FMO janeiro 2020

14/12


2019

Coluna deste sabadão na Folha

Fenômeno eleitoral inexplicável

A literatura política do Estado ainda não imprimiu um exemplar de uma obra para explicar o fenômeno eleitoral Gleide Ângelo, arrastão de votos das eleições 2018. Uns atribuem seus mais de 400 mil votos, carimbo do passaporte de entrada na Assembleia Legislativa, à forte exposição na TV antes da campanha, como xerife das saias vítimas da violência.

Outros, à arrojada performance nas redes sociais. Seja lá o que for, o fato é que a delegada comeu o cartão de muita gente que jamais imaginava que 2018 revelasse uma alma viva da nova seara política com tamanha desenvoltura nas urnas.

O que mais impressiona é que quando seu nome é posto para uma disputa majoritária em qualquer cenário de pesquisa nos mais diversos centros urbanos da Região Metropolitana, incluindo Recife, dá de lapada em todo macho com cabelo na venta, a começar por Anderson Ferreira, em Jaboatão, município que ela será a estrela de 2020.

Sem apego ao poder – O prefeito de Triunfo, João Batista (Avante), é outra espécime rara da política. Apesar de pilotar um governo bem avaliado, que mudou hábitos e deu cara nova à cidade, não quer saber de reeleição. Acha que já deu a contribuição ao município como filho, fiel e leal, e deseja voltar ao seu escritório de advocacia. Enquanto isso, muitos matam e morrem pelo poder.

Dor de cabeça – O governador Paulo Câmara revelou, ontem, durante café da manhã oferecido a este colunista, no Palácio das Princesas, que o ítem estradas é o que mais provoca demandas em seu Governo, só perdendo para saúde. “Antigamente, era a segurança pública, que agora aparece em terceiro lugar, daí nossos esforços em priorizar a recuperação das rodovias”, afirmou.

Fiscalização – O TSE aprovou as primeiras resoluções com regras para as eleições municipais. A principal amplia o rol de entidades que podem fiscalizar a votação, incluindo as Forças Armadas, o Conselho Nacional de Justiça, o Tribunal de Contas da União e entidades privadas, sem fins lucrativos, que possuam a notória atuação em fiscalização e transparência em gestão pública.

Nadando em dinheiro – Em São José do Egito, o prefeito Evandro Valadares (PSB) fazia uma gestão mais suja do que pau de galeiro. Mas levou a sorte de o município botar no papo mais de R$ 10 milhões em precatórios, dinheirama que começa a mudar a face do seu governo tocando pequenas-grandes obras.

Divisionista – Sabendo que Evandro abriu um cenário bem favorável à reeleição, o ex-deputado José Marcos (DEM), até então líder nas pesquisas de intenção de voto para prefeito, já admite não entrar na parada, até porque o ex-prefeito Romério Guimarães (PT) insiste em dividir a oposição.

Tem lógica – O que se ouve nos bastidores é que o pré-candidato do PDT a prefeito do Recife, Túlio Gadelha, estaria mais propenso a ser vice de Marília Arraes. Por qual razão? Eleita, a petista logo se transformaria em candidata natural a governadora e, triunfando, Gadelha viraria prefeito.

Perguntar não ofende: Existe algum governador satisfeito com o tratamento dispensado aos Estados pelo presidente Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Presidente da OAB diz que quem apoia Bolsonaro “tem desvio de caráter” O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, fez suas mais fortes críticas a Jair Bolsonaro em um café da manhã com jornalistas, na sede da Ordem dos Advogados, em Brasília.

marcos

Filha do presidente da OAB de apenas nove anos recebeu R$ 720 Mil reais da lei Rouanet para fazer uma peça infantil nos governos petistas. Agora a roubalheira acabou. Está aí a raiva do Felipe CAGÃO santa cruz.

Fernandes

Presidente da OAB diz que quem apoia Bolsonaro “tem desvio de caráter” O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, fez suas mais fortes críticas a Jair Bolsonaro em um café da manhã com jornalistas, na sede da Ordem dos Advogados, em Brasília.

marcos

LULINHA O ANTICRISTO.

Fernandes

Só lembrando: Tráfico de droga só pode ser feito em helicóptero de senador ou no avião da presidência! Nas favelas é CRIME !


Cabo de Santo Agostinho

Confira as últimas colunas

11/08


2020

Coluna da terça-feira

Violência crescente com pandemia

É inadmissível que em meio à pandemia, com decisões extremadas pelo isolamento social como o estágio de lockdown, primeiro na Região Metropolitana e agora no Agreste e Sertão, Pernambuco continue campeão em violência urbana. O último fim de semana foi de terror com chacina resultando na morte de cinco pessoas em Ipojuca, região turística, mãe de Porto de Galinhas, e o assassinato de um blogueiro em Rio Formoso, junto com um filho de apenas 15 anos.

Aonde chegamos? Se com bares fechando às 20 horas, no mesmo horário de restaurantes, a situação está assim, imagine com o liberou geral? Cadê o Pacto pela Vida? Desde a morte de Eduardo Campos, há seis anos completando na próxima quinta-feira, o Estado perdeu completamente o controle dos crimes letais. Eduardo fiscalizava e acompanhava o programa como se fosse sua principal vitrine do Governo. Quanto menos crime, mais premiação aos agentes envolvidos em suas respectivas áreas.

Era um tempo em que se contavam mortes para menos, não para mais como agora. Um tempo em que Pernambuco ganhava prêmios nacionais e internacionais, tempo em que governadores e até o presidente da República se referiam ao modelo do pacto como laboratório testado e copiado. Cinco mortes numa noite sangrenta em Ipojuca, com mais 12 feridos, levam Pernambuco, novamente, às páginas policiais dos jornais nacionais e aos telejornais da criminalidade.

Isso é como crescer feito rabo de cavalo – para baixo. Nesse ritmo, daqui uns dias o Estado volta a ocupar, novamente, a liderança do ranking da violência no País, batendo, proporcionalmente, São Paulo e Rio de Janeiro. Se a procura de turistas já caiu drasticamente pela pandemia do coronavírus, agora chegará ao fundo do poço em consequência das cenas de bang-bang, de um faroeste inadmissível, um novo território sem lei lembrando a época do cangaço.

Pernambuco já perdeu muitos investimentos e turistas por outro motivo lá atrás: os ataques de tubarões na praia de Boa Viagem. Depois, o derramamento de óleo, que tomou conta de todo o litoral não apenas pernambucano, mas nordestino. Tudo isso é plenamente recuperável, mas violência não. Quando se perde o controle desta, o medo afugenta e não há outra saída que não passe por uma nova política capaz de restaurar o sucesso do Pacto pela Vida.

Descartado – No caso do assassinato do blogueiro Áquila Bruno Silva e seu filho Bruno Filho, de apenas 15 anos, não há indícios de agentes políticos envolvidos. O que a polícia apurou, pelo menos ao longo do dia de ontem, em meio a um clima de consternação em Rio Formoso, local da tragédia, se deu em consequência de desentendimentos envolvendo o filho morto com um jovem da sua mesma idade, que acabou envolvendo os pais de ambos. Mas a polícia ainda não deu, oficialmente, a versão de tudo que apurou. De acordo com a Polícia Civil, um suspeito do crime, um guarda municipal, foi identificado por duas testemunhas, que já prestaram depoimento. Segundo uma delas, dona de um mercadinho, o carro da vítima estava estacionado em frente ao estabelecimento quando ocorreram os disparos.

Rubem derrotado – O Diretório Nacional do PSOL rejeitou, por 35 votos contrários e 28 votos a favor, o recurso apresentado por filiados do PSOL de Recife que solicitava a realização de prévias para a disputa eleitoral majoritária na capital pernambucana em 2020, segundo antecipou, ontem, o portal da Folha de Pernambuco. O recurso encaminhado pelo o ex-deputado federal Paulo Rubem (PSOL) pedia a viabilidade de sua candidatura à Prefeitura do Recife nas eleições deste ano. O resultado oficializou o apoio do partido a pré-candidatura da deputada federal Marília Arraes (PT). Se Marília não atrair uma aliança mais ampla, com partidos de densidade eleitoral, a tendência é que o PSOL acabe indicando o seu vice.

Nova pesquisa – Na próxima semana, em parceria com o Instituto Potencial, de Salvador, este blog trará a segunda pesquisa sobre a sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). Na última, há 30 dias, a petista Marília Arraes apareceu liderando com 21%, dez pontos à frente dos demais concorrentes – João Campos (PSB), Patrícia Domingos (Podemos), Mendonça Filho (DEM) e Daniel Coelho (Cidadania), situados em segundo lugar numa espécie de empate técnico. Alberto Feitosa, do PSC, e Marco Aurélio, do PRTB, despontaram em último lugar. No novo levantamento, também teremos a avaliação da gestão de Geraldo, do governador Paulo Câmara e do presidente Bolsonaro.

Batida na Globo – Dezesseis horas após o fim da edição especial do Jornal Nacional no dia em que se registrou 100 mil brasileiros mortos por covid-19, Jair Bolsonaro postou uma resposta às insinuações feitas no telejornal de que ele, enquanto presidente, foi omisso no gerenciamento da pandemia no País e insensível com os doentes e as famílias das vítimas fatais. Em seu perfil no Facebook, o chefe do Executivo fez críticas e acusações contra o principal canal da família Marinho. "Muitos gestores e profissionais de saúde fizeram de tudo pelas vidas do próximo, diferentemente daquela grande rede de TV que só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes", afirmou.

CURTAS

PRORROGAÇÃO – O Tribunal de Contas do Estado concedeu, ontem, mais 15 dias de prazo para que a Prefeitura do Recife apresente sua defesa quanto à compra ilegal de respiradores testados em porcos e não aprovados pela Anvisa. A elasticidade foi autorizada pelo conselheiro Carlos Neves, nomeado pelo governador Paulo Câmara, ex-advogado dos imbróglios jurídicos do PSB, mesmo partido com o poder da caneta na Prefeitura da capital. Apesar de a Gerência de Contas da Capital já ter concluído a auditoria desde 26 de junho e dos envolvidos terem sido notificados para apresentar defesa até 29 de julho, o diretor Financeiro, Felipe Soares Bittencourt, não apresentou suas alegações tempestivamente, solicitando adiamento do prazo, concedido pelo relator, conselheiro Carlos Neves. Não sabe o nobre conselheiro que o povo cansou e exige mais transparência no caso, um soco no estômago de todos nós.

SISTEMA PENITENCIÁRIO – A advogada criminalista carioca Maíra Fernandes é uma das mais credenciadas defensoras dos direitos humanos no País. É a convidada da live de amanhã, às 19 horas, pelo Instagram deste blog. Ninguém conhece como ela alternativas para melhoria da política prisional, investimento pelos estados em modelos de apoio aos detentos, como associações de proteção e assistência a condenados e colônias agrícolas. É grande estudiosa das legislações sobre drogas. Acha que deixar que o policial decida se a quantidade de droga apreendida configura tráfico ou uso, sem tabela de quantidades, dá margem a arbitrariedades e defende a criminalização das drogas no País. Se você ainda não segue o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Em que vai dar essa briga do presidente Bolsonaro com as Organizações Globo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Você acha que a sua escolha eleitoral está difícil, imagine um idiota útil tendo que decidir no segundo turno presidencial entre Jair Bolsonaro e Sérgio moro! Kkkkkkk

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

Fernandes

Será que o eleitor ainda vai votar em Genocida Corrupto, Miliciano nas eleições municipais?

Fernandes

Quantas vidas seu voto no Bozo vai continuar a matar ?

marcos

Será que o eleitor ainda vai votar em Ladrão Corrupto nas eleições municipais?


Prefeitura de Serra Talhada

10/08


2020

Coluna da segunda-feira

Célia bate fofo em Arcoverde

A população de Arcoverde ficou extremamente frustrada na última sexta-feira com a presidente da Câmara, Célia Galindo (PSB), que não cumpriu a palavra empenhada em entrevista ao Frente a Frente e a este blog, de que instalaria naquele dia a CPI que apura irregularidades em um programa social na gestão da prefeita Madalena Brito (PSB). Ouvida, disse que não contou com a compreensão dos vereadores que indicou inicialmente seguindo o preceito da saudável proporcionalidade.

São três parlamentares, cabendo a presidência ao maior partido da Casa. “O poder de indicação e escolha é meu, os que convidei, estranhamente, não aceitaram”, justificou Galindo, adiantando ter esperanças de que hoje, prazo final da instalação da CPI, possa contar com a colaboração dos vereadores. Autora da proposta, Zirleide Monteiro, da bancada do PTB, está desconfiada de que a promessa não possa ser cumprida, até porque ao longo do fim de semana Galindo sumiu e não atender sequer ao telefone dos seus pares no parlamento.

“Ela não tem motivos para não instalar. A CPI foi aprovada por maioria absoluta. Estamos diante de um caso muito nebuloso, que, sem explicações, foi abandonado pelo Ministério Público”, disse Zirleide. Segundo a denúncia dela, desde 2016 um esquema de desvio de recursos vinha sendo praticado no âmbito da Secretaria envolvendo inclusive recursos do BPC (Benefício de Prestação Continuada), nomes de pessoas utilizadas como laranjas para receber recursos através de empenhos.

Em somente um caso citado no pedido de CPI, um senhor, agricultor, recebeu em sua conta bancária transferências que somam quase R$ 20 mil, além de ter recebido pagamento por ministrar cursos para a secretaria, quando mal sabe escrever. Segundo foi apurado, a conta teria sido aberta a pedido da senhora ‘Raquel Franklin Brito Alencar', diretora de Tesouraria da Secretaria de Assistência Social. O escândalo foi denunciado ainda em 2019 e foi pedido ao Ministério Público de Pernambuco, em Arcoverde, à época, que investigasse o caso, mas, passado mais de um ano, não se tem notícia nem mesmo do número de inquérito que teria sido aberto no MP.

“Não podemos deixar de instalar essa CPI. A população de Arcoverde precisa saber o que realmente aconteceu naquela Secretaria aonde o que mais faltou foi transparência e honestidade. A criação da Comissão Parlamentar de Inquérito se faz urgente e necessária, sob pena de vermos milhares de reais, de recursos púbicos, terem escorrido pelos ralos sem nenhuma punição”, afirmou Zirleide.

Revelações – Após a denúncia do escândalo, a então diretora de Tesouraria da Secretaria de Assistência Social foi exonerada dois meses depois. Ela chegou a ser ouvida pelo MP e teria revelado informações de outros tipos de desvios que a CPI terá a função de investigar e comprovar. No pedido da CPI foram anexadas cópias das denúncias, extratos bancários da principal pessoa utilizada como ‘laranja’, cópias de extratos do Portal da Transparência de empenhos e pagamentos a outras pessoas também envolvidas ou utilizadas no esquema de desvio de recursos, informou a vereadora Zirleide Monteiro.

O que ela disse – Tão logo fui informado que a CPI não foi instalada, sexta-feira passada, perguntei a própria Célia Galindo o que havia dado errado. Contou que encontrou dificuldades na montagem da comissão, mas que aproveitaria o fim de semana para falar um a um com os vereadores. “Vou instalar e segunda (hoje) revelo os nomes escolhidos para atuar nas investigações”, disse, adiantando que a CPI só não sairia se fugisse do seu controle. Quanto às pressões para não fazer a instalação, a parlamentar afirmou que, em nenhum momento, isso ocorreu. “Até porque não me submeto a esse tipo de coisa”, assinalou.

Namoro ou noivado? – O namoro de Bolsonaro com Michel Temer, iniciado após este declarar que se sentiria honrado em fazer parte de um conselho de notáveis para auxiliar o chefe de Estado, durante live com este blogueiro, continua firme e forte. Ontem, presidente anunciou o envio de uma missão de ajuda humanitária e técnica ao Líbano, para ajudar na reconstrução do país após as explosões que destruíram a região portuária de Beirute. E convidou para chefiar a equipe brasileira o ex-presidente Temer, filho de libaneses. A declaração foi feita durante uma conferência organizada pelo presidente da França, Emmanuel Macron.

Conta salgada – Segundo um levantamento realizado pelo jornal O Estado de São Paulo, com base em estimativas do governo e dos bancos, a pandemia deverá custar só em 2020 cerca de R$ 700 bilhões aos cofres públicos, o equivalente a quase 10% do PIB (Produto Interno Bruto) e a R$ 3,3 mil para cada brasileiro. Daria para pagar o Bolsa Família, já considerando o aumento de beneficiários ocorrido durante a crise, por 21 anos. Do ponto de vista das contas públicas, isso representa quase seis vezes o déficit previsto para este ano antes da pandemia, de R$ 124,1 bilhões.

CURTAS

E AGORA, JOSÉ? – Ao contrário do que informei na coluna de sábado, a pesquisa do DEM sobre a sucessão no Recife, a ser divulgada hoje, não bate com a do Instituto Potencial postada neste blog. Soube, ontem, que traz João Campos, pré-candidato do PSB, na frente, seguido de Mendonça Filho, do DEM. Estranhamente, a petista Marília Arraes, que na do Potencial abriu dez pontos de frente ante aos demais adversários, aparece em quarto ou quinto lugar. E agora, José? Os números serão apresentados hoje pelo diretório nacional do DEM. Quem fez o levantamento foi o Instituto Conecta.

LIVE DA QUARTA – A advogada criminalista carioca Maíra Fernandes é uma das mais credenciadas defensoras dos direitos humanos no País. É a convidada da live da próxima quarta-feira, às 19 horas, pelo Instagram deste blog. Ninguém conhece como ela alternativas para melhoria da política prisional, investimento pelos estados em modelos de apoio aos detentos, como associações de proteção e assistência a condenados e colônias agrícolas. É grande estudiosa das legislações sobre drogas. Acha que deixar que o policial decida se a quantidade de droga apreendida configura tráfico ou uso, sem tabela de quantidades, dá margem a arbitrariedades e defende a criminalização das drogas no País. Se você ainda não segue o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: A quem a Polícia Federal vai dar bom dia ao longo desta semana?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Tá tudo muito bem, mas que Lula é Ladrão e condenado a 39 anos de prisão o mundo inteiro já sabe.

Fernandes

A diferença entre Brigitte Macron e Michele Bolsonaro são os cheques de QUEIROZ!

Fernandes

Bolsonaro diz:não tem nada que fazer no palácio,daí pega,moto,helicóptero ou carro e saí para ver gente,faz 30 anos que nada faz. KKKKKKKKKKKK

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

Fernandes

Quantas vidas seu voto no Bozo vai continuar a matar ?


Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

08/08


2020

Coluna do sabadão

Estado reage, mas com tapa-buracos

Quinze dias após este blog denunciar, com a colaboração de leitores, a dramática situação da malha viária do Estado, o Governo do Estado, finalmente, acordou. Mas, ao invés de reconstruir ou fazer novas estradas, diante da tragédia da maioria dos trechos, faz apenas operações tapa-buracos, serviços que não resistem à primeira chuva ou ao crescimento do movimento de automóveis, principalmente pesados, como caminhões.

O despertar do Estado é visto a olho nu a partir da mais importante estrada, a BR-232, ligando Recife a Caruaru. Ali, muitos buracos, verdadeiras crateras, já foram fechados em apenas dois ou três dias. Também há grupos do DER (Departamento de Estradas e Rodagem) atuando no Agreste. Sai de Recife ontem em direção a Afogados da Ingazeira e não encontrei nenhum outro trecho, entretanto, em recuperação. E as piores estradas estão justamente no Sertão.

Uma das piores liga o município de Sertânia ao distrito de Albuquerquené, um pedaço de pouco mais de 15 km, mas que está completamente abandonada, uma buraqueira infernal, sem a mínima sinalização. Não dá para trafegar numa velocidade acima de 30 km, pois se corre o risco de danificar o automóvel. Andar nessa velocidade, porém, é dar bandeira para assaltos que vêm ocorrendo de forma periódica em toda a sua extensão.

A população já fez protestos e chegou a bloquear em dias de muito movimento. O Governo não se sensibilizou e continua ignorando o clamor dessa gente sofrida. Reclamações semelhantes chegam de todos os recantos do Estado. Em duas semanas – e até ontem recebemos contribuições – este blog chegou a postar mais de 30 vídeos enviados por leitores indignados. Relatos, inclusive, dramáticos, de pessoas que perderam familiares acidentados.

Incompreensível as estradas em todas as regiões do Estado chegar a tal estágio, até porque, há menos de seis meses, o Governo anunciou um programa de recuperação da malha estadual orçado em meio bilhão de reais. O dinheiro acabou e ninguém sabe como, enquanto piorou bastante os acessos rodoviários. Um drama que o governador não tem coragem nem sensibilidade para enfrentar.

Só uma nova – Operação tapa-buraco é o mesmo que tapar o sol com a peneira, jogar dinheiro fora. Trata-se de um paliativo que se dissolve rapidamente feito Sonrisal. O Governo tem que se conscientizar que existem estradas que não dão para recuperar mais e que precisam de um recapeamento radical, uma estrada nova. É o caso, por exemplo, do trecho que liga o distrito de Cruzeiro do Nordeste, onde foram feitas tomadas para o filme Central do Brasil, até a cidade de Sertânia. Ali, um retão, historicamente o Estado só faz tapar buraco e quanto mais tapa mais precário fica. Um horror!

Pesquisa Recife – Sai na próxima segunda-feira, com divulgação pelo diretório nacional do DEM, em Brasília, mais uma pesquisa sobre a sucessão municipal no Recife. O levantamento é do Instituto Conecta, de um grupo que trabalhou no Ibope. Mas antecipo, com exclusividade, que não traz novidades em relação aos números da Potencial, postada no meu blog, apontando a petista Marília Arraes na frente e o segundo lugar embolado entre Mendonça, Patrícia, Daniel e João Campos. A sondagem foi feita entre os dias 3 e 6 deste mês e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Rejeição crescente – A pesquisa traz novidade, sim, em relação à avaliação da gestão do prefeito Geraldo Júlio (PSB), em queda livre. Se continuar assim, vai se transformar num péssimo cabo eleitoral para o pré-candidato socialista, João Campos, que no levantamento da Potencial ficou em quinto lugar. A desaprovação de Geraldo está associada aos escândalos de desvios dos recursos federais da Covid-19, conforme atestaram cinco operações seguidas da Polícia Federal. Enquanto Geraldo despenca, ACM Neto, prefeito de Salvador, sobe às alturas. De acordo com pesquisa do Poder360, o gestor baiano é apontado como o mais popular entre os prefeitos de capitais, com 78% de ótimo e bom.

CURTAS

ELE VOLTOU... – O Supremo Tribunal Federal (STF) deferiu, ontem, uma liminar que determina a suspensão do afastamento do prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB). A decisão foi publicada 16 dias após o seu afastamento durante a deflagração de operações policiais para investigar crimes como peculato e lavagem de dinheiro. Na decisão, o ministro Dias Toffoli afirma que o afastamento de prefeito, via de regra, "não deve ocorrer por tempo indeterminado, sob pena de a medida acautelatória se configurar antecipação dos desdobramentos de um suposto juízo condenatório".

COM CONFUSÃO – A secretária de Saúde de Paulista, Terezinha Mousinho, foi flagrada, ontem, tentando sair do centro administrativo da Prefeitura com documentos públicos, segundo relato de uma fonte, que enviou ao blog um vídeo com registro do momento. Vereadores aliados do prefeito Junior Matuto (PSB), afastado de suas funções desde 21 de julho, foram informados sobre o que estava ocorrendo e se deslocaram para lá. Ainda de acordo com a fonte, a situação se acalmou após diálogo com os legisladores. A Guarda Civil chegou a fechar o centro administrativo durante a ação. Tudo isso horas depois de o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, autorizar o retorno de Junior Matuto à Prefeitura.

BOA NOTÍCIA – Um grupo de oito empresas e fundações vai investir R$ 100 milhões para contribuir com a montagem da fábrica para produção de vacinas contra a covid-19 na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. A previsão é de que a unidade entre em operação até o começo do ano que vem, com capacidade de produzir até 30 milhões de doses por mês. A doação é uma iniciativa conjunta de Ambev, Americanas, Itaú Unibanco, Stone, Instituto Votorantim, Fundação Lemann, Fundação Brava e Behring Family Foundation.

Perguntar não ofende: Cadê o dinheiro para recuperação das estradas, governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

marcos

Feliz Dia das Pais a todos.

marcos

Sérgio Moro o novo ídolo da esquerda e dos idiotas úteis.

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

Fernandes

Moro responsabiliza Bolsonaro por 100 mil mortes por Covid-19. O ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro, pelo Twitter, culpou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelas mais de 100 mil mortes por Covid-19 no Brasil. “Não podemos nos conformar, nem apenas dizer Cem Mil E daí?



07/08


2020

Coluna da sexta-feira

Dá para ter fé em Drauzio Varella?

Seria cômico se não fosse trágico o médico global Drauzio Varella vir a público disseminar seu espírito pessimista e alarmista quanto à eficácia das vacinas que estão em teste final para nos livrar da pandemia do coronavírus. "A vacina não vai resolver o problema atual. Pode ser que, quando chegue essa vacina, ela não vá ser tão necessária quanto é agora, porque pode ser que, até metade do ano que vem teremos já uma epidemia mais arrefecida".

Se for levado em consideração o que esse mesmo médico afirmou lá atrás, como uma das principais estrelas na área de saúde que a Globo confia e aposta, o resultado pode ser o contrário do que ele profetiza. Foi o mesmo Varella que disse, na maior cara de pau no programa Fantástico, em março, tão logo o vírus começou a ser propagado no Brasil, que não haveria razão para pânico porque se tratava apenas de uma “gripezinha”. Essa gripezinha já matou 100 mil brasileiros e a curva da pandemia está incontrolável, cada vem mais ascendente.

Tire você próprio, meu caro leitor, a conclusão: dá para acreditar em doutor global Drauzio Varella? Sou um dos milhares de brasileiros que entende que ele não sabe o que diz, mais uma vez. Usa de retórica diabólica para incutir na população brasileira, refém da doença, a descrença de que podemos estar próximos de uma saída para nos livrar do pior, que é a morte. Não creio nele! Os avanços nos estudos da vacina são extremamente promissores.

Contrariando o doutor global, informo que o governo russo prevê iniciar, em um mês, “a circulação pública” de uma fórmula contra o Sars-CoV-2. A vacina foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, em parceria com a Universidade Sechenov, e tem obtido resultados promissores nas primeiras fases dos ensaios com humanos. “A segurança da vacina foi confirmada. Corresponde à segurança das vacinas que estão atualmente no mercado”, disse Alexander Lukashev, diretor do Instituto de Parasitologia Médica, Tropical e Doenças Transmitidas por Vetores da universidade russa, em entrevista à agência de notícias Sputnik.

O próximo passo vem em sequência a esses avanços. “Lá para 14 e 15 de agosto, espero, entrará em circulação a quantidade pequena de vacina que devemos ser capazes de produzir” afirmou Alexander Ginsburg, diretor do Instituto Gamaleya, em entrevista à agência de notícias RIA. Também de acordo com Ginsburg, a produção em massa da fórmula deve ser iniciada em setembro. Se tudo isso se confirmar, a Globo será obrigada a aposentar o alarmista e pessimista Drauzio Varella.

Bons resultados – Em nota, a universidade russa explica que a fórmula é uma vacina liofilizada – “um pó do qual uma solução é preparada para injeção intramuscular”. Alguns participantes do estudo experimentaram dores de cabeça e temperatura corporal elevada. “No entanto, esses sintomas desapareceram completamente dentro de 24 horas após a administração da vacina”, enfatiza o texto. Segundo Yelena Smolyarchuk, essa resposta à injeção é bastante típica no caso de doenças infecciosas, e não houve piores complicações. O governo russo desenvolve 17 fórmulas imunizadoras contra a covid-19, das quais três ou quatro devem entrar na fase de produção, segundo o Ministério da Saúde.

O efeito emergencial – A sinalização do ministro da Economia, Paulo Guedes, de prorrogar até dezembro o auxílio emergencial de R$ 600 da pandemia para gente que vive do comércio informal foi recebida com euforia no Nordeste. Até o momento, 40 milhões de brasileiros foram contemplados. O benefício chega a gerar uma renda de até R$ 1,8 mil para uma família quando entram como beneficiários o casal e mais um filho. Em relação ao programa Bolsa-Família, uma dinheirama braba. Por isso, em alguns municípios Bolsonaro já tem uma aprovação de 70%

Exemplo paraibano – É o caso, por exemplo, da cidade paraibana de Marisopólis, terra do jornalista Heron Cid. Segundo uma pesquisa encomendada pelo seu site PBMais, 72% dos entrevistados consideram a gestão de Bolsonaro ótima e boa, soma dos índices de aprovação. Há 15 dias, o site Poder360 também fez uma pesquisa apontando que a medida havia mexido com o humor da população em relação ao Governo e ao presidente, principalmente nos bolsões de miséria do Norte e Nordeste. Parece que Bolsonaro já encontrou o caminho das pedras para emplacar a reeleição. O social reelegeu Lula e a fez o ex-presidente puxar Dilma, considerada um poste, sem estatura eleitoral.

Bolsonaro no Recife – É nessa aposta que o pré-candidato do PSC a prefeito do Recife, Alberto Feitosa, espera reagir nas pesquisas e pavimentar sua ida ao segundo turno sendo carimbado como o candidato de Bolsonaro. Pelo que o blog apurou, está bem próximo o anúncio oficial do presidente, se não numa vinda ao Recife, mas com uma declaração pelas redes sócias. “Feitosa tem tudo para ser o candidato de Bolsonaro”, disse uma fonte palaciana em contato com ele blog.  Segundo essa mesma fonte, Bolsonaro teria pressa em mostrar de que lado estará no Recife para facilitar a identificação de Feitosa com o eleitorado bolsonarista.

CURTAS

AFASTAMENTO – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), determinou o afastamento do secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy, preso na manhã de ontem em operação da Lava Jato contra desvios na Saúde do Rio de Janeiro e de São Paulo. Ainda ontem pela manhã, Doria declarou no Twitter que as investigações contra o então secretário “não têm relação com a atual gestão do Governo de SP” e que não havia “implicações na sua atuação na Secretaria de Transportes Metropolitanos”. A operação cumpriu seis mandados de prisão e 11 de busca e apreensão expedidos pelo juiz federal Marcelo Bretas, do Rio de Janeiro. A PF disse que identificou “conluio entre empresários e agentes públicos, que tinham por finalidade contratações dirigidas”.

GAROTO-PROPAGANDA – Defensor do uso da cloroquina para o tratamento da covid-19, o presidente Jair Bolsonaro se tornou involuntariamente garoto-propaganda do medicamento que não tem eficácia comprovada para a doença em um outdoor colocado por apoiadores no Espírito Santo. Em Vitória, a peça apócrifa de nove metros de largura por três de altura traz a foto do presidente ao lado uma imagem de uma caixa de sulfato de hidroxicloroquina de 400 mg e anuncia, sem qualquer respaldo científico: "Tratamento precoce salva vidas".

Perguntar não ofende: João Doria está ferido de morte depois da operação da Federal, ontem, prendendo um auxiliar da sua equipe?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Michelle R$ 72 mil......... Marisa R$ 13.7 Milhões. Tirem suas conclusões

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

Fernandes

Difícil mesmo é lutar contra a Corrupção do Clã Bozonaro!

Fernandes

Queiroz depositou 21 cheques para Michelle Bolsonaro Postado por Magno Martins às 21:00 Com edição de Ítala Alves Extratos bancários de Fabrício Queiroz mostram que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos) depositou 21 cheques na conta de Michelle Bolsonaro, no valor total de R$ 72 mil, de 2011 a 2016. Os documentos divergem da versão apresentada por Jair Bolsonaro (sem partido) de que Queiroz estava pagando um empréstimo. Não há nenhum sinal na conta bancária de Queiroz de que ele tenha recebido dinheiro de Jair antes disso – o que configuraria o empréstimo. As informações são da Revista Crusoé. A “Crusoé” teve acesso ao extrato bancário de Fabrício Queiroz – cujo sigilo foi quebrado pela Justiça – e revelou mais depósitos em cheque do ex-assessor de Flávio Bolsonaro na conta de Michelle Bolsonaro do que se tinha conhecimento até agora. Em dezembro de 2018, com base em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o Ministério Público do Rio de Janeiro afirmou que Queiroz havia depositado cheques no valor de R$ 24 mil na conta da primeira-dama. Na época, o presidente Jair Bolsonaro justificou as transferências: disse que havia emprestado dinheiro a Queiroz, que os depósitos eram parte do pagamento dessa dívida e que o valor era ainda maior, chegando a R$ 40 mil. “Não foi por uma, foi por duas vezes que o Queiroz teve dívida comigo e me pagou com cheques. E não veio para a minha conta esse cheque, porque simplesmente eu deixei no Rio de Janeiro. Não estaria na minha conta. E não foram R$ 24 mil. Foi R$ 40 mil”, explicou Jair. Segundo a reportagem da “Crusoé”, “os extratos mostram que a conta da primeira-dama começou a ser abastecida por Queiroz em 2011. E pelo menos 21 cheques foram depositados entre 2011 e 2018”. 2011: três cheques de R$ 3 mil (R$ 9 mil); 2012: seis cheques de R$ 3 mil (R$ 18 mil); 2013: três cheques de R$ 3 mil (R$ 9 mil); 2016: nove cheques no total de R$ 36 mil. Não constam depósitos em nome de Jair Bolsonaro na conta do ex-assessor. Nem mesmo os R$ 40 mil que o presidente afirmou ter emprestado a Queiroz.

marcos

Bomba, o TSE divulga que será proibido votar em Ladrão nas próximas eleições. Ui fudeu o PT e PSB.


Banco de Alimentos

06/08


2020

Coluna da quinta-feira

O que pode acontecer com Lula

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal deve julgar até outubro um recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que pede a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. O argumento dos advogados é de que Moro não foi imparcial ao analisar os processos envolvendo o petista na Operação Lava Jato e, por isso, pedem que decisões do ex-magistrado sejam anuladas. Na prática, o pedido de suspeição feito por Lula pode anular o processo do triplex do Guarujá, o único em que Moro foi responsável por condenar o petista.

Caso o Supremo decida pela suspeição, a avaliação entre ministros da Corte é de que decisões tomadas pelo ex-juiz em outros processos, como o do sítio de Atibaia e do Instituto Lula, podem ser invalidadas. Ou seja, os processos correriam o risco de voltar à estaca zero, representando um revés para a Lava Jato envolvendo seu principal alvo. A defesa cita, como exemplo da suposta falta de imparcialidade de Moro, a decisão de tornar pública a delação do ex-ministro Antonio Palocci a seis dias da eleição de 2018.

A corrida ao Palácio do Planalto foi vencida por Jair Bolsonaro, que convidou o então juiz da Lava Jato para assumir o Ministério da Justiça. O ex-juiz nega irregularidades e alega que a sentença condenatória que proferiu contra Lula foi em outro caso, a do triplex do Guarujá, em julho de 2017. “Muito antes de qualquer campanha eleitoral, sendo ainda confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região e o Superior Tribunal de Justiça”, diz Moro, que deixou o governo Bolsonaro em abril deste ano, acusando o presidente de interferência na Polícia Federal.

Na última terça-feira, dois ministros da Segunda Turma do Supremo, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, atacaram a atuação de Moro à frente da Justiça Federal em Curitiba e indicaram voto para declarar a suspeição do ex-juiz ao condenar o petista. A discussão se Moro deve ser considerado suspeito foi iniciada ainda em dezembro de 2018, quando os ministros Edson Fachin, relator da Lava Jato, e Cármen Lúcia foram contra os argumentos da defesa do petista.

Um pedido de vista (mais tempo para análise) do ministro Gilmar Mendes suspendeu o julgamento, que deve ser retomado antes da aposentadoria do ministro Celso de Mello, em 1.º de novembro. Gilmar, Celso e Lewandowski ainda não votaram – a expectativa é a de que a definição do placar fique com o decano. (Com informações da Agência Estado).

Denúncias – A primeira denúncia formal da Lava Jato do Paraná contra Lula foi feita em 14 de setembro de 2016 e aceita pelo então juiz federal Sérgio Moro seis dias depois. É neste caso em que a defesa do petista pede que o ex-magistrado seja considerado suspeito. O ex-presidente Lula foi condenado em julho de 2017 a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro por Moro. A condenação foi confirmada pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), em janeiro de 2018, e sua sentença aumentada para 12 anos e um mês de prisão. Com isso, Lula passou a se enquadrar na Lei da Ficha Limpa e está impedido de concorrer à eleição presidencial. A 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em abril de 2019. Porém, diminuiu a pena para oito anos, 10 meses e 20 dias de reclusão.

Estaca zero – Caso o ex-juiz Sérgio Moro seja considerado suspeito pelo Supremo, essas condenações seriam anuladas e o processo precisará voltar à etapa inicial, desde a apresentação da denúncia pelo Ministério Público, com prazo para a defesa se manifestar e todas as demais possibilidades de recursos. Lula ficou 580 dias preso na sede da Polícia Federal em Curitiba pela condenação no caso do triplex. Foi solto em novembro de 2019, um dia depois de o STF declarar inconstitucional a prisão após condenação em segunda instância – caso do ex-presidente.

Caso Atibaia – A Procuradoria da República, no Paraná, fez a denúncia em maio de 2017 e acusou Lula de corrupção e lavagem de dinheiro por receber propina da OAS e da Odebrecht por meio de reformas em um sítio em Atibaia, interior de São Paulo. Apesar da propriedade estar em nome de Fernando Bittar, filho de um ex-prefeito de Campinas e amigo de Lula, a Procuradoria acreditava que o ex-presidente fosse o real beneficiário das reformas. Em fevereiro de 2019, a juíza federal Gabriela Hardt, substituta temporária de Moro após ele deixar o cargo para assumir o cargo de ministro da Justiça, condenou Lula a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Em 27 de novembro de 2019, o TRF-4 manteve por unanimidade a condenação do ex-presidente e elevou sua sentença para 17 anos e um mês. A decisão marcou a segunda condenação do petista em segunda instância.

Terreno do Instituto – A força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná denunciou o ex-presidente Lula, em dezembro de 2016, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em razão de contratos firmados entre a Petrobrás e a Odebrecht. A denúncia afirma que parte das propinas da Odebrecht foi paga por meio de um terreno para o Instituto Lula e um apartamento vizinho à residência do petista em São Bernardo. O caso ainda não foi julgado e, em setembro de 2019, o juiz Luiz Antônio Bonat, novo titular da Lava Jato em Curitiba, determinou a abertura de novos prazos para as defesas se manifestarem. A exemplo do caso do sítio, este processo também pode voltar à etapa anterior da aceitação da denúncia, caso Moro seja considerado suspeito.

CURTAS

PAGOU CONTAS – O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) admitiu que seu ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz fez pagamentos em dinheiro vivo em seu nome. De acordo com o senador, os valores investigados como "rachadinha" pelo Ministério Público do Rio de Janeiro nada mais são do que pagamentos de contas suas, feitos por Queiroz, a mando dele e com dinheiro dele. Flávio negou qualquer ato ilícito. "Pode ser que, por ventura eu tenha mandado, sim, o Queiroz pagar uma conta minha. Eu pego dinheiro meu, dou para ele, ele vai ao banco e paga para mim. Querer vincular isso a alguma espécie de esquema que eu tenha com o Queiroz é como criminalizar qualquer secretário que vá pagar a conta de um patrão no banco. Não posso mandar ninguém pagar uma conta para mim no banco?", disse Flávio ao jornal O Globo.

ATÉ FIM DE 2020 – O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou, ontem, que o governo avalia a reformulação do auxílio emergencial de R$ 600 pagos mensalmente a trabalhadores desempregados e informais, além de beneficiários do Bolsa Família, durante a pandemia de covid-19. “Vamos estudar junto com o Congresso a reformulação do auxílio emergencial junto com a criação do programa Renda Brasil. Ainda temos pelo menos um, dois meses pela frente de dificuldades”, afirmou Guedes, em audiência pública na Comissão Mista Temporária da Reforma Tributária. O governo estuda estender o auxílio emergencial até o fim de 2020.

INTERNET GRATUITA – O governador Paulo Câmara anunciou, ontem, que vai oferecer internet gratuita a estudantes da rede pública estadual, a partir do dia 11 de agosto. Serão beneficiados 500 mil alunos, além de 30 mil professores da educação básica e cinco mil estudantes de baixa renda da Universidade de Pernambuco. O projeto "Conecta Aí". O anúncio foi feito por um pronunciamento, transmitido pelas redes sociais, do governador ao lado do secretário de Educação, Fred Amâncio.

Perguntar não ofende: Se Lula reverter todos os processos e escapar das garras da justiça será candidato a presidente em 2022?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

Difícil mesmo é lutar contra a Corrupção dos vermelhos!

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

Fernandes

É muito difícil lutar contra a pandemia de imbecis.

marcos

O Santa Cruz tá igual ao Lula, mesmo morto ainda tem uma grande Torcida.


O Jornal do Poder

05/08


2020

Coluna da quarta-feira

Gleide vice: o desespero bateu!

Entre o inferno astral criado pelas cinco operações da Polícia Federal e a sorte sumindo pela janela pintou o desespero no PSB. O moído mais ouvido nos bastidores da aliança oficial no Recife parte de aliados dos caciques: convencer a delegada Gleide Ângelo a, a mais votada nas eleições passadas para a Assembleia Legislativa, superando a barreira dos 400 mil votos, a ser candidata a vice-prefeita na chapa do pré-candidato do PSB, João Campos.

Não há, sem dúvida, outro adjetivo para qualificar esse jogo de vida ou morte que não desespero. Só existem alguns detalhes que inviabilizam qualquer consolidação de estratégia nesse sentido: Gleide também é PSB. Numa coligação ampla e com tantos caciques, fica difícil imaginar que os parceiros partidários aceitem goela abaixo uma chapa pão com pão. Mais complicado ainda é vender para um eleitorado uma chapa em que a vice teve 153 mil votos no Recife e o protagonista apenas 73 mil.

A delegada, vale a ressalva, também não faz do mandato uma vitrine Brastemp. Fraquinha que dói, nem sociedade nem tampouco seus eleitores têm a mínima noção da sua atuação, projetos de transformação sociais apresentados ou posições corajosas assumidas frente a problemas gravíssimos, que exigem posicionamentos públicos, como os escândalos na Prefeitura do Recife e no Governo do Estado com dinheiro desviado da Covid-19.

O que se diz na cidade é que, diante do pífio mandato, a delegada jamais repetirá tamanha votação. Os mais pessimistas acham até que ela terá dificuldades para atingir um terço da estrondosa votação de 420 mil votos, primeiro por fazer um péssimo mandato, segundo pela omissão frente aos escândalos envolvendo o prefeito Geraldo Júlio e o governador Paulo Câmara, aliados que defende cegamente.

Quanto a João Campos, o desespero se explica por ter despencado nas pesquisas, saindo da liderança para o quinto lugar, tendo sido passado pela delegada Patrícia Domingos (Podemos), Mendonça Filho (DEM) e Daniel Coelho (Cidadania), sem falar em Marília Arraes (PT), que está na frente, com dez pontos de diferença em relação ao segundo.

Pode até não vingar – Mesmo que venham a firmar um entendimento, os pré-candidatos a prefeito do Recife, Mendonça Filho, do DEM, e Daniel Coelho, do Cidadania, podem não deslanchar como supõem. Pelo menos essa é uma avaliação de observadores da cena política municipal. A princípio, a soma até que, teoricamente, possa levar um dos dois ao segundo turno, mas há casos que mostram não é bem assim. No plano nacional, na eleição passada, o ex-governador Geraldo Alckmin montou a mais ampla frente de partidos com todos os matizes políticas, mas mesmo assim não cresceu o suficiente para chegar ao segundo turno, sendo disputado entre Fernando Haddad (PT) e Bolsonaro (PSL).

Dois na largada – Dos pré-candidatos a prefeito do Recife, apenas dois – Túlio Gadelha (PDT) e Patrícia Domingos (Podemos) – já confirmaram, oficialmente, que estão no páreo para valer. Gadelha foi o primeiro, na semana passada, enquanto Patrícia deu coletiva, ontem, com o mesmo objetivo. Já a petista Marília Arraes, embora não tenha confirmado oficialmente, na última segunda-feira obteve mais uma vitória na executiva nacional, que aprovou, por maioria absoluta, sua candidatura. Mendonça Filho, do DEM, e Daniel Coelho, do Cidadania, não confirmaram ainda que estão na disputa para valer porque dependem de uma negociação. Um dos dois deve desistir em apoio ao outro, mas os entendimentos parecem ter estancado e, a esta altura, poucos acreditam que venham a abrir mão do projeto. Em encontros públicos, ambos têm reiterado que são candidatos de todo jeito, impedindo a unidade da oposição.

Aberta ao diálogo – De Patrícia Domingos ao anunciar sua candidatura ontem em coletiva: “A partir de agora, estamos abertos ao diálogo e aceitamos, como eu disse, todo apoio será muito bem vindo, mas com Patrícia Domingos na cabeça da chapa isso aí já está decidido. A gente passou quatro meses em tratativas com a oposição e essas tratativas não avançaram, infelizmente. Podemos entender que era o momento de avançar com uma pré-candidatura própria porque não se pode mais esperar". Apesar do anúncio, Patrícia afirmou que ainda segue com articulações em busca de apoios de outras legendas.

Sem crimes – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou na entrevista ao Roda Vida que não encontrou embasamento legal nos quase 50 pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro enviados ao Congresso até agora. "Destes que estão colocados, eu não vejo nenhum tipo de crime atribuído ao presidente, de forma nenhuma", disse. Maia afirmou ainda que o impeachment não pode ser instrumento para solução e crises. "Tem que ter um embasamento para essa decisão e não encontro ainda nenhum embasamento legal", acrescentou. Questionado sobre o motivo de ainda não ter 'engavetado' os processos, Maia justificou que ocuparia tempo na agenda do Congresso, que deve focar em pautas sobre o coronavírus.

CURTAS

SEM PRESENCIAL – Apesar de um decreto do governo estadual estender a suspensão de atividades presenciais em instituições de ensino de Pernambuco até 15 de agosto, prefeitos de municípios do interior participaram de uma reunião virtual com o governador Paulo Câmara (PSB) na última segunda-feira sobre isso. Eles demonstraram preocupação com a volta às aulas em meio à pandemia do novo coronavírus. “Neste momento, sobretudo no mês de agosto, a gente não tem condições de voltar”, disse o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), prefeito de Afogados da Ingazeira.

REDUÇÃO DE JUROS – Os líderes do Senado decidiram colocar na pauta de votações desta semana projeto do senador Álvaro Dias (Podemos-PR) que limita os juros de cartões de crédito e cheque especial. A votação está prevista para amanhã. A decisão foi tomada em reunião na manhã de ontem. O texto inicial estabelecia em 20% ao ano os juros que bancos e instituições financeiras poderão cobrar dos clientes até julho de 2021. A ideia do senador é amenizar os efeitos da pandemia sobre os consumidores. O texto inicial estabelecia em 20% ao ano os juros que bancos e instituições financeiras poderão cobrar dos clientes até julho de 2021. A ideia do senador é amenizar os efeitos da pandemia sobre os consumidores.

DEBATE MUNICIPAL – A segunda live desta semana do blog será hoje com o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi. Na pauta, as consequências geradas nas cidades por causa da Covid-19 e também de eleição municipal. Será às 18 horas pelo Instagram, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio, formada hoje por mais de 40 emissoras. Se você não segue ainda o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Se a pandemia do coronavírus se agravar como tem sido a tendência, o Congresso pode adiar as eleições para o próximo ano?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

Ainda bem que o mundo todo já sabe que Lula é Ladrão.

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

Brasil acima de tudo e Deus acima de Todos.

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!


Potencial Pesquisa & Informação

03/08


2020

Coluna da terça-feira

Ação popular abala delegada

A pré-candidata do Podemos à prefeita do Recife, Patrícia Domingos, que abriu um processo contra este blogueiro por ter noticiado sua resistência em não voltar ao batente presencial como delegada, para ficar com tempo integral disponível para campanha, sofreu, ontem, um grande revés: uma ação popular movida por três advogados. Eles pedem ao juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital que a obrigue a devolver mais de R$ 70 mil, correspondentes a quatro meses de salários embolsados sem prestar serviços ao Estado como delegada. Tal valor, segundo eles, só poderia convertido em salário para ela se de fato tivesse trabalhado. Por isso, os advogados exigem também que a delegada apresente relatórios das suas atividades, casos apurados e agenda, já que, ao longo desse tempo, ela foi vista muito mais fazendo campanha para prefeita do que mesmo apurando casos policiais. 

Os requerentes acusam a delegada de fazer campanha política durante a pandemia, enquanto alegava não poder trabalhar na sua função por ser paciente cardíaca e, portanto, incluída no grupo de risco para Covid-19. A ação alega que “todo ato lesivo ao patrimônio público agride a moralidade administrativa”. O que os advogados Piero Monteiro Sial, Lucas Carvalho Machado e Rudolph San do Rego querem é que a justiça aponte quais os horários de trabalho dela em casa, os casos que vem apurando e o salário recebido.

Tudo porque a delegada entra em contradição quando alega, em processo movido contra o Estado, que diante do fato de ser hipertensa, só pode fazer teletrabalho. Bater ponto na delegacia, para ela, mesmo usando máscara e álcool gel, seria colocar sua vida em risco diante da pandemia do coronavírus, que avança em todo o País, em curva ascendente principalmente em Pernambuco.

Acontece, entretanto, que a delegada não tem medo de ir às ruas fazer campanha. Seu receio de contrair a doença está apenas no trabalho presencial na delegacia, porque tem sido uma constância, quase uma rotina diária, postagens delas nas redes sociais em bairros periféricos da cidade, nas ruas e até em grupos quando convidada a fazer palestras presenciais, como ocorreu na semana passada ao falar no Mar Hotel num evento promovido por apoiadores de Bolsonaro no Estado.

Na ação contra o Estado, requerendo o direito de trabalhar em casa para embolsar seu salário integral, algo em torno de R$ 27.452,00, a delegada estipula uma multa diária ao Estado, caso não seja atendida no seu direito de ficar em casa. Os advogados vão a fundo na ação popular e exigem também da justiça transparência no trabalho diário da delegada, já que ela não pode trabalhar na delegacia em que é lotada, mas nada teme ao andar pelas ruas gravando vídeos de campanha para as redes sociais.

CPI em Arcoverde – Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, a presidente da Câmara de Arcoverde, Célia Galindo (PSB), anunciou, com exclusividade, que instalará, na próxima sexta-feira, a CPI destinada a investigar desvios de recursos num programa social na gestão da prefeita Madalena Brito (PSB). Segundo ela, a CPI será composta por três vereadores escolhidos de acordo com a proporcionalidade da representação partidária na Casa. “Passei os últimos dias debruçada numa vasta documentação apresentada pela autora da CPI”, disse Galindo, referindo-se a Zirleide Monteiro, parlamentar do PTB, adversária da prefeita.  Segundo a denúncia, desde 2016 um esquema de desvio de recursos vinha sendo praticado no âmbito da Secretaria de Ação Social envolvendo recursos do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Chapa em Lajedo – Distante 194 km do Recife, Lajedo, no Agreste Meridional, já tem a chapa oficial do prefeito Rossine Blesmany (PSD) fechada. É encabeçada pelo ex-prefeito Adelmo Duarte tendo como vice o doutor Pedro Melo, médico com relevantes serviços prestados ao município e a região. Quem conhece os meandros da política de Lajedo garante que Rossine tem amplas chances de emplacar o sucessor depois de dois mandatos consecutivos bem avaliados pela população. Nas eleições passadas, Rossine foi reeleito com 55% dos votos válidos e sua gestão tem aprovação beirando os 80% nas variáveis de ótimo e bom.

Abuso em Buíque – A pré-candidata a prefeita de Buíque pelo PSD, Miriam Briano, é mais uma que não está nem aí com a pandemia do novo coronavírus, apesar da idade, das restrições impostas pelos decretos estaduais e municipais de distanciamento e da obrigatoriedade do uso de máscaras. No final de semana, a pré-candidata manteve encontros sem o uso de máscaras. Tanto ela, quanto o pré-candidato a vice, o vereador Daidson Amorim, fizeram uma sessão de fotos com várias pessoas, todas sem máscaras. Buíque já tem hoje 188 casos confirmados da Covid-19 e quatro (04) vieram a óbito devido a doença.

Só na Globo – A matéria de 6 minutos com Felipe Neto no Jornal Nacional de quinta-feira (30) teve enorme repercussão na mídia e nas redes sociais. A denúncia da campanha de difamação contra o influenciador digital rendeu a ele um convite para debater fake news, radicalismo ideológico e desconstrução de biografias na GloboNews, na noite de domingo passado. Ao vivo, o youtuber criticou o canal de notícias do Grupo Globo por dar espaço ao discurso de negacionistas da covid-19 como o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), aliado do presidente Jair Bolsonaro. Questionado se aceitaria se sentar com blogueiros bolsonaristas para debater o projeto de lei contra fake news, o influenciador surpreendeu na resposta. "Não me sentaria, da mesma forma que eu não aceito aparecer na CNN Brasil pela mesma razão".

CURTAS

MAIS UM – O ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, recebeu, ontem, a confirmação de que testou positivo para a covid-19. "O ministro passa bem e está assintomático", afirma nota divulgada pela assessoria da pasta. Além dele, outros seis ministros e o presidente Jair Bolsonaro já contraíram a doença. "Ele ficará em isolamento até novo teste e avaliação médica. Até lá, continuará cumprindo a sua agenda de forma remota", diz a nota. Além de Braga Netto, já testaram positivo Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Milton Ribeiro (Educação), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Bento Albuquerque (Minas e Energia) e Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações). Também a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, contraiu covid-19. Já Bolsonaro anunciou no dia 7 de julho que tinha testado positivo e anunciou sua cura no dia 25.

ADIAMENTO – O ministro da Justiça, André Mendonça, cancelou, ontem, sua ida ao Senado para explicar o trabalho da Secretaria de Operações Integradas (Siopi) da pasta. Uma audiência chegou a ser programada hoje, para que o ministro pudesse falar sobre o monitoramento de opositores do governo de Jair Bolsonaro. A pasta, no entanto, alega que o assunto é sigiloso e não poderia ser tratado em um encontro virtual aberto ao público, como previsto. O trabalho da secretaria virou alvo do Ministério Público após o portal UOL revelar que o órgão produziu dossiê com informações de 579 professores e policiais identificados pelo governo como integrantes do "movimento antifascismo".  No domingo, nove dias depois de o caso vir à tona, Mendonça anunciou uma sindicância interna para investigar o fato.

LIVES DA SEMANA – As lives desta primeira semana de agosto já estão confirmadas. Na de hoje, o cientista político e professor Antônio Lavareda fala sobre a primeira eleição em meio à pandemia do coronavírus. Na de amanhã, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi, trata das consequências geradas nas cidades por causa da Covid-19 e também de eleição municipal. A primeira será às 19 horas pelo Instagram. A segunda, de 18 horas, também pelo Instagram, mas com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio. Se você não segue ainda o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Qual porta a Polícia Federal vai bater na manhã de hoje nas operações envolvendo desvios de dinheiro da Covid-19?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

Entenda a denúncia de Allan dos Santos, passo a passo..................................... 1- Maio de 2020. Allan recebe informação de que Barroso, Moraes, Ministros do TSE, STJ e TCU, Presidentes da Câmara e Senado reuniram-se na madrugada de Brasília para confabular derrubada de Bolsonaro. Chegaram a solicitar ajuda de Joice.............................................. 2- Junho de 2020. Moraes obriga a PF a vasculhar a casa de Allan dos Santos para descobrirem a fonte que deu a notícia sobre a reunião secreta. Não encontraram nada, e refizeram a operação 15 dias depois. Porém, também sem sucesso em descobrir a fonte do Allan.......................................... 3- Julho de 2020. Em razão de não entenderem como o Allan teve acesso a informações da reunião secreta, Barroso tira servidor do STF e o coloca na segurança do TSE para que apure se existe sistema de espionagem contra ministros do TSE ou STF em Brasília.............................................. 4- Empresa contratada descobre malas de espionagem nas Embaixadas da China e Coréia do Norte. Além de uma mala na casa do Advogado Kakay do PT................................................. 5- Após descobrir que as malas estavam a menos de 5 km do Palácio do Planalto, Barroso deveria ter alertado as autoridades...................................................... 6- Informações sobre o caso vazaram para o Allan dos Santos, que temendo por sua vida, devido a gravidade do caso, saiu do país para denunciar o crime a priori, de \"prevaricação\" do Ministro Barroso, porém o crime pode ser enquadrado na lei de Segurança Nacional.............................................. 7- Segundo a Lei de Segurança Nacional, Quem encobrir informações de Espionagem internacional está sujeito a penas de mais de 20 anos de prisão........................................... 8- Grande mídia não toca no assunto e diz que Allan fez Fake News............................ 9- Allan começa mostrar partes do conteúdo............................... 10- Terça Livre denuncia que Família de um ministro do STF está no Paraguai, o que poderia indicar uma fuga do ministro.......................................... 11- Barroso era advogado de Cesare Batisti, que tentou fuga para o Paraguai para de lá fugir para local incerto. Após isso Barroso foi indicado para o STF......................................... 12- Allan dos Santos teria também dossiê que desvenda o caso Adélio Bispo, podendo inclusive ter provas de quem mandou matar Jair Messias Bolsonaro......................................... Henrique Póvoa

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

Fernandes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, apresentou ao presidente Jair Bolsonaro um plano para emplacar a extinta CPMF

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !



03/08


2020

Coluna da segunda-feira

Reale chegou a fugir do impeachment

Na live deste blog, sexta-feira passada, a deputada Janaína Paschoal (PSL), a mais votada na eleição passada para a Assembleia Legislativa de São Paulo, revelou bastidores inéditos do processo de impeachment da ex-presidente Dilma, em 2016, no qual teve importante contribuição como advogada de acusação ao lado de Miguel Reale Júnior e Hélio Bicudo. Abrindo o coração, disse que Reale Júnior, bem mais famoso do que ela, ainda bastante desconhecida no início, não aceitou de largada a tocar o processo junto com ela.

“Reale foi o primeiro a ser chamado, mas não aceitou participar. Ouvi muitos nãos de Reale até encontrar Hélio Bicudo. Com Bicudo houve uma identidade de pensamentos que considero encontro de almas”, afirmou. “As pessoas acham que pensei em algo que já estava delineado, mas eu é que pensei a ideia por mim”, afirmou. Conforme narrou, resolveu fazer o processo e depois que Reale não quis participar saiu em busca de vários juristas.

“Na época, como o doutor Miguel Reale tinha ligação com o PSDB, o partido condicionou o apoio ao processo à entrada do jurista. Foi então que ele aceitou”, revelou, adiantando ter dito para ele, na hora, que não precisava dessa imposição porque sempre foi bem-vindo ao processo e por isso mesmo foi lembrado no primeiro instante.  Janaína também revelou outro incômodo. O fato de, no começo, a imprensa se referir aos autores do pedido de impeachment citando Reale e Bicudo como “os juristas” e a ela, simplesmente como “a advogada Janaína”.

Hoje, por causa disso, afirmou que coloca nos comunicados que redige o nome de todos os que fazem parte de uma ação em qualquer referência. E não sabe se teria essa preocupação, se não tivesse passado por isso. A parlamentar relatou, também, que em vários momentos durante o impeachment sofreu humilhações públicas e que passou muitas noites sem dormir, ao longo da discussão do impeachment no Congresso, para ler e reler documentos.

Sobre os motivos que a levaram ao afastamento de Dilma, disse que a iniciativa começou a tomar corpo a partir da sua vida acadêmica. “Achava os petistas muito totalitários dentro da universidade. Sentia um ambiente de autoritarismo, perseguições e destruição constante. Isso me incomodava. Comecei a colecionar fatos, dados e fui juntando tudo. Era muito incômodo ver como eles defendiam o governo da Venezuela, por exemplo. Quando tive acesso ao procedimento conduzido pelo procurador de contas, Júlio Marcelo, - com o parecer citando manobras fiscais do governo definidas por ele como ‘pedaladas’ - fiquei convicta que tinha de haver o impeachment”, afirmou. (Colaborou Hylda Cavalcanti, de Brasília).

Ninguém teria feito – A deputada Janaína Paschoal contou, ainda, que não achava que seria ela quem devesse encabeçar todo o pedido de impeachment e sim alguém mais conhecido. Motivo pelo qual procurou tantas pessoas, inicialmente. “Percebi que se eu não fizesse ninguém faria”, afirmou. A parlamentar destacou que um dos problemas que enfrentou na época foi o fato de muitos apoiadores do impeachment não quererem tratar do escândalo chamado de Petrolão – que resultou na operação Lava Jato -, só das mudanças fiscais e das pedaladas. “Eu entendia que precisávamos incluir tudo, inclusive os empréstimos milionários concedidos a outros países, como Cuba e Venezuela”, ressaltou. Foi daí que veio a sua famosa argumentação, que ficou conhecida como “o conjunto da obra”, tão defendida por ela durante a votação do caso no Congresso.

Condição para vice – Outra revelação importante diz respeito ao convite que receber de Bolsonaro para ser vice a sua chapa em 2018. “Quando o presidente me convidou, sugeri ficar dando expediente num prédio em São Paulo e só me deslocar para Brasília quando ele viajasse. Notei que ele gostou da ideia, mas as pessoas no entorno dele não gostaram, acharam que eu estava exigindo muito. Depois veio a convenção do partido, onde eu disse que não era fiel ao ele, era fiel ao Brasil. Falei a minha verdade e aí houve uma reação forte contra meu nome, então não deu certo. Isso provocou um estremecimento de lado a lado”, narrou. Hoje, a deputada reconhece que se tivesse sido vice-presidente poderia ter enfrentado muitos problemas. “Se tivesse aceitado, a confusão iria estar feita. Não sei como seria a junção de duas personalidades tão fortes”.

Emergência sanitária – Uma exceção na regra que controla a propaganda oficial para evitar abusos no período eleitoral promete dar muita dor de cabeça para a Justiça Eleitoral. Trata-se da emergência sanitária causada pelo novo coronavírus. A norma poderá suscitar contestações e ações contra o uso da máquina pública por governantes. De fato, a legislação diz que, com exceção da propaganda de produtos que tenham concorrência no mercado bem como da orientação da população no combate à pandemia, todas as demais propagandas oficiais das prefeituras estão proibidas a partir de 15 de agosto. Casos excepcionais de utilidade pública devem ser analisados pela Justiça Eleitoral.

Fake news – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a Casa acelerará a tramitação do projeto de lei das fake news por tudo o que o youtuber Felipe Neto “tem sofrido nesses dias”. Também convidou o comunicador para uma reunião sobre o projeto na Câmara. O influenciador aceitou. Os deputados discutem projeto já aprovado pelo Senado que, segundo seus apoiadores, endurece o combate às fake news. Setores da sociedade civil veem risco de que mecanismos gestados na proposta sirvam para impor censura sobre redes sociais e outros meios.

CURTAS

ROMÁRIO NA BERLINDA – Acusado em processos judiciais de transferir bens a terceiros para não pagar dívidas com credores, o senador Romário (Pode-RJ) passou a colocar o próprio advogado como dono de parte de seu patrimônio. Luiz Sérgio de Vasconcelos Júnior, que entre 2017 e 2019 foi funcionário comissionado no Senado, foi autorizado, por meio de documentos firmados em cartório, a receber R$ 22 milhões em verbas que seriam de direito do ex-jogador. Ao longo das últimas duas décadas, Romário vem sendo cobrado na Justiça por uma série de dívidas milionárias.

Transferências – Empresas e pessoas físicas que cobram o senador na Justiça costumam ter dificuldades de encontrar patrimônio em seu nome. Há dois anos, o jornal carioca Extra revelou que Romário havia transferido para a própria irmã, Zoraidi Faria, bens como uma lancha, um Porsche e uma casa na Barra da Tijuca. Nos últimos meses, o advogado Luiz Sérgio de Vasconcelos Júnior passou a ter direito sobre o patrimônio do senador a partir de dois movimentos. O primeiro deles diz respeito a um acordo com o Vasco, para o recebimento de R$ 15,1 milhões de dívidas da época em que Romário atuou no clube.

LIVES DA SEMANA – As lives desta primeira semana de agosto já estão confirmadas. Na de amanhã, o cientista político e professor Antônio Lavareda fala sobre a primeira eleição em meio à pandemia do coronavírus. Na quarta-feira, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi, trata das consequências geradas nas cidades por causa da Covid-19 e também de eleição municipal. A primeira será às 19 horas pelo Instagram. A segunda, de 18 horas, também pelo Instagram, mas com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio. Se você não segue ainda o Instagram do blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Se o Congresso ainda não deliberou sobre o assunto, qual a penalidade prevista no Brasil para crimes de fake news?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

STF proíbe investigar Verdevaldo;................................... STF proíbe investigar Serra e Alckmin;...................................... STF não julga caso de Gleisi;................................................... STF solta Lula e Dirceu;........................................... STF solta 32.000 presos;........................................ STF prende apoiadores de Bolsonaro;............................................. STF cala Bob Jeff e bolsonaristas.......................................... Que Justiça é essa?

marcos

Um feito e tanto: Balança comercial tem superávit recorde em julho...................................... O governo federal acaba de anunciar que o Brasil teve o maior superávit da balança comercial desde o início da série histórica. US$ 8 bilhões......... É o Brasil dando Certo!

marcos

Entenda a denúncia de Allan dos Santos, passo a passo..................................... 1- Maio de 2020. Allan recebe informação de que Barroso, Moraes, Ministros do TSE, STJ e TCU, Presidentes da Câmara e Senado reuniram-se na madrugada de Brasília para confabular derrubada de Bolsonaro. Chegaram a solicitar ajuda de Joice.............................................. 2- Junho de 2020. Moraes obriga a PF a vasculhar a casa de Allan dos Santos para descobrirem a fonte que deu a notícia sobre a reunião secreta. Não encontraram nada, e refizeram a operação 15 dias depois. Porém, também sem sucesso em descobrir a fonte do Allan.......................................... 3- Julho de 2020. Em razão de não entenderem como o Allan teve acesso a informações da reunião secreta, Barroso tira servidor do STF e o coloca na segurança do TSE para que apure se existe sistema de espionagem contra ministros do TSE ou STF em Brasília.............................................. 4- Empresa contratada descobre malas de espionagem nas Embaixadas da China e Coréia do Norte. Além de uma mala na casa do Advogado Kakay do PT................................................. 5- Após descobrir que as malas estavam a menos de 5 km do Palácio do Planalto, Barroso deveria ter alertado as autoridades...................................................... 6- Informações sobre o caso vazaram para o Allan dos Santos, que temendo por sua vida, devido a gravidade do caso, saiu do país para denunciar o crime a priori, de \"prevaricação\" do Ministro Barroso, porém o crime pode ser enquadrado na lei de Segurança Nacional.............................................. 7- Segundo a Lei de Segurança Nacional, Quem encobrir informações de Espionagem internacional está sujeito a penas de mais de 20 anos de prisão........................................... 8- Grande mídia não toca no assunto e diz que Allan fez Fake News............................ 9- Allan começa mostrar partes do conteúdo............................... 10- Terça Livre denuncia que Família de um ministro do STF está no Paraguai, o que poderia indicar uma fuga do ministro.......................................... 11- Barroso era advogado de Cesare Batisti, que tentou fuga para o Paraguai para de lá fugir para local incerto. Após isso Barroso foi indicado para o STF......................................... 12- Allan dos Santos teria também dossiê que desvenda o caso Adélio Bispo, podendo inclusive ter provas de quem mandou matar Jair Messias Bolsonaro......................................... Henrique Póvoa

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !



01/08


2020

Coluna do sabadão

Anderson, Raquel e Miguel no jogo

Num cenário no qual o PSB se complique e perca a eleição no Recife, 2022 tende a configurar um quadro interessante em termos de renovação de quadros no Estado para a disputa ao Governo. Sendo reeleito em Jaboatão, conforme se vislumbra, o prefeito Anderson Ferreira (PL) será o primeiro a botar a cara no jogo como pré-candidato a governador. Da mesma forma, a tucana Raquel Lyra, em Caruaru, e o emedebista Miguel Coelho, em Petrolina.

Caiu no colo de Raquel, aliás, um cenário extremamente favorável a sua reeleição. Candidato aparentemente mais forte para fazer o enfrentamento, o deputado estadual José Queiroz (PDT) deve jogar a toalha. A pandemia engessou o seu projeto. Político forjado nas ruas, Queiroz não põe nem o pé na calçada da sua casa temendo o vírus da morte. Não tem perfil, por outro lado, para administrar uma campanha pelas redes sociais como será esta, imposta pela pandemia do coronavírus.

Considera também nome de grande densidade eleitoral, o deputado Tony Gel, do MDB, está inelegível em razão de uma decisão recentemente tomada pelo Tribunal de Contas por causa de aumento de salário dado ao seu secretariado quando prefeito. Restam como adversários o delegado Erick Lessa (PP), um dos mudos da Assembleia (nunca vi um pronunciamento dele), e o jovem Raffiê Dellon, ex-dirigente da Ciretran, filiado ao PSD, cria do deputado federal André de Paula.

Pelo visto, a oposição não fará sequer uma cosquinha de leve para impedir a reeleição de Raquel. Quanto a Jaboatão, o cenário parece tranquilo para Anderson, mas diferente de Caruaru, Jaboatão se insere num bolsão de miséria da Região Metropolitana com um voto flutuante incerto, que muda na direção que o vento leva. Petrolina é um caso atípico. Além de ser hoje um dos gestores mais aprovados do Estado, Miguel Coelho não tem, hoje, adversário.

Os mais fortes são Odacy Amorim e Júlio Lóssio, o primeiro abrigado numa legenda que não tem mais voto de opinião, o PT. O segundo, com os bens indisponíveis, mas sem impedimento legal. Falta a Lóssio, hoje abrigado no PSD, o visgo para atrair aliados. Andorinha sozinha não faz verão. Em Petrolina tem, por fim, a candidatura do vereador Gabriel Menezes, do PSL, igualmente solitário, mas com discurso corajoso, denunciando o que julga errado na gestão municipal.

Mas o fato é que 2022 pode ser o começo de uma renovação na política estadual, tendo em campanha três prefeitos que podem renunciar dois anos e meio de mandato pela frente para tentar despachar no Palácio do Campo das Princesas a partir de janeiro de 2023. Pernambuco é um Estado que não se renova tem muito tempo. A Bahia perdeu ACM, o Toninho Malvadeza, mas tem hoje um governador muito bem avaliado, o petista Rui Costa, e o melhor prefeito de capital, ACM Neto (DEM), segundo o Datafolha. Ali, eles brigam para fazer mais e melhor pela Bahia. E aqui? Nem precisa responder.

Mais forte – Dos três nomes, o que, aparentemente, leva mais vantagem no jogo de 2022 é Anderson Ferreira, não apenas por ser gestor de Jaboatão, segundo colégio eleitoral do Estado, dentro do contexto do voto urbano da Região Metropolitana, mas por representar um grupo, o dos Ferreira,  que investe fortemente nas eleições municipais de novembro de olho na eleição para governador, dois anos depois. E investe, sobretudo, na RMR. Favorito em Camaragibe, o ex-prefeito Jorge Alexandre, do SD, por exemplo, já aderiu ao grupo, isso sem falar em dezenas de municípios no Agreste, Sertão e Zona da Mata.

Nariz empinado – Por estar mais próxima do Recife, do voto urbano, Caruaru pode ser uma bela vitrine para Raquel Lyra em 2022, mas a tucana tem que desbancar seus adversários logo de saída, no primeiro turno, para chegar com discurso de guerreira nos territórios além da capital do forró. As informações sobre sua gestão são muito desencontradas, mas o que mais pesa em seu perfil é o carimbo de chata de galocha. Briga com Deus e o mundo. Já ficou intrigada até do pai, o ex-governador João Lyra Neto. Por aí, dá para se ter uma noção do seu temperamento, do seu queixão, do seu nariz empinado.

O fator grotões – Quanto a Miguel Coelho, uma grande promessa gerencial e política para o futuro, um dos herdeiros do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), seu grande desafio, depois da reeleição, será torna-se conhecido na Região Metropolitana do Recife, onde está o grosso do eleitorado do Estado. Charme e competência não faltam, mas será um longo caminho, um teste de fogo. Com exceção de Nilo Coelho, que foi biônico, Pernambuco nunca elegeu um governador sertanejo, dos grotões. Mas nada que um bom marqueteiro e uma estratégia política para se alcançar caminhos intransponíveis.

Ameaça a Moro – Pelo menos três projetos de lei discutem a criação de quarentena para juízes e promotores que queiram disputar eleições, tese defendida pelos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tramitam no Congresso. Advogados se dividem sobre a possibilidade de que, caso seja aprovada, a regra impeça o ex-ministro Sérgio Moro de ser candidato à Presidência. Segundo eles, é provável que o assunto seja debatido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Embora negue interesse, o ex-juiz da Lava Jato é apontado como um dos possíveis nomes para 2022.

FELIPE NETO 1 – A reportagem com Felipe Neto no Jornal Nacional de quinta-feira (30) não foi simplesmente uma matéria, e sim uma espécie de posicionamento editorial. Por meio das falas do youtuber atingido por campanha difamatória, a Globo reforça a disposição de combater notícias falsas, ultrajes, ameaças e hostilidades que afetam também alguns jornalistas da emissora – principalmente o mais influente deles, William Bonner. A reportagem, conduzida por Helter Duarte, destacou as fake news propagadas na internet com o objetivo de desmoralizar o influenciador digital. A mais recente, e talvez mais grave, foi um post falso que mostra Felipe Neto fazendo apologia da pedofilia.

FELIPE NETO 2 – A matéria mostrou a existência de coação fora da web, como um protesto com carro de som na entrada do condomínio onde o youtuber mora, na Barra da Tijuca, no Rio. “Virem atrás de mim, dentro da minha casa, é um nível de perseguição que eu não imaginei que aconteceria. Sabe aquele vilão de novela, que você fala assim: não existe na vida real? Mas existe. Ele está aí, ele acontece. E eu estou vendo agora na prática até onde as pessoas são capazes de ir”, disse Felipe. O JN afirmou que a opressão ao influencer aumentou após o jornal The New York Times postar um vídeo no qual ele critica o presidente Jair Bolsonaro pela gestão da pandemia de covid-19 no País.

MARIA DA PENHA – Uma nova lei de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, proíbe que haja nomeação de condenados pela Lei Maria da Penha para qualquer cargo público, nos âmbitos do executivo e legislativo municipais. A Lei 824/2020, chamada de Lei Josenita Duda, leva o nome da ativista camaragibense que faleceu em 1º março deste ano. Sancionada pela prefeita da cidade, Nadegi Queiroz, a lei já está em vigor e tem validade para quando o processo relativo à agressão já tenha sido julgado.

Perguntar não ofende: Quantos deputados estaduais em PE já recorreram aos empréstimos do poderoso Sebastião Figueiroa?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, apresentou ao presidente Jair Bolsonaro um plano para emplacar a extinta CPMF

marcos

Mas afinal, Lula é Ladrão ou Bandido?

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

Mas que Lula é Ladrão o mundo inteiro já sabe.

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !



31/07


2020

Coluna da sexta-feira

Ligações perigosas

As conexões das operações pela Polícia Federal na Prefeitura do Recife, há menos de dez dias, e a de ontem na Assembleia Legislativa, remetem a um personagem muito conhecido nos bastidores da política pernambucana: Sesbastião Figueiroa, irmão do ex-deputado Toinho do Pará, com bases em Santa Cruz do Capibaribe. Trata-se de um homem poderoso, com um histórico de favores prestados aos políticos que compartilham o poder do PSB no Estado e na Prefeitura do Recife.

Com empresas espalhadas em todos os segmentos que se possa imaginar na atividade industrial, comercial e de prestação de serviços, Figueiroa tem contratos em todas as esferas do poder e não poderia deixar de ter o seu DNA na Assembleia. Ali, a Polícia Federal fala em contratos da ordem de R$ 40 milhões firmados após pregões eletrônicos de licitações viciadas. A chegada dos agentes federais ao prédio do Legislativo, logo cedo, na manhã de ontem, gerou um clima de medo e terror.

Afinal, não se sabe até aonde vão os tentáculos do grupo Figueiroa. Embora a Polícia Federal ainda não tenha trazido a informação à tona, a empresa Saúde Brasil Comércio de Medicamentos Médicos Ltda., por exemplo, responsável por contratos sem licitação de R$ 81 milhões com a Secretaria de Saúde do Recife durante a pandemia, faz parte do mesmo grupo empresarial. O proprietário da Saúde Brasil, Gustavo Sales Afonso de Melo, é casado com Suellen Mendonça Figueiroa, filha do empresário indiciado.

Através de compras emergenciais com a Saúde Brasil, a Secretaria de Saúde do Recife comprou milhões de luvas de procedimento, seringas descartáveis, cânulas de traque ostomia e outros materiais de consumo hospitalar. Há indícios de que parte dos produtos não foi entregue e de negociações com preços superfaturados. A empresa de pequeno porte, que teve lucro de R$ 107 mil em 2019, já recebeu da Prefeitura do Recife R$ 15,7 milhões esse ano, além dos recursos que já foram devolvidos (R$ 1,3 milhão).

A sede da Saúde Brasil está instalada em sala empresarial de outro filho de Figueiroa, Daividson Mendonça Figueiroa, no Empresarial Flor de Santana (Casa Forte), onde outras companhias vinculadas ao grupo também têm sede. Há indícios de que também faça parte do grupo liderado por Sebastião Figueiroa empresas do ramo de academias e alimentação. Tudo isso pega de cheio o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, responsável pelos contratos na condução de principal ordenador de despesas do município.

Impedimento – A propósito, cinco empresas do grupo empresarial de Sebastião Figueiroa estão impedidas de licitar e de exercer atividades econômicas vinculadas ao poder público desde 12 de junho. O revés para o grupo, anterior à ação federal, tem origem em investigação do Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE) sob o juízo da Primeira Vara Criminal da Comarca de Petrolina. Entre as determinações do juiz Gabriel Augusto Castro Pinto, datadas de 12 de junho, consta a suspensão das atividades econômicas de todas as empresas relacionadas aos filhos de Figueiroa, Daividson Mendonça Figueiroa e Suellen Mendonça Figueiroa, e a proibição de licitar com o poder público imposto às seguintes pessoas jurídicas: Unipauta Formulários Ltda. Gráfica e Editora Canãa Ltda., Gráfica A Única, RACS Comércio e AJS Comércio. Também foram determinadas intercepções telefônicas e o seqüestro de bens no valor de R$ 2,5 milhões. Um apartamento no 27º andar do edifício Alberto Ferreira da Costa, número 882, na Avenida Boa Viagem, foi sequestrado pela Justiça.

Atividades – Apesar de também ter tido a prisão indeferida pela Justiça Estadual, Sebastião Figueiroa foi obrigado pelo juiz ao dever de comparecimento mensal em juízo para informar e justificar suas atividades. De acordo com o Portal Tome Conta do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), as cinco empresas já forneceram materiais aos poderes públicos municipais e estadual numa monta de R$ 388,9 milhões. A investigação sob coordenação do MPPE provocou a Operação Ripstop, no mesmo dia da Casa de Papel - 16 junho passado - e teve origem em licitação de material escolar na Prefeitura de Petrolina.

Investigação – Em paralelo às empresas cujos sócios oficiais são o próprio Sebastião Figueiroa ou seus filhos, suspensas, a Polícia Federal, responsável pela Operação Casa de Papel, também investiga outras pessoas jurídicas que teriam vínculo com o grupo, mas que não tiveram suas atividades afetadas pela Justiça estadual. Entre elas, a Arquivo Digital Gestão Documental Eireli, a J.A. Comércio e Serviços Ltda., a Gráfica Editora Nossa Senhora da Penha ME, a Meta Terraplanagem Eireli EPP, o Posto Pirâmide Ltda. e a Saúde Brasil Comércio de Materiais Médicos Eireli.

Despejo – Tão logo anunciou sua candidatura a prefeito do Recife pelo PDT, o deputado Túlio Gadelha telefonou para a secretária de Habitação da gestão Geraldo Júlio, Ana Paula Lins, informando que ela estaria sendo obrigada a devolver o cargo, porque a partir de agora o partido assumiria de fato e de direito o seu papel  de oposição. Lins substituiu Isabela de Roldão, indicada pelo pai, o ex-deputado e ex-conselheiro do TCE, Joaquim Roldão. Não se sabe, no entanto, se Gadelha também ligou para o secretário estadual do Trabalho, Alberes Lopes, também mandando ele cair fora. Se ele está com tamanho poder, certamente tem o aval do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, já que o diretório estadual, presidido pelo deputado Wolney Queiroz, está atrelado às forças aliadas do Governo.

CURTAS

PODER DE FOGO – Por falar em Carlos Lupi, que controla o PDT com mão de ferro, procurado pelo blog não quis falar sobre esse imbróglio com o partido no Recife. Túlio Gadelha, segundo uma fonte, é candidato para valer mesmo. Na condição de presidente municipal da legenda, ele controla 100% dos diretorianos, universo eleitoral que terá direito a voto na convenção. O grupo do ex-prefeito de Caruaru, deputado José Queiroz, foi alijado da executiva municipal e hoje só controla o partido em nível estadual.

SEM CULPA – Ex-primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, o deputado Diogo Moraes (PSB) esclarece que a superintendente da Casa, Christiane Vasconcelos, escolhida por ele e nomeada pelo então presidente Guilherme Uchoa, já morto, não é responsável pelas licitações nem pelos pregões eletrônicos feitos para celebrar os contratos com empresas prestadoras. Afastado pela operação da Polícia Federal ontem, o jovem João Pedro é sim, segundo ele, quem trata de licitações. “Christiane não tem nada a ver com isso”, afirmou.

LIVE JANAÍNA – Excepcionalmente, a segunda live da semana deste blog pelo Instagram será realizada, hoje, às 18 horas, tendo como convidada a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), a mais votada no País, com mais de dois milhões de votos. Vai falar da crise nacional, do Governo Bolsonaro e do seu afastamento do presidente. Se você ainda segue o Instagram deste blog anote: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Se Bolsonaro já está curado da Covid-19, poderia se juntar a uma multidão sem risco de contaminar ninguém?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

Só lembrando que Lula é Ladrão.

marcos

Allan dos Santos abortou o Golpe.

marcos

Agora aumentou a adoração dos esquerdistas e dos idiotas úteis, pois entrou mais um membro. Allan dos Santos. Senão vejamos, Roberto Jefferson, Eduardo Cunha, Sérgio Moro, Palocci e Allan dos Santos. Viva o PT. kkkkkkkkkkkkkkkkk

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !



30/07


2020

Coluna da quinta-feira

Candidatura de mentirinha

Ninguém levou a sério o anúncio, ontem, do deputado federal Túlio Gadelha para disputar a Prefeitura do Recife nas eleições de novembro próximo. Seu ato foi solitário, não contou com o aval e a solidariedade de quem manda no PDT, o seu partido: o grupo Queiroz, do ex-prefeito de Caruaru e deputado José Queiroz, e do filho Wolney, deputado federal, presidente estadual da legenda, líder da bancada na Câmara dos Deputados. Ambos silenciaram sobre o assunto. Presidente nacional e aliado dos Queiroz, Carlos Lupi também não deu um pio.

Traduzindo em miúdos, a candidatura de Gadelha, o jovem cabeludo que arrebatou o coração da apresentadora global Fátima Bernardes, só existe para ele próprio. Nem mesmo seus aliados mais próximos acreditam nas chances dele levar o projeto à frente, até porque está muito distanciado do Recife. Em quase dois anos de mandato, o deputado ignorou completamente a capital pernambucana, que lhe confiou 25 mil dos 75 mil votos nas eleições de 2018.

Difícil, se não impossível, identificar nos anais da Câmara dos Deputados um único pronunciamento do parlamentar enfocando problemas do Recife. Também não conheço projetos formais que ele apresentou para favorecer o Estado, especialmente a capital. Igualmente, não tenho informações de suas emendas federais para programas no Recife. O deputado, portanto, não fez até agora do seu mandato uma tribuna em favor do Recife.

Sua ação parlamentar está voltada, basicamente e unicamente, para o enfrentamento ao Governo Bolsonaro. Aliou-se ao que há de mais radical contra as políticas do Governo Federal. Tromba fortemente com qualquer ação do Governo, vota contrário aos projetos de Bolsonaro, mesmo tendo um apelo social. Se tudo isso não fosse suficiente para descrer da sua candidatura, Gadelha terá como principal adversário o seu próprio partido.

José e Wolney Queiroz, comprometidos com a candidatura de João Campos, do PSB, à sucessão de Geraldo Júlio, farão de tudo para barrar o projeto majoritário de Gadelha. O deputado também não tem chapa competitiva para a Câmara de Vereadores nem a mínima chance de atrair partidos para a sua coligação. O tempo, que é o senhor da razão, confirmará tudo isso.

Vice de Marília – Túlio Gadelha, na verdade, é o candidato a vice-prefeito dos sonhos da pré-candidata a prefeita do Recife, Marília Arraes. Principal liderança nacional do PDT, o ex-ministro Ciro Gomes é adepto da aliança formal do partido com o PT de Marília, mesmo no plano nacional assumindo uma postura agressiva em relação aos principais líderes petistas, a começar pelo ex-presidente Lula. Marília e Gadelha têm afinidade, já trataram dessa dobradinha em algumas ocasiões, mas não avançaram, sobretudo, porque Gadelha não tem autonomia no PDT para deliberar sobre essa aliança.

Aval de Ciro – O namorado de Fátima Bernardes fez o anúncio da sua candidatura ao lado dos candidatos a vereador Adriana Rocha e Pedro Josephi. Na sua fala, disse que tinha o aval do presidenciável Ciro Gomes e que o partido no Recife não poderia ficar a reboque de convenções impostas pelo PSB, que controla a Prefeitura. “Acabou esse tempo de ganhar por WO”, disse, referindo-se ao pré-candidato do PSB, João Campos, que tem o apoio das duas principais lideranças do partido no Estado, o ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz, e seu filho José Queiroz, líder pedetista na Câmara e presidente do diretório estadual.

Patriota se antecipa – O deputado federal Gonzaga Patriota está convicto de que o PT não banca a candidatura de Marília Arraes no Recife e se antecipou em Petrolina no apoio ao candidato do PT, Odacy Amorim, certo de que a aliança PSB-PT será mantida na capital. “Vejo na imprensa informações do apoio do diretório nacional do PT a brava e digna colega Marília Arraes, mas, como o diretório estadual apoia a candidatura de João Campos, no Recife, esse apoio deve permanecer. Eu nunca vi uma decisão da nacional se sobrepor as deliberações no Estado. O natural é que haja apoio às decisões locais”, disse.

Prisão – Três assessores parlamentares na Câmara do Cabo de foram presos na Operação Rateio II, deflagrada ontem. Segundo a Polícia Civil, eles são integrantes de uma quadrilha envolvida em crimes de peculato, falsidade documental e frustração de direito trabalhista. Esta é a segunda fase da operação que prendeu o vereador Flávio do Fórum (PL) e investiga um possível esquema de "rachadinha" no gabinete do parlamentar. A prática ocorre quando funcionários públicos e prestadores de serviço repassam para o político com quem trabalham parte do salário que recebem. A suspeita da Polícia Civil é de que o vereador tenha se apropriado indevidamente de até 90% dos salários dos comissionados da Câmara. Os nomes dos três assessores presos não foram divulgados pela Polícia Civil, que informou que eles trabalhavam para o vereador Flávio do Fórum e foram afastados do cargo na primeira fase da Operação Rateio.

CURTAS

MAIS PRISÕES – Uma quadrilha envolvida com crimes de homicídio e tráfico de drogas foi desarticulada, ontem, pela Operação Correntes, deflagrada pela Polícia Civil. Ao todo, foram cumpridos 18 mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão domiciliar. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara da Comarca de Escada, na Zona da Mata do Estado. As investigações tiveram início no mês de setembro de 2019 e foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil (Dintel). Em nota, a Polícia Civil informou que esta é a 32ª operação de repressão qualificada do ano. Participam dela 88 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães.

ESVAZIAMENTO – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a minimizar a importância da saída de seu partido, o DEM, e do MDB do bloco liderado por Arthur Lira (PP-AL). Dessa vez foi mais direto: “Nenhuma tentativa de enfraquecer a liderança do Arthur Lira vai vingar”, disse. Na segunda-feira passada, tornou-se pública a informação de que os dois partidos deixarão o grupo. Com as saídas, o bloco passará de 221 deputados para 158. A composição do bloco, ainda não desfeita formalmente, dá a Arthur Lira o poder de assinar por 221 deputados documentos em plenário.

LIVE COM JANAÍNA – Excepcionalmente, a segunda live da semana deste blog pelo Instagram será realizada, amanhã, às 18 horas, tendo como convidada a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), a mais votada no País, com mais de dois milhões de votos. Vai falar da crise nacional, do Governo Bolsonaro e do seu afastamento do presidente. Se você ainda segue o Instagram deste blog anote: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: A suposta candidatura de Túlio Gadelha a prefeito do Recife se traduz apenas em barganha?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Não esqueçamos que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

Fernandes

A viúva do miliciano Adriano começa a reclamar de abandono por parte de Bolsonaro.

Fernandes

Lula não é diploma, professor aluno e nem doutor. Lula é matéria. Lula é História!

marcos

Fala com Lula pra dar um Mensalão para essa Viúva!



28/07


2020

Coluna da quarta-feira

Mudança no teto de gastos

A disputa por mudanças no teto de gastos se transformou numa verdadeira guerra dentro do Governo. Tentativas de flexibilizar a regra que amarra o crescimento das despesas à variação da inflação têm partido de integrantes do próprio Executivo e servido para encorajar parlamentares e entidades na defesa por mais gastos. Lideranças do Congresso já se articulam para buscar uma alternativa para elevar investimentos em infraestrutura neste e nos próximos anos. Em outra frente, uma coalizão de 230 organizações da sociedade civil se movimenta para derrubar o teto como resposta à pandemia da covid-19.

A investida mais recente para burlar o teto teve o apoio da própria equipe econômica. Com aval do Ministério da Economia, o Governo tentou emplacar no Congresso, sem sucesso, um drible na regra fiscal ao propor que parte dos recursos do Fundeb, o fundo para educação básica (que é livre do alcance do teto), fosse redirecionado para o Renda Brasil – novo programa social que o presidente Jair Bolsonaro pretende lançar em agosto em substituição ao Bolsa Família.

Até então, a equipe econômica mostrava coesão em defesa do que é chamado de teto “puro”, a permanência da regra sem alterações como âncora da política econômica para o crescimento e manutenção dos juros baixos pelo Banco Central por um período mais prolongado. O movimento foi observado com atenção pelo mercado financeiro, que vê crescer o risco de mudança de rumos na política fiscal. Depois da proposta do Fundeb, uma nova tentativa de drible partiu da Junta de Execução Orçamentária (JEO), colegiado responsável por decisões orçamentárias e composto pelos ministros da Casa Civil, Walter Braga Netto, e da Economia, Paulo Guedes.

A JEO aprovou proposta para que a Casa Civil formulasse uma consulta ao Tribunal de Contas da União (TCU) para deixar de fora do teto R$ 35 bilhões em investimentos em infraestrutura, sob o argumento de que a medida ajudaria a impulsionar o crescimento no pós-Covid. A manobra não enfrentou oposição aberta da área econômica. Arquitetada pelo ministro do Desenvolvimento Social, Rogério Marinho, a consulta acabou sendo engavetada diante da repercussão negativa.

Mas Marinho não desistiu de seu plano de investimentos e tem buscado convencer o mercado financeiro de que a medida é positiva para a economia. O assunto também tem sido discutido por lideranças que compõem a base aliada do governo Bolsonaro, que defendem viabilizar um “investimento público mais expressivo” para permitir, ao menos, a conclusão de obras em andamento.

Créditos – Segundo o blog apurou, a ideia é aproveitar todos os saldos dos créditos extraordinários (livres do teto) abertos para os gastos da pandemia e direcioná-los para ações ou obras programadas para os próximos dois ou três anos. Os recursos extraordinários precisariam ser empenhados (o empenho é a primeira fase do gasto, quando há o compromisso com a despesa) até 31 de dezembro, e os desembolsos efetivos se dariam posteriormente. O Governo já abriu até agora R$ 509,6 bilhões em créditos extraordinários para bancar despesas relacionadas à pandemia. Desses, R$ 284,7 bilhões foram efetivamente pagos. Segundo essa liderança, se 10% a 20% dos recursos da pandemia não forem gastos, “certamente” o Congresso vai propor a utilização desses recursos em investimento público para combater os efeitos sociais e econômicos da crise provocada pelo novo coronavírus.

Sucessão na Câmara – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vai criar, nos próximos dias, um grupo de trabalho para propor mudanças na forma de financiamento, compras e fiscalização do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo a deputada Margarete Coelho (PP-PI), escalada para comandar o colegiado, o acesso universal e gratuito, pilar do modelo do qual dependem 150 milhões de brasileiros, não deve ser afetado. Maia tem dado prioridade à agenda social, o que o fortalece perante sua base de apoio na Câmara no momento em que tenta influenciar na escolha do seu sucessor ao comando da Casa. A eleição será em fevereiro, mas as negociações políticas já começaram, e o presidente Jair Bolsonaro entrou em campo para emplacar um nome do seu grupo e escantear Maia.

Reeleição – Não é a primeira vez que Rodrigo Maia tenta pautar discussões em áreas sociais. Em 2019 o presidente da Câmara escalou um grupo liderado pela deputada Tabata Amaral (PDT-SP) para apresentar uma série de propostas de combate à pobreza, educação, trabalho, geração de renda e saneamento básico. Entre as medidas, está a reformulação do Bolsa Família. Criado no governo petista, o programa deve ser rebatizado por Bolsonaro de “Renda Brasil”. Toda essa movimentação do presidente da Câmara se dá pela tentativa de encontrar uma brecha constitucional que permita sua reeleição. Se não der, seu candidato do peito é o paraibano Aguinaldo Ribeiro (PP).

Defesa da Cloroquina – Na sua estreia na CNN Brasil, segunda-feira passada, no programa 'Liberdade de Opinião', o jornalista Alexandre Garcia, como esperado, saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro, que fez uso da hidroxicloroquina durante o seu tratamento de Covid-19, mesmo contra todas as recomendações médicas e da própria Organização Mundial de Saúde. Ele disse que Bolsonaro é a "comprovação científica" que o remédio funciona contra o novo coronavírus. "Em todo noticiário que eu ouvi, o meu colega repórter dizia assim: 'Mostrou a caixa de hidroxicloroquina que não tem comprovação científica'. E o cara está na frente do presidente, que é a comprovação científica de que o uso da hidroxicloroquina dá certo. Eu não entendo, o sujeito parece que vai pra Lua, vai pra Marte, pra usar aquele chavão, aquele carimbo, aquele rótulo que estão mandando", afirmou.

CURTAS

SÓ CORREIOS – Na live do blog, segunda-feira passada, o ex-deputado Pedro Corrêa disse que Lula recebeu, só da Odebrecht, R$ 100 milhões e declarou no seu Imposto de Renda mais R$ 12 milhões. Considerou o ex-presidente um dos homens mais ricos deste País. Quanto a Bolsonaro, afirmou que, durante o tempo em que ele esteve filiado ao PP, partido presidido em nível nacional por Corrêa, o então deputado hoje presidente da República nunca aceitou receber ajuda financeira. “O que me ele brigava de fato era por cota de correios, para enviar correspondências para seus eleitores”, contou. Quanto às denúncias de que Bolsonaro também empregou milicianos em seu gabinete, revezando com um dos filhos, afirmou não ter conhecimento.

DEPENDE DE CÉLIA – Em Arcoverde, a Câmara de Vereadores deixou a prefeita Madalena Brito (PSB) em maus lençóis. Aprovou a criação de uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – destinada a apurar desvios em um programa social da sua gestão mediante a ação de laranjas. Se andará, não se sabe. Dependerá do poder de fogo e independência da presidente da Casa, Célia Galindo (PSB). O que se diz por lá é que a denúncia é antiga, mas não foi investigada pelo Ministério Público. Se for valente como se apresenta, Célia pode salvar a sua reeleição autorizando a instalação da CPI.

Perguntar não ofende: A CPI de Arcoverde pode acabar pedido de abertura do processo de impeachment da prefeita Madalena Brito?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Não esqueçamos que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Senhor...Na sua infinita misericórdia NOS LIVRE DO BOLSONARO e toda a CORJA DE BANDIDOS E RETARDADOS que o segue! É URGENTE AMÉM !

marcos

Enquanto alguns pedem ao senhor para se livrarem de Bolsonaro eu peço que o senhor dê vida longa ao Lula para que ele veja o Triunfo dos conservadores no Brasil.

marcos

Não esqueçamos que Jair Bolsonaro o Presidente Mito levou água para o Sertão Nordestino.

Fernandes

Não esqueçamos que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...



28/07


2020

Coluna da terça-feira

Polêmica na dinheirama do Covid

A forma de distribuição de R$ 13,8 bilhões em recursos da União para Estados e municípios combaterem o coronavírus tem sido alvo de questionamentos de órgãos como o Tribunal de Contas da União (TCU) e organizações como a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP). Os critérios de distribuição e a destinação dos recursos são apontados como principais pontos de controvérsia. Juristas divergem quanto à clareza da Portaria 1.666, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro no início do mês.

A distribuição é questionada por prefeitos. "Os recursos disponibilizados pela União são insuficientes", disse o secretário executivo da FNP, Gilberto Perre. "Os critérios utilizados para distribuição não estão claros e os prefeitos pediram esclarecimentos a respeito da partilha. Chama a atenção o fato de que as cidades que mais concentram casos e respondem pelos atendimentos mais onerosos tenham recebido valores per capita bastante inferiores à média nacional, na Portaria 1.666. Por exemplo, as cidades acima de 1 milhão receberam R$ 34,61 per capita e as cidades até 10 mil receberam R$ 89,94”, acrescenta.

O TCU deu 15 dias para que a Saúde mostre a "lógica de financiamento" dos fundos estaduais e municipais, e como definiu a estratégia de compras durante a pandemia, apresentando documentos sobre logística e distribuição de insumos. A Portaria 1.666 prevê que os recursos serão destinados ao "custeio das ações e serviços de saúde para o enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da covid-19, podendo abranger a atenção primária e especializada, a vigilância em saúde, a assistência farmacêutica, a aquisição de suprimentos, insumos e produtos hospitalares, o custeio do procedimento de tratamento de infecção pelo novo coronavírus".

"Tais gastos podem ser confundidos ou misturados por conveniência às demais verbas orçamentárias previstas em orçamento público (Lei Orçamentária Anual)", avalia a advogada constitucionalista Vera Chemin, mestre em Direito Público Administrativo pela FGV. "As expressões 'atenção primária' e 'atenção especializada' têm uma abrangência aberta e vaga. Tudo pode acontecer no dia a dia sem um efetivo controle da execução dos gastos, podendo, sem sombra de dúvida, serem direcionados para outras rubricas de caráter supérfluo e com pretensões eleitoreiras, uma vez que estamos próximos de uma eleição municipal."

Já para a ex-juíza federal Cecília Mello e para o especialista em Direito Administrativo Marcus Vinicius Macedo Pessanha, a portaria é clara. "Embora possa aparentar certa generalidade, que em tese daria margem a eventual uso indevido desses valores por entes da Federação, há uma finalidade expressa e específica para o uso desses valores, o enfrentamento da pandemia", afirmou Cecília.

Não vai andar – Os precedentes do Tribunal Penal Internacional (TPI), que tem sede em Haia, na Holanda, levam a crer que a corte não deve dar andamento às denúncias que acusam o presidente Jair Bolsonaro de crimes contra a humanidade. A avaliação é da brasileira Sylvia Steiner, que atuou como juíza do TPI de 2003 e 2016, além de ter sido desembargadora do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3). Sylvia disse que as medidas recentes tomadas pelo governo em relação às comunidades indígenas – somadas à denúncia feita ano passado pela Comissão Arns – podem, em tese, dar ensejo ao começo de uma investigação, mas que é improvável que ocorra.

Alvo é a primeira-dama – A ação da Polícia Federal, ontem, no Piauí, parte da terceira etapa da Operação Topique, pega em cheio a primeira-dama do Estado, Rejane Dias, ex-secretária de Educação na gestão do marido Wellington Dias (PT). Ela é acusada de supostos desvios de recursos da Educação do Estado, através de pagamentos superfaturados em contratos de transporte escolar. Segundo a PF, entre 2015 e 2016, servidores da Seduc teriam se juntado a empresários do setor de locação de veículos e desviado, no mínimo, R$ 50 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE).

Defesa – Em nota, a Secretaria de Educação do Piauí afirma que “está colaborando plenamente com a investigação em curso da Polícia Federal e sempre se colocou à total disposição dos órgãos de controle para esclarecer quaisquer questionamentos, visando a transparência e o correto funcionamento da administração pública”. Já a ex-secretária e agora deputada federal Rejane Dias informou, em comunicado, que “recebeu com tranquilidade os desdobramentos da Operação” e “está à disposição para esclarecimentos”. “Durante seu exercício à frente da Secretaria de Educação, a parlamentar sempre se portou em observância às Leis, tendo em vista a melhoria dos índices educacionais e a ampliação do acesso à educação dos piauienses”, diz a nota.

CURTAS

RACHOU – O maior bloco de partidos da Câmara perderá duas legendas. O MDB e o DEM resolveram deixar o grupo de siglas que se aglutinou sob a liderança de Arthur Lira (PP-AL). Com a saída dos 2 partidos, o bloco passará de 221 deputados para 158. Continuará sendo uma força decisiva na Casa quando votar em conjunto, devido à pulverização partidária. A maior bancada da Câmara, do PT, tem 53 deputados. Lira é o principal articulador do chamado Centrão na Câmara. Trata-se de conjunto de partidos sem coloração ideológica clara que adere aos mais diversos governos. No momento, há uma aproximação em curso com Jair Bolsonaro.

BOA NOTÍCIA – O laboratório Moderna Inc afirmou nesta segunda-feira, 27, que iniciou o estágio final de testes em uma candidata a vacina para a covid-19, com apoio do governo dos Estados Unidos. Este é a primeira pesquisa a ser implementada no programa anti-coronavírus Operation Warp Speed, do governo de Donald Trump. As notícias do estudo, que testará a resposta à vacina em 30 mil adultos sem registro da doença respiratória, aumentaram as ações da Moderna em 11%. O governo federal dos EUA está apoiando o projeto com quase U$ 1 bilhão (aproximadamente R$ 5,21 bilhões) e o escolheu como um dos primeiros a entrar na fase de ensaios em larga escala em humanos.

MELHORIA – O ministro das Comunicações, Fábio Faria, assegura que a mudança do presidente Jair Bolsonaro na maneira de se comunicar fez a imagem do Governo melhorar. De acordo com Faria, o ambiente era de “muita guerra na imprensa” e “muita briga”. Agora, com uma “pacificação”, Bolsonaro faz com que as “entregas” do governo cheguem ao conhecimento da população. “Isso mostra que as pessoas estavam querendo paz. Isso já se reflete nas pesquisas e até nos nossos amigos, nas conversas que nós temos pelo Whatsapp devido à pandemia”, afirma.

Perguntar não ofende: O Governo Paulo Câmara não tem vergonha de ver as pessoas tapando buracos nas estradas do Sertão?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Lula é Ladrão. Isso ninguém pode negar.

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém.

Fernandes

Precisa-se de um torneiro mecânico com nove dedos para consertar o Brasil.

marcos

Não nos esqueçamos que Lula é Ladrão condenado e já passou anos na cadeia...

Fernandes

Não esqueçamos que,Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...



27/07


2020

Coluna da segunda-feira

Quem elege é pobre feliz

Duas pesquisas ao longo da semana passada mudaram o astral do presidente Bolsonaro e de seus aliados. A primeira apontou que seria reeleito em 2022, sem dificuldades, longe do segundo lugar, que seria o ex-ministro Sérgio Moro. A outra revelou algo que já era esperado: a melhoria da avaliação do seu Governo influenciada pelo pagamento do coronavoucher, a ajuda de R$ 600 e o dobro, quando se trata de um beneficiário em família, para trabalhadores da informalidade.

Num País de miseráveis, a mão amiga que chega na hora do aperreio nunca será esquecida. Quando Lula traçou o plano de perpetuar o PT no poder estendeu os programas sociais da era FHC num pagamento só: a Bolsa-Família. Alavancou não apenas a sua reeleição, quando estava ferido de morte por causa do mensalão, como teve a incrível capacidade de eleger e reeleger um poste, a ex-presidente Dilma. O PT só foi desbancado do poder porque Lula e sua quadrilha roubaram muito.

A eleição de Bolsonaro não foi mérito do capitão. Na verdade, foi o voto anticorrupção, o voto anti-roubalheira. Qualquer candidato que tivesse ido ao segundo turno contra o petista Fernando Haddad, o pior prefeito da história de São Paulo, venceria. No transcorrer da campanha, Bolsonaro ganhou também outro ingrediente para garantir a vitória: a facada tomada covardemente quando participava de um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

Enganam-se os que imaginam a não reeleição de Bolsonaro por erros, entre eles a bomba Queiroz, a má gestão do Covid, a sua língua incontida. Isso atrapalha, mas não decide, sobretudo se ele conseguir cumprir a promessa da ampliação da Bolsa-Família, continuar ajudando o Nordeste com programas sociais, na conclusão de obras fundamentais para a região, como a Transposição do São Francisco e a Ferrovia Transnordestina.

Esta semana presenciei nas ruas do Recife populares chamando Bolsonaro de “pai dos pobres”. Isso se deu também com Lula no auge da Bolsa-Família. Só quem não teve essa capacidade foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, por condução equivocada na comunicação. FHC colocou em prática muitos programas sociais, entre eles o Vale Gás, mas não teve a capacidade de Lula de capitalizar esse eleitorado nem se apresentar também como um pai generoso da pobreza.

Se continuar distribuindo renda e ajudando quem mais carece de políticas públicas, especialmente de uns trocadinhos a fundo perdido no cartão de saque da CEF todo mês, Bolsonaro já pode, desde já, preparar o terno da posse, até porque estamos assistindo a uma oposição difusa, sem nomes competitivos e sem um discurso convincente.

Cota da mulher – A Justiça Eleitoral pretende ser mais rígida com partidos que fraudam candidaturas femininas para cumprir a determinação de que 30% dos concorrentes a vagas no Legislativo sejam mulheres. As eleições de novembro deste ano serão as primeiras em que valerá uma resolução que permite ao juiz derrubar uma lista inteira de candidatos a vereador antes mesmo da votação, caso a irregularidade seja constatada. Para acelerar este processo, partidos terão de apresentar autorização por escrito de todas as candidatas, o que não vinha acontecendo desde que o registro foi informatizado.

Por escrito – A assinatura é uma forma de garantir que aquela candidata tem mesmo interesse em concorrer e não foi indicada pelo partido apenas para cumprir a cota feminina. Nas últimas eleições, além de não apresentar autorização por escrito de todos os candidatos, partidos enviaram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fotos de redes sociais, sem consentimento das mulheres fotografadas, segundo a pesquisadora Roberta Maia Gresta, coordenadora da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep). Em 2018, de acordo com Roberta, um grupo de mulheres de Minas Gerais chegou a registrar boletim de ocorrência para reclamar que estava participando das eleições, embora não tivesse autorizado.

Apagão de mesários – Diante do cenário incerto da pandemia do coronavírus para os próximos meses, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está especialmente preocupado com o possível “apagão” em uma etapa-chave do processo das eleições municipais deste ano: a convocação de mesários. O processo, que será deflagrado na primeira semana de agosto, precisa reunir um exército de dois milhões de pessoas, entre voluntários e convocados. Os nomes que já atuaram na função em eleições passadas são os primeiros no radar dos tribunais regionais eleitorais, mas especialistas e ex-desembargadores temem que uma onda de atestados médicos e a judicialização das convocações abram um vácuo sem precedentes na função.

Três na degola – Eleitos na onda de renovação das eleições de 2018 e com discurso contrário à política tradicional, os governadores de Santa Catarina, Amazonas e Rio viraram alvo de pedidos de impeachment por suspeitas de irregularidades em suas gestões durante a crise do novo coronavírus e por reclamações de falta de diálogo com o Legislativo. Caso os deputados estaduais deem seguimento aos processos, o Brasil pode ter o primeiro caso de impeachment de um governador desde 1957. Naquele ano, a Assembleia Legislativa de Alagoas afastou Muniz Falcão, até hoje o único chefe de Executivo estadual impedido de continuar no cargo por decisão de parlamentares.

CURTAS

MUDANÇA DE ESTRATÉGIA – Para evitar o mesmo destino de Falcão, Wilson Witzel (PSC), do Rio, e Carlos Moisés (PSL), de Santa Catarina, estão tentando mudar a relação com os deputados estaduais, seja por meio da indicação de nomes que agradam ao Legislativo para cuidar da articulação política, seja pagando emendas prometidas aos parlamentares. Deputados ouvidos pelo Estadão ainda não estão certos se isso será suficiente. No Amazonas, a situação de Wilson Lima (PSC) parece mais tranquila, já que nem a oposição acredita que ele será afastado do cargo. Apesar de ter sido alvo de operação da Polícia Federal, o governador cultiva base suficiente no parlamento para evitar o processo.

CASO A CASO – O pedido de impeachment de Witzel cita as suspeitas de desvios na Saúde, que já levaram um ex-secretário, dois ex-subsecretários e outros envolvidos à cadeia. Já o pedido contra Lima alega fraude na compra de respiradores. O caso de Carlos Moisés, porém, não tem ligação com a pandemia. Assinado por um defensor público, o documento tem como foco o aumento supostamente indevido dado a procuradores do Estado sem a aprovação de projeto de lei na Assembleia Legislativa. Do grupo de governadores que surpreenderam nas urnas em 2018, Wilson Witzel (PSC) foi o primeiro a ter o processo de impeachment aberto, no dia 10 de junho. Suspeito de participar de desvios na Saúde, o governador fluminense vive, para além dos escândalos de contornos jurídicos, uma crise política.

FORTALEZA NA LIVE – A live de hoje pelo Instagram deste blog é com o prefeito de Fortaleza, o pedetista Roberto Cláudio. Em pauta, a experiência na gestão da crise da pandemia do coronavírus. Tão logo o vírus da morte se instalou no Nordeste, a capital cearense, que já recebeu vários prêmios em programas inéditos e bem-sucedidos na área de saúde, teve uma explosão de casos do Covid-19, mas nos últimos 40 dias a curva foi revertida e Fortaleza passou a ser uma das quatro referências nacionais no enfrentamento ao mal do século. Acontece às 19 horas. Se você ainda não acompanha o Instagram deste blog, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: A quem a Polícia Federal vai dar um bom dia ao longo desta semana?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Alexandre

Em 2022 Bolsonaro virá mais forte, com maior aprovação aqui no Nordeste. O povo Nordestino é justo e trabalhador, e reconhece quem trabalha sério e com vontade de fazer. As obras de Infraestrutura estão avançando pelo Brasil. Eleições municipais principalmente no Nordeste, serão excelente termômetro para 2022.

marcos

Games Over, Bolsonaro + Hidroxicloroquina venceram o Covid _19. O mito botou no cu do Vírus Chinês. kkkkkkk

marcos

Bom dia povo de Deus, só lembrando que o Carniça saqueou a Petrobras, Quebrou o Brasil, deixou 13 milhões de pessoas desempregadas e mandou matar Celso Daniel. Amém



25/07


2020

Coluna do sabadão

Caminho embaralhado para Lula

Os desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negaram, na última quarta-feira, os recursos apresentados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e mantiveram a sentença proferida pela corte em novembro do ano passado, de 17 anos e um mês de prisão, em regime fechado. É a pena mais pesada imposta pela Lava Jato ao petista. Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do sítio de Atibaia.

O recurso buscava reverter aspectos da sentença. Os desembargadores também negaram pedido preliminar da defesa de Lula, que buscava remarcar o julgamento para uma data futura, de forma a garantir que ele fosse feito presencialmente. É a segunda sentença em segundo grau de Lula nos processos da Lava Jato, em Curitiba. Em janeiro de 2018, o mesmo TRF-4 condenou o ex-presidente a 12 anos de prisão no processo do triplex do Guarujá (SP) e determinou a prisão do petista para início do cumprimento provisório da pena, assim que esgotado os recursos no tribunal.

A pena foi depois reduzida para nove anos, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em julgamento no ano passado. Lula foi preso em abril de 2018, após a condenação em segunda instância do caso triplex, e solto em novembro do ano passado após o Supremo Tribunal Federal rever entendimento sobre execução de pena antes do trânsito em julgado (quando o caso já não cabe recursos). Por conta da mudança jurídica, o petista segue respondendo aos dois processos em liberdade.

Em primeira instância, Lula foi sentenciado no caso do sítio de Atibaia em fevereiro de 2019 pela 13.ª Vara Federal em Curitiba por supostamente receber R$ 1 milhão em propinas via reformas do sítio de Atibaia, que está em nome de Fernando Bittar, filho do amigo de Lula e ex-prefeito de Campinas, Jacó Bittar. A Lava Jato apontou que o sítio passou por três reformas: uma sob comando do pecuarista José Carlos Bumlai, no valor de R$ 150 mil, outra da Odebrecht, de R$ 700 mil, e uma terceira reforma na cozinha, pela OAS, de R$ 170 mil. Total de R$ 1,02 milhão gastos pelos acusados. Os pagamentos tiveram relação com negócios na Petrobrás e os caixas de propinas acertados entre as empreiteiras e o PT.

Sem poder de reversão – Com a decisão por unanimidade, o extrato da ata da sessão deve ficar pronto até amanhã, o que permitiria a prisão imediata de Lula. Porém, a execução da pena está suspensa até o Supremo Tribunal Federal retomar o julgamento do habeas corpus preventivo do ex-presidente. Os embargos de declaração são um tipo de recurso que não tem o poder de reverter a condenação. Servem apenas para esclarecer pontos específicos da decisão. Agora, a defesa de Lula poderá recorrer contra a condenação em segunda instância no Superior Tribunal de Justiça ou no próprio STF. A defesa apontou 23 omissões, obscuridades ou contradições no mérito do acórdão e indicou ainda mais dez omissões nas preliminares do julgamento.

O efeito do voucher – Pesquisa DataPoder360 mostra que a aprovação do Governo do presidente Jair Bolsonaro entre os brasileiros que receberam ou estão aguardando para receber o auxílio emergencial é de 52%. A desaprovação da administração federal ficou em 38%. Os dados mostram que os beneficiários do coronavoucher – como o benefício é chamado pelo governo – passaram a avaliar melhor a administração federal nas últimas duas semanas, seguindo a tendência do resultado geral. Houve alta de seis pontos percentuais em relação ao último levantamento (6 a 8 de julho), quando a taxa de aprovação do governo por esse grupo era de 46%.

Desaprovação – Já a desaprovação se manteve estável em 38% entre os beneficiários do auxílio, depois de queda nos últimos levantamentos. Há 15 dias era de 39%. A taxa é 7 pontos percentuais inferior à avaliação nacional (46%). Há 1 mês 44% dos beneficiários rejeitavam o governo. O percentual de aprovação do governo Bolsonaro pelos beneficiários do coronavoucher (52%) segue superior à avaliação geral dos brasileiros (43%), com diferença de 9 pontos percentuais. Já a desaprovação pelo grupo (38%) é 6 pontos inferior à média geral (43%). A pesquisa foi realizada de 20 a 22 de julho de 2020 pelo DataPoder360, divisão de estudos estatísticos do Poder360, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 560 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Queda – O DataPoder360 também questionou os entrevistados sobre o trabalho individual do presidente. Bolsonaro é bem avaliado (ótimo+bom) por 36% dos beneficiários do coronavoucher. Houve alta de 4 pontos percentuais em 15 dias. O percentual está 6 pontos acima da média nacional. Seguindo a tendência de queda nacional, a rejeição do presidente caiu 7 pontos percentuais entre os que receberão o auxílio emergencial nas últimas duas semanas. Os que consideram a atuação do presidente como “ruim” ou “péssima” são 35% desse grupo. Antes, eram 42%.

CURTAS

URNAS – O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) informou vai comprar novas urnas eletrônicas em 2020 e 2021. O valor do contrato é de R$ 799 milhões para a aquisição dos equipamentos, que serão utilizados nas eleições de 2022. O objetivo do TSE é adquirir até 180.000 urnas para substituir parte do parque tecnológico, que atualmente é de 470 mil unidades em todo o País. Segundo a Corte Eleitoral, urnas fabricadas em 2006 e 2008, cuja vida útil está esgotada, precisam ser substituídas pelos novos modelos. Apesar disso, o Tribunal informou que a atual quantidade de urnas disponíveis é suficiente para garantir a realização das eleições municipais deste ano, marcada para 15 de novembro (1º turno).

QUEM PAGA É O POVO – Deu na revista Crusoé: “O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), resolveu dar sua cota de contribuição ao lucrativo mercado dos distribuidores de bebidas, um dos poucos setores da economia que viram os negócios crescer na pandemia. Ao abrir três licitações para abastecer a despensa e a adega do Palácio do Campo das Princesas, a sede do Governo Estadual, ele incluiu entre os itens nada menos que 48 litros de uísque e 49 litros de vinho. O destilado, diz o texto, tem que ser escocês, doze anos (até 217 reais a garrafa). Já a origem do vinho passa longe do polo vinícola do Sertão pernambucano: a licitação exige que sejam malbecs argentinos e os famosos verdes portugueses. A lista do governador tem ainda cerveja importada super premium, com ingredientes 100% naturais e importados, puro malte. Só com as bebidas, a conta sairá por 15 mil reais”.

PRECONCEITO REGIONAL– Na live do blog, ontem, a ex-líder do Governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), fez uma grave acusação ao presidente Bolsonaro. Revelou que levou a ele, quando estava na liderança, um projeto para o Nordeste e que o ele se recusou, afirmando que não estava preocupado com “aqueles paraíbas”. Trata-se de uma declaração com viés preconceituoso contra os nordestinos e a sua falta de compromisso com a Região.

Perguntar não ofende: Se estender o coronavoucher, Bolsonaro vai roubar o eleitorado de Lula no Nordeste?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Games Over : Bolsonaro / Hidroxicloroquina venceram. Quem apostou contra tomou no Rabo. O nosso Mito é foda, derrubou o Vírus Chinês. kkkkkkkkkkkkk

marcos

Em agosto de 2019, Fernanda Young mais uma vez tentou difamar o Bolsonaro e disse que ela \"não ia deixar a terra tão cedo\". Morreu logo depois. Paulo Henrique Amorim rogou praga e desejou a morte do Bolsonaro. Morreu logo depois. O escritor Sérgio Sant\'Anna escreveu coisas horríveis contra o Bolsonaro e desejou que ele e seus eleitores morressem de corona. Sérgio Sant\'Anna morreu de corona logo depois. O Catraca Livre sempre tenta difamar o Bolsonaro e seus eleitores. Gilberto Dimenstein desejou a morte do Bolsonaro, com o nojento Catraca Livre fazendo até montagem do Bolsonaro no caixão. Gilberto Dimenstein morreu logo depois. O jurista e político Luiz Flávio Gomes falou mal do Bolsonaro e disse que ele tinha que ser totalmente isolado. Luiz Flávio Gomes morreu um dia depois. Alfredo Sirkis escreveu no twitter, sobre o Bolsonaro ter pego corona: \"O Coronavírus contraiu um Bolsonarusvírus. Te cuida, corona...\" Alfredo Sirkis morreu poucos dias depois. Em 11 de julho agora, o professor Fábio França escreveu que \"não desejava a morte do Bolsonaro: queria que Bolsonaro fosse enterrado vivo\". Fábio França morreu E aí galera da resistência! Quem mais se habilita? Texto de Manellis Medeiros.

marcos

Bom dia povo de Deus, só lembrando que o Carniça saqueou a Petrobras, Quebrou o Brasil, deixou 13 milhões de pessoas desempregadas e mandou matar Celso Daniel. Amém

Fernandes

Não esqueçamos que,Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Tá tudo bem, mas nunca esquecer que Lula é Ladrão.