu alazão, ou azarão:
“O gaúcho”, de Ascenso Ferreira:
“Riscando os cavalos!
Tinindo as esporas!
Través das cochilhas!
Sai dos seus pagos em louca arrancada!
Para que?
Pra nada!”

Quer voltar para que? Para virar o Brazil pelo avesso, para convocar eleições gerais, nacionais, estaduais, municipais. Está delirando no castelo Alvorada. Não serve para governar. É inservível. É tóxica. Quer servir para convocar. Está invocada. Deveria convocar de volta a estabilidade econômica da Petrobrás. Deveria des-convocar a malversação de bilhões de denários do BNDES. Convocar As toneladas de feijão doadas ao regime comunista de Cuba e que estão fazendo falta na mesa dos brasileiros. Convocar de volta a refinaria da Petrobras na Bolívia expropriada pelo plantador de cocaína Evo Morales. Convocar eleições para a anistia de centenas de milhões e bilhões das dívidas dos regimes corruptos e sanguinários de republiquetas africanas.   

O sapo não está delirando. Ele é muito vivo, é um vivaldino. O sapo é uma toxina ambulante. Quer voltar em 2018, Zeus nos livre!
A volta da jararaca teria um efeito devastador sobre a economia, que tenta ressuscitar. Imaginem o dólar, que a camarilha vermelha tanto ama, dando saltos acrobáticos para ultrapassar a barreira dos 5 e 6 reais. A Bovespa despencando no desfiladeiro da Avenida Paulista.

Feijão hoje é comida de rico. Conheço um brother que fica tirando onda de bacana porque a família dele come feijão todo dia. No restaurante Milk, onde os ricos e poderosos de Pernambuco se reúnem para falar da vida alheia, um prato de feijão é disputado na tapa. 

A jararaca vermelha doou 625 toneladas do estoque regulador de feijão para a ditadura comunista de Cuba. A mundiça vermelha adorou. Ainda mais Zeus castigou, faltou chuva nas regiões produtoras do precioso grão. E o preço disparou. Eis a razão. No paraíso comunista atualmente está faltando papel higiênico e sabão. O presidente Michel Temer mandou segurar os estoques. Cazuza dizia que a burguesia fede. O comunismo fede.

Tomar banho é um hábito da burguesia reacionária, segundo os comunistas. A filósofa Marlene Chui, mulher do grelo duro, não toma banho desde a primeira eleição do sapo barbado em 2002. Os comunistas de Pernambuco deixaram de lavar o sovaco em protesto contra o “golpe”.

Tristes elites brasileiras que se deixaram arrebatar por demagogos e incompetentes! Não foram migalhas. Migalhas são os tostõezinhos do Bolsa Família. Para as elites econômicas, foram pedaladas bilionárias do BNDES e entidades estatais. Olhai os lírios no campo! Olhai os telemóveis da Oi! Olhai os bovinos da Friboi! Olhai as Odes a Brecht na América Latina e nos países africanos!  

Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/06


2016

Alegrai-vos! A jararaca c’est fini!

“Alegrai-vos!”, disse Jesus de Nazaré no tempo da ressurreição. Maria Madalena, a pecadora, de origem Magdala, foi a primeira criatura a ouvir o anúncio da ressurreição. Alegria, alegria! A jararaca vermelha c’est fini! Foi-se! Foice e martelo, prego batido, ponta quase virada. A volta da jararaca vermelha seria a revelação do lado escuro da lua. Não tem chororô, nem chororó, nem Chitãozinho que dê jeito. “No more, ó never more”, não mais, ó nunca mais dizem os corvos de Edgar Alan Poe.

O Brazil não é Cristo, mas está tentando ressuscitar depois de percorrer a via-crúcis sob o domínio da camarilha vermelha.
Com as tripas de fora, o Brazil está tentando ressuscitar. Faz lembrar o personagem Santiago Nasar, da “Crônica de uma morte anunciada” de Gabriel Garcia Marques:

“Me mataram, querida Wene – disse. Tropeçou no último degrau, mas se levantou imediatamente. “Teve até o cuidado de sacudir com a mão a terra que ficou em suas tripas”, disse-me tia Wene. Depois, entrou em sua casa pela porta dos fundos, que estava aberta desde as seis horas, e desabou de bruços na cozinha”. Comovente.    

O Brazil ainda está acamado, esfaqueado, barbarizado, com febre de 40 graus na escala Richter de desmantelos praticados pela camarilha vermelha. Tem gente da mundiça vermelha que não gosta de ler meus artigozinhos. Não lê, mas detesta. Dizem que são feios, politicamente incorretos, incomodam, machucam. Veja bem, mundiça vermelha, quando a gente não quer dar o braço esquerdo a torcer, qualquer desculpa serve. Uma leitura apropriada pode até dar charme e distinção. Consulte um especialista em cromatismos vermelhos. Eu mesmo vou consultar o meu guru para assuntos de pupilas ideológicas, o Doutor Alvacir Fox.   
Temer é nosso colírio, segundo o Doutor Fox.

Mais de 12 milhões de brazileiros desempregados estão com o coração na mão. Com as lágrimas nas mãos. Com os sonhos na contramão. Roubaram os sonhos dos brazileiros. “Com as tripas de fora, o Brazil está tentando ressuscitar.
Roubaram os tostoezinhos dos aposentados e pensionistas nos empréstimos consignados. 
Roubaram o passado, o presente e o futuro dos brasileiros nos fundos de previdência das estatais. Quando eu crescer e for um cineasta de rochedo, eu vou fazer um filme de bangue-bangue sobre o super, hiper, mega, giga assalto aos trens pagadores da estação Brazil. 

Os cineastazinhos chapa branca, ou chapa vermelha, fazem filmezinhos sobre aquários de peixes mamadores nos mamilos da Ancine e da Lei Rouanet. Quem não adorar os filmezinhos será chamado de golpista, o presidente golpista, os ministro da Educação e da Cultura golpistas, o presidente da fundação golpista, os juros da Cannes golpistas. A lei Rouanet é uma mãe, papai e mamãe. 
São ladrões de sonhos, eu já escrevi neste magnífico blog do magnânimo amigo Magno Martins, o reitor da Magnolândia.

A camarilha vermelha e seus discípulos esculacharam demais nosso Brazil. Os patifes espatifaram a Petrobrás. Esfolaram o BNDES até as tripas gaiteiras. Sangraram os fundos de previdência da Petrobras e dos Correios. Os funcionários vão pagar mais e por mais tempo para ser aposentados. Invadiram os cofres da Casa de Misericórdia da Moeda. Eletrocutaram as receitas do setor elétrico. 

Governanta mais incompetente do Império brasileiro desde os tempos de Nero, a jararaca vermelha conseguiu tocar fogo neste país, ela e seu pareceiro o sapo barbado. Especialista no ofício de estocar ventos à moda de Dom Quixote, cada vez que profere uma blasfêmia sobre a economia, o PIB desabado. Em condições normais de temperatura e pressão (CNTP), a camarilha vermelha deveria ser expurgada até o último vestígio da vida pública brasileira. Mas, subsistem os fanáticos e idólatras. Instalaram o império da irracionalidade em nossa pátria mãe gentil.  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/06


2016

Olimpíadas delenda est!

RIBEIROLÂNDIA – Se eu fosse Imperador do Brazil, o Imperador Adalbertovsky I, mandava deletar as Olimpíadas Rio de Janeiro, atualmente em estado de calamidade pública, de 5 a 21 de agosto. Mas, eu sou pequenininho, do tamanho de um tostão. Eu sou apenas um humilde Marquês da Ribeirolândia. Olimpíadas delenda est, como dizia meu amigo Catão na Antiga Roma, amor.     
Um cara estava vindo da Copa de Futebol da Fifa 2014 e caminhava por uma calçada rumo às Olimpíadas. Subitamente, não mais que subitamente, o bicho avistou uma casca de banana. Entonces ele pensou com suas orelhas de intelijumento: -- Lá vou eu escorregar de novo.

Não sei quem é atualmente o governador do Estado do Rio da Guanabara, se é Benedita Garotinho, Carlos Lacerda, Brizola, Roberto Marinho, ou Romário Pezão, pois há mais de um mês não leio o Pasquim nem assisto à TV Tupi. Só vejo o programa de Chacrinha.
O último número da revista O Cruzeiro revelou um novo caso de corrupção no governo. O técnico da Seleção da CBF, Zagalo, foi demitido depois da derrota para a Alemanha. O novo técnico será Havelange. Sob a liderança de um sapo barbudíssimo e honestíssimo, um novo partido, o PT, prometeu acabar com a corrupção no Brazil.  O sapo disse que vai fazer uma delação premiada para denunciar todas as safadezas do cordão encarnado. BLZ!

Em entrevista às páginas amarelas da revista O Cruzeiro, o sapo barbudíssimo confessou que era analfa de nascença e continua ignorante, modéstia à parte. Ele adorou a delação premiada de Ruy Barbosa sobre a corrupção nos tempos da monarquia. O cara é rochedo. Vou votar nele pra acabar com a corrupção no Brazil. O bicho tem um teor de 125 % de honestidade, é mais honesto que todo mundo.  Se ele for eleito tenho certeza que não vai me decepcionar.

O morro do Pão de Açúcar foi construído pelo empresário Abílio Diniz para receber a estátua do Cristo Redentor. Depois, Abílio Diniz vendeu o morro do Pão de Açúcar ao grupo francês Carrefour. Braços abertos sobre a Baia da Guabiraba,  misericordiosíssimo Cordeiro de Zeus assiste petrificado aos arrastões, assaltos e tiroteios entre bandoleiros, bicheiros, vendedores de maizena, maconheiros e desordeiros nesta cidade que chamam de maravilhosa.        

O governador decretou estado de calamidade e disse que não tem dinheiro para pagar ao funcionalismo, muito menos para manter os pacientes luxentos do SUS. Mas, não faltará grana para a rapaziada, os atletas-turistas nacionais e estrangeiros se divertirem nas Olimpíadas. Escolas de samba e malandragens são prioridades máximas.

À semelhança do legado da Copa da Fifa no fiofó dos brasileiros, também haverá o legado das Olimpíadas: corrupção e patifarias em geral. Não será exagero dizer que o desmantelo das contas públicas e malversação de bilhões de recursos no BNDES foram causadas em boa parte pelos investimentos estéreis para a realização da Copa da Fifa.

Tantos sábios, filósofos, profetas, doutores, PhDs, gênios iluminados não perceberam o óbvio dos desperdícios, da malversação de recursos. Assim dizia o bem-aventurado Nelson Rodrigues: só os profetas enxergam o óbvio.
Zeus dos céus, mandai um profeta para a salvação da lavoura de nossas almas! Amém!

Um minutinho, vou atender um telefonema dum amigo meu do Planalto: “Alô Michel! Tudo bem! Acho que tu devia deletar essas Olimpíadas do Rio”. Ele não disse sim, nem disse não. Estou com Temer e não abro nem para o trovão azul, nem para o trovão encarnado, nem para a mãe de pantanha. E fora a mundiça do cordão encarnado. 

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/06


2016

Corações em chamas

[email protected]

RIBEIROLÂNDIA – O Brazil está em chamas. O Planalto em chamas. A Alvorada em chamas. Os corações brasileiros estão em chamas.  A radicalização está no ar. A irracionalidade está no ar. O governo do presidente Michel Temer é a alternativa viável para restabelecer as condições naturais de temperatura e pressão no ambiente. 

Depois de quebraram o Brazil e agora que estão sendo desmamados das glândulas mamárias dos cofres públicos, os vermelhos  ameaçam transformar a nossa pátria mãe gentil em uma Venezuela. Em duas Venezuelas, em quatro, cinco, em Ene Venezuelas. O inferno é o limite. O bufão Maduro é um sapo bigodudo tanto ou quanto incompetente quanto o sapo barba e ainda mais metido a cavalo do cão. A venezualização do Brazil é a glorificação da incompetência, demagogia e corrupção. 

O batidão da corrupção é punk, é da pesada. Aconteceu um estupro coletivo de 200 milhões de viventes no império do samba, da gafieira, do frevo, do maracatu e do bolero, sob os auspícios das glândulas mamárias da República e dos nossos impostos.
Estupraram os cofres públicos. Estupraram a Petrobrás. Estupraram o BNDES, os fundos de previdência das estatais.
A Caixa Econômica Federal, tadinha, caiu nas mãos de uma centena de sanguessugas e estupradores. Está sangrando em mais de 25 bilhões de denários. Precisa urgentemente de injeções dos cofres públicos.

O sítio de Atibaia é do pica-pau amarelo, é do pica-pau do cordão encarnado. “Boneca de pano é gente, sabugo de milho é gente”, o sol nascendo quadrado é tão belo, sítio do pica-pau amarelo. Eles são ferozes e partem pra cima, movidos por mortadelas do MST, pixulecos, mamatas oficiais ou desvios óticos ideológicos. 

Aprendi ao fazer o curso de doutorado sobre microbiologia ideológica que existem duas espécies de insetos: os tiranossauros e os ptossauros. Os tiranossauros são os bichos da caterva vermelha,  portadores do vírus estafilococus vermelhorius. Os ptossaurus pertencem à raça dos insetos mamadores e são descendentes das bactérias do streptococus áureos. Mortadelas e estrabismos de esquerda fazem parte da mesma família de estafilococos ideológicos.

Lei de Newton: a toda força corresponde uma força em igual intensidade e sentido contrário. Lei de Newton na política: radicalização provoca radicalização entre opostos. Na democracia representativa o mandato eletivo é legitimado pelo voto e pelo exercício do poder. Lacradas as urnas, a jararaca vermelha conspurcou o mandato, enlameou o mandato. No comando das tropas, o cordão encarnado elevou a corrupção à enésima potência. Barbarizou. Fez o up grade da corrupção sistêmica no Brazil, zil-zil.

Na década de 1950, sem Ancine e sem Lei Rouanet, Mazzaropi criou a Atlântida e a Vera Cruz, embriões vitoriosos de uma indústria cinematográfica nacional. Era esnobado pela intelligentsia de esquerda, chamado de caipira pelos intelijumentos. Na década de 1960, “O Pagador de Promessas” de Ancelmo Duarte conquistou a “Palma de Ouro” em Cannes, modéstia à parte. A Lei Rouaet, de centenas de milhõezinhos de denários, é pinto diante das centenas de bilhõezões do BNDES.

