FMO

11/09


2017

O olho vermelho do furacão

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Em decisão inédita na Imprensa nacional, o jornal Extra, do Rio de Janeiro, criou a Editoria de Guerra para noticiar os morticínios de todos os santos dias. A sociedade brasileira está doente de convulsões, vulcões, terremotos, furacões Irmas, homicídios, latrocínios, infanticídios, estupros, barbaridades. O Brazil padece de surtos, epidemias e pandemias de violência. Degradaram nossas terras auriverdes.  

Herança da escravatura, o vírus da violência está incrustado nos canaviais pernambucanos e nas raízes dos altos coqueiros. Legado de Eduardo Campos para o governador Paulo Câmara, o Pacto pela Vida fracassou? A violência de cada dia deriva de nossa nefasta herança cultural e não tem Mandrake, nem o Zorro, nem as Forças Armadas, nem Temer, nem Vladimir Putin, nem Donald Trump, nem a ONU que dê jeito, só Jesus Cristo poderia controlar.

Mas, se a delinquência está além dos limites, o gov Paulo Câmara deverá chamar o feito à ordem, fortalecer o sistema de segurança e cobrar a colaboração da Justiça em nome do clamor da opinião pública. Homem público correto e com sensibilidade social, o gov Paulo Câmara merece um crédito da população.

A Síria é aqui. Os vulcões estão aqui, está ali, estão acolá. Furacões são desequilíbrios da natureza. Fanatismos ideológicos são desequilíbrios cerebrais. À moda de um furacão, os camundongos vermelhos deixaram um rastro de recessão, devastações na economia e ruínas nas contas públicas. E ainda hoje espalham ondas de razões cínicas para jurar inocência e mostrar prepotência.    
O furacão Irma produz mortes e destruição no Caribe e na Flórida (EUA). Haverá ações solidárias internacionais e no médio prazo as tragédias deverão ser superadas. Na Venezuela um terremoto comunista chamado Chavez-Maduro provoca terror, devastações e tragédias humanitárias desde 1998 e 30 milhões de venezuelanos seguem sem perspectivas de salvação.   

A Madre Superiora falou que o brasileiro é um povinho ordeiro e pacífico, mas esqueceu de contar, uma por uma, mais de 50 mil mortes violentas que acontecem todos os santos anos. As criaturas ordeiras e pacíficas estão morrendo de susto, de bala ou vício. O Estatuto do Desarmamento é fantasia.

A sociedade brasileira tornou-se criminógena, procriadora de crimes. Ou se tornou criminógena e desumana nos três séculos de escravatura, ao flagelar negros no tronco. Ou desde os tempos da guerra com o Paraguai em tríplice aliança com a Argentina e Uruguai, quando 300 mil paraguaios maltrapilhos foram dizimados;  ou no final do Império e advento da República, quando os briosos soldados brasileiros massacraram e degolaram 20 mil jagunços famintos no arraial do beato Antônio Conselheiro!   

Depois do depoimento de Palocci o meliante mais notório do mensalão disse que preferia morrer e nunca rastejar perante a Justiça para não perder a dignidade que nunca teve. Indignidade é assaltar os cofres públicos. Roberto Jeferson prestou relevante serviço ao Brazil quando detonou as denúncias sobre o mensalão: “Ele não foi, não é nem será presidente da República”, proclamou em referência ao principal mentor do furacão comunista. Mas, ainda há tempestades vermelhas nos ares.        

Profeta Adalbertovsky
[email protected]    


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Agreste Central

20/11


2017

Os vulcões do coração do Brasil

Profeta Adalbertovsky

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Li recentemente nas folhas uma prospecção do geólogo Everardo Maciel de que o futuro governo terá a difícil missão de implementar as reformas necessárias para tirar o Brasil do atoleiro. Concordo em altíssimo grau, na enésima potência. Com a equação de Everardo, coração de leão, um dos profetas favoritos do meu planetário.

E vou além: o X do problema para os futuros e futuríssimos governos será desvendar as raízes quadradas, as raízes triangulares e as raízes mal-assombradas do Brasil. Talvez, quem sabe, em 2058, 2072, haja um presidente raçudo, da raça dos estadistas, para fazer reformas de rochedo neste País, mais que reformas de meias tigelas.

As incógnitas estão nos vulcões, nas areias movediças, nos pântanos e nas cavernas do coração do Brasil. Os vulcões verdes-amarelos estão em erupção e são mais ativos que o Vesúvio.

No dicionário da filosofia, ou das religiões, existe a definição das “grandes almas”. O Mahatma Gandhi foi uma grande alma para os indianos porque conseguiu libertar a grande Nação do Império britânico em 1947, na paz e amor, sem violência. Mas, ainda hoje 500 milhões de indianos vivem na indigência, na base de orações e sonham com o nirvana celestial. Na Índia cabem dois Brasis de indigentes.

O general Charles De Gaulle foi o herói da França depois da Segunda Guerra e mentor da 5ª. República da década de 1960. O primeiro-ministro Winston Churchill foi o maior estadista da Inglaterra no pós-guerra e reconstrução da Europa nos anos 1950. Konrad Adenauer foi o reconstrutor da Alemanha destroçada pelos nazistas.

O presidente Franklin Delano Roosevelt liderou o New Deal (Novo Tratado) para implementar programas e realizar investimentos no objetivo de recuperação econômica dos Estados Unidos depois da “Grande Depressão” de 1929.  

Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek se aproximaram ou alcançaram a dimensão de estadistas. Nesta última década um charlatão farsante e sua mundiça vermelha degradaram nosso País, produziram a maior recessão da República e deixaram um legado de mais de 10 milhões de desempregados. Virou um zumbi, está nu e hoje faz a pregação do cinismo. 

Um passarinho muito sábio me contou que o ovo das serpentes do autoritarismo está chocando, na moita. São serpentes de todas as naturezas, neo-nazistóides, neo-stalinistas, neopopulistas. O ovo deletério pode eclodir nas estações eleitorais.  

Triste de um país em que Macunaíma, o herói de caráter zero, é eleito o paladino da República. Melancólico ainda mais é saber que existem legiões de devotos de Macunaíma.  

As serpentes vermelhas já destilaram o seu veneno. 

O marxista Trotsky preconizava a revolução permanente. Zaratustra, filho espiritual de Nietsche, o filósofo delirante, falava no eterno retorno. As reformazinhas no Brasil são conchamblanças eternas, conchavos permanentes, o eterno retorno das comilanças. 

A radicalização é um vulcão no coração verde-amarelo. Para desativar esses vulcões, o Brasil precisa de um líder raçudo, da raça dos estadistas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do Araripe

13/11


2017

Os baobás não mentem jamais

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Olhai os lírios dos campos! Olhai os baobás do Palácio do Campo das Princesas. Majestosos e imponentes, os baobás guardam na memória a invasão das tropas federais no Palácio do Governo dia 1º de abril de 1964 para depor o governador Miguel Arraes, eleito constitucionalissimamente.
Rock n’roll. As pedras e as águas rolaram. Preso e deposto, Arraes dançou a dança da solidão na Argélia. Pedras que rolam não criam limbo, diz a lenda, assim ele virou e em 1987 cantou a pedra da vitória na volta triunfal do exílio. “Ele está voltando pela porta que saiu”, dizia a cantiga dos baobás.
Subitamente, não mais que subitamente, a Polícia Federal deflagra a Operação Torrentes na Casa Militar do Governo do Estado e cruza os degraus do Palácio do Campos das Princesas.
Conversei pessoalmente com um baobá centenário da Praça da República de quem sou amigo do peito desde o tempo dos dinossauros.
O baobá me contou que a Operação Torrentes da Polícia Federal foi deflagrada para investigar irregularidades em projetos executados por ex-comandantes e em busca de manchas de corrupção.  
Seja dito com todas as letras que o governador Paulo Câmara não está sendo objeto de investigação na operação da PF. Mas, convém ficar atento a manipulações de traíras oposicionistas movidos por interesses eleitoreiros. Os traíras estão decalcando as imagens da operação da PF para serem usadas nos programas eleitorais. 
O caso eu conto como foi o caso que deu origem à Operação Torrentes da PF. Em 2010, inundações do Rio Una provocaram devastações em Palmares e cidades da Mata Sul, destruição de moradias, pontes e plantações.  As populações ficaram ainda mais pobres. Os prejuízos foram e continuam irreparáveis.
Houve um clamor na opinião pública para o Governo Federal destinar recursos destinados à reconstrução das cidades e construção de cinco barragens.
Desde o Governo Dilma choveram fortunas para o Governo do Estado executar projetos estruturadores e obras emergenciais. Até agora somente a Barragem de Serro Azul foi construída. Faltam outras quatro barragens. Nos casos de calamidades públicas são disponibilizados recursos para serem utilizados sem licitações.
Nesse capítulo, sobretudo, aconteceram os superfaturamentos, desvios, malversações. Difícil, quase impossível calcular números fantasmas, mas as estimativas giram em torno de assombrações em cima dos 450 milhões de denários azuis e brancos e verdes-amarelos.   
Tendo havido ou não pirotecnia, hay que desvendar os véus das assombrações em torno das fortunas evaporadas e que eram destinadas a aliviar a penúria dos desvalidos da Zona da Mata.   
A Defensora Pública, Tereza Joacy, com a sensibilidade de lidar com o público carente e o saber de experiência feito, recomenda: “Com todo respeito que merece o governador Paulo Câmara, seria oportuno que ele fosse até as cidades que foram vitimadas, conversar com as pessoas, notadamente as mais sofridas, que precisam ouvir da parte do governo explicações sobre o que está acontecendo”. Estas são palavras de bom senso e equilíbrio.   

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Agreste Central

06/11


2017

O sinhozinho Temer e escrava Luislinda

MONTANHAS DA JAQUEIRA -  A ministrazinha sobrevivente dos Direitos Humanos, uma criatura quase Linda, Luislinda Valois, foi indicada para o cargo por seus protetores solares do PSDB, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, da Bahia, e o abominável homem das Neves, de Minas Gerais. Nada de mérito pessoal. Entonces, tá explicado.  Despudorada, ela protestou que ganhar um salário de apenas 31 mil denários como ministra, além das mordomias de carro, comida e roupa lavada, se assemelha a trabalho escravo. O presidente Michel Temer seria portanto um escravocrata malvado, além de golpista, no dizer da mundiça vermelha. 

A Lei Áurea, assinada pela Princesa Regente Isabel em 1888, nunca entrou em vigor, segundo a ministrazinha de meia tigela.   
Mesmo assim, contentou-se em continuar na senzala do Ministério dos Direitos Humanos, ganhando uma ninharia, apenas por amor febril ao Brazil. Eis uma revelação terrível: a Esplanada dos Ministérios abriga imensas senzalas e o Palácio do Planalto é uma casa grande ocupada pelo sinhozinho Michel e a sinhazinha Marcela.   

Se Michel Temer fosse um presidente rochedo, diria: senhora da cabeleira punk, você está demitida. Vá cuidar das suas tranças e dos seus babados na terra de todos os santos e de quase todos os pecados. Mas, o cara é um bananão. Faz um governozinho de meia sola. Qual o legado dessa criatura exótica para a sociedade brasileira? Zero. Apenas faz parte das conchamblanças partidárias.
Existe o decoro pessoal. O decoro parlamentar. O decoro executivo. O decoro presidencial. A mulher zombou da consciência crítica nacional. Feriu o decoro dos direitos humanos. Luislinda, o ridículo começa no nome. Deveria desfilar a cabeleira exótica nos festivais de música punk. 

Debaixo dos caracóis daqueles cabelos, revela-se uma ambição monetária incompatível com o decoro do cargo.
Para que serve o Ministério dos Direitos Humanos, da apologia gay e da segregação racial? Para financiar o new look das cabeleiras regae, as exposições pornôs de nudismo e os caboclos mamadores da Lei Rouanet. Temer foi nascido e amamentado nas docas do Porto de Santos, um criatório de raposas e carcarás. Não por acaso tornou-se parceiro dos sapos e das hienas vermelhas, por suas afinidades com a fauna dos predadores. Usa sapatos Fox, o pisante das raposas. Nunca calçou as sandálias da humildade.  

O marido de Marcela, bela e recatada, está com infecção urinária. Precisa fazer uma meia sola.  Este é o País da meia sola e do jeitinho.  O governozinho de Michel Temer tem a alma de sapateiro, nasceu para fazer meia sola nas reformas institucionais e distribuir gorjetas com os parlamentares. Pronto. Falei.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


30/10


2017

A última flor do Jarro

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O Brazil será pacificado na boca das urnas em 2018? Perguntei a um dromedário. Depende do que for emprenhado na boca e nas entranhas das urnas. Que mistérios essas cavernas nos reservam? Sapos, lobisomens,  assombrações, vampiros? O destino a Zeus pertence, e aos abismos das urnas também. As bocas das urnas são abismos insondáveis. 
A mitológica Caixa de Pandora, ou Jarro de Pandora, continha  todas as danações de humanidade. E no final existia o dom da esperança, a flor da esperança nas mãos de Pandora, a primeira mulher criada por Zeus.
As urnas são os Jarros de Pandora do Brazil. 

O que nos reservam os Jarros de Pandora em 2018 e nos horizontes do tempo? Nos dias sombrios do passado e do presente os jarros revelaram para o Brazil patifarias mil, roubalheiras, desilusões, falsidades, malquerenças e desamores. Caim matou Abel com arma de destruição em massa fornecida pela indústria bélica. E a maldição continua até hoje. Zeus me perdoe, mas esse caso de Caim foi um péssimo exemplo para a humanidade. Caim é o patrono da indústria bélica, que financiai guerras e destruições neste mundo de Zeus. 

Na era pré-dinastia vermelha a ladroagem era medida em kB – quilobytes, quilos de corrupção. A corrupção evolui com a velocidade da luz. Os meliantes passaram a produzir arrobas de corrupção, transportadas em caminhões e carretas. Os ladrões pés-de-chinelo morreram humilhados. Saudades dos ladrões de penosas de antigamente. Hoje os bandoleiros roubam frigoríficos inteiros, com as mãos bobas nos mealheiros do BNDES.

Os neurônios de silício dos computadores calculam a corrupção moderna na casa dos Gigas, bilhões, nas minas de ouro das estatais.
 Lépidos e fagueiros, os meliantes dos tempos recentes colocaram nos bolsos das cuecas uma refinaria de 1 bilhão de dólares tipo Pasadena. E quem reclamasse seria chamado de golpista. A corrupção passou a ser transportada em contêineres e petroleiros. Usinas nucleares geram gigawatts de corrupção atômica.          

Desvalidos da vida, os crentes do beato Conselheiro sonhavam com rios de leite e montanhas de cuscuz. Líder de uma seita maldita e pregador do Apocalipse, o satânico Jim Jones levou mais de 900 alucinados ao “suicídio revolucionário” em 1978 na Guiana Inglesa.      Depois de arruinar a economia e degradar o Brazil, o guru da seita vermelha no Brazil, semianalfabeto, demagogo e farsante, tripudia sobre a consciência nacional e ameaça transformar o Brazil no reino da insanidade. Seria a falência moral do País, sob o domínio de um zumbi nu e desmascarado.

“O cravo ficou doente, a rosa foi visitar, o cravo teve um desmaio, a rosa pôs-se a chorar. O cravo brigou com a rosa, debaixo de uma sacada, o cravo saiu ferido, e a rosa despedaçada”. Os corações do Brasil estão despedaçados. Além das danações, a esperança é a última flor no Jarro de Pandora. Zeus nos proteja!

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Versão Sertão do Moxotó

23/10


2017

Afasta de mim este cálice!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – A ideologia de gênero veio de longe. Na década de 1960 uma criatura chamada Simone de Beauvoir fez uma descoberta revolucionária: “Ninguém nasce mulher, faz-se mulher”. Por analogia, a teoria Beauvoir também pode ser lida assim: ninguém nasce homem. Faz-se homem. Úteros, próstatas, ovários, genitálias masculina e feminina, cromossomos X e Y são apenas peças biológicas descartáveis tipo  acessórios de automóveis, fabricadas nos laboratórios das novelas de televisão e vendidas nos armazéns de secos e molhados. Os artistas da moda trocam de genitália a cada temporada de novelas. 

A teoria Beauvoir provocou uma explosão artística e cultural no mundo politicamente correto da Europa. As feministas fizeram fogueiras de sutiãs e calcinhas para celebrar a descoberta revolucionaria. Os marmanjos rasparam os bigodes, botaram batom nos beiços, requebraram os quadris e queimaram as cuecas. Somos todos Simone, disseram os machos de Paris vestindo saiotes.
Fumando charutos cubanos à moda de Fidel Castro, Simone desfilou de cuecas pelas ruas de Paris para provar que era uma fêmea muito prafrentex, como se dizia.

A tese de Beauvoir atingiu o apogeu no Brazil nestes tempinhos politicamente corretos. Santa ignorância, durante séculos e milênios as pessoas acreditavam na existência de machos e fêmeas de nascença. Qual o sexo desta criatura, os ignorantes perguntam e os intelectuais progressistas respondem: Que pergunta mais reacionária! Ela é que vai decidir no futuro, depois de acompanhar a novela das 9, desfilar nas paradas gays e participar de manifestações de protesto contra o capitalismo.     

A ideologia de gênero demorou meio século para chegar ao universo comunista, via os filósofos pós-marxistas Antonio Gramsci e Herbert Marcuse. Na década de 1960 o regime comunista de Cuba era regido pela ideologia do “paredon”. O machão Che Guevara decretou: “Hay que fuzilar los maricones, pero sem perder la ternura jamais”. Ele próprio fuzilava as bichinhas imperialistas com sua pistola. “Hasta la vista, maricones imperialistas!”. E dizia baixinho: “Eu te amo, meu amo Fidel!”. Pense num bofe malvado! Esse papo de fuzilar com ternura é coisa de maricone. O bofe Guevara nunca me enganou. Vivia beijando as barbas vermelhas de Fidel, o que Freud explica. 

Hoje o movimento gay em Cuba é liderado por uma filha do ditador Raul Castro e sobrinha de Fidel, sexóloga Mariela Castro. Faz parte da vingança contra o bofe Guevara e seu amo Fidel. Marx citava a religião como ópio do povo. Deixou de ser ópio quando aderiu ao catecismo marxista. Dissimular a pedofilia, cometer sacrilégios contra os símbolos religiosos incrementar a ideologia de gênero são os novos ópios vermelhos. 

Os rebeldes sociais foram incorporados por Gramsci e Herbert Marcuse como fermento revolucionário. Vem daí a diversidade sexual para dissolver a estrutura familiar considerada reacionária.
Aba, Pai amoroso, afasta de mim este cálice, disse o Cordeiro de Zeus ao Pai Celestial.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do Ipojuca

16/10


2017

O Brazil não está no gibi

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Alô-alô damas e cavalheiros! Retirem as crianças da sala. Vou ler agora alguns trechos do Manifesto Comunista. Contém teores altamente perniciosos. Alô som! O Manifesto Comunista é um documento obsceno lançado recentemente, em 1848, e continua atualíssimo. Os autores são Karl Marx e Friedrich Engels, os padroeiros da seita da caterva vermelha internacional. Marx era um parasita social. Vivia basicamente às custas da herança do pai capitalista e depois ele e a família foram sustentados por Engels, que por sua vez sugava o dinheiro do pai industrial. Tinha alergia ao trabalho e com suas barbas imensas alimentava uma multidão de piolhos.

Vamos ao Manifesto: “A história de todas as sociedades que já existiram é a história da luta de classes”. O motor da história, na dialética marxista, é o conflito, diálogo zero, ou mínimo minimorum. Bem coerente com a atual situação do Brazil. O ultramarxista Trotsky falava em “revolução permanente”. O Brazil está em convulsão permanente, degradação permanente. Mundiça vermelha, MST, protestos, temperatura máxima dos conflitos: os piolhos das barbas marxistas reinam felizes. 

O sonho de consumo da caterva vermelha é um conflito permanente tipo Venezuela. O des-encarnado Marco Aurelio Garcia chamava de “democracia vibrante”. O ectoplasma dele hoje está vibrando com os fluidos malévolos de Hugo Chavez. “Um fantasma ronda a Europa: o fantasma do comunismo”, diz o Manifesto. Rondava naquela época. Em 1917 os bolcheviques tomaram o poder na antiga União Soviética e assassinaram 20 milhões de criaturas. Os genocídios e expurgos da era stalinista causaram mais de 30 milhões de mortes por fuzilamento, fome e tortura. Zumbis diabólicos, Marx e Stalin continuam vivos no coração da caterva vermelha. Taí o energúmeno Maduro na Venezuela que não me deixa mentir.

O Muro de Berlim, construído em 1961, símbolo do comunismo,  foi uma das ideias mais sórdidas já concebidas pela mente humana. 
O comunismo fracassou na Europa. Aliás, o comunismo é a essência do fracasso. Agora eles querem recuperar na América Latina o que perderam no Leste Europeu. Lutam na Venezuela e Bolívia. O Brazil degradado e em convulsão também é campo de batalha.
Hoje nada mais obsoleto que luta armada. O pós-marxista italiano Antonio Gramsci preconizava a infiltração comunistas nas instituições para minar a sociedade capitalista. Funciona o papo-cabeça nas universidades, na mídia, nos meios artísticos.

“Tudo que é sólido se desmancha no ar e o que é sagrado se profana”, esta é a essência da dialética marxista. Os valores éticos e morais do Brazil são profanados pelos fanáticos da esquerda rotulados de progressistas. O comunismo agora é punk, é a onda pornô, a profanação dos símbolos religiosos, a apologia à pedofilia, a louvação dos grelos duros e das metamorfoses sexuais, sob o comando da mundiça vermelha, antes chamada de lúmpen proletariado. Os tambores entram em ritmo alucinante e os novos bárbaros  ensaiam a revolução do Brazil pelo avesso. As figurinhas do Brazil ainda não estão explicadas no gibi das revoluções. As figurinhas são um ponto fora da curva no horizonte do imponderável.   

Profeta Adalbertovsky
[email protected]     


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida

09/10


2017

Os reis do Brazil estão nus

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Ledíssimo, redondíssimo engano dizer que existe uma República Federativa do Brazil. A Monarquia imperial foi substituída pela Monarquia das Conchamblanças, do Jeitinho, dos cambalachos. As majestades desfilam no Altiplano Central, nos palácios, na Esplanada dos Ministérios e dos Monastérios, na Praça da Paz Celestial dos Três Poderes em Brasília, nas esquinas e nas cavernas do Brazil.

Minha terra tem palmeiras onda canta o sabiá ... minha terra tem palmeiras onde canta o carcará e onde cantava o sabiá. Minha terra, nossa terra, tem majestades, príncipes, princesas, nobrezas fidalguias e castas econômicas, sociais e culturais que mandam no coração do Brazil, noves fora os súditos da rafaméia e a plebe ignara.

A Monarquia do Brazil é uma jabuticaba auriverde. As majestades do Brazil transportam reis na região abdominal. Olhai os lírios dos campos, olhai a realiza dos príncipes nos palácios federais, estaduais e municipais! Os caboclos mamadores são os reis dos palácios nos distritos federais, estaduais e municipais.   

As carruagens das majestades são máquinas blindadas até os dentes e movidas a dinheiro público.
Os reis e princesas que desfilam no carnaval do Rio de Janeiro são entidades reais. Bicheiros, malandros, meliantes de muitas laias reinam como os novos imperadores do Brazil.

Dom Michel é um rei, o rei das conchamblanças com os príncipes e as princesas da Monarquia legislativa. É um rei bananão. Banana dá sustança, mas uma Monarquia de bananas comete o pecado anunciado por Camões: “Um fraco rei faz fraca a forte gente”.
Existem mais majestades no Brazil que em todo o reino da Grã-Bretanha e da Dinamarca.

A Rainha da Inglaterra usa chapéus floridos tipo carruagens. Atualmente com 195 anos de idade e em plena forma física, a simpática velhinha não governa mas reina com seus chapéus tipo carruagens para ler as noticias nos tabloides sobre a vida amorosa da nobreza britânica, com os nomes dos bisnetos, tataranetos e ancestrais desde os tempos da Rainha Victoria. O rei da corrupção vocês sabem quem é, ou quem era. Virou um zumbi. O zumbi vermelho está nu. A rainha da sucata era uma mandioca vermelha. Ganhou o Prêmio IgNobel de ciência por sua tese para estocar ventanias. O vento levou aquele traste.   

O rei está nu, diz uma fábula antiga. É verdade. Os reis do Brazil desfilam nuzinhos da silva e com as mãos nos sovacos. 
Dom Michel governa nuzinho da silva. Senhor Rei da Monarquia da Conchamblança mandou dizer: Todo mundo nu! Toda nudez será castigada, dizia Nelson Rodrigues, o profeta do óbvio. Não, toda nudez será perdoada.
Os reis, os príncipes e as princesas do Brazil estão nus porque são poderosos. “The winner take it all”, o vencedor pode tudo, diz a bela cantiga do conjunto Abba. Abba, o nome bíblico do pai amoroso.      

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde

02/10


2017

Barrabás ou Jesus? A maldição continua

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O furacão Palocci, com 13 graus de intensidade na escala vermelha, queimou as caravelas do cordão encarnado. O que restou na seita depois do furacão? Somente fanáticos, cegos, surdos, mudos e enfermos da lepra vermelha.
Jesus ou Barrabás? A maldição continua. Os servos de Barrabás hoje são exaltados como redentores dos pobres.
Existem os “humanos, demasiadamente humanos”, assim falava Zaratustra aos seus discípulos. À moda de Zaratustra, filho espiritual de Nietzsche, também existem os desumanos, demasiadamente desumanos, e os insanos, demasiadamente insanos.

Ao menos 10 por cento da humanidade desumana navega na faixa da insanidade. A mundiça vermelha navega nessas ondas insanas e desumanas. O guru da seita vermelha é um sapo insano, demasiadamente insano, demasiadamente farsante e demagogo.
Um Brazil cujo pensamento na mídia e nos meios universitários é dominado pela mundiça vermelha ... Um País que se deixa dominar durante 13 anos por um demagogo semianalfabeto e por uma mandioca vermelha demasiadamente despreparada e incompetente ...
As elites intelectuais, sociais e empresariais deste País não fazem jus ao nome. As multidões são bovinas, teúdas e manteúdas mantidas em cativeiro. O Brazil é uma pastagem. O povo agora é punk. Um gado da raça punk. Vida de gado, povo infeliz.  

Nas ondas insanas, a mundiça vermelha defende com amor febril exposições “artísticas” de apologia à pedofilia, zoofilia, profanação dos símbolos sagrados da Cristandade. Evento recente no Masp em São Paulo comprova que os pseudos libertários estão indo além dos limites na profanação dos valores morais e sociais, em nome da liberdade de expressão. São os novos demônios da garoa de São Paulo. Quem protesta é chamado de reacionário e fascista.

O cara tira a roupa, grita “Fora Temer”, assedia uma criança, balança os documentos, e diz que isto é “arte”.  Trotsky falava em revolução permanente. O Brazil está em convulsão permanente e não tem Gardenal que dê jeito. O Museu abriu suas portas para a performance de um pedófilo. Ministério Público, Ministério da Justiça, Juizado da Criança e do Adolescente, Estatutos ... o pedófilo não recebe um cascudo sequer de advertência. Não precisa ser moralista nem erudito para entender que essas ondas fazem parte da estratégia revolucionária gramsciana para injetar o veneno da ideologia marxista-leninista.

A mundiça é a nova classe revolucionária. A “revolução do proletariado” foi apagada do gibi das esquerdas radicais. No primeiro mundo desenvolvido falar em revolução socialista seria insanidade. Os devotos da zoologia de libertação marxista, amantes dos cadáveres comunistas, claro que são adeptos danações ultravermelhas.  Nenhum padre bofe, nenhum fradeco libânio, nenhum libertário Chico, nenhum Buarque, zero esquerda radical condena os novos bárbaros e os novos demônios da pedofilia. Esses pseudos artistas são muito valentes e libertários, mas não ousam profanar os símbolos muçulmanos. Se profanarem, vão para o inferno e a mundiça vermelha aplaude os extremistas. Saudades das cantigas inocentes dos “Demônios da Garoa”. Eles eram apenas anjos da garoa. 

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Garanhuns Natal Luz

25/09


2017

Brazil: a paz é uma miragem

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Mentiríssima dizer que a favela da Rocinha foi pacificada. A Rocinha e os roçados auriverdes continuam em guerra feroz. Tanques de guerra nas ruas, nos becos, nas ruelas, nos esconderijos, nos cortiços. Helicópteros sobrevoam os campos de batalha. Caveirões, camburões, metralhadoras, fuzis, escopetas, granadas, tiros, barricadas ... isto são ilusões das óticas.  
Mesmo preso e condenado a 45 anos de cadeia, o ex-governador do Rio de Janeiro deixou um legado de morticínios, de centenas ou milhares de cariocas nas indigências da vida. Cabral é um dos maiores facínoras da história do Brazil desde os tempos de Pedrálvares. 
 

Todíssimos os traficantes de meia tigela e de tigelas médias, os traficantes pés de chinelo serão fuzilados e presos na Rocinha. As bocas de fumo serão dizimadas. A blitzkrieg, operação de guerra, irá exterminar os inimigos e reinará a paz, dizem os senhores da guerra. Ledíssimo engano. A Rocinha é um campo minado. A favela Brazil decretou uma guerra feroz consigo mesma. A operação blitzkrieg de guerra neste Brazil não tem fim. O Cangaço é uma realidade atualíssima, da parte das milícias, volantes e bandoleiros de todas as laias. “Os Sertões”, livro-reportagem de Euclides da Cunha sobre a guerra de Canudos, para que foi escrito anteontem.

Os jagunços do Arraial de Antônio Conselheiro estão sendo trucidados todos os santos dias e profanos nos corredores dos hospitais, nas filas do SUS e do INSS. São oprimidos sem nas repartições públicas, nos gabinetes das autoridades, nas filas dos desempregados. O beato Antonio Conselheiro continua vivíssimo no coração do Brazil. Os historiadores mentem quando dizem que o cangaceiro Lampião está morto. Ele foi apenas degolado e esquartejado, mas sobreviveu ainda mais vivo.

Elvis vive, eu creio piamente. Desafio todos os legistas do mundo a provarem que Michael Jackson morreu de uma overdose do anestésico Propofol. E eu sou feliz ao ouvir a canção Happy, uma sinfonia de amor. Os jornais do planeta noticiaram que John Lennon morreu com um tiro no peito. Mil vezes mentira. Augusto dos Anjos, Luis Gonzaga, Pixinguinha, Cole Porter, Janis Joplin, nossos ídolos e nossas musas vivem na eternidade e estão viajando na luz das estrelas.   

Há décadas a violência e delinquência têm sido os dramas sociais dos governantes do Brazil e de Pernambuco. O governador Eduardo Campos avançou no desmonte dos grupos de extermínio. Agora o governador Paulo Câmara se defronta com a violência pulverizada, no varejo, nos índices de homicídios e assaltos, no tráfico de drogas e  crimes passionais, do jeito que o diabo gosta.  
No comparativo com o Rio de Janeiro em guerra civil, convulsões sociais em São Paulo, Espírito Santo, Maranhão e no oco do mundo, os bandeirinhas apresentaram o cartão amarelo de advertência sobre os níveis de criminalidade em Pernambuco.

A violência deitou raízes nesta terra dos altos coqueiros e de cana-de-açúcar desde os tempos da Colonização e da escravidão. A sociedade brasileira está doente e o ovo da serpente resiste até ao bombardeio de tanques de guerra. A cultura da paz ainda é apenas uma miragem.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/09


2017

A vida é um sutiã, meta o peitos!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Tipo seitas pós-apocalípticas, o Brazil assiste ao advento do fenômeno chamado de zumbis vermelhos.  Os zumbis se consideram acima dos mortais e mortadelas. Os zumbis vermelhos do Brazil reverenciam como guru espiritual um sapo, chamado carinhosamente de Sapo Safadão, aliás, Sapo Sapiens, guia genial dos bichos barbudos e da mundiça do cordão encarnado. Dizem que o Homo Sapiens é descendente do Sapo Sapiens.Um dos lances mais ousados, ou cínicos, dos zumbis vermelhos é a chamada ideologia de gênero. Eles revogaram os cromossomos genéticos que definem os machos e as fêmeas.

Todíssimas as criaturas, assim aprendemos no jardim das nossas infâncias, possuem um sexo de nascença, congênito, desde o primeiro beijo do espermatozoide e do óvulo nas entranhas da natureza feminina. Assim são fabricados os ovários, a próstata, o útero, as glândulas mamárias, as genitálias côncavas e convexas.

Os “revolucionários” da ideologia de gênero dizem que as criaturas nascem assexuadas, feito os vegetais. Só depois de ficarem taludos, de participar de manifestações de protesto, de promover exposições de arte pornô, só então poderão decidir se desejam ser um marmanjo do sexo masculino, um bigodudo do sexo feminino, fêmea masculina, ou fêmea do sexo flex, duplex ou triplex.

Mas, o mundo gira, a Lusitana roda e depois, se o marmanjo ou a donzela se arrependerem poderão fazer uma cirurgia de mudança de sexo, encomendar um novo útero, próstata, ovário e uma genitália zero quilometro. Simples assim, como quem muda de provedor de Internet. Aliás, mudar de provedor é mais complicado, pois depende do atendente virtual Eduardo da Oi.

O atendente virtual Eduardo é um dos caras mais poderosos do Brazil, mais que Sergio Moro. O juiz Moro manda lá na República de Curitiba, que manda na República de todo o Brazil é o Eduardo. “Deus pôs alma nos cedros, nos junquilhos”, assim falou o bem-aventurado poeta Augusto dos Anjos, dos pecadores e das árvores da Serra da Borborema. O sábio francês Blaise Pascal ensinou no século 17: “O homem é um caniço pensante”. Se fosse um sertanejo pernambucano diria: “O homem é um mandacaru pensante”, ou “o homem é um alto coqueiro pensante”. Não diria que o homem é um pé-de-cana de açúcar pensante porque este é um vegetal reacionário a serviço dos usineiros da Zona da Mata.

A ideologia de gênero veio de longe. Nos anos 1960, na França libertária, uma mulher griladíssima chamada Simone namorava um zarolho invocado de nome Jean Paul Sartre. Naquele tempo a moda das feministas era queimar sutiãs, assim como hoje é queimar pneus. Um belo dia, que por sinal não era nada belo, Simone acordou de ovo virado e resolveu lançar uma ideia aloprada: ninguém nasce mulher, a gente se faz mulher. A galera feminista delirou, delirou e houve uma fogueira de sutiãs. 

Dai Joaquim Francisco, o filósofo de Macaparana, lançou a sua filosofia: “A vida é um sutiã, meta os peitos!”.     

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Supranor 1

04/09


2017

Strip-tease da cebola corrupta

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Meu artigozinho desta semana, sempre politicamente incorreto, é baseado numa palestra que eu ouvi na Net, de um psicólogo e psicanalista cuja graça é Luiz Hanns, da Casa do Saber, sobre o bicho de sete cabeças apelidado de corrupção. Vamos fazer o strip-tease de uma cebola corrupta. Nova York é a Big Apple, a grande maça, fonte do pecado original de Eva e Adão e dos pecados capitalistas. O Brazil é uma Big Cebola, um cebolão, impregnado de corrupção. Vamos fazer o strip-tease do cebolão. 

Adquira um exemplar de cebola, uma cebola virgem, que nunca tenha sido comida, nunca antes deflorado ou desfolhada. Apesar da aparente inocência, esses frutos da nossa flora são indivíduos com altos teores de corrupção. Faça o strip-tease das primeiras camadas da senhora cebola, tipo retirar a blusa e o sutiã. Estas camadas iniciais são chamadas de corrupção sistêmica, onde se encontram pessoas de mau caráter, amorais, imorais, bandoleiros, tipo ministros, parlamentares, governantes, a gatunagem graúda em geral.       

Os primeiros lances do strip-tease da cebola já revelam o conluio entre os protagonistas dos poderes constituídos e grandes empreiteiros, gangsteres, doleiros, corrupção ativa e corrupção ativa, negociatas, patifarias incrustadas mais visíveis da nossa flora socioeconômica. A cebola faz revelações cabeludas e às vezes tira onda de inocente. Houve uma cena em que um cebolão muito popular proclamou o vegetal mais honesto e mais puro da flora auriverde.  

Segundo ato do strip-tease: tire o sutiã e as roupas íntimas da cebola. Aparece a corrupção endêmica, do varejo no dia a dia: os magotes de prefeitos que desviam ou superfaturam obras e contratos em conluio com seus compadrios, os secretários que superfaturam os contratos de artistas safadões nas festas das prefeituras e nos réveillons, os tecnocratas e burocratas que emprenham licitações e contratos fraudulentos. Os dirigentes de estatais que comandam negociatas e recebem propinas.

E mais, no dia a dia, os burocratas dos cartórios, doutores em carimbos, que massacram os clientes com exigências descabidas a pretexto de formalismos legais, por instinto de perversidade ou mandonismo. Quanta mesquinhez!  Existem os chefetes de repartições que impõem contratos abusivos para receber propinas.  O médico que queima o expediente nos postos de saúde e ganha sem trabalhar.

As camadas internas do cebolão, a miudeza, estão infestadas pelos guardas da esquina que recebem propinas, os cartolas corruptos dos times do futebol, traficantes de influência nas repartições e empresas, vivaldinos que roubam e exploram os clientes, os caras que cometem uma batida de carro no trânsito e fogem do local do sinistro. As corrupções sistêmica e endêmica interagem e se realimentam.

O Brazil é um cebolão corrupto e está impregnado de corrupção em todos os poros, desde os cabelos da cabeça até o talo da macaxeira vermelha. O coração e as tripas gaiteiras do Brazil adoram a corrupção. O crime perfeito existe. Foi implantado pelo sistema financeiro e funciona impunemente no Brazil com a cumplicidade de todos os governantes. A República dos Banqueiros manda nesta pinoia E priu! O ovo de serpente auriverde pariu a corrupção sistêmica e a corrupção endêmica e continua vivíssimo da silva.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Mobi Brasil 2

28/08


2017

Lei mortadela: liberou geral

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Olha só quem aflorou no recinto! O Dart Vader vermelho! Já está em campanha antecipada para presidente da República. Ele próprio revogou o calendário eleitoral. A lei eleitoral sou eu.  Dart Vader é um zumbi e assim falou aos seus pareceiros: “Jesus Cristo sofreu mais do que “nóis”, Tiradentes foi crucificado e “dipois” mais de 100 anos virou herói”. Eu juro que vi um vídeo no Youtube com meus próprios olhinhos que um dia vão para o céu quando o bicho se comparou a Jesus Cristo e disse que Tiradentes foi crucificado.

O sonho dele é ser crucificado para virar mártir. Melhor seria que fosse capado para não transmitir zoonoses.  Dura Lex, sed Lex, a lei é dura, porém é flex. É a Lei das Mortadelas.  Libelu, liberdade e luta! Liberal geral. Obrigado. De nada. Não há de que. Dart Vader, Mandrake, o Superman, Macunaíma, a Mulher Maravilha, Dória, Bolsonaro, o circo de Orlando Orfei, todíssimos os artistas poderão rodar suas volantes pelos cantos do Brazil.

A alegação é de que a Justiça só poderá agir se for acionada por algum partido. Isto é conversa fiada pra Friboi dormir, não age por conivência ou por frouxidão. Eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho, mas não receberia em minha humilde choupana para degustar o meu pasto um réu condenado pela Justiça e com vários processos no lombo. Mas, cada qual sabe de si.

O sapo réu da Justiça foi recebido feito um príncipe numa mansão em Casa Forte, para confraternizar à mesa ao lado da fina das elites dos altos coqueiros. Mas, naquelas mesas enfeitadas de baobás da Praça da República estava faltando ele, um rapaz riquíssimo chamado Aldo, operador das bocas monetárias de urnas para o Senado.        

O ponto G de Seu Aldinho era as operações heterodoxas em refinarias, Suape, urnas eletrônicas, petróleo, derivados e hemoderivados. Ingratidão tira afeição. O coitado agora está entregue às feras do Ministério Público, enquanto parceiros dele desfrutam de imunidades nos tapetes azuis de Brasília. Os zumbis ideológicos formam a nova categoria sociológica nestes tempos de seitas e fanatismos doutrinários. Triste repetir o mantra do “18 Brumário” do dromedário Karl Marx: “Não se perdoa uma nação ou uma mulher que se deixa arrebatar pelo primeiro aventureiro que apareça”.

O Brazil se deixou arrebatar por uma escória ideológica da pior natureza, ainda mais corrupta e incompetente. E pior, os zumbis vermelhos ameaçam voltar para fazer desta Nação uma Venezuela. Mas, tem gente que adora o guru da seita dos zumbis. Beija as barbas vermelhas dele. Se ajoelha aos pés dele. Beija os sovacos, os chulés e os fedores dele. Faz parte da feitiçaria da perdição. Essa gente desmerece o Brazil. Eles se merecem.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

21/08


2017

Delírio dos mamulengos vermelhos

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Um cara multi réu na Justiça, desarvorado, desaforado, sai perambulando em campanha eleitoral no meio do mundo prometendo rios de leite e montanhas de cuscuz, à moda de Antonio Conselheiro. Tomara, meu Zeus, tomara que apareça um juiz de rochedo para botar moral e dizer, alto e bom som: aqui na minha cidadezinha você não vai fazer campanha, nem comícios, fora do calendário eleitoral, nem insultar a Justiça.  Pode desmontar seu palanque, cabra insolente, e engolir suas mortadelas!

Os mamulengos vermelhos, movidos por mortadelas não sadias, estão delirando. As mortadelas da JBS são feitas com papelão, capim gordura e tripas de sapo. Quem vai querer, quem vai querer!? Outrora, suspiram os saudosistas, o Brazil era uma maravilha sob um céu de anil. Havia, ou ainda existem, os carnavais fora de época, ziriguidum! Agora os novos bárbaros do cordão encarnado querem fazer comícios e campanhas eleitorais fora de época.

As passeatas, caminhadas e carreatas de antigamente são irmãs dos comícios. Alguns candidatos até contratavam mãos-de-obra para carrega-los nos braços. Mas, essa onda ficou manjada. Os candidatos levavam até dedadas. A dedada é um “atentado ao pudor” genuinamente verde-amarelo. Com medo das “dedadas” contratavam artistas para atrair a rafaméia.

Um ídolo feito o Safadão ou o Pablo faria hoje o maior sucesso nos comícios. O problema não era a dedada, seria a briga nos bastidores para dividir as comissões. Uma comissão de 20 por cento no show de Safadão nas prefeituras tem muita briga de foice. As prefeituras são muito pobrezinhas e fazem romarias até Brasília para pedir recursos, mas não falta dinheiro para as safadezas da moda. 

A moda agora é jogar ovos, as ovadas. Os marmanjos do sexo masculino, do sexo feminino e de outros sexos, as mulheres do sexo masculino e de grelo flex são ovíparas, adoram jogar ovos nos “reacionários” e “golpistas”. Queimar pneus também faz parte da onda politicamente correta. Os borracheiros faturam nessa onda dos carbonários.  

Os revolucionários à moda antiga amavam os coquetéis Molotov incendiários, feitos de gasolina, ácido sulfúrico, éter e álcool. Hoje a caterva vermelha comunista ama muito mais as glândulas mamárias dos cofres públicos. Quanto custa fazer uma revolução com ovos, mortadelas e pneus queimados? Movido pelas melhores intenções, realizei pesquisa revolucionária no supermercado imperialista Bompreço/Walmart e encontrei vasto arsenal subversivo. Uma bandeja com 18 ovos, preço de promoção: $ 9,86 – mortadela de frango do açougueiro da JBS, 400 gramas, $ 2,98. São preços revolucionários, segundo o gerente, um cara infravermelho. Comprei uma bandeja com meu cartão de crédito imperialista do Visa. Cheio de sustança, estou preparado para a luta.

Brás Cubas, filho espiritual do bem-aventurado Machado de Assis, descreveu a cena de uma batalha em torno de um paiol de batatas. Os adversários se digladiam. Quem vencer leva as batatas. Ao vencedor, as batatas.  Na batalha deflagrada pela mundiça vermelha, quem ganhar leva o coração do Brazil em chamas. O coração do Brazil precisa de um desfibrilador,  revascularização, marca-passo, recauchutagem.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 6

14/08


2017

Pega o pirão, esmorecido!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Sorria, Don Michel, vosmecê está sendo digitalizado, filmado, espionado, fotografado. Olha o passarinho! Mas, Don Michel não tem um sorriso Colgate, nem sorriso Kolynos, como se dizia antigamente. Muito menos tem o atual sorriso Oral-B. Ele tem aquele sorriso de Mona Lisa da Paulicéia Desvairada, o sorriso de uma raposa das Docas do Porto de Santos. Não dá para sentir firmeza. O poeta Ascenso Ferreira diria:
 -- Pega o pirão, esmorecido Don Michel!   

O presidente Don Michel não é uma Brastemp FrostFree, nem poderia ser, pois veio do serpentário de cobras criadas do PMDB. Se fosse um diamante sem jaça, uma joia rara, jamais cairia nas graças da mundiça vermelha. Em sendo uma figura inoxidável, seria reprovado no teste de Qualidades Deletérias do Cordão Encarnado.

-- Ô de casa! -- Entra, açougueiro, você não precisa pedir licença pra entrar no Palácio Jaburu, pra entrar no Palácio do Planalto, na Granja do Torto. A casa é sua, eu sou seu criado. Minha bela Marcela, prepara um cafezinho, no capricho, para o nosso querido açougueiro.

Janot entrou na linha: Michel, olha o passaralho! Sua língua está sendo grampeada, radiografada, delatada. Qual o seu programinha artístico de seu governo, Don Michel? Fazer uma reformazinha de meia sola na Previdência. Deletar privilégios das castas de servidores? Esqueçam. Os príncipes dos três Poderes da República desfrutam de regalias e salários na estratosfera. Que tal?! Estes são vespeiros.

Dom Michel não tem peito para atiçar marimbondos. Mais fácil é castigar o lombo da rafaméia para se aposentar com a idade de Matusalém, ou viver sem emprego ao serem considerados velhíssimos depois dos 40 anos. E a reforma tributária, para simplificar milhões de portarias, leis, decretos? É mais fácil o Mar Morto ressuscitar. Complicar é fácil, difícil é simplificar. Haverá pelo menos um alívio no Imposto de Renda para a extorquida média? Ao contrário, os otários chamados de contribuintes serão ainda mais extorquidos.  
Na mira da Justiça, o guru da seita vermelha anuncia caravana para percorrer o Nordeste e antecipa a sucessão presidencial. Mas, com que roupa? Tá tirando onda de ser candidato. Em Pernambuco o senador Fernando Bezerra Coelho é cobra de três cabeças. Uma cabeça é de Lula, outra de Dilma e mais uma de Temer. Um passarinho graduado do PSB me contou que FBC está mapeado nos arraiais socialistas. Os radares acompanham seus passos em Petrolina, URB, Emlurb,Recife,  Brasília et Orbi.

Também citado pelo procurador Rodrigo Janot, o projeto majoritário de FBC tornou-se inviável e ele lançou o plano F1 para o filho Fernando ministro ser candidato a governador. Mas o rapaz também aceita o sacrifício de ser candidato a vice, em qualquer chapa, modéstia à parte. O grupo remanescente do ex-governador Eduardo Campos costuma dizer que ele já ganhou um prêmio de oito anos com mandato de senador e imunidade parlamentar. Não tem do que reclamar. O coitado Aldo Guedes está entregue às feras do Ministério Público e da Polícia Federal.

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


07/08


2017

Hasta la vista, ditador!

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O regime falido da Venezuela é uma vela fúnebre de cera. Está se consumindo a si mesmo. Nenhum governo sobrevive com uma inflação de mais de 1 mil por cento ao ano, desagregação e convulsão social em grau máximo. A escória ideológica da Venezuela vive seus estertores. Hasta la vista, facínora Maduro!         

Exemplos de ditaduras duradouras: Cuba e Coreia do Norte. Diferenças: Cuba sobreviveu durante décadas com a muleta da antiga URSS e escravizou seu povo em fogo brando. Na Coreia do Norte imperam o fanatismo e terrorismo ideológico. Apesar da indigência econômica, esses países não vivenciam convulsões sociais. A Rússia está distante, não tem interesse geopolítico na Venezuela e já bastam os problemas com a Síria e com as nações do Leste da Europa.

Destroçada pela guerra civil, a Síria tem o apoio da Rússia. O sinistro Maduro veste sua nudez com as folhas de coca do regime narcotraficante de Evo Imorales. A camarilha vermelha, aliada da ditadura na Venezuela, em boa hora foi expulsa do poder no Brazil. Mamaram nas glândulas mamárias do BNDES sob a proteção da camarilha do cordão encarnado. A fonte secou.
O big stick, o grande porrete da diplomacia de Donald Trump, está de olho nos labirintos do ditador comunista. O presidente marqueteiro dos EUA, Barack Obama, era muito generoso com a caterva comunista, a começar pela ditadura terrorista de Cuba. Guenta o rojão, molestados, como se diz no popular.       

O ditador Nicolas Maduro faz haraquiri político. Leva o regime pseudo revolucionário ao suicídio.    Em duas décadas Hugo Chavez, Nicolas Maduro e seus sequazes conseguiram arruinar a economia da Venezuela, antes uma nação próspera na década de 1990. Hoje o regime ditatorial vive os seus estertores, não tem salvação.

Mas,o fanatismo ideológico é uma doença crônica, tipo a cegueira. As lombrigas vermelhas não dão o braço esquerdo a torcer. O comandante em chefe da camarilha vermelha e seus discípulos continuem adorando e solidários com os facínoras da ditadura na Venezuela. Se dependesse dessa camarilha, a ditadura terrorista de Maduro seria perpetuada no poder.

O pensamento universitário está contaminado pelos furúnculos escarlates. Aquela mocréia pseudo filósofa que odeia a classe média e  o sociólogo de botequim tipo Sader são exemplares típicos dessas furunculoses ideológicas. Eles não fiam nem tecem, vivem de sinecuras, mordomias e privilégios nos cargos públicos.

Certa vez no Jardim das Aflições o brilhante pensador Olavo de Carvalho deu uma surra intelectual naquela mocréia pseudo filósofa que odeia a classe média, no sociólogo de botequim um tal de Sader, no anticristo Libânio e no fradeco Bofe, viúvo de Fidel e adepto da zoologia da libertação. Deu um nó no pescoço deles e aplicou formicida no cérebro de repolho da patota. Os bichos ficaram com hematomas vermelhos em todos os poros.

Por isso ele detestam Olavo. Se eles detestam, é porque presta. Os vermelhos também detestam o papaizinho, mas eu sou pequenininho do tamanho de um passarinho. Eles mataram a galinha dos ovos de ouro negro, o petróleo. É a maldição da corrupção e da incompetência, nada a ver com a maldição do petróleo.    

Profeta Adalbertovsky
[email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores