Lavareda

24/09


2020

Coluna da quinta-feira

Dois turnos no 1º turno

Numa leitura mais aprofundada dos números da pesquisa do Instituto Opinião no Recife, postada ontem neste blog, não seria precipitado arriscar um palpite: a cidade tende a enfrentar duas eleições numa só eleição de primeiro turno: a de Marília Arraes (PT) contra João Campos (PSB) e a de Mendonça Filho (DEM) frente à Patrícia Domingos (Podemos). Traduzindo: não há espaço no Recife para uma disputa final entre candidatos que disputam um mesmo segmento eleitoral.

No caso Marília x João, a batalha se dará em cima do eleitor no chamado campo da esquerda, enquanto Mendonça x Patrícia perseguirão o eleitorado mais conservador, de centro-direita, segmento com mais aderência para o bolsonarismo. É sabido que Recife é uma cidade rebelde e libertária, mas Bolsonaro teve 44% dos votos dos recifenses no primeiro turno presidencial de 2018 e no segundo turno aumentou para quase 50%, precisamente 47,50% dos votos.

Eleição se faz com números, com parâmetros. Qual chance teria quase 50% do eleitor recifense que votou em Bolsonaro dar uma guinada para o PT ou PSB, votando em Marília e João na eleição para prefeito do Recife? Teoricamente, nenhuma. Esse eleitor tende a votar em candidatos que venham a se identificar com o seu pensamento e a sua linha ideológica. Mais uma vez, teoricamente, esse segmento eleitoral está muito mais para Mendonça do que para Patrícia.

Até porque Mendonça assume que quer o voto de bolsonaristas, enquanto Patrícia não é tão decidida assim. Esse eleitorado, alguém poderia corrigir, estaria mais inclinado para um candidato com perfil e defesa mais bolsonaristas, como Alberto Feitosa, candidato do PSC. Mas este leva a desvantagem de ser o mais desconhecido e para subir nas pesquisas teria que ter as benções de Bolsonaro na campanha. O presidente já reiterou que não se envolverá na campanha em nenhuma cidade.

Recife, portanto, terá duas eleições de segundo turno num primeiro turno. O adversário de Marília é João, o de João é Marília. O adversário de Patrícia é Mendonça, o de Mendonça é Patrícia. Se essa tese for contrariada lá na frente, na abertura das urnas, mais uma vez estaremos diante da confirmação de que a política está longe de ser uma ciência exata.

Pisada de bola – Ainda em relação ao eleitorado cativo de Bolsonaro, Mendonça ficou numa condição muito mais favorável para conquistar depois que o presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, postou em suas redes sociais que a candidatura de Patrícia Domingos, a qual o seu partido estava apoiando, representa também o voto do combate ao bolsonarismo, ou seja, mandou dizer que não seria bem-vindo o voto de eleitores simpáticos ao presidente da República ao projeto da delegada para o Recife. Miguel Arraes já dizia, com a sua sabedoria, que não deve rejeitar votos, venham de onde vier, para quem está no jogo em busca da vitória.

Na adversidade – Um dado que chamou atenção na pesquisa do Instituto Opinião, postada hoje no meu blog, sobre a corrida eleitoral no Recife: João Campos, candidato do PSB, além de ser o mais rejeitado, perde a eleição no segundo turno para todos os adversários. A campanha só começa no próximo domingo, mas ele terá pouco tempo para reverter esse quadro de dificuldades, até porque Geraldo Júlio, o seu padrinho, é reprovado por metade dos entrevistados. Geraldo vai encerrando sua passagem pela Prefeitura do Recife com baixos percentuais de aprovação. Não passa dos 45%, segundo a mesma pesquisa do Instituto Opinião, mesmo gastando rios de dinheiro com propaganda.

Sem efeito – Outra leitura interessante: a delegada Patrícia Domingos, candidata do Podemos, estagnou na faixa dos 12 pontos percentuais e o apoio do deputado Daniel Coelho (Cidadania), que saiu da disputa e aliou-se ao projeto da delegada, não surtiu nenhum efeito até o momento. E olha que Coelho vinha pontuando também entre 12% e 13%. Traduzindo: não é fácil transferir voto neste País, principalmente numa cidade rebelde e libertária como Recife. Daniel aposta numa exposição forte pelas mídias sociais nos próximos dias ao lado da delegada, para dar uma demonstração mais na frente, manifestada nas próximas pesquisas, de que tem de fato poder de convencer o seu fiel eleitor a votar na delegada.

Secretário pernambucano – O engenheiro pernambucano Roberto Andrade, que já foi secretário de Projetos Especiais de Pernambuco, é o novo secretário de Projetos Especiais do Distrito Federal, substituindo o também pernambucano Everardo Gueiros, que volta para o seu escritório de advocacia. Radicado em Brasília há duas décadas, Gueiros é sobrinho-neto do ex-governador Eraldo Gueiros. Roberto Andrade, que também já foi vereador do Recife em duas legislaturas, é considerado um profissional experiente, premiado com condecorações diversas por bons serviços prestados ao País, muito elogiado no Governo do Distrito Federal.

CURTAS

NORONHA – Preparem os biquínis e sungas. Fernando de Noronha será aberta para todos os turistas a partir do próximo dia 10. O anúncio foi feito, ontem, pelo governador Paulo Câmara, e pelo administrador de Noronha, Guilherme Rocha. Atualmente, a ilha está aberta só para quem já teve covid-19. O acesso dos visitantes seguirá um novo protocolo, elaborado pela administração do local e pelas autoridades de saúde do Estado. A principal regra é a obrigatoriedade da realização do teste RT-PCR (nariz e garganta) para detecção da Covid-19 no dia anterior ao embarque ou na data da viagem.

LIBEROU GERAL – Festas, casamentos, shows, peças de teatro e cinema estão liberados no Estado a partir da próxima segunda-feira. A mudança faz parte da nona etapa do Plano de Convivência com a Covid-19 e é válida para o Grande Recife, Zona da Mata e parte do Agreste. No interior, as regiões de Ouricuri e Afogados da Ingazeira avançam para a fase oito, onde as demais cidades já estão. Se não houver retrocessos no Plano de Convivência, todo o Estado deverá estar na última fase de liberações até 9 de novembro.

Perguntar não ofende: O torcedor vai voltar aos estádios de futebol sem sair a vacina da Covid-19?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Crivella inelegível até 2026 homem de Deus, cristão ,rouba?

Fernandes

Gaecc conclui que Flávio cometeu crimes de lavagem, peculato e organização criminosa. Ministério Público recebeu conclusão do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) e decide agora se denúncia Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio. Família de bandidos.

Fernandes

CARLOS B0LSONARO PODE SER PRES0. NÃO TEM FORO PRIVILEGIADO. KKKKKKKKKKKKKK

Fernandes

Ibope: 51% dos brasileiros não confiam em Bolsonaro Pesquisa Ibope encomendada pela CNI aponta que 51% dos brasileiros não confiam em Jair Bolsonaro. O levantamento, porém, ressalta que o atual governo é aprovado por 40% da população, turbinado em grande parte pelo uso político do auxilio emergencial aprovado pelo Congresso

marcos

Lula entrega os pontos e diz, esse Mito Jair Bolsonaro é Foda.


ALEPE

Confira as últimas colunas

30/10


2020

Coluna da sexta-feira

Discurso da oposição continua errado

A nova pesquisa Ibope/Rede Globo/JC, divulgada ontem, foi ruim para João Campos, boa para Marília Arraes e Patrícia Domingos, mas péssima para Mendonça Filho. Mostrou que João tem teto e tende a não subir mais. Recuou de 33% para 31% e ainda apareceu na liderança do ranking dos mais rejeitados, batendo Mendonça. Foi boa para Marília porque ela se manteve, numericamente, em segundo lugar, e na estratificação do levantamento foi a que mais cresceu.

A petista cresceu de 12% para 23% entre os eleitores na faixa etária de 35 a 44 anos, de 14% para 23% entre os eleitores de cor branca e de 8% para 16% entre os eleitores com grau de instrução no ensino fundamental. Já João Campos caiu entre os evangélicos de 35% para 27% e entre os eleitores com renda familiar de mais de dois a cinco salários-mínimos, saindo de 32% para 25%.

Mendonça Filho, por sua vez, apresentou recuos em praticamente todos os estratos analisados, mas principalmente entre eleitores: renda familiar de mais de cinco salários mínimos: de 26% para 15%; 55 anos ou mais: de 27% para 17%; homens: de 22% para 13%; ensino fundamental: de 20% para 12%; católicos: de 20% para 13%; 35 a 44 anos: 18% para 11%.

Por que Mendonça despenca? Sua propaganda no rádio e na televisão não bate com consistência em ninguém, atendo-se apenas a apresentar proposições. De promessas, o povo está de saco cheio e o que ele diz que vai fazer para mudar o Recife todos os demais concorrentes prometem, não se diferenciando de ninguém.

A delegada oscilou positivamente três pontos, indo de 13% para 16%, porque seu discurso é sustentado no que o povo está querendo ouvir: combate à corrupção. Mendonça tem ao seu dispor um grande arsenal nessa linha, mas não usa. A gestão de Geraldo Júlio, que tenta eleger João Campos, já foi objeto de seis operações da Polícia Federal, mas Mendonça ignora. Quando cita isso, não vai aos meandros do problema, mostrando que muita gente morreu porque faltaram respiradores adequados enquanto a Prefeitura optou por equipamentos testados em porcos.

O candidato que conseguir colocar no eixo da discussão a pandemia será eleito. A oposição no Recife precisa despertar: esta é a eleição da pandemia do coronavírus, onde a saúde da população está em jogo. É um salvem-se quem puder. Ninguém quer saber quantas casas populares serão feitas a mais no Recife nem se o saneamento vai alcançar níveis satisfatórios numa cidade em que grande parte da população vive sobre esgotos e respira lama.

Basta observar como espelho a eleição dos Estados Unidos. Trump está ameaçado de não ser reeleito porque geriu mal a pandemia, que subestimou a inteligência do povo. Quem mostrar no Recife que uma empresa com capital social de apenas R$ 100 mil celebrou um contrato de R$ 18 milhões para compra de respiradores incompatíveis para salvar vidas em hospitais enxotados de doentes entra em sintonia com a maioria da população, pode ganhar a eleição.

Sem corrupção – O presidente Bolsonaro voltou a reafirmar que “não existe uma só notícia de corrupção” em seu Governo. “Isso devemos, obviamente, pelos ministros e pelos parlamentares também, que trabalham em conjunto, visando a um só objetivo: o bem-estar do seu Estado e do nosso Brasil”, afirmou. As declarações foram feitas em visita a obras de trecho da BR-135, em São Luís, capital do Maranhão. Assim que chegou ao Maranhão, o presidente da República motivou aglomeração e cumprimentou apoiadores sem usar máscara de proteção, contrariando as recomendações para reduzir os riscos de transmissão do coronavírus. O uso do equipamento é obrigatório no Maranhão.

Protesto – O jornalista José Nêumanne Pinto ficou indignado com a iniciativa da TV Cultura, estatal paulista, em colocar no centro do programa Roda Viva, na última segunda-feira, o marqueteiro João Santana, condenado na Lava Jato e ainda usando tornozeleiras. "Deu nojo", escreveu Nêumanne ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB). E acrescentou: "Na condição de cidadão que cumpre deveres e exige direitos do Estado, manifesto, governador, meu protesto pelo programa Roda Viva com João Santana. Um bandido condenado, portando tornozeleiras, usar o programa de maior prestígio de uma TV pública para oferecer seus serviços e ainda fazer galhofa é algo que leva vergonha e pudor aos esgotos mais profundos da gestão estatal".

Sem reeleição – João Santana disse no programa Roda Viva que, “ao contrário do que se diz hoje, é muito mais provável que Bolsonaro perca as eleições [do ano de 2022] do que ganhe”. “Bolsonaro é um fenômeno eleitoral, sim, mas ele não contrariou todas as lógicas de campanha. A campanha de 2018 é que contrariou todas as lógicas da história política eleitoral brasileira”, disse. Segundo Santana, na próxima campanha, Lula é “o vice ideal” de Ciro Gomes (PDT), candidato derrotado em 2018. Ele comparou a ideia da atual vice-presidente da Argentina Cristina Kirchner de se candidatar ao lado de Alberto Fernández, mas com ele na cabeça de chapa.

Piada – Na passagem pelo Maranhão, ontem, o presidente fez piada de tom homofóbico em uma parada não programada no município de Macabeira. No trajeto da capital, São Luís, até Imperatriz, o mandatário parou para cumprimentar apoiadores, que ofereceram para o presidente um copo de Guaraná Jesus, refrigerante de cor-de-rosa tradicional do Estado. "Agora virei boiola igual maranhense, é isso?", disse ao beber o refrigerante. "É cor-de-rosa do Maranhão aí, ó. Quem toma esse guaraná aqui vira maranhense hein", acrescentou. Sem máscara, o presidente causou a aglomeração de pessoas no local, onde posou para fotos. A interação foi transmitida ao vivo pelas redes sociais do chefe do Executivo.

CURTAS

NOVO SANTOS CRUZ – Depois de uma entrevista na TV Globo e um artigo no Correio Braziliense, o ex-porta-voz do Governo, general Rêgo Barros, passou a ser chamado de "novo Santos Cruz", no Palácio do Planalto, em referência ao general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo, que passou a se posicionar contra a gestão Bolsonaro. Nas palavras de um interlocutor de Bolsonaro, os dois generais, embora críticos, são considerados "inofensivos”. Sem mencionar nominalmente o presidente, Rêgo Barros escreveu, no artigo, que "infelizmente, o poder inebria, corrompe e destrói".

Perguntar não ofende: Por que os candidatos nanicos no Recife não renunciam e apoiam quem de fato tem mais chances na oposição?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Bom dia povo de Deus, só lembrando que Lula o maior Ladrão e Corrupto do Brasil, saqueou a Petrobras, quebrou o País, deixou 13 milhões de pessoas desempregadas e mandou para o céu o prefeito Celso Daniel. Amém

marcos

Ainda Bem que o partido comunista Chinês criou um vírus para matar muita gente. Matou até dona Terezinha minha sogra. Luiz Inácio Corona da silva.

Rafael C.Soares Quintas

Pelo Ibope, em 2018 Dilma tava eleita senadora por MG, Bolsonaro perdia no 2.turno para qualquer candidato que disputasse com ele, dá pra confiar num Instituto desse?

Fernandes

Infelizmente a natureza criou esse vírus marcos de camaragibe alma sebosa nojenta, queima rosca.

Fernandes

Mendonça votou a favor da reforma trabalhista, prejudicou os trabalhadores brasileiros.


O Jornal do Poder

28/10


2020

Coluna da quinta-feira

Sem partido e sem campanha

O presidente Bolsonaro revelou, ontem, a verdadeira razão de ter optado por ficar de fora dos palanques na campanha municipal: não tem fonte financeira para cobrir as despesas com deslocamentos pelo País, logística cara, que envolve despesas com aeronaves, hotéis, segurança e aluguel de carros. Quando presidente, Lula fazia isso sem nenhum problema porque o seu partido, o PT, bancava tudo. Bolsonaro está sem filiação partidária.

As viagens presidenciais, para agenda oficial, não podem ter agenda política, porque se não o presidente seria acusado de uso da máquina nas eleições. Pela primeira vez, um chefe da Nação vive essa situação inusitada: tem o poder, mas não tem um partido. Eleito pelo PSL, Bolsonaro foi forçada a deixar a legenda depois de um conflito interno e público com o presidente da legenda, o deputado pernambucano Luciano Bivar. Sem filiação partidária, o presidente até tentou criar um partido, mas não conseguiu.

Ele e aliados imaginavam que o Aliança pelo Brasil, o novo partido, deslancharia em menos de seis meses. O otimismo era tanto que se acreditava, na época, que a sigla estaria apta a disputar as eleições municipais, mas não deslanchou. Os entraves foram tantos que o presidente, então um dos principais entusiastas da ideia, não aposta mais, hoje, todas as suas fichas na criação da sigla. Tanto que ele ensaia um retorno ao PSL, com receio de que o Aliança não consiga sair do papel.

As razões pelas quais o partido ainda não saiu do papel são várias. Entre elas, a pandemia do coronavírus; a redução do número de servidores nos cartórios eleitorais; o não reconhecimento de várias assinaturas de apoiadores e, em menor escala, disputas internas e a falta de confiança plena da militância na cúpula do novo partido. Em resumo, a clássica teoria da tempestade perfeita.

Durante esses nove meses, o partido conseguiu homologar apenas 20 mil assinaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar do baixo número de assinaturas aceitas pela Corte Eleitoral até o momento, integrantes do Aliança afirmaram que 160 mil fichas estão no TSE à espera de homologação e outras 100 mil estão em posse do partido. Para criar uma sigla, são necessárias pelo menos 492 mil assinaturas. Ou seja, caso esses cadastros em posse do partido sejam reconhecidos pelo TSE, a sigla teria em torno de 280 mil apoiadores – pouco mais da metade da meta.

Abriu o jogo – Falando com um grupo de apoiadores, ontem, em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente Bolsonaro disse que gostaria de participar das eleições municipais, mas afirmou que não tem condições financeiras para arcar com os gastos de deslocamento aos municípios. “Para ir para lá, tenho que ir pelos meios próprios. Não tenho como arranjar segurança para mim, meios próprios. É muito caro, não tenho condições”, disse. Bolsonaro citou Belo Horizonte como uma das cidades em que gostaria de ter participação mais efetiva. “BH me interessa. Gosto muito do Bruno Engler [candidato do PRTB]. Pode fazer um bom trabalho caso chegue à Prefeitura”, disse.

Efeito do apoio – Mesmo fora da campanha, a quem o presidente acenou em termos de apoio o resultado não foi nada alentador. Em São Paulo, após o deputado Celso Russomanno (Republicanos) cair e oscilar negativamente nas pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura, suas propagandas do horário eleitoral deixaram de mencionar Bolsonaro. Na estreia da propaganda eleitoral gratuita de rádio e TV, do dia 9, o jingle do candidato citava Bolsonaro três vezes. "Com Russomanno e Bolsonaro, quem ganha é a nossa cidade", dizia um trecho da música. Já no refrão, repetido duas vezes, constava o trecho "e Bolsonaro apoiando".

Nova constituinte – Um dia após dizer que a Constituição deixa o Brasil "ingovernável", o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), disse que vai enviar "imediatamente" um projeto de decreto legislativo (PDC) para a realização de um plebiscito sobre a elaboração de uma nova Carta Magna. Segundo o parlamentar, ele já tem um texto pronto, que precisa apenas de ajustes nas datas propostas para a realização da consulta popular. A ideia inicial era que o plebiscito fosse feito nas eleições municipais deste ano para em 2022 ter uma Assembleia Constituinte. Barros disse que não teve apoio de lideranças quando elaborou o projeto, mas que a receptividade à sua ideia o motivou a apresentar o projeto.

Globais na CNN – Desde que estreou no Brasil, há mais de sete meses, a CNN contratou nomes conhecidos da TV Globo e que estavam 'na ativa'. Só na última semana, a emissora americana contratou dois âncoras de lá: Gloria Vanique, que apresentava o Bom Dia São Paulo, ao lado de Rodrigo Bocardi, e o jornalista Márcio Gomes, que era um dos plantonistas do Jornal Nacional, Bom Dia Brasil, Jornal Hoje e Jornal da Globo, além das duas edições locais de jornais de São Paulo e do Rio de Janeiro. Outra apresentadora, uma das primeiras que saiu da Globo para migrar para a CNN, foi Monalisa Perrone. Ela colocou no ar o primeiro jornal considerado 'da madrugada' da Globo, o Hora Um, que começava às 5h.

CURTAS

BOA NOTÍCIA – O secretário especial de Política Econômica do Governo Federal, Adolfo Sachsida, disse, ontem, que a economia brasileira terá uma injeção de recursos de R$ 138 bilhões até dezembro. A declaração foi durante live promovida pelo banco Safra, com a participação de Joaquim Levy, diretor de Estratégia Econômica e Relações com Mercados do Safra, e a economista Priscila Deliberalli, também do Safra. Durante a videoconferência, o secretário disse que a projeção dele de injeção de recursos considera o auxílio emergencial que ainda será pago até o final do ano (R$ 73 bilhões). Está na conta R$ 15 bilhões que ainda não foram sacados do saque emergencial do FGTS.

Perguntar não ofende: Quem vai subir ou descer na pesquisa do Ibope de hoje para prefeito do Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Não sou psiquiatra muito menos psicólogo para discutir com marcos alma sebosa de camaragibe, queima rosca. Te lasca aí.

marcos

Depois da visita do nosso Presidente Mito Jair Bolsonaro ao Maranhão, ao ver a multidão Lula diz mais uma vez: Perdemos o Nordeste!

marcos

Fernando Haddad o nosso kit gay pode ser processado pela produção da cartilha gay, diz Juiz de Brasília. Ui

marcos

Segundo a Folha a aprovação do governo do Presidente Mito Jair Bolsonaro ultrapassa os 70%. A esquerda corrupta e incompetente fica arretada.

marcos

Dilma Jumenta 2022, vamos levantar essa bandeira para vingar o Gorpe!


Abreu no Zap

28/10


2020

Coluna da quarta-feira

Saia justa em João Santana 

O marqueteiro João Santana exasperou-se no programa Roda Viva, da TV Cultura, segunda-feira passada, quando confrontado com mentiras que contou ao longo de sua carreira. Irritado, chegou a fazer uma elegia à mentira: “Todo mundo mente. A mentira é um privilégio humano. É um prazer até…”. Santana se irritou quando foi mencionado um vídeo que ele gravou e publicou em maio de 2015, negando trabalhar com caixa dois.

Na ocasião, disse que teria recebido US$ 20 milhões por uma campanha eleitoral na qual havia trabalhado em Angola. Depois, em fevereiro de 2016, já preso pela Lava Jato, tudo ficou mais claro: o valor total pago pelo País africano fora muito maior, de US$ 50 milhões. Ou seja, houve US$ 30 milhões de caixa dois. O argumento de Santana foi o de que em maio de 2015, no seu vídeo ele apenas falava de caixa um. Não é bem assim, pois o marqueteiro dá a entender que tudo o que fazia era legal e com impostos pagos.

Em tom de indignação, dizia esperar “retratação” de pessoas que divulgavam as informações que ele considerava incorretas.  A partir daí, exasperado, Santana adotou uma tática de mudar de assunto. Disse que quando era marqueteiro do PT recebeu ligações telefônicas de Fernando Rodrigues pedindo ajuda para que fosse aprovada e sancionada a Lei de Acesso à Informação. Essa informação é pública

Rodrigues foi presidente da Abraji e durante muitos anos atuou como um dos coordenadores do Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas. Falava com vários integrantes do governo e do Congresso para advogar a favor da aprovação e sanção da LAI.

Ainda no programa Roda Viva, João Santana, ao ser questionado sobre nomes da esquerda que podem concorrer contra o presidente Jair Bolsonaro em 2022, Santana respondeu que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, formariam uma “chapa imbatível”. “Lula seria o melhor perfil de vice que poderia ter. Impossível ser isso [vice do Ciro], mas essa chapa seria imbatível. É imitar a solução genial eleitoral, que a Cristina [Kirchner] fez na Argentina [como ex-presidente e atualmente vice de Alberto Fernández]”, disse Santana.

FBC baixa a lenha – Depois de uma trégua, que ninguém sabe, na verdade, por quais razões, o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), voltou a bater sem piedade no Governo do Estado. Num evento pela reeleição do prefeito de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB), FBC apontou o governador como o principal responsável pelo estado de abandono em que se encontram as estradas. “As únicas estradas que prestam no Estado são as federais”, afirmou. No ato, o senador fazia referência ao abandono da BR-232. Segundo ele, as estradas estão cada vez mais intransitáveis porque o governador não está nem aí. “Nunca vi tamanho descaso em toda a história de Pernambuco”, afirmou, referindo-se à omissão do Estado com a falta de manutenção das estradas.

Boa notícia – Às vésperas de completar 160 anos, a Caixa Econômica Federal recebeu uma missão inédita, à altura do momento histórico mais grave das últimas décadas: pagar em tempo recorde o auxílio emergencial a milhões de brasileiros que tiveram sua sobrevivência ameaçada pela pandemia do novo coronavírus. O resultado foi a maior ação de inclusão bancária e social da história do Brasil. O banco levou as parcelas do auxílio emergencial acerca de 1 terço da população. Os números foram grandiosos. Foram pagos R$ 231,2 bilhões a 67,7 milhões de beneficiários.

Estrada da morte – O item estrada é o mais reclamado pela população pernambucana no Governo Paulo Câmara. O engraçado é que, há dois anos, a secretária de Infraestrutura, Fernanda Batista, anunciou R$ 600 milhões na recuperação de vários trechos e ninguém sabe aonde esse dinheiro foi parar. Um dos piores trechos de estradas sob a responsabilidade do Estado é o que liga o distrito de Albuquerquené ao município de Sertânia, no Sertão do Moxotó. Virou, literalmente, pó, provocando desastres fatais. Ali, o trânsito flui a 20 km por hora, no máximo, o que tem gerado outro problema: constantes assaltos, principalmente aos caminhões carregados.

Prisão no Sertão – Policiais militares e o vice-prefeito da cidade de Serrita, Francisco Tadeu de Sá, foram presos, ontem pela Operação Frígia, que visa combater uma organização criminosa suspeita de atuação em garimpo ilegal no Sertão. A operação foi deflagrada em parceria entre Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF). Ao todo, são cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão. Está em investigação a prática de crimes ambientais, usurpação de patrimônio da União, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O grupo é apontado como especializado em extração ilegal de minério de ouro e posterior beneficiamento. As atividades eram realizadas, respectivamente, na zona rural dos municípios de Verdejante e Serrita, no Sertão pernambucano.

CURTAS

SEM ACÚMULO – Após cinco adiamentos, a Câmara Municipal do Recife aprovou, ontem, o projeto de lei (PL) 05/2019, de autoria de Ivan Moraes (PSOL), que proíbe o acúmulo das funções de motorista de ônibus na capital pernambucana. Ao todo, 32 dos 39 parlamentares votaram a favor da proibição. Apenas um foi contrário. Antes da votação do projeto, os vereadores do Recife votaram os pareceres das comissões às três emendas apresentadas anteriormente pelos parlamentares. Foram rejeitadas duas das três emendas propostas. De acordo com o texto da única emenda aprovada, “a função de cobrador de tarifas nos ônibus do transporte público coletivo no município do Recife será exercida por profissional específico para essa função, denominado cobrador”.

LIDERANÇA – Este blog completou, na semana passada, com o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a marca de 50 lives em menos de cinco meses, líder nesse ranking da mídia nacional. As entrevistas, em sua grande maioria, no período entre abril e setembro, foram feitas pelo Instagram e o Youtube, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, formada por mais de 60 emissoras da Região em três Estados - Pernambuco, Alagoas e Bahia. Dentre as grandes personalidades entrevistadas, o presidente Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do TSE, Luis Roberto Barroso, além dos ex-presidentes Michel Temer e Fernando Collor.

Perguntar não ofende: Está insustentável a permanência do ministro do Meio Ambiente?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Nem todos os generais. O general Brito solidarizou-se com o general Rêgo Barros, que saiu do governo denunciando a soberba e a falsidade de Jair Bolsonaro. Ele publicou no Twitter: Toda a minha solidariedade ao general Rêgo Barros pela atitude. Leitura precisa de um sombrio cenário. O mesmo cenário já repudiado pelo general Santos Cruz, Sergio Moro e outros atentos defensores da moralidade.

Fernandes

General Otávio Rego Barros o mais novo ídolo da esquerda detona o Miliciano Bozonaro e o idiota útil marcos alma sebosa de camaragibe, o queima rosca.

Fernandes

General detona Bolsonaro. Ex-porta voz do governo critica arrogância do presidente e diz que o poder corrompe. Otávio Rêgo Barros é mais um general que trabalhou colado com Bolsonaro que o chama de desonesto.

Fernandes

Infelizmente a natureza criou esse vírus marcos de camaragibe alma sebosa nojenta, queima rosca.

marcos

General Otávio Rego Barros o mais novo ídolo da esquerda e dos idiotas úteis.



26/10


2020

Coluna da terça-feira

Fundão é uma “mãe”

Dados do Tribunal Superior Eleitoral apontam que 80% do valor dos recursos provenientes dos fundos eleitoral e partidário (R$ 646 milhões de R$ 807 milhões) foram destinados a apenas 0,8% do total de candidatos nas eleições municipais de 2020 (4.600 de 548.881 candidatos). O levantamento foi publicado pelo jornal Folha de em sua edição de ontem. Já o site O Poder360 refez o cruzamento de dados e confirmou a informação.

A compilação se baseia nas prestações de contas parciais, registradas até o último domingo das campanhas disponíveis no site do TSE. Só um em cada 10 candidatos recebeu alguma quantia do Fundo Eleitoral ou do Fundo Partidário até o momento. São 54.224 postulantes aos cargos de vereador, prefeito ou vice-prefeito nessa situação. O candidato que mais recebeu recursos públicos até o momento é o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição.

Foram R$ 7,8 milhões declarados. Desse total, R$ 5 milhões foram direcionados pelo PSDB e o restante por legendas coligadas (Podemos, MDB e PP). Atrás de Covas está Bruno Reis, candidato do DEM à Prefeitura de Salvador. Ele recebeu R$ 7,7 milhões, sendo R$ 3,5 milhões de seu partido e o restante de outros quatro partidos que fazem parte da coligação (PL, PSL, PDT e Republicanos).

O candidato que mais recebeu verba pública de campanha com dinheiro vindo exclusivamente do seu partido é o deputado João Campos (PSB-PE), candidato à Prefeitura do Recife. Ele recebeu R$ 7,5 milhões do fundo eleitoral do PSB, o que corresponde a 7% da verba a que o partido tem direito para financiar a campanha de todos os seus candidatos no Brasil.

Essa imoral distribuição dos recursos partidários só atesta que é falsa, mentirosa e descarada a versão sustentada pelo Congresso, na defesa do financiamento público de campanha, de que o chamado “Fundão” serve para democratizar a política. Fundo eleitoral está mostrando, na prática, que só está sendo manipulado apenas para perpetuar os poderosos que já dominam a máquina pública.

Drones na fiscalização – A Polícia Federal irá usar drones para fiscalizar as eleições municipais deste ano nas principais zonas eleitorais do País. De acordo com a PF, serão utilizadas mais de 100 drones em todo território nacional para sobrevoar as zonas eleitorais. A intenção é captar indícios de crimes como boca de urna, compra de votos e transporte de eleitores. "A utilização dessa ferramenta faz parte do plano nacional estratégico de uso de novas tecnologias para o combate e prevenção de ações criminosas", informou a instituição.

NE que dá certo – Em fevereiro deste ano, a Moura Dubeux tornou-se a primeira incorporadora de atuação regional a ter ações negociadas na B3. Com seus papéis cotados a R$ 19 – centro da faixa indicativa – a companhia captou R$ 1,25 bilhão, com o objetivo, nem sempre bem visto pelo mercado, de abater dívidas. As vendas brutas no trimestre totalizaram R$ 317 milhões, um crescimento de 210,9% ante o trimestre anterior e 264,4% em relação ao mesmo período de 2019. Houve também geração de caixa no trimestre no valor de R$ 65 milhões. As três instituições que atualmente cobrem os papéis da Moura Dubeux – Itaú BBA, Credit Suisse e Eleven – recomendam compra para as ações, sendo que as duas últimas reiteraram a sua posição logo após as prévias do terceiro trimestre.

Péssima notícia – O mundo bateu nove vezes o recorde de novos casos diários de Covid-19 em outubro, segundo dados da Organização Mundial de Saúde. O número é o maior desde janeiro, quando os recordes de casos diários foram batidos 12 vezes. A sequência de recordes ocorre no momento em que a Europa se depara com efeitos da segunda onda de infecções pelo novo coronavírus e mais países passam a adotar medidas restritivas. Além disso, os Estados Unidos seguem tentando conter a evolução do surto, mas encaram aumento expressivo no número de casos confirmados.

Racha – Apesar do armistício público entre os ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, o episódio explicitou em definitivo a divisão no Governo. O próprio presidente Jair Bolsonaro teve que intervir para que houvesse um entendimento pelas redes sociais. Mas ficaram sequelas, afirmou preocupado com a gravidade do episódio um auxiliar direto do presidente. Os ataques de Salles em público evidenciaram o racha que tem, de um lado, a chamada ala ideológica e o núcleo familiar, e, do outro, a ala militar com o apoio da base política (leia-se Centrão).

CURTAS

COM LULA – A candidata a prefeita do Recife pelo PT, Marília Arraes, cumpriu, ontem, uma agenda de gravações com o ex-presidente Lula, em São Paulo. Os vídeos e áudios serão usados nos programas eleitorais de rádio e televisão, além dos atos da militância e agendas de rua que Marília irá cumprir daqui pra frente. “Lula fez questão de gravar comigo, principalmente para fortalecer ainda mais a nossa campanha, que já conquistou o Recife e que tem crescido a cada dia. Ter Lula ao meu lado é um orgulho, pois o Recife é grato a tudo o que ele fez pela nossa cidade, como a retirada das palafitas de Brasília Teimosa”, afirma Marília.

LIXÕES – De janeiro a setembro de 2020, 71 das 184 cidades pernambucanas usaram lixões para descartar resíduos sólidos urbanos, o que equivale a 38,6%, segundo um levantamento do Tribunal de Contas. O número de municípios nessas condições é 22,8% menor do que em 2019, quando houve o registro de 92 cidades fazendo o descarte irregular de resíduos. O estudo do Núcleo de Engenharia do TCE chegou a esse número após inspeções feitas entre janeiro e setembro de 2020 e a análise de informações de 112 processos de Auditoria Especial para apurar responsabilidade dos municípios pela utilização de lixões, além de dados da Agência Estadual do Meio Ambiente.

Perguntar não ofende: Até ontem, prazo final para recursos, quantas candidaturas a justiça eleitoral impugnou em Pernambuco?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Igrejas evangélicas: o espírito do neoliberalismo à brasileira?

Fernandes

Frase da Noite. CNT/MAD: para 76% dos Camaragibenses, o marcos mamador de camaragibe, queima rosca, também acho.

Fernandes

Candidatos já fogem de Bolsonaro. Após quedas de Russomano e Crivella, o Núcleo de Estudos Sobre a Democracia, da UFRJ, concluiu que o apoio de Bolsonaro é prejudicial aos candidatos nas eleições deste ano.

Fernandes

Bolsonaristas-raiz derretem nas capitais. Não importa qual seja o suposto novo ou velho partido do presidente da República, Jair Bolsonaro; o fato é que tanto o PSL, pelo qual se elegeu, depois renegou e do qual tenta se reaproximar, quanto o. Republicanos, dos seus filhos e aliados estão tendo um desempenho pífio nas eleições a prefeito, em todas as capitais do país.

Fernandes

Quando acabar o auxílio emergencial, a fome vai aumentar e o desemprego mais ainda. É a economia do BOSTAGUEDES/BOSTANARO.


Banco de Alimentos

26/10


2020

Coluna da segunda-feira

Nem Bolsonaro, nem Lula

Bolsonaro e Lula, as duas principais lideranças nacionais do País em campos opostos, não se revelam bons cabos eleitorais nas eleições municipais que se avizinham. O ex-presidente demonstrou explicitamente, em seu perfil no Twitter, apoio a oito candidatos a prefeito nas capitais brasileiras. O atual chefe do Executivo sinalizou a outros três. Nenhum deles, no entanto, lidera as pesquisas nas capitais. Os últimos levantamentos mostram que, hoje, o aceno dos políticos não significa, necessariamente, bom desempenho no pleito.

Em São Paulo, capital mais rica e populosa do País, Celso Russomanno (Republicanos) recebeu apoio de Bolsonaro e vem perdendo popularidade. As últimas pesquisas mostram queda nas intenções de voto do candidato, que agora aparece, numericamente, atrás de Bruno Covas (PSDB). Já Jilmar Tatto (PT), apoiado por Lula, tem 4%. No Rio, o primeiro colocado nas pesquisas não recebeu apoio nem de Lula nem de Bolsonaro: Eduardo Paes (DEM) tem 28%, segundo o último estudo divulgado pelo Datafolha.

O atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) é apoiado por Bolsonaro. Ele tenta ir ao segundo turno, mas aparece empatado numericamente com Martha Rocha (PDT) e tecnicamente com Benedita da Silva (PT) – candidata de Lula. Já em Belo Horizonte, Nilmário Miranda (PT) é o candidato apoiado por Lula. Bruno Engler (PRTB), por Bolsonaro. Ambos patinam com 2% e 3% das intenções de voto, respectivamente. O primeiro colocado é o prefeito Alexandre Kalil (PSD), que tem 60%.

No Recife, o ex-presidente Lula demonstrou apoio a Marília Arraes (PT), que tenta ir ao segundo turno, mas está em situação de empate técnico com a Delegada Patrícia Domingos (Podemos) e Mendonça Filho (DEM), enquanto em Fortaleza o PT tem uma de suas mais bem colocadas candidatas: Luizianne Lins. Ela é apoiada por Lula e no cenário atual pode chegar ao segundo turno com o Capitão Wagner (Pros). Em Salvador, por sua vez, a candidata apoiada por Lula é a Major Denice (PT).

As pesquisas indicam, no entanto, que Bruno Reis (DEM) – apoiado pelo correligionário ACM Neto, atual prefeito da cidade – pode ganhar já no primeiro turno. Em Aracaju, outrora reduto do PT, o candidato apoiado por Lula é Márcio Macêdo (PT), que aparece com apenas 6% das intenções de voto. Em Natal, Lula demonstrou apoio a Jean Paul Prates (PT), atual senador, que aparece com apenas 2% das intenções de voto.

R$ 2 bi pelo ralo – A Polícia Federal suspeita que mais de R$ 2 bilhões tenham sido usados em licitações fraudulentas, na compras de insumos com empresas de fachada e superfaturamento na aquisição de equipamentos durante a pandemia. As informações são do jornal ‘O Globo’. Segundo a reportagem, a Polícia Federal já realizou desde abril 52 operações em 19 Estados, em busca de provas para aprofundar as investigações. Investigadores apuram agora, dentro desse universo de R$ 2 bilhões, quanto de fato foi desviado. Todas essas ações somaram 11 prisões preventivas, 120 detenções temporárias e 929 mandados de busca e apreensão.

Se a moda pega... – Em Santa Catarina, o governador Carlos Moisés (foto), do PSL, foi afastado na última sexta-feira pela Assembleia Legislativa. A denúncia contra ele foi apresentada em janeiro deste ano pelo ex-defensor geral de Santa Catarina, Ralf Zimmer, que apontou crime de responsabilidade na equiparação salarial dos procuradores do Estado. Segundo o denunciante, o reajuste não poderia ter ocorrido sem aprovação de lei na Assembleia. O pedido chegou a ser arquivado em fevereiro, mas em maio, após o escândalo dos respiradores, que criou uma crise política no Estado, uma nova manifestação do Tribunal de Contas apontou ilegalidade no reajuste aos procuradores e viabilizou o desarquivamento da denúncia no parlamento. Se a moda pega em nível municipal, Geraldo Júlio estaria frito no Recife.

Centrão de Alcolumbre – O Senado tem agora um Centrão para chamar de seu. A formação do grupo envolve negociações para a reeleição do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), filiação de senadores e tratativas para a distribuição de cargos e verbas no governo do presidente Jair Bolsonaro. Em busca da recondução ao cargo, em fevereiro de 2021, Alcolumbre está montando uma trincheira de articulação política no Salão Azul do Congresso em um jogo combinado com o Palácio do Planalto. A expansão dos domínios do Centrão para o Senado ganha relevância em um momento no qual o presidente também precisa de apoio na Casa que abriga seu filho Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), alvo de investigações.

Impulsionamento – Até agora, os candidatos nas eleições municipais de 2020 gastaram R$ 17, 5 milhões em impulsionamento de conteúdo na internet. Entre os cinco maiores fornecedores de serviços, três são especializados em marketing estratégico na web, como o Facebook Serviços Online, por exemplo. Os dados foram obtidos no portal DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral. A plataforma reúne a prestação de contas de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador. Os gastos dos postulantes seguem concentrados na publicidade em materiais impressos. Foram R$ 159,6 milhões até agora nesse modelo de propaganda. A despesa com a produção de programas de rádio e televisão vem logo em seguida, totalizando R$ 87 milhões.

CURTAS

O LÍDER – Entre os cinco principais fornecedores até agora, três estão relacionados ao impulsionamento de conteúdo. O Facebook faturou, diretamente, R$ 4,2 milhões. Mas a rede acaba recebendo dinheiro das eleições também pelas empresas de pagamento eletrônico Dlocal (R$ 7,7 milhões recebidos) e Ayen do Brasil (R$ 4,4 milhões). Elas funcionam como intermediárias para o pagamento das ações de impulsionamento. A maior parte dos gastos com essas empresas também está na rubrica “impulsionamento de conteúdo”. O fornecedor que mais recebeu recursos até o momento é a Irmãos Soutello & Mendonça Consultoria: R$ 8,6 milhões. A empresa está produzindo material em vídeo para a campanha à reeleição do atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB).

VASSOURADA – Ao ser reempossado em Paulista no lugar do prefeito Júnior Matuto (PSB), afastado pelo presidente do STF, Luiz Fux, o vice-prefeito Jorge Carreiro (PV) repetiu o mesmo ato quando tomou posse pela primeira vez, varrendo do cargo todos os servidores comissionados. "Procedemos como da primeira vez. Exoneração de todos os comissionados. Aqueles que se apresentarem para o trabalho nesta segunda-feira terão a análise da possibilidade de retorno", disse.

Perguntar não ofende: A quem a Polícia Federal dará bom dia ao longo desta semana? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Frase do dia. ...................... marcos de camaragibe queima rosca.

marcos

CNT/MDA: para 76% dos Brasileiros Lula é o político mais Ladrão e Corrupto de toda a história do Brasil.

Fernandes

CNT/MDA: para 76% dos brasileiros, corrupção aumentou ou permaneceu igual nos últimos dois anos. Nova pesquisa nacional CNT/MDA indicou que 39,3% da população brasileira acredita que a corrupção aumentou nos últimos dois anos. Para 36,6%, o desvio de verbas públicas permaneceu igual.

Fernandes

Cota feminina foi direcionada para empresas ligadas a dois assessores de Flávio Bolsonaro. Durante a campanha de 2018, o PSL do Rio de Janeiro direcionou dinheiro da cota feminina para empresas ligadas a dois assessores de Flávio Bolsonaro envolvidos no esquema de rachadinha. As duas empresas contratadas são Alê Soluções e Eventos e Jorge Domingues Sociedade Individual Advocacia, diz o UOL.

Fernandes

Se insistir nos sinais populistas, Bolsonaro vai levar o país ao desastre. A aceleração da inflação nos últimos meses constitui um alerta claro de que há problemas na economia e de que qualquer deslize do governo poderá levar o país a um quadro de grande dificuldade, diz a Folha de S. Paulo, em editorial.



24/10


2020

Coluna do sabadão

Quem enfrentará João?

A nova rodada de pesquisas no Recife via Datafolha e Ipespe mostra um cenário que parece consolidar o candidato do PSB, João Campos, no segundo turno. Ele recuou dois pontos em relação ao Ibope, de 33% para 31%, mas é incorreto comparações de números em cima de diferentes institutos. O fato é que seu distanciamento em relação ao segundo lugar, acima de 10 pontos percentuais, aponta uma posição confortável, fazendo crer que ficará a espera de saber quem será seu adversário.

Por enquanto, não se sabe. Na pesquisa do Datafolha, numericamente, seria Marília Arraes, do PT, mas Patrícia Domingos, do Podemos, e Mendonça Filho, do DEM, vêm logo em seguida, com uma distância de um ponto em relação ao outro. Como a margem de erro é de 4,4 pontos percentuais para mais ou para menos, ninguém pode estufar o peito e afirmar que também, como João, tem passaporte garantido para o ringue final.

Disputa em segundo turno, como se sabe, se reveste completamente diferente do embate inicial. É como se o jogo viesse a ser zerado. Teoricamente, o candidato da oposição leva vantagem se conseguir atrair efetivamente o apoio dos demais postulantes que se opõem ao nome da situação. Os fatores além da conjugação da soma dos votos no campo da oposição muitas vezes contrariam um simples prognóstico de que a soma de todos os votos da oposição seria suficiente para derrotar o candidato da situação.

Eleição de segundo turno vai muito mais além. O que pesa, além da questão ideológica, é a capacidade do candidato de se apresentar melhor na propaganda no rádio e na televisão, seu discurso de sustentação, empatia com o eleitor e, principalmente, cair na simpatia, ganhar a confiança dos eleitores indecisos, atrair para si o voto de quem tenha manifestado pela disposição de anular ou votar em branco.

A história não se repete em eleição. Tem candidato que ganha no primeiro turno e sai derrotado no segundo, como também existem aqueles que, saindo das urnas vitoriosos, já largam na frente nas pesquisas em busca de uma nova vitória. Quem João Campos preferia enfrentar, hoje, entre Marília, Mendonça e Patrícia? Todos têm suas peculiaridades, são adversários perigosos, mas que dependem de um fato básico: unir todos os oposicionistas num só palanque.

Pinta de campeão – Com a primeira pesquisa do Instituto Opinião apontando, ontem, em Caruaru, a prefeita Raquel Lyra (PSDB) com 59% das intenções de voto, quem se apresenta como campeão de voto nas eleições municipais até o momento é Miguel Coelho (MDB), que disputa a reeleição em Petrolina. Ele ultrapassa a casa dos 70%. Se isso se confirmar nas urnas, o emedebista pode se consagrar como o maior fenômeno eleitoral de 2020, carimbando o seu passaporte para uma eleição majoritária já em 2022. Filho do líder do Governo no Senado, Miguel tem ainda uma gestão com aprovação de mais de 90%, enquanto a de Raquel chega a 80%.

Vantagem de Anderson – Além de Miguel e Raquel existe uma expectativa concentrada também em relação ao prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL). Em céu de brigadeiro para reeleição, é apontado, também, como um quadro promissor para governador em 2022, a depender do seu comportamento nas urnas. Se despontar com maior percentual de votos do que Miguel e Raquel, pode levar vantagem na próxima eleição por ser um quadro representativo do cinturão eleitoral da Região Metropolitana do Recife. Mas, até o momento, não se tem uma pesquisa recente para aferir o seu potencial eleitoral.

Punição – Após a justiça se pronunciar sobre os fatos dos drives in, o promotor Eleitoral de Arcoverde, Diógenes Luciano Nogueira Moreira, em parecer emitido, ontem, na representação eleitoral n. 0600301-40.2020.6.17.0057, apresentou ao juiz Eleitoral do município as razões para a condenação do candidato a prefeito da Coligação União por Arcoverde, Wellington da WL, e dos candidatos que participaram do tal “drive in” domingo passado, na Av. José Bonifácio. Segundo consta do próprio parecer da promotoria eleitoral, o evento que causou grande aglomeração de pessoas ocorreu em desobediência às normas baixadas pela justiça eleitoral para eventos dessa natureza.

Efeito corrupção – Pesquisa Datafolha mostra que 43% dos eleitores do Recife votariam em um candidato a prefeito investigado por corrupção. No caso de o candidato investigado por corrupção já tiver ocupado um cargo público e feito melhorias para a população, 35% votariam nele e 63% não votariam, enquanto 2% não souberam responder. Se o candidato investigado por corrupção defender as ideias e os princípios em que os eleitores acreditam, 24% votariam nele e 73% não votariam, enquanto 3% não souberam responder. No caso de o candidato investigado por corrupção prometer fazer obras e trazer melhorias para a cidade, 21% votariam nele e 78% não votariam, enquanto 1% não soube responder.Se o candidato investigado por corrupção for conhecido e tiver prestígio, 16% votariam nele e 82% não votariam, enquanto 2% não souberam responder.

CURTAS

PANDEMIA – A mesma pesquisa aponta que, para 26% dos eleitores do Recife, a pandemia do novo coronavírus trouxe impactos econômicos. A maioria, no entanto, não teve mudança na vida economicamente ativa. Entre os homens, 57% continuam com o mesmo trabalho e 5% já estavam desempregados, enquanto, na parcela de mulheres, 41% mantiveram o trabalho e 13% continuaram desempregadas. Na parcela dos mais pobres, com renda mensal de até dois salários-mínimos, 42% mantiveram suas atividades anteriores, 19% ficaram desempregados e 11% já estavam sem ocupação e continuaram nessa situação. Entre quem tem renda superior a cinco salários, 69% continuaram com seu trabalho, 3% perderam o emprego e não se recolocaram e 4% já estavam desempregados e continuaram dessa forma com a chegada da pandemia.

NOVO PREFEITO – Após o Supremo Tribunal Federal (STF) determinar o afastamento do prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), o vice-prefeito do município, Jorge Carreiro (PV), tomou posse na manhã de ontem pela manhã. Após a solenidade, Carreiro participou de uma reunião com o secretariado do município. A posse de Carreiro ocorreu após a determinação do presidente do STF, ministro Luiz Fux, de afastar novamente Júnior Matuto da gestão municipal. O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) foi notificado da decisão e está "adotando as medidas necessárias".

Perguntar não ofende: As eleições vão banir o PT do mapa do poder municipal?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Frase da noite. ...................... marcos de camaragibe queima rosca.

marcos

Frase da noite. ...................... Lula é Ladrão.

marcos

O PT está muito bem nas eleições municipais. O partido está muito bem fudido. kkkkkkkkkkkkkkkkk

marcos

Escândalo das ONGs, que envolve filha de Lula Ladrão volta a ser lembrado.................................. Imagem em destaqueForam inúmeros e incontáveis os escândalos durante os dois governos de Lula. Ele sempre conseguiu sair ileso. Um caso rumoroso, que volta a ser lembrando nas redes sociais foi a tal ‘CPI da ONGs’. Foram três anos de investigações, um imenso relatório, que nunca foi sequer apreciado, culminando com o arquivamento de todo o processo. Entre os envolvidos, a filha mais velha de Lula, Lurian Cordeiro Lula da Silva. O que se conta é que, meio endividada, ela resolveu levantar uma grana. Para tanto, orientada por Jorge Lorenzetti, o churrasqueiro do pai, montou sua própria ONG, a Rede 13. A Rede 13 foi criada em 2003, supostamente para arrecadar alimentos em Santa Catarina. Foi extinta no mesmo ano, após receber do governo federal um repasse de R$ 7,5 milhões. Ou seja, a Rede 13 existiu apenas para que o repasse desta verba fosse feito para a filha de Lula, que hoje reside abastadamente, em Maricá, no Rio .

marcos

PT pode perder registro partidário.............................................. A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), já havia se pronunciado na noite de sábado (4), em nota oficial do partido Nesta segunda-feira (6) o vice-procurador-geral eleitoral, Renato Brill de Góes, deu parecer favorável à ação que pede cassação do registro do Partido dos Trabalhadores (PT), tendo como base a Lei dos Partidos Políticos, que prevê cancelamento de legendas que tenham recebido recursos estrangeiros. A manifestação responsável pelo pedido de cancelamento foi apresentada ainda em março, no dia 27, que alegava que “no curso da operação Lava Jato restou demonstrado que o PT recebeu recursos de origem estrangeira”. Além disso, também foi usada a delação do doleiro Alberto Youssef.



23/10


2020

Coluna da sexta-feira

A vacina e o impeachment

O affair vacina chinesa, que o presidente Bolsonaro se recusa a comprar o primeiro lote que havia sido anunciado pelo ministro da Saúde, gerou uma crise política e já tem até ameaça de pedido de impeachment. O Partido Cidadania, presidido pelo pernambucano Roberto Freire, sinalizou, ontem, com uma ação nesse sentido, caso o chefe da Nação desautorize a compra de uma vacina que se comprove eficaz contra a covid-19.

A estratégia está sendo avaliada pela cúpula do partido e depende dos próximos passos do Governo. A discussão aumenta a pressão sobre Bolsonaro após ele ter desautorizado o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. A compra de doses de um laboratório chinês produzidas com o Instituto Butantã, de São Paulo, havia sido anunciada pelo Ministério da Saúde na terça-feira. Bolsonaro, porém, ficou inconformado com o destaque recebido pelo governador João Doria (PSDB-SP) no episódio e avaliou que Pazuello se precipitou.

A nacionalidade e o domicílio eleitoral da vacina deram fôlego à ala ideológica do governo, que atacou a iniciativa tomada com aval dos militares. Se for comprovado que realmente a vacina pode imunizar a população do novo coronavírus, uma atitude de Bolsonaro para barrar o financiamento poderia ser enquadrada como crime de responsabilidade ou até mesmo crime comum, de acordo com o presidente do Cidadania, Roberto Freire.

Um processo de impeachment precisa passar pelo crivo do Congresso e, inicialmente, depende de uma decisão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que, até o momento, rejeita autorizar uma denúncia. "Crime de responsabilidade, durante ainda o curto mandato do presidente, tem a granel. Se essa vacina for atestada do ponto de vista científico como eficaz e ele tentar impedir, não é nem crime de responsabilidade, é crime comum para ser processado por atentado à saúde e à vida dos brasileiros", diz Freire.

Imbecilidade – "Discutir a coloração política da vacina é uma imbecilidade”, acrescentou. Freire ponderou que não vê ambiente político para impeachment no momento, apesar da posição de Bolsonaro. O presidente afirmou que “qualquer vacina, antes de ser oferecida, deverá ser comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela ANVISA”. A posição de confronto com Doria incomodou líderes do Congresso. "Impeachment é quando há crime de responsabilidade. Se ele tomar alguma atitude que caracterize, podemos considerar um pedido, embora não seja o que discutimos neste instante. A postura do presidente é altamente inaceitável", afirmou o líder do Cidadania na Câmara, Arnaldo Jardim (SP).

No protocolo – Na quarta-feira passada, a Rede Sustentabilidade protocolou ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar Bolsonaro a assinar protocolo de intenções para a aquisição de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech e em desenvolvimento no Instituto Butantã, em São Paulo. Na avaliação do partido, Bolsonaro agiu violando o direito à vida e à saúde, com o objetivo de "privar a população brasileira de uma possibilidade de prevenção da covid-19 por puro preconceito ideológico ou, até pior, por motivações estritamente políticas".

Gabinete do ódio – Acabou a temporada do “Bolsonaro paz e amor”. A guerra das vacinas devolveu à cena política o presidente Jair Bolsonaro como ele é, insuflado pelas redes sociais no estilo “quem manda sou eu”, que havia sido arquivado após investigações do Ministério Público, da Polícia Federal e do Supremo Tribunal Federal atingirem sua família e amigos. Agora, porém, no momento em que Bolsonaro vê a Procuradoria-Geral da República como sua aliada e consegue nomear pessoas de sua mais estrita confiança para o Supremo e o Tribunal de Contas da União (TCU), o “gabinete do ódio” voltou.

Cueca 1 – A República Federativa das Cuecas ganhou um novo episódio, ontem, em Brasília. O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal com dinheiro escondido nas vestes íntimas, agora terá que dividir seu protagonismo com um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que apareceu numa reunião virtual de trabalho da Corte apenas de camisa social, gravata e toga. Tudo corria bem em mais uma sessão do tribunal. Com suas togas, os ministros da 6ª Turma do STJ faziam considerações profundas do saber jurídico, em uma sessão transmitida via internet, para o pleno vigor de transparência ao público. Mas acabou transparecendo demais.

CURTAS

CUECA 2 – No meio da sessão, enquanto um de seus pares discorria sobre um julgamento, o ministro Néfi Cordeiro caminhou até a imagem de uma estante de livros, o que se tornou símbolo da ostentação acadêmica e cultural em tempos de pandemia. Na transmissão, os contornos da toga do ministro aparecem borrados não por uma edição, mas porque o aplicativo Zoom permite o uso de um plano de fundo virtual que, enquanto há movimento, faz a imagem ficar alterada. Com um celular nas mãos, escrevendo mensagens, Cordeiro esqueceu-se de prestar atenção no que dizia o colega de turma. Esqueceu-se, também, que havia deixado ligada a câmera de seu computador. Na tela, durante a discussão, o ministro brilhou de cuecas, com a sua toga até a cintura, como mostrou, ontem, os segundos divulgados pelo site jurídico Jota.

PESQUISA CARUARU – A pesquisa do Instituto Opinião em parceria com este blog sobre a sucessão em Caruaru somente será postada, hoje, exatamente, às 7h15, horário do primeiro jornal da Rádio Cultura do Nordeste, integrante da Rede Nordeste de Rádio, que retransmite o programa Frente a Frente. A emissora fechou a parceria para a divulgação. Portanto, estamos quebrando uma tradição de trazer o levantamento à meia noite, como habitualmente fazemos.

Perguntar não ofende: O Brasil virou a República das Cuecas?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro proíbe vacinas, mas libera agrotóxicos chineses. Pode isso, marcos queima rosca de camaragibe?

marcos

Até na China o povo já sabe que Lula é Ladrão.

Fernandes

Vacina chinesa eu não tomo, disse o brasileiro imbecil que todo ano toma vacina contra gripe H1N1 da Sinivac Biotech, que é chinesa.

Fernandes

Planalto recebeu informação de que filhos de Bolsonaro podem ser presos. Veja.Abril.com.br

Fernandes

Tal pai, tal filho, diz o ditado. Clã bozo tudo bandido.



22/10


2020

Coluna da quinta-feira

Relações perigosas do Podemos

Apesar de todo o flerte da candidata do Podemos, Patrícia Domingos, com o eleitorado bolsonarista nas eleições do Recife, o seu partido tem ligações estreitas com o ex-ministro José Dirceu, considerado o grande arquiteto das maldades que o PT impôs ao Brasil e aos brasileiros. Membro da família que comanda a legenda da delegada, Paulo Masci de Abreu, anunciou, há sete anos, a contratação de Zé Dirceu para gerente administrativo o hotel do qual é dono, o Saint Peter, localizado em Brasília.

O salário registrado na carteira de Dirceu, àquela altura já condenado pela operação Lava Jato, era de R$ 20 mil. Reportagens da época mostram que a família Abreu jamais conseguiu explicar o controle do hotel, que teria como sócia majoritária uma empresa chamada Truston, localizada no Panamá, conhecido por ser um paraíso fiscal. O dono da Truston, José Eugênio Ritter, foi envolvido num escândalo milionário de corrupção no Equador.

Atualmente, o Podemos é presidido por Renata Abreu, filha do ex-deputado José de Abreu, irmão de Paulo Masci de Abreu. Renata, que é deputada federal, presidiu o Centro de Tradições Nordestinas (CTN) de São Paulo, que em 2013 precisou devolver R$ 4,8 milhões aos cofres públicos por não conseguir comprovar a execução de um projeto.

Um povo sem memória é um povo sem história, já ouvi de meu avô. Muitas vezes, é o passado que ajuda a explicar o presente, e não seria diferente em relação ao que está ocorrendo no Recife entre os que se apresentam como arautos da moralidade.

O vídeo de Chico – Flagrado pela Polícia Federal com R$ 33,1 mil na cueca, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) quebrou o silêncio sobre o episódio indigesto. Em vídeo enviado a colegas no Senado, o ex-vice-líder do Governo afirmou que escondeu o dinheiro em um ‘ato de impulso’. “Por que guardei o dinheiro? Nunca tinha sido acordado pela polícia. Acordei em meio a pessoas estranhas em meu quarto. Em um ato de impulso, protegi o dinheiro do pagamento das pessoas que trabalham comigo. Se levassem esse dinheiro, ninguém iria receber nessa semana”, afirmou na gravação que passou a circular em Roraima, Estado de Chico.

Grampinho – Em entrevista, ontem, à Rádio Metrópole de Salvador, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chamou o prefeito da capital baiana, ACM Neto (DEM), de "grampinho", ao mencionar que não se importava com os resultados das pesquisas eleitorais que apontam favoritismo de Bruno Reis (DEM) na disputa local. "Não adianta dizer pra mim que o candidato do 'grampinho' tá na frente. Quem é que ia imaginar que o Jaques Wagner (PT) iria ganhar no primeiro turno para o Governo da Bahia? Que o Rui Costa (governador baiano) ia ganhar no primeiro turno?", disse Lula.

Bate rebate – Após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmar, ontem, no Facebook, que o Brasil não irá comprar "a vacina da China", o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou no Twitter que a influência de qualquer ideologia em temas fundamentais, como a saúde, só prejudica a população. Câmara não citou diretamente o caso ou o anúncio de compra das vacinas feito pelo Ministério da Saúde, mas se pronunciou sobre a disponibilização de vacinas para a população do País. "Defendemos que todas as vacinas consideradas seguras, avalizadas pelas autoridades, sejam disponibilizadas ao povo brasileiro. É preciso dar este passo na superação da Covid-19", disse o governador.

Noronha – A Associação de Donos de Hospedarias de Fernando de Noronha programou a realização de um voo extra, no próximo domingo, para o transporte de profissionais. Apesar da ampliação do turismo ter acontecido no dia 10 de outubro, muitos estabelecimentos ainda estão fechados e precisam trazer do continente trabalhadores, liberados das atividades na ilha desde o início da pandemia da Covid-19. A diretoria da associação fretou um avião, tipo jato, da empresa Azul. “A Associação de Hospedaria fretou um voo para trazer os colaboradores. A ilha não está com 100% da malha aérea, por isso optamos pelo fretamento”, informou a diretora da Associação, Dôra Martins.

CURTAS

PAPA SURPREENDE – O Papa Francisco reconheceu em um documentário apresentado, ontem, no Festival de Cinema de Roma, que as pessoas homossexuais devem ser protegidas por leis de união civil. "Os homossexuais têm o direito de ter uma família. Eles são filhos de Deus", disse Francisco em uma de suas entrevistas para o filme. "O que precisamos ter é uma lei de união civil, pois dessa maneira eles estarão legalmente protegidos." O apoio do papa à união civil de homossexuais apareceu na metade do filme, que investiga as questões que mais preocupam Francisco, como meio ambiente, pobreza, migração, desigualdade racial e de renda, e aqueles mais afetados pela discriminação. O documentário foi dirigido pelo americano de origem russa Evgeny Afineevsky.

LIVE COM MINISTRO – O ministro das Comunicações, Fábio Faria, nordestino do Rio Grande do Norte, é o convidado da live deste blog, hoje, às 18 horas, pelo Instagram, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, hoje com mais de 40 emissoras nos Estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Bahia. Na pauta, a privatização dos Correios e Telégrafos, com reação negativa por parte dos servidores, e a política da sua pasta, com destaque para o Nordeste.

Perguntar não ofende: Qual cenário o Datafolha trará, hoje, em mais uma rodada de pesquisa sobre a sucessão no Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Quem vota em político Miliciano feito marcos de camaragibe dá o rabo.

Fernandes

Não espalhem, marcos de camaragibe queima rosca.

marcos

Não espalhem, Lula é Ladrão e Côrno.

marcos

Quem vota em político ladrão e corrupto dá o rabo.

Fernandes

Não espalhem, mas a vacina da gripe contra o H1N1 também é chinesa...



21/10


2020

Coluna da quarta-feira

A arte de convencer

Depois do efeito das pesquisas de intenção de voto, as eleições passaram a ser regidas pela ditadura dos números do sobe e desce na preferência do eleitorado entre os candidatos em disputa. Pleito municipal não é diferente e a cidade, por menor que seja, não escapa da influência desse fator preponderante. No Recife, que não é uma ilha, a cada pesquisa uma reação.

Amanhã, tem Datafolha, via TV-Globo-JC. A esta altura, os candidatos mais competitivos já estão roendo as unhas de tamanha ansiedade. Há de se esperar se o fato novo, o crescimento repentino do candidato do PSB, João Campos, se confirme. Na última do Ibope, a semana passada, ele roubou a cena. Subiu dez pontos percentuais e ficou numa posição confortável. Logo, a pergunta que mais se faz na cidade é se ele ganhará no primeiro turno.

Especialista no assunto, o professor Antônio Lavareda, do Ipespe, que agora ganhou um blog da revista IstoÉ para comentar pesquisas, avalia que a eleição no Recife ainda se configura para uma disputa em dois turnos. O que se sabe, hoje, é que João tem seu lugar assegurado no confronto final, aguardando apenas o seu adversário, que sairá entre Marília Arraes (PT), Mendonça Filho (DEM) e Patrícia Domingos (Podemos). Os três, segundo as últimas sondagens, aparecem empatados, tecnicamente.

O que se ouve no rádio corredor do Palácio das Princesas e no Palácio Capibaribe, local de despacho do governador e do prefeito do Recife, respectivamente, ambos do PSB, é que o chamado tracking (acompanhamento diário da tendência do eleitor por telefone) já aponta João bem mais à frente dos números do Ibope da semana passada. Se isso se confirmar com o Datafolha amanhã, a oposição será obrigada a rever o rumo da campanha, assim como a estratégia escolhida para a propaganda no rádio e na TV.

Candidato só cresce em pesquisa quando seu discurso, suas propostas e seu desempenho na campanha caem na graça do eleitorado. Há quem ache que o ainda discreto favoritismo de João nas pesquisas se dê por causa do verdadeiro exército de aliados batalhando o voto para ele, que tem a maior frente partidária, o maior tempo no rádio e na televisão, duas máquinas moendo 24 horas em seu favor.

Uma eleição, na verdade, não se resume ao humor das pesquisas. Também não é uma corrida de 100 metros, mas uma maratona na qual o candidato tem que ter um mínimo de arte, a arte de convencer.

Tem IPESPE também – O Ipespe, de Antônio Lavareda, também traz, amanhã, mais uma rodada de pesquisas sobre a sucessão no Recife. Na primeira, em setembro, publicada pela Folha, apontou um cenário de empate entre os quatro principais postulantes, mas se deu há mais de 30 dias, o que já mudou muito, segundo revelaram Ibope e Datafolha. O Instituto Opinião, de Campina Grande, também identificou essa mudança em levantamento de 15 dias atrás, o que reforça a tese de que pesquisa é uma fotografia do momento, varia de acordo com o humor do eleitor.

Yves reverte – O candidato do MDB a prefeito de Paulista, Yves Ribeiro, conseguiu liminar na primeira instância federal, em Brasília, suspendendo os efeitos do processo de impugnação da sua candidatura. A decisão foi do juiz Eduardo Rocha Penteado, da 14ª Vara Federal Cível, na capital. Um trecho da decisão diz que o Tribunal, por unanimidade, apreciando o tema 899 da repercussão geral, negou provimento ao recurso extraordinário, mantendo-se a extinção do processo pelo reconhecimento da prescrição, nos termos do voto do Relator. Foi fixada a seguinte tese: "É prescritível a pretensão de ressarcimento ao erário fundado em decisão de Tribunal de Contas”.

Fim de carreira – No Cabo, conforme este blog antecipou, ontem, o candidato do MDB, Elias Gomes, saiu da disputa e anunciou apoio ao postulante do PL, Keko da Farmácia, vice-prefeito e que assumiu durante a ausência do prefeito Lula Cabral (PSB). Na sua fala, Elias alegou que fez o gesto em nome da unidade das oposições, mas, na verdade, ele correu de mais uma derrota para Lula, que é o favorito. Ex-prefeito do município, Elias perdeu o poder para o próprio Lula e nunca mais seu grupo se recuperou do baque eleitoral. Sua jogada de toalha se deu porque vinha patinando nas pesquisas, na lanterninha.

Lula derrotado – A 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça negou, ontem, por unanimidade, sete recursos da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pediam a revisão de decisões que o colegiado já havia negado anteriormente. Os recursos, feitos por meio de embargos de declaração, são relacionados a desdobramentos das operações Lava Jato, que apura desvios ligados à Petrobras, e Spoofing, que investiga a invasão de celulares de autoridades, entre elas o ex-juiz Sergio Moro e os procuradores. O relator, ministro Félix Fischer, rejeitou todos os pedidos e teve o voto acompanhado pelos outros magistrados. Não houve debates, e a defesa de Lula não se manifestou durante o julgamento porque não há previsão nesta etapa processual.

CURTAS

PSL EM BAIXA – Em sua primeira eleição na condição de partido grande, o PSL enfrenta defecções em algumas capitais importantes típicas dos nanicos e que podem ampliar o tumulto interno da legenda. No Rio, parlamentares bolsonaristas já estão na campanha de Marcelo Crivella (Republicanos), em detrimento de Luiz Lima. Luciano Bivar, presidente do PSL, minimiza as “traições”, mas admite tratar-se de “um desconforto para o partido”. Ainda assim, disse acreditar que, no balanço final, as cizânias serão inferiores aos bons resultados das urnas para o PSL. Destinatário de R$ 199 milhões do fundo eleitoral, o PSL não tem nome despontando nas capitais. Em São Paulo, o fraco desempenho de Joice Hasselmann nas pesquisas desmotiva o PSL e provoca defecções.

DESPREZÍVEL – Em Ipojuca, o ex-prefeito Carlos Santana, que entrou na disputa para tentar voltar ao poder pelo PSB, vestiu, literalmente, a camisa vermelha do PT num ato no último fim de semana. Se por um lado quis agradar à militância petista que não o engole, por outro o gesto foi um tiro no pé, até porque o neo-socialista, que já foi tucano, passou a vida inteira sendo atacado pela estrela vermelha, o PT algoz. Já ouvi que o oportunismo mal direcionado é grotesco. Neste caso, chega a ser desprezível.

Perguntar não ofende: A Polícia Federal esqueceu de fazer a sétima operação na Prefeitura do Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Tarde!

Fernandes

O chefe é o insano de sempre, diz Roberto Freire. Bolsonaro é o arauto da morte. Dela se alimenta. Não importa se a vacina pode nos livrar da Covid. Para ele, quanto mais brasileiros doentes, com sequelas e mortos, melhor. Para ele, é política acima de tudo.

marcos

Geraldo Júlio e Paulo Câmara tem rejeição maior que o presidente mito Jair Bolsonaro em Recife. Ui

marcos

O Brasil é um país livre, quem quiser tomar a vacina chinesa que tome. Agora imposição é pra regime comunista, então senhor Dória e Roberto Freire tomem no cu.

Fernandes

O chefe é o insano de sempre, diz Roberto Freire. Bolsonaro é o arauto da morte. Dela se alimenta. Não importa se a vacina pode nos livrar da Covid. Para ele, quanto mais brasileiros doentes, com sequelas e mortos, melhor. Para ele, é política acima de tudo.



20/10


2020

Coluna da terça-feira

Efeito Bolsonaro na eleição

Única região onde o presidente Jair Bolsonaro saiu derrotado no segundo turno das eleições de 2018, o Nordeste presencia uma multiplicação de candidaturas bolsonaristas no pleito de 2020. Utilizando fotos, jargões e mesmo citando o presidente em peças publicitárias, candidatos a prefeito na maioria das capitais tentam aproximar suas imagens à de Bolsonaro para conquistar parte do eleitorado.

Antes de a campanha começar, o presidente declarou que não participaria ativamente do primeiro turno. Bolsonaro, no entanto, mudou de ideia e interferiu diretamente na formação da chapa de Celso Russomanno, fazendo a ponte entre o candidato do Republicanos e o PTB, que aceitou a vaga de vice em São Paulo. Sem a declaração formal de apoio do presidente, os candidatos se anteciparam e fizeram o movimento inverso, dizendo-se apoiadores de Bolsonaro.

Catorze candidatos em oito capitais nordestinas fazem campanha usando referências ao chefe do Executivo federal. Exatamente pelo fato de Bolsonaro ter perdido as eleições no Nordeste, setores ligados a ele, ou que querem se ligar a ele, tentam criar uma alternativa que não existia até então. É uma iniciativa política que quer criar uma nova realidade e se apóia no prestígio do presidente para penetrar em uma área em que ele ainda está enfraquecido.

Essa tendência identificada nos Estados nordestinos neste ano é um fenômeno que se repete na política brasileira. Quando se tem um político, uma força política ou mesmo um movimento político que tem uma capacidade de implantação muito grande, por ter vencido eleições, ou que está em uma crescente de popularidade, quem está tentando chegar ao poder tenta 'colar' nessas figuras para crescer, principalmente candidatos novatos.

Cola expressa – Enquanto alguns candidatos optaram por menções explícitas, publicando materiais de campanha ao lado do presidente e criando slogans no estilo "BolsoDoria" - como o candidato do Avante em Aracaju, Lucio Flavio, que publicou uma arte com os slogans "LucioNaro" e "BolsoFlávio" –, outros preferiram uma abordagem indireta. Candidatos pelo PSL, ex-partido de Bolsonaro, em Natal e Recife, delegado Leocádio e Carlos 17 tentam captar o eleitorado bolsonarista recorrendo à associação com o número da sigla. A propaganda eleitoral de ambos menciona que "quem votou 17 para presidente em 2018 vai votar 17 para prefeito em 2020".

Legado eleitoral – Apesar da tentativa de associar seus nomes ao do presidente, a estratégia dos candidatos varia de acordo com o município em questão. Em Maceió, João Pessoa e Natal, por exemplo, Bolsonaro obteve maioria nas eleições de 2018. Nesses casos, a luta dos candidatos é tentar herdar o legado eleitoral construído pelo presidente no pleito anterior. Nas três capitais citadas, cinco candidatos "se declararam" bolsonaristas. Ampliando o recorte, se contabilizarmos declarações públicas em que outros candidatos manifestaram simpatia ou proximidade ao presidente, o número sobe para pelo menos oito.

Ajuda emergencial – O fenômeno não se restringe apenas às cidades em que Bolsonaro foi maioria. Em Recife, Salvador, Aracaju, Teresina e São Luís, nove candidatos fazem campanhas apoiadas, de algum modo, no presidente. Em nenhuma dessas cidades Bolsonaro conquistou mais de 48% dos votos em 2018. Dois aspectos gerais são apontados como possíveis fatores a justificar a escolha dos candidatos: o sucesso do auxílio emergencial de R$ 600 - que coincide com a crescente popularidade do presidente em pesquisas na região - e a própria pandemia da covid-19, que acabou por acirrar a disputa entre o governo federal e governos estaduais e municipais, fazendo com que grupos políticos tentem se aproveitar da situação de conflito.

Avaliação negativa – De acordo com uma pesquisa Ibope, divulgada em setembro, a avaliação positiva do presidente cresceu de 21% para 33% em nove meses. Mesmo assim, o Nordeste continua sendo a região do País onde o governo é mais mal avaliado. Apesar do apelo do presidente como figura política nacional, o caráter local das eleições municipais acaba por sofrer com a influência direta de lideranças estaduais e inseridas dentro do contexto de cada cidade. Não é possível, entretanto, analisar qual fator terá mais influência na disputa de 2020 sem um aprofundamento no cenário de cada município.

CURTAS

CARONA EM DINO – Um exemplo claro da influência regional nos candidatos, contudo, pode ser visto em São Luís. A cidade tem um único candidato bolsonarista declarado, Sílvio Antônio (PRTB), enquanto pelo menos quatro candidatos apóiam suas campanhas na figura do governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB), que conta com boa avaliação entre os maranhenses. Nas propagandas exibidas no horário eleitoral obrigatório de 9 de outubro, os candidatos Bira do Pindaré (PSB), Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM) e Rubens Júnior (PCdoB) citaram suas relações com Dino.

EXCEÇÃO – Fortaleza é a única capital nordestina sem uma candidatura abertamente bolsonarista até o momento. No caso da capital cearense, dois candidatos foram apontados por adversários como aliados do presidente: Heitor Freire (PSL) e Coronel Wagner (PROS). Nenhum deles, contudo, declarou-se como o candidato de Bolsonaro para o pleito até aqui. Durante uma live no dia 8 de outubro, Bolsonaro chegou a afirmar que estaria apoiando um "capitão" nas eleições da capital cearense. No entanto, o candidato do PROS não repercutiu a declaração ou utilizou o presidente como cabo eleitoral.

Perguntar não ofende: Bolsonaro vai aparecer em alguma capital do Nordeste para pedir voto?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Tarde!

marcos

Depois de Palocci confessar que entrava dinheiro a Lula em caixas de sapato, vem a frase do dia: .... Lula não é a Barbie mas adora uma Caixinha. .....kkkkk

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite!

Fernandes

Apesar da licença, senador do dinheiro na bunda pode ter afastamento julgado pelo STF.

Fernandes

Caso Chico Rodrigues vice-líder do governo Bozonaro mostra que Lava Jato não eliminou corrupção. Esse episódio do dinheiro na cueca prova que o presidente Bozonaro estava errado quando falou que a corrupção acabou no governo.



18/10


2020

Coluna da segunda-feira

Sem Clássico das Multidões

Palco de históricas e acirradas disputas eleitorais, envolvendo três grupos com balaios cheios de votos – Zé Queiroz (PDT), Tony Gel (MDB) e João Lyra (PSDB) – Caruaru vive, pela primeira vez nos últimos 50 anos, uma campanha apática, sem graça, sem apostas, sem emoção. Dos três donatários das capitanias eleitorais, com terrenos demarcados pelas cores vermelha, azul e amarela, apenas um está na arena para a guerra: o dos Lyra, apostando na reeleição da prefeita Raquel, herdeira política do cacique do seu grupo, o pai João, que governou a cidade e o Estado.

Diante de cenário com tamanha surpresa, achei bem apropriada para o contexto uma frase do jornalista César Lucena, da Rádio Cultura: “Sem Zé e Tony na campanha em Caruaru é como se a gente vivenciasse um Campeonato Pernambucano de futebol sem Santa Cruz e Sport, só com o Náutico. Não tem graça”, disse ele. Fiquei a matutar. Lucena é cobra criada no jornalismo. Tanto entende de política quanto de futebol. Já cobriu três Copas do Mundo.

Remanescente da vizinha Riacho das Almas, professor de carreira, na tribuna da Cultura Lucena dá, todos os dias, seus pitacos, empareda vendedores de ilusão com conhecimento de causa da cultura política da terra do mestre Vitalino. Ex-prefeitos testados nas urnas e aprovados pela população, Zé e Tony foram protagonistas de grandes embates eleitorais, em campos opostos, um enfrentando o outro, em campanhas que o sangue jorrava pelas canelas.

Hoje, nenhum está no ringue. Teoricamente, o destino os uniu, pela primeira vez, no palanque do socialista Marcelo Gomes, porque a pandemia do coronavírus atrapalhou os planos de Zé entrar na disputa e uma enfermidade, por sua vez, levou Tony a penduras as chuteiras, pelo menos nas eleições deste ano. Resultado: Caruaru ficou, na política, sem o seu Clássico das Multidões, legenda dada ao duelo dos gigantes do futebol, Santa X Sport, que leva a galera ao delírio.

Candidata à reeleição, Raquel havia montado uma estratégia com o cenário de Zé ou Tony como adversário. No apagar do prazo de registro das chapas, nem um nem outro se armou para a guerra. A tucana refez os planos. Sentindo-se ampla favorita, não vai a debates com Marcelo (PSB), Raffiê Dellon (PSD), Erick Lessa, o delegado (PP), e o petista Marcelo Rodrigues. Nem tampouco participa de entrevistas, algo inédito no mapa nacional de eleição.

Ela pode até estar cumprindo à risca o figurino dos seus marqueteiros, mas diferente do peru, que morre de véspera para ser devorado no Natal, eleição se resolve no dia, é uma caixinha de surpresas. À propósito, no Blog Cenário, o jornalista Américo Rodrigo adverte a prefeita para um exemplo que vem de dentro da sua casa: em 2004, João Lyra, o pai dela, perdeu a eleição aos 45 minutos do segundo tempo, já quase na prorrogação, para Tony Gel, porque esqueceu de fazer campanha, achando que estava eleito.

Vale repetir Agamenon Magalhães: a ilusão da política é pior do que a do amor.

Quem sobe, quem desce – As últimas pesquisas eleitorais mostram que três capitais podem decidir seus prefeitos já em 1º turno, segundo levantamento do site Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues. É esse o número de capitais onde as intenções de voto no primeiro colocado superam a de todos os outros candidatos. Em outras quatro, o cenário está indefinido. Há candidatos liderando com larga vantagem, mas não superam todos os outros acima da margem de erro dos levantamentos. O DEM pode conquistar dois desses sete municípios já em 15 de novembro: Curitiba e Florianópolis. O segundo turno poderá ser necessário em 19 capitais.

Sudeste embaralhado – São Paulo, a maior e mais rica cidade do País, está com a corrida eleitoral indefinida. Hoje, Celso Russomanno (Republicanos) e Bruno Covas (PSDB) iriam ao segundo turno. Também no Sudeste observa-se a maior discrepância entre um candidato e outro. Em Belo Horizonte, o prefeito Alexandre Kalil (PSD), candidato à reeleição, tem 59% das intenções de voto, segundo o Ibope. Numericamente em seguida aparece João Vitor Xavier (Cidadania), com 7%. Está empatado em 2º lugar, considerando a margem de erro, com outros oito candidatos. No Rio, quem lidera é o ex-prefeito Eduardo Paes, mas ainda num cenário de segundo turno enfrentando o prefeito Crivella.

No Nordeste – As disputas estão emboladas em todas as capitais do Nordeste. Em Salvador, Bruno Reis (DEM), candidato de ACM Neto, é favorito, tem hoje 42%, mas não leva ainda no primeiro turno. O segundo colocado é o Pastor Sargento Isidório, do Avante, com 10%. Em Fortaleza, o Capitão Wagner, do Pros, lidera com 35%, e em segundo aparece a petista Luizianne Lins, com 15%. Em Maceió, e briga promete entre JHC, do PSB, e Alfredo Gaspar, do MDB, este apoiado pelo prefeito. Estão empatados, 26% a 25%, respectivamente. Já em São Luís, o candidato do governador Flávio Dino, Rubens Júnior, do PCdoB, é o último, com apenas 4%. Quem lidera é Eduardo Braide, do Podemos, com 42%, seguido de Duarte Júnior, do Republicanos, com 15%. Neto Evangelista, do DEM, tem 11%.

Demais estados – Ainda adentrando o território nordestino, em João Pessoa o duelo se trava entre o ex-prefeito Cícero Lucena, do PP, que tem 18%, Nilvan Ferreira, do MDB, que aparece em seguida com 15% e o ex-governador Ricardo Coutinho, do PSB, com 12%. Bem próximo a ele, Walber Virgolino, do Patriota, com 10%. Já em Aracaju, o prefeito Edvaldo Nogueira, do PDT, tem hoje 32% e deve ir ao segundo turno com a delegada Danielle, do Cidadania, que desponta com 21%. Os demais candidatos somam 23%. Em Natal, quem lidera é o tucano Álvaro Dias, com 36%, e em segundo aparece Kelps Lima, do Solidariedade, com 10%. Em Teresina, por fim, quem lidera é o candidato do MDB, Doutor Pessoa, com 34%, seguido pelo tucano Kleber Montezuma, com 18% e Fábio Abreu, do PL, tem 16%.

CURTAS

NO SUL – No Sul do País, há também cenários atualizados da disputa municipal. Em Curitiba, o prefeito Rafael Greca, do DEM, está bem próximo de ser reeleito no primeiro turno. Tem 47% das intenções de voto e os demais candidatos 27%. Em Florianópolis, quem lidera é Gean Loureiro, do DEM, com 44%, seguido por Ângela Amin, do PP, com 15%. Em Porto Alegre, por fim, quem assumiu a liderança foi Manuela D'Ávila, do PCdoB, com 24%, seguida por José Fortunati, do PTB, com 14% e Sebastião Melo, do MDB, com 11%. Na briga ainda Nelson Marchezan Júnior, do PSDB, com 9%.   

LIVE DE HOJE – Autor do livro “Casaca e chuteiras”, que trata da trajetória do Rei Pelé, o jornalista mineiro Silvestre Gorgulho, com quem trabalhei no Jornal de Brasília, é o convidado da live deste blog, hoje, às 19 horas, pelo Instagram. Trata-se de resultado de uma pesquisa ao longo dos últimos dez anos com o alho e faro apurados do grande e talentoso repórter que é o Gorgulho.

Perguntar não ofende: A quem a Federal dará bom dia ao longo da semana que começa hoje?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Sergio Murilo Pereira Araujo

Raquel Lira, futura governadora de Pernambuco.

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite!

marcos

E Lula coitado além de Côrno, Ladrão, Corrupto, Comedor de Cabras, Mentiroso e Cabra Safado está ficando Gagá. Dá uma pena!

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite!

Fernandes

ALGUÉM SABE ME DIZER SE FOI PRECISO O SENADOR CHICO RODRIGUES, VICE-LÍDER DO GOVERNO BOZOVERNO TOMAR ALGUM LAXANTE OU SUPOSITÓRIO PARA LIBERAR AS MOEDAS DE 1 REAL, GALERA?



17/10


2020

Coluna do sabadão

TV faz João crescer

O crescimento de dez pontos percentuais, de 23% para 33%, num intervalo de apenas uma semana no levantamento do Ibope, pelo candidato do PSB a prefeito do Recife, João Campos, tem apenas uma lógica: se não houve nenhum fato novo na campanha, capaz de mexer com o humor da população, o fenômeno está associado, naturalmente, ao sucesso da sua propaganda eleitoral no rádio e na televisão. Seu guia e suas inserções estão obtendo mais aceitação do que a dos adversários.

Sua equipe, portanto, está sendo competente, como está sendo elogiado o seu desempenho nas aparições na telinha mágica. Bombado pela propaganda eleitoral, João comprova, na prática, que a televisão ainda consegue ser mais milagrosa numa campanha eleitoral do que as redes sociais, que seriam ou são a coqueluche do momento, principalmente depois da eleição de Bolsonaro.

Em relação ao presidente Bolsonaro, entretanto, há de se fazer uma ressalva: seus marqueteiros e sua tropa de comunicação recorreram a robôs nas redes sociais como instrumento para desconstruir a imagem dos adversários, prática proibida e que resultou numa CPI instalada na Câmara dos Deputados. Rede social é importante, mas não é uma pílula dourada.

A TV, portanto, deu o plus na candidatura de João, enquanto a oposição patina. E patina porque, sem exceção, todos os candidatos exibem na telinha um guia fraco, sem emoção, sem ataques, sem denúncias contundentes. Nada açucarado presta, muito menos gestão de guia. Não é verdade, igualmente, que o eleitor gosta de debates em alto nível. Gosta de ver o circo pegar fogo. Frio, só língua de anjo.

O eleitor gosta, sobretudo, de ver um candidato desnudar o outro, apontar o dedo na ferida com verdades, aquela velha história de matar a cobra e mostrar o pau. Nem nisso os que estão do outro lado do balcão do candidato oficial são capazes de produzir. Resultado? Vão continuar estagnados na pesquisa, correndo o risco de João disparar e ganhar a eleição no primeiro turno.

Arsenal ignorado – E não é por falta de munição que os candidatos da oposição insistem em colocar no ar edições mornas, sem repercussão. No Recife, a Prefeitura já foi objeto de seis operações da Polícia Federal e está com medo da sétima, conforme este blog mostrou, ontem, com documentos, mas nenhum oposicionista explora isso. Medo de quê? O que passa pela cabeça dos candidatos e de seus assessores. O que pesa contra Geraldo Júlio, o padrinho de João, não é fake news, mas investigações da PF, do Ministério Público e dos demais órgãos de controle.

Afastamento – O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, solicitou, ontem, que o plenário da Corte analise a decisão proferida por ele de afastar o senador Chico Oliveira (DEM-RR) do cargo, por 90 dias. O magistrado quer que os colegas avaliem a determinação até a próxima terça-feira. Barroso destacou que entende o fato de que os demais ministros não precisariam referendar a decisão dele nesse caso. Mesmo assim, fez questão de solicitar ao presidente do STF, ministro Luiz Fux, que o caso seja analisado pelos colegas da Corte. Caso a decisão seja mantida, ela será encaminhada ao Senado, que vai definir se afasta Rodrigues do cargo ou o mantém nas atividades, enquanto as investigações prosseguem.

Noronha – A equipe do Tribunal de Justiça de Pernambuco vai voltar a realizar trabalho presencial, em Fernando de Noronha, na próxima segunda-feira. A última visita do judiciário à ilha ocorreu em março, antes do início da pandemia da Covid-19. A informação foi confirmada pela Assessoria Comunicação do Tribunal. O trabalho vai acontecer no Fórum Desembargador Roberto Ferreira Lins, localizado no Centro de Convivência, na Vila do Trinta, das 9h às 12h. Os protocolos de segurança contra o novo coronavírus serão seguidos e o público deverá usar máscara e respeitar o distanciamento social. A programação do TJPE segue até a sexta-feira. Estão previstos audiências e casamentos, que estavam suspensos. O juiz André Santana vai comandar as atividades, segundo o TJPE.

CURTAS

RENOVA OLINDA! – Em Olinda, a Câmara de Vereadores terá uma renovação surpreendente, para melhor vale a ressalva. Dentre tantos que estão na batalha pelo voto, com ingresso garantido no parlamento da Marim dos Caetés, Marco Antônio, o Sardinha, que ganhou notabilidade com a promoção de grandes eventos, como o bloco carnavalesco A Bruxa de Ouro Preto, o Forró dos Namorados e a Caminhada Ouro Preto vai ao Morro da Conceição. Sardinha está há 22 anos na vida pública, já disputou duas vezes um mandato de vereador, mas agora, filiado ao PSD, já carimbou seu passaporte de parlamentar.

LIVE DA SEGUNDA – Autor do livro “Casaca e chuteiras”, que trata da trajetória do Rei Pelé, o jornalista mineiro Silvestre Gorgulho, com quem trabalhei no Jornal de Brasília, é o convidado da live deste blog da próxima segunda-feira, às 19 horas, pelo Instagram. Trata-se de resultado de uma pesquisa ao longo dos últimos dez anos com o alho e faro apurados do grande e talentoso repórter que é o Gorgulho.

Perguntar não ofende: Chico Rodrigues escapa da cassação?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Caso Chico Rodrigues vice-líder do governo Bozonaro mostra que Lava Jato não eliminou corrupção. Esse episódio do dinheiro na cueca prova que o presidente Bozonaro estava errado quando falou que a corrupção acabou no governo.

marcos

Quem inventou colocar dinheiro Roubado no C@eca? PT através de José Guimarães. ........ Acertou Mizeravi.

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite!

Fernandes

Cabe mais no C@ do Senador vice-líder de Bolsonaro Chico Rodrigues.

marcos

Bom dia povo de Deus, só lembrando que foi o deputado líder do PT José Guimarães o nosso Capitão Cueca quem deu início a prática de esconder dinheiro Roubado no C@eca . O PT sempre partindo na frente da Corrupção.



15/10


2020

Coluna da sexta-feira

O foco é Roraima

De origem pernambucana, com família ainda no Recife, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado com R$ 30 mil na cueca numa operação da Polícia Federal em Boa Vista, capital do seu Estado, arranha a imagem do Governo Bolsonaro por ser vice-líder no Senado. A natureza do escândalo, entretanto, está, pelo menos por enquanto, fora da órbita do Governo.

Com a distinção da vergonhosa área encontrada para esconder o dinheiro, dentro das calças, reproduzindo o que se passou no Governo do PT com um assessor do atual vice-presidente nacional, José Guimarães (CE), o caso tem semelhanças ao que se passou no Rio, no Pará e em várias capitais, entre elas Recife: dinheiro federal destinado ao combate à pandemia do coronavírus desviado, seja por compras mal-assombradas, seja por falcatruas outras.

O escândalo, portanto, não envolve o Governo Federal. A malversação se dá em Roraima, não se sabe ainda se pelo Governo do Estado ou Prefeitura de Boa Vista, ou ambos. A União atua, neste caso, apenas como ator do repasse, porque o dinheiro desviado e supostamente encontrado na cueca de Chico tem carimbo federal. A oposição, porém, quer carimbar o episódio como o primeiro grande escândalo da gestão Bolsonaro.

Chico, que se apressou em entregar o cargo, é o segundo a deixar o cargo no Senado desde o início da gestão Bolsonaro. Em março de 2019, o presidente nomeou quatro senadores para sua tropa de choque. Além de Rodrigues, amigo de mais de duas décadas, foram escolhidos Eduardo Gomes (MDB-TO), Elmano Férrer (Progressistas-PI) – na ocasião filiado ao Podemos –, e Izalci Lucas (PSDB-DF). No mês passado, Izalci deixou a função após votar contra governo no veto ao reajuste salarial para servidores públicos. Nenhum parlamentar foi nomeado para o seu lugar.

Apesar de Bolsonaro tentar se desvincular do senador após a Polícia Federal flagrá-lo com R$ 30 mil na cueca, ele é tido como um político da extrema confiança do Planalto. Além de empregar no gabinete Leo Índio, primo dos filhos do presidente, no ano passado, Rodrigues foi escolhido para ser o relator da indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada brasileira em Washington na Comissão de Relações Exteriores do Senado.

Críticas – Mesmo desfrutando da amizade com a família Bolsonaro, Rodrigues também chegou a criticar o governo em algumas ocasiões. Em janeiro, o senador se posicionou contra o subsídio para igrejas no pagamento da energia elétrica negociado entre Bolsonaro e a bancada evangélica. Além disso, em junho, foi um dos aliados de Bolsonaro a pedir publicamente a demissão do então ministro da Educação, Abraham Weintraub. Na prática, os líderes do governo são os que fazem as maiores negociações e os vice-líderes ficam encarregados do “varejo” da política, levando e trazendo os pedidos das bancadas para cargos e liberação de emendas parlamentares, por exemplo. É esse toma lá, dá cá que alimenta muitas votações no Congresso.

Afastado – O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), vice-líder do governo e alvo de operação da Polícia Federal, que flagrou o parlamentar com dinheiro escondido dentro da cueca. A decisão de Barroso, assinada ontem, ainda precisa passar por votação no Senado Federal para que seja validada. O parlamentar é investigado em inquérito que apura desvios de recursos destinados ao enfrentamento da pandemia de covid-19. A PF encontrou R$ 30 mil reais em espécie escondidos pelo corpo de Chico Rodrigues, no momento da operação policial.

Estragos – A operação da Polícia Federal que apreendeu dinheiro na cueca do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) tem potencial para causar impacto na disputa municipal. O temor do Palácio do Planalto é de que o escândalo, um dos mais comentados no Twitter, também seja explorado nas campanhas de aliados do governo, como na de Celso Russomano, candidato do Republicanos à Prefeitura de São Paulo. Na tentativa de conter o desgaste em várias frentes, o presidente Jair Bolsonaro agiu rápido e, ontem mesmo, tirou Rodrigues da vice-liderança do governo no Senado. A apreensão de R$ 30 mil na cueca do homem que até hoje era um dos vice-líderes do Planalto – em uma investigação que apura desvio de recursos destinados ao combate da covid-19 – não apenas desmonta esse discurso como promete causar mais estragos.

Flagrante – Relatório da Polícia Federal descreve como foi o flagra do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), ex-vice-líder do Governo do presidente Jair Bolsonaro no Senado, com dinheiro escondido na cueca. O documento foi obtido pelo jornal O Globo, que publicou, ontem, reportagem sobre o episódio. De acordo com o jornal, agentes da Polícia Federal, sob o comando do delegado Wedson Cajé, chegaram por volta das seis horas da última quarta-feira para realizar uma busca e apreensão na residência do congressista em operação deflagrada para investigar desvios de recursos destinados à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate à pandemia.

CURTAS

NO BANHEIRO – A ação transcorreu com certa normalidade. Os agentes federais solicitaram ao senador que abrisse um cofre existente no seu quarto, onde encontraram, em dinheiro vivo, R$ 10.000 e US$ 6.000. No entanto, o que de fato chamou a atenção do delegado foi o grande volume existente dentro da bermuda do senador. Em determinado momento, durante as buscas, Chico Rodrigues pediu para ir ao banheiro. Cajé autorizou, mas disse que o acompanharia. Foi neste momento que percebeu o grande volume dentro da sua bermuda.

LIVE DA SEGUNDA – Autor do livro “Casaca e chuteiras”, que trata da trajetória do Rei Pelé, o jornalista mineiro Silvestre Gorgulho, com quem trabalhei no Jornal de Brasília, é o convidado da live deste blog da próxima segunda-feira, às 19 horas, pelo Instagram. Trata-se de resultado de uma pesquisa ao longo dos últimos dez anos com o alho e faro apurados do grande e talentoso repórter que é o Gorgulho.

Perguntar não ofende: O PT está fazendo escola com essa nova novela de dinheiro na cueca?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A saída é pela esquerda.

marcos

Você prefere Endireitar a sua vida ou Esquerdar a sua vida?

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite!

Fernandes

Dinheiro no TOBA é corrupção ativa ou passiva?

Fernandes

Você é Bolsonarista? De qual tipo? Bandido, ignorante ou imbecil?



15/10


2020

Coluna da quinta-feira

Supremo emporcado 

Vergonha para não classificar de imoral a liminar do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, soltando o perigoso e temido traficante André do Rap. A repercussão, que deixou a corte numa saia justa, rompeu a fronteira brasileira. Acabou de sujar a imagem do STF na Europa, nos Estados Unidos, no mundo em geral. Acuados, os ministros foram obrigados a suspender os efeitos da inadmissível, extravagante e indecorosa liminar.

Responsável pela liminar mantendo a prisão, o presidente do STF, Luiz Fux, abriu a sessão de ontem afirmando que compete ao presidente da corte, no caso ele, tomar tal decisão e que não caberia decisão monocrática de Marco Aurélio Mello no caso. E tratou de explicar que a decisão de revogar a liminar foi "medida extrema" e que existe precedente no Supremo sobre isso. "A literalidade do artigo 316 tem provocado debates para revisão de prisão preventiva", disse, numa referência ao artigo do Código Penal que exige a revisão da prisão preventiva por juiz a cada 90 dias.

Exaltado, o ministro disse que André do Rap "usou a decisão ora impugnada para evadir-se imediatamente. Cometendo fraude processual ao indicar endereço falso. Debochou da Justiça!" Para o ministro Alexandre de Moraes, a questão mais importante é a discussão do parágrafo único do artigo 316 do chamado pacote anticrime. "O grande desafio institucional é evoluir nas formas de combate à criminalidade organizada. É inegável que a soltura dele compromete a ordem e a segurança pública. Ele é de altíssima periculosidade", disse, concordando com o voto de Fux.

O acusado é um dos principais traficantes do País, chefe do narcotráfico internacional de dentro do PCC – o Primeiro Comando da Capital. Havia sido preso em setembro de 2019 em Angra dos Reis, no Rio. A prisão ocorreu graças a um lobby caro: sua lancha. Ele alugava, por R$ 20 mil, uma casa em um condomínio em Angra. Após vender sua lancha antiga, por cerca de R$ 3,5 milhões, comprou uma nova, a partir de uma empresa de fachada.

Constrangimento – André do Rap foi solto após liminar (decisão temporária) concedida pelo ministro Marco Aurélio no último dia 2. O ministro se baseou no artigo 316 do Código de Processo Penal, que prevê que, quando uma prisão preventiva (provisória) não é reanalisada a cada 90 dias pelo juízo responsável, ela se torna ilegal. Marco Aurélio Mello afirmou que não houve a reavaliação da prisão preventiva, ficando demonstrado o “constrangimento ilegal” da prisão. Sábado passado, a Procuradoria Geral da República (PGR) pediu a suspensão da liminar, argumentando se tratar de acusado de alta periculosidade, e o pedido foi atendido por Luiz Fux.

Saia justa – O presidente do STF, ministro Luiz Fux, entendeu que não houve nenhum fato novo desde a decretação da prisão e que a razoabilidade deve ser levada em conta ao analisar a questão da revisão a cada 90 dias. Segundo Fux, a soltura de André do Rap compromete a ordem e a segurança públicas, por se tratar de acusado de comprovada e altíssima periculosidade e com dupla condenação em segundo grau por tráfico transnacional de drogas.

Superestimada – O presidente Jair Bolsonaro disse, ontem, que a pandemia de covid-19 no Brasil foi superestimada. A declaração foi feita durante discurso na cerimônia de posse da nova diretoria da Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro). Ele defendeu que o vírus e o desemprego deveriam ter sido tratados de forma igual e simultânea. “O problema da pandemia, no meu entendimento, foi superdimensionado, desde o começo por dois problemas: a questão do vírus e o desemprego, que deveriam ser tratados com a mesma responsabilidade e simultaneamente”, disse.

Corajoso – Enquanto em Caruaru o candidato do PP, Erick Lessa, não quer a companhia do governador Paulo Câmara, por julgá-lo extremamente desgastado, em Garanhuns o candidato a prefeito pelo PSB, Sivaldo Albino, não apenas assume que é apoiado pelo governador como já colocou até fala dele na sua propaganda eleitoral. Sivaldo diz que não se importa com o desgaste do Governo, que no seu entender não existe. Garante que há, sim, um conjunto de obras que marcam a gestão de Câmara na cidade. Para o prefeito Izaías Régis, em Garanhuns o Governo do Estado não tem absolutamente nada para se apresentar como bem feitor da população.

CURTAS

A VÍTIMA – Uma semana após o juiz eleitoral de Arcoverde proibir qualquer tipo de ato político de campanha que resulte em aglomeração, o delegado Israel Rubis, candidato a vice-prefeito na chapa do empresário Alexandre da LW (MDB), foi internado com 40% das funções dos pulmões comprometidas por causa da Covid-19. Ele foi um dos mais ativos participantes das carreatas, caminhadas e até festas em recintos fechados promovidos pela sua coligação. Seu candidato, aliás, recorreu da decisão do juiz, defendendo a volta de manifestações de ruas.

REI PELÉ – Autor do livro “Casaca e chuteiras”, que trata da trajetória do Rei Pelé, o jornalista mineiro Silvestre Gorgulho, com quem trabalhei no Jornal de Brasília, é o convidado da live deste blog da próxima segunda-feira, às 19 horas, pelo Instagram. Trata-se de resultado de uma pesquisa ao longo dos últimos dez anos com o alho e faro apurados do grande e talentoso repórter que é o Gorgulho.

Perguntar não ofende: Qual vai ser a primeira bomba a estourar na campanha morna do Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite!

Fernandes

Angola merece um troféu! O país expulsou 211 igrejas do Edir Macedo. Fez bem, são os mercenários da fé! Vivem de exploração.

Fernandes

Agora eu entendi que é encher o rabo de dinheiro!

Fernandes

Esconder 30 mil no toba é para os fracos, quero ver esconder 89 mil na rachadinha.

Fernandes

Eu sempre achei que encher o C@ de dinheiro fosse só força de expressão...



14/10


2020

Coluna da quarta-feira

Os fardos de João

Parece que não tem sido fácil para o candidato do PSB a prefeito do Recife, João Campos (PSB), botar no colo, ou seja, na telinha da sua propaganda eleitoral, os dois puxadores da sua campanha para baixo, que atendem pelo nome de Paulo Câmara e Geraldo Júlio, que por acaso estão – e nada é para sempre – governador do Estado e prefeito do Recife, respectivamente. O primeiro ganhou o campeonato do pior gestor da República Pernambucana dos últimos 50 anos.

O segundo não fica muito atrás. Tem mais da metade da população recifense reprovando a sua gestão, algo beirando a casa dos 60%. Na verdade, para ser mais preciso, chega a exatos 56% de péssimo e ruim. Querer apadrinhar um candidato com tamanha rejeição é muita pretensão, é jogar o aliado na jaula dos leões. Pressionado pelo vaidoso Geraldo, que se acha a última Coca Cola do deserto recifense, João até cedeu em botar a carinha do bola murcha na TV, mas seus marqueteiros, sabidos, resistiram. E com razão!

Já Câmara Lenta, nem pensar. Sequer foi cogitado. Também pudera: não há na história recente do Estado um governador tão ruim de serviço. No seu Governo, nada funciona. Xodó do ex-governador Eduardo Campos, o Pacto pela Vida virou letra morta, matado, literalmente, pela sua incompetência. O Estado voltou a ser um dos mais violentos do País. A saúde virou um caos. Não paga em dia sequer o salário dos profissionais da área, que arriscam a vida na pandemia do coronavírus.

O Hospital Regional do Agreste é o exemplo mais recente desse desastre administrativo. Ali, médicos, enfermeiros e técnicos há quatro meses não veem a cor do dinheiro para pagar suas despesas mensais.  As estradas, a maior piada da gestão socialista de mentirinha, viraram passaporte para a morte. Esburacadas, sem sinalização e sem conservação, mais para tábua de pirulito, do litoral ao Sertão são um horror, um filme de assombração.

Se Geraldo e Câmara Lenta estivessem em sintonia com a sociedade, João não os transformaria em estrelas do seu guia eleitoral? A resposta é óbvia e tem parâmetros: foi Eduardo que elegeu Geraldo com a piada de mau gosto “foi Geraldo que fez”, todo dia no guia. Foi João Paulo, lá atrás, que elegeu o poste João da Costa. Foi Lula que elegeu e reelegeu Dilma. Governante bem avaliado elege sucessor e postes também. Dilma e João da Costa foram dois postes sem luz.

Geraldo e Paulo são dois fardos.

Mais ricos – Um levantamento feito pelo UOL mostra que candidatos que se autodeclaram brancos têm um patrimônio três vezes maior, em média, do que os que se declaram pretos, segundo os bens registrados junto ao Tribunal Superior Eleitoral. No levantamento, foram retirados da conta aqueles que não declararam ter bens ou os registros com valores desproporcionais e que eram apenas erros de digitação. Os casos mostram que quando se leva em consideração a cor da pele, os candidatos brancos aparecem no topo da lista dos que têm maior patrimônio médio, sendo de R$ 1,42 milhão entre os postulantes ao cargo de prefeito. Atrás deles, aparecem os candidatos pardos, com R$ 981 mil em bens. Já os pretos têm em média R$ 484 mil. Por último na lista, aparecem os índios com R$ 320 mil.

Condenados – Ao menos 350 candidatos que já ocuparam cargos públicos e tiveram condenações pelo Tribunal de Contas da União reprovando suas gestões nos últimos oito anos, prazo em que deveriam estar inelegíveis, estão na disputa das eleições municipais de 2020. O levantamento foi feito pelo jornal O Globo. De acordo com dados Tribunal Superior Eleitoral analisados pelo jornal, dois ex-gestores já possuem suas candidaturas aprovadas. Um desses condenados é o postulante à Prefeitura de Macapá, Professor Marcos (PT). Ele foi condenado pelo TCU quando ocupava o cargo de secretário de Segurança Pública e Justiça do Amapá, em 2009. Na ocasião, ele assinou um convênio com a União para a locação de espaços e compra de novos equipamentos para os Centros de Referência e Atendimento à Mulher Vítima de Violência do Estado. Para o Tribunal, os pagamentos foram feitos, mas os espaços ficaram ociosos.

Maceió – Levantamento feito pela empresa Paraná Pesquisas mostra que o deputado federal João Henrique Caldas (PSB) e o ex-procurador de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) estão empatados tecnicamente, considerando a margem de erro de quatro pontos percentuais, na disputa pela Prefeitura de Maceió (AL). A pesquisa mostra JHC com 26,9% e Alfredo Gaspar com 25,9%. Estão com 15 pontos percentuais à frente do terceiro colocado, Cícero Almeida (DC), que aparece com 9,1%. Em seguida, aparecem também empatados: Davi Filho (PP), Lenilda Luna (UP), Josan Leite (Patriotas), Ricardo Barbosa (PT), Valéria Correia, Corintho Campelo (PMN) e Cícero Filho (PCdoB).

Polêmica – Na sessão do plenário, hoje, o Supremo Tribunal Federal (STF) deve rever, pelo menos em parte, a decisão do ministro Marco Aurélio Mello que determinou a soltura do traficante André do Rap com base na legislação que torna ilegal prisão preventiva que não for confirmada a cada 90 dias. Segundo ministros do STF, uma ala do Tribunal será favorável à decisão do presidente do Supremo, Luiz Fux, que cassou a liminar de Marco Aurélio Mello. Com isso, o traficante passou a ser procurado pela polícia. Ele pode estar na Bolívia ou no Paraguai. As decisões em direções opostas geraram um embate entre Fux e Marco Aurélio Mello. Outros ministros devem até concordar com a liminar concedida por Marco Aurélio, por uma análise ao pé da letra do artigo 316, incluído no Código Penal.

CURTAS

EFEITO SOCIAL – O auxílio emergencial contribuiu para a queda temporária da pobreza no Brasil. Este abono será mantido até dezembro, agora no valor de R$ 300. Segundo o estudo “Covid, Classes Econômicas e o Caminho do Meio”, da Fundação Getúlio Vargas (FGV Social), 15 milhões de brasileiros saíram da linha da pobreza até agosto de 2020, numa queda de 23,7%. As informações são do Blog do Riella. A comparação é feita com os dados fechados de 2019. De acordo com a definição usada pela FGV, a pobreza é caracterizada pela renda domiciliar per capita de até meio salário-mínimo (R$ 522,50). Segundo o coordenador da pesquisa, Marcelo Neri, apesar de o país ainda registrar 50 milhões de pobres neste momento, este é o nível mais baixo de toda a série estatística.

DEDO NA FERIDA – No Paredão Eleitoral da Rádio Cultura de Caruaru, ontem, o candidato do PP a prefeito do município, Erick Lessa, não assumiu a defesa do Governo Paulo Câmara nem tampouco admitiu vinculação da sua candidata com o governador. "O candidato apoiado pelo Governo em Caruaru é Marcelo Gomes, do PSB", disse. Na mesma entrevista, Lessa cobrou da prefeita Raquel Lyra (PSDB) a destinação dos R$ 35 milhões enviados pelo Governo Federal para o combate aos efeitos da pandemia do coronavírus. "Ninguém sabe onde esse dinheiro foi parar", afirmou. Perguntado se suspeitava de desvio, negou, mas insistiu com a cobrança.

Perguntar não ofende: Quando a Polícia Federal vai revelar o tamanho dos desvios da Covid no Recife?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Dá Nojo escutar político do clã Bozo falar. Bando de Ladrões filhos da Puta.

marcos

A Aprovação do Governo do Presidente Mito Jair Bolsonaro passa dos 70%. Ui Ui Ui, Mim dê papai. kkkkkkkkkkkkkkk

Fernandes

Bozonaro é Ladrão. Miliciano e corno Boa Noite

Fernandes

Dá Nojo escutar político do clã Bozo falar. Bando de Ladrões filhos da Puta.

marcos

O Ídolo da Esquerda, dos Idiotas Úteis e Defensor intransigente do isolamento e seguidor de todos os protocolos da OMS, Ciro Gomes testa positivo para covid-19. Será que vai tomar o remédio do Bolsonaro ( Cloroquina)?