Disseram que se injetassem incentivos nos cérebros dos intelectuais eles produziriam filmezinhos geniais, músicas celestiais, poemas maravilhosos. O filmezinho produzido nas glândulas mamárias da Ancine e da Fundaj não viu nem o azul no tapete vermelho de Cannes. O cineastazinho disse que o ministro da Cultura era um golpista, deu uma ordem para ele ler o jornal New York Times, chamou o cara de careca e deu um pente pra pentear. Subsídios oficiais são de boa serventia para alimentar parasitagens ideológicas.

Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/06


2016

O profeta dos olhos vermelhos

RIBEIROLÂNDIA – O ex-compositor Chiquinho, tiozinho das meninas e meninos do coração valente, tem uma cantiga bonita que diz o seguinte: “Dormia a nossa pátria-mãe tão distraída sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações”.

BLZ. Premonição. Chiquinho é um profeta. As tenebrosas transações fazem lembrar o rombo de mais de 170 bilhõezinhos de denários no orçamento da União, a dívida pública de 2,8 trilhões se aproximando dos 3  trilhões, as negociatas no BNDES para financiar o porto comunista de Mariel em Cuba, o compadrio de Bumlai, as Odes a Brecht nas republiquetas africanas, financiamentos às aventuras bolivarianas na Venezuela. 

Tenebrosas transações, tudo a ver com o superfaturamento das empreiteiras, tudo a ver com o custo-Brazil, tudo a ver com a descarga tributária no lombo dos contribuintes e 11 milhões de desempregados. 

Para calcular o custo-Brazil, zil-zil, adicione as Odes a Brecht, Odes a Gutierrez, Odes a OAS, uns pixulecos em fatias, mandiocas vermelhas a gosto, deixe gratinar com aditivos de 10 por cento a cada intervalo de lambanças. E pronto, sirva-se à freguesia.  

O Brazil gratinado ao molho de pixulecos é um país muito sério, segundo meu compadre, o cientista político The Gaulle. E fico eu a cantar com meus passarinhos, a sonhar com minhas musas e a viajar no azul dos meus blues.   

O profeta Chiquinho é muito gentil e não estava falando do assalto aos trens pagadores da Petrobras, nem do arrombamento nos cofres públicos dos fundos de previdência das estatais.

Os olhos do ex-compositor Chiquinho são vermelhos de amor pelo sapo barbado e a mulher jararaca. O cérebro dele também é vermelho e morre de amores pelos novos bárbaros do MST (os soldadinhos, os peões são apenas massa de manobra).

As meninas nos olhos de Francisco não são franciscanas de amor pelos pobrezinhos e desvalidos. São fogueiras de amor pela caterva vermelha, pelos ditadores comunistas tipo raul e fidel castro, hugo chavez e maduro, com licença das palavras. Dizem que o ex-compositor fez cantigas de protesto e combateu a ditabranda no Brazil. Yes. 

O franciscano dos olhos de fogo que combateu a ditabranda verde-amarela adora as ditaduras ferozes de Cuba e da Venezuela.    

O Brazil está fazendo a travessia do mar vermelho para se libertar de um ciclo pecaminoso, de tempos tenebrosos. O ciclo pecaminoso também é um ciclo de decantação. A camarilha vermelha e seus discípulos deixaram uma herança nefasta de devastações e patifarias. 

Temer, de quem se espera o papel de super-herói, esbarra em ciladas para fazer a travessia neste campo minado. As bandalheiras contaminaram todas as áreas, a economia, a política, a fauna e a flora. 

A volta da jararaca vermelha seria uma ideia pavorosa. Elas e eles queriam transformar o Brazil numa Venezuela. Zeus nos livres desses dragões do Apocalipse! Eles conjugam incompetência e corrupção.  Livrai-nos das mocreias e das mulheres de grelo duro do cordão encarnado. Mil vezes são preferíveis Temer e suas raposas. 

O incrível é que eles se fazem de inocentes, ingênuos, puros, criaturas quase celestiais movidas pelo amor aos pobres, oprimidos e desvalidos deste Brazil. Eis o suprassumo da hipocrisia e do cinismo.      

O mundo gira, a lusitana roda, diz o ditado português, mas as esquerdas da América Latina querem navegar na contramão da história. O delírio dos vermelhos é conquistar nos trópicos o espaço que perderam no Leste da Europa.

E não estou delirando. Olhai os lírios dos campos! Olhai a ditadura comunista de Cuba desde 1959. Olhai o regime falido da Venezuela! E os energúmenos não largam o osso. 

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé arnaldo amaral

O que seria desta atanazada e avermelhada realidadefática não fora tão oportunas abordagens metafóricas ? Longa vida ao senhor marquês, guia iluninado da Ribeirolândia !!!



30/05


2016

O Brazil é uma glândula mamária

RIBEIROLÂNDIA – “A anatomia em mim enlouqueceu, sou todo coração”, assim cantou o poeta russo Maiakovsky, apaixonado pela revolução comunista e por sua musa Lilitchka, ao som de sua “Flauta vértebra”.
O coração do poeta espatifou-se de amor por Lilitcka e pela revolução bolchevique. As revoluções e as Lilitchkas são ilusões e despedaçam corações.

A anatomia do Brazil enlouqueceu, o Brazil todo é uma glândula mamária. Brazil, pátria mamadora! Mamai-vos uns aos outros!
O Brazil está doente. Ou sempre esteve doente. Às vezes fico a pensar se o Brazil está doente derna que nasceu, como diz o matuto, se é doente de nascença ou se contraiu as mazelas nas quebradas da vida. Estamos diante da presidente mais incompetente da história do Brazil e do partido mais sem-vergonha desde o Império. Não é pouca coisa.   

Coitado do Brazil, injuriado, espoliado e ludibriado pela mundiça vermelha. Se eu fosse o Brazil diria para esses bichos: atenção mundiça, minhas glândulas mamárias não são as glândulas dos galináceos de ovários de ouro. Vão mamar noutros ovários, trepeças! Havia a cantiga: “Criança, ama com fé e orgulho a terra em que nasceste, pois não verás país nenhum como este!”.
Criança, mama com fé e orgulho na terra em que nasceste!  

Brazil é uma fratura exposta. Está em convulsão. Está delirando. Apesar de todas as evidências, provas e contraprovas, eles quebraram o Brazil e não dão o braço esquerdo a torcer, insistem na defesa do indefensável. Brasileiras e brasileiros: com aquela voz cavernosa que Zeus não lhe deu e a cachaça lhe deu, o sapo barbado revelou em gravação ao homem dos marimbondos de fogo que se arrependimento matasse, já  estaria do outro lado do espelho por ter eleito a jararaca presidente da República. A mosquita vermelha está sozinha e mal acompanhada de se mesma na Alvorada de Brasília.

Triste Brazil, tristes povinhos, tristes elites que durante 13 anos se deixaram dominar por esses fantoches da política!
Falam em golpe, cinicamente. Os brasileiros foram vítimas do golpe da corrupção e da incompetência. O Brazil de hoje não pode ser a Venezuela de amanhã, nas mãos de corruptos e demagogos. Milhões de funcionários que dependem dos fundos de previdência das estatais estão com os corações nas mãos.   

Se houver ameaças, o presidente Michel Temer é o comandante em chefe das Forças Armadas e pode acionar o Exército para coibir os arrastões das turmas dos pixulecos e das mortadelas. A jornalista Mirim Leitão constatou: a recessão atingiu fortemente os fundos de previdência. Desde 2012 o balanço vem caindo ano a ano, até chegar ao rombo enorme de 2015. De 219 fundos do País, 92 estão no  vermelho, o que significa que os benefícios que têm a pagar nos próximos anos e décadas estão acima dos ativos que possuem.   

O Senado Federal poderá abreviar este martírio e concluir a votação do Impichi até o final de agosto, para a felicidade geral da Nação, noves fora a legião dos ensandecidos de sempre. Quanto mais se prolongar o velório, mais a recessão se prolonga, mais a Nação padece. Quando setembro vier, rock n’roll, novas pedras vão rolar, se Zeus quiser!    

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/05


2016

Deus, salvai o meu filho

“Pai do céu, salvai a vida do meu filho!” Esta foi a oração paternal de Moacir André Gomes, abraçado com uma árvore, no quintal da casa da mãe dele, dona Anunciada Figueiredo André Gomes, na Estrada Arraial, durante o doloroso parto da mulher Genny Leite André Gomes. As árvores têm alma, já dizia o poeta Augusto dos Anjos, dos arcanjos e dos pecadores. Assim a gameleira frondosa ouviu a prece do pai Moacir e a encaminhou ao Criador. O parto era de alto risco. A criança estava enlaçada pelo cordão umbilical e nasceu a fórceps.

O bebê Vicente Manoel Leite André Gomes foi salvo pela Providência Divina, os fluidos da abençoada gameleira e as mãos prestimosas da parteira, no dia 16 de janeiro de 1956, na casa número 3734 da Estrada do Arraial. Na vida intrauterina, o cordão umbilical deu um nó no braço esquerdo do feto, na altura do cotovelo, o que impediu a circulação de sangue e atrofiou o crescimento dessa parte do corpo. Por um acidente de formação congênita, o bebê nasceu sem o antebraço e sem a mão, apenas com a primeira parte do braço esquerdo.

A luta pela superação começou logo na vida intrauterina.  Eis o primogênito do casal Moacir e Genny Leite André Gomes, neto de Dona Anunciada Figueiredo André Gomes e do doutor Vicente André. Para celebrar a dádiva da vida, o pai Moacir, acadêmico do quinto ano de Medicina aos 29 anos de idade, fez uma promessa: jurou que depois de formado iria exercer a profissão sem nunca cobrar uma consulta de ninguém. Fez a opção pela Medicina Social como sacerdócio.  

Este foi o “Juramento de Moacir André Gomes”, mais solene que o Juramento de Hipócrates que faria um ano depois na tradicional Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco. O pai Moacir morava nos fundos da casa da mãe, a viúva Dona Anunciada, em Casa Amarela. Ao se formar em Medicina, feito o “Juramento de Hipócrates” e para cumprir o “Juramento de Moacir”, montou o CEMOP – Centro Médico Odontológico do Povo.

Atendia a população de Casa Amarela e adjacências, na base do “Deus lhe pague!”. Depois de Vicente, a família cresceu e houve quatro filhos, dois meninos e duas meninas. E mais, o casal adotou dois filhos: o menino “Fusquinha”, que vivia nas ruas da Casa Amarela, de nome Wilson Souza, hoje funcionário do Estado, e José Luís da Silva, já falecido.    

De consciência tranquila ao ouvir o “Deus lhe pague!” e cumprir a promessa de exercer o sacerdócio da Medicina, precisava garantir o pão e leite das crianças. E assim foi trabalhar no INSS e na Polícia Federal. Ser negro e médico na década de 1950 já era uma vitória social. Vicente revela que Moacir sempre foi seu ídolo e seu guru. Por isso resolveu cursar Medicina e ingressar na política. Formou-se em Medicina em 1978, pela Faculdade de Ciências Médicas. Ingressou na política em 1982 e atualmente exerce o 6º. mandato de vereador, tendo sido deputado federal de 1995 a 1998.  

A fidalguia em pessoa com um coração de ouro, Moacir exerceu 5 mandatos de deputado estadual e faleceu aos 87 anos, em 2013. Dona Geny faleceu há 2 anos. Camarada rochedo, este menino o filho do doutor Moacir André Gomes e de Dona Geny é um vitorioso na vida e na política. Esta é uma crônica sentimental ao modo das crônicas “Perto do coração”, do magnifico blogueiro Magno Martins, e resultou de um encontro casual com o amigo Vicente, que me contou a promessa do velho Moacir no dia do doloroso parto de sua mãe e quando pela Graça Divina começou a respirar neste vale de lágrimas, de sonhos, alegrias e ilusões.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

ivan rodrigues

Meu caro Barão: Ao ler essa magnífica crônica, lembrei-me de uma que escrevi em 03/2015 e tenho arquivada em meu humilde blog a respeito de ANDRÉ GOMES, patriarca dessa família que você bem realça. Transcrevo o texto abaixo e veja e feliz pertinência do assunto. Ivan \"ANDRÉ GOMES - Herói Desconhecido Acidentalmente caiu-me às mãos um livro editado em 1931, com crônicas do início do século XX, denominado “MEU PERNAMBUCO”, de autoria de um notável jornalista e panfletário Mário Rodrigues, nada menos que o pai do cronista Nelson Rodrigues e do também jornalista Mário Filho que deu o nome ao Estádio do Maracanã. O autor, impiedoso crítico dos costumes e da política da época, foi obrigado a se exilar no Rio de Janeiro, tal era a virulência das ameaças e represálias decorrentes da verrina dos seus comentários críticos à classe dominante de então. Temeroso, abandonou sua terra natal, e foi trabalhar em outras paragens, em exílio voluntário, para escapar de possíveis atentados à sua vida. Brilhou em sua profissão no Rio de Janeiro e foi seguido por seus ilustres filhos que se tornaram famosos, comprovando que o DNA era impecável. No livro citado, existe uma crônica sob o título “Lição Para Os Reis”, às fls.de 49 a 53, em que relata um extraordinário e exemplar episódio ocorrido em torno de 1912 aqui em Pernambuco, com um cidadão chamado “ANDRÉ GOMES”, que vou tomar a liberdade de transcrevê-la na sua parte essencial, para que melhor se entenda a lição dada por ele em louvor ao gênero humano, respeitando a grafia original: “COMOVEU-ME ÀS LÁGRIMAS, UM EPISÓDIO QUE ME FOI REFERIDO ESTA MANHÃ...ENTRE OS MEUS COLLEGAS DA CÂMARA DE PERRNAMBUCO, ELEITOS APÓS A VICTÓRIA DO DANTISMO, EM 1912,DESVANECERA-ME SEMPRE A ESTIMA FRATERNAL DE UM DEPUTADO, O PRETO ANDRÉ GOMES.....NAS REFREGAS MAIS INTENSAS, AS QUE PUDE, ACASO, TESTEMUNHAR, LÁ SE NOS DEPARAVA INVARIAVELMENTE AQUELLE TYPO, CUJOS GESTOS AMAVEIS DE EXTREMA DELICADEZA, OFFERECIAM ESTRANHO CONTRASTE À LINHA FIRME E AUSTERA DO BATALHADOR CAPAZ DE TODOS OS LANCES HEROICOS. POIS O CASO QUE ME CONTARAM GIRA EM TORNO DO ILLUSTRE CREOULO.... E A HISTÓRIA É QUE A TEIA DO SUBORNO TENTOU ENLEAR ANDRÉ GOMES. UM DESTES DIAS. PROCUROU-O INVESTIDO DA EMBAIXADA, O SR. ARCHIMEDES DE OLIVEIRA. O SR. ARCHIMEDES, EM NOME DA COLLIGAÇÃO REVOLUCIONÁRIA QUE O PRESIDENTE DA REPÚBLICA CHEFIA, CHAMOU ANDRÉ GOMES E ASSIM LHE FALOU: “VOCÊ, ANDRÉ, TEM SIDO UMA VICTIMA DA POLITICA; JÁ VELHO VOCÊ PRECISA DE UMA SITUAÇÃO DE REPOUSO E CONFORTO; EU VENHO ASSEGURAL-A. DÊ-NOS O SEU VOTO NA CÂMARA E DISPONHA DE NÓS QUE ESTAMOS PROMPTOS A O ATENDER EM TUDO. PARA COMEÇAR, PROCURE UMA CASA QUE SATISFAÇA AOS DESEJOS DO BEM ESTAR DA SUA FAMILIA. NÓS LH’A OFFERTAREMOS.” QUEREIS SABER O QUE RESPONDEU O PRETO? RESPONDEU: “SENHOR DOUTOR, PASSOU A ÉPOCA DE COMPRAR NEGROS... O 13 DE MAIO NOS LIBERTOU...” MAIS QUE O REFLEXO PESSOAL DE UM CARACTER, A PHRASE REPRESENTA O PARADIGMA DE UM ESTADO COMMUM DE ESPIRITO EM PERNAMBUCO. TRAÇO VIVO DE UMA PSYCHOLOGIA RACIAL A QUE O VILIPENDIO DE INIQUA PRESCRIPÇÃO ATRAVÉS DE SECULOS NÃO TIROU AS VIRTUDES INNATAS DO DESPRENDIMENTO E DO SACRIFICIO, OBJETIVA, ALÉM DESTA PARTICULARIDADE, OS PROPOSITOS DE RESISTENCIA DA ALMA DE UM POVO PARA QUEM A SIMPLES HYPOTHESE DE CAPITULAR ASSUME, A ESTA HORA, A FEIÇÃO DESPREZIVEL DE UMA VILTA QUE NENHUM HOMEM DE BRIO ACEITA.... BOM ANDRÉ GOMES, PRETO DE ALMA IMPOLLUTA!... NÃO LEVASTE PARA O TEU LAR A ESCRIPTURA DO PREDIO QUE TERIA SIDO O PREÇO DE UMA INFAMIA. TODAVIA, DEPOIS DA PEITA, ENTRASTE NO TEU LAR DE CABEÇA ERGUIDA, POBRE, PAUPERRIMO, SIM, MAS ALEGRE POR NÃO HAVERES COGITADO EM TEMPO ALGUM, DE USUFRUIR A TORPE FORTUNA DAS FALLENCIAS EVITADAS À CUSTA DE SANGUE INNOCENTE.” Imaginem, no início do século XX, a discriminação que sofria um escravo liberto que ascendeu na vida e lutava para afirmar-se como cidadão. A coincidência do nome despertou minha curiosidade que confirmou, para minha alegria e honra de todos os que conheceram e conhecem a história de MOACIR ANDRÉ GOMES e sua digna família; do povo humilde de sua cidade; de quem participou e usufruiu da generosidade de sua medicina; dos companheiros de uma convivência política digna e honrada. Sim, amigos, esse extraordinário ANDRÉ GOMES é o pai do nosso MOACIR ANDRÉ GOMES que, pelo jeito, teve de quem herdar. Sua família deve se orgulhar e Pernambuco inteiro exaltar a dignidade deste cidadão. Nos dias de hoje, mais do que nunca, os incorruptíveis devem ser enaltecidos! Alvíssaras, meu Capitão, ainda existem e existirão heróis em nossa terra!



16/05


2016

Temer: há ventos promissores no ar

RIBEIROLÂNDIA – A maré mudou. Os ventos mudaram. O presidente Michel Temer sente a maresia. O presidente disse que não fará milagres na economia. É vero. Milagre é efeito sem causa. Surgem bons prenúncios na Esplanada dos Ministérios.
Com sólida formação intelectual e acadêmica, estudioso dos cenários econômicos nacionais e internacionais, visão enfocada no desenvolvimento sustentável e sem a limitação de rótulos ideológicos, o jovem ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, reúne as melhores credenciais para um desempenho de excelências no Governo de Michel Temer.

Os setores de energia e de mineração estão no radar do ministro para adotar novos marcos regulatórios e atrair investimentos. Fernando Filho vem da estirpe do governador Nilo Coelho, do senador Fernando Bezerra Coelho. O cara é ninja e com certeza vai cumprir uma trajetória política e administrativa ascendente nos cenários regional e nacional.

Jovem líder em ascensão regional e nacional, o ministro Fernando Filho foi o grande vitorioso no conjunto partidário do PSB. O ministro é ele e seus circunstâncias – o pai senador, ele deputado federal e um irmão deputado estadual, o que equivale a uma bancada parlamentar. 

Começou a temporada dos bezerros desmamados. Eles protestam contra o Governo de Temer em todos os lugares onde cantavam os carcarás. Os carcarás da Lei Rouanet estão indóceis. Em  centenas de consulados e embaixadas eles mamavam em dólares e euros.
Alguns mamíferos políticos continuam falando em golpe. Ou são intelijumentos, ou fanáticos ideológicos ou bezerros desmamados.

Os movimentos chamados de sociais haviam prometido parar o Brazil se houvesse o Impichi. Mas, com que roupa? Com que mandiocas vermelhas? Depende do suprimento de mortadelas. Os bezerros desmamados vão protestar, mas sem a Lei Rouanet e sem a grana das ONGs será um grito parado no ar. 

A peãozada do MST é massa de manobra. Se as autoridades enquadrarem uma dúzia deles por crime de incitação à violência e ameaça à ordem pública, esses “revolucionários” de fantoche vão ensarilhar as armas. Dai-me uma mortadela e uma ONG bem nutrida e eu irei virar o Brazil pelo avesso, diria o “revolucionário” Stadile.  

O programa Mais Médicos cubanos foi concebido sob medida para financiar a ditadura decadente dos irmãos terroristas raul e fidel castro com milhões de dólares. São reservadas migalhas para os deportados da ilha que cumprem missão ideológica. É inconcebível o Brazil continuar financiando a ditadura comunista de Cuba. Também deve ser inconcebível para o governo render-se ao corporativismo dos médicos brasileiros e deixar de expandir a criação de faculdades e a formação de profissionais da Medicina.

Os regimes ditatoriais de Cuba, Venezuela, Bolívia e outros pandemônios comunistas protestam contra o Governo Michel Temer. O porto de Mariel em Cuba e o metrô da Venezuela mamaram nas glândulas mamárias do BNDES. Em 2006 a Bolívia expropriou, impunemente, duas unidades da Petrobras. Agora, stop. Republiquetas africanas, nas mãos de ditadores corruptos, certamente também irão protestar. Zero surprise.   

Uma artistazinha de novelas foi ao Vaticano dizer ao Papa Francisco que houve um golpe de Estado no Brazil. Pecado diplomático de origem: qual a representação dela? Nenhuma. Nem deveria ser recebida. O Papa prometeu rezar pelo nosso País. Não entendi.  The Pope é chefe de Estado do Vaticano e líder espiritual dos católicos apostólicos, romanos, pernambucanos, gregos e troianos.

As rezadeiras e benzedeiras também rezam e dão banhos de arruda para curar olhados e mazelas. Mas, para sanear o déficit fiscal e equacionar a dívida pública, prefiro confiar nas medidas do ministro Meireles. O grande Amin Stepple lembra um provérbio das Arábias: “Confie em Alá, mas não esqueça de amarrar bem o seu camelo”. Os nossos camelos estão nas mãos de Michel Temer e seus cavaleiros.

* Jornalista

[email protected].com


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/05


2016

A mundiça vermelha desce a ladeira

RIBEIROLÂNDIA – Vingou o Impichi no Senado. Graças a Zeus!  Foi-se a presidente mais incompetente da história do Brazil. Zil-zil! Bye-bye, jararaca! O enterro não tem volta. Há 13 anos nasceu uma estrela. Mas, não era uma estrela-guia, era uma estrela com falso brilho nos horizontes verdes e amarelos. O ovo da serpente deu à luz sanguessugas, caboclos mamadores, parasitas, camundongos, uma manada de insetos. Oh quantos insetos devoram o coração do Brazil há uma trezena de anos! A estrela sem brilho procriou um poste que virou uma jararaca vermelha.  

Lembrei aquela cantiga: “Brilha uma estrela! Cresce a esperança!” Parecia um soneto. No final tinha uma chave de ouro verde-amarela. Mas, no meio do soneto tinha uma pedra. Tinha uma pedra do reino das fantasias. As pedras rolaram. As águas rolaram. Rock n’roll! As águas e as pedras estão rolando de ladeira abaixo. Cadê o brilho da ética que estava aqui? O gato comeu. 

O brilho da falsa estrela faz jus a Macunaíma, o herói sem nenhum caráter. Roubaram os nossos sonhos e a chave de ouro dos nossos sonetos. Roubaram as estrelas. Será isto a utopia do assalto aos céus de que falam os comunistas para implantar o paraíso terrestre? 

That is quase incredible o legado da camarilha vermelha: os governos do cordão encarnado perdoaram ou renegociaram (prazos de pagamento até o juízo final) dívidas de 900 milhões de dólares de republiquetas corruptas da África, tipo o Congro-Brazzaville, Tanzânia, Zâmbia, Senegal, Gabão, Sudão, Guiné Bissau. Justificativa: incrementar as relações comerciais e de negócios internacionais. No meio desses “negócios” estavam a Odes a Brecht. Não dá para ter bons sentimentos com essa gente.

Por conta de corrupção, a Petrobras tornou-se a petrolífera mais endividada do mundo. A vermelhidão é de 506 bilhões, até o final de 2015, segundo publicação do site G1 –Economia. O nome desse legado é o que: crime de responsabilidade fiscal, lesa-pátria, pedaladas de Caloi, golpe, opção pelos pobres, avanços sociais? 

Cometeram lesões corporais contra a Pátria amada. Nosso País está esfolado, ensanguentado, esculachado, estropiado, amargurado.  
Os mamíferos do cordão encarnado dirão que não inventaram a corrupção no Brazil. É verdade. As glândulas mamárias do BNDES, das estatais, dos fundos de previdência foram implantadas fibra por fibra, feito coração de mãe.  

Os carcarás, sapos e serpentes vermelhas tiveram o grande mérito de dar um “up grade” nessas glândulas mamárias da corrupção no coração do poder, no coração do Brazil. Até hoje, ou até ontem, ou trasanteontem, ninguém foi mais competente que os vermelhos em matéria de corrupção na história nesta República de bananas, banqueiros, empreiteiros, pixulecos e lavandarias de dólar.

Ó Pátria amada, mãe gentil, verás que 40 mil ou 50 mil filhos teus morrem a cada ano de susto, de bala ou vício em nossa guerrilha urbana, enquanto os insetos vermelhos que comandavam o poder faziam doações e empréstimos generosos ao governo delinquente e exportador de drogas da Bolívia e o índio cocalero expropriava instalações da Petrobrás.

E os terroristas narcotraficantes das farc eram tratados como revolucionários por figuras execráveis de conselheiros para assuntos internacionais. Não dá para perdoar um governo (ou ex-governo) que mantinha afinidades eletivas e afetivas com os ditadores tiranos e assassinos comunistas de Cuba, da Venezuela e da Bolívia.

Crianças e jovens Matusaléns não verás País como este! Nosso céu tem mais estrelas, nossos bosques têm mais flores, nossas tetas têm mais caboclos mamadores, nossos caboclos mamadores são mais gentis.   
Mas, por favor, a mala já está lá fora. É tempo de sofrência para as cascavéis, jararacas, sapos e mosquitas, os insetos todos da fauna vermelha. Bye-bye, mundiça do cordão encarnado!

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

josé arnaldo amaral

Nunca nestas paragens leoninas do Norte - onde vicejaram Bernardo Vieira de Melo, Frei Caneca, Joaquim Nabuco, Gylberto Freyre, Agamenon Magalhães, Cid Sampaio e demais da estirpe democrata-cristã desses heróis -, alguém escreveu, e enfrentou, com tanta precisão e saborosíssimo humor, sobre as garras vermelhas da comunistada contemporânea e seus hediondos crimes contra este sacrossanto Patropi como vc, ò senhor da Ribeirolândia. Longa vida e muita inspiração para vc!, para egoístico deleite do imerecido súdito desde priscas eras. PAZ E BEM !



09/05


2016

Assim e assado se passaram 13 anos!

RIBEIROLÂNDIA – Assim e assado se passaram 13 anos. Foi quando a mundiça vermelha começou a dominar o Brazil. Uma marmota barbada, semiletrado, reprovado na escola do ABC, voz de taboca rachada, ex-trabalhador que não trabalhava, ex-operário que não operava, subitamente, não mais que subitamente, fascinou os subintelectuais de barba de bode, os fradezinhos da zoologia da libertação, os sociólogos sem tigela – e lá vai o sapo vermelho conquistando as multidões e subindo a rampa do Palácio do Planalto.   
Nasceu uma estrela. O Brazil estava carente de afetos e de mitos.

E 13 anos não são 13 noites.  São três governos e meio e uma trezena de danações no lombo do Brazil.
Triste do País de 200 milhões de almas que se deixa dominar por um falso mito ignorante e despreparado – a prática é o critério da verdade, segundo o princípio dialético --, pelo partido mais sujo da história e pela presidente mais incompetente da trajetória da República, eles que levaram a economia à ruína e recessão com 11 milhões de desempregados. As elites do Brazil não fazem jus ao nome nem aos sobrenomes.

Lá vai de novo o mantra marxista (“18 Brumário de Napoleão”): “Não se perdoa uma nação ou uma mulher que se deixa arrebatar pelo primeiro aventureiro que apareça”.   

Carente de afetos, o Brazil se deixou empolgar por uma cantiga contagiante – “Lula lá, brilha uma estrela; Lula lá, cresce a esperança”. A cantiga funcionou mais que mil discursos e milhões de dólares dos marqueteiros. O compositor que cometeu essa música, de nome Hilton Acioli, sumiu, ninguém sabe, ninguém viu. Feito o inventor da pólvora, Alfredo Nobel, não imaginava que sua invenção seria tão má utilizada pela humanidade. 

(Eu repito: meu Brazil é com Z porque eu sou um conservador revolucionário. Nasci nos tempos de Dão Pedro I. Quando eu crescer e for eleito imortal da Academia Brasileira de Letras, vou mudar essa regrazinha de que o S entre duas vogais tem o som de Z. Entonces, eu vou direto no Z, sem intermediário. Espero contar com o apoio dos imortais da APL, inclusive meu guru o Doutor Fox, um revolucionário criacionista-evolucionista, temente a Zeus e às jararacas vermelhas)

“É o bicho, é o bicho, vou te devorar, crocodilo eu sou”, diz uma cantiga. Assim nasceu o mito dos crocodilos, dos sapos, das lacraias, das catraias, das cascavéis e jararacas vermelhas.Nesses 13 anos quantos pixulecos rolaram, quanto caboclos mamadores mamaram nas tetas das vacas vermelhas profanas do BNDES!

Dizem que nos governos do cordão encarnado mais de 30 milhões foram resgatados da linha da pobreza. Deve ser dito milhões de vezes: é falsidade. Quem redimiu milhões de pobres foi a estabilidade monetária advinda do Plano Real, enquanto durou. O sapo vermelho redimiu para si mesmo milhões de denários ao produzir as Odes a Brecht, na Venezuela, na Bolívia, nas republiquetas africanas.        

Os beletristas vermelhos falam, com amor febril, que o ódio não constrói. Que onda é essa? Quem inventou o ódio? Quem dissemina o ódio são os novos bárbaros do MST. Aquela sociologazinha do grelo duro grunhiu: “Eu odeio a classe média”. Tá lembrado, beletrista? Eu odeio aquela sacripanta.

Lembro do velhinho Ulysses Guimarães quando dizia: “Tenho ódio à ditadura, ódio e nojo”. Também era politicamente correto dizer que não devemos perder a capacidade de nos indignar, de nos indignar contra a corrupção e os corruptos, de nos indignar contra a república da cleptocracia.

Vai-te, mulher jararaca! Leva contigo teus maus agouros. Adeus!

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/05


2016

Loucos ou vigaristas?

Por Márcio Accioly

Conta-se que velho médico psiquiatra de importante sanatório morreu e foi substituído por um profissional bem mais novo que pretendia se dedicar com afinco às reivindicações e reclamos de pacientes sob seus cuidados. No primeiro dia em que chegou para assumir, ele foi saudado por um sujeito bem vestido e falante que começou a relatar com detalhes todo o funcionamento do hospital e suas instalações.

Impressionado com a riqueza das informações oferecidas, o novo médico perguntou ao cicerone há quanto tempo ele era funcionário do sanatório e se surpreendeu ao descobrir ser ele apenas mais um dos internos. O novo médico quis saber, então, o que o prendia àquela unidade.

“-Briga de família. Fui colocado aqui, praticamente à força, por conta de herança que me pretendem tomar”.

O médico se interessou pelo caso e garantiu que iria fazer o possível para resolvê-lo. Mais tarde, ao se despedir do paciente, quando chegava ao alto portão de ferro da saída, recebeu violenta tijolada nas costas que quase o derrubou. Ao se virar, enxergou ao longe o rapaz que o ajudara durante quase o dia inteiro e o ouviu gritar:

“-Doutor, muito obrigado por tudo. Isso aí é para o senhor nunca esquecer do meu caso”.

A história nos faz lembrar o comportamento da família Gomes, cuja expressão maior se materializa nos irmãos Cid e Ciro, ex-governadores do Ceará. Recentemente, em “palestra” que fez no estado, Cid Gomes afirmou que “o ministro (STF) Teori Zavascki é corno, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, é ladrão e o juiz federal Sérgio Moro é picareta”, se ele (Cid) estiver envolvido na Operação Lava Jato.

Já Ciro Gomes, que inclusive foi candidato à Presidência da República, garante em vídeo que circula pela internet que o vice-presidente Michel Temer não passa de “um conspirador filho da puta”. Quase todo mundo para Ciro Gomes é “filho da puta”. Basta discordar de suas posições de momento. Porque ele tanto pode elogiar como destratar o mesmo personagem em questão de horas.

Antes de ser convidado pela presidente Dilma Rousseff para ser espécie de assessor informal de seu governo, Ciro Gomes desmontou a sua capacidade gerencial (numa das poucas vezes em que acertou o alvo), tendo assegurado ainda, aos berros, a grupo que protestava na porta de seu prédio, que “Lula é um merda!”

Quem se dispuser a procurar no YouTube, os vídeos protagonizados por Ciro Gomes e o seu irmão, ficará maravilhado com o desempenho das duas figuras. Quando governador do Ceará, Cid Gomes foi acusado de ter fretado jatinho com dinheiro daquele sofrido estado para passear na Europa em companhia de toda a família e sua sogra. Mas os dois estão sempre pregando moralidade e austeridade.

Certa feita, numa entrevista que concedia a um dos programas da TV Globo no Ceará, Ciro estava discorrendo sobre medidas indispensáveis para mudar os padrões de comportamento da sociedade em geral, quando se saiu com a seguinte pérola:

“-Fortaleza, hoje, é um puteiro a céu aberto.”

Os irmãos são imprevisíveis, capazes de iludir inúmeros incautos. Começam devagarzinho, estendem os seus tentáculos até envolver a plateia e vão deixando a todos desnorteados com o fecho de suas preleções O problema é que, com a internet, não somente eles, mas muitos dos que aí se encontram vão se mostrando previsíveis nulidades. Por isso que se deseja controlar a rede de computadores, antes que sejam desnudados.

Ciro Gomes e Cid Gomes, assim como parcela considerável dos que vivem mamando nos cofres públicos, adoram dar tijoladas nas costas dos contribuintes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

CARLOS HENRIQUE ROSA DE SOUZA

Querido, Accioly: Nesse particular Ciro tem inteira razão, isto é, Fortaleza se assemelha a um puteiro a céu aberto. Portanto, fica todo mundo colocando panos quentes na questão da prostituição. Ele foi incisivo e falou a verdade. Não critico Ciro nesse aspecto.

Cláudio Carlos da Cruz Plácido

Meu querido Márcio Accioly, O país hoje precisa de um grande líder que consiga tirar esta ENORME crise que dura mais de um ano, com sérias consequências e odiosas reações. Você, como grande jornalista que foi na Globo Nordeste e atualmente o é na CD, tem sensibilidade suficiente para indicar um cidadão que assuma esse compromisso com o Brasil.



02/05


2016

Lá vem o Impichi. Vrum! Vrum!

Por Adalbertovsky, Marquês da Ribeirolândia

RIBEIROLÂNDIA – Vrum! Vrum! Começou a contagem regressiva para o desembarque da fauna vermelha. A cascavel, a jararaca, o sapo barbado, a caterva vermelha, as lacraias e as catraias do cordão encarnado estão descendo a ladeira.

Despressurizem a cabine para a aterrisagem. 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1  ........... zil-zil!  Lá vem a mundiça descendo a ladeira.

Os carcarás, hienas, cascavéis, lacraias, catraias, caboclos mamadores e mulheres de grelo duro, no dizer do sapo barbado, recolhem seus pertences e limpam as gavetas para o desembarque.

Golpe constitucional? Que bicho é esse? Seria uma espécie de jabuticaba vermelha. Uma jabuticaba “golpista” cumpridora de todos os rituais da Suprema Corte e do Congresso Nacional?! Seria tipo uma goiabada de banana, uma feijoada à milanesa, um samba do crioulo das arábias. Que tal uma macarronada de cuscuz?! Um cajueiro que dá coco?! “Golpe constitucional” é contradição em termos. 

Eu perguntei ao cientista político The Gaulle: Haverá um golpe constitucionalissimamente? Ele respondeu: Acontece na Terra do Nunca, em Neverland, quando Peter Pan virar Matusalém. Se é golpe não é constitucional. Se é constitucional não é golpe.

Misturar jacaré e cobra d’água é uma tese muito séria, segundo o cientista The Gaulle.

Eu sou um bicho-grilo da gema, nascido na Montanha da Borborema. Meu ídolo é Michael Jackson do Pandeiro.

Não existe pecado na república das jabuticabas vermelhas. Todos os pecados foram revogados pelo sumo patife do cordão encarnado. As jabuticabas olharam-se diante dos espelhos: dizei-me espelho meu, espelho teu, espelho da mãe de pantanha: existe alguma alma viva, ou semiviva, ou vivaldina, mais ou menos ética, mais ou menos séria, mais ou menos sóbria do que a patota do cordão encarnado, do que a corriola da caterva vermelha, do que a galera dos caboclos mamadores?

Jamais. Nem os ectoplasmas. Nem os plasmas. Nem as almas mortas. Nem os donos de sítios de Atibaia.

Ó Zeus dos céus, se a mulher jararaca é tão inocente quanto as jabuticabas vermelhas, se é tão bondosa, caridosa e misericordiosa feita a Madre Tereza de Guaratinguetá, por que querem a cabeça dela no Impichi? Estão pedindo cabeça, tronco e membros, a carcaça toda.

Salomé, uma dançarina, rainha malvada, pediu ao rei Herodes a cabeça do santo homem João Batista, um preso político, por ser ele desafeto do trono. Os cronistas sociais da época e da IstoÉ contam que o rei, militante da esquerda, havia degustado uma periguete depois de se divorciar da mulher, uma criatura bela, recatada e do lar. João Batista, um cara moralista, criticou o rei e assim contraiu a ira de Salomé e da mãe dela, uma namoradeira.

Hoje as fêmeas da Brasília são criaturas não tão belas, e sim recatadas e do lar. A rainha das periguetes, primeira-dama pornô do turismo, dança na boquinha da garrafa na Esplanada dos Monastérios e dos Ministérios. O ministro pornô assiste à cena babando na gravata.

Mas, isso é o de menos. Deixa o casal rebolar e babar à vontade.  A dança pornô é na boquinha dos cofres públicos. 

O trono do poder está se desmilinguindo no Brazil. Os ratos roeram os cofres da Petrobras e das estatais. Estraçalharam as contas públicas. Jogaram 11 milhões de brasileiros nos precipícios do desemprego. Lançaram o País nos pantanais mais profundos da corrupção e da recessão desde os primórdios da República.

O patrimônio ético virou patrimônio diurético. Cometeram pecados de lesa-pátria. E ainda dizem que não existem crimes de responsabilidade.

As uvas estão verdes. As jabuticabas vermelhas também estão verdes. Verde que te quero verde! Lá vem o Impichi! Zil-zil!

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/04


2016

Michel Temer e o mar vermelho

RIBEIROLÂNDIA – Sequestraram o Brazil. Nosso País está imobilizado com uma faca no pescoço, no canto da parede, sob ameaça de ser esfolado, barbarizado, ainda mais maltratado. Quem sequestrou o Brazil? Foram os peles vermelhas, as cabeças vermelhas, os corações vermelhos, ultravermelhos, infravermelhos.    

Os babões ou desinformados insistem em dizer que não houve crime de responsabilidade. Mais que isso, houve crimes de lesa-pátria. Foram bilhões concedidos de lábios beijados às ditaduras corruptas da Bolívia, Venezuela, Cuba, republiquetas africanas dominadas por tiranos sanguinários, e mais o compadrio do cordão encarnado.

Houve 54 milhões de votos vitoriosos? Tudo bem. Também foram 51 milhões de votos para um tal de Aécio, 30 milhões de abstenções, 5,2 milhões de nulos e 1,9 milhão de nulos. Os não vitoriosos somam 88 milhões de votinhos. Pintou dinheiro sujo do Petrolão e o marqueteiro vitorioso tá na cadeia. Que tal?  

A costela do mordomo Michel, Marcela Temer, é motivo de sarcasmo por ter sido chamada pela revista Veja de “bela, recatada e do lar”. Qual o pecado? As serpentes vermelhas preferem as mocreias e as “mulheres do grelo duro”, no dizer do sapo barbado. Para bajular o sapo, a deputadinha Maria Rosário disse que esta é uma expressão carinhosa usada no Nordeste para falar das mulheres valentes. Mentira. É a briga das aranhas.  O deputadinho Wilys, que anda de marcha à ré, também concorda com Rosário.

Quando eu crescer eu queria ter uma madona bela, recatada e do lar para me fazer cafuné, a gente deitar e rolar. Ofereço casa, comida, uma máquina Brastemp seminova e um cartão do crediário Tentação. Zeus me livre das mocreias e das jararacas vermelhas!
Além dos encantos de Marcela, Michel Temer terá diante de si um mar vermelho de recessão, dívidas públicas de 2,7 trilhões, 10 milhões de desempregados, gatunagem nas estatais e nos fundos de previdência, assaltos aos trens pagadores da Petrobras, a bagaceira herdada da camarilha do cordão encarnado. Haverá de enfrentar muitas tormentas para fazer a travessia do mar vermelho. 

O mar vermelho de Brasília é um oceano não pacífico. Está infestado de cobras criadas, cobra malcriadas, jararacas, cascavéis, sapos barbados, caboclos mamadores, escorpiões, carcarás, sanguessugas.  A dívida pública de trilhões de reais é um sorvedouro das riquezas nacionais. Somos todos credores e devedores de nós mesmos através do sistema financeiro nacional. O BNDES é uma caixa preta de Pandora com todas as maldições.  

Nos impérios capitalistas essas dívidas públicas foram construídas para nunca serem pagas, no Brazil, nos States, no Japão, na Itália, na Europa, França na Baía de todos os santos e todos os pecadores e na Baia da Guanabara e na Parahyba.Um dia, se Zeus quiser, eu serei eleito imortal da Academia Brasileira de Letras para fazer uma revolução na língua brasileira.  

Também quero ser eleito imortal da Academia Pernambucana de Letras. Mas, só aceito se for por unanimidade ou aclamação, inclusive com o voto do Doutor Fox e daquele menino subversivo da república do Boi Pintado, missionário do paraíso comunista. Também reivindico que os imortais tenham direito a isenção do IPTU e vaga exclusiva nos estacionamentos da cidade. Do contrário, muito obrigado, não quero ser eleito imortal, nem morto.

O imortal subversivo, aliás, me chamou de reaça, lacaio do imperialismo ianque, e me desafiou para um duelo de foice na Praça Vermelha do Marco Zero. O bicho ficou irado porque eu disse que não acredito no paraíso comunista. Só acredito no touro da bolsa de Valores de New York. Ele jurou que eu serei fuzilado quando houver uma revolução bolchevique no Brazil. Fiquei tremendo de medo. Ainda hoje estou tremendo. Tai o Doutor Foz que não me deixa mentir.

* Jornalista

[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha